Você está na página 1de 68

Centro Universitário INTA

Curso de Arquitetura e Urbanismo


Disciplina de Planejamento Urbano Regional I

Módulo 1 – História do Planejamento


Urbano das Cidades
Professor Thalles Araújo
Evolução Histórica do
Controle de Uso do Solo
PROF THALLES ARAÚJO
Fases da história da Arquitetura

As fases principais da história


da arquitetura dependem
das grandes mudanças dos
métodos de produção, que
correspondem a saltos do
crescimento demográfico.
Fases da história da Arquitetura

Aldeia Neolítica (9000 a.C.)

A passagem da coleta para o cultivo


dos alimentos, que permite o
assentamento estável e integrado
da aldeia neolítica.

Ruínas de Jericó
Fases da história da Arquitetura
Surgimento da cidade (3000 a.C.)

A formação dos grupos dirigentes –


guerreiros, sacerdotes, escribas,
artesãos especializados, distintos
dos produtores de alimento – que
possibilita o surgimento da cidade e
da civilização urbana.
Ruínas no Cairo
Fases da história da Arquitetura
Aprimoramento da cidade (1000 a.C.)

Ampliação da classe dirigente, em


consequência da introdução de
aparelhagens mais acessíveis – antes
de ferro que de bronze – e da escrita
alfabética.

Ruínas da Roma Antiga


Fases da história da Arquitetura
Revolução Comercial (1200 d.C.)

A “Revolução Comercial” baseada no


melhoramento da produção agrícola e
artesanal e numa nova condição de
trabalho não servil.

Cidade de Salzburg – Áustria (1300-1400)


Fases da história da Arquitetura
Revolução Industrial (1800 d.C.)

A “Revolução Industrial”, isto é, o


desenvolvimento ilimitado da
produção e do consumo, que aplica na
tecnologia os resultados da pesquisa
científica.
Controle do Uso do Solo

Cidade Pré-Industrial

Todos os tipos de cidade que


antecederam a Revolução Industrial.
• Cidade dependente do Campo;
• População Rural maior que a Urbana;
• Produção Rural maior que a Urbana;
Controle do Uso do Solo

Cidade Industrial

Produção acelerada com o advento da


máquina.
• Cidade independente do Campo;
• População Urbana cresce mais que
população rural;
• Produção Urbana maior que a
produção Rural;
Londres (1820)
Controle do Uso do Solo

Cidade Industrial Liberal

Crescimento desordenado da cidade


industrial.
• População cresce mais rápido que a
construção de residências;
• Surgimento de novas Indústrias gera
poluição no território urbano;
• Moradias precárias, insalubres;
Controle do Uso do Solo
Cidade Industrial Liberal

Surgimento das primeiras linhas férreas e


preocupação com a saúde da população.
• Vírus da Cólera chega à Europa;
• Necessidade da criação de leis que
regulem o crescimento da cidade;
• Surgimento das primeiras leis de
desapropriação para fins de utilidade
pública
• Surgimento das primeiras leis sanitárias;
Controle do Uso do Solo
Cidade Industrial Pós-liberal
Cidade regulamentada, com parâmetros
construtivos e normas que regem o
planejamento urbano.
• Administração pública controla a legislação
relativa à rede de percursos (estradas,
praças, ferrovias, depois auto estradas etc) e
à rede das instalações (aquedutos, esgotos,
depois gás, eletricidade, telefone etc);
• O mercado imobiliário controla o restante
do espaço urbano e tem fortes influencias
políticas;
Londres (1890)
Controle do Uso do Solo
Cidade Industrial Pós-liberal

Cidade que enfrenta grandes dificuldades


em gerir o espaço público.
• Desigualdade social aumenta;
• Surgimento de áreas nobres, onde moram
as pessoas mais importantes cidade, e que
são privilegiadas pelo serviço público;
• Surgimento de assentamentos precários
nas áreas periféricas da cidade; Londres (1890)
Controle do Uso do Solo
Cidade Moderna

Cidade que aposta em pesquisas urbanas


para resolver os problemas do passado.
• Criação de leis que regularizam os
assentamentos precários;
• Legislação urbana para criação e
manutenção das áreas verdes da cidade;
• Leis que regulamentam o uso e o
parcelamento do solo;
Evolução Histórica do
Controle de Uso do Solo
PROF THALLES ARAÚJO
Evolução do Urbanismo no Brasil
 Descoberto em 1500 pelo Reino de
Portugal, o Brasil manteve-se na qualidade
de colônia até o século XIX.
 Durante este período podemos dizer que
as nossas riquezas naturais foram
exploradas e exportadas.
 Por restrições impostas por Portugal, muito
pouco aqui era produzido. Brasil era uma
colônia de exploração.
 O interesse pelo desenvolvimento só
acontece a partir do Século XIX.
Evolução do Urbanismo no Brasil
 Economia brasileira baseava-se na
agricultura e na pecuária até o início do
século XIX;
 O crescimento das cidades era lento e a
população em sua maioria vivia no campo;
 Brasil continuava como colônia portuguesa
e a maior parte da produção era para suprir
as necessidades da Corte;
Evolução do Urbanismo no Brasil
 Século XIX → guerras na Europa;
 Inglaterra e França disputavam a
liderança no continente europeu;
 1806, Napoleão Bonaparte decretou o
Bloqueio Continental, proibindo que
qualquer país aliado ou ocupado pelas
forças francesas comercializasse com a
Inglaterra;
 Quebra ao bloqueio → invasão pelo
exército francês;
Evolução do Urbanismo no Brasil
 Portugal (D. João) tinha longa relação
comercial com a Inglaterra mas temia o
exército francês;
 Sem alternativa, Portugal aceitou o Bloqueio;
 Continuou comercializando com a Inglaterra;
 Napoleão descobriu e determinou a invasão
de Portugal em novembro de 1807;
 Novembro de 1807 D. João decide transferir
a corte para o Brasil;
 Em 1808, a Família Real chega ao Brasil,
aproximadamente 15 mil pessoas;
Evolução do Urbanismo no Brasil
Acontecimentos do Século XIX
Primeiras medidas de D. João VI no Brasil:
 Rompimento do Pacto Colonial:
 Transferência da Corte para a Colônia (1808);
 Evolução Social e Política;

 Abertura dos Portos:


 Contato direto dos portos brasileiros com o
exterior;
 1815 – Elevou o “Brasil” a categoria de Reino
(Reino Unido a Portugal e Algarves);

 O Alvará de 1º de Abril:
 Revogado o Alvará de 1785 de D. Maria I, que
proibia a instalação de manufaturas no Brasil;
 Relativo desenvolvimento do setor têxtil e
metalúrgico;
Evolução do Urbanismo no Brasil
Acontecimentos do Século XIX
Primeiras medidas de D. João VI no Brasil:
 Transplante do Estado Português:
 Corte instalou-se no Rio de Janeiro em 11 de
Janeiro de 1808, e iniciou a reorganização do
Estado;

 Fundação das primeiras escolas de ensino


superior:
 Medicina – Salvador e Rio de Janeiro;

 Brasil Reino:
 Lançamento das bases da autonomia
administrativa;
Evolução do Urbanismo no Brasil
Acontecimentos do Século XIX

Fábrica de Ferro de São João de


Ipanema, em Sorocaba, criada em
1810. Uma das mais importantes
empresas metalúrgicas instaladas
nesse período e que, no entanto, não
sobreviveu à concorrência inglesa.
Evolução do Urbanismo no Brasil
Acontecimentos do Século XIX

Brasil, Reino Unido a Portugal e


Algarves: a instalação da Corte de
Portugal no Rio de Janeiro alterou a
placidez da cidade subitamente
transformada em capital
metropolitana.

Imagem do Largo do Palácio, 1818.


Evolução do Urbanismo no Brasil
Acontecimentos do Século XIX

Vista do Theatro Real de São João do


Rio de Janeiro. Pintura de Jean
Baptiste Debret (1834).
Evolução do Urbanismo no Brasil
Acontecimentos do Século XIX

Vista do Theatro Real de São João do


Rio de Janeiro. Pintura de Jean
Baptiste Debret (1834).
Evolução do Urbanismo no Brasil
Acontecimentos do Século XIX
Theatro São Carlos - Lisboa

Teatro Real de São João do Rio de Janeiro


Evolução do Urbanismo no Brasil
Acontecimentos do Século XIX
 Vinda da Corte Portuguesa para o Rio de Janeiro foi
um marco na arquitetura brasileira (1808);

Arquitetura e urbanismo anterior a vinda da


Família Real:

 Poucas técnicas construtivas;


 Maiores cidades localizadas a beira-mar;

Presença da Corte no Rio de Janeiro:

 Abertura dos Portos;


 Imprensa;
 Novas Escolas;
Chegada de Profissionais Qualificados;
 Novos materiais (industrializados, devido a tratados
comerciais feitos sobretudo com a Inglaterra);
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
Crescimento Urbano em Fortaleza
Carta da Capitania do Ceará e Costa, 1813,
levantada por ordem do Governador Manuel
Ignácio de Sampaio e seu ajudante de ordens,
o engenheiro Antônio José da Silva Paulet no
ano de 1813.
Fonte: Andrade, 2012, p. 41.
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
Crescimento Urbano em
Fortaleza
Planta Porto e Villa de Fortaleza,
1813. Detalhe da Carta da
Capitania do Ceará e Costa,
levantada por ordem do
Governador Manuel Ignácio de
Sampaio e seu ajudante de
ordens, o engenheiro Antônio
José da Silva Paulet no ano de
1813.
Fonte: Reis, 2000.
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
Crescimento Urbano em
Fortaleza
Com a instalação do Porto de
Fortaleza, a cidade teve um
crescimento acelerado, pois dali
saíam todas as mercadorias para
exportação da capitania, com
destaque para o algodão.
Redesenho da Planta do Porto e
da Villa de Fortaleza.
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
1822 – Independência do Brasil:
Para Abreu (1997), era “comum afirmar-se que a cidade teve um papel pouco importante na colonização
brasileira”. Segundo Azevedo (1956), após a independência do Brasil, em 1822, o país contava com apenas
219 núcleos urbanos, a grande maioria com tamanhos bem reduzidos.
Ao ser proclamada a independência por Dom Pedro I, em 1822, destacou-se um importante decreto aprovado
por ele e que elevava todas as vilas que fossem capitais de províncias à categoria de cidades;
17 de março de 1823, a vila com o nome de “Vila da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção” foi elevada à
categoria de cidade, com a denominação de “Cidade da Fortaleza de Nova Bragança”.
Mudanças nas leis relativas às normas de construção;
1° de outubro de 1828, o Brasil regulamentou a primeira lei relativa às municipalidades, que deveria ser
adotada em todas as cidades e vilas do império, e que tinha como encargo (art. 66) o de promover:
“Alinhamento, limpeza, illuminação, e desempachamento das ruas, cães e praças, conservação e reparos de
muralhas feitas para segurança dos edifícios, e prisões públicas, calçadas, pontes, fontes, aqueductos,
chafarizes, poços, tanques, e quaesquer outras construcções em beneficio commum dos habitantes, ou para
decôro e ornamento das povoações [sic]” (COLEÇÃO DE LEIS DO IMPÉRIO DO BRASIL, 1828).
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
O início das grandes reformas
urbanas das cidades brasileiras se
dá exatamente em meados do
século XIX.

Era o chamado “embelezamento”


das cidades.

Seguia os padrões estéticos


europeus. Alinhamento e ordem é
igual a beleza.

Plano da cidade de Lisboa,


projetado pelos arquitetos Eugênio
dos Santos Carvalho e Carlos
Mardel em 1758.
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano

Plano da cidade de São


Sebastião do Rio de Janeiro.

Debret, Jean Baptiste. 1835.


Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano

Plano da cidade de Pelotas, Rio


Grande do Sul, projeto do
engenheiro Kretshmar. 1834.
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
Código de Postura de 1835 – Fortaleza
 O Código de 7 de julho de 1835 é o primeiro marco significativo no processo de regulamentação e defesa do espaço
público de Fortaleza. Com 65 artigos.
 Cada artigo revela o comportamento, os hábitos e os costumes da sociedade apoiada na economia agropecuária;
 Complementação do Código em 1844.
Código de Postura de 1835: 1 – Ao arruador e ao inspetor
 Nomeação de um e arruador e inspetor para fiscalizar as obrigações determinadas no Código.
Código de Postura de 1835: 2 – Circulação
 Base econômica pecuária – regras que norteasse a condução de animais; e a circulação do pedestre dentro da cidade.
 “Pessoa alguma poderá conduzir gados dentro desta Cidade, tendo o cuidado em encaminhá-los por fora dela ao curral,
a fim de evitar os perigos, que podem causar aos moradores”
 Era proibido “correr ligeiramente montado no cavalo durante o dia ou à noite”.
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
Código de Postura de 1835: 3 – Ordenança de ordem sanitária
 O código ainda é sutil quando se trata de ordenanças de higiene.
 Tanto as águas das bicas como dos chafarizes da cidade deveriam ser utilizadas apenas para consumo e asseio da
população.
 O banho ou a lavagem de roupas só poderia ser executado em tanque próprio.
 O poder público aplicava multa ou quatro dias de prisão a quem jogasse lixo dentro das cacimbas de uso público.
 Se proibia a criação de porcos soltos na cidade, de modo a evitar que esses animais pudessem poluir as águas destinadas
ao consumo dos moradores.
 Proibia a lavagem de roupas ou qualquer outro objeto que contribuísse para a poluição das águas onde a mesma não se
encontrasse em correnteza perene.
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
Crescimento Urbano em Fortaleza
A preocupação em identificar e acabar com os
locais de infecções Miasmáticas:
Fortaleza
◦ “O prestifero ar que se respira na Igreja do
Rozario, e deve estar convencidos que
graves males podem provir da inspiração
dos miasmas exalados continuamente de
inúmeros corpos em putrefação, apenas
cobertos com pequenas camadas de terra
mal apertado e algumas taboas
apresentando grandes fendas.” (Relatório
com que o exm. Sr. Manoel Felizardo de Souza
Mello presidente da província abriu a 1° Sessão
da Assembleia Legislativa Provincial no dia 1º de
agosto de 1838. Saúde Pública p.08.)
Evolução do Urbanismo no Brasil
Regulação e ordenação do espaço urbano
Crescimento Urbano em Fortaleza
Surge, em 1875, o primeiro Plano de Expansão
da cidade de Fortaleza, projetado pelo
engenheiro Adolfo Herbster.
Evolução do Urbanismo
em Sobral
PROF THALLES ARAÚJO
Evolução do Urbanismo em Sobral
 As discussões em relação ao crescimento
desordenado na cidade em meados do
século XIX, trouxeram a urgência em de
planejar a expansão da malha urbana;
 A Câmara Municipal contratou técnicos que
elaborassem plantas da cidade que
ordenassem o crescimento da urbe;
 Em Sobral, como na maioria das cidades
brasileiras no período imperial, a
ortogonalidade do traçado urbano era
sinônimo de beleza (importada da europa) e
estava associado a ordem e salubridade.
Evolução do Urbanismo em Sobral
Foram identificadas quatro propostas de
desenho urbano da cidade de Sobral na
segunda metade do século XIX, foram elas:
 Proposta do matemático Raja Gabaglia
que, possivelmente, estruturou o
crescimento da malha urbana a leste;
 Em 1970, houveram duas propostas que
planejavam o crescimento da cidade a
oeste, propostas de Paula Quixadá e de
Jorge Ehrhardt;
 A última, do engenheiro-chefe da estrada
de ferro, Rocha Dias, de 1880, integrava as
vias urbanas à estação de trem.
Evolução do Urbanismo em Sobral
Proposta de Raja Gabaglia (1861)
Evolução do Urbanismo em Sobral
Proposta de Paula Quixadá (1970)
Evolução do Urbanismo em Sobral
Proposta de Jorge Ehrhardt (1970)
Evolução do Urbanismo em Sobral
Proposta de Jorge Ehrhardt (1887)
Evolução do Urbanismo em Sobral
Planta da Cidade de Sobral (1880)
Agenda 21
PROF THALLES ARAÚJO
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Atualmente, cerca
de 2/3 da
população
mundial vive em
centros urbanos.

Este número deve


aumentar 50%
nos próximos 30
anos.
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 1987 – Comissão Mundial sobre o Meio
Ambiente;
 ONU nomeia primeira ministra da Noruega,
Gro Harlem Brundtland, coordenadora;
 Ao final do debate – documento “Nosso
Futuro Comum” ou “Relatório Brundtland”;
 trazia a proposta de um desenvolvimento
sustentável sendo “aquele que atende às
necessidades do presente sem
comprometer a possibilidade de as
gerações futuras atenderem às suas
necessidades”;
Agenda 21
 Conceito de sustentabilidade começa a se
difundir pelo mundo;
 ONU organiza a Conferência das Nações
Unidas sobre o Meio Ambiente e o
desenvolvimento ou ECO-92, como é mais
conhecida;
 Maior evento ambiental do século XX,
aconteceu no Rio de Janeiro em Junho de
1992, contou com a presença de 175
países;
 Tratou de diversas questões importantes,
como mudanças no clima, biodiversidade e
desmatamento florestal;
Agenda 21
 O principal documento produzido pela
ECO-92 foi a “Agenda 21”;
 Programa que apresenta o novo
conceito de desenvolvimento ambiental
racional, aprovado por todos os países
presentes;
 A Agenda 21 propõe ações do âmbito
ambiental, social, econômico e
legislativo, se estruturando em quatro
seções e 40 subtópicos;
Agenda 21
 Com a aprovação desse programa de
ações que visa à sustentabilidade do
planeta, a ONU criou a Comissão do
Desenvolvimento Sustentável (CDS), que
tem como objetivo auxiliar e cooperar com
os países para a elaboração e
implementação de suas agendas nacionais;
 Desde 1992, diversos países iniciaram a
fase de elaboração de suas agendas e,
dentre os países de maior expressividade,
somente a China concluiu a primeira fase e
iniciou a fase de implementação das ações
propostas por sua agenda nacional;