Você está na página 1de 68

SEU PET É DIABÉTICO? VOCÊ DORME NA CAMA COM O GATO?

Dê mais qualidade de vida a ele Gateiros debatem sobre o tema

Ed. 131 - 5-6/2019

Dia das mães


Loucuras que mães
de bichanos fazem
por seus filhos
amados

7 FORMAS
DE CARINHO
FELINO

6 cuidados

Exótico
para ter sucesso
na vermifugação

COMO ANDA A SUA


7 DICAS
para um inverno
CRIAÇÃO NO BRASIL? sem doenças

TOQUE DE
FOFURA
aos clássicos
Artista russa
viraliza na
internet
com seus
ALLAHIL BOLIVAR VIANNA NETO - ME
CNPJ: 03.924.346/0001-74 quadros
Composição do produto: papel
Característica do produto: revista
www.revistapulodogato.com.br
Quantidade: 1 unidade 1|
Finalidade de uso: literatura
FONTE DE PROTEÍNA INIGUALÁVEL, COMO SE FOSSE FEITO PARA VOCÊ.
MELHOR PARTE DO ATUM E DO FRANGO, ENRIQUECIDO COM VITAMINAS
E MINERAIS QUE OS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO PRECISAM.
SEM ADIÇÃO DE CONSERVANTES, CORANTES E AROMATIZANTES ARTIFICIAIS.

www.revistapulodogato.com.br
PARABÉNS PARA NÓS!
O mês de maio chegou e,
com ele, as comemorações do Dia
GDV 0mHV 1HVWD HGLomR ¿]HPRV
uma homenagem para nós, mães
de felinos, já que mãe de gato tam-
bém é mãe! E as histórias estão
bem divertidas. Aposto que vocês,

Foto: arquivo pessoal


OHLWRUHV YmR VH LGHQWL¿FDU FRP DO
guma delas. Eu acho que sou uma
mistura de mãe neurótica com mãe
coruja. Fico desesperada diante de
qualquer anormalidade que minha
gatinha apresenta. Já troco ração,
ligo para o veterinário, corro para
WHUFHUWH]DTXHHVWiWXGREHPFRP
ela.
EU ACHO QUE SOU Neste mês também come- felinos. Ainda na temática saúde,
çam as preocupações com as do- tratamos de outro assunto muito
UMA MISTURA DE
enças de inverno. Por isso, listamos importante em nossa seção “Pais de
MÃE NEURÓTICA
dicas e cuidados para proteger os primeira viagem”: a vermifugação.
COM MÃE CORUJA. felinos dos perigos da estação. Ilustrando a capa desta edi-
FICO DESESPERADA Ainda nesta edição temos ção temos uma gatinha muito espe-
DIANTE DE uma entrevista sobre diabetes cial, a Mika, do gatil Daruma, que
QUALQUER mellitus em gatos. Nela, a veteriná- DFXPXOD GLYHUVRV WtWXORV QD JDWR¿
ANORMALIDADE ria comenta sobre alguns avanços e lia. Na reportagem sobre a raça de
cuidados que devemos ter com ga- Mika, Exótico, tratamos de alguns
QUE MINHA GATINHA
tos que sofrem da doença, que tem temas sobre sua criação e curiosi-
APRESENTA VLGR FDGD YH] PDLV IUHTXHQWH HP dades. Boa leitura!

Samia Malas
Jornalista

www.revistapulodogato.com.br 3|
ÍNDICE MAIO/JUNHO 2019

Nossa capa
24
EXÓTICO: COMO ANDA SUA CRIAÇÃO?
Um criador brasileiro e uma criadora italiana contam
como a raça, uma das mais populares no mundo
felino, vem sendo criada

Gato: WW16 NW SC BR* Daruma


Mika, JW DSM
Grooming: Luciano Ribeiro
Criação e propriedade: Daruma
Exóticos e Persas
Contato: Alex Martins
15 99121-0389
/BR.Daruma
@alexdaruma
gatildaruma@hotmail.com
Foto: Silvia Pratta

08 38
:
DIA DAS MÃES: LOUCURAS QUE 6 CUIDADOS PARA UMA NOVIDADE
TUTORAS DE FELINOS JÁ FIZERAM VERMIFUGAÇÃO DE SUCESSO! PAIS DE
POR SEUS BEBÊS PELUDOS 6DLEDRTXHYRFrSRGHID]HUSDUDOLYUDU PRIMEIRA
Gateiras contam como é desempenhar o seu bichano de parasitas que podem VIAGEM
esse papel tão lindo na vida de seus causar centenas de doenças
queridos bichanos

14 7 FORMAS DOS GATOS


DEMONSTRAREM CARINHO
42 GATOS DIABÉTICOS: COMO LIDAR
COM A DOENÇA
Médica veterinária explica como o tratamento
Discretos, felinos manifestam seu amor pelos adequado para essa endocrinopatia pode salvar
tutores de maneira sutil em cada detalhe do a vida de muitos pacientes
dia a dia. Será que você sabe reconhecer esses
sinais de afeto?

20 7 MANEIRAS DE PROTEGER O NESTA EDIÇÃO


LINDOS
FELINO NO INVERNO
PÔSTERES
Saiba como manter seu gatinho saudável
com a chegada da estação mais fria do ano

Toda edição
28 TONQUINÊS: UM GATO DE OLHOS
APAIXONANTES
Felino de origem oriental encanta gateiros
34 JORNAL FELINO
com sua doçura e olhos de cor única 46 DEBATE
50 MURAL DE MIADOS
30 SVETLANA PETROVA: TOQUE EXTRA
DE FOFURA AOS CLÁSSICOS
Conheça o trabalho da artista russa e seu
52 VET RESPONDE
54 COTAÇÕES
felino inspirador, Zarathustra, e veja por
que a dupla conquistou a internet com tanta
originalidade! 55 GUIA DE CRIADORES
|4 www.revistapulodogato.com.br
www.revistapulodogato.com.br 5|
www.editoratopco.com.br

A revista Pulo do Gato edição 131 é uma


publicação bimestral da Allahil Bolivar Vianna
Neto-ME (CNPJ: 03.924.346/0001-74)
P u lo d o G a t o n a r e d e !
www.revistapulodogato.com.br
www.revistapulodogato.com.br Facebook: revistapulodogato
(19) 3236-4622
(19) 98360-0784
revistapulodogato revistapulodogato

Diretora do grupo: Natália Miranda


Bombou nas redes sociais:
Jornalista responsável: Samia Malas (MTB:
INSTAGRAM
46.656). Jornalista: Samia Malas (redacao.
editora@gmail.com). Revisão: Luciana Faria. A #vocenapulodogato foi sucesso total nessa rede social.
Colaboradores do mês: Bárbara Freire; Camila
Rodrigues; Gabriela Giaculi e Karen Natasha.
Continuem postando fotos, pois seus gatinhos são lindos! Estamos
Padronização visual/Coordenação de arte: acompanhando tudo! Segue, abaixo, algumas delas:
Josiane Melo. Editoração: Akira Takahashi
Silveira e Josiane Melo.

Financeiro6X]DQD2OLYHLUD0RUJDGR
3URGXomRJUi¿FD Adriana Nascimento.
Assinaturas: Raiana Freitas. Distribuição em
clínicas e pet shops: Darlei de Brito (vendas.
editora47@gmail.com).

CTP e impressão:*UD¿ODUDistribuição em
bancas: Dinap Ltda. – Distribuidora Nacional de
Publicações, Rua Dr. Kenkiti Shimomoto, nº 1678
- CEP 06045-390 - Osasco-SP.

Administração, publicidade e assinaturas:


Allahil Bolivar Vianna Neto - ME
CNPJ: 03.924.346/0001-74 FACEBOOK
Av. Antônio Carlos Couto de Barros, 964
Sala 12 - Sousas - 13105-000 - Campinas - SP
O post “Você é mãe de gato?” foi bastante concorrido! Por mães e pais de
Fone: (19) 3236-4622 JDWRVDOXFLQDGRVSDUDPRVWUDUVHXV¿OKRV6HJXHDPRVWUDGRTXHUHFHEHPRV
topico.campinas@gmail.com
Periodicidade: Bimestral “Sou mãe desta gatinha “Este é o antes e
Circulação Nacional linda Bonny que resgatei o depois de um
da rua e tratei o olhinho GRVPHXV¿OKRV
GHODPDVLQIHOL]PHQWH que encontrei
OPINIÃO E SUGESTÃO era tarde demais e ela jogado no lixo.
A respeito de releases/novidades e ¿FRXFHJD%RQQ\p Ele não é só
lançamentos: imprensa.editora47@gmail.com muito carinhosa, onde lindo, é educado
Sugestões e comentários: imprensa.editora47@ eu vou ela vai atrás e também. Basta
gmail.com ama ganhar petiscos... chamar que ele
ela é o bebê da casa, o vem.”
PUBLICIDADE amor de nossas vidas.” Neide Duarte
Atendimento a criadores: Aline Silva (anuncie. Daiane Lamarque
pulodogato@gmail.com); Thamires Lima (anuncie.
editora47@gmail.com)
Atendimento a empresas e serviços:
Mayse Lenny (mayse.topco@gmail.com)

ATENDIMENTO AOS ASSINANTES


Novas assinaturas: SOMENTE NA INTERNET
Fone: (19) 3236-4622 / (19) 98360-0784
Check-up é receita de vida longa
www.revistapuldogato.com.br
para os pets NÃO ESPERE
Jane_Kelly/

assinatura.pulodogato@gmail.com
iStock.com

Atendimento a assinantes: Avaliação feita durante consulta de A PRÓXIMA


Fone: (19) 3236-4622 / (19) 98360-0784
assinatura.pulodogato@gmail.com
rotina ajuda a prevenir ou detectar EDIÇÃO
Exemplares avulsos: doenças antes que elas se agravem
Acompanhe a
www.revistapuldogato.com.br
assinatura.pulodogato@gmail.com
Pulo do Gato nas
redes sociais e se
As matérias assinadas da edição são de inteira informe sobre o
Foto: SIBAS_minich/iStock.com

responsabilidade do consultor ou técnico que as mundo felino!


assinam.Proibida a reprodução total ou parcial dos
WH[WRV VHP DXWRUL]DomR SUpYLD GR YHtFXOR RX GR revistapulodogato
autor. O conteúdo dos anúncios publicados é
de inteira responsabilidade das empresas e @revistapulodogato
criadores que os publicam.

Apoio:

|6 www.revistapulodogato.com.br
www.revistapulodogato.com.br 7|
Capa ‡3RU&DPLOD5RGULJXHV
Imagem meramente ilustrativa: Foremniakowski/iStock.com

|8 www.revistapulodogato.com.br
3RU&DPLOD5RGULJXHV‡ Capa

DIA DAS MÃES:


LOUCURAS QUE TUTORAS
de felinos já fizeram por
seus bebês peludos
*DWHLUDVFRQWDPFRPRpGHVHPSHQKDUHVVHSDSHO
WmROLQGRQDYLGDGHVHXVTXHULGRVELFKDQRV

“Comeu bem?”, “Cuidado MAMÃE SUPERCORUJA mas notei que o meu caçula, o
com a rua!”, “Tomou água hoje?”, Para Jessika Lima, empre- Theodoro, não estava muito bem.
WRGDVHVVDVSHUJXQWDVID]HPSDUWH ViULD GH &XULWLED35 VHXV WUrV ¿ Estava achando-o estranho e ele
do vocabulário diário de toda mãe. lhos - ou meninos, como gosta de não vinha comendo como habitual-
$¿QDO HODV HVWmR VHPSUH SUHR chamar seus pets - são puro amor. PHQWH ± D¿QDO PmH VDEH D URWLQD
cupadas com sua prole. E com as Ela é mãe de Theodoro Catena, um GR¿OKR´FRQWD³1RGLDGDYLDJHP
PmHVGH¿OKRVGHTXDWURSDWDVQmR Ragdoll de 2 anos; e mais dois ga- colocamos tudo no carro e fomos.
é diferente. Isso mesmo! Gateira tos da raça Norueguês da Floresta: Ao passar o pedágio, surtei e quis
WDPEpP p PmH H ID] GH WXGR SDUD Leopoldo, de 6 anos, e Napoleão, de voltar. Sabe aquele pressentimen-
garantir o bem-estar e a felicidade 3DUDGHL[iORVEHPHIHOL]HVHOD to de mãe que sente que há algo?
do seu bichano – mesmo que, para QmRPHGHHVIRUoRVHID]DWpPHVPR Então voltamos.” Não deu outra: na
LVVRHODWHQKDTXH¿FDUIHOL]DWpDR alguns sacrifícios. “Eu faço tudo por ocasião, foi descoberto um proble-
receber alguma baratinha morta de eles. Não viajo tanto quanto gos- ma no estômago do bichano. “Nem
presente. taria, porque sinto falta dos meus SUHFLVDGL]HUTXHDYLDJHPIRLFDQ
0DV D¿QDO YRFr VDEH TXH pets. Preciso mais deles do que eles celada, né?”, diverte-se a tutora.
estilo de mãe você é? Se a resposta de mim”, compartilha a tutora, que 0HVPRVDEHQGRTXHVHXV¿
IRL QmR RX ¿FRX FRP DTXHOD G~YL já adiou uma viagem em cima da lhos estarão em boas mãos, quando
da, nós, da Pulo do Gato, conver- hora por conta de um palpite, ou viaja, Jessika não para de pensar
samos com supermamães que con- melhor, uma intuição de mãe. “Em nos pequenos. Em uma viagem que
taram um pouco do seu dia a dia 2018, meu marido e eu planeja- IH] GH FDUUR SRU FLGDGHV LQWHULRUD
H DV ORXFXUDV TXH ID]HP SRU VHXV mos uma viagem de uma semana. nas da França e da Itália, a empre-
pequenos. Vale a pena ler e ver se Tínhamos comprado as passagens, sária sempre arranjava um jeito de
acontece igual na sua casa! SDJR WXGR H RUJDQL]DGR DV PDODV incluí-los no passeio, seja porque

www.revistapulodogato.com.br 9|
Capa ‡3RU&DPLOD5RGULJXHV

Fotos: reprodução: @TLN_CATS


Família linda: a supermãe Jessika Lima adora registrar os momentos
com seus meninos, como gosta de chamar os pets

encontrou um gato na rua, comprou nha vida. Eu não imagino a minha sário são comemoradas da mesma
algum souvenir de felino para sua vida sem eles. São membros da mi- forma. “Sei que no Brasil as festas
extensa coleção de objetos com o nha família”, fala com carinho. devem ser ‘mega blaster’, mas,
tema gato, ou pelo simples e genu- FRPRVRX¿OKDGHIUDQFHVHVHFUHV
íno fato de estar com saudade de CORAÇÃO DE MÃE ci numa casa onde as festas eram
seus amores. Aliás, graças à tec- É GRANDE comemoradas apenas com um bolo
nologia, mesmo quando viaja ela O coração de Virginie Dubru- feito em casa, acabei mantendo a
FRQVHJXH YHU VHXV ¿OKRV WRGRV RV le, de São Paulo-SP, é tão grande tradição francesa com todos, tanto
dias pelo Facetime e recebe notícias que tem espaço para todos os seus SDUD PHXV ¿OKRV GH TXDWUR SDWDV
deles praticamente de minuto em ¿OKRV ± KXPDQRV H SHOXGRV ³9HMR quanto para os de duas”, diverte-se
minuto. PXLWD VHPHOKDQoD HP WHU XP ¿OKR a tutora que comemora o aniver-
Além de promover condições JDWR H XP ¿OKR KXPDQR D JHQWH sário dos felinos com sachês. “Mas
apropriadas e saudáveis para o de- sofre quando eles adoecem, gas- o parabéns sempre é cantado com
VHQYROYLPHQWR GH VHXV ¿OKRV SH tamos o que for preciso para curá- muito amor”, garante.
OXGRV D FXULWLEDQD ID] TXHVWmR GH -los, lemos os rótulos dos alimentos Entretanto, nem tudo são
comemorar cada momento da vida pensando na qualidade - e não no ÀRUHV QRV FXLGDGRV FRP RV SHWV
de seus meninos como se fossem preço -, sorrimos feito bobas e pos- pondera a gateira, que já teve que
únicos. “Comemoro em grande esti- WDPRVFHQWHQDVGHIRWRV´GL]DPmH lidar com a perda de seus compa-
lo todos os aniversários. Encomen- de Alaska, de 2 anos, e Uyuni, de 1 nheiros. “Há 5 anos resgatei o Thay
GRERORFRPSUREDOmRSHUVRQDOL]D ano, ambos da raça Ragdoll, e do e a Mia. Eles me conquistaram de
do com nome e idade que cada um FDVDOGH¿OKRVELROyJLFRV/XDQDGH XPD IRUPD LQH[SOLFiYHO )L]HUDP
HVWiID]HQGRDFHQGRYHODWLURIRWR 20 anos, e Theo, de 16. “Da mesma o meu coração bater mais forte e,
e canto parabéns”, descreve. “Eles forma que reconheço um choro, re- daquela sensação, nasceu um amor
vivem muito pouco para não come- conheço um miado diferente. Estou incondicional, um amor de mãe.
PRUDUFDGDDQRDRODGRGHOHV´GL] sempre em estado de alerta.” Amor de mãe de gatos”, lembra.
³2VPHXV¿OKRVRFXSDPXPDSDUWH 3RUQmRID]HUGLVWLQomRHQWUH Porém, com o passar dos anos,
muito grande e importante da mi- RV ¿OKRV DWp DV IHVWDV GH DQLYHU os pequenos foram apresentando

| 10 www.revistapulodogato.com.br
3RU&DPLOD5RGULJXHV‡ Capa

Fotos: Virginie Dubrule


Virginie descobriu o amor pelos felinos e sua vocação para cuidar deles com
os pequenos Thay e Mia (foto à dir.). Hoje, é mãe de Alaska, de 2 anos (deitado com a tutora na foto), e
Uyuni, de 1 ano (à esq.), ambos da raça Ragdoll

complicações veterinárias que não gane, Ticyana não acha um proble- bom humor, que conviver com seus
poderiam ser solucionadas com me- ma as atitudes que Selina (7 anos), cinco bichanos acaba sendo um
dicação e cuidados. “Aos 2 anos, Isabella (7 anos), Leona (6 anos), test-drive para quando chegar a
Thay teve sua primeira crise de Kalel (6 anos) e Leopoldo (5 anos), KRUDGHWHU¿OKRVELROyJLFRV³$FUH
convulsão e foi diagnosticado com WRGRV VHP UDoD GH¿QLGD 65'  H dito que não tenha diferença entre
epilepsia. Desse dia em diante foi adotados em situação de abando- ser mãe de gatos e de crianças. O
uma montanha-russa, pois desco- no, demonstram todos os dias. “Ser meu marido e eu respeitamos os
brimos que ele tinha FeLV. A doença mãe de felinos é administrar as animais assim como respeitamos os
o levou embora em menos de um EULJDV H FRQVRODU RV FRUDo}H]LQKRV seres humanos, uma característica
ano”, recorda. A pequena Mia tam- partidos dos mais ciumentos”, conta que não é tão comum para a maio-
bém adoeceu e faleceu depois de 10 Ticyana. “É incrível como eles são ria das pessoas”, expõe.
meses. “Foi muito difícil. Por muito diferentes. Sinto que é necessário Respeito e mimos são dois
tempo me culpei e questionei se po- muito jogo de cintura e sensibilida- elementos fundamentais na vida
deria ter feito algo diferente. Hoje, de para atender a todos.” GRVVHXVELFKDQRVGL]7LF\DQDTXH
HQWHQGR TXH ¿] R SRVVtYHO H R LP A engenheira comenta, com PXLWDVYH]HVpDOYRGHFUtWLFDV³$O
possível para ajudá-los. Para mim,
eles são como anjos, que abriram o Todos reunidos: o trio Leopoldo, Kalel e Isabella em um clique raro e
VXSHUIRIR¬GLUHLWD7LF\DQDIHOL]GDYLGDFRP6HOLQDDLQGD¿OKRWHQRFROR
meu coração ao mundo mágico dos
)RWRV7LF\DQD&DURQH%DQ]DWR

felinos”, compartilha a tutora.

MAMÃE EM FASE
DE TEST-DRIVE
“Mãe, tô com fome!” Se os
IHOLQRVGH7LF\DQD&DURQH%DQ]DWR
engenheira agrônoma de Piracica-
ba-SP, pudessem falar, com certe-
]D HVVD VHULD XPD GDV IUDVHV PDLV
ditas pelo time que adora chamar
atenção da tutora. Mas não se en-

www.revistapulodogato.com.br 11 |
Capa ‡3RU&DPLOD5RGULJXHV

WDVFRPRJRVWDGHGL]HUHGRQRVGH

Fotos: Ana Paula Vivian / Instagram: @nut_cat_ca-


olho
histórias traumáticas - alguns vie-
ram como pacientes e outros res-
gatados para integrar a sua grande
família de peludos: Sabotagem (6
anos), Tequinha (4 anos), Sissi (4
anos), Blue (2 anos), Nut (2 anos)
e o caçulinha Little Tom (5 meses).
³(X QmR WHQKR ¿OKRV 0HXV JDWRV
certamente, tomaram o lugar de-
OHV´ FRQWD $QD 3DXOD HQIDWL]DQGR
que é ótimo dividir a vida com a
Médica veterinária Ana Paula Vivian não consegue trupe. “Fico maravilhada com toda
imaginar como passou tanto tempo sem a presença de seus bichanos.
e qualquer coisa que eles façam.
Mesmo perdendo um olho por conta de maus-tratos, Nut ainda esbanja
charme nos cliques feitos pela tutora Acho meus pets os mais inteligentes
e mais lindos!”
gumas pessoas tendem a estranhar. mento de algum deles”, conta. Contudo, ser mãe e veteri-
Para começar, os meus gatos não QiULDGHIHOLQRVID]FRPTXHRVSH
saem na rua. Eles ainda dormem OPA, NÃO SOU ludos andem na linha. “Como médi-
na cama, têm ‘babá’ quando viajo UMA MÃE NEURÓTICA FDYHWHULQiULDSUH]RSULQFLSDOPHQWH
HHXHQWHQGRRVLJQL¿FDGRGRVVHXV Ao contrário de muitas gatei- pela liberdade do gato ser gato. Eles
PLDGRV7XGRLVVRFDXVDHVWUDQKH]D ras, a médica veterinária Ana Paula são animais, nunca serão crianças.
para quem não tem gatos”, lista a Vivian, de Chapecó-SC, passou sua $PR HOHV FRPR PHXV ¿OKRV PDV
tutora. “No começo, eu implicava, infância sem a presença de um ani- HQWHQGRTXHDKXPDQL]DomRpDOWD
mas, hoje em dia, vejo que quem mal de estimação – o que, durante mente prejudicial para eles”, pon-
não entende é porque não convive a faculdade, causou estranhamen- tua. “A minha principal preocupação
com um felino, muito menos com to. Porém, depois de encontrar Ne- está relacionada especialmente à
vários. Aqui em casa, entendemos grinha, uma gata SRD de 8 anos, VD~GH SRU FRQWD GD PLQKD SUR¿V
e aprendemos a conviver como uma em estado de abandono na rua, seu são. Mas sem ser muito neurótica.”
família.” amor pelos felinos foi despertado.
Se o fato de serem criados “Ela surgiu na minha vida junto com
com tantas mordomias provoca es- a decisão de trabalhar com medi-
WUDQKH]D LPDJLQD TXDQGR 7LF\DQD cina felina”, conta Ana Paula com
começa a falar dos pequenos para alegria.
desconhecidos. “As pessoas acham 'H Oi SUD Fi D SUR¿VVLRQDO
que estou falando de alguma crian- adotou mais felinos, todos vira-la-
ça. Isso porque eles têm nome de
gente. Sempre que estou falando
giraffarte/iStock.com

de algum deles, parece que estou


me referindo a uma pessoa”, diver-
te-se. “Normalmente isso acontece
quando estou comentando sobre o
temperamento ou o mau comporta-

| 12 www.revistapulodogato.com.br
3RU&DPLOD5RGULJXHV‡ Capa

cessários para a sua recuperação,


Fotos: Tamires Oliveira Tescari

mas não foi possível salvar o seu


olho”, lembra. “Quando a cuidado-
ra que a tirou das ruas postou uma
foto dela no Instagram, foi amor à
primeira vista”, suspira a voluntária.
Para levar esse amor adian-
te, Tamires teve que manter a bi-
FKDQD HP XP ORFDO EHP HVSHFt¿FR
da sua casa e, especialmente, longe
dos olhos de alguns membros da fa-
mília. “Ela foi criada desde pequena
dentro do meu quarto, porque meu
Tamires Oliveira Tescari adora passar o máximo de tempo com seus pai era contra”, conta a tutora, en-
¿OKRVGHTXDWURSDWDVHVSHFLDOPHQWHTXDQGRYmRSDVVHDU9DOHQWLQDp IDWL]DQGR TXH D SHTXHQD QmR ¿FD
só amor com a tutora - parece que ela sabe o quanto Tamires a ama e presa, mas sabe que aquele é o seu
faz de tudo para o seu bem
lugar dentro de casa.
Entre os bichanos, Ana Paula cercada de animais abandonados Ela ainda relata que para
nutre um amor diferente - se é que H PXLWDV YH]HV HP HVWDGR FUtWLFR QmR GHL[DU D IHOLQD VR]LQKD RSWRX
H[LVWH HQWUH ¿OKRV  SHOR 1XW SRU de saúde. Contudo, foi lidando com por adotar outro pet. “Eu sempre
conta da sua história de vida. “Ele esse tipo de situação que ela en- tive receio que ela fugisse, pois ela
viajou de Xangri-lá a Porto Alegre controu um amor em forma de fe- só tem um olho e é bem assustada.
para ser atendido na clínica em que lino: a Valentina, uma gata da raça Então adotei o Frederico, um gato
eu trabalhava. Logo que me apro- Siamês, de 1 anos e 9 meses. “Ela SRD de 9 meses. Não se desgrudam
ximei da caixa de transporte, senti estava bem debilitada e com o olho por nada”, declara. “Faço de tudo
um cheiro podre e vi um gato com muito machucado. Foi resgatada da SRUHOHV(OHVVmRRVPHXV¿OKRV´
D IDFH WRGD GHV¿JXUDGD´ UHFRUGD rua e recebeu todos os cuidados ne-
“Porém, por mais machucado e com

giraffarte/iStock.com
dor que ele estivesse, deixou que
HX ¿]HVVH WXGR (UD XP JDWR PXL
WR ERQ]LQKR´ DOHJUDVH D WXWRUD
Ela conta que ele a conquistou de
um jeito avassalador. “Não consigo
imaginar a minha vida sem ele. Nut
passou um mês internado e, logo de
LQtFLRMiRFKDPDYDGHµPHX¿OKR¶´
confessa.

MAMÃE COMPLETAMENTE
APAIXONADA
A voluntária de um abrigo de
animais Tamires Oliveira Tescari, de
Mirassol-SP, passa boa parte do dia

www.revistapulodogato.com.br 13 |
Comportamento ‡3RU.DUHQ1DWDVKD

7 formas dos gatos


demonstrarem carinho
'LVFUHWRVIHOLQRVPDQLIHVWDPVHXDPRUSHORVWXWRUHV
GHPDQHLUDVXWLOHPFDGDGHWDOKHGRGLDDGLD6HUi
TXHYRFrVDEHUHFRQKHFHUHVVHVVLQDLVGHDIHWR"

Gatos são animais extrema- cebidas em lares com muitos gatos. há pessoas estranhas na casa, ba-
mente amorosos, porém, nem sem- Embora alguns tutores re- rulhos desconhecidos ou outras si-
pre essa manifestação de ternura latem que as fêmeas são mais ca- tuações estressantes para o gato”,
¿FD FODUD SDUD RV WXWRUHV  PXLWR ULQKRVDV 5HQpH D¿UPD TXH R TXH esclarece Renée. Leila destaca que
menos, então, para quem os visita existe são apenas maneiras diferen- os sinais de carinho costumam apa-
RFDVLRQDOPHQWH $¿QDO TXDQGR R tes dos gatos demonstrarem cari- recer principalmente após um perí-
felino está sendo afetuoso conosco? nho, tanto machos quanto fêmeas. odo de ausência dos tutores, quan-
A forma dos gatinhos demonstrarem “Da mesma forma, animais jovens, do eles chegam em casa. “A hora de
carinho pode ser clara ou sutil. Além adultos e idosos podem demonstrar dormir também é um momento que
disso, muda muito de um bichano FDULQKRLJXDOPHQWH´HQIDWL]D/HLOD os donos notam muito o carinho de
SDUDRXWURD¿QDOFDGDXPWHPVXD Sena, veterinária do Catus Centro seus gatinhos”, ressalta.
própria personalidade. Segundo Veterinário, de Brasília-DF, acres- Para ajudar a desvendar es-
D PpGLFD YHWHULQiULD HVSHFLDOL]D centa que como gatos idosos não ses animais misteriosos, a Pulo do
da em felinos Renée Cristine Car- têm a mesma vitalidade dos jovens, Gato listou cinco formas que os feli-
valho, do Rio de Janeiro-RJ, gatos a demonstração de carinho dos ve- nos encontram para demonstrar seu
são animais bastante meigos e ca- lhinhos pode ser mais difícil de ser FDULQKR&RQ¿UDHYHMDTXDOGHODVR
ULQKRVRV SRUpP PXLWDV YH]HV VmR percebida. seu pet usa na sua casa!
incompreendidos, pois demonstram O afeto pode ocorrer a qual-
sentimentos de forma diferente dos quer hora do dia, mas, como há ga- 2VJDWRVVmRPXLWR
cães - que pulam sobre os tutores e WRV HQYROYLGRV LVVR VLJQL¿FD TXH D PDLVGLVFUHWRV
abanam a cauda para qualquer um. vontade do felino impera nas carí-
'HPRQVWUDPVHX
“Os gatos são muito mais discre- cias. “Pode ser pela manhã, quan-
tos. Demonstram seu carinho com do o tutor acorda, durante o dia, FDULQKRFRPXP
um toque de focinho, uma piscadela ou à noite, quando o tutor chega WRTXHGHIRFLQKR
ou simplesmente deitando perto do do trabalho, mas é sempre quando
XPDSLVFDGHODRX
WXWRU´ GL] 5HQpH GHVWDFDQGR TXH o animal se sente confortável para
as diferentes formas de demonstrar demonstrar seu afeto, o que ge-
VLPSOHVPHQWHGHLWDQGR
carinho podem ser facilmente per- ralmente exclui momentos em que SHUWRGRWXWRU

| 14 www.revistapulodogato.com.br
3RU.DUHQ1DWDVKD ‡ Comportamento

Foto: YakobchukOlena/iStock

Encostar e esfregar o focinho e os bigodes


em pessoas ou outros animais são alguns
exemplos de carinho por contato

www.revistapulodogato.com.br 15 |
Comportamento ‡3RU.DUHQ1DWDVKD

1 CONTATO DIRETO
O que vem à mente de qualquer gateiro em primeiro lugar quando se pensa no carinho dos gatos? A apro-
ximação, claro. “Encostar o focinho (em pessoas ou outros animais), dar cabeçadas, esfregar o focinho e
as vibrissas (bigodes), lamber (embora a lambedura nem sempre seja sinal de carinho), deitar no colo, deitar sobre
ou em frente a objetos que o tutor está dando atenção (livros, jornais, computadores etc.) são alguns exemplos
de carinho por contato”, destaca Renée.
Outro sinal de carinho comum dos gatos para com seus tutores, de acordo com Leila, é o famoso ato de
“amassar o pão”. “Os gatinhos sobem no colo e começam aquela massagem gostosa na barriga do tutor. Enquanto
UHDOL]DPDPDVVDJHPPXLWRVJRVWDPGH¿FDUHQFDUDQGRRGRQRHIHFKDQGRYDJDURVDPHQWHRVROKLQKRVRXGHL
xá-los semifechados”, destaca Leila.

2 RONRONANDO
Gatos expressam muitos sentimentos por meio do ato de ronronar. E a satisfação ao dar e receber carinho
é um deles. Segundo Renée, ronronar é, de fato, a demonstração de carinho felina sem contato físico mais
conhecida. No entanto, a veterinária ressalta que nem sempre o ronrom está atrelado ao afeto. “O gato, em geral,
URQURQDTXDQGRVHVHQWHIHOL]FRQIRUWiYHOTXDQGRTXHUGHPRQVWUDUDPRUHIHOLFLGDGHSRUpPRURQURQDUSRGH
também funcionar como um ‘mantra’ para situações em que o animal está nervoso ou incomodado. Por isso, alguns
gatos ronronam quando estão no veterinário ou mesmo quando estão com dor”, pondera.

3 LAMBIDA DE GATO
Tutores de cães sabem que seus pets costumam demonstrar afeição por meio de “lambeijos”. Mas e quanto
aos gatos? Entre os bichanos, isso também pode acontecer, mas a regra geral, de que o carinho muda de
gato para gato, aqui também é válida. “Gateiros certamente já se depararam com animais que puxam a mão da
SHVVRDSDUDID]HUFDULQKRRXTXHODPEHPGLVFUHWDPHQWHRQDUL]GRWXWRU7RGDVVmRIRUPDVGHGHPRQVWUDUDIHWR´
revela Renée.

4
Foto: bbbrrn/iStock

BARRIGA PARA CIMA


Falando em deitar de barriga para cima, por serem animais
XP WDQWR GHVFRQ¿DGRV HVVH p RXWUR KiELWR TXH GHPRQVWUD
TXHRJDWRFRQ¿DQDSHVVRD(PDLVTXHWDPEpPWHPFDULQKRSRU
HOD ³2 JDWR QmR FRQ¿D HP TXDOTXHU XP UDSLGDPHQWH DOpP GH VHU
muito reservado, por isso, ver um gato mostrar sua barriga é uma
SURYDLPHQVDGHFRQ¿DQoD´D¿UPD5HQpH/HLODDFUHVFHQWDTXHRIDWR
de os felinos se jogarem no chão, de barriga para cima para serem
DFDULFLDGRVSHODVSHVVRDVWHPXPJUDQGHVLJQL¿FDGRpXPDWRGH
total entrega “visto que gatos não são muito fãs de carinho na barriga
por se sentirem vulneráveis”, explica a especialista.

| 16 www.revistapulodogato.com.br
3RU.DUHQ1DWDVKD ‡ Comportamento
)RWR0HSOH]LLB&NL6WRFN

Respeite o espaço do felino!


Apesar dos gateiros sempre desejarem os felinos por perto,
vale lembrar que os gatos - e qualquer outro animal - não gostam
de interações forçadas. Então, deixe-os livres para demonstrarem
seu afeto quando se sentirem à vontade para isso. “Pegar o animal
no colo, abraçar e beijar, quando o gato está claramente irritado e
tentando se desvencilhar, pode causar um estresse muito grande e
URPSHUXPDUHODomRGHFRQ¿DQoDHQWUHJDWRHKXPDQRSRGHQGR
ID]HUFRPTXHRDQLPDOVHGLVWDQFLHHHYLWH¿FDUSHUWRGRWXWRU´
alerta a veterinária Renée Cristine Carvalho, frisando que respeitar
o espaço do animal é fundamental.

Pegar o animal quando ele está claramente irritado e tentando


se desvencilhar pode causar um estresse muito grande

www.revistapulodogato.com.br 17 |
Comportamento ‡3RU.DUHQ1DWDVKD

5 DANDO “PRESENTES”
Se seu gato costuma deixar algumas lembranças para mostrar seu instinto de caçador pela casa, saiba
que isso também pode ser considerado um ato de carinho. Os “presentes” podem ser, por exemplo,
lagartixas, baratas, roedores e pássaros.

6 BEIJO DO GATO
Este é um sinal de carinho que donos conhecem bem, o chamado beijo do gato. Nele, o felino pisca
os olhos lentamente. Segundo Renée, sendo o beijo uma forma sincera de demonstração de carinho,
DPL]DGHHDPRUSDUDQyVKXPDQRVSDUDRJDWRLVVRQmRpGLIHUHQWH³(VVDSLVFDGHODOHQWDpRIHUHFLGDSHOR
gato apenas aos ‘merecedores’ do seu afeto. Por isso nós associamos a um beijo.” Portanto, quando o gato
lançar esse olhar para você, não hesite em retribuir com piscadelas.

7 EXPRESSÃO CORPORAL
Outros exemplos sutis de que o pet tem afeição pelo tutor são revelados por sinais corporais do felino.
O fato de ele estar no mesmo ambiente que o tutor, dar leves mordidas no dono e o hábito de tremer
DFDXGDVmRDOJXQVGHOHV³(OHVWUHPHPDFDXGDGHIRUPDVHPHOKDQWHDTXHPDFKRVID]HPTXDQGRGHPDUFDP
território com urina, porém sem urinar”, descreve Renée.

Não são sinais de carinho!


Alguns comportamentos que os tutores julgam como sendo um ato de amor nem sempre têm esse
VLJQL¿FDGR$YHWHULQiULD/HLOD6HQDH[SOLFDTXHRVWXWRUHVGHSULPHLUDYLDJHPSRUH[HPSORQmRVDEHPUHFR
nhecer brincadeiras e nem a linguagem corporal felina que indica que o gato não quer afagos. “É comum no
FRQVXOWyULRUHODWDUHPTXHDFKDYDPTXHRDEDQDUGDFDXGDGRJDWRVLJQL¿FDYDRPHVPRTXHRUDERDEDQDQGR
de um cão. E é justamente o contrário, a cauda do gato bem agitada demonstra desconforto com a situação,
é como se fosse um medidor de paciência: quanto mais agitada, mais incomodado o bichano está”, adverte.
2XWURV IHOLQRV GHVFUHYH D YHWHULQiULD DWp DFHLWDP ¿FDU QR FROR SRUpP ORJR WHQWDP PRUGHU R WXWRU
quando ele se aproxima para acariciá-los, pois só querem, de fato, um colo quentinho. “Tem donos que acham
que o gato tem algum desvio de comportamento por isso, mas precisamos lembrar que gatos gostam de certa
independência e demonstrarão quando estão desconfortáveis. Com o tempo o dono vai reconhecendo o que é
FDULQKRHWDPEpPTXDQGRRJDWRHVWiD¿PGHUHFHEHUHUHWULEXLUFDULQKR´IULVD/HLOD

Agradecimentos:
LEILA SENA RENÉE CRISTINE
Médica veterinária pós-graduada em Médica veterinária graduada pela
Medicina Felina pela ANCLIVEPA- UFRRJ e mestre em Clínica e
SP. Atua em Brasília-DF, em Reprodução Animal pela UFF, com
seu consultório, o Catus Centro pesquisa voltada para a Clínica de
Veterinário, exclusivo para felinos. Felinos.
E-mail: leila@medicadegatos.com.br

| 18 www.revistapulodogato.com.br
www.revistapulodogato.com.br 19 |
Saúde ‡3RU.DUHQ1DWDVKD
Foto: Alikaj2582/iStock.com

7 maneiras de
proteger o felino no inverno
6DLEDFRPRPDQWHUVHXJDWLQKRVDXGiYHOFRPD
FKHJDGDGDHVWDomRPDLVIULDGRDQR

| 20 www.revistapulodogato.com.br
3RU.DUHQ1DWDVKD ‡ Saúde

Quando está com


frio, o gato se
esconde debaixo
dos cobertores

Com a chegada das baixas para que eles se escondam podem


temperaturas, cresce a preocupa-
1 DESCUBRA SE
ser ótimas opções para mantê-los
ção dos gateiros com a saúde dos O ANIMAL ESTÁ quentinhos”, sugere Cynthia Berga-
VHXV IHOLQRV $¿QDO R LQYHUQR H[L COM FRIO PLQLYHWHULQiULDFRPHVSHFLDOL]DomR
ge cuidado redobrado dos tutores Animais com frio costumam em Medicina de Felinos da clínica
para manter os bichanos aquecidos buscar áreas aquecidas e manter MedCat, de Campinas-SP.
e longe das doenças mais comuns contato com outros pets e pes- Isabela Fortuna Gasparello,
desse período. soas. O gato com frio “se enrola” médica veterinária especialista em
Para que você possa apro- para dormir, aninha-se ao tutor, se atendimento de felinos do hospital
veitar com tranquilidade a estação esconde debaixo dos cobertores e &DWVGH6mR3DXOR63D¿UPDTXH
mais fria do ano ao lado dos gati- também tenta se aquecer ao sol. em casos extremos, animais que
nhos, anote as dicas desta matéria! “Caminhas macias, tocas e caixas estão com frio podem apresentar

www.revistapulodogato.com.br 21 |
Saúde ‡3RU.DUHQ1DWDVKD

FDODIULRVUHÀH[RTXHFRPHoDFRP

Foto: ablokhin/iStock.com
Gatos tentam
apenas uma semana de vida. “Para
se aquecer ao
DPHQL]DU R GHVFRQIRUWR R LGHDO p sol durante o
manter o animal em local sem cor- inverno
rente de ar, com abrigo confortável
e aquecido, cobertores e, em casos
HVSHFt¿FRV D XWLOL]DomR GH URXSDV
pode ser indicada.” A especialista
alerta para o fato de que os feli-
nos não sabem reconhecer qual é o
melhor local para se aquecerem e,
FRQVHTXHQWHPHQWHQmRLGHQWL¿FDP
possíveis perigos. “Por isso, quan-
do o animal tem acesso à garagem,
é crucial que se avalie se o mesmo rus responsáveis pela rinotraqueíte
pode estar deitado próximo ao mo- felina e, em decorrência da diminui-
WRUGRFDUUR´HQIDWL]D ção da imunidade pela mudança de 4 FORTALEÇA A
temperatura, que gera um estresse, IMUNIDADE
2 ATENTE-SE ÀS o vírus pode ser reativo, levando às Existem outras maneiras de
DOENÇAS DE INVERNO manifestações clínicas.” fortalecer o sistema imunológico do
As baixas temperaturas, es- felino, além de manter a vacinação
pecialmente quando extremas, po- 3 VACINE SEU GATINHO em dia. Todas elas estão relaciona-
dem tornar mais sensíveis o trato A melhor forma de cuidar das a cuidados básicos no dia a dia
respiratório e os ossos dos animais, dos pets no inverno é focando na do animal. De acordo com Cynthia,
agravando dores nas articulações. prevenção. E as vacinas são a prin- os gatos devem receber alimento de
Dentre as principais doenças cipal ferramenta para isso, bas- boa qualidade, ter acesso a fontes
que acometem os gatos no inverno ta respeitar o protocolo vacinal de de água e caixas de areia em am-
está a rinotraqueíte felina. Também cada animal, que é adequado de bientes seguros, contar com locais
conhecida como complexo respi- acordo com idade, estilo de vida e adequados para descanso e arra-
ratório felino, a enfermidade é um FDUDFWHUtVWLFDV HVSHFt¿FDV GR SHW nhadura e interagir com os tutores.
perigo para os bichanos, principal- “Não existe um protocolo geral, Outro ponto importante é manter
PHQWH ¿OKRWHV H LGRVRV $ GRHQoD PDVVLPXPHVSHFt¿FRSDUDDQH ativo o instinto predador do bicha-
pode apresentar sintomas similares cessidade de cada animal, que deve no, por meio de brincadeiras com
à gripe nos humanos, como espir- ser avaliado pelo seu médico vete- brinquedos e varinhas. “Mantendo
ros, febre e salivação. Contudo, não rinário e se estende para as dife- esses cinco pilares do bem-estar do
oferece risco aos tutores. rentes estações. Dentre as vacinas felino em dia, certamente o sistema
De acordo com Isabela, o rotineiramente administradas está a imune do seu gatinho estará apto
ideal é evitar mudanças bruscas de que confere proteção aos sintomas a protegê-lo no inverno”, comenta.
temperatura, que podem levar à GDULQRWUDTXHtWHIHOLQD´D¿UPD,VD
diminuição da imunidade e, conse- EHOD$LPXQL]DomRFRQWUDDGRHQoD 5 MANTENHA A CASA
quentemente, predispor ao apareci- é feita por meio da vacina tríplice QUENTINHA
mento de doenças. “Alguns animais (V3), quádrupla (V4) ou quíntupla O sistema imunológico dos
podem ser portadores de um dos ví- (V5). JDWRV¿OKRWHVHLGRVRVpPDLVIUiJLO

| 22 www.revistapulodogato.com.br
3RU.DUHQ1DWDVKD ‡ Saúde

o que demanda maior atenção para prolongada ao sereno ou frio inten-


protegê-los contra o frio. Isabela 6 CUIDE DA VR ¿FDP VXMHLWRV D YiULDV HQIHU
H[SOLFDTXHRV¿OKRWHVQmRSRVVXHP ALIMENTAÇÃO midades, sendo a hipotermia (bai-
WHUPRUUHJXODomR H¿FLHQWH RX VHMD Para garantir a saúde do ga- xa temperatura corporal) uma das
QmR VmR FDSD]HV GH PDQWHU D SUy tinho, o ideal é manter a dieta com principais. Mantê-lo protegido em
pria temperatura. Isso acontece até uma ração de boa qualidade a qual FDVDpDPHOKRURSomR´GL]&\QWKLD
a quarta ou sexta semana de vida, ele esteja acostumado. Porém, nes-
e pode levar à hipotermia e, em sa época, os felinos tendem a comer Agradecimentos:
casos mais graves, até à morte do até 15% mais do que nos outros pe-
animal de estimação. “Já os idosos, ríodos do ano, por gastarem mais
por possuírem menor quantidade energia para manter a temperatura
de massa magra (musculatura), po- do corpo.
GHP DSUHVHQWDU PDLRU GL¿FXOGDGH É importante também se
em manter a temperatura”, comple- atentar à ingestão de água. “No in-
ta a médica veterinária. verno, felinos tendem a beber me-
CYNTHIA BERGAMINI
Ainda no caso dos gatos ido- nos água”, aponta Cynthia. O pro- Pós-graduada em Cirurgia de
sos, outro problema está relacio- blema é que, em função da baixa Pequenos Animais pela European
School of Veterinary Postgraduate
nado às articulações. Segundo Isa- ingestão hídrica, doenças do trato
Studies, em Londres; pós-graduada
bela, os felinos mais velhos podem urinário, como a cistite, podem ocor- em Urgências e Clínica de Pequenos
apresentar doenças, como a osteo- rer com maior frequência. “Além de Animais pela Asociación Española
ingerir menos água, os animais ten- de Veterinaria Aplicada, em
artrose, que se agravam no inverno.
Madri; pós-graduada em Medicina
A enfermidade afeta a cartilagem e dem a segurar e demorar mais para Felina pelo Instituto Equalis, São
GL¿FXOWDDORFRPRomRGRVSHWVHWDO ir à caixa sanitária”, alerta Isabela. Paulo. Desenvolveu experiências
como nos humanos, pode aumentar Para evitar doenças, Cynthia sugere SUR¿VVLRQDLVLQWHUQDFLRQDLVQDiUHD
de atendimento clínico veterinário
a intensidade da dor quando a tem- manter o estímulo para o pet beber
a felinos domésticos em Zurique
peratura está mais fria. “Portanto, água, como por meio da disposição e Madrid e, atualmente, exerce
¿OKRWHV H LGRVRV GHYHP VHU PDQWL de vasilhas largas, água fresca, fon- atendimento exclusivamente a felinos
domésticos em sua Clínica MedCat -
dos dentro de casa, em área aque- tes e bebedouros pela casa.
Medicina de Felinos, Campinas-SP.
cida para sono e descanso ou que
possua calor suplementar (como 7 EVITE PASSEIOS
EROVDV WpUPLFDV PRUQDV  H RV ¿ A recomendação é unâni-
lhotes devem permanecer preferen- me entre os especialistas: seja no
cialmente com a mãe. Ainda, deve- inverno ou não, nada de passeios
se evitar tosar os animais, e gatos externos com os felinos. Isso por-
sem pelos (Sphynx) ou com pouca que, no frio, além de correrem ris-
massa magra podem ser vestidos cos inerentes às “voltinhas”, como
com roupas para a manutenção da atropelamentos e envenenamentos, ISABELA FORTUNA GASPARELLO
RV JDWRV DLQGD ¿FDP H[SRVWRV DR Médica-veterinária formada
temperatura”, salienta a especialis-
pela Unesp (Araçatuba), com
ta, frisando, porém, que as roupas sereno. “Passeios são sempre de- residência em Clínica e Cirurgia de
VyGHYHPVHUXWLOL]DGDVVHRDQLPDO saconselhados. Felinos que têm o Pequenos Animais (FMVZ - USP),
de estimação aceitá-las, para não estilo de vida indoor têm maior lon- aprimoramento em Medicina Felina
(CETAC), mestranda em Clínica
gerar nenhum tipo de estresse no gevidade, mais qualidade de vida e, Veterinária (FMVZ - USP). Atende no
felino de estimação. portanto, mais saúde. Em exposição Hospital 4Cats, de São Paulo-SP.

www.revistapulodogato.com.br 23 |
Em dia com a raça ‡3RU6DPLD0DODV

Exótico:
como anda
sua criação?
8PFULDGRUEUDVLOHLURHXPD
FULDGRUDLWDOLDQDFRQWDP
FRPRDUDoDXPDGDVPDLV
SRSXODUHVGRPXQGRIHOLQR

Foto: Silvia Pratta/Gatil Daruma


YHPVHQGRFULDGD

Ele é líder em quantidade de


exemplares em competições felinas
e conhecido no mundo todo como o
Persa de pelagem curta. O Exótico
conquistou sua legião de fãs mun-
do afora com seus olhos redondos
e pelagem um pouco mais fácil de
manter do que a do famoso, ado-
rado e vistoso Persa. No ranking de
raças mais populares da Cat Fan-
ciers Association (CFA), o Exótico
permaneceu no topo entre os anos
de 2014 e 2017, sendo uma das ra-
ças mais criadas no mundo da ga-
WR¿OLD1R%UDVLOQmRpGLIHUHQWH$
VHJXLUFRQ¿UDDWXDOL]Do}HVGDFULD
ção desse gato compartilhadas pelo WW16 NW SC BR*
brasileiro Alex Martins - de Soro- Daruma Mika JW DSM,
caba-SP, que cria Exóticos e Persas do gatil Daruma: em
2016, consagrou-se
pelo gatil Daruma há 10 anos - e Campeã Mundial em
pela criadora Tatiana Motolese, Viena, na Áustria

| 24 www.revistapulodogato.com.br
3RU6DPLD0DODV ‡ Em dia com a raça

do gatil Welcome, que cria Persas Exótico em sua linhagem, mesmo


e Exóticos desde 1985 na Itália, um esse gato sendo um Persa legítimo.
dos países europeus onde a raça é “Um exemplo: meu gato, o NW SC
mais apreciada. %5'DUXPD5RFFRp¿OKRGHXPD
gata da raça Exótico com um macho
PADRÃO DA RAÇA Persa. Para a FIFe, ele é Persa e,
Nos últimos anos a raça não para CFA, é Exotic Longhair”, apon-
VRIUHXDOWHUDomRHPVHXSDGUmRR¿ ta o criador.
cial, porém, segundo Alex – que é
¿OLDGR j &)$ H j Fédération Inter- PELAGEM DE EXÓTICO
nationale Féline (FIFe) – por muito Como o Exótico teve sua ori-
tempo o que popularmente deter- gem no gato Persa, eles seguem o
minava o excelente padrão da raça PHVPRSDGUmRR¿FLDO³$VVLPFRPR
era a narina. “Acreditava-se que o Persa, a exigência do Exótico é
quanto mais profunda e alta, me- ter um corpo robusto, mas curto,
OKRU )HOL]PHQWH KRMH R H[HPSODU com formas arredondadas e olhos
que apresenta essas características arredondados e intensos em sua
pSHQDOL]DGRHPH[SRVLo}HVSRLVR cor”, ressalta Alex. Entretanto, uma
focinho bem espaçado em relação diferença separa as raças: a pela-
aos olhos, e as narinas com abertu- gem - no Exótico, ela é formada
UDVX¿FLHQWHSDUDTXHRJDWRUHVSLUH SRU PXLWR VXESHOR ³,VVR ID] FRP
bem são fundamentais para a saúde TXHVHXPDQWR¿TXHHUHWRVHPTXH
do felino”, explica Alex, ao ressal- seja espetado. Sua pelagem é se-
tar que isso não implica que a raça dosa, aveludada e bastante densa.
deva ter focinho alongado. “A aten-

Foto: Silvia Pratta/ Gatil Daruma


ção está para o posicionamento do
IRFLQKRQDIDFH´HQIDWL]D

EXÓTICO DE PELO
LONGO É PERSA?
A resposta a essa pergunta
pVLP'RVFUX]DPHQWRVHQWUHXP
gato Exótico com um gato Persa
(totalmente permitido e desejado),
ou entre dois Exóticos podem nas-
FHU¿OKRWHVGHSHODJHPORQJD 3HU
sa) ou de pelagem curta (Exótico).
“Na FIFe, por exemplo, não existe
Exótico de Pelo Longo. Ou ele é Per-
sa (pelo longo) ou Exótico (pelo cur-
to)”, explica Alex. Já na CFA, exis- NW CH BR*Daruma Logan JW: em
2017, foi Junior Winner, National
te a nomenclatura Exotic Longhair, WinnerH¿QDOLVWDGRWorld Cat
que designa gatos que possuem Show na Holanda

www.revistapulodogato.com.br 25 |
Em dia com a raça ‡3RU6DPLD0DODV

Fotos: Ballari Devid/Welcome Cattery


Exóticos de Tatiana Motolese nas cores mais comuns na Itália:
branco (Gata: IT*Welcome Diva), vermelho tabby (IT*Welcome
Double Trouble) e tortie (Gato: IT*Welcome Dadaumpa)

O aspecto é similar a uma pelúcia”, enfermidades sejam excluídos da Tatiana conta que alguns
descreve o criador brasileiro. Tatia- reprodução. São elas: a doença gatos foram afetados pela PKD em
na destaca que, em contraponto, a renal policística (PKD), o vírus da seu país em uma época em que
pelagem do Persa deve ser longa, leucemia felina (FeLV) e o vírus da muitos Exóticos foram importados
GHQVD ¿QD FRP WH[WXUD VHGRVD H LPXQRGH¿FLrQFLDIHOLQD ),9 ³$TXL dos Estados Unidos, de forma mas-
nada lanosa. está o principal motivo pelo qual siva. “Hoje em dia, após a castração
QmRVHGHYHFRPSUDU¿OKRWHHPVL desses exemplares, a doença não é
TODAS AS CORES tes como Mercado Livre, OLX ou em mais uma realidade nos gatis da-
Todas as cores são permiti- pet shops”, alerta Alex. qui”, aponta.
das no Exótico. No Brasil, Alex con-
ta que as mais comuns e populares
À esquerda, Exótico (Mika), ao lado
VmRSUHWRD]XO FLQ]D YHUPHOKRH

Foto: Silvia Pratta/ Gatil Daruma


de Exotic Longhair (CFA) ou Persa
creme nas variações de cores sóli- (FIFe) Rocco
das ou bicolores, e as mais difíceis
de serem encontradas são silver
shaded, chinchila e golden.
7DWLDQD FULDGRUD ¿OLDGD j
FIFe, conta que na Itália as cores
mais populares da raça são branco,
preto, vermelho e tortie, enquanto
as mais raras são as mesmas cita-
das por Alex no Brasil.

MAIS SAÚDE
O Exótico pode ser acome-
tido por três doenças caso o cria-
dor não faça testes em seu plantel
para que gatos portadores dessas

| 26 www.revistapulodogato.com.br
3RU6DPLD0DODV ‡ Em dia com a raça

DOL]DGRSRUWHUDOFDQoDGRHVVHIHLWR

Foto: Cortijo

Foto: Silvia Pratta


HP VHXV H[HPSODUHV ³7DOYH] HVVH
VHMD R PDLRU GHVD¿R SDUD XP FULD
dor de Exótico”, reforça Tatiana, que
acredita ter havido uma melhora
muito grande dos plantéis italianos
desde a década de 1990 até hoje.
“Existe muito mais intercâmbio de
([yWLFRVHQWUHJDWLVHXURSHXV´D¿U
ma Tatiana.

DESTAQUES BRASILEIROS
Ultimamente, o Brasil tem
SC BR Mahayana Mr. JK of Felice Cattus,
obtido bons resultados em exposi-
do gatil Felice Cattus, que conquistou o
título de Campeão Supremo (SC) ções internacionais com exemplares
da raça Exótico, bem como de Per- NW SC BR Daruma Lolita, de
Foto: Silvia Pratta

sas. Parte desses vencedores Exóti- propriedade do gatil Montjuic, foi


cos pertence ao gatil de Alex. “Com National WinnerHP
o SC BR*Daruma Bubblé (meu pri-
meiro Exótico), recebi o título de tros dois exemplares tiveram des-
melhor da raça 2009/2010 e de me- taque: Cat Kenay Jay-Z consagrou-
lhor gatil, pelo Feline Club/CFA. De- se Junior Winner e National Winner
pois disso, decidi trabalhar no aper- FRPR ¿OKRWH H 'DUXPD /ROLWD GH
feiçoamento da raça, com objetivo propriedade do gatil Montjuic, como
GH ID]HU YLWULQH SDUD R PXQGR GR National Winner adulta”, continua,
gato Exótico nascido no Brasil”, con- ao citar alguns gatis brasileiros de
ta o criador. Em 2014, Alex obteve Exótico que têm tido destaque em
o desejado quando Mika conquistou exposições internacionais, como:
seu título de Junior Winner na Ar- Montjuic, 7Lifes, Cat Kenay, Felice
gentina. “Aqui no Brasil, ela foi me- Cattus e DeAbaete.
NW BR Cat Kenay Jay-Z, JW, do gatil lhor Filhote do Ano, melhor Fêmea
Cat Kenay, foi Junior Winner e National do Ano, melhor exemplar de sua
Winner FRPR¿OKRWHHP
categoria, National Winner e Gato
do Ano 2014 pelo Clube Brasileiro
do Gato. Em 2016, foi novamente
DESAFIOS DA CRIAÇÃO Campeã Nacional e consagrou-se
Agradecimentos:
Como o Exótico possui pela- Campeã Mundial em Viena, na Áus-
gem mais curta que a do Persa e, tria”, aponta. “Antes de meus exem-
ALEX MARTINS
SRUWDQWR VXDV RUHOKDV ¿FDP PDLV plares, no Brasil tivemos um Exótico Gatil Daruma
expostas, Alex acredita que o de- PXLWRLPSRUWDQWHSDUDQRVVDJDWR¿ www.facebook.com/BR.Daruma
VD¿R HVWHMD HP REWHU RUHOKDV SH lia. Trata-se do poderoso Mahayana
TATIANA MOTOLESE
quenas e arredondadas, inseridas Mr. JK of Felice Cattus. Ele foi um Gatil Welcome
lateralmente. O criador sente-se re- gigante da raça. Ano passado ou- www.welcomecat.com

www.revistapulodogato.com.br 27 |
Raça ‡3RU.DUHQ1DWDVKD

Tonquinês: gato de
olhos apaixonantes
)HOLQRGHRULJHPRULHQWDOHQFDQWDJDWHLURVFRP
VXDSHUVRQDOLGDGHDPiYHOHROKRVGHFRU~QLFD

Resultado da união entre o tional Cat Association (TICA) em lidade amável. Não é para menos
Siamês e o Burmês, o gato Tonqui- 1979 e na The Cat Fanciers’ Asso- TXH HP  R 7RQTXLQrV ¿FRX
nês foi o primeiro com pedigree a ciation &)$  HP  $ EHOH]D em 21º lugar entre as raças felinas
encantar gateiros com aqua eyes é apenas um dos pontos positivos mais populares no ranking da CFA
(olhos cor de água). A raça foi acei- GHVVHV JDWRV D¿QDO 7RQTXLQHVHV e, em 2017, conquistou o 17º lugar
ta no campeonato da The Interna- são conhecidos por sua persona- no ranking de popularidade da or-

Grand Champion RW Pendragon Jessie’s Girl / Pendragon Cattery / Foto: Chanan


Olhos cor aqua e muita
doçura são alguns
destaques da raça

| 28 www.revistapulodogato.com.br
3RU.DUHQ1DWDVKD‡Raça

ONDE ENCONTRAR
Pendragon Cattery - Laurie Holmes, foto por Chanan

A RAÇA
Segundo a secretária da PADRÃO TONKS
Tonkinese Breed Association (TBA)
dos Estados Unidos, Nancy Mikita, Porte: médio.
como a raça teve início na Améri- Pelagem: pelo curto
ca do Norte, a maior quantidade de macio e sedoso.
Tonquineses está na região. Contu- Cores: variações pon-
do, há criadores na Europa, na Chi- teadas, sólidas ou mink
na, no Japão e na Austrália. “Não nas cores Platinum,
conheço criadores na América do Champagne, Natural ou
6XORX&HQWUDO´D¿UPDGHVWDFDQGR $]XO
que, nos Estados Unidos, a raça não Olhos: a cor aqua é
é considerada rara. No Brasil, ainda uma característica do
não há criadores de Tonquinês. De Tonquinês de padrão
Campeã RW Pendragon Miranda:
gata da raça Tonquinês, cor acordo com a GCCF, o Tonquinês já mink. Outras variações
Champagne Mink chegou a ser chamado de “Siamês são sépia; verde doura-
de ouro” na década de 1950, quan- do a amarelo esverde-
JDQL]DomR EULWkQLFD The Governing do foi desenvolvido nos Estados DGR YHUGH D]XODGR RX
Council of the Cat Fancy (GCCF). Unidos. Porém, sua popularidade só D]XOHVYHUGHDGRHD]XO
cresceu nas exposições de felinos a com variações até tons
O QUE VOCÊ SÓ partir dos anos de 1960. de violeta.
ENCONTRA EM UM TONK Na opinião da criadora Clai-
O apelido carinhoso dado UH Ki PXLWDV UD]}HV SHODV TXDLV R
aos felinos da raça Tonquinês, Tonk, Tonquinês não é tão visto. Dentre
FRQGL]FRPDGRoXUDGHVVHVJDWRV elas, o fato de ser uma raça mais tem aspectos chamativos como cer-
Isso porque os pequenos Tonks são nova em relação a outras tradicio- tas raças, tal como a pelagem de
gatos de companhia que entretêm nais, como Persas e Siameses. Em um Persa, as cores de um Bengal,
convidados, convivem bem com segundo lugar, porque o Tonk não ou o tamanho de um Maine Coon.
cães e outros bichanos, além de “No entanto, são tão bonitos quan-
adorarem o colo dos tutores. to. Além disso, Tonks têm muito
Para a criadora Claire Dubit, mais personalidade e são muito
Pendragon Cattery - Laurie Holmes

do gatil Wan-Lea, é difícil encon- mais sociáveis que a maioria das


trar uma raça tão sociável quanto outras raças. Eu não consideraria
o Tonquinês. “Já os vi pulando nos criar nenhuma outra! Não seria tão
braços de um homem que veio em divertido e satisfatório quanto criar
casa consertar algo, sendo que eles Tonks”, declara Claire.
QXQFD WLQKDP YLVWR R UDSD] DQWHV
6H YRFr VHQWDU XP 7RQN ¿FDUi QR
seu colo. Se você deixar a sala, ele
vai te seguir. A única coisa que um Agradecimento:
Pendragon Gary Du Soleil Du
7RQNQmRJRVWDpGH¿FDUVR]LQKR´ Siam: exemplar macho de TONKINESE BREED ASSOCIATION
descreve. Tonquinês platinum Mink www.tonkinesebreedassociation.org

www.revistapulodogato.com.br 29 |
Arte e felinos ‡3RU.DUHQ1DWDVKD

Svetlana Petrova: toque


extra de fofura aos clássicos
&RQKHoDRWUDEDOKRGDDUWLVWDUXVVDHVHXIHOLQR
LQVSLUDGRU=DUDWKXVWUDHYHMDSRUTXHDGXSOD
FRQTXLVWRXDLQWHUQHWFRPWDQWDRULJLQDOLGDGH

Obras de arte famosas per- veio de uma amiga. Ao ouvir a ideia,


Foto: arquivo pessoal

GXUDPSRUVpFXORVSRUWUD]HUHPDR 6YHWODQDFRQVLGHURXID]HUXPDVHV
mundo novas formas de pensar e são de fotos do gato e, graças ao
enxergar a realidade à nossa volta. Photoshop, incluiu Zarathustra na
0DVLPDJLQHFRPSOHWDUDEHOH]DGH SLQWXUD 'DQDs GH 5HPEUDQGW ³)L]
pinturas consagradas com o toque isso em mais quatro pinturas clássi-
todo especial de um gatinho. Foi cas e enviei para alguns amigos, ar-
exatamente isso que a artista russa tistas e galeristas, apenas para ver
6YHWODQD3HWURYDGHFLGLXID]HU a reação. Nunca antes eu havia vis-
to senhoras sérias chorando de rir.
FAT CAT ART Isso me encorajou muito e eu lancei
Svetlana Petrova criou o pro- o site FatCatArt.com”, lembra.
jeto Fat Cat Art. A tradução remete Sobre o sucesso na inter-
à arte com um gato laranja de al- net, Svetlana destaca que sempre
guns quilinhos a mais, Zarathustra teve interesse na cultura on-line e
(que pesa 10 kg), felino da própria VRQKDYDHPID]HUXPH[SHULPHQWR
artista que serviu de inspiração criar um meme que fosse bonito e
para ela criar releituras divertidas e inteligente. Deu certo. “As pessoas
únicas sobre obras clássicas. O bi- descobririam as minhas pinturas e
chano foi ganho por Svetlana como SURFXUDULDP DV RULJLQDLV´ GL] D DU
herança, após a morte da mãe da tista.
artista, em 2008. Em entrevista à Hoje, as imagens do Fat Cat
A artista russa Svetlana revista Pulo do Gato, a russa conta Art já foram além das redes sociais,
Petrova com seu gato, que Zarathustra e o trabalho com chegando a galerias do Reino Uni-
Zarathustra:“Nunca antes eu ele a salvaram da depressão. “Za- do, Rússia e Singapura. E a “inva-
havia visto senhoras sérias
rathustra era e é uma memória viva são” de Zarathustra é abrangente:
chorando de rir. Isso me
encorajou muito e eu lancei o site da minha mãe”, declara. A sugestão dá um toque especial a quadros de
FatCatArt.com” SDUDXWLOL]DURIHOLQRHPXPSURMHWR diversos artistas, como Claude Mo-

| 30 www.revistapulodogato.com.br
Svetlana Petrova & Zarathustra the Cat / FatCatArt.com>>http://fatcatart.com/gallery/?lang=en

Gato Zarathustra, da artista russa Svetlana Petrova, ganha papel de destaque em releituras de
www.revistapulodogato.com.br quadros famosos como a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci 31 |
Arte e felinos ‡3RU.DUHQ1DWDVKD
Svetlana Petrova & Zarathustra the Cat
/ FatCatArt.com>>http://fatcatart.com/
gallery/?lang=en

Outros quadros que a artista homenageou são “A persistência da Memória”,


de Salvador Dalí (à esq.), e “A criação de Adão”, de Michelangelo

net, Vincent Van Gogh e Leonardo VDV HP WHOD QDWXUDO ( SRU ¿P D o segredo do sorriso de Mona Lisa,
Da Vinci. As mais de 150 obras que artista inclui o gato ruivo sobre a o mais famoso da história da arte!”.
ganharam a participação do bicha- imagem, pintando o felino de acor- Observando as obras da par-
no, aliás, foram compiladas em um do com os tons e texturas que o ar- ceria entre Svetlana e Zarathustra,
livro do projeto, Fat Cat Art: famous WLVWDXWLOL]RXQRWUDEDOKRRULJLQDO SRGHPRVD¿UPDUSRU¿PTXHRVX
masterpieces improved by a ginger Questionada sobre sua obra cesso das montagens sobre as fa-
cat with attitude. IDYRULWD 6YHWODQD D¿UPD TXH p GL mosas pinturas não é para menos,
fícil escolher. Mona Lisa, por exem- D¿QDO WXGR ¿FD PHOKRU FRP XP
PROCESSO CRIATIVO SOR IRL XP JUDQGH GHVD¿R ³0DV gato, não é?!
Engana-se quem pensa que muitas pessoas me disseram que
tirar as fotos de Zarathustra para Mona Lisa se tornou melhor com o Saiba mais:
depois incluí-las nas pinturas por gato, porque agora a cena se tor- http://fatcatart.com/?lang=en
meio de softwares de edição é um nou compreensível, viva: uma ga- https://www.facebook.com/fatca-
processo fácil. Na realidade, é sem- rota com o gato posando para um tart.ru/
SUHXPJUDQGHGHVD¿RFDSWDUDH[ fotógrafo na varanda, o gato está https://www.instagram.com/fatca-
pressão ideal do felino para cada entediado e tenta escapar. Todo tart/?hl=pt-br
obra. Feitas as imagens, as pinturas mundo viu essa cena na vida, é tão
TXH VHUmR PRGL¿FDGDV VmR LPSUHV vívida! Zarathustra, o gato, revelou

| 32 www.revistapulodogato.com.br
Foto: Silvia Pratta

Alex Martins
15 99121-0389
/BR.Daruma
@alexdaruma
gatildaruma@hotmail.com

www.revistapulodogato.com.br 33 |
Jornal Felino ‡3RU6DPLD0DODV

Exposição

Foto: arquivo de Cattery TomiFerr Bengals


Felino brasileiro
é premiado na Finlândia
$ WmR HVSHUDGD FRPSHWLomR GD JDWR¿OLD UHDOL]D
da em março na Finlândia, a Scandinavian Winner, de
2019, teve um gatinho de propriedade brasileira como
PHOKRU GD H[SRVLomR 6:  QD FDWHJRULD ¿OKRWHV
O nome dele é S* KungsgardenCats Scooby Doo, ou
Scooby, para os íntimos. Ele é um Bengal de apenas 6
meses de idade nascido na Suécia, de criação de Ulri-
FD 6R¿D *UDQOLG H SURSULHGDGH GRV EUDVLOHLURV (GHYDU
7RPLR]]R -~QLRU H 0DtUD )HUUDULQ GD &DWWHU\ 7RPL)HUU
%HQJDOVGH5LRGDV$QWDV6&³2VMXt]HVVHLPSUHVVLR
naram com sua estrutura”, aponta Edevar, orgulhoso do
pequeno, que já foi Best in Show (BIS) e Best of de Best
%2% HPRXWUDVFRPSHWLo}HVQD6XpFLD³&RPRp¿OKR &ULDGRUDVXHFD8OULFD6R¿D*UDQOLG GHFDVDFR
vermelho) com Scooby e, acima, Kungsgarden
te, está começando agora, mas seu pai, o Kungsgarden UnderDog, pai de Scooby, segurado pela
UnderDog, também foi SW19, na categoria de adultos sueca Sanna Skoldenklev
machos pelo segundo ano consecutivo”, conta o criador.

Evento
1º Encontro
Foto: divulgação

Cerca de
160 pessoas

de gatos e gateiras de Floripa participaram


do evento

O Hotel Mercure Convention de Florianópolis-SC


IRLSDOFRGRž(QFRQWURGHJDWRVHJDWHLUDVRUJDQL]DGR
pela Olhos Felinos Caninos Pet Shop e Duque Roman,
o SHWLQÀXHQFHU que pertence à empresária Patrícia Ro-
PDQ6HJXQGRRVRUJDQL]DGRUHVRHYHQWRTXHFRQWRX
com cerca de 160 pessoas e 10 felinos, tinha o objeti-
vo de reunir pessoas que adoram conviver com gatos
para interação e troca de conhecimento do universo
felino. Assim, os presentes puderam conferir diversas
palestras com temas como cuidados estéticos, dicas de
banho e tosa, vírus da Leucemia Felina, toxoplasma, ty, Pity Bibu e Bicho com Luxo.
comportamento e bem-estar, entre outros. A segunda edição do evento está prevista para o
Entre os patrocinadores estavam a revista Pulo primeiro semestre de 2020. Saiba mais: @olhosfelinos
do Gato, Novavet, Hotel Mercure Convention, Pet Socie- caninos e @Duque.cat

| 34 www.revistapulodogato.com.br
3RU6DPLD0DODV‡Jornal Felino

Mundo selvagem
Gato-de-patas-negras:

Foto: Julie Larsen Maher


felino mais caçador do planeta
O felino mais mortífero do Ele caça e abate mais presas em
planeta não é o leão ou o tigre, nem XPD QRLWH GR TXH XP OHRSDUGR ID]
mesmo o leopardo, mas, sim, um em 6 meses. Para se ter uma ideia,
felino que provavelmente vocês, em uma noite, ele chega a abater
gateiros, nunca ouviram falar: o de 10 a 14 roedores ou aves, tota-
black-footed cat (Felis nigripes); em OL]DQGR XPD PpGLD GH XPD FDoD D
português, gato-de-patas-negras. cada 50 minutos. Uma das explica-
Ele está entre os menores felinos do ções para tanta fome é que o meta-
Esse felino chega a abater de
mundo, pesando entre 1 e 3 kg – o EROLVPRGHVVHVSHTXHQRVHYRUD]HV 10 a 14 presas em uma noite
menor da África, onde é nativo –, IHOLQRVpEDVWDQWHDFHOHUDGRID]HQ de caçada, o equivalente a
mas não se engane pelo seu tama- do com que precisem se alimentar 6 meses de caça para um
leopardo
nho ou rostinho arredondado e fofo. constantemente.
Foto: fotostok_pdv/iStock.com

48
Pegada

É esse o número de raças felinas que a Federação Internacional Felina


),)H UHFRQKHFHR¿FLDOPHQWH

Ciência

EUA não usará mais gatos


na pesquisa de toxoplasmose
No começo de abril o Serviço de Pesquisa Agrícola (ARS) do Departamento de Agricultura dos Estados Uni-
GRV 86'$ UHYHORXTXHQmRXWLOL]DUiPDLVJDWRVHPVXDVSHVTXLVDVVREUHWR[RSODVPRVH³FRPRSDUWHGHTXDOTXHU
protocolo de pesquisa em qualquer laboratório foi descontinuado e não será reintegrado”.
Após perceberem a insatisfação de clientes e partes interessadas quanto ao uso do animal nas pesquisas, o
86'$GHFODURXTXHIRUDPUHDOL]DGDVGLYHUVDVDo}HVHQWUHHODVUHDYDOLDo}HVFLHQWt¿FDVH[WHUQDVHLQWHUQDVDOpPGH
YHUL¿FDUDYLDELOLGDGHGHDGRomRSDUDJDWRVXWLOL]DGRVQDSHVTXLVD(UHVVDOWRXDLQGDTXHQmRIRLJHUDGRTXDOTXHU
WLSRGHGDQRjVD~GHGHVVHVDQLPDLVHQHQKXPIRLVDFUL¿FDGRGHVGHVHWHPEURGH

www.revistapulodogato.com.br 35 |
Jornal Felino ‡3RU6DPLD0DODV

Foto: reprodução

Homenagem
Freddie Mercury:
um gateiro de carteirinha
2¿OPH³%RKHPLDQ5KDSVRG\´TXHFRQWDDKLVWyULDGDEDQGD
Queen, foi o mais premiado no Oscar. Com isso, decidimos prestar
uma pequena homenagem ao gateiro Freddie Mercury, que já teve
cerca de 10 gatos. O amor pelos felinos do artista começou por volta
de década de 1970, quando ele ganhou um par de gatos – Tom e
Jerry – de sua namorada na época, Mary Austin. Existem vários re-
ODWRVELyJUD¿FRVTXHGL]HPTXHTXDQGRYLDMDYD)UHGGLHOLJDYDSDUD
Austin – que cuidava de seus gatos em sua ausência – para saber se
os felinos estavam bem. No Natal, por exemplo, cada gatinho tinha
sua meia recheada de guloseimas e brinquedos. Até nas músicas os
felinos já foram homenageados: Innuendo, o último álbum gravado
pelo artista, tinha uma música chamada Delilah, uma de suas gatas
SUHGLOHWDV(ODHUDD³SULQFHVLQKD´GRODUHID]LDWXGRRTXHTXHULD

Você sabia?
Por que gatos balançam
a traseira antes de dar o bote?
Todo gateiro já percebeu que antes de dar o bote em

Foto: Ullver/iStock.com
seu alvo, seja um brinquedo, bichinho ou até mesmo
alguma parte de nosso corpo, como nossos pés, gatos
se prepararam dando balançadinhas na parte traseira.
3HVTXLVDGRUHVQXQFD¿]HUDPWHVWHVHPStULFRVSDUDGHV
cobrir o motivo desse comportamento, contudo, John
Hutchinson, professor de evolução biomecânica na
Royal Veterinary College, de Londres, tentou explicar o
ato com base em seu conhecimento em locomoção ani- é que o ato também pode ser uma forma de “aquecer”
mal. Segundo ele, o movimento – que também é feito o corpo. “Certamente o movimento alonga um pouco os
por tigres, leões e outros grandes felinos - pode ajudar músculos, ajudando no ataque”, completa o cientista,
a pressionar os membros traseiros para o chão, dando que não descarta a possibilidade de o movimento ser,
maior tração para que o corpo seja lançado para frente. também, uma diversão para o felino. “O ideal seria fa-
“Esse movimento também pode ter um papel sensorial ]HUXPHVWXGRHQWUHJDWRVTXHID]HPHVVHPRYLPHQWRH
para preparar a visão do felino e seus músculos para os RXWURVTXHQmRHFRPSDUDUVHLVVRLQWHUIHUHQDH¿FLrQ
rápidos comandos neurais que ele necessita para ata- cia do ataque”, sugere. O que sabemos, de fato, é que
car”, acrescenta. Outra explicação dada por Hutchinson o movimento é muito fofo.

| 36 www.revistapulodogato.com.br
3RU6DPLD0DODV‡Jornal Felino

Na internet...

Twitter: @mneevess
Gatinho “clone”
8PWXtWHYLUDOL]RXQDLQWHUQHW ABRE ASPAS
em abril deste ano quando uma ga- Há duas maneiras
teira postou a foto de seu gatinho de refugiar-se
com um “amiguinho” que apare- das misérias da
ceu em sua casa. Os dois eram tão vida: a música
iguais que era difícil distinguir quem e os gatos
Gatinhos era quem. O curioso é que, nos co-
“clones” que
Albert
a usuária do mentários, apareceram muitos rela- Schweitzer
Twitter Mayara tos de pessoas que viraram pais de
registrou gatos gêmeos justamente por seus
IHOLQRV WUD]HUHP DPLJRV LJXDLV D
eles para casa.

Foto: @Joshua Paul/Guinness Word Records


Guiness Book: gata equilibrista Bibi, que conseguiu
empilhar 10 dados na
O Guiness Book R /LYUR GRV 5HFRUGHV WUD] XP IHLWR patinha
felino bastante curioso: a maior quantidade de dados empi-
lhados e equilibrados na pata de um gato. O responsável por
WDOSURH]DVXUSUHHQGHQGH±PHXJDWRQmRHTXLOLEUDULDQHPXP
dado, imagino que nem o de vocês, leitores – chama-se Bibi,
e pertence a L.C. Siew, da Malásia. Bibi conseguiu equilibrar
10 dados em sua bela patinha. Esse recorde foi registrado em
Puchong, Malásia, em 18 de junho de 2017 e até hoje nenhum
felino conseguiu batê-lo.

Clube Carioca do Gato


Registro de gatil, emissão de pedigree
(registro de ninhadas)
Somos filiados a TICA
Associe-se:
www.cariocat.org cariocat.tica@gmail.com

www.revistapulodogato.com.br
(21)2161-4002 37 |
PAIS DE
PRIMEIRA Pais de primeira viagem ‡3RU%iUEDUD)UHLUH

VIAGEM
Foto: SbytovaMN/iStock.com

6 cuidados para
uma vermifugação de sucesso
6DLEDRTXHYRFrSRGHID]HUSDUDOLYUDURVHXELFKDQR
GHSDUDVLWDVTXHSRGHPFDXVDUFHQWHQDVGHGRHQoDV

| 38 www.revistapulodogato.com.br
3RU%iUEDUD)UHLUH ‡ Pais de primeira viagem

Sim, o seu bichano precisa mo daqueles que não têm acesso ao


de vermifugação. Apesar de muitos ambiente externo à casa.”
tutores não darem tanta atenção a De acordo com a veterinária
esse cuidado, ele é muito impor- Larissa Seibt, do Centro Veteriná-
tante para manter a saúde do gato. ULR 6HUHV GR JUXSR 3HW] PHVPR
Assim como acontece com os cães, que muitos tutores não deem tanta
existem centenas de doenças para- importância para a vermifugação,
sitárias que podem acometer feli- este é um cuidado tão importante
nos, sendo que algumas delas ocor- quanto a vacinação e deve ser leva-
rem com maior frequência, como a do a sério. “Casos de diarreia, ema-
toxocaríase (causada pelo parasita grecimento progressivo sem causa
Toxocara cati) e a giardíase (causa- DSDUHQWHIH]HVFRPVDQJXHY{PL
GDSHORSURWR]RiULRGiardia spp). O tos ou simplesmente apatia devem
problema é que, mesmo em animais ser observados com maior atenção,
contaminados, os sintomas (como sempre com a ajuda de um médico-
diarreia, vômito e perda de apetite) veterinário para auxiliar na melhor
podem demorar a se manifestar e, terapêutica a ser instituída”, orienta
quando aparecem, a doença pode a veterinária.
estar em estágio avançado, e o fe- A seguir, veja alguns cuida-
lino apresentar anemia e/ou apatia. dos que devem ser tomados na hora
Por isso, veterinários alertam: não de vermifugar o felino.
vale a pena esperar que o pet mos-
tre sintomas para tratar ou pensar 1 PROTOCOLO
na prevenção contra vermes. Mes- INDIVIDUALIZADO
mo porque algumas das verminoses Muitos tutores de gatos têm
podem passar para você e sua fa- dúvidas a respeito de intervalos e
mília. protocolos de vermifugação. “Não
A vermifugação – ou seja, o H[LVWH XP SURWRFROR ~QLFR H ¿[R
ato de medicar o animal com dro- para prevenção de endoparasitas
gas que combatem endoparasitas HP IHOLQRV´ D¿UPD 5DIDHO /HVVD
- pode ter caráter preventivo ou Assim, o protocolo ideal de vermi-
Não vale a pena
esperar que o pet FXUDWLYRHGHYHID]HUSDUWHGDURWLQD fugação deve ser indicado pelo mé-
mostre sintomas para GHTXDOTXHUJDWReRTXHD¿UPDR dico veterinário, levando em conta
tratar ou pensar na médico veterinário Rafael Parra Les- alguns critérios, como idade, am-
prevenção de vermes
sa, diretor clínico do Centro Veteri- biente que o animal vive e o risco de
nário Pet Care - Unidade Morumbi exposição aos endoparasitas. “No
(SP). “A importância da vermifuga- caso dos felinos, é preciso também
ção como forma de prevenção se OHYDUHPFRQWDDGL¿FXOGDGHHPDG
deve ao fato de os animais estarem ministrar a medicação. O vermífu-
em constante exposição a diversas go de uso tópico já está disponível
formas de parasitas causadores de no mercado e pode facilitar na hora
enfermidades silenciosas que afe- de medicar o animal de estimação”,
tam bastante a saúde deles - mes- acrescenta Rafael.

www.revistapulodogato.com.br 39 |
Pais de primeira viagem ‡3RU%iUEDUD)UHLUH

MANTENHA O FELINO LONGE DE LAGARTIXAS


Os gatos são exímios caçadores. Por isso, mesmo quando são criados dentro de casa ou apartamento,
adoram pegar um monte de bichinhos. Mas um deles, a lagartixa, pode transmitir uma verminose chamada
platinosomose, também conhecida como verme da lagartixa ou doença da lagartixa. “Esse verme pode se
LQVWDODU HP YLDV ELOLDUHV QR ItJDGR H OHYDU D OHV}HV JUDYtVVLPDV SRU YH]HV LUUHYHUVtYHLV 2 SDFLHQWH SRGH
DSUHVHQWDUIUDTXH]DSHUGDGHDSHWLWHHDQHPLD´H[SOLFDRYHWHULQiULR5DIDHO3DUUD/HVVD³2
ideal é que o felino tenha sempre brinquedos à disposição, que o façam gastar energia e pos-
VDPVLPXODUDFDoD´D¿UPDRYHWHULQiULR&RPHQULTXHFLPHQWRDPELHQWDORVJDWRVGHL[DP
de se interessar por presas animais e é possível evitar esse tipo de contato. “Existem
SURWRFRORVHVSHFt¿FRVFRPYHUPtIXJRVSDUDWUDWDPHQWRGRYHUPHGDODJDUWL[DHDGRHQoD
pode ser prevenida quando os pacientes são vermifugados de maneira preventiva”,
esclarece Rafael.

2 CHECK-UPS DE ROTINA da idade e se o animal tem alguma 4 TRATAMENTO


Os gatos realmente se es- doença prévia”, orienta Larissa. E quando o gato já está com

tressam na hora de ir ao veteriná- YHUPH R TXH R WXWRU GHYH ID]HU"

rio. No entanto, não dá para fugir


3 ATENÇÃO ESPECIAL A O que pouca gente sabe é que a

dos exames de rotina para manter


GATINHOS E MAMÃES vermifugação pode ser a principal

RVELFKDQRVVDXGiYHLV/DULVVDD¿U 2V¿OKRWHVHIXWXUDVPDPmHV forma de tratamento para as doen-

ma que mesmo que o gato não te- precisam de cuidados especiais. ças endoparasitárias, ou seja, além

nha acesso à rua e já seja adulto, Segundo Larissa, a vermifugação de prevenir essas enfermidades,

recomenda-se, pelo menos, a ad- GR¿OKRWHVHGiDSDUWLUGHGLDV é parte do tratamento delas. “An-

ministração de uma vermifugação de vida, com repetição da segunda tes de iniciar qualquer tratamento

para a vida toda. “O protocolo pode dose em 15 dias. “Dependendo da é importante conhecer qual agen-

variar de acordo com o histórico clí- QLQKDGD H GD SURFHGrQFLD GR ¿OKR WH HVWi DFDUUHWDQGR SUHMXt]RV SDUD

nico do gato e a atenção deve ser WHWDPEpPpSRVVtYHOID]HUHPWUrV DVD~GHGRSHWHDVVLPUHDOL]DUR

redobrada caso ele seja portador de aplicações, espaçadas em 15 dias

FIV ou FeLV”, alerta. FDGD )LQDOL]DQGR HVWDV VH R JDWR

O vermífugo torna-se então tiver acesso à rua, repete-se quan-

não somente uma forma de eliminar do ele estiver com 6 meses de idade

os agentes já presentes no organis- e com intervalos a cada 3 meses”,

mo do gato, mas também mantém explica a veterinária. Com relação à

o animal imune por certo período gestante, a vermifugação deve ser

de tempo contra novas infecções. UHDOL]DGDDSDUWLUGRžGLDGHJHV


)RWRND]RNDiStock.com

Contudo, é importante que os ani- tação e após o parto, em conjunto

mais passem por exames de rotina FRPRSURWRFRORGRV¿OKRWHV

como o coproparasitológico (exame


GH IH]HV  ³*DWRV DGXOWRV GHYHP
ser vermifugados, sim, e o protoco- Filhotes e futuras
mamães precisam de
lo de vermifugação a ser instituído
cuidados especiais em
dependerá do resultado do exame, relação à vermifugação

| 40 www.revistapulodogato.com.br
3RU%iUEDUD)UHLUH ‡ Pais de primeira viagem

tratamento com medicação ou, de- 5 CUIDADO COM monitorados pelos tutores. “Os ovos
pendendo da causa, com o próprio O AMBIENTE de vermes que os gatos ingerem
YHUPtIXJR´D¿UPD/DULVVD O ambiente onde o gato vive são microscópicos e podem perma-
A especialista reforça que merece um cuidado especial. Para necer no ambiente mesmo que este
nem todos os vermífugos tratam começar, assim que um animal de- esteja aparentemente limpo. Uma
todos os vermes (os chamados de IHFDUDVIH]HVGHYHPVHUUHFROKLGDV medida a ser tomada é evitar que o
amplo espectro), necessitando do o mais rápido possível. Isso porque gato saia”, recomenda Rafael.
acompanhamento do veterinário DV IH]HV SRGHP FRQWDPLQDU R DP É muito importante, em to-
para eleição do melhor medica- biente e os felinos. “Tanto a casa dos os casos, atuarmos com medi-
mento. Além do vermífugo, alguns como a caixa sanitária devem ser FLQDSUHYHQWLYD'HVVHPRGRID]HU
animais precisam de tratamento limpas regularmente com desinfe- DOLPSH]DHGHVLQIHFomRGHDPELHQ
suporte para se recuperar comple- tantes à base de cloro ou amônia WHVDFRUUHWDGHVWLQDomRGDVIH]HV
tamente, sendo necessário o uso de quaternária, sempre lembrando de GRV SHWV KLJLHQL]DomR GH FDPDV
outros medicamentos, como: prote- respeitar a diluição do produto, que comedouros e bebedouros com fre-
tores de mucosa gástrica, analgési- é recomendada pelo fabricante no quência, além da vermifugação pe-
FRV YLWDPLQDV ÀXLGRWHUDSLD H HP UyWXOR$OLPSH]DGHYHVHUIHLWDVHP riódica, são fundamentais.
alguns casos, internação com cui- o animal no ambiente, já que o pet
dados intensivos. pode se intoxicar com os produtos 6 CONTROLE DE PULGAS
O médico veterinário Rafael químicos, bem como desenvolver PODE AJUDAR
chama a atenção para alguns pon- dermatites por contato. Também O controle de pulgas tam-
tos importantes em relação ao tra- deve-se trocar frequentemente o bém é muito importante para evi-
tamento com medicamentos para granulado sanitário”, orienta Rafael. tar que vermes parasitem os gatos.
erradicar endoparasitas: “A vermi- Além da vermifugação e da Isso porque existe uma espécie de
fugação não tem caráter protetor, OLPSH]D GR DPELHQWH UHFRPHQGD verme chamada Dipylidium sp. que
tal como a vacina - ela funciona VHDKLJLHQL]DomRIUHTXHQWHGRSHUt XWLOL]D DV SXOJDV FRPR KRVSHGHLUR
como prevenção de doenças no neo (região do bumbum) e também intermediário, ou seja, para com-
caso de o gato já estar parasitado, banhos com produtos antissépticos. pletar o seu ciclo. “Quando o gato
mas sem sintomas ainda. Com isso, “Como se sabe, os gatos se lambem ingere uma pulga contaminada, ele
mesmo ele tendo sido vermifugado o tempo todo, podendo levar para- desenvolve a doença. Nesse caso,
há pouco tempo, se ele tiver conta- sitas para outras partes do corpo”, quando a dipilidiose é constatada,
to com parasitas, pode ser infectado D¿UPDRYHWHULQiULR o controle de pulgas, além da ver-
novamente e, por isso, o acompa- É difícil evitar que o gato se mifugação, é parte do tratamento”,
nhamento veterinário constante é contamine fora de casa, visto que alerta Rafael.
fundamental”. PXLWDV YH]HV RV SDVVHLRV QmR VmR

Agradecimentos:
LARISSA SEIBT RAFAEL PARRA LESSA
Veterinária do Centro Veterinário Diretor clínico do Centro Veterinário
6HUHVGRJUXSR3HW]SRVVXL0%$HP Pet Care - Unidade Morumbi (SP).
Empreendedorismo e Novos Projetos, Médico veterinário formado pela
é mestranda em Cardiologia pela UniPinhal em 2004, com residência
Faculdade de Medicina da Unifesp em Clínica Médica de Pequenos
e tem experiência e interesse em $QLPDLVSHOD)08HHVSHFLDOL]DomRHP
Cardiologia Veterinária, com ênfase em Neurologia de Cães e Gatos.
eletrocardiograma.

www.revistapulodogato.com.br 41 |
Entrevista ‡3RU%iUEDUD)UHLUH

Gatos diabéticos:
como lidar com a doença?
0pGLFDYHWHULQiULDH[SOLFDFRPRRWUDWDPHQWRDGHTXDGRSDUD
HVVDHQGRFULQRSDWLDSRGHVDOYDUDYLGDGHPXLWRVSDFLHQWHV
Foto: pyotr021/iStock.com

Pacientes diabéticos tratados inadequadamente poderão


apresentar doença renal e neuropatia diabética

eFDGDYH]PDLVIUHTXHQWHD p FDUDFWHUL]DGD SHOD KLSHUJOLFHPLD Nos felinos, estudos recen-


ocorrência de doenças endócrinas (aumento na concentração de gli- tes comprovam que gatos diabéti-
ou metabólicas em cães e gatos - e cose sanguínea) em decorrência da cos tratados adequadamente e que
o diabetes mellitus está entre as en- falta do hormônio insulina ou por apresentam bom controle glicêmico
fermidades mais comuns. A doença um defeito na ação desse hormônio. em até seis meses de evolução da

| 42 www.revistapulodogato.com.br
3RU%iUEDUD)UHLUH‡ Entrevista

adogslifephoto/iStock.com
crinologia e Metabologia de Cães e RPG: Quais são os principais
Gatos pela Anclivepa-SP, consultora sintomas?
FLHQWt¿FD GH HPSUHVDV GR VHJPHQ Alessandra: O felino diabético uri-
to veterinário e sócia-fundadora na em excesso, bebe muita água,
da Endocrinovet, de São Paulo-SP, come bastante e apresenta ema-
onde atua como diretora e coorde- grecimento progressivo. Os tutores
nadora clínica. podem associar equivocadamente
a polifagia (fome excessiva) a uma
Revista Pulo do Gato: Podemos condição de vida saudável e aca-
apontar raças de felinos de es- bam percebendo que há um pro-
timação que sejam mais predis- blema mais tardiamente, ou seja,
postas a desenvolver o diabetes somente a partir do momento que a
mellitus em algum momento da perda de peso do paciente torna-se
YLGDVHMDTXDQGR¿OKRWHDGXOWR mais evidente.
ou ainda idoso?
Alessandra Vargas: Não há pre- RPG: Como é realizado o diag-
disposição racial entre os felinos. No nóstico desta endocrinopatia?
Obesidade é fator de risco e contribui
para o desenvolvimento de diabetes entanto, a doença é mais frequente Alessandra: Baseia-se na presen-
nos gatos machos castrados quan- ça de manifestações clínicas clás-
do comparada às fêmeas castradas. sicas (poliúria, polidipsia, polifagia
doença têm maior chance de “dei- Geralmente, a doença acomete ga- e perda de peso), hiperglicemia
xarem de ser” diabéticos (remissão tos com idade igual ou superior a 8 persistente em jejum e glicosúria.
da doença). Para compreender me- anos de idade. Gatos obesos tam- (QWUHWDQWRXPDYH]TXHJDWRVSR
lhor como isso ocorre, conversamos bém possuem maior risco em de- dem apresentar hiperglicemia indu-
com a médica veterinária Alessan- senvolver o diabetes mellitus. Em ]LGDSHORHVWUHVVHGHYHVHUHDOL]DU
dra Martins Vargas, que atua exclu- humanos, pode ser decorrente da a mensuração de frutosamina para
sivamente na área de Endocrinolo- associação de predisposição gené- diferenciar a hiperglicemia de es-
JLD H 0HWDERORJLD $ SUR¿VVLRQDO p tica e fatores relacionados ao estilo tresse do diabetes mellitus. A con-
sócia-fundadora da Associação Bra- de vida, tais como sedentarismo e tenção do paciente para coleta de
sileira de Endocrinologia Veterinária obesidade. Em gatos, esses fatores VDQJXH SDUD UHDOL]DomR GH H[DPHV
(ABEV), coordenadora do curso de também podem ser importantes no laboratoriais ou apenas a perma-
HVSHFLDOL]DomRlato sensu em Endo- desenvolvimento do diabetes. nência do paciente em um ambiente

www.revistapulodogato.com.br 43 |
Entrevista ‡3RU%iUEDUD)UHLUH

RELATO DE CASO

Toco (à esq.) e Sessy, com medidor de glicemia: gatos de Salessa Haj Hammoud adquiriram a doença
na velhice
A gateira Salessa Haj Hammoud, de Amparo-SP, possui 10 felinos, sendo que dois deles são diabéticos: os
irmãos Toco e Sessy. Ambos completarão 17 anos em setembro de 2019, sendo que a doença foi detectada em
julho de 2017. “Sempre foram gordinhos, lindos e ativos. Porém, de repente, reparei que estavam tristes, sem
atividade, com o pelo opaco e procuravam a bacia de água a todo instante”, revela a tutora sobre os primeiros
sintomas que percebeu nos pets. Em seguida, Salessa começou a observar a caixa de areia e viu que o xixi
deles havia aumentado de volume. “Cheguei a pensar que era ‘coisa da idade’, pois já estavam velhinhos”, re-
lembra a tutora, que levou os felinos ao veterinário assim que percebeu os sintomas e descobriu o diabetes em
um simples exame de sangue. “Nesse dia, para mim, a casa caiu. A glicemia deles era tão alta que estourava a
escala do medidor que alcançava o número máximo de 600 mg/DL”, revela. Logo em seguida, Salessa começou
a colocar em prática as orientações de sua veterinária: medições de glicemia diárias até que a dose correta de
LQVXOLQDIRVVH¿[DGD³)RUDPPDLVRXPHQRVGLDVSLFDQGRDRUHOKDHDDOPRIDGLQKDGDSDWDGHOHVSDUDSHJDU
XPDJRWDGHVDQJXHHID]HUDPHGLomR3DVVDGRRSULPHLURPrV GHVXIRFR DVFRLVDVFRPHoDUDPDHQWUDUQRV
eixos”, conta. A rotina da casa teve de ser adaptada para que os felinos recebessem a insulina a cada 12 horas
e as visitas ao vet passaram a ser trimestrais. Além disso, a alimentação dos bichanos foi alterada, para ração
voltada para gatos diabéticos e alimento úmido. “Devo controlar o peso deles. Eles não podem engordar, senão
GHVHVWDELOL]DDGRVHGHLQVXOLQD4XDOTXHUFRLVDGLIHUHQWHQDYLGLQKDGHOHVFRPRXPGHQWLQKRLQÀDPDGRMi
DIHWDRGLDEHWHVHGHVHVWDELOL]DDJOLFHPLDeSUHFLVRHVWDUVHPSUHDOHUWD´DFUHVFHQWD&RPRWUDWDPHQWRRV
felinos recuperaram o peso, o pelo melhorou e estão mais ativos.
+RMH6DOHVVDFRQVHJXHWUDWDUGRVSHWVVR]LQKDVHPTXHVHMDSUHFLVRRXWUDSHVVRDVHJXUiORV³(OHVFRQKHFHP
a rotina e creio que se sentem bem com o tratamento, pois entendem a necessidade e se deixam medicar. E
DLQGDUHWULEXHPFRPPXLWRFDULQKRHURQURQV´¿QDOL]D

FRP FmHV SRGH VHU VX¿FLHQWH SDUD Alessandra: 'HYHVH UHDOL]DU XP XOWUDVVRQRJUD¿D DEGRPLQDO PHQ
que o felino desenvolva uma hiper- check-up, pois qualquer outra doen- suração de T4 total e lipase pancre-
glicemia transitória. ça concomitante ao diabetes melli- iWLFDHVSHFt¿FD 6SHF 
tus poderá impossibilitar a obten-
RPG: Quais os exames comple- ção de um bom controle glicêmico. RPG: Como é o tratamento?
mentares que devem ser solici- 6XJLURDUHDOL]DomRGHKHPRJUDPD Alessandra: O tratamento do dia-
tados pelo veterinário além da SHU¿OUHQDOSHU¿OKHSiWLFRPHQVX betes mellitus deve ser instituído o
glicemia e do exame de urina? ração de colesterol e triglicérides, mais rápido possível e consiste em

| 44 www.revistapulodogato.com.br
3RU%iUEDUD)UHLUH‡ Entrevista

dieta e uso diário de insulina. É ne- mellitus em felinos é a insulina glar- béticos tratados inadequadamente
FHVViULR UHDOL]DU YLVLWDV SHULyGLFDV gina (Lantus®). Embora em pacien- poderão apresentar doença renal
ao médico-veterinário para acom- tes humanos essa insulina possa ser e neuropatia diabética (alteração
panhamento do tratamento e ajus- aplicada a cada 24 horas, nos gatos neurológica, o que proporcionará
tes na dose de insulina e na quanti- GLDEpWLFRV SUHFRQL]DVH D DSOLFDomR GL¿FXOGDGHORFRPRWRUD 
dade da dieta. Estudos comprovam DFDGDKRUDVXPDYH]TXHDGX
que gatos diabéticos tratados ade- ração máxima do efeito da insulina RPG: Após a remissão do dia-
quadamente e que apresentam é de 16 horas. betes mellitus o paciente felino
bom controle glicêmico em até seis poderá apresentar o diabetes
meses de evolução da doença têm RPG: E qual alimento é mais in- mellitus novamente?
maior chance de deixarem de ser dicado para um gato diabético? Alessandra: Sim, caso o paciente
diabéticos (remissão da doença). Alessandra: A recomendação é seja exposto novamente a fatores
É importante destacar que que o alimento do gato diabéti- predisponentes ao diabetes melli-
RV WXWRUHV QmR GHYHP UHDOL]DU DO co tenha em sua formulação uma tus, tais como obesidade e alimen-
terações na dose da insulina sem a quantidade restrita de carboidrato, tação inadequada (por exemplo,
orientação do médico veterinário, mais precisamente entre 12 a 15% rica em carboidrato), ou seja, fato-
visto que tal atitude poderá causar GD HQHUJLD PHWDEROL]iYHO (VVD FD res que levam à resistência insulí-
hipoglicemia, a qual pode ser assin- racterística pode ser obtida em al- nica. Por isso, após a remissão do
tomática ou sintomática. Entre as guns alimentos coadjuvantes (ração GLDEHWHVRSDFLHQWHGHYHUiUHDOL]DU
manifestações clínicas da hipoglice- seca) e alimento úmido (sachê ou avaliações periódicas para monitori-
mia tem-se a incoordenação moto- lata). ]DomRGRSHVR HVFRUHGHFRQGLomR
UDIUDTXH]DPXVFXODUHDWpPHVPR corporal 5/9) e orientações com re-
convulsões. Não é recomendado RPG: Quais as principais conse- lação à dieta.
também administrar medicações quências decorrentes quando a
que não foram prescritas pelo mé- endocrinopatia não é diagnosti-
dico-veterinário. cada corretamente? Agradecimento:
Alessandra: Caso o diabetes melli-
ALESSANDRA
RPG: Quais são as particularida- tus não seja diagnosticado, o pa- VARGAS
des em relação à insulinoterapia ciente felino irá perder peso pro- Diretora e
no paciente felino? gressivamente, apresentar vômito, coordenadora
clínica da
Alessandra: A insulina de elei- falta de apetite, desidratação e pode Endocrinovet
ção para o tratamento do diabetes evoluir para óbito. Os pacientes dia-

www.revistapulodogato.com.br 45 |
Debate ‡3RU*DEULHOD*LDFXOL

Você dorme na
cama com o seu felino?
5HFHEHFUtWLFDVSRULVVR"eFRQWUDRXDIDYRU
GHFRPSDUWLOKDUDFDPDFRPRSHW"

Imagem meramente ilustrativa: lolostock/iStock.com

| 46 www.revistapulodogato.com.br
Alguns tutores tratam seus “Tive mais de 60 gatos. Nas-
JDWRV FRPR ¿OKRV PLPDQGR H RV ci com uma grave alergia corporal,
deixando à vontade para dormir nenhum gato foi dispensado, todos
onde quiserem. Especialistas reve- dormiam comigo (isso foi entre a in-
lam que gatos gostam de dormir IkQFLDHDMXYHQWXGH )L]WUDWDPHQ
com seus donos porque se sentem to para a alergia e estou bem até
mais confortáveis com a sensação hoje. Como e bebo de tudo.”
térmica da aproximação. Rosa Mari
Há quem diga que dormir Via Facebook
FRPJDWRVWUD]PDOHItFLRVSDUDRVHU
humano, como doenças. Contudo, “Tenho bronquite, sou alérgi-
boa parte dos tutores é a favor da ca! Mas durmo com as minhas des-
prática e revela alguns benefícios de que eram bebês e, acreditem,
causados pela presença dos pets na minha alergia até melhorou. Gatos
hora da soneca. são extremamente limpos, mas
Abrimos a discussão aos lei- existe uma cultura de que eles são
tores da Pulo do Gato através de sujos e fedem, e olha que nem chei-
nossas redes sociais. E o resultado ro eles têm. São minhas bebês!”
revelou que a maioria dorme com Carla Mota Bastos
seu bichinho e não vê problema al- Via Facebook
gum nisso - pelo contrário, houve
até relatos de cura de alergias. Veja “Sempre dormi com meus
os comentários feitos em nossa pá- gatos, mas já sofri e ainda sofro
gina do Facebook. com comentários do tipo ‘ele vai te
passar doenças’, mas continuo ig-
DORMEM COM norando essa falta de informação
SEUS FELINOS de algumas pessoas.”
“Divido, sim. E nunca tive Roseane Lyrio
problemas de saúde por isso.” Via Facebook
Aline Lopes - Via Facebook

“No começo eu não deixava a minha gata


¿FDUQDPLQKDFDPDIHFKDYDDSRUWDSDUD
dormir. Mas quando ela adoeceu eu deixava
a porta aberta para vigiar se ela passava
mal. Aos poucos ela foi se achegando e hoje
sinto falta se ela não dorme comigo.”
Adriana Pretti - Via Facebook

www.revistapulodogato.com.br 47 |
Debate ‡3RU*DEULHOD*LDFXOL

Imagem meramente ilustrativa: IpekMorel/iStock.com


“Tem coisa melhor do que “Durmo, claro! Sei que al- era recém-nascida limitei o acesso
dormir com os gatos na mesma JXPDV SHVVRDV ¿FDP LQGLJQDGDV H ao meu quarto. Pelo contrário. Dor-
cama? Eles são a coisa mais fofa! eu não tô nem aí. Se minha gatinha míamos todos juntos: eu, marido,
Sempre dormimos juntos, eu e não estiver na cama, sou eu quem gatos e bebê em seu bercinho. Hoje
meus gatos.” não durmo bem.” PLQKD¿OKDDPDRVDQLPDLVHWDP
Kátia Santos Aline Pace bém dorme com gatos.”
Via Facebook Via Facebook Valeska Pimentel
Via e-mail
“Minhas duas princesinhas “Sempre dormi com meus
dormem comigo, uma no pé e outra gatos na cama, desde que tive meu NÃO DORME COM
na barriga.” primeiro felino, o Billy. E olha que O FELINO
Thaisa Peres eu tinha apenas 6 anos (risos). “Somos a terceira geração
Via Facebook Hoje, já mãe, meus felinos seguem na família de convivência com os
compartilhando a cama comigo e gatos. Na casa da minha avó cada
FRP PLQKD ¿OKD 1HP TXDQGR HOD um tinha o seu gato e dormia com
ele. Duas tias idosas ainda têm seus
gatos e dormem com eles. Ao longo
da minha vida tive 25 gatos, nunca
dormi com eles. Eles têm cama e
“Meu gato dorme comigo, minha
gostam do espaço deles, que foi por
cama é dele ou vice-versa, e minha
eles escolhido, só coloquei as coisas
gata dorme com minha mãe - na ver-
lá. Eles têm conforto e brinquedos.
dade, ela dorme por toda casa. Amo
Como crianças, espalham tudo e eu,
de paixão!”
como mãe de gato, junto.”
Kátia de Almeida - Via Facebook
Patrícia Amorim
Via Facebook

| 48 www.revistapulodogato.com.br
www.revistapulodogato.com.br 49 |
Mural de miados ‡3RUOHLWRUHVGD3XORGR*DWR

o s d o s n o s s o s le itor e s
Felin mais
ja m b e le z a a q u i. É u m
esban a!
fofo que o outro, confir

Pituxa, de
Jade (à esq.) e Zara e Heaven, Daniel Sombra
de Thais Hoeppner

Tigresa, de Milo, de Thamy


Ícaro, de Mariane Fernando Máximo
de Figueiredo Himoski

Táta, de Nathália
Corte

Galego e Bebê, de
Juliana Bastos

| 50 www.revistapulodogato.com.br
Freddy, de Letícia Onoue
Sid, Joey, Johnny, Nancy, Cherie,
Mimi e Joan, de Jéssica Rosseto

Fredy e Nike, de
Adriana Baia
Thor, de Mayra
Mylle, de Helenice Barbosa Michele

seu
b o n ita do
em por
u m a foto b p a recer
a
Envie le pod
erá s!
o e e s ediçõe s
felin i m a to
i n a s próx uitas as fo
aq u as
o : são m o publicad
Aten ç ã ã to,
a s e elas s d a . P ortan
envia
d ega tos
de ch ência. As fo il
Brad e Tutti, de por o r d e m
ua pa
c i
o e-m
a
los s
Christian Vasconce o s a s p a ra
pedim er enviada gmail.com
s @
podem .editora47
ns a
impre
www.revistapulodogato.com.br 51 |
Vet responde ‡3RU:DOGHPDU7DYDUHV0DFKDGR

Saúde felina
em foco

Foto meramente ilustrativa:


Okssi68/iStock.com
(VSHFLDOLVWDIDODVREUHVLQWRPDV
UHFRUUHQWHVHPIHOLQRVUHVSRQGHQGR
DG~YLGDVHQYLDGDVSRUOHLWRUHV

SECREÇÃO EM enfermidade afeta os olhos, as na- ]HV p UHDOL]DGD GH IRUPD OHYLDQD H
rinas e a cavidade oral dos gatos. sem prescrição do médico veteriná-
RECÉM-NASCIDO
Adotamos um gatinho recém- Tudo isso pode ser um quadro viral rio. Os ingredientes dos vermífugos
-nascido há um tempo e ele não com infecção secundária bacteria- são remédios de caráter venenoso
come, vive com os olhos gruda- na, devido às secreções oculares e para os vermes, entretanto, se for-
dos e com secreção (provavel- QDV IH]HV e PXLWR LPSRUWDQWH TXH necidos na dosagem errada e fora
PHQWH HVWi LQÀDPDGR  H VXDV VHMD UHDOL]DGD XPD DYDOLDomR FOtQL da posologia adequada ao peso dos
necessidades têm uma secreção ca com exame de sangue, para que gatos, podem provocar inúmeras
estranha. Tive que dar banho o médico veterinário determine um reações e até intoxicações. Nor-
nele quando chegou aqui, por- diagnóstico mais preciso e estabele- PDOPHQWH D YRFDOL]DomR QmR p XP
que estava infestado de pulgas. ça o melhor tratamento para o seu sinal comum de reação ao vermí-
Mell Luiza Pastrez Carvalho De SHW 9DOH OHPEUDU TXH RV ¿OKRWHV fugo, mas não podemos descartar
Souza, via site são bastante frágeis e precisam de que as alterações respiratórias da
tratamento imediato. sua gatinha foram decorrentes da
Waldemar Tavares Machado: medicação. Essa condição respira-
Olá, Mell! Um gatinho recém-nasci- VERMÍFUGOS tória deve ser avaliada, pois outras
GR SUHFLVD GH FXLGDGRV HVSHFt¿FRV EM FILHOTES doenças importantes podem levar a
para sua idade, porque seu sistema Dei ¼ de vermífugo para minha problemas respiratórios em felinos
imunológico está se desenvolvendo. gatinha de 2 meses, e depois jovens, como a FIV, FeLV e a PIF,
E, nesse caso, ainda não sabemos de algumas horas ela começou que são doenças infecciosas graves
VHHVVH¿OKRWHUHFHEHXOHLWHPDWHU a miar muito e sua respiração, DRV¿OKRWHVGHJDWRV
no, que possui os anticorpos neces- que já é um pouco acelerada,
sários para proteção nas primeiras piorou! É normal? SINTOMAS
semanas de vida. Pelo seu relato, Via site Meu pet estava com uma baba
o gatinho parece apresentar com- ao redor da boca com forte odor.
plexo respiratório viral felino, uma Waldemar: A vermifugação é um 'HSRLVHOHFRPHoRXD¿FDUFRP
GRHQoD FRPXP HP ¿OKRWHV TXH YL procedimento muito importante a pontinha da língua para fora, a
veram nas ruas. Normalmente, a para os animais, mas muitas ve- mancar e agora se pego na pati-

| 52 www.revistapulodogato.com.br
3RU:DOGHPDU7DYDUHV0DFKDGR‡Vet responde

nha dele, ele rosna. Porém, não


consigo ver nenhum machuca-
do. O que pode ser?
Charline Aguiar, via site

Waldemar: Oi, Charline. Pelo que

Foto meramente ilustrativa:


Veronika Ryabova/iStock.com
você nos conta, seu gatinho come-
çou com essas alterações de forma
aguda. Se ele manca e reclama
quando você toca na patinha dele,
algum trauma pode ter acontecido.
Traumas dentro da residência po-
dem ocorrer mesmo enquanto os
animais não estão sendo observa-
dos. Ao caírem ou em alguma situa-
ção ansiogênica, eles podem salivar
e aumentar sua respiração. E, nor-
malmente, gatinhos que respiram
com a língua para fora da cavidade
RUDO HVWmR FRP LQWHQVD GL¿FXOGDGH
respiratória. Mas tudo isso precisa ção é que você procure novamente lista na área, para que o caso do
ser avaliado em uma consulta no um veterinário, se possível um ve- VHXJDWRVHMDFRQGX]LGRGDPHOKRU
veterinário, pois são questões que terinário especialista em ortopedia forma, evitando que o animal sinta
podem estar interligadas ou aconte- veterinária. Se o paciente sofreu GRU H WHQKD GL¿FXOGDGHV GH VH OR
cendo de forma isolada. Nem sem- uma luxação, ele pode precisar de comover.
pre um paciente rosna por ter al- FXLGDGRV HVSHFt¿FRV QHVVD UHJLmR
gum machucado. Os gatos que têm de músculo, ossos, ligamentos e
medo ou estão manifestando algu- WHQG}HV 7DOYH] R WUDWDPHQWR VR
ma dor, doença física ou comporta- PHQWH FRP DQWLLQÀDPDWyULR SRGH
Agradecimento:
PHQWDO WDPEpP SRGHP YRFDOL]DU H QmR VHU VX¿FLHQWH SDUD GLPLQXLU R
rosnar ao serem tocados. Tudo isso LQFKDoRQDUHJLmRWUDXPDWL]DGD0L
precisa ser avaliado e investigado nha indicação é que o animal seja
melhor. avaliado por um ortopedista, que
irá solicitar exames de imagem
LUXAÇÃO para avaliar a integridade das arti-
Meu gato sofreu uma luxação. O culações e seus tecidos adjacentes.
veterinário lhe receitou um an- Existem situações que a bandagem WALDEMAR TAVARES MACHADO
Mestrando em Diagnóstico avançado
WLLQÀDPDWyULR PDV DJRUD HOH será indicada, em outras podem ser
em medicina veterinária pela USS/
está com a pata muito inchada necessárias cirurgias e, em alguns RJ, membro da Associação Americana
e roxa. Essa reação é normal ou casos, somente um tratamento con- de Medicina Felina (AAFP) e da
devo voltar ao consultório? VHUYDGRU FRP DQWLLQÀDPDWyULRV Sociedade Internacional de Medicina
Felina (ISFM). Sócio-proprietário da
Sheila Santos Tatto, via site analgésicos e condroprotetores. Clínica The Cat From Ipanema, do Rio
Waldemar: Sheila, minha indica- Não deixe de procurar um especia- de Janeiro-RJ.

www.revistapulodogato.com.br 53 |
Fique por dentro

Cotações 3UHoRVGH¿OKRWHVSHVTXLVDGRVHP)HYHUHLURD0DUoR

Abissínio (1) 3.000 a 6.000 Kurilian Bobtail (1) 4.000


American Curl (2) 3.500 a 4.500 Lykoi (1) 5.000 a 7.000

American Shorthair (2) 1.000 a 4.000 Maine Coon (4) 2.000 a 6.000

Bengal (2) 3.500 a 10.000 Norueguês da Floresta (1) 3.000

British Longhair (2) 3.500 a 6.000 Neva Masquerade (1) 5.000


British Shorthair (1) 4.000 a 6.000 Persa (4) 1.200 a 7.000

Bambino (2) 5.500 a 10.000 Ragdoll (2) 4000 a 5000

Burmês (1) 3.000 a 5.000 Sagrado da Birmânia (1) 3.500


littleartvector/iStock.com

Chinchila (Persa) (2) 3.000 a 6.000 Savannah (2) 2.900 a 20.000


Don Sphynx (1) 2.000 a 4.000 Scottish Fold (1) 5.000

Exótico (5) 1.200 a 5.000 Scottish Straight (1) 3.500 a 4.500

Elfo (1) 4.000 a 5.000 Siberiano (1) 5.000

Golden (1) 4.500 a 7.000 Silver Shaded (1) 4.500 a 7.000

Himalaio (3) 3.500 a 7.000 Sphynx (3) 3.500 a 8.500

* Entre parênteses: quantidade de criadores que informaram os preços

Próxima edição
*XLDGHVD~GH &$3$$QXiULR 6DYDQQDK
Lista de cuidados Por que ter um felino
essenciais para quem
UDoDVSDUDYRFr dessa raça?
Conheça diferentes e belos felinos
WHPXP¿OKRWHHPFDVD
e se encante com cada um deles

$OHUJLDDJDWR"
Especialistas dão dicas do
$UWH IHOLQRV 4XDORVHX TXHID]HUTXDQGRDOJXpP
Entrevistamos Vicky Von
Dorff: artista que é pra lá
HVWLORGHYLGD" da família descobre que é
A partir dele, alérgico ao pet
de gateira
te ajudamos a
escolher seu gato

Maio/
| 54 www.revistapulodogato.com.br
Junho 19
Guia de criadores

Encontre seu novo amigo


Gatis de múltiplas
raças separados por
estados do Brasil

Anunciando na revista
impressa, grátis na
internet e versão digital
dessa mesma edição

Versão eletrônica do
guia, com links para
e-mails e sites

Imagem meramente ilustrativa


tania_wild/iStock.com

www.revistapulodogato.com.br
(19) 3236-4622
informacao.revistapulodogato@gmail.com

www.revistapulodogato.com.br 55 |
Guia de criadores

Antes de adquirir o seu filhote...


Pesquise sobre os gatis existentes – busque Pesquise sobre a ninhada: se está saudável, se
referências quanto a sua idoneidade, se dá os pais possuem os exames necessários que
garantias quanto à saúde do animal ou se garantem uma boa origem genética. Algumas
possuem reclamações ou denúncias em órgãos raças já têm exames de DNA disponíveis e, neste
públicos; caso, exija uma cópia dos exames dos pais, ou,
VHSRVVtYHOSHoDXPH[DPHGR¿OKRWH

2 3
Pesquise sobre a raça que você tem interesse,
entenda as características de cada uma e compare-
-as com as suas e as de sua família. Lembre-se
de que um gato pode viver 20 anos em ambiente Pesquise se o gatil se preocupa com o bem-
interno, e você será responsável por ele; estar dos animais - se os cria de maneira
VpULDSUH]DQGRSHODVD~GHGRDQLPDOH
respeitando a frequência das crias. Saiba se

1
RFULDGRUGiFDULQKRDRV¿OKRWHVSDUDTXH
sejam sociáveis;

4
GATINHO
E TUTOR
FELIZES!

‡6HYRFrQmRVHUiXPFULDGRUHHVWiDGTXLULQGRXP¿OKRWHSDUD
FRPSDQKLDRSWHSRUXP¿OKRWHMiFDVWUDGR

‡1mRFRPSUHQDGDVHPXPFRQWUDWRTXHUHWUDWHDVFRQGLo}HVGHFRP
pra e venda acertadas pelas partes;

‡9HUL¿TXHDGRFXPHQWDomRGRVSDLVGRDQLPDO SHGLJUHHV HSHoDDGR


VHX¿OKRWHWDPEpP
Imagens ilustrativas: iStock.com

| 56 www.revistapulodogato.com.br
Guia de criadores

Criadores de São Paulo

www.revistapulodogato.com.br 57 |
Guia de criadores

Criadores de São Paulo

ESTÁ FALTANDO
ALGUM EXEMPLAR
EM SUA COLEÇÃO?
www.revistapulodogato.
com.br
(19) 98360-0629

Também
via
WhatsApp

*Tamanho de anúncio
não comercializável

| 58 www.revistapulodogato.com.br
Guia de criadores

Criadores de São Paulo

Você já curtiu nosso Facebook e Instagram?


(QWUHDJRUDPHVPRH¿TXHSRUGHQWUR
de vários assuntos sobre gatos!
facebook.com/revistapulodogato
Instagram: @revistapulodogato

www.revistapulodogato.com.br 59 |
Guia de criadores

Criadores de São Paulo

Você já curtiu nosso Facebook e Instagram?


(QWUHDJRUDPHVPRH¿TXHSRUGHQWUR
de vários assuntos sobre gatos!
facebook.com/revistapulodogato
Instagram: @revistapulodogato

| 60 www.revistapulodogato.com.br
Guia de criadores

Criadores de São Paulo

Você já curtiu nosso Facebook e Instagram?


(QWUHDJRUDPHVPRH¿TXHSRUGHQWUR
de vários assuntos sobre gatos!
facebook.com/revistapulodogato
Instagram: @revistapulodogato

www.revistapulodogato.com.br 61 |
Guia de criadores

Criadores de São Paulo

Você já curtiu nosso Facebook e Instagram?


(QWUHDJRUDPHVPRH¿TXHSRUGHQWURGHYiULRVDVVXQWRVVREUHJDWRV
facebook.com/revistapulodogato
Instagram: @revistapulodogato

ESTÁ FALTANDO ALGUM


EXEMPLAR EM SUA COLEÇÃO? Agora
também via
www.revistapulodogato.com.br WhatsApp
(19) 98360-0629

Criadores de Minas Gerais

Você já curtiu nosso Facebook e Instagram?


(QWUHDJRUDPHVPRH¿TXHSRUGHQWUR
de vários assuntos sobre gatos!
facebook.com/revistapulodogato
Instagram: @revistapulodogato

| 62 www.revistapulodogato.com.br
Guia de criadores

Criadores do Rio de Janeiro

www.revistapulodogato.com.br 63 |
Guia de criadores

Criadores do Rio Grande do Sul

Agora
ESTÁ FALTANDO ALGUM
também via EXEMPLAR EM SUA COLEÇÃO?
Whatsapp www.revistapulodogato.com.br
(19) 98360-0629

Criadores de Santa Catarina

| 64 www.revistapulodogato.com.br
Guia de criadores

Criadores de Santa Catarina

A Pulo do Gato digital está presente em


TODAS PLATAFORMAS
www.revistapulodogato.com.br

Criadores do Paraná

Você já curtiu nosso Facebook e Instagram?


(QWUHDJRUDPHVPRH¿TXHSRUGHQWUR
de vários assuntos sobre gatos!
facebook.com/revistapulodogato
Instagram: @revistapulodogato

www.revistapulodogato.com.br 65 |
Guia de criadores

Criadores do Paraná Criadores do Distrito Federal

| 66 www.revistapulodogato.com.br
www.revistapulodogato.com.br 67 |
| 68 www.revistapulodogato.com.br