Você está na página 1de 10

Removível

Aula
Prótese imediata

❖ A aula passada foi muito boa, se calhar ouve coisas que ela disse que não estavam
escritas nos apontamentos e que são interessantes.

Uma das coisas que ela foi quando faz o orçamento ou cobrar logo o rebasamento ou o
rebasamento estar incluído, porque é complicado falar o preço de uma prótese e
passado ¾ meses mais. E o rebasamento é um preço barato, se o laboratório leva no
mínimo 40 euros, é capaz de a clínica levar quase 100 euros por rebasamento é alguma
coisa que pode pesar no orçamento para quem tem prótese imediata.

A dr. Teresa falou mais da parte clínica, eu vou só recapitular algumas coisas que são
importantes em relação à prótese imediata.

Para já, ao contrário do que os clínicos fazem nós o preço da prótese é o preço normal,
não cobramos mais por ser uma prótese imediata. Não temos muito mais trabalho,
temos o trabalho de tirar os dentes do gesso e é praticamente isso, por isso o preço
desta prótese é um preço completamente normal (para ficarmos com esta noção).

É uma prótese às vezes um bocado ingrata porque só depois de extrair os dentes é que
nós vimos como é que as coisas estão e como é que ficaram e por vezes precisam de
rebasamento imediatos e por vezes aquela prótese consegue-se aproveitar para o
futuro, mas muitas vezes é uma prótese de transição, é uma prótese provisória até o
medico dentista fazer uma definitiva depois da cicatrização.

1
É uma prótese feita para colocar logo após a extração
dos dentes naturais, portanto na maioria das vezes não
há prova de dentes e após as extrações leva isto para
casa.

A palavra imediata é irritante porque às vezes os médicos dentistas pedem próteses


imediatas para o dia seguinte, mas o “imediata” pode ter impressões definitivas, pode
ter registo, pode ter prova de dentes e depois é imediata para os dentes que são
imediatos.

Não tem que ser obrigatoriamente para o dia seguinte, em alguns casos por vezes não
se consegue fazer a impressão definitiva, os dentes estão tão maus que depois quando
fizerem a impressão tem o azar de eles virem agarrados ao alginato já não cobra as
extrações.

Não tiram a impressão definitiva, a primeira com alginato serve, mas o registo por vezes
nós não temos noção que é preciso fazer um registo. É preciso fazer algumas coisas e
neste caso se calhar pode-se fazer prova de dentes, porque nesta prova confirma-se o
registo que ele fez, confirma a cor do dente se é aquele que ele quer.

Portanto não tem de ser imediato. Por vezes tem muitos dentes e isso é preciso avaliar-
se e às vezes são dentes íntegros (?). o suporte ósseo na radiografia é quase nulo, a raiz
está agarrada ao osso só pelo apéx. Existe placa bacteriana e tártaro até ______, tenho
visto alguns casos que a higienistas conseguem fazer milagres, conseguem preservar
estes dentes mais 4/5 anos, as pessoas preferem, não é?

2
Não há médico dentista nenhum que faça uma higiene melhor que um higienista.

Alguns perdem-se, mas depois é avaliar se vale a pena deixar o canino aqui ou se vale a
pena fazer uma prótese total. O canino às vezes perturba mais tudo porque
normalmente estes dentes já tiveram mobilidade e já não estão no sítio certo, portanto
se nós mantivermos este canino e se fizermos recuar este bloco que está muito
vestibularizado a linha média vai ser complicada. Ou este central e lateral ficam mais
pequenos do que aqueles, um dente só pode confundir muitas coisas. Se não está na
posição e está mais distalizado para encostar o outro central por exemplo, das duas uma
ou colocamos a linha média afastada ou deixamos um diastema entre os centrais.

Os dentes mexem-se e às vezes deixar um dente não vai ajudar, pode trazer problemas
à confeção da prótese.

Em termos de tipos convencional após a inserção da


prótese imediata e após a cicatrização dos tecidos esta
é rebasada para servir como prótese definitiva. Esta
prótese é aquela que é imediata mas vai servir como
definitiva.

Outras vezes fazemos uma prótese de transição, que normalmente o paciente por
motivos estéticos no central mas não nem pré-molares, nem molares. Avançamos
para prótese naquela central e posteriormente à cicatrização é que se avança para
uma esquelética por exemplo.

Esqueléticas imediatas raramente se faz e muitas das vezes a esquelética é uma solução
para depois, então aquela prótese de um dente só é provisório enquanto cicatrização e
depois avança-se para a definitiva que é por exemplo, uma esquelética.

Portanto por vezes fazemos estas próteses que depois de cicatrizado é lixo e vamos fazer
então a prótese completa nova.

3
As vantagens já tínhamos visto isto, impede a perda
imediata da DVO, minimiza alterações na ATM,
evita a macroglossia que é quanto mais tempo o
paciente tiver sem dentes, a tendência é a língua ir
ocupar o espaço do rebordo, impede o colapso
labial e afundamento das bochechas.

Permite que os músculos da cavidade oral continuem nas suas posições normais,
facilita a mastigação fazemos a prótese imediata e ele continua a mastigar, as vantagens
estéticas o paciente tem logo a prótese, não existe período de edentação,
continuidade da vida social.

Estranhamente reduz a dificuldade de


adaptação de uma PT porque evita a
fase de adaptação entre uma suposta
condição, o paciente é quase obrigado a
usar aquela prótese imediata ele adapta-
se melhor àquela prótese do que
começar a utilizar uma prótese nova
depois de um período de edentação
muito grande.

4
Esta prótese é uma prótese que o obriga um pouco a usar e que faz uma adaptação
melhor. Facilita a decisão de extrair os dentes porque os pacientes às vezes têm dentes
que eles quase mal mastigam porque têm medo que os dentes lhe caiam na primeira
dentada na maça.

Portanto assim temos a certeza que eles vão usar alguma coisa depois de extrair o dente.

Não há prova estética algumas vezes,


necessidade de rebasamento imediato ou
posterior o imediato pode ser necessário se ele
não nos der a profundidade do sulco por vezes as
reabsorções após as extrações aquilo colapsa tudo
e por vezes nós fizermos ao nível do colo dos
dentes gesso, aquilo que acontece é que temos
logo um espaço muito grande entre a prótese e o
rebordo. O médico dentista tem que rebasar logo,
nem que seja uma prótese provisória.

O procedimento é mais difícil, aumenta um pouco os custos e mais tempo _____


laboratorial. Nós em termo de laboratório podemos dar uma guia que ajuda o médico
dentista a saber se há contactos ou não na prótese. Arrasamos os dentes com uma
broca, podemos arrasar a mais ou a menos e, portanto, esta cirúrgica vai servir para o
médico provar e ver se nós desgastámos a mais ou se está aquém.

A presença de dentes mal posicionados e um


plano oclusal alterado por levar ao incorreto
registo da relação intermaxilar ou planeamento
do plano oclusal, portanto às vezes a presença de
alguns dentes dificulta a montagem.

5
Escolha dos dentes os modelos podem ser usados para escolher a forma e o tamanho
dos dentes. Aqueles modelos conseguimo-nos guiar para saber a forma e o tamanho do
dente, logicamente a cor deve ser o médico a dizer-nos. Avaliamos a linha média, o
plano oclusal, a linha do riso, avaliação das alterações do plano oclusal.

6
Aqui quando fazemos uma prótese imediata que
é bimaxilar, muitas das vezes não fazemos a
prova de dentes de um molar inferior por
exemplo, porque o superior vai ser extraído e já
está muito egredido ??. depois da seleção
corrigimos o plano oclusal. Em alguns casos nós
podemos (desenho no quadro: se o molar está
aqui, este dente está muito egredido e o plano é
suposto ser por aqui nós normalmente não
montamos este dente, contamos com a
extração deste dente e contamos com a
extração dos dentes acima e como deve ser no
plano.)

7
Portanto a regularização do plano oclusal é muito importante e, portanto, alguns dentes
que vão ser extraídos nós não contamos com eles para regularizar o plano oclusal.

Escolha de cor, confirmar a escolha dos dentes com o paciente. Se houver prova de
dentes ele tem de confirmar que é aquela cor que quer. Normalmente quer a cor mais
claro que aquela que tinha e, portanto, à medida que vão envelhecendo em vez de se
tronarem mais escuros vão sendo mais claros.

Em termos de laboratório é isto, por vezes vejam como os médicos têm de colocar cera
de ortodontia para unir os dois centrais para não virem atrás da impressão, a moldagem
não é grande coisa.

Neste caso nós vamos extrair e fazer os 4 incisivos (os centrais


estavam mesmo prontos para ser extraídos e os laterais
também). Vejam onde é que está o plano deste lateral em relação
ao central.

Em princípio iríamos desgastar conforme a bolsa periodontal, portanto ele tinha de nos
dizer “olhe isto tem umas bolsas de 6 mm, desgaste os 6 mm”, vamos desgastar e
acertando o bloco. E aqui está a tal guia cirúrgica que é esta placa (uma placa
transparente e é uma reprodução igual áquilo que é o interior da nossa prótese.) isto é
a duplicação, é transparente para que quando o médico coloque a placa na cavidade
oral do paciente veja as zonas que são pressionáveis.

A guia cirúrgica, vai extrair os dentes e depois


coloca esta placa e o que é que acontece? Ao
colocar vê-se há zonas isquemias ??, zonas que
estão brancas e, portanto, são zonas em que a
prótese está a pressionar. Então o medico vai à
prótese e desgasta naquela zona para que a
prótese consiga adaptar perfeitamente.

As zonas que estão a branco são zonas que estão a pressionar, se o médico colocar a
prótese, esta vai descair constantemente. Como é rosa não sabe onde está a pressionar,

8
não tem noção. Enquanto que num paciente convencional à uma pasta tipo silicone que
se pode pôr dentro da prótese pressionar e verifica-se onde é que está a pressionar,
com os alvéolos assim não se pode colocar pasta nenhuma.

Portanto esta guia cirúrgica dá para colocar, ver zonas que estão brancas quer dizer que
estão pressionadas e ele ou corta mais osso ou vai à parte interna da prótese e desgasta
onde está a pressionar na guia cirúrgica.

NÃO DEGASTA NA GUIA CIRURGICA, VAI À PRÓTESE E DESGASTA.

Temos um custo mais elevado se nós fizermos aquela placa Termo moldável/ com
acrílico transparente.

Quando é que fazemos isto/ em fase é que se faz isto? Na mufla há uma altura que a
temos aberta (quando eliminamos a cera) e já desgastámos os dentes todos do gesso,
e, portanto, podemos fazer uma impressão em alginato do modelo da mufla, correr a
gesso, ortodontia ou então termo vácuo.

Resumo: placa base -> montagem de dentes-> mufla -> muflamos -> eliminamos a cera->
quando eliminamos a cera temos o modelo de um lado e os dentes do outro, com alginato vamos
fazer uma impressão do modelo -> corremos o modelo -> posteriormente método sal e pimenta
ou placa termomoldável.

Fase cirúrgica, extração dos dentes e colocação das próteses, avaliar zonas de
compressão, ajustar a oclusão, alívio dos freios, isto é, aquilo que os médicos fazem
em todas as próteses e ajustar a oclusão neste tipo de prótese também tem algumas
diferenças.

9
Este é o mesmo caso antes dos ajustes oclusais, havia contactos muito fortes lá atrás e
depois foi feito os ajustes oclusais e vejam como as fotografias não avaliam as cores
dos dentes. A cor na fotografia é muito complicada, não nos podem dizer olhe escolha
uma cor igual àquela.

10