Você está na página 1de 72

Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.

com

CURSO MEGE

Site: www.mege.com.br
Celular/Whatsapp: (99) 982622200 (Tim)
Fanpage /cursomege
Instagram: @cursomege
Telefone: (99) 98262-2200
Material: Julgados destacados para revisão (2017 - 2018)

5
JULGADOS DESTACADOS PARA REVISÃO
8
7-

PARTE 1
53

(2017 – 2018)1
3.
33
4.
12

1
Parte 1: Seleção de julgados veiculados até 30-04-2018.
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

BLOCO I
DIREITO CIVIL

Prescrição: O prazo prescricional para o cumprimento de sentença que condenou ao


pagamento de verba alimentícia retroativa se inicia tão somente com o trânsito em
julgado da decisão que reconheceu a paternidade. REsp 1.634.063-AC, Rel. Min. Moura
Ribeiro, por unanimidade, julgado em 20/6/2017, DJe 30/6/2017. (Informativo n. 607
do STJ)

Bloqueio de valor depositado em conta corrente conjunta: Em se tratando de conta


corrente conjunta solidária, na ausência de comprovação dos valores que integram o
patrimônio de cada um, presume-se a divisão do saldo em partes iguais, de forma que
os atos praticados por quaisquer dos titulares em suas relações com terceiros não 5
8
afetam os demais correntistas. REsp 1.510.310-RS, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
7-

unanimidade, julgado em 03/10/2017, DJe 13/10/2017. (Informativo n. 613 do STJ)


53
3.
33

Desconsideração da personalidade jurídica: A sócia da empresa, cuja personalidade


4.

jurídica se pretende desconsiderar, que teria sido beneficiada por suposta transferência
12

fraudulenta de cotas sociais por um dos cônjuges, tem legitimidade passiva para integrar
a ação de divórcio cumulada com partilha de bens, no bojo da qual se requereu a
declaração de ineficácia do negócio jurídico que teve por propósito transferir a
participação do sócio/ex-marido à sócia remanescente. REsp 1.522.142-PR, Rel. Min.
Marco Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em 13/6/2017, DJe 22/6/2017.
(Informativo n. 606 do STJ)

Presunção relativa de hipossuficiência: É relativa a presunção de hipossuficiência do


autor em ação de usucapião especial urbana e, por isso, é ilidida a partir da comprovação
inequívoca de que o autor não pode ser considerado "necessitado" nos termos do
parágrafo único do art. 2º Lei n. 1.060/1950. REsp 1.517.822-SP, Rel. Min. Ricardo Villas
Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em 21/2/2017, DJe 24/2/2017. (Informativo n.
599 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Ação de indenização por danos materiais e compensação por danos morais: A Súmula
403/STJ é inaplicável às hipóteses de divulgação de imagem vinculada a fato histórico de
repercussão social. REsp 1.631.329-RJ, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, Rel. Acd. Min.
Nancy Andrighi, por maioria, julgado em 24/10/2017, DJe 31/10/2017. (Informativo n.
614 do STJ)

Legitimidade para cobrança: Os sucessores da vítima têm legitimidade para ajuizar ação
de cobrança de pagamento de indenização do seguro DPVAT por invalidez permanente
ocorrida antes da morte daquela. REsp 1.185.907-CE, Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, por
unanimidade, julgado em 14/2/2017, DJe 21/2/2017. (Informativo n. 598 do STJ)

Contratos de mútuo: A cobrança de juros capitalizados nos contratos de mútuo é 5


permitida quando houver expressa pactuação. REsp 1.388.972-SC, Rel. Min. Marco
8
7-

Buzzi, Segunda Seção, por unanimidade, julgado em 8/2/2017, DJe 13/3/2017.


53

(Informativo n. 599 do STJ)


3.
33

Direitos da Personalidade: O exercício dos direitos da personalidade pode ser objeto de


4.

disposição voluntária, desde que não permanente nem geral, estando condicionado à
12

prévia autorização do titular e devendo sua utilização estar de acordo com o contrato
estabelecido entre as partes. REsp 1.630.851-SP, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino,
por unanimidade, julgado em 27/4/2017, DJe 22/6/2017. (Informativo n. 606 do STJ)

Dano moral: A demora na busca da compensação por dano moral, quando justificada
pela interrupção prescricional da pretensão dos autores, menores à época do evento
danoso, não configura desídia apta a influenciar a fixação do valor indenizatório. REsp
1.529.971-SP, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em
12/9/2017, DJe 19/9/2017. (Informativo n. 611 do STJ)

Privação de liberdade e dano moral: A privação da liberdade por policial fora do


exercício de suas funções e com reconhecido excesso na conduta caracteriza dano moral

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

in re ipsa. REsp 1.675.015-DF, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade, julgado em
12/9/2017, DJe 14/9/2017. (Informativo n. 612 do STJ)

Injúrias irrogadas a policial militar durante show musical: As ofensas generalizadas


proferidas por artista a policiais militares que realizavam a segurança ostensiva durante
show musical implicam dano moral in re ipsa, indenizável a cada um dos agentes
públicos. REsp 1.677.524-SE, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade, julgado em
3/8/2017, DJe 10/8/2017. (Informativo n. 609 do STJ)

DPVAT: É indevida a indenização relativa ao seguro obrigatório – DPVAT, na hipótese


em que o acidente de trânsito que vitimou o segurado tenha ocorrido no momento de
prática de ilícito penal doloso. REsp 1.661.120-RS, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
unanimidade, julgado em 9/5/2017, DJe 16/5/2017. (Informativo n. 604 do STJ)
8 5
7-
53

Embriaguez e Seguro de Vida: É vedada a exclusão de cobertura do seguro de vida na


3.

hipótese de sinistro ou acidente decorrente de atos praticados pelo segurado em estado


33

de embriaguez. REsp 1.665.701-RS, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por
4.

unanimidade, julgado em 9/5/2017, DJe 31/5/2017. (Informativo n. 604 do STJ)


12

Seguro de automóvel: Não é devida a indenização securitária decorrente de contrato


de seguro de automóvel quando o causador do sinistro – preposto da empresa segurada
estiver em estado de embriaguez, salvo se o segurado demonstrar que o infortúnio
ocorreria independentemente dessa circunstância. REsp 1.485.717-SP, Rel. Min. Ricardo
Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em 22/11/2016, DJe 14/12/2016.
(Informativo n. 594 do STJ)

Agressão verbal contra criança ou adolescente: A conduta da agressão, verbal ou física,


de um adulto contra uma criança ou adolescente, configura elemento caracterizador da
espécie do dano moral in re ipsa. REsp 1.642.318-MS, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
unanimidade, julgado em 7/2/2017, DJe 13/2/2017. (Informativo n. 598 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Ação indenizatória decorrente de ato ilícito: Em ação indenizatória decorrente de ato


ilícito, não há litisconsórcio necessário entre o genitor responsável pela reparação (art.
932, I, do CC) e o menor causador do dano. É possível, no entanto, que o autor, por sua
opção e liberalidade, tendo em conta que os direitos ou obrigações derivem do mesmo
fundamento de fato ou de direito (art. 46, II, CPC/1973) intente ação contra ambos – pai
e filho –, formando-se um litisconsórcio facultativo e simples. REsp 1.436.401-MG, Rel.
Min. Luis Felipe Salomão, por unanimidade, julgado em 2/2/2017, DJe 16/3/2017.
(Informativo n. 599 do STJ)

Cláusula penal compensatória: Na hipótese de inexecução do contrato, revela-se


inadmissível a cumulação das arras com a cláusula penal compensatória, sob pena de
ofensa ao princípio do non bis in idem. REsp 1.617.652-DF, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
unanimidade, julgado em 26/09/2017, DJe 29/09/2017. (Informativo n. 613 do STJ)
8 5
7-

Prescrição para o fiador: É trienal o prazo de prescrição para fiador que pagou
53

integralmente dívida, objeto de contrato de locação, pleitear o ressarcimento dos


3.

valores despendidos contra os locatários inadimplentes. REsp 1.432.999-SP, Rel. Min.


33

Marco Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em 16/5/2017, DJe 25/5/2017.


4.

(Informativo n. 605 do STJ)


12

Prestação de serviço e retenção de bem: Oficina mecânica que realiza reparos em


veículo, com autorização do proprietário, não pode reter o bem por falta de pagamento
do serviço. REsp 1.628.385-ES, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por unanimidade,
julgado em 22/8/2017, DJe 29/8/2017. (Informativo n. 610 do STJ)

Cobrança de dívida de jogo: A cobrança de dívida de jogo contraída por brasileiro em


cassino que funciona legalmente no exterior é juridicamente possível e não ofende a
ordem pública, os bons costumes e a soberania nacional. REsp 1.628.974-SP, Rel. Min.
Ricardo Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em 13/6/2017, DJe 25/8/2017.
(Informativo n. 610 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Contrato de seguro de vida em grupo: Nos contratos de seguro de vida em grupo não

há direito à renovação da apólice sem a concordância da seguradora ou à restituição dos


prêmios pagos em contraprestação à cobertura do risco no período delimitado no
contrato. REsp 1.569.627-RS, Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, por maioria, julgado em
22/02/2018, DJe 02/04/2018 (Informativo 622 do STJ)

Transgêneros: Os transgêneros, que assim o desejarem, independentemente da cirurgia


de transgenitalização, ou da realização de tratamentos hormonais ou patologizantes,
possuem o direito à alteração do prenome e do gênero (sexo) diretamente no registro
civil. STF. Plenário. ADI 4275/DF, rel. orig. Min. Marco Aurélio, red. p/ o acórdão Min.
Edson Fachin, julgado em 28/2 e 1º/3/2018 ((Informativo 892 do STF).

Prescrição para o fiador: É de 3 anos o prazo para o fiador cobrar do locatário


8 5
inadimplente o valor que pagou ao locador. STJ. 3ª Turma. REsp 1.432.999-SP, Rel. Min.
7-
53

Marco Aurélio Bellizze, julgado em 16/5/2017 ((Informativo 605 do STJ).


3.
33

Usucapião: A ausência de citação dos confinantes e respectivos cônjuges na ação de


4.

usucapião é considerada hipótese de nulidade relativa, somente gerando a nulidade do


12

processo caso se constate o efetivo prejuízo. STJ. 4ª Turma. REsp 1.432.579-MG, Rel.
Min. Luis Felipe Salomão, julgado em 24/10/2017 ((Informativo 616 DO STJ).

Autonomia de entidades desportivas e observância de normas gerais: Não viola o art.


217, I, da Constituição (“Art. 217. É dever do Estado fomentar práticas desportivas
formais e não formais, como direito de cada um, observados: I - a autonomia das
entidades desportivas dirigentes e associações, quanto a sua organização e
funcionamento”) decisão que determina associação esportiva a observar a norma do
art. 59 do Código Civil (“Art. 59. Compete privativamente à assembléia geral: I – destituir
os administradores; II - alterar o estatuto. Parágrafo único. Para as deliberações a que
se referem os incisos I e II deste artigo é exigido deliberação da assembleia
especialmente convocada para esse fim, cujo quorum será o estabelecido no estatuto,
bem como os critérios de eleição dos administradores”). RE 935482 AgR/SP, rel. Min.
Rosa Weber, julgamento em 7.2.2017. (RE-935482) (Informativo 853 do STJ)
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Sucessão e regime diferenciado para cônjuges e companheiros: No sistema


constitucional vigente, é inconstitucional a diferenciação de regimes sucessórios entre
cônjuges e companheiros, devendo ser aplicado, em ambos os casos, o regime
estabelecido no artigo 1.829 do Código Civil. samento. RE 646721/RS, rel. Min. Marco
Aurélio, red. p/ o ac. Min. Roberto Barroso, julgamento em 10.5.2017. (Informativo 864
do STF)

Testamento: O descumprimento de exigência legal para a confecção de testamento


público – segunda leitura e expressa menção no corpo do documento da condição de
cego – não gera a sua nulidade se mantida a higidez da manifestação de vontade do
testador. REsp 1.677.931-MG, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade, julgado em
15/8/2017, DJe 22/8/2017. (Informativo n. 610 do STJ) 5
8
Indenização pelo uso exclusivo de imóvel de propriedade comum dos ex-cônjuges: Na
7-
53

separação e no divórcio, o fato de certo bem comum ainda pertencer indistintamente


aos ex-cônjuges, por não ter sido formalizada a partilha, não representa automático
3.
33

empecilho ao pagamento de indenização pelo uso exclusivo do bem por um deles, desde
4.

que a parte que toca a cada um tenha sido definida por qualquer meio inequívoco. REsp
12

1.250.362-RS, Rel. Min. Raul Araújo, por maioria, julgado em 8/2/2017, DJe 20/2/2017.
(Informativo n. 598 do STJ)

Termo inicial: Requerida a indenização pelo uso exclusivo de bem comum por um dos
ex-cônjuges, o termo inicial para o ressarcimento ao outro é a data da intimação da
pretensão e o valor correspondente pode influir no valor da prestação de alimentos.
REsp 1.250.362-RS, Rel. Min. Raul Araújo, por maioria, julgado em 8/2/2017, DJe
20/2/2017. (Informativo n. 598 do STJ)

Bens e direitos em estado de mancomunhão (entre a separação de fato e a efetiva


partilha): Após a separação de fato ou de corpos, o cônjuge que estiver na posse ou na
administração do patrimônio partilhável, seja na condição de administrador provisório,
seja na de inventariante, terá o dever de prestar contas ao ex-consorte. REsp 1.274.639-

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

SP, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por maioria, julgado em 12/09/2017, DJe 23/10/2017.
(Informativo n. 614 do STJ)

Emenda Constitucional n. 66/2010: A Emenda Constitucional n. 66/2010 não revogou,


expressa ou tacitamente, a legislação ordinária que trata da separação judicial. REsp
1.431.370-SP, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em
15/8/2017, DJe 22/8/2017. (Informativo n. 610 do STJ)

Conversão de união estável em casamento: Os arts. 1.726, do CC/2002 e 8º, da Lei n.


9.278/96 não impõem a obrigatoriedade de que se formule pedido de conversão de
união estável em casamento pela via administrativa, antes de se ingressar com pedido
judicial. REsp 1.685.937-RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade, julgado em 5
17/8/2017, DJe 22/8/2017. (Informativo n. 609 do STJ)
8
7-
53

Regime de bens: O benefício de previdência privada fechada é excluído da partilha em


dissolução de união estável regida pela comunhão parcial de bens. REsp 1.477.937-MG,
3.
33

Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em 27/4/2017, DJe
4.

20/6/2017. (Informativo n. 606 do STJ)


12

Alimentos gravídicos: A ação de alimentos gravídicos não se extingue ou perde seu


objeto com o nascimento da criança, pois os referidos alimentos ficam convertidos em
pensão alimentícia até eventual ação revisional em que se solicite a exoneração,
redução ou majoração de seu valor ou até mesmo eventual resultado em ação de
investigação ou negatória de paternidade. REsp 1.629.423-SP, Rel. Min. Marco Aurélio
Bellizze, por unanimidade, julgado em 6/6/2017, DJe 22/6/2017. (Informativo n. 606 do
STJ)

Exoneração de alimentos: É presumida a necessidade de percepção de alimentos do


portador de doença mental incapacitante, devendo ser suprida nos mesmos moldes dos
alimentos prestados em razão do Poder Familiar, independentemente da maioridade
civil do alimentado. REsp 1.642.323-MG, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade,
julgado em 28/3/2017, DJe 30/3/2017. (Informativo n. 601 do STJ)
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Astreintes e Guarda: A aplicação de astreintes é válida quando o genitor detentor da


guarda da criança descumpre acordo homologado judicialmente sobre o regime de
visitas. REsp 1.481.531-SP, Rel. Min. Moura Ribeiro, por unanimidade, julgado em
16/2/2017, DJe 7/3/2017. (Informativo n. 599 do STJ)

Reconhecimento de paternidade post mortem: O reconhecimento de paternidade post


mortem não invalida a alteração de contrato social com a transferência de todas as cotas
societárias realizada pelo genitor a outro descendente. REsp 1.356.431-DF, Rel. Min. Luis
Felipe Salomão, por unanimidade, julgado em 8/8/2017, DJe 21/9/2017. (Informativo n.
611 do STJ)

Partilha de direitos sobre a concessão de uso de bem público: Na dissolução de união 5


estável, é possível a partilha dos direitos de concessão de uso para moradia de imóvel
8
7-

público. REsp 1.494.302-DF, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por unanimidade, julgado em
53

13/6/2017, DJe 15/8/2017. (Informativo n. 609 do STJ)


3.
33

Abandono Material: A omissão voluntária e injustificada do pai quanto ao amparo


4.

material do filho gera danos morais, passíveis de compensação pecuniária. REsp


12

1.087.561-RS, Rel. Min. Raul Araújo, por unanimidade, julgado em 13/6/2017, DJe
18/8/2017. (Informativo n. 609 do STJ)

Coação Moral irresistível: É de quatro anos o prazo de decadência para anular partilha
de bens em dissolução de união estável, por vício de consentimento (coação), nos
termos do art. 178 do Código Civil. REsp 1.621.610-SP, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por
unanimidade, julgado em 7/2/2017, DJe 20/3/2017. (Informativo n. 600 do STJ)

Possibilidade de disposição acerca do bem na separação em curso no país: É possível,


em processo de dissolução de casamento em curso no país, que se disponha sobre
direitos patrimoniais decorrentes do regime de bens da sociedade conjugal aqui
estabelecida, ainda que a decisão tenha reflexos sobre bens situados no exterior para

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

efeitos da referida partilha. REsp 1.552.913-RJ, Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, por
unanimidade, julgado em 8/11/2016, DJe 2/2/2017. (Informativo n. 597 do STJ)

Filiação: O filho tem direito de desconstituir a denominada "adoção à brasileira" para


fazer constar o nome de seu pai biológico em seu registro de nascimento, ainda que
preexista vínculo socioafetivo de filiação com o pai registral. STJ. 3ª Turma. REsp
1.417.598-CE, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino, julgado em 17/12/2015
(Informativo 577 do STJ)

União estável: Na falta de descendentes e ascendentes, será deferida a sucessão por


inteiro ao cônjuge ou companheiro sobrevivente, não concorrendo com parentes
colaterais do de cujus. REsp 1.357.117-MG, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por
unanimidade, julgado em 13/03/2018, DJe 26/03/2018. (Informativo 622 do STJ) 8 5
7-

Inventário: É cabível o ajuizamento de ação autônoma perante o juízo cível quando se


53

constatar, desde logo, a necessidade de dilação probatória incompatível com o rito


3.

especial do inventário. REsp 1.480.810-ES, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade,
33

julgado em 20/03/2018, DJe 26/03/2018. (Informativo 622 do STJ)


4.
12

Ação de prestação de contas: A ação de prestação de contas ajuizada pelo filho em


desfavor dos pais é possível quando a causa de pedir estiver relacionada com suposto
abuso do direito ao usufruto legal e à administração dos bens dos filhos. REsp 1.623.098-
MG, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em 13/03/2018, DJe
23/03/2018. (Informativo 622 do STJ)

Ação indenizatória: A Súmula 403/STJ é inaplicável às hipóteses de representação da


imagem de pessoa como coadjuvante em obra biográfica audiovisual que tem por objeto
a história profissional de terceiro. REsp 1.454.016-SP, Rel. Min. Nancy Andrighi, Rel. Acd.
Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por maioria, julgado em 12/12/2017, DJe 12/03/2018.
(Informativo 621 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Dano moral e pessoa jurídica: O dano moral sofrido pela pessoa jurídica não se
configura in re ipsa, o que não obsta, contudo, que sua comprovação ocorra por meio
da utilização de presunções e regras de experiência no julgamento da controvérsia. REsp
1.564.955-SP, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade, julgado em 06/02/2018, DJe
15/02/2018. (Informativo 619 do STJ)

Dissolução de união estável: O prêmio de loteria, recebido por ex-companheiro


sexagenário, durante a relação de união estável, deve ser objeto de meação entre o
casal. REsp 1.689.152-SC, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por unanimidade, julgado em
24/10/2017, DJe 22/11/2017. (Informativo 616 do STJ)

8 5
7-
53
3.
33
4.
12

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

Ação civil pública: O exercício da legitimação extraordinária, conferida para tutelar


direitos individuais homogêneos em ação civil pública, não pode ser estendido para
abarcar a disposição de interesses personalíssimos, tais como a intimidade, a
privacidade e o sigilo bancário dos substituídos. REsp 1.611.821-MT, Rel. Min. Marco
Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em 13/6/2017, DJe 22/6/2017. (Informativo
n. 607 do STJ)

Legitimidade em Ação civil pública: Associação com fins específicos de proteção ao


consumidor não possui legitimidade para o ajuizamento de ação civil pública com a
finalidade de tutelar interesses coletivos de beneficiários do seguro DPVAT. REsp
1.091.756-MG, Rel. Min. Marco Buzzi, Rel. Acd. Min. Marco Aurélio Bellizze, por maioria,5
8
julgado em 13/12/2017, DJe 05/02/2018. (Informativo 618 do STJ)
7-
53
3.

Ação de reparação de danos: A vítima de acidente de trânsito pode ajuizar demanda


33

direta e exclusivamente contra a seguradora do causador do dano quando reconhecida,


na esfera administrativa, a responsabilidade deste pela ocorrência do sinistro e quando
4.
12

parte da indenização securitária já tiver sido paga. REsp 1.584.970-MT, Rel. Min. Ricardo
Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em 24/10/2017, DJe 30/10/2017.
(Informativo n. 614 do STJ)

Honorários advocatícios: O cessionário de honorários advocatícios tem legitimidade


para se habilitar no crédito consignado em precatório desde que comprovada a validade
do ato de cessão por escritura pública e seja discriminado o valor devido a título de verba
honorária no próprio requisitório, não preenchendo esse último requisito a simples
apresentação de planilha de cálculo final elaborada pelo Tribunal de Justiça. EREsp
1.127.228-RS, Rel. Min. Benedito Gonçalves, por unanimidade, julgado em 21/6/2017,
DJe 29/6/2017. (Informativo 607 do STJ)

Benefício de gratuidade de justiça: A gratuidade da justiça passou a poder ser concedida


a estrangeiro não residente no Brasil após a entrada em vigor do CPC/2015. Pet 9.815-
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

DF, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por unanimidade, julgado em 29/11/2017, DJe
15/03/2018. (Informativo 622 do STJ)

Execução contra a Fazenda Pública: Em adequação ao entendimento do Supremo


Tribunal Federal, a Corte Especial do STJ adota orientação jurisprudencial no sentido de
que incidem juros da mora no período compreendido entre a data da realização dos
cálculos e a da requisição ou do precatório. EREsp 1.150.549-RS, Rel. Min. Og Fernandes,
por unanimidade, julgado em 29/11/2017, DJe 12/12/2017. (Informativo 617 do STJ)

Honorários de sucumbência: Configura supressão de grau de jurisdição o arbitramento


no STJ de honorários de sucumbência com base no CPC/2015, na hipótese em que as
instâncias ordinárias utilizaram equivocadamente o CPC/1973 para a sua fixação. REsp
5
1.647.246-PE, Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, Rel. Acd. Min. Regina Helena Costa,
8
7-

por maioria, julgado em 21/11/2017, DJe 19/12/2017. (Informativo 617 do STJ)


53
3.
33

Ação monitória: O pedido de concessão de prazo para analisar documentos com o fim
4.

de verificar a existência de débito não tem o condão de interromper a prescrição. REsp


12

1.677.895-SP, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade, julgado em 06/02/2018, DJe
08/02/2018. (Informativo 619 do STJ)

Obrigação alimentar avoenga: Havendo meios executivos mais adequados e igualmente


eficazes para a satisfação da dívida alimentar dos avós, é admissível a conversão da
execução para o rito da penhora e da expropriação, a fim de afastar o decreto prisional
em desfavor dos executados. HC 416.886-SP, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
unanimidade, julgado em 12/12/2017, DJe 18/12/2017. (Informativo 617 do STJ)

Agravo de instrumento: É admissível a interposição de agravo de instrumento contra


decisão que não concede efeito suspensivo aos embargos à execução. REsp 1.694.667-
PR, Rel. Min. Herman Benjamin, por unanimidade, julgado em 05/12/2017, DJe
18/12/2017. (Informativo 617 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Cláusula compromissória: A previsão contratual de convenção de arbitragem enseja o

reconhecimento da competência do Juízo arbitral para decidir com primazia sobre o


Poder Judiciário as questões acerca da existência, validade e eficácia da convenção de
arbitragem e do contrato que contenha a cláusula compromissória. REsp 1.550.260-RS,
Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino, Rel. Acd. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por

maioria, julgado em 12/12/2017, DJe 20/03/2018. (Informativo 617 do STJ)

Revisional de alimentos: Não é possível, em tutela antecipada deferida na ação


revisional de alimentos, a alteração de valor fixo de pensão alimentícia para um valor
ilíquido, correspondente a percentual de rendimentos que virão a ser apurados no curso
do processo. REsp 1.442.975-PR, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino, por
unanimidade, julgado em 27/6/2017, DJe 1/8/2017. (Informativo n. 608 do STJ) 5
8
7-

Alegação de parcialidade do árbitro: A prerrogativa de imparcialidade do julgador


53

aplica-se à arbitragem e sua inobservância resulta em ofensa direta à ordem pública


3.

nacional, o que legitima o exame da matéria pelo Superior Tribunal de Justiça,


33

independentemente de decisão proferida pela Justiça estrangeira acerca do tema. SEC


4.

9.412-EX, Rel. Min. Felix Fischer, Rel. para acórdão Min. João Otávio de Noronha, por
12

maioria, julgado em 19/4/2017, DJe 30/5/2017. (Informativo n. 605)

Ciência inequívoca da penhora “on-line”: O termo inicial do prazo para apresentar


impugnação ao cumprimento de sentença é contado a partir da ciência inequívoca do
devedor quanto à penhora “on-line” realizada, não havendo necessidade de sua
intimação formal. EREsp 1.415.522-ES, Rel. Min. Felix Fischer, por unanimidade, julgado
em 29/3/2017, DJe 5/4/2017. (Informativo n. 601)

Patrono no exercício de mandato de Deputado Estadual: O desempenho de mandato


eletivo no Poder Legislativo impede o exercício da advocacia a favor ou contra pessoa
jurídica de direito público pertencente a qualquer das esferas de governo – municipal,
estadual ou federal. EAREsp 519.194-AM, Rel. Min. Og Fernandes, por unanimidade,
julgado em 14/6/2017, DJe 23/6/2017. (Informativo n. 607)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Execução de título extrajudicial: O conceito de "dúvida objetiva", para a aplicação do

princípio da fungibilidade recursal, pode ser relativizado, excepcionalmente, quando o


equívoco na interposição do recurso cabível decorrer da prática de ato do próprio órgão
julgador. EAREsp 230.380-RN, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino, por unanimidade,
julgado em 13/09/2017, DJe 11/10/2017. (Informativo n. 613)

Pedido de declaração de autoria de obra intelectual cumulado com pedido de


indenização por seu uso indevido: O pedido cumulado de indenização, quando mediato
e dependente do reconhecimento do pedido antecedente de declaração da autoria da
obra, não afasta a regra geral de competência do foro do domicílio do réu. REsp
1.138.522-SP, Rel. Min. Maria Isabel Gallotti, por unanimidade, julgado em 8/2/2017,
DJe 13/3/2017. (Informativo n. 599) 5
8
7-

Ausência de apresentação de contrarrazões e honorários recursais: É cabível a fixação


53

de honorários recursais, prevista no art. 85, § 11, do Código de Processo Civil (CPC),
3.

mesmo quando não apresentadas contrarrazões ou contraminuta pelo advogado. AO


33

2063 AgR/CE, rel. orig. Min. Marco Aurélio, red. p/ o ac. Min. Luiz Fux, julgamento em
4.

18.5.2017. (Informativo 865 do STF, Repercussão Geral)


12

Fracionamento de honorários advocatícios: impossibilidade A Segunda Turma, por


maioria, deu provimento a agravo em recurso extraordinário, no qual se arguiu a
impossibilidade de fracionamento de honorários advocatícios, em face do art. 100, § 8º,
da Constituição. O Colegiado ressaltou que, apesar de a possibilidade de execução
autônoma dos honorários ser ponto pacífico, eles não se confundem com o crédito dos
patrocinados. Salientou que, no caso, inexiste a pluralidade de autores titulares de
crédito e, por conseguinte, o litisconsórcio. A quantia devida a título de honorários
advocatícios é única, e, por se tratar de um único processo, calculada sobre o montante
total devido. Por essa razão, o fato de o advogado ter atuado em causa plúrima não
torna plúrimo também o seu crédito à verba advocatícia. Asseverou que o argumento
de que o litisconsórcio facultativo simples representa, na verdade, várias causas
cumuladas não pode ser utilizado para justificar a legitimidade do fracionamento da
execuçãodos honorários advocatícios sucumbenciais. A Turma assentou que a
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

condenação à verba honorária no título executivo foi global, ou seja, buscou remunerar

o trabalho conjunto prestado pelo causídico. RE 1038035 AgR/RS, rel. orig. Min. Edson
Fachin, red. p/ o ac. Min. Dias Toffoli, julgamento em 7.11.2017. (Informativo 884, do
STF)

Propositura da ação, associação e momento para a filiação: A eficácia subjetiva da coisa


julgada formada a partir de ação coletiva, de rito ordinário, ajuizada por associação civil
na defesa de interesses dos associados, somente alcança os filiados, residentes no
âmbito da jurisdição do órgão julgador, que o fossem em momento anterior ou até a
data da propositura da demanda, constantes da relação jurídica juntada à inicial do
processo de conhecimento. RE 612043/PR, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em
10.5.2017. (Informativo 864, do STF, Repercussão Geral) 5
8
7-

Condenação contra a Fazenda Pública e índices de correção monetária: O art. 1º-F da


53

Lei 9.494/1997 (1), com a redação dada pela Lei 11.960/2009, na parte em que disciplina
3.

os juros moratórios aplicáveis a condenações da Fazenda Pública, é inconstitucional ao


33

incidir sobre débitos oriundos de relação jurídicotributária, aos quais devem ser
4.

aplicados os mesmos juros de mora pelos quais a Fazenda Pública remunera seu crédito
12

tributário, em respeito ao princípio constitucional da isonomia, CF, art. 5º, caput (2) ;
quanto às condenações oriundas de relação jurídica não-tributária, a fixação dos juros
moratórios segundo o índice de remuneração da caderneta de poupança é
constitucional, permanecendo hígido, nesta extensão, o disposto no art. 1º-F da Lei nº
9.494/1997 com a redação dada pela Lei nº 11.960/2009. s depósitos”. RE 870947/SE,
rel. Min. Luiz Fux, julgamento em 20.9.2017. (Informativo 878 do STF Repercussão Geral)

Ministério Público e legitimidade processual: A Segunda Turma negou provimento a


dois agravos regimentais em reclamações, ajuizadas por membros do Ministério Público
Especial junto aos Tribunais de Contas. Em ambos os casos, se trata de concessão
indevida de aposentadoria especial a servidor público civil, em suposta afronta ao que
decidido pelo STF na ADI 3.772/DF (DJE de 7.11.2008). A Turma concluiu pela ausência
de legitimidade ativa de causa, visto que a legitimidade processual extraordinária e
independente do Ministério Público comum não se estende ao Ministério Público junto
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

aos Tribunais de Contas, cuja atuação se limita ao controle externo, nos termos da

Constituição. Rcl 24156 AgR/DF, rel. Min. Celso de Mello, julgamento em 24.10.2017.
Rcl 24158 AgR/DF, rel. Min. Celso de Mello, julgamento em 24.10.2017. (Informativo
883 do STF)

ED e juízo de admissibilidade de RE: Os embargos de declaração opostos contra a


decisão de presidente do tribunal que não admite recurso extraordinário não
suspendem ou interrompem o prazo para interposição de agravo, por serem incabíveis.
Esse é o entendimento da Primeira Turma que, por maioria e em conclusão, converteu
embargos declaratórios em agravos regimentais e a eles negou provimento. ARE 688776
ED/RS, rel. Min. Dias Toffoli, julgamento em 28.11.2017. ARE 685997 ED/RS, rel. Min.
Dias Toffoli, julgamento em 28.11.2017. (Informativo 886 do STF) 8 5
7-

Contagem de prazo para o Ministério Público: O termo inicial da contagem do prazo


53

para impugnar decisão judicial é, para o Ministério Público, a data da entrega dos autos
3.

na repartição administrativa do órgão, sendo irrelevante que a intimação pessoal tenha


33

se dado em audiência, em cartório ou por mandado. REsp 1.349.935-SE, Rel. Min.


4.

Rogério Schietti Cruz, Terceira Seção, por maioria, julgado em 23/8/2017, DJe
12

14/9/2017. (Informativo n. 611 do STJ)

Intimação por oficial de justiça, carta rogatória, precatória ou de ordem: Nos casos de
intimação/citação realizadas por correio, oficial de justiça, ou por carta de ordem,
precatória ou rogatória, o prazo recursal inicia-se com a juntada aos autos do aviso de
recebimento, do mandado cumprido, ou da juntada da carta. REsp 1.632.777-SP, Rel.
Min. Napoleão Nunes Maia Filho, Corte Especial, por unanimidade, julgado em
17/5/2017, DJe 26/5/2017. (Informativo n. 604 do STJ)

Expurgos inflacionários: A correção monetária dos depósitos judiciais deve incluir os


expurgos inflacionários. REsp 1.131.360-RJ, Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, Rel.
para acórdão Min. Maria Thereza de Assis Moura, Corte Especial, por maioria, julgado
em 3/5/2017, DJe 30/6/2017. (Informativo n. 607 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Cobrança de expurgos inflacionários em caderneta de poupança: A divulgação de


elementos cadastrais dos beneficiários de decisão proferida em ação civil pública que
determinou o pagamento dos expurgos inflacionários decorrentes de planos
econômicos configura quebra de sigilo bancário. REsp 1.285.437-MS, Rel. Min. Moura
Ribeiro, por unanimidade, julgado em 23/5/2017, DJe 2/6/2017. (Informativo n. 605 do
STJ)

Prescrição executiva: A partir da vigência da Lei n. 10.444/2002, que incluiu o § 1º ao


art. 604, dispositivo que foi sucedido, conforme Lei n. 11.232/2005, pelo art. 475-B, §§
1º e 2º, todos do CPC/1973, não é mais imprescindível, para acertamento de cálculos, a
juntada de documentos pela parte executada ou por terceiros, reputando-se correta a
conta apresentada pelo exequente, quando a requisição judicial de tais documentos
deixar de ser atendida, injustificadamente, depois de transcorrido o prazo legal. Assim,
8 5
7-

sob a égide do diploma legal citado, incide o lapso prescricional, pelo prazo respectivo
53

da demanda de conhecimento (Súmula 150/STF), sem interrupção ou suspensão, não se


3.

podendo invocar qualquer demora na diligência para obtenção de fichas financeiras ou


33

outros documentos perante a administração ou junto a terceiros. REsp 1.336.026-PE,


4.

Rel. Min. Og Fernandes, Primeira Seção, por unanimidade, julgado em 28/6/2017, DJe
12

30/6/2017. (Informativo n. 607 do STJ)

Astreintes e fornecimento de medicamento: É permitida a imposição de multa diária


(astreintes) a ente público para compeli-lo a fornecer medicamento a pessoa desprovida
de recursos financeiros. REsp 1.474.665-RS, Rel. Min. Benedito Gonçalves, Primeira
Seção, por unanimidade, julgado em 26/4/2017, DJe 22/6/2017. (Informativo n. 606 do
STJ)

Competência (Justiça Federal – OAB): Compete à justiça federal processar e julgar ações
em que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), quer mediante o conselho federal, quer
seccional, figure na relação processual. STF. Plenário. RE 595332/PR, Rel. Min. Marco
Aurélio, julgado em 31/8/2016 (repercussão geral) (Informativo 837 do STF)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Assistência Judiciária Gratuita: É possível a formulação de pedido de assistência

judiciária gratuita na própria petição recursal, dispensando-se a exigência de petição


avulsa, quando não houver prejuízo ao trâmite normal do processo. STJ. Corte Especial.
AgRg nos EREsp 1.222.355-MG, Rel. Min. Raul Araújo, julgado em 4/11/2015 (Info 574
do STJ)

Execução de título extrajudicial: A execução de título extrajudicial por inadimplemento


de mensalidades escolares de filhos do casal pode ser redirecionada ao outro consorte,
ainda que não esteja nominado nos instrumentos contratuais que deram origem à
dívida. REsp 1.472.316-SP, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino, por unanimidade,
julgado em 05/12/2017, DJe 18/12/2017. (Informativo 618 do STJ)

Impenhorabilidade da pequena propriedade rural: A impenhorabilidade da pequena 5


8
propriedade rural não exige que o débito exequendo seja oriundo da atividade
7-

produtiva, tampouco que o imóvel sirva de moradia ao executado e à sua família. REsp
53

1.591.298-RJ, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em


3.

14/11/2017, DJe 21/11/2017. (Informativo 616 do STJ)


33
4.
12

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

CONSUMIDOR

Não aplicação do CDC: Não se aplica o Código de Defesa do Consumidor - CDC ao


contrato de transporte de mercadorias vinculado a contrato de compra e venda de
insumos. REsp 1.442.674-PR, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino, por unanimidade,
julgado em 7/3/2017, DJe 30/3/2017. (Informativo n. 600 do STJ)

Corretagem de valores e títulos mobiliários: Deve ser reconhecida a relação de


consumo existente entre a pessoa natural, que visa a atender necessidades próprias, e
as sociedades que prestam de forma habitual e profissional o serviço de corretagem de
valores e títulos mobiliários. REsp 1.599.535-RS, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
unanimidade, julgado em 14/3/2017, DJe 21/3/2017.(Informativo 600 do STJ).
8 5
Antinomia entre o CDC e a Convenção de Varsóvia: transporte aéreo internacional:
7-
53

Nos termos do art. 178 da Constituição da República, as normas e os tratados


3.

internacionais limitadores da responsabilidade das transportadoras aéreas de


33

passageiros, especialmente as Convenções de Varsóvia e Montreal, têm prevalência em


4.

relação ao Código de Defesa do Consumidor. RE 636331/RJ, rel. Min. Gilmar Mendes,


12

julgamento em 25.5.2017. (RE-636331). (Informativo 866 do STJ)

Vício do produto: O fornecimento de bem durável ao seu destinatário final põe termo à
eventual cadeia de seus fornecedores originais, de modo que, a posterior revenda desse
mesmo bem por seu adquirente constitui nova relação jurídica obrigacional com o
eventual comprador e, por conseguinte, não se pode estender aos integrantes daquela
primeira cadeia de fornecimento a responsabilidade solidária de que trata o art. 18 do
CDC por eventuais vícios que este venha a futuramente detectar no produto. REsp
1.517.800-PE, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em
2/5/2017, DJe 5/5/2017. (Informativo 603 do STJ)

Troca de produto defeituoso: É legal a conduta de fornecedor que concede apenas 3


(três) dias para troca de produtos defeituosos, a contar da emissão da nota fiscal, e
impõe ao consumidor, após tal prazo, a procura de assistência técnica credenciada pelo
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

fabricante para que realize a análise quanto à existência do vício. REsp 1.459.555-RJ, Rel.

Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em 14/2/2017, DJe 20/2/2017.
(Informativo n. 598 do STJ)

Informação - “contém glúten”: O fornecedor de alimentos deve complementar a


informação-conteúdo "contém glúten" com a informação-advertência de que o glúten
é prejudicial à saúde dos consumidores com doença celíaca. EREsp 1.515.895 MS, Rel.
Min. Humberto Martins, por unanimidade, julgado em 20/09/2017, DJe
27/09/2017(STJ)

Responsabilidade x Estacionamento: A incidência do disposto na Súmula 130/STJ não


alcança as hipóteses de crime de roubo a cliente de lanchonete, praticado mediante
grave ameaça e com emprego de arma de fogo, ocorrido no estacionamento externo e
gratuito oferecido pelo estabelecimento comercial. REsp 1.431.606-SP, Rel. Min. Paulo
de Tarso Sanseverino, Rel. Acd. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por maioria, julgado em
8 5
15/08/2017, DJe 13/10/2017. (Informativo n. 613 do STJ)
7-
53
3.

CDC e DPVAT: As normas protetivas do Código de Defesa do Consumidor não se aplicam


33

ao seguro obrigatório (DPVAT). REsp 1.635.398-PR, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, por
4.

unanimidade, julgado em 17/10/2017, DJe 23/10/2017. (Informativo n. 614 do STJ)


12

Promessa de compra e venda de imóvel em construção: Não é abusiva a cláusula de


tolerância nos contratos de promessa de compra e venda de imóvel em construção que
prevê prorrogação do prazo inicial para a entrega da obra pelo lapso máximo de 180
(cento e oitenta) dias. REsp 1.582.318-RJ, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por
unanimidade, julgado em 12/9/2017, DJe 21/9/2017. (Informativo n. 612 do STJ)

Cláusula abusiva: Há abusividade na cláusula contratual ou em ato da operadora de


plano de saúde que importe em limitação/interrupção de tratamento psicoterápico por
esgotamento do número de sessões anuais asseguradas no Rol de Procedimentos e
Eventos em Saúde da ANS, devendo as consultas excedentes ser custeadas em regime
de coparticipação. REsp 1.679.190-SP, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por
unanimidade, julgado em 26/09/2017, DJe 02/10/2017. (Informativo n. 612 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Direitos individuais homogêneos: Não se admite o cabimento da remessa necessária,


tal como prevista no art. 19 da Lei n. 4.717/65, nas ações coletivas que versem sobre
direitos individuais homogêneos. REsp 1.374.232-ES, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
unanimidade, julgado em 26/09/2017, DJe 02/10/2017. (Informativo n. 612 do STJ)

Ligações para consumidor inadimplente: Não há abusividade na cláusula contratual que


estabeleça o repasse dos custos administrativos da instituição financeira com as ligações
telefônicas dirigidas ao consumidor inadimplente. REsp 1.361.699-MG, Rel. Min. Ricardo
Villas Bôas Cueva, por unanimidade, julgado em 12/9/2017, DJe 21/9/2017. (Informativo
n. 611 do STJ)

Distinção entre o contexto de contratos e ofertas publicitárias: A previsão de tamanho

mínimo de fonte em contratos de adesão estabelecido no art. 54, § 3º, do CDC não é

aplicável ao contexto das ofertas publicitárias. REsp 1.602.678-RJ, Rel. Min. Paulo de 5
8
Tarso Sanseverino, por unanimidade, julgado em 23/5/2017, DJe 31/5/2017.
7-
53

(Informativo n. 605 do STJ)


3.
33

Air Bag e Responsabilidade Objetiva: A comprovação de graves lesões decorrentes da


abertura de air bag em acidente automobilístico em baixíssima velocidade, que
4.
12

extrapolam as expectativas que razoavelmente se espera do mecanismo de segurança,


ainda que de periculosidade inerente, configura a responsabilidade objetiva da
montadora de veículos pela reparação dos danos ao consumidor. REsp 1.656.614-SC,
Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade, julgado em 23/5/2017, DJe 2/6/2017.
(Informativo n. 605 do STJ)

Produto de periculosidade inerente: Em se tratando de produto de periculosidade


inerente (medicamento), cujos riscos são normais à sua natureza e previsíveis, eventual
dano por ele causado ao consumidor não enseja a responsabilização do fornecedor.

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

REsp 1.599.405-SP, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em
4/4/2017, DJe 17/4/2017. (Informativo n. 603 do STJ)

Cadastro de proteção ao crédito: É passível de gerar responsabilização civil a atuação


do órgão mantenedor de cadastro de proteção ao crédito que, a despeito da prévia
comunicação do consumidor solicitando que futuras notificações fossem remetidas ao
endereço por ele indicado, envia a notificação de inscrição para endereço diverso. REsp
1.620.394-SP, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino, por unanimidade, julgado em
15/12/2016, DJe 6/2/2017. (Informativo n. 597 do STJ)

Multa de fidelidade: A cobrança da multa de fidelidade pela prestadora de serviço de


TV a cabo deve ser proporcional ao tempo faltante para o término da relação de
fidelização, mesmo antes da vigência da Resolução n. 632/2014 da ANATEL. REsp
5
1.362.084-RJ, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por maioria, julgado em 16/5/2017, DJe
8
7-

1/8/2017. (Informativo n. 608 do STJ)


53
3.

Plano de saúde coletivo: O beneficiário de plano de saúde coletivo por adesão possui
33

legitimidade ativa para se insurgir contra rescisão contratual unilateral realizada pela
4.

operadora. REsp 1.705.311-SP, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade, julgado em
12

09/11/2017, DJe 17/11/2017. (Informativo n. 615 do STJ)

Saques excedentes: É legítima a cobrança, pelas instituições financeiras, de tarifas


relativas a saques quando estes excederem o quantitativo de quatro realizações por
mês. REsp 1.348.154-DF, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em
13/12/2016, DJe 19/12/2016. (Informativo n. 596 do STJ)

Saque indevido, devolução e não configuração de dano moral: O saque indevido de


numerário em conta corrente, reconhecido e devolvido pela instituição financeira dias
após a prática do ilícito, não configura, por si só, dano moral in re ipsa. REsp 1.573.859-
SP, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em 07/11/2017, DJe
13/11/2017. (Informativo n. 615 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Cadastro de inadimplentes: O valor que seria objeto de mútuo, negado por força de
inscrição indevida em cadastro de inadimplentes, não pode ser ressarcido a título de
dano emergente. REsp 1.369.039-RS, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, por
unanimidade, julgado em 4/4/2017, DJe 10/4/2017. (Informativo n. 602 do STJ)

Prazo Prescricional: O prazo prescricional para as ações de repetição de indébito relativo


às tarifas de serviços de água e esgoto cobradas indevidamente é de: (a) 20 vinte) anos,
na forma do art. 177 do Código Civil de 1916; ou (b) 10 (dez) anos, tal como previsto no
art. 205 do Código Civil de 2002, observando-se a regra de direito intertemporal,
estabelecida no art. 2.028 do Código Civil de 2002. REsp 1.532.514-SP, Rel. Min. Og
Fernandes, Primeira Seção, por unanimidade, julgado em 10/5/2017, DJe 17/5/2017.
(Informativo n. 603 do STJ) 8 5
7-

Aquisição de pacote de biscoito com corpo estranho no recheio: O simples "levar à


53

boca" do alimento industrializado com corpo estranho gera dano moral in re ipsa,
3.

independentemente de sua ingestão. REsp 1.644.405-RS, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
33

unanimidade, julgado em 09/11/2017, DJe 17/11/2017. (Informativo n. 616 do STJ)


4.
12

Prescrição: As pretensões indenizatórias decorrentes do furto de joias, objeto de penhor


em instituição financeira, prescrevem em 5 (cinco) anos, de acordo com o disposto no
art. 27 do CDC. REsp 1.369.579-PR, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por unanimidade,
julgado em 24/10/2017, DJe 23/11/2017. (Informativo n. 616 do STJ)

Cartão de crédito: É abusiva e ilegal cláusula prevista em contrato de prestação de


serviços de cartão de crédito que autoriza o banco contratante a compartilhar dados dos
consumidores com outras entidades financeiras ou mantenedoras de cadastros
positivos e negativos de consumidores, sem que seja dada opção de discordar daquele
compartilhamento. REsp 1.348.532-SP, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por unanimidade,
julgado em 10/10/2017, DJe 30/11/2017. (Informativo n. 616 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Ponto extra em TV por assinatura: É lícita a conduta da prestadora de serviço que em


período anterior à Resolução da ANATEL n. 528, de 17 de abril de 2009, efetuava
cobranças pelo aluguel de equipamento adicional e ponto extra de TV por assinatura.
REsp 1.449.289-RS, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, Rel. Acd. Min. Marco Buzzi, por
maioria, julgado em 14/11/2017, DJe 13/12/2017. (Informativo n. 617 do STJ)

Cláusula abusiva em cancelamento de passagem aérea: É abusiva a prática comercial


consistente no cancelamento unilateral e automático de um dos trechos da passagem
aérea, sob a justificativa de não ter o passageiro se apresentado para embarque no voo
antecedente. REsp 1.595.731-RO, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por unanimidade,
julgado em 14/11/2017, DJe 01/02/2018. (Informativo n. 617 do STJ)

Vício do produto: Cabe ao consumidor a escolha para exercer seu direito de ter sanado
5
o vício do produto em 30 dias – levar o produto ao comerciante, à assistência técnica ou
8
7-

diretamente ao fabricante. REsp 1.634.851-RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi, por maioria,
53

julgado em 12/09/2017, DJe 15/02/2018. (Informativo n. 619 do STJ)


3.
33

Vícios de qualidade e quantidade do imóvel: Aplica-se o prazo prescricional do art. 205


4.

do CC/02 às ações indenizatórias por danos materiais decorrentes de vícios de qualidade


12

e de quantidade do imóvel adquirido pelo consumidor, e não o prazo decadencial


estabelecido pelo art. 26 do CDC. REsp 1.534.831-DF, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva,
Rel. Acd. Min. Nancy Andrighi, por maioria, julgado em 20/02/2018, DJe 02/03/2018.
(Informativo n. 620 do STJ)

Plano de saúde e rescisão unilateral imotivada: Não é válida a rescisão unilateral


imotivada de plano de saúde coletivo empresarial por parte da operadora em face de
microempresa com apenas dois beneficiários. REsp 1.701.600-SP, Rel. Min. Nancy
Andrighi, por unanimidade, julgado em 06/03/2018, DJe 09/03/2018. (Informativo n.
621 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Adoção unilateral: No caso de adoção unilateral, a irrevogabilidade prevista no art. 39,


§ 1º do Estatuto da Criança e do Adolescente pode ser flexibilizada no melhor interesse
do adotando. REsp 1.545.959-SC, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, Rel. para acórdão
Min. Nancy Andrighi, por maioria, julgado em 6/6/2017, DJe 1/8/2017. (Informativo n.
608 do STJ)

Dano moral coletivo: A conduta de emissora de televisão que exibe quadro que,
potencialmente, poderia criar situações discriminatórias, vexatórias, humilhantes às
crianças e aos adolescentes configura lesão ao direito transindividual da coletividade e
dá ensejo à indenização por dano moral coletivo. REsp 1.517.973-PE, Rel. Min. Luis Felipe
Salomão, por unanimidade, julgado em 16/11/2017, DJe 01/02/2018. (Informativo n. 5
8
618 do STJ)
7-
53

Direito ao benefício da pensão por morte: Ao menor sob guarda deve ser assegurado o
3.

direito ao benefício da pensão por morte mesmo se o falecimento se deu após a


33

modificação legislativa promovida pela Lei n. 9.528/97 na Lei n. 8.213/90. EREsp


4.

1.141.788-RS, Rel. Min. João Otávio de Noronha, por unanimidade, julgado em


12

7/12/2016, DJe 16/12/2016. (Informativo 595 do STJ).

Plantão 24 horas em Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e à Juventude:


A decisão judicial que impõe à Administração Pública o restabelecimento do plantão de
24 horas em Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e à Juventude não
constitui abuso de poder, tampouco extrapola o controle do mérito administrativo pelo
Poder Judiciário. REsp 1.612.931-MS, Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, por maioria,
julgado em 20/6/2017, DJe 7/8/2017. (Informativo 609 do STJ).

Menor sob guarda judicial: O menor sob guarda tem direito à concessão do benefício
de pensão por morte do seu mantenedor, comprovada sua dependência econômica, nos

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

termos do art. 33, § 3º do Estatuto da Criança e do Adolescente, ainda que o óbito do


instituidor da pensão seja posterior à vigência da Medida Provisória 1.523/96, reeditada
e convertida na Lei n. 9.528/97. Funda-se essa conclusão na qualidade de lei especial
do Estatuto da Criança e do Adolescente (8.069/90), frente à legislação previdenciária.
REsp 1.411.258-RS, Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, Primeira Seção, por
unanimidade, julgado em 11/10/2017, DJe 21/02/2018. (Tema 732). (Informativo 619
do STJ).

8 5
7-
53
3.
33
4.
12

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

BLOCO II
DIREITO PENAL

Latrocínio: Para a primeira turma, aquele que se associa a comparsa para a prática de
roubo, sobrevindo a morte da vítima, responde pelo crime de latrocínio, ainda que não
tenha sido o autor do disparo fatal ou que sua participação se revele de menor
importância. No tocante ao reconhecimento de crime único, a Turma ponderou ser o
latrocínio delito complexo, cuja unidade não se altera em razão da existência de mais de
uma vítima fatal. Acrescentou, por fim, que a pluralidade de vítimas é insuficiente para
configurar o concurso de crimes, uma vez que, na espécie, o crime fim arquitetado foi o
de roubo (CP, art. 157, § 3º), e não o de duplo latrocínio. RHC 133575/PR, rel. Min. Marco
Aurélio, julgamento em 21.2.2017. (RHC- 133575) (Informativo 855 do STF).

Rádio comunitária e possibilidade da aplicação do princípio da insignificância: A


8 5
7-

Segunda Turma concedeu a ordem em “habeas corpus” para absolver o paciente,


53

denunciado pela alegada prática de desenvolver clandestinamente atividades de


3.

telecomunicação (Lei 9.472/1997, art. 183), em face da aplicação do princípio da


33

insignificância. No caso, tratava-se de proprietário de rádio comunitária cujo sinal


4.

supostamente causaria interferência nos serviços de comunicações instalados na região.


12

Salientou- se a importância das rádios comunitárias como prestadoras de serviço


público e a aparente boa-fé do paciente. HC 138134/BA, rel. Min. Ricardo Lewandowski,
julgamento em 7.2.2017. (HC-138134) (Informativo 853 do STF)

Tráfico de drogas e confisco de bens: É possível o confisco de todo e qualquer bem de


valor econômico apreendido em decorrência do tráfico de drogas, sem a necessidade
de se perquirir a habitualidade, reiteração do uso do bem para tal finalidade, a sua
modificação para dificultar a descoberta do local do acondicionamento da droga ou
qualquer outro requisito além daqueles previstos expressamente no art. 243, parágrafo
único, da Constituição Federal (CF). Asseverou que o confisco de bens utilizados para
fins de tráfico de drogas, da mesma forma como as demais restrições aos direitos
fundamentais expressamente previstas na Constituição Federal, deve conformar-se com

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

a literalidade do texto constitucional, vedada a adstrição de seu alcance por outros


requisitos que não os estabelecidos pelo art. 243, parágrafo único, da CF. Consignou que
o confisco, no direito comparado, é instituto de grande aplicabilidade aos delitos de
repercussão econômica, sob o viés de que “o crime não deve compensar”. Tal
perspectiva foi adotada pelo constituinte brasileiro e pela República Federativa do
Brasil, que internalizou diversos diplomas internacionais que visam reprimir
severamente o tráfico de drogas. RE 638491/PR, rel. Min. Luiz Fux, julgamento em
17.5.2017. (Informativo 865 do STF, Repercussão Geral)

Tráfico de drogas e imediações de estabelecimento prisional: A Segunda Turma


denegou a ordem de “habeas corpus” em que se pretendia afastar a aplicação da causa
de aumento prevista no art. 40, III, da Lei 11.343/2006 em condenação por tráfico de
drogas realizado nas imediações de estabelecimento prisional. A turma salientou que a 5
8
aplicação da referida causa de aumento se justifica quando constatada a
7-

comercialização de drogas nas imediações de estabelecimentos prisionais, sendo


53

irrelevante se o agente infrator visa ou não aos frequentadores daquele local. (HC
3.
33

138944) (Informativo 858 do STF)


4.
12

Remição da pena e jornada de trabalho inferior a seis horas :A Segunda Turma deu
provimento a recurso ordinário em “habeas corpus” e concedeu a ordem para que seja
considerado, para fins de remição da pena, o total de horas trabalhadas em jornada
diária inferior a seis horas. O Colegiado anotou que o condenado cumpria jornada de
quatro horas diárias de trabalho por determinação da administração do presídio.
Ponderou que, nos termos da Lei de Execução Penal a jornada diária não deve ser
inferior a seis nem superior a oito horas. Afirmou que, para computar os dias de remição,
a administração penitenciária somou as horas trabalhadas e as dividiu por seis. A Turma
concluiu que, ao fazer a conversão matemática do cálculo da remição, a administração
penitenciária agiu dentro dos limites previstos na LEP. Asseverou que o condenado não
poderia ser apenado por um limite de horas imposto pelo próprio estabelecimento
penitenciário na execução de sua pena. Por fim, deliberou que a obrigatoriedade do
cômputo de tempo de trabalho deve ser aplicada às hipóteses em que o sentenciado,
por determinação da administração, cumpra jornada inferior ao mínimo de seis horas,
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

ou seja, em que a jornada de trabalho não derive de ato voluntário nem de indisciplina
ou insubmissão do preso. RHC 136509/MG, rel. Min. Dias Toffoli, julgamento em
4.4.2017. (RHC-136509) (Informativo 860 do STF)

Vítima menor de quatorze anos e estupro presumido: A Primeira Turma, reafirmou


entendimento segundo o qual, sendo a vítima menor de quatorze anos, o estupro é
presumido, embora se trate de dois jovens, com idades próximas, em relacionamento
afetivo. (HC-122945) (Informativo 858 do STF)

Crime achado e justa causa: A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal, por
maioria, indeferiu ordem de habeas corpus em que se discutia a ilicitude de provas
colhidas mediante interceptação telefônica durante investigação voltada a apurar delito
de tráfico internacional de drogas. No caso, o juízo de origem determinou a prisão
5
preventiva do paciente em razão da suposta prática de homicídio qualificado. O
8
7-

impetrante sustentou a ilicitude das provas colhidas, a inépcia da denúncia e a falta de


53

justa causa para o prosseguimento da ação penal. O Colegiado afirmou que a hipótese
3.

dos autos é de crime achado, ou seja, infração penal desconhecida e não investigada até
33

o momento em que se descobre o delito. A interceptação telefônica, apesar de


4.

investigar tráfico de drogas, acabou por revelar crime de homicídio. Assentou que,
12

presentes os requisitos constitucionais e legais, a prova deve ser considerada lícita.


Ressaltou, ainda, que a interceptação telefônica foi autorizada pela justiça, o crime é
apenado com reclusão e inexistiu o desvio de finalidade. No que se refere à justa causa,
considerou presente o trinômio que a caracteriza: tipicidade, punibilidade e viabilidade.
A tipicidade é observada em razão de a conduta ser típica. A punibilidade, em face da
ausência de prescrição. E a viabilidade, ante a materialidade, comprovada com o evento
morte, e a autoria, que deve ser apreciada pelo tribunal do júri. HC 129678/SP, rel. orig.
Min. Marco Aurélio, red. p/ o ac. Min. Alexandre de Moraes, 13.6.2017. (Informativo
869 do STF)

Causa de diminuição da pena prevista no art. 33, § 4º, da Lei 11.343/2006: A Segunda
Turma, por unanimidade, deu parcial provimento a recurso ordinário em habeas corpus
para reconhecer a incidência da causa de diminuição da pena prevista no art. 33, § 4º,

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

da Lei 11.343/2006 e determinar que o juízo a quo, após definir o patamar de redução,
recalcule a pena e proceda ao reexame do regime inicial do cumprimento da sanção e
da substituição da pena privativa de liberdade por sanções restritivas de direitos, se
preenchidos os requisitos do art. 44 do Código Penal . No caso, a paciente foi condenada
à pena de cinco anos de reclusão, em regime inicial fechado, e ao pagamento de
quinhentos dias-multa, pela prática do crime previsto no art. 33, caput, da Lei
11.343/2006. A defesa alegou que o não reconhecimento da minorante prevista no § 4º
do art. 33 da Lei de Drogas, pelas instâncias ordinárias, baseou-se unicamente na
quantidade da droga apreendida. O Colegiado assentou que a grande quantidade de
entorpecente, apesar de não ter sido o único fundamento apontado para afastar a
aplicação do redutor do art. 33, § 4º, da Lei 11.343/2006, foi isoladamente utilizada
como elemento para presumir-se a participação da paciente em uma organização
criminosa e, assim, negar-lhe o direito à minorante. Ressaltou que, conforme a
5
jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, a quantidade de drogas não pode
8
7-

automaticamente levar ao entendimento de que a paciente faria do tráfico seu meio de


53

vida ou integraria uma organização criminosa. Ademais, observou que a paciente foi
3.

absolvida da acusação do delito de associação para o tráfico, tipificado no art. 35 da Lei


33
4.

11.343/2006, por ausência de provas. Dessa forma, a Turma considerou ser patente a
12

contradição entre os fundamentos usados para absolvê-la da acusação de prática do

mencionado delito e os utilizados para 23 negar-lhe o direito à minorante no ponto

referente à participação em organização criminosa. RHC 138715/MS, rel. Min. Ricardo

Lewandowski, julgamento em 23.5.2017. (Informativo 866 do STF)

Mula e Causa de diminuição do art. 33, § 4°, da Lei n. 11.343/2006: É possível o


reconhecimento do tráfico privilegiado ao agente transportador de drogas, na qualidade
de "mula", uma vez que a simples atuação nessa condição não induz, automaticamente,
à conclusão de que ele seja integrante de organização criminosa. HC 387.077-SP, Rel.
Min. Ribeiro Dantas, por unanimidade, julgado em 6/4/2017, DJe 17/4/2017.
(Informativo n. 602 do STJ)

Dedicação à atividade criminosa: É possível a utilização de inquéritos policiais e/ou


ações penais em curso para formação da convicção de que o réu se dedica a atividades
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

criminosas, de modo a afastar o benefício legal previsto no artigo 33, § 4º, da Lei n.
11.343/2006. EREsp 1.431.091-SP, Rel. Min. Felix Fischer, por maioria, julgado em
14/12/2016, DJe 1/2/2017. (Informativo n. 596)

Crime de divulgação de informação falsa sobre instituição financeira e imunidade


parlamentar: A Primeira Turma, por maioria, admitiu a impetração e, por unanimidade,
concedeu ordem de habeas corpus para cassar acórdão do Tribunal Regional Federal da
2ª Região que condenou parlamentar pela prática do delito de divulgação de informação
falsa ou prejudicialmente incompleta sobre instituição financeira, previsto no art. 3º da
Lei 7.492/1986. No caso, o parlamentar convocou a imprensa e, no exercício da
Presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo, opinou sobre a
conveniência da privatização do Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes), ante a
existência de dívida no valor de R$ 500 milhões. A Turma pontuou que a declaração
revelou a satisfação do parlamentar com a privatização do Banco, que implicaria
8 5
desoneração de dívida do Estado. Entendeu que não ficou configurado, na conduta do
7-
53

paciente, o dolo de divulgar informação falsa ou incompleta sobre instituição financeira,


3.

pois as afirmações do parlamentar estavam ligadas a análises de operações realizadas


33

pelo Banestes. Nesse contexto, o Colegiado asseverou haver ligação entre o que foi
4.

veiculado e o exercício do mandato parlamentar. Tal aspecto foi potencializado pelo fato
12

de as declarações terem ocorrido dentro da assembleia. Concluiu pelo não afastamento


da imunidade parlamentar relativa às opiniões, palavras e votos, prevista no art. 53,
combinado com o art. 27, § 1º, da Constituição Federal. HC 115397/ES, rel. Min. Marco
Aurélio, julgamento em 16.5.2017. (Informativo 865 do STF)

Divulgação de discurso editado e difamação: A Primeira Turma recebeu queixa-crime


formulada contra parlamentar pela prática do crime de difamação. De acordo com a
inicial, o parlamentar-querelado publicou, em perfil de rede social, trecho editado de
discurso feito pelo parlamentar-querelante com objetivo de difamá-lo. O Colegiado
entendeu que a edição do discurso foi feita com a clara intenção de difamar o
querelante. Pontuou que o ato de edição, corte ou montagem tem por objetivo guiar o
espectador. Nesse contexto, destacou que o emprego de tal expediente, quando

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

voltado a difamar a honra de terceiros, configura o dolo da prática criminosa. Pet


5705/DF, rel. Min. Luiz Fux, julgamento em 5.9.2017. (Informativo 876 do STF)

Transmissão clandestina de sinal de internet: atipicidade: A Primeira Turma deferiu a


ordem de habeas corpus para absolver o paciente, com base no artigo 386, III, do Código
de Processo Penal. No caso, foi imputada ao paciente a prática da infração descrita no
artigo 183 da Lei 9.472/1997, em virtude de haver transmitido, clandestinamente, sinal
de internet por meio de radiofrequência. A defesa sustentou a atipicidade formal e
material da conduta. Asseverou que o oferecimento de serviços de internet não pode
ser entendido como atividade de telecomunicação. Aduziu, também, ser ínfima a lesão
ao bem jurídico tutelado. O Colegiado destacou que o artigo 61, §1º, da Lei 9.472/97
preceitua que o serviço de valor adicionado não constitui serviço de telecomunicação,
classificando-se o provedor como usuário do serviço que lhe dá suporte, com os direitos 5
8
e deveres inerentes a essa condição. Pontuou que, em seu artigo 183, a Lei define o
7-

crime de atividade clandestina, restringindo-o às telecomunicações. Em conclusão, a


53

Turma decidiu que a oferta de serviço de internet, concebido como serviço de valor
3.
33

adicionado, não pode ser considerada atividade clandestina de telecomunicações. HC


4.

127978, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em 24.10.2017. (Informativo 883 do STF)
12

Crime de falsidade ideológica: Crime de falsidade ideológica. Não é típica a conduta de


inserir, em currículo Lattes, dado que não condiz com a realidade. RHC 81.451-RJ, Rel.
Min. Maria Thereza de Assis Moura, por unanimidade, julgado em 22/8/2017, DJe
31/8/2017. (Informativo n. 610 do STJ)

Violência doméstica: A Primeira Turma, por maioria, indeferiu a ordem de “habeas


corpus” em que solicitada a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de
direitos em caso de contravenção penal envolvendo violência doméstica. O paciente foi
condenado por vias de fato, nos termos do art. 21 da Lei de Contravenções Penais (LCP),
a vinte dias de prisão simples, em regime aberto. O juízo de 1º grau concedeu a
suspensão condicional da pena (“sursis”) pelo prazo de dois anos. A Turma julgou
improcedente o pedido, com base em interpretação extensiva do art. 44, I do Código
crime abarcaria qualquer conduta delituosa, inclusive contravenção penal. Nesse
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

sentido, reconhecida a necessidade de combate à cultura de violência contra a mulher


no Brasil, o Colegiado considerou a equiparação da conduta do paciente à infração de
menor potencial ofensivo incoerente com o entendimento da violência de gênero como
grave violação dos direitos humanos. Vencido o Ministro Marco Aurélio, que votou pelo
deferimento da ordem. Entendeu se tratar de mera contravenção penal, não abarcada
pela Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha), e considerou a prisão simples prejudicial, em
termos sociais, especialmente após a reconciliação do casal. Lei de Contravenções
Penais: “Art. 21. Praticar vias de fato contra alguém: Pena - prisão simples, de quinze
dias a três meses, ou multa, de cem mil réis a um conto de réis, se o fato não constitui
crime”. Código Penal: Art. 44. As penas restritivas de direitos são autônomas e
substituem as privativas de liberdade, quando: I - aplicada pena privativa de liberdade
não superior a quatro anos e o crime não for cometido com violência ou grave ameaça
à pessoa ou, qualquer que seja a pena aplicada, se o crime for culposo”. HC 137888/MS,
5
rel. Min. Rosa Weber, julgamento em 31.10.2017. (Informativo 884 do STF)
8
7-
53

Indulto e pena de multa: O indulto da pena privativa de liberdade não alcança a pena
3.
33

de multa que tenha sido objeto de parcelamento espontaneamente assumido pelo


sentenciado. EP 11 IndCom-AgR/DF, rel. Min. Roberto Barroso, julgamento em
4.
12

8.11.2017. (Informativo 884 do STF)

Colaboração premiada e requisitos para concessão de perdão judicial: Em conclusão


de julgamento, a Primeira Turma indeferiu a ordem em “habeas corpus” no qual se
discutia a necessidade de “espontaneidade” ou unicamente de “voluntariedade” na
colaboração premiada para a concessão de perdão judicial. O Colegiado afirmou que,
segundo o art. 13 da Lei 9.807/1999, o juiz pode, de ofício ou a requerimento das partes,
conceder o perdão judicial e a consequente extinção da punibilidade ao acusado
primário que cooperar efetiva e voluntariamente com a investigação e o processo
criminal. Porém, dessa colaboração deve resultar: a) a identificação dos demais
coautores ou partícipes da ação criminosa; b) a localização da vítima, com integridade
física preservada; c) a recuperação total ou parcial do produto do crime. Consignou que
os vocábulos “voluntariedade” e “espontaneidade” foram utilizados pelo tribunal “a
quo” sem distinção de sentido. Ressaltou a necessidade de a colaboração do réu, para
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

efeito de concessão do perdão judicial, decorrer de livre vontade, desprovida de


qualquer tipo de constrangimento. Verificou a sinonímia entre os termos em definições
de dicionário da língua portuguesa. De acordo com a obra consultada, “voluntário” seria
“aquilo que não é forçado, que só depende da vontade; espontâneo”. Salientou que, ao
afastar a aplicabilidade do benefício, o tribunal de origem considerou ausente a
efetividade da colaboração como meio para obter provas. As investigações policiais, em
momento anterior ao da celebração do acordo, revelaram os elementos probatórios
acerca do esquema criminoso integrado pela paciente, especializado em enviar pessoas
ilegalmente para o exterior. Por fim, sustentou que o julgamento impugnado levou em
conta, na dosagem da diminuição da pena, o alcance da colaboração prestada. HC
129877/RJ, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em 18.4.2017. (HC-129877)
(Informativo 861 do STF) 5
8
7-

Sequestro: O crime de sequestro, por ser permanente, não prescreve enquanto não for
53

encontrada a pessoa ou o corpo. Ext 1270/DF, rel. orig. Min. Marco Aurélio, red. p/ o ac.
3.

Min. Roberto Barroso, julgamento em 12.12.2017. (Informativo 888 do STF)


33
4.

Corrupção de menores: A prática de crimes em concurso com dois adolescentes dá


12

ensejo à condenação por dois crimes de corrupção de menores. REsp 1.680.114-GO, Rel.
Min. Sebastião Reis Júnior, por unanimidade, julgado em 10/10/2017, DJe 16/10/2017.
(Informativo n. 613 do STJ)

Dosimetria: A obtenção de lucro fácil e a cobiça constituem elementares dos tipos de


concussão e corrupção passiva (arts. 316 e 317 do CP), sendo indevido utilizá-las, para
exasperação da pena-base, no momento em que analisados os motivos do crime –
circunstância judicial prevista no art. 59 do CP. EDv nos EREsp 1.196.136-RO, Rel. Min.
Reynaldo Soares da Fonseca, por unanimidade, julgado em 24/5/2017, DJe 1/8/2017.
(Informativo n. 608)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644
Causa | natashaoglima@hotmail.com
de extinção da punibilidade. Artigo 9º, § 2º, da Lei n. 10.684/2003: O pagamento
do débito tributário, a qualquer tempo, até mesmo após o advento do trânsito em
julgado da sentença penal condenatória, é causa de extinção da punibilidade do
acusado. HC 362.478-SP, Rel. Min. Jorge Mussi, por unanimidade, julgado em
14/9/2017, DJe 20/9/2017. (Informativo n. 611)

Pena de perda do cargo público: A pena de perdimento deve ser restrita ao cargo
ocupado ou função pública exercida no momento do delito, à exceção da hipótese em
que o magistrado, motivadamente, entender que o novo cargo ou função guarda
correlação com as atribuições anteriores. REsp 1.452.935-PE, Rel. Min. Reynaldo Soares
da Fonseca, por unanimidade, julgado em 14/3/2017, DJe 17/3/2017. (Informativo n.
599)

Desacato: Não há incompatibilidade do crime de desacato (art. 331 do CP) com as


normativas internacionais previstas na Convenção Americana de Direitos Humanos
(CADH). HC 379.269-MS, Rel. Min. Reynaldo Soares da Fonseca, Rel. para acórdão Min.
8 5
7-

Antônio Saldanha Palheiro, por maioria, julgado em 24/5/2017, DJe 30/6/2017.


53

(Informativo n. 607)
3.
33

Transporte de produtos tóxicos, nocivos ou perigosos: O crime previsto no art. 56,


4.

caput da Lei n. 9.605/1998 é de perigo abstrato, sendo dispensável a produção de prova


12

pericial para atestar a nocividade ou a periculosidade dos produtos transportados,


bastando que estes estejam elencados na Resolução n. 420/2004 da ANTT. REsp
1.439.150-RS, Rel. Min. Rogério Schietti Cruz, por unanimidade, julgado em 05/10/2017,
DJe 16/10/2017. (Informativo n. 613)

Falsidade ideológica: Não é típica a conduta de inserir, em currículo Lattes, dado que
não condiz com a realidade. RHC 81.451-RJ, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, por
unanimidade, julgado em 22/8/2017, DJe 31/8/2017. (Informativo n. 610)

Estatuto do Desarmamento: A conduta de portar uma granada de gás lacrimogêneo e


outra de gás de pimenta não se subsome ao delito previsto no art. 16, parágrafo único,
III, da Lei n. 10.826/03. REsp 1.627.028-SP, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, por
unanimidade, julgado em 21/2/2017, DJe 3/3/2017. (Informativo n. 599)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Registro de arma e tipicidade: É típica e antijurídica a conduta de policial civil que,


mesmo autorizado a portar ou possuir arma de fogo, não observa as imposições legais
previstas no Estatuto do Desarmamento, que impõem registro das armas no órgão
competente. RHC 70.141-RJ, Rel. Min. Rogério Schietti Cruz, por unanimidade, julgado
em 7/2/2017, DJe 16/2/2017. (Informativo n. 597)

Extorsão mediante mal espiritual: Configura o delito de extorsão (art. 158 do CP) a
conduta de agente que submete vítima à grave ameaça espiritual que se revelou idônea
a atemorizá-la e compeli-la a realizar o pagamento de vantagem econômica indevida.
REsp 1.299.021-SP, Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz, por unanimidade, julgado em
14/2/2017, DJe 23/2/2017. (Informativo n. 598)

Perdão judicial: O fato de os delitos haverem sido cometidos em concurso formal não
autoriza a extensão dos efeitos do perdão judicial concedido para um dos crimes, se não 5
8
restou comprovado, quanto ao outro, a existência do liame subjetivo entre o infrator e
7-

a outra vítima fatal. REsp 1.444.699-RS, Rel. Min. Rogério Schietti Cruz, por
53

unanimidade, julgado em 1/6/2017, DJe 9/6/2017. (Informativo n. 606)


3.
33

Deixar de atender à determinação de autoridade fiscal (Art. 1.º, V e Parágrafo único


4.

da Lei n. 8.137/1990): O pagamento da penalidade pecuniária imposta ao contribuinte


12

que deixa de atender às exigências da autoridade tributária estadual quanto à exibição


de livros e documentos fiscais não se adequa a nenhuma das hipóteses de extinção de
punibilidade previstas no parágrafo 2º do artigo 9º da Lei n. 10.864/2003. REsp
1.630.109-RJ, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, por unanimidade, julgado em
14/2/2017, DJe 22/2/2017. (Informativo n. 598)

Lei de crimes ambientais: O crime de edificação proibida (art. 64 da Lei n. 9.605/1998)


absorve o crime de destruição de vegetação (art. 48 da mesma lei) quando a conduta do
agente se realiza com o único intento de construir em local não edificável. REsp
1.639.723-PR, Rel. Min. Nefi Cordeiro, por maioria, julgado em 7/2/2017, DJe
16/2/2017. (Informativo n. 597)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

DIREITO PROCESSUAL PENAL

Desarquivamento de inquérito e excludente de ilicitude: O arquivamento de inquérito


policial por excludente de ilicitude realizado com base em provas fraudadas não faz coisa
julgada material. (HC-87395) (Informativo 858 do STF)

Inépcia da denúncia: Não é inepta a denúncia que se fundamenta no art. 129, § 9º, do
CP, lesão corporal leve, qualificada pela violência doméstica, tão somente em razão de
o crime não ter ocorrido no ambiente familiar. RHC 50.026-PA, Rel. Min. Reynaldo
Soares da Fonseca, por unanimidade, julgado em 3/8/2017, DJe 16/8/2017. (Informativo
n. 609)

Manejo de peça recursal exclusivamente por meio de correio eletrônico: A Primeira 5


8
Turma denegou “habeas corpus” em que se discutia a possibilidade de manejo de peça
7-

recursal exclusivamente por meio de correio eletrônico. No caso, foi inadmitido recurso
53

especial em razão da intempestividade, por impossibilidade de apresentação da peça


3.

via “e-mail”. O Colegiado consignou que a Lei 9.800/1999, ao permitir que as partes
33

utilizem o sistema de transmissão de dados e imagens do tipo fac-símile ou outro


4.
12

semelhante para a prática de atos processuais que dependam de petição escrita, não
autoriza a adoção do “e-mail”. Ressaltou, ainda, que a excepcionalidade prevista na lei
à interposição direta de recurso não dispensa a apresentação subsequente do
documento original. HC 121225/MG, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em 14.3.2017.
(MS-121225) (Informativo 857 do STF)

Incomunicabilidade de acusado: É inidônea a decretação de incomunicabilidade de


acusado com o genitor/corréu como medida cautelar substitutiva da prisão. HC 380.734-
MS, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, por unanimidade, julgado em 28/3/2017,
DJe 4/4/2017. (Informativo n. 601)

Imunidade parlamentar e medida cautelar: O Plenário, por maioria, julgou


parcialmente procedente ação direta de inconstitucionalidade na qual se pedia
interpretação conforme à Constituição para que a aplicação das medidas cautelares,

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

quando impostas a parlamentares, fossem submetidas à deliberação da respectiva Casa


Legislativa em 24 horas. Primeiramente, a Corte assentou que o Poder Judiciário dispõe
de competência para impor, por autoridade própria, as medidas cautelares a que se
refere o artigo 319 do 19 Código de Processo Penal (CPP). Vencido, nesse ponto, o
ministro Marco Aurélio que julgou ser inaplicável a referida norma legal. Prosseguindo
no julgamento, o Tribunal, também por votação majoritária, deliberou encaminhar, para
os fins a que se refere art. 53, §2º, da Constituição Federal (CF), a decisão que houver
aplicado medida cautelar sempre que a execução desta impossibilitar direta ou
indiretamente o exercício regular do mandato legislativo. Salientou que, na
independência harmônica que rege o princípio da separação dos Poderes, as imunidades
parlamentares, assim como a vitaliciedade na magistratura, a irredutibilidade de
vencimentos e a inamovibilidade, na independência harmoniosa que rege o princípio da
separação de Poderes, são instrumentos de vital importância, visto buscarem,
8 5
7-

prioritariamente, a proteção dos parlamentares no exercício de suas funções, contra os


53

abusos e pressões dos demais Poderes. Constitui-se, pois, um direito instrumental de


3.

garantia de liberdade de opiniões, palavras e votos dos membros do Poder Legislativo


33

bem como de sua proteção contra prisões arbitrárias e processos temerários. O Plenário
4.

asseverou que essas imunidades não dizem respeito à figura do parlamentar em si, mas
12

à função por ele exercida, ao Poder que ele representa, no intuito de resguardar a
atuação do Legislativo perante o Executivo e perante o Judiciário, consagrando-se como
garantia de independência perante os outros dois Poderes constitucionais. Afirmou que,
no tocante à imunidade parlamentar processual em relação à prisão, a ratio da norma
constitucional é somente permitir o afastamento do parlamentar do exercício de seu
mandato conferido pelo povo em uma única hipótese: prisão em flagrante delito por
crime inafiançável. O art. 53, §2º, da CF protege o integral exercício do mandato
parlamentar, ao referir, expressamente, que a restrição à liberdade de ir e vir do
parlamentar somente poderá ocorrer na referida hipótese. Dessa forma, a norma
constitucional estabeleceu, implicitamente, a impossibilidade de qualquer outro tipo de
prisão cautelar. Nesse contexto, a Corte ponderou que, sendo a finalidade da imunidade
formal proteger o livre exercício do mandato parlamentar contra interferências
externas, a ratio da norma constitucional não pode ser contornada pela via das medidas

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

cautelares diversas da prisão. Assim, ato emanado do Poder Judiciário que houver
aplicado medida cautelar que impossibilite direta ou indiretamente o exercício regular
do mandato legislativo, deve ser submetido ao controle político da Casa Legislativa
respectiva, nos termos do art. 53, § 2º, da CF. ADI 5526/DF, rel. orig. Min. Edson Fachin,
red. p/ o ac. Min. Alexandre de Moraes, julgamento em 11.10.2017. (Informativo 881,
do STF)

Foro por prerrogativa de função e desmembramento de inquérito: A Segunda Turma


negou provimento a agravo regimental em reclamação no qual se pretendia o
reconhecimento da usurpação de competência do Supremo Tribunal Federal (STF) pelo
juízo reclamado em razão do não desmembramento de inquérito depois de
vislumbrado, no curso das investigações, o suposto envolvimento de deputado federal.
8 5
7-

O Colegiado entendeu não haver cogitar de usurpação de competência desta Corte


53

quando a simples menção a nome de autoridade com prerrogativa de foro, seja em


3.

depoimentos prestados por testemunhas ou investigados, seja na captação de diálogos


33

travados por alvos de censura telefônica judicialmente autorizada, assim como a


4.

existência de informações, até então fluidas e dispersas a seu respeito, são insuficientes
12

para o deslocamento da competência para o juízo hierarquicamente superior. Ressaltou

que, para haver atração da causa ao foro competente, é imprescindível a constatação

da existência de indícios da participação ativa e concreta do titular da prerrogativa em

ilícitos penais. Por fim, salientou que, conforme a jurisprudência da Corte, a eventual

declaração de imprestabilidade dos elementos de prova angariados em suposta

usurpação de competência criminal do STF não alcançaria aqueles destituídos de foro

por prerrogativa de função. Rcl 25497 AgR/RN, rel. Min. Dias Toffoli, julgamento em

14.2.2017. (Rcl-25497) (Informativo 854 do STF)

Interceptações telefônicas com base em denúncias anônimas: A Segunda Turma


denegou a ordem em "habeas corpus" em que se pretendia o reconhecimento da
ilegalidade de ação penal e de interceptações telefônicas iniciadas a partir de denúncias
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

anônimas. A Turma rememorou entendimento do STF no sentido de que a denúncia


anônima é válida, quando as investigações se valem de outras diligências para apurar a
“delatio criminis”. HC 133148/ES, rel. Min. Ricardo Lewandowski, julgamento em
21.2.2017. (HC-133148 - Informativo 855, 2ª Turma). HC 133148/ES, rel. Min. Ricardo
Lewandowski, julgamento em 21.2.2017. (HC-133148) (Informativo 855 do STF)

Execução provisória da pena: A Primeira Turma, por maioria, não conheceu de habeas
corpus em que discutido o direito do paciente permanecer em liberdade até o trânsito
em julgado da condenação. No caso, o juízo condenou o réu à pena de 19 anos e seis
meses de reclusão pela prática de atentado violento ao pudor e lhe garantiu o direito de
recorrer em liberdade. Interposta apelação pela defesa, o tribunal de justiça absolveu o
paciente por ausência de prova. Contra essa decisão foi interposto recurso especial. O
Superior Tribunal de Justiça (STJ), então, restabeleceu a condenação, mas reduziu a
pena, por ter reconhecido o crime continuado. Em seguida, o STJ não acolheu os
embargos declaratórios e o relator monocraticamente negou provimento aos embargos
8 5
7-

de divergência e determinou o início da execução provisória da pena. A Turma afirmou


53

que não é cabível habeas corpus contra decisão monocrática. A impetração é


3.

substitutiva de agravo regimental. Mesmo que fosse conhecido o habeas corpus, o


33

Plenário admite atualmente a execução provisória da pena a partir de condenação em


4.

segundo grau. Mencionou que até este momento há três decisões do Plenário: uma, em
12

habeas corpus; uma medida cautelar; e outra, em Plenário Virtual, no sentido dessa
possibilidade. Além disso, ainda que prevalecesse a posição minoritária defendida pelo
ministro Dias Toffoli, no sentido de que só é possível a execução provisória da pena a
partir de condenação proferida pelo STJ, foi efetivamente esse Tribunal Superior que,
sem inovar 20 factualmente nos autos, se valeu de provas já existentes produzidas e
consideradas para condenar o paciente. HC 139391/RN, rel. orig. Min. Marco Aurélio,
red. p/ o ac. Min. Alexandre de Moraes, julgamento em 29.8.2017. (Informativo 875 do
STF)

Custódia cautelar e marco inicial para progressão de regime: A Primeira Turma deu
provimento a recurso ordinário em habeas corpus em que discutido o marco inicial para
fins de obtenção de progressão de regime. No caso, o recorrente foi preso
cautelarmente por força de mandado de prisão preventiva, mas foi fixada como termo
inicial para a obtenção do benefício da progressão a data da publicação da sentença
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

condenatória. A Turma entendeu que a custódia cautelar necessariamente deve ser


computada para fins de obtenção de progressão de regime e demais benefícios
executórios, desde que não ocorra condenação posterior apta a configurar falta grave.
Partindo-se da premissa de que, diante da execução de uma única condenação, o
legislador não impôs qualquer requisito adicional, impende considerar a data da prisão
preventiva como marco inicial para a obtenção de benefícios em sede de execução
penal. RHC 142463/MG, rel. Min. Luiz Fux, julgamento em 12.9.2017. (Informativo 877
do STF)

Habeas corpus e direito à visitação: Não cabe habeas corpus para tutelar o direito à
visita em presídio. HC 128057/SP, rel. Min. Marco Aurélio, red. p/ o ac. Min. Alexandre
de Moraes, julgamento em 1º.8.2017. (Informativo 871 do STF)

Habeas corpus e visita íntima O habeas corpus não é o meio adequado para tutelar
5
visita íntima, por não estar envolvido o direito de ir e vir. Com base nesse entendimento,
8
7-

a Primeira Turma inadmitiu a impetração. HC 138286, rel. Min. Marco Aurélio,


53

julgamento em 5.12.2017. (Informativo 887 do STF)


3.
33

Habeas corpus e medida cautelar de afastamento de cargo público: O habeas corpus


4.

pode ser empregado para impugnar medidas cautelares de natureza criminal diversas
12

da prisão. HC 147303/AP, rel. min. Gilmar Mendes, julgamento em 18.12.2017. HC


147426/AP, rel. min. Gilmar Mendes, julgamento em 18.12.2017. (Informativo 888 do
STF)

Repercussão geral e sobrestamento de processo-crime: O habeas corpus não é o meio


adequado para discutir crime que não enseja pena privativa de liberdade. HC
127834/MG, rel. orig. Min. Marco Aurélio, red. p/ o ac. Min. Alexandre de Moraes,
julgamento em 05.12.2017. (Informativo 887 do STF)

Execução penal: A alteração da data-base para concessão de novos benefícios


executórios, em razão da unificação das penas, não encontra respaldo legal. Resp
1.557.461-SC, Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz, por maioria, julgado em 22/02/2018, DJe
15/03/2018. (Informativo 621 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Furto nas dependências de local sujeito à administração militar: Compete à Justiça


Militar processar e julgar o crime de furto, praticado por civil, de patrimônio que, sob
administração militar, encontra-se nas dependências desta. CC 145.721-SP, Rel. Min.
Joel Ilan Paciornik, por unanimidade, julgado em 22/02/2018, DJe 02/03/2018.
(Informativo 621 do STJ)

Conflito negativo de competência: Compete à Justiça Federal processar e julgar os


crimes de violação de direito autoral e contra a lei de software decorrentes do
compartilhamento ilícito de sinal de TV por assinatura, via satélite ou cabo, por meio de
serviços de card sharing. CC 150.629-SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, por unanimidade,
julgado em 22/02/2018, DJe 28/02/2018. (Informativo 620 do STJ)

Colaboração premiada e sigilo: O sigilo sobre o conteúdo de colaboração premiada deve 5


perdurar, no máximo, até o recebimento da denúncia. Inq 4435 AgR/DF, rel. Min. Marco
8
7-

Aurélio, julgamento em 12.9.2017. (Informativo 877 do STF)


53
3.

Quebra de sigilo bancário de contas públicas: A Segunda Turma, em conclusão, negou


33

provimento a recurso ordinário em habeas corpus em que se pretendia trancar ação


4.

penal instaurada para apurar crimes de desvio de verbas públicas, lavagem de dinheiro
12

e fraudes em licitações. Argumentou-se que as provas seriam ilícitas, pois teriam sido
colhidas por meio de quebra de sigilo bancário solicitada por ofício encaminhado pelo
Ministério Público (MP), sem autorização judicial, a gerente de instituição financeira. O
Tribunal de origem entendeu que as contas públicas, por força dos princípios da
publicidade e da moralidade CF, art. 37, não têm, em geral, direito à intimidade e à
privacidade. Por conseguinte, não são abrangidas pelo sigilo bancário. A defesa alegou
que não estaria em discussão a publicidade inerente às contas públicas, conforme
consignado no acórdão recorrido, mas sim a violação ao direito fundamental à
intimidade da pessoa humana. Sustentou que a ação penal movida contra os recorrentes
estaria edificada em provas obtidas por meio inidôneo, pois a autorização judicial é
indispensável para a quebra de sigilo bancário (Informativo 844). O Colegiado asseverou
que o sigilo de informações necessário à preservação da intimidade é relativizado
quando há interesse da sociedade em conhecer o destino dos recursos públicos. Diante
da existência de indícios da prática de ilícitos penais envolvendo verbas públicas, cabe ao
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

MP, no exercício de seus poderes investigatórios, requisitar os registros de operações


financeiras relativos aos recursos movimentados a partir de conta corrente de
titularidade da prefeitura municipal. Essa requisição compreende, por extensão, o acesso
aos registros das operações bancárias 20 sucessivas, ainda que realizadas por
particulares, e objetiva garantir o acesso ao real destino desses recursos públicos.
Decidir em sentido contrário implicaria o esvaziamento da própria finalidade do
princípio da publicidade, que é permitir o controle da atuação do administrador público
e do emprego de verbas públicas. RHC 133118/CE, rel. Min. Dias Toffoli, julgamento em
26.9.2017. (Informativo 879 do STF)

Princípio do promotor natural: A Primeira Turma, por maioria, indeferiu a ordem em


habeas corpus no qual se pugnava a nulidade absoluta da ação penal, em face de
violação ao princípio do promotor natural. No caso, a denúncia se deu por promotor que
não o atuante em face do Tribunal do Júri, exclusivo para essa finalidade. O paciente foi
denunciado como incurso nas penas dos arts. 121, caput, do Código Penal (CP) e 12 da
8 5
7-

Lei 6.378/1976, por haver ministrado medicamentos em desacordo com a


53

regulamentação legal, tendo a vítima falecido. A Turma reconheceu não haver ferimento
3.

ao princípio do promotor natural. No caso concreto, a priori, houve o entendimento de


33

que seria crime não doloso contra a vida, fazendo os autos remetidos ao promotor
4.

natural competente. Não obstante, durante toda a instrução se comprovou que, na


12

verdade, tratava-se de crime doloso. Com isso, o promotor que estava no exercício
ofereceu a denúncia e remeteu a ação imediatamente ao promotor do Júri, que poderia,
a qualquer momento, não a ratificar. O colegiado entendeu, dessa maneira, configurada
ratificação implícita. Outrossim, asseverou estar-se diante de substituição,
consubstanciada nos princípios constitucionais do Ministério Público (MP) da unidade e
da indivisibilidade, e não da designação de um acusador de exceção. Vencido o ministro
Marco Aurélio, por considerar violado o princípio do promotor natural. 3.10.2017.
(Informativo 880 do STF)

Teoria do domínio do fato: A teoria do domínio do fato não preceitua que a mera
posição de um agente na escala hierárquica sirva para demonstrar ou reforçar o dolo da
conduta. Do mesmo modo também não permite a condenação de um agente com base
em conjecturas. Com base nessa orientação, a Segunda Turma deu provimento ao
recurso de apelação a fim de absolver o réu, com base no art. 386, do CPP. No caso, o
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

apelante, deputado federal e ex-governador, foi condenado por peculato desvio, por
supostas irregularidades verificadas durante a fase licitatória e de execução de obras
para drenagem de águas pluviais na construção e ampliação de quatro grandes lagoas
para deságue final que objetivava pôr termo a enchentes. Inicialmente, a Turma
declarou a nulidade parcial da sentença que condenou o réu por participação nos atos
de gestão praticados por secretário. Ao considerar a participação do réu em fatos

estranhos, não narrados na denúncia, a sentença afrontou o princípio da ampla defesa


e contraditório. O réu foi surpreendido, depois de finda a instrução probatória, com fato
que lhe era desconhecido e acerca do qual não lhe foi oportunizado se manifestar.
Também se ofendeu o princípio do devido processo legal, tendo em vista que houve na
hipótese, ação penal ex officio, em desobediência ao modelo constitucional que enuncia
ser função institucional privativa do Ministério Público a promoção da ação penal
pública CF, art. 129. Ressaltou que o Ministério Público imputou ao réu responsabilidade
por dar continuidade a irregularidades iniciadas em gestão anterior, e que, segundo sua
avaliação, seriam de “gritante notoriedade”. Afirmou que, embora a norma processual
8 5
7-

preceitue não depender de prova os fatos notórios, nesta categoria, porém, não se
53

enquadram os fatos que demandam tarefa intelectiva do autor para serem


3.

compreendidos e aceitos, como é o caso das irregularidades descritas nos autos.


33

Portanto, os elementos probatórios apontados pelo parquet são insuficientes para


4.

concluir pela participação do réu. As fraudes perpetradas não eram notórias ao ponto
12

de prescindir de maior substrato probatório. Destacou que nada mais se argumentou


sobre a atuação do réu na empreitada criminosa além do fato dele ter assinado os
instrumentos de repasse e ter dado continuidade à obra que foi considerada irregular
pelo TCU. A razão para a ausência de argumentos mais concretos a comprovar o dolo e
autoria, ao que tudo indica pela frequente menção à “superioridade hierárquica do réu”,
é a consideração pelo Ministério Público de que a adoção da teoria do domínio do fato
dispensaria o aprofundamento do papel por ele desenvolvido nas fraudes denunciadas.
No caso vertente não se evidenciou qualquer controvérsia entre a função do réu na
empreitada criminosa, se o seu papel seria fundamental ou não, se seria autor ou mero
partícipe. A dúvida existente reside, na realidade, em momento ainda anterior a tal
apreciação, pois sequer se demonstrou estar o réu envolvido nas fraudes noticiadas.
Assim, não há razão para discutir a medida da participação de um agente que sequer se
comprovou ter anuído ou efetivamente concorrido para a prática delituosa. Só há
motivo para discutir a medida da participação depois de confirmada a sua existência. É
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

por isso que a adoção da teoria do domínio do fato, nos moldes em que utilizada pelo
juízo de primeiro grau, não socorre ao apelo acusatório. Antes disso, acaba por infirmá-
lo, na medida em que restringe o conceito aberto de autor preceituado pelo art. 29 do
CP. AP 975/AL, rel. Min. Edson Fachin, julgamento em 3.10.2017. (Informativo 880 do

STF) .

Ordem de inquirição de testemunhas no processo penal: A inquirição de testemunhas


pelas partes deve preceder à realizada pelo juízo. HC 111815/SP, rel. orig. Min. Marco
Aurélio, red. p/ o ac. Min. Luiz Fux, julgamento em 14.11.2017. (Informativo 885 do STF)

Substituição de prisão preventiva por domiciliar - cuidados maternos A prisão


preventiva poderá ser substituída pela domiciliar quando o agente for mulher com filho
de até 12 anos de idade. HC 136408/SP, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em
5.12.2017. (Informativo 887 do STF) 8 5
7-

Não reconhecimento de reincidência: É inviável o reconhecimento de reincidência com


53

base em único processo anterior em desfavor do réu, no qual - após desclassificar o


3.

delito de tráfico para porte de substância entorpecente para consumo próprio - o juízo
33

extinguiu a punibilidade por considerar que o tempo da prisão provisória seria mais que
4.

suficiente para compensar eventual condenação. HC 390.038-SP, Rel. Min. Rogerio


12

Schietti Cruz, Sexta Turma, por unanimidade, julgado em 06/02/2018, DJe 15/02/2018.
(Informativo 619 do STJ)

Condenação mais favorável ao réu: Diante do trânsito em julgado de duas sentenças


condenatórias por fatos idênticos, deve prevalecer a condenação mais favorável ao réu.
HC 281.101-SP, Rel. Min. Sebastião Reis Júnior, por unanimidade, julgado em
03/10/2017, DJe 24/11/2017. (Informativo 616 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

DIREITO CONSTITUCIONAL

Controle de Constitucionalidade. ADI estadual: Tribunais de Justiça podem exercer


controle abstrato de constitucionalidade de leis municipais utilizando como parâmetro
normas da Constituição Federal, desde que se trate de normas de reprodução
obrigatória pelos Estados. RE 650898/RS, rel. orig. Min. Marco Aurélio, red. p/ o ac. Min.
Roberto Barroso, julgamento em 1º.2.2017. (RE-650898) (Informativo 852 do STF,
Repercussão Geral).

Autorização prévia da assembleia legislativa e suspensão de funções: Não há


necessidade de prévia autorização da assembleia legislativa para o recebimento de
denúncia ou queixa e instauração de ação penal contra governador de Estado, por crime
comum, cabendo ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), no ato de recebimento ou no 5
8
curso do processo, dispor, fundamentadamente, sobre a aplicação de medidas
7-

cautelares penais, inclusive afastamento do cargo. ADI 5540/MG, rel. Min. Edson Fachin,
53

julgamento em 3.5.2017. (Informativo 863 do STF)


3.
33

Extinção de Tribunais de Contas dos Municípios: A Constituição Federal não proíbe a


4.

extinção de Tribunais de Contas dos Municípios. Esse é o entendimento do Plenário que,


12

por maioria, julgou improcedente pedido formulado em ação direita de


inconstitucionalidade ajuizada contra emenda à Constituição do Estado do Ceará, que
extinguiu o Tribunal de Contas dos Municípios desse ente federado. ADI 5763/CE, rel.
Min. Marco Aurélio, julgamento em 26.10.2017. (Informativo 883 do STF)

Justiça competente e servidor público celetista: A justiça comum, federal ou estadual,


é competente para julgar a abusividade de greve de servidores públicos celetistas da
Administração pública direta, autarquias e fundações públicas. Essa é a tese do Tema
544 da repercussão geral fixada, por maioria, pelo Plenário. RE 846854/SP, rel. orig. Min.
Luiz Fux, red. p/ o ac. Min. Alexandre de Moraes, julgamento em 1º.8.2017. (Informativo
871 do STF, Repercussão Geral)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Execução individual de ação coletiva e competência: Não compete originariamente ao


Supremo Tribunal Federal processar e julgar execução individual de sentenças genéricas
de perfil coletivo, inclusive aquelas proferidas em sede mandamental. Tal atribuição
cabe aos órgãos judiciários competentes de primeira instância. PET 6076 QO /DF, rel.
Min. Dias Toffoli, julgamento em 25.4.2017. (PET-6076) (Informativo 862 do STF)

Conselho Nacional de Justiça e controle de controvérsia submetida ao Judiciário:


Descabe ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), cujas atribuições são exclusivamente
administrativas, o controle de controvérsia submetida à apreciação do Poder Judiciário.
MS 28845/DF, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em 21.11.2017. (Informativo 885 do
STF)

Conselho Nacional de Justiça: processo disciplinar e competência autônoma: A 5


8
competência originária do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para a apuração
7-

disciplinar, ao contrário da revisional, não se sujeita ao parâmetro temporal previsto no


53

art. 103-B, § 4º, V da Constituição Federal. MS 34685 AgR/RR, rel. Min. Dias Toffoli,
3.

julgamento em 28.11.2017. (Informativo 886 do STF)


33
4.
12

Precatório: É válida a penhora em bens de pessoa jurídica de direito privado, realizada


anteriormente à sucessão desta pela União, não devendo a execução prosseguir
mediante precatório (art. 100, “caput” e § 1º, da Constituição Federal). Com essa
orientação, o Tribunal negou provimento a recurso extraordinário em que se discutiam
a validade da penhora de bem da extinta Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA), realizada
anteriormente à sucessão de seus créditos pela União, e a possibilidade de a execução
prosseguir mediante precatório. (RE-693112) (Informativo 853 do STF Repercussão
Geral)

Empresas Públicas e execução de débitos via precatório: As empresas públicas e


sociedades de economia mista não têm direito à prerrogativa de execução via
precatório. RE 851711 AgR/DF, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em 12.12.2017.
(Informativo 888 do STF)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Lei estadual e prestação de serviço de segurança: Lei estadual que impõe a prestação
de serviço de segurança em estacionamento a toda pessoa física ou jurídica que
disponibilize local para estacionamento é inconstitucional, quer por violar a
competência privativa da União para legislar sobre direito civil, quer por violar a livre
iniciativa. Lei estadual que impõe a utilização de empregados próprios na entrada e saída
de estacionamento, impedindo a terceirização, viola a competência privativa da União
para legislar sobre direito do trabalho. Com base nesses entendimentos, o Plenário, por
maioria, julgou procedente pedido formulado em ação direta para declarar
integralmente inconstitucional a Lei 1.748/1990 do Estado do Rio de Janeiro, que obriga
pessoas físicas ou jurídicas a oferecer estacionamento ao público, cercar o local e manter
funcionários próprios para garantia da segurança, sob pena de pagamento de
indenização na hipótese de prejuízos ao dono do veículo. ADI 451/RJ, rel. Min. Roberto
5
8
Barroso, julgamento em 1º.8.2017. (Informativo 871 do STF)
7-
53

Lei estadual e serviço de empacotamento: Lei estadual que torna obrigatória a


3.

prestação de serviços de empacotamento nos supermercados é inconstitucional por


33

afrontar o princípio constitucional da livre inciativa. Ofende a competência privativa da


4.
12

União para legislar sobre Direito do Trabalho a mesma norma, ao exigir que o serviço
seja prestado por funcionário do próprio estabelecimento. Com base nesses
entendimentos, o Plenário julgou procedente pedido formulado em ação direta para
declarar inconstitucional a Lei 2.130/1993 do Estado do Rio de Janeiro. Vencidos, em
parte, os ministros Alexandre de Moraes (relator), Edson Fachin e Ricardo Lewandowski,
que julgaram parcialmente procedente o pedido. Afirmaram que o serviço de
empacotamento é norma afeta ao Direito do Consumidor, matéria, portanto, de
competência concorrente entre a União e os Estados-Membros. Além disso, entendem
que a norma não viola o princípio da livre inciativa. ADI 907/RJ, rel. Min. Alexandre de
Moraes, red. p/ o ac. Min. Roberto Barroso, julgamento em 1º.8.2017. (Informativo 871
do STF)

Estrangeiros e beneficiários de assistência social: Os estrangeiros residentes no País são


beneficiários da assistência social prevista no art. 203, V, da Constituição Federal (CF),
uma vez Éatendidos os deste
proibida a reprodução requisitos
material sem constitucionais e legais.
a devida autorização, sob pena Com
da adoção das base
medidas nessa
cabíveis na esferaorientação,
cível e penal. o
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Plenário negou provimento a recurso extraordinário em que discutida a concessão de


benefício assistencial a estrangeiros residentes no Brasil. Inicialmente, o Plenário
registrou que o caso envolve os preceitos relativos à dignidade humana, à solidariedade
social, à erradicação da pobreza e à assistência aos desamparados, os quais fornecem
base para interpretação adequada do benefício assistencial estampado na Constituição
Federal (CF). RE 587970/SP, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em 19 e 20.4.2017. (RE-
587970) (Informativo 861 do STF, Repercussão Geral)

Direito de greve e carreiras de segurança pública: O exercício do direito de greve, sob


qualquer forma ou modalidade, é vedado aos policiais civis e a todos os servidores
públicos que atuem diretamente na área de segurança pública. É obrigatória a
participação do Poder Público em mediação instaurada pelos órgãos classistas das
carreiras de segurança pública, nos termos do art. 165 do Código de Processo Civil (CPC),
para vocalização dos interesses da categoria. ARE 654432/GO, rel. orig. Min. Edson5
8
Fachin, red. p/ o ac. Min. Alexandre de Moraes, julgamento em 5.4.2017. (ARE-654432)
7-

(Informativo 860 do STF Repercussão Geral)


53
3.
33

Gratuidade de ensino e cobrança de mensalidade em curso de especialização: A


4.

garantia constitucional da gratuidade de ensino não obsta a cobrança por universidades


12

públicas de mensalidade em cursos de especialização. RE 597854/GO, rel. Min. Edson


Fachin, julgamento em 26.4.2017. (RE-597854) (Informativo 862 do STF, Repercussão
Geral)

Município e taxa de combate a sinistros: O Supremo Tribunal Federal, ao apreciar o


Tema 16 da repercussão geral, por maioria, negou provimento a recurso extraordinário
em que se discutiu a constitucionalidade de taxa de combate a sinistros instituída por
lei municipal. Na espécie, o tribunal de origem assentou a inconstitucionalidade da taxa,
por considerar o serviço público por ela financiado de competência estadual. De acordo
com o acórdão recorrido, houve inadequação do custeio, por meio de taxa, em face da
ausência de especificidade e divisibilidade do serviço. RE 643247/SP, rel. Min. Marco
Aurélio, julgamento em 24.5.2017. (Informativo 866 do STF, Repercussão Geral)

Sistema de Cotas: É constitucional a reserva de 20% das vagas oferecidas nos concursos
públicos Épara provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da
proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Administração Pública Direta e Indireta. É legítima a utilização, além da autodeclaração,


de critérios subsidiários de heteroidentificação, desde que respeitada a dignidade da
pessoa humana e garantidos o contraditório e a ampla defesa. ADC 41/DF, rel. Min.
Roberto Barroso, julgamento em 8.6.2017. (Informativo 868 do STF)

Imunidade formal do Presidente da República e aplicabilidade a codenunciados: A


imunidade formal prevista no art. 51, I, e no art. 86, caput, da Constituição Federal, tem
por finalidade tutelar o exercício regular dos cargos de Presidente da República e de
Ministro de Estado, razão pela qual não é extensível a codenunciados que não se
encontram investidos em tais funções. Inq 4483 AgR-segundo/DF e Inq 4327
AgRsegundo/ DF, rel. Min. Edson Fachin, julgamento em 14 e 19.12.2017. (Informativo
888, do STF)

Art. 86 da CF: apreciação das teses da defesa e necessidade de aguardar juízo de 5


8
admissibilidade da Câmara dos Deputados: O Plenário, por maioria, resolveu questão
7-

de ordem -em inquérito que apura supostos delitos de obstrução de justiça e


53

organização criminosa praticados pelo presidente da República — no sentido de que o


3.

juízo político de admissibilidade exercido pela Câmara dos Deputados, CF, art. 86, caput,
33

precede a análise jurídica pelo STF para conhecer e julgar qualquer questão ou matéria
4.

defensiva suscitada pelo denunciado. A Corte decidiu, ainda, que a possibilidade de


12

rescisão ou de revisão, total ou parcial, de acordo de colaboração premiada,


devidamente reconhecido pelo Poder Judiciário, em decorrência de descumprimento de
deveres assumidos pelo colaborador, não propicia conhecer e julgar alegação de
imprestabilidade das provas, porque a rescisão ou revisão tem efeitos somente entre as
partes, não atingindo a esfera jurídica de terceiros. Inq 4483 QO/DF, rel. Min. Edson
Fachin, julgamento em 20 e 21.9.2017. (Informativo 878 do STF)

Cabe Reclamação contra decisão que determina a retirada de matéria jornalística dos
meios de comunicação: A Primeira Turma, em conclusão de julgamento, julgou
procedente reclamação ajuizada por conglomerado da área de comunicação em face de
julgado proferido por tribunal de justiça que havia determinado a retirada de matéria
jornalística de uma de suas revistas eletrônicas de publicação semanal. Tornou, assim,
definitiva a medida liminar que autorizara a permanência da matéria no sítio eletrônico
do reclamante. STF. 1ª
É proibida a reprodução Turma.
deste material semRcl 22328/RJ,
a devida autorização, sob Rel.
pena da Min. Roberto
adoção das Barroso,
medidas cabíveis julgado
na esfera cível e penal. em
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

6/3/2018 (Informativo 893 do STF).

A incitação ao ódio público e liberdade de expressão: A incitação ao ódio público contra


quaisquer denominações religiosas e seus seguidores não está protegida pela cláusula
constitucional que assegura a liberdade de expressão. Compete ao Estado exercer o
papel de pacificador da sociedade, para, assim, evitar uma guerra entre religiões, como
acontece em outras regiões do mundo. Portanto, não há falar na existência de
teratologia apta a ensejar o trancamento da ação penal, na medida em que os fatos se
enquadram na figura delitiva do art. 20, § 2º, da Lei 7.716/1989. STF. 2ª Turma. RHC
146303/RJ, rel. Min. Edson Fachin, red. p/ o ac. Min. Dias Toffoli, julgado em 6/3/2018
(Informativo 893 do STF).

Invasão de domicílio: A mera intuição acerca de eventual traficância praticada pelo


agente, embora pudesse autorizar abordagem policial, em via pública, para averiguação, 5
8
não configura, por si só, justa causa a autorizar o ingresso em seu domicílio, sem o seu
7-

consentimento e sem determinação judicial. STJ. 6ª Turma. REsp 1574681-RS, Rel. Min.
53

Rogério Schietti Cruz, julgado em 20/4/2017 (Informativo 606 do STJ).


3.
33
4.

Judiciário pode obrigar administração pública a manter quantidade mínima de


12

medicamento em estoque: A 1ª Turma negou provimento a recurso extraordinário para


assentar a legitimidade de determinação judicial no sentido de que o Estado do Rio de
Janeiro mantivesse determinado medicamento em estoque. No caso, o Ministério
Público Federal ajuizara ação civil pública, cujo pedido fora julgado parcialmente
procedente, na qual se postulava a aquisição, pelo referido ente federativo, de
medicamento a portadores da doença de Gaucher, e a manutenção de estoque por certo
período, para evitar interrupção do tratamento, tendo em conta lapsos na importação
do produto. Preliminarmente, a Turma afastou o sobrestamento do feito por falta de
similitude com o RE 566.471 RG/RN — processo com repercussão geralreconhecida,
que versa sobre o dever do Estado de fornecer medicamento de alto custo a portador
de doença grave —, por entender diversa a matéria. No mérito, reafirmou a
jurisprudência da Corte quanto à ausência de violação ao princípio da separação dos
Poderes quando do exame pelo Poder Judiciário de ato administrativo tido por ilegal ou
abusivo. Aduziu, ademais, que o Poder Público, qualquer que fosse a esfera institucional
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

de sua atuação no plano da organização federativa brasileira, não poderia se mostrar


indiferente ao problema da saúde da população, sob pena de incidir, ainda que por
censurável omissão, em grave comportamento inconstitucional. RE 429903/RJ, rel. Min.
Ricardo Lewandowski, 25.6.2014. (RE-429903) (Informativo 752 do STJ)

Acessibilidade: É dever do Estado-membro remover toda e qualquer barreira física, bem


como proceder a reformas e adaptações necessárias, de modo a permitir o acesso de
pessoas com restrição locomotora à escola pública. O Poder Judiciário, em situações
excepcionais, pode determinar que a Administração Pública adote medidas
assecuratórias de direitos constitucionalmente reconhecidos como essenciais, sem que

isso configure violação do princípio da separação de poderes. STF. 1ª Turma. RE

440028/SP, rel. Min. Marco Aurélio, julgado em 29/10/2013 (Informativo 726 do STJ)

“Estado de coisas inconstitucional”: O Plenário concluiu o julgamento de medida


8 5
7-

cautelar em arguição de descumprimento de preceito fundamental em que discutida a


53

configuração do chamado “estado de coisas inconstitucional” relativamente ao sistema


3.

penitenciário brasileiro. Nessa mesma ação também se debate a adoção de providências


33

estruturais com objetivo de sanar as lesões a preceitos fundamentais sofridas pelos


4.

presos em decorrência de ações e omissões dos Poderes da União, dos Estados-


12

Membros e do Distrito Federal. No caso, alegava-se estar configurado o denominado,


pela Corte Constitucional da Colômbia, “estado de coisas inconstitucional”, diante da
seguinte situação: violação generalizada e sistêmica de direitos fundamentais; inércia
ou incapacidade reiterada e persistente das autoridades públicas em modificar a
conjuntura; transgressões a exigir a atuação não apenas de um órgão, mas sim de uma
pluralidade de autoridades. Postulava-se o deferimento de liminar para que fosse
determinado aos juízes e tribunais: a) que lançassem, em casos de decretação ou
manutenção de prisão provisória, a motivação expressa pela qual não se aplicam
reconhecida, que versa sobre o dever do Estado de fornecer medicamento de alto custo

CPP; b) que, observados os artigos 9.3 do Pacto dos Direitos Civis e Políticos e 7.5 da
Convenção Interamericana de Direitos Humanos, realizassem, em até 90 dias,
audiências de custódia, viabilizando o comparecimento do preso perante a autoridade
judiciária no prazo máximo de 24 horas, contadas do momento da prisão; c) que
considerassem, fundamentadamente, o quadro dramático do sistema penitenciário
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

brasileiro no momento de implemento de cautelares penais, na aplicação da pena e


durante o processo de execução penal; d) que estabelecessem, quando possível, penas
alternativas à prisão, ante a circunstância de a reclusão ser sistematicamente cumprida
em condições muito mais severas do que as admitidas pelo arcabouço normativo; e) que
viessem a abrandar os requisitos temporais para a fruição de benefícios e direitos dos
presos, como a progressão de regime, o livramento condicional e a suspensão
condicional da pena, quando reveladas as condições de cumprimento da pena mais
severas do que as previstas na ordem jurídica em razão do quadro do sistema carcerário,
preservando-se, assim, a proporcionalidade da sanção; e f) que se abatesse da pena o
tempo de prisão, se constatado que as condições de efetivo cumprimento são
significativamente mais severas do que as previstas na ordem jurídica, de forma a
compensar o ilícito estatal. Requeria-se, finalmente, que fosse determinado: g) ao CNJ
que coordenasse mutirão carcerário a fim de revisar todos os processos de execução
penal, em curso no País, que envolvessem a aplicação de pena privativa de liberdade,
visando a adequá-los às medidas pleiteadas nas alíneas “e” e “f”; e h) à União que
8 5
7-

liberasse as verbas do Fundo Penitenciário Nacional – Funpen, abstendo-se de realizar


53

novos contingenciamentos. ADPF 347 MC/DF, rel. Min. Marco Aurélio, 9.9.2015. (ADPF-
3.

347) (Informativo 798 do STF)


33
4.

Modulação em controle incidental de constitucionalidade: É possível a modulação dos


12

efeitos da decisão proferida em sede de controle incidental de constitucionalidade. STF.


Plenário. RE 522897/RN, Rel. Min. Gilmar Mendes, julgado em 16/3/2017 (Informativo
857 do STF).

Contratação temporária e autorização legislativa genérica: São inconstitucionais, por


violarem o artigo 37, IX, da CF, a autorização legislativa genérica para contratação
temporária e a permissão de prorrogação indefinida do prazo de contratações
temporárias. (ADI-3662) (Informativo 858 do STF)

Magistratura: A mera solicitação para que o juiz preste depoimento pessoal nos autos
de inquérito civil instaurado pelo Ministério Público para apuração de suposta conduta
ímproba não viola o disposto no art. 33, IV, da LC n. 35/79 (LOMAN). RMS 37.151-SP,
Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, Rel. para acórdão Min. Sérgio Kukina, por maioria,
julgado em 7/3/2017, DJe 15/8/2017. (Informativo n. 609 do STJ)
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Imunidade material: As opiniões ofensivas proferidas por deputados federais e


veiculadas por meio da imprensa, em manifestações que não guardam nenhuma relação
como o exercício do mandato, não estão abarcadas pela imunidade material prevista no
art. 53 da CF/88 e são aptas a gerar dano moral. REsp 1.642.310-DF, Rel. Min. Nancy
Andrighi, por unanimidade, julgado em 15/8/2017, DJe 18/8/2017. (Informativo n. 609
do STJ)

8 5
7-
53
3.
33
4.
12

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

8 5
7-
53
3.
33
4.
12

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

BLOCO III

DIREITO EMPRESARIAL

Propriedade industrial: A caracterização de concorrência desleal por confusão, apta a


ensejar a proteção ao conjunto-imagem (trade dress) de bens e produtos é questão
fática a ser examinada por meio de perícia técnica. REsp 1.353.451-MG, Rel. Min. Marco
Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em 19/09/2017, DJe 28/09/2017.
(Informativo n. 612 do STJ)

Ação de regresso: Cabe ação de regresso para ressarcimento de condenação relativa a


obrigações tipicamente societárias suportada exclusivamente por empresa cindida
contra empresa resultante da cisão parcial, observando-se a proporção do patrimônio
recebido. REsp 1.642.118-SP, Rel. Min. Ricardo Villas Bôas Cueva, Rel. Acd. Min. Marco
8 5
7-

Aurélio Bellizze, por maioria, julgado em 12/09/2017, DJe 20/02/2018. (Informativo n.


53

619 do STJ)
3.
33

Sociedade limitada: É desnecessária a apresentação de Certidão de Dívida Ativa (CDA)


4.

para habilitação, em processo de falência, de crédito previdenciário resultante de


12

decisão judicial trabalhista. REsp 1.591.141-SP, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino,
por unanimidade, julgado em 05/12/2017, DJe 18/12/2017. (Informativo n. 612 do STJ)

Incorporação de ações: Não configura o fechamento em branco ou indireto de capital a


hipótese de incorporação de ações de sociedade controlada para fins de transformação
em subsidiária integral (art. 252 da Lei das S/A), realizada entre sociedades de capital
aberto, desde que se mantenha a liquidez e a possibilidade de os acionistas alienarem
as suas ações. REsp 1.642.327-SP, Rel. Min. Paulo de Tarso Sanseverino, por
unanimidade, julgado em 19/09/2017, DJe 26/09/2017. (Informativo n. 612 do STJ)

Propriedade industrial: Para arquivamento de pedido ou extinção de patente por falta


de pagamento da retribuição anual prevista no art. 84 da Lei n. 9.279/1996, exige-se
notificação prévia do respectivo depositante ou titular. REsp 1.669.131-RJ, Rel. Min.

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Paulo de Tarso Sanseverino, por unanimidade, julgado em 27/6/2017, Dje


1/8/2017(Informativo n. 608 do STJ)

Recuperação Judicial: Os bondholders – detentores de títulos de dívida emitidos por


sociedades em recuperação judicial e representados por agente fiduciário – têm
assegurados o direito de voto nas deliberações sobre o plano de soerguimento. REsp
1.670.096-RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi, por maioria, julgado em 20/6/2017, DJe
27/6/2017. (Informativo n. 607 do STJ)

Recuperação Judicial: O juízo onde tramita o processo de recuperação judicial é o


competente para decidir sobre o destino dos bens e valores objeto de execuções
singulares movidas contra a recuperanda, ainda que se trate de crédito decorrente de
relação de consumo. REsp 1.630.702-RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi, por unanimidade,
8 5
julgado em 2/02/2017, DJe 10/02/2017. (Informativo n. 598 do STJ)
7-
53

Pedido de falência instruído com título executivo extrajudicial de valor superior a 40


3.

(quarenta) salários-mínimos: Independentemente de indícios ou provas de insuficiência


33

patrimonial, é possível a decretação da quebra do devedor que não paga, sem relevante
4.

razão de direito, no vencimento, obrigação líquida materializada em título ou títulos


12

executivos protestados cuja soma ultrapasse o equivalente a 40 (quarenta) salários


mínimos na data do pedido de falência. REsp 1.532.154-SC, Rel. Min. Paulo de Tarso
Sanseverino, por unanimidade, julgado em 18/10/2016, DJe 3/2/2017. (Informativo n.
596 do STJ)

Dissolução parcial de sociedade anônima: É possível que sociedade anônima de capital


fechado, ainda que não formada por grupos familiares, seja dissolvida parcialmente
quando, a despeito de não atingir seu fim – consubstanciado no auferimento de lucros
e na distribuição de dividendos aos acionistas –, restar configurada a viabilidade da
continuação dos negócios da companhia. REsp 1.321.263-PR, Rel. Min. Moura Ribeiro,
por unanimidade, julgado em 6/12/2016, DJe 15/12/2016. (Informativo n. 595 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Ação de dissolução parcial de sociedade limitada. Sócio que detém parte das quotas
sociais empenhadas: A dissolução parcial de sociedade limitada por perda da affectio
societatis pode ser requerida pelo sócio retirante, limitada a apuração de haveres às
suas quotas livres de ônus reais. REsp 1.332.766-SP, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por
unanimidade, julgado em 1/6/2017, DJe 1/8/2017. (Informativo n. 608 do STJ)

Título executivo extrajudicial: O contrato particular de abertura de crédito a pessoa


física visando financiamento para aquisição de material de construção – Construcard –,
ainda que acompanhado de demonstrativo de débito e nota promissória, não é título
executivo extrajudicial. REsp 1.323.951-PR, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, por
unanimidade, julgado em 16/5/2017, DJe 14/6/2017. (Informativo n. 606 do STJ)
8 5
7-
53
3.
33
4.
12

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

DIREITO TRIBUTÁRIO

Imunidade recíproca: A imunidade recíproca, prevista no art. 150, VI, “b”, da


Constituição Federal (CF), não se estende a empresa privada arrendatária de imóvel
público, quando seja ela exploradora de atividade econômica com fins lucrativos. Nessa
hipótese é constitucional a cobrança do IPTU pelo Município. RE 594015/DF, rel. Min.
Marco Aurélio, julgamento em 6.4.2017. (RE-594015) (Informativo 860 do STF)

Pedágio e natureza de preço público: O pedágio cobrado pela efetiva utilização de


rodovias não tem natureza tributária, mas de preço público, consequentemente, não
está sujeito ao princípio da legalidade estrita. ADI 800/RS, rel. Min. Teori Zavascki,
11.6.2014. (ADI-800) (Informativo 750 do STF)

Caso o prestador de serviços de televisão por assinatura via satélite forneça pacote de 5
8
canais por valor fixo mensal para assinantes localizados em outros estados federados,
7-
53

deve-se recolher o ICMS em parcelas iguais para as unidades da Federação em que


estiverem localizados o prestador e o tomador: De fato, nos termos do art. 11, III, "c-
3.
33

1", da LC 87/1996 (com redação da LC 102/2000), regra geral, o local da operação ou da


4.

prestação, para os efeitos da cobrança do ICMS, é, tratando-se de prestação onerosa de


12

serviço de comunicação, o do estabelecimento ou domicílio do tomador do serviço,


quando prestado por meio de satélite. Todavia, o parágrafo 6º do referido artigo traz
uma exceção para os casos de serviços não medidos e cujo preço seja cobrado por
períodos definidos. Por serviço medido, entende-se que o usuário paga pelo serviço
efetivamente utilizado, como por exemplo, os serviços de água, telefonia, luz etc. Nos
serviços de televisão por assinatura, o pagamento não é variável pelo tempo de
utilização. O assinante opta por um pacote de canais e por ele pagará um valor fixo
mensalmente. Logo, entende-se que o serviço prestado pela empresa de televisão por
assinatura não é medido e o preço será cobrado por períodos definidos, qual seja,
mensal. Desse modo, aplica-se ao caso o disposto no art. 11, § 6º, da LC 87/1996,
segundo o qual se deve recolher o ICMS em partes iguais para as unidades da Federação
em que estiverem localizados o prestador e o tomador. REsp 1.497.364-GO, Rel. Min.
Humberto Martins, julgado em 3/9/2015, DJe 14/9/2015.( Informativo 569 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

ICMS: O ICMS, tributo próprio à circulação de mercadorias qualificada pela compra e


venda, não incide na importação de bem móvel realizada mediante operação de
arrendamento mercantil quando não exercida a opção de compra e, por consequência,
suscetível de devolução ao arrendador. RE 226899/SP, rel. orig. Min. Ellen Gracie, red.
p/ o acórdão Min. Carmen Lúcia, 1º.10.2014. (RE-226899). (Informativo 761 do STJ)

ICMS e habilitação de celular: O serviço de habilitação de celular configura atividade


preparatória ao serviço de comunicação, não sujeito à incidência do ICMS. Essa a
orientação firmada pelo Plenário, que, em conclusão de julgamento e por maioria,
desproveu recurso extraordinário no qual se discutia a possibilidade de cobrança da
referida exação — v. Informativo 643. Aduziu-se que, consoante se poderia inferir da Lei
Geral de Telecomunicações, o serviço de habilitação de telefonia móvel não seria
atividade-fim, mas atividade-meio para o serviço de comunicação. Asseverou-se que a 5
8
atividade em questão não se incluiria na descrição de serviços de telecomunicação
7-

constante do art. 2º, III, da LC 87/1996, por corresponder a procedimento tipicamente


53

protocolar, cuja finalidade referir-se-ia a aspecto preparatório. Ademais, destacou-se


3.
33

que, no ato de habilitação, não ocorreria qualquer serviço efetivo de telecomunicação,


mas ele apenas seria disponibilizado, de sorte a assegurar ao usuário a possibilidade de
4.
12

seu uso. Vencidos os Ministros Marco Aurélio, relator, e Ricardo Lewandowski, que
davam provimento ao recurso por considerarem a habilitação indispensável para que se
utilizasse o telefone móvel. Assim, existente cobrança pelo serviço de forma específica,
cabível a tributação. RE 572020/DF, rel. orig. Min. Marco Aurélio, red. p/ o acórdão Min.
Luiz Fux. 6.2.2014. (RE-572020) (Informativo 734 do STF)

Tarifa de assinatura básica e ICMS: O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e


Serviços (ICMS) incide sobre a tarifa de assinatura básica mensal cobrada pelas
prestadoras de serviço de telefonia, independentemente da franquia de minutos
concedida ou não ao usuário. RE 912888/SP, rel. min. Teori Zavascki, 13.10.2016. (RE-
912888) (Informativo 843 do STF)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Operação interestadual: A empresa vendedora de boa-fé que evidencie a regularidade


da operação interestadual realizada com cláusula FOB (Free on Board) não pode ser
objetivamente responsabilizada pelo pagamento do diferencial de alíquota de ICMS em
razão de a mercadoria não ter chegado ao destino declarado na nota fiscal. EREsp
1.657.359-SP, Rel. Min. Gurgel de Faria, por unanimidade, julgado em 14/03/2018, DJe
19/03/2018. (INFORMATIVO 622 do STJ)

Não incidência do ICMS na base de cálculo do PIS e da COFINS: Em adequação ao


entendimento do Supremo Tribunal Federal, o ICMS não compõe a base de cálculo para
a incidência do PIS e da COFINS. REsp 1.100.739-DF, Rel. Min. Sérgio Kukina, por
unanimidade, julgado em 27/02/2018, DJe 08/03/2018. (Informativo 622 do STJ)

Inclusão de percentual de débito isolado. O contribuinte pode optar pelo parcelamento


de débitos considerados isoladamente, nos termos do art. 1º, § 2º, da Lei n. 5
8
11.941/2009, ainda que relativos a uma mesma Certidão da Dívida Ativa, não sendo
7-

possível o parcelamento de uma fração de competência ou período de apuração. REsp


53

1.382.317-PR, Rel. Min. Benedito Gonçalves, por maioria, julgado em 21/11/2017, DJe
3.
33

14/12/2017. (Informativo 617 do STJ)


4.
12

Responsabilidade por substituição: A imunidade de entidade beneficente de assistência


social não a exonera do dever de, na condição de responsável por substituição, reter o
imposto de renda sobre juros remetidos ao exterior na compra de bens a prazo, na
forma do art. 11 do Decreto-Lei n. 401/1968. REsp 1.480.918-RS, Rel. Min. Mauro
Campbell Marques, Rel. Acd. Min. Herman Benjamin, por maioria, julgado em
19/09/2017, DJe 01/02/2018. (Informativo 618 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

DIREITO AMBIENTAL

Meio ambiente e poluição - competência municipal para interesse local: O Município


tem competência para legislar sobre meio ambiente e controle da poluição, quando se
tratar de interesse local. RE 194704/MG, rel. orig. Min. Carlos Velloso, red. p/ o ac. Min.
Edson Fachin, julgamento em 29.6.2017. (Informativo 870 do STF)

Crime ambiental de caráter transnacional: Compete à Justiça Federal processar e julgar


o crime ambiental de caráter transnacional que envolva animais silvestres, ameaçados
de extinção e espécimes exóticas ou protegidas por compromissos internacionais
assumidos pelo Brasil. Consignou que a competência da Justiça Federal aplica-se aos
seguintes crimes ambientais, que também se enquadram nas hipóteses previstas na
Constituição, quando: a) atentarem contra bens, serviços ou interesses diretos e 5
8
específicos da União ou de suas entidades autárquicas; b) previstos tanto no direito
7-

interno quanto em tratado ou convenção internacional, tiverem a execução iniciada no


53

País, mas o resultado tenha ou devesse ter ocorrido no estrangeiro, ou na hipótese


3.

inversa; c) tiverem sido cometidos a bordo de navios ou aeronaves; d) houver grave


33

violação de direitos humanos; ou ainda e) guardarem conexão ou continência com outro


4.
12

crime de competência federal, ressalvada a competência da Justiça Militar e da Justiça


Eleitoral, conforme previsão expressa da Constituição. (RE-835558) (Informativo 853 do
STF, Repercussão Geral)

Competência legislativa dos Municípios e Direito Ambiental: Os Municípios podem


legislar sobre Direito Ambiental, desde que o façam fundamentadamente. Com base
nesse entendimento, a Segunda Turma negou provimento a agravo regimental. A Turma
afirmou que os Municípios podem adotar legislação ambiental mais restritiva em relação
aos Estados-Membros e à União. No entanto, é necessário que a norma tenha a devida
motivação. ARE 748206 AgR/SC, rel Min. Celso de Mello, julgamento em 14.3.2017.
(ARE-748206) (Informativo 857 do STF).

Amazônia Legal e regularização fundiária: O Plenário conheceu em parte de ação direta


de inconstitucionalidade e, por maioria, julgou parcialmente procedente o pedido para

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

aplicar a técnica da interpretação conforme à Constituição, sem redução de texto ao §


2º do art. 4º da Lei 11.952/2009, a fim de afastar qualquer entendimento que permita a
regularização fundiária das terras públicas ocupadas por quilombolas e outras
comunidades tradicionais da Amazônia Legal em nome de terceiros ou de forma a
descaracterizar o modo de apropriação da terra por esses grupos; e ao art. 13 do mesmo
diploma, a fim de afastar quaisquer interpretações que concluam pela desnecessidade
de fiscalização dos imóveis rurais até quatro módulos fiscais, devendo o ente federal
utilizar-se de todos os meios referidos em suas informações para assegurar a devida
proteção ambiental e a concretização dos propósitos da norma, para somente então ser
possível a dispensa da vistoria prévia, como condição para a inclusão da propriedade no
programa de regularização fundiária de imóveis rurais de domínio público na Amazônia
Legal. ADI 4269/DF, rel. Min. Edson Fachin, julgamento em 18.10.2017. (Informativo 882
do STF) 5
8
7-
53
3.
33
4.
12

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

DIREITO ADMINISTRATIVO

Danos a detentos: Considerando que é dever do Estado, imposto pelo sistema


normativo, manter em seus presídios os padrões mínimos de humanidade previstos no
ordenamento jurídico, é de sua responsabilidade, nos termos do art. 37, § 6º, da
Constituição, a obrigação de ressarcir os danos, inclusive morais, comprovadamente
causados aos detentos em decorrência da falta ou insuficiência das condições legais de
encarceramento.RE 580252/MS, rel. orig. Min. Teori Zavascki, red. p/ o ac. Min. Gilmar
Mendes, julgamento em 16.2.2017. (RE-580252) (Informativo 854 do STF, Plenário,
Repercussão Geral)

Responsabilidade subsidiária da Administração e encargos trabalhistas não


adimplidos: Não é possível a transferência automática para a Administração Pública da
8 5
7-

responsabilidade subsidiária pelo descumprimento das obrigações trabalhistas pela


53

empresa terceirizada. É viável a responsabilização do ente público em caso de culpa


3.

comprovada em fiscalizar o cumprimento dessas obrigações. Competi à Administração


33

Pública comprovar que fiscalizou adequadamente o cumprimento das obrigações


4.

trabalhistas pelo contratado. RE 760931/DF, rel. orig. Min. Rosa Weber, red. p/ o ac.
12

Min. Luiz Fux, julgamento em 30.3.2017. (RE-760931) (Informativo 859 do STF).

Licitação: O fato de o servidor estar licenciado não afasta o entendimento segundo o


qual não pode participar de procedimento licitatório a empresa que possuir em seu
quadro de pessoal servidor ou dirigente do órgão contratante ou responsável pela
licitação. REsp 1.607.715-AL, Rel. Min. Herman Benjamin, por unanimidade, julgado
em 7/3/2017, DJe 20/4/2017. (Informativo n. 602 do STJ)

Perda de cargo: A pena de perdimento deve ser restrita ao cargo ocupado ou função
pública exercida no momento do delito, à exceção da hipótese em que o magistrado,
motivadamente, entender que o novo cargo ou função guarda correlação com as
atribuições anteriores. REsp 1.452.935- PE, Rel. Min. Reynaldo Soares da Fonseca, por
unanimidade, julgado em 14/3/2017, DJe 17/3/2017. (Informativo n. 599)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Promoção funcional retroativa nas nomeações por ato judicial: A nomeação tardia de
candidatos aprovados em concurso público, por meio de ato judicial, à qual atribuída
eficácia retroativa, não gera direito às promoções ou progressões funcionais que
alcançariam houvesse ocorrido, a tempo e modo, a nomeação. RE 629392 RG/MT, rel.
Min. Marco Aurélio, julgamento em 8.6.2017. (Informativo 868, do STF, Repercussão
Geral)

Cassação da aposentadoria: Quando o exercício do cargo foi amparado por decisões


judiciais precárias e o servidor se aposentou, antes do julgamento final de mandado de
segurança, por tempo de contribuição durante esse exercício e após legítima
contribuição ao sistema, a denegação posterior da segurança que inicialmente permitira
ao servidor prosseguir no certame não pode ocasionar a cassação da aposentadoria. MS 5
20.558-DF, Rel. Min. Herman Benjamin, por unanimidade, julgado
8
7-

em 22/2/2017, DJe 31/3/2017. (Informativo n. 600 do STJ)


53
3.

Desistência de candidato melhor classificado: A desistência de candidatos melhores


33

classificados em concurso público convola a mera expectativa em direito líquido e certo,


4.

garantindo a nomeação dos candidatos que passarem a constar dentro do número de


12

vagas previstas no edital. RMS 53.506-DF, Rel. Min. Regina Helena Costa, por
unanimidade, julgado em 26/09/2017, DJe 29/09/2017. (Informativo n. 612 do STJ)

Modificação na ordem de aplicação das provas: A simples alteração na ordem de


aplicação das provas de teste físico em concurso público, desde que anunciada com
antecedência e aplicada igualmente a todos, não viola direito líquido e certo dos
candidatos inscritos. RMS 36.064-MT, Rel. Min. Sérgio Kukina, por unanimidade, julgado
em 13/6/2017, DJe 22/6/2017. (Informativo n. 608 do STJ)

Exame psicotécnico: Em ação ordinária na qual se discute a eliminação de candidato em


concurso público – em razão da subjetividade dos critérios de avaliação de exame
psicotécnico previstos no edital – a legitimidade passiva será da entidade responsável

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

pela elaboração do certame. REsp 1.425.594-ES, Rel. Min. Regina Helena Costa, por
unanimidade, julgado em 7/3/2017, DJe 21/3/2017. (Informativo n. 600 do STJ)

Conselho Regional de Educação Física: O exercício da profissão de técnico ou treinador


profissional de futebol não se restringe aos profissionais graduados em Educação Física,
não havendo obrigatoriedade legal de registro junto ao respectivo Conselho Regional.
REsp 1.650.759-SP, Rel. Min. Herman Benjamin, por unanimidade, julgado em 6/4/2017,
DJe 1/8/2017. (Informativo n. 607 do STJ)

Cancelamento do registro profissional: O fato de os conselhos não poderem executar


dívidas inferiores a quatro vezes o valor cobrado anualmente da pessoa física ou jurídica
inadimplente, não obsta o cancelamento do registro do profissional que deixar de
efetuar o pagamento de duas anuidades consecutivas, conforme disposto no art. 64 da
8 5
7-

Lei n. 5.194/1966. REsp 1.659.989-MG, Rel. Min. Herman Benjamin, por unanimidade,
53

julgado em 25/4/2017, DJe 5/5/2017. (Informativo n. 603 do STJ)


3.
33

Ausência de responsabilidade do ente expropriante: O ente desapropriante não


4.

responde por tributos incidentes sobre o imóvel desapropriado nas hipóteses em que o
12

período de ocorrência dos fatos geradores é anterior ao ato de aquisição originária da


propriedade. REsp 1.668.058-ES, Rel. Min. Mauro Campbell Marques, por unanimidade,
julgado em 8/6/2017, DJe 14/6/2017. (Informativo n. 606 do STJ)

Terras tradicionalmente ocupadas por indígenas, titularidade e indenização: O


Plenário, por unanimidade, julgou improcedentes duas ações cíveis originárias, nas quais
o Estado de Mato Grosso solicitava indenização por desapropriação indireta de terras
devolutas a ele pertencentes, sob a alegação de que as terras teriam sido incluídas no
perímetro de áreas indígenas sem a obediência ao procedimento expropriatório devido.
O Colegiado salientou que, desde a Constituição de 1934, não se pode caracterizar as
terras ocupadas pelos indígenas como devolutas. Ressaltou ainda que a Constituição
Federal de 1988 estabeleceu que as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios são
bens da União e dedicou vários dispositivos para tratar da proteção dessas áreas,
conforme arts. 20, XI e 213, § 1º a §6º da CF. Ademais, pontuou que os
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

laudos antropológicos juntados aos autos deixaram claro que as áreas em questão eram
habitadas historicamente por indígenas. Nesse contexto, o Supremo Tribunal Federal
assentou que a titularidade das terras não é do Estado do Mato Grosso, sendo indevida,
portanto, a indenização pleiteada. ACO 362/MT, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em
16.8.2017. ACO 366/MT, rel. Min. Marco Aurélio, julgamento em 16.8.2017.
(Informativo 873 do STF)

Ato de demarcação de terras indígenas: Não há nulidade em processo de remarcação


de terras indígenas por ausência de notificação direta a eventuais interessados,
bastando que a publicação do resumo do relatório circunstanciado seja afixada na sede
da Prefeitura Municipal da situação do imóvel. MS 22.816-DF, Rel. Min. Mauro Campbell
Marques, por unanimidade, julgado em 13/9/2017, DJe 19/9/2017. (Informativo n. 611
do STJ) 8 5
7-

Legitimidade ativa: Associação de Municípios e Prefeitos não possui legitimidade ativa


53

para tutelar em juízo direitos e interesses das pessoas jurídicas de direito público. REsp
3.

1.503.007-CE, Rel. Min. Herman Benjamin, por unanimidade, julgado em 14/6/2017, DJe
33

6/9/2017. (Informativo n. 610 do STJ)


4.
12

Aposentadoria compulsória de magistrado - processo disciplinar e prova emprestada:


A Primeira Turma, por maioria, negou provimento a agravo regimental em que
questionada a legalidade de ato do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) quanto à
aplicação da pena de aposentadoria compulsória a magistrado estadual por prática de
infração disciplinar grave. O agravante alegou ofensa ao princípio da subsidiariedade,
dada ausência de análise prévia da suposta falta pela Corregedoria local; invalidade das
provas, as quais haviam sido obtidas durante a investigação de outras pessoas;
possibilidade de apontamento de nulidades por meio de petição após o prazo previsto
no art. 23 da Lei 12.016/2009 ; incompatibilidade entre o ato de instauração do processo
administrativo disciplinar e o acórdão impugnado; e descabimento da sanção imposta
por insuficiência probatória. Primeiramente, a Turma evidenciou entendimento
consolidado pela Corte no sentido da competência originária e concorrente do CNJ
conferida pela Constituição, na aplicação de medidas disciplinares. Em seguida,

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

reafirmou a possibilidade de utilização de dados obtidos por descoberta fortuita em


interceptações telefônicas devidamente autorizadas como prova emprestada em
processo administrativo disciplinar. Ademais, não verificou a ocorrência de atraso
indevido no envio das provas aos órgãos competentes no que se refere a indivíduos
detentores de foro por prerrogativa de função. Destacou, ainda, a incongruência entre
dilação probatória e mandado de segurança. Afastou também a hipótese de
incompatibilidade entre a portaria de instauração do processo e o ato contrariado, visto
que a defesa no processo administrativo disciplinar se dá em relação aos fatos descritos
na própria portaria de instauração. Outrossim, ausente conclusão do juízo criminal pela
prova da inexistência do fato ou pela negativa de autoria, não estão presentes
circunstâncias suscetíveis de autorizar excepcional comunicabilidade das esferas penal
e administrativa. Por fim, a Turma concluiu pela ausência de ilegalidade do ato e
entendeu por justificada a pena de aposentadoria compulsória, haja vista demonstração
8 5
7-

probatória de infração disciplinar grave. Vencido o ministro Marco Aurélio, que


53

entendeu haver dúvidas em relação à culpabilidade do acusado e destacou a


3.

impossibilidade de condenação a partir de simples indícios. Desse modo, sem julgar o


33
4.

aspecto material do caso, votou pelo provimento do agravo regimental. MS 30361


12

AgR/DF, rel. Min. Rosa Weber, julgamento em 29.8.2017. (Informativo 875 do STF, 1ª
Turma)

Remoção: A “teoria do fato consumado" não pode ser aplicada para consolidar remoção
de servidor público destinada a acompanhamento de cônjuge, em hipótese que não se
adequa à legalidade estrita, ainda que tal situação haja perdurado por vários anos em
virtude de decisão liminar não confirmada por ocasião do julgamento de mérito. EREsp
1.157.628-RJ, Rel. Min. Raul Araújo, por maioria, julgado em 7/12/2016, DJe 15/2/2017.
(Informativo n. 598 do STJ)

PAD: A instauração de processo disciplinar contra servidor efetivo cedido deve dar-se,
preferencialmente, no órgão em que tenha sido praticada a suposta irregularidade, mas
o julgamento e a eventual aplicação de sanção, quando findo o prazo de cessão e já
tendo o servidor retornado ao órgão de origem, só podem ocorrer no órgão ao qual o
É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
servidor público federal efetivo estiver vinculado. MS 21.991-DF, Rel.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

8 5
7-
53
3.
33
4.
12

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com
Min. Humberto Martins, Rel. para acórdão Min. João Otávio de Noronha, por maioria,
julgado em 16/11/2016, DJe 3/3/2017. (Informativo n. 598 do STJ)

PAD: É legal a instauração de procedimento disciplinar, julgamento e sanção, nos moldes


da Lei n. 8.112/1990 em face de servidor público que pratica atos ilícitos na gestão de
fundação privada de apoio à instituição federal de ensino superior. MS 21.669- DF, Rel.
Min. Gurgel de Faria, por unanimidade, julgado em 23/08/2017, DJe 09/10/2017.
(Informativo n. 613 do STJ)

Concurso público e Tatuagem: Editais de concurso público não podem estabelecer


restrição a pessoas com tatuagem, salvo situações excepcionais em razão de conteúdo
que viole valores constitucionais. STF. Plenário. RE 898450/SP, Rel. Min. Luiz Fux, julgado
em 17/8/2016 (repercussão geral) (Info 835).

Descontos em folha de pagamento: Os descontos em folha, juntamente com os


5
descontos obrigatórios, podem alcançar o percentual de 70% das remunerações ou dos
8
7-

proventos brutos dos servidores militares. EAREsp 272.665-PE, Rel. Min. Mauro
53

Campbell Marques, por unanimidade, julgado em 13/12/2017, DJe 18/12/2017.


3.

(Informativo 618 do STJ)


33
4.

Remoção de cônjuge a pedido: O servidor público federal somente tem direito à


12

remoção prevista no art. 36, parágrafo único, III, "a", da Lei n. 8.112/1990, na hipótese
em que o cônjuge/companheiro, também servidor, tenha sido deslocado de ofício, para
atender ao interesse da Administração (nos moldes do inciso I do mesmo dispositivo
legal). EREsp 1.247.360-RJ, Rel. Min. Benedito Gonçalves, por maioria, julgado em
22/11/2017, DJe 29/11/2017. (Informativo 617 do STJ)

Transporte interestadual: É obrigatória a prévia fiscalização do camarão in natura, ainda


que na condição de matéria-prima, antes do beneficiamento em outros Estados da
Federação, podendo tal atividade ser realizada no próprio estabelecimento rural onde
se desenvolve a carcinicultura. REsp 1.536.399-PI, Rel. Min. Sérgio Kukina, por
unanimidade, julgado em 08/02/2018, DJe 22/02/2018. (Informativo 620 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.
Natasha lima | 27997499644 | natashaoglima@hotmail.com

Registro como veículos oficiais: Os conselhos de fiscalização profissional não possuem


autorização para registrar os veículos de sua propriedade como oficiais. AREsp
1.029.385-SP, Rel. Min. Gurgel de Faria, por unanimidade, julgado em 05/12/2017, DJe
09/02/2018. (Informativo 619 do STJ)

Desapropriação indireta: A ação possessória pode ser convertida em indenizatória


(desapropriação indireta) - ainda que ausente pedido explícito nesse sentido - a fim de
assegurar tutela alternativa equivalente ao particular, quando a invasão coletiva
consolidada inviabilizar o cumprimento do mandado reintegratório pelo município. REsp
1.442.440-AC, Rel. Min. Gurgel de Faria, por unanimidade, julgado em 07/12/2017, DJe
15/02/2018. (Informativo 619 do STJ)

5
Nomeação tardia: A nomeação tardia de candidatos aprovados em concurso público
8
7-

não gera direito à indenização, ainda que a demora tenha origem em erro reconhecido
53

pela própria Administração Pública. REsp 1.238.344-MG, Rel. Min. Sérgio Kukina, por 76
3.

maioria, julgado em 30/11/2017, DJe 19/12/2017. (Informativo 617 do STJ)


33
4.

Ação cautelar de exibição de documentos: O Instituto Brasileiro de Geografia e


12

Estatística - IBGE está legalmente impedido de fornecer a quem quer que seja as
informações individualizadas que coleta, no desempenho de suas atribuições, para que
sirvam de prova em quaisquer outros procedimentos administrativos. REsp 1.353.602-
RS, Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, por unanimidade, julgado em 30/11/2017, DJe
07/12/2017. (Informativo 617 do STJ)

É proibida a reprodução deste material sem a devida autorização, sob pena da adoção das medidas cabíveis na esfera cível e penal.