Você está na página 1de 4

A famosa loja Propaganda Massonica nº Due (P2).

Era dirigida por Licio


Gelli,

Vamos falar um pouco sobre algo de secreto que existe na


maçonaria, apesar de todos nós sabermos que a Maçonaria não é secreta,
mas sim discreta e que não há segredos dentro das quadro paredes do
templo, creio que vocês ficaram impressionados com a minha narrativa
sobre alguns fatos. Tais fatos totalmente comprovados, porem esquecidos
estrategicamente tanto pelo Grande Oriente Italiano, bem como Pela
Crande Loja Unida da Inglaterra.

Os fatos que eu vou narrar agora estão relacionados com a KGB


Soviética, a Mossad israelense, o MI-5 Reino Unido, a CIA e o FBI norte-
americanos, envolve os maiores bancos da europa, incluindo o Banco do
Vaticano, envolve a poderosa OPUS DEI, todas essas organizações e seus
líderes subjugados por uma única loja Maçônica, não poderia deixar de
falar pra vocês do envolvimento de Giuseppe Garibaldi, responsável pela
unificação dos ritos egípcios Memphis- Mizrain, esse mesmo Garibaldi que
lutou no brasil na guerra dos farrapos, ao lado dos republicanos contra o
império e que casou com Anita Garibaldi, com destaque para a tomada de
Laguna.

Estou falando da PROPAGANDA DUE o Loja P2, bom mas se você


nunca ouviu falar na P2 mais do que certeza que nunca ouviu falar da Loja
Propaganda Um ou P1 ou Propaganda Due.

Então eu vou voltar na história para que você compreenda bem o


que estou falando e onde quero chegar.

Fundada naquela península, antes da criação do Reino da Itália,


teria sido uma formada em Florença por Lord Sackville em 1773. No
entanto, devido a seu envolvimento com a política partidária e a religião,
não foi reconhecida pela Grande Loja Unida da Inglaterra.
A história relata que, em 1877, ainda nos tempos da reunificação de
Mazzini e Garibaldi, foi fundada pelo Grande Oriente uma loja maçônica
em Roma chamada Propaganda Maçônica. Era frequentada por políticos e
altos funcionários governamentais que não deviam ter os seus nomes
expostos na relação das lojas normais e era diretamente ligada ao Grão-
Mestre. Esta seria a Propaganda Uno.

Primeiro é necessário explicar o termo PROPAGANDA, pois para nós


no Brasil, propaganda e publicidade são praticamente sinônimos; para
nossa instrução é necessário que entendamos esse termo na acepção da
palavra. Propaganda na forma que foi utilizada pela maçonaria tinha a
intenção de “algo oculto, algo enterrado, submerso e ainda tem dentro do
contexto a possível tradução para grupamento de pessoas, reunião de
pessoas com a finalidade de propagar uma ideia.

Agora que nós já entendemos esse conceito podemos prosseguir.

A loja, inicialmente, quando formada pelo Grande Oriente da Itália –


GOI, era uma loja de pesquisa que deveria funcionar dentro do espírito da
Propaganda Uno. Posteriormente, em 1981, quando foi dissolvida e
declarada ilegal pelo GOI (que também teve o seu reconhecimento
suspenso pela Grande Loja Unida da Inglaterra em 1993), tornou-se letal,
secretíssima e irregular – a famosa loja “Propaganda Massonica* nº Due
(P2).” Era dirigida por Licio Gelli, um gênio organizacional e político, que
montou um verdadeiro governo paralelo dentro do Estado Italiano com
repercussão na política da OTAN, nos EEUU, em algumas esferas da cúpula
do Vaticano e na Ibero-América. Deve haver um extremo cuidado ao
manipular o assunto da P2, pois está se lidando com conceitos altamente
explosivos e polêmicos consoante os seguintes atores: CIA, KGB, Soberana
Ordem Militar de Malta, Banco do Vaticano, Opus Dei, Maçonaria
Irregular, Comissão Trilateral, Serviço Secreto Italiano, Operação Gládio,
Bispo Marcinkus, João Paulo I, Mossad, Jesuítas, Nazismo, Comunismo,
Fascismo, Máfia etc
O irmão Gelli, foi iniciado em 1965, Três anos mais tarde, foi
nomeado secretário da P2, elegendo-se seu Venerável Mestre em 1975.
Gelli convidou Michele Sindona, o gênio financeiro do Vaticano, que
trouxe consigo Roberto Calvi, o banqueiro mais chegado ao Vaticano.
Contudo Gelli já tinha atuação marcante, pois, em dezembro de 1969,
num encontro promovido no escritório romano do Conde Umberto
Ortolani, o Embaixador da Ordem de Malta para o Uruguai, que era, na
época, o cérebro da P2, foi montado o Estado-Maior da Loja: Umberto
Ortolani, Licio Gelli, Roberto Calvi e Michele Sindona.

Pelos idos de 1974, a P2 contava um efetivo de mais de 1000


membros, destacando-se uma maioria de elementos de escol na
sociedade italiana, europeia e ibero-americana. Consta num relatório de
um dos procuradores italianos encarregados do inquérito da P2: ‘A Loja P2
é uma seita secreta que combinava negócios e política com a intenção de
destruir a ordem constitucional do país’.

Em 1978, outro fato político chocou a sociedade italiana e o mundo:


o sequestro e posterior assassinato do Ex-Primeiro Ministro Italiano – Aldo
Moro – pelas Brigadas Vermelhas, um grupo revolucionário de tendências
pró-soviéticas. Evidências posteriores demonstraram que o assassinato de
Moro foi orquestrado pela P2 e que as Brigadas Vermelhas e Negras
estavam infiltradas pelos serviços de inteligência dos Estados Unidos.

O Papa Luciani não era bem visto pela extrema-direita italiana, pois
esta o considerava indulgente em relação ao comunismo e por seu pai ter
pertencido aos quadros do Partido Socialista Italiano. Com 33 dias de
pontificado no ano de 1978, João Paulo I, o Papa “Sorriso”, como era
popularmente conhecido, foi encontrado morto nos seus aposentos. A
súbita morte do Papa deixou um rastro de interpretações e
“especulações” que duram até os dias atuais.
Calvi, que foi encontrado enforcado – alegou-se suicídio – sobre a
Ponte Blackfriars (Frades Negros) em Londres em 17 de junho de 1982,

Preocupado com a descoberta pela máfia de seus desvios de


dinheiro, Calvi teria viajado para Londres para tentar um empréstimo com
o tesoureiro da Opus Dei. S

Apesar da dissolução da P2 em 1981 e da expulsão de Gelli pelo


Grande Oriente da Itália, o espírito da P2 não feneceu.

Os recursos humanos estratégicos da P2, contudo, ainda atuam na


política italiana, pois em junho de 1994, o abastado homem de negócios
do norte da Itália – Silvio Berlusconi foi nomeado primeiro-ministro. O
piduisti (pedoisista) Berlusconi tentou passar um decreto-lei cujo texto
rezava que os delitos de corrupção e de concussão são considerados
‘menos graves’ e, em consequência, a detenção preventiva é suprimida.
Será que a lição da P2 foi aprendida?

Dr. Helio Antonio da Silva


Grão Mestre Fundador e de Honra
Grande Loja Regular e Simbólica da Maçonaria Egípcia no Brasil
heliosilvahas@hotmail.com