Você está na página 1de 8

1

1 Curso Técnico em Mecânica Disciplina: Resistência dos Materiais Prof. Polyana Capítulo 8 – Torção Uma

Curso Técnico em Mecânica Disciplina: Resistência dos Materiais Prof. Polyana

Capítulo 8 – Torção

Uma peça submete-se a esforço de torção, quando atua um torque em uma das suas extremidades e um contratorque na extremidade oposta.

suas extremidades e um contratorque na extremidade oposta. 8.1 – Momento Torçor ou Torque O torque

8.1 – Momento Torçor ou Torque

O torque atuante na peça representada na figura é definido através do produto entre a intensidade da carga aplicada e a distância entre o ponto de aplicação da carga e

o centro da seção transversal (pólo).

M T = 2F.S

Onde M T é o momento torçor ou torque (Nm);

F

é a carga aplicada (N);

S

é a distância entre o ponto de aplicação da carga e o pólo (m).

Para as transmissões mecânicas construídas por polias, engrenagens, rodas de atrito, correntes, etc., o torque é determinado por:

Onde M T é o torque (Nm); F T é a força tangencial (N); R é o raio da peça (m).

M T = F T .r

por: Onde M T é o torque (Nm); F T é a força tangencial (N); R

2

8.2 – Potência

Denomina-se potência a realização de um trabalho na unidade de tempo.

 

τ

trabalho

P =

=

t

tempo

Como τ = F.s, conclui-se que

P =

F s

.

t

Mas v = s/t, portanto: P = F.v

Nos movimentos circulares, escreve-se que:

Onde P é a potência (W);

F T é a força tangencial (N);

V p é a velocidade periférica.

P = F T .v p

(N); V p é a velocidade periférica. P = F T .v p A potência também

A potência também é dada pela seguinte equação:

Onde P é a potência (W);

M

T é o torque (Nm);

n

é a rotação (rpm);

f

é a freqüência (Hz);

n é a rotação (rpm); f é a freqüência (Hz); W é a velocidade angular (rad/s).

W é a velocidade angular (rad/s).

8.3 – Tensão de Cisalhamento na Torção

A tensão de cisalhamento atuante na seção transversal da peça é definida por:

atuante na seção transversal da peça é definida por: Para ρ = 0, τ = 0

Para ρ = 0, τ = 0 Para ρ = r

Conclui-se que no centro da seção transversal, a tensão é nula.

por: Para ρ = 0, τ = 0 Para ρ = r → Conclui-se que no

3

A tensão aumenta a medida que o ponto estudado é afastado do centro e

aproxima-se da periferia. A tensão máxima na seção ocorrerá na distância máxima entre

o centro e a periferia, ou seja, quando ρ = r. Pela definição de módulo resistente polar, tem-se que:

Então:

definição de módulo resistente polar, tem-se que: Então: Onde τ m a x é a tensão

Onde τ max é a tensão máxima de cisalhamento na torção (Pa);

M T

I P é o momento polar de inércia (m 4 ); r é o raio da seção transversal (m);

W P é o módulo resistente polar da seção transversal (m 3 ).

é o momento torçor ou torque (Nm);

8.4 – Distorção (γ)

O torque atuante na peça provoca na seção transversal desta, o deslocamento do

ponto A da periferia para uma posição A . Na longitude do eixo, origina-se uma deformação de cisalhamento denominada

distorção γ, que é determinada em radianos, através da tensão de cisalhamento atuante e

o módulo de elasticidade transversal do material:

atuante e o módulo de elasticidade transversal do material: (figura) Onde γ é a distorção radial

(figura)

Onde γ é a distorção radial (rad); τ é a tensão atuante (Pa); G é o módulo de elasticidade transversal do material (Pa).

8.5 – Ângulo de Torção (θ)

O deslocamento do ponto A para uma posição A , descrito na distorção, gera, na

seção transversal da peça, um ângulo de torção (θ) que é definido por:

da peça, um ângulo de torção ( θ ) que é definido por: Onde θ é

Onde θ é o ângulo de torção (radianos);

M T é o momento torçor ou torque (Nm);

l é o comprimento da peça (m); I P é o momento polar de inércia (m 4 ); G é o módulo de elasticidade transversal do material (Pa).

8.6 – Dimensionamento de Eixos-Árvore

Denomina-se:

Eixo quando funcionar parado, suportando cargas; Eixo-árvore quando girar, com o elemento de transmissão.

4

Para dimensionar uma árvore, utiliza-se para o caso. Tem-se então:

uma árvore, utiliza-se para o caso. Tem-se então: (tensão admissível no material) indicada Para o eixo

(tensão admissível no material) indicada

Para o eixo maciço, tem-se:

Substituindo:

indicada Para o eixo maciço, tem-se: Substituindo: Como M T = P / ω , pode-se

Como M T = P / ω, pode-se escrever que:

Substituindo: Como M T = P / ω , pode-se escrever que: Mas considerando-se que ω

Mas considerando-se que ω = 2πf, e f = n/60, chega-se em:

considerando-se que ω = 2 π f, e f = n/60, chega-se em: Onde d é

Onde d é o diâmetro da árvore (m);

M

T é o momento torçor ou torque (Nm);

P

é a potência (W);

ω é a velocidade angular (rad/s);

a tensão admissível do material (Pa); f é a frquência (Hz);

n

a velocidade angular (rad/s); a tensão admissível do material (Pa); f é a frquência (Hz); n

é

é a rotação (rpm).

5

- Movimento Circular

5 - Movimento Circular

6

6

7

7

8

8