Você está na página 1de 6

APELAÇÃO – RESUMO

BASE LEGAL

O recurso de apelação está previsto nos arts. 1.009 a 1.014 do CPC/2015.

CABIMENTO

A apelação é cabível contra sentença e decisão interlocutória não recorrível em


separado (art. 1009, § 1º, c/c 1.015), com vistas a obter, por meio do reexame pelo
órgão de segundo grau, a reforma ou invalidação do julgado.

Pouco importa seja a sentença terminativa ou definitiva, o recurso cabível será


sempre a apelação. Irrelevante também é o procedimento no qual a sentença foi
proferida. Pode tratar-se de procedimento do processo de conhecimento, de
execução ou procedimentos especiais de jurisdição voluntária ou contenciosa; desde
que haja extinção do processo, o recurso cabível será a apelação.

Há, contudo, decisões que, apesar de constituírem sentença na acepção


verdadeira do termo, não são recorríveis via apelação, por expressa disposição
legal. São elas:

a) Sentença proferida no Juizado Especial Cível, recorrível por meio de


recurso inominado (art. 41 da Lei 9.099/95);
b) Sentença proferida pela Justiça Federal no julgamento de causa
internacional, que se sujeitará a recurso ordinário;
c) Sentença que julga embargos do devedor em execução fiscal cujo valor
seja de até 50 OTNs, impugnável por meio de embargos infringentes de
alçada nos termos do art. 34 da Lei nº 6.830/1980 (Lei de execução fiscal).
Cabe ressaltar que esses embargos em nada se assemelham com aqueles
embargos infringentes previstos no art. 530 do CPC/73 e que foram
suprimidos do ordenamento processual.

PRAZO

O prazo para interposição do recurso de apelação, assim como para


apresentar contrarrazões, é de 15 (quinze) dias (art. 1.03, § 5º).

EFEITOS DA APELAÇÃO (art. 1.012)

Em geral a apelação é recebida nos efeitos devolutivo e suspensivo. Não


havendo disposição de lei em contrário, prevalece a duplicidade dos efeitos da
apelação. Apenas quando há disposição expressa de lei é que não incide a
suspensividade do recurso. O § 1º do art. 1.012 prevê as exceções, ou seja, os
casos em que a apelação é dotada somente de efeito devolutivo.

O efeito suspensivo automático vale somente para a apelação. Para todos os


demais recursos, não há previsão de efeito suspensivo automático.
APLICAÇÃO DA TEORIA DA CAUSA MADURA (art. 1.013, § 3º)

Nas hipóteses previstas no § 3º do art. 1.013, o tribunal pode – ou melhor, deve


– julgar desde logo o mérito, se a causa estiver em condições de imediato
julgamento. Trata-se da aplicação da chamada teoria da causa madura, que já
contava com previsão do CPC/73 (art. 515, § 3º), mas relacionada apenas aos casos
de extinção de resolução do mérito.

RECONHECIMENTO DA PRESCRIÇÃO OU DECADÊNCIA NA APELAÇÃO (art.


1.013, §4º)

Quando reformar sentença que reconheça a decadência ou prescrição, o


tribunal, se possível, julgará o mérito, examinando as demais questões, sem
determinar o retorno do processo ao juízo de 1º grau.

JUÍZO DE RETRATAÇÃO NA APELAÇÃO (art. 331)

“Consiste o juízo de retratação na possibilidade de o juiz, examinando o


recurso, voltar atrás e determinar o seguimento do processo.

O CPC mantém em seu art. 494, a regra da inalterabilidade da sentença, tal


como prevista no art. 463 do CPC/1973. Continua também permitindo a retratação
da sentença que indeferir a petição inicial (art. 331, que corresponde ao art. 296 do
CPC/1973) e daquela que julgar pela improcedência liminar do pedido, nos termos
do art. 332, correspondente ao art. 285-A do CPC/1973. Mas, para além disso, o
novo diploma processual, desde que interposto recurso de apelação, autoriza a
retratação de todas as sentenças de extinção do processo sem resolução de mérito,
nos termos do seu art. 485, § 7º10.

Assim é possível o juízo de retratação nos casos em que o magistrado extingue


o processo sem resolução de mérito, nas seguintes hipóteses:

a) quando o processo ficar parado durante mais de 1 (um) ano por negligência
das partes;

b) quando o autor abandonar a causa por mais de 30 (trinta) dias, por não
promover os atos e as diligências que lhe incumbir;

c) quando se verificar a ausência de pressupostos de constituição e de


desenvolvimento válido e regular do processo;

d) quando se reconhecer a existência de perempção, de litispendência ou de


coisa julgada;

e) quando se verificar ausência de legitimidade ou de interesse processual;

f) quando for acolhida a alegação de existência de convenção de arbitragem ou


quando o juízo arbitral reconhecer sua competência;
g) quando for homologada a desistência da ação;

h) quando, em caso de morte da parte, a ação for considerada intransmissível


por disposição legal; e,

i) nos demais casos prescritos no Código” (Luiz Rodrigues Wambier)

Segundo Elpídio Donizetti, havendo juízo de retratação (no prazo de 5 dias), o


juiz deve determinar prosseguimento do processo, com a citação do réu para
apresentar resposta. Não havendo juízo de retratação o réu será citado para
apresentar contrarrazões (art. 331).

PROCEDIMENTO (art. 1.010)

INTERPOSIÇÃO

A apelação deve ser interposta por meio de petição dirigida ao juízo de primeiro
grau onde a decisão foi prolatada, devendo conter os requisitos do art. 1.010, I a IV.

I - os nomes e a qualificação das partes;

II - a exposição do fato e do direito;

III - as razões do pedido de reforma ou de decretação de nulidade;

IV - o pedido de nova decisão.

a) Endereçamento/Competência: juízo que proferiu a decisão (juízo a quo)


b) Dados cadastrais: nº do processo, nome das partes,a causa (requerente e
requerido)
c) Preâmbulo e Requerimento:
 indicação das partes do recurso (nomes do apelante e do apelado;
qualificação, se necessário) e da ação de onde se origina o recurso;
 indicação do advogado;
 - referência ao recurso interposto, fundamento legal para a interposição;
 - requerimento da intimação do recorrido para oferecer as contrarrazões,
com a consequente remessa dos autos ao juízo ad quem;
d) 4. Local, data e assinatura do advogado, inscrição na OAB/seccional

RAZÕES

 Apelante, apelado, autos n., Vara de origem.


 É de praxe que o recorrente faça uma saudação aos julgadores: Tribunal,
câmara, julgadores do recurso, procurador de justiça.
 Breve síntese dos fatos: síntese da decisão ou dos fatos.
 Das razões do inconformismo: individualizar os argumentos utilizados pelo
juiz; após sua identificação, o recorrente deverá demonstrar os equívocos da
decisão. Há vício de ordem processual que invalide o processo? Em caso
positivo, deverá ser pedida a anulação da decisão. Se a resposta for negativa,
a decisão pode ser válida, mas incorrer em um erro de julgamento; deve-se
analisar então o direito material aplicável. Nada impede, que haja argumentos
de ordem formal (para anulação) e de mérito (para reforma) (Fernanda
Tartuce).
 Preliminares.
 Mérito: necessidade de reforma da sentença condenatória (conveniente citar
jurisprudência e doutrina).
 Pedidos e requerimentos:
o Reconhecer preliminares...
o Não acolhida a preliminar que podem resultar na devolução dos autos
à origem, pedir reforma da decisão ....
o Que o recurso seja conhecido e provido ...
o Reforma da sentença para ....
o Invesão do ônus da sucumbência e fixação de honorários advocatícios
a favor do apelante.
 Fechamento ...
 Local, data, assinatura do advogado, OAB/...

BIBLIOGRAFIA:

DONIZETTI, Elpídio. Curso didático de direito processual civil, 20ª Ed., revista
atualizada e ampliada, GEN/Atlas, 2016.

TARTUCE, Fernanda. DELLORE, Luiz. Manual de prática civil, 13ª Ed.,


GEN/Método, 2017.

WAMBIER, Luiz Rodrigues. Entendendo direito – a doutrina que nasce em sala de


aula. O juiz pode se retratar da sentença proferida quando interposto recurso de
apelação intempestivo?, 17 de junho de 2016. Disponível em:
http://www.migalhas.com.br/EntendendoDireito/110,MI240870,51045-
O+juiz+pode+se+retratar+da+sentenca+proferida+quando+interposto. Acesso em
26.8.2017.
SUGESTÃO/MODELO

INTERPOSIÇÃO

Endereçamento conforme competência. Lembre-se de que já se conhece a Vara e


os dados do Processo.

Deixar 10 (dez) linhas

Nome do apelante, já qualificado, por seu advogado..., nos autos da


AÇÃO ...., sob rito comum/ou especial, que promove em face de Nome do apelado,
vem perante Vossa Excelência, não se conformando, data venia, com a respeitável
sentença de fls.., apresentar recurso de APELAÇÃO, com fundamento nos artigos
....., para ser encaminhado ao Egrégio Tribunal ....., nos termos das inclusas razões.
(se for hipótese de juízo de retratação, pedir que o juiz se retrate antes de remeter
os autos ao Egrégio Tribunal).

Para tanto, junta à presente o valor das custas referentes ao preparo,


porte de remessa e de retorno, nos termos do artigo ....

Requer, ainda, seja o presente recurso recebido no efeito ...., nos termos
do art.... e regularmente processado para ser encaminhado ao juízo ad quem.

N.T

P.D

Local, data, advogado, inscrição na OAB/

RAZÕES DE APELAÇÃO

Apelante

Apelado

Processo n.

Ação

EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUS TIÇA DO ESTADO ----

(saudações)

EXPOSIÇÃO DO FATO E DO DIREITO

O apelante ajuizou ação de ..

O digníssimo juiz entendeu..

O juiz julgou improcedente (fundamento), ou extinguiu o processo sem


julgamento do mérito (fundamento legal) e condenou o apelante ...
Em que pese a respeitável decisão recorrida ter sido proferida com saber
jurídico, não pode prevalecer, pois foram violados o artigo...

SE FOR O CASO DE NULIDADE – AS RAZÕES DO PEDIDO DE NULIDADE

(fundamentar as razões acerca da nulidade. Colocar doutrina, jurisprudência ou


súmula)

SE FOR O CASO DE SE APLICAR A TEORIA DA CAUSA MADURA

Se o processo estiver em condições de imediato julgamento, o tribunal deve


decidir desde logo o mérito

(Fundamentar, colocar dispositivo de lei, doutrina e jurisprudência)

PROVIMENTO DO RECURSO / PEDIDO NOVA DECISÃO

Se for o caso de nulidade pedir provimento do recurso para que seja a


sentença anulada e no mérito a procedência para o fim de ..., deferimento de
honorários advocatícios (fundamento legal), por ser medida de inteira JUSTIÇA (não
colocar N.T...)

Local, data, nome advogado, inscrição na OAB/

OBS.: sugiro que consulte correção da peça processual do XXI exame de ordem
com gabarito da peça prático-profissional.

http://blog.luizcarlos.com.br/index.php/veja-correcao-da-prova-da-2a-fase-do-xxi-
exame-da-oab/

https://dellore.jusbrasil.com.br/noticias/420799213/comentarios-a-2-fase-civil-da-oab-
fgv-xxi-exame