Você está na página 1de 17

Relações trigonométricas no triângulo retângulo

Seno da soma e seno da diferença de dois arcos

Lei dos senos

Lei dos cossenos

Seno, cosseno e tangente do arco duplo

Cosseno da soma e diferença de dois arcos

Tangente da soma e tangente da diferença de dois arcos

Seno através da semelhança de triângulos

Relações trigonométricas no triângulo retângulo

A trigonometria é uma ferramenta matemática bastante utilizada no cálculo de distâncias envolvendo triângulos
retângulos. Na antiguidade, matemáticos utilizavam o conhecimento adquirido em trigonometria para realizar cálculos
ligados à astronomia, determinando a distância, quase que precisa, entre a Terra e os demais astros do sistema
solar. Atualmente a trigonometria também é bastante utilizada e para compreender o seu uso é necessário assimilar
alguns conceitos.

Observe a figura abaixo que representa um triângulo retângulo.


Note que o maior lado é denominado de hipotenusa e os outros dois lados de catetos. A hipotenusa é o lado que fica
oposto ao ângulo reto (ângulo de 90º). Além do ângulo reto, há dois ângulos agudos, α e β. A trigonometria
estabelece relações entre os ângulos agudos do triângulo retângulo e as medidas de seus lados. Vejamos quais são
essas relações.

O seno de um ângulo no triângulo retângulo é a razão entre o cateto oposto e a hipotenusa.

O cosseno de um ângulo no triângulo retângulo é a razão entre o cateto adjacente e a hipotenusa.

A tangente de um ângulo no triângulo retângulo é a razão entre o cateto oposto e o cateto adjacente.

Definidas as razões trigonométricas, obtemos as seguintes igualdades para o triângulo retângulo abaixo:
Exemplo 1. Determine os valores de seno, cosseno e tangente dos ângulos agudos do triângulo abaixo.

Solução: Temos que:

Exemplo 2. Sabendo que sen α =1/2 , determine o valor de x no triângulo retângulo abaixo:
Solução: A hipotenusa do triângulo é x e o lado com medida conhecida é o cateto oposto ao ângulo α. Assim,
temos que:

Seno da soma e seno da diferença de dois arcos

Ciclo trigonométrico

Sejam a e b dois arcos quaisquer. Vamos determinar a fórmula para o cálculo do seno da soma e da diferença
entre a e b.

O seno da soma de dois arcos, a e b, é dado pela fórmula:

sen (a + b) = sen a∙cosb + sen b∙cosa

O seno da diferença entre dois arcos, a e b, é dado pela fórmula:

sen (a - b) = sen a∙cosb - sen b∙cosa

Exemplo 1. Calcule o valor de sen 105o.


Solução: Podemos escrever 105o como sendo a soma de 60o com 45o. Dessa forma teremos:

Exemplo 2. Qual o valor de sen 15o?

Solução: temos que:

Exemplo 3. Simplifique a expressão

Solução: Vamos desenvolver o numerador da expressão.

Sabemos que:

Assim,

Logo,

Dessa forma, a expressão inicial se reduziria a:


Lei dos senos
A lei dos senos estabelece identidades trigonométricas para um triângulo qualquer, para isso é importante saber utilizá-la.
As relações trigonométricas do seno, cosseno e tangente são válidas somente no triângulo retângulo, porém,
podemos estabelecer algumas identidades trigonométricas para um triângulo qualquer, sendo ele acutângulo ou
obtusângulo. Essas identidades são chamadas de lei dos senos e lei dos cossenos. Faremos o estudo da lei dos
senos para um triângulo qualquer.

Vejamos, primeiro, a demonstração de tal lei.

Considere o triângulo ABC, acutângulo, abaixo, onde CH é a altura relativa ao lado AB.

No triângulo ACH, temos que:

 No triângulo BCH, temos que:

De (I) e (II), obtemos:

Assim, podemos concluir que:

Que é chamada de Lei dos senos ou Teorema dos senos.

A demonstração acima foi feita para um triângulo acutângulo, mas a mesma pode ser realizada para qualquer
triângulo de forma análoga, chegando ao mesmo resultado.

Vejamos alguns exemplos de aplicação da lei dos senos.

Exemplo 1. Determine o valor de c no triângulo obtusângulo abaixo:


Solução: Aplicando a lei dos senos, teremos:

Sabemos que sen 120o = sen 60o. Assim, teremos:

Exemplo 2. No triângulo acutângulo a seguir, determine o valor de x.

Solução: Utilizando a lei dos senos, temos que:


Lei dos cossenos

Sabemos que as relações trigonométricas do seno, cosseno e tangente são válidas somente em um triângulo
retângulo. Quando estamos trabalhando com triângulos quaisquer, acutângulos ou obtusângulos, no
entanto, essas relações não são válidas. Para esses tipos de triângulo teremos que estabelecer outras
identidades trigonométricas, chamadas de lei dos senos e lei dos cossenos. Faremos, aqui, o estudo da lei
dos cossenos e suas aplicabilidades.

Vejamos a demonstração da lei dos cossenos:

Considere o triângulo acutângulo abaixo, sendo CH a altura relativa ao lado AB.


No triângulo BCH, temos que:

No triângulo ACH, temos que:

Substituindo (II) e (III) em (I), obtemos:

De forma análoga, obtemos:

As três igualdades anteriores são chamadas de Lei dos Cossenos, que diz: “Num triângulo qualquer, o quadrado de
um lado é igual à soma dos quadrados dos outros dois lados menos o dobro do produto desses lados pelo cosseno
do ângulo por eles formado”.

Lembre-se que a Lei dos cossenos vale para qualquer triângulo.

Vejamos alguns exemplos de aplicação.

Exemplo 1. Determine o valor de x no triângulo ABC acutângulo abaixo.

Solução: Aplicando a lei dos cossenos, temos que:


Exemplo 2. Determine o valor de y no triângulo obtusângulo abaixo.

Solução: Lembrando que a lei dos cossenos também é válida para o triângulo obtusângulo, temos que:

Seno, cosseno e tangente do arco duplo


No estudo da trigonometria abordamos as relações existentes entre as medidas dos lados e as medidas dos
ângulos de um triângulo retângulo. Esse ramo da matemática também estuda as funções trigonométricas e
seus comportamentos. Bastante utilizada em nosso dia a dia, a trigonometria sempre fascinou matemáticos
de todas as épocas que deixaram um legado de conhecimento sobre as propriedades dos triângulos
retângulos.

Dadas as funções circulares de um arco x, é possível, mediante aplicação das fórmulas deduzidas,
encontrarmos as funções circulares dos arcos 2x, 3x, ..., chamados, respectivamente, de arco duplo, arco
triplo...

Vejamos as expressões que determinam o seno, o cosseno e a tangente do arco duplo.

Para isso, faremos 2x = x + x.

1. Seno do arco duplo.

Temos que:

sen2x = sen (x + x)

Utilizando a fórmula do seno da soma de dois arcos, obtemos:

sen 2x = sen (x + x) = senx∙cosx + senx∙cosx

Então:

sen 2x = 2senx∙cosx

2. Cosseno do arco duplo

Também utilizando a fórmula do cosseno da soma de dois arcos, obtemos:

cos2x = cos(x + x) = cosx∙cosx - senx∙senx

Ou
cos2x = cos2 x - sen2 x

3. Tangente do arco duplo

Temos que:

Essas fórmulas são úteis para a simplificação de expressões envolvendo relações trigonométricas. Vejamos alguns
exemplos para melhor compreensão.

Exemplo. Sabendo que sen x = 12/13 e cos x = 5/13, determine o valor de sen 2x e cos 2x.

Solução: Primeiro vamos determinar o valor de sen 2x. Como conhecemos os valores de sen x e cos x, basta aplicar
a fórmula do arco duplo. Assim, temos que:

Agora, vamos determinar o valor de cos 2x.


Cosseno da soma e diferença de dois arcos

Gráfico da função f(x)=cosx

O estudo da soma e diferença de arcos auxilia o cálculo de funções circulares cujo arco não seja facilmente
“decorado” por meio de uma tabela de referência.

Para tanto, veremos a expressão para o cosseno da soma de dois arcos e cosseno da diferença de dois
arcos. Não daremos ênfase na demonstração, pois essa necessita de diversos desenhos geométricos
(circunferências) e fórmulas de distância entre dois pontos. Ater-nos-emos às expressões para a soma e
diferença dos arcos.

Cosseno da soma de dois arcos

Sejam a e b dois arcos quaisquer, determinaremos cos (a+b) pela seguinte expressão:

Para verificar esta expressão, vamos calcular o cosseno de um arco conhecido, o cos (60°)=1/2.

Vimos que esta expressão de fato mostrou a soma de dois arcos. Vejamos como encontrar o valor do cosseno de um
arco cujo valor não conhecemos.

Exemplo1

Exemplo 2
Cosseno da diferença de dois arcos

Sejam a e b dois arcos quaisquer, determinaremos cos (a-b) pela seguinte expressão:

Vejamos exemplos para o uso desta expressão.

1) Encontre o valor para o cos 15°.

2) Encontre o valor do cosseno do seguinte arco (π-x).

3) Sabendo que cos 37°=0,7986 e cos 17°=0,9563 e sen 37°=0,6018 e sen 17°=0,2923, encontre o valor aproximado
para o cos 20°.

Com isso, vimos como obter valores do cosseno de arcos desconhecidos utilizando os valores dos arcos que já
conhecemos. Para isso foi utilizada apenas a expressão da soma e da diferença de arcos para a função cosseno.

Tangente da soma e tangente da diferença de dois arcos

Tangente da soma

Considere dois arcos a e b. Vamos determinar a fórmula para o cálculo da tangente da soma e da diferença entre a e
b.

Devemos considerar que:

A tangente da soma de dois arcos será dada por:

Sendo,
A tangente da diferença entre dois arcos será dada por:

Sendo,

Exemplo 1. Calcule o valor de tg 15o.

Solução: temos que

Exemplo 2. Qual o valor de tg 75o?

Solução: temos que

Seno através da semelhança de triângulos

Semelhança de triângulos
Nos primeiros estudos da trigonometria, aprendemos os elementos que compõem um triângulo retângulo. Entretanto,
aprendemos de forma simples, sem ter grande compreensão do que de fato ocorre nessas relações trigonométricas
tão importantes.

Façamos uma revisão quanto aos elementos de um triângulo retângulo.

Veja que:

• a consiste na medida da hipotenusa (lado oposto ao ângulo reto);


• b e c são as medidas dos catetos;
• Os ângulos dos vértices C e B são ângulos agudos;
• O segmento AC é o cateto oposto ao ângulo do vértice B, que por sua vez é o cateto adjacente ao ângulo do vértice
C;
• O segmento AB é o cateto oposto ao ângulo do vértice C, que por sua vez é adjacente ao ângulo do vértice B.

Relembrando esses elementos, façamos uma construção de triângulos semelhantes para analisarmos as
proporcionalidades dessa semelhança.
Você consegue identificar três triângulos semelhantes? Veja que na imagem acima temos três triângulos retângulos:
ΔDOC, ΔFOE, ΔHOG.

Em um dos casos de semelhança de triângulos têm-se a necessidade de termos dois ângulos congruentes, isso nos
dá a garantia de que os triângulos são semelhantes.

Portanto, note que nos três triângulos podemos aplicar esse caso de semelhança, pois o ângulo β é comum a todos
os triângulos e todos eles possuem um ângulo reto. Sendo assim, vejamos algumas razões de proporcionalidade que
teremos em razão de serem triângulos semelhantes.

Como estes triângulos são semelhantes, podemos afirmar que estas razões são iguais entre si e resultam um valor
em comum, ou seja:

Contudo, temos que os segmentos DC, FE, HG constituem os catetos opostos ao ângulo β. Os segmentos OD, OF,
OH são as hipotenusas dos triângulos ΔDOC, ΔFOE, ΔHOG, respectivamente.

Sabemos que:

De acordo com o que foi visto anteriormente, as razões da medida do cateto oposto pela medida da hipotenusa
correspondem a uma proporção equivalente, sendo assim, podemos afirmar que:
Portanto, podemos afirmar que esta relação não depende do tamanho que é o triângulo e sim do ângulo β, esta
relação é denominada de seno de β.

Diante disso, existe a necessidade de o triângulo ser retângulo para que se possa utilizar a relação do seno, pois
como vimos, só foi possível determinar as proporcionalidades dos triângulos por serem triângulos retângulos.