Você está na página 1de 117

1INTRODUÇÃO....................................................................................................................................................................

5
1.1MANUAL........................................................................................................................................................................... 5
1.2TERMOS UTILIZADOS NESTE MANUAL.................................................................................................................................... 5
1.3LICENSA DE UTILIZAÇÃO....................................................................................................................................................10
1.4SUPORTE E MANUTENÇÃO.................................................................................................................................................. 11
2 CARACTERÍSTICAS GERAIS...................................................................................................................................... 13
2.1PROGRAMA ANAWIN..................................................................................................................................................... 13
2.2PROGRAMA ANAWIN 505.............................................................................................................................................. 13
3 INSTALAÇÃO DO PROGRAMA...................................................................................................................................15
3.1CONFIGURAÇÕES DO COMPUTADOR.......................................................................................................................................15
3.2INSTALANDO O ANAWIN.................................................................................................................................................15
3.3ACESSO AO ANAWIN..................................................................................................................................................... 16
3.4SENHAS........................................................................................................................................................................... 17
4 COMUNICAÇÃO COM MARH.................................................................................................................................... 19
4.1COMUNICAÇÃO LOCAL.......................................................................................................................................................19
4.1.1 Configuração para comunicação local............................................................................................................ 19
4.2COMUNICAÇÃO A DISTÂNCIA.............................................................................................................................................. 21
4.2.1 Via “modem”.................................................................................................................................................... 21
4.2.2 Via interface para rede......................................................................................................................................25
4.2.3 Via interface para rede com “modem”............................................................................................................. 26
4.3FINALIDADES DA COMUNICAÇÃO MARH - COMPUTADOR......................................................................................................26
4.3.1 Programação de parâmetros............................................................................................................................ 26
4.3.2 Leitura do conteúdo da memória de massa...................................................................................................... 26
4.3.3 Leitura “on-line” de variáveis integralizadas..................................................................................................27
4.3.4 Leitura “on-line” da forma de onda.................................................................................................................27
5 PROGRAMAÇÃO DO MARH....................................................................................................................................... 29
5.1PROCEDIMENTO GERAL.......................................................................................................................................................29
5.2TELA DE PARÂMETROS...................................................................................................................................................... 30
5.2.1 Listagem de Parâmetros do MARH-21 (modelos 991, 992, 993).....................................................................31
5.2.2 Listagem de Parâmetros do MARH-V (V4, V6, VP, VF, VM, VI)......................................................................34
5.3EXEMPLOS DE PROGRAMAÇÃO............................................................................................................................................ 36
5.3.1 Programação do MARH-21, modelos 993, 992 e 991......................................................................................36
5.3.2 Programação do MARH-V4 (V6)......................................................................................................................54
5.3.3 Programação do MARH-VI.............................................................................................................................. 58
5.3.4 Programação do MARH-VF............................................................................................................................. 61
5.3.5 Programação do MARH-VM............................................................................................................................ 63
5.3.6 Programação do MARH-VP............................................................................................................................. 65
6 LEITURAS........................................................................................................................................................................ 69
6.1LEITURA DA MEMÓRIA DE MASSA E CRIAÇÃO DE ARQUIVOS...................................................................................................... 69
6.1.1 Procedimento de leitura da memória de massa................................................................................................69
6.1.2 Salvando arquivos de leitura............................................................................................................................ 69
6.1.3 Renomeando arquivos de leitura...................................................................................................................... 70
6.1.4 Arquivos de leitura parciais.............................................................................................................................. 70
6.1.5 Exportando arquivos para formato texto..........................................................................................................70

—1
6.2LEITURA “ON-LINE” DA FORMA DE ONDA .............................................................................................................................. 70
6.2.1 Procedimento.................................................................................................................................................... 71
6.2.2 Impressão.......................................................................................................................................................... 72
6.3LEITURA “ON-LINE” DOS VALORES RMS.................................................................................................................................73
6.3.1 Procedimento.................................................................................................................................................... 73
6.3.2 Impressão.......................................................................................................................................................... 75
7 ANÁLISE DE MEDIÇÕES.............................................................................................................................................. 76
7.1INTRODUÇÃO.................................................................................................................................................................... 76
7.2PROCEDIMENTOS E AJUSTES GERAIS DE CONFIGURAÇÃO........................................................................................................... 76
7.2.1 Abrindo um arquivo de medição....................................................................................................................... 76
7.2.2 Fechando um arquivo de medição.................................................................................................................... 77
7.2.3 Configurando a tela de trabalho.......................................................................................................................77
7.2.4 Barra de ferramentas da janela principal........................................................................................................ 77
7.2.5 Barra de ferramentas da janela GRÁFICOS....................................................................................................78
7.2.6 Seleção de grandezas nos gráficos e relatórios................................................................................................78
7.2.7 Alterando as unidades indicadas nos gráficos................................................................................................. 80
7.2.8 Ajuste de escalas nos gráficos...........................................................................................................................81
7.2.9 Indicação de valores das grandezas na área gráfica....................................................................................... 83
7.2.10 Ajuste de cor da linha nos gráficos.................................................................................................................84
7.2.11 Ajuste de largura da linha...............................................................................................................................85
7.2.12 Ajuste de tensão de referência (valores em pu).............................................................................................. 86
7.2.13 Ajuste das relações de TP e TC.......................................................................................................................86
7.2.14 Ajuste do período de integração..................................................................................................................... 87
7.2.15 Ajuste do horário de verão..............................................................................................................................87
7.2.16 Ajuste de feriados............................................................................................................................................87
7.2.17 Ajuste de tamanho da fonte de relatórios....................................................................................................... 88
7.2.18 Ajuste do número de colunas do relatório...................................................................................................... 88
7.2.19 Ajuste de margens para impressão................................................................................................................. 88
7.3GRÁFICOS........................................................................................................................................................................ 89
7.3.1 Gráficos de Grandezas Integralizadas............................................................................................................. 89
7.3.2 Gráficos da Função Distribuição de Tensão (FDT)......................................................................................... 89
7.3.3 Gráficos da Distribuição de Correntes e Potências......................................................................................... 91
7.3.4 Gráficos da Forma de Onda de Perturbações..................................................................................................92
7.3.5 Gráficos da Forma de Onda para Análise de Harmônicos.............................................................................. 93
7.3.6 Gráficos de Harmônicos a partir do Registro de Perturbações....................................................................... 96
7.4RELATÓRIOS..................................................................................................................................................................... 96
7.4.1 Relatório de Faltas de Energia......................................................................................................................... 96
7.4.2 Relatório de Perturbações na Tensão............................................................................................................... 96
7.4.3 Relatório de Alteração de Parâmetros..............................................................................................................99
7.4.4 Relatório Resumido (tensões, correntes, DHT, freqüências, potências e energia)........................................... 99
7.4.5 Relatório de DIC e FIC...................................................................................................................................102
7.4.6 Relatório DRP e DRC..................................................................................................................................... 102
7.4.7 Relatório de observações sobre a leitura........................................................................................................102
8SIMULAÇÕES ESPECIAIS........................................................................................................................................... 104
8.1SIMULAÇÃO DE CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA............................................................................................................. 104
8.2ALTERAÇÃO DA DEFASAGEM ENTRE TENSÕES E CORRENTES.................................................................................................... 104
9ANAWIN 505.................................................................................................................................................................... 106

—2
9.1INTRODUÇÃO.................................................................................................................................................................. 106
9.2GERANDO UM BANCO DE DADOS (RESOLUÇÃO 505)............................................................................................................ 106
9.3CONFIGURANDO A TELA DE TRABALHO................................................................................................................................108
9.4ASSOCIANDO OS ARQUIVOS DE MEDIÇÃO AOS RESPECTIVOS CONSUMIDORES...............................................................................109
9.5GERANDO RELATÓRIO DE CONSUMIDORES CADASTRADOS........................................................................................................ 111
9.6CONFIGURANDO O NÚMERO DE LEITURAS VÁLIDAS................................................................................................................ 111
9.7CONFIGURANDO O VALOR DE TENSÃO DE FALTA.................................................................................................................... 111
9.8CONFIGURANDO O DRP MÁXIMO...................................................................................................................................... 112
9.9GERANDO RELATÓRIOS DE DRP E DRC............................................................................................................................ 112
9.10GERANDO RELATÓRIO NO FORMATO ANEEL....................................................................................................................113
10 ARQUIVOS FORMATO TEXTO............................................................................................................................... 114
10.1FORMATAÇÃO DOS ARQUIVOS TIPO TEXTO.......................................................................................................................... 114

—3
—4
1 INTRODUÇÃO

1.1 Manual
Este manual contém informações sobre a operação do PROGRAMA DE ANÁLISE ANAWIN, e
ANAWIN 505. É importante que o usuário leia todo o conteúdo na seqüência sugerida. Isto
contribuirá para o aproveitamento do sistema de forma mais eficiente.
O material contido neste manual abrange todos os modelos de registradores fabricados pela RMS.
Cada registrador, ao ter sua memória de massa lida, ativará determinadas funções do programa,
dependendo do modelo e da programação de parâmetros do mesmo.

Dedique atenção especial aos parágrafos sinalizados. Eles contém informações


importantes sobre operação e segurança.

Antes de utilizar o registrador leia as instruções contidas no respectivo manual de


operação, principalmente as informações relativas a segurança e prevenção de
acidentes.

1.2 Termos Utilizados neste Manual


Este glossário visa facilitar a compreensão do processo geral de funcionamento dos programas de
análise e registradores RMS. Os termos abaixo citados e os respectivos significados são de uso
restrito e sem relação com normas de qualquer espécie.
MARH: Equipamento Medidor/Registrador Eletrônico, em Tempo-Real, para instalação em
unidades consumidoras ou distribuidoras de energia elétrica. Os diferentes modelos são
identificados pelas letras subseqüentes.
ANAWIN: Programa para coleta e análise de dados de registradores padrão RMS em
ambiente Windows.

1—5
ANAWIN REDE: Programa para coleta e análise de dados de registradores instalados em
rede, padrão RMS, em ambiente Windows.
ANAWIN 505: Programa, em ambiente Windows, para coleta e análise dos dados
provenientes de registradores RMS visando análise de medições em forma de banco de
dados e geração de relatórios para atendimento da Resolução 505 da ANEEL. Apresenta
também as características básicas do ANAWIN.
Memória de Massa (MM): Memória do registrador onde são registrados os valores das
grandezas obtidos durante a medição.
Registro “Até o Fim da Memória”: Sistema de ocupação de memória no qual, uma vez
ocupadas todas as posições de memória (esgotado o tempo de autonomia), o registrador cessa
o registro.
Registro em “Memória Circular”: Sistema de ocupação de memória no qual, ao
esgotarem-se as posições de memória, o registro não cessa, sendo os dados iniciais
sucessivamente substituidos pelos novos dados registrados.
Registro “a Partir de Data e Hora Previamente Determinados”: Sistema de registro (com
ocupação de memória circular ou não) no qual o registrador somente começa a efetuar o
registro a partir da data e hora previamente determinadas pela programação.
Bateria Externa: Bateria para alimentação do registrador em locais ou situações onde não
seja possível alimentá-lo pela rede elétrica.
Bateria Interna: Bateria cuja função é a preservação dos dados registrados e dos parâmetros
programáveis quando o registrador está desligado da fonte de alimentação externa.
Supercap: Capacitor cuja finalidade é a mesma da Bateria Interna.
Alicate de Corrente: Acessório para medição de corrente; Transformador de Corrente (TC)
portátil e de núcleo partido para inserção no circuito onde se deseja medir a corrente.
Entradas Auxiliares: Entradas para sinais de 4 a 20 mA provenientes de transdutores (de
temperatura, pressão, ruído, etc.).
Parâmetros do Registrador: São os valores de constantes e configurações segundo as quais
o registrador deverá trabalhar.
Programação do Registrador: Para que as variáveis sejam registradas na forma desejada é
necessário parametrizar o registrador (programar os parâmetros).
Medição: Instalação do registrador em um sistema de potência ou máquina com a finalidade
de obter registro das diversas variáveis elétricas e analisá-las posteriormente, em forma de
gráficos e relatórios, através do computador.
Arquivo de Medição: Arquivo armazenado na memória do computador (ou em outro meio)
e que contém os valores das variáveis registradas durante o processo de medição.

1—6
Arquivo de Medição em Formato Interno: Arquivos de medição gerados pelo ANAWIN a
partir dos dados provenientes do registrador e que somente podem ser utilizados (ou abertos)
pelo ANAWIN.
Arquivo de Medição em Formato Público (ou Texto): Arquivos de medição gerados pelo
ANAWIN a partir dos dados provenientes do registrador e que podem ser utilizados (ou
abertos) por outros programas.
Modo; Modo de Operação: Conjunto de características de registro que definem como o
registrador deverá armazenar os diversos valores medidos. O usuário programa o Modo que
deseja de acordo com o tipo de análise que necessita. Exemplo: (MARH-21) Analisar
conteúdo harmônico por acionamento automático (Modo 2) ou manual (Modo 1).
FFT-“Fast Fourier Transform”; Transformada de Fourier: Procedimento matemático
que consiste em representar um sinal periódico como uma soma de várias ondas senoidais, de
diferentes amplitudes e fases, cujos valores das freqüências são múltiplos inteiros (ordem) da
fundamental.
Série de Fourier: Conjunto de senóides provenientes da aplicação da Transformada de
Fourier a um sinal periódico.
Harmônica (Componente): Componente de ordem maior que um da Série de Fourier de um
sinal periódico.
Fundamental (Componente): Componente de ordem 1 (50 ou 60 Hz, quando aplicado a
sistemas de potência) da Série de Fourier de um sinal periódico.
Conteúdo Harmônico: Valor obtido a partir da subtração da componente fundamental de
um sinal.
DHT ( ou THD); Distorção Harmônica Total; Valor percentual que indica a magnitude de
distorção de um sinal em relação a um sinal senoidal.
Amostra: Valor instantâneo de tensão ou corrente lido pelo conversor analógico-digital e
convertido em valor numérico.
Valor “true rms” de uma grandeza: Valor eficaz médio da grandeza, considerando a forma
de onda da mesma (composição harmônica) durante um determinado período de tempo.
Intervalo de Integração; Intervalo de Registro em Memória de Massa: Período de tempo
para o qual todas os valores obtidos a partir da amostragem de um sinal são transformados
em um único valor numérico. Este valor é denominado valor eficaz do sinal referente ao
período de tempo ou intervalo.
Janela de Integração: Tempo, geralmente contado em ciclos ou ½ ciclos, para o qual é
calculado o valor rms de uma grandeza. A partir dos valores de janela de integração são
calculados os valores rms do período de registro (ou intervalo de integração).

1—7
Grandezas Integralizadas: Grandeza cujos valores das diversas amostras obtidas durante o
intervalo de integração foram transformados em um único valor numérico denominado eficaz
(“true rms”).
Fator de Potência: Relação entre a potência ativa total e a potência aparente.
Fator de Deslocamento: Relação entre a a potência ativa da fundamental e a potência
aparente da fundamental.
Sistema de Potência: Qualquer sistema ou equipamento que tenha como característica a
geração, transmissão, distribuição ou consumo de energia elétrica.
Distúrbio; Perturbação (no sistema de potência): Qualquer desvio do valor nominal (ou
de uma faixa de valores) ocorrido nas grandezas características do sistema de potência.
Subtensão Momentânea; “Sag”: Tipo de perturbação caracterizada pela diminuição do
valor da tensão rms com duração mínima de ½ ciclo, máxima de 1 minuto e com valores
típicos entre 0,1 e 0,9 pu.
Sobretensão Momentânea; “Swell”: Tipo de perturbação caracterizada pelo aumento do
valor da tensão rms com duração mínima de ½ ciclo, máxima de 1 minuto e com valores
típicos entre 1,1 e 1,8 pu.
Evento: Perturbação na qual o valor de alguma(s) grandeza(s) excede o respectivo valor
limite de referência programado no Registrador.
Valores-Limite: São os valores programados na área de parâmetros do Registrador e que são
comparados com os valores das respectivas grandezas medidas. Alguns servem como
referência (ou faixas de referência) para acionamento da captação.
Limite Inferior para Tensão Integralizada: Valor de referência para contagem de “Tempo
com Tensão Abaixo do Limite Inferior” (ou para indicação da fase em que ocorreu) para cada
Período de Integração.
Limite Superior para Tensão Integralizada: Valor de referência para contagem de “Tempo
com Tensão Acima do Limite Superior” (ou para indicação da fase em que ocorreu) para cada
Período de Integração.
Limite Superior para Corrente Integralizada: Valor de referência para contagem de
“Tempo com Corrente Acima do Limite Superior” para cada Período de Integração.
Limite Inferior de Tensão rms: Valor de referência para acionamento da captação por
subtensão; Valor que a tensão deverá ultrapassar, durante uma perturbação, para que haja
acionamento da captação.
Limite Superior de Tensão rms: Valor de referência para acionamento da captação por
sobretensão; Valor que a tensão deverá ultrapassar, durante uma perturbação, para que haja
acionamento da captação.

1—8
Limite Superior de DHT: Valor de referência para acionamento de captação por distorção
na forma de onda (harmônicas).
Limite Superior de Freqüência: Valor de referência para acionamento da captação por
aumento da freqüência do sinal de tensão.
Limite Inferior de Freqüência: Valor de referência para acionamento da captação por
diminuição da freqüência do sinal de tensão.
Limite de Variação da Tensão Instantânea: Valor de referência para acionamento de
captação correspondente a variação percentual entre duas amostras consecutivas de tensão.
Limite de Histerese Inicial: Tempo (contado em número de ½ ciclos a partir do instante de
detecção) durante o qual alguma grandeza deve se manter fora da faixa limite programada
para que seja acionada a captação.
Limite de Histerese Final: Tempo (contado em número de ½ ciclos) durante o qual as
grandezas medidas devem se manter dentro das faixas definidas pelos valores limite para que
seja caracterizado o fim do evento.
Captação da forma de onda, Captação: Registro da forma de onda dos sinais de tensão ou
tensão e corrente.
Janela de captação: Tempo (ou número de ciclos) durante o qual todas as amostras de
tensão e corrente são registradas.
Acionamento da captação: Ato de iniciar o processo de captação. Pode ser manual,
automático temporizado ou automático controlado pelos valores (ou faixa de valores) limite
de referência programados.
Instante de detecção: Instante, momento ou amostra na qual o valor de alguma variável (ou
variáveis) excede o respectivo valor-limite programado.
FDT; Função Distribuição de Tensão: Gráfico ou tabela onde são apresentadas as
incidências percentuais relativas dos valores de tensão rms registrados durante um
determinado período de medição.
Função Distribuição de Corrente: Gráfico ou tabela onde são apresentadas as incidências
percentuais relativas dos valores de corrente rms registrados durante um determinado período
de medição.
Cintilação Luminosa; “Flicker”: Sensação visual das variações do fluxo luminoso em
lâmpadas incandescentes submetidas a tensões com valor variável.
Comunicação: Transferência de dados entre o computador e registrador.
Intervalo Válido: Período de integração durante o qual não ocorreu janela de integração
com valor de tensão inferior a um determinado percentual da nominal (que caracterize uma
falta de energia).

1—9
Registro em Memória Circular: Registrar em memória circular significa que, quando a
última posição de memória for utilizada, o próximo registro substituirá o registro feito na
primeira posição de memória e assim sucessivamente.
Registro em Memória Não Circular: Registrar em memória não circular ou “parar no final
da memória” significa que quando a última posição de memória for utilizada o registrador irá
parar de registrar.
Tensão de Falta: Tensão abaixo da qual é caracterizada uma falta de energia no sistema.

Para facilitar a expressão das operações de acesso as diversas funções, seguiremos


a seguinte convenção:

>Novo Texto Abadi precedido pelo símbolo “>” indica que o respectivo menu deve
ser ativado. Localize o cursor do “mouse” sobre o mesmo (geralmente na parte superior da
tela ativa) e pressione o botão esquerdo do “mouse”.
[Efetiva] Texto Abadi entre colchetes indica que a referida tecla (na barra de
ferramentas ou em qualquer outro lugar da tela) deve ser pressionada. Localize o cursor do
“mouse” sobre a tecla indicada e pressione o botão esquerdo. Nas situações em que o botão
direito do “mouse” deverá ser pressionado a indicação será com colchetes invertidos. Ex: ]
Va[.

1.3 Licensa de Utilização


A instalação do PROGRAMA DE ANÁLISE ANAWIN poderá ser feita livremente não sendo
necessário uma licensa para cada computador.
O programa fornecido com cada registrador (ou grupo de registradores) marca RMS somente estará
habilitado para leitura da memória de massa dos respectivos registradores RMS fornecidos. No caso
de aquisição posterior de outros registradores RMS poderá ser solicitado ANAWIN cuja licensa
inclua os adquiridos anteriormente.
O programa ANAWIN não está habilitado para leitura da memória de massa ou qualquer outro tipo de
função relacionada a registradores cuja fabricação não seja RMS.
A RMS não se responsabiliza por falhas na instalação ou no funcionamento do ANAWIN causadas
por exclusão, mudanças no conteúdo ou quaisquer alterações indevidas dos arquivos que compõe o
programa de instalação e operação do PROGRAMA DE ANÁLISE ANAWIN, e ANAWIN 505.
A RMS não se responsabiliza pelo uso indevido dos dados registrados ou adulterações no conteúdo
de arquivos de formato interno ou abertos (formato público) gerados pelo PROGRAMA DE
ANÁLISE ANAWIN e ANAWIN 505.

1—10
1.4 Suporte e Manutenção
Para informações a respeito dos produtos RMS SISTEMAS ELETRÔNICOS, incluindo
atualizações do programa de análise, manutenção e orientações sobre operação, favor entrar em
contato com o departamento de suporte através do e-mail rms@rms.ind.br ou pelo telefone 51 3337
9500.
Endereço para envio de correspondência e/ou equipamentos:
RMS INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS LTDA
Av. Pátria, 1150 – Bairro São Geraldo – CEP 90230-070 – Porto Alegre – RS – Brasil.
CNPJ 94.414.000/0001-81 IE 096/2425842

Ao entrar em contato com o setor de suporte o usuário deverá fornecer o número de


série e as versões do registrador e do ANAWIN. Quando for necessário o envio para
assistência técnica, solicitamos que o mesmo seja acompanhado de relatório com
informações sobre prováveis falhas observadas, nota fiscal de envio para
manutenção, nome da pessoa de contato, telefone e endereço completo.

1—11
1—12
2 CARACTERÍSTICAS GERAIS

2.1 Programa ANAWIN


Os programas ANAWIN (ambiente Windows) foram desenvolvidos para análise de dados
provenientes dos registradores série MARH fabricados pela RMS.
O ANAWIN possibilita ler o conteúdo da memória do(s) registrador(es), transformar os dados lidos
em arquivos, gerar vários tipos de gráficos e relatórios (de acordo com o tipo de registrador), observar
a forma de onda das tensões e correntes assim como valores rms das variáveis instantaneamente na
tela do computador. Possibilita também a programação de parâmetros dos registradores.
O PROGRAMA ANAWIN é fornecido com os registradores MARH-21 (991, 992, 993), MARH-
VF, MARH-VP, MARH-11, MARH-11SD.

2.2 Programa ANAWIN 505


O ANAWIN 505 foi desenvolvido para análise conjunta (em forma de banco de dados) de arquivos
de medição provenientes dos registradores MARH-V ,MARH-VM e MARH-VI. Além das funções
disponíveis no ANAWIN apresenta funções especiais para obtenção de índices relacionados a
Resolução 505 da ANEEL. Será possível optar pela operação do mesmo para Leitura Simples
(apresenta características idênticas ao ANAWIN ) ou Resolução 505 (trabalha arquivos de medição
em forma de banco de dados gerando relatórios DRP e DRC de vários consumidores
simultaneamente.
O PROGRAMA ANAWIN 505 é fornecido com os registradores MARH-VM, MARH-V e MARH-
VI.

O ANAWIN e ANAWIN 505 foram unificados de forma que as características de


ambos são idênticas.

2—13
2—14
3 INSTALAÇÃO DO PROGRAMA

3.1 Configurações do computador


486 DX.
16 MBytes de memória RAM.
Drive para disco de 3,5 polegadas e “Mouse”.
8 MBytes de espaço livre em disco ( HD) para instalação do programa.
Porta de comunicação serial DB9 ou 25 livre.
Vídeo VGA, resolução mínima recomendável 800x600.
Windows 95 (ou superior).
Obs: As características citadas são apenas orientativas.

3.2 Instalando o ANAWIN


Para o funcionamento do ANAWIN é necessário que exista pelo menos um
“drive” de impressora instalado. Caso não exista, instale algum antes de
prosseguir.

Instalação, método 1:
1) Feche todos os aplicativos.
2) Insira o CD fornecido juntamente com o MARH na unidade de disco do computador.
3) Em “Meu Computador” selecione o “Drive CD ”, visualizando seu conteúdo.
4) Clicar duas vezes no arquivo “Instalar.exe”

3—15
5) O programa de instalação irá solicitar que seja escolhido um diretório para instalação do ANAWIN.
Aconselhamos que o usuário escolha o diretório “Anawin”, que será criado pelo próprio programa
de instalação.
6) Verifique se o programa de instalação criou um ícone de acesso direto ao ANAWIN na tela de
trabalho do computador.
Instalação, método 2:
1. Feche todos os aplicativos;
2. Insira o CD fornecido juntamente com o registrador na unidade de disco do computador;
3. Através da janela “Iniciar” do Windows selecione a opção “Executar”;
4. Na janela de seleção de execução digite “C:/Instalar”, acionando a tecla “Ok”;
5. O programa irá solicitar a escolha de um diretório para instalação do ANAWIN. Aconselhamos que
o usuário escolha o diretório “Anawin”, que será criado pelo próprio programa de instalação;
6. Verifique que o programa de instalação criou um ícone de acesso direto ao ANAWIN na área de
trabalho do computador.

O diretório Anawin deve conter apenas os arquivos gerados durante a instalação do


programa. Nunca grave os arquivos de medição ou qualquer outro tipo de arquivo
no diretório Anawin.

Instalação, método 3:
Feche todos os aplicativos;
Grave os arquivos recebidos via e-mail num diretório (de preferência o raiz) após descompactá-lo;
Executar o arquivo “Instalar.exe”;
O programa irá solicitar a escolha de um diretório para instalação do ANAWIN. Aconselhamos que
o usuário escolha o diretório “Anawin”, que será criado pelo próprio programa de instalação;
Verifique que o programa de instalação criou um ícone de acesso direto ao ANAWIN na área de
trabalho do computador.

3.3 Acesso ao ANAWIN


Para acessar o ANAWIN utilize o ícone criado na área de trabalho.

3—16
3.4 Senhas
A programação de senhas no ANAWIN visa possibilitar, se necessário, a restrição de operações de
comunicação entre o computador e os registradores. Se o uso de senha estiver ativo, ao realizar a
comunicação para ler o conteúdo de memória de massa ou programar o registrador, será necessário
digitar a senha escolhida.
Para ativar o uso da senha, selecione >Senhas* >SENHA ( Permite Comunicação e Alteração )
digitando em seguida a senha escolhida assim como a confirmação da mesma e [OK].
É possível também ativar uma senha de nível intermediário que irá permitir somente a leitura da
memória de massa mas não permitirá a programação do registrador. Para ativá-la selecione >Senhas*
>SENHA ( Permite Comunicação ) procedendo da mesma forma descrita anteriormente.
Se a senha for esquecida ou ativada por engano, impossibilitando o uso do
programa, instale o ANAWIN novamente.

3—17
3—18
4 COMUNICAÇÃO COM MARH

4.1 Comunicação Local


É denominada “local” a comunicação entre o computador e o registrador quando estes são
interligados diretamente através do cabo DB9/9.25 fornecido com o equipamento. Este é o tipo de
comunicação geralmente utilizada quando o registrador, após efetuar os registros, é levado até o local
onde está o computador para então ser efetuada a leitura da memória de massa.

Ruído eletromagnético intenso (como o existente, por exemplo, nas proximidades de


equipamentos tiristorizados ou transformadores de alta potência) poderá
impossibilitar a leitura de dados do registrador pelo computador (geralmente ao
utilizar “Laptop”). Neste caso efetue a leitura da memória do registrador em local
distante das fontes geradoras de interferência eletromagnética.

Não existe possibilidade que a interferência externa corrompa os dados durante a


comunicação sem que o sistema acuse erro de comunicação. Desta forma fica
garantida a integridade dos dados que compõe o arquivo de medição.

4.1.1 Configuração para comunicação local

4.1.1.1 Procedimento de ajuste inicial


1. Conecte o MARH na porta de comunicação serial do computador através do cabo DB9-DB25/9.
2. Verifique se o registrador está corretamente energizado.
3. Acionar o programa através do ícone presente na área de trabalho.
4. Selecione >Arquivo* >Novo.
5. Selecione a opção Leitura Simples (esta escolha somente será necessária se a versão for ANAWIN
505) e [OK].

4—19
6. Em >Configura >Comunicação >Local ajuste a velocidade de comunicação selecionando,
preferencialmente nesta etapa inicial, a velocidade mais baixa (9600).

7. Na janela PROPRIEDADES clique em [ALTERA]. Selecione o tipo de comunicação para “local”


e ajuste o número da porta de comunicação a ser utilizada. Feche a janela através do [OK].

8. Selecione >Arquivo >Salvar Configuração para gravar a configuração feita.

4—20
Ao acessar >Configura >Parâmetros do Registrador deverá aparecer na tela a janela
PARÂMETROS DO REGISTRADOR (para sair da janela sem alterar a programação do registrador
utilize a tecla [Fecha]).
Caso haja indicação de impossibilidade de comunicação altere o número da porta serial na janela
PROPRIEDADES. Tente novamente estabelecer a comunicação.
Ao identificar a porta correta execute >Arquivo >Salvar Configuração para que, sempre ao acionar
o programa, a porta já esteja ajustada corretamente.

4.1.1.2 Mensagens de erro


As mensagens de erro de comunicação local podem ser causadas por:
1. Cabo de comunicação não conectado.
2. Ajuste incorreto do número de porta de comunicação.
3. Registrador desligado.
4. Ligação interna de comunicação do computador desligada ou porta de comunicação com defeito
e/ou não habilitada. Nesta caso consulte a assistência técnica do computador.

4.1.1.3 Ajuste de velocidade de comunicação


Após obter êxito na comunicação em velocidade baixa e salvar as configurações de porta, aumente a
velocidade em >Configura >Comunicação >Local.
Selecione >Arquivo >Salvar Configuração para que a nova velocidade de comunicação ajustada se
torne padrão (seja a mesma sempre que entrar no programa).

4.2 Comunicação a Distância


4.2.1 Via “modem”
É denominada “a distância via modem” a comunicação efetuada quando o registrador está conectado
a uma interface (ou possui placa interna de interface) e o conjunto é ligado a linha telefônica através
de um “modem”. O computador deverá estar ligado a linha telefônica também via “modem”.

Em alguns modelos de registrador (MARH-21, MARH-VF, MARH-VM) não é possível a


instalação de placa interna de interface, sendo necessária a utilização de
INTERFACE EXTERNA ou, no caso do MARH-11, INTERFACE EXTERNA PARA REDE.
Os demais modelos (MARH-V4, MARH-V6, MARH-VI, MARH-VP) deverão estar
equipados com PLACA DE INTERFACE INTERNA para que seja possível
comunicação via “modem” (O uso de INTERFACE EXTERNA também é possível
nesses registradores independente do fato de possuirem ou não a placa interna).

4—21
4.2.1.1 Procedimento para ajuste da comunicação a distância via “modem”.
No local de instalação:
1. Verificar se a linha ou ramal disponível está funcionando normalmente e o seu respectivo número.
2. Instalar o MARH seguindo as orientações do manual de instruções do equipamento.
3. Conectar o MARH na INTERFACE (EXTERNA PARA MODEM) utilizando o cabo DB9-
DB9/25 fornecido juntamente com o registrador.
4. Conectar a INTERFACE ao “modem” disponível utilizando o cabo fornecido pelo fabricante do
“modem”.
5. Conectar o “modem” a linha telefônica.
6. Verificar o ajuste de tensão de alimentação da INTERFACE.
7. Verificar se o MARH, a INTERFACE e o “modem” estão corretamente energizados.

Se o MARH possuir placa de interface interna terá dois conectores DB9, um para
comunicação local e outro para “modem”. Conecte o mesmo diretamente ao
“modem” utilizando o respectivo conector e o cabo fornecido pelo fabricante do
“modem”.

No local onde está o computador, execute o procedimento inicial abaixo:


1. Verifique se o computador esta conectado a linha telefônica.
2. Verifique se o computador possui “modem” interno devidamente ajustado.
3. Acesse o ANAWIN e >Arquivo* >Novo no menu principal, selecionando a opção Leitura Simples
(a tela para escolha somente será ativada se a versão for ANAWIN 505) e [OK].
4. Selecione >Configura >Comunicação >Remoto, escolhendo o “modem” interno do
computador, os parâmetros de rediscagem, velocidade de comunicação e tipo de discagem (pulso
ou tom) desejados.

4—22
5. Em [Editar lista telefone] programe os números (ou ramais) onde estão conectados os
registradores, pressionando [OK] ao terminar e [OK] para sair da janela de ajuste da comunicação.

6. Em [ALTERA], na janela PROPRIEDADES, selecione “remota” e o número do telefone ou


ramal onde está conectado o registrador, confirmando através do [OK].

4—23
7. Salve esta configuração em >Arquivo >Salvar Configuração.
Para testar a comunicação tente ler os parâmetros do registrador em >Configura >Parâmetros do
Registrador . O computador fará a discagem e deverá então abrir a tela de parâmetros, mostrando a
configuração de programação atual do registrador.
Para efetuar as demais comunicações, ao solicitar uma leitura ou configuração de parâmetros, a
discagem para o número selecionado será automática.

4.2.1.2 Mensagens de erro


As mensagens de erro de comunicação local podem ser causadas por:
1. Cabos não conectados.
2. Registrador e/ou interface desligados.
3. Ligação interna de comunicação do computador desligada ou porta de comunicação com defeito
e/ou não habilitada. Nesta caso consulte a assistência técnica do computador.
4. Números ou padrão de discagem incompatíveis.
5. “Modem” com configuração não compatível.
4—24
4.2.2 Via interface para rede
A INTERFACE PARA REDE é utilizada quando vários registradores do tipo painel são instalados
em pontos fixos e tem suas portas de comunicação interligadas (em grupos). Os grupos de
equipamentos são conectados (distância máxima de 3 km, cabo tipo par trançado) a uma interface
localizada próxima ao computador, sendo ligada a este via cabo DB9/DB25, RS232. A rede poderá ser
utilizada somente para a comunicação de dados do sistema MARH, não sendo possível utilizar a
mesma para outros tipos de equipamentos com outros protocolos de comunicação.
Esquemas de ligação e procedimentos de comunicação:
1. Conectar o computador (DB25 ou DB9) a interface (DB9) através do cabo de comunicação
fornecido pela RMS.
2. Conectar os cabos provenientes dos registradores na interface, observando a correta polaridade.
Cada registrador ou conjunto de registradores deve ser ligado a um dos canais da interface.
3. Ligar a Interface (a tensão de alimentação da Interface deve ser selecionada através da chave).

4.2.2.1 Configuração para comunicação via interface


1. Conecte a interface na porta de comunicação serial do computador através do cabo DB9-DB25/9.
2. Para efetuar a comunicação com algum registrador o mesmo deverá estar energizado.
3. Acionar o programa através do ícone presente na área de trabalho.
4. Selecione >Arquivo* >Novo.
5. Selecione a opção Leitura Simples (esta escolha somente será necessária se a versão for ANAWIN
505) e [OK].
6. Em >Configura >Comunicação >Rede ajuste a velocidade de comunicação selecionando,
preferencialmente nesta etapa inicial, a velocidade mais baixa (9600).
7. Na janela PROPRIEDADES clique em [ALTERA]. Selecione o tipo de comunicação para “rede
interface” e ajuste o número da porta de comunicação a ser utilizada. Feche a janela através do
[OK].
8. Selecione >Arquivo >Salvar Configuração para gravar a configuração feita.
Ao acessar >Configura >Parâmetros do Registrador deverá aparecer na tela a janela
PARÂMETROS DO REGISTRADOR (para sair da janela sem alterar a programação do registrador
utilize a tecla [Fecha]).
Caso haja indicação de impossibilidade de comunicação altere o número da porta serial na janela
PROPRIEDADES. Tente novamente estabelecer a comunicação.

4—25
4.2.2.2 Mensagens de erro
As mensagens de erro de comunicação em rede podem ser causadas por:
1. Cabos de comunicação não conectados.
2. Ajuste incorreto do número de porta de comunicação.
3. Registrador ou interface desligados.
4. Ligação interna de comunicação do computador desligada ou porta de comunicação com defeito
e/ou não habilitada. Nesta caso consulte a assistência técnica do computador.
5. Inversões de polaridade nos cabos da rede.
6. Tensão de alimentação da interface com valor inferior ao ajustado.
7. Impedância do cabo de comunicação acima dos valores recomendados.
8. Rompimento do cabo ou alta impedância nas conexões.

4.2.3 Via interface para rede com “modem”


Outra possibilidade é a conexão da interface para rede a uma linha telefônica e não diretamente ao
computador, como descrito anteriormente. Neste caso teremos uma rede de registradores com
comunicação via linha telefônica.

4.3 Finalidades da Comunicação MARH - Computador


Opções válidas para Comunicação Local e para Comunicação à Distância.

4.3.1 Programação de parâmetros


É possível efetuar a programação e/ou verificação de parâmetros dos registradores via computador,
através do ANAWIN.

4.3.2 Leitura do conteúdo da memória de massa


É denominada “leitura do conteúdo da memória de massa” a leitura, feita pelo ANAWIN, dos dados
armazenados na memória do registrador (valores registrados das variáveis, os parâmetros
programados no registrador, as faltas de energia ocorridas, listagem de mudanças efetuadas na
programação dos parâmetros, número de série do equipamento, etc.).
A partir de uma “leitura do conteúdo da memória de massa” o ANAWIN poderá gerar os arquivos de
medição. A partir destes arquivos será possível obter gráficos e relatórios com os valores das variáveis
registradas.

4—26
4.3.3 Leitura “on-line” de variáveis integralizadas
Visualização em forma gráfica, na tela do computador, de algumas das variáveis que estão sendo
medidas e/ou registradas naquele instante pelo registrador. A tela do computador funciona, nesse caso,
“como se fosse o mostrador do registrador”.
Variáveis visualizadas na tela do computador podem ou não estarem sendo registradas na memória do
equipamento, dependendo da configuração de parâmetros do mesmo. A leitura “on-line” é totalmente
independente do registro de dados.
O computador não armazena na sua memória os dados transmitidos em “on-line” pelo registrador.

Efetuar uma leitura “on-line” não irá alterar o funcionamento do registrador no que
se refere ao registro das grandezas que está sendo feito ou a programação de
parâmetros.

4.3.4 Leitura “on-line” da forma de onda


A leitura “on-line” da forma de onda tem função similar a de um osciloscópio. Nesta forma de leitura
será possível visualizar no vídeo, a partir de um comando manual de captura efetuado via teclado do
computador, a forma de onda de um ciclo de uma das tensões ou de uma das correntes (é possível
escolher a fase desejada). Poderá também ser escolhida a visualização de um ciclo da tensão (ou
corrente) por segundo, de forma contínua. Estes dados não ficarão armazenados na memória do
computador ou do registrador. Na memória de massa do registrador estarão sendo armazenados os
dados na forma que a programação de parâmetros do mesmo definir.

Efetuar uma leitura “on-line” não irá alterar o funcionamento do registrador no que
se refere ao registro das grandezas que está sendo feito.

Os procedimentos para programação e leitura serão fornecidos nos capítulos 5 e 6


respectivamente.

4—27
4—28
5 PROGRAMAÇÃO DO MARH

Antes de programar o registrador via ANAWIN certifique-se que os procedimentos


de configuração da comunicação, descritos nos capítulo anterior, foram
devidamente efetuados.

5.1 Procedimento geral


1. Conectar o registrador ao computador;
2. Energizar o registrador;
3. Acionar o programa ANAWIN (se já estiver acionado, os arquivos sob análise deverão ser
fechados);
4. >Arquivo >Novo;
5. >Configura >Parâmetros do Registrador;
6. Alterar os parâmetros desejados (os parâmetros que não forem modificados serão mantidos sem
alteração na memória de parâmetros do registrador). Obs: Consulte as informações a respeito dos
parâmetros e os exemplos práticos de programação fornecidos neste capítulo.
7. >[Envia];
8. >[Efetiva];

5—29
9. >[Sim];

Caso deseje que o computador somente envie a efetivação após algum tempo, programe a hora
desejada (de acordo com o relógio do computador) e marque o campo de “Espera Hora”. Este
procedimento é geralmente utilizado no caso de operação com rede de registradores.
10.>[Efetiva];
11.>[Fecha].

5.2 Tela de Parâmetros


A tela de programação de parâmetros gerada pelo ANAWIN adapta-se ao modelo específico de
MARH. Os parâmetros a serem programados, assim como as faixas de valores permitidos para cada
um, diferem de acordo com o modelo de registrador e o modo de operação desejado.
Ao acessar a tela de programação serão apresentadas informações referentes aos parâmetros
programados no registrador (campos de programação) e também referentes ao funcionamento
5—30
(campos de informação não programáveis) do MARH tais como estado da bateria, versão do
“software”, tamanho da memória, etc.
Existem três modelos básicos de tela de programação dos parâmetros.
1. Parâmetros do MARH-21 (modelos 991, 992, 993)
2. Parâmetros do MARH-V (modelos V4, V6, VP, VF, VM, VI)
3. Parâmetros do MARH-11 (incluindo o modelo SD)

5.2.1 Listagem de Parâmetros do MARH-21 (modelos 991, 992, 993)

5.2.1.1 Campos de informação (não programáveis)

Versão tipo de programa instalado na ROM do MARH


Hora e Data Último Intervalo último registro feito até o instante da comunicação
Número de Intervalos indica quantos períodos de registro já foram feitos
Memória capacidade de memória do equipamento
Ocorrências código que indica falha ou situação de registro anormal
Estado da Bateria monitora a necessidade de troca da bateria do MARH

5.2.1.2 Campos de programação

Ativa Alteração Via Botões habilita programação via teclado do registrador


Horário de Verão transição automática para horário de verão/inverno
Ativa habilita transição automática
Fim Inverno data de transição inverno-verão
Fim Verão data de transição verão-inverno
Relações campos para programação das relações de TP e TC
TP primário/secundário do TP utilizado
TC primário/secundário do TC ou alicate utilizado
MODOS DE OPERAÇÃO campo para seleção da forma de registro (modos)
Somente Grandezas seleciona registro das grandezas conforme ajuste nos
respectivos campos
Tensões registra tensões rms
5—31
Correntes registra correntes rms
Potências Fase registra potências por fase
H,F registra DHT e Freqüência
FP(FD) seleciona registro de Fator de Potência ou Fator de
Deslocamento
VI Min Max habilita registro das tensões rms máximas e mínimas
(janela de ½ ciclo) e correntes rms máximas (janela de ½
ciclo) ocorridos a cada intervalo de registro
Indut. Capac. seleciona o registro das potências reativas indutivas e
capacitivas separadamente
Potência Total registra potências totais, não fornecendo valores
individuais das fases
Auxiliares seleciona o registro dos 3 canais auxiliares
Harmônicas seleciona registro de harmônicas conforme ajuste nos
respectivos campos
Modos Registra 1 seleciona registro de forma de onda (harmônicas) com
acionamento manual, sendo possível selecionar as três
fases ou a fase desejada
Modos Registra 2 seleciona registro de forma de onda (harmônicas) com
acionamento automático, sendo possível selecionar as
três fases ou a fase desejada
Modos Registra 3 seleciona registro de harmônicas (valores médios), sendo
possível optar pelo registro de tensões e correntes
(incluindo potências) ou somente tensões
Perturbações seleciona registro de captação de forma de onda na
ocorrência de perturbações conforme ajuste nos
respectivos campos
Transiente seleciona captação da forma de onda de perturbações com
acionamento por variação da tensão instantânea, valor
rms da tensão e freqüência da tensão
DHT seleciona captação da forma de onda de perturbações com
acionamento por valor de DHT da tensão, valor rms da
tensão e freqüência da tensão
DHT % programação do valor Limite Superior de DHT

5—32
Transiente % programação do Limite de Variação da Tensão
Instantânea
Grandezas+Perturbações(MODO 10) seleciona registro das grandezas+perturbações conforme
ajuste nos respectivos campos
Entradas seleciona os canais de entrada de tensão e corrente
TP-TC tensões e correntes diretamente
TP-ALICATE tensões diretamente e correntes via alicates
SHUNT-TC tensões via shunts e correntes diretamente
SHUNT-ALICATE tensões via shunts e correntes via alicates
Ciclos Registra ajuste do tamanho da janela de captação
Antes número de ciclos da janela registrados antes do instante
de acionamento da captação
Após número de ciclos da janela registrados após o instante de
acionamento da captação
½ Ciclos por Evento ajuste de histerese para captação de eventos
Entra Limite de Histerese Inicial
Sai Limite de Histerese Final
Modos Limites seleção dos valores limite para captação e faixas para
valores rms (percentuais ou absolutos)
Nom valor nominal da tensão fase-neutro
Lim Inf valor percentual para Limite Inferior de Tensão
Integralizada ou valor percentual para Limite Inferior de
Tensão rms (conforme a escolha feita em Modos Limites)
Lim Sup valor percentual para Limite Superior de Tensão
Integralizada ou valor percentual para Limite Superior de
Tensão rms (conforme a escolha feita em Modos Limites)
Vmin valor absoluto para Limite Inferior de Tensão
Integralizada ou valor absoluto para Limite Inferior de
Tensão rms (conforme a escolha feita em Modos Limites)
Vmax valor absoluto para Limite Superior de Tensão
Integralizada ou valor absoluto para Limite Superior de
Tensão rms (conforme a escolha feita em Modos Limites)
I máxima valor absoluto para Limite Superior de Corrente
Integralizada
5—33
Freqüência (Hz) campo de seleção de freqüência do sistema de potência
50 habilita freqüência de 50 Hz
60 habilita freqüência de 60 Hz
Intervalo Registro campo para seleção de intervalo de registro (tempo de
integração )
min. sec. dec. valores do intervalo de registro (período de integração)
Grand Auxiliar 1 (2,3) campos para ajuste dos canais de entrada auxiliares
Faixa de programação dos valores de início e fim da escala do
transdutor
Transdutor define se o sinal do transdutor é em corrente ou tensão
Grandeza define a unidade da variável cujo sinal proporcional (em
tensão ou corrente) está presente na entrada do respectivo
canal auxiliar

5.2.2 Listagem de Parâmetros do MARH-V (V4, V6, VP, VF, VM, VI)

5.2.2.1 Campos de informação (não programáveis)

Versão de Software tipo de programa instalado na ROM do MARH


Hora e Data Último Intervalo último registro feito até o instante da comunicação
Número de Intervalos indica quantos períodos de registro já foram feitos
Memória capacidade de memória do equipamento
Ocorrências código que indica falha ou situação de registro anormal
Estado da Bateria monitora a carga de bateria do MARH
Tempo de Memória indicação da situação de uso da memória
Total autonomia total de memória
Restante tempo de memória ainda restante
Informações DIC e FIC duração e freqüência de interrupção
FIC freqüência de interrupção no consumidor
DIC duração total de interrupção no consumidor
Desde: data e hora de início da contagem DIC/FIC

5—34
5.2.2.2 Campos de programação

Hora e Data Atual campos de ajuste da data e horário


Registrar campos de habilitação de registro de variáveis
Tensões habilita registro das tensões médias rms
Correntes habilita registro das correntes médias rms
Pot. Total habilita registro somente das potências médias rms totais
Pot. Fase habilita registro das potências médias rms por fase
Min. Max. habilita registro da tensão média rms máxima e tensão
média rms mínima ocorridas em cada período de registro
Ind. Cap. seleciona o registro dos reativos indutivos e capacitivos
separadamente
FP (FD) seleciona registro de Fator de Potência ou Fator de
Deslocamento
DHT habilita o registro de Distorção Harmônica Total
Relações campos para programação das relações de TP e TC
TP primário/secundário do TP utilizado
TC primário/secundário do TC ou Alicate utilizado
Freqüência (Hz) campo de seleção de freqüência do sistema de potência
50 habilita freqüência de 50 Hz
60 habilita freqüência de 60 Hz
Horário de Verão transição automática para horário de verão/inverno
Ativa habilita transição automática
Fim Inverno data de transição inverno-verão
Fim Verão data de transição verão-inverno
Intervalo Registro – Janela campos para seleção de intervalo de registro (tempo de
integração ) e tamanho de janela de cáculo dos valores
rms intermediários
min. sec. dec. programação do intervalo de registro
Ciclos programação do tamanho da janela de cálculo do valor
rms (em número de ciclos)

5—35
Ativa Alteração Via Botões habilita programação via teclado do registrador
Limpa Memória se selecionado limpa memória do registrador
V- ajuste do limite inferior de tensão, valor absoluto
V+ ajuste do limite superior de tensão, valor absoluto
I+ ajuste do limite superior de corrente, valor absoluto
Hab % habilita valores percentuais para limites de tensão
%- ajuste do limite inferior de tensão, valor percentual
%+ ajuste do limite superior de tensão, valor percentual
Vn ajuste da tensão nominal
Ciclos Antes ajuste de duração da janela de captação de eventos
Ciclos Após ajuste de duração da janela de captação de eventos
½ ciclos E limite de histerese inicial (para eventos)
½ ciclos S limite de histerese final (para eventos)
Tempos e % DIC FIC campos para ajuste do registro de DIC/FIC
Falta tempo mín. da falta de energia para habilitar contadores
Volta tempo mín do restabelecimento p/ desabilitar contadores
%V Falta tensão abaixo da qual é considerado falta de energia
Estado Registrador ajuste do sistema de ocupação de memória
hmd ajuste do horário e dia para início de registro

5.3 Exemplos de Programação


Para orientar o usuário será inicialmente fornecida a relação geral dos relatórios e gráficos que
poderão ser obtidos a partir do registro efetuado com a respectiva programação de parâmetros.
Antes de iniciar a programação consulte o item “Procedimento Geral” no início deste capítulo.

A alteração dos parâmetros determina o apagamento da memória de massa do


registrador após a confirmação da nova programação. Antes de confirmar os novos
parâmetros certifique-se que os dados já registrados na memória do registrador
foram devidamente transferidos para forma de arquivo através do procedimento de
leitura da memória de massa.

5.3.1 Programação do MARH-21, modelos 993, 992 e 991


5—36
5.3.1.1 Medição e Registro de Grandezas Integralizadas (disponível p/ 993, 992 e 991)

Gráficos e relatórios
• Gráficos e relatórios com os valores médios das variáveis registradas para cada período de
integração (100ms a 1 hora) programado.
• Relatório com indicação dos períodos com maiores e menores tensões médias e maiores correntes
médias.
• Gráfico e relatório com Máximo e Mínimo valor de tensão (rms, ½ ciclo) atingido em cada período
de integração programado.
• Máximo valor de corrente (rms, ½ ciclo) atingido em cada período de integração programado.
• Tempo com tensões fora da faixa programada p/ cada período de integração programado.
• Tempo com correntes fora da faixa escolhida p/ cada período de integração programado.
• Relatório resumido das maiores demandas ativas e reativas de ponta, fora ponta e reservado.
• Simulação de correção de FP e potência reativa necessária para correção de FP.
• Valores de energia ativa, reativa, aparente para os períodos selecionados.
• Relatório de Função Distribuição de Tensão (FDT), incluindo gráfico.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.

Exemplo de Programação

5—37
Hora e Data Atual
Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Estado Registrador
Com esta programação o registrador irá registrar até que sua memória se esgote, parando de registrar e
mantendo os dados em sua memória. As outras opções possíveis incluem programação de hora e data
de início do registro ou início do registro a partir do momento em que a tecla “P” for pressionada.
Ativa Alteração via Botões
Como este campo está marcado, o acesso a programação via teclado estará habilitado. Se este campo
não estiver marcado não será possível programar o registrador via teclado.
Modo de operação
Neste caso o registrador está programado para registrar as grandezas integralizadas (somente
grandezas) marcadas. Observe que “H,D” habilitado significa registro de DHT e de freqüência. “FP”
não habilitado indica o registro de Fator de Deslocamento e não do Fator de Potência.
5—38
O fato de selecionar “Potências por Fase” permite que sejam registradas as potências individualmente
por fase. As potências totais serão calculadas pelo programa a partir da soma das potências de cada
uma das fases. Se estivesse marcada a opção “Potências Totais” não seria possível obter as potências
por fase.
Horario de Verão
Como a transição automática para horário de verão não está ativada não é necessário programar as
datas de fim de verão e fim de inverno. Use a transição automática do horário de verão quando efetuar
medição em períodos do ano nos quais irá ocorrer a transição para horário de inverno e/ou horário de
verão. Neste caso programe os campos com as datas de fim do inverno e fim do verão.
Relações
A relação de TP escolhida é 1/1, significando que o sinal de tensão será lido diretamente do
barramento, sem o uso de TP´s. A relação de TC programada é de 1000/5.
Entradas
A programação “TP Alicate” indica que os sinais de tensão serão lidos na entrada de tensão
convencional e os sinais de corrente serão lidos a partir de alicates de corrente conectados as entradas
de sinal de alicates do registrador. A relação de transformação dos alicates neste caso é de 1000/5.
Modos Limites
A programação de “Seleciona Limites em Valores Absolutos” indica a utilização dos valores 229 e
201 V como Limites Superior (e Inferior) de Tensões Integralizadas. Se, durante o intervalo de
registro (neste caso 1 minuto) as tensões extrapolarem esta faixa, haverá indicação das fases e do
tempo percentual durante o qual isto ocorreu. Neste caso os limites percentuais programados em
“Lim. Inf” e “Lim. Sup.” não estarão ativos.
O valor programado em I máxima, de 1000 A, é o Limite Superior de Corrente Integralizada. Se,
durante o intervalo de registro, a corrente apresentar valores superiores a 1000A será indicado por
quanto tempo isto ocorreu e em quais fases.
Freqüência
A programação indica que o registrador será ligado a um sistema cuja freqüência nominal é de 60Hz.
Os valores abaixo do nomial (Limite Inferior e Superior de Freqüência) não estarão ativos visto que
neste modo de operação não haverá registro de forma de onda de perturbações de freqüência, sendo
apenas registrados os valores de freqüência conforme selecionado (veja o item Somente Grandezas
acima).
Intervalo Registro
O intervalo de registro escolhido é de 1 minuto. Isto significa que, para cada minuto, os valores de
cada grandeza (integralizados continuamente em janelas de integração de ½ ciclo) serão
transformados em um único valor que representa a média rms da respectiva grandeza no intervalo de
1 minuto.
5—39
Grandezas Auxiliares
Como não está selecionado o registro de grandezas auxiliares em “Modos de Operação” estes campos
não influenciarão na medição. Caso deseje utilizar as entradas auxiliares habilite o seu registro e
programe a faixa do transdutor assim como o padrão de entrada do sinal (se em mA ou V) e a
respectiva unidade.

5.3.1.2 Captação de Forma de Onda: Acionamento Manual (disponível p/ 993 e 992)

Gráficos e relatórios
• Forma de onda dos ciclos captados continuamente, durante todo o período de registro (o
acionamento e a parada do registro são determinados manualmente através das teclas * e # do
registrador).
• Análise Harmônica (máx. 61°) de tensões e correntes, com forma de onda, valores de pico,
ângulos.
• Gráficos de barras e relatórios indicando o valor dos harmônicos pares e ímpares de cada ciclo.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.

Exemplo de Programação

5—40
Hora e Data Atual
Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Estado Registrador
Para operar no modo de “Captação de Forma de Onda com Acionamento Manual” esta é a única
opção disponível. Haverá possibilidade de sucessivamente acionar e cessar o registro, manualmente
via teclado do registrador, até que a memória tenha se esgotado.
Ativa Alteração via Botões
Como este campo está marcado, o acesso a programação via teclado estará habilitado. Se desejar
bloquear o acesso a programação via teclado para que não haja possibilidade de alteração inadvertidas
nos parâmetros enquanto o registrador estiver instalado, retire a marca deste campo.
Modo de operação

5—41
O registrador está programado para operar “Captação de Forma de Onda com Acionamento Manual”
(Harmônicas, Modo 1). Verifique que foram selecionadas as três fases “ABC”. A seleção de uma
única fase altera a taxa de amostragem de 64 para 128 amostras por ciclo.
Horário de Verão
Como a transição automática para horário de verão não está ativada não é necessário programar as
datas de fim de verão e fim de inverno.
Relações
A relação de TP escolhida é 1/1, significando que o sinal de tensão será lido diretamente do
barramento, sem o uso de TP´s. A relação de TC programada é de 1000/5.
Entradas
A programação “TP Alicate” indica que os sinais de tensão serão lidos a partir da entrada de tensão
convencional e os sinais de corrente serão obtidos a partir de alicates de corrente conectados as
entradas de sinal de corrente via alicates do registrador. A relação de transformação dos alicates neste
caso é de 1000/5.
Freqüência
A programação indica que o registrador será ligado a um sistema cuja freqüência nominal é 60Hz.

5.3.1.3 Captação de Forma de Onda: Acionamento Automático (disponível p/ 993 e 992)

Gráficos e relatórios
• Forma de onda dos ciclos captados automaticamente (um ciclo para cada intervalo programado).
• Análise Harmônica (máx. 61°) de tensões e correntes, com forma de onda, valores de pico,
ângulos.
• Gráficos de barras e relatórios indicando o valor dos harmônicos pares e ímpares de cada ciclo.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.

Exemplo de Programação

5—42
Hora e Data Atual
Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Estado Registrador
Para operar no modo de “Captação de Forma de Onda com Acionamento Automático” esta é a única
opção disponível.
Ativa Alteração via Botões
Como este campo está marcado o acesso a programação via teclado estará habilitado.
Modo de operação

5—43
O registrador está programado para operar “Captação de Forma de Onda com Acionamento
Automático” (Harmônicas, Modo 2). Verifique que foi selecionada a fase “B”. A seleção de uma única
fase altera a taxa de amostragem de 64 para 128 amostras por ciclo.
Horário de Verão
Como a transição automática para horário de verão não está ativada não é necessário programar as
datas de fim de verão e fim de inverno.
Relações
A relação de TP escolhida é 1/1, significando que o sinal de tensão será lido diretamente do
barramento, sem o uso de TP´s. A relação de TC programada é de 100/5.
Entradas
A programação “TP TC” indica que serão usadas as entradas de tensão do registrador diretamente
ligadas ao circuito sob medição e as entradas de corrente direta do registrador (ligadas ao secundário
do TC). A relação de transformação dos TC´s neste caso é de 100/5.
Freqüência
A programação indica que o registrador será ligado a um sistema cuja freqüência nominal é 60Hz.
Intervalo Registro
O intervalo de registro escolhido é de 10 segundos. Neste modo de operação haverá captação da
forma de onda de um ciclo das fases A, B e C das tensões e correntes a cada 10 segundos.

5.3.1.4 Potências e Valores Médios de Distorção Harmônica (disponível p/ 993)

Gráficos e relatórios
• Análise Harmônica (valores médios, máx. 45°) de tensões e correntes, valores de pico.
• Gráficos de barras e relatórios indicando o valor médio dos harmônicos pares e ímpares de cada
período de integração.
• Relatório resumido das maiores demandas ativas e reativas de ponta, fora ponta e reservado.
• Simulação de correção de FP e potência reativa necessária para correção de FP.
• Valores de energia ativa, reativa e aparente para os períodos selecionados.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.

Exemplo de Programação

5—44
Hora e Data Atual
Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Estado Registrador
O registrador está programado para registrar até o fim da memória e cessar o registro.
Ativa Alteração via Botões
Como este campo está marcado, o acesso a programação via teclado estará habilitado.

5—45
Modo de operação
O registrador está programado para registrar valores médios de harmônicos e potências (Harmônicas,
Modo 3). Verifique que foi selecionada a opção “VI”. Neste caso serão registrados harmônicos na
tensão e corrente assim como as potências. A opção “V” proporciona o registro de harmônicas de
tensão somente.
Horário de Verão
Como a transição automática para horário de verão não está ativada não é necessário programar as
datas de fim de verão e fim de inverno.
Relações
A relação de TP escolhida é 1/1, significando que o sinal de tensão será lido diretamente do
barramento, sem o uso de TP´s. A relação de TC programada é de 100/5.
Entradas
A programação “TP TC” indica que serão usadas as entradas de tensão do registrador diretamente
ligadas ao circuito sob medição e para corrente as entradas de corrente direta do registrador. A relação
de transformação dos alicates neste caso é de 100/5.
Freqüência
A programação indica que o registrador será ligado a um sistema cuja freqüência nominal é de 60Hz.
Intervalo Registro
O intervalo de registro escolhido é de 10 minutos. Neste modo de operação haverá captação de
conjuntos de 8 ciclos a cada 7,5 segundos, sendo os valores médios dos harmônicos calculados a
partir destas amostras. Os valores de potências serão lidos continuamente tendo seus valores médios
registrados a cada 10 minutos.

5.3.1.5 Captação de Forma de Onda: Acionamento por variação de tensão rms, variação de DHT da
tensão e variação de freqüência (disponível p/ 993)

Gráficos e relatórios
• Forma de onda das tensões e correntes durante os eventos ocorridos.
• Valores instantâneos e rms das tensões e correntes durante os eventos.
• Análise Harmônica (máx. 31°) de tensões e correntes do evento, com forma de onda, valores de
pico, ângulos.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.

5—46
Exemplo de Programação

Hora e Data Atual


Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Estado Registrador
O registrador está programado para registrar até o fim da memória e cessar o registro.

5—47
Ativa Alteração via Botões
Como este campo está marcado, o acesso a programação via teclado estará habilitado.
Modo de operação
O registrador está programado para registrar perturbações com gatilho de acionamento para captação
da forma de onda por valor de tensão, freqüência e DHT. Os valores limite para acionamento da
captação estão programados nos respectivos campos. Verifique que a opção escolhida é DHT e o valor
programado é 5%.
Horário de Verão
Como a transição automática para horário de verão não está ativada não é necessário programar as
datas de fim de verão e fim de inverno.
Relações
A relação de TP escolhida é 1/1, significando que o sinal de tensão será lido diretamente do
barramento, sem o uso de TP´s. A relação de TC programada é de 100/5.
Entradas
A programação “TP Alicate” indica que os sinais de tensão são provenientes da entrada de tensão
convencional e os sinais de corrente serão obtidos a partir de alicates de corrente conectados as
entradas de sinal de corrente via alicates do registrador. A relação de transformação dos alicates neste
caso é de 100/5.
Modos Limites
Verifique que está selecionada a opção de limites por valores absolutos. Desta forma o Limite
Superior de Tensão rms válido será o 242V e o Limite Inferior de Tensão rms, 198V. Se a tensão (rms
de ½ ciclo, calculada a partir de cada amostra feita) extrapolar estes limites (pelo tempo programado
em “entra”, neste caso “0” ou “a partir de qualquer amostra”) haverá a captação da forma de onda (20
ciclos antes e 20 após o instante de detecção). Haverá também captação se a freqüência extrapolar os
limites programados (58 e 62 Hz) ou se o DHT for superior a 5%. O valor programado no campo
“sai”, Limite de Histerese Final, indica que qualquer amostra efetuada cujo valor de ½ ciclo anterior
estiver dentro das faixas de tensão, freqüência, e DHT programados irá caracterizar o fim do evento,
estando o registrador a partir deste instante pronto para captar o próximo evento.
Freqüência
A programação indica que o registrador será ligado a um sistema cuja freqüência nominal é de 60Hz.
Os valores de 58 e 62 Hz correspondem ao “Limite Inferior de Freqüência” e “Limite Superior de
Freqüência”.

5.3.1.6 Captação de Forma de Onda: Acionamento por variação de tensão rms, variação de tensão
instantânea e variação de freqüência (disponível p/ 993)

5—48
Gráficos e relatórios
• Forma de onda das tensões durante os eventos ocorridos.
• Valores instantâneos e rms das tensões durante os eventos.
• Análise Harmônica (máx. 61°) de tensões e correntes do evento, com forma de onda, valores de
pico, ângulos.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.
Exemplo de Programação

Hora e Data Atual


Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
5—49
Estado Registrador
O registrador está programado para registrar até o fim da memória e cessar o registro.
Ativa Alteração via Botões
Como este campo está marcado, o acesso a programação via teclado estará habilitado.
Modo de operação
O registrador está programado para registrar perturbações com gatilho de acionamento para captação
da forma de onda por valor de tensão, freqüência e tensão instantânea. Os valores limite para
acionamento da captação estão programados nos respectivos campos. Verifique que a opção escolhida
é “transiente” e o valor programado é 15%.
Horário de Verão
Como a transição automática para horário de verão não está ativada não é necessário programar as
datas de fim de verão e fim de inverno.
Relações
A relação de TP escolhida é 1/1, significando que o sinal de tensão será lido diretamente do
barramento, sem o uso de TP´s. A relação de TC programada é de 3000/5.
Entradas
A programação “TP Alicate” indica que serã utilizados alicates conectados a entrada de alicates do
registrador para obtenção dos sinais de corrente. A relação de transformação dos alicates neste caso é
de 3000/5. As tensões serão lidas diretamente através das entradas de tensão do registrador.
Modos Limites
Verifique que está selecionada a opção de limites por valores percentuais. Desta forma o Limite
Superior de Tensão rms válido será 10% e o Limite Inferior de Tensão rms, 10% em relação a nominal
programada de 220V. Se a tensão (rms de ½ ciclo, calculada a partir de cada amostra feita) extrapolar
estes limites pelo tempo equivalente ao programado em “entra” (Limite de Histerese Inicial de 5
ciclos) haverá a captação da forma de onda. Haverá também captação se a freqüência extrapolar os
limites programados (58 e 62 Hz) ou se a variação do valor de tensão entre uma amostra e outra for
superior a 15%. O valor programado no campo “sai” (Limite de Histerese Final) indica que durante 10
½ ciclos (ou 5 ciclos) a tensão rms e freqüência devem se manter dentro das faixas para que seja
caracterizado o fim do evento. Em qualquer caso o tamanho da janela de captação será de 40 ciclos
(10 antes e 30 depois do instante de detecção).
Freqüência
A programação indica que o registrador será ligado a um sistema cuja freqüência nominal é de 60Hz.

5—50
5.3.1.7 Medição e Registro de Grandezas Integralizadas + Captação de Forma de Onda:
Acionamento por variação de tensão rms e variação de freqüência (p/ 993)

Gráficos e relatórios
• Forma de onda das tensões e correntes durante os eventos captados.
• Valores instantâneos e rms das tensões e correntes durante os eventos captados.
• Análise Harmônica (máx. 31°) de tensões e correntes do evento, com forma de onda, valores de
pico, ângulos.
• Gráficos e relatórios com os valores médios das variáveis registradas para cada período de
integração (1minuto a 1 hora) programado.
• Relatório com indicação dos períodos com maiores e menores tensões médias e maiores correntes
médias.
• Gráfico e relatório com Máximo e Mínimo valor de tensão (rms, ½ ciclo) atingido em cada período
de integração programado.
• Máximo valor de corrente (rms, ½ ciclo) atingido em cada período de integração programado.
• Tempo com tensões fora da faixa programada p/ cada período de integração programado.
• Tempo com correntes fora da faixa escolhida p/ cada período de integração programado.
• Relatório resumido das maiores demandas ativas e reativas de ponta, fora ponta e reservado.
• Simulação de correção de FP e potência reativa necessária para correção.
• Relatório de Função Distribuição de Tensão (FDT), incluindo gráfico.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.

Exemplo de Programação

5—51
5—52
Hora e Data Atual
Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Estado Registrador
Com esta programação o registrador irá registrar em memória circular a partir das 10 h 00 min do dia
22.
Ativa Alteração via Botões
Como este campo está marcado, o acesso a programação via teclado estará habilitado.
Modo de operação
Neste caso o registrador está programado para registrar as grandezas integralizadas (somente
grandezas) marcadas. Observe que “H,D” habilitado significa registro de DHT e de freqüência. “FP”
não habilitado indica o registro de Fator de Deslocamento e não do Fator de Potência.
O fato de selecionar “Potências por Fase” permite que sejam registradas as potências individualmente
por fase. As potências totais serão calculadas pelo programa a partir da soma das potências de cada
uma das fases. Se estivesse marcada a opção “Potências Totais” não seria possível obter as potências
por fase.
Horario de Verão
Como a transição automática para horário de verão não está ativada não é necessário programar as
datas de fim de verão e fim de inverno.
Relações
A relação de TP escolhida é 1/1, significando que o sinal de tensão será lido diretamente do
barramento, sem o uso de TP´s. A relação de TC programada é de 1000/5.
Entradas
A programação “TP Alicate” indica que os sinais de tensão são provenientes da entrada de tensão
convencional e os sinais de corrente serão obtidos a partir de alicates de corrente conectados as
entradas de sinal de corrente via alicates do registrador. A relação de transformação dos alicates neste
caso é de 1000/5.
Modos Limites
A programação de “Perturbações em %Vmédio e Grandezas em Absolutos” indica a utilização dos
valores 140 e 114 V como Limites Superior (e Inferior) de Tensões Integralizadas. Se, durante o
intervalo de registro (neste caso 1 minuto) as tensões extrapolarem esta faixa, haverá indicação das
fases e do tempo percentual durante o qual isto ocorreu.
Neste caso os limites percentuais programados em “Lim. Inf” e “Lim. Sup.” estarão ativos,
constituindo o Limite Inferior de Tensão rms e o Limite Superior de Tensão rms. Aplicados ao valor
médio das tensões do último minuto, irão determinar a captação da forma de onda se a tensão se
5—53
mantiver fora da faixa dos 10 % por pelo menos 5 ciclos (Limite de Histerese Inicial programado em
10 ½ ciclos).
O valor programado em I máxima, de 500 A, é o Limite Superior de Corrente Integralizada. Se,
durante o intervalo de registro, a corrente apresentar valores superiores a 1000A será indicado por
quanto tempo isto ocorreu e em quais fases.
Freqüência
A programação indica que o registrador será ligado a um sistema cuja freqüência nominal é de 60Hz.
Os valores abaixo do nominal (Limite Inferior e Superior de Freqüência) programados em 58 e 62 Hz
estarão ativos visto que neste modo de operação haverá registro de forma de onda de perturbações de
freqüência.
Intervalo Registro
O intervalo de registro escolhido é de 1 minuto. Isto significa que, para cada minuto, os valores de
cada grandeza (integralizados continuamente em janelas de ½ ciclo) serão transformados em um
único valor que representa a média rms da respectiva grandeza no intervalo de 1 minuto.
Grandezas Auxiliares
Como está selecionado o registro de grandezas auxiliares em “Modos de Operação” estes campos
influenciarão na medição. Somente o canal 1 está habilitado para receber sinal em miliampéres com
transdutor de temperatura na faixa de 0 a 200 graus Celcius.

5.3.2 Programação do MARH-V4 (V6)

5.3.2.1 Medição e Registro de Tensões Médias

Gráficos e relatórios
• Gráficos e relatórios com os valores médios das variáveis registradas para cada período de
integração (1s a 1 hora) programado.
• Relatório com indicação dos períodos com maiores e menores tensões médias.
• Gráfico e relatório com Máximo e Mínimo valor de tensão (rms, ½ a 15 ciclos) atingido em cada
período de integração programado.
• Relatório de Função Distribuição de Tensão (FDT), incluindo gráfico.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.
• Relatório DIC e FIC.

5—54
Exemplo de Programação

5—55
Hora e Data Atual
Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Registrar
As opções existentes foram todas selecionadas. Haverá registro das tensões, seus mínimos e máximos
assim como o registro da Distorção Harmônica Total. Para um registro visando obtenção de dados
para relatório da Resolução 505 não seria necessário selecionar o registro dos máximos e mínimos e
DHT.
Relações
A relação de TP programada é 1/1 porque o medidor será ligado sem intermédio de TP. Para registro
em sistemas de média e/ou alta tensão, caso em que seria necessário o uso de TP, a relação do mesmo
deveria ser programada neste campo.
Freqüência (Hz)
A escolha da freqüência depende do sistema. Neste caso 60Hz.
Horário de Verão
Como não está selecionado, não foi necessário a programação das datas de fim do verão e fim do
inverno. Programe estas datas e habilite a transição automática para horário de verão/inverno quando
o registrador for instalado na época de transição. Caso isto não seja feito será ainda possível corrigir
os horários depois, no próprio arquivo de medição.
Intervalo Registro – Janela
O período de 10 minutos, assim como o número de ciclos (12) da janela de integração foram
escolhidos em função da Resolução 505, sendo estes padrão para este tipo de registro.
Ativa Alteração Via Botões
Como este campo está selecionado não haverá bloqueio de acesso a tecla de programação quando o
registrador estiver instalado. Alterações na programação do mesmo poderão ser feitas via teclado.
Limpa Memória
Selecione este campo se desejar que os parâmetros assumam os valores de fabricação e a memória de
de dados seja apagada.
V-
Neste campo foi programado o Limite Inferior de Tensão Integralizada. Caso, durante o registro de
algum dos períodos de 10 minutos, a tensão de alguma das janelas de integração (12 ciclos neste caso)
atingir valor inferior ao programado será registrado em quais fases isto ocorreu. Obs: Para que este
limite seja válido é necessário que o campo Hab. % esteja desmarcado.
V+
5—56
Neste campo foi programado o Limite Superior de Tensão Integralizada. Caso, durante o registro de
algum dos períodos de 10 minutos, a tensão de alguma das janelas de integração (12 ciclos neste caso)
atinja valor superior ao programado será registrado em quais fases isto ocorreu. Obs: Para que este
limite seja válido é necessário que o campo Hab. % esteja desmarcado.
%-
Neste campo foi programado o Limite Inferior de Tensão Integralizada (percentual). Caso, durante o
registro de algum dos períodos de 10 minutos, a tensão de alguma das janelas de integração (12 ciclos
neste caso) atinja valor inferior ao programado será registrado em quais fases isto ocorreu.
%+
Neste campo foi programado o Limite Superior de Tensão Integralizada (percentual). Caso, durante o
registro de algum dos períodos de 10 minutos, a tensão de alguma das janelas de integração (12 ciclos
neste caso) atinja valor superior ao programado será registrado em quais fases isto ocorreu. Obs: Para
que este limite seja válido é necessário que o campo Hab. % esteja marcado.

Os campos V+, V-, %+ e %- não estão relacionados aos níveis de tensão precária e
crítica determinadas pela Resolução505. Estes parâmetros não exercem nenhuma
influência na obtenção dos índices de DRP e DRC.

Vn
O valor programado neste campo é a tensão nominal fase-neutro do sistema e serve de referência para
os demais parâmetros percentuais (nível de tensão que caracteriza uma falta e para os limites de
tensão integralizados percentuais). Obs: Para que este limite seja válido é necessário que o campo
Hab. % esteja marcado.
Hab %
Como não está marcado, a faixa de limites integralizados de tensão válida será aquela programada em
V+ e V- ( valores absolutos).
Tempos e % DIC FIC
Nestes campos foram programados tempos de histerese para DIC e FIC de 1 minuto e o percentual da
tensão nominal abaixo do qual caracteriza-se uma falta de energia.
Se um determinado período de integração (de 10 minutos) apresentar pelo menos uma janela de
integração (de 12 ciclos) com valor inferior a 70% da nominal o mesmo não será considerado um
intervalo válido.
Estado do Registrador
Neste caso foi selecionada a opção de registro circular com início de registro somente após apertar a
tecla P. Poderiam ser selecionada a opção de início de registro em hora e data específicas. Neste caso
as mesmas deveriam ser programadas nos campos subseqüentes.

5—57
5.3.3 Programação do MARH-VI
Gráficos e relatórios
• Gráficos e relatórios com os valores médios das variáveis registradas para cada período de
integração (100ms a 1 hora) programado.
• Relatório com indicação dos períodos com maiores e menores tensões médias e maiores correntes
médias.
• Gráfico e relatório com Máximo e Mínimo valor de tensão (rms, ½ ciclo a 15 ciclos) atingido em
cada período de integração programado.
• Máximo valor de corrente (rms, ½ ciclo) atingido em cada período de integração programado.
• Relatório resumido das maiores demandas ativas e reativas de ponta, fora ponta e reservado.
• Simulação de correção de FP e potência reativa necessária para correção de FP.
• Valores de energia ativa, reativa, aparente para os períodos selecionados.
• Relatório de Função Distribuição de Tensão (FDT), incluindo gráfico.
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas.
• Relatório DIC e FIC.

Exemplo de Programação

5—58
Hora e Data Atual
Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Registrar
As opções existentes foram todas selecionadas. Haverá registro das tensões, seus mínimos e máximos
Distorção Harmônica Total, Potências por Fase (a total será obtida pelo programa a partir da soma das
potências das fases), Potências Reativas Indutivas separadas das Capacitivas, e Fator de Potência
(poderia ser selecionado Fator de Deslocamento).
Relações de TP e TC
A relação de TP programada é 1:1 porque o medidor será ligado sem intermédio de TP. Para registro
em sistemas de média e/ou alta tensão, caso em que seria necessário o uso de TP, a relação do mesmo
deveria ser programada neste campo.
A relação de TC programada neste caso em 1000/5.
Freqüência (Hz)
5—59
A escolha da freqüência depende do sistema. Neste caso 60Hz.
Horário de Verão
Como não está selecionado, não foi necessário a programação das datas de fim do verão e fim do
inverno. Programe estas datas e habilite a transição automática para horário de verão/inverno quando
o registrador for instalado na época de transição. Caso isto não seja feito será ainda possível corrigir
os horários depois, no próprio arquivo de medição.
Intervalo Registro – Janela
O período de 10 minutos, assim como o número de ciclos (12) da janela de integração foram
escolhidos em função da Resolução 505, sendo estes padrão para este tipo de registro.
Ativa Alteração Via Botões
Como este campo está selecionado não haverá bloqueio de acesso a tecla de programação quando o
registrador estiver instalado. Alterações na programação do mesmo poderão ser feitas via teclado.
Limpa Memória
Selecione este campo se desejar que os parâmetros assumam os valores de fabricação e a memória de
de dados seja apagada.
V-
Neste campo foi programado o Limite Inferior de Tensão Integralizada. Caso, durante o registro de
algum dos períodos de 10 minutos, a tensão de alguma das janelas de integração (12 ciclos neste caso)
atinja valor inferior ao programado será registrado em quais fases isto ocorreu.
V+
Neste campo foi programado o Limite Superior de Tensão Integralizada. Caso, durante o registro de
algum dos períodos de 10 minutos, a tensão de alguma das janelas de integração (12 ciclos neste caso)
atinja valor superior ao programado será registrado em quais fases isto ocorreu.
%-
Neste campo foi programado o Limite Inferior de Tensão Integralizada (percentual). Caso, durante o
registro de algum dos períodos de 10 minutos, a tensão de alguma das janelas de integração (12 ciclos
neste caso) atinja valor inferior ao programado será registrado em quais fases isto ocorreu.
%+
Neste campo foi programado o Limite Superior de Tensão Integralizada (percentual). Caso, durante o
registro de algum dos períodos de 10 minutos, a tensão de alguma das janelas de integração (12 ciclos
neste caso) atinja valor superior ao programado será registrado em quais fases isto ocorreu.

Os campos V+, V-, %+ e %- não estão relacionados aos níveis de tensão precária e
crítica determinadas pela Resolução505. Estes parâmetros não exercem nenhuma
influência na obtenção dos índices de DRP e DRC.

5—60
Vn
O valor programado neste campo é a tensão nominal fase-neutro do sistema e serve de referência para
os demais parâmetros percentuais (nível de tensão que caracteriza uma falta e para os limites de
tensão integralizados percentuais).
Hab %
Como não está marcado, a faixa de limites integralizados de tensão será aquela programada em V+ e
V- ( valores absolutos).
I+
O valor programado é de 1000A. Caso, durante o registro de algum dos períodos de 10 minutos, a
tensão de alguma das janelas de integração (1/2 ciclo para correntes) atinja valor superior ao
programado será registrado em quais fases isto ocorreu.
Tempos e % DIC FIC
Nestes campos foram programados tempos de histerese para DIC e FIC de 1 minuto e o percentual da
tensão nominal abaixo do qual caracteriza-se uma falta de energia.
Se um determinado período de integração (de 10 minutos) apresentar pelo menos uma janela de
integração (de 12 ciclos) com valor inferior a 50% da nominal o mesmo não será considerado um
intervalo válido.
Estado do Registrador
Neste caso foi selecionada a opção de registro circular com início de registro programado para 11 h 00
min do dia 10.

5.3.4 Programação do MARH-VF

Gráficos e relatórios
• Relatórios e gráficos das tensões.
• Relatórios e gráficos dos valores de Pst.
• Relatórios das faltas de energia.

Exemplo de Programação

5—61
Hora e Data Atual
Programação da data e do horário para atualização do relógio e calendário internos de registrador. Se
já estiver devidamente programado não é necessário alterar.
Relações
Como o registrador somente possui entradas de sinal de tensão deve ser programada somente a
relação de TP. Neste exemplo o registrador será ligado diretamente, sem intermédio de TP´s. Por isso
foi programada a relação 1:1.
Horário de Verão
Neste caso o horário de verão não está ativo, não sendo necessário programar as datas de fim de verão
e fim de inverno.
5—62
Intervalo Registro
O intervalo para registro do Pst foi programado em 10 minutos.
Ativa Alteração Via Botões
Como a alteração via botões está ativa, a tecla “P” do registrador irá propiciar acesso a programação
do mesmo, podendo-se alterar os parâmetros programados no registrador através do próprio teclado.
Limpa Memória
Este campo deve ser usado somente se desejado um “reset” nas memórias de parâmetros e dados do
registrador.
Estado Registrador
Foi escolhido o sistema circular de registro em memória.

5.3.5 Programação do MARH-VM


Gráficos e relatórios
• Valores médios da tensão para cada período de integração (1s a 1 hora) programado.
• Períodos com maiores e menores tensões médias.
• Relatório de Função Distribuição de Tensão (FDT), incluindo gráfico respectivo (ANEEL,
Resolução 505).
• Faltas de energia ocorridas e os respectivos horários e durações.
• Datas e horários das alterações de parâmetros efetuadas no MARH-VM.

Exemplo de Programação

5—63
Hora e Data Atual
Neste campo são programadas a hora e a data atuais. Se o relógio e o calendário já estiverem
ajustados não haverá necessidade de reprogramar estes campos.
Relações
A relação de TP programada é 1/1 porque o medidor será ligado sem intermédio de TP. Para registro
em sistemas de média e/ou alta tensão, caso em que seria necessário o uso de TP, a relação do mesmo
deveria ser programada neste campo.

5—64
Freqüência (Hz)
A escolha da freqüência depende do sistema. Neste caso 60Hz.
Horário de Verão
Como não está selecionado, não foi necessário a programação das datas de fim do verão e fim do
inverno. Programe estas datas e habilite a transição automática para horário de verão/inverno quando
o registrador for instalado na época de transição. Caso isto não seja feito será ainda possível corrigir
os horários depois, no próprio arquivo de medição.
Intervalo Registro – Janela
O período de 10 minutos, assim como o número de ciclos (12) da janela de integração foram
escolhidos em função da Resolução 505, sendo os valores padrão para este tipo de registro.
Limpa Memória
Selecione este campo se desejar que os parâmetros assumam os valores de fabricação e a memória de
de dados seja apagada.
Estado do Registrador
Neste caso a programação feita determina o registro em memória circular.

Para obter mais informações sobre as indicações de estado (programado, em


registro, parado) do MARH-VM consulte o respectivo manual.

5.3.6 Programação do MARH-VP


Gráficos e relatórios
• Relatório estatísco dos eventos de acordo com as magnitudes de tensão.
• Relatório estatísco dos eventos de acordo com as durações dos mesmos.
• Relatório dos eventos com maiores valores rms de tensão atingidos.
• Relatório dos eventos com menores valores rms de tensão atingidos.
• Formas de onda das tensões de todos os ciclos captados. (*)
• Composição harmônica da tensão (máx. até 31°) fases A, B e C, ciclo a ciclo, a partir de qualquer
ponto do evento registrado.(*)
• Valores rms de cada ciclo, a partir de qualquer ponto das ondas captadas durante o evento.(*)
• Valores de pico da fundamental e das harmônicas das ondas captadas durante o evento.(*)
• Percentuais das harmônicas em relação a fundamental das ondas captadas durante o evento.(*)
• Ângulo de cada harmônica das ondas captadas durante o evento.(*)

5—65
• Tempo das tensões fora de faixa para as janelas captadas (eventos).(*)
• Valor de tensão máximo e mínimo rms de cada fase para os ciclos captados no evento.(*)
• Tensão rms máxima de cada evento.
• Tensão rms mínima de cada evento.
• Tempo de duração de cada evento.
(*) Somente para 100 eventos.
Exemplo de Programação

Hora e Data Atual


Programação da data e do horário para atualização do relógio e calendário internos de registrador. Se
já estiver devidamente programado não é necessário alterar.
Relações
5—66
Como o registrador somente possui entradas de sinal de tensão deve ser programada somente a
relação de TP. Neste exemplo o registrador será ligado diretamente, sem intermédio de TP´s. Por isso
foi programada a relação 1:1.
Horário de Verão
Neste caso o horário de verão não está ativo, não sendo necessário programar as datas de fim de verão
e fim de inverno.
Ativa Alteração Via Botões
Como a alteração via botões está ativa, a tecla “P” do registrador irá propiciar acesso a programação
do mesmo, podendo-se alterar os parâmetros programados no registrador através do próprio teclado.
Limpa Memória
Este campo deve ser usado somente se desejado um “reset” nas memórias de parâmetros e dados do
registrador.
V-
Neste campo foi programado o Limite Inferior de Tensão rms. Neste caso este valor não influenciará
no registro porque estão habilitados os valores percentuais para acionamento da captação de eventos.
V+
Neste campo foi programado o Limite Superior de Tensão rms. Neste caso este valor não influenciará
no registro porque estão habilitados os valores percentuais para acionamento da captação de eventos.
%-
Neste campo foi programado o Limite Inferior de Tensão rms (percentual). Verifique que está
selecionada a opção de limites por valores percentuais. Desta forma o Limite Superior de Tensão rms
válido será o 10% e o Limite Inferior de Tensão rms, 10%. Se a tensão (rms de ½ ciclo, calculada a
partir de cada amostra feita) extrapolar estes limites (pelo tempo, indicado em ½ ciclos, programado
em “entra”, neste caso “1”, a partir de qualquer amostra) haverá a captação da forma de onda (20
ciclos antes e 20 após o instante de detecção). O valor programado no campo “sai”, Limite de
Histerese Final, indica que qualquer amostra efetuada cujo valor de ½ ciclo anterior estiver dentro das
faixas de tensão irá caracterizar o fim do evento, estando o registrador a partir deste instante pronto
para captar o próximo evento.
%+
Neste campo foi programado o Limite Superior de Tensão rms (percentual).
Hab %
Como está marcado, a faixa de limites rms de tensão será aquela programada em % - e % +.
Tempos e % DIC FIC

5—67
Nestes campos foram programados tempos de histerese para DIC e FIC de 1 minuto e o percentual da
tensão nominal abaixo do qual caracteriza-se uma falta de energia.
Estado Registrador
Foi escolhido o sistema circular de registro em memória, sendo que será necessário pressionar a tecla
“P” do registrador para que o registro inicie.

5—68
6 LEITURAS

6.1 Leitura da memória de massa e criação de arquivos


A leitura da memória de massa do registrador tem por finalidade transferir para o computador os
dados que foram armazenados durante a medição. Para que possa ser feita é necessário que o
registrador tenha sido devidamente programado e que existam dados na memória de massa do mesmo.
Após a leitura os dados devem ser salvos em forma de arquivo no diretório escolhido.

Quando a memória de massa é lida pelo computador os dados armazenados no


registrador não são alterados nem perdidos, sendo mantidos até o mesmo ser
reprogramado ou efetuado o procedimento de limpeza da memória.

O diretório Anawin deve conter apenas os arquivos gerados durante a instalação do


programa. Nunca grave os arquivos de medição ou qualquer outro tipo de arquivo
no diretório Anawin.

6.1.1 Procedimento de leitura da memória de massa


1. Conectar o registrador ao computador segundo um dos procedimentos descritos no capítulo 4.
2. >Arquivo* >Novo
3. >Leitura >Lê do Registrador

6.1.2 Salvando arquivos de leitura


Após a leitura da memória de massa os dados deverão ser gravados em forma de arquivo. É
importante que os arquivos de leitura não sejam gravados no diretório “Anawin” (criado durante a
instalação do programa). Aconselhamos que sejam criados diretórios reservados somente para os
arquivos de medição dos registradores.

6—69
Para salvar o arquivo utilize, após fazer a leitura da memória de massa, o comando >Arquivo >Salva
Como.

6.1.3 Renomeando arquivos de leitura


Se necessário os arquivos de medição poderão ser renomeados. Para isso utilize os recursos do
próprio Windows ou, através do ANAWIN, selecione >Arquivo >Salva Como. O período total de
medição será indicado. Se não desejar alterá-lo salve o arquivo com o novo nome.

6.1.4 Arquivos de leitura parciais


A partir dos arquivos de leitura (dependendo do modelo de registrador que efetuou a medição e
também das variáveis que estavam sendo registradas) podem ser gerados novos arquivos de leitura
que contém apenas o período de medição desejado. Desta forma serão gerados arquivos que contém
parte da medição original. Acesse o arquivo de origem e selecione a opção >Arquivo >Salva Como,
indicando na tela apresentada o horário de início e de fim do período a ser salvo com outro nome. O
arquivo que deu origem ao novo arquivo parcial não será alterado desde que o novo arquivo seja salvo
com nome diferente do que o originou. Para leituras provenientes do Modo 10 do MARH-21
inicialmente salve o arquivo relativo a parte de grandezas, gerando depois os arquivos parciais.

Ao salvar o novo arquivo com o mesmo nome do arquivo de origem e restringir o


período de leitura, as informações originais não inclusas no novo período
selecionado serão perdidas.

6.1.5 Exportando arquivos para formato texto


Arquivos de leitura salvos no formato de trabalho do ANAWIN podem ser exportados para formato
texto, podendo desta forma serem abertos por outros programas como por exemplo Excel, Word etc.
Para exportar um arquivo de medição selecione >Arquivo >Exportar Formato TEXTO, indicando
o período de interesse e se deseja a inclusão do horário de cada período de integração.
Nos arquivos em formato texto os valores de tensão e corrente não estão multiplicados pelas
respectivas relações de TP e TC.
Para informações a respeito da formatação dos arquivos texto consulte o capítulo 10.

Salve o arquivo em formato texto com nome diferente do arquivo de origem. Ao


gravar com o mesmo nome do arquivo de origem este será apagado e não mais
poderá ser utilizado pelo ANAWIN.

6.2 Leitura “on-line” da forma de onda


6—70
A leitura “on-line” da forma de onda tem função similar a de um osciloscópio. Através dela será
possível visualizar no vídeo, a partir de um comando manual de captura efetuado via teclado do
computador, a forma de onda de um ciclo de uma das tensões ou de uma das correntes (é possível
escolher a fase desejada).
Poderá ser escolhida a visualização de um ciclo da tensão ou corrente (aproximadamente um ciclo a
cada segundo), de forma contínua. Estes dados não ficarão armazenados na memória do computador
ou do registrador. Na memória de massa do registrador estarão sendo armazenados os dados na forma
que a programação de parâmetros do mesmo definir.

Os registradores MARH-21 (quando programado para registro de “harmônicas” ou


“perturbações”) e MARH-VP não permitem visualização “on-line”.

6.2.1 Procedimento
1. Conectar o registrador ao computador seguindo, de acordo com o tipo de registrador, um dos
procedimentos descritos no capítulo 4. O registrador deverá estar com os parâmetros programados;
2. Acionar o programa ANAWIN;
3. >Arquivo* >Novo (Para ajustar cor e largura de traço do sinal, siga o procedimento descrito no
capítulo 7);
4. >Leitura >Amostra do Sinal;
5. Selecione uma das tensões ou uma das correntes;
6. [Amostra] se desejar visualizar um único ciclo;

6—71
7. [Contínuo] se desejar visualizar aprox. 1 ciclo a cada segundo continuamente.

6.2.2 Impressão
Para imprimir a tela visualizada selecione >Imprime, ajustando a impressora conforme desejar.
6—72
6.3 Leitura “on-line” dos valores rms
Visualização em forma gráfica, na tela do computador, de algumas das variáveis (tensões, corrente e
potências) que estão sendo medidas pelo registrador.
A leitura “on-line” é totalmente independente do registro de dados que o registrador está efetuando na
sua memória de massa, não havendo alteração ou interrupção nos registros durante a mesma.
A possibilidade de visualização de uma determinada variável na tela do computador depende da
configuração de parâmetros do registrador. Se o mesmo estiver programado para não registrar uma
determinada variável serão indicados valores nulos ao tentar visualizar esta variável.
O computador não armazena na sua memória os dados transmitidos em “on-line” pelo registrador.

Para acionar a leitura é necessário executar corretamente o procedimento de


conexão do registrador ao computador descrito no capítulo 4. Serão também
necessários ajustes na tela de gráfico (escalas, largura de traço e unidades)
descritos no capítulo 7. Os registradores MARH-21 (quando em registro de
“harmônicas” ou “perturbações”) e MARH-VP não permitem visualização “on-line”.

6.3.1 Procedimento
1. Conectar o MARH ao computador seguindo, de acordo com o tipo de registrador, um dos
procedimentos descritos no capítulo 4. O registrador deverá estar com os parâmetros programados.
2. Acionar o programa ANAWIN.
3. >Arquivo* >Novo
4. Selecione na janela GRANDEZAS as variáveis que deseja visualizar assim como as respectivas
unidades e escalas do gráfico na janela GRAFICOS. Se desejar ajuste cor e largura do traço
consulte as informações referentes a estes procedimentos no capítulo 7.
5. >Leitura >Modo On-Line
6. [Configura], ajustando tempo de atualização e o tamanho da fonte, selecionando o registrador
desejado. Confirme esta janela através de [OK].

6—73
7. [Inicia]

6—74
8. Para sair desta janela selecione [Para] e logo após [X].

6.3.2 Impressão
Para imprimir a tela visualizada selecione [Para] e a seguir [Imprime], ajustando a impressora
conforme desejar.

6—75
7 ANÁLISE DE MEDIÇÕES

7.1 Introdução
O modelo de registrador e a programação dos seus parâmetros irão determinar as variáveis que serão
registradas assim como a forma de registro. Após a leitura dos dados de memória de massa do
registrador no ANAWIN as variáveis registradas estarão disponíveis para análise gráfica e em forma
de relatório.
Para que seja possível efetuar alguns dos procedimentos descritos abaixo é preciso que um arquivo de
medição seja aberto no ANAWIN. Para melhor aproveitamento, ao ler as informações fornecidas
neste capítulo, aconselhamos que o usuário inicialmente programe, instale e efetue a leitura da
memória de massa do registrador conforme descrito nos capítulo anteriores.

Antes de instalar o registrador leia as instruções relativas a instalação, segurança e


prevenção de acidentes contidas no respectivo manual de operação.

7.2 Procedimentos e ajustes gerais de configuração


Algumas teclas da barra de ferramentas assim como determinados gráficos,
relatórios e ajustes de configuração poderão não estar disponíveis. A ativação dos
mesmos depende das características do ANAWIN, do modelo de registrador e das
variáveis que foram registradas.

7.2.1 Abrindo um arquivo de medição


Para abrir um arquivo de medição acione o ANAWIN e utilize o menu >Arquivo >Abre, escolhendo
o arquivo desejado no respectivo diretório.
O ANAWIN trabalha com um arquivo de medição a cada vez, exceto no caso de conjuntos de
arquivos de leituras (provenientes do MARH-V e VI) vinculados ao programa de análise de dados

7—76
para Resolução 505 (ANAWIN 505). Neste caso vários arquivos de medição serão trabalhados
conjuntamente. O nome do arquivo que contém o cadastro dará acesso ao banco de dados formado.

7.2.2 Fechando um arquivo de medição


Para fechar um arquivo utilize >Arquivo >Fecha.
Se desejar manter as configurações de escalas dos gráficos (larguras de traço, tamanho de fontes, etc.)
ajustadas para este arquivo salve a mesma (com o mesmo nome) em >Arquivo >Salva Como.

7.2.3 Configurando a tela de trabalho


O programa permite o ajuste da posição relativa das diversas janelas. A seleção das janelas a serem
exibidas na tela principal é feita em >Visualiza.
Para mudar a posição da janela localize o cursor na mesma e com o botão esquerdo do “mouse”
pressionado “arraste-a” para o local desejado.
Para alterar as dimensões das janelas localize o cursor na borda da mesma (no ponto em que o cursor
muda de forma). Pressionando o botão esquerdo do “mouse”, aumente ou diminua o tamanho da
janela.
Acionar >Arquivo >Salvar Configuração fará com que as configurações sejam mantidas mesmo
ao sair do programa. Desta forma, ao entrar novamente no programa, a configuração de tela já estará
estabelecida.
A tela de trabalho pode ser configurada mesmo que não haja um arquivo de medição aberto.

7.2.4 Barra de ferramentas da janela principal


Abre: Abrir arquivo de medição localizado em diretório, incluindo unidades de disco
flexíveis, CD, etc.
Salva: Salvar arquivo após leitura da memória de massa; Salvar novas configurações de
escalas para os arquivos sob análise; Subdividir arquivos de medição em arquivos menores.
Imprime: Impressão de configurações de rede (distribuição dos registradores) para o
programa de análise ANAWIN REDE.
Informações: Fornece informações a respeito da versão e tipo do programa ANAWIN
instalado.
Insere: Inserção de novo registrador em rede no ANAWIN REDE; Inserção de um novo
consumidor em cadastro de consumidores no ANAWIN 505.
Retira: Retira registrador da rede no ANAWIN REDE; Retira consumidor do cadastro de
consumidores do ANAWIN 505.

7—77
Seleciona consumidor: Seleção rápida de um determinado consumidor cujos dados constam
no arquivo de cadastro atualmente aberto no ANAWIN 505.
Configura rede: Altera ou visualiza as configurações da rede de registradores possibilitando
modificar os dados referentes a cada ponto.
Seleciona janela de captação: Acesso a tela de seleção das janelas de captação geradas num
registro de forma de onda com acionamento manual (MARH-21 992 e 993).
Grandezas: Seleciona visualização do gráfico de grandezas integralizadas quando o arquivo
contiver grandezas integralizadas e perturbações simultaneamente (MARH-21 993).
Perturbações: Seleciona visualização do gráfico de perturbações (MARH-VP e MARH-21
993 ).
Interrupção de conexão: Interrompe a conexão feita entre o computador e o registrador
quando estiver sendo realizada comunicação via “modem”.

7.2.5 Barra de ferramentas da janela GRÁFICOS


Configuração do gráfico: Aciona o menu de configuração geral de escalas verticais das
grandezas (passo, origem, etc) e escala de tempo (quantidade de intervalos, intervalo, etc)
assim como o aparecimento de grades e subescalas.
Imprime: Aciona a impressão do gráfico visualizado. A seleção de tamanho da folha,
impressora, etc. deve ser feita na janela configuração de impressão do Windows.
Incrementa “zoom” na escala esquerda: As teclas com lupa e sinal “+” incrementam
“zoom” e as com sinal “-” decrementam “zoom” nas escalas indicadas (esquerda, direita ou
tempo).
Desloca escala para cima: Altera a escala esquerda incrementando em um passo os valores
indicados. A seta (para cima ou para baixo) indica a alteração da escala (direita ou esquerda).
Avanço de intervalo (tempo): Desloca em um intervalo para a direita a escala de tempo sem
alterar o “zoom”. A seta indica o deslocamento (avanço ou retrocesso).
Avanço de intervalos (tempo): Desloca na escala de tempo a quantidade total de intervalos
visualizados no gráfico. As setas indicam o deslocamento (avanço ou retrocesso).
Avanço de intervalos até o fim (tempo): Desloca na escala de tempo até o último intervalo
registrado. As setas indicam o deslocamento (até o final ou até o início).

7.2.6 Seleção de grandezas nos gráficos e relatórios


Os arquivos gerados a partir de uma medição contém muitas informações, principalmente em função
da quantidade de variáveis registradas. Para que os gráficos e relatórios apresentem as grandezas de
interesse é necessário selecioná-las na janela GRANDEZAS.

7—78
Se não houver arquivo de medição carregado não será possível visualizar curvas de
grandezas ou seus valores nas janelas GRÁFICOS, RELATÓRIOS etc.

Na janela GRANDEZAS localize o cursor na tecla correspondente a grandeza e pressione o botão


esquerdo do “mouse”. Após selecionar as grandezas desejadas confirme através da tecla [OK].

SIMBOLOGIA:
Wa, Wb, Wc, Wt Potência Ativa da fase A, B, C e total.
Qa, Qb, Qc, Qt Potência Reativa da fase A, B, C e total.
Qia, Qib, Qic, Qit Potência Reativa Indutiva da fase A, B, C e total.
Qca, Qcb, Qcc, Qct Potência Reativa Capacitiva da fase A, B, C e total.
Sa, Sb, Sc, St Potência Aparente da fase A, B, C e total.
FPa, FPb, FPc, FPt Fator de Potência da fase A, B, C e total.
Ia, Ib, Ic, Is Corrente da fase A, B, C e corrente de neutro calculada.
Va, Vb, Vc, Tensão da fase A, B e C.
Pos Seleciona indicação dos postos horários no relatório.
Vab, Vbc, Vca Tensão de linha calculada entre fases AB, BC e CA.
GtN Desequilíbrio de tensão segundo NEMA.
hVa, hVb, hVc, Distorção Harmônica Total (DHT) de tensão da fase A, B e C.
GtI Desequilíbrio de tensão segundo IEC.

7—79
hIa, hIb, hIc Distorção Harmônica Total (DHT) de corrente da fase A, B e C.
Bc Cálculo do Banco de Capacitores (reativo a ser inserido para correção).
V+ Máximo valor de tensão rms atingido no respectivo período de
integração.
V- Mínimo valor de tensão rms atingido no respectivo período de
integração.
I+ Máximo valor de corrente rms atingido no respectivo período de
integração.
Pu Seleção de indicação dos valores te tensão no sistema “Por Unidade”,
sendo o valor nominal de referência ajustado no menu de configurações.
tV+ Tempo, dentro de cada período de integração (valor relativo percentual),
durante o qual alguma das fases apresentou valores de tensão superiores
ao programado no parâmetro “Limite Superior para Tensão
Integralizada”.
tV- Tempo, dentro de cada período de integração (valor relativo percentual),
durante o qual alguma das fases apresentou valores de tensão inferiores
ao programado no parâmetro “Limite Inferior para Tensão
Integralizada”.
tI+ Tempo, dentro de cada período de integração (valor relativo percentual),
durante o qual alguma das fases apresentou valores de corrente
superiores ao programado no parâmetro “Limite Superior para Corrente
Integralizada”.
Aux1, Aux2, Aux3 Canal auxiliar 1 ,2 e 3.

Execute o procedimento acima quando desejar obter a visualização da grandeza no


gráfico “on line”, conforme descrito no capítulo anterior. Para efetuar
visualização”on-line” feche o arquivo sob análise e execute o procedimento descrito
no capítulo referente a leituras.

7.2.7 Alterando as unidades indicadas nos gráficos


Nos gráficos relacionados a grandezas integralizadas, incluindo leitura “on-line”, duas escalas podem
ser utilizadas (direita e esquerda do gráfico). Para selecionar as grandezas cujas escalas serão
indicadas utilize a tecla específica na barra de ferramentas do gráfico.

7—80
Os gráficos relacionados a Função de Distribuição de Tensão assim como os relacionados ao registro
de forma de onda da tensão e corrente (análise de harmônicas) e forma de onda de perturbações são
gerados com as respectivas unidades nas escalas de tensão e corrente.

7.2.8 Ajuste de escalas nos gráficos


Na janela GRÁFICOS, barra de ferramentas, acione a tecla indicada.

Selecione >Configura >Escala Grandezas e programe os valores desejados.

7—81
7—82
Para cada grandeza é necessário indicar a origem (valor inicial da escala Y do gráfico), resolução
(passo do valor indicado), número de intervalos (definirá quantos incrementos ou passos existirão
desde o início até o fim) e o número de sub-intervalos (traços ou divisões existentes em cada passo).
É possível incluir uma grade de referência na área do gráfico. Esta opção pode ser encontrada
acionando a tecla de configuração de escalas na barra de ferramentas da janela GRÁFICOS.
Em >Configura >Escala Tempo é feito o ajuste da escala de tempo para o gráfico de grandezas.
Indique a data/hora de início desejadas, a resolução, o número de intervalos e sub-intervalos.

O ajuste de escalas pode ser feito utilizando recursos de “zoom” na barra de ferramentas da tela de
gráficos.
Alguns gráficos (geralmente relacionados ao registro de forma de onda de perturbações e harmônicos)
possuem escala automática.

7.2.9 Indicação de valores das grandezas na área gráfica


7—83
Após acionar a tecla de acesso da configuração de escalas selecione >Exibe Valores. Na parte
inferior do gráfico serão indicados os valores correspondentes ao ponto do gráfico onde se encontra o
cursor vertical. Para acionar o cursor vertical clique com o botão esquerdo do “mouse” na área
gráfica. Para deslocá-lo utilize as setas do teclado.

7.2.10 Ajuste de cor da linha nos gráficos


É possível escolher a cor da curva associada a uma determinada grandeza. Para isso verifique se na
parte inferior direita da janela GRANDEZAS existe uma tecla colorida (se a tecla contiver traços,
clique em cima da mesma com o botão esquerdo do “mouse”).

Posicione o cursor do “mouse” sobre a tecla que representa a grandeza cuja cor de traço deseja alterar.
Clicando com o botão direito do “mouse” aparecerão as possibilidades de cor.

7—84
Selecione uma delas com o botão esquerdo do “mouse”. Confirme a seleção pressionando [OK]. Na
janela GRANDEZAS pressione [OK].

7.2.11 Ajuste de largura da linha


O ajuste de largura de linha é feito de modo similar ao ajuste de cores de traço, sendo entretanto
necessário que na janela GRANDEZAS, parte inferior direita, exista uma tecla com traços. Se esta
for colorida, clique em cima dela com o botão esquerdo do “mouse”.

Posicione o cursor do “mouse” sobre a tecla que representa a grandeza cuja largura de traço deseja
alterar. Clicando com o botão direito aparecerão as possibilidades de espessura de linha.

7—85
Selecione uma delas com o botão esquerdo. Confirme a seleção pressionando [OK]. Na janela de
grandezas pressione [OK].

7.2.12 Ajuste de tensão de referência (valores em pu)


Os valores de tensão podem ser expressos em pu (por unidade) se a tecla [pu] na janela de grandezas
for pressionada. O ajuste da tensão de referência é feito em >Configura >Tensões Nominais no
menu superior.

7.2.13 Ajuste das relações de TP e TC


É possível alterar as relações de TC e TP na janela PROPRIEDADES. [ALTERA] irá possibilitar tal
programação nos respectivos campos.

7—86
Se desejar manter a nova relação salve o arquivo com o mesmo nome em >Arquivo >Salva Como.

7.2.14 Ajuste do período de integração


Na janela PROPRIEDADES selecione [ALTERA]. Ajuste o novo período de integração desejado.
Somente é possível selecionar períodos maiores que o original. Ao alterar o intervalo de integração
(registro) os valores médios do intervalo original serão reagrupados e será feito o cálculo do novo
valor médio da grandeza correspondente ao novo período de integração. O valor de período de
integração somente pode ser alterado em arquivos de medição de grandezas integralizadas (valores
rms de regime) e não para arquivos de medição de formas de onda de perturbações ou harmônicas.

7.2.15 Ajuste do horário de verão


Se um determinado registro for feito durante a transição horário de inverno/verão sem que o
registrador tenha sido programado para atualizar automaticamente a mudança, o arquivo de medição
poderá ser alterado de forma a compensar a defasagem horária.
Utilize >Configura >Horário de Verão e indique as datas de fim de inverno e fim de verão (podem
ser configuradas até duas datas de fim de inverno e duas datas de fim de verão. Ative a seleção no
respectivo campo.

7.2.16 Ajuste de feriados


Ao gerar alguns relatórios é solicitado se deverá haver inclusão/exclusão de valores registrados em
feriados. Para ajustar utilize no menu principal a opção >Configura >Feriados indicando as datas
dos feriados.

7—87
A tela padrão apresenta a data 01/01. Mantenha esta data nos campos que não forem utilizados ou
preencha tais campos repetindo alguma das datas já ajustadas. Para que esta configuração de datas de
feriados se mantenha padrão salve a configuração em >Arquivo >Salvar Configuração.

7.2.17 Ajuste de tamanho da fonte de relatórios


Para o ajuste de tamanho de fonte do relatório a ser impresso utilize >Configura >Tamanho Fonte
na janela RELATÓRIOS.

7.2.18 Ajuste do número de colunas do relatório


Para impressão de relatórios dos valores medidos, o número de colunas será determinado pelas
variáveis registradas selecionadas para visualização na janela GRANDEZAS.
Para relatórios de FALTAS DE ENERGIA e ALTERAÇÕES o ajuste é feito através de >Configura
>Colunas nas respectivas janelas.

7.2.19 Ajuste de margens para impressão

7—88
Para o ajuste de margens de impressão dos relatórios entre em >Arquivo >Configura Margens. A
configuração de margens será válida para todos os gráficos e relatórios. As demais configurações
serão determinadas pelo ajuste de impressão na respectiva janela do Windows.

7.3 Gráficos
7.3.1 Gráficos de Grandezas Integralizadas
No caso de registro de variáveis de regime, com seus valores médios para cada período de registro,
poderão ser obtidos os respectivos gráficos se as mesmas forem selecionadas na janela
GRANDEZAS.

7.3.2 Gráficos da Função Distribuição de Tensão (FDT)


Para obtenção da FDT selecione a opção >Resumido >Distribuição de Tensões no menu
principal. É necessário ajustar as faixas de tensões (em pu ou Volts), indicando os limites críticos e
precários assim como a tensão nominal, valor da tensão de falta e a inclusão ou não de sábados
domingos e feriados.
É possível selecionar as fases desejadas assim como o agrupamento ou não das mesmas.

7—89
Após ajustar as configurações desejadas, confirme a geração do gráfico através de [OK].
O gráfico de distribuição de tensões consiste na classificação dos níveis de tensão por incidência. A
classificação é feita em níveis de 0,01 pu sendo que a tensão nominal equivale a 1,00 pu.
Além do gráfico de barras é fornecida também uma tabela com os respectivos valores de incidência
percentual para os níveis de tensão verificados.
A classificação em faixas determinadas como precária e crítica é indispensável no caso de geração de
relatórios de DRP e DRC.
São consideradas leituras válidas, neste caso, aquelas que apresentam intervalo com valor médio de
tensão não inferior ao valor ajustado em “tensão zero”.

Os medidores MARH-V e MARH-VI possuem contador de intervalos válidos que é


incrementado quando ocorre uma falta. O que caracteriza a falta é a tensão de janela
(12 ciclos no caso de medição para Resolução 505) com valor inferior ao
programado no registrador. Ocorrendo uma falta este intervalo será marcado como
não válido mesmo que a tensão rms média do intervalo seja superior ao valor de
falta definido no registrador ou ajustado ao gerar este gráfico.

7—90
7.3.3 Gráficos da Distribuição de Correntes e Potências
Este gráfico, obtido em >Resumido >Distribuição de Correntes, fornece a distribuição das
correntes assim como os valores da média e do desvio padrão. Deve ser selecionado o período de
interesse e a faixa de correntes e potências (escalas) desejadas.
Consiste na incidência relativa dos valores de corrente e potências do período de leitura selecionado,
apresentando também os valores da média e desvio padrão para cada uma das fases no caso das
correntes e para as potências ativa e reativa totais.

7—91
7.3.4 Gráficos da Forma de Onda de Perturbações
Os gráficos de forma de onda de perturbações são provenientes de medições feitas por registradores
(MARH-VP e MARH-21 993) que registram janelas de captação quando um dos valores limite
programado para uma determinada grandeza é excedido.
De uma forma geral são apresentadas formas de onda das tensões e correntes (ou somente das
tensões) contendo a quantidade de ciclos pré determinada durante a programação do registrador.
Em geral para obter a visualização das janelas captadas é necessário acionar, na barra de ferramentas
superior, a tecla específica.
7—92
Os valores indicados a esquerda do gráfico em cada uma das fases de tensão e corrente referem-se aos
valores máximos e mínimos (rms de ½ ciclo) verificados na janela. Os valores indicados a direita são
apenas orientativos de escala.
É possível utilizar recursos de “zoom” na escala de tempo.
As faixas amarelas indicam os períodos em que as tensões estiveram fora das das faixas de “Valores
Limite”. Posicionando o cursor sobre a faixa e pressionando o botão direito do “moue” será indicada a
duração da mesma.
Selecionadas na janela GRANDEZAS as variáveis desejadas será possível, após pressionar o botão
esquerdo do “mouse” sobre um determinado ponto do gráfico, obter os valores instantâneos e médios
rms do ciclo selecionado. Estes valores serão indicados na janela RELATÓRIOS. Também é possível
selecionar a visualização de uma única fase através das teclas [A], [B] ou [C].
Como podem ocorrer perturbações que duram mais que o tempo total da janela de captação, a duração
da perturbação, indicada na parte superior direita do gráfico, refere-se ao período total no qual as fases
apresentaram valores fora das faixas determinadas, respeitado o Limite de Histerese Final.

7.3.5 Gráficos da Forma de Onda para Análise de Harmônicos

7—93
O exemplo abaixo mostra um registro do MARH-21 993 programado para modo de captação de
forma de onda por acionamento manual (neste caso sem sinal de corrente). O gráfico superior mostra
a progressão da 5° harmônica (curva com variações mais acentuadas) e a curva do valor de tensão
rms.
Para obter tal indicação foram selecionadas as teclas [Va] e [hVa] na janela GRANDEZAS, com
seleção da 5° harmônica. Após pressionar o botão esquerdo do “mouse” sobre o gráfico superior (em
um dos pontos de máxima incidência da 5° harmônica) foi possível visualizar a forma de onda neste
ponto.

As escalas foram ajustadas para indicar percentual de harmônicos (esquerda) e valores de tensão
(direita).
Para obtenção do gráfico de harmônicos basta localizar o cursor sobre a forma de onda (neste caso
somente as tensões são fornecidas) e pressionar o botão esquerdo do “mouse”. A seguir o exemplo
para este ciclo de tensão da fase A.

7—94
A direita da forma de onda são indicados os valores percentuais (em relação a fundamental), de pico e
o ângulo de cada componente harmônica.
Abaixo da forma de onda o gráfico de barras da distribuição harmônica.

7—95
7.3.6 Gráficos de Harmônicos a partir do Registro de Perturbações
A partir dos gráficos de forma de onda das perturbações é possível obter a distribuição harmônica das
tensões e correntes. Para isto basta pressionar o botão esquerdo do “mouse” sobre o ponto desejado no
gráfico que mostra a perturbação. Localizá-lo então sobre a letra (a esquerda do gráfico) que indica a
grandeza (o cursor irá assumir a forma de cruz) e pressionar o botão esquerdo.

7.4 Relatórios
7.4.1 Relatório de Faltas de Energia
As faltas de energia indicadas neste relatório referem-se as situações nas quais o registrador teve seu
circuitos desligados ou seja, ficou sem alimentação. Para visualizar o relatório selecione >Visualiza
>Faltas de Energia no menu principal.

7.4.2 Relatório de Perturbações na Tensão


O Relatório de Perturbações é obtido a partir de registros feitos pelo MARH-VP. Fornece a
distribuição dos eventos em função das respectivas magnitudes, tempos de duração e valores
máximos e mínimos atingidos. Como este registrador tem capacidade de memória para
aproximadamente 100 eventos com registro de forma de onda e 3000 eventos com registro somente
dos respectivos valores máximos e mínimos atingidos, incluindo a duração de cada um, torna-se
necessário que os mesmos sejam classificados segundo determinados critérios.
Ao solicitar o relatório em >Resumido >Relatórios deverão ser indicadas as clasificações
desejadas.
“Mínimos Tensão” apresentará a listagem dos eventos (máximo 10 eventos) que apresentaram os
menores valores de tensão (rms de ½ ciclo) entre todos os eventos registrados. De forma análoga
“Máximos Tensão” apresentará a listagem dos eventos que apresentaram os maiores valores de

7—96
tensão. Lembre que é possível que um determinado evento venha apresentar simultaneamente o
máximo e o mínimo valores de tensão entre todos os eventos registrados.
“Faixas, Tempos dos Eventos” propicia a classificação dos eventos registrados em função da duração
(em número de ciclos) dos mesmos. É possível selecionar oito (8) faixas de interesse.
“Faixas, Min. Max” propicia a classificação dos eventos registrados em quatorze (14) faixas de
magnitude.

Ao determinar quais os relatórios e respectivas faixas desejados e pressionar [OK] será solicitado o
período de registro de interesse. Lembre que o registrador pode ter registrado, por exemplo, durante
três semanas e no entanto desejarmos classificar somente os eventos que ocorreram na última semana.

7—97
Analisando, como exemplo, a linha superior do item “Tensões Máximas” podemos concluir que para
o período de registro do exemplo acima o evento que apresentou máxima tensão ocorreu no dia 17, no
horário 13h 55min e 27s. O máximo valor atingido pela tensão durante este evento foi de 1,138 pu e o

7—98
mínimo 1,097 pu. Este evento durou 28,632s (respeitado o Limite de Histeres Final programado) e
durante 0,005 s as tensões se mantiveram dentro da faixa determinada pela programação dos valores
de Limite Inferior e Superior de Tensão rms. A tensão se manteve acima de 139,7 V (Limite Superior
de Tensão rms programado) por 28,627 s, consideradas as três fases, e não houveram tensões abaixo
de 114,3 V (Limite Inferior de Tensão rms programado).
A partir das informações contidas em “Faixas de Tempos” e “Faixas de Magnitudes” podemos
concluir, por exemplo, que a maioria dos eventos registrados (30 eventos) apresentaram duração
maior que 18 ciclos e menor ou igual a 24 ciclos. A maioria (72) dos eventos apresentou valores de
tensão maior que 1,1 pu e menor ou igual a 1,15 pu.

7.4.3 Relatório de Alteração de Parâmetros


O relatório de alteração de parâmetros indica as datas e horários das últimas alterações de parâmetros
realizadas no registrador. Para visualizar selecione >Visualiza >Alterações no menu principal.

7.4.4 Relatório Resumido (tensões, correntes, DHT, freqüências,


potências e energia)
Ao solicitar o relatório resumido será necessário definir o período, determinando a data e a hora de
início e fim desejadas. O programa fará a seleção dos 15 (é possível selecionar de 1 a 15) períodos
que apresentaram maior tensão média (rms de período de integração), menor tensão média (rms de
período de integração), maior corrente média (rms de período de integração), maior tensão (rms de ½
ciclo), menor tensão (rms de ½ ciclo), maior corrente (rms de ½ ciclo) entre outros. Será apresentado
também o valor médio (referente a todo o período de medição) das tensões e correntes.
7—99
1. Abrir o arquivo
2. Selecionar >Resumido >Relatórios

3. Selecionar as grandezas desejadas e o número de máximos e mínimos desejados no relatório


4. [OK]
Para obtenção das demandas em períodos de ponta e fora ponta (e/ou reservado), antes de gerar o
relatório, ajuste os respectivos horários em >Configura >Postos Horários. É possível selecionar
quatro horários de início do ponta e quatro horários de início do fora ponta. Se houver apenas um
7—100
7—101
O registro a partir do qual foi gerado o relatório acima foi feito com janela de integração de ½ ciclo
(no caso do MARH-V ou MARH-VI poderia ser de ½ a 15 ciclos, de acordo com a programação),
intervalo de registro (período de integração) de 1 minuto, no período de medição que inicia 2h e
31min e termina 9h e 52min do dia 15 de dezembro.
Para as tensões e correntes são apresentados os valores máximos e mínimos ocorridos (seleção feita
entre todos os valores rms médios de 1 minuto que compõe o período de medição). É fornecido
também o valor médio (coluna da esquerda) do período total de medição.
Os valores rms de ½ ciclo (máximo e mínimo) são provenientes da classificação feita entre todas as
janelas de integração do período de medição, com indicação da fase onde ocorreu. São indicadas
também as fases que, no respectivo período de registro, ultrapassaram os valores programados para
Limite Superior de Tensão (e corrente) Integralizada e Limite Inferior de Tensão Integralizada.
A demada máxima indicada é proveniente da seleção, entre todos os períodos de integração (neste
caso de 1 minuto) o período que apresentou maior valor de potência média.
Os valores de energia referem-se ao período total da medição.
Os valores de DHT máximos são provenientes da seleção feita entre todos os períodos de registro do
período de medição.

7.4.5 Relatório de DIC e FIC


O relatório de DIC e FIC indica as interrupções no fornecimento ocorridas durante o registro,
respeitada as definições de falta e volta de energia (de acordo com o tempo de duração de falta e volta
programados) assim como o valor de tensão percentual característico a ser atingido.

7.4.6 Relatório DRP e DRC


O relatório DRP e DRC para um único consumidor é obtido juntamente com o gráfico da Função
Distribuição de Tensão. Para obtê-lo utilize >Resumido >Distribuição de Tensões no menu
principal.
É necessário ajustar as faixas de tensões (em pu ou Volts), indicando os limites críticos e precários
assim como a tensão nominal, valor da tensão de falta e a inclusão ou não de sábados domingos e
feriados.
É possível selecionar as fases desejadas assim como o agrupamento ou não das mesmas.

7.4.7 Relatório de observações sobre a leitura


Cada arquivo de leitura pode ter como complemento um texto com observações úteis. Tal texto
poderá ser acessado e/ou modificado através de >Leitura >Observações sobre a Leitura.

7—102
Ao acessar Observações sobre a Leitura poderão ser visualizados dois campos distintos, sendo
que o texto do campo superior irá aparecer ao imprimir relatórios e gráficos e o segundo constitui uma
área onde poderão ser anotadas informações importantes referentes ao processo de medição.

7—103
8 SIMULAÇÕES ESPECIAIS

8.1 Simulação de correção do Fator de Potência


Para arquivos de medição que incluem valores de potências ativas e reativas é possível efetuar
simulações de correção de FP.
Inicialmente, para uma melhor verificação de resultados, selecione a visualização das curvas de FP
[FPt], Potência Reativa Total [Qt], Potência Ativa Total [Wt] e Banco de Capacitores [Bc] na janela
GRANDEZAS. Ajuste também as escalas da esquerda e direita do gráfico, selecionando escala de FP
(%) e de Reativos (kvar), por exemplo. Escolha a cor de cada curva de maneira que possam ser
distinguidas com facilidade. Em >Configura >Fator de Potência, no menu superior, ajuste o valor
de referência do FP. Este valor será referência para o cálculo de Bc.
Os valores de FP, Ativo e Reativo são provenientes da medição. A curva de Banco de Capacitores é
calculada pelo ANAWIN e representa a potência reativa média necessária, a cada período de
integração, para que o FP atinja o valor de referência programado em >Configura >Fator de
Potência e representado no gráfico pela linha horizontal de referência.
A simulação é feita acessando, no menu superior, >Modifica >Simulação >Configura. Ajuste o
valor de reativo capacitivo (em kvar) que deseja inserir (ou retirar). Lembre que o valor ajustado
corresponderá a um banco de capacitores (ou indutores, no caso de escolher a opção “retira”) de valor
fixo, supostamente ligado ao sistema no ponto onde foram instalados os alicates sensores de corrente.
Para iniciar a simulação selecione >Modifica >Simulação >Inicia. As curvas de FP e de Potência
Reativa Total, assim como a curva de Banco de Capacitores, serão alteradas enquanto a simulação
estiver sendo efetuada.
Para finalizar selecione >Modifica >Simulação >Finaliza no menu superior.

8.2 Alteração da defasagem entre tensões e correntes

8—104
Através do menu superior, opção >Modifica >Defasa 30 graus >Defasa +30 graus ou >Modifica
>Defasa 30 graus >Defasa - 30 graus é possível mudar o ângulo das correntes em relação aos
ângulos das tensões respectivas.
Isto pode ser útil no caso em que as tensões foram obtidas no secundário de um transformador
trifásico delta-estrela e as correntes foram obtidas através de TC´s instalados no primário. Neste caso
os valores das potências estarão incorretos e será necessário defasar as correntes em 30 graus (ou – 30
graus, dependendo da ligação feita) para que os valores de potência sejam exibidos corretamente.
Ao efetuar o procedimento os valores das potências serão alterados, podendo indicar com certa
aproximação as potências ativa e reativa fornecidas pelo transformador. Lembre que esta é uma
condição ideal onde não estão sendo consideradas as perdas existentes no próprio transformador.
Para finalizar a simulação será necessário acionar >Modifica >Defasa 30 graus >Não Defasa no
menu superior.

8—105
9 ANAWIN 505

9.1 Introdução
Os arquivos de medição gerados pelo MARH-V4/V6, MARH-VI e MARH-VM podem ser analisados
individualmente ou em grupo, utilizando-se a opção Resolução 505.
As principais vantagens da análise conjunta de arquivos de medição através da versão 505 são o
aumento da agilidade na geração dos relatórios de DRP e DRC e o fato de manter um cadastro dos
consumidores associado as respectivas medições.
Para que os dados provenientes dos diversos registradores possam ser analisados de forma conjunta é
necessário inicialmente criar, através do ANAWIN 505, um arquivo tipo banco de dados contendo
informações dos consumidores como nome, endereço, código, etc.
De uma forma geral o procedimento para obtenção do relatório DRC e DRP de um grupo de
consumidores pode ser resumido em:
1. Criar o banco de dados (arquivo de cadastro);
2. Cadastrar no banco de dados criado os consumidores (onde serão feitas as medições);
3. Programar os registradores e instalar nos consumidores;
4. Ler a memória de massa de cada registrador salvando cada medição em forma de arquivo;
5. Associar a cada consumidor cadastrado seu respectivo arquivo de medição. O arquivo associado
pode ser proveniente diretamente da leitura da memória de massa de um registrador ou de arquivos
de medição gerados em outro computador onde tenha sido feita a leitura da memória de massa do
registrador.
6. Gerar a listagem dos consumidores com DRC e DRP.

9.2 Gerando um banco de dados (Resolução 505)

9—106
1. No computador que será usado para analisar os dados e gerar os relatórios, crie um diretório
específico, com o nome desejado, para conter o arquivo de cadastro ;
2. Acionar o ANAWIN;
3. >Arquivo* >Novo ;
4. Selecionar a opção tipo de arquivo Resolução 505;

5. Na janela DADOS DO CONSUMIDOR, acionar [ALTERA];

6. Inserir os dados relativos ao primeiro consumidor a ser cadastrado e [OK];


Obs 1: Os valores de limites deverão ser programados na seguinte ordem, da esquerda para a direita:
Limite Crítico Inferior; Limite Precário Inferior; Tensão Nominal; Limite Precário superior; Limite
Crítico Superior.
Obs 2: A seleção do tipo de ligação deve ser feita de acordo com o tipo de conexão do registrador ao
sistema. Ao tentar gerar índices de DRP e DRC de um arquivo com registro de tensão em uma única
fase, tendo o tipo de ligação indicado como trifásico, o sistema acusará número insuficiente de
períodos mesmo que este seja maior que 432 (ou 1008).
7. Através da tecla específica na barra de ferramentas superior selecionar a inserção dos dados do
consumidor seguinte e assim sucessivamente;

9—107
8. >Arquivo >Salva Como, escolher um nome para o arquivo de cadastro e salvar no diretório
criado para este fim.
9. Cadastrar os demais consumidores executando >Arquivo >Salva após entrar com os dados de
cada consumidor.

9.3 Configurando a tela de trabalho


Inicialmente, ao criar um arquivo de cadastro, aparecerão somente as janelas de DADOS DO
CONSUMIDOR e PROPRIEDADES. Para visualizar as demais janelas utilize a opção de
visualização do menu principal. A seguir altere o tamanho e posição das janelas e salve a configuração
(os procedimentos de configuração de tela encontram-se descritos no capítulo “Análise de
Medições”). Uma sugestão de configuração de tela de trabalho é indicada abaixo.

9—108
Verifique que o arquivo de medição sob análise no exemplo acima faz parte de um banco de dados,
sendo o resultado da leitura efetuada em um determinado consumidor. As funções de análise
individual do arquivo (gráficos, relatórios e ajustes gerais) continuam ativas para todos os arquivos de
medição do banco.

9.4 Associando os arquivos de medição aos


respectivos consumidores
1. Abrir o arquivo de cadastro criado (neste caso usaremos como exemplo o arquivo de cadastro com
nome “Exemplo.505” que foi gravado no diretório “505” e já possui consumidores cadastrados e
alguns com medição já associada);
2. Acionar a tecla de seleção de consumidor na barra de ferrramentas da janela principal. O programa
irá abrir uma janela com a lista de todos os consumidores cadastrados.

9—109
3. Selecionar o consumidor desejado e [OK] conforme indicado abaixo.

4. >Leitura >Insere do Disco no menu principal (para associar um arquivo de medição proveniente
de um diretório ou disquete, selecionando o arquivo desejado) ou >Leitura >Insere do
Registrador (se desejar ler diretamente do registrador conectado);
5. >Arquivo >Salva.

9—110
Se desejar associar outras leituras continue o processo selecionando o próximo consumidor e assim
sucessivamente.
Para localizar determinado consumidor na ordem seqüencial utilize as teclas [Anterior] e [Próximo]
na janela DADOS DO CONSUMIDOR.

9.5 Gerando relatório de consumidores cadastrados


Para verificar quais os consumidores ainda não possuem medição associada basta gerar o relatório
respectivo no menu da janela DADOS DO CONSUMIDOR através de >Relatórios
>Consumidores na Rede >Sem Leitura. Da mesma forma é possível gerar relatórios com todos
os consumidores cadastrados e também a lista de consumidores que já possuem leitura associada.

9.6 Configurando o número de leituras válidas


O número de leituras válidas pode ser configurado de acordo com a necessidade em 432 ou 1008
leituras válidas. Na janela DADOS DO CONSUMIDOR selecione a opção >Configura >Número
de Leituras Válidas. A Tolerância em relação ao número de leituras (valor absoluto) deve também
ser indicada. Se desejar a inclusão dos registros de sábados, domingos e feriados marque a opção e
configure as datas dos respectivos feriados em >Configura >Feriados.

9.7 Configurando o valor de tensão de falta


O ANAWIN, ao gerar a FDT e calcular DRP e DRC, não considera os intervalos que apresentarem
tensão média inferior ao valor programado neste campo. Para alterar entre em >Configura >Tensão
Falta de Energia na janela DADOS DO CONSUMIDOR.

9—111
9.8 Configurando o DRP máximo
Para Configurar o DRP máximo admissível selecione na janela DADOS DO CONSUMIDOR a
opção >Configura >DRP Máximo e Fator k .

9.9 Gerando relatórios de DRP e DRC


Ao solicitar o relatório de DRC e DRP o ANAWIN irá calcular automaticamente as FDT´s de todos os
consumidores cadastrados, indicando os DRC´s e DRP´s.
1. Abrir o arquivo de cadastro;
2. Selecionar >Relatórios >Consumidores com DRP ou DRC na janela DADOS DO
CONSUMIDOR.

9—112
9.10 Gerando relatório no Formato ANEEL
Sempre que for gerar o relatório em formato ANEEL o usuário deverá inicialmente
gerar o relatório DRP e DRC.

1. Abrir o arquivo de cadastro (se ainda não estiver aberto);


2. Selecionar >Relatórios >Consumidores com DRP ou DRC na janela DADOS DO
CONSUMIDOR;
3. Fechar o relatório de DRP e DRC visualizado;
4. Selecionar >Formato ANEEL no menu da janela DADOS DO CONSUMIDOR;
5. Salvar o arquivo gerado com nome diferente do nome atribuído ao cadastro.

9—113
10 ARQUIVOS FORMATO TEXTO

10.1 Formatação dos arquivos tipo texto


A formatação depende basicamente das variáveis que foram registradas e do modelo de registrador
que gerou a medição. Como exemplo será fornecido arquivo de leitura em formato texto proveniente
da medição de grandezas integralizadas (de regime).
O arquivo texto é dividido em 6 áreas:
IDENT
Texto a ser impresso no relatório.
PARAMET
Área de parâmetros programados (ver exemplo a seguir).
RESERVAD
Área reservada.
FALTAS
Faltas de energia ocorridas.
ALTERAC
Alterações efeutuadas nos parâmetros do registrador.
GRANDEZ
Grandezas registradas com indicação de data e hora de cada intervalo.

10—114
IDENTIF
medição interna

PARAMET
09:52:00 15/12/00 06 19:47:00 14/12/00 05 09:52:00 15/12/00 000001 000001 000500 000005
00.01.0 000769 00 00/00 00/00 00 3107 00 31 01 00 72
19:48:00 14/12/00

RESERVAD

FALTAS
17:30:15 13/12/00 14:11:49 14/12/00 14:32:02 14/12/00 14:32:18 14/12/00
14:32:20 14/12/00 14:32:20 14/12/00 14:47:22 14/12/00 15:34:03 14/12/00
15:34:59 14/12/00 15:35:15 14/12/00 15:35:16 14/12/00 15:35:17 14/12/00
15:35:20 14/12/00 15:35:24 14/12/00 19:27:05 14/12/00 19:39:56 14/12/00
20:00:52 14/12/00 20:15:08 14/12/00 21:11:27 14/12/00 21:29:54 14/12/00
01:31:30 15/12/00 02:20:55 15/12/00 09:53:42 15/12/00 10:27:15 15/12/00
00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00
00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00
00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00
00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00 00:00:00 00/00/00

ALTERAC
44 2 15:37:53 14/12/00 40 0 15:38:02 14/12/00 41 4 15:38:51 14/12/00
40 2 15:38:51 14/12/00 44 2 15:38:51 14/12/00 40 0 15:38:59 14/12/00
40 1 15:39:16 14/12/00 44 2 15:39:16 14/12/00 40 0 15:39:29 14/12/00
40 1 15:44:16 14/12/00 44 2 15:44:16 14/12/00 40 0 16:27:50 14/12/00
41 10 16:55:37 14/12/00 40 2 16:55:37 14/12/00 53 0 16:55:37 14/12/00
63 0 16:55:37 14/12/00 44 2 16:56:00 14/12/00 40 0 16:56:19 14/12/00
40 2 17:02:27 14/12/00 44 2 17:03:00 14/12/00 40 0 17:20:12 14/12/00
52 16 18:43:16 14/12/00 40 1 18:43:16 14/12/00 53 0 18:43:16 14/12/00
50 16 18:43:16 14/12/00 44 2 18:44:00 14/12/00 49 16 19:46:32 14/12/00
55 0 19:46:32 14/12/00 44 2 19:47:00 14/12/00 40 0 09:52:49 15/12/00
GRANDEZ
HORA DATA DIA Va(V) Vb(V) Vc(V) Ia(A) Ib(A) Ic(A) Is(A) Wa(kw) Wb(kw)
19:48:00 14/12/00 QUI 121,91 121,55 122,82 3,57 2,2 0,91 0 0,18 0,2
19:49:00 14/12/00 QUI 121,93 121,54 122,79 3,93 3,94 3,99 0 0,35 0,36
19:50:00 14/12/00 QUI 122,1 121,67 122,92 3,93 3,91 3,99 0 0,35 0,35
19:51:00 14/12/00 QUI 121,94 121,58 122,81 3,96 3,94 4,02 0 0,35 0,35
19:52:00 14/12/00 QUI 122,06 121,72 122,9 3,94 3,96 3,98 0 0,35 0,36
19:53:00 14/12/00 QUI 121,76 121,36 122,54 3,94 3,96 3,99 0 0,35 0,36
19:54:00 14/12/00 QUI 121,88 121,51 122,72 3,94 3,93 3,99 0 0,35 0,35
19:55:00 14/12/00 QUI 122,82 122,47 123,6 3,94 3,92 3,99 0 0,35 0,35
19:56:00 14/12/00 QUI 122,85 122,51 123,68 3,94 3,94 3,98 0 0,35 0,36
19:57:00 14/12/00 QUI 122,84 122,51 123,72 3,96 3,99 4,01 0 0,36 0,36
19:58:00 14/12/00 QUI 122,89 122,54 123,76 3,93 3,93 3,98 0 0,35 0,35
19:59:00 14/12/00 QUI 122,84 122,53 123,7 3,94 3,93 4,01 0 0,35 0,35
20:00:00 14/12/00 QUI 122,62 122,28 123,49 3,92 3,91 3,98 0 0,35 0,35
20:01:00 14/12/00 QUI 122,33 121,95 123,23 3,93 3,95 3,99 0 0,31 0,31

No exemplo acima, para a área de parâmetros:


09:52:00 Hora em que foi efetuada a leitura da memória de massa
15/12/2000 Data em que foi efetuada a leitura da memória de massa
06 Dia da semana em que foi efetuada a leitura da memória de massa
19:47:00 Hora de inicialização do registrador
14/12/2000 Data de inicialização do registrador

10—115
05 Dia da semana em que foi efetuada a inicialização do registrador
09:52:00 Hora de registro do último intervalo
15/12/2000 Data de registro do último intervalo
000001 000001 Relação de TP
000500 000005 Relação de TC
00:01:0 Intervalo de registro
000769 Número de intervalos registrados
00 Estado da bateria (00 bom, 01 bateria fraca)
31 07 Versão da ROM
00 Ocupação da memória (circular, até o fim etc)
31 Grupo de grandezas registradas
01 Definição das entradas de tensão e corrente (TP/TC ou TP/Alicates)
00 Programação via teclado (00 liberada, 01 bloqueada)
72 Informação do sistema

10—116
DCMANA053

1,3,5,7,9,11,13,15,17,19,21,23,25,27,29,31,33,35,37,39,41,43,45,47,49,51,53,55,57,59,61,63,65,67,69,71,73,75,77,79,81,83,85,87,89,91,93,95,97,99,
101,103,105,107,109,111,113,115,117,119

2,4,6,8,10,12,14,16,18,20,22,24,26,28,30,32,34,36,38,40,42,44,46,48,50,52,54,56,58,60,62,64,66,68,
70,72,74,76,78,80,82,84,86,88,90,92,94,96,98,100,102,104,106,108,110,112,114,116,118,120

10—117