Você está na página 1de 101

Desmascarando as farsas do cristianismo de

católicos e protestantes - Parte I

Obeliscos
Símbolo mais conhecido, relacionado a adoração ao Deus Sol.

Veja, a adoração ao Deus Sol sempre foi um artifício usado por Lúcifer para
levar a humanidade à não adorar o verdadeiro DEUS, afetando também o povo
de Israel que construiu até obeliscos(descritos na Bíblia como colunas) para
adoração a Baal, o Deus Sol.

Veja abaixo alguns versículos da Bíblia Sagrada, onde DEUS manda


destruir todos Obeliscos:

(II Reis 10:25 a 27) Sucedeu que, acabado o oferecimento do


holocausto, ordenou Jeú aos da sua guarda e aos capitães: Entrai,
feri-os, que nenhum escape; e os da guarda e os capitães os
lançaram fora e penetraram no mais interior da casa de Baal,
e tiraram as colunas que estavam na casa de Baal, e as
queimaram. Também quebraram a própria coluna de Baal, e
derrubaram a casa de Baal, e a transformaram em latrinas até ao
dia de hoje. Assim Jeú exterminou de Israel a Baal.

(Oséias 10:1-2) "Israel é vide luxuriante, que dá o fruto; segundo a


abundância do seu fruto, assim multiplicou os altares; quanto
melhor a terra, tanto mais colunas fizeram. O seu coração é falso;
por isso serão culpados; o SENHOR quebrará os seus altares, e
deitará abaixo as colunas”.

Obelisco Laterano – Roma. Perceba que no cume do Obelisco


sempre existe uma forma de pirâmide.

O obelisco é uma antiga invenção egípcia. Os egípcios acreditavam que o


espírito do deus do sol, Rá, habitava no obelisco. Portanto, três vezes ao dia, se
possível, adoravam e faziam preces ao obelisco, sempre voltados para o oriente.
O maior obelisco no mundo é o monumento a Washington, na capital norte-
americana. Esse monumento foi criado pelos maçons em homenagem ao
primeiro presidente dos EUA. Para ver como o obelisco é importante para os
maçons, você somente precisa ir a um cemitério onde haja maçons enterrados e
observar os túmulos que exibem obeliscos como lápide. Texto tirado do
site:http://www.espada.eti.br/free13.asp
Veja algumas fotos que mostram obeliscos ou formas de pirâmides,
usadas por Igrejas evangélicas e católicas:

Primeira Igreja Presbiteriana de Portland - EUA

Vaticano, obelisco da Praça São Pedro.

Roma, obelisco - Igreja Santa Maria Maggiore


Igreja Mórmon

Igreja Católica

Igreja Batista
Igreja Batista em Cleveland

Igreja Católica

Igreja Metodista
Igreja Metodista de Londrina - Brasil

Igreja Católica - Roma

Os maçons também usam os obeliscos em seus túmulos, veja


abaixo:

http://www.oldcitycemetery.com/masons.htm
http://www.ohiofamilyresearch.com/masonic.jpg

http://martas.org/010123/cemetery.htm

http://www.graveaddiction.com/dalepmaso.html

Veja acima, a Basílica de São Pedro e a Praça São Pedro.


A Praça São Pedro possui o maior círculo solar da terra com as oito
etapas e o obelisco, antigo símbolo pagão, a habitação do falso deus
solar do Egito. Estude você mesmo sobre os obeliscos e a roda das
oito etapas no site Google.

Deus sempre abominou os obeliscos como visto no início do estudo.

(AT 5:29) - Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais


importa obedecer a Deus do que aos homens.

(MC 7:7) - Em vão, porém, me honram, Ensinando doutrinas que são


mandamentos de homens.

CONCLUSÃO
Os obeliscos foram criados e cultuados pelos os pagãos adoradores do falso
deus sol.

Sabemos que Deus sempre abominou e combateu os obeliscos, como vimos na


Bíblia.

Saiba que a maior abominação para Deus é a adoração ao falsodeus sol,


leia (Ezequiel 8: 16 e 17) e pegue o contexto.

O Natal
Leia abaixo o que as enciclopédias relatam sobre este dia:

A festa do Natal foi instituída oficialmente pelo Papa romano Libério no ano
354. Na verdade, a data de 25 de dezembro não se deve a um estrito aniversário
cronológico, mas sim à substituição, com motivos cristãos, das antigas festas
pagãs - onde os pagãos tributavam homenagem às falsas divindades do oriente -
- expressam o sincretismo da festividade, de acordo com as medidas de
assimilação religiosa adotadas por Constantino.

A razão provável da adoção do dia 25 de dezembro é que os primeiros cristãos


desejaram que a data coincidisse com a festa pagã dos romanos dedicada "ao
nascimento do sol inconquistado",que comemorava o solstício do inverno. No
mundo romano, a Saturnália, comemorada em 17 de dezembro, era um período
de alegria e troca de presentes. O dia 25 de dezembro era tido também como o
do nascimento do misterioso deus iraniano Mitra, osol
da virtude. (©Enciclopédia Britânica do Brasil Publicações Ltda; Artigo-Natal).
"A festa do natal não estava incluída entre as primeiras festividades da Igreja...
os primeiros indícios dela são provenientes do Egito... os costumes pagãos
relacionados com o princípio do ano se concentravam na festa
do natal". (Enciclopédia Católica, edição de 1911).

A data atual foi fixada no ano 440 d.C, afim de cristianizar grandes festas pagãs
realizadas neste dia: A festa Mitraica ( religião Persa que rivalizava com o
cristianismo nos primeiros séculos), quecelebravam o “NATALIS INVICTIS
SOLIS” (nascimento do vitorioso sol) e várias outras festividades decorrentes do
solstício de inverno, como a Saturnália em Roma e os cultos solares entre Celtas
e os Germânicos. (Enciclopédia Barsa, 1998, volume 11, pág. 274).

Na verdade, a sua instituição no ano 354 pelo Papa Libério talvez se tenha
devido à necessidade de cristianizar as festas que vários povos pagãos
celebravam por altura do solstício de inverno. Assim, em vez de proibir as festas
pagãs, forneceu-lhes um pretexto cristão.

Ver na enciclopédia on-line: http://pt.wikipedia.org/wiki/Natal

CONCLUSÃO
Mais uma vez vemos a intervenção da igreja católica ao cristianizar uma dia que
os pagãos comemoravam e cultuavam ofalso deus sol.

Você acha certo a cristianização de um dia pagão, dedicado aofalso deus sol,
que Deus disse em Ezequiel 8: 16, 17 ser uma grandeabominação?

**************************************&&&******************************************

A Árvore de Natal
Analisando a Bíblia Sagrada em Jeremias 10:2-4 - "Assim diz o Senhor: Não
aprendais o caminho das nações, nem vos espanteis com os sinais do céu;
porque deles se espantam as nações, pois os costumes dos povos são vaidade;
corta-se do bosque um madeiro e se lavra com machado pelas mãos do artífice.
Com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para
que não se mova.” · Em Jeremias 40:2-6, Isaías 44:14-17, Oséias 4:13
e Dt. 16:21, vemos que os povos, desde a antigüidade, possuíam o
costume de utilizar a madeira bem como as árvores, com fins de
idolatria. Muitas dessas árvores ou pedaços de madeira serviam para
adoração e culto doméstico. O pinheiro, símbolo natalino, possui a mesma
conotação. Deus nos ordena não imitar esse caminho nem segui-lo! Certas
pessoas se enganam ao pensar que isso significa que não faz mal ter uma
árvore de Natal. Com ela nos associamos à festividade gentílica. As idéias
referentes a árvores sagradas são muito antigas. Uma antiga fábula
babilônica falava de um pinheirinho que nasceu de um tronco morto. O
velho tronco simbolizava Ninrode morto e o novo pinheirinho
que Ninrodetinha vindo viver novamente em Tamuz!

Na Roma Antiga, os Romanos penduravam máscaras de Baco empinheiros para


comemorar uma festa chamada de "Saturnália", que coincidia com o nosso
Natal.

Enciclopédia on-line: http://pt.wikipedia.org/wiki/Natal


Veja abaixo a árvore de natal do vaticano, montada na praça de São Pedro. Ela
mede 35 metros de altura e tem 110 anos. Vaticano.

(Deut - 16:21) “Não estabelecerás poste-ídolo, plantandoqualquer


árvore junto ao altar do SENHOR teu Deus, que fizeres para ti”.

CONCLUSÃO

Deus sempre combateu o uso da árvore de natal como vimos na


Bíblia, a Igreja Católica mais uma vez passa pela autoridade de
DEUS e a santifica; e para rimar; Com quem você fica?

*********************************&&&**********************************

A Pinha
Para os pagãos, o pinheiro e a pinha simbolizam a vida eterna. Este estudo
ilustrado sobre o uso generalizado da pinha nos grupos pagãos antigos mostra
como ela também foi adotada no catolicismo romano.

Os pagãos sempre cobiçaram e buscaram a vida eterna adorando e


reverenciando diversos objetos encontrados na natureza. Esse tipo de adoração
é claro, cumpre a definição bíblica do paganismo. Veja: "Pois mudaram a
verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que
o Criador, que é bendito eternamente. Amém." [Romanos 1:25]

À medida que ingressamos no fim dos tempos, descobrimos que o


paganismo está aumentando na sociedade. Na verdade, é bem possível que
este século possa representar o auge do paganismo em toda a história.
Quem está por trás do paganismo de todos os tipos e de todas as épocas é
Satanás, de modo que não devemos ficar surpresos ao descobrir que muitas
práticas do paganismo ou do satanismo são comuns em todo o mundo.
Um dos pontos comuns da adoração pagã é o símbolo usado para
representar a vida eterna, o pinheiro, tanto pequeno como já árvore crescida.
Além disso, a pinha é reverenciada porque é o fruto produzido pelo
pinheiro. Como todas as pessoas de todas as épocas desejam viver para
sempre, o pinheiro e a pinha têm sido poderosos e antigos símbolos da vida
eterna.

Vamos examinar abaixo os vários grupos pagãos queutilizaram a


pinha em suas cerimônias, nos rituais e na arte.

A MÃO MÁGICA DE BRONZE, data do período final do Império


Romano, quando todas as formas de adivinhação, do uso da bola de
cristal até a astrologia floresceram. A mão tem símbolos, como uma
cabeça de enguia e uma pinha, da religião de mistérios romanos de
Dionísio. Os adoradores de Dionísio procuravam entrar em um
estado de frenesi, durante o qual tinham visões sobre o futuro."
[Mind and Magic, Francis X. King, Crescent, Grã-Bretanha, 1991, pg
150] Observe a pinha no polegar dessa mão. Acho muito
interessante que a pinha estava intimamente associada com essa
religião em particular, cuja ênfase estava na predição do futuro, nas
orgias sexuais e em adivinhar a sorte.

A gravura acima é de um deus Asteca segurando uma pinha e um


pinheirinho, símbolos do renascimento e do sol.
A gravura acima, do bastão com uma pinha na ponta, é um símbolo do
deus-sol Osíris, Museu Egípcio, Turin, Itália. A adoração a Osíris teve
origem no Egito, onde ele era a figura messiânica que morreu pelo bem do
povo e cuja mãe, Ísis, era adorada como a virgem-mãe. Osíris era a
falsificação egípcia de Jesus.

Esta gravura acima é de um deus alado assírio com uma pinha,


representando o poder da regeneração. A maior parte do paganismo na
história pode ser rastreada diretamente a Tamuz, na Babilônia. Semíramis,
a mãe de Tamuz, foi a primeira virgem-mãe na história mundial, e viveu
cerca de dois mil anos antes do nascimento de Jesus Cristo.

A gravura acima representa BACO, o deus da bebida segurando um bastão


que tem uma pinha na ponta. Os pagãos gostam de beber prodigamente e
se deleitam em suas bebedeiras. Portanto, não devemos ficar surpresos ao
saber que Baco é celebrado como se estivesse desejando a vida eterna, ao
mesmo tempo em que se embriaga. Você já observou que a Igreja Católica
Romana enfrenta o problema do alcoolismo entre seu clero e seus fiéis?
Além disso, países católicos, como a Irlanda, França e Itália também são
conhecidos pelo alto consumo de álcool.

Este acima é Dionísio, o deus grego, carregando um bastão com a pinha na


ponta como símbolo da fertilidade. As crianças são sempre vistas como a
extensão da vida da humanidade. Portanto, é previsível que a pinha esteja
ligada com a nova vida da concepção de filhos.

O cajado do PAPA possui a pinha do paganismo, veja:

A gravura acima a direita do papa, é a da maior pinha do mundo, localizada na


Basílica de São Pedro, no Vaticano, chamada, o Pátio da Pinha.

CONCLUSÃO
O Catolicismo romano incorporou elementos das práticas pagãs em suas
doutrinas, nos rituais, na arte e na arquitetura, na verdade e infelizmente, o
Catolicismo Romano é uma falsificação do cristianismo, pois DEUS sempre
abominou todas as práticas e costumes dos pagãos.
Imagens de Escultura
Os povos pagãos sempre representaram seus Deuses e também seus Ídolos em
imagens de escultura, isso é facilmente constatado pela história e a arqueologia.

DEUS proibiu tal prática criando o segundo mandamento dos dez,


que diz:

(Êxodo 20:4) - Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma


semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra,
nem nas águas debaixo da terra.

(Êxodo 20:5) - Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o


SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais
nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.

(Êxodo 20:6) - E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos


que guardam os meus mandamentos.

A IGREJA CATÓLICA comprometida com a política e


conseqüentemente com os pagãos que eram e ainda são a maioria
no mundo, cristianizou a prática da veneração às imagens de
escultura, e foi além, removendo de seus livros, o 2º mandamento
de DEUS. Ver Catecismo.

O Segundo Concílio de Niceia, realizado em 787, declarou a legitimidade do


que é chamado pelos atuais protestantes e evangélicos, como veneração de
imagens, definindo que segundo o ensino dos Padres da Igreja e segundo a
tradição universal da Igreja cristã, se podiam propor à veneração dos fiéis,
conjuntamente com a Cruz, as imagens da Mãe de Deus, dos Anjos e dos
Santos, tanto nas igrejas como nas casas ou ao longo dos caminhos.

Texto acima tirado da enciclopédia on-line, confira no Link abaixo:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Veneracao de imagens

A IGREJA CATÓLICA teve que dividir o 10º mandamento em dois para


compensar a perda do 2º; Veja, livro de Catecismo.

CONCLUSÃO

Perceba que a grande vítima da “paganização” do Cristianismo


ocorrida nos primeiros séculos foi à verdadeira adoração. As
perguntas “como adorar”, “quando adorar” e “a quem
adorar” tinham verdadeiras respostas antes da “paganização” do
Cristianismo. Como vimos, para conciliar pagãos e cristãos, as
imagens de escultura foram aceitas pela Igreja Católica. A forma de
adoração começava a mudar - uma terrível violação à adoração e à
lei de Deus, estava evoluindo gradativamente através da Igreja
Católica; uma nova resposta à pergunta “como adorar” estava
surgindo; O paganismo prevalecia sobre o cristianismo e a
verdadeira adoração.
Imagens e Artefatos do Sol

Veja qual é a maior abominação que Deus considera:

(Ezequiel 8:15, 16, 17, 18) - E disse-me: Vês isto, filho do homem?
Ainda tornarás a ver abominações maiores do que estas. 16- E
levou-me para o átrio interior da casa do
SENHOR, e eis que estavam à entrada do templo
do SENHOR, entre o pórtico e o altar, cerca de
vinte e cinco homens, de costas para o templo
do SENHOR, e com os rostos para o oriente; e
eles, virados para o orienteadoravam o
sol. 17- Então me disse: Vês isto, filho
do homem? Há porventura coisa mais leviana para a casa de
Judá, do que tais abominações, que fazem aqui? ...18- Por isso
também eu os tratarei com furor; o meu olho não poupará, nem
terei piedade; ainda que me gritem aos ouvidos com grande voz,
contudo não os ouvirei.

Deus manda destruir todas imagens do sol, veja abaixo.

inspirado por Deusmandou


Abaixo o rei de Israel Josias
destruir todos os objetos de culto
pagão: o: o: o:

(II Crônicas 34:7) - E,


tendo derrubado os altares, e os
bosques, e as imagens de escultura, até reduzi-
los a pó, e tendo despedaçado todas
as imagens do solem toda a terra de
Israel, então voltou para Jerusalém.

Abaixo o próprio Deus falando:

(Ezequiel 6:4) - E
serão assolados os vossos altares, e
quebradas as vossas imagens do sol e derrubarei
os vossos mortos, diante dos vossos ídolos.

algumas das muitas imagens do sol que


Veja agora
provam que a Igreja Romana trouxe do paganismo
a adoração ao sol, contradizendo a Bíblia que
repudia as imagens do sol:
Moedas Papais

Acima está FIDES, como esta retratada acima do púlpito dos


beneditinos 'Melk Monastery' no Danúbio na Áustria, feita no inicio do
século 18. Nessa FIDES' na mão esquerda está a taça dourada (em frente
da cruz) e a mão direita da mulher está a imagem pagã do sol.

Marble, bronze, white and golden stucco


Sam Pietro em Rome
Abóbada da Basílica de São Pedro

Tumulo do Papa Alexander VII – Basílica de São Pedro / Esta é a mulher do lado direito da foto do
tumulo, note a imagem do sol que ela abraça ao peito.
A Basílica do Santo Sepulcro, em Israel.

The Cloister window in Bethlehem.

Traditional birthplace of Jesus - Basilica of the Nativity, Bethlehem.

Golgatha, Basilica of the Holy Sepulchre, Jerusalem .

Homepage clique aqui e veja.


Note a imagem do sol na vestimenta do Papa
João Paulo II se prostra de joelhos perante a imagem do sol.

CONCLUSÃO
Deus sempre combateu as imagens do sol, como vimos
na Bíblia, a Igreja Católica as santifica; De que lado você
fica?

Símbolos do falso deus sol


Veja abaixo símbolos de Baal e Shamash, e compare-os com os
símbolos da Igreja Romana:
Acima está uma coluna do falso deus sol baaL, encontrada na cidade
Canaanita, Hazor, no norte de Israel, datada de 1300 anos antes da época de
Cristo. Fonte:http://azorion.tripod.com/petro_ideogram_anomalies.htm

Acima está shamash o falso deus sol Babilônico.

Fonte: Museu
Britânicohttp://www.thebritishmuseum.ac.uk/compass/ixbin/hixclie
nt
Veja abaixo a comparação dos símbolos de baal e shamash com os
da igreja romana:

Símbolo de representação do falso deus shamash.

Acima: O papa João Paulo II comemora o pentecoste, junho de 2001.

"pelo serviço fotográfico do romano L'Osservatore"


Veja acima do lado direito a missa da meia noite conduzida pelo papa, na Basílica de São
Pedro no Natal de 2000 e a esquerda o símbolo do falso deus shamash, compare a
similaridade entre os símbolos.

Abaixo a esquerda a praça São Pedro em Roma e a direita o símbolo de baal

Repare no símbolo em detalhe abaixo da estola sacerdotal usada pelos papas


Papa João Paulo II. Papa Pius XII.

Símbolo de baal. Símbolo Papal. Símbolo de shamash.

Encontrado em Hazor, Israel. deus-sol pagão Shamash.

Fonte: Universidade de Illinois, Estudos Religiosos, Hazor

Fonte: O Museu Britânico

Outros Símbolos relacionados ao falso deus Sol:

Abaixo a sua esquerda está do rei assírio Shamshi-Adad V, escultura


datada de aproximadamente 824-811 a.C. O rei carrega uma cruz
maltesa grande no seu peito, como um símbolo alternativo de
Shamash, deus do sol e da justiça.Informação tirada do site do
Museu Britânico; clique no link abaixo da foto e leia você mesmo.
Estrela de Shamshi-Adad V. Papa João Paulo II

Museu Britânico

Abaixo a sua esquerda está a escultura do rei assírio Ashurnasirpal


II (883-859 a.C); podemos ver a cruz maltesa no peito, o sol o qual
ele aponta e em seu pulso a imagem do sol mostrando a adoração
ao falso deus solshamash; No lado direito vemos o papa João
XXIII; a igualdade dos símbolos é notória em especial à da pulso /
mão.

Stele do rei Ashur-nasir-ashur-nasir-pal II John XXIII Pontífice Máximo


Museu Britãnico
Acima imagens do templo maçônico; em um lugar que eles chamam, A
QUINTA DA REGALEIRA, podemos ver o símbolo que é a variação do
símbolo de baal e a cruz maltesa deshamash, símbolo utilizado pelo
povo pagão assírio, também existe o circulo com as oito etapas,
mais informações no próprio site maçônico; clique no link ao
lado: http://www.maconaria.net/regaleira.shtml

Símbolo Papal = Símbolos Maçônicos e Shamash.

Compare mais símbolos abaixo:

Observe acima a roda das oito etapas usada para a adoração solar.
Acima estão dois exemplos de cibórios , em que são mantidas as
hóstias da eucaristia da missa católica, contém símbolos antigos
de shamash e baal.

CONCLUSÃO

A igreja Católica mostra claramente, a forte influência do


paganismo, cristianizando os símbolos dedicados ao falso deus sol.

O Domingo
Foi instituído pelo imperador romano Constantino em 7 de março de
321 d.C, como Dia do Sol ( Sunday ), dia pagão que já era observado
a longo tempo no 1º dia da semana, a Igreja Católica aderiu em 364
d.C, através do Concílio de Laodicéia, já como Domingo (dia do
Senhor) abolindo o Sábado, que eles alegaram ser somente dos
judeus.

Veja na Enciclopédia on-line:http://pt.wikipedia.org/wiki/Domingo

Na Enciclopédia Britânica podemos ler claramente:


“O mais antigo reconhecimento da observância do domingo como
uma obrigação legal é uma constituição de Constantino, de 321 d.C.,
decretando que todas as cortes de justiça, habitantes de cidades e
oficinas repousassem no (venerabili die Solis), exceção feita apenas
àqueles que estivesses ocupados em trabalho de agricultura”. -
Enciclopédia Britânica (11ª Edição.) Artigo - “Domingo".

“Constantino o Grande fez uma lei para todo o império, (321 d.C.),
instituindo que o Domingo fosse observado como dia de repouso em
todas as cidades e vilas; mas permitindo que os camponeses
prosseguissem em seus trabalhos”. - Enciclopédia Americana, artigo
Sábado.

“A idéia de transpor a solenidade do Sábado para o Domingo, é uma


idéia estranha ao cristianismo primitivo. O Domingo foi justaposto
ao Sábado”.“Foi um ecletismo político de Constantino que queria
agradar tanto a cristãos como a pagãos adoradores do sol”. A
Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. Vol. IX pág. 232 item
Domingo.

ADORADORES DO SOL

SEGUIDORES DE JESUS

Constantino promoveu a união do paganismo com o cristianismo.

veja abaixo os dois símbolos juntos:


No Concílio de Laodicéia de forma oficial e sem nenhuma intervenção
divina, o Poder Papal mudou o dia de guarda, o Sábado para o
Domingo: “Os cristãos não devem judaizar, ou estar ociosos no Sábado,
mas trabalharão nesse dia; o Dia do Senhor (Domingo), entretanto, o
honrarão especialmente; e como Cristãos não devem se possível fazer
qualquer trabalho nele. Se, porém, forem achados judaizando, serão
separados de Cristo”.(Cânon 29, do Concílio de Laodicéia, em 364 d.C.).

E O 4º MANDAMENTO MUDADO PARA O DOMINGO?

O frei Mauro responde em seu livro na pág. 65

“A Bíblia fala em guardar o Sábado como o dia do Senhor; a Igreja


manda observar o Domingo. O importante é a observância do dia do
Senhor”.

O frei diz mais: “A palavra Domingo‟‟ como designativo do dia do


Senhor (dies domini) foi usada na Igreja pela primeira vez por são
Justino”. “Bíblia: Perguntas que o povo faz”. Pág. 65

Cardeal Gibbon’s em “A Fé de Nossos Pais, 1892, pág. 89”.

“Podereis ler a Bíblia de Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis


uma única linha que autorize a santificação do Domingo. As
Escrituras ordenam a observância religiosa do Sábado”.

CATECISMO DA CONVERSÃO:

Perguntas e respostas Peter Giereaman, 1948, página 50:

Qual é o dia do Sábado?

R: É o dia de Sábado.

Porque observamos o Domingo e não o Sábado?

R: Porque a Igreja Católica transferiu a solenidade de Sábado para


Domingo.

Enciclopédia Católica, Volume 4, página 153:

A Igreja depois de trocar o dia de descanso do Sábado dos Judeus,


ou o sétimo dia da semana, para o primeiro dia, fez o terceiro
mandamento e se refere ao Domingo que seja sagrado como o Dia
do Senhor.

Karl Keating um dos mais famosos autores Católicos escreveu sobre


fundamentalismo e Protestantismo no livro -------- CATOLICISMO e
FUNDAMENTALISMO, 1988, página 38; Veja abaixo:

...os fundamentalistas se reúnem para adorar no Domingo. No


entanto ainda não existe evidências na Bíblia que a adoração
conjunta deveria ser aos Domingos. O Sábado judeu, dia de
descanso, era, naturalmente no Sábado. Foi a Igreja Católica que
decidiu que o Domingo deveria ser o dia de adoração para os
cristãos, em honra da ressurreição.
CATECISMO CONTROVERSO pág. 60, que responde as controvérsias de
diversos temas:

P: Quando os protestantes profanam o trabalho no Sábado, ou no


sétimo dia da semana, eles estão seguindo as escrituras como única
regra de fé?

R: Pelo contrário, eles têm apenas a autoridade da tradição para


está prática. Ao profanar o Sábado, eles violam um dos
mandamentos de Deus, que em seus princípios nunca foi revogado:
“Lembra-te do dia de Sábado para o santificar”.

Documento católico chamado “CANONE E TRADIÇÃO, pág. 263” relata o


seguinte:

“A autoridade da Igreja não poderia estar presa à autoridade das


Escrituras, porque a Igreja havia mudado o Sábado para o Domingo,
não por comando de Cristo, mas por sua própia autoridade”.

Versículos para reflexão:

(Mateus 15: 8, 9) “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu


coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando
doutrinas que são preceitos de homens”.

(Atos 5: 29) “ Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram:


Importa antes obedecer a Deus que aos homens.”

Veja quem admite o Domingo no cristianismo: Igreja Católica(que o


criou), Igrejas Evangélicas e Espíritas; o Ecumenismo ou união já é
uma realidade entre todas as religiões, até não cristães, através do
papa João Paulo II o ecumenismo se tornou realidade; e breve virá
a Lei Dominical que será Símbolo e Sinal da união de todas as
religiões para a “paz mundial”.

Veja dois trechos da carta do Papa “Dies Domini” de 31 de maio de 1998


que comprovam a futura observância do Domingo:

"27... De facto, uma perspicaz intuição pastoral sugeriu à Igreja de


cristianizar, aplicando-a ao domingo, a conotação de dia do
sol, expressão esta com que os romanos denominavam este dia e
que ainda aparece em algumas línguas contemporâneas,
(29) subtraindo os fiéis às seduções de cultos que divinizavam o sol
e orientando a celebração deste dia para Cristo...".

67. Por isso, é natural que os cristãos se esforcem para que, também
nas circunstâncias específicas do nosso tempo, a legislação civil
tenha em conta o seu dever de santificar o domingo. (Dies Domini,
João Paulo II, 31 de maio de 1998 - Carta Apostólica).

CONCLUSÃO
Domingo é um dia pagão dedicado ao falso deus sol, cristianizado pela Igreja
Católica e aceito por suas filhas, as Igrejas Protestantes.
A deusa mãe
Semiramis ou Maria?
O maior fenômeno religioso do século teve seu início na Babilônia!

Os líderes e o povo de Israel foram repreendidos por DEUS também por adorar
a Rainha dos Céus, deusa babilônica, veja esse versículo da Bíblia, abaixo:

(Jeremias 7:18) - Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o


fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à rainha
dos céus, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem
à ira.

REVISTA TIME, ("Serva ou Feminista?", 30/12/1991, pág.62-


66) "Entre todas as mulheres que já viveram, a mãe de Jesus Cristo
é a mais celebrada, a mais venerada... Entre os católicos romanos, a
Madona, ou Nossa Senhora, é reconhecida não somente como a Mãe
de Deus, mas também, de acordo com muitos papas, a Rainha do
Universo, rainha dos céus, trono de sabedoria e até esposa do
Espírito Santo."

Vejam uma declaração do livro "Uma Mulher Cavalga a Besta",págs. 456,


457 onde relata uma oração feita por João Paulo II:

"Com meu coração cheio de louvor para com a RAINHA DO CÉU, o


sinal da esperança e a fonte de consolo de nossa peregrinação de fé
à Jerusalém celestial, saúdo a todos vós que estais presentes nesta
solene liturgia... Esta liturgia apresenta-vos, a MARIA, como a
mulher vestida de sol... Em Maria, a vitória final da vida sobre a
morte é uma realidade...”.

Vejam um Hino e uma Oração católica abaixo muito conhecida:

Hino
Deus vos salve, virgem, senhora do mundo, rainha dos céus e das virgens,
virgem.
Estrela da manhã, Deus vos salve, cheia de graça divina, formosa e gentil.
Dai pressa, senhora, em favor do mundo, que vos...

Oração
Santa Maria, rainha dos céus, mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, senhora do
mundo, que a nenhum pecador desamparais nem desprezais, ponde,
senhora, em mim os olhos de vossa piedade e alcançai- me de vosso amado
Filho o perdão de todos os meus pecados...

Esse hino e a oração são bem conhecidos e se encontram em vários


sites católicos,
exemplo:http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=doutrina&id=747http:
//www.milicia.org.br/imaculada/index.asp?pag=oficio.htm ehttp://www.nslourdes.
hpg.ig.com.br/oracoes.htm#salverainha

Início da Adoração

Após o dilúvio, certa ocasião, Noé encontrou-se bêbado em sua


tenda e ficou despido. A Bíblia relata o acontecimento desta
maneira:

"E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez de seu pai, e fê-lo saber a ambos
seus irmãos fora. Então tomaram Sem e Jafé uma capa e puseram-
na sobre ambos os ombros, e indo virados pra trás, cobriram a
nudez do seu pai, e os seus rostos eram virados, de maneira que
não viram a nudez do pai”. Gênesis 9: 22 e 23.

Despertado Noé do seu vinho abençoou a descendência de Sem e


Jafé, mas a descendência de Cão foi amaldiçoada.

Nossa atenção volta-se especificamente para os versos 6, 8, 9 e 10


do décimo capítulo que é a descendência de Cão:

6. E os filhos de Cão são: Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã.

8."Cuxe gerou a Ninrode, o qual começou a ser poderoso na terra. Foi


valente caçador diante do Senhor; daí dizer-se: Como Ninrode, poderoso
caçador diante do Senhor. O Princípio do seu reino foi Babel,... na terra de
Sinar".

Ninrode foi o rei de Babel, a cidade erigida que desafiou o próprio Deus. A terra
de Sinar é a Mesopotâmia onde mais tarde foi erigida a cidade de Babilônia, a
outra cidade que desafiou a Deus.

A esposa de Ninrode chamava-se Semiramis. Historiadores dizem que


Semiramis era a sacerdotisa de Babel. Semiramis achou-se grávida. Porém,
antes que o filho nascesse, Ninrode morreu. Quando o menino nasceu,
Semiramis disse que o filho nascido era a reencarnação de Ninrode. É então
reconhecida como a virgem que concebeu pelos poderes dos deuses, ora, seu
bebe diz ela é a reencarnação de Ninrode. Adorada como Rhea, a "Grande Mãe"
dos deuses e Vênus a mãe de toda impureza, Semiramis assim se torna
governadora desta cidade, onde a prostituição e idolatria são consideradas
sagradas. A influência desta nova concepção espiritualista faz com que se
desenvolva uma estrutura tão poderosa quanto maligna. Esta religião alimentou
o pecado e moldou o coração humano que mesmo hoje cerca de seis mil anos
depois, vemos em nossa volta os frutos e até rituais semelhantes aos praticados
por aquela nação ancestral. A mãe e o filho passaram a ser adorados no decorrer
dos séculos, através de vários nomes diferentes.
Isis e Hórus. Divaki e Krishna.

Shing Moo. Maya e Buddha


Na Índia Semiramis se torna Divaki e Krishna, a Mãe e a Criança. No Egito Isis e
Horus, na China e Japão Shing Moo, Santa Mãe. Após milênios o paganismo
alcança dimensões geográficas jamais calculadas por seus fundadores, é
evidente que Satanás investiu toda sua mente e engano na pregação do seu
evangelho, que afinal também tem sido pregado a todo mundo, língua e povo.

Semíramis como era conhecida na Babilônia foi adorada em outras


terras, mas hoje é adorada pelo mundo pagão (oriental) e pelo
cristão (ocidental) através de Maria; confira os títulos de Semiramis
em outros povos:

● Éfeso: Diana, a mãe dos deuses.

● Scandinavia: Disa a mãe com o criança

● Grécia: Afrodite, "A Mediatriz."

● Roma: Vênus (deusa), Júpiter (criança).

● Israel: Astarot, (deusa) Baal (criança); veja na Bíblia:Juizes


2:13

Estude mais, através do site google, digitando Rainha dos Céus.

CONCLUSÃO
A Igreja Católica cristianizou uma prática bem comum aos pagãos, a
adoração a RAINHA DOS CÉUS, provocando a Ira de DEUS
em (Jeremias 7:18).
O Batismo
Você Já observou que os apóstolos, só batizavam em nome de Jesus, Porque
será? Será que eles não entenderam ou não ouviram a ordem do Mestre?
Confirme pelos textos da Bíblia, a discordância entre a ordem de Jesus e o
batismo realizado pelos seus apóstolos, abaixo:

VERSÍCULOS ABAIXO:

(Atos 2: 38; Atos 8: 12 e 16; Atos 10: 47,48; Atos 19: 5; Atos 22:
16; Efésios 4: 5; Romanos 6: 3,4; Gálatas 3:27; Col.2:11; Col.3:17).

Atos 2:38 Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um


de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de
vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.

Atos 8:12 Mas, quando creram em Filipe, que lhes pregava acerca do
reino de Deus e do nome de Jesus, batizavam-sehomens e mulheres.

Atos 10:48 Mandou, pois, que fossem batizados em nome de Jesus


Cristo. Então lhe rogaram que ficasse com eles por alguns dias.

Atos 19: 5. Quando ouviram isso, foram batizados em nome do


Senhor Jesus.

Gálatas 3:27 Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos


revestiram de Cristo.

Romanos 6:3 Ou, porventura, ignorais que todos quantos


fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?

E as enciclopédias o que dizem, veja abaixo:

ENCICLOPEDIA BRITÂNICA, 11a Edição, Vol. 3 Pg 365-366, "A fórmula


batismal foi mudada do nome de Jesus Cristo para as palavras Pai,
Filho e Espírito Santo pela Igreja Católica no 2º Século. " Volume 3
pág. 82 "Sempre nas fontes antigas menciona que o batismo era em
Nome de Jesus Cristo."

ENCICLOPEDIA DA RELIGIÃO - CANNEY, pg 53 -- "A religião primitiva


sempre batizava em Nome do Senhor Jesus até o desenvolvimento
de doutrina da trindade no 2° Século."

ENCICLOPÉDIA CATÓLICA DE 1913, Vol. 2, pg 365, “Aqui o Católico


reconhece que o batismo foi mudado pela Igreja Católica”.

ENCICLOPÉDIA DA RELIGIÃO - HASTINGS, Vol. 2 pg 377-378-389. "O


batismo cristão era administrado usando o nome de Jesus. O uso da
fórmula trinitariana de nenhuma forma foi sugerida pela história da
igreja primitiva; o batismo foi sempre em NOME do Senhor Jesus até
o tempo do mártir Justino quando a fórmula da trindade foi usada”.
Na página Hastings comentando Atos 3:28, diz: "NOME é o antigo
sinónimo de pessoa. Pagamento foi sempre feito em nome de
alguma pessoa, referindo-se a propriedade. Portanto alguém
batizado em nome de Jesus torna-se sua propriedade pessoal”.

Nova Enciclopédia Internacional, Vol. 22 pg 477, "O termo


„trindade‟ se originou com Tertuliano, padre da Igreja Católica
Romana”.

ENCICLOPÉDIA DE RELIGIÃO E ÉTICA, James Hastings, pg.384."Não


existe evidência [na história da igreja primitiva] do uso dos três
nomes."Rev. Steve Winter ATOS 4:12 "E em nenhum outro há
salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há,
dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos."

Enciclopédia Barsa, 1998, vol. 15, pág. 214. – A palavra trindade não
aparece no novo testamento, nem Jesus e seus seguidores
pensaram em contradizer o velho testamento que diz: Ouve, Israel,
o senhor nosso Deus é o único Senhor (Dt 6: 4).

Quando Começou a Mudança?

No ano 313 AD, a igreja Católica começou a batizar em nome da


Trindade, e aproximadamente no ano 500 AD, o batismo em nome
da Trindade se tornou universal. Mas foi somente em 538, pelo
decreto de Justiniano, que se tornou obrigatório as pessoas de todo
o mundo a crerem na santíssima trindade católica, com pena de
serem aprisionadas e até levadas a morte. A igreja Católica confirma
esta mudança sobre o batismo, no catecismo em inglês:

Em Cristo - A Bíblia nos diz que os Cristãos eram batizados em Cristo.


(n°6) Eles pertencem a Cristo. Em Atos dos Apóstolos (2:36; 8:16; 10:48;
19:5) nos diz: "batizando em nome de Jesus". [pessoa] - uma melhor
tradução seria: para o nome de Jesus.”[pessoa] Somente no 4° Século a
fórmula "Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" tornou-se uma
prática.

Em adição, nós vimos como a igreja primitiva batizava: Primeiro o anúncio


do Evangelho conseqüentemente Fé e o ato com o qual era selado em
forma perfeita com o batismo “em nome [pessoa] de Jesus Cristo”. Surge
o que nós chamamos de Cristãos, que significa gente relacionada de
especial forma com Cristo. Mais tarde, "no nome de Jesus" foi elaborado e
tornou-se "no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

O que diz a Bíblia de Jerusalém

A Bíblia de Jerusalém, uma das principais Bíblias impressa pela


igreja Católica, no seu comentário de rodapé, sobre Mateus 28:19
diz o seguinte:“É possível que, em sua forma precisa, essa fórmula
reflita a influência do uso litúrgico posteriormente fixado na
comunidade primitiva. Sabe-se que o livro dos Atos fala em batizar
“no nome de Jesus”(Conforme Atos 1:5; 2:38). Mais tarde deve ter-
se estabelecido a associação do batizado às três pessoas da
Trindade”.
O Que dizem os Judeus Messiânicos?

Segundo o Morê (Professor) de Judaísmo do Período do Segundo


Templo, da Universidade Hebraica de Jerusalém, David Flüsser em
seu livro Judaísmo e Origens do Cristianismo, Vol. 1, pág. 156, a
expressão "em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" não
foram mencionadas em todas as citações de Matityáhu 28:19 nos
escritos de Eusébio ANTERIORES AO CONCÍLIO CRISTÃO DE NICÉIA
(325 d.E.C.) sob a supervisão do imperador Constantino. O texto de
Matityáhu (Mateus) 28:19 antes do referido Concílio era o
seguinte: "Ide e tornai todos os gentios discípulos em Meu Nome,
ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei".

Ademais, Eusébio foi pressionado pelo bispo cristão Atanásio (que


teve participação no Concílio de Nicéia) a fazer a "inserção" Nome
do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e, caso não a fizesse, seria
exilado para a Espanhaconforme as palavras que ouví do Rabino
Joseph Shulam quando indaguei ao mesmo sobre Matityáhu
(Mateus) 28:19.

Portanto, Yeshua, sob este argumento supracitado, não fez menção


a em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo,tratando-se, pois de
um acréscimo.

Infelizmente, este fato não é do conhecimento de todos.

Cordialmente no amor do Messias Yeshua (Jesus), Fernando Oliveira


Santana Júnior
Departamento/Teológico
Ministério Ensinando de Sião – Brasil

CONCLUSÃO
Para beneficiar o dogma da trindade, a Igreja Católica adulterou o
texto de (Mateus 28: 19), pois os apóstolos somente batizavam em
nome de Jesus.
A Trindade
A história da trindade através dos tempos:
Brahma – Vishnu - Shiva

Veja abaixo algumas das trindades mais conhecidas eadoradas pela


humanidade através dos tempos:
ÍNDIA - BRAHMA, VISHNU e SHIVA.

EGITO - OSÍRIS, ÍSIS e HÓROS.

CHINA - BRAHMA, SHIVA e BUDA.

PÉRSIA - OZMUD, ARIHMAN e MITRA.

GERMÂNIA - VOTAM, FRIGA e DINAR.

GRÉCIA - ZEUS, DEMÉTER e DIONISIUS.

CANAAM - BAAL, ASTARTÈ e ADONIS.

UMBANDA - IAMBY (ZAMBY), YEMANJÁ e ORIXALÁ (ou OXALÁ).

BABILÔNIA - EA, ISTAR e TAMUZ.

CELTAS -VOLTAN, FRIGA e DINAS.

ROMANA CRISTÃ - PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO

Etc...

Tudo começou no Concílio de Nicéia:

Por volta do quarto século, alguns eclesiásticos, inclusive o jovem


arcediago Atanásio, argumentavam que Jesus e Deus eram a
mesmíssima pessoa. Por outro lado, homens tais como o presbítero
Ário apegava-se à posição bíblica, de que Jesus fora criado por Deus
e era subordinado ao seu Pai. Em 325 d.C., reuniu-se em Nicéia, na
Ásia Menor, um concílio eclesiástico convocado pelo imperador
romano Constantino para resolver tais questões. Neste concílio, o
imperador pagão Constantino favoreceu o lado de Atanásio.
Portanto, os conceitos expressos por Ário foram declarados
heréticos.

Seguiu-se então um “experimentar palavras e afiar frases” para


projetar um credo como instrumento a ser usado contra os que
afirmavam que Cristo teve início e não era consubstancial com seu
Pai. O Credo ou Símbolo de Nicéia, na sua forma original, destinava-
se claramente a combater a posição de Ário. Concluía com a
seguinte declaração, que mais tarde foi excluída do credo:

“Mas os que dizem que houve tempo em que não existia; ou que
não existia antes de ser gerado; ou que foi feito daquilo que não
teve princípio; ou que afirmam que o Filho de Deus é de qualquer
outra substância ou essência, ou criado, ou variável, ou mutável,
estes são anatemizados [amaldiçoados] pela Igreja Católica e
Apostólica.” - Cyclopedia de M'Clintock & Strong, Volume 2, páginas
559-563.
Digno de nota é também o fato de que o credo original redigido em
Nicéia não atribuiu personalidade ao Espírito Santo. Todavia,
adições posteriores, que se crê terem sido feitas pelo Concílio de
Constantinopla, em 381 d.C., fizeram isso. O credo ou símbolo
redigido em Nicéia, em 325 d.C., com as suas alterações posteriores,
passou para a história como o Credo de Nicéia. Reza do seguinte
modo:

“Creio em um só Deus, Pai onipotente, Criador do Céu e da Terra, de


todas as coisas visíveis e invisíveis. E em um só Senhor Jesus Cristo,
Filho unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos;
Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro do Deus verdadeiro;
gerado, não criado, consubstancial com seu Pai, por quem todas as
coisas foram feitas; o Qual, por causa de nós homens e por causa da
nossa salvação, desceu dos céus e, por virtude do Espírito Santo,
tomou carne da Virgem Maria e foi feito homem. Também, por nós
foi crucificado sob Pôncio Pilatos, sofreu e foi sepultado; e
ressuscitou no terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu para o
céu; está assentado à direita de seu Pai e outra vez há de vir, com
glória, para julgar os vivos e os mortos; e do seu Reino não haverá
fim. E (creio) no Espírito Santo, Senhor e vivificador, que procede do
Pai e do Filho; o qual simultaneamente com o Pai e o Filho, é
adorado e glorificado; o qual falou pelos profetas. E em uma só
Igreja Santa, Católica e Apostólica. Confesso um só batismo para a
remissão dos pecados e espero a ressurreição dos mortos e a vida
do século vindouro. Amém.”

Depois de se ler cuidadosamente o Credo de Nicéia, é interessante


notar que ainda não se define nele completamente a Trindade.
Afirma-se que o Pai e o Filho são da mesma substância, e o Espírito
Santo é chamado de “Senhor e vivificador”, mas não se diz que
estes três são “um só Deus”. Ainda havia de haver mais
“experimentar palavras e afiar frases”.

O CREDO DE ATANÁSIO

É no Credo ou Símbolo de Atanásio que se define finalmente a


Trindade. Conforme deve lembrar-se, Atanásio foi o jovem arcediago
que se destacou em apoiar os conceitos apresentados no Credo de
Nicéia. Foi também ele quem compôs este credo que leva seu nome?
Foi isto o que se acreditou por séculos, mas, por fim, provou-se
definitivamente que não é verdade.

The Faith of Christendom observa, na página 61: “A atribuição do


Credo a Atanásio foi exposta no século dezessete pelo erudito
holandês G. J. Voss. Argumentou-se, à base de evidência interna,
que o documento pode datar do período entre 381 e 428 A. D.” No
entanto, não existe nenhuma evidência certa para uma data tão
antiga para o credo. De fato, até centenas de anos depois, não
existe nenhuma referência a ele na forma completa! John J.
Moment, no seu livro sobre os credos, declara por isso
decididamente: “Atanásio já estava morto por quinhentos anos
quando apareceu.” (We Believe, página 118)

Veja como o Credo Atanasiano define a Trindade:

“. . . que adoremos um só Deus em Trindade e a Trindade na


Unidade, nem confundindo as Pessoas, nem separando a Substância.
Na verdade, uma é a Pessoa do Pai, outra a do Filho, outra a do
Espírito Santo; mas uma só é a Divindade do Pai, do Filho e do
Espírito Santo; igual a glória, coeterna a majestade. Qual é o Pai, tal
o Filho, tal o Espírito Santo. Incriado é o Pai, incriado o Filho,
incriado o Espírito Santo. Imenso é o Pai, imenso o Filho, imenso o
Espírito Santo. Eterno é o Pai, eterno o Filho, eterno o Espírito
Santo. E, no entanto, não (há) três eternos, mas um só Eterno;
assim como não (há) três incriados, nem três imensos, mas um só
incriado e um só imenso. Igualmente onipotente é o Pai, onipotente
o Filho, onipotente o Espírito Santo; e, no entanto, não (há) três
onipotentes, mas um só é o Onipotente. Assim, o Pai é Deus, o Filho
é Deus, o Espírito Santo é Deus; e, no entanto, não são três deuses,
mas Deus é um só. Assim, o Pai é Senhor, o Filho é Senhor, o
Espírito Santo é Senhor; e, no entanto, não são três senhores, mas
um só é o Senhor. Pelo que, assim como somos obrigados, na
verdade cristã, a confessar cada uma Pessoa, singularmente, como
Deus e Senhor, assim nos é proibido, pela religião católica, dizer
três Deuses ou três Senhores. O Pai por ninguém foi feito, nem
criado, nem gerado. O Filho só pelo Pai foi: não feito, nem criado,
mas gerado. O Espírito Santo, pelo Pai e pelo Filho: não foi feito,
nem criado, nem gerado, mas deles procede. Um só, portanto, é o
Pai; não três Pais; um só, o Filho; não três Filhos; um só, o Espírito
Santo; não três Espíritos Santos. E nesta Trindade nada é primeiro
ou posterior; nada maior ou menor; mas todas as três Pessoas são a
si coeternas e coiguais. Portanto, por tudo, assim como acima já foi
dito, deve ser adorada a Unidade na Trindade e a Trindade na
Unidade. Portanto, quem quiser se salvar, assim sinta (pense) da
Trindade. . . .”

Portanto, a doutrina da Trindade foi finalmente formulada a muitas


centenas de anos após a morte de Jesus Cristo. Nas palavras do
teólogo N. Leroy Norquist, os homens “experimentaram palavras,
afiaram frases, até que definiram a relação das três „pessoas‟ da
Trindade de tal modo, que finalmente podiam dizer: „A menos que
creia nisso, não é verdadeiro crente.‟” Assim se formulou, portanto,
o conceito sobre Deus adotado agora na maioria das igrejas.

Os credos, conforme aparecem neste artigo, são citados da


Exposição da Doutrina Católica, por Cyro Nunes Ferreira, 1ª edição,
Edições Paulinas.
MANUAL PARA O CATÓLICO HOJE:

Na página 16 do Manual, podemos ler sobre a Doutrina da Trindade,


veja:

O mistério da Trindade é a doutrina central da fé católica. Sobre ele estão


baseados todos os outros ensinamentos da Igreja. No Novo Testamento há
freqüente menção do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Uma leitura atenta destas
passagens escriturísticas leva-nos a uma inconfundível conclusão: cada uma
destas Pessoas é apresentada como tendo qualidades que só a Deus podem
pertencer. Mas se há apenas um só Deus, como pode ser isso?

A Igreja estudou este mistério com grande solicitude e, depois de


quatro séculos de investigações, decidiu expressar a doutrina deste
modo: Na unidade da divindade há três Pessoas - o Pai, o Filho e o Espírito
Santo - realmente distintas uma da outra. Assim, nas palavras do Credo de
Atanásio: "O Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus, e, no entanto
não são três deuses, mas um só Deus".

Abaixo Sites Católicos onde podemos ler o “Manual Católico”:

http://www.grupo.maranatha.nom.br/manual_catolico.htm

http://www.mundocatolico.org.br/doutrina.htm

A Doutrina da Trindade é contrária à razão, pois diz que o Pai é


Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus, e, no entanto não são três
deuses, mas um só Deus. Como entender isso? Diz que são pessoas
distintas e que cada um é Deus, mas, no entanto não são três
Deuses e sim um Deus, como entender isso de forma racional?

Diz Também: O Filho só pelo Pai foi: não feito, nem criado, mas
gerado.

Depois diz:

E nesta Trindade nada é primeiro ou posterior; nada maior ou


menor; mas todas as três Pessoas são a si co-eternas e co-iguais.

Toda esta confusão criada a respeito da pessoa de Deus, ocorreu


simplesmente porque os homens, deixando a simplicidade do texto
bíblico, correram atrás da sabedoria humana para aprender sobre
Deus. Teria sido muito mais sensato, ter acreditado na Bíblia quando
ela diz que:
(João 3:16) Deus amou o mundo de tal maneira que deu Filho
unigênito, para todo aquele que nele crer, não pereça, mas tenha a
vida eterna.

(I Corintios 8:6) - Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é


tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo
qual são todas as coisas, e nós por ele.

Tradução do texto da Enciclopédia Britânica:

Nem a palavra Trindade, ou a explícita doutrina tal como aparece no


Novo Testamento, nem Jesus e seus seguidores, pretenderam
contradizer a evocação (Shema) do Velho Testamento: “Ouve ó
Israel , o nosso Deus é o único Senhor”. (Deuteronômio 6: 4)

A doutrina se desenvolveu gradualmente através de vários séculos e passando


por muitas controvérsias. Inicialmente, por duas razões, a exigência do
monoteísmo herdado do Velho Testamento, e a implicação pela necessidade de
interpretar os ensinamentos da Bíblia para o paganismo Grego-Romano...

Não foi antes do 4º Século que a distinção dos três em sua


individualidade, foi juntada numa única e ortodoxa doutrina; uma
essência e 3 pessoas.

O Concílio de Nicéia em 325 declara a fórmula crucial para esta


doutrina [trindade] que o Filho é da mesma essência do Pai, embora
tenha dito muito pouco sobre o Espírito Santo. No decorrer do
seguinte meio século, Anastásio defendeu uma fórmula mais
refinada de Nicéia e lá pelo final do século, sob a liderança de Basil
de Caesarea, Gregori de Nyssa e Gregory Nazzianzus (Padres da
Capadocia) a doutrina da Trindade tomou substancialmente a forma
que é mantida desde então.

Entende-se claramente pelo texto da Enciclopédia Britânica, que a doutrina da


TRINDADE, foi desenvolvida pela Igreja Católica Romana, depois de passados
aproximadamente 300 anos da morte de Jesus, tendo forte influência do
paganismo Greco-Romano, que adorava vários Deuses.

VEJAMOS O QUE A BÍBLIA NOS DIZ SOBRE DEUS:

(Marcos 12:28-29). “... Qual é o principal de todos os


mandamentos? Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o
Senhor, nosso Deus, é o único Senhor”!

(João 17:3).“E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti,


oúnico Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.

(Tiago 2:19). “Crês, tu que Deus é um só? Fazes bem. Até os


demônios crêem, e tremem”.

(I Cor 8: 5 - 6). Pois mesmo que haja os chamados deuses, quer no


céu, quer na terra, como de fato há muitos “deuses” e muitos
“senhores”, para nós, porém, há um único Deus, o Pai, de quem
vem todas as coisas e para quem vivemos; e um só Senhor, Jesus
Cristo, por meio de quem vieram todas as coisas, e por meio de
quem vivemos.ele.

(João 4:23-24). “Mas vem a hora e já chegou, em que


osverdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em
verdade; porque são estes que o Pai procura para seus
adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o
adorem em espírito e em verdade.”

(Isaías 45:5). “Eu sou o SENHOR, e não há outro; além demim não
há Deus; eu te cingirei, ainda que não me conheces”.

(Rom. 1:7) “A todos os amados de Deus, que estais em Roma,


chamados para serdes santos, graça a vós outros e paz, da parte
de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.”

(Romanos 16:27). Ao único Deus, sábio, seja dado glória por Jesus
Cristo para todo o sempre. Amém.

(Efésios 4:6)- Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por


todos e em todos vós.

(Efésios 1:3). “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus


Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual
nas regiões celestiais em Cristo”.

(João 20:17). “Recomendou-lhe Jesus: Não me detenhas; porque


ainda não subi para meu Pai, mas vai ter com os meus irmãos e
dize-lhes: Subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso
Deus”.

(Atos 5:30). “O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, a quem vós


matastes, pendurando-o num madeiro”.

(II Tessalonicenses 2:16) - E o próprio nosso Senhor Jesus Cristo


e nosso Deus e Pai, que nos amou, e em graça nos deu uma eterna
consolação e boa esperança,

(I Timóteo 2:5). “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre


Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”.

(I Timóteo 6: 14. 15 e 16) - Que guardes este mandamento sem


mácula e repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus
Cristo; 15: A qual a seu tempo mostrará o bem-aventurado, e único
poderoso SENHOR, Rei dos reis e Senhor dos senhores;

16: Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a
quem nenhum dos homens viu nem pode ver,ao qual seja honra e
poder sempiterno. Amém. (Veja só o PAI possui a Imortalidade).
(Colossenses 3:17)- E, quanto fizerdes por palavras ou por obras,
fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus
Pai.

(Judas 25) “A ele, o único Deus, o nosso Salvador, sejam dados, por
meio de Jesus Cristo, o nosso Senhor, a glória, a grandeza, o poder e
a autoridade, desde todos os tempos, agora e para sempre! Amém!”.

(Apoc. 7:10) e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus,


que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence à salvação”.

(Apoc. 22:1) “Então me mostrou o rio da vida, brilhante como


cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro.”

(Apoc. 22:3) “Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela estará o


trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão”.

(Rom. 15:6) “para que concordemente e a uma voz glorifiqueis


ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.”

(I Cor. 1:3) “graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e
do Senhor Jesus Cristo.”

(II Cor. 1:2) “graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai,
e do Senhor Jesus Cristo.”

(II Cor. 1:3) “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o
Pai de misericórdias e Deus de toda consolação!”

(II Cor. 11:31) “O Deus e Pai do Senhor Jesus, que é eternamente


bendito, sabe que não minto.”

(Gal. 1:3) “graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e
do [nosso] Senhor Jesus Cristo”

(Efésios 1:2) “graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai,
e do Senhor Jesus Cristo.”

(Efésios 1:17) “para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai
da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno
conhecimento dele”

(Efésios 5:20) “dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai,
em nome de nosso Senhor Jesus Cristo”

(Efésios 6:23) “Paz seja com os irmãos e amor com fé, daparte
de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo”

(Fil. 1:2) “graça e paz a vós outros, da parte de Deus, nosso Pai, e
do Senhor Jesus Cristo.”
(Col. 1:3) “Damos sempre graças a Deus, Pai de nossoSenhor Jesus
Cristo, quando oramos por vós”

(I Tess.1:1) “Paulo, Silvano e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses


em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo, graça e paz a vós outros.”

(I Tess. 1:3) “recordando-nos, diante do nosso Deus e Pai, da


operosidade da vossa fé, da abnegação do vosso amor e da firmeza
da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo”

(I Tess. 3:11) “Ora, o nosso mesmo Deus e Pai, e Jesus, nosso


Senhor, dirijam-nos o caminho até vós”

(II Tess. 1:1) “Paulo, Silvano e Timóteo, à igreja dos


tessalonicenses, em Deus, nosso Pai, e no Senhor Jesus Cristo”

(II Tess. 1:2) “graça e paz a vós outros, da parte de Deus Pai e
do Senhor Jesus Cristo.”

(I Tim. 1:2) “a Timóteo, verdadeiro filho na fé, graça, misericórdia e


paz, da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.”

(II Tim. 1:2) “ao amado filho Timóteo, graça, misericórdia e paz, da
parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.”

(Filemom 1:3) “graça e paz a vós outros, da parte de Deus, nosso


Pai, e do Senhor Jesus Cristo.”

(Tito 1:4) “A Tito, verdadeiro filho, segundo a fé comum, graça e


paz, da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Salvador”.

(I Pedro 1:3) “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que,
segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva
esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os
mortos”

(II João 1:3) “a graça, a misericórdia e a paz, da parte deDeus Pai e


de Jesus Cristo, o Filho do Pai, serão conosco em verdade e amor.”

(Judas 1:1) “Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago, aos


chamados, amados em Deus Pai e guardados em Jesus Cristo”

(Apoc. 1:5-6) “e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o


Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que
nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, e
nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória
e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!”

(Filipenses 4:20) - Ora, a nosso Deus e Pai seja dada glória para
todo o sempre. Amém.
(Rom. 16:27) “ao Deus único e sábio seja dada glória, por meio
de Jesus Cristo, pelos séculos dos séculos.”

(Apoc. 12:10) “Agora, veio a salvação, o poder, o reino do


nosso Deus e a autoridade do seu Cristo.”

(Apoc. 20:6) “..serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com


ele os mil anos.”

(Apoc. 21:22) “Nela, não vi santuário, porque o seu santuário é o


Senhor, o Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.”

(I Cor. 11:3) “Mas quero que saibais que Cristo é o cabeça de todo o
homem, e o homem o cabeça da mulher, e Deus o cabeça de Cristo.”

(Efésios 5:5) “... tem herança no reino de Cristo e de Deus”.

(Filipenses 2:11) - E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o


SENHOR, para glória de Deus Pai.

(Apocalipse 1:1) - REVELAÇÃO de Jesus Cristo, a qual Deus lhe


deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem
acontecer...

Se Jesus fosse realmente Deus igual ao Pai, como a doutrina


Católica da Trindade diz, ele não poderia ter dito isto abaixo:

(Apocalipse 3:12) - A quem vencer, eu o farei coluna no templo


do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome
do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém,
que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.

Vimos acima, 54 versículos somente do Novo Testamento que nos


dá toda a base de acreditar que Deus é um só, e Pai de Jesus.

Agora veremos a seguir, Mateus 28:19 e 1ºJoão 5: 7 os dois principais


versículos usados para defender a doutrina da Trindade e descobriremos que
são adulterados pela Igreja Católica, vejaclicando na seta avançar:

Analisando Mateus 28: 19


(Mateus 28:19)- Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os
em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

Primeira falha: Os apóstolos não seguiram a ordem de JESUS, pois batizavam


somente em nome de JESUS, confira os versículos no estudo sobre o Batismo.

Será realmente que os discípulos desobedeceram a Jesus batizando cerca de


3.000 pessoas (apenas dez dias depois desta ORDEM) somente em nome de
JESUS como relata o livro de Atos?

Veja o que diz o catecismo católico abaixo:


Veja a Tradução da página 164 abaixo:

Em Cristo - A Bíblia nos diz que os Cristãos eram batizados em


Cristo. (n°6) Eles pertencem a Cristo. Em Atos dos Apóstolos (2:36;
8:16; 10:48; 19:5) nos diz: "batizando em nome de Jesus". [pessoa]
- uma melhor tradução seria: para o nome de
Jesus.”[pessoa] Somente no 4° Século a fórmula "Em nome do Pai,
e do Filho, e do Espírito Santo" tornou-se uma prática.
Veja a Tradução do 1º texto da página 166:

Em adição, nós vimos como a igreja primitiva batizava: Primeiro o


anúncio do Evangelho conseqüentemente Fé e o ato com o qual era
selado em forma perfeita com o batismo “em nome [pessoa] de
Jesus Cristo”. Surge o que nós chamamos de Cristãos, que significa
gente relacionada de especial forma com Cristo. Mais tarde, "no
nome de Jesus" foi elaborado e tornou-se "no nome do Pai, do Filho
e do Espírito Santo”.

O que diz a Bíblia de Jerusalém

A Bíblia de Jerusalém, uma das principais Bíblias impressa pela


igreja Católica, no seu comentário de rodapé, sobre Mateus 28:19
diz o seguinte: “É possível que, em sua forma precisa, essa fórmula
reflita a influência do uso litúrgico posteriormente fixado na
comunidade primitiva. Sabe-se que o livro dos Atos fala em batizar
“no nome de Jesus”(Conforme Atos 1:5; 2:38). Mais tarde deve ter-
se estabelecido a associação do batizado às três pessoas da
Trindade”.
E as enciclopédias o que dizem, veja abaixo:

ENCICLOPEDIA BRITÂNICA, 11a Edição, Vol. 3 Pg 365-366, "A fórmula


batismal foi mudada do nome de Jesus Cristo para as palavras Pai,
Filho e Espírito Santo pela Igreja Católica no 2º Século. " Volume 3
pág. 82 "Sempre nas fontes antigas menciona que o batismo era em
Nome de Jesus Cristo."

ENCICLOPEDIA DA RELIGIÃO - CANNEY, pg 53 -- "A religião primitiva


sempre batizava em Nome do Senhor Jesus até o desenvolvimento
de doutrina da trindade no 2° Século."

ENCICLOPÉDIA CATÓLICA DE 1913, Vol. 2, pg 365, “Aqui o Católico


reconhece que o batismo foi mudado pela Igreja Católica”.

ENCICLOPÉDIA DA RELIGIÃO - HASTINGS, Vol. 2 pg 377-378-389. "O batismo


cristão era administrado usando o nome de Jesus. O uso da fórmula
trinitariana de nenhuma forma foi sugerida pela história da igreja
primitiva; o batismo foi sempre em NOME do Senhor Jesus até o
tempo do mártir Justino quando a fórmula da trindade foi usada”.
Na página Hastings comentando Atos 3:28, diz: "NOME é o antigo
sinónimo de pessoa. Pagamento foi sempre feito em nome de
alguma pessoa, referindo-se a propriedade. Portanto alguém
batizado em nome de Jesus torna-se sua propriedade pessoal”.

Nova Enciclopédia Internacional, Vol. 22 pg 477, "O termo „trindade‟ se


originou com Tertuliano, padre da Igreja Católica Romana”.

ENCICLOPÉDIA DE RELIGIÃO E ÉTICA, James Hastings, pg.384."Não existe


evidência [na história da igreja primitiva] do uso dos três
nomes."Rev. Steve Winter ATOS 4:12 "E em nenhum outro há
salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há,
dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos."

Enciclopédia Barsa, 1998, vol. 15, pág. 214. – A palavra trindade não
aparece no novo testamento, nem Jesus e seus seguidores
pensaram em contradizer o velho testamento que diz: Ouve, Israel,
o senhor nosso Deus é o único Senhor (Dt 6: 4).

*********************************&&&************************************

Analisando 1º João 5: 7
1º João 5: 7 Na Bíblia Almeida Revista e Atualizada:

(1º João 5:7 e 8) Pois há três que dão testemunho [no céu: o Pai, a Palavra e o
Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra]: o
Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito”.

Note que o texto: [no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são
um. E três são os que testificam na terra], está entre colchetes porque será?

Na nota de rodapé desta Bíblia está a resposta, lemos o seguinte:

f: 5:7-8: O texto entre colchetes não aparece em diversos manuscritos.

1º João 5: 7 Na Bíblia Evangélica, da Sociedade Bíblica Internacional Lemos o


Seguinte:

(1 João 5: 7 ) "Há três que dão testemunho: o espírito, a água e o


sangue; e os três são unânimes”.

Note que nesta Bíblia evangélica, apesar de seus autores


acreditarem na doutrina Católica da Trindade, não houve o
acréscimo do texto: [no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três
são um. E três são os que testificam na terra] e sim o texto original.
A Nota de rodapé a partir do “S” diz o seguinte:

Veja o acréscimo não é encontrado em nenhum manuscrito grego anterior


ao século doze.

1º João 5: 7 Na Bíblia de Jerusalém, QUE É CATÓLICA.

(I João 5: 7) Porque três são os que testemunham: o Espírito, a água e o sangue, e os


três tendem ao mesmo fim.

A nota de roda pé diz o seguinte:


I João 5: 7 quer dizer o seguinte:

(I João 5: 7) Porque três são os que testemunham: o Espírito, a água e o sangue, e os


três tendem ao mesmo fim.

- O sangue reporta ao sistema sacrifical, e representa o sangue de Cristo;


- A água representa o batismo;

- O Espírito é o próprio Espírito de Deus concedido aos homens para que façam Sua
obra.

Ademais, o próprio contexto de I João 5:7, 8 é o "tríplice testemunho de Cristo".

CONCLUSÃO
Mateus 28:19 e 1ºJoão 5: 7, os dois principais versículos usados para defender a
doutrina da Trindade são adulterados.

De Filho Para Deus


Veja abaixo, que Jesus diz ser o Pai o único Deus, e que,reconhecer
que Deus é único, é o principal de todos os mandamentos:

(Marcos 12:28-29). “... Qual é o principal de todos os


mandamentos? Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o
Senhor, nosso Deus, é o único Senhor”!

Não é a toa que o primeiro mandamento dos Dez, dado por DEUS aos
seres humanos, é:

(Êxodo 20: 3) Não terás outros Deuses diante de mim. Note quemim é
singular.

A Igreja Católica, para beneficiar o dogma da Trindade modificou


esse mandamento que é o principal, segundo o próprio Jesus, para:

(Êxodo 20: 3) Amar a Deus sobre todas as Coisas. Note que foi omitido o
pronome mim. Veja o livro de Catecismo.

A doutrina da trindade é muito complicada para entender, diz que


é um Deus em 3 pessoas diferentes, e que essas 3 pessoas distintas
formam uma só pessoa, a pessoa de DEUS, diz também, que Jesus
só é filho de Deus enquanto esteve na terra, antes de ter vindo não
era filho, mas sim um Deus igual o Pai e ao Deus Espírito Santo,
contrariando a palavra de Deus, a Bíblia, que diz que Jesus foi
Gerado antes de toda a criação.

Veja abaixo que Jesus teve um princípio, ele foi o primeiro “Ser” gerado por
Deus não criado, e foi feito da mesma natureza e caráter de Deus, pois é
primogênito e unigênito de toda criação.

A Bíblia diz que a Sabedoria de Deus é Jesus Cristo..


(I Coríntios 1: 24) Mas para os que são chamados, tanto judeus
como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de
Deus.

Provérbio nos diz sobre a Sabedoria de DEUS = Jesus

Provérbios (8: 22 a 25) 22- O SENHOR me possuiu no princípio de


seus caminhos, desde então, e antes de suas obras.

23- Desde a eternidade fui ungida, desde o princípio, antes do


começo da terra.

24- Quando ainda não havia abismos, fui gerada, quando ainda não
havia fontes carregadas de águas.

25- Antes que os montes se houvessem assentado, antes dos


outeiros, eu fui gerada. Segundo a Bíblia Jesus é a Sabedoria de
Deus e que foi Gerado antes de toda criação.

(Salmo 2: 7) Proclamarei o decreto: o SENHOR me disse: Tu és meu


Filho, eu hoje te gerei.

(João 1.18) Deus nunca foi visto por alguém. Os Filho unigênito, que
está no seio do Pai, esse o revelou.

(João 3.16) Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu
o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça,
mas tenha a vida eterna.

Antes de ser enviado, Jesus era filho unigênito de Deus.

(AT 13:33) - Como também está escrito no salmo segundo:Meu filho


és tu, hoje te gerei.

(Hebreus 5:5)- Da mesma forma, Cristo não tomou para si a glória


de se tornar sumo sacerdote, mas Deus lhe disse: “Tu és meu Filho;
hoje te gerei”.

(I João 4.9) Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que


Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo,para que por ele
vivamos.

(I João 5:1) TODO aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de
Deus; e todo aquele que ama ao que o geroutambém ama ao que
dele é nascido.

(Colossenses. 1:15) O qual é imagem do Deus invisível, o


primogênito de toda a criação;

Primogênito = Primeiro Gerado / Unigênito = Único Gerado

(Apoc. 3:14) E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto


diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira,o princípio da criação de
Deus:

(Hebreus 5: 7 e 8)- Durante os seus dias de vida na terra, Jesus


ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com lágrimas, àquele que
o podia salvar da morte, sendo ouvido por causa da sua reverente
submissão. 8- Embora fosse Filho, ele aprendeu a obedecer por meio
daquilo que sofreu 9- e, uma vez aperfeiçoado, tornou-se a fonte de
eterna salvação para todos os que lhe obedecem, 10- sendo
designado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de
Melquisedeque.

O início do livro de Hebreus é muito claro e desvenda quem é Jesus


veja abaixo:

(Hebreus 1:1) - HAVENDO Deus antigamente falado muitas vezes, e


de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes
últimos dias pelo Filho,

(Hebreus 1:2) - A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez


também o mundo.

(Hebreus 1:3) - O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a


expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela
palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos
nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;

(Hebreus 1:4) - Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto


herdou mais excelente nome do que eles.

(Hebreus 1: 5 e 6) Porque, a qual dos anjos disse jamais:Tu és meu


Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, E ele me será
por Filho?

E ainda, quando Deus introduz o primogênito no mundo, diz: E todos


os anjos de Deus o adorem.

Nos versículos acima, se entende que Jesus antes de ter vindo ao


mundo, já era Filho de DEUS, Gerado, não criado como os Anjos, por
isso feito mais excelente que os Anjos e merecedor de um nome
mais excelente do que eles, como diz (Hebreus 1:4), e ainda quando Deus
introduz Jesus (seu primogênito) no mundo, em carne e mortal diz para todos os
Anjos que o adorem mesmo assim.

Continuando...

(Hebreus 1:8) - Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste


pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino.

(Hebreus 1:9) - Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade;por isso


Deus, o teu Deus, te ungiu Com óleo de alegria mais do que a teus
companheiros.

Notem acima, que em (Hebreus 1: 8) - Deus chama seu filho, de Deus e no


próximo versículo (Hebreus 1: 9), diz: “por isso Deus, o teu Deus”, mostrando
claramente que é superior a JESUS. Como entender essa questão?

Jesus sem dúvida nenhuma é divino, pois é filho unigênito de Deus, ele
foi gerado pelo PAI não criado, como nós e os Anjos, portanto, quando a
palavra Deus é aplicada a Jesus Cristo na Bíblia, quer dizer que ele é igual ao
PAI em natureza, caráter e propósito, pois é Gerado, tornando-se também o
nosso guia, pois é o representante do PAI, o próprio Jesus disse em (Jo-14:
9): “Quem vê a mim vê o Pai”; possui a mesma natureza, caráter e propósitoque
o Pai, mas não é O DEUS, este cargo é somente de seu PAI (O DEUS SUPREMO e
IMORTAL) que o GEROU posteriormente, segundo a Bíblia Sagrada.

(Filipenses 2:6) - Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser
igual a Deus...

Entenda que ser em forma de Deus é bem diferente de ser Deus.

Único gerado / por exemplo: filho de peixe, peixe é / filho de tigre,


tigre é/ filho de ser humano, ser humano é / filho de Deus, (DEUS
É).

Veja abaixo, que Jesus irá nos mostrar o PAI, o único que possui a
Imortalidade, a quem nenhum homem viu nem pode ver.

(I Timóteo 6: 14,15 e 16) 14: Que guardes este mandamento sem mácula e
repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus Cristo; 15: A qual a seu
tempo mostrará o bem-aventurado, e único poderoso SENHOR, Rei dos reis e
Senhor dos senhores;

16: Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem
nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno.
Amém.

(Só o Pai possui a imortalidade).

A doutrina da Trindade nega o Pai e o Filho pois


diz que Jesus só é filho enquanto esteve aqui
na terra.

(I João 2: 22-26)Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus


é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho. Todo
aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o
Filho tem igualmente o Pai. Permaneça em vós o que ouvistes desde
o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes,
também permanecereis vós no Filho e no Pai. E esta é a promessa
que Ele mesmo nos fez, a vida eterna.

A Doutrina da Trindade Nega a Morte de Cristo


no Calvário.
Verdade Bíblica

Para salvar o homem da morte eterna, Jesus Cristo pagou o preço de


seu resgate na cruz do calvário. O valor da salvação do homem era
de tal maneira elevado que apenas o Seu próprio Criador poderia
pagá-lo.

O preço de resgate do homem, em nenhum momento foi rebaixado


por Deus. O valor exigido era a vida do criador em troca da vida da
criatura. E na cruz, o preço da salvação do homem foi pago em toda
sua integralidade, em toda sua plenitude.
Houve na cruz a morte do Filho de Deus. Houve morte completa,
total, extinção plena do Filho de Deus. Na cruz, o Filho de Deus,
Jesus Cristo, morreu realmente e foi sepultado. Está é a verdade
bíblica. É assim que a Bíblia relata o acorrido com o Filho de Deus.

Versão Humana - Trindade


Apesar de a Bíblia ser claro a respeito deste assunto, o homem
criaram uma outra versão que contraria a verdade bíblica. A versão
dos homens diz que na cruz, não houve uma morte plena, não houve
uma morte real, e sim, uma meia morte, uma morte parcial.

A criação de uma morte parcial para o Filho de Deus, é decorrente


da necessidade de manter a lógica interna da Doutrina da Trindade.
Sendo Cristo coeterno com o Pai, tendo vida original, vida não
emprestada, vida não derivada da mesma maneira que o Pai, ele não
poderia estar sujeito à morte e portanto, a morte que ocorreu na
cruz, não ocorreu da mesma forma que ocorre com qualquer ser
humano.

Para que a morte de Cristo pudesse se harmonizar com a Doutrina


da Trindade, foi preciso criar uma outra fantasia, uma outra mentira
para dar lógica a primeira: A MENTIRA DAS DUAS NATUREZAS!

Sim, a doutrina que ensina que Cristo possuía duas naturezas, a


divina e a humana, é o elemento que faz a harmonia da Doutrina da
Trindade com a morte de Cristo na cruz. Dessa forma, os
trinitaristas têm na cruz uma morte parcial, incompleta, ineficaz
para pagar o preço pelo resgate do homem pecador.

Veja nesse texto abaixo como JESUS é definido na Trindade:

“A verdadeira doutrina fôra magistralmente exposta, dois anos


antes, pelo papa São Leão, numa carta que se tornaria célebre,
dirigida ao patriarca Flaviano. Referia-se aos seguintes pontos, que
continuam sendo o resumo da fé católica: 1) Em Jesus Cristo, há
uma só pessoa, a pessoa do Verbo Encarnado em nossa natureza; 2)
Nesta pessoa única do Verbo, após a encarnação, há duas naturezas,
a natureza divina e a humana, sem mistura e sem fusão possíveis;
3) Cada uma das naturezas mantém atividade própria, atividade que
exerce em comunhão com a outra; 4) Em virtude da união
substancial das duas naturezas, devemos atribuir só ao Verbo o que,
em Cristo, pertence ao Filho de Deus e ao Filho do homem”. (...)
Ensinamos unanimemente que há um só e mesmo Filho, nosso
Senhor, perfeito em sua Divindade e perfeito em sua humanidade,
verdadeiro Deus e verdadeiro homem, composto de alma racional e
de corpo, consubstancial ao Pai, segundo a Divindade e
consubstancial a nós segundo a humanidade, semelhante a nós em
tudo, exceto opecado." -- CRISTIANI, Monsenhor. Breve História das
Heresias, São Paulo, Livraria Editora Flamboyant, 1962, págs. 40-41.

Jesus: Homem de Verdade


Essa é a morte expiatória da Doutrina da Trindade veja abaixo:
Jesus Cristo não só não morreu na cruz, como Ele própriodepois de
morto voltou de algum lugar e retomou seu corpo que estava no
sepulcro e novamente deu vida à carne que estava morta.

A morte expiatória da Bíblia é outra e completamente diferente


desta acima.

Em primeiro lugar, desafiamos os defensores do trinitarismo a


encontrarem um único texto bíblico que mencione a idéia das duas
naturezas simultâneas de Cristo. Em segundo lugar, desafiamos a
encontrarem um texto que diga que Cristo Se auto ressuscitou.

O que o texto bíblico apresenta com toda clareza, é, que, Cristo


sendo Deus, existindo em forma de Deus, para salvar o homem,
torna-Se um homem como qualquer um de nós, para em tudo ser
tentado como um de nós.

Cristo ao Se encarnar, abre mão dos seus atributos divinos e os


deposita nas mãos do Pai. Cristo ao Se encarnar, Ele o faz despojado
dos atributos divinos. Ele continua sendo Filho de Deus, porque
prevalece sua primeira origem e, portanto, nunca deixou de ser
Filho de Deus. Por conseqüência, sempre foi adorado como Deus,
pois o PAI quis assim.

Na encarnação, o Verbo se fez homem. O único Filho de Deus torna-


se homem para pagar o preço do resgate do homem. A encarnação é
o início da suprema humilhação do unigênito Filho de Deus.

O Verbo Divino tornou-Se homem de uma maneira completa. O


Verbo Divino Se transformou em homem e morreu como homem.

Jesus: Homem para Sempre!


Ao tornar-Se humano, o Verbo Divino não se sujeita a alguma coisa
que seria transitória, que depois da eliminação do pecado Ele
novamente voltaria à condição anterior à encarnação. O Filho de
Deus tornou-Se homem para toda a eternidade. O sacrifício do Pai e
do Filho foi maior do que, talvez, temos percebido até o momento.

Ao encarnar-se, o Verbo de Deus não sofre mudança em Sua


pessoa e, sim, em sua natureza. A pessoa de Cristo continua sendo a
mesma ontem, hoje e eternamente, mas, houve mudança em Sua
natureza e a mudança que houve é eterna, tanto é que a Bíblia
afirma:

"Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os


homens, Cristo Jesus, homem." I Timóteo 2:5.

Leia também I Coríntios 15:12-15 e 26-28:

Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os


mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há
ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, então,
Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa
pregação, e vã, a vossa fé; e somos tidos por falsas testemunhas de
Deus, porque temos asseverado contra Deus que ele ressuscitou a
Cristo, ao qual ele não ressuscitou, se é certo que os mortos não
ressuscitam.

...O último inimigo a ser destruído é a morte. Porque todas as coisas


sujeitou debaixo dos pés. E, quando diz que todas as coisas lhe
estão sujeitas, certamente, exclui aquele que tudo lhe
subordinou. Quando, porém, todas as coisas lhe estiverem sujeitas,
então, o próprio Filho também se sujeitará àquele que todas as
coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.

A mesma mudança que houve em Jesus, haverá nos que hão de


herdar a vida eterna, só que no sentido inverso. Cristo, de corpo
espiritual, passou para corpo carnal. Nós os homens, após a
glorificação, passaremos de corpo carnal para corpo espiritual.
Passaremos de uma natureza à outra sem que haja mudança em
nossa pessoa, em nosso caráter.

Duas naturezas não simultâneas.

Este é um registro bíblico acerca da natureza de Cristo após a


ressurreição:

"Falavam ainda estas coisas quando Jesus apareceu no meio deles e


lhes disse: Paz seja convosco! Eles, porém, surpresos e
atemorizados, acreditavam estarem vendo um espírito. Mas ele lhes
disse: Por que estais perturbados? E por que sobem dúvidas ao
vosso coração? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu
mesmo; apalpai-me e verificai, porque um espírito não tem carne
nem ossos, como vedes que eu tenho. Dizendo isto, mostrou-lhes as
mãos e os pés. E, por não acreditarem eles ainda, por causa da
alegria, e estando admirados, Jesus lhes disse: Tendes aqui alguma
coisa que comer? Então, lhe apresentaram um pedaço de peixe
assado e um favo de mel. E ele comeu na presença deles." Lucas
24:36-43.

Jesus, antes da encarnação era um ser espiritual - Deus é espírito -


e após a encarnação, Cristo é um homem, um ser carnal. Como
homem, Ele intercede por nós diante do Pai. Como homem, Ele está
hoje no Santuário Celestial. Como homem de carne e osso, mas
glorificado, Ele retornará à Terra.

Não houvesse Cristo se tornado carne da nossa carne, não poderia


Ele morrer na cruz para nos salvar. Ao tornar-se homem, Cristo abre
mão de seus atributos divinos: imortalidade, onipotência,
onipresença, onisciência e os depõe às mãos do Pai, passando a ser
inteiramente dependente dEste a partir de então.

Jesus Cristo é a Pessoa Divina, o Verbo Divino que Se fez homem. O


Cristo que morreu na cruz é a Pessoa do Filho de Deus que Se fizera
homem.

Quando morto, o Filho de Deus, que Se fizera homem, deixou de


existir por completo. Durante três dias e três noites, Ele só existiu
como lembrança na mente do Pai e de todos os seres criados.
Durante aqueles três dias e três noites, o Universo ficou sem o seu
Agente Criador.
A morte que atingiu o Filho de Deus que se fizera homem, atingiu-o
em toda Sua plenitude de pessoa com natureza humana. A morte de
Cristo não foi uma encenação, como propõe a Doutrina da Trindade.
Cristo no sepulcro estava morto e completamente morto. Tão morto
que foi preciso que o Pai o chamasse à vida novamente.

Um homem morto não pode se auto-ressuscitar, a não ser que ele


não esteja morto. Por isso, Cristo morreu e o Pai O ressuscitou. Esta
é a verdade bíblica. Acreditar e ensinar algo diferente disto, é mentir
e enganar, indo além da verdade bíblica.

"Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que


Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras." I
Coríntios 15:3.

"E achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo


obediente até a morte, e morte de cruz." Filipenses 2:8.

"Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu
por nós sendo nós ainda pecadores." Romanos 5:8

"...que manifestou em Cristo, ressuscitando-o dos mortos, e pondo-


o à Sua direita nos céus." Efésios 1:20.

"Deus ressuscitou a este Jesus, do qual todos nós somos


testemunhas." Atos 2:32.

"...ao qual Deus ressuscitou, soltas as ânsias da morte, pois não era
possível que fosse retido por ela." Atos 2:24.

"E matastes o Príncipe da vida, ao qual Deus ressuscitou dos


mortos, do que nós somos testemunhas." Atos 3:15.

"Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a


nos pelo Seu poder." I Coríntios 6:14.

"Paulo, apóstolo, não da parte dos homens, nem por homem algum,
mas por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dos mortos."
Gálatas 1:1.

Cristo nunca foi uma pessoa com duas naturezas simultâneas.


Podemos, sim, afirmar que o Filho de Deus teve duas naturezas,
porém, separadas no tempo. Uma natureza antes da encarnação e
outra após a encarnação.

Antes da morte na cruz, Cristo podia voltar a ter a natureza que


possuía antes da encarnação. Isto Ele mostrou no monte da
transfiguração. Para voltar a ter a natureza de antes da encarnação,
Cristo precisava pedir que o Pai o glorificasse.

A morte na cruz sacramentou o sacríficio eterno do Filho de Deus.


Para sempre Cristo tornara-se homem. Cristo ficou para sempre
embaraçado com a humanidade.

"Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito,
para todo aquele que Nele crer, não pereça, mas tenha a vida
eterna”.João 3:16. Sem a Doutrina da Trindade, o sacrifício do Pai e
do Filho adquire uma grandeza incomensurável.

Deus permita que os sinceros enxerguem a verdade e possam


abandonar o erro. -- Elpídio da Cruz Silva.

Analisando “dogma” da Trindade


Existem várias concepções da Trindade. Parte dos trinitarianos
crêem em três pessoas divinas co-iguais e co-eternas, outros
admitem diferentes níveis hierárquicos e de natureza entre Deus
Pai, Deus Filho e o Deus Espírito Santo. Mas todos dizem ter razões
bíblicas para acreditar que existem realmente três pessoas divinas e
que esses três seres representariam um único Deus. Desse modo,
tentam livrar-se da acusação de politeísmo, isto é, o pecado da
adoração de mais de um Deus.

Tendo a Bíblia como critério de avaliação, consideremos todas essas


afirmações no Tribunal da Verdade:

1. Para serem co-iguais, as três diferentes pessoas da Trindade deveriam


possuir idêntica autoridade e plena igualdade de poder. Mas as
Escrituras Sagradas são muito claras quanto ao fato de que Deus, o Pai,
é evidentemente superior a Seu Filho.

Prova 1: O próprio Senhor Jesus refere-Se a Deus como


o"Altíssimo" (Lucas 6:35), isto é, Aquele que ocupa a posição mais
elevada, que está isolado em nível máximo, numa condição
inatingível por qualquer outro ser.

Prova 2: Jesus Cristo afirma explicitamente em João 14:28:


"Ouvistes que eu vos disse: vou e volto para junto de vós. Se me
amásseis, alegrar-vos-íeis de que eu vá para o Pai, pois o Pai é
maior do que eu."

Prova 3: Jesus também afirma categoricamente em João 13:16: "Em


verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu
senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou."

Deus, o Pai, que nos enviou Seu Filho é, portanto, obviamente,


maior do que Ele, que, repetidas vezes, como em João 5:37,
afirmou: "O Pai, que me enviou, esse mesmo é que tem dado
testemunho de mim. Jamais tendes ouvido a sua voz, nem visto a
sua forma."

Prova 4: Jesus afirma e o apóstolo Paulo inspiradamente confirma,


que Deus, o Pai, é maior do que tudo e todos: "Meu Pai,
que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las
das mãos de meu Pai." João 13:29, Versão Revista e Corrigida.
I Coríntios 15:27-28: "Porque todas as coisas sujeitou debaixo dos
pés. E, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas,
certamente, exclui aquele que tudo lhe subordinou. Quando, porém,
todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então, o próprio Filho
também se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para
que Deus seja tudo em todos.

2. Se o Espírito Santo fosse realmente uma terceira e distinta pessoa


divina, nada poderia justificar Sua omissão e ausência em textos bíblicos
como estes:

Prova 1 - I Coríntios 8:6: "Todavia, para nós há um só Deus, o Pai,


de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só
Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também,
por ele." Quando Paulo define o único Deus, ele omite qualquer
referência ao Espírito Santo.

Prova 2 - Marcos 13:32: "Mas a respeito daquele dia ou da hora


ninguém sabe; nem os anjos no céu, nem o Filho, senão o Pai."
Quando Jesus cristo, no Evangelho de Marcos, menciona aqueles
que poderiam conhecer a data de Sua volta, omite qualquer
referência ao Espírito Santo.

Prova 3 - João 16:32: "Eis que vem a hora e já é chegada, em que


sereis dispersos, cada um para sua casa, e me deixareis só;
contudo, não estou só, porque o Pai está comigo." Se o Espírito
Santo fosse uma terceira pessoa divina, não poderia "Ele" fazer
companhia para Jesus em lugar do Pai? Contudo, Jesus nem sequer
o mencionou nessa ocasião.

3. Jesus Cristo nunca é chamado "Deus Filho" no relato bíblico.

Prova 1: Tudo que fez e disse foi realizado por ordem e permissão
do Pai, a quem Ele próprio se referia como "Meu Deus" (confira em
Mateus 27:46; João 20:17; Apocalipse 3:2 e 3:12).

Prova 2: Jesus nos afirma que "o Filho nada pode fazer de si
mesmo". João 5:19. Essa idéia se repete no verso 30. "Eu nada
posso fazer de mim mesmo”.E o mesmo pensamento aparece em
João 5:17, 19, 30, 36; 8:28, 29; 9:4; 10:25, 32, 37; 14:10, 11, 31;
17:4. João registra 14 vezes em seu Evangelho, que as obras de
Jesus não foram feitas por Ele próprio, mas realizadas pelo poder de
Seu Pai.

Prova 3: Jesus nos diz que até as palavras que proferia não eram
suas próprias. Em João 12:49, Jesus afirma: "O meu ensino não é
meu, e sim daquele que me enviou”.Esse pensamento é novamente
expresso em João 7:16-18; 8:28, 29, 38; 12:49, 50; 14:24, 31;
16:15. Em nove ocasiões, João retrata Jesus revelando que as
palavras que proferia eram de Seu Pai!
Prova 4: Em João 12:44, Jesus afirma: "Quem crê em mim crê, não
em mim, mas naquele que me enviou."

4. Se o Espírito Santo fosse uma terceira e distinta pessoa divina, o Pai


não seria o pai!

Prova 1:

"Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua


mãe, desposada com José, sem que tivessem antes
coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo." Mateus 1:18.

Prova 2:

"Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu, em


sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas
receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do
Espírito Santo." Mateus 1:20.

Prova 3:

"Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder


do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o
ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus." Lucas
1:35.

5. A ausência de terminologia bíblica apropriada impede o


entendimento e aceitação da doutrina da Trindade.

Prova 1:

Exemplos de expressões-chave ausentes da Bíblia, mas encontradas


apenas nos credos: "Deus Filho", "Deus Espírito", "Deus triúno",
"Filho eterno", "Co-igual", "Co-eterno", "triunidade divina",
"Trindade", "substância" (divina) e "essência" (divina).

6. As pessoas que, inspiradas por Deus, escreveram a Bíblia em sua


linguagem original, não criam na Trindade!

Prova 1:

Os judeus eram e são uma nação estritamente monoteístas. Eles


jamais poderiam sequer imaginar "um Deus em três pessoas". E
Jesus disse que eles estavam corretos em seu culto a Deus! João
4:22: "Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que
conhecemos, porque a salvação vem dos judeus”.

7. Além de tudo isso, há vários textos bíblicos em que forçosamente a


"Trindade" deveria ter sido mencionada, caso fosse uma doutrina
verdadeira.
Prova 1:

A oração-modelo, ensinada por Jesus Cristo, não menciona a


Trindade, nem dois de seus supostos componentes ("Deus Filho" e
"Deus Espírito"), como destinatária (os) de nossas mensagens de
comunhão com o Céu. (Veja Mateus 6:9-13.).

Se você ora unicamente ao Pai e pede que o atenda em nome de


Jesus, como seu mediador, é porque, na prática, não crê na doutrina
da Trindade!

Prova 2:

Quando Jesus foi transfigurado diante de Pedro, Tiago e João, e


Moisés e Elias vieram ter com Ele, não seria mais lógico que o Pai e
o Espírito viessem confortá-lo? Por que apenas o Pai Se manifestou
naquela nuvem, dizendo "este é o Meu Filho amado, a Ele ouvi".
Veja Marcos 9:2-10.

Prova 3:

Jesus descreve o Pai como o único e verdadeiro Deus. Não deveria


Ele ter incluído também o "Deus Filho" e o "Deus Espírito", isto é, a
Trindade em João 17:1-3?.

"Tendo Jesus falado estas coisas, levantou os olhos ao céu e disse:


Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que o Filho te
glorifique a ti, assim como lhe conferiste autoridade sobre toda a
carne, a fim de que ele conceda a vida eterna a todos os que lhe
deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus
verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste."

Seu veredicto.
E então, qual é o seu veredicto? A doutrina da Trindade está no banco
dos réus e o juiz é você! Uma variedade de provas já lhe foi
apresentadas, embora existam muitas outras. Qual será sua
decisão?

Em sua avaliação, a doutrina da Trindade subsiste ao crivo das


Escrituras Sagradas? Ou está na hora de você rever suas crenças?
Um dia, todos nós estaremos em pé diante do trono do Deus único e
verdadeiro, em cuja direita assenta-Se Seu Filho. Ele é Deus zeloso,
que exige adoração exclusiva e não admite a idolatria.

Randall D. Rughes (Traduzido e adaptado por Robson Ramos)


CONCLUSÃO

Mais uma Vez a Igreja Católica Cristianizou um costume dos pagãos


adoradores do Sol, pois sabemos que na Roma Antiga se adorava,
o Deus Sol Invicto, uma divindade Trina, que todos o romanos adoravam, entre
eles o mais ilustre, O Imperador Constantino, leia você mesmo na Enciclopédia
Online, abaixo:

Click no Link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Deus_Sol_Invicto

Na verdade, chegamos a Conclusão, que a grande maioria dos ditos


“cristãos” não estão adorando o Deus Verdadeiro, e sim o Deus Sol,
a operação do erro está em seu ápice e poucos vão conseguir
enxergar verdade, e se livrar dos enganos de Lúcifer.

A Doutrina Católica da Trindade foi criada praticamente 3 séculos


depois da era cristã, os dois versículos mais utilizados para a defesa
da Doutrina Católica da Trindade(Mateus 28: 19 e I João 5: 7) são
adulterados e apócrifos.

Será que podemos ir além dos ensinos de DEUS e seu FILHO?

(II João 1: 9) Todo aquele que não permanece no ensino de Cristo, mas vai
além dele, não tem a Deus; quem permanece no ensino tem o Pai e também o
Filho.

O Triqueta
Os pagãos egípcios acreditavam nas três fases do sol, como três
evidentes manifestações da divindade suprema.

Primeira Fase - O Amanhecer.


Segunda Fase - O Zênite (meio-dia alto; o seu auge ou apogeu).
Terceira Fase - O pôr-do-sol (quando a falsa deidade do sol entra no
mundo Inferior).
Tradução: As Três Fases do deus Sol .

(Este símbolo acima é comum ser chamado ou conhecido como


Tríquetra se quiser saber mais clique no link abaixo).

http://images.google.com.br/images Triquetra

Este símbolo (o Triquetra e outras variantes como o Triskela)


representou durante a história, Deidades triunas e de filosofias
trinitarianas e outros grupos de três, como terra, vento e fogo etc.
Na mitologia Egípcia:

OSÍRIS – MARIDO ÍSIS – MULHER HÓRUS - FILHO

CONFIRME NA ENCICLOPÉDIA ON-LINE

http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8Dsis

A CAPA DO LIVRO ABAIXO É DE UM LIVRO QUE FALA SOBRE


FEITIÇARIA E BRUXARIAS.

Note o símbolo Triquetra acima.

A imagem acima é a capa de um livro chamado: "O Livro das


Sombras" ou “O livro das Magias”. É um livro que contém instruções
ensinando como fazer feitiços e encantamentos. Este livro é usado
em feitiçarias, é o livro que deu origem as séries americanas de TV
“O Companheiro” e “O Encantado”.

Dentro deste "Livro das Sombras" ou "Livro das Magias", há uma


descrição de uma variante do símbolo e significado do triskela (ou
triquetra).
Veja a Tradução abaixo:

O triskela que adorna a capa do livro das sombras de walliwells... é


um símbolo de muitas entidades triunas e de filosofias trinitarianas.

Deste modo Wicca identifica algo como as três partes da magia.

...Cronometrando e sentindo, as três fases da lua. Wiccaacrescenta outras


associações a este símbolo, como, os trigêmeos, a moça, a mãe, e a velha; as
filhas de Celtic; Bamba, Eriu, e Fodla; e até mesmo a Suprema Divindade
do cristianismo, o Pai, o Filho, e o Espírito Santo. A trindade esta inserida
dentro deste círculo contendo este símbolo como representação, algo que
propaga a reencarnação e decididamente é uma convicção firme entre
muitas bruxas tradicionais, sobressaindo entre elas os Wiccas.

A figura abaixo é a capa do livro da série de TV americana'O


Encantado':

http://www.tvacres.com/horror_witches_prue.htm
O Poder das Três

'O Poder das Três' – É um dos episódios da série de TV o


'Encantado'. Agora em um livro de capa mole. Supõe-se que estas
três irmãs são 'boas' bruxas, nesta nova série da TV.

A figura acima é do primeiro capítulo na quinta página do livro. Note


o símbolo no topo da página.

Aleister Crowley é um conhecido satanista. Ele projetou esse jogo


abaixo com base nos símbolos ou figuras dos cartões do Tarô.
Acima está a capa do Jogo.

O Hierophant é um das cartas deste jogo de cartões de Tarô. Retrata um padre, um


papa e um mágico. Note os três círculos de interseção na mão da imagem,
parecendo uma espécie de chave.
O Ás de Discos representa as forças girando. Os discos representam
a hierarquia Solar. No meio das três interseções circulares que se
encontra dentro de um pentagrama esta o nº 6 6 6.

Abaixo Símbolos e figuras utilizadas pelos amantes do ocultismo, do misticismo


e da nova era:

Esta é a tábua da Bruxa Ouija usada para comunicar-se com os


espíritos e conhecer o futuro.; Note no canto inferior esquerdo, as
linhas cruzadas de três interseções circulares, com um círculo
completo ao centro.

Abaixo você vê a capa do Livro TRINITY:

TRINDADE

Um Novo e Vivo Espiritualismo.


Trata-se de um autor cristão chamado: Jose F. Girzone, que também
produziu mais dois livros "Josué" e "O Retrato de Jesus".

Tradução do titulo da capa do livro abaixo

Construindo a Razão da Trindade ou O Sentido de Origem da Trindade

Tradução do texto abaixo do símbolo triqueta da capa do livro:

Três Questões Cruciais.

Note mais uma vez o símbolo pagão na capa deste livro cristão
acima.

Veja abaixo o símbolo pagão estampado na própria Bíblia


Protestante:
Note as capas das novas versões da Bíblia King James, usadas pela
maioria dos evangélicos protestantes americanos.

Veja abaixo, a pagina contendo os direitos autorais de publicação da


nova versão da Bíblia King James. A seguir, a tradução do ultimo
parágrafo desta pagina que fala sobre o símbolo triquetra, impresso
na capa principal desta nova versão da KJ.

Tradução do Ultimo parágrafo / Title Page Logo:

'Logotipo da Capa Principal': O triquetra (deriva-se de uma palavra latina que tem
como “significado o três") é um símbolo antigo para a Trindade. Inclui três arcos
entrelaçados, distintos, contudo igual e inseparável, simbolizando que o Pai,
Filho e Espírito Santo são três Pessoas distintas, mas um Deus indivisível”.

(Atos 17:29) "Sendo, pois, geração de Deus, não devemos pensar que
a divindade é semelhante ao ouro, à prata ou à pedra, trabalhados
pela arte e imaginação do homem".

Se nós não devemos sequer pensar em algo que possa representar a


Divindade conforme a imaginação do homem, muito mais também,
jamais deveríamos fazer uso de símbolos que estejam
comprovadamente ligados, a ciências ocultas e místicas, a feitiçaria,
a magia, a bruxaria e etc.

Veja abaixo cruzes cristãs que possuem o símbolo da TRIQUETRA


nas três extremidades usadas tanto nas igrejas católicas como nas
evangélicas:
Cruzes da Trindade:
Os remates de três círculos interseccionados representam a Trindade.
Fonte: http://www.ecclesia.com.br/biblioteca/miscelaneous /cruzes
_formas e_significados.htm

Esta imagem acima é do livrinho, que vem junto com CD que Cid
Moreira fez, quando visitou Jerusalém. Mostra diversas igrejas
Católicas.
Note o símbolo dos três círculos interseccionados que formam a
Triquetra em uma das Igrejas Católicas.

Note a cruz no centro da mesa; Basílica de São Pedro.

Note o símbolo dos três círculos interseccionados na cruz.


Note o símbolo dos três círculos interseccionados nas cruzes.

Até na estola sacerdotal do papa, o símbolo dos três círculosinterseccionados que


formam a triquetra esta presente. Em detalhes nas imagens acima.
Acima esta a capa do livro "THE TRINITY"
(A TRINDADE)Este livro foi produzido pela igreja Adventista do 7º
Dia,para tentar defender a doutrina católica da Trindade. Note o
Símbolo pagão, Triqueta, em sua capa.

Igreja Católica de Notre Dame em Paris.

Símbolos dos três círculos interseccionados que formam a triquetra em mais


uma Igreja católica no detalhe da figura a direita.

Veja o símbolo triqueta, utilizado para representar falsos divindades, acima das três portas de entrada
da Igreja Imaculada Conceição em Botafogo – RJ.
CONCLUSÃO

Como aceitar o símbolo da Triquetra dentro do Cristianismo, ou mesmo os três


círculos interseccionados, que formam a Triquetra, sabendo que esse símbolo é
usado pelos Satanistas, Bruxas e etc.

O Número 666
De onde o número 666 veio? Qual é a sua origem?

(Apoc. 13:18) “Aqui está a sabedoria. Quem tem entendimento calcule o


número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e
sessenta e seis”.(Apoc. 13:18).

A astrologia antiga dividiu os céus estrelados em 36 constelações.

O Enuma Anu Enlil - tratado cosmológico e cosmogônico


mesopotâmio - reuniu o material registrado em uma série de 60
tabuletas em escrita cuneiforme. Este tratado contava a origem do
mundo e era considerado muito importante, pelo número enorme de
cópias encontradas em todas as grandes cidades da região, bem
como na biblioteca real de Nínive. O Enuma, compilado
definitivamente no reino de Assurbanipal, atesta o reconhecimento
de 36 constelações: 12 ao norte, 12 zodiacais e 12 ao sul. Os
astrólogos da Mesopotâmia registraram milhares de Diários
Astronômicos (652 a C - 47 a C), onde anotaram os fenômenos
celestes.

Estas foram representadas através de amuletos diferentes


chamados „Sigilla Solis‟, ou o selo do sol. Estes amuletos eram
usados pelos sacerdotes pagãos e continham números, que ia do
número 1 ao 36. Por estas figuras eles acreditavam e se diziam
capazes de poder predizer eventos futuros.

A religião dos pagãos era uma mistura de religião, astrologia,


alquimia, ciência física e mental, e matemática.

Provenientes do deus sol que é a deidade suprema deles, eles


tiveram 36 deuses. Isso tudo, como resultado das três fases do Sol.

Os desenhos tirados de fotografias tomadas em 1910 mostram, com


efeito, amuletos existentes então no Museu Britânico. Eles revelam
a veneração que os antigos tinham pelo deus-sol. De um lado na
figura 1, vemos o falso deus sol em pé sobre um leão. Isto indicava a
posição do sol na constelação de Leão durante os dias quentes de
agosto. No verso está escrito: „Nachiel‟. o que significa „inteligência
dosol‟, e em 36 quadrados estão arranjados os números de 1 a 36
(ver diagrama) de tal modo que qualquer coluna, horizontal ou
verticalmente somada, e também as diagonais que se cruzam no
quadrado, dão 111. A soma das seis colunas computadas horizontal
ou verticalmente é 6 x 111, ou 666.”
Abaixo estão amuletos encontrados por arqueólogos antes da era
Cristãos, usados pelos pagãos adoradores do SOL:

Figura 1

Figura 2

Os pagãos acreditavam que estes amuletos lhes dariam proteção


contra o mal, pois eles possuíam o número do deus sol (666).

Observe na figura abaixo, a disposição dos números impressos


nestes amuletos de forma que, multiplicando-se o número de
colunas verticais pelas colunas horizontais (6 x 6) o resultado final
sempre será 36.

Somando-se os números em cada uma das linhas ou das colunas,


seja em qualquer posição vertical ou horizontal ou mesmo
transversal o resultado final será sempre 111, o que multiplicado
por 6, é igual a 666. Veja o Exemplo: Somando-se os números da
primeira coluna horizontalmente do quadro um mostrado abaixo:
6 + 32 + 3 + 34 + 35 + 1 = 111.

Ou na vertical:
6 + 7 + 19 + 18 + 25 + 36 = 111

Ou mesmo na transversal:
6 + 11 + 16 + 21 + 26 + 31 = 111
O resultado final da soma dos números de qualquer uma das linhas
ou colunas multiplicadas pelo número seis será sempre igual a 666,
o número do deus sol. Exemplo: 111 x 6 = 666.

111 x 6 = 666 – Número que representa o deus sol.

A soma de todos os números de 1 a 36 também da 666.

1 + 2 + 3 + 4 + 5 + 6 + 7 + 8 + 9 + 10 + 11 + 12 + 13 + 14 + 15 + 16 + 17 + 18 + 19 + 20 +
21 + 22 + 23 + 24 + 25 + 26 + 27 + 28 + 29 + 30 + 31 + 32 + 33 + 34 + 35 + 36 = 666

Os Pagãos somavam deste modo os números, para indicar ou


sugerir o resultado final, o número 666, como o número
representante do deus sol. O deus que eles adoravam como a
deidade suprema.

CONCLUSÃO
Qual poder que cristianizou várias práticas e festividades dedicadas
ao falso deus sol?

Resposta: Igreja Católica Romana.


A Imortalidade da Alma
A mortalidade versus a imortalidade

A PRIMEIRA MENTIRA QUE SATANÁS PREGOU, FOI A


IMORTALIDADE DA ALMA, veja:

Deus falou:

(Gênesis 2:17) - Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal,


dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente
morrerás.

A Serpente (Satanás) disse a Eva:

(Gênesis 3:4) - Então a serpente disse à mulher:Certamente não


morrereis.

O que a BÍBLIA diz:

1. COMO FOI CRIADO O HOMEM? MORTAL OU IMORTAL?

Homem é mortal

(Isaias 51:12) Eu, eu sou aquele que vos consola; quem, pois, és tu,
para que temas o homem, que é mortal, ou o filho do homem, que
não passa de erva?

Homem foi criado do pó da Terra.

A ciência comprova que os elementos encontrados no pó da terra:


oxigênio, fósforo, cloro, flúor, cálcio, ferro, magnésio‚ potássio,
manganês, se encontra presentes no organismo humano.

(Gênesis 2:7) “Então formou o Senhor Deus ao homem do pó da


terra, e lhe soprou nas narinas o fôlego da vida, e o homem passou
a ser alma vivente”.

Homem passou a ser alma vivente.

Note que ao receber o fôlego da vida o homem passou a ser alma


vivente (ser vivo). O Senhor não colocou dentro do homem a alma.
Ele se TORNOU alma vivente, e NÃO RECEBEU A ALMA. Podemos
concluir que: PÓ DA TERRA+ FOLÊGO DA VIDA = ALMA VIVENTE. A alma
é o corpo com o fôlego da vida

2 QUEM É O ÚNICO SER IMORTAL?

Deus Pai
(I Timóteo 6:14) - Que guardes este mandamento sem mácula e
repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus Cristo;
(I Timóteo 6:15) - A qual a seu tempo mostrará O bem-
aventurado, e único poderoso SENHOR, Rei dos reis e Senhor dos
senhores;

(I Timóteo 6:16) - Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita


na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver,
ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém.

3. A ALMA É IMORTAL?

A resposta da bíblia é: Não.

(Ezequiel. 18:4) Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma
do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar,
essa morrerá.

(Ezequiel. 18:20) A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará
a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça
do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele.

4. COMO MORRE A ALMA? O QUE É A MORTE?

A alma morre quando Deus retira o fôlego da vida do corpo, que


entra em estado de decomposição e se torna novamente pó.

(Ecles. 12:7) E o pó volte a terra, como o era, e o espírito volte a


Deus, que o deu.

(Gen 3:19) No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes a
terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás Gen
3:19

CORPO - FÔLEGO DA VIDA = MORTE

Note que em Eclesiastes o escritor usa o termo espírito. O que


significa isto?

A palavra espírito, usada neste verso, é traduzida como"fôlego da


vida" em (Eclesiastes 3:19). Ela vem da palavra hebraica ruach, que
quer dizer "alento", "fôlego", "respiração".

Não é como pretendem os espíritas uma parte espiritual consciente


e viva do homem que se separa do corpo por ocasião da morte; Note
que em Eclesiastes 3:19 o autor iguala a morte de homens com a
dos animais.

(Eclesiastes 3:19) Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso
mesmo também sucede aos animais, e lhes sucede a mesma coisa;
como morre um, assim morre o outro; e todos têm o mesmo fôlego,
e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque
todos são vaidade. 20 Todos vão para um lugar; todos foram feitos
do pó, e todos voltarão ao pó.
5. A QUE ESTADO A MORTE É COMPARADA?

Ao estado sono. Na Bíblia, a morte é chamada "sono" 54 vezes. A


morte é um sono sem sonhos, no qual não temos consciência de
nada.

Os escritores bíblicos tinham em mente a correta concepção do que


é a morte, neste caso aquilo que conhecemos como a primeira
morte, (primeira morte é aquela que sofremos antes do juízo final
onde os ímpios finalmente irão sofrer a Segunda morte e nunca mais
voltarão à vida). Para eles esta morte era comparada a um sono. O
próprio Cristo fez esta comparação, ao se referir a Lázaro, como se
ele estive dormindo, quando o mesmo já se encontrava morto.

(João 11: 11-14) „‟Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo
Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo. Disseram-lhe, pois, os
discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Jesus, porém, falara com
respeito à morte de Lázaro; mas eles supunham que tivesse falado
do repouso do sono. Então, Jesus lhes disse claramente: Lázaro
morreu; Paulo também sempre que se referia a morte como um
sono. Não mencionava que as pessoas estavam mortas, mas sim
dormindo.

(I Corintios 15:6) - Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos
irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem
também;

(I Corintios 15:20) - Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os


mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.

(I Corintios 15:51) - Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem


todos dormiremos, mas todos seremos transformados;

(I Tessalonicenses 4:13) - Não quero, porém, irmãos, que sejais


ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos
entristeçais, como os demais, que não têm esperança.

(I Tessalonicenses 4:14) - Porque, se cremos que Jesus morreu e


ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os
tornará a trazer com ele.

(I Tessalonicenses 4:15) - Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do


Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não
precederão os que dormem.

6. OS MORTOS TÊM CONSCIÊNCIA? OS MORTOS SABEM O QUE ACONTECE


NO MUNDO DOS VIVOS? PODEM ELES INTERFERIR NOS ASSUNTOS DESTE
MUNDO? PODEM OS MORTOS PREVER O FUTURO?

Por que esta comparação da morte com o sono? Por que quem está
dormindo está inconsciente em algum momento irá despertar. Se os
mortos estão dormindo, não podem revelar o futuro nem auxiliar os
que estão vivos. Vários textos bíblicos indicam que os mortos não
sabem de nada e não interferem nas coisas deste mundo. Não sabem o
que se passa entre os vivos:

(Eclesiastes 9:5,6, 10) "Porque os vivos sabem que hão de morrer,


mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles
recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento. Também o
seu amor, o seu ódio, e a sua inveja já pereceram, e já não têm
parte alguma para sempre, em coisa alguma do que se faz debaixo
do sol... Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as
tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra
nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. não
louvam ao Senhor

(Salmo 115:17) Os mortos não louvam ao SENHOR, nem os que


descem ao silêncio.

Não pensam:

(Salmos 146:4) Sai-lhe o espírito, volta para a terra; naquele mesmo


dia perecem os seus pensamentos.

7. ONDE ESTÃO OS MORTOS?

Os bons Não estão no Céu.

Se os mortos estivessem no Céu, certamente louvariam a Deus; mas


este texto declara que eles partiram para o silêncio.

(Salmos 115:17) "Os mortos não louvam o Senhor, nem os que


descem a região do silêncio”.

Os maus Não estão no inferno.

Pois ainda ninguém recebeu a recompensa por seus atos, nem os


bons nem os maus. Isto acontecerá no futuro, quando Cristo voltar a
Terra, em duas etapas, os justos receberem sua recompensa na
ressurreição da vida e os ímpios na ressurreição da condenação (o
juízo final).

(Apocalipse 22:12) E eis que venho sem demora, e comigo está o


galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras.
(Galardão significa recompensa)

Estão dormindo no pó da terra. Estão nos túmulos!

(João 5:28) Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que
todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz

A palavra cemitério significa dormitório. Remontando à etimologia


da palavra cemitério (do grego koimetérion, 'dormitório'; pelo lat.
Coemeteriu, recinto onde se enterram e guardam os mortos).

(João 20:17) Quando Jesus ressuscitou ao terceiro dia, disse a


Maria: "Não me detenhas; porque ainda não subi para meu Pai..."

Ele morreu, Seu corpo ficou descansando na sepultura durante os


três dias antes do arrebatamento.

CONCLUSÃO
I Tessalonicenses 4:13-18."Irmãos, não queremos que sejais ignorantes
com respeito aos que dormem, como os que não tem esperança...porquanto o
Senhor mesmo dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo e ressoada
a trombeta de Deus, descerá dos céus e os mortos em Cristo ressuscitarão
primeiro, depois nós os vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas
nuvens para o encontro do Senhor nos ares e assim estaremos para sempre com
o Senhor".

Então, Qualquer aparição fantástica de pessoas mortas, não passa


de anjos caídos que vieram com Lúcifer para enganar a humanidade
com sinais e mentiras, como está escrito na bíblia:

II Coríntios 11:14 "E não é de se admirar porque o próprio Satanás se


transforma em anjo de luz".

Galátas 1:8: "Mas ainda que nós, ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue
evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja maldito".

Os santos subirão no céu no dia da volta de Jesus quando serão


ressuscitados. O Rei Davi e o Profeta Daniel, assim como Maria, não
foram ressuscitados ainda. Apenas um seleto grupo de pessoas
foram ressuscitadas antes da segunda vinda. Não podemos nos
esquecer que o céu não está vazio por causa disso. Os seus
habitantes naturais são os anjos que contam milhões de milhões (Daniel
7:10).

O Crucifixo Vergado

Observe o crucifixo que o papa João


Paulo II está mostrando para o público,
na foto acima. É um crucifixo conhecido
como "Cruz Vergada". Mas o que isso
significa? Para as respostas a essa
pergunta, vejamos o que diz o autor
católico Piers Compton, em seu livro The
Broken Cross: Hidden Hand in the
Vatican, Neville Spearman, 1981:

Este crucifixo vergado é “... um símbolo sinistro, usado pelos


satanistas no século VI, que foi novamente colocado em uso ao
tempo do Concílio Vaticano II. Nesse crucifixo vergado, era exibida
uma figura repulsiva e distorcida de Cristo, que todos os praticantes
de magia negra e feiticeiros da Idade Média usavam para
representar o termo bíblico "Marca da Besta". Entretanto, não
somente o papa Paulo VI, mas seus sucessores, os dois João Paulo,
carregavam esse objeto e o exibiam para ser reverenciado pelas
multidões, que não tinham a menor idéia que representa o
Anticristo." (pg 72). Na página 56, Compton mostra uma fotografia
do papa João Paulo II, segurando essa cruz vergada, exatamente
como mostramos aqui.
Texto acima tirado do site: http://www.espada.eti.br

CONCLUSÃO
O que aconteceu realmente foi que para ser melhor aceita entre os
pagãos, que eram maioria no mundo, a Igreja Católica
“sabiamente” cristianizou várias práticas pagães, como por
exemplo:

1 - O DIA do SOL = SUNDAY = DOMINGO = DIA PAGÃO.

2- DIA 25 de DEZEMBRO = NATAL = FESTA PAGÃ.

3- ÁRVORE DE NATAL = PRÁTICA PAGÃ.

4- IMAGENS DE ESCULTURA = PRÁTICA PAGÃ

5- TRINDADE= PRÁTICA PAGÃ

6- IMORTALIDADE DA ALMA = CRENÇA PAGÃ

7- ADORAÇÃO A DEUSA MÃE = PRÁTICA PAGÃ

8- USO DE CRUZES = PRÁTICA PAGÃ

9- USO DE PINHAS = PRÁTICA PAGÃ

10- OBELISCOS = PRÁTICA PAGÃ

11- IMAGENS E ARTEFATOS DO SOL = PRÁTICA PAGÃ

12- SIMBOLO DA TRIQUETRA = SIMBOLO PAGÃO

13- USO DA MITRA(CHAPÉU DO PAPA) = PRÁTICA PAGÃ

14- CRUCIFIXO VERGADO = PRÁTICA PAGÃ

15- etc...

QUEM É A BESTA?

(DN 7: 25) - E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os


santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei;

1- Proferirá palavras contra o Altíssimo.

Em vários documentos ao longo da história o papado se diz ser igual


e até superior a Deus; Veja um dos mais conhecidos: No Ano 1215, o
Papa Inocêncio III, por decreto instituiu a Transubstanciação, mas
tarde foi Definida no Concílio de Trento no ano 1551. A
Transubstanciação representa a mudança do pão e vinho da ceia,
que Jesus disse ser o seu corpo e o seu sangue, para a hóstia,
através do poder dos sacerdotes que diziam “Hoc est corpus meum”,
acreditando ter criado a Jesus (corpo e sangue) na hóstia:

Papa Pio IX se vangloriava desse dogma dizendo: “Não somos simples


mortais, somos superiores a Maria. Ela deu á luz só a um Cristo, mas nós
podemos fazer quantos cristos quisermos;nós, os padres, criamos o próprio
Deus”.Continua o Papa... “Assim pode o sacerdote, de certo modo, ser
chamado de criador do Criador, visto como, ao dizer as palavras da
consagração, ele cria, como sempre acontece, Jesus no sacramento, dando-
lhe existência sacramental, produzindo-o como vítima a ser imolada ao Pai
eterno. Pois, para criar o mundo a palavra que deus falou foi suficiente:
“Fiat!”. Ele falou e tudo se fez. Então, basta o sacerdote dizer “Hoc est
corpusmeum” e logo o pão não será mais pão, mas o corpo de Jesus Cristo.
O poder do sacerdote, diz São Bernardino, é o poder da pessoa divina, pois
a transubstanciação exige muito mais poder do que a criação do mundo.”

Vejamos abaixo outros documentos Católicos onde vemos a


arrogância Papal com relação a DEUS:

“O supremo ensinador na Igreja é o pontífice romano. A união das


mentes, portanto, requer ... completa submissão e obediência à
vontade da Igreja e ao pontífice romano,como se fosse ao próprio
Deus.” Papa Leão XIII na Encíclica Sobre os Principais Deveres dos
Cristãos enquanto Cidadãos datada de 10/01/1890

“Nós [os Papas] ocupamos nesta Terra o lugar do Deus Altíssimo”. A


Reunião da Cristandade, 20/06/1894, o mesmo Papa Leão XIII.

“O Papa não apenas é representante de Jesus Cristo, masele é Jesus


Cristo, oculto sob o véu da carne”. The Catholic National, julho de
1895.

“Com respeito ao corpo místico de Cristo, ou seja, todo fiel, o


sacerdote tem o poder da chave, ou o poder de libertar pecadores do
inferno, ou fazer com que mereçam o paraíso, e de transformá-los
de escravos de Satanás em filhos de Deus. E o próprio Deus é
obrigado a submeter-se ao julgamento de seus sacerdotes”. Dignity
and Duties of the Priests or Selva de St.Alphonsus De Leguorl,
pág.27.

“Vós sois o Pastor, vós sois o Médico, vós sois o Governador, vós
sois o Chefe da família, enfim, vós sois um outro Deus na Terra (em
latim: tu enim pastor, ... tu denique alter Deus in terris). 1512, 5º
Concílio de Latrão, Cristóvão Marcellus disse ao belicoso Papa Júlio
II que não recusou as honrarias.

2- Destruirá os santos do Altíssimo.

O chamado “Santo Ofício”ou Inquisição matou milhares de cristãos


sinceros, que foram caçados e considerados “bruxos” por ter, ler,
traduzir ou pregar usando a Bíblia (só os padres podiam ler a Bíblia)
e também não concordar com “sã doutrina Católica”. Vários
cientistas foram mortos também; foram séculos de atraso para a
humanidade.Estude sobre Martin Lutero, se possível veja o filme.

Veja na Enciclopédia
online:http://pt.wikipedia.org/wiki/Inquisi%C3%A7%C3%A3o

A Ordem Jesuíta foi fundada pelo ex-soldado espanhol Inácio de Loyola, para
combater as Reformas Protestantes, seguindo à risca todos os dogmas do Concilio
de Trento, o que fez, desde a sua fundação oficial, em
1540. (Enciclopédia Britânica (9ª Edição.) Artigo - Jesuítas).

“Santo” Inácio de Loyola”.

Seus principais objetivos eram e em parte ainda são:

1. Destruir as três grandes religiões, que não obedecem ao papa,


isto é, a Igreja Ortodoxa (Grega e Russa), o Islamismo e,
principalmente, o Protestantismo. Destruir, também, o povo judeu e
todos os dissidentes de Roma considerados hereges.

2. Criar uma Nova Ordem Mundial, através da dissolução de todos


os governos democráticos e liberais, a fim de estabelecer um
governo absolutista único, sob a égide do papa de Roma, como na
Era das Trevas.

3. Construir o Templo de Salomão em Jerusalém, de onde o papa de


Roma governaria o mundo, econômica, política e espiritualmente,
através do Papa Negro (Líder dos padres Jesuítas).

Veja o juramento dos “padres” Jesuítas abaixo:

Eu, portanto declaro, que ajudarei e assistirei e aconselharei todo ou


qualquer agente de sua Santidade em qualquer lugar onde quer que
se encontre, e darei meu melhor para extirpar os hereges
Protestantes ou doutrinas Liberais e destruir toda pretensão de
poderes, legal ou outros.

Eu também prometo e declaro, que não obstante sou excluído de


assumir qualquer religião herética, a fim de propagar o interesse da
Igreja Mãe para assim manter segredo e assegurar em privado
todos seus comitês, vezes após vezes o quanto eles me instruírem e
não divulgar diretamente ou indiretamente, por palavra, escrita, ou
qualquer circunstâncias; mas executar tudo que for dado em
cobrança ou descoberto perante mim, por você, meu pai espiritual...

Eu prometo e declaro, que não terei opinião ou desejo de mim


próprio, ou qualquer reserva pessoal, mesmo perante um cadáver,
defunto, sem hesitação obedecerei cada e toda ordem que eu possa
vir a receber de meus superiores na Milícia do Papa e Jesus Cristo.
Que irei a qualquer parte do mundo, por qualquer coisa que tenha
de fazer, sem murmurar e serei submisso em todas coisas que
porventura me comunicarem...

Eu prometo e declaro, que eu, quando as oportunidades se


apresentarem, farei guerra sem qualquer piedade, secretamente ou
abertamente, contra todos os hereges, Protestantes e Liberais,
assim como sou dirigido para extirpar e exterminar eles da face de
toda a terra, e que não pouparei seja sexo, idade, nem condição, e
enforcarei, estrangularei, esfolarei, ferverei, esmiuçarei e enterrarei
vivo estes infames hereges; abrirei os estômagos e úteros de suas
mulheres e esmagarei as cabeças de seus bebês contra a parede,
em ordem de aniquilar para sempre esta abominável raça.

Quando tal não puder ser feito abertamente, eu usarei secretamente


veneno, estrangulamento, punhal, balas de chumbo, sem considerar
honra, posição, dignidade ou autoridade da pessoa ou pessoas
qualquer que seja sua condição na vida, pública ou privada, por
qualquer momento que eu seja ordenado para fazer por qualquer
agente do Papa ou superiores da Irmandade da Santa Fé da
Sociedade de Jesus. Extrato Jesuíta “Extreme Oath of Induction” (Juramento
de extrema indução) gravado no "Protocolo do Congresso dos Estados Unidos
da América".(House Bill 1523, caso da eleição contestada de Eugene C.
Bonniwell, contra Thos. S. Butler, 15 de fevereiro de 1913, páginas 3215-16).

Veja abaixo fotos do católico Hitler e tire suas própias conclusões:


http://www.nobeliefs.com/nazis.htm
Hitler era católico praticante.

Em 20 de Abril de 1939, o Arcebispo Cesare Orsenigo, núncio Papal em Berlin,


celebra o aniversário de Hitler.

Cardeal marcha com os nazistas. Sacerdotes saudando Hitler.

Bispos Católicos em Saudação a Hitler. Hitler saúda o Bispo do Reitch.

Com fotos é difícil brigar

Hitler não escondia a que religião seguia, e o gosto de que a Igreja Católica fosse
enaltecida.
IGREJA & ESTADO, Hitler na frente da “igreja de nossa senhora” em Nuremberg, Sept. 1934.
Fotógrafo, Heinrich Hoffmann. A direita uma Freira pedindo autografo a Hitler.

O casamento de Hermann Göring e Emmy Sonnemann, uma estrela


famosa da ópera. Adolf Hitler está na fileira dianteira como o
“melhor homem” durante a cerimônia na catedral pelo Arcebispo
Müller.

Exército marrom de Hitler que assiste a missa e depois deixa a


igreja. Estas fotos foram publicadas por Nazistas durante o reino de
Hitler.
Reich Bishop Ludwig Müller, Berlin , 1934. Bispo nacional Friedrich Coch dando e
recebendo cumprimento nazista em 10 dezembro 1933.

Na juventude Hitler era pintor, veja algumas obras que não deixam
dúvidas sobre sua religião, abaixo:

Fonte : http://www.nobeliefs.com/mementoes.htm

IGRJA-KARLS, VIENA, 1912, MARIA E JESUS,

Fonte das pinturas : http://www.nobeliefs.com/mementoes.htm

Veja abaixo Artefatos Nazistas, e notem a mistura dos símbolos católicos com os
nazistas, e o Sol do paganismo:

Fonte: http://www.snyderstreasures.com/pages/tinnies.htm

Navy (Kriegsmarine) chaplain's cap (Source: Uniforms & Militaria)

Schlageter pin badge Brass die struck badge with a soldered spring pin.(Source: Snyder's
Treasures, militaria collectables)

Schlageter pin badge Steel die struck badge with a soldered spring pin.(Source: Snyder's
Treasures, militaria collectables)
(Frauenschaft Badge) (Hitler and mother with the Mutterkreuz.)

(Source: Germania International)

Heimetfest event badge 1934 (Source: Snyder's Treasures, militaria collectables)

German Christian Movement Badge (Source: Dan Kelley's Treasures of the Third Reich)

Nazi Church Coin / (Mixing Church & State)

(Source: WW2 Online Catalog)


.

GTB-235 German Luther

GTB-223 / WWII 18 Okt. 1817-1935 Stuttgart Badge

GTC-21 / German NSDAP

Como vimos Hitler e a Igreja Católica sempre andaram Juntos; ao


todo morreram 6 milhões de Judeus, pense nisso!!!

Veja como os Jesuítas atuam até hoje no mundo e se surpreendam;


através do Ex Padre Jesuíta Alberto Rivera,falecido em 29 de Julho
de 1997 que contou tudo. Veja sites abaixo editora Chick
Publications que Alberto Rivera escolheu para editar sua biografia
de vida:

http://boanova.tripod.com/alberto.htm

http://www.cacp.org.br/cat-papa-negro.htm

Veja alguns instrumentos de tortura usados pela Igreja Católica na


chamada: “SANTA INQUISIÇÃO”:

1. Cadeira de Inquisição - O “herege” deveria sentar-se


nu e com mínimo movimento os pregos penetravam no
corpo provocando efeito terrível. Em outras versões, a
cadeira apresentava o assento de ferro, que podia ser
aquecido até ficar em brasas (era aquecido com uma
fogueira por baixo).

2. A Roda Vertical – O “herege” era amarrado com as


costas na parte externa da roda. No chão, colocavam-se
brasas incandescentes ou laminas cortantes. O carrasco,
girando lentamente a roda, fazia com que o réu morresse
praticamente "assado” ou de hemorragia.
3. As Esmaga-Cabeças - Compunham-se de um
capacete e de uma barra na qual se colocava o queixo
do torturado. Em seguida, por meio de um parafuso,
ia-se apertando o capacete, comprimindo a cabeça do
indivíduo de encontro da barra, no sentido vertical.
O resultado era arrasador: primeiro destroçavam-se
os alvéolos dentários; depois as mandíbulas e
finalmente, caso a tortura não cessasse, os olhos
saltavam das órbitas e o cérebro vazava pelo crânio
fraturado.

4. Destruidor de Joelhos

5. A "Forquilha do Herege” - Era encaixada abaixo


do queixo e sobre a parte alta do tórax, e presa com
um colar no pescoço. As pontas penetravam na carne
com tormentos muito fortes. Esta tortura era muito
comum de 1200 - 1600.

6. A Pêra - oral, retal ou vaginal.

7. Garras de Gato.

8. Esmaga-seios.
9. Esmaga-Polegares.

10. O Berço de Judas - Consistia em suspender a


vítima sobre uma pirâmide, fazendo-a sentar com
maior ou menor velocidade no bico afiado da
pirâmide, desta forma, atingia o ânus, a vagina, a
base do saco escrotal, ou as últimas vértebras do
coaxe.

11. Donzela de Ferro ou "Virgem deNuremberg".

O fato de que a Igreja Católica Romana foi compelida a pedir perdão no


documento Memória e Reconciliação de 12 de Março de 2000, por seus
pecados pela perseguição feita no passado, confirma uma mãe
perseguidora e apóstata responsável pelo sangue dos santos descritos
no apocalipse.
Fotos do Museu da Inquisição

3- Cuidará em mudar os tempos.

Segundo a Escritura Sagrada, o dia (de 24 horas) começa em um pôr


do sol e termina no pôr do sol seguinte. Mas no Calendário
Gregoriano não é assim. Começa as zero hora e termina às 24 horas
(de meia noite à meia noite).

“Gregório XIII (1502-1585), papa italiano (1572-1585).Criou o


calendário gregoriano em 24 de Fevereiro do ano1582, sistema
ainda vigente nos dias de hoje. - (“ Gregório XIII” Enciclopédia®
Microsoft® Encarta. © 1993-1999 Microsoft Corporation. Todos os
direitos reservados).

Os romanos adotaram também a meia-noite para o início do dia, uso


que é seguido pelo calendário gregoriano, de origem romana. –
("ENCICLOPÉDIA MIRADOR INTERNACIONAL. Vol. 5. São Paulo –
SP e Enciclopédia Britânica do Brasil Publicações Ltda. 1979, pág.
1924”).

– O calendário gregoriano foi sendo adotado lentamente em toda a


Europa. Hoje é válido em quase todo o mundo ocidental e em partes
da Ásia.

Você mesmo pode estudar na Enciclopédia Wikipédia on-


line: http://pt.wikipedia.org/wiki/Calendrio gregoriano

Devemos considerar, importantes para profecia, tanto às mudanças


feita por Gregório XIII, na instituição do calendário gregoriano e
quanto a aceitação do Papado aodia do sol que foi adotado logo
após como Domingo(dia do Senhor); Porque os dois contribuíram
para o cumprimento da profecia de Daniel 7:25, durante o período
de domínio de Roma Papal.

4- Cuidará em mudar a Lei

Vemos que o poder papal mudou o 1º mandamento tirando a


palavra mim, para beneficiar a doutrina da Trindade, retirou
também dos Dez Mandamentos o 2º, mudou o 4º e para compensar
a perda do 2º dividiu o 10º mandamento em dois.

1 Não terás outros deuses diante Amar a Deus sobre todas as coisas.
demim.
2 Não farás para ti imagem escultura, 2-Não tomarás o nome do Senhor teu
nem semelhança alguma... Não te Deus em vão.
encurvarás diante delas, nem as
servirás.
3 Não tomarás o nome do Senhor teu 3-Guardai domingos, Festas e feriados.
Deus em vão.
4 Lembra-te do dia do sábado, para o 4-Honra a teu pai e a tua mãe.
santificar. Seis dias trabalharás, e
farás toda a tua obra. Mas o sétimo
dia é o sábado do SENHOR teu
Deus; não farás nenhuma obra,
nem tu, nem teu filho, nem tua
filha, nem o teu servo, nem a tua
serva, nem o teu animal, nem o teu
estrangeiro, que está dentro das
tuas portas.
5 Honra a teu pai e a tua mãe. 5-Não matarás.
6 Não matarás. 6-Não adulterarás.
7 Não adulterarás. 7-Não furtarás.
8 Não furtarás 8-Não dirás falso testemunho contra o
teu próximo.
9 Não dirás falso testemunho contra 9-Não cobiçarás a mulher do teu
o teu próximo. próximo.

10 Não cobiçarás a casa do teu 10-Não cobiçarás coisa alguma do


próximo, não cobiçarás a mulher teupróximo
do teu próximo, nem o seu servo,
nem a sua serva, nem o seu boi,
nem o seu jumento, nem coisa
alguma do teu próximo.
Por Amor aos Católicos Romanos, Rick Jones – Chick Publications

A Igreja que veio de Roma, Karl Weiss – Editora Gráfica Universal Ltda

Noites com os Romanistas, M. H Seymour – Edições Cristãs

Enciclopédia Britânica do Brasil Publicações Ltda

Enciclopédia® Microsoft® Encarta

Enciclopédia Mirador Internacional

Enciclopédia Barsa e etc...

http://www.espada.eti.br/

O SINAL DA BESTA

Como vimos no estudo anterior, provamos


que a Igreja Católica se ajusta perfeitamente
em todas as características do poder que
DEUS revelou a DANIEL:
(DN 7: 25) - E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do
Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei;

Você não acha natural que a besta queira impor ao mundo a sua principal
doutrina? E fazer com que o fundamento de todos os seus ensinos seja acatado
por todos?
PERGUNTA:
Quais são as principais doutrinas da Besta (Igreja Católica), que ela diz ser o
fundamento de todos os seus ensinos e que leva o mundo inteiro a falsa
adoração, na verdade uma adoração ao Dragão (satanás) em lugar do verdadeiro
Criador?
Resposta abaixo:

O Dogma da Trindade e o Domingo são as duas principais doutrinas católicas,


aceitas como base de fé em 99% das religiões ditas cristães.

Veja o que diz o Manual Para o Católico:

Fonte: http://images.google.com.br/images num Manual Catolico


Manual para o católico de hoje, pág. 16:
O mistério da Trindade é a doutrina central da fé católica. Sobre ele
estão baseados todos os outros ensinamentos da Igreja.

Veja o que diz o Catecismo Católico

Catecismo Católico. Pág. 143:

"Domingo é um dia dedicado em honra a santíssima trindade".

Veja o que diz algumas Fontes Conceituadas, abaixo:

"Domingo é uma instituição católica, e as reivindicações para sua


observância só podem ser defendidas em princípios católicos. Do inicio ao
fim das escrituras, não há uma única passagem que autorize a transferência
da adoração semanal do povo, do último dia da semana para o primeiro".--
Catholic Press Sydney, Australia, August 1900.

Existe alguma ordem expressa para a observância do primeiro dia da


semana como um Sábado sagrado, em vez do sétimo dia?Nem Cristo, nem
os apóstolos dele, nem os primeiros cristãos celebraram [observaram] o
primeiro dia da semana em vez do sétimo como o Sábado sagrado; Nenhum
deles sequer". - New York Weekly Tribune [Roman Catholic], May 24, 1900.

Veja o que diz o Catecismo Doutrinal abaixo:


Pergunta: Tem você ou qualquer outro, um modo de provar pela bíblia, que a
igreja tem poder ou autoridade para instituir festividades obrigatórias por lei
[feriados de dias santificados]?
Resposta: Não teve ela (a igreja) uma tal autoridade ou poder; ela não poderia ter
feito isso. Todos os religiosos modernos concordam com isto.--Ela não poderia
ter substituído a observância do sábado, o sétimo dia, para o domingo, o
primeiro dia da semana, esta foi uma mudança para qual não há nenhuma
autorização Bíblica.”- Catecismo Doutrinal, edição de 1846, pág. 176. Stephen
Keenan, [Keenan era um padre escocês cujo catecismo foi por ele extensamente
usado nas escolas católicas romanas e universidades]”.

Veja dois trechos da carta do Papa “Dies Domini” de 31 de maio de 1998 que
comprovam a futura observância do Domingo por lei:
"27... De facto, uma perspicaz intuição pastoral sugeriu à Igreja de
cristianizar, aplicando-a ao domingo, a conotação de dia do
sol, expressão esta com que os romanos denominavam este dia e
que ainda aparece em algumas línguas contemporâneas,
(29) subtraindo os fiéis às seduções de cultos que divinizavam o sol
e orientando a celebração deste dia para Cristo...".

67. Por isso, é natural que os cristãos se esforcem para que,


também nas circunstâncias específicas do nosso tempo, a legislação
civil tenha em conta o seu dever de santificar o domingo. Clique no
Link: (Dies Domini, João Paulo II, 31 de maio de 1998 - Carta
Apostólica).

Veja agora, o Site do Conselho Mundial das Igrejas (World Councilof Churches),
e descubra que só participam Igrejas que aceitam a doutrina Católica da
Trindade.

Confira você mesmo no própio site: Constitution and Rules.

Veja abaixo o que diz, o 1º e 2º inciso da sua Constituição:

CONSTITUTION

I.Basis
The World Council of Churches is a fellowship of churches which confess
the Lord Jesus Christ as God and Saviour according to the scriptures and
therefore seek to fulfil together their common calling to the glory of the one
God, Father, Sonand Holy Spirit.
Tradução abaixo:
O Conselho Mundial de Igrejas é um companheirismo de igrejas que
confessam o Senhor Jesus Cristo como Deus e salvador de acordo
com as escrituras sagradas e conseqüentemente busque cumprir em
comum acordo,chamando à glória do um Deus, O pai, filho e espírito
santo.

II. Membership
Churches shall be eligible for membership in the fellowship of the World
Council of Churches who express their agreement with the basis upon which
the Council is founded and satisfy such criteria as the assembly or central
committee may prescribe. The central committee shall consider
applications for membership in accordance with Rule I.
Tradução abaixo:
Igrejas serão elegíveis para sociedade no companheirismo do Conselho
Mundial de Igrejas, expressando o acordo entre eles,a base na qual o
Conselho é fundado e satisfazendo tais critérios que a assembléia ou o
comitê central pode prescrever. O comitê central considerará aplicações
para a sociedade de acordo com a Regra Nº I.
Entendemos pelo que está escrito no inciso Nº 1, que O CONCÍLIO MUNDIAL
DAS IGREJAS têm como base, a Doutrina principal da Igreja Católica (O DOGMA
DA TRINDADE), e no inciso Nº 2, que somente serão aceitas nessa associação,
Igrejas que aceitem o inciso Nº I, que é o Dogma da Trindade.

Fique atento a essas duas Doutrinas que corromperam o verdadeiro


Cristianismo:

Manual para o católico de hoje, pág 16:

O mistério da Trindade é a doutrina central da fé católica. Sobre ele estão


baseados todos os outros ensinamentos da Igreja.

Catecismo Católico. Pág. 143:

"Domingo é um dia dedicado em honra a santíssima trindade".

DESSAS DUAS DOUTRINAS SAIRÁ O SINAL DA BESTA.

Veja que coincidência abaixo:

(Apocalipse: 17: 5) Em sua testa havia esta inscrição:MISTÉRIO:


BABILÔNIA, A GRANDE; A MÃE DAS PROSTITUTASE DAS
ABOMINAÇÕES DA TERRA.

A PRÓPRIA IGREJA CATÓLICA SE DECLARA MÃE DAS IGREJAS


PROTESTANTES., VEJA:

Basílica de São João de Latrão.

[1]
Loalizada na praça de mesmo nome m Roma é aCatedral do Bispo
de Roma, Patriarca do Ocidente: o Papa.
Em uma de suas colunas no exterior está escrito para quem quiser
ver:

Tradução: (Mãe e Cabeça de todas as Igrejas de Roma e do mundo).

Leia você mesmo na da enciclopédia on-


line:http://pt.wikipedia.org/wiki/Basilica_de_Sao_Joao_de_Latrao

A Bíblia é maravilhosa e desvenda quem é a Besta, melhor ainda é


que a própria Igreja Católica se identifica como Mãe das das
prostitutas ( Igrejas protestantes) que são filhas,pois, tem como
base as doutrinas da Mãe ( Igreja Católica).

Conclusão
Através do ecumenismo, Mãe e filhas estão juntas para influenciar o poder
legislativo, criando uma lei para paz e união de todos os ditos, “Cristãos”, mas
infelizmente será o Sinal da Besta.