Você está na página 1de 7

Linguística

Contemporânea
Prof. Me. Mauricio Souza Neto &
Curso de Licenciatura em Letras
Profa. Ma. Sandra Prudêncio
2020.1
PLANO DE ENSINO

3º período
CURSO: Letras
CARGA HORÁRIA: 88h
PERÍODO: 3º

EMENTA:
Estudo dos fundamentos da ciência linguística, na perspectiva da linguística contemporânea.
Constituição história e configuração epistemológica da linguística, em seus diferentes campos e
com seus divergentes modelos teórico-metodológicos, pós-estruturalistas. Contribuições desses
estudos para o ensino de línguas.

COMPETÊNCIAS

• COMPREENDER OS PRESSUPOSTOS DA LINGUÍSTICA MODERNA QUE FUNDAMENTAM SUA


FORMAÇÃO PROFISSIONAL.

• CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DAS POTENCIALIDADES DOS ESTUDANTES NO QUE


SE REFERE AO DOMÍNIO DOS CONCEITOS LINGUÍSTICOS BÁSICOS.

• REFLETIR ANALÍTICA E CRITICAMENTE SOBRE A LINGUAGEM COMO FENÔMENO


PSICOLÓGICO, EDUCACIONAL, SOCIAL, HISTÓRICO, CULTURAL, POLÍTICO E IDEOLÓGICO.

• APLICAR CONTEÚDOS BÁSICOS DA LINGUÍSTICA NO PROCESSO DE ENSINO DE LÍNGUAS.

HABILIDADES

• Avaliar a importância do estruturalismo para os estudos contemporâneos da linguística;


• Refletir sobre as contribuições do gerativismo para os estudos contemporâneos sobre a
ciência da linguagem;
• Reconhecer a importância da Sociolinguística para o ensino de línguas.

OBJETIVOS DA DISCIPLINA

- Reconhecer o caminho percorrido pela ciência da linguagem na mudança de um objeto de


estudo abstrato para um objeto de estudo concreto;
- Conhecer as abordagens da linguística moderna e as suas tendências;
- Identificar os fundamentos do estruturalismo norte americano
- Conhecer os fundamentos da teoria gerativa e as versões da gramática gerativo-
transformacional;
- Identificar as abordagens da Sociolinguística.
1
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO1

UNIDADE 1

Língua(gem) e lingüística: complexidade conceitual, diferentes concepções teóricas e


características distintivas da língua(gem) humana.

Leituras obrigatórias:

Texto 1 - HOOKS, Bell. Linguagem: ensinar novas paisagens/novas linguagens. Revista Estudos
Feministas, v. 16, n. 3, p. 857-864, 2008.

Texto 2 - PETTER, Margarida. Linguagem, língua, linguística. In: FIORIN, José Luiz (org.).
Introdução à Linguística. São Paulo: Editora Contexto. p. 11-23

Texto 3 - ORLANDI, Eni Puccinelli. O que é linguística. Brasiliense, 2007.

Leituras complementares:

BENTES, Anna Christina; MUSSALIM, Fernanda. Introdução à Linguística. Vol. 1, 2 e 3. São


Paulo: Cortez, 2001.

BENVENISTE, Émile. Comunicação animal. In: Problemas de linguística geral. São Paulo: Ed.
Nacional, Ed. Da Universidade de São Paulo, 1976. p. 60-67.

CARBONI, Florence. Introdução à Linguística. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

LOPES, Edward. Fundamentos de Linguística Contemporânea. 1 ed. São Paulo: Cultrix, 2003.

LYONS, John. Linguagem e Linguística – uma introdução. 1 ed. São Paulo: LTC, 1987.

PIETROFORTE, A. V. A língua como objeto da linguística In: FIORIN, J. L. Introdução à


Linguística: I objetos teóricos. 4 ed. São Paulo: Contexto, 2005. p. 73- 93.
2

1
O conteúdo programático é passível de mudanças ao longo do curso. As alterações, se houver, serão discutidas e
acordadas com a turma com atencedência mínima de uma semana. Todos os textos podem ser acessados clicando
AQUI.
UNIDADE 2

Introdução às escolas de estudo linguístico

Leituras obrigatórias:

Texto 4 - CULLER, Jonathan. As idéias de Saussure. Trad. de Carlos Alberto da Fonseca. São
Paulo: Cultrix, 1979. (páginas 1-5; 13-43)

Texto 5 - KENEDY, Eduardo. Gerativismo. In: MARTELOTTA, M.E. Manual de linguística.


São Paulo: Contexto, v. 1, p. 127-140, 2008.

Texto 6 - CUNHA, Angélica Furtado da. Funcionalismo. In: MARTELOTTA, M.E. Manual de
linguística. São Paulo: contexto, p. 157-176, 2008.

Texto 7 - MODESTO, Rogério Luid. A pragmática e o texto: um ponto de encontro na


Linguística Textual. Inédito.

Leituras complementares:

NEVES, Maria Helena de Moura et al. Uma introdução ao funcionalismo: proposições, escolas,
temas e rumos. Funcionalismo e gramaticalização: teoria, análise e ensino. João Pessoa: Idéia,
p. 13-28, 2004.

PERINI, Mário A. A gramática gerativa: introdução ao estudo da sintaxe portuguesa. Editora


Vigília, 1976.

PIETROFORTE, A. V A língua como objeto da linguística In: FIORIN, J. L. Introdução à


Linguística: I objetos teóricos. 4 ed. São Paulo: Contexto, 2005. p. 73- 93.
3
UNIDADE 3

A contribuição dos estudos linguísticos para o ensino de línguas

Análise do Discurso:
FERNANDES, Cleudemar Alves. Análise do discurso: reflexões introdutórias. Trilhas
Urbanas, 2005.

Ecolinguística:
DO COUTO, Hildo Honório. O que vem a ser ecolinguística, afinal?. Cadernos de linguagem e
sociedade, v. 14, p. 1, 2013.

Linguística Aplicada:
MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Uma linguística aplicada mestiça e ideológica: interrogando o
campo como linguista aplicado. Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo:
Parábola, p. 13-44, 2006.

Linguística Cognitiva:
DE SOUZA, Janderson Lemos. Fundamentos Epistemológicos da Linguística Cognitiva.

Política(s) Linguística(s):
Da SILVA, Elias Ribeiro. A pesquisa em política linguística: histórico, desenvolvimento e
pressupostos epistemológicos. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 52, n. 2, p. 289-320, 2013.

Sociolinguística:
COAN, Márluce; FREITAG, Raquel Meister Ko. Sociolinguística variacionista: pressupostos
teórico-metodológicos e propostas de ensino. Domínios de Lingu@ gem, v. 4, n. 2, p. 173-194,
2010.
4
METODOLOGIA

As atividades estarão voltadas, de um modo geral, para a leitura e discussão de textos teóricos de
modo a estimular a capacidade de compreensão escrita e expressão oral dos alunos. Serão
propostas situações-problema relacionadas, principalmente, às contribuições dos estudos
linguísticos para o ensino de línguas, de modo que os estudantes possam refletir sobre essas
implicações em sua prática docente. Atividades de pesquisa tanto bibliográfica, como no campo
escolar experimentando os desafios impostos pelo uso da linguagem.
Aulas expositivas para introdução e conclusão dos temas, leitura dirigida e atividades em pequenos
grupos, visando o aprofundamento das ideias apresentadas e sistematização escrita das questões
abordadas nas unidades temáticas. Seminários . Dinâmica de grupos. Apresentações orais e
debates. Leituras e análise de artigos atuais de revistas, jornais e outros mídias.

ATIVIDADES DISCENTES

Desenvolver trabalho de pesquisa teórica e em grupo; apresentar trabalho, realizar questões


objetivas e abertas, realizar pesquisa. Participar ativamente nas aulas. Realizar leitura prévia dos
textos. Apresentar seminários. Elaborar resumos, resenhas etc.

AVALIAÇÃO
O processo avaliativo do desempenho dos alunos será realizado por intermédio dos seguintes
instrumentos: produção de textos, em especial, de natureza acadêmica, entre eles: pôsteres, resumos
e resenhas A avaliação continuada e individual será feita, também, por meio de trabalho colaborativo,
exercícios individuais, provas escritas, apresentação de seminários e demais atividades discentes
previstas no item anterior.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

COAN, Márluce; FREITAG, Raquel Meister Ko. Sociolinguística variacionista: pressupostos


teórico-metodológicos e propostas de ensino. Domínios de Lingu@ gem, v. 4, n. 2, p. 173-194,
2010.
CULLER, Jonathan. As idéias de Saussure. Trad. de Carlos Alberto da Fonseca. São Paulo:
Cultrix, 1979. (páginas 1-5; 13-43)
CUNHA, Angélica Furtado da. Funcionalismo. In: MARTELOTTA, M.E. Manual de linguística.
São Paulo: contexto, p. 157-176, 2008.
DE SOUZA, Janderson Lemos. Fundamentos Epistemológicos da Linguística Cognitiva.
DO COUTO, Hildo Honório. O que vem a ser ecolinguística, afinal?. Cadernos de linguagem e
sociedade, v. 14, p. 1, 2013.
FERNANDES, Cleudemar Alves. Análise do discurso: reflexões introdutórias. Trilhas
Urbanas, 2005.
HOOKS, Bell. Linguagem: ensinar novas paisagens/novas linguagens. Revista Estudos
Feministas, v. 16, n. 3, p. 857-864, 2008.
KENEDY, Eduardo. Gerativismo. In: MARTELOTTA, M.E. Manual de linguística. São Paulo:
Contexto, v. 1, p. 127-140, 2008.
MODESTO, Rogério Luid. A pragmática e o texto: um ponto de encontro na Linguística
5

Textual. Inédito.
MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Uma linguística aplicada mestiça e ideológica: interrogando o
campo como linguista aplicado. Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo:
Parábola, p. 13-44, 2006.
ORLANDI, Eni Puccinelli. O que é linguística. Brasiliense, 2007.
PETTER, Margarida. Linguagem, língua, linguística. In: FIORIN, José Luiz (org.). Introdução à
Linguística. São Paulo: Editora Contexto. p. 11-23
Da SILVA, Elias Ribeiro A pesquisa em política linguística: histórico, desenvolvimento e
pressupostos epistemológicos. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 52, n. 2, p. 289-320, 2013.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BENTES, Anna Christina; MUSSALIM, Fernanda. Introdução à Linguística. Vol. 1, 2 e 3. São


Paulo: Cortez, 2001.
BENVENISTE, Émile. Comunicação animal. In: Problemas de linguística geral. São Paulo: Ed.
Nacional, Ed. Da Universidade de São Paulo, 1976. p. 60-67.
CARBONI, Florence. Introdução à Linguística. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
LOPES, Edward. Fundamentos de Linguística Contemporânea. 1 ed. São Paulo: Cultrix, 2003.
LYONS, John. Linguagem e Linguística – uma introdução. 1 ed. São Paulo: LTC, 1987.
NEVES, Maria Helena de Moura et al. Uma introdução ao funcionalismo: proposições, escolas,
temas e rumos. Funcionalismo e gramaticalização: teoria, análise e ensino. João Pessoa: Idéia,
p. 13-28, 2004.
PERINI, Mário A. A gramática gerativa: introdução ao estudo da sintaxe portuguesa. Editora
Vigília, 1976.
PIETROFORTE, A. V A língua como objeto da linguística In: FIORIN, J. L. Introdução à
Linguística: I objetos teóricos. 4 ed. São Paulo: Contexto, 2005. p. 73- 93.