Você está na página 1de 19

NEOCLASSICISMO

PROFESSORA: SILVIA CRUZ

Transição do séc.
XVIII para o XIX
PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO

NEO = NOVO

CLÁSSICO = REFERÊNCIA A ANTIGUIDADE


CLÁSSICA (GRÉCIA E ROMA

Para os neoclassicistas uma obra de arte só seria


perfeitamente bela na medida em que imitasse não as
formas da natureza, mas as que os artistas clássicos
gregos e os renascentistas italianos já haviam criado.
PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO

• O neoclassicismo está intimamente ligado


ao declínio da influência da religião e à
ascensão dos ideais do iluminismo, que
tinham base o racionalismo, combatiam as
superstições e dogmas religiosos, e
enfatizavam o aperfeiçoamento pessoal e
o progresso social dentro de uma forte
moldura ética.

• Três movimentos antagônicos surgem a


partir da Revolução Francesa e
desenvolvem-se ao longo da revolução
industrial.

Antoine-Denis Chaudet, Louis Jean-Baptiste Chéret , Peace, Louvre Museum / Disponibilizado


por Ricardo André Frantz .
ARQUITETURA

Seguiu o modelo
dos templos
greco-romanos ou
o das edificações
do Renascimento
italiano.

Caracterizou-se
pelo uso de
fachadas sóbrias,
nas quais colunas
dóricas sustentam
frontões.

Porta de Brandemburgo(1789-1794), em Berlim


ARQUITETURA

GERMAIN SOUFLOR,
primeiro arquiteto
Neoclássico

A planta do edifício foi


concebida com a forma
de uma cruz grega – um
pórtico de seis colunas
e um frontão

Igreja de Santa Genoveva(1757-


1792).
Transformada depois no Panteão
Nacional, em Paris
PROFESSORA: SILVIA CRUZ
PINTURA NEOCLASSICISMO

A pintura foi inspirada


principalmente na escultura clássica
grega e na pintura renascentista
italiana, sobretudo em Rafael -
mestre do equilíbrio, da composição
e da harmonia do colorido.

O Juramento dos Horácios – 1784


PROFESSORA: SILVIA CRUZ
PINTURA NEOCLASSICISMO

Jacques-Louis-David

Um dos maiores representantes da


pintura neoclássica

David nasceu em Paris e foi considerado


o pintor da Revolução Francesa

Durante o governo de Napoleão,


registrou fatos históricos ligados à vida
do imperador

Bonaparte atravessando os
Alpes, 1801, Jacques-Louis
David
PINTURA PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO

Jacques-Louis-David

Suas obras expressam um


vibrante realismo idealizado e
fortes emoções, como é o caso
do quadro em que retrata a
morte de seu amigo Marat.

A Morte de Marat (1793)


Referência visual
Marat (Sebastião)
Vick Muniz (São
Paulo, 1961)
A Morte de Marat
(1793)
PINTURA PROFESSORA: SILVIA CRUZ
Jacques-Louis-David NEOCLASSICISMO

Madame Recamier, 1800


PINTURA PROFESSORA: SILVIA CRUZ
Jacques-Louis-David NEOCLASSICISMO

O amor de Helena e Paris, 1788


PINTURA PROFESSORA: SILVIA CRUZ
Jacques-Louis-David NEOCLASSICISMO

A Morte de
Sócrates,
1787
PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO
Detalhes da obra

1. IMAGEM NO CORREDOR
O homem encostado na parede do corredor é Apolodro, um dos discípulos
de Sócrates. Segundo relatos, Sócrates mandou o discípulo embora porque
ele estava transtornado demais diante da morte iminente do mestre. O
discípulo foi retratado numa pose de absoluta tristeza.

2. BRAÇO LEVANTADO DE SÓCRATES


O filósofo passou suas últimas horas debatendo sobre a imortalidade da
alma. O dedo levantado indica que há uma esfera de existência mais
elevada que o terreno dos mortais. O modo casual como Sócrates segura o
copo de cicuta, sem olhar para ele, ressalta também a atitude relaxada
diante da morte.
PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO

Detalhes da obra

3. HOMEM SENTADO
O homem sentado com a mão no joelho de Sócrates é Crito, um dos
discípulos mais próximos do filósofo. Quando a sentença é anunciada, ele
tenta convencer o mestre a fugir.

4. PLATÃO
O discípulo mais jovem de Sócrates não estava presente na sua morte, mas é
retratado na cena. É um único que reage à tragédia com a mesma dignidade do
mestre, sentado imóvel à beira da cama, com o olhar afastado da dramaticidade
da cena. Sua cabeça está curvada, imersa em pensamentos, enquanto contempla
o destino de seu mestre.
PINTURA Jean Auguste Dominique Ingres
PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO

Sua obra abrange, além de


composições mitológicas e
literárias, nus, retratos e paisagens;

Na tela “Banhista de Valpinçon”,


fica evidente o domínio dos tons
claros para a representação da
pele, e o domínio do desenho, uma
das características mais fortes de
Ingres.

Banhista de Valpinçon, 1808


PINTURA Jean Auguste Dominique Ingres
PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO

INGRES, A grande Odalisca 1814


PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO
Detalhes da obra
1. OLHAR DE SOBERBA:
Apesar de sua nudez, a odalisca é representada de maneira a
parecer distante e inacessível. Ela esconde o seu corpo do
espectador e oferece a ele um olhar arrogante, sem sinais de
simpatia. O efeito ainda é reforçado pelo fundo e pelos tons frios e
prateados dos tecidos e acessórios.

2. POSE ESTRANHA:
A obra e repleta de contradições. A imagem parece exemplificar, ao
mesmo tempo, a indolência mimada e a sensualidade natural da
mulher. No entanto, ao ser melhor analisada, é possível perceber
que sua pose é rígida e estranha.
PROFESSORA: SILVIA CRUZ
NEOCLASSICISMO
Detalhes da obra
3. INCENSÁRIO:
Talvez o artista estivesse interessado em exagerar nas curvas de sua
modelo para reforçar o apelo visual, mas também investiu na ilusão
simples para aguçar outros sentidos do espectador. Isso fica evidente
com os rastros finos de fumaça que saem do incensário, retratados
com precisão. Isso evoca uma atmosfera perfumada e inebriante,
enquanto as texturas dos tecidos exibem uma aparência palpável.

4. CURVATURA DAS COSTAS:


A posição em que a modelo está, com suas costas estranhamente
curvadas, passa a impressão de que a moça possui três vértebras a
mais. Ingres sabia bem disso, mas não sentiu remorsos ao distorcer
sua imagem para criar um contorno mais agradável e sensual.
Textos adaptados e outras referências
• http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2012/03/30/92073
5/conheca-grande-odalisca-jean-auguste-dominique-ingres.html
• http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2012/02/15/91198
2/conheca-morte-socrates-jacques-louis-david.html
• http://cultura.culturamix.com/arte/neoclassicismo
• http://www.ufrgs.br/napead/repositorio/objetos/historia-
arte/idmod.php?p=neoclassicismo
• PROENÇA, Graça. História da Arte. 16. ed. São Paulo: Editora ática,
2004.
• FARTHING, Stepheh, Tudo sobre arte. Rio de Janeiro: Sextante, 2011