Você está na página 1de 6

PROJETO LENDO E ESCREVENDO COM HISTÓRIAS EM QUADRINHOS – A

PRODUÇÃO LITERÁRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

NOME DA ESCOLA: CIEP 01.02.502 AVENIDA DOS DESFILES- SETOR 6


Equipe Técnico-Pedagógica
Coordenação pedagógica: Angela dos Santos Araújo
Diretora Adjunta: Cíntia Schneider Valverde de Medeiros
Diretora Adjunta: Maria Auxiliadora Lívio Cavalcante
Direção da U. E: Greyce Kelly Fernandes de Almeida
Nossa Escola, para 2010, está envolvida em um Projeto Pioneiro de Informática Educativa, para a
Educação Infantil, a partir da Lei Africana lei federal nº 10.639 e baseada na LEI Nº 11.645, de 10
março de 2008, que altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei. 10.639, de
9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no
currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e
Indígena”. O Projeto tem por tema: “A África somos nós: com um livro na mão e a bola no pé, vamos
lá!” Que pretende resgatar as histórias as origens afro-brasileiras e as vivências de nossos alunos que
vivem na cidade do Rio de Janeiro. No 1º bimestre resgatamos a identidade desta criança que vive na
cidade do Rio de Janeiro, sua história, seus espaços mais belos, aspectos relacionados com o estilo de
vida do povo carioca. Essas atividades continuarão sendo realizadas durante todo o ano letivo, com os
alunos, levando-os a reconhecerem-se como elementos pertencentes à comunidade escolar e a própria
comunidade onde vive, e com capacidade de interferir de forma positiva na transformação da mesma.
Esse processo, em parceria com a Sala de Leitura, está utilizando as seguintes mídias: rádio, TV, DVD,
vídeos, livros, computadores, Internet, máquina digital, jornais. O trabalho com o uso dos
computadores foi iniciado em 2009 quando os mesmos foram instalados na U.E. Os trabalhos estão
disponibilizados na internet com um site dos trabalhos dos alunos (somente os autorizados pelos
responsáveis); produção de vídeo para apresentação nas exposições da E/1ªCRE e encerramento do ano
letivo. Os professores da U.E. recebem capacitação em Informática Educativa nos horários de Centro

1
de Estudos, pela Coordenadora Pedagógica- (Capacitadora de Informática Educativa da Secretaria
Municipal de Educação do Rio de Janeiro, Analista de Sistemas, pós-graduada em Educação com
Aplicação da Informática). Esses precisam estar a par das necessidades da sociedade, que é a utilização
crescente dessas mídias. Através da TICs – (Tecnologia da Informação e Comunicação), o
professorado, pode potencializar o ensino e proporcionar os meios para que os alunos vivenciem, na
escola, os meios que o tornarão um cidadão atuante e autônomo. O uso das mídias: rádio, TV, DVD,
vídeos, livros, computadores, internet, máquina digital, jornais, são recursos que quando bem
preparados e adaptados à realidade da escola impulsionarão o ensino e o tornarão prazeroso, tanto para
quem ensina, quanto para quem aprende.

JUSTIFICATIVA:
Educador e alunos devem ter valorizados seus conhecimentos anteriores a respeito de etnia,
pertencimento e valores humanos, buscando embasamento em outras áreas como a sociologia e a
antropologia. Para isso, o uso de recursos como filmes, livros e artes plásticas e o uso das diferentes
mídias TICs – (Tecnologia da Informação e Comunicação), que tragam referências a personalidades
negras e a não restrição ao estudo do tema apenas sob o aspecto da Abolição, Folclore e Dia da
Consciência Negra. Folclore é a maneira de agir, pensar e sentir de um povo ou grupo com as
qualidades ou atributos que lhe são inerentes, seja qual for o lugar onde se situa o tempo e a cultura.
Não é apenas o passado, a tradição; ele é vivo e está ligado à nossa vida de um jeito muito forte. Por
isso, é tão importante conhecê-lo. O saber folclórico é o que aprendemos informalmente no mundo, por
meio do convívio social - por via oral ou por imitação. Ele é universal, embora aconteçam adaptações
locais ou regionais, como conseqüências dos acréscimos da coletividade. Além de ser um elo de
valorização das raças negra e índigena. Mas nosso processo educativo não se esgotará nessa temática.
Ele é amplo e democrático, valorizando os gostos e preferências dos nossos alunos

OBJETIVOS:
Resgatar, vivenciar e valorizar as manifestações da cultura popular brasileira. Conhecer a importância
do folclore para a comunidade. Desenvolver a oralidade. Ver e ouvir poesias dramatizadas pela
professora. Entrar em contato com as características do texto poético (musicalidade, ritmo,
diagramação). Promover interações significativas entre as crianças nas atividades de leitura. Ler antes
de saber ler convencionalmente. Valorizar a leitura como fonte de prazer. Valorizar o folclore.
Valorizar outros contos e histórias da literatura brasileira, principalmente as histórias infantis.
Participar de atividades que envolvam histórias, parlendas, brincadeiras e canções para despertar e
2
esclarecer curiosidades sobre o folclore. Produzir trabalhos artísticos, utilizando a linguagem do
desenho, da pintura, da colagem, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo
processo de produção e criação. Levar o aluno a aprender a ouvir as histórias com atenção e interagir
nas mesmas fazendo produções coletivas e colaborativas a partir das histórias ouvidas. Escolher as
partes da história que vão pintar. Usar o computador como extensão da sala de aula, pintando,
escrevendo e trabalhando de forma coletiva e colaborativa no espaço da Sala de Leitura. Envolver toda
a comunidade escolar: responsáveis, funcionários, alunos, professores equipe técnico-pedagógica.
METAS: Levar os alunos da Educação Infantil ao final do ano letivo capazes de: Ler, escrever e
identificar letras, palavras e textos ainda que não de forma convencional; Elaborar perguntas e
respostas de acordo com os diversos contextos em que participa; Escutar textos lidos, apreciando a
leitura feita pelo professor; Familiarizar-se com a escrita por meio do manuseio de livros, revistas e
outros portadores de texto; Contar e recontar textos infantis (histórias, cantigas, parlendas etc.);
utilizando a linguagem oral e da linguagem escrita registrando através de textos escritos ainda que não
de forma convencional; Identificar e escrever seu nome nas diversas situações do cotidiano; Produzir
livremente a escrita;

INTRODUÇÃO:
O trabalho começou a ser desenvolvido nos centros parciais de estudo quando projeto foi desenvolvido
e discutido com o grupo de professores. A produção das primeiras histórias aproveitou a temática do
folclore. Primeiro por estarmos no segundo semestre quando os contatos iniciais dos alunos com a
produção oral e escrita já se encontram bem desenvolvidas. Segundo por estarem mais preparados para
darem forma ao que pensam, isto é, concretizarem o que a priore foi pensado e imaginado. O imagético
sendo resgatado pela escrita e uso de mídias como o computador e a Internet. Os primeiros trabalhos
que surgiram foi a partir de contos do folclore. Foi feito uma pesquisa de opinião junto aos alunos de
quais personagens e histórias gostaram mais e a que gostariam de fazer uma historinha própria. As
turmas EI-12 (alunos de 5 a 6 anos) e EI-24 (alunos de 4 a 5 anos), resolveram estender as atividades
para o uso de computadores. Iniciando com a contação de histórias das lendas e outras histórias. A
turma EI-12 escolheu a HISTÓRIA DO SACI. A turma EI-24 escolheu a Dona Baratinha. Os alunos
também selecionaram as figuras que mais gostaram para pintar e montar a HISTÓRIA EM
QUADRINHOS. Depois de feita a história coletiva, de forma colaborativa, onde as professoras se
tornaram escribas, a história foi relida e aprovada. A etapa seguinte foi pintar os desenhos usando giz
de cera. Em seguida os desenhos foram pintados usando o PAINTBRUSH dos computadores da SALA
DE LEITUIRA, com a intervenção colaborativa das professoras. Esse trabalho com o uso de
3
computadores foi iniciado em 2009 na Sala de Leitura. Os alunos foram “apresentados” aos
computadores. Tiveram atividades de uso do mouse e teclado, entre outras, e o uso de alguns softwares
educativos. Em 2010 resolvemos retomar o uso dos computadores em nossas atividades pelo interesse
despertado tanto pelos alunos, quanto pelos professores das turmas. O trabalho final das turmas foi
transformado em HAGÁQUÊ e depois impresso e distribuído para as turmas envolvidas. Ao término
das atividades alunos e professoras fizeram uma avaliação dos trabalhos. Outras histórias já estão sendo
desenvolvidas e em breve teremos mais histórias produzidas pelos alunos das outras turmas.

METODOLOGIA:
A metodologia utilizada foi a Metodologia de Projetos. A metodologia utiliza o trabalho
colaborativo/participativo. Respeita a individualidade e proporciona o espírito de equipe e
solidariedade entre os participantes. O professor passa a ser um interventor e não um simples
reprodutor da educação. As atividades foram desenvolvidas de forma individual e coletiva com a
interação professor e aluno em sala de aula. Os alunos pesquisaram manifestações da cultura popular
brasileira analisando cada uma delas. Os mesmos ainda criaram desenhos e ilustraram os textos
(parlendas, trava-línguas, contos e outras histórias da literatura infantil) trabalhados em sala de aula e
referentes ao tema. A produção coletiva – colaborativa- de historinhas a partir de histórias ouvidas.
Para dinamizar o trabalho foi utilizada a atividade coletiva-colaborativa com os computadores da Sala
de Leitura (quatro -04- equipamentos). A intervenção das professoras foi mais técnica auxiliando os
alunos a interagirem com o computador: mouse, ferramentas do software, PAINTBRUSH, no caso.

ATIVIDADES:
Pesquisa sobre o folclore; contação de histórias da literatura infantil; recorte e colagem; dobraduras;
construção de texto junto com as crianças; lendas; brincadeiras folclóricas; produção de historinha para
dramatizar (fazer historinha com HQ); pintura de desenhos em sala e depois no computador usando o
PAINT BRUSH; transformação da historinha em história em quadrinhos, selecionando os desenhos
que fizeram parte da história coletiva produzida. As histórias produzidas pelos alunos foram escritas
pelo professor da turma. Assim aproveitando a oportunidade para mostrar o uso da escrita de forma
concreta. Mostrar que os alunos já são capazes de escrever uma historinha, mesmo que seja a
professora a escriba no processo o mérito é da turma.
Mídias utilizadas: rádio, aparelho de som, TV, DVD´s, CD´s vídeos, livros, computadores, Internet,
máquina digital, jornais, Livros infantis e informativos; jornais; papéis: sulfite, cartão, pardo;
Publicação das atividades no endereço eletrônico: http:// http://www.asantos22.com.br/.
4
PERÍODO DE REALIZAÇÃO:fevereiro/setembro (o projeto vai se estender durante todo o ano letivo);

PESSOAS ENVOLVIDAS NA EXPERIÊNCIA: Todos os professores regentes da U.E, comunidade


escolar;

AVALIAÇÃO:
A avaliação foi realizada através de registro por parte dos professores em sala de aula frente à
participação de cada aluno de forma individual e coletiva e do desenvolvimento da aprendizagem
durante as atividades propostas. O projeto foi considerado positivo e relevante, pois culminou em sua
publicação impressa e divulgada nos murais da U.E. e no site dos alunos. Todos gostaram de ouvir e
recontar as historinhas, pintar e usar computadores no trabalho. Professoras e alunos ficaram contentes
com o resultado, assim como a comunidade escolar – pais e todos os demais funcionários. Os alunos
estão mais interessados em aprender a ler e escrever e também estão entusiasmados com os trabalhos
realizados. O trabalho iniciado em 2009 apresentou resultados positivos, pois os alunos que tiveram
contato com os computadores demonstraram familiaridade com os mesmos. Alguns possuem
computador em casa. Os alunos novos gostaram da novidade e mostraram interesse e prazer em
participar da atividade. As professoras se sentem mais confiantes e motivadas. As atividades usando o
computador, segundo consenso geral, é mais dinâmica e atraente para os alunos, o que trasnforma o
ensino uma atividade prazerosa, tanto para quem aprende como para quem ensina.

ANEXO: Vídeo com as atividades desenvolvidas no projeto.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
CÂMARA CASCUDO, Luís da. Dicionário do folclore brasileiro. 9. Ed. São Paulo: Ediouro, s.d.
DVD- Galinha Pintadinha vol. 1 - Educativo 5 a 9 Anos - Fornecedor: Bromélia Filminhos
Categoria: áudio e vídeos Infantis / Educativos
MELO, Veríssimo de. Folclore infantil; acalantos, parlendas, adivinhas, jogos populares, cantigas de
roda. Belo Horizonte, Editora Itatiaia, sd. Biblioteca de Estudos Brasileiros, 20
RUIZ, C.M.P. Didática do Folclore. Rio de Janeiro: Papelaria América, 1976.
Site: PORTAL DO PROFESSOR. Sugestões de Aula. Disponível em<
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/resultadoBuscarAulas.html?

5
tipo=RAPIDA&busca=folclore+na+educa%C3%A7%C3%A3o+infantil#resultado>. Acessado em
04/08/2010.
SITE:YOUTUBE- Coleção Disquinho - Casamento da Dona Baratinha - parte 1
Disponível em< http://www.youtube.com/watch?v=LEa17NS7Uok&feature=related>.
Acessado em 03/08/2010.
SITE:YOUTUBE- Coleção Disquinho - Casamento da Dona Baratinha - parte 2
Disponível em< http://www.youtube.com/watch?v=GoRit59Nh9g&feature=fvsr>.
Acessado em 03/08/2010.
SITE:YOUTUBE- Sítio do Picapau Amarelo - O Saci.
Disponível em < http://www.youtube.com/watch?v=GoRit59Nh9g&feature=fvsr>.
Acessado em 03/08/2010.