Você está na página 1de 5

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS


FACULDADE DE LETRAS
Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística

NOME DA DISCIPLINA: Cognição e Linguagem


CURSO: Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística
ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Estudos linguísticos
LINHA DE PESQUISA: LP4
PROFESSORES RESPONSÁVEIS: Profa. Dra. Elena Ortiz Preuss e Prof. Dr. Leosmar Aparecido da Silva
CONTATO COM OS PROFESSORES: ortizpreuss.e@gmail.com / leosmarsilva@hotmail.com
CARGA HORÁRIA: 64 h
DIA E HORÁRIO: módulo condensado em julho e agosto de 2018
SEMESTRE/ANO: 2°/2018
EMENTA: Estudo da aquisição e processamento linguístico, considerando processos cognitivos e
mecanismos de compreensão e produção da linguagem.
I – OBJETIVOS:
· estudar os sistemas neurocognitivos envolvidos na aquisição, no processamento e no uso linguístico;
· analisar os processos cognitivos subjacentes à percepção, compreensão e produção da linguagem;
· conhecer os paradigmas teóricos da Psicolinguística e da Linguística Cognitiva, seus campos de atuação
e a agenda de pesquisa;
· verificar os meios de aplicação da perspectiva sociocognitiva na descrição, na análise e no ensino de
línguas.

II - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
· Processamento linguístico;
· Neurofisiologia da linguagem;
· Psicolinguística do bilinguismo;
· Sistemas de memória e linguagem;
· Funções executivas e desenvolvimento e uso linguístico;
· Atenção e consciência na aquisição de línguas;
· Princípios gerais da Linguística Cognitiva;
· Categorização linguística;
· Semântica de frames;
· Gramática Cognitiva;
· Mecanismos cognitivos: metáfora e metonímia;
· Gramática de construções;
· Aquisição da linguagem: abordagem biológica e abordagem sociocognitiva.

III - METODOLOGIA:
Metodologicamente, propõe-se a realização de aulas expositivas e dialogadas, permeadas por leituras
dirigidas, leituras complementares e fichamento dos textos teóricos. Propõe-se, ainda, a realização de
seminários com base nos textos selecionados para estudo.

IV - AVALIAÇÃO:
No decorrer da disciplina, o aluno será avaliado por meios dos seguintes instrumentos:
1) leitura de todos os textos indicados e participação ativa nas aulas, apresentando comentários e
questões para discussão durante os seminários;
2) produção de fichamentos dos textos teóricos estudados;
3) apresentação de seminário;
4) atividade escrita, contendo perguntas dirigidas sobre os temas e textos estudados.

V – BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BADDELEY, A.; ANDERSON, M. C.; EYSENCK, M. W. Memória. Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 54-82.
BERGSLEITHNER, L. M.; FROTA, S. N.; YOSHIOKA, J. K. (ed.) Noticing and Second Language
Acquisition: Studies in Honor of Richard Schmidt. Honolulu: National Foreign Language Resource Center,
2013, p. 39-57.
BIALYSTOK, Ellen; CRAIK, Fergus I. M.; GREEN, David W.; GOLLAN, Tamar H. Bilingual Minds.
Psychological Science. V. 10, (3). Association for Psychological Science, 2009, p. 89-129.
CROFT, W.; CRUSE, A. Cognitive linguistics. [Cambridge Textbooks in Linguistics]. Cambridge:
Cambridge University Press, 2004.
CUENCA, M. J. e HILFERT, J. Introducción a la lingüística gonitiva. Barcelona, 1999.
FERRARI, L. Introdução à linguística cognitiva. São Paulo: Contexto, 2011.
GAZZANIGA, Michael. Neurociência cognitiva: a biologia da mente. Traduzido por Angelica Rosat
Consiglio.[et al]. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 517-554.
GROSJEAN, F.; LI, P. The psycolinguistics of bilingualism. Oxford: Wiley-Blackwell, 2013.
IZQUIERDO, Iván. Memória. Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 19-33.
KÖVECSES, Z. Universalidade versus não universalidade metafórica. Trad. Maitê Gil e Tamara Melo. In.:
Cadernos de tradução. n. 25. Jul./dez. Porto Alegre: Instituto de Letras da UFRGS, 2009. p. 257-277.
KRISTENSEN, C. H. Funções executivas e envelhecimento. In: PARENTE, Maria A. de Matos et al.
Cognição e envelhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2006.
KROLL, Judith F.; BOGULSKI, Cari A.; MCCLAIN Rhonda. Psycholinguistic perspectives on second
language learning and bilingualism: The course and consequence of cross-language competition. Linguistic
Approaches to Bilingualism, n. 2, v. 1, 2012, 1–24.
LAKOFF, G. & JOHNSON, M. Metaphors we live by. London: The University of Chicago Press, 1980. (ou a
tradução para o Português com o título Metáforas da vida cotidiana, pelo Grupo de estudos da indeterminação
e da metáfora (GEIM). São Paulo: Mercado das Letras, 2002).
LANGACKER, R. W. Foundations of Cognitive Grammar. Vol 1. Theoretical prerequisites. Stanford, Cal.:
Sanford University Press, 1987.
MAIA, M. (org.) Psicolinguística, psicolinguísticas: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2015.
MARTELOTTA, M.E. (org.). Manual de Linguística. 1a Ed., 1ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2008.
ORTEGA, L. Understanding second language acquisition. New York, Routledge, 2013, p. 82-109.
PELOSI, A. C.; FELTES, H. P. de; FARIAS, E. M. P. (Orgs.). Cognição e linguística: explorando território,
mapeamentos e percursos. Caxias do Sul, RS: Educs, 2014.
RODRIGUES, E. dos S. O papel de mecanismos de controle executivo no processo linguístico: diferença de
desempenho entre crianças e adultos em tarefas experimentais. Revista LinguíStica. Volume 7, número 2,
dezembro de 2011.
SHIPSTEAD, Z.; HARRISON, T.; ENGLE, R. W. Working memory capacity and the scope and control of
attention. Attention Perception Psychophysics. Nº 77. Springer US. 2015.
TRAUGOTT, E. C. & TROUSDALE, G. Constructionalization and Constructional Change. Oxford
University Press: Oxford, 2013.
ULLMAN, M. T. Uma perspectiva da Neurociência Cognitiva na aquisição de segunda língua: o modelo
Declarativo/Procedural. In: PERNA, C. B. L.; MOLSING, K. V. (orgs.). Tópicos em cognição, bilinguismo e
pragmática. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2013.
VALIAN, V. Bilingualism and cognition. Bilingualism: Language and Cognition 18 (1), 2015, 3–24 C
Cambridge University Press 2014 .
YE, Z. ZHOU, X. Executive control in language processing. Neuroscience and biobehavioral reviews. Nº.
33. 2009, p. 1168-1177.

VI - BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ABREU, A. S. Linguística cognitiva: uma visão geral e aplicada. São Paulo: Ateliê Editorial, 2010.
CONSENZA, R. M.; GUERRA, L. B. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre:
Artmed, 2011.
BEZERRA, G. B.; SOUZA, L. B. de. A aquisição da linguagem por Chomsky e por Tomasello. Dlcv. João
Pessoa, v. 10, n. 1 e 2, jan/dez 2013, p. 19-32.
DEHAENE, S. Os neurônios da leitura: como a ciência explica a nossa capacidade de ler. Porto Alegre:
Penso, 2012.
EYSENCK, M. W.; KEANE, M. T. Manual de Psicologia cognitiva. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
FARIAS, E. M. P. Metáfora e metonímia na geração de sentido. In: Organon. Porto Alegre, n. 43,
julho/dezembro, 2007, p. 85-95.
FAUCONNIER, G.; TURNER, M. The way we think: conceptual blending and the mind’s hidden
complexities. USA: Basic Book, a member of the Perseus Book Group, New York, 2002.
FONSECA, Vitor da. Papel das funções cognitivas, conativas e executivas na aprendizagem: uma abordagem
neuropsicopedagógica. Revista de Psicopedagogia. V. 31(96), 2014. p. 236-53.
JOHNSON, M. The body in the mind: the bodily bases of meaning, imagination, and reason. The University
of Chicago Press, London, 1987.
KÖVECSES, Z. Metaphor, language, and culture. In.: D.E.L.T.A. (Revista de Documentação de Estudos em
Linguística Teórica e Aplicada): Metaphor and cognition. n. esp. Vol. 1, 1/2. São Paulo: EDUC, 1992.
LAKOFF, George. Women, fire, and dangerous things: what categories reveal about the mind. Chicago and
London: The University of Chicago Press, 1987.
NETTO, T. M.; et al. Sistemas de memória: relação entre memória de trabalho e linguagem sob uma
abordagem neuropsicolinguística. Revista Neuropsicologia Latinoamericana, volume 3, número 3. 2011. P.
34- 39. Disponível em:
<http://neuropsicolatina.org/index.php/Neuropsicologia_Latinoamericana/article/viewFile/87/58>. Data de
acesso: 30 mar 2015.
ROSA, M. C. A base física da faculdade da linguagem. In: ROSA, M. C. Introdução à (Bio) Linguística:
linguagem e mente. São Paulo: Contexto, 2010.p. 103-131
SILVA, A. S. da. A linguística cognitiva: uma breve introdução a um novo paradigma em linguística. Lisboa,
Portugal: Universidade Católica Portuguesa, 2010. p. 1-38.
TAYLOR, H. R. Cognitive grammar. New Yord: Oxford University Press, 2002.
TOMASELLO, M. The cultural origins of Human Cognition. Harvard University Press, Cambridge, Mass,
1999.
TOKOWICZ, N. Lexical processing and second language acquisition. Invited contribution to P. Robinson
(Ed.), Cognitive Science and Second Language Acquisition Book Series. New York: Routledge, 2014.
TRAUGOTT, E. C. & TROUSDALE, G. Constructionalization and Constructional Change. Oxford
University Press: Oxford, 2013.
WEN, Z. Working memory and second language learning: towards an integrated approach. Bristol:
Multilingual matters, 2016.
TRAUGOTT, E. C. & TROUSDALE, G. Constructionalization and Constructional Change. Oxford
University Press: Oxford, 2013.

CRONOGRAMA
Nº Dia Atividade / Conteúdo
AULA
JULHO – Profa. Dra. Elena Ortiz Preuss
1 23/07 Processamento linguístico e Neurofisiologia da linguagem
(13h-18h) LEITÃO, M. M. Psicolinguística Experimental: focalizando o processamento da
linguagem. In: MARTELOTTA, M.E. (org.). Manual de Linguística. 1a Ed., 1ª
reimpressão. São Paulo: Contexto, 2008. P. 217-234.

BUCHWEITZ, A.; TEIXEIRA, M. T. Psicolinguística e Neurociência Cognitiva. In:


MAIA, M. (org.) Psicolinguística, psicolinguísticas: uma introdução. São Paulo:
Contexto, 2015, p. 189-201.

FRANÇA, A.I. Neurociência da linguagem. In: MAIA, M. (org.). Psicolinguística,


psicolinguísticas: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2015, p. 171-188.
2 24/07 Psicolinguística do bilinguismo
(8h-12h) KROLL, J. F.; BOGULSKI, Cari A.; MCCLAIN Rhonda. Psycholinguistic
perspectives on second language learning and bilingualism: The course and
consequence of cross-language competition. Linguistic Approaches to Bilingualism,
n. 2, v. 1, 2012, 1–24.

ORTEGA, L. Cognition. In: ORTEGA, L. Understanding second language


acquisition. New York, Routledge, 2013, p. 82-109.

VALIAN, V. Bilingualism and cognition. Bilingualism: Language and Cognition 18


(1), 2015, 3–24 C Cambridge University Press 2014 .
3 24/07 Sistemas de memória e linguagem
(13h30- IZQUIERDO, I. Os tipos e as formas de memória. In: IZQUIERDO, I. Memória.
18h) Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 19-33.

ULLMAN, M. T. Uma perspectiva da Neurociência Cognitiva na aquisição de


segunda língua: o modelo Declarativo/Procedural. In: PERNA, C. B. L.;
MOLSING, K. V. (orgs.). Tópicos em cognição, bilinguismo e pragmática. Porto
Alegre: EdiPUCRS, 2013.

BADDELEY, A.; Memória de trabalho. In: BADDELEY, A.; ANDERSON, M. C.;


EYSENCK, M. W. Memória. Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 54-82.
4 25/07 Funções executivas e desenvolvimento e uso linguístico
(13h-18h) GAZZANIGA, M. As funções executivas e os lobos frontais. In: GAZZANIGA,
Michael. Neurociência cognitiva: a biologia da mente. Traduzido por Angelica
Rosat Consiglio... [et al]. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 517-554.

YE, Z. ZHOU, X. Executive control in language processing. Neuroscience and


biobehavioral reviews. Nº 33. 2009, p. 1168-1177.
5 26/07 Funções executivas e desenvolvimento e uso linguístico
(8h-12h) KRISTENSEN, C. H. Funções executivas e envelhecimento. In: PARENTE, Maria
A. de Matos et al. Cognição e envelhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2006.

RODRIGUES, E. dos S. O papel de mecanismos de controle executivo no processo


linguístico: diferença de desempenho entre crianças e adultos em tarefas
experimentais. Revista LinguíStica. Volume 7, número 2, dezembro de 2011.
Disponível em: [http:// www.letras.ufrj.br/poslinguistica/revistalinguistica]
6 26/07 Atenção e consciência na aquisição de línguas
(13h30- SHIPSTEAD, Z.; HARRISON, T.; ENGLE, R. W. Working memory capacity and
18h) the scope and control of attention. Attention Perception Psychophysics. Nº 77.
Springer US. 2015.

WILLIAMS, J. Attention, Awareness, and Noticing in Language Processing and


Learning. In: BERGSLEITHNER, L. M.; FROTA, S. N.; YOSHIOKA, J. K. (ed.)
Noticing and Second Language Acquisition: Studies in Honor of Richard Schmidt.
Honolulu: National Foreign Language Resource Center, 2013, p. 39-57.
7 25/07 Produção escrita de atividade avaliativa
(13h-18h)
JULHO/AGOSTO – Prof. Dr. Leosmar Aparecido da Silva
8 30/07 Princípios gerais da Linguística Cognitiva
(8h-12h) FERRARI, L. O que é Linguística Cognitiva. In:_______. Introdução à linguística
cognitiva. São Paulo: Contexto, 2011. p. 13-28.

CROFT, W.; CRUSE, A. Introduction: what is cognitive linguistics? In: Cognitive


linguistics. [Cambridge Textbooks in Linguistics]. Cambridge: Cambridge
University Press, 2004. p. 1-4.
9 30/07 Categorização linguística
(13h-18h) CUENCA, M. J. e HILFERT, J. La categorización. In: _______. Introducción a la
lingüística cognitiva. Barcelona, 1999. p. 31-64.

LAKOFF, George. Idealized cognitive models. In:_______. Women, fire, and


dangerous things: what categories reveal about the mind. Chicago and London: The
University of Chicago Press, 1987.

10 31/07 Semântica de frames. Gramática Cognitiva


(8h- FILLMORE, C. Semântica de Frames. Trad. Galeno Fae da Silva. In.: Cadernos de
12h30min) tradução. n. 25. Jul./dez. Porto Alegre: Instituto de Letras da UFRGS, 2009. p. 25-
54.

LANGACKER, R. W. Grammatical classes. In: _______. Foundations of Cognitive


Grammar. Vol 1. Theoretical prerequisites. Stanford, Cal.: Sanford University
Press, 1987. p. 93-112.

ABREU, A. S. Gramática cognitiva. In: Linguística cognitiva: uma visão geral e


aplicada. São Paulo: Ateliê Editorial, 2010.
11 01/08 Mecanismos cognitivos: metáfora e metonímia
(8h-12h) LAKOFF, G. & JOHNSON, M. Metaphors we live by. London: The University of
Chicago Press, 1980. (ou a tradução para o Português com o título Metáforas da vida
cotidiana, pelo Grupo de estudos da indeterminação e da metáfora (GEIM). São
Paulo: Mercado das Letras, 2002).

KÖVECSES, Z. Metaphor, language, and culture. In.: D.E.L.T.A. (Revista de


Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada): Metaphor and
cognition. n. esp. Vol. 1, 1/2. São Paulo: EDUC, 1992.

_______. Universalidade versus não universalidade metafórica. Trad. Maitê Gil e


Tamara Melo. In.: Cadernos de tradução. n. 25. Jul./dez. Porto Alegre: Instituto de
Letras da UFRGS, 2009. p. 257-277.
12 01/08 Gramática de construções
(13h-18h) TRAUGOTT, E. C. & TROUSDALE, G. Constructionalization and Constructional
Change. Oxford University Press: Oxford, 2013. p. 1-43.

FERRARI, L. Gramática de construções. In:_______. Introdução à linguística


cognitiva. São Paulo: Contexto, 2011. p. 129-143.

13 02/08 Aquisição da linguagem: abordagem biológica e abordagem sociocognitiva


(8h- BEZERRA, G. B.; SOUZA, L. B. de. A aquisição da linguagem por Chomsky e por
12h30min) Tomasello. Dlcv. João Pessoa, v. 10, n. 1 e 2, jan/dez 2013, p. 19-32.

TOMASELLO, M. Linguistic Constructions and Event Cognition In:_______. The


cultural origins of Human Cognition. Harvard University Press, Cambridge, Mass,
1999. p. 134-160.
14 03/08 Produção escrita de atividade
(8h-13h)

Goiânia, 17 de julho de 2018.