Você está na página 1de 2

CRISMA 2010

TEMA 2
É PRECISO RECEBER O CRISMA?
Cântico . Oração inicial e proclamação da leitura
1.- "O Espírito Santo descerá sobre vós
e vos dará força
e sereis minhas testemunhas. . ." (At 1,8)
Trazer sempre a BIBLIA
Conversemos: Eu preciso ou não de receber o Crisma?
'Será que não consigo ser bom e justo por mim próprio? Ler --- Act. 1,8
Não é verdade o que diz o provérbio: "Querer é poder" ? Jo. 20,19
Então, para sermos cristãos, não basta viver o Baptismo? 2Pe. 1,4
Act. 8,16-17
Antes de irmos às respostas, vejamos alguns exemplos da história. Rom.7, 14-25
São factos bastante conhecidos entre nós. Ef. 6, 10-20

2.- O caso do soldado Marino


Era o ano 264. O Império Romano dominava o mundo. A Igreja sofria muito os cristãos eram
perseguidos. Quando alguém se declarava cristão publicamente, era colocado diante de um
dilema: ou renunciava à sua fé ou passava a ser um candidato ao martírio.
FOI o que aconteceu com o soldado Marino. Ele estava para ser promovido a um alto posto do
exército romano. Talvez por inveja, alguém o denunciou como cristão. Marino era de Cesareia,
da Palestina. O Imperador Galeno mandou chamá-lo e perguntou-lhe se era cristão. A resposta
foi positiva.
O imperador falou-lhe claramente: "Ou você renuncia à fé em Jesus Cristo e será promovido,
ou então continua a ser cristão. Mas, neste caso, será julgado e provavelmente condenado.
E deu-lhe o prazo de três horas para resolver,
O soldado procurou o Bispo que o tinha baptizado recentemente e contou-lhe o problema, O
Bispo impôs as suas mãos sobre Marino e deu-lhe o Espírito Santo, a fim de que tivesse co-
ragem para o resolver bem. Depois colocou diante de Marino a espada e o Evangelho, para
que escolhesse um dos dois. Marino escolheu o Evangelho.
De seguida, apresentou-se corajosamente perante o imperador para morrer pela fé.

3.- O pecado de Pedro


S. Pedro era um companheiro de Jesus e líder dos apóstolos. No entanto, a certa altura
acobardou-se perante uma situação muito difícil. Quando Jesus foi preso, ele negou Jesus; e,
depois da morte de Jesus, escondeu-se numa sala “com medo dos judeus” (Cf. Jo 20, 19).
Porém, no dia de Pentecostes, o Espíirito Santo desceu sobre ele e sobre os outros apóstolos
e, cheios de coragem e sabedoria, perderam o medo de ser cristãos e de agirem como tal.

Não desprezar a graça de Deus


4.- Deus pode dar-nos a sua graça como Ele quer e quando Ele quer.
Mas é certo que os sacramentos são os meios normais ou ordinários que Jesus deixou à sua
Igreja para nos conceder os seus dons. Quem se der ao luxo de desprezar os sacramentos,
pode ficar sem receber alguma graça que Deus iria dar-ihe por meio dos sacramentos.
Por exemplo: quem despreza o sacramento do Crisma, está-se a arriscar a fracassar na sua
vocação cristã, porque está a desprezar o dom do Espírito Santo, sem o qual não conseguimos
dar testemunho de Jesus. O Senhor disse:
CRISMA 2010
"Descerá sobre vós o Espírito Santo
e Ele vos dará a força,
e sereis minhas testemunhas em Jerusalém,
em toda a Judeia e na Samaria
e até aos confins da terra" (Act 1,8).
5.- O Baptismo, só, não basta. Ele dá-nos a vida de Deus, através da
graça santificante (Cf. 2 Pd 1,4). E essa vida nova precisa de crescer e de produzir frutos.
Por isso Jesus instituiu os sete sacramentos, para que cada um deles nos dê uma graça
própria ou dom especial. O Crisma dá-nos o Espírito Santo como "força" de Deus, para
fortalecer a nossa fé e ajudar-nos a cumprir a nossa missão.
O soldado Marino já tinha recebido o Baptismo, mas, para testemunhar a sua fé em Jesus
Cristo, precisou de receber o Espírito Santo pelo Crisma.
Paulo, tal como todos os santos, sentiram muitas vezes um desiquilíbrio interior. Passaram
muitas provações; experimentaram essa luta interior entre o bem e o mal. Homem muito
impulsivo, sentia também este dilema interior. Por isso, reconhece que, apenas através da sua
capacidade humana teria fracassado na sua missão. Ele diz: “Pela graça de Deus sou o que
sou. A graça que Ele me deu não foi estéril” (Cf. 1 Cor 15, 10).
O mesmo se diga daqueles samaritanos que tinham sido baptizados pelo Diácono Filipe. Para
viverem com firmeza a sua fé, os Apóstolos Pedro e João foram lá e deram-lhes o Espírito
Santo através do Crisma (Cf. Act 8,16-17),
Alguém poderia dizer: "O Crisma não adianta nada. Há muita gente crismada que vive sem fé e
sem amor". Infelizmente é verdade. Realmente, há muita gente crismada que vive sem fé e
sem amor. Mas não é por culpa do Sacramento.
Em geral, são pessoas que não se prepararam devidamente para receber o sacramento.
Há quem seja crismado por mera formalidade, sem saber o que está a fazer e sem a
disposição sincera de colaborar com a graça de Deus. Então o sacramento fica sem efeito.
Não produz fruto. Um sacramento não é "magia".
Deus respeita a nossa liberdade. Precisamos de receber o Crisma conscientes do que estamos
a fazer e dispostos a colaborar com a graça de Deus.

6.- PARA RECORDAR


 Por que precisamos de receber o Crisma?
 O que aconteceu com o soldado Marino?
 Como era São Pedro antes e depois do Pentecostes?
 O que nos diz São Paulo sobre a luta interior?
 Por que é que não basta o Baptismo na vida do cristão?
 Dar um exemplo bíblico que fale da necessidade do Crisma.
 Por que, muitas vezes, não vale nada receber o Crisma?

7.- REFLECTIR:
 Sou livre ou escravo do mal?
 Nas dificuldades, tenho rezado?

8.- COMPROMISSO:
 Orar mais. Sem a graça não se vive a fé.
 Ler Rom 7, 14-25; Ef 6, 10-20.

SUGESTÃO;
 Pedir ao padre uma orientação espiritual. Oração final…