Você está na página 1de 16

Um transformador é um dispositivo destinado a transmitir energia elétrica ou potência elétrica de um

circuito a outro, induzindo tensões, correntes e/ou de modificar os valores das impedâncias elétricas de
um circuito elétrico.[1]
Inventado em 1831 por Michael Faraday,[2] os transformadores são dispositivos que funcionam através da
indução de corrente de acordo com os princípios do eletromagnetismo, ou seja, ele funciona baseado nos
princípios eletromagnéticos da Lei de Faraday-Neumann-Lenz e da Lei de Lenz,[1] onde se afirma que é
possível criar uma corrente elétrica em um circuito uma vez que esse seja submetido a um campo
magnético variável, e é por necessitar dessa variação no fluxo magnético que os transformadores só
funcionam em corrente alternada.

Índice

 1Estrutura
 2Princípios básicos
 3Tipos de transformadores
o 3.1Transformadores de potência
o 3.2Transformadores toroidais
o 3.3Autotransformadores
 4Simbologia
 5Transformador ideal
o 5.1Transformador em vazio
 6Ver também
 7Referências

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Rede elétrica geral.

Este artigo faz parte da série


Eletrotecnia

Índice de artigos

História
História da eletrotecnia

Energia elétrica

Geração de eletricidade

Transmissão de energia elétrica

Distribuição de eletricidade

Gearação de eletricidade

Usina hidrelétrica | Usina termoelétrica

Usina eólica | Usina nuclear

Usina solar | Usina de cana-de-açúcar

Transmissão de energia elétrica

Linha de transmissão

Subestação | Sistema trifásico

Sistemas elétricos de potência

Distribuição de eletricidade

Posto de transformação

Transformador | Seccionador

Poste

Instalações elétricas

Instalação elétrica

Redes de energia elétrica

Rede elétrica inteligente

Aparelhos e equipamentos elétricos

Regulador de tensão

Regulador de tensão de média tensão

Disjuntor | Fusível

Lâmpada fluorescente

Interruptor | Disjuntor diferencial

Motor elétrico | Gerador elétrico

Medidor de energia elétrica


Transformador

Um transformador é formado basicamente de:

 Enrolamento - O enrolamento de um transformador é formado de várias bobinas que em geral são


feitas de cobre eletrolítico e recebem uma camada de verniz sintético como isolante.

 Núcleo - esse em geral é feito de um material ferromagnético e o responsável por transferir a


corrente induzida no enrolamento primário para o enrolamento secundário.
Esses dois componentes do transformador são conhecidos como parte ativa, os demais componentes do
transformador fazem parte dos acessórios complementares.
No caso dos transformadores de dois enrolamentos, é comum se denominá-los como enrolamento
primário e secundário, existem transformadores de três enrolamentos sendo que o terceiro é chamado de
terciário. Há também os transformadores que possuem apenas um enrolamento, ou seja, o enrolamento
primário possui um conexão com o enrolamento secundário, de modo que não há isolação entre eles,
esses transformadores são chamados de autotransformadores.[3]
Um transformador trifásico possui internamente 3 transformadores que podem ser ligados de diferentes
modos. Ligando os enrolamentos primários em triângulo e os enrolamentos secundários em estrela,
ficamos com um conjunto em que o primário recebe corrente trifásica e no secundário temos três fases e
neutro (sendo o neutro o centro da estrela). Temos assim desta forma tensões simples e tensões
compostas. No caso da distribuição de energia elétrica temos 400 volts entre fases, temos 3 situações
dessas (entre as fases R e S ; S e T ; R e T) e temos 230 volts entre qualquer uma das fases e o neutro.

Princípios básicos[editar | editar código-fonte]

Um transformador ideal. A corrente secundária surge para a ação secundária EMF na impedância de carga (não mostrado).

O transformador é baseado em dois princípios: o primeiro, descrito via lei de Biot-Savart, afirma
que corrente elétrica produz campo magnético (eletromagnetismo); o segundo, descrito via lei da indução
de Faraday, implica que um campo magnético variável no interior de uma bobina ou enrolamento de fio
induz uma tensão elétrica nas extremidades desse enrolamento (indução eletromagnética). A tensão
induzida é diretamente proporcional à taxa temporal de variação do fluxo magnético no circuito. A
alteração na corrente presente na bobina do circuito primário altera o fluxo magnético nesse circuito e
também na bobina do circuito secundário, esta última montada de forma a encontrar-se sob influência
direta do campo magnético gerado no circuito primário. A mudança no fluxo magnético na bobina
secundária induz uma tensão elétrica na bobina secundária.
Um transformador ideal é apresentado na figura adjacente. A corrente passando através da bobina do
circuito primário cria um campo magnético. A bobina primária e secundária são ambas enroladas sobre
um núcleo de material magnético de elevada de permeabilidade magnética, a exemplo um núcleo de
ferro, de modo que a maior parte do fluxo magnético passa através de ambas as bobinas. Se um
dispositivo elétrico é conectado ao enrolamento secundário, uma vez provido que a corrente e a tensão
aplicadas ao circuito primário tenham os sentidos indicados, a corrente e a tensão elétricas no dispositivo
(usualmente denominado por "carga" do circuito) terão também sentidos definidos, como os indicados na
figura. Na prática os transformadores operam com tensões e correntes alternadas, de forma que as
marcações na figura representam a rigor, as relações de fase entre os sinais no circuito primário e
secundário visto que as tensões e correntes estão constantemente alternando seus sentidos a fim de
prover um fluxo magnético variável.

Este artigo ou seção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.

Tipos de transformadores[editar | editar código-fonte]


Os transformadores são classificados de acordo com vários critérios. As classificações de acordo com a
finalidade, o tipo, o material do núcleo e o número de fases são algumas das mais importantes. [3]
Quanto à finalidade

 Transformadores de corrente
 Transformadores de potência
 Transformadores de distribuição
 Transformadores de força
Quanto ao tipo

 Dois ou mais enrolamentos


 Autotransformador
Quanto ao material do núcleo

 Ferromagnético
 Núcleo de ar

Transformador trifásico

Quanto ao número de fases

 Monofásico
 Trifásico
 Polifásico
Para se reduzir as perdas o núcleo de muitos transformadores são laminados para reduzir a indução de
correntes parasitas ou de Foucault, no próprio núcleo. Em geral se utiliza aço-silício com o intuito de se
aumentar a resistividade e diminuir ainda mais essas correntes parasitas. Esses transformadores são
chamados transformadores de núcleo ferromagnético. Há ainda os transformadores de núcleo de ar, que
possui seus enrolamentos em contato com a atmosfera.[1]
Transformadores também podem ser utilizados para o casamento de impedâncias. Esse tipo de ligação
consiste em modificar o valor da impedância vista pelo lado primário do transformador, são em geral de
baixa potência.[1]
Transformador de distribuição

Transformadores de potência[editar | editar código-fonte]


Os transformadores trifásicos ou de potência são destinados a rebaixar ou elevar a tensão e
consequentemente elevar ou reduzir a corrente de um circuito, de modo que não se altere a potência do
circuito.[1] Esses transformadores podem ser divididos em dois grupos:

 Transformador de força - esses transformadores são utilizados para gerar, transmitir e distribuir
energia em subestações e concessionárias. Possuem potência de 5 até 300 MVA. Quando operam
em alta tensão têm até 550 kV.[4]

 Transformador de distribuição - esses transformadores são utilizados para rebaixar a tensão para ser
entregue aos clientes finais das empresas de distribuição de energia. São normalmente instalados
em postes ou em câmaras subterrâneas. Possuem potência de 15 a 300 kVA; o enrolamento de alta
tensão têm tensão de 15, 24,2 ou 36,2 kV, já o enrolamento de baixa tensão tem 380/220 ou 220/127
V.[4]

Transformadores toroidais[editar | editar código-fonte]


Os transformadores toroidais têm baixa irradiação do campo magnético ao seu redor, o que reduz a
interferência em circuitos elétricos sensíveis. A montagem é facilitada porque o aparelho pode ser fixado
utilizando apenas um parafuso e seu funcionamento é silencioso, já que o ruído mecânico da vibração do
núcleo praticamente não existe.[5]

Autotransformadores[editar | editar código-fonte]

Um autotransformador variável

Nos autotransformadores os enrolamentos primário e secundário estão em contato entre si. O


enrolamento tem pelo menos três saídas, onde as conexões elétricas são realizadas. Um
autotransformador pode ser menor, mais leve e mais barato do que um transformador de enrolamento
duplo padrão. Entretanto, o autotransformador não fornece isolamento elétrico.[3]
Autotransformadores são muitas vezes utilizados como elevadores ou rebaixadores entre as tensões na
faixa 110-117-120 volts e tensões na faixa 220-230-240 volts. Por exemplo, a saída de 110 ou 120V de
uma entrada de 230V, permitindo que equipamentos a partir de 100 ou 120V possam ser usados em uma
região de 230V.
Um autotransformador variável é feito expondo-se partes das bobinas do enrolamento e fazendo a
conexão secundária através do deslizamento de um contato, resultando em variação na relação das
espiras.[6] Tal dispositivo é normalmente chamado pelo nome de marca Variac.
Simbologia[editar | editar código-fonte]
Alguns símbolos comumente utilizados em diagramas elétricos e eletrônicos:[7]

Transformador com núcleo de ar.

Transformador com núcleo de ferro.

Transformador de núcleo de ferro com tomada central (tap).

Autotransformador.

Transformador ideal[editar | editar código-fonte]


Um transformador ideal é aquele em que o acoplamento entre suas bobinas é perfeito, ou seja, todas
concatenam, ou “abraçam”, o mesmo fluxo, o que vale dizer que não há dispersão de fluxo. Isso implica
assumir a hipótese de que a permeabilidade magnética do núcleo ferromagnético é alta ou, no caso ideal,
infinita, e o circuito magnético é fechado. Além disso, admite-se que o transformador não possui perdas
de qualquer natureza, seja nos enrolamentos, seja no núcleo. [8]

Transformador em vazio[editar | editar código-fonte]

Considerando, um transformador ideal, sendo o fluxo total, , o mesmo em ambas as bobinas, já que

se desprezam os fluxos dispersos e o núcleo tem → ∞, as forças eletromotrizes, e ,


induzidas nessas bobinas (adotando a convenção receptor), escrevem-se como:

Dividindo-se por chega-se à relação de tensões entre primário e secundário:

sendo a denominada relação de espiras ou relação de transformação. Esta é a primeira propriedade


do transformador que é a de transferir ou refletir as tensões de um lado para outro segundo uma
constante a.[3]

Convencionando-se como a espira acoplada à DDP do circuito (primário) tem-se: para um

abaixador de tensão e para um elevador de tensão.


Transformadores são equipamentos utilizados na transformação de valores de tensão e
corrente, além de serem usados na modificação de impedâncias em circuitos elétricos.

O principio de funcionamento de um
transformador é baseado nas leis de Faraday e Lenz, as leis do eletromagnetismo e da
indução eletromagnética, respectivamente.

Estes equipamentos possuem mais de um enrolamento, sendo que estas partes são
chamadas de primário e secundário em casos de transformadores com dois
enrolamentos, e em transformadores que possuem três enrolamentos, além dos dois
nomes já citados, o terceiro enrolamento é denominado terciário.

Existem diversos tipos de transformadores: os monofásicos, que operam no máximo em


duas fases (127V -220V ); os trifásicos (ou de potência), que funcionam em três fases
(220V-380V-440V) e são aplicados na transformação de tensão e corrente, em que
eleva-se a tensão e diminui-se a corrente, assim diminuindo a perda por Efeito
Joule (perdas por sobreaquecimento nos enrolamentos); os autotransformadores, que
tem o seu enrolamento secundário ligado eletricamente ao enrolamento primário e os de
baixa potência, que são utilizados unicamente para diminuir impedâncias de circuitos
eletrônicos e para casar impedâncias, a utilização deste tipo de transformador se dá a
partir da acoplagem deste à entrada do primário de outro transformador.
Além de serem classificados de acordo
com o fim a ser usado, ainda existe a classificação de acordo com o núcleo. Os tipos de
transformadores de acordo com o núcleo são: os de núcleo de ar, cujos enrolamentos
ficam em contato com a própria atmosfera e os de núcleo ferromagnético, onde são
usadas chapas de aço laminadas (no geral usam-se chapas de aço-silício, por
diminuírem a perda por Corrente de Foucault ou correntes parasitas).

Alguns transformadores são sensíveis a acoplamento estático nos enrolamentos, por isso
eles recebem uma proteção chamada de Blindagem Eletrostática.

Exemplos práticos de transformadores:

Aquele transformador que você vê na rua é um típico transformador de potencia


trifásico, este recebe a tensão que vem da estação de distribuição, que está no nível de
13,8 KV (13800 Volts) e transforma em 127V e 220V.

O transformador que você usa em casa, é um transformador monofásico, ele transforma


tanto 127V em 220V como 220V em 127V.

E ainda existem os transformadores usados em circuitos eletrônicos, que transformam a


tensão da sua rede em tensões significativamente menores.

Os cálculos de transformação de tensão, corrente e número de enrolamento são os


seguintes:

Fórmula:

E1/E2 x N1/N2

Quando o numero de espiras é proporcional a tensão.

E1⁄ E2 x I2⁄ I1

Quando a tensão é inversamente proporcional a corrente.

Sendo que:
N1= número de espiras no enrolamento primário

N2= número de espiras no enrolamento secundário

E1= tensão no primário

E2= tensão no secundário

I1= corrente no primário

I2= corrente no secundário

Tendo como base essas formula é possível você chegar também à conclusão de que em
caso de ter-se um transformador com N1 > N2 terá um transformador abaixador de
tensão e se tiver N1 < N2terá um transformador elevador de tensão.

Arquivado em: Eletricidade

Como funciona o Transformador?


O funcionamento do transformador é bem simples, ele possui um núcleo e
enrolamentos, ou bobinas. O que ele faz é transmitir a corrente de um
enrolamento para outro, a partir de eletromagnetismo. Com isso,
conseguimos controlar o valor da tensão de saída a partir da tensão de
entrada. Aqui trabalharemos com transformadores de somente dois
enrolamentos, mas existem modelos com múltiplos enrolamentos.

Vale lembrar que, seguindo as Leis de Faraday e de Lenz, para criarmos


corrente em um circuito a partir de um campo magnético ele precisa ser
variável, ou seja, os transformadores só funcionam com corrente alternada,
por necessitarem dessa variação.

Vamos a seguir ver as partes que formam um transformador:

 Núcleo – No geral é feito com um material altamente imantável, pois


é ele quem vai transmitir a corrente de um enrolamento para outro.
 Enrolamentos – São as bobinas, feitas de fio de cobre com uma
camada de verniz que serve como isolante. Como geralmente temos
dois enrolamentos, para entrada e saída de corrente, eles são
chamados de enrolamento primário e enrolamento secundário.
Uma característica do transformador, é que ele permite que os circuitos
conectados aos enrolamentos sejam isolados entre si. Isso não acontece
quando trabalhamos com um autotransformador, em que os enrolamentos
estão em contato entre si.

Como calcular a tensão de saída em um


transformador?
A tensão de saída em um transformador depende do número de espiras, ou
seja, voltas de fio do enrolamento secundário em relação ao primário.

Pode parecer complexo no inicio, mas veja a forma que relaciona as


tensões do primário e secundário com o número de espiras do primário e
secundário:

Onde:

 V = Tensão ( Volts )
 N = Número de Espiras da bobina

Percebeu como funciona essa relação matemática? Se o número de espiras


no secundário for o dobro que o número de espiras do primário, a tensão no
secundário vai ser o dobro que a tensão do primário, por exemplo.
O Transformador de Tensão
Publicado por: Marco Aurélio da Silva Santos em Eletricidade



Esquema de um transformador

As inúmeras instalações elétricas muitas vezes necessitam que a tensão fornecida pelas
companhias de energia elétrica aumente ou diminuía. Assim sendo, é necessária a
utilização de um dispositivo que permita fazer essa transformação de tensão. Por exemplo,
imagine que você compra um aparelho de mini system e descobre que ele é fabricado
para funcionar com uma tensão de 110 V, no entanto, em sua casa só existem tomadas
com tensão de 220 V. O que fazer nesse caso? A forma mais fácil de usar o aparelho de
mini system, sem que ele seja danificado, é utilizar um aparelho
denominado transformador. Esse aparelho consegue modificar tensões para que os
aparelhos não sejam danificados.

De funcionamento bem simples, o transformador é um dispositivo de corrente alternada


que opera baseado nos princípios eletromagnéticos da Lei de Faraday e da Lei de Lenz. O
transformador de tensão é constituído por uma peça de ferro, denominada de núcleo do
transformador, ao redor do qual são enroladas duas bobinas. Em uma dessas bobinas é
aplicada a tensão que se deseja transformar, ou seja, aumentar ou diminuir. Essa bobina é
chamada de bobina primária ou enrolamento primário. Depois de transformada, a
tensão é estabelecida nos terminais da outra bobina, que é denominada bobina
secundária ou enrolamento secundário.
Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Um transformador funciona do seguinte modo: ao aplicar uma tensão alternada no


enrolamento primário surgirá uma corrente, também alternada, que percorrerá todo o
enrolamento. Através dessa corrente estabelece-se um campo magnético no núcleo de
ferro, esse por sua vez sofre várias flutuações e, consequentemente, surge um fluxo
magnético que é induzido na bobina secundária.
~EXERCICIOS

Questão 1

(UFRGS) O primário de um transformador alimentado por uma corrente elétrica alternada


tem mais espiras do que o secundário. Nesse caso, comparado com o primário, no
secundário:
a) a diferença de potencial é a mesma e a corrente elétrica é contínua
b) a diferença de potencial é a mesma e a corrente elétrica é alternada
c) a diferença de potencial é menor e a corrente elétrica é alternada
d) a diferença de potencial é maior e a corrente elétrica é alternada
e) a diferença de potencial é maior e a corrente elétrica é contínua
Resposta Questão 1
O enrolamento primário do transformador possui mais espiras do que o secundário, sendo
assim, o transformador é um rebaixador de tensão, ou seja, a tensão é menor no
enrolamento secundário do transformador. A resposta correta é dada na alternativa c.

Questão 2

(Unisinos-RS) As companhias de distribuição de energia elétrica utilizam transformadores


nas linhas de transmissão. Um determinado transformador é utilizado para baixar a
diferença de potencial de 3 800 V (rede urbana) para 115 V (uso residencial).
Nesse transformador:
I. O número de espiras no primário é maior que no secundário;
II. A corrente elétrica no primário é menor que no secundário;
III. A diferença de potencial no secundário é contínua.
Das afirmações acima:
a) Somente I é correta.
b) Somente II é correta.
c) Somente I e II são corretas.
d) Somente I e III são corretas.
e) I, II e III são corretas.

Resposta Questão 2
Afirmação I – Verdadeira
A relação entre o número de espiras nos enrolamentos primário e secundário do
transformador é dada pela equação:
NP = VP
NS VS
Dados:
VP = 3.800V e VS = 115 V
NP = 3.800
NS 115
NP =33,04
NS
NP = 33,04 NS
NP > NS
Afirmação II – Verdadeira
A relação entre a corrente elétrica e os enrolamentos primário e secundário do
transformador é dada por:
VP iP = VS iS
3.800iP = 115 iS
iP= 115 iS =0,03iS
3800
iP <iS
Afirmação III – Falsa
Os transformadores só funcionam com tensões alternadas.
Alternativa correta – c

Questão 3

A tensão elétrica fornecida pelas empresas energéticas em alguns estados do Brasil é


220V, porém muitos aparelhos domésticos trabalham com tensões bem inferiores e já
possuem transformadores integrados. Supondo que um aparelho funcione com tensão
elétrica de 20V e possua um transformador integrado com 1500 espiras no enrolamento
primário. Quantas espiras são necessárias no enrolamento secundário para que a tensão
não supere os 20V?

Resposta Questão 3
NP = VP
NS VS
1.500 = 220
NS 20
NS = 1.500 x 20
220
NS = 137 Espiras

Questão 4
A corrente elétrica que passa pelo enrolamento primário do transformador, que tem 800
espiras, é iP = 15A. Calcule a corrente no enrolamento secundário do transformador,
sabendo que ele possui 100 espiras.

Resposta Questão 4
NP = iS
NS iP
800 = iS
100 15
iS = 15x800
100
iS = 120 A
QUES Questão 1
TÃO 1
Marque a alternativa ERRADA.

a) Transformadores são dispositivos eletromagnéticos que transformam o valor da tensão elétrica


alternada, aplicada em sua entrada, para uma tensão alternada diferente na saída.
b) Os transformadores podem ser usados tanto para aumentar quanto para diminuir o valor da tensão.
c) Um transformador consiste em duas bobinas enroladas no mesmo núcleo de ferro.
d) Um transformador consiste em uma bobina enrolada em dois núcleos de ferro.
e) Em transformadores com dois enrolamentos, é comum denominá-los de enrolamento primário e
enrolamento secundário.

Questão 1 RESPOSTA
d) Um transformador consiste em uma bobina enrolada em dois núcleos de ferro.

QU Questão 2ESTÃO 2
Uma máquina de solda elétrica precisa operar com uma corrente elétrica de 400 A para que haja potência
dissipada suficiente para fundir as peças metálicas. A potência necessária é dada por P =R.i2, onde R é a
resistência dos eletrodos de solda. Com a intenção de obter esse valor de corrente elétrica, utiliza-se um
transformador, que está ligado a uma rede elétrica cuja tensão vale 110 V, e pode fornecer um máximo de
40 A. Qual deve ser a razão do número de espiras entre o enrolamento primário e o secundário do
transformador, e qual a tensão de saída?

a) N1/N2 = 5; V = 9
b) N1/N2 = 10; V = 11
c) N1/N2 = 15; V = 15
d) N1/N2 = 20; V = 20
e) N1/N2 = 25; V = 22

Questão 2 RE

SP b) N1/N2 = 10; V = 11

A razão entre as correntes i1 e i2 é dada por:

i2 = N1
i1 N2

e a razão entre as tensões é:

V 2 = N1
V 1 N2

Sabemos que i1 = 40 A e i2 = 400 A. Logo,

A i2/i1 400/40 = 10 = N1/N2

V2 = (N2/N1).V1 = (1/10) x 110 = 11V


O Questão 3E

S (UFRGS) Entre os dispositivos elétricos citados nas alternativas, qual o que só pode funcionar com
corrente elétrica alternada?

a) Rádio
b) Transformador
c) Lâmpada incandescente
d) Chuveiro
e) Ferro de passar roupa

O Questão 3 R

GE b) Transformador

--------------------------------JUT6RE5

YTS (UFRS) Num transformador, a razão entre o número de espiras no primário (N1) e o número de
espiras no secundário (N2) é N1/N2 = 10. Aplicando-se uma diferença de potencial alternada V1 no
primário, a diferença de potencial induzida no secundário é V2. Supondo tratar-se de um transformador
ideal, qual a relação entre V2 e V1?

a) V2 = V1/100
b) V2 = 10V1
c) V2 = 100V1
d) V2 = V1
e) V2 = V1/10

RPOSTA
Questão 4
e) V2 = V1/10
TATÃO