Você está na página 1de 27

MEDIÇÃO EM QUÍMICA

INCERTEZA DE UMA MEDIÇÃO


• Efetuar uma medição é realizar
uma comparação do valor de uma
grandeza com outro predefinido, a
que se convencionou chamar
unidade padrão.

• Uma medida é o resultado de


uma medição; exprime-se através
de um valor numérico, h = 1,50 m
acompanhado de uma unidade
apropriada.
INCERTEZA DE UMA MEDIÇÃO
• Uma medida pode resultar de uma
medição:
– Direta, quando o valor de uma
grandeza é comparado diretamente
com a unidade padrão do instrumento
utilizado;

– Indireta, quando o valor de uma


grandeza se obtém a partir de
relações matemáticas entre medidas
de grandezas obtidas por medição
direta.
INCERTEZA DE UMA MEDIÇÃO
• Numa medição direta, por mais rigoroso que seja o
instrumento utilizado e adequada que seja a técnica,
há sempre uma incerteza associada à medida,
devendo registar-se a incerteza absoluta de leitura
(Ia) dos instrumentos de medida utilizados.

Ia =  0,05 cm
INCERTEZA DE UMA MEDIÇÃO
• Não sendo fornecida pelo fabricante,
considera-se a incerteza absoluta de leitura dos
Se se medir o volume
instrumentos de medida utilizados:
de um líquido com
uma proveta de
– metade do valor da divisão menor da sensibilidade 0,1 mL,
a incerteza absoluta
escala, se o instrumento for analógico; de leitura da proveta
será ± 0,05 mL.

– igual a uma unidade do último dígito de


leitura, se o instrumento for digital.
Se, para medir a massa de um sólido, se usar uma balança
digital que apresenta leituras com duas casas decimais, a
incerteza absoluta de leitura da balança será ± 0,01 g.
• Define-se sensibilidade de um instrumento como o menor valor que se
consegue medir com ele.
INCERTEZA DE UMA MEDIÇÃO
• A incerteza relativa (Ir) corresponde ao quociente
entre a incerteza absoluta de leitura (Ia) e o
resultado da medição (x), o que mostra que a
incerteza absoluta de leitura de um instrumento
é tanto menos significativa quanto maior o valor
da medição.
Ia
Ir 
x
• Esse resultado pode ser expresso em
percentagem se for multiplicado por cem.
INCERTEZA DE UMA MEDIÇÃO
• O resultado da medição pode ser apresentado de três
formas distintas:
– Em função da incerteza absoluta de leitura do instrumento de
medida utilizado:
• 9,50 mL ± 0,05 mL ou (9,50 ± 0,05) mL
• 4,50 g ± 0,01 g ou (4,50 ± 0,01) g

– Intervalo de valores no qual deverá estar contido o valor da


grandeza medida com um dado grau de confiança:
• [9,45; 9,55] mL
• [4,49; 4,51] g

– Em função da incerteza relativa, em percentagem:


• 9,50 mL ± 0,5 %
• 4,50 g ± 0,2 %
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• Numa medição, todos os algarismos, exceto o colocado
mais à direita, são fornecidos pela escala do aparelho
de medida – são os algarismos exatos. O algarismo
colocado mais à direita terá sempre uma incerteza
associada a si – é o algarismo aproximado ou incerto.
algarismo aproximado

algarismos exatos

• Qualquer algarismo que se coloque depois do


algarismo incerto é desprovido de significado físico
pois não é, normalmente, fornecido pela escala do
aparelho utilizado.
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS

Designam-se algarismos significativos ao


conjunto dos algarismos exatos e do algarismo
aproximado.

m = 4,50 g  3 algarismos significativos


ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• Na contagem dos algarismos significativos resultantes de uma
medição experimental direta é importante ter em conta as
seguintes regras:

– A contagem de algarismos significativos faz-se da esquerda


para a direita a partir do primeiro dígito diferente de zero,
contando qualquer dígito como significativo até ao último
representado.
• 5,85 cm tem três algarismos significativos.
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• Na contagem dos algarismos significativos resultantes de uma
medição experimental direta é importante ter em conta as
seguintes regras:

– O algarismo zero é significativo quando se encontra ou no


meio de um número ou no final de um número, do lado
direito da vírgula decimal.
• 204 cm contém três algarismos significativos assim como
0,00570 km.
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• Na contagem dos algarismos significativos resultantes de uma
medição experimental direta é importante ter em conta as
seguintes regras:

– O número de algarismos significativos é sempre o mesmo,


independentemente das unidades em que a grandeza se
exprime, devendo manter-se numa conversão de
unidades.
• 0,00570 km em unidade do SI seria 5,70 m.
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• Nas medições indiretas o número de algarismos significativos
a apresentar no resultado final depende das incertezas de
leitura das medições diretas, que definem o número de
algarismos significativos dessas medições, e do tipo de
operações matemáticas usadas.
– Na adição e na subtração, o número de casas decimais do
resultado deve ser igual ao da parcela que tiver menor
número de casas decimais;
• 5,321 + 8,40 = 13,72
• 1,2 – 0,123 = 1,1
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• Nas medições indiretas o número de algarismos significativos
a apresentar no resultado final depende das incertezas de
leitura das medições diretas, que definem o número de
algarismos significativos dessas medições, e do tipo de
operações matemáticas usadas.
– Na multiplicação e na divisão, o resultado deve ter o
mesmo número de algarismos significativos que o fator ou
divisor que tiver o menor número de algarismos
significativos;
• 6,53  1,3 = 8,5
• 2,20 2,934 = 0,750
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• Nas medições indiretas o número de algarismos significativos
a apresentar no resultado final depende das incertezas de
leitura das medições diretas, que definem o número de
algarismos significativos dessas medições, e do tipo de
operações matemáticas usadas.
– Os números exatos, obtidos de definições ou de
contagens, não afetam o número de algarismos
significativos, pois são considerados como sendo valores
constantes isentos de erro.

• Deve utilizar-se um algarismo significativo em excesso em


cálculos intermédios para que o rigor do resultado final não
seja afetado por arredondamentos intermédios.
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• A apresentação de um resultado de uma medição indireta
com o número correto de algarismos significativos implica,
frequentemente, arredondamentos nos resultados. Existem
três regras básicas para se efetuar o arredondamento de
valores de grandezas obtidos através de operações
aritméticas:
– Se o algarismo a seguir ao último algarismo significativo for
inferior a 5, o algarismo significativo mais à direita depois
da vírgula decimal mantém-se.
• 7,524 arredondado para três algarismos significativos fica 7,52.
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• A apresentação de um resultado de uma medição indireta
com o número correto de algarismos significativos implica,
frequentemente, arredondamentos nos resultados. Existem
três regras básicas para se efetuar o arredondamento de
valores de grandezas obtidos através de operações
aritméticas:
– Se o algarismo a seguir ao último algarismo significativo for
superior a 5, acrescenta-se uma unidade ao algarismo
significativo mais à direita da vírgula decimal.
• 6,537 arredondado para três algarismos significativos fica 6,54.
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
• A apresentação de um resultado de uma medição indireta
com o número correto de algarismos significativos implica,
frequentemente, arredondamentos nos resultados. Existem
três regras básicas para se efetuar o arredondamento de
valores de grandezas obtidos através de operações
aritméticas:
– Se o algarismo depois do último algarismo significativo for
igual a 5, o algarismo significativo mais à direita da vírgula
decimal: arredonda-se para o número par mais próximo.
• 6,345 arredondado para três algarismos significativos fica 6,34,
enquanto 6,215 arredondado para o mesmo número de
algarismos significativos fica 6,22.
NOTAÇÃO CIENTÍFICA E ORDEM DE GRANDEZA

Representar o resultado de uma medição com o número


correto de algarismos significativos obriga, por vezes, a
que o número seja representado em notação científica.

• Todos os números podem ser expressos em notação


científica na forma:
N  10n
onde N é qualquer número entre 1 e 10 e n é um
expoente inteiro, positivo ou negativo.
• Se o resultado de uma medição for, por exemplo, 1200 m, esse
resultado com dois algarismos significativos seria
1,2  103 m e com três algarismos significativos 1,20  103 m.
NOTAÇÃO CIENTÍFICA E ORDEM DE GRANDEZA

A escrita dos números em notação científica é também muito


útil quando as medições são muito grandes ou muito
pequenas.

• Para converter um número para notação científica,


deve deslocar-se a vírgula decimal para se obter um
número N entre 1 e 10.

• O expoente n da potência de base 10 será um número


inteiro igual ao número de vezes que a vírgula se
deslocou:
– positivo se a vírgula se deslocar para a esquerda,
– negativo se a vírgula se deslocar para a direita.
NOTAÇÃO CIENTÍFICA E ORDEM DE GRANDEZA

A espessura de uma moeda de um euro é 0,00233 m = 2,33  10–3 m.

A altura do monte Evereste é 8848 m = 8,848  103 m.

• A ordem de grandeza de um número é a potência de base dez mais


próxima desse número. Assim, a ordem de grandeza da espessura da
moeda é 10-3, enquanto a ordem de grandeza da altura do monte Everest
é 104, pelo que a altura do monte Evereste é cerca de 107 vezes superior à
espessura da moeda de um euro.
ERROS SISTEMÁTICOS E ERROS ALEATÓRIOS

A identificação e a caracterização dos possíveis erros associados


a uma medição são importantes para tornar o resultado da
medição o mais fiável possível. Estes podem ser classificados
como:

• Erros sistemáticos – são erros cujas causas podem ser


identificadas. Em algumas situações podem ser corrigidos
facilmente, por exemplo, quando se devem às limitações dos
aparelhos de medida ou das técnicas utilizadas.
ERROS SISTEMÁTICOS E ERROS ALEATÓRIOS

A identificação e a caracterização dos possíveis erros associados


a uma medição são importantes para tornar o resultado da
medição o mais fiável possível. Estes podem ser classificados
como:

• Erros aleatórios – são erros que surgem mesmo em situações


de grande cuidado operacional e resultam de causas
desconhecidas e imprevisíveis, não se podendo quantificar a
forma como alteram (por excesso ou por defeito) o resultado
final.
ERRO ABSOLUTO E ERRO RELATIVO
• Conhecendo-se o valor de referência (xr) de uma determinada
grandeza pode determinar-se o valor absoluto da diferença entre o
valor obtido experimentalmente (x) e esse valor de referência,
designado de erro absoluto (ea):

ea = |x – xr|

• O erro relativo (er), à semelhança da incerteza relativa, compara o


tamanho do erro absoluto com o valor de referência sendo obtido
pelo quociente dessas grandezas, de acordo com a expressão:
ea
er 
xr
• Esse valor multiplicado por cem corresponderá ao erro relativo
percentual, er(%).
ERRO ABSOLUTO E ERRO RELATIVO

• A exatidão avalia a proximidade entre o resultado da


medição e o valor de referência.

• A exatidão é afetada pelos erros sistemáticos e pode


ser estimada pelo erro relativo, quanto menor o erro
relativo maior a exatidão de uma medição.
MEDIÇÃO EM QUÍMICA