Você está na página 1de 4

Sistema Operacional

Um sistema operacional é um programa ou um conjunto de programas cujas


funções são o gerenciamento de processos, gerenciamento de memória, gerenciamento
de recursos, controle e gerenciamento da entrada e saída de dados e sistema de
arquivos.
É projetado para ocultar as particularidades de hardware, “baixo nível” e, com sua
atuação, criar uma máquina abstrata que fornece às aplicações serviços compreensíveis
ao usuário, “alto nível”. Provendo uma interface entre o computador e o usuário.

Um sistema operacional possui dois modos:

O modo usuário, sem privilégios, na qual cada processo se inicia. Os processos


não são permitidos a acessar porções de memória que foram alocadas para o kernel.
Quando um processo em modo de usuário precisar usar um serviço que é provido
pelo kernel, ele deverá alternar para este, que possui privilégios de administrador. Assim
que o kernel realizar a tarefa requerida pelo processo, volta o processo para o modo de
Usuário.

O modo núcleo (kernel), com funções privilegiadas, é o componente central do


sistema operativo, serve como ligação entre o processamento de dados e os programas
e, entre o hardware e o software. Tendo como principal objetivo: gerenciar o computador e
permitir que os aplicativos sejam executados e façam uso dos seus recursos.

Tipos de Sistemas Operacionais:

Monotarefa (Monoprogramável) – quando permite a execução de apenas uma


tarefa por vez e todos os recursos são feitos em favor desse programa. Ex.: MS-DOS.

Multitarefa (Multiprogramável) – quando permite a execução de mais de um


programa ao mesmo tempo, tendo de lidar com procedimentos de utilização da
capacidade de processamento do hardware. É necessário definir e gerenciar a prioridade
de cada programa quanto ao uso de recursos existentes. Ex.: Windows.
Multiprocessamento – quando existem duas ou mais CPUs conectados e
trabalhando em conjunto. Existem os fortemente acoplados, quando compartilham apenas
uma memória e são controlados por um Sistema Operacional; E, os fracamente
acoplados, em que cada sistema interconectado possui o seu Sistema Operacional.

Monousuário ou monoutilizador é um sistema operacional utilizável por uma pessoa


de cada vez (apesar de poder suportar recursos como troca de usuário), ou refere-se a
um termo de uso individual de software. Ex.: Windows.

Multiusuário ou multiutilizador é um sistema operacional que permite acesso


simultâneo de múltiplos usuários ao computador. Ex.: Unix.

Gerenciamento de processos

São utilizados algoritmos de escalonamento para determinar qual processo será


executado em determinado momento e por quanto tempo. Os processos podem
comunicar-se, isto IPC.
O sistema operacional, normalmente, deve possibilitar o multiprocessamento.
Neste caso, processos diferentes e threads podem ser executados em diferentes
processadores. Para essa tarefa, deve ser reentrante (subrotina pode ser invocada
enquanto está em execução) e pode ser interrompido no meio da execução de uma
tarefa.

Gerenciamento de memória

O sistema operacional tem acesso completo à memória do sistema e deve permitir


que os processos dos usuários tenham acesso seguro à memória quando o requisitam.
Vários sistemas operacionais usam memória virtual, que possui 3 funções básicas:
• Assegurar que cada processo tenha seu próprio espaço de endereçamento,
começando em zero, para evitar ou resolver o problema de relocação;
• Prover proteção da memória para impedir que um processo utilize um endereço
de memória que não lhe pertença;
• Possibilitar que uma aplicação utilize mais memória do que a fisicamente
existente.
Caso não ser possível manter todos os processos em memória, muitas vezes por
não existir memória suficiente para alocar aquele processo, é usado um mecanismo
chamado swapping, que impõe aos programas um grande custo em termos de tempo de
execução, onde a gerência de memória reserva uma área do disco para o seu uso em
determinadas situações, o processo é copiado da memória para o disco, em seguida, este
processo é retirado da fila do processador e mais tarde será novamente copiado para a
memória.

Gerenciamento de recursos

Tem como função definir políticas para gerenciar o uso dos recursos de hardware
pelos aplicativos, resolvendo disputas e conflitos. Vários programas de entrada de dados
competem pela vez na CPU, demandando memória, espaço em disco e largura.

Entrada e saída de dados

Sistemas operacionais controlam e gerenciam a entrada e saída de dispositivos por


três razões. Primeiro, porque a maioria do hardware do dispositivo utiliza uma interface de
baixo nível. Segundo, porque um dispositivo é um recurso compartilhado, um sistema
operacional fornece acesso de acordo com as políticas que tornam a partilha justa e
segura. Terceiro, um sistema operacional define uma interface de alto nível que esconde
detalhes e permite que um programador possa usar um conjunto coerente e uniforme das
operações ao interagir com os dispositivos.

Sistema de arquivos

Os usuários necessitam de algum método para armazenar e recuperar informações


de modo permanente. Para isso, tomos o arquivo, que é um conjunto de bytes,
normalmente armazenado em um dispositivo periférico não volátil, que pode ser lido e
gravado por um ou mais processos.

Shell é uma interface de usuário para acessar os serviços de um sistema


operacional, em que é possível interagir com o sistema por meio de comandos digitados
do teclado. Pode ser acessado pelo modo gráfico e diretamente em modo texto.
GUI (interface gráfica do utilizador ou usuário) é um tipo de interface do utilizador
que permite a interação com dispositivos digitais por meio de elementos gráficos como
ícones e outros indicadores visuais, em contraste a interface de linha de comando. A
interação é feita geralmente com um mouse ou um teclado.

Backup é uma cópia de segurança, que toda vez que um arquivo é criado ou
alterado seu status necessita de backup, que faz cópia de todos os arquivos selecionados
e marca cada arquivo como tendo sofrido backup.

Sistema Distribuído é um ambiente em que mais de uma CPU (normalmente mais


de um computador) é utilizado. O trabalho é dividido de acordo com a capacidade de cada
CPU. São normalmente sistemas fracamente acoplados.

O Cluster – em relação a Armazenamento de Dados, é a menor quantidade de


espaço em disco que pode ser alocada para gravar um arquivo pelo sistema operacional.
Quanto menor o tamanho, mais eficiente será o armazenamento de informações no disco.
Também é chamado de unidade de alocação.

COMPACTAÇÃO E DESCOMPACTAÇÃO DE ARQUIVOS

A compactação é um processo de reestruturação dos dados, em que as


redundâncias contidas nos arquivos são eliminadas. O software compactador de arquivos,
através de um algoritmo que analisa todo o conteúdo contido, relaciona e cria uma
referência para cada vez que essa informação se repetir no arquivo. A referência é menor
que a ocorrência inicial, por isso o arquivo comprimido acaba sendo menor que o original.
A descompactação, é um processo de retirar os dados que estão compactados
num ficheiro, restituir o espaço que estava sendo ocupado por esses dados. Sendo
responsável por traduzir as referências para termos originais.