Você está na página 1de 46

TREINAMENTO PARA A SOLICITAÇÃO DE

TELECONSULTORIA EM DERMATOLOGIA

Dra Luciana Mendes


Dermatologista
Professora da disciplina de Dermatologia da UFAM
Teleconsultora do Núcleo de Telessaúde do Amazonas-
UEA
TELECONSULTORIA EM
DERMATOLOGIA

Objetivos

• Ampliar o acesso à assistência especializada


• Triagem
• Reduzir tempo de espera dos atendimentos prioritários
• Conduzir planejamentos em políticas de saúde
• Traçar perfil epidemiológico
• A Dermatologia é especialidade médica essencialmente
VISUAL

• Grande demanda no atendimento médico

• Estudos mostram que a concordância entre diagnósticos em


consultas presenciais e à distância varia de 85% a 99%
• A dermatologia lida com o diagnóstico de mais de duas mil
patologias que afetam a pele e colabora com as demais
especialidades por meio do reconhecimento das
manifestações cutâneas das doenças sistêmicas.

• O manejo de dermatoses por médicos não especialistas pode


representar atraso diagnóstico, uso de terapêuticas
inadequadas, desenvolvimento de seqüelas e aumento do
custo de saúde.
Talhari C et al, Arch Dermatol 2009
TELEMEDICINA

• É uso de tecnologia de telecomunicação para fornecer


cuidados de saúde à distância

• Fornece serviços em saúde para pessoas cujo acesso de


outra maneira seria restrito devido às condições geográficas
ou ambientais

• Assistencial e educacional
RESOLUÇÃO CFM NÚMERO
1.643/2002:

“Art. 1º
- Define a Telemedicina como o exercício da Medicina através da
utilização de metodologias interativas de comunicação audio-visual e de
dados, com o objetivo de assistência, educação e pesquisa em Saúde.
Art. 2º
Os serviços prestados através daTelemedicina deverão ter as infra-
estruturas tecnológicas apropriadas, pertinentes e obedecer às normas
técnicas do CFM pertinentes à guarda, manuseio, transmissão de
dados,confidencialidade, privacidade e garantia do sigilo profissional
Art. 4º
A responsabilidade profissional do atendimento cabe ao médico
assistente do paciente. Os demais envolvidos responderão solidariamente
na
proporção em que contribuírem por eventual dano ao mesmo”
ASPECTOS ÉTICOS-LEGAIS

• Consentimento formal com o uso e envio de informações

• Orientação sobre limitação da assistência à distância

• Prática médica

“A responsabilidade médica pelos atos decorrentes da interconsulta


dermatológica cabe ao médico local, bem como as decisões sobre
políticas de saúde e custos cabem aos sistemas de saúde
Locais”
Teledermatologia
• envio de informação médica dermatológica entre dois ou mais pontos separados
fisicamente, utilizando tecnologia de telecomunicação e informática

Teleassistência
• consultas em tempo real (sincrônica) -teleconferência
• consultas em que os dados são armazenados e depois enviados (assincrônica)
TELEDERMATOLOGIA

• Preenchimento dos dados do paciente

• História da doença atual clara e objetiva

• Fotos digitais de qualidade, representando objetivamente a


lesão a ser analisada
HANSENÍASE

• Problema de Saúde Pública


• Meta da OMS não foi atingida(2000)
• Amazonas tem > 6 casos/10.000hab Amapá

• Reconhecimento precoce da Doença e de


Roraima

suas reações Amazona


s
Pará Maranhã
Ceará

Rio Grande do Norte


o

• Papel do Dermatologista
Piauí Paraíba
Pernambuco
Acre
Tocantins Alagoas
Rondônia Sergipe
Mato Bahia
Hiperendêmico - ≥ 20 casos/10.000 hab. Grosso Distrito Federal
Goiás
Muito Alto - 10 |— 20 casos/10.000 hab. Mato
Grosso
Minas
Gerais Espírito
do Sul Santo
Alto - 5 |— 10 casos/10.000 hab. São
Paulo
Rio de Janeiro
Paraná
Médio - 1 |— 5 casos/10.000 hab. Santa Catarina

Baixo - < 1 casos/10.000 hab. Rio Grande do Sul


CÂNCER DE PELE

• Câncer de pele é o ca mais incidente no Amazonas

• Câncer de pele não melanona corresponde a 98% das


neoplasias malignas de pele- morbidade e sequelas
inestésicas

• Melanona- 2% dos cânceres de pele- alta mortalidade


QUANDO SUSPEITAR?

• Feridas que não cicatrizam


• Sinais com bordas aperoladas
• Sinais que sangram e ulceram
• Sinais pretos que crescem e se modificam
• Cicatrizes crônicas que ulceram e formam feridas
• Toda lesão suspeita de câncer de pele deverá ser
submetida à microscopia digital

• Casos suspeitos deverão ser biopsiados

• Avaliar possibilidade de biopsia excisional em


casos selecionados

• Diagnóstico definitivo é pelo HP


FLUXOGRAMA

Paciente com lesão suspeita de MH ou Ca de pele


ou doença dermatológica complexa

Tratamento
Medico da unidade
básica de saúde
Encaminhamento

Plataforma de dados clínicos


Foto clínica(panorâmica e macro)

Dermatologista

Laudo dermatológico
DETALHAMENTO DO LAUDO
DERMATOLÓGICO

• Impressão diagnóstica
• Conduta
• Referência em casos selecionados-FMT-HVD
• Casos incompletos serão reavaliados após correções
• concluído
• em análise
• teleconferência em casos selecionados
REFERÊNCIA E
CONTRA-REFERÊNCIA

Polo Regional
de saúde

Ambulatório Dermatologia Geral FMT


Dra Luciana Mendes

Ambulatório de Oncologia FCECON


HUGV
FUAM
Noções de Fotografia digital
aplicada à dermatologia
PRINCÍPIOS BÁSICOS

• Boa iluminação
• Remover roupa do paciente
• Fundo sem detalhes
• Foto panorâmica em casos com múltiplas lesões
• Lesão única- topografia da lesão
• Uso do flash
PRINCÍPIOS BÁSICOS

• Macrofotografia
• Foco
• Evitar hiperexposição luminosa
• Não há necessidade de se usar imagens > 2Mpixels
OBRIGADA