Você está na página 1de 19

Dennis de Oliveira Santos

sinnedos1@gmail.com
Socialização é a assimilação de hábitos
característicos do seu grupo social, todo o
processo através do qual um indivíduo se torna
membro funcional de uma comunidade,
assimilando a cultura que lhe é própria. O
processo de socialização inicia-se após o
nascimento, e através, primeiramente, da família
ou outros agentes próximos da escola, dos meios
de comunicação de massas e dos grupos de
referência.
De caráter privado – família

De caráter público – escola, estado, cultura,


religião, tribos urbanas, etc.

De caráter público e privado – meios de


comunicação (internet, jornais, televisão,
rádio).
Os comportamentos sociais são mutáveis, estão
em constante transformação a todo instante.
 Análise das classes sociais: a divisão da
sociedade em classes é uma decorrência de
determinadas relações sociais de produção
constituídas no nível da estrutura social.
 Configuração básica das classes sociais:
1) proprietários dos meios de produção
(burguesia)
2) Trabalhadores, não proprietários
(proletários)
O homem se distingue dos outros animais
pela capacidade de organizar o seu
trabalho (atividades).
 Marx aponta que o Estado surge na história
como o resultado da divisão da sociedade em
classes sociais.
 O Estado surge como instituição que visa
minimizar os conflitos de classe, mas no
sistema capitalista acaba favorecendo a
classe burguesa.
 Os indivíduos devem ser compreendidos no
contexto social da classe que eles estão
interligados.
 Método de análise desenvolvido: parte da
sociedade para os indivíduos sociedade
preponderante e transcendente.
FATO SOCIAL “toda maneira de agir fixa ou
não, suscetível de exercer sobre o indivíduo
uma coerção exterior, que é geral na
extensão de uma sociedade dada,
apresentando existência própria,
independente de manifestações individuais”.
 Características dos fatos sociais:
Exterioridade e coercitivos.
 Primeiro conceito trabalhado por Durkheim é o
conceito de consciência coletiva esta entendida
como: “o conjunto das crenças dos sentimentos
comuns à média dos membros de uma
sociedade. Forma um sistema determinado, que
tem vida própria.”
A consciência individual é aquela que
especifica os indivíduos uns em relação aos
outros, são as características intrínsecas da
personalidade individual.
 A consciência coletiva só existe em função
dos sentimentos e crenças presentes nas
consciências individuais, mas se distingue,
pelo menos analiticamente, destas últimas,
pois evolui segundo suas próprias leis e não
é apenas a expressão ou o efeito das
consciências individuais
Psiqué
Personalidade
(consciência
individual)

Idéias comuns a
Consciência
todas consciências
coletiva
individuais

Social e Geral
9
Sociedade
funcionando através Problemas Mudam de Econômica
de Leis e Regras pré- sociais origem para
estabelecidas Crise Moral

Problemas sociais originados pela ausência


Anomia de regras

Normas Organização
social
10
 Direito e sistema carcerário: sua função não
é só punitiva, mas restitutiva, educacional.
 O conceito de anomia expressa a crise, a
perda de efetividade ou o desmoronamento
das normas e dos valores vigentes em uma
sociedade, como consequência do seu rápido
e acelerado desenvolvimento econômico e
de suas profundas alterações sociais que
debilitam a consciência coletiva, entendida
como uma espécie de poder regulador
necessário que serve de moderador aos
ilimitados apetites e expectativas
individuais.
 Objeto de análise: ação social:
conduta a qual o próprio agente
associa um sentido. É orientada pelo
agente conforme a conduta de outros e
que transcorre em consonância com
isso.  implica alguma ação
significativa visando outro indivíduo.
 Parte da análise do indivíduo para a
sociedade.
 Tipos de ação social:
1) Ação tradicional: determinada por um costume ou
hábito arraigado;

2) Ação afetiva: determinada por afetos ou estados


sentimentais;

3) Ação racional com relação a valores: determinada


pela crença consistente em um determinado valor
considerado importante, independente do êxito deste
na realidade;

4) Ação racional com relação a fins: determinada pelo


cálculo racional que coloca os fins e organiza os meios
necessários para a consecução deste fim.
 Marx: indivíduos inseridos em classes sociais,
por um fator econômico.
 Durkheim: o fundamental é a sociedade e a
integração do indivíduos nela.
 Weber: indivíduos e suas ações sociais são os
elementos constitutivos da sociedade.
 Autores como
Bourdieu e Elias,
procuram analisar a
relação indivíduo e
sociedade, e
procuram integrar
ações e instituições
fundamentais.
O indivíduo e sociedade estão intimamente
interligados, pois a existência e explicação
de ambos só pode ser feita neste contexto.
 Idéia de fluxo contínuo, que permite o
entendimento dentro deste contexto e
configuração.
 No grupo social é assim: não há separação
entre indivíduo e sociedade, tudo deve
ser entendido de acordo com o contexto;
caso contrário, perde-se a dinâmica da
realidade e o poder de entendimento.
 Habitus, em Elias é segunda natureza, saber
social incorporado durante nossa vida em
sociedade.
 O habitus liga o indivíduo a sociedade.
 Ele se apresenta como (primário e
secundário) – sendo que o primeiro é
aprendido nos primeiros anos de vida e
nunca é abandonado pelo indivíduo. Já o
segundo são os valores que vai se
adquirindo ao longo da vida e se mescla
com o primeiro.
 Habitus é estruturado por meio das
instituições sociais dos agentes (família
e escola).
 Habitus primário- mais duradouro, mas
não congelado.
 Habitus secundário- contato com pessoas
de outros universos de vida. Não
contrário,mas indissociável daquele.