1

Exercícios de Teoria de Decisão

1

2 Exercícios de Teoria de Decisão 2 .

um equipamento intermédio ou sobre um equipamento ligeiro. Consultado o mercado chegou-se à conclusão que a escolha poderia recair sobre um equipamento pesado. 4 Considere as seguintes matrizes de decisão. enquanto que para os restantes equipamentos o prazo depende do rigor do próximo inverno.35 e 0. caso o próximo inverno seja ameno. Assim. mais eficiente. Para o equipamento ligeiro os mesmos prazos passam a ser de 8. normal ou rigoroso. 9 ou 10 meses. com os valores de utilidade indicados: a) Determine a probabilidade de indiferença. designado por B.25. o equipamento intermédio permitirá a realização da obra em 8. 5 Uma empresa que se dedica a trabalhos de movimentação de terras possui um determinado equipamento A.40. num Exercícios de Teoria de Decisão 3 . b) Estabeleça os intervalos de probabilidades em que D1 é melhor que D2.3 Para a realização de uma obra de movimentação de terras a empresa “Terrosa & Irmãos” vai ter de adquirir um novo equipamento. 10 e 11 meses. 0. Em termos do prazo necessário à execução da obra sabe-se que o equipamento pesado requer sempre 8 meses. valores que se reduzem para 5 mil contos e 3 mil contos. Sabendo que o prazo para a obra é de 8 meses e que existe uma multa de 1500 contos por cada mês de atraso. sabe-se que o equipamento pesado leva a encargos globais de 7 mil contos. respectivamente para os equipamentos intermédio e ligeiro. normal ou rigoroso são de 0. que tem de ser substituído por outro. aconselhe o tipo de equipamento a comprar. Relativamente ao custo dos equipamentos (compra e operação). Note que as probabilidades de o próximo inverno ser ameno.

Exercícios de Teoria de Decisão 4 . Contudo. Simplificando. Quando deve ser trocado o equipamento? 6 Uma empresa tem de decidir se deve ou não investir no desenvolvimento de um produto microbiológico. Para determinar qual a data mais aconselhável para a troca de equipamento obtiveram-se as seguintes previsões. existindo uma probabilidade de 75% deste vir a ser alto (de acordo com estimativa do director de marketing). Os benefícios gerados dependerão do volume das vendas durante o período de vida útil do produto. O director do departamento de investigação da empresa estimou em 60% a probabilidade de o desenvolvimento ser bem sucedido no prazo de 2 anos. se o produto não tiver sido desenvolvido com sucesso nesse prazo a empresa terá que abandonar o projecto. No caso de o desenvolvimento ser bem sucedido torna-se necessário decidir sobre o volume de produção. o que acarretará um prejuízo de 300 mil contos. o volume de vendas foi categorizado em alto e baixo.dos próximos 3 anos.

Assumindo a estabilidade de todos os outros elementos do problema. Assumindo que o objectivo da empresa é maximizar o benefício líquido esperado determine a política que a empresa deve adoptar. Estes prazos dependem fundamentalmente das condições climatéricas que se vierem a verificar. Por outro lado. a) Construa uma árvore de decisão que represente o problema de decisão da empresa. Engº Civil. determine até quanto esta probabilidade teria de descer para que a opção do não desenvolvimento do produto viesse a ser escolhida. é o responsável pela obra de um importante pavilhão na EXPO’98 que. Com base nos custos fornecidos determine os valores de pdif que aconselham a Exercícios de Teoria de Decisão 5 . de acordo com o quadro seguinte: PRAZO (meses) para CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS BOAS MÉDIAS DIFÍCEIS 5 6 8 8. deverá estar concluído até Abril do próximo ano (daqui a 9 meses). 7 O Mário. pois a sua não conclusão ocasiona um prejuízo de 1.5 8 8. S1.000 contos. S2 e S3.5 12 11 9 CUSTOS (10³ contos) SOLUÇÃO CONSTRUTIV A S1 S2 S3 150 300 450 a) Se o Mário pretender minimizar o prazo da obra. b) Existe na empresa uma controvérsia relativamente à probabilidade estimada pelo director de investigação para o sucesso do desenvolvimento em dois anos.000. se a empresa decidir investir apenas numa produção em baixa escala o benefício líquido será de 400 mil contos se o volume de vendas for alto e de 200 mil contos se o volume de vendas for baixo.Se a empresa optar por uma produção em larga escala o benefício líquido será de 600 mil contos se o volume de vendas for alto e de 100 mil contos se o volume de vendas for baixo. como se sabe. que solução deverá adoptar (utilize apenas um dos critérios de incerteza)? b) Na realidade. caracterizadas por tecnologias e prazos de execução distintos. o que é importante é tentar que o pavilhão esteja concluído antes da abertura da exposição. Para a execução do pavilhão existem três soluções construtivas alternativas.

Efectuada uma previsão de rentabilidade deste investimento. em alternativa poder-se-á construir para habitação. 8 A “Oporturismo”. a aposta errada na localização do terreno poder-se-á traduzir em prejuízos dado que os terrenos serão revendidos ou. e não descurando os custos que se pretendem mínimos. sendo este valor de 8 milhões de contos para um hotel construído em B (todos os custos deduzidos). sendo pdif a probabilidade de ocorrerem condições meteorológicas difíceis. c) O Mário estimou em 10% a probabilidade de ocorrerem condições meteorológicas difíceis (e também em 10% a probabilidade de ocorrerem condições boas) e julga ser possível obter informações. se for efectuada a venda do terreno. De acordo com uma decisão de Câmara a região a promover não foi ainda definida mas deverá ser escolhida entre as regiões A e B. um lucro de 1 milhão de Exercícios de Teoria de Decisão 6 . até à conclusão da obra. teve recentemente conhecimento que a Câmara Municipal de Casais pretende tomar medidas estruturais para promover fortemente o turismo na região. podendo resultar num lucro excelente e na projecção internacional da cadeia hoteleira. estando esta empresa disposta a gastar um máximo de 15 milhões de contos com a sua compra. Estes dois terrenos actualmente disponíveis custam 6 e 8 milhões de contos. Se se revelar vantajoso o Mário poderá então alterar a solução construtiva que inicialmente adoptou. até que valor estará disposto a pagar para poder dispor da referida informação. Agindo rapidamente esta empresa pesquisou o mercado e verificou a existência de 2 locais. De acordo com as referidas previsões um hotel construído em A poderá gerar um lucro global actualizado de 6 milhões de contos. Sabendo que o Mário tem de concluir a obra antes da abertura da exposição.adopção da solução S1. Para qualquer dos locais a escolha errada da localização pode ainda gerar. respectivamente nos locais A e B. a empresa admite que esta será função de uma aposta acertada na região que a Câmara vier a desenvolver em termos turísticos. durante a primeira metade da obra (a que corresponderá 50% dos custos e do prazo de execução). No entanto. nos quais a construção de um hotel seria certamente um sucesso comercial. que antecipem as condições meteorológicas futuras. devendo despender ainda. 50% do custo e do prazo da nova solução. possuidora de uma cadeia de hotéis com o mesmo nome.

65 a probabilidade de a Câmara Municipal de Casais vir a optar pela região A. Face a estes lucros a empresa definiu uma função utilidade Ulucro = (LA + 2) / 2. Entendeu ainda a “Oporturismo” considerar uma utilidade de (–5) para o facto de vender o terreno sem construir e de (–7) para o facto de construir e comercializar um edifício de habitação. uma vez que esta não é a sua actividade principal. Atendendo a que é de 0. Assim. Sendo esta a época das férias.4) ou não. Localização → Concorrente↓ Concorrente 1 Concorrente 2 Concorrente 3 Local A Local B Local C 200 250 400 380 500 450 a) Sabendo que o concorrente 3 já determinou os seus preços de proposta para a localização A e para a localização C. B e C. onde LA representa o lucro actualizado em milhões de contos. Para o efeito pré-seleccionou três locais A. nada será decidido quanto à localização do jardim antes do início de Setembro (quando se dará o regresso de férias). situação que colide com a necessidade de se iniciarem os trabalhos nessa mesma data. o departamento de obras lançou uma consulta a três empreiteiros. num dos quais virá a ser realizada a obra.contos ou um lucro nulo consoante o mercado da habitação esteja em alta (probabilidade = 0. A construção de um edifício de habitação pode ainda ser a solução sendo que o lucro actualizado poderá valer 2 ou 4 milhões de contos em função do mercado habitacional. 300 e 500 respectivamente. em que solicitou propostas para cada uma das três zonas. 9 A Câmara Municipal de A-Dos-Azelhas pretende construir um novo jardim municipal com parque infantil. e que pretende Exercícios de Teoria de Decisão 7 .todos os valores em milhares de contos). ajude a “Oporturismo” a definir a sua estratégia face a este problema. tendo já obtido a resposta de dois deles (ver quadro abaixo .

determine.ver-lhe adjudicada a obra.25 e 0. Sabendo que o departamento de obras tem de decidir quanto à adjudicação da obra e que já teve acesso às probabilidades de 0.1) Se a autarquia basear a sua decisão no critério optimista. justificando.2) Se a autarquia basear a sua decisão no critério pessimista. a. qual deverá ser o empreiteiro seleccionado? d) Quanto valeria (em termos de valor esperado) para o departamento de obras o conhecimento antecipado do local definitivo de construção do novo jardim? Exercícios de Teoria de Decisão 8 . 0. o valor que deve ser proposto para a localização B: a. b) É já conhecida a proposta completa do concorrente 3: 300 (localização A). B ou C respectivamente).45 (para a decisão da Câmara vir a recair em A.3. 600 (localização B) e 500 (localização C).

10 Exercícios de Teoria de Decisão 9 .

tem um custo muito elevado e.11 12 Um médico possui um paciente gravemente doente. segundo. não existe nenhum que possa confirmar a doença B. A ou B. no momento actual. contudo dois graves problemas: primeiro. o médico julga que o paciente poderá padecer de uma de duas doenças. em relação ao qual está com dificuldades na conclusão do diagnóstico. atribuindo probabilidades iguais a estas situações. apenas fornece um resultado positivo (indicando que o paciente possui a doença A) para 80% dos pacientes Exercícios de Teoria de Decisão 10 . Para além dos testes já efectuados. Existe um teste adicional que pode confirmar a doença A possuindo. possui pouca fiabilidade.

possuindo esta doença. se aplicado a um paciente sofrendo de B. recuperar a sua saúde inicial.2 0.5 0 0 Com tratamento para A Sofre A Sofre B 0 1 0.5 0 0.000 o usado. neste momento. 13 A escola “Os Aceleras da Educação” pretende comprar um novo autocarro para transporte das crianças. A doença B não possui tratamento. provoca-lhe a morte. O que não é ainda conhecido é o estado do veículo usado. em alguns casos. os preços dos dois veículos: 12. Defina a melhor atitude a tomar pelo médico em função da maximização da utilidade do paciente. Boa Saúde Utilidade 0 10 30 Adicionalmente definiu uma utilidade de (-2) caso venha a suportar os custos do teste e de (1) caso tenha de pagar o tratamento. Este tratamento. No entanto existe um tratamento que efectuado aos pacientes sofrendo de A lhes permite. fornecendo também resultado positivo em 25% dos casos em que é efectuado sobre doentes com a doença B. se não sofrerem tratamento. que pode ser Exercícios de Teoria de Decisão 11 . estando neste momento em dúvida se a compra deve recair sobre um veículo novo ou sobre um usado proveniente de um infantário localizado nas redondezas. O diagnóstico é idêntico para os doentes com A. A direcção a escola conhece.5 0. Debilitado Sob. o paciente ficará definitivamente debilitado.5 0 Morte Sob.8 0. Boa Saúde O doente definiu a sua função utilidade para as possíveis consequências da sua doença Resultado Morte Sob. sendo por vezes fatal.000 contos o novo e 8. As probabilidades de morte e sobrevivência em caso de doença A e B são fornecidas no quadro seguinte: Sem Tratamento Sofre A Sofre B 0. Debilitado Sob. Quando se sobrevive.

Sabendo que a escola pretende decidir em função do valor da utilidade. Um veículo novo não deverá avariar. De situações vividas com o seu veículo anterior.000 contos se a avaria for grave ou 1.4 e 0. Mais. segundo ele. o custo da reparação das eventuais avarias e o custo da vistoria à mecânica. Contactada a oficina. emprestando um outro autocarro à escola durante o período necessário à reparação.3. determinada segundo as expressões seguintes (que permitem ponderar os custos com o eventual impedimento da utilização do autocarro) diga. numa oficina da localidade. como suficientemente dilatado). não seria permitido pelos actuais proprietários. estima que a probabilidade de uma avaria grave seja de 0.000 contos se for ligeira. a direcção da escola estima que.000 (se avaria ligeira) ou Uavaria = –4. pois para tal teria que se desmontar todo o autocarro o que. certamente. sendo que os resultados correctos ocorrem em 60% dos casos quando o veículo está realmente pouco usado. se optar pelo veículo usado e este avarie. sendo de 0.7. mas se tal ocorrer o concessionário assume as despesas (durante o período de garantia que se considera. o motorista da escola sugeriu que fosse efectuada uma vistoria ao autocarro usado antes da sua compra. justificadamente. Em conversa com a directora. de uma avaria ligeira seja de 0. e custaria 500 contos. se efectuada. Contudo. segundo o responsável pela oficina. Função utilidade: U = .Custo + Uavaria Em que: Custo = Somatório dos custos. se o veículo for pouco usado aquelas probabilidades seriam de 0. Uavaria = -2. para o efeito da escolha. 0.000 (se avaria grave).2. Exercícios de Teoria de Decisão 12 . situações a que se atribuem probabilidades iguais. possa ter de dispender na reparação cerca de 2.3. se o veículo for muito usado. quando o veículo é realmente muito usado o teste dá resultados correctos em 70% dos casos. respectivamente. qual a melhor opção de compra (novo ou usado). a directora ficou a saber que o resultado da revisão não é totalmente fiável. permitiria aferir do estado da mecânica (muito ou pouco usada). onde se inclui o preço do autocarro. Esta revisão.1 a probabilidade de não se verificarem avarias.muito ou pouco usado (o aspecto exterior é agradável mas não permite conhecer o estado da mecânica).

em milhares de pessoas por dia. Tendo recebido várias candidaturas onde era fundamental a apresentação de uma localização para a referida loja. sabe-se que O primeiro é o mais importante. − O peso do critério Área de Montra vale o dobro do peso do critério Nível Económico da População − A soma dos pesos dos dois primeiros critérios vale 0. avaliada em função do número de pessoas que passam no local da loja. em m². Critério 3: Nível económico da população residente na área da loja. em regime de “franchising”. medido numa escala qualitativa com os níveis Baixo.85. em relação ao último. a direcção da empresa decidiu qualificar para a análise final apenas as quatro melhores. No que se refere aos pesos dos critérios. a passagem de um nível baixo para médio vale um terço da passagem de um nível médio para elevado.14 Uma conhecida empresa multinacional pretende abrir uma loja em Lisboa. tendo determinado que. Médio e Elevado. Exercícios de Teoria de Decisão 13 . tendo considerado fundamental que a decisão seja tomada em função dos seguintes critérios: Critério 1: Localização. Na fase actual a empresa pretende tomar a sua decisão em função das características do espaço proposto para a referida loja. Critério 2: Área de montra. Responda às seguintes questões: a) Determine os pesos dos critérios. As características das lojas das candidaturas seleccionadas foram resumidas na tabela seguinte: CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CANDIDATURA Candidato 1 Candidato 2 Candidato 3 Candidato 4 Localização (milhares de pessoas / dia) 120 70 100 95 Área de Montra (m²) 15 60 40 40 Nível Económico da População Médio Elevado Médio Baixo Para avaliar localmente as diferentes alternativas a direcção da multinacional determinou funções de valor lineares para os dois primeiros critérios.

Distribuição Alimentar S. Para o efeito entendeu basear a sua decisão em três pontos de vista fundamentais. 0.A. Distribuição Alimentar S.” definiu que eles devem respeitar. a relação 1:2:1. III – Qualidade dos acessos. na rede viária local. II – Custo do terreno (milhares de escudos). para as quais foi recolhida a seguinte informação: I 300 350 280 330 II 9500 6000 9100 7500 III Bom Fraco Bom Médio Localização A Localização B Localização C Localização D Nas classificações das alternativas segundo os pontos de vista I e II. Distribuição Alimentar S.4. c) Existindo alguma indecisão quanto ao valor do peso atribuído ao critério Área de Montra determine para que valores deste parâmetro se mantém a escolha definida em b). para a gama de valores obtidos. a Administração da “DALI. a) Determine os pesos dos critérios. a saber: I – Distância média aos centros urbanos relevantes (km). a Administração da “DALI.25 e 0.A.b) Compare as alternativas em jogo recorrendo a um método multicritério de apoio à decisão (caso não consiga determinar os valores dos pesos considere. com perda de classificação. os valores 0. d) Descreva as diferenças entre dominância absoluta e aditiva. Quanto aos pesos a atribuir a cada critério.A. Que condições são responsáveis pelo aparecimento da segunda quando não existe a primeira? 15 A Administração da “DALI. Exercícios de Teoria de Decisão 14 . Para o critério III.” pretende adoptar funções de valor lineares. a mesma Administração considera que passar de uma classificação de Fraco para uma classificação de Médio representa o triplo do valor correspondente a passar de Médio para Bom. Para esta escolha foram já pré-seleccionadas quatro localizações (pontos A a D).” pretende determinar a localização do seu novo entreposto.35).

no intervalo definido por uma variação de 50% do seu valor. 0.b) Sugira. algumas dúvidas quanto ao valor do peso atribuído ao primeiro ponto de vista. no seio da Administração. para além da qualidade das instituições. Efectue uma análise de sensibilidade ao peso em causa. por forma a determinar se. PONTO DE VISTA CONSIDERADO ALTERNATIVAS LISBOA PORTO COIMBRA ÉVORA Custo mensal (€) 900 820 750 700 Distância a casa (km) 170 250 95 180 Referências sobre o curso Excelente Muito Bom Bom Muito Bom Para avaliar localmente as diferentes alternativas o Justino definiu funções de valor lineares para as gamas de valores indicadas nos critérios Custo e Distância. Considere que os “pesos” das alternativas se relacionam nas proporções 4:3:2 (caso não Exercícios de Teoria de Decisão 15 . O problema da escolha reside. 16 O Justino. filho mais velho da família Serrão. No que respeita ao critério Referências o Justino entendeu que a passagem de uma classificação de Bom para uma classificação de Muito Bom vale 3 vezes a passagem de uma classificação de Muito Bom para Excelente. acabou agora o 12º ano e pretende ingressar no ensino superior. Para fundamentar a sua decisão. o Justino elaborou uma tabela em que recolheu toda a informação necessária à sua tomada de decisão. a solução anterior. respectivamente). para os critérios I. De acordo com a informação recolhida o seu curso existe em Lisboa. em universidades de reconhecida qualidade. Depois de inteirar sobre as universidades em que existe o curso que lhe interessa o Justino encontra-se indeciso sobre a escolha. Porto. II e III. nos custos a suportar pelos pais com a sua saída de casa e na distância a que ficará de casa. para mais e para menos. Coimbra e Évora. a localização a adoptar (caso não tenha resolvido a alínea anterior assuma os pesos 0.60 e 0.10. b) Compare as alternativas em jogo utilizando um método multicritério de apoio à decisão. tendo de escolher a universidade a que se candidatará em primeiro lugar. Existem. com base num método compensatório.30. a) Efectue uma análise de dominância às alternativas presentes.

25 e 0. c) Existindo alguma indecisão quanto ao valor do peso atribuído ao critério Distância determine para que valores deste parâmetro se mantém a escolha definida em b). com perda de classificação. Exercícios de Teoria de Decisão 16 .35).4. os valores 0. 0.consiga determinar os valores dos pesos considere.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful