Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM
COMUNICAÇÃO

Anteprojeto de Pesquisa Para o Mestrado em Comunicação.

"Caruaru Capital do Forró": o Reforço da Identidade Cultural Local


e a Consolidação Dessa Marca nas Campanhas Publicitárias das
Festividades Juninas, Para a TV, no Século XXI.

Aluno:
Pedro Paulo Procópio de Oliveira Santos.

Recife,
Outubro/ 2005.
INTRODUÇÃO:

Pretende-se analisar a consolidação da "marca" Caruaru no referido período;


momento de extrema importância cultural e social no nordeste brasileiro. Busca-se estudar
de que forma a publicidade constrói a identidade caruaruense, tomando por base as
campanhas para as festas juninas.
Convém destacar ainda, o elevado aumento no número de turistas vindos de diversos
pontos do país ávidos por experimentar a magia da festa junina em Caruaru, como é
retratado pela propaganda. Sendo assim, a construção tem como foco não apenas a
população da cidade, e sim os visitantes.
A pergunta central desta pesquisa é como a marca Caruaru é trabalhada e de que
maneira o seu povo, além dos turistas são contagiados pelo clima de euforia, felicidade e
encantamento trabalhados pela campanha publicitária em questão.
A imagem transmitida das festividades juninas de Caruaru pelos meios de
comunicação ao resto do país, como já relatado, é de contentamento, festa, descontração e
muito orgulho de ter o melhor São João do mundo. Vale frisar a enorme satisfação em
receber os milhares de turistas que visitam a cidade no mês de junho. Todos esses fatores só
reforçam a inquietação sobre a problemática a ser desenvolvida.
Não podemos esquecer ainda do lado histórico, que remonta a primeira metade do
século passado, momento em que os artesãos de Caruaru, em especial o Mestre Vitalino,
descobrem no barro uma forma de comunicar o seu sofrimento, a sua vida, enfim sua
história, já impregnada naquele tempo pela cultura do forró e das festas juninas.
É preciso, sem dúvida, estar engajado e, no mínimo, intrigado com um fenômeno
comunicacional para sentir gana de refleti-lo, senti-lo - enfim buscar um entendimento
palpável. É esse desejo que me impulsiona como jornalista e docente interessado em
desenvolver um trabalho científico em comunicação, não apenas a entender, e sim a
compartilhar conhecimentos sobre a tal marca Capital do Forró, além da construção da
identidade de melhor São João do Mundo em um povo que apesar de tantas dificuldades
parece ter um sorriso eterno. Pelo menos até enquanto dura o São João.
Por tais aspectos, este trabalho irá mergulhar num processo de busca de informações
e coleta de dados, dotado de rica pesquisa em todos os sentidos acerca do fenômeno em
discussão.

OBJETIVO GERAL:

Analisar como as campanhas publicitárias das festividades juninas de Caruaru no


período compreendido entre 2000 e 2005 foram capazes de reforçar a consolidação do
produto midiático Caruaru, reconhecido nacionalmente, além de reforçar a identidade
cultural de seu povo .

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

1. Avaliar a ligação entre o discurso institucional e o de celebridades do estado,


visitantes, além da população local.
2. Identificar o conteúdo filosófico, bem como político-ideológico das mensagens
veiculadas pelo trabalho publicitário em questão.
3. Analisar o tema à luz das teorias da comunicação e da análise do discursos,
porém, sem esquecer de envolver exemplos práticos que possam trazer o leitor à um melhor
entendimento acerca da discussão.

JUSTIFICATIVA:

Esta pesquisa visa a contribuir de forma substancial com os que se interessam pela
construção da identidade cultural de um povo, além da consolidação de uma marca, em
nosso caso específico, uma cidade, que pelo forte investimento em publicidade acaba por
tornar-se um produto midiático. Portanto, mais relevante que levantar a importância do tema
em foco, o qual é extremamente pertinente, é falar da contribuição que esta pesquisa almeja
trazer ao campo científico da comunicação.
No que diz respeito ao Programa de Pós-graduação em Comunicação desta
universidade, fica evidente nesta proposta de trabalho uma ligação de fato pertinente entre
mídia e identidade. O mais importante: a emergência dessa temática num período de
mudanças simbólicas do homem pós-moderno; alterações concretas nas questões globais e
locais, desaguando na temática presente do glocal. Como o pós-modernismo absorve tais
fatos? Merece reflexão.
Deve-se ficar claro que além da pertinência, para construir este estudo haverá
imprescindivelmente uma busca constante de referências bibliográficas e entrevistas com
profissionais capazes de acrescentar um teor discursivo ainda mais rico ao tema. Enfim, o
que for necessário para a elaboração de um trabalho consistente.

Tais fatos só comprovam, ou melhor, reforçam o quanto este estudo é capaz de servir
como fonte a outros estudiosos - os quais poderão enriquecê-lo - desdobrá-lo ou
mesmo contestar o seu conteúdo. Mais importante, esse debate não acontecerá de forma
aleatória, mas sim com embasamento teórico e dados capazes de caracterizá-lo como de viés
realmente científico.

METODOLOGIA:

A teoria crítica ligada a Escola de Frankfurt fará parte da metodologia do presente


estudo. O motivo principal de analisar autores como Benjamim e Adorno, por exemplo, está
no fato de suas teorias terem revolucionado a comunicação e aberto espaço para o
surgimento de outras correntes de pensamento.
Deve-se levar em consideração ainda, o trabalho de Hall, o qual discute a questão da
identidade cultural, além de Featherstone que versa a respeito da cultura de consumo. As
pesquisas desenvolvidas por Barbero, bem como Santaella são imprescindíveis ao
desenvolvimento desta futura tese, uma vez que discutem o papel da pesquisa em
comunicação de forma deveras consistente.
A teoria hipodérmica num dado momento da pesquisa será levada em consideração -
uma vez que discute o papel de convencimento da mídia e a aceitação "inerte" das massas
em relação às mensagens. Apesar de ser considerada completamente defasada por alguns
estudiosos - ela poderá ser mencionada como referência em alguns momentos do estudo.
Impossível, portanto, não citar Bakhtin e deixar de lado o privilégio da análise dos
seus gêneros do discurso. No aspecto da escola francesa, ignorar Maingueneu e suas novas
tendências sobre análise do discurso seria também uma grave falha. Falha essa que não
ocorrerá, por isso é necessário destacar também o apoio de Marcuschi na confecção deste
trabalho, o que reitera o compromisso do peso metodológico deste trabalho.
Este trabalho se propõe a realizar um estudo eficiente e de caráter científico.
Portanto, além da pesquisa bibliográfica já citada se faz imprescindível a discussão do tema
com os publicitários ligados a campanha em questão, historiadores, antropólogos, filósofos,
dado o caráter reflexivo do projeto e todos aqueles que possam contribuir pela sua vivência
acerca da problemática. Seja essa vivência através do mercado ou do universo acadêmico.
Será feita também a análise das peças publicitárias veiculadas nos diferentes espaços
midiáticos.
Planejo visitar Caruaru a cada dois meses a fim de conversar com as pessoas e sentir
como é o dia-a-dia do local fora do período junino. Além do contato com os profissionais e
estudiosos já citados, almejo entrevistar o secretário de cultura e turismo da cidade, além do
prefeito, para assim, constatar de maneira precisa os interesses político-ideológicos contidos
na promoção do slogan Caruaru Capital do Forró e o ideário de maior São João do mundo.
BIBLIOGRAFIA

1. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023:


informação e documentação; referências-elaboração. Rio de
Janeiro; ABNT, 2000.
2. BAKHTIN, M. Os Gêneros do Discurso. In Bakhtin, M. Estética da
Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1979.
3. BARBERO, Jesus Martin. Dos Meios às mediações. Comunicação,
cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1997.
4. BRANT, Leonardo. Mercado Cultural: panorama crítico com dados
e pesquisas para gestão e venda de projetos. São Paulo:
Escrituras Editora, 2002.
5. CABRAL, Plínio. Propaganda: A Alquimia da Sociedade Industrial.
São Paulo: Editora Nacional, 1986.
6. DANTAS, Marcelo. Olodum – de bloco afro a holding cultural.
Salvador, Grupo Cultural Olodum/Fundação Casa de Jorge
Amado, 1994.
7. ECO, Umberto. Como Se Faz Uma Tese. São Paulo: Editora
Perspectiva, 1999.
8. FEATHERSTONE, Mike. Cultura de Consumo e Pós-Modernismo.
São Paulo: Studio Nobel Editora, 1995.
9. FICHANT,M. Hiatória da Filosofia; idéias, doutrinas. Vol VIII. Rio
de Janeiro: Zahar Editores, 1973.
10. FOUCAULT, Michel. História da Loucura na Idade Clássica. São
Paulo: Editora Perspectiva, 1978.
11. ______. As Palavras e as Coisas. São Paulo: Editora Martins
Fontes, 1981.
12. ______. A Ordem do Discurso. São Paulo: Editora Loyola, 1995.
13. HALL, Stuart. Identidades na Pós-modernidade. Rio de Janeiro:
DP&A, 1997.
14. JAMESON, Frederic. Pós-modernismo, ou a lógica cultural do
capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1994.
15. KOTLER,P. e REIN, Irving. Marketing de Alta Visibilidade. São
Paulo: Makron,1999.
16. LACATOS, E.M. Técnica de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982.
17. LIMA, Luiz Costa (org.), Teoria da Cultura de Massa. Rio de
Janeiro: Paz e Terra, 1982.
18. MAINGUENEAU, D. Nouvelles Tendances em Analyse de
Discours. Paris: Hachette, 1984.
19. MARCUSCHI, L. Gêneros Discursivos & Oralidade Escrita: O
Texto Como Objeto de Ensino na Base de Gêneros. Recife: UFPE,
2001. Mimeo.
20. MARIETTI, AK. Introdução ao Pensamento de Michel Foucault.
Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1977.
21. MATOS, O C. F. Os arcanos do inteiramente outro; a escola de
Frankfurt, a melancolia e a revolução. São Paulo: Editora
Brasiliense, 1989.
22. ORLANDI, Eni P. Análise de Discurso Princípios e
Procedimentos. Campinas, SP: Editora Pontes, 2003.
23. ________. A Linguagem e Seu Funcionamento As Formas de
Discurso. Campinas, SP : Editora Pontes,
24. ________. Discurso Fundador A Formação do País e a
Construção da Identidade Nacional. Campinas, SP : Editora
Pontes,
25. ________. Palavra, Fé, Poder. Campinas, SP: Editora Pontes,
26. ________. Política Lingüística na América Latina.
27. ORTEGA, Francisco. Amizade e Estética da Existência em
Michel Foucault. Rio de Janeiro: Editora Graal, 1999.
28. PÊCHEAUX, M. Analyse Authomatique du Discours. Paris:
Dunod, 1969.
29. _________. Sur les Contextes épistémologiques de lánalyse de
discours. St. Cloud: Mots, 1984.
30. _________. Rôle de la Mémoire in Linguistique et Histoire. Paris:
CNRS, 1983.
31. PIGNATARI, Décio. Informação, Linguagem, Comunicação. São
Paulo: Cultrix, 1984.
32. SANTAELLA, Lúcia. Comunicação e Pesquisa. São Paulo:
Hacker, 2000.
33. SEVERINO, AJ. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo:
Cortez, 1984.
34. SODRÉ, Muniz. A verdade seduzida. Por um conceito de
cultura no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1983.
35. THOMPSON, J.B. A Mídia e a Modernidade. Petrópolis, Ed.
Vozes, 1998.
36. VIEIRA, Leociléa. Projeto de Pesquisa e Monografia: O que é?
Como se faz? Normas da ABNT / Leociléa Aparecida Vieira. 2. ed.
Ver. – Curitiba: Ed. Do Autor, 2003.