Você está na página 1de 5

ORIENTAÇÃO SEXUAL

ASSEXUALIDADE
SEXUALIDADE
HeterossexualidadeQue sente atração sexual pelo “sexo oposto”
Homossexualidade Em par com homossexualismo, que sente atração pelo “mesmo sexo”
BissexualidadeQue sente atração por “ambos sexos”
Panssexualidade Ou omnissexualidade, polissexualidade ou trissexualidade... Sente
atração por “pessoas” e não por gêneros específicos.
OUTRO Não se rotula ou não se sente incluído em nenhum grupo.
T-Lover Refere-se a pessoas que sentem atração por travestis e/ou transexuais.
Em geral, essas pessoas assumem a identidade heterossexual
ou bissexual.

IDENTIDADE E EXPRESSÃO DE GÊNERO

AGÊNERO Ou gênero neutro, sem gênero, neutrois... Alguém que não se identifica
com qualquer tipo de identidade de gênero. Esse termo também pode ser
utilizado por alguém que intencionalmente não demonstra qualquer
representação de gênero reconhecida. Há quem passe por tratamentos
hormonais e/ou cirurgias para fazer com que seus corpos se adequem a
sua identidade de gênero nenhum. Algumas pessoas usam termos
similares como “sem gênero” ou “gênero neutro”.

Um termo genérico dentro dos termos mais amplos de transgênero ou


genderqueer. Inclui pessoas que não se identificam com o sistema
binário de gênero (ou seja, homem/mulher). De acordo com o site
Neutrois.com, algumas identidades neutrois comuns incluem agênero,
nenhum-gênero e sem-gênero.
GÊNERO
Cisgênero Todos os termos abaixo expressam que uma pessoa não é trans ou que
não tem uma identidade de gênero ou se apresenta de maneira incomum:

- Mulher cis (também mulher cisgênero): uma mulher que se identifica


com/ se apresenta como do gênero feminino.
- Homem cis (também homem cisgênero): um homem que se
identifica com/ se apresenta como do gênero masculino.
- Cisgênero: uma pessoa que tem a identidade de gênero comumente
associada a seu sexo biológico (por exemplo, alguém que é considerada
mulher quando nasce e vive como uma mulher).

Transgênero Pessoa que possui uma identidade de gênero diferente do sexo designado
no nascimento. Homens e mulheres transexuais podem manifestar o
desejo de se submeterem a intervenções médico-cirúrgicas para
realizarem a adequação dos seus atributos físicos de nascença (inclusive
genitais) a sua identidade de gênero constituída.

Um termo genérico que inclui todas as pessoas que têm um gênero


que tradicionalmente não são associados a seu sexo. Pessoas que se
identificam como transgênero podem ou não ter alterado seus corpos
com cirurgias e/ou hormônios. Alguns exemplos:
- Trans homem (confira Mulher Para Homem, acima): apesar de
algumas pessoas utilizarem a grafia “transhomem” (sem espaço entre
trans e homem) ou “trans-homem” (com hífen), há quem argumente que
é melhor utilizar o espaço entre “trans” e “homem” para indicar que a
pessoa é um homem e que a parte “trans” não é a coisa mais importante
ou central de sua identidade.
- Trans mulher (confira Homem Para Mulher, acima): apesar de
algumas pessoas utilizarem a grafia “transmulher” (sem espaço entre
trans e mulher), há quem argumente que é melhor utilizar o espaço entre
“trans” e “mulher” para indicar que a pessoa é um homem e que a parte
“trans” não é a coisa mais importante ou central de sua identidade.
- Pessoa trans (confira transgênero): outra maneira de dizer que
alguém é uma pessoa transgênero.

Trans*

Este é um termo inclusivo, que se refere às muitas maneiras que uma


pessoa pode transcender ou até mesmo transgredir o gênero ou as
normas de gênero (por exemplo, inclui indivíduos que se identificam
como transgênero, transexuais, gênero diverso etc.). Na maior parte das
vezes o asterisco (*) não é seguido de um sexo ou termo de gênero –
escreve-se simplesmente Trans* – para indicar que nem todas as pessoas
se identificam com um rótulo de sexo ou gênero já estabelecido.

Pode ser binário ou não-binário

MTF / FTM Male to female / Female to male / No processo de Transgenitalização

Uma pessoa trans que nasceu num corpo de homem/mulher, e agora vive
como uma mulher/um homem e tem uma identidade de gênero
feminina/masculina. Uma MTF / FTM está no meio do processo de
transição, que pode ou não se completar eventualmente. Essa pessoa
pode ou não ter alterado seu corpo físico com cirurgias, hormônios, ou
outras modificações (por exemplo, treinamento vocal, eletrólise etc.).
Geralmente utiliza o pronome oposto ou termos de gênero neutro.

Transsexual Para muitos, este termo indica alguém que fez alterações permanentes a
seu corpo físico, especificamente a sua anatomia sexual (ou seja,
genitais e/ou seios ou peito) por meio de cirurgias. Há quem considere
o termo “transexual” problemático por causa de sua história de patologia
ou associação a desordens psíquicas. A fim de conseguirem fazer as
operações necessárias para a mudança de sexo, muitas vezes a pessoa
precisa de um diagnóstico psiquiátrico (historicamente, este diagnóstico
era dado como “transexualismo”) e de recomendações de profissionais
da saúde. O termo “transexual” costuma ser utilizado menos
frequentemente pelas gerações mais jovens de pessoas trans.

- Mulher Transexual: alguém que nasceu num corpo masculino e


realizou a transição (por meio de cirurgia e/ou hormônios) para viver
como uma mulher.
- Homem Transexual: alguém que nasceu num corpo feminino e
realizou a transição (por meio de cirurgia e/ou hormônios) para viver
como um homem.
Bigênero Alguém que se identifica como homem e mulher ao mesmo tempo. Uma
identidade bigênero é uma combinação destes dois gêneros, mas não
obrigatoriamente uma repartição meio a meio, já que quem se identifica
assim muitas vezes sente – e expressa – cada um desses gêneros por
inteiro. Assim como indivíduos que se identificam como fluidos,
pessoas bigênero podem se apresentar como homens, como mulheres,
ou neutros dependendo do dia.

Andrógino Alguém que não se identifica, nem se apresenta, como apenas como
homem ou mulher. “Andrógino” é utilizado por quem tem qualidades
masculinas e femininas e se considera um terceiro gênero separado. Essa
palavra tem raízes no latim: “andro” quer dizer “homem” e “gino” quer
dizer “mulher”. Alguns andróginos podem se identificar como gender
benders, o que significa que estão intencionalmente distorcendo
(“bending”), ou desafiando/transgredindo, os papéis de gênero
estabelecidos pela sociedade.

Duplo-espírito Esse termo provavelmente tem origem na tribo Zuni da América do


Norte, apesar de personas de duplo-espírito já haverem sido
documentadas em inúmeras tribos. Os nativo-americanos que têm
características e apresentações tanto masculinas como femininas têm
papéis particulares dentro de suas tribos, e são vistos como um terceiro
gênero. (Recentemente a Alemanha e o Nepal adotaram uma terceira
opção de gênero para seus cidadãos escolherem).

Gênero fluido Alguém cuja identidade de gênero e apresentação não se limita a apenas
uma categoria de gênero. Pessoas de gênero fluido podem ter
compreensões dinâmicas ou flutuantes do próprio gênero, mudando de
um para outro de acordo com o que sentir melhor no momento. Por
exemplo, uma pessoa de gênero fluido pode se sentir mais como um
homem num dia e mais como uma mulher no dia seguinte, ou sentir que
nenhum dos termos se aplica a ele.

Pangênero O pangênero é similar ao andrógino, no sentido de que a pessoa se


identifica como um terceiro gênero com algum tipo de combinação dos
aspectos tanto masculinos como femininos, mas um pouco mais fluidos.
Também pode ser utilizado como um termo inclusivo para designar
“todos os gêneros”.

Intersex(o) Intersexual, Antigo Hermafrodita. Geralmente se refere a alguém cujos


cromossomos, gônadas (ou seja, ovários e testículos), perfis hormonais,
e anatomia não estão de acordo com o que se espera do corpo típico nem
de homens ou de mulheres. O termo intersex basicamente substituiu o
termo “hermafrodita” para se referir a seres humanos. Algumas
condições intersex são aparentes no nascimento, enquanto outras são
percebidas durante a puberdade ou ainda depois (se percebidas). Alguns
indivíduos não usam mais o termo “condições intersex” e preferem em
seu lugar “desordens de desenvolvimento sexual”. (confira ISNA.org)
NÃO BINÁRIOS Pessoas qeu se identificam como não-binárias desprezam a ideia de uma
dicotomia entre macho e fêmea, ou mesmo de um contínuo entre macho
e fêmea com a androginia no centro. Para eles, o gênero é uma ideia tão
complexa que se encaixaria melhor num gráfico tridimensional, ou
numa rede multidimensional.

OUTRO Uma escolha por não oferecer um dos rótulos comumente reconhecidos
para o gênero de uma pessoa. Quando utilizado por alguém para
descrever a si mesmo, essa pode ser uma maneira de se dar a liberdade
de descrever (ou deixar de descrever) o próprio gênero. O termo “outro”
não deve ser utilizado para descrever pessoas cujo gênero você não
entende por completo ou não consegue definir.

LGBTQIA+ LGBT é o acrônimo de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis,


Transexuais e Transgêneros. Em uso desde os anos 1990, o termo é uma
adaptação de LGB, que era utilizado para substituir o termo gay para se
referir à comunidade LGBT no fim da década de 1980.[1] Ativistas
acreditam que o termo "gay" não abrange ou não representa todos
aqueles que fazem parte da comunidade.[2]

O acrônimo tornou-se popular como uma auto-designação; tem sido


adotado pela maioria dos centros comunitários sobre sexualidade e
gênero e em meios de comunicação nos Estados Unidos, bem como
alguns outros países de anglófonos.[3][4] O termo é usado também em
alguns outros países, particularmente naqueles cujos idiomas usam
acrônimos, tais como Argentina, Brasil, França e Turquia.

O acrônimo LGBT se destina a promover a diversidade das culturas


baseadas em identidade sexual e de gênero. Ele pode ser usado para se
referir a qualquer um que não é heterossexual ou não é cisgênero, ao
invés de exclusivamente se referir as pessoas que são lésbicas, gays,
bissexuais ou transgêneros.[2][5] Para reconhecer essa inclusão, uma
variante popular, adiciona a letra Q para aqueles que se identificam
como queer ou que questionam a sua identidade sexual; LGBTQ foi
registrado em 1996.[6] Aqueles que desejam incluir pessoas intersexuais
em grupos LGBT sugerem o acrônimo prolongado LGBTI.[7][8]
Algumas pessoas combinam as duas siglas e usam LGBTIQ ou
LGBTQI.[9] Outros, ainda, adicionam a letra A para os assexuais ou
simpatizantes: LGBTQIA. Finalmente, um sinal de + é por vezes
adicionado ao final para representar qualquer outra pessoa que não seja
coberta pelas outras sete iniciais: LGBTQIA+.[10]

Queer Termo que diz respeito à forma como algumas pessoas expressam a
sexualidade ou a identidade de género. Por vezes é usado como
sinónimo da comunidade LGBT. Note-se que por detrás deste termo está
geralmente um elevado nível de ativismo político dentro da comunidade
LGBT. Refira-se ainda que está associada a este termo uma teoria –
Teoria Queer – que se desenvolvei nos anos 80 nos Estados Unidos com
a publicação do livro Gender Trouble de Judith Butler.

Queer é uma palavra-ônibus proveniente do inglês usada para designar


pessoas que não seguem o padrão da heterossexualidade ou do
binarismo de gênero. O termo é usado para representar gays, lésbicas,
bissexuais e, frequentemente, também as pessoas transgênero ou
transexuais, de forma análoga à sigla LGBT.[1][2]

Travesti Pessoa que se veste com roupas do sexo oposto por prazer ou diversão.
Um travesti não é necessariamente um homossexual. Em Portugal, o
termo é usado para designar drag queens ou crossdressers,
indiferentemente.

Pessoa que nasce do sexo masculino ou feminino, mas que tem sua
identidade de gênero oposta ao seu sexo biológico, assumindo papéis de
gênero diferentes daquele imposto pela sociedade. Muitas travestis
modificam seus corpos por meio de hormonioterapias, aplicações de
silicone e/ou cirurgias plásticas, porém, vale ressaltar que isso não é
regra para todas (definição adotada pela Conferência Nacional LGBT
em 2008. Diferentemente das transexuais, as travestis não desejam
realizar a cirurgia de redesignação sexual (mudança de órgão genital).3
Utiliza-se o artigo definido feminino “A” para falar da Travesti (aquela
que possui seios, corpo, vestimentas, cabelos, e formas femininas). É
incorreto usar o artigo masculino, por exemplo, “O“ travesti Maria, pois
está se referindo a uma pessoa do gênero feminino.

Drags Drag queen / Drag king / Transformista

Transformistas (mais conhecidos pelos termos em inglês Drag queen e


Drag King) são personagens criados por artistas performáticos que se
travestem, fantasiando-se cômica ou exageradamente com o intuito
geralmente profissional artístico. Na maioria das vezes, apresentam-se
em boates e bares LGBT, embora haja drags que façam eventos para
público misto e heterossexuais, como animação em festas de casamento,
debutantes e formaturas. Muitas fazem também correio elegante ou
correio animado, levando mensagens de amor ou felicitações com
performances características.

Chama-se drag queen a pessoa que se veste com roupas exageradas


femininas estilizadas e drag king a pessoa que se veste como homem. A
transformação em drag queen (ou king) geralmente envolve, por parte
do artista, a criação de um personagem caracteristicamente cômico e/ou
exagerado, que por trás carrega um discurso critico-político-
transformador. [carece de fontes]

Tanto drag queens como drag kings podem ter qualquer gênero e
orientação sexual, e sê-lo não é indicativo de se ser homossexual,
bissexual ou heterossexual.

Cross-dressing Aspecto momentâneo ou ocasional, sem necessariamente ter uma


alteração na identidade de gênero ou sexual.