Você está na página 1de 90

Mente Aberta Coração Aberto

O contemplativa Dimensionof o Evangelho

pelo Padre Thomas Keating

1
Open Mind, Open Heart: A dimensão contemplativa do Evangelho Paperback - 1995

por OCSO Keating Thomas

Este livro foi concebido para iniciar o leitor para um relacionamento profundo, viver com Deus. Escrito
por um mestre espiritual reconhecido, o livro vai além "meditação discursiva e atos particulares ao nível
intuitivo de contemplação". Keating dá uma visão geral da história da oração contemplativa na tradição
cristã, e orientação passo-a-passo no método da oração de centramento. É dada especial atenção ao
papel da Palavra Sagrada, o crescimento cristão e transformação, e oração ativa. O livro termina com um
tratamento explícito da dimensão contemplativa do evangelho. Open Mind, Open Heart levará os
leitores em um mundo onde Deus pode fazer qualquer coisa, em um reino da maior Adventure- "Onde
um está aberto ao infinito e, portanto, possibilidades infinitas.">

Comentários editoriais

Amazon.com revisão

Publicado pela primeira vez em 1986 e na impressão - e imensamente popular - desde então,
mente aberta, coração aberto, pelo monge trapista Thomas Keating, continua sendo uma das
melhores introduções para uma forma especificamente cristã da meditação. Pai Keating dá ao
leitor uma visão geral do que a oração contemplativa, tanto é e não é; ele discute a história da
oração contemplativa na tradição cristã e, em seguida, explora passo a passo o processo de
oração de centramento, brevemente explorando suas origens na igreja antiga e, em seguida,
demonstrando a sua utilização como "um sinal de sua intenção" de se render a Deus. Cada
capítulo termina com perguntas e respostas que fornecem informações úteis em um contexto
informal. Aqui, em particular, temos uma sensação de clareza de Keating - e seu senso de humor.
Por exemplo, em resposta a uma pergunta sobre a experiência súbita de felicidade em oração,
Keating responde: "Você não deve tomar oração muito a sério. Há algo lúdico sobre Deus. Você
só tem que olhar para um pinguim ... para perceber que ele gosta de jogar piadas sobre criaturas
". --Doug Thorpe

Reveja

"O líder dentro do mundo católico na tarefa de recuperar nossa herança cristã contemplativa." -
Cousins Ewert, Editor Geral, World Espiritualidade: Uma História Enciclopédico da busca
religiosa

"Nós começamos indo para o Mosteiro de São Bento em Snowmass quando eu tinha 7 anos. Vários
anos depois, Keating se tornou monge do St. Benedict. Ele desenvolveu oração centrada, o que é muito
parecido com a meditação e o que este livro é sobre. Ele diz que (oração ou centralização) a meditação
é uma maneira de reduzir os obstáculos ao desenvolvimento da graça. Eu posso me sentar por apenas
cinco a dez minutos. é muito difícil para mim. Ainda assim, quando eu ficar em apuros, ele muda minha
perspectiva. Como eles dizem, não oramos para mudar nossas circunstâncias; oramos mudar a nós
mesmos "- Livros de o, The Oprah Magazine, maio de 2005.

"Nós começamos indo para o Mosteiro de São Bento em Snowmass quando eu tinha 7 anos. Vários
anos depois, Keating se tornou monge do St. Benedict. Ele desenvolveu oração centrada, o que é muito
2
parecido com a meditação e o que este livro é sobre. Ele diz que (oração ou centralização) a meditação
é uma maneira de reduzir os obstáculos ao desenvolvimento da graça. Eu posso me sentar por apenas
cinco a dez minutos. é muito difícil para mim. Ainda assim, quando eu ficar em apuros, ele muda minha
perspectiva. Como eles dizem, não oramos para mudar nossas circunstâncias; oramos mudar a nós
mesmos "- Livros de o, The Oprah Magazine, maio de 2005.

-Este texto refere-se a uma eliminação da impressão ou indisponível edição deste título.

Sobre o autor

Padre Thomas Keating é conhecida em todo o mundo como um expoente, professor e escritor
sobre a oração contemplativa. A Cisterciense (trapista) monge de St. Benedict Monastery,
Snowmass, Colorado, ele é um dos fundadores do Movimento de Oração Centralização e
contemplativa Outreach. Ele é o autor de numerosos livros, particularmente da trilogia Open
Mind, Open Heart; Convite ao Amor; E o mistério de Cristo. Entre seus livros mais recentes é o
leitor diário para contemplativa de estar, compilado por S. Stephanie Iachetta.

Detalhes do produto
 paperback: 160 páginas
 Editor: Contínuo (1995)

 Língua: Inglês

 ISBN-10: 0826406963

 ISBN-13: 978-0826406965

 Dimensões do produto: 0,5 x 6,2 x 9,2 polegadas

 Peso: 8,8 onças

 Média Customer Review: 4.6 de 5 estrelas 191 comentários de clientes

 Amazon Best Sellers Posição: # 138872 em Livros (Ver Top 100 em Livros)

o # 17 em livros > Christian Books & Bibles > catolicismo > Teologia

o # 164 em livros > Religião e Espiritualidade > Adoração & devoção > meditações

o # 341 em livros > Christian Books & Bibles > Adoração & devoção > meditações
Mais sobre o autor

Biografia

Thomas Keating, fundador do movimento de oração de centralização, é um autor, professor e monge


que tem trabalhado por muitos anos para promover a compreensão entre as religiões do mundo. Um
membro da Ordem de Cister na tradição beneditina, Pai Keating tem servido nos mosteiros no Colorado
e Massachusetts. Ele atualmente dirige retiros na prática da oração de centramento, uma pedra angular
da prática contemplativa cristã contemporânea. Ele é o autor do best-seller de mente aberta, coração
aberto, frutas e Dons do Espírito, Santa Teresa de Lisieux, manifestando Deus, ea transformação do

3
Sofrimento, Terapia Divino e Addiction, entre muitos outros livros. Ele vive no Mosteiro de São Bento,
em Snowmass, Colorado.

4
Oração ao Espírito Santo
Inspirado pelo hino Latina

Veni Sancti Spiritus

Vinde, Espírito Santo, derrama fora das profundidades da Trindade um raio de sua luz - a Luz
que ilumina as nossas mentes e, ao mesmo tempo, fortalece a nossa vontade de prosseguir a Luz.

Vinde, Pai dos pobres, os pobres em espírito, a quem amas a encher com a plenitude de Deus.

Você não são apenas Doador de dons, mas dá a si mesmo, o dom supremo - o presente do Pai e
do Filho.

Você é o melhor consolador! O que um charmoso Visitante Você faz! Sua conversa, embora tudo
em silêncio, é a própria doçura. Como refrescante vossa consolação! Calmante como uma
carícia. Em um instante Você dissipar todas as dúvidas e tristeza.

No trabalho da tentação luta, você está lá vitória promissor. Sua presença é a nossa vitória Você
gentilmente persuadir nossos corações tímidos para confio em Vós.

No maior dos trabalhos, a luta de auto-rendição, Você é nosso repouso-nossa paz na


profundidade de nossas almas.

No calor de batalha; Sua respiração está esfriando, acalmando nossas paixões rebeldes,
acalmando nossos medos quando parece que a derrota. Você secar nossas lágrimas quando
caímos. É você quem dê a graça da compunção ea esperança certeza do perdão.

Oh delirantemente feliz Luz! Encha até ao fim recessos os corações de seus filhos fiéis!

Sem você, não há vida divina em nós, há virtude em tudo. Se sua respiração é interrompida, o
nosso espírito perece; nem pode viver novamente até que você pressione seus lábios para nossas
bocas e respirar neles o sopro da vida.

Seu toque é como o orvalho, mas Você age com uma mão forte. Suave como a brisa suave, que
também estão no turbilhão.

Como um alto-forno gigante, Você secar todas as nossas faculdades - mas apenas para derreter a
dureza dos nossos corações.

Você molda-nos antes de você como folhas mortas no vendaval do inverno - mas apenas para
definir os nossos pés no caminho estreito.

Agora, como um vento forte vindo, derramam torrentes para lavar os nossos pecados. Molhar
com graça nossos secas corações. Aliviar as feridas Você cauterizados.

Dê a todos os que confiam em você - com que a verdadeira confiança que só Você pode dar -
Seus sete dons sagrados.

5
Conceder a recompensa da virtude; isto é, seu próprio Ser! Subvenção para o fim! E então,
alegria eterna!

Um homem

6
Introdução
Hoje as igrejas cristãs encontram-se com uma oportunidade maravilhosa. Muitos crentes sinceros
estão ansiosos para experimentar a oração contemplativa. Junto com esta aspiração, há uma
expectativa crescente de que os líderes das comunidades locais ser capaz de ensinar o Evangelho
fora da experiência pessoal de oração contemplativa. Isso pode acontecer se a formação de
sacerdotes e ministros futuros coloca formação em oração e espiritualidade em pé de igualdade
com formação académica. Também poderia acontecer se ensinamento espiritual torna-se uma
parte regular do ministério leigo. Em qualquer caso, até que a liderança espiritual torna-se uma
realidade nos círculos cristãos, muitos vão continuar a olhar para outras tradições religiosas para
a experiência espiritual que eles não estão encontrando em suas próprias igrejas.

Centrando a oração é um esforço para renovar o ensino da tradição cristã sobre a oração
contemplativa. É uma tentativa de apresentar essa tradição de forma up-to-date e pôr uma certa
ordem e método para ele. Como a palavra contemplação, o termo oração de centralização passou
a ter uma variedade de significados. Por uma questão de clareza, parece melhor reservar a oração
de centralização prazo para o método específico de preparação para o dom da contemplação
(descrito no Capítulo Três) e para retornar à oração contemplativa tradicional termo ao descrever
o seu desenvolvimento sob a inspiração direta mais prazo do Espírito.

Este livro tem crescido de uma série de seminários sobre a prática da oração de centramento e
incorpora as questões específicas de participantes provenientes de diferentes níveis de
experiência. As preocupações expressas pelos participantes brotam da prática desenvolvimento
da oração de centramento. Assim, as perguntas que surgem após alguns meses de prática diária
são diferentes daqueles que surgem nas primeiras semanas. A pergunta é muitas vezes pedindo
mais do que a questão real contém. As respostas são destinadas a facilitar o processo de escuta
iniciada pelo método da oração de centramento. Junto com as apresentações, eles gradualmente
tecer um fundo conceitual para a prática contemplativa.

A oração contemplativa é um processo de transformação interior, uma conversa iniciada por


Deus e de liderança, se consentir, a união divina. maneira própria de ver a realidade muda neste
processo. A reestruturação da consciência ocorre, que habilita a perceber, relacionar e responder
com o aumento da sensibilidade à presença divina em, através e além de tudo o que existe.

7
Capítulo 1O Contemplação Não é

Há muita desinformação popular na mente das pessoas sobre o que a contemplação é. Dizer o
que não é pode ajudar a colocar uma perspectiva sobre o que é.

A primeira coisa que a contemplação não é um exercício de relaxamento. Pode trazer


relaxamento, mas isso é estritamente um efeito colateral. É principalmente relação, daí,
intencionalidade. Não é uma técnica, é a oração Quando dizemos: "Oremos"; queremos dizer:
"Vamos entrar em um relacionamento com Deus"; ou: "Vamos aprofundar o relacionamento que
temos"; ou: "Vamos exercer nossa relação com Deus": A oração de centramento é um método de
mover a nossa relação em desenvolvimento com Deus ao nível de pura fé. pura fé é a fé que está
se movendo para além do nível egóico mental de meditação discursiva e atos particulares ao
nível intuitivo de contemplação. Centrando a oração não é projetado para trazê-lo para um "alto",
como você pode obter através da ingestão de peiote ou LSD. Não é uma forma de auto-hipnose.
É simplesmente um método que conduz a oração contemplativa. Nesta perspectiva, é o primeiro
degrau na escada da oração contemplativa.

A segunda coisa que a oração contemplativa não é um dom carismático. Os carismas enumerados
por Paul foram renovados em nosso tempo. Estes presentes são projetados para a edificação da
comunidade. Um pode ser um contemplativo e um carismático ao mesmo tempo. E um pode não
ser um contemplativo e ainda ter um ou mais dos dons carismáticos. Em outras palavras, não há
necessariamente uma conexão entre os dois. A oração contemplativa depende do crescimento da
fé, esperança e amor divino, e lida com a purificação, cura e santificação da substância da alma e
suas faculdades: Os dons carismáticos são dadas para a edificação da comunidade local e pode
ser dado a pessoas que não são necessariamente avançadas na jornada espiritual. Os dons de
línguas é o único presente que pode ser dado principalmente para um' é santificação pessoal. É
uma espécie de introdução à oração contemplativa porque, quando orando línguas não se sabe o
que se está dizendo.

Outro presente é a capacidade de comunicar a experiência de descansar no Espírito. Se você já


teve alguma experiência de contemplação, reconhecê-lo como o dom de recolhimento infusa ou
talvez até mesmo a oração do silêncio. Você pode resistir a ela se você quiser. Se você aceitá-lo
você sente uma suspensão suave de suas faculdades sentido comum e você escorregar para o
chão. Se as pessoas nunca experimentaram este tipo de oração diante, eles vão para baixo com
grande prazer e ficar no chão enquanto eles podem. Uma vez eu vi um jovem cair para trás na
horizontal, como se estivesse fazendo um mergulho de volta para a piscina. Ele saltou fora um
pequeno banco, caiu no chão com um estrondo terrível, e saltou para cima, completamente ileso.

Além de, o dom de línguas, os dons carismáticos são claramente dada para o bem dos outros.
Eles incluem a interpretação de línguas, profecia, cura, administração, a palavra da sabedoria, e o
ensino inspirado. Profecia pode existir em pessoas que não são santo em tudo. Um exemplo
clássico é o profeta Balaão, que profetizou que o rei queria ouvir e não o que Deus lhe havia
ordenado a dizer. Houve muitos falsos profetas nos tempos do Antigo Testamento. Desde dons
carismáticos são freqüentes em nosso tempo as pessoas tendem a ficar animado sobre eles, é
importante perceber que eles não são uma indicação tanto de santidade ou de uma fase avançada
da oração. Eles não são o mesmo que a oração contemplativa e não santificar automaticamente
as pessoas que os têm. Pelo contrário, se um está ligado a eles, eles são um obstáculo para um' é
o desenvolvimento espiritual. Mesmo no exercício dos dons carismáticos, programação
8
emocional está no trabalho. De acordo com a tradição católica, o caminho reto e estreito da
oração contemplativa é o caminho mais seguro e mais seguro para a santidade. Os dons
carismáticos são acidentais ou secundária para esse caminho. Obviamente, se um tem tais dons, é
preciso integrá-los na jornada espiritual de um. Mas se não tê-los, não há nenhuma razão para
pensar que não está progredindo. O processo de transformação depende do crescimento da fé,
esperança e amor divino. A oração contemplativa é o fruto do que o crescimento e promove-lo.
Neste momento, a renovação carismática está em grande necessidade do ensinamento tradicional
da Igreja em oração contemplativa para que grupos de oração carismáticos podem passar para
uma nova dimensão na sua relação com o Espírito Santo. Eles devem introduzir períodos de
silêncio para as reuniões de oração para que a oração compartilhada torna-se fundamentada na
prática do silêncio interior e da contemplação. Há um movimento para fazer precisamente isso
em muitos grupos de oração. Se este desenvolvimento não acontecer, os grupos de risco
estagnação. Nada pode ficar parado na jornada espiritual. Estes grupos precisam do maior
crescimento que a prática da oração contemplativa se destina a fornecer.

A terceira coisa que a oração contemplativa não é é fenômenos parapsicológicos tais como
premonição, conhecimento de eventos à distância, controle sobre corporais, tais como batimento
cardíaco e respiração, out-of-body experiências, levitação, e outros fenômenos sensoriais ou
psíquicos extraordinários. O nível psíquico de consciência é um nível acima do estágio egóico
mental, que é o nível geral de desenvolvimento humano presente.

Em qualquer caso, os fenômenos psíquicos são como o glacê sobre um bolo e não podemos
sobreviver com geada sozinho. Não devemos superestimar dons psíquicos, portanto, ou pensar
que a santidade manifesta-se em fenômenos psíquicos extraordinários. Tais manifestações,
incluindo levitação, locuções e visões de vários tipos, têm sido sensacional na vida de alguns dos
santos. Teresa de Ávila e João da Cruz, por exemplo, teve essas experiências. A tradição cristã
tem consistentemente aconselhou evitando dons extraordinários quando possível, porque é difícil
permanecer humilde quando você os tem. A experiência ensina que quanto mais extraordinária
os presentes, o mais difícil é para ser retirado a partir deles. É fácil de tomar secreta satisfação no
fato de que Deus está dando-lhe presentes especiais, especialmente quando eles são óbvios para
os outros.

Tenho notado um aumento significativo no número de pessoas que experimentam dons psíquicos
nos últimos anos. Em apenas um ano, eu conheci seis pessoas com experiências fora do corpo.
Enquanto dormindo ou rezando, eles experimentaram deixando seu corpo e movendo-se em
torno da casa. Um homem que vive no Colorado se encontrou inconscientemente em sua antiga
casa em Massachusetts. Não importa como estes fenômenos parapsicológicos pode ser, não
devemos nos permitir ser puxado para fora do centro por eles ou se distrair de nosso tempo de
oração. Se esperarmos pacientemente o fenômeno vai passar. Se estamos fazendo oração
centrada, devemos retornar à palavra sagrada.

Na verdade, existem métodos para desenvolver o controle direto sobre as funções fisiológicas
como a respiração, batimentos cardíacos e temperatura corporal. Uma vez ouvi sobre um jovem
que estava lendo sobre respiração controlada. Embora ele sabia como parar de respirar,
infelizmente, ele tinha esquecido de ler o capítulo sobre como começar a respirar novamente. Ele
nunca acordou. Se você está interessado em fenômenos psíquicos, certifique-se de praticá-los
sob um mestre aprovado.

poderes fisiológicas ou psíquicas incomuns parecem ser as capacidades humanas inatas que
podem ser desenvolvidas por praticar certas disciplinas. Mas eles não têm nada a ver com

9
santidade ou o crescimento de nosso relacionamento com Deus. A considerá-los como um sinal
de grande desenvolvimento espiritual é um erro.

José de Cupertino, um frade franciscano, foi um dos levitadores mais sensacionais de todos os
tempos. Ele era muito apaixonado por Deus que em um período de sua vida quando ele ouviu a
palavra de Deus que ele iria começar a subir. Quando ele estava na igreja, ele iria até o teto. Este
foi um pouco perturbador para os outros irmãos da comunidade e para aqueles que vieram para o
culto. Um incidente que é bem autenticado vale a pena mencionar. Os frades estavam tentando
colocar uma enorme cruz no topo de uma torre de 100 pés na igreja. Como sempre acontece com
levitadores, Joseph soltou um grito de prazer durante a decolagem. Ele agarrou a cruz, que
pesava meia tonelada, voou para o topo da torre, colocá-lo no lugar e, em seguida, retornou à
Terra. Seus superiores tomou uma visão sombria de seu comportamento extraordinário e
ordenou-lhe para desistir. Há uma certa quantidade de auto no exercício de qualquer tipo de
presente sensacional, incluindo o mais espiritual. Quando José foi obrigado a parar levitando, ele
entrou em uma profunda depressão. No seu caso era claramente a noite do espírito. E isso é o
que fez dele um santo, não o seu vôo. Aviões e pássaros podem fazer isso.

Muitas vezes de undiscernable para os seres humanos, Deus permite que fenômenos
parapsicológicos para operar ou não operar, como lhe aprouver.

No século XIV Vincent Ferrer, um dos grandes trabalhadores maravilha de seu tempo, estava
pregando que o fim do mundo estava próximo. Em certa ocasião, um homem que estava sendo
levado para o enterro foi trazido para ele. Vincent estava pregando sua habitual mensagem do
fim do mundo, então ele tomou esta ocasião para alertar seus ouvintes que o mundo estava
chegando ao fim em breve, e dizer que como prova de seu aviso, ele elevaria esse homem dos
mortos. O homem morto se levantou. Mas o mundo não chegou ao fim. Toda profecia é
condicional. Deus não comprometer-se a acompanhar, através de suas ameaças. Ele reserva o
direito de mudar de idéia se as pessoas respondem ao alterar suas vidas. O profeta começa
frequentemente deixado prender o saco; que é um de seus riscos ocupacionais.

A quarta coisa a contemplação é não é fenômenos místicos. Por fenômenos místicos, quero dizer
corporal êxtase, visões externas e internas, palavras externas, as palavras faladas na imaginação e
palavras inculcou o espírito de alguém quando qualquer destes são a obra da graça especial de
Deus na alma. João da Cruz na subida para Mt. Carmelo considera todo fenômeno espiritual
concebível da mais exterior para o mais interior e comanda seus discípulos para rejeitar todos
eles. fé pura, segundo ele, é o meio imediata de união com Deus.

visões externas e vozes pode ser mal interpretado. Mesmo santos ter entendido mal o que Deus
lhes disse: comunicações Divinas de um tipo inteligível tem que ser filtrada através da psique
humana e um de condicionamento cultural. Em aqueles que são liderados por este caminho, tais
comunicações são provavelmente autêntica por oitenta cento do tempo, mas não autêntico outro
vinte por cento. Desde nunca se pode dizer qual porcentagem grupo uma comunicação particular,
pertence, se um segue estas comunicações sem critério, pode-se entrar em todos os tipos de
problemas. Não há garantia de que qualquer comunicação particular, a um indivíduo é realmente
proveniente de Deus. Mesmo que seja, é quase certo que ser distorcida pela imaginação, ideias
preconcebidas ou programação emocional, qualquer um dos quais pode modificar ou sutilmente
mudar a comunicação. A história de um santo que foi prometido por Deus que ela iria morrer
como um mártir é um exemplo clássico. Ela, de fato, uma morte santa, mas na cama. Como ela
estava morrendo, ela foi tentado a pensar: "Deus é fiel à sua promessa?" É claro que ele é fiel a
sua promessa. Mas ele não garante que o entendemos corretamente quando Ele se comunica no
nível da imaginação ou a razão. Deus fez com que ela morreria com o mesmo grau de amor
10
como um mártir de sangue. Seu martírio de consciência era o equivalente em seus olhos para o
martírio de sangue. Deus não comprometer-se com a interpretação literal das Suas mensagens.
Se tomarmos literalmente o que é dito, mesmo quando o que entendemos ser uma voz do céu nos
ordens para fazê-lo, nós tem uma boa chance de enganar a nós mesmos. Se pudéssemos retornar
à palavra sagrada,

Todos os sacramentos são maiores do que qualquer visão. Isso não quer dizer que as visões não
podem ter um propósito em nossas vidas, mas como João da Cruz prega, uma comunicação
genuína de Deus realiza seu propósito instantaneamente. Refletindo sobre ele não torná-lo
melhor - mas muitas vezes distorce - ao perder sua clareza originais. Isso não impede que um de
mencioná-lo a um diretor espiritual prudente ter certeza de não se levar tão a sério ou muito
levemente Se um é dito por Deus para fazer alguma coisa, é especialmente importante para não
fazer nada sem antes discernir o assunto com cuidado com um diretor espiritual experiente.

Muito mais confiável do que visões, locuções, ou o processo de raciocínio são as impressões
internas que o Espírito sugere na oração e ao qual nos sentimos suavemente, mas de forma
consistente inclinado. O mais importante do evento, mais temos para ouvir o som razão e
consultar um diretor espiritual vontade de Deus nem sempre é fácil discernir; temos a observar
todas as indicações de que e depois decidir. Na luta pela certeza no entanto, percebe-se mais
claramente quais são os obstáculos em nós mesmos para reconhecer a Sua vontade.

Chegamos agora à questão de graças místicas. Eles são os mais difíceis de distinguir, porque eles
estão tão entrelaçadas com a nossa psique. Por graças místicas quero dizer o influxo da presença
de Deus em nossas faculdades ou o brilho de sua presença quando se espontaneamente nos
ultrapassa. Os níveis de oração mística têm sido bem descrito por Teresa de Ávila e João da
Cruz. Eles incluem lembrança infundido, a oração do silêncio, a oração de união, a oração de
união plena e, finalmente, a união transformadora. Eu prefiro usar a contemplação termos e
misticismo para significar a mesma coisa e para distinguir graças místicas da essência da oração
mística. É possível ser um contemplativo e atingir a união transformadora, sem passar pela
experiência das graças místicas que acabamos de descrever?

Esta é uma questão que tem me intrigado ao longo dos anos porque a contemplação como a
experiência do influxo da graça de Deus tem sido geralmente considerado um sinal necessário do
dom da oração contemplativa. No entanto, continuo a conhecer pessoas que estão muito
avançadas na jornada espiritual que insistem que eles nunca tiveram a graça da oração
contemplativa como uma experiência sentida de Deus. Tendo passado trinta ou quarenta anos em
um mosteiro ou convento para se tornar contemplativos, algumas dessas pessoas são tentadas às
vezes sentem que suas vidas têm sido um fracasso gigantesco. Eles acabam em seus anos
sessenta ou setenta acreditando que uma vez que eles nunca tiveram tal experiência, eles devem
ter feito algo errado.

As primeiras vezes que eu ouvia as experiências dessas pessoas, eu pensei que talvez eles nunca
tinham sido devidamente instruídos na oração contemplativa, ou talvez eles tinham recebido
toques de que em sua vida religiosa cedo e quer se esqueceram dele ou me acostumei com isso.
Mas, desde então, mudei de idéia. Estou convencido de que é um erro para identificar a
experiência da oração contemplativa com a própria oração contemplativa, que transcende
qualquer impressão de irradiação de Deus ou a presença influxo. Tive o prazer de ver a minha
experiência articulada por Ruth Burroughs, uma freira carmelita que viveu sua vida religiosa sem
qualquer consciência experiencial do brilho da presença de Deus. Em Diretrizes para oração
mística, ela propõe a distinção de luzes sobre misticismo e luzes apagadas misticismo. Isso
explicaria como, para muitas pessoas, toda a sua jornada contemplativa é completamente
11
escondido deles até sua transformação final. Esta freira carmelita tinha dois amigos, um com
uma vida mística muito exuberante, numa ordem ativa ea outra uma freira em seu próprio
convento de clausura que nunca tinha gostado de qualquer experiência consciente da oração
contemplativa, embora ela fielmente tinha praticado a disciplina da oração contemplativa para
quarenta anos. Ambos acabou em união transformadora. Ruth Burroughs extrapola essa graça
mística pode ser um carisma que alguns místicos são dadas a fim de explicar o caminho
espiritual para os outros. Em qualquer caso, sua hipótese se baseia na suposição de que a
essência do misticismo é o caminho da pura fé. fé pura, de acordo com João da Cruz, é um raio
de escuridão para a alma. Não há nenhuma faculdade que pode percebê-lo. Um pode ter essa "

Qual é a essência da oração contemplativa? O caminho da pura fé. Nada mais. Você não tem que
sentir isso, mas você tem que praticá-la.

12
2Dimensions capítulo de oração contemplativa

A oração contemplativa é o mundo em que Deus pode fazer qualquer coisa. Para mover-se em
que reino é a maior aventura. É estar aberto para o infinito e, portanto, possibilidades infinitas.
Nossas auto feita mundos privados chegado ao fim; um novo mundo aparece dentro e em torno
de nós e o impossível se torna uma experiência diária. No entanto, o mundo que a oração revela
é pouco perceptível no curso normal dos acontecimentos.

vida e crescimento cristão está fundada na fé em nossa própria bondade fundamental, no ser que
Deus nos deu com o seu potencial transcendente. Este dom de ser é o nosso verdadeiro Self.
Através do nosso consentimento pela fé, Cristo nasce em nós e Ele e nosso verdadeiro Eu se
tornar um. Nosso despertar para a presença e acção do Espírito é o desdobramento da
ressurreição de Cristo em nós.

Toda verdadeira oração é baseada na convicção da presença do Espírito em nós e de sua


inspiração inesgotável e contínua. Toda oração neste sentido é a oração no Espírito. Ainda assim,
parece mais preciso reservar a oração prazo no Espírito, para que a oração na qual a inspiração
do Espírito é dada diretamente ao nosso espírito, sem intermédio de nossas próprias reflexões ou
atos de vontade. Em outras palavras, o Espírito ora em nós e nós consente. O termo tradicional
para este tipo de oração é a contemplação.

Devemos distinguir oração contemplativa da vida contemplativa. O primeiro é uma experiência


ou série de experiências que levam ao estado permanente de união com Deus. A vida
contemplativa termo deve ser reservado para o estado permanente da própria união divina, em
que um é movido tanto na oração e na ação do Espírito.

A raiz da oração é o silêncio interior. Podemos pensar na oração como pensamentos ou


sentimentos expressos em palavras, mas esta é apenas uma das suas formas. "Oração", de acordo
com Evágrio, "é o abandono de pensamentos". 1Esta definição pressupõe que há pensamentos. A
oração contemplativa não é tanto a ausência de pensamentos como descolamento deles. É a
abertura de mente e coração, corpo e emoções - todo o nosso ser - a Deus, o Mistério Ultimate,
além das palavras, pensamentos e emotions-- além, em outras palavras, o conteúdo psicológico
do momento presente. Não negamos ou reprimir o que está em nossa consciência. Nós
simplesmente aceitar o fato de tudo o que está lá e ir além dele, não pelo esforço, mas, deixando
de ir tudo o que está lá.

De acordo com o Catecismo Baltimore, "A oração é a elevação da mente e do coração para
Deus." Em usando esta fórmula antiga, é importante ter em mente que não somos nós que
fazemos o levantamento. Em cada tipo de oração a elevação da mente e do coração para Deus
pode ser obra única do Espírito. Na oração inspirada pelo Espírito nos deixamos fluir com o
movimento de elevação e soltar toda a reflexão. A reflexão é uma preliminar importante para a
oração, mas não é oração. A oração não é apenas a oferta dos atos interiores a Deus: é a oferta de
nós mesmos, de quem eo que somos.

A ação do Espírito pode ser comparado a uma enfermeira hábil ensinar os filhos adotivos de uma
família rica como se comportar em sua nova casa. Como waifs puxado da rua e sentado à mesa
do banquete no elegante salão de jantar, que exigem um monte de tempo para aprender e praticar
as maneiras à mesa. Por causa do nosso fundo da terra, temos a tendência de colocar os pés
13
enlameados em cima da mesa, quebrar o louças e derramar a sopa no nosso colo. Para assimilar
os valores da nossa nova casa, mudanças profundas em nossas atitudes e padrões de
comportamento são necessários. Por esta razão, pode experimentar a nossa enfermeira como
constrangimento no início e pesado sobre os "nãos". E ainda assim ela sempre parece ser
encorajador no meio de correção; Nunca condenatória, não julgamento, sempre convidando-nos
a alteração da vida.

Nossa participação neste processo educacional é o que a tradição cristã chama de auto-negação.
Jesus disse: "A menos que você negar o seu íntimo mesmo e tomar a cruz, não pode ser meu
discípulo." (Mark 08:34) Negação de nossa auto íntima inclui separação do habitual
funcionamento do nosso intelecto e vontade, que são as faculdades íntimos. Isso pode exigir
deixar ir não só de pensamentos comuns durante a oração, mas também para as nossas reflexões
mais devotos e aspirações na medida em que podemos tratá-los como meios indispensáveis de ir
a Deus.

A natureza da mente humana é simplificar o que pensa. Assim, um único pensamento pode
resumir uma imensa riqueza de reflexão. O pensamento se torna uma presença, um ato de
atenção, em vez de de compreensão. Se aplicarmos este princípio à pessoa de Jesus, podemos ver
que esse tipo de atenção não faz de forma alguma excluir sua humanidade Nossa atenção é
simplesmente dado à presença de Jesus, o ser divino-humano, sem adverting a qualquer detalhe
específico da sua pessoa.

A oração contemplativa é parte de um processo dinâmico que evolui através de relacionamento


pessoal e não por estratégia. Ao mesmo tempo, uma quantidade razoável de organização em sua
oração e estilo de vida avança o processo, assim como saudáveis alimentação e exercício ajuda
os jovens crescer até a maturidade física.

Um dos primeiros efeitos da oração contemplativa é a liberação das energias do inconsciente.


Este processo dá origem a dois estados psicológicos diferentes: a experiência de
desenvolvimento pessoal na forma de consolo espiritual, dons carismáticos ou poderes psíquicos;
ea experiência da fraqueza humana através do auto-conhecimento humilhante. O auto-
conhecimento é o termo tradicional para a tomada de consciência do lado escuro da
personalidade. A liberação desses dois tipos de energias inconscientes precisa de ser
salvaguardado por hábitos bem estabelecidos de dedicação a Deus e preocupação com os outros.
Caso contrário, se um goza de alguma forma de consolo ou desenvolvimento pode-se inflam com
orgulho espiritual; ou se a pessoa se sente esmagada pela percepção de empobrecimento
espiritual de um, um pode entrar em colapso no desânimo ou até mesmo desespero.

Dedicação a Deus é desenvolvido pelo compromisso com um de práticas espirituais por amor de
Deus. O serviço ao próximo é o movimento de saída do coração motivada por compaixão. Ele
neutraliza a tendência profundamente enraizada para tornar-se preocupado com a nossa própria
jornada espiritual e como estamos fazendo. O hábito de serviço aos outros é desenvolvido por
tentando agradar a Deus naquilo que fazemos e pelo exercício compaixão pelos outros,
começando com aqueles com quem vivemos. Para aceitar todos incondicionalmente é cumprir o
mandamento de "amar o próximo como a si mesmo:. (Marcos 12:31) É uma forma prática de
carregar os fardos uns dos outros (Gálatas 6: 2) Recusando-se a julgar, mesmo em face de
perseguição é para cumprir o mandamento de amar uns aos outros "como eu vos amei" (João
13:34) e estabelecer um s vida pelos seus amigos. (João 15:13)

Hábitos de dedicação a Deus e de serviço aos outros formam os dois lados de um canal através
do qual as energias do inconsciente podem ser liberados sem submergir a psique nas enchentes
14
de emoções caóticas. Pelo contrário, quando estas energias fluem de forma ordenada entre os
bancos de dedicação e serviço, eles vão levantar-nos para níveis mais elevados de percepção
espiritual, compreensão e amor altruísta.

Estas duas disposições de estabilização preparar o sistema nervoso e do corpo para receber a
purificação e luz santificadora do Espírito. Eles nos permitem discernir os pensamentos e
emoções que possam surgir antes que eles atinjam o estágio de apego ou quase compulsão.
Como a independência da escravidão dos pensamentos e desejos cresce habituais, somos capazes
de entrar em oração contemplativa com uma mente tranquila.

O desapego é o objetivo da auto-negação. É a atitude não possessivo para toda a realidade, a


disposição que ataca a raiz do sistema de auto falsa. O falso eu é uma ilusão monumental, uma
carga de padrões de pensamento habituais e rotinas emocionais que estão armazenadas no
cérebro e sistema nervoso. Como programas em um computador, eles tendem a reativar cada vez
que uma situação de vida particular, aperta o botão apropriado. O falso eu mesmo insinua que
seus propósitos sutis são religiosamente motivado. atitudes religiosas genuínas vêm de Deus, não
a partir do falso self. Por meio da oração contemplativa do Espírito cura as raízes do
egocentrismo e torna-se a fonte de nossa atividade consciente. A agir espontaneamente sob a
influência do Espírito, e não sob a influência do falso self, a programação emocional do passado
tem que ser apagado e substituído. A prática da virtude é o termo tradicional para apagar os
antigos programas e escrever novos programas com base nos valores do Evangelho.

Jesus na Sua divindade é a fonte de contemplação. Quando a presença do Divino é


experimentada como esmagadora, somos interiormente compelido a contemplar. Tal era a
situação dos apóstolos no monte Tabor quando testemunharam a glória de Deus brilhando
através da humanidade de Jesus. Eles caíram sobre os seus rostos. Nossas experiências de Deus,
no entanto, não são Deus como Ele é em Si mesmo. Deus como Ele é em Si mesmo não pode ser
experimentado empiricamente, conceitualmente ou espiritualmente. Ele está além de
experiências de qualquer tipo. Isso não significa que Ele não está em experiências sagradas, mas
que Ele transcende. Para colocar essa percepção de uma outra forma, Ele nos leva, por meio de
experiências sagradas para a experiência do vazio. Qualquer coisa que percebemos de Deus só
pode ser um brilho de Sua presença e não Deus como Ele próprio é. Quando a luz divina atinge a
mente humana, se decompõe em muitos aspectos apenas como um raio de luz comum, quando se
atinge um prisma, se decompõe em cores variadas do espectro. Não há nada de errado com
distinguir diferentes aspectos do Mistério Ultimate, mas seria um erro para identificá-los com a
luz inacessível. A atração de deixar ir de consolação espiritual, a fim de deixar Deus agir com
total liberdade é a atração persistente do Espírito. Quanto mais se deixa ir, mais forte a presença
do Espírito se torna. O mistério final torna-se o final Presença. A atração de deixar ir de
consolação espiritual, a fim de deixar Deus agir com total liberdade é a atração persistente do
Espírito. Quanto mais se deixa ir, mais forte a presença do Espírito se torna. O mistério final
torna-se o final Presença. A atração de deixar ir de consolação espiritual, a fim de deixar Deus
agir com total liberdade é a atração persistente do Espírito. Quanto mais se deixa ir, mais forte a
presença do Espírito se torna. O mistério final torna-se o final Presença.

O Espírito fala à nossa consciência através de escritura e através dos acontecimentos da vida
diária. Reflexão sobre estas duas fontes de encontro pessoal e o desmantelamento da
programação emocional do passado preparar a psique para ouvir em níveis mais refinados de
atenção. O Espírito, em seguida, começa a dirigir a nossa consciência de que fonte profunda
dentro de nós que é o nosso verdadeiro Eu. Esta é a contemplação propriamente dita.

15
Este padrão é exemplificado na Transfiguração. Jesus tomou consigo os três discípulos que
estavam melhor preparados para receber a graça da contemplação; isto é, os que tinham feito o
mais progresso em mudar seus corações. Deus se aproximou deles através de seus sentidos por
meio da visão na montanha. No início, eles eram intimidados e encantado. Peter queria
permanecer lá para sempre. De repente, uma nuvem cobriu, escondendo a visão e deixando seus
sentidos vazia e tranquila, mas atenta e alerta. O gesto de cair em seus rostos expressa com
precisão seu estado de espírito. Era uma postura de adoração, gratidão e amor, tudo em um. A
voz do céu despertou sua consciência para a presença do Espírito, que estava sempre falando
dentro deles, mas quem até lá eles nunca tinha sido capaz de ouvir. Seu vazio interior foi
preenchido com a presença luminosa do divino. No toque de Jesus voltaram para suas
percepções comuns e vi como ele era antes, mas com a consciência transformada de fé. Eles já
não o via como um mero ser humano. Suas faculdades receptivas e ativas foram unificadas pelo
Espírito; a palavra interior e exterior de Deus tornou-se um. Para aqueles que alcançaram esta
consciência, a vida diária é uma revelação contínua e crescente de Deus. As palavras que se
ouvem na Escritura e na liturgia confirmar o que aprenderam através da oração que é
contemplação. Eles já não o via como um mero ser humano. Suas faculdades receptivas e ativas
foram unificadas pelo Espírito; a palavra interior e exterior de Deus tornou-se um. Para aqueles
que alcançaram esta consciência, a vida diária é uma revelação contínua e crescente de Deus. As
palavras que se ouvem na Escritura e na liturgia confirmar o que aprenderam através da oração
que é contemplação. Eles já não o via como um mero ser humano. Suas faculdades receptivas e
ativas foram unificadas pelo Espírito; a palavra interior e exterior de Deus tornou-se um. Para
aqueles que alcançaram esta consciência, a vida diária é uma revelação contínua e crescente de
Deus. As palavras que se ouvem na Escritura e na liturgia confirmar o que aprenderam através da
oração que é contemplação.

__________________

1. Evagrius, De Oratione 70 (PG 70, 1181C).

16
Capítulo 3 A história da oração contemplativa na tradição cristã

Uma atitude positiva em relação à contemplação caracterizou os primeiros quinze séculos da era
cristã. Infelizmente, uma atitude negativa tem prevalecido desde o século XVI em diante. Para
entender a situação em que nos encontramos nossas igrejas hoje em relação à experiência
religiosa, uma visão geral da história da oração contemplativa pode ser útil.

A palavra contemplação é um termo ambíguo porque ao longo dos séculos, adquiriu vários
significados diferentes. Para enfatizar o conhecimento experimental de Deus, a Bíblia grega usou
a palavra gnosis para traduzir o Da'ath hebraico, um termo muito mais forte que implica um tipo
íntimo de conhecimentos envolvendo toda a pessoa, não apenas a mente.

St. Paul usou a palavra gnosis em suas Epístolas para se referir ao conhecimento de Deus
adequada para aqueles que o amam. Ele constantemente solicitado para este conhecimento
íntimo de seus discípulos e orou para ele como se fosse um elemento indispensável para o pleno
desenvolvimento da vida cristã.

Os Padres gregos, especialmente Clemente de Alexandria, Orígenes e Gregório de Nissa,


emprestados dos neoplatônicos o termo Theoria. Esta originalmente significava a visão
intelectual da verdade, que os filósofos gregos considerada como a atividade suprema da pessoa
de sabedoria. Para este termo técnico Padres acrescentou o significado da Da'ath hebraico, ou
seja, o tipo de conhecimento experiencial que vem através do amor. Foi com essa compreensão
ampliada do termo que theoria foi traduzido para o contemplatio Latina e transmitida a nós na
tradição cristã.

Esta tradição foi resumida por Gregório Magno no final do século VI, quando ele descreveu
contemplação como o conhecimento de Deus que é impregnado com amor. Para Gregory, a
contemplação é o fruto da reflexão sobre a palavra de Deus na Escritura e ao mesmo tempo um
dom de Deus. É um descanso em Deus. Neste repouso ou quietude da mente e do coração não
estão procurando ativamente Ele, mas estão começando a experiência, a gosto, o que eles têm
procurado. Isto coloca-los em um estado de tranquilidade e paz profunda interior. Este estado
não é a suspensão de toda a ação, mas a mistura de algumas simples atos de vontade para
sustentar a atenção para Deus com a experiência amorosa da presença de Deus.

Este significado da contemplação como o conhecimento de Deus com base na experiência íntima
de sua presença permaneceu o mesmo até o final da Idade Média. disciplinas ascéticas foram
sempre dirigida para a contemplação como a meta adequada de toda prática espiritual.

O método de oração proposta para leigos e monges iguais nos primeiros séculos da era cristã foi
chamada lectio divina, literalmente, "leitura divina", uma prática que envolveu a leitura escritura,
ou mais exatamente, ouvi-la. Monges iria repetir as palavras do texto sagrado com os lábios de
modo que o próprio corpo inseridos no processo. Eles procuraram a cultivar através da lectio
divina a capacidade de ouvir em níveis cada vez mais profundos de atenção para dentro. A
oração era a sua resposta a Deus, de quem eles estavam ouvindo em escritura e dando louvor na
liturgia.

17
A parte reflexiva, refletindo sobre as palavras do texto sagrado, foi chamado meditatio,
"meditação". O movimento espontâneo da vontade em resposta a estas reflexões foi chamado
oratio, "oração afetiva". Como estas reflexões e atos de vontade simplificada, um mudou-se para
um estado de repouso na presença de Deus, e que é o que se entende por cantemplatio,
"contemplação".

Estes três atos - meditação discursiva, oração afetiva e contemplação - tudo pode ter lugar
durante o mesmo período de oração. Eles foram entrelaçadas uma na outra. Como os anjos
subindo e descendo na escada de Jacó, era esperada a atenção para subir e descer a escada da
consciência. Às vezes, seria de louvar ao Senhor com os lábios, às vezes com seus pensamentos,
às vezes com atos de vontade, e às vezes com a atenção extasiada de contemplação.
Contemplação foi considerado como o desenvolvimento normal da escuta da palavra de Deus. A
aproximação a Deus não foi compartimentada em meditação discursiva, oração afetiva e
contemplação. A oração mental prazo, com suas categorias distintas, não existia na tradição
cristã antes do século XVI.

Em torno do século XII um desenvolvimento acentuado no pensamento religioso ocorreu. foram


fundadas as grandes escolas de teologia. Era o nascimento da análise precisa no que diz respeito
aos conceitos, divisão em gêneros e espécies, e definições e classificações. Esta capacidade
crescente para análise foi um desenvolvimento significativo da mente humana. Infelizmente esta
paixão para análise na teologia mais tarde viria a ser transferido para a prática da oração e pôr
fim a oração simples e espontânea da Idade Média com base na lectio divina com a sua, abertura
para a contemplação. mestres espirituais do século XII, como Bemard de Clairvaux, Hugo e
Ricardo de São Vítor, e William de S. Thierry, estavam desenvolvendo uma compreensão
teológica de oração e contemplação.

Durante os séculos XIV e XV, a peste negra e da Guerra dos Cem Anos dizimado cidades, vilas e
comunidades religiosas, enquanto o nominalismo e o Grande Cisma trouxe em uma decadência
geral na moral e espiritualidade. Um movimento de renovação, chamado Devotio Moderna,
surgiu nos Países Baixos por volta de 1380 e se espalhou para a Itália, França e Espanha, em
resposta à necessidade generalizada de reforma. Numa época em que as instituições e as
estruturas de todos os tipos estavam desmoronando, o movimento de Devotio Moderna procurou
utilizar o poder moral emissão da oração como um meio de auto-disciplina. Até o final do século
XV, foram elaborados métodos de oração mental, propriamente dita, tornando-se mais e mais
complicado e sistematizada o passar do tempo. Mas mesmo quando essa proliferação de métodos
sistemáticos de oração estava ocorrendo,

À medida que o século XVI avançava, oração mental passou a ser dividido em meditação
discursiva se os pensamentos predominou; oração afetiva se a ênfase era sobre atos da vontade; e
contemplação se graças infundidas por Deus foram predominantes. meditação discursiva, oração
afetiva e contemplação já não eram atos diferentes encontrados em um único período de oração,
mas distintas formas de oração, cada um com sua própria adequada objetivo, método e propósito.
Esta divisão do desenvolvimento da oração em unidades compartimentadas inteiramente
separados um do outro ajudou a promover a noção incorreta de que a contemplação era uma
graça extraordinária reservada a uns poucos. A possibilidade de oração de abertura para fora em
contemplação tende a ser considerada muito improvável.

Ao mesmo tempo que a tradição viva da contemplação cristã estava diminuindo, a Renascença
trouxe novos desafios para a vida espiritual. Já não eram o meio social e instituições religiosas de
apoio do indivíduo. Havia a necessidade de reconquistar o mundo para Cristo em face dos
elementos pagãos que estavam a tomar sobre a cristandade. Não era de estranhar que as novas
18
formas de oração deve parecer que receberam a ordem de um ministério apostólico A nova
ênfase na vida apostólica necessário uma transformação das formas de espiritualidade até então
transmitidas por monges e mendigos. O gênio e experiência contemplativa de Inácio de Layola
levou a canalizar a tradição contemplativa, que estava em perigo de ser perdida, em uma forma
apropriada para a nova era.

Os Exercícios Espirituais de Santo Inácio, compostas entre 1522 e 1526, é extremamente


importante a fim de compreender o estado actual da espiritualidade na Igreja Católica Romana.
Três métodos de oração são propostas nos Exercícios Espirituais. As meditações discursivas
previstas para a primeira semana são feitas de acordo com o método dos três poderes: memória,
inteligência e da vontade. A memória é de recordar o ponto escolhido de antemão como o
assunto da meditação discursiva. O intelecto é refletir sobre as lições que se quer chamar a partir
desse ponto. A vontade é fazer resoluções com base nesse ponto, a fim de colocar as lições em
prática. Assim, somos levados a reforma da vida.

A palavra contemplação, como ele é usado nos Exercícios Espirituais, tem um significado
diferente do tradicional. Trata-se de olhar em cima de um objeto concreto da imaginação: ver as
pessoas no Evangelho como se estivessem presentes, ouvindo o que eles estão dizendo, se
relacionar e responder às suas palavras e ações. Este método, previsto para a segunda semana,
visa desenvolver oração afetiva.

O terceiro método de oração nos Exercícios Espirituais é chamado a aplicação dos cinco
sentidos. Ele consiste em aplicar sucessivamente em espírito os cinco sentidos para o sujeito da
meditação. Este método é projetado para eliminar os iniciantes a contemplação no sentido
tradicional do termo e para desenvolver os sentidos espirituais em aqueles que já estão
avançados em oração.

Assim, Inácio não propor apenas um método de oração A tendência infeliz para reduzir os
Exercícios Espirituais a um método de meditação discursiva parece resultar dos próprios jesuítas.
Em 1574 Everaud Mercurian, o Padre Geral dos jesuítas, numa directiva para a província
espanhola da Sociedade, proibiu a prática da oração afetiva e a aplicação dos cinco sentidos. Esta
proibição foi repetido em 1578. A vida espiritual de uma porção significativa da Sociedade de
Jesus foi, assim, limitada a um único método de oração, nomeadamente, meditação discursiva de
acordo com as três potências. O caráter predominantemente intelectual dessa meditação
continuou a crescer em importância ao longo da Sociedade durante o curso dos séculos XVIII e
XIX.

Para compreender o impacto desta evolução sobre a história recente da espiritualidade católica
romana, devemos ter em mente a influência penetrante que os jesuítas exercida como os
destacados representantes da Contra-Reforma. Muitas congregações religiosas fundadas nos
séculos seguintes esse período adoptou as Constituições da Companhia de Jesus. Eles receberam
ao mesmo tempo a espiritualidade ensinada e praticada pela Sociedade Portanto, eles também
receberam as limitações não impostas por Inácio, mas por seus sucessores menos esclarecidos.

Inácio quis fornecer uma formação espiritual que era um antídoto adequado ao novo espírito
secular e individualista do Renascimento e uma forma de oração contemplativa adaptado às
necessidades apostólicas do seu tempo. Os Exercícios Espirituais foram projetados para formar
contemplativos na ação. Considerando a influência da Sociedade para o bem, se é membros tinha
sido autorizado a seguir os Exercícios Espirituais de acordo com a intenção original de Inácio, ou
se tivessem dado mais destaque a seus senhores contemplativas como Padres Lallemant, Surin,

19
Grou e de Caussade , o presente estado de espiritualidade entre católicos romanos pode ser bem
diferente.

Outros eventos contribuíram para a hesitação das autoridades católicas romanas para incentivar a
oração contemplativa. Uma delas foi a controvérsia sobre quietismo, um conjunto de
ensinamentos espirituais condenados em 1687 como uma espécie de falso misticismo por
Inocêncio XII. Os ensinamentos condenados eram engenhosos. Eles consistiu em fazer uma vez
por todas um ato de amor a Deus pelo qual se deu-se inteiramente a Ele, com a intenção de
nunca recordar esta rendição. Enquanto nunca retirou a intenção pertencer completamente a
Deus, união divina foi assegurado e não mais necessidade de esforço seja em oração ou fora dela
foi exigido. A distinção importante entre fazer uma intenção de uma só vez (no entanto generoso)
e estabelecendo-o como uma disposição permanente parece ter passado despercebido. A forma
mais branda desta doutrina floresceu na França na última parte do século XVII e tornou-se
conhecido como Semi-quietismo. Bishop Boussuet, capelão da corte de Luís XIV, foi um dos
principais inimigos desta forma atenuada de quietismo e conseguiu tê-lo condenado na França.
Quanto ele exagerou o ensino é difícil de determinar. Em qualquer caso, a controvérsia trouxe
misticismo tradicional em descrédito. A partir de então, a leitura sobre misticismo foi
desaprovada nos seminários e comunidades religiosas. De acordo com Henri Bremond em seu
livro A história literária do pensamento religioso na França, nenhuma escrita mística de qualquer
significado ocorreu durante os próximos cem anos. Os escritores místicos do passado foram
ignorados. Mesmo passagens de João da Cruz foram pensados para ser sugestivo de quietismo,
forçando seus editores para suavizar ou eliminar certas declarações para não serem mal
compreendidas e condenados. O texto não expurgada de seus escritos apareceu somente em
nosso século, quatrocentos anos depois de sua escrita.

Uma outra set-back para a espiritualidade cristã era a heresia do jansenismo, que ganhou força
durante o século XVII Embora, também, acabou por ser condenado, ele deixou para trás uma
atitude anti-humano penetrante que perdurou ao longo do século XIX e em nosso próprio tempo .
Jansenismo questiona a universalidade da ação salvífica de Jesus, bem como a bondade
intrínseca da natureza humana. A forma pessimista de piedade que promoveu espalhar com os
emigrantes da Revolução Francesa para regiões de língua Inglês incluindo a Irlanda e os Estados
Unidos. Uma vez que é em grande parte do estoque francês e irlandês que padres e religiosos
neste país vieram, estreiteza jansenista, juntamente com seu ascetismo distorcida, tem afetado
profundamente o clima psicológico de nossos seminários e ordens religiosas.

Outra tendência doentia na Igreja modem foi a ênfase excessiva em devoções particulares,
aparições e revelações privadas. Isto levou à desvalorização da liturgia juntamente com os
valores comunitários e senso de mistério transcendente que boa liturgia engendra. A mente
popular continuaram a considerar contemplativos como santos, trabalhadores maravilha, ou, no
mínimo, pessoas excepcionais. A verdadeira natureza da contemplação permaneceu obscuro ou
confundida com fenômenos como levitação, locuções, estigmas e visões, que são estritamente
acidental a ele.

Durante o século XIX, havia muitos santos, mas poucos falaram ou escreveram sobre a oração
contemplativa. Houve uma renovação da espiritualidade na ortodoxia oriental, mas o mainstream
do desenvolvimento Católica Romana era legalista no caráter, com uma espécie de nostalgia da
Idade Média e para a influência política que a Igreja exercia na época. Abade Cuthbert Butler
resume o ensinamento ascético geralmente aceite durante os séculos XVIII e XIX, em seu livro
ocidental Misticismo.

20
Exceto pelas vocações muito incomuns, a oração normal para todos, incluindo monges
contemplativos e freiras, bispos, sacerdotes e leigos era meditação sistemática seguindo um
método fixo, que poderia ser um dos quatro: a meditação de acordo com os três poderes, tal
como previsto no Espiritual exercícios de Santo Inácio, o método de Santo Afonso (que foi uma
ligeira reformulação dos exercícios Espirituais), o método descrito por São Francisco de Sales
em uma Introdução à vida devota, ou o método de St. Sulpice.

Estes são todos os métodos de meditação discursiva. Contemplação foi identificado com
fenômenos extraordinários; e foi considerado como tanto milagrosa e perigoso, para ser
admirado a partir de uma distância segura pelo leigo médio, padre ou religioso.

O último prego martelado no caixão do ensino tradicional era que seria arrogante aspirar a
oração contemplativa. Noviços e seminaristas foram assim apresentados com uma visão
altamente truncada da vida espiritual, que não estavam de acordo com a escritura, a tradição e a
experiência normal de crescimento em oração. Se alguém tenta perseverar na meditação
discursiva depois que o Espírito Santo tem chamado um além dele, como o Espírito ou
normalmente faz, um é obrigado a acabar em um estado de total frustração. É normal que a
mente para mover através de muitas reflexões sobre o mesmo tema a uma única visão abrangente
do todo, em seguida, para descansar com um simples olhar sobre a verdade. Como as pessoas
devotas se mudou espontaneamente a este desenvolvimento na sua oração, eles eram contra essa
atitude negativa em relação a contemplação. Eles hesitaram em ir além de meditação discursiva
afetivo oração por causa das advertências que tinha sido dado sobre os perigos de contemplação.
No final, eles quer desistiu oração mental completamente como algo para o qual eles eram
evidentemente inadequada, ou, pela misericórdia de Deus, encontrado alguma forma de
perseverar apesar do que parecia ser obstáculos intransponíveis.

Em qualquer caso, o ensino pós-Reforma oposição a contemplação era o oposto direto da


tradição anterior. Essa tradição, ensinou ininterruptamente durante os primeiros quinze séculos,
considerou que a contemplação é a evolução normal de uma vida espiritual genuína e, portanto,
está aberto a todos os cristãos. Estes fatores históricos pode ajudar a explicar como a
espiritualidade tradicional do Ocidente passou a ser perdido nos últimos séculos e por que o
Vaticano II teve que dirigir-se ao problema agudo de renovação espiritual.

Há duas razões que a oração contemplativa está recebendo uma atenção renovada no nosso
tempo. Uma delas é que os estudos históricos e teológicos redescobriram o ensino integral João
da Cruz e outros mestres da vida espiritual. O outro é o desafio pós II Guerra Mundial do
Oriente. Métodos de meditação semelhante à oração contemplativa na tradição cristã têm
proliferado, produzido bons resultados, e recebeu muita publicidade É importante, de acordo
com a Declaração sobre a relação da Igreja com as religiões não cristãs (Vaticano II), para
apreciar os valores que estão presentes nos ensinamentos das outras grandes religiões do mundo.
As disciplinas espirituais do Oriente possuem uma sabedoria psicológica altamente
desenvolvido. líder e professores cristãos precisam saber algo sobre eles, a fim de atender às
pessoas onde elas estão hoje. Muitos candidatos sérios de verdade estudar as religiões orientais,
fazer cursos neles na faculdade ou pós-graduação escola, e as formas de prática de meditação
inspirou e ensinou por mestres orientais.

O renascimento da teologia mística na Igreja Católica Romana começou com a publicação dos
graus da vida espiritual por Abbe Saudreau em 1896. Ele baseou sua pesquisa sobre o ensino de
João da Cruz. Estudos posteriores confirmaram a sabedoria de sua escolha. João da Cruz ensina
que a contemplação começa com o que ele chama a noite de sentido. Esta é uma terra não-mans
entre a própria atividade e a inspiração direta do Espírito Santo em que se torna quase impossível
21
pensar pensamentos que despertam a devoção sensível. Esta é uma experiência comum entre
aqueles que têm praticado meditação discursiva durante um período prolongado de tempo.
Chega-se ao ponto em que não há nada novo a ser pensado, dito ou sentido. Se alguém não tem
sentido posterior na vida de oração, um não vai saber o que fazer, exceto, talvez, para se levantar
e sair. A noite de sentido é um processo de crescimento espiritual similar à transição da infância
para a adolescência na vida cronológica. O emocionalismo e sentimentalismo da infância estão
começando a ser posto de lado em favor de uma relação mais madura com Deus. Nesse meio
tempo, porque Deus não dá ajuda aos sentidos ou a razão, essas faculdades parecem ser inútil.
Um deles é cada vez mais convencido de que já não se pode orar. porque Deus não dá ajuda aos
sentidos ou a razão, essas faculdades parecem ser inútil. Um deles é cada vez mais convencido
de que já não se pode orar. porque Deus não dá ajuda aos sentidos ou a razão, essas faculdades
parecem ser inútil. Um deles é cada vez mais convencido de que já não se pode orar.

João da Cruz diz que tudo o que há a fazer neste estado é permanecer em paz, tento não pensar, e
de obedecer antes a Deus com fé em Sua presença, continuamente transformando a Ele como se
abrir os olhos para olhar para um ente querido 1.

Em uma passagem notável a chama viva de Love1 em que João da Cruz descreve em detalhes a
transição da devoção sensível à intimidade espiritual com Deus, ele diz que, quando não se pode
raciocinar discursivamente ou fazer atos da vontade com qualquer satisfação durante a oração,
deve-se dar a situação uma recepção tranquila. Um irá, em seguida, começar a sentir paz,
tranquilidade e força, porque Deus está agora alimentando a alma diretamente, dando Sua graça
à vontade sozinho e atraindo-o misteriosamente a si mesmo. As pessoas neste estado têm grande
ansiedade sobre se eles estão indo para trás. Eles pensam que todas as coisas boas que eles
experimentaram nos primeiros anos de sua conversão estão chegando ao fim, e se eles são
perguntou como sua vida de oração é, eles vão vomitar suas mãos em desespero. Na verdade, se
questionado mais, eles revelam que eles têm um grande desejo de encontrar alguma maneira de
rezar e eles gostam de estar a sós com Deus, embora eles não podem desfrutá-Lo. Assim, é
evidente que há uma atração secreta presente a um nível profundo de sua psique. Este é o
elemento infundido da oração contemplativa amor divino é o elemento infundido. Se é dado um
descanso tranquilo, vai crescer a partir de uma faísca em uma chama viva de amor.

João da Cruz diz que aqueles que se entregam a Deus entram muito rapidamente na noite de
sentido. Este deserto interior é o começo da oração contemplativa, mesmo que eles não estão
conscientes disso. A relação entre a atividade própria de alguém e a infusão da graça é tão
delicado que não se costuma perceber isso imediatamente. Desde a noite de sentido ocorre com
freqüência, é importante que os diretores espirituais estar disponível para ajudar os cristãos a
apreciar e acolher este desenvolvimento e para reconhecê-lo pelos sinais sugeridos por João da
Cruz. Se um começa por esta transição, um está no caminho para se tornar um muito dedicado e
eficaz Christian, aquele que é inteiramente sob a orientação dos dons do Espírito.

Como rapidamente é "muito rapidamente" no ensino de João da Cruz? Nele há alguns anos,
alguns meses, algumas semanas? Ele não diz. Mas a ideia de que tem de se submeter anos de
ensaios sobre-humanas, ser emparedado atrás das paredes do convento ou matar-se com várias
práticas ascéticas antes que se possa aspirar a contemplação é uma atitude jansenista ou, pelo
menos, uma apresentação inadequada da tradição cristã . Pelo contrário, a oração mais cedo
contemplativa pode ser experimentado, quanto mais cedo vai perceber a direção para a qual a
jornada espiritual está tendendo. Desde que a intuição virá a motivação para fazer todos os
sacrifícios necessários para perseverar na jornada.

22
Como a introdução neste livro indica, as perguntas dos participantes em seminários sobre a
prática da oração de centramento estão incluídos no texto onde apropriado. O parágrafo seguinte
constitui a primeira dessas questão. Outros aparecem ao longo do texto onde quer que eles são
pensados para ser útil para o leitor.

A Nuvem do Desconhecimentotem muito a dizer sobre estar pronto para este movimento em
oração contemplativa. Pressupõe que nem todos são chamados a isso. Ele dá sinais para dizer se
você é chamado ou não. No entanto, hoje parece ser oferecido a todos, não só por professores de
oração centrada, mas também por professores de meditação oriental. É como se ele está aberto a
todos.

A ideia de leigos que buscam o caminho espiritual não é algo novo. Ele só não tem sido muito
popular nos últimos mil anos. Nas tradições espirituais das religiões do mundo, tanto o Oriente
eo Ocidente, tem havido uma tendência para isolar os requerentes, colocá-los em lugares
especiais, e justapor-los com pessoas que conduzem família, profissional, ou vidas de negócios
no mundo. Mas esta distinção está começando a mudar. Os sábios da Índia, por exemplo,
começaram a compartilhar seus segredos com pessoas comuns. Em tempos um passado
normalmente tinha que ir para a floresta para encontrar um professor. Nos Estados Unidos e na
Europa Ocidental, podemos agora encontrar professores pendentes de diferentes tradições
espirituais orientais, oferecendo ensinamentos avançados para quase qualquer um que vem.
expressões menores dessas tradições, infelizmente, também estão disponíveis. Em qualquer caso,

Com relação à tradição cristã, Orígenes, um expoente da escola teológica de Alexandria do


século IV, considerada a comunidade cristã no mundo para ser o lugar adequado de ascese. Foi
somente através do exemplo de Anthony e relatório dele de Atanásio que a prática de deixar o
mundo tornou-se a forma padrão para percorrer o caminho cristão a união divina. Anthony não
tinha intenção de fazer esta a única maneira de alcançá-lo, mas quando ocorrem movimentos de
massa, popularizações também acontecem, e estes podem fossilizar ou mesmo caricaturar um
movimento. Uma nova onda de renovação espiritual tem que surgir antes as necessárias
distinções pode novamente ser feita. Isso pode levar muito tempo quando os movimentos
tornaram-se institucionalizada. A essência da vida monástica não é suas estruturas, mas sua
prática interior,

Na Epístola de Privy Aconselhamento, escrito no final de sua vida, o autor de A Nuvem do


Desconhecimento reconhece que a chamada para a oração contemplativa é mais comum do que
ele tinha pensado originalmente. Na prática, acho que podemos ensinar as pessoas a avançar em
conjunto em direção a oração contemplativa, isto é, para ler e refletir sobre a palavra de Deus nas
escrituras, fazer aspirações inspiradas por estas reflexões, e, em seguida, para descansar na
presença de Deus. Isto é como lectio divina era praticado nos mosteiros da Idade Média. O
método da oração de centramento enfatiza a fase final da lectio, porque é a fase que tem sido
mais negligenciados nos últimos tempos.

Minha convicção é que, se as pessoas nunca estão expostos a algum tipo de oração não-
conceitual, ele nunca pode se desenvolver em tudo por causa do viés excessivamente intelectual
da cultura ocidental ea tendência anticontemplative da doutrina cristã nos últimos séculos. Além
disso, algum gosto experiencial de silêncio interior é uma grande ajuda na compreensão do que a
oração contemplativa é tudo. ensino recente ascética tem sido extremamente cauteloso. Houve
uma forte tendência a assumir que a oração contemplativa foi reservada para os religiosos de
clausura.

23
A oração contemplativa levanta uma questão importante: Existe algo que podemos fazer para nos
preparar para o dom da contemplação vez de esperar por Deus para fazer tudo? Minha
familiaridade com métodos orientais de meditação me convenceu de que não existe. Existem
várias maneiras de acalmar a mente nas disciplinas espirituais do Oriente e do Ocidente que
podem ajudar a estabelecer as bases para a oração contemplativa.

Qual é a diferença entre a lectio divina e oração centrada?

Lectio é um método abrangente de comunhão com Deus, que começa com a leitura de uma
passagem da Escritura. Reflexão sobre o texto se move facilmente em oração espontânea (falar
com Deus sobre o que você leu), e finalmente para descansar na presença de Deus. Centrando a
oração é uma maneira de mover-se entre as três primeiras fases da lectio para a final um dos
descansando em Deus.

São João da Cruz e Santa Teresa aconselhável que só se deve interromper a meditação discursiva
quando Deus tira a capacidade de um para praticá-la. Como a oração centrada encaixar com essa
tradição?

Uma certa quantidade de reflexão sobre as verdades da fé para desenvolver convicções básicas,
que é o trabalho de meditação discursiva, é uma base necessária para a contemplação. Para a
objeção que pode ser a introdução de oração contemplativa muito cedo, a minha resposta é que
nossos contemporâneos no mundo ocidental têm um problema especial com a meditação
discursiva por causa da inclinação enraizada de analisar as coisas além de qualquer medida, uma
mentalidade que se desenvolveu fora da visão de mundo cartesiana-newtoniana e que levou à
repressão das nossas faculdades intuitivas. Este conceitual hang-up da sociedade ocidental
moderna impede o movimento espontâneo da reflexão à oração espontânea e da oração
espontânea ao silêncio interior (assombro e admiração). Eu acho que você pode fazer todos os
três em conjunto e ainda estar na tradição da lectio divina. Se você está praticando lectio divina,
você não tem que seguir qualquer ordem particular ou horário. Você pode seguir a inspiração da
graça e meditar sobre o texto, fazer atos particulares da vontade, ou mover-se em oração
contemplativa a qualquer momento. Obviamente meditação discursiva e oração afetiva
predominará no início. Mas isso não exclui momentos de silêncio interior. Se as pessoas foram
encorajadas a refletir sobre as escrituras e estar totalmente presente com as palavras do texto
sagrado, e, em seguida, praticar um período de oração centrada, eles seriam realmente na
tradição da lectio. Obviamente meditação discursiva e oração afetiva predominará no início. Mas
isso não exclui momentos de silêncio interior. Se as pessoas foram encorajadas a refletir sobre as
escrituras e estar totalmente presente com as palavras do texto sagrado, e, em seguida, praticar
um período de oração centrada, eles seriam realmente na tradição da lectio. Obviamente
meditação discursiva e oração afetiva predominará no início. Mas isso não exclui momentos de
silêncio interior. Se as pessoas foram encorajadas a refletir sobre as escrituras e estar totalmente
presente com as palavras do texto sagrado, e, em seguida, praticar um período de oração
centrada, eles seriam realmente na tradição da lectio.

É muito mais claro para mim agora Centrando oração tipo de compensa a falta de capacidade
das pessoas em nosso tempo para ir de lectio em contemplação.

Exatamente. É uma visão de um problema contemporâneo e um esforço para reavivar a doutrina


cristã tradicional sobre a oração contemplativa. Mas mais do que apenas um esforço teórico para
reanimá-lo é necessária. Alguns meios de expor as pessoas à experiência real é essencial para
superar o preconceito intelectual que existe. Tendo observado esse viés em pessoas que já estão
em oração contemplativa, estou convencido de que é muito mais profundo em nossa cultura do
24
que pensamos. A corrida para o Oriente é um sintoma de que está faltando no Ocidente. Há uma
fome espiritual profunda que não está sendo atendida no Ocidente.

Tenho notado também que aqueles que foram em uma viagem Oriental se sentir muito mais
confortável sobre a religião cristã quando ouvem que uma tradição de oração contemplativa
existe. Centrando a oração como uma preparação, para a oração contemplativa não é algo que
alguém inventou em nossos dias. Pelo contrário, é um meio de recuperar o ensinamento
tradicional sobre a oração contemplativa e de tornar este ensinamento mais conhecido e mais
disponível. A única coisa que é novo está tentando se comunicar isso de forma metódica um
precisa ajudar a chegar a ele e acompanhamento para sustentar e crescer nele.

Aquele que já recebeu a graça da oração contemplativa pode aprofundá-la cultivando o silêncio
interior de uma forma consistente e ordenada. É com o objectivo de cultivar o silêncio interior
que o método da oração de centramento é oferecido.

25
Capítulo 4First Passos na oração Centering

Desde o Concílio Vaticano II, a Igreja Católica Romana tem vindo a encorajar os católicos a
viver a plenitude da vida cristã sem esperar sacerdotes, religiosos ou qualquer outra pessoa para
fazer isso por eles. Isso implica criatividade, bem como a responsabilidade por parte dos leigos
para chegar a estruturas que lhes permitam viver a dimensão contemplativa do Evangelho sem
um claustro Um claustro não resolve todos os problemas da vida. Há armadilhas e armadilhas
para os monges e freiras, bem como para outras pessoas.

A jornada monástica é um tipo especial de vida com seu próprio conjunto de dificuldades. Por
um lado, ele coloca as relações humanas sob um microscópio. Embora os estudos não são tão
grandes quanto aqueles que estão fora do mosteiro, eles podem ser mais humilhante. Monges
ficar chateado por ninharias e não pode mesmo reivindicar uma boa razão para se sentir assim

união divina é o objetivo de todos os cristãos. Fomos batizados; recebemos a Eucaristia; temos
todos os meios necessários para crescer como seres humanos e como filhos de Deus. É um erro
pensar que um estado especial de vida é a única maneira de fazê-lo. As pessoas que eu conheço
que estão mais avançados na oração são casados ou envolvidos em ministérios ativos, correndo
todos os dias para cumprir os seus deveres.

Um par de anos atrás, eu dei uma conferência para um conjunto de organizações leigas. Estes
incluíram grupos de casamento-encontro e Acção Social, secular, e novas comunidades. Minha
palestra foi baseada na espiritualidade monástica, mas em vez de dizer "monástica", eu disse
"cristão". Fiquei espantado ao ver como a maioria das pessoas identificadas com este ensino
tradicional. Ele correspondeu à sua própria experiência. Isso reforçou a minha convicção de que
a jornada espiritual é para todo cristão que leva a sério o Evangelho

As disciplinas espirituais, tanto no Oriente como no Ocidente, são baseadas na hipótese de que
há algo que podemos fazer para entrar na viagem para a união divina, uma vez que foram
tocados pela percepção de que existe um tal estado. Centrando a oração é uma disciplina
projetada para reduzir os obstáculos à oração contemplativa. Sua embalagem modesta apela para
a atração contemporânea para métodos how-to. É uma maneira de trazer os procedimentos a
serem encontrados nos ensinamentos contemplativas dos mestres espirituais da tradição cristã
fora das páginas empoeiradas do passado para a plena luz do dia do presente. A popularidade de
disciplinas meditativas do Leste é prova suficiente de que alguns desses métodos é essencial
hoje. Mas centrar a oração não é apenas um método. É verdade oração, ao mesmo tempo.

A oração de centramento é um método de refinar as faculdades intuitivas para que se possa entrar
mais facilmente em oração contemplativa Não é o único caminho para a contemplação, mas é
uma boa. Como método, é uma espécie de extrato de espiritualidade monástica Concentra-se a
essência da prática monástica em dois períodos de oração por dia Ao tomar um antibiótico, você
tem que manter a dosagem certa, a fim de beneficiar da medicação. Você tem que manter-se o
número necessário de anticorpos na corrente sanguínea para superar a doença. Assim, também,
você tem que manter um certo nível de silêncio interior na psique e do sistema nervoso, se você
deseja obter os benefícios da oração contemplativa.

Centrando a oração como uma disciplina é projetado para retirar a nossa atenção do fluxo normal
dos nossos pensamentos. Nós tendemos a nos identificar com que o fluxo Mas há uma parte mais
26
profunda de nós mesmos. Esta oração abre a consciência para o nível espiritual do nosso ser.
Este nível pode ser comparado a um grande rio em que nossas memórias, imagens, sentimentos,
experiências interiores, e a consciência de coisas exteriores estão descansando. Muitas pessoas
estão tão identificado com o fluxo normal de seus pensamentos e sentimentos que eles não estão
conscientes da fonte de onde esses objetos mentais estão surgindo. Como barcos ou detritos
flutuantes ao longo da superfície de um rio, nossos pensamentos e sentimentos devem estar
descansando em alguma coisa. Eles estão descansando no fluxo interno de consciência, que é a
nossa participação no ser de Deus. Esse nível não é imediatamente evidente para a consciência
comum. Uma vez que não estão em contato imediato com esse nível, temos que fazer alguma
coisa para desenvolver a nossa consciência dela. É o nível de nosso ser que nos faz mais
humanos. Os valores que encontramos há mais delicioso do que os valores que flutuam ao longo
da superfície da psique. Nós precisamos nos refrescar a este nível profundo a cada dia Assim
como precisamos de exercício, alimentação, descanso e sono, por isso também precisamos de
momentos de silêncio interior, porque eles trazem a mais profunda espécie de refresco.

A fé é a abertura e render-se a Deus. A jornada espiritual não requer vai a lugar nenhum, porque
Deus já está conosco e em nós. É uma questão de permitir que nossos pensamentos comuns a
recuar para o chão para trás e para flutuar ao longo do rio de consciência sem que nos
apercebamos delas, enquanto nós dirigir a nossa atenção para o rio em que estão flutuando.
Somos como alguém sentado na margem de um rio e ver os barcos passarem Se ficarmos na
margem, com a nossa atenção sobre o rio em vez de nos barcos, a capacidade de ignorar
pensamentos enquanto passam irá desenvolver, e uma mais profundo tipo de atenção vai surgir.

Um pensamento no contexto deste método é qualquer percepção de que aparece na tela interior
da consciência. Esta poderia ser uma emoção, uma imagem, uma memória, um plano, um
barulho do lado de fora, uma sensação de paz, ou até mesmo uma comunicação espiritual. Em
outras palavras, qualquer coisa que registra na tela interior da consciência é um "pensamento". O
método consiste em deixar de ir todos os pensamentos durante o tempo de oração, até mesmo os
pensamentos mais devotos.

Para facilitar a deixar ir, tomar uma posição relativamente confortável para que você não estará
pensando sobre seu corpo. Evite posições que pode cortar a circulação, porque então você vai
pensar em seu desconforto. Escolha um lugar que é relativamente calma no canto para não ser
perturbado pelo ruído excessivo ou inesperado. Se não existe tal lugar em sua casa, tentar
encontrar um momento de silêncio quando você está menos susceptível de ser perturbado. É uma
boa idéia para fechar os olhos porque você tende a pensar no que você vê. Ao retirar os sentidos
de sua atividade comum, você pode chegar descanso profundo. Um som repentino ou
interrupção, como o telefone tocando, vai mexer com você. Um despertador ou o temporizador,
que é uma maneira de notificar a si mesmo quando o tempo está acima, deve ser um silencioso.
Se o relógio é barulhento, enchê-lo debaixo de um travesseiro Tente evitar ruídos externos, tanto
quanto você puder. Se ruídos acontecer de qualquer maneira, não fique chateado. Ficar chateado
é uma carga emocional pensou que é susceptível de quebrar tudo o silêncio interior que você
pode ter chegado. Escolha um tempo de oração quando você está mais acordado e alerta. No
início da manhã antes do negócio ordinária do dia começa é um bom momento.

Depois de ter escolhido um tempo adequado e lugar e uma cadeira ou uma postura que é
relativamente confortável, e fechou seus olhos, escolha uma palavra sagrada que expressa a sua
intenção de abrir e entregar-se a Deus e apresentá-lo no nível de sua imaginação. Não formá-la
com seus lábios ou cordas vocais. Que seja uma única palavra de uma ou duas sílabas com que
se sinta à vontade. Delicadamente, coloque-o em sua consciência cada vez que você reconhecer
que você está pensando em algum outro pensamento.
27
A palavra sagrada não é um meio de ir onde você quer ir. Ele só dirige a sua intenção para com
Deus e, assim, promove um ambiente favorável para o desenvolvimento da consciência mais
profunda a que sua natureza espiritual é atraído. Seu propósito não é para suprimir todos os
pensamentos, porque isso é impossível. Normalmente você vai ter um pensamento depois de
meio minuto de silêncio interior, a menos que a ação da graça é tão poderoso que você está
absorvido em Deus. Centrando a oração não é uma forma de ligar a presença de Deus. Pelo
contrário, é uma maneira de dizer, "Aqui estou" O próximo passo é com Deus. É uma maneira de
se colocar à disposição de Deus; é Ele quem determina as consequências.

Você pode estar familiarizado com o gesto de dobrar suas mãos com os dedos apontando para
cima. Este é um símbolo de reunir todas as faculdades em conjunto e direcionando-os em direção
a Deus. A palavra sagrada tem exatamente a mesma finalidade. É um ponteiro, mas a mental, em
vez de um material. A palavra deve ser introduzido sem nenhuma força: acho que a maneira
como você faria com qualquer pensamento que possa surgir espontaneamente

A palavra sagrada, uma vez que é bem estabelecida, é uma maneira de reduzir o número normal
de pensamentos casuais e de afastar os mais interessantes que vêm para baixo o fluxo de
consciência. Ele faz isso não por atacar os pensamentos diretamente, mas ao relaxar sua intenção
de entrar na presença e ação de Deus dentro. Esta renovação do consentimento da vontade, como
se torna habitual, cria uma atmosfera na qual você pode mais facilmente ignorar o fluxo
inevitável de pensamentos.

Se você está nervoso sobre fazer o que pode parecer "nada" por um determinado período de
tempo, deixe-me lembrá-lo que ninguém hesita em ir dormir por seis ou sete horas por noite.
Mas praticar esta oração não está fazendo nada. É um tipo muito delicado de atividade. A
vontade mantém consentindo a Deus, retornando à palavra sagrada, e esta é normalmente
bastante atividade para ficar acordado e alerta.

Vinte a trinta minutos é o tempo mínimo necessário para a maioria das pessoas para estabelecer o
silêncio interior e de ir além de seus pensamentos superficiais. Você pode estar inclinado a
permanecer por mais tempo. A experiência vai lhe ensinar o que é o momento certo. No final do
seu período de tempo escolhido, começar a pensar seus pensamentos comuns novamente. Este
pode ser um bom momento para conversar com Deus. Você também pode querer dizer alguma
oração vocal baixinho para si mesmo ou para começar a planear o seu dia Dar-se pelo menos
dois minutos antes de abrir os olhos. Retirada do uso comum dos sentidos exteriores e interiores
leva você a uma atenção espiritual profunda, e abrir os olhos de imediato pode ser chocante.

Como a sua sensibilidade para a dimensão espiritual do seu ser se desenvolve através da prática
diária desta oração, você pode começar a encontrar a consciência da presença de Deus surgindo
às vezes em atividade comum. Você pode sentir-se chamado para transformar interiormente a
Deus sem saber porquê. A qualidade de sua vida espiritual está se desenvolvendo e permitindo-
lhe pegar vibrações de um mundo que você não percebeu antes. Sem deliberadamente pensar de
Deus, você pode achar que ele é muitas vezes presente no meio de suas ocupações diárias. É
como cor adicionado a uma tela de televisão em preto-e-branco. A imagem permanece a mesma,
mas é bastante reforçada pela nova dimensão da imagem que não foi percebida antes. Ele estava
presente, mas que não foram transmitidos porque o aparato receptivo adequada estava faltando.

A oração contemplativa é uma forma de sintonizar-se com um nível mais completa da realidade
que está sempre presente e em que somos convidados a participar. Alguns disciplina é necessária
para reduzir os obstáculos a essa consciência expandida. É uma maneira de abrandar a
velocidade em que nossos pensamentos comuns descer o fluxo de consciência. Se isso pode ser
28
feito, o espaço começa a aparecer entre os pensamentos, permitindo uma tomada de consciência
da realidade em que eles estão descansando.

Nesta discussão da oração de centramento, não estou explorando métodos que ajudam a acalmar
o corpo, a mente eo sistema nervoso, como a respiração, ioga e jogging. Tais métodos são bons
para relaxamento, mas o que interessa é a relação fé. Esta relação é expressa por tomar o tempo
para abrir-se a Deus todos os dias, tomando Deus a sério o suficiente para fazer uma data pesado
com Ele, por assim dizer - uma data que não se poderia pensar em respirar. Uma vez que este
tipo de oração não requer pensamento, podemos manter nosso compromisso, mesmo quando
estamos doentes.

A disposição fundamental na oração centrada está abrindo a Deus. prática cristã pode ser
resumida pela palavra paciência. Na paciência do Novo Testamento significa esperar por Deus
por qualquer período de tempo, não vai desaparecer, e não ceder ao tédio ou desânimo. É a
atitude do servidor do Evangelho, que esperavam mesmo que o dono da casa atrasou seu retorno
até bem depois da meia-noite. Quando o mestre finalmente chegou em casa, ele colocou o servo
responsável por toda a sua casa. Se você esperar, Deus se manifestará. Claro, você pode ter uma
longa espera.

Acho que esta prática me leva a lugar nenhum. É bom para tentar fazer com que as faculdades
um espaço em branco?

Por favor, não tente fazer as suas faculdades em branco. Deve haver sempre uma suave,
espiritual atividade presente, expressa ou em pensar a palavra sagrada ou pela simples
consciência de que você está presente a Deus. A experiência do vazio é a presença de sua
intenção de uma maneira muito sutil. Você não pode manter essa experiência do vazio, a menos
que sua intenção é no trabalho. Pode parecer que nenhum trabalho, porque é tão simples. Ao
mesmo tempo, este método de oração leva tempo para aprender e você não precisa se preocupar
experimentando o que você pode interpretar como um espaço em branco de vez em quando. Esta
oração é uma forma de descansar em Deus. Se você perceber que você tem um espaço em
branco, isso é um pensamento; simplesmente retornar à palavra sagrada.

O que você faz quando você percebe que foram cochilando?

Se você cochilar, não dar-lhe um segundo pensamento. Uma criança nos braços de um pai deriva
fora para dormir de vez em quando, mas o pai não é perturbado por que enquanto a criança está
feliz descansando lá e abre os olhos de vez em quando.

Fiquei surpreso com o quão rápido o tempo passou. Era realmente vinte minutos?

Sim. Quando o tempo passa rápido, é um sinal de que você não estava fazendo muito pensar. Eu
não estou dizendo que é um sinal de boa oração. Não é prudente julgar um período de oração
com base na sua experiência psicológica. Às vezes você pode ser bombardeado com
pensamentos durante todo o tempo de oração; ainda poderia ser um período muito útil de oração.
Sua atenção poderia ter sido muito mais profundo do que parecia. Em qualquer caso, você não
pode fazer um julgamento válido sobre como as coisas estão indo com base em um único
período de oração. Em vez disso, você deve olhar para o fruto em sua vida diária normal, depois
de um mês ou dois. Se você está se tornando mais paciente com os outros, mais à vontade com
você mesmo, se você gritar com menos frequência ou menos em voz alta para as crianças,

29
Se você não tem pensamentos durante todo oração centrada, então você tem nenhuma
consciência do tempo. Essa experiência revela a relatividade do nosso senso de tempo. Nosso
período de oração, no entanto, nem sempre parece curto. Às vezes ele vai parecer muito longo. A
alternância entre tranquilidade e a luta com pensamentos é parte de um processo, um refinamento
das faculdades intuitivas para que eles possam estar atentos a este nível mais profundo de uma
forma mais e mais estável.

Se você é sonolento ou muito cansado, você tem menos pensamentos?

Em geral, sim, contanto que você não começar a sonhar! No mosteiro que se levantar às 3:00
AM, e um é muitas vezes um pouco grogue àquela hora da manhã. Este parece ser parte do nosso
método particular, para ser tão cansado que nós simplesmente não podemos pensar. Depois de
trabalhar duro todos os dias, pode-se ter a mesma experiência à noite. Isso pode ser uma ajuda,
desde que você está alerta o suficiente para ficar acordado e não sucumbir ao prazer de drowsing.
Mas não se sinta mal se você cair no sono. Você pode precisar de um pouco de descanso extra.

Por outro lado, tentar escolher um momento em que você é mais provável de estar alerta para
que você tenha uma experiência mais completa de oração centrada em vez de balançando seu
caminho através dela. Se você cair no sono, quando você acorda continuar a centrar por alguns
minutos para que você não sente que sua oração foi um fracasso completo para o dia. O tipo de
atividade em que você está envolvido nessa oração é tão simples que é fácil cair no sono a menos
que você fazer a ação modesta que é necessário, o que é ficar alerta. Pensar o wordi sagrado é
uma maneira de fazer isso. Jesus disse: "Vigiai e orai". Isto é o que estamos fazendo na oração de
centramento. Assistindo é apenas atividade suficiente para ficar alerta. Orar é abrir a Deus.

A oração de centramento não é tanto um exercício de atenção como intenção. Pode demorar um
pouco para entender esta distinção. Você não assistir a qualquer conteúdo pensamento particular.
Em vez disso, você pretende ir a seu ser mais íntimo, onde você acredita que Deus habita. Você
está abrindo a Ele pela fé pura, e não por meio de conceitos ou sentimentos. É como bater
suavemente na porta. Você não está batendo na porta com o seu corpo docente, como se dissesse,
"Open em nome da lei! Eu exijo que você me deixar entrar!" Você não pode forçar esta porta. Ele
abre a partir do outro lado. O que você está dizendo por meio da palavra sagrada é, "Aqui estou
eu, esperando." É um jogo de espera à enésima potência. Nada animados que vai acontecer, ou,
se isso acontecer, você deve delicadamente retornar à palavra sagrada como se nada tivesse
acontecido. Mesmo se você tiver uma visão ou ouvir palavras infundidos, você deve retornar à
palavra sagrada. Esta é a essência do método.

O humor que eu estava era um dos expectativa. Então me vi pensando sobre o fato de que eu
estava esperando algo acontecer.

Não tem nenhuma expectativa nesta oração. É um exercício de ausência de esforço, de deixar ir.
Para tentar é um pensamento. É por isso que eu digo: "Retorno à palavra sagrada tão facilmente
quanto possível"; ou, "colocar gentilmente a palavra sagrada em sua consciência." Lutar é querer
alcançar algo. Isso é apontar para o futuro, que este modo de oração é projetado para trazê-lo
para o presente. As expectativas também se referem ao futuro; portanto, eles também são
pensamentos.

Esvaziar a mente de suas rotinas habituais de pensar é um processo que só pode iniciar, como
tirar a rolha para fora da banheira. A água desce por si só. Você não tem que empurrar a água
para fora da banheira. Você simplesmente permitir que ele seja executado fora. Você está fazendo

30
algo semelhante nesta oração. Permita que o seu trem comum de pensamentos a fluir fora de
você. Espera sem expectativa é suficiente actividade

E sobre sentimentos? Você deveria deixá-los ir também?

Sim. Eles são pensamentos no contexto desta oração. A percepção de qualquer espécie é um
pensamento. Mesmo a reflexão de que não está tendo um pensamento é um pensamento.
Centrando a oração é um exercício de deixar todas as percepções passam, não dando-lhes um
empurrão ou por ficar com raiva deles, mas por deixá-los ir. Isso permite que você gradualmente
a desenvolver uma atenção espiritual que é pacífico, tranquilo e absorvente.

É a atenção mais profunda em função de menos pensamento?

Sim. Você pode até ter nenhum pensamento. Então você está no ponto mais profundo que você
pode ir. Naquele momento, não há nenhum sentido de tempo. O tempo é a medida das coisas que
passam. Quando nada está passando, há uma experiência de intemporalidade. E é delicioso.

O que devemos fazer sobre o ruído externo?

O melhor remédio para um som que você não pode controlar é deixar de ir a sua resistência a ele
e deixá-lo acontecer. as coisas externas não são obstáculos para oração. É justo que nós
pensamos que eles são. Ao aceitar totalmente distrações externas que você não pode fazer nada
sobre, você pode obter um avanço na compreensão de que você pode estar no meio de todo o
barulho na terra e ainda experimentar esta atenção mais profunda. Ter uma visão positiva das
dificuldades externas. A única coisa sobre a qual a tomar uma visão negativa está ignorando seu
tempo diário para a oração. Essa é a única não-não. Mesmo que o seu tempo de oração parece
cheio de ruído e você se sentir como um fracasso total, apenas continuar fazendo isso.

É realmente possível para as pessoas que correm o dia todo para ser contemplativos?

Sim. Isso não quer dizer que não fazendo nada, mas correndo todos os dias as pessoas vão se
tornar contemplativos. Por outro lado, você só tem que ser um ser humano para ser elegível para
se tornar um contemplativo. É verdade que existem certos estilos de vida que são mais propício
para o desenvolvimento de uma atitude contemplativa, mas este método funciona bem se você
ficar com ele.

você pode dizer para as pessoas com quem você está viajando, "Eu vou fazer minha meditação
agora?"

Certo. Eles podem ser felizes de ter alguns minutos de silêncio se.

Estou consciente de tentar deixar pensamentos passam, mas o que acontece é que eu trabalho
com imagens de minha percepção de Deus. Eles tendem a ser visual. É que também um
pensamento que deve ser descartado?

Qualquer tipo de imagem é um pensamento no contexto desta oração. Qualquer percepção de


que surge a partir de qualquer um dos sentidos ou da imaginação, memória, ou a razão é um
pensamento. Assim, qualquer que seja a percepção pode ser, deixá-lo ir. Tudo o que registra o
fluxo de consciência acabará por passar, incluindo o pensamento de auto. É apenas uma questão
de permitir que cada pensamento de ir. Mantenha sua atenção no rio, em vez de sobre o que está
passando ao longo de sua superfície.
31
Minha maneira de focar em Deus tem sido geralmente através de uma imagem. Se eu remover
essa imagem, eu tenho dificuldade para entender o que é que eu deveria focar. É minha atenção
simplesmente na palavra que estou repetindo?

Sua atenção não deve ser direcionado para qualquer pensamento particular, incluindo a palavra
sagrada. A palavra sagrada é apenas um meio de restabelecer a sua intenção de abertura para o
verdadeiro Eu e Deus, que está no centro dele. Não é necessário continuar a repetir a palavra
sagrada. O silêncio interior é algo que naturalmente gosta de experimentar. Você não tem que
forçar nada. Ao forçar, você introduzir um outro pensamento, e qualquer pensamento é suficiente
para impedi-lo de ir para onde você quer ir.

Algumas pessoas acham que é mais fácil de transcender com uma imagem visual do que com
uma palavra. Se você preferir algum tipo de imagem visual, escolha um que é geral e não
detalhada; por exemplo, dirigir o olhar para dentro em direção a Deus, como se você está
olhando para alguém que você ama.

Como você estava falando, me ocorreu que eu uso imagens de me impedir de uma queda livre.

Algumas pessoas, quando eles são silenciosos, sinta-se à beira de um penhasco Mas não se
preocupe Não há perigo de cair. A imaginação está perplexo com o desconhecido. Ele está tão
acostumado a imagens, então conectados a elas, que, para soltá-lo sua maneira habitual de pensar
é bastante um trabalho. Ele vai levar a prática para se sentir confortável com esta oração.

32
Capítulo 5 A Palavra Sagrada como símbolo

A palavra sagrada, o que quer que você pode escolher, é sagrada não por causa de seu
significado, mas por causa de sua intenção. Ela expressa a sua intenção de abrir-se a Deus, o
Mistério Ultimate, que habita dentro de você. É um ponto focal para retornar quando você
percebe que você está tornando-se interessado nos pensamentos que vão por.

Atenha-se a mesma palavra uma vez que você se sentir confortável com ele. 1Se você é movido
para escolher outra palavra, vá em frente e experimentá-lo, mas não comprar ao redor durante o
mesmo período de oração A palavra sagrada é um sinal ou seta apontando na direção que você
quer tomar. É uma forma de renovar a sua intenção de abrir-se a Deus e aceitá-Lo como Ele é.
Enquanto isso não impede ninguém de orar em outras formas em outros momentos, o período de
centrar a oração não é o momento de orar especificamente para os outros. Ao abrir-se a Deus,
você está orando implicitamente para todos passado, presente e futuro. Você está abraçando toda
a criação. Você está aceitando toda a realidade, começando com Deus e com a parte da sua
própria realidade da qual você pode não ser geralmente conscientes, ou seja, o nível espiritual do
seu ser.

A palavra sagrada permite que você afundar em sua Fonte. Os seres humanos foram feitos para a
felicidade sem limites e paz, e quando vemos que estamos começando a se mover nessa direção,
não temos de nos empurrar. A dificuldade é que estamos indo na direção oposta a maior parte do
tempo. Nós tendemos a nos identificar com nosso falso self e suas preocupações e com o mundo
que estimula e reforça que eu falso.

A palavra sagrada não é um veículo ou meio para ir da superfície do rio para as profundezas. É
sim uma condição para ir lá. Se eu segurar uma bola na minha mão e deixar ir, ele vai cair ao
chão; Eu não tenho de jogá-lo.

De maneira semelhante, a palavra sagrada é uma maneira de abandonar todos os pensamentos.


Isso torna possível para as nossas faculdades espirituais, que são atraídos para o silêncio interior,
para mover-se espontaneamente nessa direção. Tal movimento não requer esforço. Ele só exige a
disposição de abrir mão de nossas preocupações comuns.

Desde a vontade é projetado para infinito amor e a mente para a verdade infinita, se não há nada
para impedi-los, eles tendem a se mover nessa direção. É porque eles são tudo embrulhado em
outras direções que sua liberdade de ir onde eles estão naturalmente inclinados é limitado.
Durante o tempo de oração centrada essas faculdades recuperar a liberdade.

Assim, a palavra sagrada é uma maneira de reduzir o número de pensamentos e de dissolver-los


para o único pensamento de abertura a Deus. Não é o meio pelo qual podemos ir de uma
imaginação barulhento ao silêncio, mas uma condição que nos permite mover-se para o reino
espiritual a que a força da graça está nos desenho.

O chefe coisa que nos separa de Deus é o pensamento de que estamos separados Dele. Se nos
livrarmos desse pensamento, nossos problemas será bastante reduzido. Nós não acreditamos que
estamos sempre com Deus e que Ele é parte de cada realidade. O momento presente, todos os
objetos que vemos, a nossa natureza íntima estão todos enraizados n'Ele. Mas nós hesita em
acreditar nisso até que a experiência pessoal nos dá a confiança para acreditar nele. Isso envolve
33
o desenvolvimento gradual de intimidade com Deus. Deus sempre nos fala através uns dos
outros, bem como de dentro. A experiência interior da presença de Deus ativa nossa capacidade
de percebê-Lo em tudo o mais - nas pessoas, nos acontecimentos, na natureza. Podemos
desfrutar de união com Deus em qualquer experiência dos sentidos externos, bem como em
oração

A oração contemplativa é uma forma de despertar para a realidade na qual estamos imersos. Nós
raramente pensar no ar que respiramos, mas é em nós e ao redor o tempo todo. De forma similar,
a presença de Deus penetra em nós, é tudo o que nos rodeia, está sempre nos abraçando. Nossa
consciência, infelizmente, não está acordado a essa dimensão da realidade O propósito da
oração, dos sacramentos e disciplinas espirituais é para nos despertar.

A presença de Deus está disponível a cada momento, mas temos um obstáculo gigante em nós
mesmos - a nossa visão de mundo. Ele precisa ser trocado para a mente de Cristo, por Sua visão
de mundo. A mente de Cristo é nossa por meio da fé e do batismo, de acordo com Paul, mas para
tomar posse dela requer uma disciplina que desenvolve a sensibilidade para ouvir o convite de
Cristo: "Eis que estou à porta e bato; se alguém abre entrarei e cearei com ele e ele comigo ".
(Apocalipse 3:20) Não é um grande esforço para abrir uma porta.

Nossas preocupações comuns envolvem sistemas de valores inconscientes. Alguns pensamentos


são atraentes para nós, porque temos um apego a eles brotando da programação emocional da
primeira infância. Quando tais pensamentos passam, todos os nossos luzes começam a piscar por
causa do nosso investimento emocional pesada nos valores que estimulam ou ameaçam. Ao
treinar-nos a deixar de ir a cada padrão de pensamento e de pensamento, nós gradualmente
desenvolver a liberdade de nossos apegos e compulsões.

Na oração contemplativa o Espírito nos coloca em uma posição onde estamos em repouso e sem
vontade de lutar. Por suas unções secretas do Espírito cura as feridas da nossa natureza humana
frágil em um nível além de nossa percepção psicológica, assim como uma pessoa que está
anestesiado não tem idéia de como a operação vai até depois que ele é longo. O silêncio interior
é a cama perfeita semente para o amor divino para se enraizar. No Evangelho, o Senhor fala
sobre um grão de mostarda como um símbolo do amor divino. É a menor de todas as sementes,
mas tem uma enorme capacidade para o crescimento. O amor divino tem o poder de crescer e de
nos transformar. O propósito da oração contemplativo é o de facilitar o processo de
transformação interior.

É mais fácil para a maioria das pessoas a deixar ir de seus pensamentos com uma palavra de uma
ou duas sílabas. Mas se você achar que uma imagem visual é mais útil, usá-lo, desde que, é claro,
que você introduzi-lo no nível da imaginação e voltar a ele sempre que você perceber que você
está pensando algum outro pensamento. A imagem visual deve ser geral, não clara e precisa.
Algumas pessoas acham que é especialmente útil para rezar diante do Santíssimo Sacramento.
Eles costumam manter seus olhos fechados e simplesmente desconhece a presença em que estão
orando.

Após a respiração é outro método de aquietar a mente. Há uma distinção, no entanto, que deve
ser cuidadosamente observado. Na oração centrada o objeto não é simplesmente deixar de ir
todos os pensamentos, mas para aprofundar nosso contato com o solo do nosso ser. A
intencionalidade da fé é fundamental. Centrando a oração não é apenas sustentada atenção para
uma palavra especial ou imagem ou para a respiração, mas a rendição de todo o ser a Deus. Não
é apenas uma experiência de nossa natureza espiritual, que pode ser adquirida por se concentrar
em uma determinada postura, mantra, ou mandala. Ela pressupõe uma relação pessoal; deve
34
haver um movimento de auto-entrega. Se, como um cristão, você usa algum método físico ou
psicológico que é voltado para aquietar a mente, eu sugiro que você colocá-lo no contexto da
oração. Por exemplo, se você seguir seus exercícios como um meio de acalmar seus
pensamentos, fazê-lo com o motivo de aproximação a Deus. Centrando a oração não é um
exercício de relaxamento, embora possa trazer relaxamento. É o exercício da nossa relação
pessoal com Deus.

Como a palavra sagrada realmente funciona?

A palavra sagrada é um simples pensamento de que você está pensando em níveis cada vez mais
profundas. É por isso que você aceitá-lo em qualquer forma que surge dentro de você. A palavra
em seus lábios é exterior e não tem parte nessa forma de oração; o pensamento na sua
imaginação é interior; a palavra como um impulso de sua vontade é mais interior ainda. Somente
quando você passar além da palavra na consciência pura é o processo de interiorização completa.
Isso é o que Maria de Betânia estava fazendo aos pés de Jesus. Ela ia além das palavras que
estava ouvindo à pessoa que estava falando e entrando em união com Ele. Isto é o que estamos
fazendo como nós sentar-se em oração centrada interiorizar a palavra sagrada. Estamos indo
além da palavra sagrada em união com aquilo a que ele aponta - o Mistério Ultimate, a Presença
de Deus para além de qualquer concepção de que podemos formar Dele.

O desejo de ir a Deus, para abrir a Sua presença dentro de nós, não vem da nossa iniciativa. Não
temos que ir em qualquer lugar para encontrar a Deus porque Ele já está nos atraindo todas as
maneiras imagináveis em união com Ele. É mais uma questão de abertura para uma ação que já
está acontecendo em nós. Para concordar com a presença de Deus é a Sua Presença. A palavra
sagrada nos aponta para além da nossa percepção psíquica a nossa fonte, a Trindade, que habita
em nosso ser mais íntimo. Além disso, Deus habita lá não como uma fotografia ou uma estátua,
mas como uma presença dinâmica. O objetivo desta oração é entrar em contato com a atividade
que Deus está constantemente iniciando no nosso centro mais íntimo.

______________________1. Exemplo do que a palavra sagrada pode ser: Deus, Jesus, o


Espírito, Abba, amém, paz, silêncio, aberto, glória, amor, presença, confiança, etc.

Se você manter-se esta prática todos os dias durante vários meses, você vai saber se é ou não é
certo para você. Não há nenhum substituto para a experiência de fazê-lo. É como conhecer um
novo amigo; se você se encontrar e conversar regularmente, você começa a conhecer uns aos
outros mais rápido. É por isso que recomendamos dois períodos de oração de cada dia, de
preferência a primeira coisa na parte da manhã e antes do jantar. Às vezes, a "conversa" é
cativante e você experimenta uma certa paz e refrigério. Em outros momentos, a conversa é
como falar de dezenas de beisebol quando você não tem interesse no jogo; você colocar-se com
isso porque você está interessado em uma determinada pessoa e em qualquer interessa-lhe um
período sem inspiração da oração não vai incomodá-lo muito se o seu objetivo de longo prazo é
o cultivo da amizade.

O que você faz quando todo o período de oração consiste de onda após onda de pensamentos?

Quando você começa a se acalmar, você pode tornar-se consciente de que sua cabeça está cheia
de pensamentos que vêm de fora e de dentro. A imaginação é uma faculdade de movimento
perpétuo; é sempre moendo imagens. Portanto, você deve esperar que o nível de sua memória e
imaginação, pensamentos continuam chegando. A principal coisa é aceitar o fato de que isso vai
acontecer. Ninguém vai cair imediatamente em um oceano de paz onde não há distrações. Você
35
tem que aceitar a si mesmo como você é e Deus como Ele é, e confiar que Ele vai levar você de
uma maneira que nem sempre pode se sentir confortável, mas que é melhor para você.

No caso de pensamentos indesejados, apenas deixá-los ir sem ser perturbado. Se você fazer a sua
mente que não vai ser um monte de pensamentos, que são menos propensos a ficar chateado
quando os pensamentos chegam. Se, por outro lado, você sente que o objetivo de centralizar a
oração é para ser livre de todos os pensamentos, você será continuamente desapontado. Quando
você se sente decepcionado; que é um pensamento com uma carga emocional a ele. Ele destrói
tudo o silêncio interior que você pode ter sido desfrutando.

Deve-se dizer a palavra sagrada constantemente?

Enquanto pensamentos estão indo por vontade própria, você não tem que pensar a palavra
sagrada. No início, é útil para manter a voltar para ele a fim de apresentá-lo em seu
subconsciente e, assim, para torná-lo mais fácil de lembrar quando você precisar dele durante a
oração. A regra básica é deixar todos os pensamentos sobre o rio passar. Enquanto eles estão
passando, você não precisa fazer nada sobre eles. Mas quando você quer olhar a bordo de um dos
barcos para ver o que está escondido no porão, acho que a palavra sagrada. Faça-o suavemente,
no entanto, e sem esforço.

Se você acabou de ter uma discussão com alguém ou recebeu uma má notícia, você vai precisar
de um pouco de preparação para a oração. Leitura das escrituras, andar ou correr em volta do
quarteirão, ou fazendo exercícios de ioga pode ajudar a acalmar o tumulto emocional. Uma razão
para rezar no início do dia é que os eventos não tive a chance de incomodá-lo ainda.

Será que a palavra sagrada desaparece permanentemente ou apenas de vez em quando, durante
um determinado tempo de oração?

A experiência da paz interior é a palavra sagrada em seu nível mais profundo. Você está
enfrentando o fim da jornada para a qual a palavra sagrada está apontando. Mas isso geralmente
não é um estado permanente. Você continua sendo saltou para fora e tem que voltar de novo à
palavra sagrada.

Você disse que não é tanta repetição da palavra sagrada que conta, mas a intenção. Eu queria
saber haw para pendurar a intenção sem repetir a palavra. Parece que eles vão juntos.

No começo é difícil para pendurar sobre a sua intenção sem continuamente retornar à palavra
sagrada. Mas isso não significa que você tem que ficar repetindo isso. Existem formas de oração
cristã similar à prática mantra na tradição hindu, que consistem em repetir a palavra sagrada
continuamente. Este não é o método da oração de centramento. Nesta prática, você só retornar à
palavra sagrada quando você percebe que você está pensando algum outro pensamento. Como
você se tornar mais confortável com esta oração, você começa a encontrar-se para além da
palavra em um lugar de paz interior. Então você vê que há um nível de atenção que está além da
palavra sagrada. A palavra sagrada é um ponteiro e você alcançou aquilo a que ele está
apontando. Até que você tenha essa experiência,

Parece que a palavra tem uma certa qualidade emocional a ela, algum tipo de atmosfera sobre
ele. Eu queria saber se havia uma distinção entre tentando ficar com a palavra para ver o que a
qualidade sensação de que a palavra torna-se na oração de centramento, e tentando permitir tudo
para cair fora, incluindo a qualidade sensação da palavra, na esperança de que há algo vindo da
direção de Deus.
36
O significado da palavra sagrada ou suas ressonâncias não deve ser perseguido. É melhor
escolher uma palavra que não agitar-se outras associações em sua mente ou fazer com que você
considere suas qualidades emocionais particulares. A palavra sagrada é de apenas um gesto, uma
expressão da sua intenção; ele não tem nenhum significado diferente da sua intenção. Você deve
escolher a sua palavra como uma simples expressão de que a intenção, não como uma fonte de
significado ou atração emocional. Quanto menos a palavra significa para você, o melhor para
você. Não é uma maneira de ir para Deus ou um caminho em silêncio interior. Em vez disso, ele
estabelece um clima interior que facilita o movimento de fé. O movimento de pura fé é o coração
da oração contemplativa. Só Deus pode colocar conteúdo em que tipo de fé.

Você pode chegar a um ponto onde você não pensar na palavra sagrada em tudo. Quando você se
senta para a oração, toda sua psique reúne-se juntos e se funde com Deus. O silêncio interior é a
palavra sagrada em seu nível mais profundo. Por exemplo, se você tomar uma viagem a Nova
York, você compra um bilhete em seu ponto de partida. Mas quando você chegar a Nova York,
você não ir para a bilheteria para comprar outro bilhete; você já está lá. Da mesma forma, usar a
palavra sagrada para mover-se em silêncio interior. Contanto que você experimentar a presença
indiferenciada, em geral, e amoroso de Deus para além de qualquer pensamento, não voltar à
palavra sagrada. Você já está no seu destino.

Às vezes eu acho que eu tenha atingido a tranquilidade antes de eu realmente tem. Eu já provei a
coisa real de vez em quando, mas às vezes eu acho que ele está lá antes que ele realmente é, e eu
não quero voltar para a palavra. No entanto, eu sinto que tenho que fazer.

Bem, não ser muito certo. Ficar lá mais alguns momentos. Deus é muito mais íntimo e acessível
do que pensamos. Se o Senhor atinge-se e puxa você para baixo, ótimo! Mas desde que ele
geralmente não fazê-lo, pode haver algo que você pode fazer para torná-lo mais fácil para ele. A
oração de centramento é um método de fazer precisamente isso.

Para o que exatamente é a nossa atenção dirigida em centrar oração? É à palavra sagrada? Para o
significado da palavra? Ao som da palavra? Para uma vaga sensação de Deus estar presente?

Nenhum deles. Nós não tentar corrigir a nossa atenção na palavra sagrada durante a oração
centrada. Nós não ficar repetindo isso ou pensar em seu significado. Seu som é de nenhum
significado. A palavra sagrada é apenas um símbolo. É uma seta apontando na direção pretendida
pela nossa vontade. É um gesto de sinal de aceitação de Deus como Ele é? Exatamente o que é,
não sabemos. Mais uma vez, a palavra sagrada é como a agulha da bússola de um navio
apontando o curso em uma tempestade. Ele não é um meio, e menos ainda um meio infalível, de
chegar ao nosso destino. Não está em nosso poder para trazer uma vaga sensação de ser de Deus
presente. O que, então, é nosso principal foco em oração centrada? É para aprofundar a nossa
relação com Jesus Cristo, o Divino Ser Humano.

Em discussões com outros que praticam oração centrada, l descobriram que eles parar de dizer a
palavra sagrada, assim que algum tipo de silêncio aparece. Eles ficar em silêncio por uns cinco
minutos; então os pensamentos surgem e eles retornam para a palavra. Eles fazem outra descida
ao sossego e soltar a palavra; então os pensamentos surgem e eles retornam a ele novamente. O
que você acha sobre este caindo e voltando, caindo e voltando para a palavra?

Sua descrição soa como se eles sabem como fazê-lo. Alguns professores de oração estão
convencidos de sua experiência que as mentes ocidentais contemporâneas são tão ativo que eles
precisam repetir um mantra Christian mais e mais, pelo menos no início. As pessoas que levam
uma vida muito ativa pode certamente beneficiar de esse tipo de concentração para prender sua
37
atenção. O método da oração de centramento, no entanto, não é de concentração, mas receptivo.
Embora ambos os métodos são excelentes e visam o mesmo objectivo, que não são o mesmo e
produzir efeitos diferentes na psique. Na oração centrada, o uso da palavra sagrada é projetado
para promover a atitude receptiva. O movimento interior em direção a Deus, sem qualquer
palavra é muitas vezes suficiente. Você pode afundar no silêncio interior assim que você sente-se
simplesmente abrindo-se à presença de Deus.

A oração contemplativa é um tipo incrivelmente simples de atenção. É mais intenção de atenção.


Como o Espírito leva gradualmente mais e mais a carga de sua oração, você pode mover-se em
consciência pura, que é uma intuição em seu verdadeiro Eu. Não há nenhuma maneira de
conhecer a Deus diretamente nesta vida, exceto por meio de pura fé, que é escuridão para todas
as faculdades. Esta escuridão é para ser entendido não como um apagando das faculdades, mas
como uma transcendência da sua actividade. fé pura, de acordo com João da Cruz, é o meio
imediata de união com Deus.

A oração contemplativa pode abrir em vários tipos de experiências internas ou não-experiências.


Em ambos os casos, é uma formação em estar contente com Deus como Ele é e como Ele age.
Existe uma enorme liberdade quando essa alienação é finalmente estabelecido, porque então
você não vai olhar para qualquer forma de consolo de Deus. consolações espirituais pode ser tão
perturbador como os sensíveis. Deus dá consolo para curar os problemas emocionais que se
referia anteriormente. Alguém que tenha sido privado de amor precisa de muito carinho. O
Espírito sabe que assim como qualquer psiquiatra. Pode ser por isso que o Espírito enche certas
pessoas com ondas de amor e várias marcas de afeição. Isso não significa que eles são mais santo
do que os outros ou que o Espírito ama mais. Isso significa que eles têm mais necessidade de
amor.

38
Capítulo 6 A Tipos comuns de Pensamentos

A grande batalha nos primeiros estágios da oração contemplativa é com os pensamentos. É


importante reconhecer os vários tipos de pensamentos e padrões de pensamento que descem a
corrente da consciência e para aprender a melhor maneira de lidar com cada tipo.

A variedade mais fácil de pensamentos é reconhecer as andanças ordinárias da imaginação. A


imaginação é uma faculdade de movimento perpétuo e está constantemente a moagem de
distância. É irrealista visam não ter pensamentos. Quando falamos de desenvolvimento de
silêncio interior, estamos falando de um grau relativo de silêncio. Pelo silêncio interior que
referem-se principalmente a um estado em que não se apegar aos pensamentos como eles
passam.

Suponha que você está conversando com alguém no sétimo andar de um edifício de escritórios
da baixa com as janelas abertas. Há um zumbido constante de tráfego da rua. Obviamente você
não pode fazer nada para impedir o ruído de continuar. Se você ficar irritado e dizer: "Por que
não ficar quieto?" ou entrar no elevador e descer e começar a gritar; "Por que você não as
pessoas calar a boca?" você só vai ter sucesso em trazer a conversa para um fim. Se você apenas
continuar sua conversa e colocar-se com o zumbido, você gradualmente se desenvolver uma
capacidade de pagar nenhuma atenção a ele. Esta é a melhor solução para as andanças da
imaginação. Faça a sua mente que eles estão indo para estar presente como parte da realidade do
seu mundo interior. Se você aceitá-los totalmente, eles vão começar a desaparecer na
insignificância.

De vez em quando, porém, o burburinho fica mais alto, dizer na hora do rush, e os decibéis
aumentam a um grau insuportável. Você tem que aceitar isso também. Às vezes você vai ser
perseguido do início ao fim pelas andanças e delírios da imaginação. Isso não significa que a sua
oração não era bom ou que você não beneficiou de algum grau de silêncio interior. Como você
perseverar, você gradualmente vai desenvolver novos hábitos e novas capacidades, uma das
quais é a capacidade de estar consciente de dois níveis de consciência, ao mesmo tempo. Você
pode estar ciente do ruído ou em torno de você, e você ainda reconhecer que sua atenção é
agarrado por algo em um nível mais profundo que é impossível de definir, mas não deixa de ser
real.

A capacidade de construir um muro em torno de seu silêncio interior durante esta oração é um
fenômeno que pode ocorrer muito em breve em relação a sons externos. Se você aceitar
plenamente o ruído, pouco incomoda. Se você lutar, lutar com ele, ou gostaria que não fosse lá,
você vai ficar tudo embrulhado em sons particulares. Embora você não pode ter sucesso
imediato, eventualmente, você vai experimentar um silêncio delicioso em um nível profundo,
embora o ruído está acontecendo ao seu redor.

Certa vez, visitei uma família que viveu ao longo do Third Avenue El, em Nova York, pouco
antes de ser levado para baixo. Seu apartamento com vista para as pistas. De vez em quando um
trem iria rugir por. Para mim, o barulho era absolutamente devastador. Eu pensei que o trem
estava indo para a direita através da sala de estar. Mas a família parecia ser alegremente
inconscientes dela. Eles estariam conversando e quando um trem viria, todo mundo só parou de
falar porque era impossível de ser ouvido. Depois que o trem passou, que retomou a conversa
exatamente onde parou, como se nada tivesse acontecido. Eles tinham construído o som
39
ensurdecedor em suas vidas. Mas para alguém que não estava acostumado a isso, não era apenas
uma interrupção, mas o fim da conversa.

Assim é com o estrondo que se passa em nossas cabeças. É tão ruim, por vezes, que muitas
pessoas não vai colocar-se com ele. Eles dizem: "O silêncio interior e oração contemplativa são
para os pássaros. Eu não posso suportar esta enxurrada de pensamentos cansativos passando pela
minha cabeça." Então, eles se levantar e sair. Se eles só iria pendurar e dar-se um pouco mais de
tempo, eles iriam se acostumar com o ruído.

A prática habitual da oração de centramento reduz gradualmente a quantidade de ruído interior.


No começo você é obrigado a ser bombardeado por pensamentos sem fim. A maioria de nós,
antes de começar o método da oração de centramento ou algum outro processo de aquietar a
mente, nem sequer estão conscientes de quantos pensamentos que realmente tem. Mas quando
começamos a acalmar, começamos a perceber a incrível quantidade de disparates armazenado
em nossas cabeças. Algumas pessoas podem até ficar um pouco assustado com o quanto está
acontecendo lá dentro. Eles acham que eles preferem colocar-se com o fluxo normal de seus
pensamentos superficiais.

Devemos criar condições que são mais propício para a nossa oração: encontrar um tempo de
silêncio do dia longe de telefones e outras interrupções previsíveis. Tome o conselho de Jesus
quando ele fala de orar em segredo ao Pai. Se você tem um monte de jovens correndo pela casa,
pode ser difícil encontrar um local tranquilo ou tempo. Para algumas pessoas o único lugar
calmo pode ser na banheira. Em qualquer caso, você deve encontrar um local e um momento
onde e quando você é menos provável de ser interrompido. Alguns ruídos, como cortadores de
grama ou motores de avião, pode ser integrado em silêncio interior, mas ruídos que envolvem o
intelecto e imaginação, como conversa em voz alta, são difíceis de manusear.

Para resumir, a melhor resposta para as andanças ordinárias da imaginação é ignorá-los; não,
porém, com uma sensação de irritação ou ansiedade, mas com uma de aceitação e paz. Cada
resposta a Deus, qualquer que seja, deve começar com a plena aceitação da realidade como ela
realmente é no momento. Uma vez que é parte de nossa natureza para ter uma imaginação
errante, por mais que você pode querer ficar quieto, aceitar o fato de que os pensamentos são
certamente virão. A solução não é tentar fazer a mente em branco. Não é isso que o silêncio
interior é.

Durante todo o curso de um período de oração centrada, estamos entrando e saindo do silêncio
interior. A atenção interior é como um balão em um dia calmo lentamente se estabelecer no chão.
Assim como ele está prestes a tocar o chão, um zephyr vem do nada e o balão começa a subir
novamente. Da mesma forma, na oração de centramento há um momento tentador quando se
sente prestes a escorregar para o silêncio mais delicioso. Isso é apenas o momento em que algum
pensamento indesejado vem. É preciso muita paciência para aceitar o pensamento e não ficar
triste porque um é impedido de entrar nesse silêncio. Apenas começar de novo. Esta partida
constante ao longo com paciência, calma e aceitação nos treina para a aceitação de toda a vida.
Ele nos prepara para a ação. Deve haver uma aceitação básica de tudo o que está realmente
acontecendo, antes de decidir o que fazer com ele. O nosso primeiro reflexo é querer mudar a
realidade ou pelo menos controlá-lo.

Um segundo tipo de pensamento que vem para baixo o fluxo de consciência durante esta oração
ocorre quando, no curso das divagações da imaginação, você se interessar por algum pensamento
particular e perceber a sua atenção movendo nessa direção. Você também pode sentir-se ficar
emocionalmente envolvido nele.
40
Qualquer pensamento ou imagem emocionalmente carregada, se vem de fora ou de nossa
imaginação, inicia uma resposta automática no sistema apetitivo. Dependendo se a imagem é
agradável ou desagradável, você sente uma espontânea gosta ou não para ele. Quando você notar
que há curiosidade em um determinado pensamento ou uma sensação de apego, a resposta
adequada é retornar à palavra sagrada. Isso reafirma a sua intenção original de abertura a Deus e
de se entregar a Ele.

Nossa consciência, como já dissemos, é como um grande rio na superfície da qual nossos
pensamentos e experiências superficiais estão se movendo por como barcos, detritos, esquiadores
de água ou outras coisas. O rio em si é a participação que Deus nos deu em seu próprio ser. É
essa parte de nós em que todas as outras faculdades descansar, mas estamos normalmente cientes
disso porque são absorvidos com o que está passando na superfície do rio.

Na oração centrada começamos a mudar nossa atenção dos barcos e objetos sobre a superfície
para o próprio rio, ao que sustenta todas as nossas faculdades e é sua fonte. O rio nessa analogia
não tem qualidades ou características. É espiritual e ilimitado, porque é uma participação no ser
de Deus. Suponha que você se interessar por algum barco e encontrar-se olhando no porão para
ver o que está a bordo. Você está escapando de sua intenção original. Você deve manter voltando
sua atenção do que está na superfície do rio para o próprio rio, a partir do particular para o geral,
a partir de formas para o informe, a partir de imagens ao imageless. Retornando à palavra
sagrada é uma forma de renovar a sua intenção de buscar a presença interior de Deus na fé.

Vamos voltar à imagem de conversar com um amigo no sétimo andar de um edifício de


escritórios da baixa. Na corrida chifres hora começam a buzinar. Você começa a se perguntar o
que está acontecendo, por isso, chamamos a sua atenção para longe da conversa com o seu
amigo. Cortesia exige que você renovar sua atenção. Então você transformar o seu olhar em
direção a seu amigo como se dissesse: "Desculpe-me", ou "Como eu estava dizendo." Em outras
palavras, um simples movimento para reafirmar sua conversa é necessária. Não é uma questão de
lutar, parar ou fechar o barulho, mas de retornar ao seu propósito original. De maneira
semelhante, quando, na oração centrada, você percebe que você está pensando algum outro
pensamento, simplesmente dar de volta sua atenção a Deus, e como um sinal de sua intenção,
acho que a palavra sagrada.

Não há dúvida de repetir a palavra sagrada como se fosse uma fórmula mágica para esvaziar a
mente ou para forçar a palavra sobre sua consciência. Ao retornar à palavra sagrada, você
reafirmar sua escolha para conversar com Deus e estar unido a Ele. Isso não exige esforço, mas
se render Assim, sempre que você retornar à palavra sagrada, fazê-lo sem exasperação ou
desespero. Mais de reacção é contra produtivo. Ninguém corta um gramado com um bulldozer
Tudo que você precisa para afastar uma mosca é um movimento da sua mão. Na oração de
centralização a renovação paciente de sua intenção é atividade suficiente.

Há todos os tipos de formas em que Deus fala conosco - através dos nossos pensamentos ou
qualquer uma das nossas faculdades. Mas tenha em mente que a primeira língua de Deus é o
silêncio. Prepare-se para o silêncio nesta oração, e se outras coisas acontecer, que é o seu
problema, não o seu. Assim que você faz o seu problema, você tende a desejar algo que é
diferente de Deus. fé pura vai lhe trazer mais perto de Deus do que qualquer outra coisa. Para ser
anexado a uma experiência de Deus não é Deus; é um pensamento. O tempo de centrar a oração
é a hora de deixar ir de todos os pensamentos, mesmo o melhor dos pensamentos. Se eles são
realmente bons, eles vão voltar mais tarde.

O que você acha de drogas como um meio de induzir experiências místicas?


41
Alguns parecem achar experiência espiritual através de certas drogas psicodélicas. É muito mais
desejável, no entanto, ter um built-in disciplina do que depender de drogas, que nem sempre
funcionam como desejado. Como certos métodos poderosos de meditação oriental, as drogas
podem liberar o material do inconsciente antes que um é capaz de lidar com isso. Algumas
pessoas que tomam LSD teve viagens ruins porque eles não têm a preparação psicológica para
lidar com o que surgiu de seu inconsciente, como resultado da droga.

Esta tarde eu me senti muito pesado e cansado.

Muitas vezes você vai notar uma alternância entre os chamados bons e maus períodos de oração.
Tente dar-se essas categorias completamente.

Um pensamento que tive foi: "Qual é o sentido de tudo isso? Levante-se e sair." Claro, eu não
fui.

Boa. Foi apenas mais um pensamento. Não importa o quanto um pensamento pode perseguir
você, tudo que você tem a fazer é deixá-lo passar. Lutando, você despertar outros pensamentos.

Eu gostaria de esclarecer algo que eu estava lutando com. No passado, eu tenho trabalhado com
determinação para ser centrado. Eu tive uma sensação de empurrar a concentrar-se contra
tranquilamente e suavemente centralização no.

Você não pode fazer esta oração pela força de vontade. O maior esforço que você colocar nele, a
menos bem ele vai. Quando você se pega tentando duro, relaxar e deixar ir. Introduzir a palavra
sagrada suavemente, incrivelmente suavemente, como se estivesse colocando uma pena em um
pedaço de algodão absorvente.

Claro que, quando pensamentos estão voando em você como bolas de beisebol, você olhar ao
redor para alguns meios para se proteger. Mas mini-los fora do parque não é a maneira de fazê-
lo. Você deve dizer honestamente: "Bem, eu estou sendo atacado com estes pensamentos", e
colocar-se com eles, lembrando que se você apenas esperar, todos eles vão passar. Não se opõem
a violência com violência. Esta oração é totalmente não-violenta. Um sinal de tentar demasiado
duro é uma sensação de aperto na testa ou na parte de trás do pescoço. Se você permitir que sua
atenção a fluir com que a dor por alguns momentos, ele geralmente desaparece Em outras
palavras, aceitar o fato de que você tem a dor. Descansar na presença da dor. A dor tem uma
maneira de dissolver qualquer outro pensamento. Ele traz a mente a um único ponto, que
também é o propósito da palavra sagrada. Quando a dor desapareça,

Ao longo do primeiro período de oração, houve uma sessão de aconselhamento indo pelo
corredor que foi alto o suficiente para me para pegar pedaços e pedaços. Eu tinha vontade de
gritar a palavra sagrada para superar o ruído.

Nessa situação, não há muito que você pode fazer, mas manter a retornar à palavra sagrada, mas
sempre com a aceitação da situação tal como ela é. Às vezes você não pode fazer nada, mas
colocar-se com o ruído. Pense que você está sendo atualizado em um nível mais profundo, mas
você simplesmente não pode apreciá-lo.

Se em algum momento futuro distante, a oração deve ir além de trinta minutos, ou talvez até uma
hora, em algum momento suas costas podem queixar-se. É que o tempo para dizer: "Este é o
lugar onde a oração deve cessar"? Ou você deve apenas continuar?

42
Sua oração deve normalmente terminar antes de desenvolver uma dor nas costas. Um geralmente
tem um sentido quando se do período normal de oração é longo. Para algumas pessoas isso pode
vir depois de vinte minutos. Para outros, depois de meia hora ou mais. Eu duvido que você iria
para mais de uma hora sem sentir que a sua oração acabou Mas você é livre para desenvolvê-lo a
esse ponto, se você tem a atração ea graça para sustentá-la.

A melhor maneira de prolongar a oração seria configurar dois períodos de comprimento volta
ordinária para trás com uma caminhada lenta, meditativo ao redor da sala para cinco a dez
minutos no meio. Isso ajudaria a dissipar a inquietação que podem desenvolver a partir sentado
em uma posição por um longo tempo.

Período de tempo, no entanto, não é um indicador do valor de sua oração. A qualidade da oração,
em vez de sua quantidade é o que importa. Um único momento de união divina é mais valioso do
que um longo período de oração durante o qual você está constantemente dentro e fora do
silêncio interior. Leva apenas um momento para Deus para enriquecê-lo. Nesse sentido, o
processo de espera é uma preparação para momentos de união divina. União pode ocorrer apenas
por um instante, mas você pode ser mais enriquecido do que alguém gastar uma ou duas horas
em formas inferiores de oração contemplativa sem esse momento de absorção em Deus. Cada
um de nós tem que descobrir a partir da prática e experimentação, quando o nosso período de
oração é normalmente mais. Para prolongar-lo simplesmente porque ele está indo bem não é uma
boa idéia.

Como eu encontro-me ir mais fundo, eu fico assustado e me puxar para fora do mesmo. Eu tenho
medo Eu vou ficar lá em baixo. Eu não sei se o medo é psicológico, físico ou espiritual.

Esta é uma experiência comum. Quando você chegar perto da borda da auto esquecimento, a
menos que a atração divina é forte e reconfortante, você pode sentir medo. Nossa imaginação
representa o desconhecido tão assustador. Se você ignorá-lo e tomar a mergulhar de qualquer
maneira, você vai achar que a água é delicioso.

Ontem à noite eu me deixo ir, mas então eu me tirou dela. Fiquei tão triste depois, e eu não sabia
por que fiz isso.

Antes de começar sua oração, dizer a Deus: "Se você quer me puxar mais para o outro lado, vá
em frente." Em seguida, relaxe. Quando submetido a um anestésico, pela primeira vez, você não
sabia o que iria acontecer. Se não tivesse sido mais ou menos forçado em você, você
provavelmente não teria tomado. Esta oração é o mesmo tipo de situação. Você não sabe o que
vai ser como quando você parar refletindo. Mas experimentá-lo.

Eu estava à beira de uma bela experiência, mas que o medo estava lá, então eu parei. Eu não sei
por que eu me tirou dela.

Tente não para refletir sobre a experiência de todos ao mesmo tempo que está acontecendo;
deixar ir.

Existe uma maneira de fazer esta oração com muita freqüência para que você cair em
passividade?

Só se você fazê-lo por mais de cinco ou seis horas por dia durante um longo período de tempo.
Eu não acho que três ou quatro horas por dia teria quaisquer efeitos adversos em tudo. Muitos
poderiam orar mais tempo se construiu a ele gradualmente ao longo de um período de vários
43
meses. Se você está fazendo isso corretamente, você pode perceber na sua actividade um
aumento de energia em vez de passividade Isso é porque você está sendo liberado a partir de um
monte de emocionais hang-ups que costumavam esgotá-lo.

Que suas faculdades superficiais estão cientes de um monte de barcos e detritos que vêm para
baixo o fluxo de consciência não significa que as suas outras faculdades, intelecto e vontade, não
são profundamente recolhida em Deus. Você pode ser dolorosamente consciente de pensamentos
indesejados passando e desejo que eles não estavam lá. Ao mesmo tempo, você pode estar ciente
de que algo dentro de você é absorvido por uma presença misteriosa que é completamente
intangível, refinada e delicada. A razão é que sua psique está desenvolvendo a consciência
expandida de que falei antes, que é capaz de atender a dois planos da realidade, ao mesmo
tempo, uma superficial e outra profunda. Se você está envolvido em pensamentos superficiais ou
está chateado porque você tem esses pensamentos, você não vai sentir o nível mais profundo. Há
outras vezes, no entanto, quando você não vai sentir o nível mais profundo,

Se o tempo passa rapidamente durante a oração, que é um sinal de que você estava
profundamente absorvida, talvez muito mais do que você realizou. Quando não há objetos que
passam em sua imaginação, a noção de tempo é interrompido. Se não houver objetos passando,
há uma experiência de intemporalidade. Você está plenamente consciente, ainda não de tempo. O
tempo é uma projecção de auto. Quando não há nenhum pensamento, você está livre do tempo.
Isto dá-lhe uma intuição para o fato de que quando o corpo vai para longe de espírito, nenhuma
grande mudança vai ocorrer. Em profunda oração que você não pensa sobre o corpo de qualquer
maneira. A perspectiva de morrer não é tão ameaçador, porque você tem experimentado uma
prévia do que pode ser para o espírito de ser separada do corpo, e é delicioso.

Durante a oração às vezes tenho a sensação de happy-go-lucky que eu acho mais agradável.

Você não deve levar a oração a sério demais Há algo lúdico sobre Deus. Você só tem que olhar
para um pinguim ou alguns outros animais para perceber que ele gosta de jogar piadas sobre
criaturas. A brincadeira de Deus é uma parte profunda da realidade. Ele adverte-nos para não nos
levamos muito a sério, para perceber que Deus nos criou com um certo senso de humor

Será que meu anjo da guarda sabe o que se passa na minha oração centralização?

Não, a menos que você diga a ele! Anjos e demônios não pode perceber que você está fazendo na
oração contemplativa se é profundo o suficiente. Eles só podem saber o que está na sua
imaginação e memória, e eles podem adicionar material para essas faculdades. Mas quando você
está em silêncio interior profundo, que está acontecendo lá é o segredo de Deus. Só Ele sabe o
que se passa nas profundezas da alma. Algumas pessoas pensam que se você acalmar a mente,
você se abre para forças diabólicas. Mas de acordo com João da Cruz, você nunca está seguro do
que quando você está absorvido na presença de Deus, além de pensamentos e sentimentos, pois
os demônios não podem tocá-lo. É só quando você sai do silêncio interior que podem atormentá-
lo com tentações. É por isso que uma das melhores maneiras de lidar com tentações é a
escorregar para a mesma atitude que você toma durante a oração contemplativa. 1 Não temos que
ter medo de abrir-nos a perigos desconhecidos, praticando a oração contemplativa Ninguém pode
se juntar a nós nesse nível, exceto aquele que é mais profundo do que esse nível, o Deus que
habita em nós e fora de cujo amor criativo que surgem em cada momento.

Durante o meu período de oração hoje, havia um pensamento que continuava voltando. Após a
minha oração acabou, ele voltou novamente. Era um pensamento egoísta. Eu trouxe-o para a
capela e orar perante o Senhor. Fiz um presente dela para Ele e, em seguida, me senti muito bem.
44
Eu senti como se pensava que era uma lasca ficando no meu caminho e eu tinha acabado de
tomar-lo. Existe uma vantagem em tomar essas coisas para o Senhor em oração quando você
pode falar assim com ele?

Por todos os meios seguir a sua atração. Devemos ir a Deus com grande liberdade. Enfatizo
oração contemplativa porque é uma área que tem sido negligenciado nos últimos séculos. O
tempo que você dedicar ao silêncio interior não é feito para estar em conflito com outras formas
de oração.

No início da centralização; Eu costumava achar que é muito difícil não sair em oração vocal se
eu senti que eu não estava chegando a algum lugar, mas agora eu entendo que como tentar
esvaziar a si mesmo; você abrir espaço para o Espírito para entrar e orar nos recessos mais
íntimos do seu ser. Isso me ajudou a colocar para fora pensamentos. Vejo que não há necessidade
para mim para tentar rezar em palavras, mas que eu deveria relaxar e deixá-Lo entrar para rezar.

A oração não é projetado para mudar a Deus, mas para nos mudar. Quanto mais rápido nós
deixar que isso aconteça, o melhor a nossa oração vai ser. Mas uma vez que temos obtido
interessados em Deus e começaram a procurá-lo, a melhor coisa a fazer é ficar em silêncio na
oração e deixá-Lo concluir o processo. Não é esse o grande significado da Virgem Maria? Ela
não poderia esquecer de Deus. Ela era a oração em seu próprio ser e em cada uma de suas ações.

Qual é a grande coisa que Nossa Senhora fez por nós? Ela trouxe a Palavra de Deus para o
mundo, ou melhor, deixar que Ele veio ao mundo, embora ela. Não é tanto o que fazemos, mas o
que somos que permite que Cristo viva no mundo. Quando a presença de Deus emerge de nossos
ser mais íntimo em nossas faculdades, quer andar na rua ou beber uma xícara de sopa, a vida
divina está derramando no mundo. A eficácia de cada ação depende da fonte de onde brota. Se
ele está saindo do falso self, ele é severamente limitada. Se ele está saindo de uma pessoa que
está imerso em Deus, é extremamente eficaz. O estado contemplativo, como a vocação de Nossa
Senhora, traz Cristo ao mundo.

Eu gostaria de esclarecer algo sobre o uso de oração contemplativa em momentos de tentação,


stress, ou dificuldade. Eu tenho dificuldade com a idéia de usar a oração para me trazer a paz.
Isso não é um motivo egoísta?

A princípio eu tinha em mente ao sugerir entrando em oração contemplativa era para acalmar
seus pensamentos e sentimentos, quando eles estão ficando viciadas em alguma tentação,
praticando o mesmo tipo de deixar ir o que você faz durante a oração contemplativa. A tentação
pode ser tratado como qualquer pensamento que vem para baixo o fluxo de consciência. Se você
deixá-lo passar, que é a resistência suficiente. Se você é incapaz de fazer isso, você tem que
exercitar outras formas de resistência.

____________________1. Cf. Paatma 17, 27, 30, 45, 58, 61, 70, 90.

É a atitude que desenvolvemos no nosso estilo de vida comum de abandonar certas coisas uma
forma de preparar-nos para a oração de uma forma tangível, prático, de modo que será mais fácil
de deixar ir os pensamentos quando estamos em oração?

Há uma interação recíproca entre a sua actividade durante o dia e sua oração, e vice-versa. Eles
mutuamente apoiar um ao outro.

45
Como você pode orar em silêncio profundo e paz quando você está muito chateado com alguma
coisa?

Em tais circunstâncias, você não pode esperar para rezar em silêncio, sem algum tipo de zona
tampão. Você pode ter que correr ao redor do bloco, fazer exercícios físicos, ou alguma leitura
adequado. Caso contrário, logo que você se sentar e tentar ficar quieto, você vai pensar que você
está sentado sob Cataratas do Niágara, em vez de ao lado do fluxo de consciência. Você tem que
se dar uma chance para se acalmar antes de começar a rezar. Além disso, alguns estudos são tão
grandes que eles batê-lo de cara no chão e não importa o que significa que você tomar para
acalmar, você não será capaz de estabelecer-se em silêncio interior. Dando-se o tempo habitual
para orar, no entanto, irá ajudá-lo a aceitar o problema e a tempestade emocional.

Por que limitar os períodos de oração a meia hora no grupo?

Parece ser o período normal para atenção prolongada. Mais do que isso pode desencorajar as
pessoas a iniciar ou continuar. No entanto, ele precisa ser tempo suficiente para estabelecer o
sentido do silêncio interior.

Há um grande valor em orando ao mesmo tempo todos os dias e para o mesmo período de
tempo. Isto lhe dará um reservatório estável de silêncio. Dividindo o dia entre dois períodos
iguais de profunda oração dá a oportunidade máxima para o seu reservatório de silêncio para
afetar todo o dia.

Quanto mais atividade em que você se encontra, mais você vai precisar de seus tempos de
oração. O excesso de actividade tem uma maneira de se tornar um dreno. Ele também tem um
fascínio misterioso. Como uma escada rolante ou merry-go-round, é difícil de sair. A oração
regular é uma verdadeira disciplina. Para interromper o que está fazendo, a fim de orar pode ser
difícil. Você precisa estar convencido de que o seu tempo de oração é mais importante do que
qualquer outra atividade além de alguma chamada urgente da caridade. Você vai se surpreender
que as coisas que você tem de fazer cair no lugar e começar realizado mais rapidamente você
será capaz de ver o valor proporcional de suas atividades eo que deve ser feito primeiro.

Por duas vezes por dia e não um período mais longo?

Duas vezes por dia mantém você mais perto do reservatório de silêncio. Se você ficar muito
longe do reservatório, é como estar no fim da linha de água depois de todo mundo tomou o que
querem do reservatório. Quando você abre a torneira, você tem apenas algumas gotas. Para
impedir que isso aconteça, manter a pressão. Você precisa manter enchendo seu reservatório até
que, eventualmente, atacar um poço artesiano. Então, a água está sempre fluindo.

A oração contemplativa é uma preparação para a ação, para a ação que emerge da inspiração do
Espírito no silenciamento da nossa própria agitação, desejos e hang-ups. Tal silêncio dá a Deus a
oportunidade máxima para falar.

Durante a oração é tudo certo para refletir sobre o que está acontecendo ou é melhor deixá-lo ir?

Durante esta oração não é apropriado para refletir sobre o que está acontecendo. Devemos
suspender completamente o julgamento durante esta oração. Posteriormente, pode ser útil para
refletir sobre isso. Como você ganhar experiência, você tem que manter integração da sua oração
para o resto de sua vida de fé. Isso requer alguma forma de conceituação. Ao mesmo tempo,
você não tem que analisar a sua oração para obter seus benefícios. É tão bem não prestar atenção
46
ao que está acontecendo. Se você está recebendo bons frutos a partir dele, você espontaneamente
vai notar. De fato, outras pessoas vão dizer: "Você não parece ser tão agitado como você
costumava ser." Pode haver uma certa gentileza em você que não foi notado antes. Você mesmo
pode perceber que, enquanto você costumava sentir como slugging alguém quando você ficou
com raiva, agora você pode estar satisfeito com a administração de uma repreensão suave.

A oração contemplativa promove uma atitude totalmente diferente para os sentimentos de um;
ele coloca-os em um quadro de referência diferente. sentimentos mais extremos vêm de uma
sensação de insegurança, especialmente quando nos sentimos ameaçados. Mas quando você está
sendo constantemente reafirmado pela presença de Deus no silêncio profundo, você não tem
medo de ser contrariada ou imposta. Você pode ser m bastante humilde aprender alguma coisa
com insultos e humilhações sem ser oprimido por sentimentos de auto-depreciação ou vingança.
sentimentos negativos em relação a si mesmo tendem a ser predominante em nossa cultura
devido à auto-imagem baixa pessoas desenvolvem na infância, possivelmente por causa da nossa
Qualquer sociedade altamente competitiva que não ganha sente que ele não é bom nesta cultura,
enquanto que no silêncio de profunda oração, você é uma pessoa nova, ou melhor, você é você.

O que acontece se, porque é consolador, você prolonga oração centrada por horas?

Se você exagerar nada, ele é obrigado a ter alguns efeitos colaterais ruins. Demasiada alegria,
assim como muita tristeza é fatigante. O objetivo desta oração não é mais oração ou mais
silêncio, mas a integração de oração e silêncio com a atividade. Consolo de um tipo espiritual é
tão satisfatório que ele pode ser uma armadilha. É por isso que, limitando a oração contemplativa
para um determinado período de tempo, você tem uma medida de bom senso para o que é
razoavelmente bom para você sem correr o risco de gula espiritual. É um dom precioso para
chegar perto de silêncio interior. Sua beleza é tão incomparável que ele muda os percepção do
que é a beleza. Se você estiver enfrentando esse bastante frequência, você ganha força para
enfrentar oposição e contradição. O silêncio interior é um dos mais fortalecimento e afirmação
de experiências humanas. Não há nada mais de afirmação, de fato, do que a experiência da
presença de Deus. Essa revelação diz que nada mais pode, "Você é uma boa pessoa. Eu criei
você e eu te amo." O amor divino nos leva a ser no sentido mais completo da palavra. Ele cura os
sentimentos negativos que temos sobre nós mesmos.

Tenho medo de que eu vou parar de respirar durante o tempo de oração. Eu me sinto mais seguro
quando eu estou ficando no meu ritmo do corpo. Eu presto atenção a isso e tenho medo de deixá-
lo ir por muito tempo.

Sua respiração pode ficar superficial, mas quando você precisa de oxigênio que você vai respirar
automaticamente. O corpo tem seu próprio bom senso, e se a sua respiração está ficando muito
rasa, seu corpo só vai tomar uma respiração profunda. Isso acontece durante o sono; isso vai
acontecer em oração. Existe uma correlação entre pensar e respirar. Como a respiração fica
superficial, pensamentos diminuir. Mas assim que você começa a pensar, aumenta a respiração
também.

Ouvi dizer que se você rápido, a meditação é reforçada. Eu acho que é uma questão de treinar-se.

A capacidade de jejuar é peculiar a cada pessoa. O que se recomenda é que não fazer
centralização com o estômago cheio. A tendência desta oração é reduzir o metabolismo. A
consequência disto é que os processos corporais como a digestão abrandar. Esperar uma hora e
meia depois de uma refeição completa. Não praticar antes de ir para a cama. Você pode
experimentar uma onda de energia que pode mantê-lo acordado durante algumas horas.
47
Para alguns, o jejum irá melhorar a experiência da oração de centramento. Pode ter o efeito
oposto sobre os outros. Se sua fome é tão intensa que preocupa você durante o tempo de oração,
o jejum é contraproducente O princípio a seguir durante a oração centrada é tentar esquecer o
corpo. Simplicidade de vida, não extremos, se encaixa melhor com este tipo de prática.

Ela ajuda a ter o grupo para dar apoio moral. É melhor para centralizar em conjunto ou sozinho?

Há um apoio moral e psicológico em grupo. É por isso que é uma ajuda para ter um grupo de
apoio que se reúne regularmente uma vez por semana. Por outro lado, alguns preferem fazê-lo
sozinho, porque eles não têm de ajustar-se o que as outras pessoas estão fazendo. Ambas as
experiências são valiosas.

Quando eu achar que não estou pensando em nada, eu me pego pensando sobre a minha
respiração.

A melhor maneira de lidar com isso é a aceitá-lo e não prestar atenção. É como se você estivesse
andando pela rua à igreja e alguém começou a caminhar ao seu lado. Basta manter indo, não
prestar atenção a este companheiro sem ser convidado, e você vai acabar onde você quer ir. Diga
"sim" a tudo o que acontece. Dessa forma, há uma chance melhor que a imagem obsessiva vai
passar. A reação de aborrecimento ou de prazer intensifica um pensamento particular.

Todos os pensamentos que vêm para baixo o fluxo de consciência estão sujeitos a tempo, porque
eles estão se movendo objetos, e cada objeto tem que passar. Se você só esperar e não fazer nada
sobre eles, todos eles vão passar. Mas se você tentar fazer algo com eles ou para ficar longe
deles, você está preso com eles e você vai começar a ir a jusante junto com eles. Então você terá
que começar tudo de novo.

Deixe os pensamentos vêm, deixá-los ir. Nenhum aborrecimento, nenhuma expectativa. Este é
um muito delicado espécie de auto-negação, mas é mais valioso do que austeridades corporais,
que tendem a fixar a atenção sobre si mesmo. Esperando por Deus sem ir para longe, dando o
tempo habitual para a oração, e colocando-se com o que se passa na imaginação são as práticas
mais eficazes para adquirir verdadeira devoção. A observância delas levará a uma completa
mudança de coração.

Parece que há momentos em que você está ciente de algo em torno de você. A palavra sagrada se
torna uma realidade e você não pode fazer-se repeti-la. Este estado não é como a consciência
desperta comum, mas não se sente como o sono ou porque existe algum plano de consciência.

Essa é a consciência que estamos tentando despertar. Poderia ser chamado de atenção espiritual.
Esta atenção profunda está ciente de fatores externos, mas eles não fazem qualquer impressão
sobre ele, porque somos cativados por uma atenção para dentro misteriosa. É como conversar
com alguém que você ama. Você não pode dizer nada de especial, mas você está envolvido nessa
pessoa. Se você está comendo juntos em um restaurante, as garçonetes podem ser ir e vir, mas se
você estiver envolvido em uma conversa interessante, você nem percebe que eles estão fazendo.
Uma garçonete pode até mesmo colocar o cheque e você não vai notar que ele é o final da
refeição ou que todo mundo deixou o local e é hora de ir. Esta oração não é uma conversa em
palavras., Mas uma troca de corações.

Eu encontrei-me lidar com certos tipos de resistência a Deus. Eu estava meio ciente dessas
resistências que eu achei que acontecem espontaneamente. É adequada para utilizar este período
de oração como um tempo para lutar com si mesmo ou a Deus?
48
Quando se está interiormente tranquila, alguns dos conflitos que estão escondidos pelo fluxo
normal de pensamentos começam a entrar em foco. Normalmente eu não iria lutar com eles neste
momento, mas iria deixá-los passar. O tempo para refletir sobre eles é depois que você sair da
oração. O valor da oração contemplativa é que é uma imersão total nesse aspecto de nosso
relacionamento com Deus que passa a ser o mais importante - o cultivo do silêncio interior. Os
problemas psicológicos podem entrar em foco como resultado de períodos de grande paz, e um
avanço pode emergir. Mas geralmente essas idéias são um truque para levá-lo a pensar em algo.
"Qualquer coisa mas o silêncio" é a resposta do falso self a este tipo de oração. O silêncio
interior vai totalmente ao contrário de todas as inclinações do falso eu. É por isso que você tem
que atraí-lo para estar ainda por pouco tempo. No entanto, pode haver alguma visão especial em
um conflito que você se sente inspirado para o trabalho através de imediato Sinta-se livre para
fazer uma exceção. Mas se isso acontece muitas vezes, você pode estar cometendo um erro.

Hoje eu tive uma experiência de ter pensamentos vêm e vão sem se preocupar com eles, como eu
normalmente sou. Ainda estou tateando em busca de um equilíbrio entre o uso da palavra
sagrada e apenas descansando na presença. Houve alguns breves momentos de simples presença
sem o meu nada a fazer. Então eu me pergunto, eu deveria usar a palavra agora?

Quando você está em silêncio interior profundo, qualquer pensamento age sobre você como
saborosos isca atua sobre um descanso de peixe nas águas profundas de um lago. Se você
morder, para fora você vai! Tente não ter qualquer expectativa. Isso não é fácil. Ele vem como
resultado do hábito de deixar todos os pensamentos passam. Eventualmente você não se importa
o que está vindo a jusante porque vai por de qualquer maneira, se é agradável ou doloroso. Devo
acrescentar que a prática dessa oração fará com que os acontecimentos da vida mais fácil de
manusear, porque você vai ser capaz de deixá-los ir e vir também. Centrando a oração é um
treinamento em deixar ir.

49
Capítulo 7 O Nascimento de atenção espiritual

O chefe ato da vontade não é esforço, mas consentimento. O segredo de ficar com as
dificuldades que surgem na oração contemplativa é a aceitá-los. A vontade é a afetividade mais
do que é efetividade. Para tentar realizar coisas pela força de vontade é reforçar o falso eu. Esta
não dispensa-nos de fazer esforços adequados. No início, a vontade está envolvida em hábitos
que são egoístas. Temos que fazer esforços para retirar deles. Mas como a vontade sobe a escada
da liberdade interior, sua atividade se torna mais e mais um de consentimento para a vinda de
Deus, ao influxo da graça. Quanto mais Deus faz e quanto menos você faz, melhor a oração. No
início se é consciente de ter de dizer a palavra sagrada uma e outra vez. A melhor maneira de
expressar esse tipo de atividade é dizer que uma retorna à palavra sagrada ou que um coloca
gentilmente a palavra sagrada em uns consciência. A palavra sagrada é o símbolo do movimento
espiritual sutil da vontade. Um mantém consentir a presença de Deus. Uma vez que Ele já está
presente, a pessoa não tem que chegar para agarrá-lo.

A palavra sagrada é o símbolo de consentir a presença de Deus. Eventualmente, os


consentimentos vontade de si, sem necessidade de um símbolo. O trabalho da vontade em oração
é um trabalho real, mas é um dos recepção. Receber é um dos tipos mais difíceis de atividade
que existe. Para receber Deus é o principal trabalho na oração contemplativa.

O método da oração de centramento é uma maneira de abrir a Deus em 360 graus. Rendendo-se
a Deus é um tipo mais desenvolvido de consentimento. Transformação é completamente a obra
de Deus. Nós não podemos fazer nada para que isso aconteça. Nós só podemos impedir que isso
aconteça.

Como esta oração se torna habitual, uma presença indiferenciada e pacífica misteriosa parece ser
estabelecida dentro de você. Algumas pessoas dizem que se sentem que Deus está vivo dentro
deles. Aquela Presença tranquila que está sempre lá quando eles se estabelecem torna-se seu
método de oração.

No começo nós trazemos para a oração nosso falso eu com suas expectativas e ideias pré-
concebidas. É por isso que em ensinar esta oração eu não falo de esforço. O esforço de palavra é
imediatamente traduzido em nossa ética de trabalho para tentar. Tentando dilui a disposição
básica de receptividade que é necessário para o crescimento de Receptividade oração
contemplativa não é inatividade. É a atividade real, mas não esforço no sentido comum da
palavra. Se você quiser chamá-lo esforço, tenha em mente que é totalmente diferente de qualquer
outro tipo de esforço. É simplesmente uma atitude de espera para o mistério final Você não sabe
o que é, mas como sua fé é purificada, você não quer saber. Claro que, em um sentido que você
está morrendo para saber Mas você percebe que você não pode saber por meio de qualquer
faculdade humana; por isso, é inútil esperar qualquer coisa.

Esta oração é, portanto, uma viagem para o desconhecido. É um chamado para seguir Jesus de
todas as estruturas, cobertores de segurança, e até mesmo práticas espirituais que servem como
adereços. Todos eles são deixados para trás na medida em que fazem parte do sistema de falso-
self. A humildade é o esquecimento de si. Para esquecer auto é o trabalho mais difícil na terra,
mas não surgiu por tentar. Só Deus pode trazer o nosso falso self ao fim. O falso eu é uma ilusão.
É a nossa maneira de conceber o que somos eo que é o mundo. Jesus disse: "Aquele que perder a
vida por minha causa a encontrará:'(Mateus 10:39) Ele também disse: "Se alguém quer vir após
50
mim negue-se a si mesmo [isto é, o falso eu, tome a sua cruz e siga-me."(Mateus 16:24) onde
Jesus está indo? Ele está indo para a cruz onde até mesmo o seu eu divino-humano é sacrificado.

Para os cristãos união pessoal com Cristo é o caminho para chegar a união divina. O amor de
Deus vai cuidar do resto da viagem. prática cristã tem como objectivo primeiro a desmantelar o
falso eu. É o trabalho que Deus parece exigir de nós como prova de nossa sinceridade. Então, Ele
vai levar nossa purificação na mão, trazer o nosso egoísmo profundamente enraizado em foco
claro, e convidam-nos a renunciar a ela. Se estamos de acordo, Ele leva-lo afastado e substitui-lo
com as próprias virtudes.

Em determinadas fases do desenvolvimento humano, há pontos de crise; por exemplo, o início


da adolescência eo período pouco antes da vida adulta. Da mesma forma, há uma crise no
desenvolvimento espiritual cada vez que um é chamado a um estado superior de consciência.
Quando a crise começa, uma trava para o falso self para a cara vida. Se alguém resiste a essa
trajetória de crescimento, há uma chance de que um pode regredir a um estado inferior ou jogar
ring-around-the-rosado por um tempo; existe a possibilidade de sucesso ou fracasso, de
crescimento ou regressão. Se um regride, um fortalece o falso. auto. Em seguida, um tem que
esperar até que Deus reedita um novo desafio. Felizmente, Ele tem planos para nós e não desista
facilmente Vemos esse padrão no trabalho da maneira que Jesus treinou os apóstolos no
Evangelho. Ele lida com a gente de maneira semelhante.

A mulher cananéia é um magnífico exemplo de alguém passando o que João da Cruz chamado a
noite dos sentidos, a crise que inicia o movimento da dependência de sentido e razão para a
docilidade ao Espírito. Esta mulher foi para Jesus como muitas outras pessoas tinham feito e
pediu a cura de sua filha. Ela não espera ter nenhum problema. Ela ajoelhou-se e fez sua petição.
Mas Jesus não lhe respondeu. Ela prostrou-se, com o rosto no pó, e ainda tenho o ombro frio.
Ninguém nunca foi tratado de modo mais ou menos por Jesus. Como ela estava rastejando na
poeira, ele disse: "Não é justo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos." (Matthew
15:26) A implicação é óbvia. Mas ela voltou com esta resposta incrível: "Você está
absolutamente certo, Senhor. Mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa
dos seus donos.' (Mateus 15:27) Jesus ficou emocionado. Seu comportamento estranho tinha a
intenção de criá-la para o mais alto nível de fé. No final da conversa, ele foi capaz de dizer-lhe:
"Como é maravilhoso é a tua fé! Você pode ter o que quiser!" Para chegar a esse lugar que,
também, pode ter a experiência de rejeição, silêncio e aparente rejeição.

Algumas pessoas se queixam de que Deus nunca responde às suas orações. Por que deveria? Por
não responder às nossas orações, Ele está respondendo a nossa maior oração, que é para ser
transformado. Isso é o que aconteceu com a mulher cananéia.

Às vezes não há pensamentos. Não é apenas a minha auto-consciência. Eu não sei se a


abandoná-lo ou para estar ciente disso.

Essa é uma questão crucial. Se você está ciente de nenhum pensamento, você está ciente de algo
e que é um pensamento. Se nesse ponto você pode perder a consciência de que você está ciente
de nenhum pensamento, você vai passar para a consciência pura. Nesse estado não há
consciência de si mesmo. Quando suas faculdades ordinárias voltar juntos novamente, pode
haver uma sensação de prazer tranquilo, um bom sinal de que você não estava dormindo. É
importante perceber que o lugar para onde estamos indo é aquele em que o conhecedor, o
conhecimento, e que é conhecido somos todos um. Consciência permanece sozinho. A pessoa
que está ciente desaparece junto com o que foi objeto de consciência. Isto é o que a união divina
é. Não há nenhuma reflexão de si próprio. A experiência é temporária, mas orienta você em
51
direção ao estado contemplativo. Enquanto você pés unidos com Deus, ele não pode ser plena
união. Enquanto não é um pensamento, não é plena união. O momento de união completa tem
nenhum pensamento. Você não sabe sobre isso até que você sair dela. No começo é tão tênue que
você pode pensar que você estava dormindo. Não é como o sentido de união de feltro com o
Senhor que ocorre no nível de auto-reflexão. União no nível espiritual é um estado de
consciência pura. É a infusão de amor e conhecimento juntos, e enquanto ela está acontecendo, é
não-refletivas. União no nível espiritual é um estado de consciência pura. É a infusão de amor e
conhecimento juntos, e enquanto ela está acontecendo, é não-refletivas. União no nível espiritual
é um estado de consciência pura. É a infusão de amor e conhecimento juntos, e enquanto ela está
acontecendo, é não-refletivas.

Há algo em nós que quer estar ciente de que não temos conhecimento de nós mesmos. Mesmo
que a vontade de deixar de ir a auto está presente, não podemos fazer nada para trazê-lo sobre a
não ser continuando a deixar de ir todos os pensamentos. Se refletirmos sobre si mesmo,
começamos a sair novamente para o mundo conceitual.

união divina para alguns pode parecer um pouco assustador. Não podemos imaginar que um tal
estado de ser pode ser assim. Nós pensamos: "E se eu perdi a consciência? E se eu nunca mais
voltar?" Se entrar o medo de que podemos não voltar, nós inibir o processo de deixar ir.

Centrando a oração é um exercício de desapego. Isso é tudo. Ele deixa de lado todos os
pensamentos. Um toque do amor divino permite-lhe tirar todos os prazeres do mundo e jogá-los
no lixo. Refletindo sobre comunicações espirituais diminui-los. O Sutra do Diamante diz tudo:
"Tente desenvolver uma mente que não se apega a qualquer coisa." 1Isso inclui visões, êxtases,
locuções, comunicações espirituais, dons psíquicos. Estes não são tão valiosos como consciência
pura.

É extremamente difícil não refletir sobre consolações espirituais, especialmente se você não ter
tido muita experiência deles. No entanto, quando você se aproxima o silêncio interior e são
jogados fora bastante vezes, você começa a aceitar o fato de que o método de agarrar não vai
funcionar. Não desanime ou entrar em sentimentos de culpa. O fracasso é o caminho para a
confiança ilimitada em Deus. Lembre-se sempre que você tem um bilhão de chances. Esse nosso
Deus não está cruzando fora de qualquer coisa na nossa lista de oportunidades. Ele continua se
aproximando de nós de todos os ângulos possíveis. Ele atrai, chama, cutuca, ou nos empurra,
conforme o caso exigir, para o lugar onde Ele quer que sejamos.

Eventualmente, você pode se acostumar com um certo grau de silêncio interior. A paz deliciosa
que você pode ter apreciado nos primeiros estágios da oração contemplativa torna-se um estado
normal. Como tudo na vida, você pode se acostumar com a oração contemplativa e não notar os
grandes presentes que você está recebendo. Habitualmente você estabelecer-se no início de
oração e mover-se em um espaço tranquilo, e isso é tudo que existe. Mas isso não significa que
você não está recebendo a oração do silêncio, em que a sua vontade é em união com Deus. Se os
pensamentos estão passando e você não sente nenhuma atração para eles, você pode ter certeza
de que você está na oração de silêncio. Quando todas as faculdades são compreendidos por Deus,
não há união plena. Isso, no entanto, não é o fim da jornada.

Qual é a relação da oração contemplativa para o resto da vida?

A união estabelecida durante a oração tem de ser integrado com o resto da realidade. A presença
de Deus deve tornar-se uma espécie de quarta dimensão a toda a vida. O nosso mundo
tridimensional não é o mundo real, porque a dimensão mais importante é ausente; ou seja, que a
52
partir do qual tudo o que existe está emergindo e retornando em cada momento micro-cósmica
de tempo. É como a adição de uma trilha sonora para um filme mudo. A imagem é a mesma, mas
a trilha sonora torna mais vivo. O estado contemplativo é estabelecida quando a oração
contemplativa se move de ser uma experiência ou série de experiências para um estado
permanente de consciência. O estado contemplativo permite um para descansar e agir ao mesmo
tempo porque um está enraizada na fonte tanto de descanso e ação.

Algumas pessoas experimentam uma prévia da união divina, perdê-lo por um período de tempo,
então tem que subir de volta para ele. Deus pode iniciar-se fora em qualquer ponto na vida
espiritual. Se você receber um avanço, você tem que voltar e preencher as lacunas. Não pense
que algumas pessoas têm sorte, porque eles têm visões quando são cinco ou seis anos de idade.
Essas pessoas ainda tem que ir através da luta para desmantelar os programas emocionais da
primeira infância. Estes programas são apenas temporariamente posto para dormir pela ação
divina. Uma grande vantagem para essas pessoas, no entanto, é que eles sabem por experiência o
que está faltando em suas vidas e que nada menos do que Deus nunca pode satisfazê-los. É um
erro, no entanto, a invejar ou admirar caminho de outra pessoa. Você deve ser convencido de que
você tem tudo que você precisa para alcançar a união divina.

Deixe de consolação sensível e espiritual. Quando você sentir o amor de Deus fluindo para
dentro de você, é uma espécie de união, mas é uma união de que você está ciente. Portanto, não é
a união pura, não completa união. consolo espiritual é tão maravilhoso que a natureza humana
atinge ansiosamente para ele. Nós não estão prestes a sentar-se quieto e fingir que não está lá.
Estendemos a mão para ele com todo o nosso ser e chorar, "Se eu só me lembro como cheguei
aqui!"

Contanto que você são movidos por esses desejos, você ainda está tentando controlar Deus.
Mesmo se você ver os céus abrir e Jesus sentado à direita do Pai, esqueça. Retornar à palavra
sagrada. Você não tem nada a perder. comunicações espirituais cumprir seu propósito
instantaneamente antes de ter a chance de refletir sobre eles. Você recebeu o benefício integral da
presente mesmo se você nunca pensar sobre isso novamente. Deixando de lado os dons
espirituais é a melhor maneira de recebê-los. O mais destacado você é a partir deles, mais você
pode receber ou melhor, o melhor que você pode receber. É preciso muita coragem para deixar ir
das coisas mais deliciosas que podem ser experimentados.

Porque é que existe tal uma alternância na oração entre consolação e desolação, silêncio interior
e o bombardeio de pensamentos, a presença de Deus e a ausência de Deus?

As alternâncias em nossa relação com Deus não são ao contrário da presença ou ausência de
alguém que amamos muito. No Cântico de Salomão, Deus é retratado como perseguir a alma
como Sua amada. Os pais da Igreja tinha um apreço para este versículo em particular: "O que a
sua mão esquerda estavam sob minha cabeça e que sua mão direita me abraçou." (Cantares 2: 6)
De acordo com a sua interpretação, Deus nos abraça com ambos os braços. Com a esquerda Ele
humilha e nos corrige; com o direito Ele nos levanta e nos consola com a certeza de ser amado
por Ele. Se você quiser ser totalmente abraçado pelo Senhor, você tem que aceitar ambos os
braços: a que permite o sofrimento em prol da purificação e aquele que traz a alegria da união.
Quando você sentir dor física ou quando lutas psicológicas estão perseguindo você,

Na oração contemplativa, a angústia causada pela ausência de Deus é muitas vezes compensada
por experiências de união divina. Quanto maior o seu desejo de união com Cristo, o mais
doloroso é quando ele parece ir longe. O sofrimento é parte da trama e urdidura de vida. Não é
um fim em si, mas parte do preço único tem que pagar por ser muito amado. Amor, seja humano
53
ou divino, o torna vulnerável. A alternância de alegria e tristeza na jornada espiritual nos ajuda a
ser destacado com nossas experiências psicológicas. Os verdadeiros amantes estão mais
interessados em ser amado por si mesmos do que para os seus abraços. Assim é com Deus. Ele
quer ser amado por seu próprio bem, pelo que Ele é, além do que podemos experimentar. A
tendência de buscar a recompensa do amor, que é ser amado em troca, é natural. O Espírito nos
ensina através destas alternâncias de amar a Deus como Ele é em Si mesmo, qualquer que seja o
conteúdo psicológico da nossa experiência. Esse tipo de liberdade estabiliza a jornada espiritual
A partir de então, as vicissitudes da jornada, enquanto dolorosas, por vezes, na superfície, não
perturbe o coração que está enraizada no amor divino.

Há um nível em que a dor é alegria e alegria é a dor. Então não importa mais o que é porque um
está enraizado em um lugar onde o que importa é o amor divino. Do ponto de vista do amor
divino, a dor pode ser alegria. É uma maneira de sacrificar-nos completamente por causa do
Amado. Ele não deixa de ser dor, mas tem uma qualidade diferente da dor comum. O amor
divino é a fonte dessa qualidade. Ele encontra na dor uma forma de expressar o seu amor com
uma totalidade que não seria possível de outra maneira. Jesus crucificado é a maneira de Deus de
expressar a imensidão de Seu amor por cada um de nós, prova de que Ele nos ama infinitamente
e incondicionalmente.

Pode a atração interior para o recolhimento ultrapassá-lo durante o dia em suas ocupações
normais?

Sim. Eu só recomendo que ao dirigir um carro, você manter seus olhos abertos! Além de tais
situações, se um tem o lazer, pode dar lugar a ele. Você também pode mais fazê-lo. A parte
agradável da oração não é o objetivo; é antes a introdução a ela. Se você pode estar unido a Deus
sem o intermédio de sentimentos e pensamentos, não há mais sentido de separação. consolação
espiritual é um meio de amenizar as faculdades e curando-os de suas várias feridas. Ele lhe dá
uma visão completamente diferente de Deus do que quando você está lidando com Ele
unicamente na base do bem e do mal, o certo eo errado, recompensa e punição. Como a relação
de intimidade com Deus começa a se aprofundar, você não deve indevidamente prolongar o seu
tempo de oração. Quando há algum dever a ser realizado, você tem que sacrificar para o
momento sua atração ao silêncio interior. Mas se você não tem nada urgente acontecendo, eu não
vejo por que você não pode ceder à atração por cinco ou dez minutos, ou mais, se você tem o
tempo.

_________________________1. Luk, Ch'an e Zen Teaching, Série One, p. 173.

Em ordens contemplativas deve haver grande respeito por expressões individuais da vida
contemplativa. Em diferentes períodos de sua desenvolvimento Deus chama um para mais vida
comunitária intensa e em outros momentos de maior solidão. Se você estiver em uma
comunidade onde apenas um ou o outro está disponível, a situação não é propício para a plena
expressão da vocação contemplativa. Instituições, mesmo as melhores, têm limitações. Às vezes,
Deus usa confinando situações para trazer alguém para grande perfeição, mas com o despertar
geral às necessidades individuais em nosso tempo, as comunidades vai fazer bem para lembrar
que contemplativos têm necessidades, também, e para fornecer para eles em uma atmosfera de
apoio e simpatia.

Alguns dos maiores sofrimentos de contemplativos vêm não de Deus, mas de outras pessoas.
Quando Margarida Maria Alacoque estava recebendo visões do Sagrado Coração de Jesus,
muitas vezes ela entrou em êxtase corporal.2Quando as outras freiras subiu no sinal para deixar o
54
coro, ela não conseguia se levantar. Seus superiores a acusou de desobediência, porque ela não
estava observando a regra. Algumas das irmãs pensou que ela deve ter um diabo, e eles usaram
para polvilhar-la com água benta para proteger a si e as outras freiras. Você pode imaginar seus
rostos quando eles estavam tentando exorcizar o demônio de pobre Margaret Mary, que
simplesmente não podia separar-se do amor de Deus. Sua vida de oração estava se
desenvolvendo de uma forma completamente normal, mas seus sentidos não poderia sustentar a
força das graças que Deus estava dando a ela. Mais tarde, quando ela se tornou a espiritualidade
mais madura, seus sentidos não ceder, e então seu estado de oração não óbvia era.

consolo espiritual que transborda para os sentidos e para o corpo é uma fase no crescimento da
oração contemplativa. Alguns temperamentos são mais propensos a ela do que outras. Alguns
não experimentá-lo em tudo. Se é especialmente forte, o corpo não pode mover um músculo e o
tempo passa despercebido. Centrando a oração pode lhe dar uma idéia do que isso pode ser
assim. Quando o período de oração parece passar rapidamente, você pode ver que se você fosse
um pouco mais profundo, você não teria nenhuma idéia de tempo em tudo. Se alguém veio e
tocou em você, você iria ser abalado. Se uma comunidade considera tais fenômenos como
perigosa, do diabo, ou improvável de acontecer a humilhar-religioso, então essa comunidade é
um contexto de pobreza para a Cruz com suspeita. João da Cruz é hoje reconhecido como um
dos maiores expoentes da vida mística que a Igreja Católica Romana já produziu. Se nem mesmo
ele poderia escapar a suspeita da Inquisição, o que você acha que aconteceria com que estavam
tendo experiências religiosas comuns que eles não poderiam articular porque não eram teólogos
ou diretores espirituais?

É uma coisa para ter a graça da oração interior; outro para ser capaz de comunicá-lo. Eles não
necessariamente andam juntos Às vezes, alguém que realmente tem a experiência contemplativa
expressa de uma forma que perturba o elemento mais conservador no ambiente. Essa pessoa
pode ser rotulado como um herege quando ele está apenas expressando-se desajeitadamente.

linguagem mística não é linguagem teológica. É a linguagem do quarto de dormir, de amor e,


portanto, de hipérbole e exagero. Se um marido diz que ele adora sua esposa, isso não significa
que ele considera como uma deusa. Ele está apenas tentando expressar seu sentimento de amor
em uma linguagem que é impotente para fazê-lo - exceto através de uma hipérbole. Mas se as
pessoas em seu ambiente não entendo esse tipo de linguagem, eles podem pensar que você está
sob a influência do diabo.

Como é que o Movimento Carismático encaixar com esta abordagem contemplativa à oração?

A grande contribuição que o Movimento Carismático tem feito é para despertar entre crença
contemporânea cristãos na atividade dinâmica do Espírito, que está se fortalecendo, consolando,
e guiando-nos com a sua inspiração infalível. Graças ao movimento, a espontaneidade das
primeiras comunidades cristãs descritos por Paulo e pelos Atos dos Apóstolos está sendo
redescoberto em nosso tempo. Os primeiros crentes reunidos em comunidades ao redor do Cristo
ressuscitado para ouvir a palavra de Deus nas Escrituras, para celebrar na liturgia, e para ser
transformado em Cristo pela Eucaristia. A presença do Espírito era palpável manifesta nestas
assembleias por meio dos dons carismáticos. O dom de línguas parece ter sido dada para
encorajar o crente individual; portanto, o seu uso no culto público era restrito. lnterpretation de
línguas, profecia, cura, ensino, administração e outros presentes previstas as necessidades
espirituais e materiais das diversas comunidades locais. O trabalho contínuo do Espírito
manifestada pelo desenvolvimento da tradição contemplativa cristã deve agora ser integrados
neste modelo bíblico revivido pela Renovação Carismática.

55
Eu conheço um homem que entrou no Movimento Carismático, estava tendo profundas
experiências espirituais, e não sabia o que eram. Seu pároco também não. Este homem estava em
contato com uma freira contemplativa em um convento de clausura, que lhe disse: "Não se
preocupe com isso, aqueles são típicos." Ela o encaminhou ao texto mística apropriada e
continuou a dar-lhe instrução.

O Movimento Carismático fala com a necessidade dos cristãos hoje por uma comunidade de
apoio e para uma experiência pessoal de oração. "Batismo no Espírito" é provavelmente uma
graça mística transitória induzida pelo fervor do grupo ou por outros fatores que não sabemos. O
dom de línguas é uma forma rudimentar de oração não-conceitual. Desde que você não sabe o
que está dizendo, você não pode estar pensando sobre o que você está dizendo. Aqueles no
Movimento preciso que aquele homem teve a sorte de receber, ou seja, a ajuda e instrução de
alguém que conhecia a tradição contemplativa cristã. Depois de ter cantado os louvores de Deus,
a oração compartilhamos juntos, falado em línguas e profetizavam por alguns anos, quando você
vai fazer a partir daí? Há um lugar para ir. É hora de introduzir períodos de silêncio no grupo,
para os membros estão agora totalmente preparado para se deslocar para uma expressão mais
contemplativa da oração Se algum silêncio foram introduzidos nas reuniões, o Movimento iria
realizar mais pessoas. Grupos diferentes de acordo com sua composição e recursos teológicos,
mas todos eles precisam de ajuda com o ensino espiritual. Alguns carismáticos se opõem à
oração contemplativa, porque eles acreditam que se você não está pensando, o diabo vai começar
a pensar por você. Na realidade, se você está orando em silêncio interior, o diabo não pode
começar em qualquer lugar perto de você. Não há mais chance de sua sugerindo coisas para sua
imaginação quando você está praticando meditação discursiva. É só quando você sai do silêncio
interior e ressurgir no mundo dos sentidos e raciocínio que ele pode colocar o dedo na torta e
agitar as coisas. O Movimento Carismático tem um grande potencial.

_______________________2. Poulain, Graças de Oração Interior, Capítulo XIV-57.

56
Capítulo 8 O tipos mais sutis de pensamentos

O primeiro tipo de pensamento que vem regularmente para baixo o fluxo de consciência quando
se começa a praticar a oração de centramento é woolgathering. Esta pode consistir de coisas que
estávamos fazendo ou pensando antes de nosso tempo de oração. Ou ainda, um som do lado de
fora, uma memória viva, ou algum plano para o futuro podem atrair e captar a nossa atenção. No
simile temos vindo a utilizar, esses pensamentos são como barcos flutuantes para baixo o fluxo
de consciência. Nossa reação normal, habitual é para dizer: "O que é isso? Eu me pergunto o que
está no porão?" Em vez disso, voltar suavemente à palavra sagrada, movendo-se do pensamento
particular à atenção amorosa geral a Deus que a palavra reafirma. E deixar o barco passar.
Quando outro barco vem para baixo, deixá-lo passar. Se uma frota inteira vem para baixo, deixá-
las passar.

No início, este é incômodo porque você quer permanecer em silêncio. Pouco a pouco você
começa a desenvolver duas atenções ao mesmo tempo. Você está ciente dos pensamentos
superficiais. Ao mesmo tempo, você está ciente de uma presença indiferenciada que
misteriosamente o atrai. É uma atenção mais profunda, a atenção espiritual. Você está ciente de
ambos os níveis de atenção acontecendo ao mesmo tempo. Para desenvolver essa mais profunda
atenção é mais importante do que se preocupar com os pensamentos superficiais. Eles deixarão
de atrair você depois de um tempo.

Um segundo tipo de pensamento que desce a corrente da consciência pode ser comparada a um
morcego chamativo que captura sua atenção e valores que você sente como subir a bordo. Se
você ceder à inclinação e suba a bordo, você começar a posição a jusante. Você identificou-se em
algum grau com o pensamento. Para retornar à palavra sagrada é reafirmar a sua intenção
original de abertura para a presença divina. A palavra sagrada é um meio de libertar-se da
tendência a ficar preso em um pensamento atraente. Se você é viciado ou prestes a ser agarrado,
deixar ir imediatamente, mas com um movimento interior muito suave. Qualquer forma de
pensamentos resistindo é por si só um pensamento. Além disso, é um pensamento com uma
carga emocional a ele. pensamentos emocionalmente carregadas dificultar a disposição básica
que estão envolvidos no cultivo, esperar em Deus, no mistério da Sua Presença. Portanto, deixar
de ir todos os pensamentos, e quando tentado a perseguir um deles, retornar à palavra sagrada.
Fazê-lo tão suavemente como se sua atenção foram a gota de orvalho descendente em uma
lâmina de grama. Se você se permite ser incomodado por ter sido puxado para fora das águas
silenciosas que você estava gostando, você só vai mais longe a jusante.

Quando você começa a se acalmar e desfrutar de uma certa paz, você não quer pensar em nada.
Você só quer ficar quieto. Em seguida, outro tipo de pensamento emerge. Poderia ser alguma luz
brilhante sobre a jornada espiritual ou algum grande insight psicológico em sua vida passada. Ou
você tem um problema com um membro de sua família e de repente ver como ele pode ser
resolvido. Ou você descobre o argumento perfeito para converter seus amigos. Claro que, quando
você sai da oração, você vê que suas idéias brilhantes eram absolutamente ridículo. Eles parecia
maravilhoso na escuridão das águas profundas do silêncio, mas à luz do dia você percebe que
eles foram isca para atraí-lo para fora da paz interior e tranquilidade.

Mais uma vez, você pode sentir um impulso irresistível de orar por alguém. É importante orar
pelos outros, mas este não é o momento para fazê-lo. Qualquer esforço que você faz neste
momento é contraproducente. Esta é a oportunidade de Deus para falar com você. Seria como
57
interromper alguém que quer confiar algo para você. Você sabe como é quando você está
tentando dizer a um amigo algo importante e ele continua interrompendo-lo com idéias próprias.
Nesta oração que está a ouvir Deus, ouvindo Seu silêncio. Sua única atividade é a atenção que
você tem a oferecer a Deus, quer implicitamente, deixando de ir todos os pensamentos ou
explicitamente, retornando à palavra sagrada.

Pregadores e teólogos que estão tentando praticar a oração contemplativa tem um problema
especial com bons pensamentos. Apenas quando eles são silenciosos, eles obter alguma
inspiração incrível. Um problema teológico que eles vêm tentando entender por anos de repente
se torna tão clara como cristal. Há uma tendência para que eles pensam, "I deve refletir sobre
isso por apenas um segundo, então eu não vou esquecê-lo depois da minha oração é longo." Isso
é o fim do seu silêncio interior. Quando eles saem da oração, eles podem sequer lembrar o que a
brilhante idéia era. Quando se está em calma profunda, uma é muito suscetível a luzes
intelectuais brilhantes. Na maioria das vezes eles são apenas ilusões. A natureza humana não
gosta de estar vazio diante de Deus. Se você está a fazer progressos nesta oração, você será
tentado pelos demônios ciumentos que vêem que você está recebendo algum lugar e tentar te
enganar. Para impedir o seu progresso eles balançam vários tipos de saborosa isca na frente de
sua imaginação. Como um pouco de peixe desfrutar águas profundas, você se sente tragado por
Deus por todos os lados quando de repente esta isca é reduzida em seu espaço tranquilo. Você
morde nele e fora você vá.

Pode ser difícil se convencer do valor do silêncio interior. Mas se você estiver indo para a prática
de oração centrada, a única maneira de fazer isso é ignorar todo pensamento. Que seja um tempo
de silêncio interior e nada mais. Se Deus quer falar com vocês em palavras sucessivas, deixe-o
fazer durante os outros vinte e três horas do dia Ele será mais satisfeitos que você preferiu ouvir
seu silêncio. Nesta oração Deus está falando não para os seus ouvidos, para suas emoções, ou
para a sua cabeça, mas o seu espírito, a seu ser mais íntimo. Não há aparelho de humano para
entender que a linguagem ou para ouvi-lo. Uma espécie de unção ocorre. Os frutos dessa unção
irá aparecer mais tarde de forma que sejam indireta: em sua calma, na sua paz, a sua vontade de
entregar a Deus em tudo o que acontece. É por isso que o silêncio interior é maior do que
qualquer insight. Ele também poupa um monte de problemas. fé pura é o caminho mais seguro e
mais direta a Deus. A natureza humana quer recordar experiências espirituais de um tipo ou
outro, a fim de ser capaz de explicá-las para si mesmo e para os outros. A lembrança de
experiências espirituais é bom até certo ponto, mas tais experiências não são tão importantes
quanto o silêncio interior. Não refletir sobre eles durante a oração Se eles têm o valor genuíno,
eles vão voltar para você mais tarde Quanto mais profundo o seu silêncio interior, mais
profundamente Deus operará em você sem o seu saber. consentimentos pura fé e se rende ao
Mistério final assim como ele é, não como você pensa que é ou como alguém já disse que ele é,
mas como Ele é em Si mesmo. fé pura é o caminho mais seguro e mais direta a Deus. A natureza
humana quer recordar experiências espirituais de um tipo ou outro, a fim de ser capaz de explicá-
las para si mesmo e para os outros. A lembrança de experiências espirituais é bom até certo
ponto, mas tais experiências não são tão importantes quanto o silêncio interior. Não refletir sobre
eles durante a oração Se eles têm o valor genuíno, eles vão voltar para você mais tarde Quanto
mais profundo o seu silêncio interior, mais profundamente Deus operará em você sem o seu
saber. consentimentos pura fé e se rende ao Mistério final assim como ele é, não como você
pensa que é ou como alguém já disse que ele é, mas como Ele é em Si mesmo. fé pura é o
caminho mais seguro e mais direta a Deus. A natureza humana quer recordar experiências
espirituais de um tipo ou outro, a fim de ser capaz de explicá-las para si mesmo e para os outros.
A lembrança de experiências espirituais é bom até certo ponto, mas tais experiências não são tão
importantes quanto o silêncio interior. Não refletir sobre eles durante a oração Se eles têm o
valor genuíno, eles vão voltar para você mais tarde Quanto mais profundo o seu silêncio interior,
58
mais profundamente Deus operará em você sem o seu saber. consentimentos pura fé e se rende
ao Mistério final assim como ele é, não como você pensa que é ou como alguém já disse que ele
é, mas como Ele é em Si mesmo. A lembrança de experiências espirituais é bom até certo ponto,
mas tais experiências não são tão importantes quanto o silêncio interior. Não refletir sobre eles
durante a oração Se eles têm o valor genuíno, eles vão voltar para você mais tarde Quanto mais
profundo o seu silêncio interior, mais profundamente Deus operará em você sem o seu saber.
consentimentos pura fé e se rende ao Mistério final assim como ele é, não como você pensa que
é ou como alguém já disse que ele é, mas como Ele é em Si mesmo. A lembrança de experiências
espirituais é bom até certo ponto, mas tais experiências não são tão importantes quanto o silêncio
interior. Não refletir sobre eles durante a oração Se eles têm o valor genuíno, eles vão voltar para
você mais tarde Quanto mais profundo o seu silêncio interior, mais profundamente Deus operará
em você sem o seu saber. consentimentos pura fé e se rende ao Mistério final assim como ele é,
não como você pensa que é ou como alguém já disse que ele é, mas como Ele é em Si mesmo.

Não há maior forma pela qual Deus pode comunicar-se com nós do que sobre o nível de pura fé.
Este nível não registra diretamente em nossas faculdades psíquicas, porque é muito profundo.
Deus é incompreensível para nossas faculdades. Não podemos chamá-Lo de uma forma que é
adequada. Não podemos conhecê-Lo com a nossa mente; só podemos conhecê-Lo com o nosso
amor. Isso é o que alguns escritores místicos chamam desconhecimento. É por não conhecê-Lo
nos caminhos que agora conheço, que o conheço. Visões, locuções ou êxtases são como o glacê
sobre um bolo. A substância da viagem é pura fé.

Um tipo especial de pensamento ocorre quando o nosso eu psíquico comum é calma. Se você já
fez vinho, você sabe que depois que o novo vinho foi separado da escória, ele é colocado em um
barril e que é chamado um mais fino é introduzido. Uma fina é um líquido que forma uma
película fina ao longo do barril e, gradualmente, vai para o fundo, no decurso de dois ou três
meses, transportando com ele todos os corpos estranhos no vinho. O que está acontecendo com
sua psique na oração contemplativa é bastante semelhante A palavra sagrada é a mais fina e o
silêncio a que se inclina você é o processo que esclarece sua consciência. Como sua consciência
é esclarecido, você ressoam com os valores espirituais e o brilho da presença de Deus.

Há um imediatismo da consciência na oração contemplativa. É um caminho para a redescoberta


da simplicidade da infância. Como uma criança se torna consciente de seu entorno, não é tanto o
que ele vê que deleita-lo como ele é o ato de ver. Uma vez ouvi sobre uma menina de pais ricos
que adorava brincar com as jóias da sua mãe. Quando sua mãe não estava por perto ea
enfermeira não poderia capturá-la no tempo, ela usou para recolher diamantes de sua mãe e jogá-
los no vaso sanitário. Ela adorava ouvir o barulho, enquanto observava os belos diamantes
afundando na água medida que ela crescia, ela aprendeu a puxar o autoclismo. Os membros da
família foram arrancando os cabelos Como eles foram para curar o filho querido de este terrível
hábito? A menina não tinha interesse no valor das jóias. Sua mãe, é claro, pensavam que tinham
grande valor. A menina simplesmente gostei do imediatismo da experiência, os diamantes
brilhantes espirram na água. Ela tinha a liberdade ea alegria do verdadeiro desprendimento.

À medida que envelhecemos, é importante para desenvolver o nosso julgamento analítico, mas
não devemos perder o gozo da realidade como ela é, o valor de apenas estar e de apenas fazer.
No Evangelho, Jesus convida-nos a ser como as criancinhas, para imitar a sua inocência,
confiança e contato direto com a realidade Ele não convida-nos, naturalmente, a imitar a sua
infantilidade, e suas birras. Se o nosso sistema de valores não nos permitem desfrutar de tudo
sem colocar um preço sobre ele, perdemos uma grande parte da beleza da vida. Quando trazemos
este sistema de valores no domínio da oração, nunca podemos desfrutar Deus. Assim que começa
a desfrutar dEle, temos que refletir, "Oh menino, eu estou me divertindo com Deus!" E assim que
59
fazemos isso, estamos tomando uma fotografia da experiência. Toda reflexão é como uma
fotografia da realidade. Ele isn' t nossa experiência original; é um comentário sobre ele. Assim
como uma imagem única aproxima da realidade, assim que cada reflexão é um passo para trás a
partir da experiência como ela realmente é. Quando experimentamos a presença de Deus, se nós
simplesmente não podemos pensar nisso, podemos descansar nela por um longo tempo.
Infelizmente, somos como pessoas famintas quando se trata de coisas espirituais, e nós pendurar
sobre a consolação espiritual para a cara vida. É precisamente essa atitude possessiva que nos
impede de desfrutar a simplicidade e alegria infantil da experiência. nós somos como pessoas
famintas quando se trata de coisas espirituais, e nós pendurar sobre a consolação espiritual para a
cara vida. É precisamente essa atitude possessiva que nos impede de desfrutar a simplicidade e
alegria infantil da experiência. nós somos como pessoas famintas quando se trata de coisas
espirituais, e nós pendurar sobre a consolação espiritual para a cara vida. É precisamente essa
atitude possessiva que nos impede de desfrutar a simplicidade e alegria infantil da experiência.

Na oração contemplativa que devemos ignorar nossas experiências psicológicas, tanto quanto
podemos e apenas deixá-los acontecer. Se você está em paz, maravilhoso; não pensar sobre isso.
Basta estar em paz e se divertir sem refletir. Quanto mais profunda a experiência que você tem
de Deus, a menos que você geralmente será capaz de dizer sobre isso. Ao tentar conceituar, você
está usando a sua imaginação, memória e razão - que não têm qualquer proporção à
profundidade e imediatismo da união divina. Uma atitude infantil faz sentido nesta situação.
Você não tem que fazer nada. Apenas descansar nos braços de Deus. É um exercício de ser mais
do que de fazer. Você será capaz de realizar o que você tem a ver com muito maior eficácia e
alegria. Grande parte do tempo nós corremos em cilindros que estão fora de óleo ou uma
enferrujada bit. Nossos poderes de doação são muito bem utilizado até ao meio-dia na maioria
dos dias. A oração contemplativa abre-lhe o poder do Espírito. Sua capacidade de continuar a dar
todo o dia vai aumentar. Você será capaz de ajustar a circunstâncias difíceis e até mesmo a viver
com situações impossíveis.

O terceiro tipo de pensamento, se consentido, o impede de entrar em seu próprio espaço


profundo. É por isso que não importa o quão fascinante o pensamento ou quantos problemas ele
parece resolver, você deve esquecer. Você sempre pode pensar em idéias brilhantes no final do
dia, e então ele pode ser frutífera para fazê-lo. Nesta oração estamos cultivando a pureza de
motivação. No caminho cristão, a motivação é tudo. Quando não existem obstáculos em nós
mesmos para receber a luz, a luz que está sempre brilhando vai brilhar em nós. Enquanto
estamos sob a influência do falso self e suas viagens de ego, temos os tons desenhado.
Infelizmente, o falso eu não simplesmente colocar mortos mediante solicitação. Não podemos
simplesmente dizer: "Isso é o fim de tudo." e esperar que ele desapareça O falso self é
extremamente sutil. Sem a ajuda especial de Deus, nós nunca poderia escapar dele. Além disso,
os ensaios que vêm nossa maneira que nos nivelar.

A atitude que reforça o falso eu mais do que qualquer outra coisa é o nosso instinto de possuir
alguma coisa, incluindo nossos próprios pensamentos e sentimentos. Esse instinto tem de ser
abandonada. A maioria de nós está carente de experiência espiritual. Quando se começa a
acontecer, tudo em nós estende a mão para ele. Nós não podemos ajudar a nós mesmos em
primeiro lugar. À medida que aprendemos através da experiência amarga que se agarrando a
experiência espiritual nos põe pra fora no banco, amanhece em nós que esta não é a maneira de
proceder. Se podemos deixar de ir a nossa atitude apego em direção a essa paz profunda, vamos
passar para uma alegria refinado e uma liberdade interior, onde a experiência espiritual não
aparece tão grande. Nós podemos ter tudo o que queremos da consolação divina se não tentar
possuí-la. Assim que quer possuí-la, ele se foi. Temos de aceitar Deus como Ele é, sem tentar
possuí-lo. Seja qual for a experiência que dele devem ser autorizados a passar por como qualquer
60
outro pensamento que vem para baixo o nosso fluxo de consciência. Uma vez que sabemos que o
nosso destino está além de qualquer tipo de experiência espiritual, percebemos que é inútil para
pendurar em qualquer coisa ao longo do caminho. Então, não vai sossegar sob uma palmeira em
algum oásis ao longo da rota. Um oásis é refrescante, mas não é o propósito da viagem Se
continuar, mesmo se estamos apenas tropeço ou rastejando, nós queres vir para a liberdade
interior que é o fruto maduro da docilidade ao Espírito. Então, não vai sossegar sob uma
palmeira em algum oásis ao longo da rota. Um oásis é refrescante, mas não é o propósito da
viagem Se continuar, mesmo se estamos apenas tropeço ou rastejando, nós queres vir para a
liberdade interior que é o fruto maduro da docilidade ao Espírito. Então, não vai sossegar sob
uma palmeira em algum oásis ao longo da rota. Um oásis é refrescante, mas não é o propósito da
viagem Se continuar, mesmo se estamos apenas tropeço ou rastejando, nós queres vir para a
liberdade interior que é o fruto maduro da docilidade ao Espírito.

O terceiro tipo de pensamento ocorre quando entramos em paz profunda, ea inclinação para
chegar para idéias brilhantes nos atrai para fora das profundezas tranquilas. A palavra sagrada
não é um mantra, no sentido estrito da palavra. Nós não continuar dizendo até que perfurar-lo em
nosso inconsciente. É sim uma condição, uma atmosfera que criamos, que nos permite entregar à
força atrativa da presença divina dentro de nós. consolo espiritual é um brilho daquela Presença.
Não é a Presença de Deus como tal. Nesta vida não podemos conhecer a Deus diretamente e
ainda vivem. Para conhecê-lo diretamente é o que a próxima vida é tudo. A maneira mais
próxima para conhecê-lo nesta vida é por pura fé, que é além do pensamento, sentimento e auto-
reflexão. pura fé é vivida melhor quando não há experiência psicológica de Deus. Deus está além
da experiência sensível ou conceitual. O estado de pura fé é além de qualquer coisa que podemos
imaginar. Nós simplesmente olhar em volta e perceber que a presença divina está em toda parte.
Apenas isso. Nós nos abrimos grande o suficiente para estar ciente do que é, sem ser capaz de
dizer o que é.

O quarto tipo de pensamento também ocorre quando estamos em profundo, toda a paz
abrangente, vazia de pensamentos e imagens. A plenitude misterioso, uma espécie de escuridão
luminosa, parece-nos rodeiam e penetram nossa consciência. Nós gostamos de profunda calma,
apesar de estarmos vagamente consciente do fluxo normal de pensamentos indesejados. Eles são
especialmente angustiante em tal tempo, porque sabemos que se ficar viciado em um deles,
vamos ser realizada de que a paz. Nós nem sequer quer retornar à palavra sagrada. Nós não
queremos fazer nada, exceto nos permitir ser banhado pela luz e amor que parecem ser
ternamente unção nosso ser mais íntimo. É como se Deus plantou um grande beijo no meio do
nosso espírito e todas as feridas, dúvidas e sentimentos de culpa foram todos curados no mesmo
momento. A experiência de ser amado pelo Mistério final expulsa cada medo. Ele nos convence
de que todos os erros que cometemos e todos os pecados que cometemos são completamente
perdoado e esquecido.

Enquanto isso, em que o silêncio, em que estado de não-pensamento, não-reflexão e paz


inefável, vem o pensamento: "Finalmente, eu estou chegando a algum lugar!" Ou, "Esta paz é
apenas ótimo!" Ou, "Se ao menos eu pudesse ter um momento para se lembrar como cheguei a
este espaço para que amanhã eu possa retornar a ela sem demora," Fora que você vá, rápido
como o raio, à direita para o banco. E então você diz: "Oh, Deus! O que eu fiz de errado?"

Como você deixar Deus agir nesta oração?

É difícil deixar Deus agir em todas as circunstâncias. Deixar ir e não refletir sobre o que você
está fazendo é a maneira correta de conduzir-se nesta oração. O método não consiste em como
você se sente ou no período de tempo que você dá, mas em como você lida com os pensamentos
61
que surgem. Eu acho que pode-se dizer que o ponto essencial de todas as grandes disciplinas
espirituais que as religiões do mundo têm evoluído é o desapego de pensamentos. Tudo o resto é
subsidiária para isso. O objetivo é integrar e unificar os vários níveis do ser e render-se que
integrada e unificada sendo a Deus.

Você está sempre consciente de Deus durante a oração contemplativa, ou é só depois que você
pode saber que Deus estava lá? Como é possível estar ciente de algo e não refletir sobre isso?

Você pode estar ciente da presença indiferenciada de Deus e não tem qualquer reflexão explícita
sobre isso. consciência pura é o imediatismo da experiência. Nosso treinamento e educação nos
programado para reflexão. Mas pode ser tão absorto em uma experiência que não se refletir.
Alguma vez você já gostava de algo tanto que você não tem tempo para pensar no que você
estava gostando?

Sim, mas acho que você sentiria o prazer.

Claro. Só não refletir sobre o sentimento. Se você fizer isso, você reduz a experiência para algo
que você pode entender, e Deus não é algo que você pode entender. A consciência de Deus está
cheio de respeito, reverência, amor e prazer ao mesmo tempo.

Somos feitos para a felicidade e não há nada de errado em chegar para ele. Infelizmente, a
maioria de nós são tão privados de felicidade que assim que ele vem junto, nós chegar a ele com
todas as forças e tentar segurá-la para a cara vida. Esse é o erro. A melhor maneira de recebê-la é
dar-lhe afastado Se você dá tudo de volta para Deus, você estará sempre vazio, e quando você
está vazio, não há mais espaço para Deus.

A experiência de Deus geralmente vem como algo que você sente que você tenha experimentado
antes. Deus é tão bem adequado para nós que nenhuma experiência dele é um sentimento de
conclusão ou bem-estar. O que estava faltando em nós parece ser misteriosamente restaurada.
Esta experiência desperta confiança, paz, alegria e reverência, tudo ao mesmo tempo. Claro, a
próxima coisa que nos ocorre é: "Isso é ótimo Como é que eu vou segurá-la!?" Essa é a reação
humana normal. Mas a experiência ensina que isso é exatamente a pior coisa a fazer. A tendência
inata para pendurar, para possuir, é o maior obstáculo à união com Deus. A razão pela qual são
possessivos é que nos sentimos separados de Deus. O sentimento de separação é a nossa
experiência psicológica comum da condição humana. Este equívoco é a causa de nossos esforços
para procurar a felicidade para baixo cada caminho que podemos possivelmente imaginar,
quando na verdade é bem debaixo dos nossos narizes. Nós simplesmente não sabem como
percebê-lo. Desde a segurança que devemos ter como seres unidos a Deus está faltando, nós
chegar para reforçar a nossa auto-imagem frágil com o que posses ou símbolos de poder,
podemos lançar mão. No retorno a Deus, tomamos o caminho inverso, que é deixar de ir tudo o
que queremos possuir. Uma vez que nada é mais desejável ou agradável do que o sentimento da
presença de Deus, que, também, tem que ser um pensamento que estamos dispostos a deixar de
ir. estendemos a mão para reforçar a nossa auto-imagem frágil com o que posses ou símbolos de
poder, podemos lançar mão. No retorno a Deus, tomamos o caminho inverso, que é deixar de ir
tudo o que queremos possuir. Uma vez que nada é mais desejável ou agradável do que o
sentimento da presença de Deus, que, também, tem que ser um pensamento que estamos
dispostos a deixar de ir. estendemos a mão para reforçar a nossa auto-imagem frágil com o que
posses ou símbolos de poder, podemos lançar mão. No retorno a Deus, tomamos o caminho
inverso, que é deixar de ir tudo o que queremos possuir. Uma vez que nada é mais desejável ou
agradável do que o sentimento da presença de Deus, que, também, tem que ser um pensamento
que estamos dispostos a deixar de ir.
62
Tentando pendurar sobre a presença de Deus é como tentar ficar com o ar. Você não pode
esculpir um pedaço dele e escondê-lo em sua gaveta da cômoda superior. Da mesma forma, você
não pode esculpir um pedaço da presença de Deus e escondê-la no armário ou armazená-lo na
geladeira até o próximo período de oração. Esta oração é um exercício de desapego de tudo.
Como ele se desenvolve, ele vai ajudar você a deixar ir de coisas e acontecimentos que surgem
fora do tempo de oração Isso não significa que você não usar as coisas boas deste mundo. É
apenas o apego ou vício em coisas que reduz o livre fluxo da graça de Deus e que impede o gozo
de sua presença.

Não pensamentos sempre manter-se? Parece que eu sou capaz de manter uma sensação de paz
por um tempo. Então, de repente, os pensamentos rolar novamente. É que sempre assim que
acontece?

Para estar dentro e fora da paz é normal em todos os períodos de oração, embora possa haver
alguns períodos que são uniformemente tranquila por toda parte. Mas, nesse caso, é provável que
você achar que a próxima vez que você orar, você será preenchido com o que pilotos chamam de
turbulência, e você vai ser devolvida ao redor um pouco por pensamentos persistentes e
perturbadoras. Este não é um desastre, mas algo que se tem de aceitar. A alternância entre a paz
ea pensamento-barragem é uma parte importante do processo. São os dois lados da mesma
moeda.

Tenha em mente que o método de centralização é apenas uma forma de oração e não exclui
outras formas de oração em outros momentos. É como a escada de Jacob no Antigo Testamento.
Depois de sua visão do Senhor na forma de um anjo que lutou com ele durante toda a noite,
Jacob adormeceu. Ele viu uma escada que chegava da terra ao céu, com anjos descendentes e
ascendentes. A escada representa diferentes níveis de consciência ou de fé. Devemos comunicar
com Deus em todos os níveis do nosso ser: com os nossos lábios, nossos corpos, nossas
imaginações, as nossas emoções, nossas mentes, nossas faculdades intuitivas, e nosso silêncio.
Centrando a oração é apenas um degrau da escada. É uma maneira de dar a Deus a oportunidade
de falar para nós. Enquanto nossas conversas espontâneas com Deus são boas, há um nível que é
ainda melhor. Como na amizade humana, há um nível de conversação. Mas como a amizade
cresce mais íntimo, o nível de comunhão desenvolve, onde os dois podem sentar-se juntos e não
dizer nada. Se eles não dizem nada, isso significa que eles não estão encontrando profundo
prazer no relacionamento? Existem, obviamente, diferentes formas e diferentes níveis de
expressar um relacionamento com outra pessoa e com Deus. Deus trata claramente com a gente
de uma maneira pessoal. Esta oração acrescenta uma dimensão ao relacionamento de um' s com
Deus que é mais íntimo do que os outros níveis. Não há nada errado com a oração vocal, mas
não é t a única maneira ou a forma mais profunda de rezar. isso significa que eles não estão
encontrando profundo prazer no relacionamento? Existem, obviamente, diferentes formas e
diferentes níveis de expressar um relacionamento com outra pessoa e com Deus. Deus trata
claramente com a gente de uma maneira pessoal. Esta oração acrescenta uma dimensão ao
relacionamento de um' s com Deus que é mais íntimo do que os outros níveis. Não há nada
errado com a oração vocal, mas não é t a única maneira ou a forma mais profunda de rezar. isso
significa que eles não estão encontrando profundo prazer no relacionamento? Existem,
obviamente, diferentes formas e diferentes níveis de expressar um relacionamento com outra
pessoa e com Deus. Deus trata claramente com a gente de uma maneira pessoal. Esta oração
acrescenta uma dimensão ao relacionamento de um' s com Deus que é mais íntimo do que os
outros níveis. Não há nada errado com a oração vocal, mas não é t a única maneira ou a forma
mais profunda de rezar.

63
Será que a pessoa que pratica a oração contemplativa por longos períodos de tempo todos os dias
pode desenvolver algum tipo de doença?

Se você tinha um monte de tempo para a oração e estavam em um período particularmente


consoladora em seu desenvolvimento, a oração pode ser tão delicioso que você pode tentar
prolongá-la tanto quanto possível. Mas, para ser consolada não é o objeto da oração
contemplativa. Teresa de Ávila zombou de certas freiras em seus conventos que praticavam tanto
deste tipo de oração que ficou doente. O motivo foi que, permanecendo em silêncio interior por
sete ou oito horas por dia, e talvez mais, seus sentidos se tornou tão retirados de suas ocupações
habituais que eles provavelmente experimentaram o que chamamos hoje de privação sensorial.
Quando gastamos uma grande parte do tempo em silêncio interior, o metabolismo vai para baixo,
o que significa que menos sangue vai para o cérebro. Isso é bom para um período limitado de
tempo, como durante um retiro, mas se você mantê-lo dia após dia, você pode obter espaçados-
out. Se você continuar esta prática há mais de uma semana, você precisa de supervisão. Tudo tem
que ser feito com discrição. Geralmente as pessoas exagerar discrição no lado de ter certeza que
eles não fazem nada que poderia prejudicar a sua saúde. Mas há algumas pessoas que fazem o
oposto, e eles podem precisar de ser contido.

Existe algum valor em prolongar o tempo da oração contemplativa?

Para fazê-lo mais do que duas vezes por dia pode acelerar o processo de auto-conhecimento
Como resultado, você pode obter insights sobre as coisas do seu passado que você ainda não
tiver enfrentados ou manipulados. É característico da condição humana para evitar ver os nossos
próprios hang-ups. O desenvolvimento da oração contemplativa a partir deste ponto de vista é
um processo de libertação de tudo o que nos impede de ser completamente honesto com nós
mesmos. Quanto mais confiança você tem em Deus, mais você pode enfrentar a verdade sobre si
mesmo. Você só pode pegar até quem você realmente é na presença de alguém que você confia.
Se você confiar em Deus, você sabe que não importa o que você tem feito ou não, ele vai
continuar a amá-lo. Por uma questão de fato, Ele sempre soube o lado escuro de seu personagem
e agora ele está deixando você no segredo como um amigo confidenciando a um amigo. Insights
de auto-conhecimento, em vez de incomodar a você, trazer uma sensação de liberdade. Eles levá-
lo até o ponto onde você pode se perguntar: "Por que pensar em mim em tudo?" Então você tem
a liberdade de pensar o quão maravilhoso é Deus e você se importa pouco que tem para você.

Parece paradoxal que, em algum momento durante a oração você se tornar ciente do fato de que
você não está pensando em tudo. O que você faz com isso?

Se você realmente não está pensando, não há nem mesmo o pensamento de que você não está
pensando. Há consciência apenas puro, e esse é o objetivo imediato da oração contemplativa. O
objetivo final, é claro, é integrar todo o seu ser, com seus aspectos ativo e passivo, masculino e
feminino, expressando e receptivas. Se você começar a ter consciência do fato de que você não
está pensando em tudo e só não pode pensar que o pensamento, você tê-lo feito. Existe apenas
um pequeno passo a partir desse ponto de união divina. Claro, você acabará por ser jogado fora
desse delicioso silêncio e sua mente vai começar a vaguear novamente. Assim que você perceber
que você está saindo do silêncio interior, volte com o tipo mais suave de atenção para a Presença.
O pensamento de não ter um pensamento é a última reserva de auto-reflexão. Se você pode ir
além de auto-reflexão, permita-se ser auto esquecido, e deixar de ir a compulsão para manter o
controle de onde você está, você vai passar para a paz ea liberdade mais profunda. Há um
profundo dentro convicção de nós que se nós nunca parar de refletir sobre nós mesmos, se
desintegrará ou sofrer um destino similar. Isso não é verdade. Se nós nunca parar de refletir sobre
nós mesmos, vamos mover-se em perfeita paz.
64
Eu sei quando usar a palavra sagrada, mas eu não sei quando não usá-lo.

Há um estado de não-pensamento e que é onde queremos ir. É indescritível por causa da nossa
tendência inveterada para refletir. Essa tendência inata para estar ciente de si mesmo é o último
reduto do egocentrismo. Anthony do Egito é conhecida por este famoso ditado: "oração perfeita
não é saber que você está orando." O que acabo de descrever é o estado de espírito que Anthony
está falando. Quando você está em perfeita oração, o Espírito está orando em você. A rendição
do falso si a Deus é a morte para o falso eu. Esta é a experiência que Jesus estava tentando
explicar a Nicodemos quando disse: "Você tem que renascer." (João 3: 3) Um tem que morrer
antes que se possa renascer. Nicodemos respondeu: "Como alguém pode voltar para o útero?"
Jesus continuou: "Você não entende o que eu estou falando. Eu estou falando sobre o Espírito e
eu estou falando espiritualmente O vento sopra onde quer, e você não sabe onde ele está vindo
ou onde ele está indo. Assim é com todos que é nascido do Espírito ". Em outras palavras, a ser
movido pelo Espírito é uma maneira inteiramente nova de estar no mundo.

Tenho vindo a utilizar a oração de centramento por mais de um ano, mas eu tenho aderido à
palavra sagrada como um náufrago agarrado a um pneu. Em um dos períodos de oração hoje, o
pneu estava ficando no meu caminho, então eu joguei fora Eu pensei que talvez isso foi um
passo em frente.

Por todos os meios, jogue fora sua vida preservador. É preservar a vida errada. O falso self deve
morrer se você está a renascer e viver pelo Espírito.

Como uma pessoa se torna mais avançada em oração, ele ou ela terá mais necessidade de
orientação espiritual?

Há momentos em que direção espiritual pode ser muito útil a título de incentivo e apoio. Na
oração contemplativa, de vez em quando você tiver tempo pesado. Como você ir mais fundo no
inconsciente através do silêncio interior, você pode bater em algo como um poço de petróleo e se
virá um fluxo inteiro de coisas. Você pode ter um período de vários meses ou anos, quando ele
vai áspera. Estes são os períodos que João da Cruz chama de "noites escuras". Em tais situações,
é preciso confiança. Para algumas pessoas, estes períodos de julgamento são mais duras do que
para outros. Eles precisam de tranquilidade, e, em seguida, um diretor espiritual pode ser uma
grande ajuda. Mas se o diretor não tem experiência neste tipo de oração, ele ou ela pode fazer
mais mal do que bem.

Às vezes, tudo que você precisa é de esperar e não perder o coração. Quando esse poço de
petróleo se esgota, você vai passar para uma nova profundidade. Ou ainda, é como estar em um
elevador que fica preso entre dois andares. Você apenas tem que esperar até o que é que é um
obstáculo foi removido.

Um diretor espiritual deve ser alguém que tem experiência suficiente para ser capaz de perceber
com algum grau de certeza onde você está no caminho espiritual. Um diretor geralmente pode
discernir isso a partir do tipo de vida que as pessoas estão levando. Se eles são, obviamente,
buscando a Deus, mas está tendo problemas que os fazem pensar que eles comeram os piores
pecadores que já existiram, o diretor tem de saber como dizer: "Esqueça! Você é a pessoa mais
sortuda do mundo!" Quando você está no meio da noite escura da purificação, você é um juiz
muito pobre de seu próprio caso. Um dos ensaios que você tem que esperar é ser incapaz de
encontrar alguém que possa ajudá-lo. Deus pode organizá-lo dessa forma de modo que você tem
que colocar toda sua confiança nEle.

65
Capítulo 9 O descarregamento do Inconsciente

Um quinto tipo de pensamento surge do fato de que, através da prática regular da oração
contemplativa o dinamismo da purificação interior é posta em movimento. Este dinamismo é um
tipo de psicoterapia divina, organicamente projetado para cada um de nós, para esvaziar o nosso
inconsciente e libertar-nos dos obstáculos ao livre fluxo da graça em nossas mentes, emoções e
corpos.

A evidência empírica parece estar crescendo que as consequências de experiências emocionais


traumáticas de infância são armazenados em nossos corpos e sistemas nervosos na forma de
tensão, ansiedade, e vários mecanismos de defesa. resto Ordinária e sono não se livrar deles. Mas
em silêncio interior e do profundo descanso que isso traz para todo o organismo, esses bloqueios
emocionais começam a amolecer e a capacidade natural do organismo humano para jogar fora
coisas que são começa prejudiciais para evacuá-los. A psique, bem como o corpo tem a sua
maneira de material que é prejudicial para a sua saúde evacuar. O lixo emocional em nosso
inconsciente emerge durante a oração na forma de pensamentos que têm uma certa urgência,
energia e carga emocional a eles. Você não costuma saber de que determinada fonte ou fontes
que estão vindo. Há normalmente apenas uma confusão de pensamentos e um sentimento vago
ou aguda de mal-estar. Basta colocar-se com eles e não lutar contra eles é a melhor maneira de
liberá-los.

À medida que a paz profunda que flui de oração contemplativa libera nossos bloqueios
emocionais, insights sobre o lado escuro da nossa personalidade surgir e multiplicar. Nós
alegremente imaginar que fazemos o bem para as nossas famílias, amigos e colegas de trabalho
ou profissionais para o melhor dos motivos, mas quando este dinamismo começa a operar em
nós, nossos chamados boas intenções parecem com uma pilha de dishrags sujas. Percebemos que
não somos tão generosos como nós tínhamos acreditado. Isso acontece porque a luz divina está
brilhando mais em nossos corações. amor divino, por sua própria natureza, nos acusa de nosso
egoísmo inato.

Suponha que estávamos em um quarto mal iluminado. O lugar pode parecer bastante limpo. Mas
instalar uma centena de lâmpadas de mil watts cada, e colocar toda a sala sob uma lupa. O lugar
iria começar a engatinhar com todo o tipo de estranhas e maravilhosas criaturas pequenas. Seria
tudo o que você poderia fazer para ficar lá. Assim é com o nosso interior. Quando Deus aparece a
tensão, a nossa motivação começa a assumir um caráter totalmente diferente, e estendemos a
mão com grande sinceridade para a misericórdia de Deus e para o Seu perdão. É por isso que a
confiança em Deus é tão importante. Sem confiança, é provável que fugir ou dizer: "Deve haver
alguma maneira melhor de ir a Deus."

O auto-conhecimento na tradição ascética cristã é uma visão sobre a nossa motivação oculta, em
necessidades emocionais e demandas que são percolação dentro de nós e que influenciam nosso
pensamento, sentimento e atividade sem estarmos plenamente conscientes deles. Para dar um
exemplo: Quando eu era um abade, que é uma imagem do pai em um mosteiro, fiquei
impressionado com o fato de que alguns dos membros mais jovens da comunidade foram
inconscientemente me tratando como seu verdadeiro pai eu podia ver que eles estavam
trabalhando fora dificuldades emocionais com figuras de autoridade desde a primeira infância.
Eles não foram relativas a mim como eu. Quando você retirar o seu fluxo normal de
pensamentos superficiais em uma base diária regular, você obter uma perspectiva mais nítida
66
sobre a sua motivação, e você começa a ver que os sistemas de valores pelo qual você sempre
viveram têm suas raízes nas atitudes pré-racionais que nunca foram honesta e totalmente
confrontados. Nós todos temos tendências neuróticas. Quando você pratica a oração
contemplativa em uma base regular, seus recursos naturais para a saúde psíquica começa a
reviver e você vê os sistemas de valores falsos que estão prejudicando sua vida. Os programas
emocionais da primeira infância que estão enterradas no seu inconsciente começam a surgir na
consciência clara e gritante.

Se em sua psique existem obstáculos à abertura de si mesmo a Deus, o amor divino começa a
mostrar o que estes são. Se você deixar de ir-los, você gradualmente vai se desdobrar na presença
de Deus e desfrutar de Sua Presença. O dinamismo interior da oração contemplativa leva
naturalmente à transformação de toda a sua personalidade Seu objetivo não se limita ao seu
aperfeiçoamento moral. Ele traz uma mudança em sua forma de perceber e responder à realidade
Este processo envolve uma mudança estrutural da consciência.

Como você experimentar a tranquilidade que vem de paz interior, você tem mais coragem para
enfrentar o lado escuro de sua personalidade e se aceitar como você é. Todo ser humano tem o
incrível potencial para se tornar divina, mas ao mesmo tempo, cada um de nós tem de lidar com
a evolução histórica da nossa natureza a partir de formas inferiores de consciência. Há uma
tendência na natureza humana de chegar para mais vida, mais felicidade, mais de Deus; mas
também existem tendências autodestrutivas que querem voltar para o comportamento
inconsciente e instintivo dos animais. Embora saibamos que não há felicidade em tal regressão,
esse aspecto da condição humana está sempre à espreita dentro de nós. Arcebispo Fulton Sheen
costumava dizer, "barbárie não está atrás de nós, mas abaixo de nós." Em outras palavras,

Nós temos que vir a enfrentar essas tendências para que a plenitude da graça flua através de nós.
A oração contemplativa promove a cura dessas feridas. Na psicanálise o paciente revive
experiências traumáticas do passado e ao fazê-lo, integra-los em um padrão saudável de vida. Se
você é fiel à prática diária da oração contemplativa, essas feridas psíquicas será curada sem o seu
ser retraumatized. Depois de ter feito esta oração por alguns meses, você vai experimentar o
surgimento de certos pensamentos fortes e emocionalmente carregadas. Eles normalmente não
revelar alguma experiência traumática na infância ou algum problema não resolvido em sua vida
presente. Eles simplesmente emergir como pensamentos que surgem com uma certa força ou que
colocá-lo em um humor deprimido por algumas horas ou dias.

Quando o descarregamento do inconsciente começa a sério, muitas pessoas sentem que eles
estão indo para trás, que a oração contemplativa é simplesmente impossível para eles, porque
todos eles experimentam quando eles começam a rezar é um fluxo interminável de distrações. Na
verdade, não há distrações na oração contemplativa, a menos que você realmente quer se distrair
ou se você se levantar e sair. Assim, não importa quantos pensamentos que você tem. O seu
número e natureza têm qualquer efeito sobre a autenticidade de sua oração Se sua oração
estavam no nível de pensamento, pensamentos que eram estranhos aos seus reflexos seria
realmente perturbador. Mas a oração contemplativa não está no nível de pensamento. É
consentindo com a sua vontade à presença de Deus em pura fé.

Emocionalmente pensamentos cobradas são a principal forma que o inconsciente tem de expelir
pedaços de lixo emocional. Desta forma, sem o seu percebendo isso, um grande número de
conflitos emocionais que estão escondidos no seu inconsciente e que afetam suas decisões mais
do que você imagina estão sendo resolvidos. Como conseqüência, durante um período de tempo
que você vai sentir uma maior sensação de bem-estar e liberdade interior. Os pensamentos que
você lamentam, enquanto em oração estão liberando a psique dos danos que se acumulou em seu
67
sistema nervoso ao longo da vida. Nesta oração ambos os pensamentos e silêncio tem um papel
importante a desempenhar.

Para usar uma metáfora desajeitada, em cortiços onde a coleta de lixo não é confiável, alguns
inquilinos usar o banheiro para armazenar o lixo: Se você quiser tomar um banho, a primeira
coisa que você tem a fazer é esvaziar o lixo. Um procedimento semelhante detém nesta oração
Quando nos comprometemos com a jornada espiritual, a primeira coisa que o Espírito faz é
começar a remover o lixo emocional dentro de nós. Ele deseja nos encher completamente e
transformar todo o nosso organismo corpo-espírito em um instrumento flexível do amor divino.
Mas, enquanto nós temos obstáculos em nós, alguns dos quais nós nem sequer estão conscientes,
não pode encher-nos a capacidade Em seu amor e zelo ele começa a limpar para fora da
banheira. Um meio pelo qual ele faz isso é por meio da purificação passiva iniciada pela
dinâmica da oração contemplativa.

Centrando oração, na medida em que nos coloca à disposição de Deus, é um tipo de


requerimento para que tome nossa purificação na mão. É preciso coragem para enfrentar o
processo de auto-conhecimento, mas é a única maneira de entrar em contato com a nossa
verdadeira identidade e, finalmente, com o nosso verdadeiro Eu. Quando você se sentir
entediado, inquieto, e que qualquer coisa seria melhor do que apenas ficar sentado e sendo
golpeado por pensamentos, ficar lá de qualquer maneira. É como estar na chuva sem guarda-
chuva e ficar encharcado à pele. Não há nenhum uso gemendo, porque você não trazer o seu
guarda-chuva. A melhor abordagem é simplesmente estar disposto a ser encharcado pela torrente
de seus pensamentos. Diga: "Eu estou indo para se molhar", e desfrutar da chuva. Antes de
refletir sobre se um determinado período de oração está indo bem, você está tendo um bom
período de oração. Depois de refletir, não é tão bom. Se você está encharcado com pensamentos
e não pode fazer nada sobre isso, concordar com o fato de que essa é a maneira que é hoje.
Quanto menos você mexer e gritar, quanto mais cedo o trabalho pode ser feito. Amanhã ou
alguns dias a partir de agora vai ser melhor. A capacidade de aceitar o que vem para baixo o
fluxo de consciência é uma parte essencial da disciplina. Cultivar uma atitude neutra em relação
ao conteúdo psicológico de sua oração. Em seguida, ele não vai incomodá-lo se você tem
pensamentos. Oferecer a sua impotência para Deus e esperar pacificamente em sua presença.
Todos os pensamentos passar se você esperar muito tempo. quanto mais cedo o trabalho pode ser
feito. Amanhã ou alguns dias a partir de agora vai ser melhor. A capacidade de aceitar o que vem
para baixo o fluxo de consciência é uma parte essencial da disciplina. Cultivar uma atitude
neutra em relação ao conteúdo psicológico de sua oração. Em seguida, ele não vai incomodá-lo
se você tem pensamentos. Oferecer a sua impotência para Deus e esperar pacificamente em sua
presença. Todos os pensamentos passar se você esperar muito tempo. quanto mais cedo o
trabalho pode ser feito. Amanhã ou alguns dias a partir de agora vai ser melhor. A capacidade de
aceitar o que vem para baixo o fluxo de consciência é uma parte essencial da disciplina. Cultivar
uma atitude neutra em relação ao conteúdo psicológico de sua oração. Em seguida, ele não vai
incomodá-lo se você tem pensamentos. Oferecer a sua impotência para Deus e esperar
pacificamente em sua presença. Todos os pensamentos passar se você esperar muito tempo.

Outro ponto que vale a pena lembrar. Durante o processo de descarregamento às vezes você pode
querer descobrir onde um sorriso particular, coceira, dor ou sensação forte está vindo em sua
psique e para identificá-lo com algum período anterior em sua vida. Isso é inútil. A natureza do
processo de descarga é que ele não se concentrar em qualquer evento particular. Ele solta todo o
lixo, por assim dizer, e o refugo psicológico surge como uma espécie de adubo. É como jogar o
lixo para fora. Você não separar as cascas de ovos das cascas de laranja. Você acabou de jogar
tudo fora. Ninguém está pedindo para você olhar através dele ou tentar avaliá-lo. Você só jogar
tudo juntos em um grande saco de lixo.
68
Também pode acontecer que as dificuldades externas podem surgir em sua vida que tem uma
conexão direta com o seu crescimento espiritual. Eles são uma outra maneira que Deus usa para
trazê-lo para um conhecimento mais profundo de si mesmo e para uma maior compaixão por sua
família, amigos e outras pessoas.

Eu acho que eu tenho usado as palavras de oração como uma maneira de resistir a pensamentos.
Eu não tenho certeza o que significa afundar em uma emoção perturbadora sem segurá-la.

Uma maneira de lidar com intensa agitação, dor física, ou emoções, como medo ou ansiedade,
que surgem em tais ocasiões de descarga é descansar na sensação dolorosa por um minuto ou
dois e permitir que a dor em si para ser sua palavra de oração. Em outras palavras, uma das
melhores maneiras de deixar ir de uma emoção é simplesmente sentir. emoções dolorosas, até
mesmo algumas dores físicas, tendem a se desintegrar quando totalmente aceito. Outras
manifestações da experiência unstressing pode ser uma coceira, lágrimas ou riso Algumas
pessoas têm sido conhecida a ter um ataque de riso no meio da oração de centramento. Talvez
houvesse uma piada que ouvi há muito tempo que eles foram incapazes de aproveitar por causa
de algum mecanismo de defesa, e eles finalmente foram humildes o suficiente ou livre o
suficiente para chegar ao ponto. Você também pode encontrar-se dissolvido em lágrimas por
nenhuma razão em tudo. Uma dor antiga que não era permitido expressão no momento adequado
é a última a ser sentida. A oração contemplativa tem uma maneira de completar tudo inacabado
em sua vida, permitindo que as emoções têm uma saída na forma de humor ou pensamentos que
parecem, mas uma confusão. Esta é a dinâmica de purificação. A intensidade dos sentimentos de
medo, ansiedade ou raiva pode não ter nenhuma relação com a sua experiência recente. Sentado
por esse tipo de material é mais útil do que consoladora experiências. O propósito da oração de
centramento não é para experimentar a paz, mas a evacuar os obstáculos inconscientes para o
estado permanente permanente de união com Deus. Não oração contemplativa, mas o estado
contemplativo é o propósito de nossa prática; Não experiências, no entanto exóticas ou
tranquilizadoras, mas a consciência permanente e permanente de Deus que vem através da
reestruturação misteriosa de consciência. Em algum momento em sua vida, poderia ser no meio
da noite, em um metrô, ou no meio da oração, as mudanças necessárias no sistema nervoso e da
psique finalmente chegado à conclusão. Essa fase particular da jornada espiritual se resolve, e
você já não tem os problemas que você tinha antes. A reestruturação da consciência é o fruto da
prática regular. É por isso que não faz sentido para visar experiências particulares. Você não pode
sequer imaginar um estado de consciência que você nunca teve antes, por isso é um desperdício
de tempo e energia para antecipá-la. A prática acabará por trazer a mudança de consciência. O
acontecimento mais significativo nesta fase da viagem é o calmante do sistema afetivo. Você
tornar-se livre de oscilações emocionais, porque o sistema de auto falsa em que foram baseados
foi finalmente desmantelada. As emoções, em seguida, vir através de sua pureza e não mais
perturbador é. Esta é uma admirável libertação de turbulência interna.

Quando você se sente inquieto, agitado, ou magoado por alguma experiência emocional, você
não pode gastar o tempo melhor do que esperando-o para fora. A tentação é grande quando você
está sofrendo de uma emoção angustiante para tentar afastá-lo. No entanto, ao permitir que sua
atenção para mover suavemente em direção a emoção e afundando nele, como se estivesse
entrando em uma bela jacuzzi, você está abraçando Deus no sentimento. Não pense, apenas
sentir a emoção.

Se você fosse cego e, em seguida, tem a sua visão de volta, até mesmo as coisas mais feias seria
apreciada. Suponha que você não tinha emoções e de repente experimentou um; mesmo uma
emoção desagradável seria emocionante. Na verdade, nenhuma emoção é realmente angustiante;
é apenas o falso eu que interpreta como angustiante. oscilações emocionais são gradualmente
69
dissolvida pela aceitação completa deles. Para colocar isso em prática, você deve primeiro
reconhecer e identificar a emoção: "Sim, estou com raiva, estou em pânico, com medo,
inquieto." Todo sentimento tem algum bom. Uma vez que Deus é o fundamento de tudo,
sabemos que mesmo o sentimento de culpa, em certo sentido, é Deus. Se você pode abraçar a
sensação dolorosa, seja ele qual for, como se fosse Deus, você está unindo-se com Deus, porque
qualquer coisa que tenha a realidade tem Deus como sua fundação. "Deixando ir" Não é um
simples prazo; é muito sutil e tem nuances-dependendo do que você está pretendendo deixar de
ir importantes. Quando um pensamento não é preocupante, soltando significa pagar nenhuma
atenção a ele. Quando um pensamento é preocupante, não vai embora tão facilmente, então você
tem que deixá-lo ir de alguma outra maneira Uma maneira você pode deixá-lo ir é afundar nela e
se identificar com ele, por amor a Deus. Isto pode não ser possível no início, mas experimentá-lo
e ver o que acontece. A principal disciplina da oração contemplativa é deixar ir. então você tem
que deixá-lo ir de alguma outra maneira Uma maneira você pode deixá-lo ir é afundar nela e se
identificar com ele, por amor a Deus. Isto pode não ser possível no início, mas experimentá-lo e
ver o que acontece. A principal disciplina da oração contemplativa é deixar ir. então você tem
que deixá-lo ir de alguma outra maneira Uma maneira você pode deixá-lo ir é afundar nela e se
identificar com ele, por amor a Deus. Isto pode não ser possível no início, mas experimentá-lo e
ver o que acontece. A principal disciplina da oração contemplativa é deixar ir.

Para resumir o que eu disse sobre este quinto tipo de pensamento, a oração contemplativa é parte
de uma realidade que é maior do que si mesmo. É parte de todo o processo de integração, que
requer abertura a Deus no nível do inconsciente. Isso libera uma dinâmica que será pacífica, às
vezes, e outras vezes pelo excesso de pensamentos e emoções. Ambas as experiências são parte
do mesmo processo de integração e cura. Cada tipo de experiência, portanto, deve ser aceito com
a mesma paz, gratidão e confiança em Deus. Ambos são necessários para completar o processo
de transformação.

Se você está sofrendo de uma enxurrada de pensamentos do inconsciente, você não tem que
articular a palavra sagrada claramente em sua imaginação ou ficar repetindo-o em um esforço
frenético para estabilizar sua mente. Você deve pensar que tão facilmente como você acha que
qualquer pensamento que vem à mente espontaneamente. Não resista a qualquer pensamento,
não pendurar em qualquer pensamento, não reagem emocionalmente a qualquer pensamento.
Esta é a resposta adequada a todos os cinco tipos de pensamentos que vêm para baixo o fluxo de
consciência.

Quando saí de oração, eu descobri que eu estava chorando, mas eu não estava triste. Eu não me
percebo como sendo triste durante qualquer parte da meditação.

Você pode ser consolado saber que Bento de Núrsia, o fundador do monaquismo ocidental,
chorou quase continuamente. Esta foi a sua resposta característica para a bondade de Deus. Da
mesma forma, há momentos em que não podemos dizer nada, acho que nada, ou sentir qualquer
coisa. A única resposta é dissolver na presença de bondade incrível de Deus.

Lágrimas podem expressar alegria, assim como a tristeza Eles também podem indicar a liberação
de um pacote inteiro de emoções que não podem encontrar expressão de qualquer outra forma.
Na oração se lágrimas, tratá-los como um presente, uma resposta à bondade de Deus, que é ao
mesmo tempo doloroso e alegre ao mesmo tempo. a alegria pode ser tão grande que é doloroso.

É bom não fazer muito de qualquer experiência ou insight durante a própria oração. Depois disso
você pode refletir sobre ele, mas durante a oração se você notar lágrimas caindo, lábios sorrindo,
olhos espasmos; coça, e dores - tratá-los como qualquer outro pensamento e deixá-las passar.
70
Delicadamente retornar à palavra sagrada. Esta oração é um aprendizado em deixar de ir a nossa
dependência do pensar, a fim de conhecer a Deus no silêncio interior. Os obstáculos para chegar
lá tem que ser descarregados, de uma forma ou de outra. Pensamentos, humores, ou sentimentos
de depressão que pode durar vários dias são maneiras a psique tem de evacuar o material
emocional não digerido de uma vida. Quando estes passam, o seu interior psicológicos vai se
sentir muito melhor É como estar enjoada; é desagradável, enquanto o seu jantar está chegando,
mas depois você se sentir bem.

Claro que, se uma dor física dura durante todo o período de oração, você pode realmente ter
alguma patologia e precisa ver um médico. Mas muitas vezes é apenas um nó emocional
enraizada em sua fisiologia que é relaxar, e toma a forma de uma breve dor, lágrimas, ou o riso
Conheço pessoas que foram superados pelo riso em sua oração, eu acho que eles bater em
alguma coisa no inconsciente eles nunca pensou que era engraçado antes e finalmente entendeu a
piada. Através do aprofundamento de sua confiança em Deus, um é capaz de reconhecer os
lugares escuros em sua personalidade de acordo com seu próprio ritmo natural. Um bom
terapeuta não trará percepções dolorosas até que ele ou ela vê que o paciente está pronto para
enfrentá-los. Deus é o mesmo caminho. Como humildade e confiança aprofundar, você pode
reconhecer o lado escuro de sua personalidade mais facilmente. Eventualmente, você vai chegar
ao centro de sua pobreza humana e de impotência e sentir-se feliz por estar lá. Então você entrar
na liberdade de ação criadora de Deus, porque não há mais qualquer atitude egoísta ou
possessiva em direção a sua personalidade ou talentos. Você está completamente à disposição de
Deus. A liberdade interior é o objetivo desta oração Não liberdade para fazer o que quiser, mas a
liberdade de fazer o que Deus gosta - liberdade de ser seu verdadeiro Eu e ser transformado em
Cristo.

Parece haver uma dimensão na oração de calma que é a cura. Ao menos essa é minha
experiência. Algumas pessoas não têm muito para cicatrizar. Mas se há grandes cicatrizes, a
oração de silêncio parece ser uma pomada calmante para essas feridas.

Sim, isso é um efeito importante. João da Cruz ensinou que o silêncio interior é o lugar onde o
Espírito secretamente unge a alma e cura as nossas feridas mais profundas.

Será que a cura estender-se ao corpo, bem como a alma?

Doenças que são em grande parte psicossomática pode certamente ser curado por trazer a paz
para aqueles vida emocional.

Eu estava pensando que Deus tem uma maneira de esconder sua obra em nós de nossos próprios
olhos, deixando-nos com algo parecido com o espinho de St. Paul da carne, para nos manter
humildes.

A oração contemplativa não estabelece pessoas em glória, isso é certo, mas ajuda-los a suportar
enfermidades tais como você mencionou. Se certos tipos de pessoas têm muito sucesso em sua
oração, eles podem precisar de um pequeno puxão para trazê-los para a terra de vez em quando.

O método da oração de centramento é apenas uma entrada para a oração contemplativa. Como a
própria experiência do último desenvolve, torna-se mais difícil falar porque ele não entrar na
experiência ordinária da vida psíquica como tal. Imagine os raios do sol em uma piscina de água.
Os raios do sol estão unidos para a água, mas ao mesmo tempo eles são bastante distinta. Eles
estão vindo de um lugar diferente. Da mesma forma, a própria experiência de Deus na oração

71
contemplativa não é fácil de fazer distinções sobre. A menos que você pode dizer sobre isso, o
mais provável é presente. Ele está em todos e por todos. E assim tipo de cai fora da vista.

O início de qualquer coisa é sempre impressionante, mas como você se acostumar com isso ou
quando se torna uma parte de você, você começa a levá-la para concedido. Já não desperta a
poeira emocional que ele fez quando era uma experiência nova. A mesma coisa acontece no
início da jornada espiritual. Para algumas pessoas, a oração contemplativa pode ser muito
misteriosa, de fato. Eles próprios não posso dizer nada sobre o que eles experimentam, exceto
que ele é real para eles. O tipo de enfermidades que você mencionou, que são óbvias tanto para
eles e para os outros, são um meio maravilhoso de escondê-los de si mesmos, bem como de
outros. Deus ama a esconder a santidade de seus amigos, especialmente a partir de si mesmos.

Como as pessoas a crescer na vida de oração, que eles ainda experimentar uma alternância de
pensamentos e momentos contemplativos?

Como o inconsciente esvazia, os frutos de uma natureza humana integrada e o fluxo livre
resultante da graça se manifestarão por uma mudança significativa de atitude. A união que se
descobre na oração contemplativa não será reservado para esse tempo. Momentos de silêncio vai
ultrapassá-lo no curso da vida diária. Realidade tenderá a tornar-se mais transparente. Sua fonte
divina vai brilhar através dele.

Quando tudo no inconsciente é esvaziada, os tipos de pensamentos que estavam passando por no
início deixará de existir. Há um fim do processo de purificação. Em seguida, a consciência de
união com Deus será contínua, porque não haverá nenhum obstáculo em nossa vida consciente
ou inconsciente de interferir com ele. Não há nada errado com a realidade. O problema é com
nós, que não pode relacionar-se corretamente por causa dos obstáculos em nós. Quando todos os
obstáculos são esvaziados para fora, à luz da presença de Deus vai iluminar o nosso espírito o
tempo todo, mesmo quando estamos imersos em atividade. Em vez de ser oprimido por fatores
externos, o verdadeiro Eu, agora em união com Deus, vai dominá-los.

Talvez a primeira etapa no desenvolvimento da oração contemplativa é a consciência da nossa


independência de nosso mundo psicológico comum. Em outras palavras, estamos conscientes de
que não são apenas nosso corpo e que não são apenas os nossos pensamentos e sentimentos. Nós
já não são tão identificado com objetos externos que podemos pensar em mais nada. Estamos nos
tornando conscientes de nossa natureza espiritual. Nosso espírito é a morada da Trindade. Essa
percepção continua a fazer parte de qualquer outra realidade e já não é mais whelmed, mesmo no
meio de grande atividade, pelas circunstâncias, objetos externos ou nossas emoções e
pensamentos.

Mas a experiência de independência e distanciamento do resto da realidade não é uma


independência absoluta. É apenas a afirmação do nosso verdadeiro Eu. Outro consciência segue
como um maior desenvolvimento. À medida que o inconsciente é esvaziada, a consciência do
nível mais profundo em nós é também uma consciência do nível mais profundo em todos os
outros. Esta é a base para o mandamento de amar ao próximo como a si mesmo. Quando você
realmente ama a si mesmo, você se torna consciente de que o seu verdadeiro eu é Cristo
expressando-se em você, e quanto mais consciência de que todo mundo gosta de esse potencial
também. Agostinho teve uma frase para isso: "Uma próprio Cristo amoroso." Essa é uma boa
descrição de uma comunidade cristã madura Você está ciente de que um poder maior do que
você está fazendo tudo.

72
Então, tudo começa a refletir não só a sua própria beleza, mas também a beleza da sua Fonte.
Um torna-se unido a tudo o mais em que Deus habita. A visão sobre Cristo que habita em cada
outra pessoa permite que se expressam de caridade para com os outros com maior
espontaneidade. Em vez de ver apenas a personalidade de alguém, raça, nacionalidade, sexo,
status ou características (que você gosta ou não gosta), você vê o que é mais profundo - aqueles
sindicato ou união potencial com Cristo. Você também percebem necessidade desesperada de
todos de ajuda. O potencial transcendente da maioria das pessoas ainda está esperando para ser
realizado, e isso desperta um grande senso de compaixão. Este amor centrada em Cristo leva-nos
para fora de nós mesmos e traz o nosso sentimento recém-descoberto de independência em
relacionamentos que não são baseadas em dependência, como muitos relacionamentos tendem a
ser, mas que são baseados em Cristo como seu centro. Ele permite um para trabalhar, para outros
com grande liberdade de espírito, porque um não é mais que procuram os próprios objetivos
egocentradas mas respondendo a realidade como ela é.

O amor divino não é uma atitude que se coloca como um manto. É, antes, o caminho certo para
responder à realidade. É a relação direito de ser, incluindo o nosso próprio ser. E essa relação é
principalmente um de recebimento. Ninguém tem qualquer grau de amor divino, exceto o que se
recebeu. Uma parte importante da resposta ao amor divino, uma vez que tenha sido recebida, é
passá-lo para o nosso vizinho de uma forma que é apropriado no momento presente.

É o propósito desta oração para mantê-lo em um estado de união com Deus ao longo do dia?

Sim, mas no começo não é provável que seja contínua. Mais tarde, como a oração se desenvolve,
uma união mais estreita na vida diária se torna mais evidente. Pode-se também estar em união
com Deus, sem qualquer forma de recolhimento que afeta os sentidos. Isto é o que eu quero dizer
por preparar o corpo para estados superiores de consciência. êxtase físico é o acesso do corpo.
Quando os sentidos, não está pronto para suportar a intensidade das comunicações de Deus, eles
apenas dar forma e um é arrebatado para fora do corpo. místicos maduros que já passaram por
essa fase raramente têm êxtases corporais. Eles têm integrado as comunicações espirituais com
sua natureza física eo corpo é agora forte o suficiente para recebê-los sem os antigos
inconvenientes. Viver a vida divina torna-se como viver a vida humana comum. Se você estiver
familiarizado com o Ten Ox Fotos de Zen, o último representa o retorno à vida normal após a
plena iluminação. Ele simboliza o fato de que não há nenhuma maneira de distinguir a vida com
a qual você começou o que se tornou, exceto que ele é totalmente transformado em sua
normalidade.

O triunfo da graça permite que as pessoas vivem suas vidas comuns divinamente. Primeiro vêm
momentos de recolhimento que são absorventes. Após estes foram completamente integrados, as
mesmas graças são dados sem o ser absorvidos por elas. Um deles é completamente livre para
sua atividades diárias normais com o mesmo grau (ou superior) de união com Deus que se tinha
antes. A oração contínua no sentido mais amplo do termo está presente quando a motivação de
todas as nossas ações é proveniente do Espírito. Curto daquele estado, nós temos que usar
métodos para nos unir a Deus.

Há uma diferença entre ser e fazer. Uma vez que o ser é transformada em Cristo, todos aqueles
fazer torna-se ungido com a transformação interior do ser. Suponho que este é o mistério de
grande encanto de Madre Teresa. Ela fascina as pessoas. Câmeras segui-la não porque ela é
fisicamente bonita, mas porque ela está irradiando a atratividade misteriosa de Deus. Tenho
certeza que ela não está tentando fazê-lo, mas porque ela é assim, isso acontece. Este é o tipo de
transformação oração contemplativa tende a produzir. É fácil de atolar em níveis mais baixos de

73
desenvolvimento espiritual. O desafio vem sempre ir mais longe, e se aceitarmos, estamos pronto
para as corridas novamente.

Ninguém nunca cresceu tanto na vida espiritual como a Virgem Maria, porque não havia nenhum
obstáculo interior para impedir o seu crescimento. Crescendo na graça para ela significava
crescendo no meio da condição humana com seus ensaios intermináveis. Ela tinha, de fato, os
mais pesados tipos de ensaios. A união transformadora deve permitir um para lidar com maiores
julgamentos do que os dos cristãos menos evoluídos. Qual é a utilidade de construir este edifício
espiritual magnífica menos que você faça algo com ele? Estou certo de que Deus não quer
apenas a olhar para estas pessoas que são tão santo. Ele quer que eles façam alguma coisa. Se Ele
os libertou de seus falsos eus, foi precisamente por algum grande propósito.

Suponha que um atingiu ressurreição interna, união transformadora, e não mais experimenta a
turbulência de uns emoções, porque todas elas foram transmutadas em virtudes. Cristo está
vivendo em tais pessoas de uma forma notável, e eles estão conscientes de sua união permanente
com Ele. Suponha que Deus deve, em seguida, pedir-lhes para desistir desse estado de
iluminação e voltar para o tipo de ensaios, ou pior, que eles suportaram antes. Sua união com
Deus permaneceria, mas seria completamente escondido deles no nível psíquico. Esta é uma
forma de sofrimento vicário. A união transformadora não é um bilhete grátis para a felicidade
neste mundo. Para alguns, isso pode significar uma vida de completa solidão cheia de solidão;
para outros, pode significar um apostolado ativo que os impede de desfrutar das delícias da união
divina; para outros ainda,

Teresa de Lisieux, durante sua última doença já não podia pensar no céu, embora até então ele
tinha sido sua maior alegria. No entanto, ela tinha claramente atingido união transformadora,
atestada pela perfuração de seu coração. Como ela mesma era vagamente consciente, ela estava
passando por mais uma noite escura para os incrédulos de seu tempo. Ela morava na crista da era
racionalista, quando a arrogância do intelecto humano foi, provavelmente, no seu auge.

Assim, as maiores provações da jornada espiritual pode ocorrer após a união transformadora.
Eles não iriam tirar a união, mas a união seria tão puro que, como um raio de luz que passa
através de um vácuo perfeito, não seria percebido. Esta seria uma maneira mais profunda de
imitar o Filho de Deus, que desistiu de ser Deus, como disse Paulo, a fim de tomar sobre si as
consequências da condição humana. Jesus abandonou os privilégios de sua união única com o
Pai em mais de experimentar a nossa fraqueza e para tornar os nossos sofrimentos seu próprio.
Esse sacrifício só poderia ser imitado por quem tem alcançado união divina e que, em seguida, a
pedido ou a insistência de Deus, dá de volta a Deus todo o prazer normal desse estado para ser
imerso uma vez em ensaios insuportáveis. Isto é evidente na vida de um número de místicos e
santos.

Vida, uma vez que se está em união com Deus, é o que Deus quer que ele seja. Ela é cheia de
surpresas. Você pode ter certeza que o que você espera que aconteça não vai acontecer. Essa é a
única coisa da qual você pode estar certo na jornada espiritual. É por desistir de todas as suas
expectativas de que você será levado para Medicine Lake, o termo de nativo americano para a
oração contemplativa. O medicamento que todo mundo precisa é a contemplação, a única que
leva à transformação.

A oração contemplativa vai passar por várias fases e vicissitudes. Você pode ter experiências que
vão deixar você em confusão. O Senhor vai trazer ajuda para você através de um livro, uma
pessoa, ou a sua própria paciência. Às vezes, é a vontade de Deus para deixá-lo sozinho, sem
qualquer ajuda. Você pode ter que aprender a viver com situações impossíveis. Pessoas que
74
podem viver pacificamente em situações impossíveis vai fazer grandes progressos na jornada
espiritual. Você vai vir para cima contra a solidão e medo existencial. Você pode sentir como se
ninguém no mundo entende você ou poderia ajudá-lo e que Deus é um bilhão de anos-luz de
distância. Todas essas coisas são parte do processo de preparação. Deus é como um agricultor
preparar o solo da nossa alma não vire apenas fortyfold ou sessenta, mas cem vezes. Isso
significa que o solo tem de ser bem cultivada. É como se Deus conduz seu trator sobre o campo
da nossa alma e Grade-lo em uma direção, depois na direção oposta, e então Ele dá a volta em
um círculo. Ele continua fazendo a mesma coisa uma e outra vez até que o solo torna-se tão fino
como areia. Quando tudo estiver pronto, a semente é semeada.

Ou tomar a imagem de uma árvore em crescimento. No começo você vê o tronco e os ramos.


Depois vêm as folhas. Isso faz com que a árvore bonita, a fase de crescimento que pode ser
comparado ao prazer que vem quando você primeiro aprender a entrar no silêncio interior.
Depois que as folhas vêm as flores, mais um momento de intensa satisfação. Mas eles
rapidamente morrer e cair no chão. A fruta vem apenas no final da temporada e, mesmo assim,
leva um tempo para ele para amadurecer na árvore. Portanto, não acho que as folhas aparecem e
as flores vêm, que este é o fim da jornada. A jornada espiritual é uma longa viagem.

Além disso, sua experiência vai parecer para reciclar e você vai pés que você está de volta para
onde você começou e não fizeram qualquer progresso. A reciclagem é como subir uma escada
em espiral. Você parece estar retornando ao ponto a partir do qual você começou, mas na
realidade você está em um nível superior. Uma águia que aumenta em direção ao sol continua
voltando para o mesmo lugar no plano horizontal, mas para um lugar mais alto no plano vertical.

O influxo da luz divina em nossas almas é um raio de escuridão de acordo com João da Cruz.
Vemos a luz em um quarto escuro por causa da poeira que está lá. Se não houvesse poeira, o raio
de luz seria ir para a direita através da sala sem ser observado. Este é um símbolo do pleno
desenvolvimento da oração contemplativa, que é tão puro que não é perceptível para a recebê-lo.
É manifesto, no entanto, na transformação progressiva da pessoa. Tal pessoa manifesta a Deus
mais do que qualquer sacramento.

Não é este o significado da Festa da Imaculada Conceição? Somos convidados a se tornar o que
Nossa Senhora era desde o princípio, uma transmissão pura de presença e ação de Deus. A
oração contemplativa é a escola através do qual passamos a vir ao estado contemplativo, o meio
que Deus usa normalmente para trazer as pessoas para um estado permanente de união. Uma vez
nesse estado eles podem não ter muita consciência de graças transformam- de Deus, mas o
Espírito Santo é a inspiração ou motivação de tudo que eles fazem.

75
Capítulo 10Summary do Método de Oração Centrando

O método da oração de centramento é uma maneira de reduzir os obstáculos comuns para


contemplação e preparar as faculdades humanas para cooperar com esse dom. É uma tentativa de
apresentar o ensino de épocas anteriores em um formato atualizado e colocar uma certa ordem e
regularidade para ele. Não pretende substituir todas as outras formas de oração. Mas ele coloca
os outros tipos de oração em uma nova perspectiva. Durante o tempo de oração que centra a
atenção na presença de Deus dentro de si. Em outras ocasiões, a atenção se move para fora para
descobrir sua presença em toda a parte. Centrando a oração não é um fim em si, mas um começo.
Não é feito por uma questão de ter uma experiência, mas por causa de seus frutos positivos na
vida de alguém.

O método da oração de centramento é projetado para desligar o fluxo normal de pensamentos,


que reforça a nossa maneira habitual de pensar de nós mesmos e de olhar o mundo. É como ligar
um rádio de onda longa de ondas curtas. Pode ser usado para um conjunto de ondas longas e as
estações que pega, mas se você quer ouvir estações de longe, você tem que virar para o outro
comprimento de onda. De forma semelhante, se você desligar seus padrões de pensamento e
emocionais comuns, você se abre para um novo mundo de realidade.

O MÉTODO

Para fazer isso sistematicamente, assumir uma posição confortável que lhe permitirá ficar
parado. Feche seus olhos. Metade do mundo desaparece para nós geralmente pensamos mais
sobre o que vemos. A fim de diminuir o fluxo normal de pensamentos, pense apenas um
pensamento. Para este efeito, escolher uma palavra de uma ou duas sílabas com que você se sinta
confortável.

Um olhar geral amoroso para com Deus pode ser mais adequado para a disposição de algumas
pessoas. Mas os mesmos procedimentos são seguidos como no uso da palavra sagrada. A palavra
é uma palavra sagrada, porque é o símbolo de sua intenção de abrir-se ao mistério da presença de
Deus além de pensamentos, imagens e emoções. É escolhido não por seu conteúdo, mas por sua
intenção. É apenas um ponteiro que expressa a direção de seu movimento para o interior em
direção à presença de Deus.

Para começar, introduzir a palavra sagrada em sua imaginação tão suavemente como se estivesse
colocando uma pena em um pedaço de algodão absorvente. Continue a pensar a palavra sagrada
em qualquer forma que ela surge. Não é para ser repetido continuamente A palavra pode achatar,
tornar-se vaga ou apenas um impulso da vontade, ou mesmo desaparecer. Aceitá-lo em qualquer
forma que ela surge.

Quando você se torna consciente de que você está pensando algum outro pensamento, retornar à
palavra sagrada como a expressão de sua intenção. A eficácia desta oração não depende de quão
claramente você diz a palavra sagrada ou quantas vezes, mas sim sobre a gentileza com a qual
você introduzi-la na sua imaginação no início e a rapidez com que você retorne a ela quando
você está viciado em algum outro pensamento.

Os pensamentos são uma parte inevitável da oração de centramento: Nossos pensamentos


comuns são como barcos sentados em um rio tão intimamente embalados em conjunto que não
76
podemos ver o rio que está segurando-los. A "pensamento" no contexto desta oração é qualquer
percepção de que atravessa a tela interna da consciência. Normalmente, somos cientes de um
objeto após o outro passar pela tela interior da consciência: imagens, memórias, sentimentos,
impressões externas. Quando abrandar esse fluxo por pouco tempo, o espaço começa a aparecer
entre os barcos. Up vem a realidade em que estão flutuando.

A oração de centramento é um método de dirigir sua atenção a partir do particular para o geral,
do concreto para o informe. No começo você está preocupado com os barcos que vão por. Você
tornar-se interessado em ver o que está sobre eles. Mas apenas deixar que todos eles passam. Se
você se pegar tornando-se interessado neles, retornar à palavra sagrada como a expressão do
movimento de todo o seu ser para com Deus presente dentro de você.

A palavra sagrada é um simples pensamento de que você está pensando em níveis cada vez mais
profundas de percepção. É por isso que você aceitar a palavra sagrada em qualquer forma que
surge dentro de você. A palavra em seus lábios é exterior e não tem parte nessa forma de oração.
O pensamento em sua imaginação é interior; a palavra como um impulso de sua vontade é mais
interior ainda. Somente quando você passar além da palavra na consciência pura é o processo de
interiorização completa. Isso é o que Maria de Betânia estava fazendo aos pés de Jesus. Ela ia
além das palavras que estava ouvindo à pessoa que estava falando e entrando em união com Ele.
Isto é o que estamos fazendo como nós sentar-se em oração centrada interiorizar a palavra
sagrada. Estamos indo além da palavra sagrada em união com aquilo a que ele aponta - o
Mistério Máximo; Presença de Deus,

CINCO TIPOS DE PENSAMENTOS

Vários tipos de pensamentos podem vir para baixo o fluxo de consciência quando começamos a
aquietar a nossa mente. A resposta adequada a cada um varia de acordo com o pensamento.

1. O woolgathering da imaginação. Os pensamentos mais óbvias são os superficiais que a


imaginação grinds fora por causa de sua propensão natural para o movimento perpétuo. É
importante apenas para aceitá-las e não pagar qualquer atenção indevida a eles. Tais pensamentos
são como o barulho na rua flutuando através da janela de um apartamento onde duas pessoas
estão levando uma conversa. Sua atenção está firmemente dirigido para o outro, mas eles não
podem evitar de ouvir o barulho da rua. Às vezes, eles chegam a um ponto onde eles não notar
nada. Em outras ocasiões, as buzinas de chifres podem distraí-los momentaneamente A única
atitude razoável é que aturar o barulho e pagar o mínimo de atenção possível a este valor. Desta
forma, eles dão o máximo de sua atenção uns aos outros como as circunstâncias o permitirem.

2. Pensamentos com uma atração emocional a eles. O segundo tipo de pensamento ocorre
quando você se interessar por algo que está acontecendo na rua. A briga irrompe e atrai a sua
curiosidade. Este é o tipo de pensamento que exige alguma reação. Retornando suavemente à
palavra sagrada é um meio de voltar para a atenção geral amorosa que estavam oferecendo a
Deus. É importante não ficar irritado com você mesmo se você se envolver com esses
pensamentos interessantes. Qualquer irritação que você dá para um outro pensamento, e irá levá-
lo mais longe do silêncio interior que é o objetivo imediato desta oração.

3. Insights, e avanços psicológicos. Um terceiro tipo de pensamento surge como nós afundar
profunda paz e silêncio interior. Algo em nossas mentes vai pescar. O que parece ser
aprofundamentos teológicos brilhantes e avanços psicológicos maravilhosas, como a saborosa
isca, são balançou na frente do olho da nossa mente e pensamos, "I deve ter um momento para
me certificar de que agarrar esta visão fantástica!" Se você concordar com um pensamento dessa
77
natureza tempo suficiente para corrigi-lo em sua memória você será atraído para fora da
profunda, refrescante águas do silêncio interior. Qualquer pensamento deliberado traz-lo.

Um tipo muito íntimo de abnegação é necessário nesta oração. Não é apenas uma experiência de
refresco - uma espécie de espiritual happy hour - embora isso pode ser um efeito colateral. Ela
envolve a negação do que estamos mais ligados a, ou seja, nossos próprios pensamentos mais
íntimos e sentimentos e a fonte de onde eles vêm, o falso eu.

Este tipo de ascetismo vai para as raízes de nosso apego à programação emocional do falso self.
É uma espécie completa e deliciosa de auto-negação, que não tem que ser aflitivo para ser eficaz.
A questão é como escolher o tipo mais útil e adequada de abnegação e como trabalhar com ele.

4. A auto-reflexão. Como você resolver em paz profunda e liberdade de pensamentos


particulares, um desejo de refletir sobre o que está acontecendo podem surgir. Você pode pensar:
"Finalmente estou recebendo algum lugar!" ou, "Este sentimento é ótimo!" ou, "Se eu pudesse
fazer uma nota mental de como cheguei aqui para que eu possa voltar a ele sempre que eu
quero!" Estes são exemplos do quarto tipo de pensamento. Está sendo oferecida uma escolha
entre refletindo sobre o que está acontecendo e deixando de lado a experiência. Se você deixar ir,
você entrar em mais profundo silêncio interior. Se você refletir, você sai e tem que começar de
novo Haverá um monte de começar de novo.

A reflexão é um passo para trás a partir da experiência. É uma fotografia da realidade. Assim que
você começa a refletir sobre uma experiência, que é longo. Reflexão sobre a alegria é uma
tentativa de possuí-la. Em seguida, ele está perdido. A tendência para refletir é uma das coisas
mais difíceis de lidar na oração contemplativa. Queremos saborear o momento de pura alegria,
pura experiência, consciência pura. Queremos refletir sobre momentos de paz ou união profunda,
a fim de lembrar como chegamos lá e, assim como voltar. Mas se você pode deixar essa tentação
passar e retornar à palavra sagrada, você vai passar para um novo nível de liberdade, uma alegria
mais refinado.

A presença de Deus é como o ar que respiramos. Você pode ter tudo o que quiser dela contanto
que você não tente tomar posse dela e segurá-la.

Esta oração é comunhão com o Espírito de Deus, que é a caridade, puro dom. Nosso instinto
possessivo quer pendurar na cara de vida ao que é agradável - e nada é mais agradável do que a
presença divina; ele traz uma profunda sensação de segurança e tranquilidade tal. A presença de
Deus não responde a ganância. É totalmente disponíveis, mas com a condição de que nós aceitá-
la livremente e não tente a possuir.

Este método de oração é um aprendizado de auto-rendição. Ela nos ensina através de nossos
muitos erros para não ser possessivo, mas para deixar ir. Se, nesta oração, você pode obter sobre
o hábito inveterado de refletir sobre o que está acontecendo, se você pode ter paz e não pensar
em tê-lo, então você vai ter aprendido a fazê-lo.

5. Purificação do Interior. Qualquer forma de meditação ou oração que transcende o pensamento


desencadeia a dinâmica da purificação interior. Esta dinâmica é a escola de psicoterapia de Deus.
Ele permite que o organismo a liberar a tensão profundamente enraizada na forma de
pensamentos. Geralmente, os pensamentos que resultam dessa terapia surgir sem um é saber de
onde vêm ou por quê. Eles se apresentam com uma certa força ou carga emocional. Pode-se
sentir raiva intensa, tristeza ou medo, sem qualquer relação com o passado recente. Mais uma
vez, a melhor maneira de lidar com eles é retornar à palavra sagrada.
78
Através deste processo, o material não digerido psicológico de uma vida está gradualmente
evacuados, o investimento emocional da primeira infância em programas de felicidade com base
em impulsos instintivos é desmontado e o falso eu dá lugar ao verdadeiro eu.

Uma vez que você compreender o fato de que os pensamentos não são apenas inevitável, mas
uma parte integrante do processo de cura e crescimento iniciado por Deus, você é capaz de ter
uma visão positiva deles. Em vez de olhar sobre eles distrações como dolorosas, você vê-los em
uma perspectiva mais ampla que inclui tanto silêncio e pensamentos interior - pensamentos que
você não quer, mas que, são tão valiosos para o roxo de purificação, como momentos de
profunda tranquilidade .

DESCANSO EM DEUS

Como você se acalmar e ir mais fundo, você pode chegar a um lugar onde a palavra sagrada
desaparece completamente e não há pensamentos. Isso é muitas vezes vivida como uma
suspensão de consciência, um espaço. A próxima coisa que você está ciente de é o pensamento:
"Onde foi que eu? Não havia nenhuma palavra sagrada e eu não estava pensando." Ou você pode
experimentá-lo como um lugar fora do tempo. O tempo é a medida do movimento. Se o fluxo
normal de pensamentos é reduzida para onde há poucos ou nenhuns pensamentos sucessivos, o
tempo de oração passa como um estalar de dedos.

A experiência do silêncio interior ou "descansar em Deus" está além do pensamento, imagens e


emoções. Esta consciência lhe diz que o núcleo do seu ser é eterno e indestrutível e que você
como uma pessoa são amados por Deus e partilhar a sua vida divina. Muitas pessoas
habitualmente desfrutar da experiência clara de silêncio interior durante a oração. Outros
habitualmente experimentar calma e tranquilidade, juntamente com um fio de pensamentos, ao
mesmo tempo. Ainda outros raramente têm tais experiências. Sob qualquer forma ou grau
silêncio interior ocorre, é para ser aceito, mas não desejado, para o sentimento de desejo seria um
pensamento.

CONCLUSÃO

Pegue tudo o que acontece durante os períodos de oração centrada pacificamente e com gratidão,
sem colocar um juízo sobre qualquer coisa. Mesmo que você deve ter uma experiência
avassaladora de Deus, este não é o tempo para pensar sobre isso. Deixe os pensamentos vêm e
vão. O princípio básico para lidar com pensamentos nesta oração é esta: Resista nenhum
pensamento, pendurar sobre a nenhum pensamento, reagir emocionalmente a nenhum
pensamento. Seja qual for a imagem, sentimento, reflexão, ou experiência atrai sua atenção,
retornar à palavra sagrada.

Não julgue oração centrada na base de quantos pensamentos vêm ou o quanto a paz que você
gosta. A única maneira de julgar essa oração é por seus frutos de longo alcance: seja na vida
diária você desfrutar de uma maior paz, humildade e caridade. Tendo chegado ao silêncio interior
profundo, você começa a se relacionar com outras pessoas além dos aspectos superficiais de
status social, raça, nacionalidade, religião e características pessoais.

Para conhecer a Deus desta maneira é perceber uma nova dimensão para toda a realidade. A
fruta madura da oração contemplativa é trazer de volta para as rotinas monótonas da vida diária e
não apenas o pensamento de Deus, mas a consciência espontânea de sua presença permanente
em, através e além de tudo. Aquele que é - o infinito, incompreensível e inefável One - é o Deus

79
de pura fé. Nesta oração nos confrontamos com a questão humana mais fundamental: - e
aguardar a resposta "Quem és tu, Senhor?".

80
Capítulo 11O Intensivo experiência de oração Centering

Em uma configuração de recuo, a duração dos períodos de centragem oração pode ser estendido.
Membros de um grupo que pratica regularmente oração centrada em conjunto também pode
querer aumentar o tempo de duração dos períodos de oração, uma vez por semana ou uma vez
por mês.

A seguir é um relatório de participantes que reflete as experiências usuais de pessoas após três
períodos sucessivos de centralização.

Alongamento de multiplicar os períodos de oração centrada pode ajudar a aprofundar a


experiência do silêncio interior. Em tal contexto, pode acelerar o processo de descarga, o
inconsciente. O seguinte é um relatório de uma dessas sessões em que havia três de vinte
períodos de centrar separados por um 5-7 minutos de caminhada meditativa em fila indiana a um
ritmo muito lento e deliberada minuto.

RETIRANTE 1: Eu achei que fosse uma experiência muito tranquila. A continuidade de três
períodos prolongados trouxe um sentimento mais profundo de paz. Não houve pausa em tudo,
mesmo que se levantou e andando por aí. Eu não posso exagerar a experiência de um tipo de
comunidade de oração. Eu tenho uma visão mais profunda partilha de oração, qualquer tipo de
oração.

RESPOSTA: Na verdade, a caminhada é para ser parte da oração, um primeiro passo para trazer
o silêncio interior em atividade de um tipo muito simples.

RETIRANTE 2: Achei muito, muito tranquilo, mas eu também estava ciente de quantos
pensamentos que eu estava ficando nos três períodos. Eles não perturbar a paz, mas eu estava
ciente de quantos eram. Eu também tive uma sensação que, por vezes, todo o meu corpo queria ir
mais fundo. Eu encontrei o tempo passou muito rápido.

RETIRANTE 3: A primeira visão que tive hoje foi o fato de que havia um elemento de apoio na
oração em grupo. Tenho praticado oração centrada em cerca de dois anos sozinho, e eu não
conseguia entender como isso poderia ser feito em um grupo, então eu tinha minhas dúvidas.
Mas eles têm sido dissolvido.

RETIRANTE 4: Durante o primeiro período de oração eu me senti inquieto, mais do que eu


tinha antes, mas quando cheguei ao terceiro, foi pacífica. Foi uma resposta a uma pergunta que
eu tive por um longo tempo. Tenho encontrado muitas vezes que o meu período de tempo para a
oração está no lado curto, talvez vinte a vinte e cinco minutos. Eu quis saber se ele deve alongar
com o tempo. Não tem e eu estava preocupado. Mas eu posso ver a partir desta experiência que
com esta pequena pausa no meio, ele pode ser prolongado.

RETIRANTE 5: Devo dizer que o tempo passou muito rapidamente ea caminhada tendiam a
recarregar minhas baterias. Quando voltei para o segundo período, o tempo passou ainda mais
rapidamente, e assim para o terceiro.

RESPOSTA: Quanto mais profundo o silêncio que você tiver, mais rápido do que o tempo passa.
Afinal, o que é o tempo? É apenas a medição de objetos de percepção por. Então, quando há
81
menos objetos, há menos tempo. Pelo menos há menos consciência do tempo. Quando nada está
passando, não há nenhum sentido de tempo em tudo, e que é quando a oração é mais como um
flash. Tal oração profunda é uma intuição sobre o que a eternidade é como. É uma prévia da
morte, não a morte em um sentido mórbido, mas num sentido delicioso.

RETIRANTE 6: No início, eu estava deliberadamente tentando ficar quieto, e eu estava ficando


no meu próprio caminho. De alguma forma ou de outra, no segundo ou terceiro período, eu
estava experimentando grande facilidade e uma sensação consciente de alegria tranquila.

RETIRANTE 7: No início, foi bastante tedioso, mas a meio da tarde, senti um avanço sutil, ou
apenas uma facilidade de estar sem qualquer pressão interior.

RESPOSTA: Se você continuar centrando tempo suficiente, a sua resistência se cansa e você cai
no que você deveria estar fazendo de qualquer maneira. Assim, há uma vantagem em cansar-se
suavemente para fora.

RETIRANTE 8: Eu encontrei a terceira meditação muito curto.

RESPOSTA: Dependendo do temperamento ou de graça, o intervalo de tempo pode ser


aumentado quando se está sozinho. Mas para um grupo de pessoas, é melhor chegar a acordo
sobre uma certa quantidade de tempo que não é muito curto e não muito longo. Ele deve ser
suficientemente longo para permitir que as suas faculdades para entrar e se acalmar. Mas não
tanto tempo que desencoraja os fracos de coração, que nunca vai fazê-lo se eles têm de enfrentar
algo que parece sem fim para eles. Três períodos sucessivos com uma breve caminhada,
contemplativo no meio é uma maneira de iniciar-nos para o fato de que somos perfeitamente
capazes de um longo período de descanso em Deus.

RETIRANTE 9: Eu encontrei um descanso profundo; tanto assim, que eu não tinha certeza se eu
estava dormindo, pelo menos parte do tempo. No início, eu não tinha certeza se eu poderia fazer
os três em uma fileira. Não foi tão difícil, uma vez eu entrei. Eu ainda não tenho certeza o que
fazer com a palavra sagrada, se deve haver um esforço da minha parte para repeti-lo, ou apenas
para deixá-lo ir.

RESPOSTA: A principal coisa a ter em mente nesta oração é que não há nenhum esforço, não é
apenas a atividade muito gentil da escuta. É quase como deixar a palavra dizer-se. Mas deixando
de lado que a atividade é ainda melhor. Sempre que tiver dúvidas o que fazer, você está
completamente livre para fazer qualquer um, e sua própria experiência vai lhe ensinar. Basta ter
em mente que o silêncio é melhor do que a palavra sagrada. Ou, dito de outra forma, é a palavra
sagrada no nível mais profundo. Sempre que você voltar à palavra sagrada, deve ser tão
facilmente quanto possível, como se fosse um pensamento espontâneo que só veio junto. Ele não
tem que ser explícita ou articulado. Mesmo o pensamento de retornar à palavra sagrada pode ser
suficiente.

RETIRANTE 10: Eu encontrei-me usar a palavra menos hoje do que já usei antes.

RESPOSTA: A sua utilização ou presença irá variar de um período de oração para o próximo, de
acordo com as circunstâncias. Você precisa de uma grande flexibilidade na sua utilização. O
princípio é sempre usá-lo para ir em direção a uma maior paz, silêncio, e mais além. Mas quando
se está em paz, silêncio, e além, esqueça.

82
RETIRANTE 11: Eu encontrei-me indo cada vez mais fundo em cada sessão, e eu tenho uma
pergunta. Todas as manhãs eu faço minha oração de centralização, e então eu oferecer Mass. Mas
eu achar que é difícil sair dela. O que devo fazer?

RESPOSTA: Isso é um problema bom ter.

RETIRANTE 11: Mas eu não deveria estar pensando nas orações da Missa? Em vez disso eu me
encontro centralização.

RESPOSTA: Se a presença divina supera você e você não está levando a montagem, não há
nenhuma razão para que você não pode descansar na Presença de Deus. Se você tem alguma
função para cumprir - se você é o celebrante principal, por exemplo -, obviamente, você tem que
mover as coisas. Você não pode simplesmente deixar a congregação esperar até que você sair
dela.

RETIRANTE 11: O problema é que eu estou gostando disso mais do que qualquer outra coisa.

RESPOSTA: Há momentos na vida de alguém quando a ação divina é muito forte e difícil de
resistir. Há também momentos em que o Senhor parece esquecer de você. As principais coisas é
aceitar o que vier, para ajustar ao que acontece, para tudo o que Ele lhe dá. Alternando o sentido
de sua proximidade e distância, Deus treina nossas faculdades a aceitar o mistério da Sua
Presença além de qualquer tipo de experiência sensível ou conceitual. A presença divina é muito
próximo e imediato, quando estamos fazendo as ações mais comuns. A fé deve tornar-se tão
transparente que ele não precisa de experiência. Mas é preciso muita experiência para chegar a
esse ponto.

Como Deus traz o "homem novo" para a vida em silêncio interior, isto é, o novo você, com a
visão de mundo que Cristo compartilha com você em profundo silêncio, sua visão das coisas se
torna mais importante para você do que o seu próprio. Então, Ele lhe pede para viver essa nova
vida nas circunstâncias da vida cotidiana, em sua rotina diária, contrariada por ruído, oposição e
ansiedades. Estes parecem perseguir você porque você quer ficar sozinha para saborear que o
silêncio. Mas é importante deixar-se confrontado com a vida diária. A alternância entre o silêncio
profundo e ação traz gradualmente os dois juntos. Você se torna totalmente integrada, um
contemplativo e ainda plenamente capaz de ação ao mesmo tempo. Você é Maria e Marta de uma
só vez.

Todos nós temos essas duas capacidades, mas eles estão em diferentes proporções. Ao trazer
cada um deles para o seu pleno potencial e integrá-los, a pessoa se torna um cristão maduro,
capaz de dar à luz fora de seu kit de ferramentas de coisas velhas e novas. É ser capaz de agir e
de ser capaz de não agir, a entrar em função e para retirar em silêncio. A alternância de oração e
ação contemplativa, gradualmente, estabelece-lo na dimensão contemplativa do Evangelho, que
é um estado novo e transformado de consciência.

83
12Methods capítulos de extensão dos efeitos da oração
contemplativa na vida diária

Centrando a oração é a pedra fundamental de um compromisso global para a dimensão


contemplativa do Evangelho. Dois períodos diários de vinte a trinta minutos - um no início da
manhã e um a meio do dia ou no início da noite - manter o reservatório de silêncio interior em
um alto nível em todos os momentos. Aqueles que têm mais tempo à sua disposição pode
começar com uma breve leitura dos dez ou quinze minutos do Evangelho. Para aqueles que
desejam dar uma hora da manhã para o silêncio interior, comece com dez minutos de leitura do
Evangelho e, em seguida, centrar durante vinte minutos. Fazer um lento, caminhada meditativa
ao redor da sala para cinco a vários minutos; sentar e fazer um segundo período de centralização.
Você ainda tem dez minutos para planejar o seu dia, rezar pelos outros, ou conversar com o
Senhor.

Para encontrar tempo para um segundo período no final do dia pode exigir esforço especial. Se
você tem que estar disponível para sua família, logo que você entrar pela porta que você pode
centrar durante sua hora de almoço. Ou você pode parar no caminho para casa do trabalho e no
centro de uma igreja ou parque. Se for impossível obter um segundo período de oração, é
importante que você alongar o primeiro. Há uma série de práticas que podem ajudar a manter o
seu reservatório de silêncio interior durante todo o dia e, assim, estender os seus efeitos nas
atividades comuns.

Meios de extensão dos efeitos da oração Centrando na vida diária

1. Cultive uma aceitação básica de si mesmo.Ter uma compaixão genuína para si mesmo,
incluindo toda a sua história passada, falhas, limitações e pecados. Esperar para fazer
muitos erros. Mas aprender com eles. Para aprender com a experiência é o caminho para
a sabedoria.
2. Escolha uma oração para a ação.Esta é uma sentença 08:55-sílaba da escritura que você
trabalhar gradualmente em seu subconsciente, repetindo mentalmente nos momentos em
que sua mente é relativamente livre, como ao lavar-se, fazer tarefas leves, andar, dirigir,
esperando, etc. Sincronizar -lo com o seu batimento cardíaco. Eventualmente, ele diz a si
mesmo e, assim, mantém um link com o reservatório de silêncio interior durante todo o
dia. Se você tem uma tendência a escrúpulo e sentir uma compulsão para dizer a oração,
uma e outra ou se a repetição frequente traz em uma dor de cabeça ou uma dor nas costas,
esta prática não é para você.1
3. Gastar tempo escuta diária da Palavra de Deus na lectio divina. Dê quinze minutos ou
mais todos os dias para a leitura do Novo Testamento ou um livro espiritual que fala ao
seu coração.
4. Levar um "Livro de Atas".Esta é uma série de leituras curtas - uma frase ou duas, ou no
máximo um parágrafo - de seus autores espirituais favoritos ou de seu próprio jornal que
você lembra de seu compromisso com Cristo e à oração contemplativa. Carregá-lo no
bolso ou na bolsa e quando você tem um minuto de rua ou dois, ler algumas linhas.
5. Deliberadamente desmantelar a programação emocional do falso self.Observe as
emoções que mais chateado você e os eventos que defini-las para fora, mas sem analisar,
racionalizar ou justificar suas reações. Nomear o chefe emoção que você está sentindo e o
84
evento específico que desencadeou e libere a energia que está a construir-se por um forte
ato de vontade, tais como, "Eu dou o meu desejo de (segurança, estima, controle)!" 2O
esforço para desmantelar o falso eu e a prática diária da oração contemplativa são os dois
motores de seu jato espiritual que lhe dão o impulso para sair do chão. A razão por que a
oração de centramento não é tão eficaz como poderia ser é que quando você sai dela para
as rotinas normais da vida diária, seus programas emocionais começar a sair novamente.
emoções perturbadoras imediatamente começam a drenar o reservatório de silêncio
interior, que tinha estabelecido durante a oração. Por outro lado, se você trabalha em
desmantelar os centros de energia que causam as emoções perturbadoras, o seu esforço
vai estender os bons efeitos da centralização em cada aspecto da vida diária.
6. guarda prática do coração. Esta é a prática de liberar emoções perturbadoras para o
momento presente. Isso pode ser feito em uma de três maneiras: fazendo o que você está
realmente fazendo, voltando sua atenção para alguma outra ocupação, ou dando a
sensação de Cristo. O guarda do coração exige o desapego imediata de pessoal gosta ou
não gosta. Quando algo acontece independentemente dos nossos planos, nós
espontaneamente tentar modificá-lo. Nossa primeira reação, no entanto, deve ser abertura
para o que realmente está acontecendo para que, se os nossos planos estão chateados, não
estamos chateados. O fruto da guarda do coração é a disposição habitual que mudar
nossos planos a qualquer momento. Ele nos dispõe a aceitar situações dolorosas que
possam surgir. Então nós podemos decidir o que fazer com eles, modificar, corrigir ou
melhorar. Em outras palavras, os acontecimentos comuns da vida diária tornar-se nossa
prática. Eu não posso enfatizar que muito. Uma estrutura monástica não é o caminho para
a santidade para pessoas leigas. A rotina da vida diária é. A oração contemplativa é
destinado a transformar a vida diária com sua interminável de atividades comuns.
7. Pratique a aceitação incondicional dos outros. Esta prática é especialmente poderosa em
acalmar as emoções do apetite utilidade: medo, raiva, coragem, esperança e desespero.
Ao aceitar outras pessoas incondicionalmente, você disciplina as emoções que querem
ficar mesmo com os outros ou para ficar longe deles. Você permitir que as pessoas sejam
quem são com todas as suas idiossincrasias e com o comportamento específico que está
incomodando. A situação fica mais complicada quando você sente a obrigação de corrigir
alguém. Se você corrigir alguém quando você está chateado, você está certo para chegar
a lugar algum. Isso desperta as defesas dos outros e dá-lhes uma alça para culpar a
situação em você. Espere até você se acalmaram um pouco e, em seguida, oferecer
correção de genuína preocupação para eles.
8. Deliberadamente desmantelar identificação grupo excessiva.Esta é a prática de
abandonar nosso condicionamento cultural, ideias preconcebidas, e mais identificação
com os valores de nosso grupo particular. Isso também significa abertura à mudança de
valores, a abertura ao desenvolvimento espiritual além lealdade de grupo, a abertura para
o que o futuro reserva.
9. Celebrar a Eucaristia regularmente. Participam regularmente no mistério da paixão de
Cristo, morte e ressurreição, a fonte da transformação cristã.
10. Junte-se a um grupo de oração contemplativa. Configurar ou participar de um grupo de
apoio que se reúne semanalmente para fazer centrando oração e lectio divina juntos e
encorajar uns aos outros no compromisso com a dimensão contemplativa do Evangelho.3

Ferramentas básicas para momentos de tentação

85
1. Determinação de perseverar na jornada espiritual.
2. Confiar na misericórdia infinita de Deus.
3. prática contínua da presença de Deus através da oração e abertura para suas inspirações.

_____________________________1. Cf. Apêndice A: O Prayer.2 Ativo. Cf. Keyes, Handbook


para a Consciência Superior, capítulos 14 e 15,3. Cf. Apêndice B: O Grupo de Apoio Weekly.

86
13Guidelines capítulo para a vida cristã, crescimento e
transformação

Os seguintes princípios representam um esforço tentativa de reafirmar a jornada espiritual cristã


em termos contemporâneos. Eles são projetados para fornecer uma base conceitual para a prática
da oração de centramento. Eles devem ser lidos de acordo com o método da lectio divina.

1. A bondade fundamental da natureza humana, como o mistério da Trindade, Grace, e da


Encarnação, é um elemento essencial da fé cristã. Este núcleo básico de bondade é capaz de
desenvolvimento ilimitado; de fato, de tornar-se transformado em Cristo e deificado.

2. Nosso núcleo básico de bondade é o nosso verdadeiro Self. Seu centro de gravidade é Deus. A
aceitação da nossa bondade fundamental é um salto quântico na jornada espiritual.

3. Deus e nosso verdadeiro Eu não são separados. Embora nós não somos Deus, Deus e nosso
verdadeiro Eu são a mesma coisa.

4. O pecado original do termo é uma maneira de descrever a condição humana, que é a


experiência universal da tomada de consciência auto-reflexiva plena sem a certeza da união
pessoal com Deus. Isto dá origem a nosso senso íntimo de incompletude, divisibilidade,
isolamento e culpa.

5. O pecado original não é o resultado de má conduta pessoal de nossa parte. Ainda assim, ele
causa um sentimento generalizado de alienação de Deus, de outras pessoas e do verdadeiro Self.
As consequências culturais dessas alienações são incutiu em nós desde a mais tenra infância e
passada de uma geração para a seguinte. A necessidade urgente de escapar da profunda
insegurança dessa situação dá origem, quando não controlada, aos desejos insaciáveis por prazer,
posse e poder. No plano social, que dá origem à violência, guerra e injustiça institucional.

6. As conseqüências particulares do pecado original incluem todo o auto-serviço hábitos que


foram tecidas em nossa personalidade a partir do momento em que fomos concebidos; todo o
dano emocional que vem de nosso ambiente cedo e educação; todo o mal que outras pessoas
fizeram para nós consciente ou inconscientemente em uma idade em que não podíamos nos
defender; e os métodos que adquiriu - muitos deles agora inconsciente - para afastar a dor de
situações insuportáveis.

7. Esta constelação de reações pré-racionais é a base do falso self. O falso self se desenvolve em
oposição ao verdadeiro Eu. Seu centro de gravidade é em si.

8. A graça é a presença e da ação de Cristo em cada momento de nossas vidas. Os sacramentos


são ações rituais em que Cristo está presente de uma maneira especial, confirmando e sustentar
os principais compromissos da nossa vida cristã.

9. No Batismo, o falso eu é ritualmente morto, a nova auto nasce, ea vitória sobre o pecado
vencido por Jesus através de sua morte e ressurreição é colocado à nossa disposição. Não é a
nossa singularidade como pessoas, mas o nosso senso de separação de Deus e dos outros é
destruído no tráfico de morte e vivificantes águas do Batismo.

87
10. A Eucaristia é a celebração da vida: a união de todos os elementos materiais do cosmos, sua
emergência à consciência de seres humanos ea transformação da consciência humana na
consciência divina. É a manifestação do Divino na e através da comunidade cristã Nós receber a
Eucaristia, a fim de tornar a Eucaristia.

11. Além de estar presente nos sacramentos, Cristo está presente.

12. pecado pessoal é a recusa em responder a auto-comunicação de Cristo (graça). É a


negligência deliberada de nossas próprias necessidades genuínas e as dos outros. Isso reforça o
falso eu.

13. Nosso núcleo básico de bondade é dinâmica e tende a crescer por si mesma. Este crescimento
é dificultado pelas ilusões e emocionais hang-ups do falso eu, pelas influências negativas vindas
de nosso condicionamento cultural, e pelo pecado pessoal.

14. escuta da palavra de Deus na Escritura e na liturgia, esperando a Deus em oração, e


capacidade de resposta às suas inspirações ajudar a distinguir como os dois eus estão operando
em circunstâncias particulares.

15. Deus não é um ser remoto, inacessível e implacável que exige perfeição instantânea de suas
criaturas e de cujo amor devemos fazer-nos dignos. Ele não é um tirano para ser obedecida fora
de terror, nem um policial que está sempre no relógio, nem um juiz severo sempre pronto para
aplicar o veredicto de culpado. Devemos nos relacionar com Ele cada vez menos em termos de
recompensa e punição e mais e mais na base da gratuidade - ou o jogo do amor divino.

16. O amor divino é compassivo, concurso luminosa, totalmente auto-doação, buscando


nenhuma recompensa, unificando tudo.

17. A experiência de ser amado por Deus nos permite aceitar o nosso falso eu como ela é, e
depois de deixar de ir la e jornada para nosso verdadeiro Eu. A jornada interior para o nosso
verdadeiro Eu é o caminho para o amor divino.

18. A crescente consciência do nosso verdadeiro eu, juntamente com o profundo sentimento de
paz e alegria espiritual que fluem a partir desta experiência, equilibra a dor psíquica da
desintegração e morte do falso eu. À medida que o poder motivador do falso self diminui, nosso
verdadeiro Eu constrói o novo auto com a força motivadora do amor divino.

19. A construção de nosso novo eu é obrigado a ser marcada por inúmeros erros e às vezes pelo
pecado. Tais falhas, porém séria, são insignificantes em comparação com a bondade inviolável
do nosso verdadeiro Eu. Devemos pedir o perdão de Deus, buscar o perdão daqueles que pode
ter ofendido, e então agir com renovada confiança e energia, como se nada tivesse acontecido.

20. sentimentos de culpa prolongados, penetrantes, ou paralisantes vêm do falso self. A


verdadeira culpa em resposta ao pecado pessoal ou injustiça social não leva ao desânimo, mas a
proposta de alteração da vida. É um apelo à conversão.

21. O progresso na jornada espiritual se manifesta pela aceitação incondicional de outras


pessoas, começando com aqueles com quem vivemos.

22. A comunidade de fé oferece o apoio de exemplo, correção e interesse mútuo na jornada


espiritual. Acima de tudo, participar no mistério de Cristo, através da celebração da liturgia,
88
Eucaristia e oração silenciosa se liga a comunidade em uma busca comum para a transformação
e união com Deus. A presença de Cristo é ministrado um ao outro e se torna tangível na
comunidade, especialmente quando se está reunida para o culto ou envolvidos em algum
trabalho de serviço aos necessitados.

23. A moderação dos impulsos instintivos do organismo humano em desenvolvimento para a


sobrevivência e segurança, afecto e estima, controle e poder permite verdadeira humano precisa
entrar em foco adequado. A principal entre estas necessidades é a intimidade com outra ou várias
pessoas humanas. Pela intimidade se entende a partilha mútua de pensamentos, sentimentos,
problemas e aspirações espirituais que desenvolve gradualmente na amizade espiritual.

24. amizade espiritual envolvendo genuína auto-revelação é um ingrediente essencial para a


felicidade tanto no casamento e no estilo de vida celibatário. A experiência de intimidade com
outra ou várias pessoas expande e aprofunda a nossa capacidade de se relacionar com Deus e
com todos os outros. Sob a influência do Amor Divino a energia sexual é gradualmente
transformada em compaixão universal.

25. A radiação espiritual de uma comunidade depende do compromisso dos seus membros para a
viagem para o interior e para o outro. Para oferecer um outro espaço no qual a crescer como
pessoas é uma parte integrante do presente compromisso.

26. oração mental, no sentido tradicional do termo, é a dinâmica que inicia, acompanha e traz o
processo de transformação para conclusão.

27. A reflexão sobre a Palavra de Deus na Escritura e na nossa história pessoal é o fundamento
da oração contemplativa O desapego espontâneo de pensamentos e sentimentos particulares na
oração é um sinal de progresso na contemplação. A oração contemplativa não se caracteriza tanto
pela ausência de pensamentos e sentimentos como por destacamento a partir deles.

28. O objetivo da prática espiritual genuína não é a rejeição das coisas boas do corpo, mente ou
espírito, mas o uso correto deles. Nenhum aspecto da natureza humana ou período de vida
humana deve ser rejeitado, mas integrados em cada nível sucessivo de desdobramento auto-
consciência. Desta forma, a bondade parcial adequada para cada fase do desenvolvimento
humano é preservado e apenas suas limitações são deixados para trás. O caminho para se tornar
divina é, portanto, para se tornar plenamente humano.

29. A prática de uma disciplina espiritual é essencial no início da jornada espiritual como um
meio de desenvolver as bases da dimensão contemplativa da vida: dedicação e devoção a Deus e
serviço aos outros. Nossa prática diária deve incluir um tempo para a oração contemplativa e um
programa para largar o falso self.

30. períodos regulares de silêncio e solidão tranquila da psique, promovem o silêncio interior, e
iniciar a dinâmica de auto conhecimento.

31. A solidão não é primariamente um lugar, mas uma atitude de entrega total a Deus. Quando se
pertence completamente a Deus, a partilha de vida e de presentes da um aumenta continuamente.

32. O Beatitude da pobreza de espírito brota da consciência crescente de nosso verdadeiro Eu. É
uma atitude não-possessiva em relação a tudo e um senso de unidade com tudo ao mesmo tempo.
A liberdade interior para ter muito ou ter pouco, ea simplificação do próprio estilo de vida são
sinais da presença de pobreza de espírito.
89
33. Castidade é distinto do celibato, que é o compromisso de abster-se da expressão genital da
nossa sexualidade. A castidade é a aceitação de nossa energia sexual, juntamente com as
qualidades masculinas e femininas que a acompanham e a integração desta energia em nossa
espiritualidade. É a prática da moderação e auto-controle no uso de nossa energia sexual.

34. Castidade melhora e amplia o poder de amar. Ele percebe a santidade de tudo o que é. Como
consequência, um respeite a dignidade de outras pessoas e não pode usá-los apenas para a
própria realização.

35. A obediência é a aceitação incondicional de Deus como Ele é e como Ele se manifesta em
nossas vidas. A vontade de Deus não é imediatamente evidente. Docilidade nos inclina para
atender a todas as indicações de Sua vontade. Discernimento peneira as provas e, em seguida,
decide, à luz da atração interior da graça, que Deus parece estar perguntando aqui e agora.

36. A humildade é uma atitude de honestidade com Deus, a si mesmo, e toda a realidade. Ele nos
permite estar em paz na presença de nossa impotência e para descansar no esquecimento de si.

37. A esperança da experiência contínua de compaixão e ajuda de Deus. A paciência é esperança


em ação. Ele aguarda a ajuda salvadora de Deus sem desistir, ceder, ou indo embora, e por
qualquer período de tempo.

38. A desintegração e morte do nosso falso eu é a nossa participação na paixão e morte de Jesus.
A construção de nosso novo eu, com base no poder transformador do amor divino, é nossa
participação em sua vida ressuscitada.

39. No início, emocionais hang-ups são o principal obstáculo para o crescimento de nossa nova
auto porque eles colocam a nossa liberdade em uma camisa de força. Mais tarde, por causa da
satisfação sutil que brota de auto-controle, o orgulho espiritual torna-se o principal obstáculo. E,
finalmente, a reflexão de si torna-se o principal obstáculo, pois isso dificulta a inocência da união
divina.

40. O esforço humano depende da graça ao mesmo tempo que convida-lo. Seja qual for o grau de
união divina, podemos atingir não tem qualquer proporcional ao nosso esforço. É a dádiva pura
do amor divino.

41. Jesus não ensinou um método específico de meditação ou disciplina corporal para acalmar a
imaginação, memória e emoções. Devemos escolher uma prática espiritual adaptado para nosso
temperamento particular e disposição natural. Nós também deve estar disposto a renunciar a ela
quando chamados pelo Espírito a se render à sua orientação direta. O Espírito está acima de
qualquer método ou prática. Para seguir sua inspiração é o caminho certo para a liberdade
perfeita.

42. O que Jesus propôs aos seus discípulos como o Caminho é seu próprio exemplo: o perdão de
tudo e de todos e ao serviço dos outros em suas necessidades. "Amai-vos como Eu vos amei."

90