Você está na página 1de 24

Universidade de Cabo Verde

Licenciatura em Educação Física e Desporto

Cinesiologia-II
Músculos e movimentos do membro inferiores

Docente: Neidy Rodrigues


Músculos principais dos membro
inferior
Anatomia da perna e do joelho
Músculos principais dos membro
inferior
 Adutores do quadril Tensor da fáscia lata;
 Glúteos
 Tricípite sural
 Poplíteo
 Sartório
 Fibulares da perna;
 Quadricípite femoral;
 Plantares.
Adutores do quadril Tensor da fáscia lata

O músculo tensor da fáscia lata pertence ao grupo dos músculos glúteos.

Músculos da região glútea:


 Músculo glúteo máximo
 Músculo glúteo médio
 Músculo glúteo mínimo
o músculo tensor da fáscia lata

 Origem :Crista ilíaca e espinha ilíaca ântero-superior

 Inserção: Fáscia lata

 Inervação: Nervo glúteo superior (L4-S1)

 Função: Sustentação da tensão do trato iliotibial

 Nota clínica: Síndrome do trato iliotibial (lesão comum

do joelho).
Origem e inserção

 O músculo origina-se da crista ilíaca e da espinha ilíaca ântero-superior do osso ilíaco

 As suas fibras inserem-se na fáscia lata – uma fáscia profunda que envolve toda a
musculatura da coxa.
Inervação
A inervação é dada pelo nervo glúteo superior (L4-S1).
Função

Tanto os abdutores do quadril e o tensor da fáscia lata agem contrariamente, e


auxiliam na estabilização do osso.

Além disso, a ativação do músculo leva a uma abdução, flexão e rotação interna
da articulação do quadril.
Aspetos clínicos
Síndrome do trato iliotibial

A síndrome do corredor ou síndrome do trato iliotibial, são


lesões comuns entre corredores e ciclistas.
Glúteos

 Músculos da região glútea:


Músculo glúteo máximo
Músculo glúteo médio
Músculo glúteo mínimo

 Músculo tensor da fáscia lata


Glúteos médio e mínimos
Glúteo médio
 Origem: superfície glútea do íleo (sob o músculo glúteo máximo)
 Inserção: trocânter maior do fémur

Glúteo mínimo
 Origem: superfície glútea do íleo (sob o músculo glúteo médio)
 Inserção: trocânter maior do fémur

 Inervação: Ambos são inervados pelo nervo glúteo superior (ramo do plexo sagrado)
 Vascularização: Ambos são irrigados pela artéria glútea superior (ramo da artéria ilíaca
interna)
 Função: Estabilização da pelve; abdução e adução da articulação do quadril; flexão e
rotação interna (fibras ventrais); extensão e rotação externa (fibras dorsais)

 Nota clínica: Lesão do nervo glúteo superior, injeção intramuscular


Glúteos
Função

 Os pequenos músculos glúteos são os


mais poderosos abdutores e rotadores
internos da articulação do quadril.
 A contração das fibras ventrais resulta
em uma flexão e rotação interna.

 As fibras dorsais realizam uma


extensão e rotação externa. Em
conjunto elas possuem um importante
papel na estabilização da pelve.
ASPECTOS CLINICOS

 O sinal clássico é a queda da pelve


para o lado saudável quando em
ortostatismo sobre uma única perna
(sinal de Trendelenburg).

 Para manter o equilíbrio os pacientes


dobram a parte superior do corpo
para o lado da perna de apoio de
forma compensatória. Além disso
eles caminham com uma marcha
inclinada para o lado (marcha de
Duchenne)
Tríceps (Tricípite) sural
O músculo tríceps (tricípite) sural é um músculo de três cabeças localizado na região
dorsal da perna.
 Cabeças:
Músculo solear (1 cabeça)
Músculo gastrocnémio (2 cabeças)

 Origem
Solear: região superior do perónio, tíbia e arco tendinoso solear
Gastrocnémio: epicôndilo medial (cabeça medial) e epicôndilo lateral (cabeça lateral)
do fémur.

 Inserção: Face posterior do calcâneo, através de um tendão comum - tendão


calcaneano
 Inervação: Nervo tibial

 Movimentos
Flexão plantar na articulação superior do tornozelo.
Supinação forte da articulação inferior do tornozelo.
Origem e inserção

Músculo sóleo (solear): Origina-se na região superior da


fíbula (perónio), tíbia e arco tendíneo do sóleo (solear),
que se estende entre a tíbia e a fíbula (perónio).

Músculo gastrocnêmio (gastrocnémio): origina-se no


epicôndilo medial (cabeça medial) e epicôndilo lateral
(cabeça lateral) do fêmur. Ele sobrepõe-se quase
completamente ao músculo sóleo (solear).

No terço distal da perna tanto o músculo sóleo quanto o gastrocnémio fundem-se em


um tendão comum, o tendão de Aquiles (tendão calcaneano), que insere-se no
calcâneo posterior.
Inervação

O músculo tríceps (tricípite) sural é inervado pelo nervo tibial.


Função

 Flexão plantar na articulação superior do tornozelo, permitindo a elevação


do calcanhar contra a gravidade quando andamos ou saltamos;

 A flexão plantar fixa a perna durante a posição ortostática, e assim previne


que o corpo caia anteriormente;

 O músculo gastrocnêmio (gastrocnémio) contribui em pequena extensão


para a dobra do joelho.
ASPECTOS CLINICOS

 o músculo tríceps (tricípite) sural pode ser comprimida devido a hérnia


discal ou fratura vertebral.

 Sintomas MAIS COMUNS: são irritações e dores ao longo da nádega e


parte posterior da perna, e um fraco ou ausente reflexo tendinoso no
tendão de Aquiles.

 O tendão de Aquiles é o mais forte tendão do corpo humano. Ela está


frequentemente associada a danos prévios devido a cargas inadequadas
crónicas
Poplíteo

 Origem: Côndilo lateral do fêmur e corno posterior do menisco lateral


 Inserção: Face posterior da tíbia, superiormente à origem do músculo
solear (sóleo)
 Inervação: Nervo tibial
 Função: Desbloqueio da articulação do joelho
Origem

 O músculo poplíteo origina-se do côndilo lateral do


fêmur e do corno posterior do menisco lateral;

 Insere acima da origem do músculo solear (sóleo)


Função

 É a de estabilizar a região dorsal do joelho;

 O músculo poplíteo é responsável por reverter esta rotação terminal:


Durante a extensão do joelho, existe uma rotação lateral (externa) da tíbia em
relação ao fêmur de cerca de 5º (a chamada rotação terminal), o que bloqueia a
articulação do joelho.
ASPECTOS CLINICOS

 O músculo poplíteo pode ser lesado no âmbito de uma rutura do


ligamento cruzado anterior ou danos envolvendo o menisco lateral.