Você está na página 1de 17

FLUXOGRAMA DESCRITIVO DOS PROCESSOS ETALGs

ESTAÇÕES PARA TRATAMENTO DE ÁGUAS DE LAVAGEM DE GASES NOS PROCESSOS DE OXIDAÇÃO DE


BIOMASSA UTILIZADA COMO COMBUSTÍVEL EM CALDEIRAS/FORNOS.

MODELO ECORACIONAL

Considerações Iniciais

A responsabilidade e a necessidade cada vez maior de conservação do nosso meio ambiente


faz evoluir as formas utilizadas para recuperação dos resíduos gerados nos processos
industriais.

A água, além de essencial a vida dos organismos, tem uso na maioria dos processos industriais.
Utilizando-a de forma responsável e inteligente, asseguramos que futuras gerações possam
aproveitar desse recurso.

A Água recuperada dos processos não servirá para consumo humano, entretanto, com
tratamento adequado, poderá ter diversas aplicações nas indústrias.
Cada litro de água de reuso representa 1 litro de água economizada nos mananciais.

A Proposta das ETALGs é usar de tecnologias que permitam esse reuso de forma adequada.

O setor de caldeiras elimina resíduos gerados durante o processo de queima de matéria


orgânica, com uso de lavadores de gases por aspersão de água.
Outros pontos dos geradores de vapor ou fornos, eliminam cinzas utilizando a água para
direcioná-las ao tratamento adequado.
Esses resíduos gerados, e devidamente tratados, serão utilizados em compostagem,
recuperando minerais importantes para o crescimento das plantas.
A água residual será direcionada ao circuito dos lavadores novamente.
Os volumes de água nas Etalgs são mensurados a partir das necessidades impostas pelo
gerador de vapor, tais como quantidade e qualidade da matéria orgânica consumida por hora.
Sequencia da operação

Tratando-se de um circuito fechado, existindo apenas a necessidade de repor perdas de água


quer sejam por evaporação (cerca de 3% do volume circulante) ou no descarte com os
resíduos sólidos recuperados (cerca de 60 a 70% de umidade na massa de resíduo gerados), o
fluxo inicial será no tanque que gera equilíbrio no conjunto, neste caso o tanque que recebe
água do decantador.

Para admitir água neste tanque, precisamos acionar a válvula esfera, com comando elétrico
normalmente fechado - ECVECE - 001 - (Válvula Esfera Comando Elétrico - 001).

Essa válvula sempre será acionada quando houver necessidade de reposição de água no
sistema. O comando de abertura será realizado conforme indicado na sequencia.

Transmissor de nível ultra - som ECTNUS - 001 (Transmissor de Nível Ultra - Som),
Informará o percentual de água contida no tanque que alimentará o coletor das
bombas que recalcam água para os lavadores de gases e outros pontos da fábrica.
Enviará sinal de comando para abertura da válvula elétrica que abrirá conforme
necessidade de reposição de água no tanque.
Tanque com nível abaixo de 50% - Válvula elétrica aberta em 100%
Tanque com nível em 75% - Válvula elétrica aberta em 50%
Tanque com nível em 100% - Válvula fechada

A reposição de água, devido perdas no processo, pode ser realizada nas canaletas que
conduzem água com fuligem que saem dos lavadores de gases para tratamento, entretanto o
mais adequado é administrar essa água, teoricamente mais limpa, no tanque de água
clarificada que abastece as bombas que recalcam água aos lavadores de gases.
O Tanque decantador é um ponto de equilíbrio também, mas não é conveniente usá-lo para
reposição de água, pois turbulências causadas na alimentação da água de reposição interferem
na decantação dos sólidos neste momento do processo.
Sabendo que o decantador precisa de fluxo contínuo, sem turbulências, é fato que desde o
início do processo precisamos estar com ele completamente estabilizado.
Embora não exista ainda material para sedimentar, o primeiro passo é completá-lo até
transbordamento ao tanque que abastecerá as bombas de recalque ao conjunto lavador de
gases.
Iniciando neste ponto, vamos realizar um sequencia de ações e procedimentos para que o
conjunto possa ser administrado da melhor forma possível.

Partindo do princípio de que a estação será utilizada pela primeira vez, além das sequencia das
ações que vamos descrever agora, devemos ter o cuidado de purgar as linhas em todos os
pontos possíveis, evitando que resíduos gerados durante a construção dos equipamentos,
possam obstruir ou até mesmo danificar os equipamentos, citando omo exemplo: areia,
pedras, detritos de reboco, pregos, tábuas, plásticos, esponjas, porcas, parafusos, borras de
solda, revestimento oleoso de chapas, pedaços de juntas, e outros objetos.

Para facilitar o entendimento, separamos a operação em dois ciclos, conforme descreveremos


na sequencia.
Procedimentos para startup do Primeiro Ciclo: Decantador/Conjunto Lavador de
gases/Decantador.

1 – Completar Decantador de Fuligem CCDF - 001 – (Decantador de Fuligem), com água até
transbordamento ao tanque de água recuperada ECTAR - 001 - (Tanque de água Recuperada -
001) que alimentará as bombas de recalque de água clarificada ao conjunto lavador de gases.
A inexistência de válvulas entre o tanque decantador e o tanque de água clarificada fará com
que naturalmente o tanque de água clarificada seja completado.

2 – Abrir válvula Borboleta - ECVB - 001 (válvula Borboleta - 001)saída do fundo do tanque de
água recuperada - ECTAR - 001 inundando o coletor de água ECCAR - 001 ( coletor de água
recuperada) que distribui até as bombas de recalque ao conjunto lavador de gases.

3 – Abrir válvula esfera manual, ECVEM - 001 (válvula esfera manual - 001) que está localizada
no dorso do coletor distribuidor de água as bombas de recalque. Essa válvula será usada para
eliminar ar do conjunto. Quando a água fluir normalmente por essa válvula que está aberta
para ao ambiente, fechá-la e prosseguir nas ações.

4 – Existem quatro bombas que realizam a mesma tarefa de recalcar água para abastecer o
conjunto lavador de gases. As bombas serão CALCULADAS, conforme necessidade do processo.
É conveniente adotar como critério de manutenção preventiva utilizar um rodízio no uso das
bombas para mantê-las sempre em condições de operação, evitando surpresas desagradáveis
quando surgir à necessidade de usá-las em uma emergência.
As bombas são identificadas com a numeração 1, 2 e 3, 4 sendo que para essa identificação
seguimos um padrão, nomeando-as da esquerda para direita a partir da saída (recalque) das
bombas.
Bomba 1 - ECBRAR - 001 (Bomba Recalque de Água Recuperada 001)
Bomba 2 - ECBRAR - 002 (Bomba Recalque de Água Recuperada 002)
Antecipando as bombas, existem válvulas de bloqueio:
ECVB - 002 - (Válvula borboleta - 002)- entrada da ECBRAR - 001
ECVB - 003 - (Válvula borboleta - 003)- entrada da ECBRAR - 002
ECVB - 004 - (Válvula borboleta - 004)- entrada da ECBRAR - 003
ECVB - 005 - (Válvula borboleta - 005)- entrada da ECBRAR - 004

Na saída das bombas, existem válvulas de bloqueio:


ECVG - 001 - (Válvula Gaveta - 001)- saída da ECBRAR - 001
ECVG - 002 - (Válvula Gaveta- 002)- saída da ECBRAR - 002
ECVG - 003 - (Válvula Gaveta- 003)- saída da ECBRAR - 003
ECVG - 004 - (Válvula Gaveta - 004)- saída da ECBRAR - 004
Na saída das bombas existem válvulas de retenção, modelo portinhola, para evitar retorno de
fluído, quando de paradas.

ECVRP - 001 - (Válvula Retenção Portinhola - 001)- saída da ECBRAR - 001


ECVRP - 002 - (Válvula Retenção Portinhola- 002)- saída da ECBRAR - 002
ECVRP - 003 - (Válvula Retenção Portinhola - 003)- saída da ECBRAR - 003
ECVRP - 004 - (Válvula Retenção Portinhola - 004)- saída da ECBRAR - 004

4.1 - Abrir válvulas de saída do coletor distribuidor até as bombas escolhidas e as válvulas de
saída destas, para recalcar água ao conjunto lavador de gases.

4.2 - Aguardar instruções da operação da caldeira para acionar as bombas de recalque de água
ao conjunto lavador de gases, iniciando o processo de lavação dos gases e outros pontos de
aspersão de água que sejam necessários para o processo.

4.3 – Recebido autorização, acionar bombas de recalque ao conjunto lavador de gases.

4.4 – Verificar interferências que possam eventualmente ocorrer tais como, pressão no
recalque das bombas ao conjunto lavador de gases, pressão indicada pelo medidor instalado
na linha. Compará-las com as informações técnicas apresentadas em planilha para controle do
processo.

Para medições de pressão de recalque de água das linhas, serão instalados manômetros
analógicos.
ECMA - 001 - (Manômetro Analógico - 001)- saída da ECBRAR - 001
ECMA - 002 - (Manômetro Analógico - 002)- saída da ECBRAR - 002
ECMA - 003 - ( Manômetro Analógico - 003)- saída da ECBRAR - 003
ECMA - 004 - (Manômetro Analógico - 004)- saída da ECBRAR - 004
5 – Observar o volume que retornará por meio de canaletas de descarte de água com fuligem,
acompanhando por meio de calhas medidoras distribuídas ao longo de canaletas, ou por
elevação no volume da caixa coletora, ou fosso das bombas que recalcarão água ao
decantador, ou ainda pelo medidor de vazão, instalado na linha de recalque ao sistema do
decantador:

5.1 – A exemplo das bombas de recalque ao conjunto lavador de gases, existem bombas que
realizam a mesma tarefa de recalcar água para abastecer o decantador. Uma dessas bombas
ficará como reserva, pois utilizamos apenas uma bomba para alimentar o sistema.
A bomba de reserva servirá para atender a eventuais manutenções que possam ocorrer.
É conveniente adotar como critério de manutenção preventiva utilizar um rodízio no uso das
bombas para mantê-las sempre em condições de operação, evitando surpresas
desagradáveis quando existir a necessidade de usá-las em uma emergência.
As bombas são identificadas com a numeração 1, 2, sendo que para essa identificação
seguimos um padrão, nomeando-as da esquerda para direita a partir da saída (recalque) das
bombas.
ECBRA - 001 (Bomba rotor aberto - 001)

ECBRA - 002 (Bomba rotor aberto - 002)

5.2 – Para deixar fluir água até as bombas será necessário abrir as comportas ou válvulas que
permitem a entrada na água no fosso ou caixa de escorva das bombas de recalque ao
decantador.

5.3 – Após inundado o fosso ou caixa das bombas de recalque ao decantador, abrir válvulas de
saída destas.

5.4 – Acionar bomba para recalque de água com fuligem até peneira filtradora rotativa - ECPFR
- 001 (Peneira Filtradora Rotativa) e Decantador (ECDF - 001).

5.5 – Verificar interferências que possam eventualmente ocorrer tais como, pressão no
recalque das bombas ao decantador, vazão indicada pelo medidor instalado na linha de água
com fuligem ao sistema decantador ECMVM - 001 (Medidor de Vazão Magnético 001)
Compará-las com as informações técnicas apresentadas em planilha para controle do
processo.

5.6 – Observar o retorno de água saindo do decantador e retornando ao tanque de água


recuperada, fechando esse primeiro ciclo.

5.7 - Verificar indicação de pH da água com cinzas, através do eletrodo do conjunto


Peagâmetro instalado na linha de água com cinzas ECEP- 001(Eletrodo Peagâmetro - 001). A
informação deste equipamento, em conjunto com o medidor de vazão (ECMVM - 001), fará
acionar a bomba de recalque de produto alcalino
ECBRPA - 001 (Bomba de Recalque de Produtos Cáusticos 001)
Os parâmetros para dosagem de produto alcalino serão encontrados depois de regularizar a
queima de bagaço e também após testes de simulação de dosagens em laboratório.
Normalmente deveremos ter pH entre 7,5 e 8,5.
5.8 - Parâmetros químicos da qualidade da água

As características químicas das águas são de grande importância, pois a presença de


alguns elementos ou compostos químicos pode inviabilizar o uso de certas tecnologias
de tratamento.

5.8.1 - pH

Trata-se de um parâmetro importante principalmente nas etapas de coagulação,


filtração, desinfecção e controle de corrosão.

5.8.1.1 - Conceito: representa a concentração de íons hidrogênio, H+, dando uma


indicação das condições de acidez, neutralidade e basicidade da água.

5.8.1.2 - Forma do constituinte responsável: sólidos dissolvidos e gases dissolvidos.

5.8.1.3 - Origem: oxidação da matéria orgânica - Bagaço de cana; Cavaco; Toras;


Briquetes; Outros.

5.8.1.4 - Importância:

pH baixo: corrosividade e agressividade nas águas do processo, danos a tubulações, e


elementos em contato.

pH elevado: possibilidade de incrustrações no processo, devido precipitação de sólidos


nas tubulações e pontos de redução de pressão, quando estará agindo como
coagulante.

5.8.1.5 - Utilização do parâmetro:

Controle da operação ETALG - (coagulação e grau de incrustabilidade/corrosividade)

5.8.1.6 - Unidade: unidades de pH.

5.8.1.7 - Interpretação dos resultados:

Diferentes valores de pH estão associados a diferentes faixas de atuação ótima de


coagulantes.

O pH necessita ser corrigido antes e/ou depois da adição de produtos químicos no


tratamento, dependendo dos testes realizados com produtos diversos.
5.9 - COAGULAÇÃO - Dosagem de Polímeros Orgânicos - Catiônicos ou Aniônicos;
Agentes Coagulantes Inorgânicos.

5.9.1 - Para que possamos acelerar a sedimentação das partículas que se encontram
em suspensão no fluído (água com cinzas), precisamos adicionar produtos químicos
especialmente desenvolvidos para essa finalidade.
A dosagem desses produtos será verificada conforme a necessidade deste processo.
A variável para ajuste dessa dosagem, dependerá da indicação do medidor mássico de
vazão de água (ECMVM - 001), o qual enviará informação para acelerar a dosagem de
agentes coagulantes (Polímeros) através da bomba ECBRPC - 001 (Bomba de Recalque
de Polímeros 001).

5.9.2 - Características dos agentes Coagulantes

5.9.2.1 - Polímeros Orgânicos -

Agentes de coagulação e aceleradores da floculação.


Polieletrólitos são substâncias poliméricas.
São formadas por moléculas menores e que estão todas ligadas como blocos.
A palavra “poli” em “polímero” significa “muito”.
Estas moléculas menores, que formam o polímero, são chamadas monómeros.
A palavra “mono” em “monómero” significa “um”.
Em função da característica iônica do seu grupo ativo, esses polieletrólitos podem ser
classificados em Catiônicos, Aniônicos ou com dupla aptidão aos meios ácidos e
básicos.
É possível e usual dosagens de polieletrólitos combinados com eletrólitos inorgânicos
(sais de alumínio e sais de ferro) com o objetivo de reduzir o consumo de eletrólito
inorgânico e com isso reduzir o volume do precipitado e também condicionar a
formação de flocos com características adequadas à operação de separação dos
sólidos formados.

5.9.2.2 - Polímeros Inorgânicos.

Os coagulantes inorgânicos mais utilizados são os sais de alumínio e de ferro.


Por razões econômicas, o Sulfato de Alumínio (Al2(SO4)3) e o Cloreto Férrico (FeCl3).
são os mais utilizados.
Podem ser usados consorciados com os Polímeros Orgânicos.

5.9.2.3 - A operação de coagulação permitirá acelerar a sedimentação para a remoção dos


flocos formados.
Para obter floco que tenha boas características de sedimentação - grande velocidade de
sedimentação e boa resistência à compactação.
A dosagem, bem como o pH adequado para as etapas de coagulação floculação, deve ser
determinada em laboratório através de ensaios específicos.
5.9.2.4 - Comparativos COAGULAÇÃO e FLOCULAÇÃO.

A floculação é um processo físico no qual as partículas são colocadas em contato umas com as
outras, de modo a permitir o aumento do seu tamanho físico, alterando, desta forma, a sua
distribuição.
A floculação das partículas já coaguladas pela ação dos eletrólitos resulta das várias forças de
atração que atuam entre as partículas "neutralizadas" que se agregam umas às outras
formando os denominados flocos.
A velocidade de formação desses flocos depende da agitação térmica e mecânica do meio em
que se encontram.
A temperatura do meio não pode ser elevada e a agitação mecânica deve ser moderada, pois,
do contrário, poderá provocar a desagregação dos flocos já formados, o que dificultará a sua
decantação.
A necessidade de floculação é usual quando desejamos agregar flocos de material finamente
dividido.
Apesar de não ser usada rotineiramente, a floculação de efluentes por agitação mecânica ou
com ar, pode ser usada quando desejamos aumentar a remoção de sólidos suspensos nos
decantadores primários.

Observações –
A - O dimensionamento dos lavadores de gases, pontos de aspersão de água para limpeza de
cinzas, volume para reposição de água ao conjunto, influenciará no tempo que levaremos para
ter o necessário equilíbrio nesse primeiro ciclo.
Teoricamente esse dimensionamento é indicado com uma quantidade de água equivalente a
3,0m³/t de biomassa que será queimada. Exemplo: em uma unidade que supostamente vai
queimar 100 t/hora de biomassa utilizará 300m³/hora de água, para lavação dos gases e
cinzas.
Haverá uma perda teórica por evaporação de água do sistema, de aproximadamente 3%/hora,
em relação a esse volume informado mais as perdas que teremos na segunda etapa do
processo, quando do descarte dos sólidos, que comentaremos no segundo ciclo.
Essa informação preliminar indica que podemos conciliar as informações da ETALG, com as da
caldeira, isto é: aumentando ou reduzindo a queima/hora, tomando como base as informações
de valores em percentuais do trabalho das caldeiras, aumentar e diminuir a vazão de
água/hora necessária, para que tenhamos a manutenção adequada do volume de água
circulando no processo.
O segundo ciclo da ETALG, depende dessa variação, portanto será ajustado a ele.

B – A dosagem dos Produtos Químicos deve ser realizada ao mesmo tempo em que
equilibramos o primeiro ciclo.
É importante lembrar que as soluções de produto cáustico (para redução da acidez da água) e
do Polímero (para acelerar a precipitação dos sólidos no decantador), precisam estar prontas
antes da largada da planta, respeitando os limites de tempo de reação pós preparo de cada
um:
Solução alcalina deve ser preparada com 12:00 horas de antecedência, para estabilidade da
reação de dissolução; A solução Polieletrólito deve ser preparado e usada até no máximo em
24:00 horas pois vai perdendo sua ação gradativamente.
O Sulfato de Alumínio pode ser preparado momentos antes do uso, entretanto, cuidar para
que esteja isento de resíduos, evitando entupimento no filtro da bomba dosadora.
Sempre consultar fornecedor de insumos aditivos para que forneçam a FISPQ e Manuais de
orientação quando ao uso dos produtos.

A forma de preparo das soluções será informada em planilha apropriada.


O cálculo das dosagens dos produtos, para obtenção das soluções nas concentrações
necessárias para cada aplicação, deverá ser realizado por pessoal do setor de laboratório.
O Operador poderá realizar essa tarefa depois que for treinado para manuseio de produtos
químicos, ter equipamentos de proteção apropriados e ter em mãos as medidas corretas dos
volumes que precisam ser usados para cada diluição.

C – Os pontos de controle que ficam evidenciados nessa primeira fase deverão ser
monitorados conforme o programa que mais se adequar as necessidades da empresa, porém
existe um padrão que devemos manter: os Pontos Críticos de Controle.
Através desses pontos (PCCs) vamos monitorar a eficiência da ETALG.
No primeiro ciclo precisamos monitorar a quantidade de sólidos na água, oriundo do processo
do conjunto de lavação de gases em direção a peneira rotativa (ECPFR - 001), decantador
(ECDF - 001) e, o retorno da água clarificada do decantador ao conjunto do lavador de gases.
O ponto de coleta de amostra de água com fuligem ao lavador deverá ser coletado da linha a
saída das bombas de recalque ao decantador. O ponto de coleta de água clarificada ao
conjunto do lavador gases deverá ser realizado no coletor geral das bombas de recalque aos
lavadores de gases.
A condição padrão para quantidade de sólidos será orientada em planilhas da operação.
Itens importantes como as medições de vazões, pressão de operação das bombas de recalque,
amperagem de motores, temperatura da água na saída dos lavadores, pH da água que está
sendo recalcada ao decantador, devem constar na planilha de apontamentos da operação.
Procedimentos para startup do Segundo Ciclo: Descarga da peneira rotativa até Esteira
filtradora de Lama/Descarga do Decantador até Esteira Rotativa/Caixa de Lama adensada.

1 - Após ajustes básicos do primeiro ciclo, necessitamos atender a saída de resíduos


separados na peneira rotativa (ECPFR - 001).
(Para melhor entendimento do equipamento, consultar instruções adicionais no descritivo de
operação).

Entre a peneira rotativa e a esteira filtradora ECEFL - 001 (Esteira filtradora de Lama) não existe
válvulas, entretanto, para evitar entupimentos pode ser necessário adicionar pequena
quantidade de água, facilitando o escoamento do resíduo entre a peneira rotativa e a esteira
filtradora.
Abrir válvula Esfera - ECVEM - 002 (Válvula de Esfera Manual).
Para fornecer água nesse ponto deveremos acionar a bomba que recalcará água para diluição
de lama ECBRADL - 001 (Bomba Recalque de Água para Diluição de Lama).

*Antes de acionar a Bomba, ECBRADL - 001 deveremos realizar as seguintes ações:

*Abrir Válvula Gaveta ECVG - 005 (Válvula Gaveta 05 ). Essa válvula permitirá fluir água filtrada
até coletor das bombas ECBRADL - 001 e ECBRALTF - 001 (Bomba de Recalque de Água para
Limpeza da Tela Filtrada).

Abrir válvula esfera ECVEM – 003 - (Válvula Esfera Manual 003 )

Na sequencia a Válvula esfera - ECVEM - 004 (Válvula Esfera Manual 004).

Acionar a Bomba ECBRADL - 001, verificar pressão de operação do equipamento através do


uso do manômetro analógico adaptado na linha de saída (recalque de água) ECMA - 005 -
(Manômetro Analógico - 005).

Nessa mesma linha teremos ainda uma válvula de retenção, imediatamente após, ECVRP - 005
(Válvula Retenção Portinhola - 005)

Na altura da Esteira Filtradora teremos um by pass de água, para distribuição da água de


diluição, direcionando para a bica de entrada da esteira filtradora e também para a bica que
interliga o Filtro Rotativo até a entrada da Esteira Filtradora.

Válvula esfera ECVEM - 005 (Válvula Esfera Manual 005).

Válvula esfera ECVEM - 006 (Válvula Esfera Manual 006).


1.1 - Esteira Filtradora de Lama (ECEFL - 001).
(Para melhor entendimento do equipamento, consultar instruções adicionais no descritivo de
operação).

Inicialmente deverá ser acionada com o sistema de vácuo Parado - ECBVEF - 001 (Bomba de
Vácuo da Esteira Filtradora)
Aumentando o volume de massa sobre a tela filtradora, acelerar gradativamente a velocidade
da esteira, usando o inversor de frequência.
Aproveitar o momento para verificar detalhes de alinhamento da fita de borracha e da tela
filtradora.

Completar com resíduo de lama até metade da esteira filtradora (X metros contados a partir
da bica de entrada).
Acionar a bomba que fornecerá água para limpeza da tela filtradora ECBRALTF - 001 (Bomba
Recalque de Água para Limpeza da Tela Filtradora).

**Antes de acionar essa bomba, devemos realizar as seguintes ações:

**Abrir Válvula Gaveta ECVG - 005 (Válvula Gaveta 05). Essa válvula permitirá fluir água
filtrada até coletor das bombas ECBRADL - 001 e ECBRALTF - 001

Abrir válvula esfera ECVEM - 007 (Válvula Esfera Manual 007).

Na sequencia abrir a Válvula esfera ECVEM - 008 (Válvula Esfera Manual 008).
Acionar a Bomba ECBRADL - 001, verificar pressão de operação do equipamento através do
uso do manômetro analógico adaptado na linha de saída (recalque de água) ECMA - 006 -
(Manômetro Analógico - 006).

Nessa mesma linha teremos ainda uma válvula de retenção, imediatamente após, ECVRP - 006
(Válvula Retenção Portinhola - 006).
A água seguirá para distribuição nos bicos de atomização e limpeza da Esteira Filtradora,

Válvula esfera ECVEM - 009 (Válvula Esfera Manual 009).

Válvula esfera ECVEM - 010 (Válvula Esfera Manual 010).

Após acionamento da bomba de limpeza da tela filtradora ECBRALTF - 001, Iniciaremos o


procedimento para acionar a bomba de vácuo.
1.2 - Sistema de Vácuo da esteira filtradora
(Para melhor entendimento do equipamento, consultar instruções adicionais no
descritivo de operação da Esteira Filtradora).

O Conjunto é formado por diversos equipamentos interligados.

Caixa Barométrica ECCB - 001 (Caixa Barométrica) - Verificar nível de água, lado onde
ficam mergulhadas as pernas barométricas dos Condensadores/Separadores de
Umidade - ECCSU - 001 (Condensador Separador de Umidade 001) e
ECCSU - 002 (Condensador Separador de Umidade 002).

Válvulas Esfera para interligação das câmaras de vácuo da Esteira Filtradora, até Linha
aos Condensadores Separadores de Umidade.

Abrir Válvula esfera ECVEM - 011 (Válvula Esfera Manual 011).


Abrir Válvula esfera ECVEM - 012 (Esfera Manual 012)
Abrir Válvula esfera ECVEM - 013 (Válvula Esfera Manual 011).
Abrir Válvula esfera ECVEM - 014 (Válvula Esfera Manual 012).

Válvulas borboletas Interligação das tubulações de vácuo até a Bomba de Vácuo

Abrir válvula Borboleta ECVB - 006 - (Válvula Borboleta - 006)- Linha até Condensadores
Separadores de Umidade

Abrir válvula Borboleta ECVB - 007 - (Válvula Borboleta - 007)- Linha entrada da bomba de
vácuo (CCBVEF - 001)

Abrir Válvula Esfera ECVEM - 015 (Válvula Esfera Manual 015) - Escoamento de água
da caixa barométrica para canaleta que recolhe águas servidas da ETALG.

Abrir Válvula Esfera ECVEM - 016 (Válvula Esfera Manual 016) - Água de selo da bomba
de vácuo.

Acionar Bomba de Vácuo - ECBVEF - 001, observar a elevação do vácuo, através dos
vacuômetros analógicos adaptados na linha de vácuo que interliga a bomba de vácuo
até os desumidificadores.

Vacuômetro analógico - ECVA - 001 ( Vacuômetro analógico 001)


Vacuômetro analógico - ECVA - 002 (Vacuômetro analógico 002)

Após estabilização do processo deveremos operar com vácuo conforme indicação do


projeto.
Observar esgotamento de água na esteira filtradora e formação do “bolo” de lama.
1.3 - Lama Decantada direcionada até a Esteira filtradora.

A Lama separada, e decantada, será bombeada para a esteira filtradora.

Para que isso ocorra precisamos das seguintes ações:


Para recalcar a lama até a esteira filtradora utilizaremos bombas Vortex ECBBV - 001
(Bomba Vortex de Lama 001) e ECBBV - 002 (Bomba Vortex de Lama 002).
Ambas possuem as mesmas características de Bombeamento e serão usadas de acordo
com a necessidade do processo. Normalmente utilizaremos apenas uma bomba por
vez.
Antecipando as bombas de Lama, na linha que interliga o fundo do decantador até a
elas, existem válvulas borboletas:
ECVB - 008 (Válvula Borboleta 008)
ECVB - 009 (Válvula Borboleta 009)

A saída das bombas Vortex existem válvulas borboletas.


ECVB - 010 (Válvula Borboleta 010)
ECVB - 011 (Válvula Borboleta 011)

Nota Explicativa
Antes de acionar uma das bombas Vortex, as válvulas correspondentes deverão estar
abertas.
Admitir fluído de selagem da bomba correspondente
Para interligação e funcionamento do conjunto, Bombas Vortex e Esteira Filtradora,
foram adaptados aparelhos que auxiliarão no controle do volume de material
decantado no fundo do decantador e do volume a ser filtrado na Esteira Filtradora.

Na tubulação que interliga as bombas Vortex até a Esteira Filtradora, há necessidade


de um Medidor Mássico de Lama ECMVM - 002 (Medidor Vazão Mássico 002).
O Instrumento enviará informação para a Esteira Filtradora acelerar e Desacelerar,
conforme o volume bombeado que passa por hora e que será indicado pelo aparelho.

Nessa mesma linha haverá um Medidor Indicador de Densidade - ECMID - 001


(Medidor Indicador de Densidade 001). Esse aparelho tem a função de indicar a
densidade do produto que flui através da linha de lama que sai das bombas Vortex e
leva até a Esteira Filtradora.
Ajustando as Densidades que desejamos usar nesse processo de bombeamento de
lama do fundo do decantador, informaremos ao aparelho o “Range” que deverá
operar.
Dessa forma enviaremos até a Esteira Filtradora apenas a Lama com as características
que nos interessa e que serão verificadas no decorrer do funcionamento do conjunto.
Na planilha da Operação estão informados dados iniciais para esse acompanhamento.
1.4 - Outros aparelhos que integram a ETALG.

1.4.1 - Tanque de água Recuperada - ECTAR - 001 (Tanque de Água Recuperada 001)

Este Tanque fica ao lado do Decantador, recebendo água recuperada do sistema e


servindo de Tanque de Escorva para as bombas que recalcam água para os lavadores
de gases.
O tanque possui admissão de água Make up, através de uma válvula esfera comando
elétrico - ECVECE - 001. Para que essa válvula receba informação, haverá um
transmissor de nível Ultra Som, já comentado anteriormente. As perdas de água do
sistema serão repostas através dessa válvula.

Na tubulação que interliga esse tanque até as bombas de Recalque de água aos
lavadores, existe uma tomada de água, para uma linha secundária.
Essa tomada de água interliga uma bomba de recalque de água recuperada ECBAR -
001 (Bomba de água recuperada 001) que será usada para recalcar uma fração dessa
água do sistema, para uso no próprio conjunto.
Essa bomba irá recalcar inicialmente para um filtro modelo Multibag ECFMB - 001
(Filtro Multibag 001). A função desse filtro é preparar uma fração para ser usada na
limpeza da tela filtradora do Filtro Esteira, água para selo da Bomba de vácuo, diluição
de lama, e outras finalidades.

1.4.2 - Tanque ECTARF - 001 (Tanque de Água Recuperada e Filtrada 001)


Antes de acionar a bomba ECBAR – 001 iniciaremos as seguintes ações:
Abrir a válvula esfera ECVEM - 17 (Válvula Esfera Manual 017) que está conectada na
linha de saída para coletor de água recuperada ECCAR – 001).
Abrir a válvula esfera ECVEM - 018 (Válvula Esfera Manual 018), que antecipa a
entrada no Filtro Multibag.

Na saída do Filtro Multibag foi Adaptado uma válvula de retenção, para evitar refluxo
natural no filtro (modelo Wafer ECVRW - 001 - Válvula Retenção tipo Wafer 001)

O tanque que receberá a água recuperada filtrada - ECTARF - 001 - possui indicador de
nível modelo Ultra Som ECTNUS - 002 (Transmissor de Nível Ultra Som 002) semelhante
ao do Tanque de água Recuperada.
Esse aparelho enviará sinal para acionamento automático da bomba ECBAR - 001.
Se durante o processo houver necessidade de água extra para recuperação do nível do
depósito, uma válvula de esfera comando elétrico ECVECE - 002 (Válvula Esfera
Comando Elétrico 002) será acionada pelo sinal emitido pelo indicador de nível,
garantindo a normalização do processo. A água utilizada será a mesma do
fornecimento de Make up da unidade.
1.4.3 - Canaleta para recuperação de águas servidas no processo da ETALG, Drenagem de
tanques, limpeza do piso, e outros.

As águas seguirão por canaleta que fica no nível inferior, abaixo do nível do piso da seção até
caixa de água recuperada ECCAR - 001 (Caixa de Água Recuperada).

Esta caixa, no final da canaleta, possui formato especial, de forma a conter volume de
água que permitirá sua medição por meio de um sistema semelhante ao usado nos
tanques verticalizados da seção ETALG ECTNUS - 003 (Transmissor de Nível Ultra Som 003).

O sinal de comando do transmissor de nível acionará uma bomba de recalque de água até a
linha de 12, que conduz água com cinzas até Peneira Rotativa, no início do processo ECBRARC -
001 (Bomba de Água Recuperada da Canaleta 001)

A bomba ECBRARC - 001 está inserida num fosso, do lado oposto à caixa ECCAR - 001.
É interligada a caixa mediante uma tomada de tubo com diâmetro compatível com o projeto,
passando por uma válvula Borboleta da linha de recalque da bomba ECVB 012 (Válvula
Borboleta 012).

Na saída da bomba teremos uma válvula retenção tipo portinhola ECVRP - 007 (Válvula
de Retenção Portinhola 007) e uma Válvula Gaveta ECVG 006 (Válvula Gaveta 006)

1.4.4 - Tanques dosadores de Produtos Químicos.

Para facilitar o preparo e aplicação dos Produtos Químicos que serão usados para
correção de pH e para auxiliar na sedimentação dos Sólidos em Suspensão,
utilizaremos 04 tanques de 1.500 litros cada um.

Para dosagem de Produtos Cáusticos:

ECTDPC - 001 (Tanque Dosagem de Produtos Cáusticos - 001)


ECTDPC - 002 (Tanque Dosagem de Produtos Cáusticos - 002)

Possuem Chave de nível cuja finalidade é desligar a bomba que recalque produto até o
ponto de admissão e libera a bomba quando o tanque for completado.

ECCN - 001 (Chave Controle de Nível 001) Tanque ECTDPC - 001


ECCN - 002 (Chave Controle de Nível 002) Tanque ECTDPC - 002
Para dosagem de Polímeros:

ECTDP - 001 (Tanque Dosagem de Polímeros - 001)


ECTDP - 002 (Tanque Dosagem de Polímeros - 002)

Possuem Chave de nível cuja finalidade é desligar a bomba que recalque produto até o
ponto de admissão e libera a bomba quando o tanque for completado.

ECCN - 003 (Chave Controle de Nível 003) Tanque ECTDP - 001


ECCN - 004 (Chave Controle de Nível 004) Tanque ECTDP - 002

Nota
A Chave de nível desligará a bomba quando atingir o nível mínimo no tanque e libera a bomba
quando o nível estiver completo.
As bombas necessitarão by pass elétrico para acionamento quando em testes.

Bombas de recalque de Produtos Químicos, modelos Helicoidais, com capacidade de


dosagem compatível com o projeto (litros/hora), adaptadas aos tanques.
Com manobra simples de válvulas efetuamos o by pass dos tanques.

ECBRPC - 001 (Bomba de Recalque de Produtos Cáusticos 001)-


Atende Tanques ECTDPC - 001; ECTDPC - 002

ECBRP - 001 (Bomba de Recalque de Polímeros - 001)


Atende Tanques ECTDP - 001; ECTDP - 002

Sendo o que temos a apresentar no momento, agradecemos a atenção.

ECORACIONAL – TECNOLOGIA E MANUTENÇÃO INDUSTRIAL LTDA


JORGE R. BELFORT FILHO
CFQ – 009339.