P. 1
AMOSTRAS BIOLOGICAS

AMOSTRAS BIOLOGICAS

|Views: 106|Likes:
Publicado porSamara Ferreira

More info:

Published by: Samara Ferreira on Aug 25, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as RTF, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/10/2014

pdf

text

original

CENTRO UNIVERSITARIO DO SUL DE MINAS/UNIS-MG BIOMEDICINA COLETA E PROCESSAMENTO DE AMOSTRAS

COLETA,PREPARO E TRANSPORTE DE AMOSTRAS BIOLOGICAS PARA HEMOCULTURA,LIQUIDO CEFALORRAQUIDIANO,CULTURA SECREÇÕES E OUTROS FLUIDOS BIOLOGICOS

NOME:SAMARA MESQUITA FERREIRA

VARGINHA-MG 2013

COLETA DE AMOSTRAS BIOLOGICAS O procedimento de coleta de material biológico causa sempre insegurança ao cliente, pois a espera deste resultado pode trazer consigo a ideia de alívio, medo e por este motivo é importante que neste momento o coletador esteja seguro e confiante para que possa tranquilizar o cliente. Se paciente não apresenta alteração do nível de consciência, é importante que o procedimento de coleta seja explicado em linguagem clara, mesmo em caso de crianças. Isto facilita a colaboração do paciente no procedimento. Quando o mesmo não está apto a compreender as informações, estas são passadas ao acompanhante caso este esteja presente.  HEMOCULTURA Material de Coleta: Sangue Preparo do paciente: Preferencialmente não estar em uso de antimicrobianos. Quando solicitado 3 amostras e não especificado os tempos, colher com espaço de 10 a 20 minutos cada amostra. Procedimento da coleta: * Selecionar o local da punção. Após seleção da veia, afrouxar o garrote; * Retirar a tampa de proteção do meio de cultura, sem remoção total do anel de alumínio que protege o frasco, e desinfecção da tampa de borracha com algodão e álcool etílico a 70%, colocar uma gaze estéril protegendo a tampa, enquanto é feita a assepsia do local de punção. * Limpar o local da punção com algodão embebido em alcool etilico 70% , em circulos concentrícos (do centro para as bordas), sem voltar com o algodão para o centro. * Em seguida, limpar o local da punção com algodão embebido em Clorexidina 2% em círculos concentricos (conforme descrito no item acima); * Esperar secar para que o antisséptico exerça seu efeito no local; *Não assoprar, não abanar e não colocar nada no local; * Se coleta for feita com Scalp, posicionar o frasco de hemocultura abaixo do local da punção e na posição vertical, observando a quantidade de sangue que está fluindo no frasco; *Se coleta for feita com seringa e agulha, transferir o sangue imediatamente para o frasco de hemocultura sem trocar a agulha. * Homogeneizar os frascos (lentamente) por inversão. * Deve-se seguir os seguintes esquemas de coleta: Para solicitação de apenas uma amostra: colher 1 frasco de hemocultura convencional. Para solicitação de duas amostras: colher 1 frasco de hemocultura e, após o intervalo de 10 a 20 minutos, colher a outra amostra no outro braço. Para solicitação de mais de duas amostras: colher 1 frasco de hemocultura convencional e colher as outras amostras 30 e 60 minutos (ou conforme solicitação médica) após a primeira coleta, alternando os braços a serem coletados. *Volume recomendável: Adulto: 5 a 10 mL conforme seja o frasco de hemocultura de 45 ou 90 mL. Criança: 1 a 5 mL conforme o volume do frasco de hemocultura. *Quando houver solicitação de hemocultura para anaeróbios especificada, usar também o frasco próprio para anaeróbios.

- As principais dificuldades deste exame consistem em se definir se o agente isolado é ou não contaminante. Portanto, os cuidados referentes ao processo de assepsia devem ser rigorosamente obedecidos. * O intervalo entre a coleta e o número das amostras varia de acordo com a suspeita clinica, devendo preferentemente ser especificado pelo médico. * A sensibilidade do exame esta diretamente relacionada ao volume de sangue colhido. Quanto maior o volume da amostra, maior a possibilidade de se isolar a bactéria. * A especificidade aumenta quando as coletas são feitas em sítios diferentes. Descrição do Exame: Cultura de sangue Método: Sistema específico de isolamento e identificação. Conservação: As amostras devem ser conservadas em frascos apropriados para hemocultura em temperatura ambiente até 24 horas. Interferentes: O uso de antimicrobianos não impede a realização da cultura, mas, em algumas situações, pode interferir no resultado. Valor de Referência: Cultura negativa. Interpretação: O exame é útil para o diagnóstico nos processos infecciosos sistêmicos. O momento ideal da coleta da hemocultura é antes do início da antibioticoterapia, mas o uso prévio de antimicrobianos não impede a realização do exame. - O isolamento de S. aureus, Enterobacteriaceae, P. aeruginosa, S. pneumoniae e C. albicans entre outros agentes, representa infecção em mais de 90% dos casos. Já Corynebacterium spp, Bacillus spp e Propionibacterium spp raramente se mostram clinicamente relevantes. Para que sejam caracterizados como patógenos, os microrganismos Streptococcus do grupo Viridans, Enterococcus spp e Staphylococcus coagulase-negativo necessitam de isolamento em duas ou mais amostras. Dependendo da idade do indivíduo, a detecção de Streptococcus bovis pode sugerir investigação de neoplasia do trato digestivo. Setor: Microbiologia

 AMOSTRAS DE FLUIDOS CORPORAIS

 ESCARRO Material de Coleta: Escarro Preparo do paciente: Retirar previamente as instruções e o material para a coleta de escarro, que deve ser feita em casa, antes do café-da-manhã.

O paciente deve escovar os dentes e bochechar com bastante água, tossir profundamente (tosse tipo diafragmática) e colocar o material no recipiente de coleta, observando bem o processo para que a amostra obtida seja realmente escarro, e não saliva. - No caso de uso prévio ou atual de antimicrobianos, o nome do medicamento precisa ser informado ao Fleury. A administração de antimicrobianos não impede a realização da cultura, mas, em algumas situações, pode interferir no resultado. - o material poderá ser colhido no Fleury Descrição do Exame: Cultura Escarro Método: Exame microscópico após coloração pelo Gram em aumento de 100X para avaliação da qualidade do material. Cultura em meios específicos para isolamento de diversos microrganismos causadores de infecções do trato respiratório e identificação por provas bioquímicas manuais. Conservação: O material deve ser entregue no laboratório em até 2 horas após a coleta, se em temperatura ambiente, ou até 24 horas, se mantido refrigerado (2 a 8 ºC).Interferentes: Uso de antimicrobianos prévio ou atual, o nome do medicamento precisa ser informado ao laboratório. A administração de antimicrobianos não impede a realização da cultura, mas, em algumas situações, pode interferir no resultado. A amostra será avaliada quanto à sua qualidade e, caso não seja adequada, o paciente será informado em até 24 horas após a entrega do material, para que seja realizada nova coleta. Valor de Referência: Presença de microrganismos habitualmente não patogênicos pertencentes à microbiota normal. Interpretação: Usualmente, o escarro não é o material mais adequado para o diagnóstico de infecções do trato respiratório inferior, por poder estar contaminado com microrganismos da microbiota normal da orofaringe, os quais, por sua vez, também causam infecção no trato respiratório inferior. No entanto, este método pode ser útil para o diagnóstico de pneumonias quando a amostra de escarro é de boa qualidade. Assim, um resultado mais confiável depende fundamentalmente da qualidade da amostra, que deve ser obtida após rigorosa higiene bucal. Uma amostra considerada representativa do sítio de infecção deve apresentar mais de 25 leucócitos polimorfonucleares e menos de dez células epiteliais pavimentosas por campo, em aumento de 100 vezes. Amostras fora dessas especificações costumam ser rejeitadas, apesar de algumas exceções: Pacientes neutropênicos, como os transplantados de medula óssea, podem não apresentar leucócitos polimorfonucleares no escarro e, neste caso, apenas a

avaliação da quantidade de células epiteliais deve ser feita; A presença de patógenos associados à fibrose cística em materiais de trato respiratório superior obtidos com swabs de orofaringe após tosse, principalmente em crianças com idade inferior a 5 anos, apresenta alto valor preditivo positivo para infecções do trato respiratório inferior e, em tal situação, não há necessidade de avaliar a presença d-Entre os microrganismos mais freqüentemente associados a pneumonias estão Haemophilus influenzae, Staphylococcus aureus, Streptococcus pneumoniae, Moraxella catarrhalis, Enterobacteriaceae (em particular, K. pneumoniae e E. coli) e Pseudomonas aeruginosa. São considerados como parte da microbiota normal o Staphylococcus coagulasenegativo, o Streptococcus do grupo viridans e a Neisseria spp. Setor: Microbiologia  AMOSTRAS DA OROFARINGE Material de Coleta: Secreção de orofaringe Secreção de nasofaringe Preparo do paciente: Jejum mínimo de duas horas. Colher, preferencialmente, antes do desjejum e da higiene oral. Usando foco de luz, abaixar a língua do paciente. Introduzir o swab diretamente na área da coleta , evitando tocá-lo em outras partes da boca. Descrição do Exame: Cultura de orogaringe Cultura e antibiograma de Orifaringe Orofaringe Cultura Método: Cultura em meios específicos para isolamento de diversos micorganismos. Conservação: Temperatura ambiente até 4 horas colhido em meios conservador (STUART). Interferentes: A administração de antimicrobianos não impede a realização da cultura,mas pode interferir no resultado em algumas situações .Valor de Referência: Cultura negativa. Presença de microrganismo pertencentes à microbiota normal do local. Interpretação: è útil na avaliação da microbiota local e para a detecção de microrganismos sabidamente patogênicos, como o Streptococcus pyogenes (estreptococo betahemolítico do grupo A), ou potencialmente patogênicos, a exemplo de Streptococcus beta-hemolíticos dos grupos C e G, S. pneumoniae, Arcanobacterium haemolyticum, Corynebacterium pseudodiphtheriticum, H. influenzae, Moraxella catarrhalis e S. aureus, entre outros.

Na suspeita de angina de Vincent, convém solicitar também exame bacterioscópico (Gram). Setor: Microbiologia  SECREÇÃO URETRAL Material de Coleta: Secreção uretral. Preparo do paciente: O paciente precisa estar pelo menos há duas horas sem urinar. No caso de uso prévio ou atual de antimicrobianos, deve ser informado o nome do medicamento. Descrição do Exame: Secreção uretral Método: Cultura em meios adequados para isolamento de diversos microrganismos. Este exame não detecta a presença de determinados microrganismos, como Chlamydia, Mycoplasma e Ureaplasma, os quais necessitam pedidos específicos. Conservação: Após a coleta enviar imediatamente ao setor de microbiologia.Interferentes: A administração de antimicrobianos não impede a realização da cultura, mas, em algumas situações, pode interferir no resultado. Valor de Referência: Se o exame de cultura não revelar a presença de algum microrganismo relevante nem no exame direto do material (bacterioscópico pelo método de Gram), mas houver presença aumentada de leucócitos, sugere-se pesquisa de outros agentes causadores de uretrite que não são diagnosticados neste exame (Chlamydia, Mycoplasma e Ureaplasma). Interpretação: É útil no diagnóstico etiológico das uretrites e inclui rotineiramente a pesquisa de diversos microrganismos em meios especiais de cultura, até mesmo Neisseria gonorrhoeae, Gardnerella vaginalis e Candida spp. Os meios de cultura empregados permitem também o isolamento de diversos outros microrganismos, tais como enterobactérias, bacilos gram-negativos não-fermentadores, Streptococcus spp, Enterococcus spp e Staphylococcus spp. Este exame, no entanto, não pesquisa outros agentes causadores de uretrites, como Mycoplasma hominis, Ureaplasma urealyticum/parvum e Chlamydia trachomatis, os quais necessitam de métodos especiais e pedidos específicos do clínico. Para uma melhor avaliação, é importante avaliar conjuntamente o resultado dos exames microscópico direto para a pesquisa de Trichomonas spp e do bacterioscópico pelo método de Gram, uma vez que tais recursos auxiliam a avaliação da microbiota local e de elementos celulares (leucócitos e eritrócitos). Setor: Microbiologia  FEZES

Material de Coleta: Fezes recente "In Natura " e em meio de Transporte (Cary-Blair). Swab anal (para cultura de enteropatógenos) .Preparo do paciente: Colher fezes recém excretadas antes da administração de antimicrobianos. Descrição do Exame: Cultura de fezes Cultura de fezes com antibiograma Cultura pra enteropatógenos Método: Cultura em meios especificos. Conservação: Até 2 horas "In natura" em temperatura ambiente. Meio Cary-Blair, enviar entre 2 e 8 ºC em até 48 horas. Interferentes: Amostras com conservantes. Uso de antibióticos. Valor de Referência: Cultura negativa. Interpretação: A cultura de fezes identifica microorganismos enteropatogênicos em casos de diarréia aguda ou crônica. São consideradas indicações de coprocultura: diarréia sanguinolenta, febre, tenesmo, sintomas severos e persistentes, presença de leucócitos fecais e história de exposição a agentes bacterianos.As coproculturas são direcionadas para pesquisa de Salmonella spp, Shigella spp, E. coli enteropatogênicas, entre outros eventuais patógenos. Setor: Microbiologia Material de Coleta: - Escarro expectorado, escarro induzido com salina a 3%, - Secreções de feridas, - Punção de linfonodos, - Abscessos, - Sangue, - Líquidos corporais (líquor, líquido pleural, líquido ascítico ou peritoneal, líquido sinovial,líquido pericádico líquido amniótico), - Urina Preparo do paciente: Usar frascos limpos e descartáveis. Toda amostra, sujeita a ressecamento deve ser protegida com o acréscimo de soro fisiológico estéril. - Escarro expectorado: Lavar várias vezes a boca com água pura, gargarejando e bochechando abundantemente. Qualquer secreção nasal ou saliva, deve ser eliminada. Fazer varias inspirações profundas e tossir várias vezes, procurando obter o material do fundo do peito. - Urina: . Realizar higiene íntima com água.

. Em seguida, colher todo a urina da primeira micção da manhã.Sugere-se um mínimo de três e no máximo seis amostras colhidas em dias consecutivos. - Não aceitamos amostras de urina de 24 hs. - Escarro Induzido: Lavar vigorosamente a boca com salina a 0,85% por 5 a 10 minutos, não usar pasta dental. Fazer nebulização com salina hipertônica a 3%. A inalação profunda desta salina resultará na acumulação osmótica de fluido e na irritação da árvore brônquica, com subsequente tosse e expectoracão do conteúdo broncoalveolar. - Pus e secreções purulentas, aspirado de gânglios e de tumores: Quando provenientes de cavidade fechada são coletados através de punção, procedimento exclusivamente médico. Quando o material é de cavidade aberta, colhe-se através de um swab, com cuidados especiais de não tocar nas borbas. Nesse caso, deve-se descarregar o swab em água destilada ou salina estéreis. - Sangue: Colher o sangue em tubos de heparina ou SPS. Colher 02 tubos por amostra para adultos e 01 tubo por amostra para crianças. - Líquidos Corporais: Nos casos de liquidos sanguinolentos, coletar em tubo contendo anticoagulante para evitar que o bacilo fique preso na rede de fibrina. Descrição do Exame: Bacilos de Koch BAAR, Cultura Tuberculose, Cultura Micobactérias Bacilo da Tuberculose, Cultura Cultura para BK Método: Cultura em meios epecificos. Conservação: - Escarro: enviar em até 06 horas a temperatura ambiente ou 72 horas entre 2º e 8º C e protegido da luz. - Sangue e medula óssea: até 24h. Nunca refrigerar. - Demais amostras: enviar em até 06 horas a temperatura ambiente ou 24 horas entre 2º e 8º C e protegido da luz. Interferentes: Administração de antimicrobianos não impede a realização da cultura, mas pode interferir no resultado, em algumas situações. Valor de Referência: Cultura negativa. Interpretação: A cultura é considerada o padrão-ouro para o diagnóstico de infecções causadas por espécies do gênero Mycobacterium, uma vez que apresenta sensibilidade superior à da microscopia direta após coloração de Ziehl e à da pesquisa do DNA (PCR para M. tuberculosis). A microscopia direta do material pelo método de Ziehl-Neelsen é essencial para a valorização de espécies de patogenicidade discutível. Setor:

Microbiologia  FLUIDOS CORPORAIS Material de Coleta: Feridas superficiais (furúnculos, úlceras, fístulas, Abscessos drenados, úlceras de decúbito), Escarro, Esperma, Secreções genito-urinárias, Secreção nasal, Secreção de nasofaringe, Secreção de orofaringe, Secreção conjuntival, Urina 1º jato, Líquidos corporais, Secreções diversas, Raspado de lesões de pelo, unha e couro cabeludo. Preparo do paciente: Vaginal: - A cliente deve realizar higiene íntima habitual com água e sabonete, somente externamente. - Nas 48 horas antes do exame, a mulher não pode usar creme e/ou óvulo vaginal nem ducha e/ou lavagem interna. -Para pesquisa de Streptococcus beta hemolitico: A coleta deve ser feita preferencialmente entre a 35ª e a 37ª semana de gestação, mas, desde que indicado pelo médico, pode ser realizada em qualquer idade gestacional. Escarro: . A coleta de escarro deve ser feita em casa. . Colher preferencialmente de manhã ao se levantar, antes da higiene oral e do desjejum. . Lavar várias vezes a boca com agua pura,bochechando abundantemente. . Fazer várias vezes inspirações profundas e tossir várias vezes procurando obter o material do fundo do peito. Recolher este material no frasco fornecido pelo laboratorio, fechando-o logo após a coleta. . Não colher saliva ou secreção nasal. . Enviar o mais rápido póssível. - Espermocultura: Veja instruções em espermocultura. -Secreção vaginal: Veja instruções em cultura de secreção vaginal. -Secreção Uretral: . vir para a coleta preferencialmente pela manhã sem urinar, ou estar sem urinar por pelo menos 4 horas.

- Coleta de secreção oral: . não escovar os dentes (1 hora antes da coleta) . não usar anti-séptico bucal no dia da coleta . jejum desejável de pelo menos duas horas. - Secreção conjuntival: As secreções oculares são normalmente escassas e o paciente deverá ser instruído a não lavar a região dos olhos antes da coleta. Se a secreção for muito intensa, evitar a coleta superficial. Nos demais casos, pedir ao paciente que olhe para cima, abaixe a palpebra inferior e, usando um swab pequeno, colher dessa regiao (fundo de saco conjuntival). . Colher do olho especificado pelo médico. Quando não for especificado, colher separadamente de ambos os olhos afetados ou não e identificar os swabs ( O.D. e O.E.). dele. Descrição do Exame: Cultura Streptococcus beta hemolitico Streptococcus grupo A Cultura bactérias aeróbicas Cultura geral Espermocultura Bacteriológico Urocultura 1º jato Cultura para materiais diversos Método: Cultura em meios adequados para isolamento de diversos microrganismo. Conservação: Após a coleta encaminhar ao laboratório de microbiologia o mais rápido possível. O material colhido em meio(STUART) estável 24 horas a temperatura ambiente. Interferentes: A administração de antimicrobianos não impede a realização da cultura, mas pode interferir no resultado, em algumas situações. Valor de Referência: Cultura negativa. Interpretação: É útil no diagnóstico de infecções microbianas nos diversos sítios corporais, identificação dos microorganismos e testes de sensibilidade aos antibióticos. -Dados americanos mostram uma incidência de infecção por S. agalactiae de 1,4 e 0,4 por mil crianças nascidas vivas, sem uso e com uso da quimioprofilaxia, respectivamente. Dos infectados, cerca de 6% morrem e de 15% a 30% dos que apresentam meningite evoluem com seqüelas neurológicas. A doença causada por essa bactéria pode se apresentar precocemente (idade inferior a sete dias) ou tardiamente (idade superior a sete dias), tendo quadros clínicos variados que incluem bacteriemia, pneumonia ou meningite e, mais raramente, celulite ou osteomielite. Aproximadamente 25% dos casos ocorrem em pra estratégia mais racional para diminuir a incidência da doença em neonatos. - O S. agalactiae, ou estreptococo do grupo B de Lancefield, é um coco grampositivo, beta-hemolítico, que apresenta rápido crescimento nos meios utilizados em

rotina microbiológica. Essa bactéria é encontrada na microbiota do trato gastrointestinal e/ou dos tratos genital e urinário. Os índices de colonização em gestantes variam de 10% a 30%, conforme a população estudada. Setor: Microbiologia  TRANSPORTE DE AMOSTRA PARA ANALISE Material: caixa box, termômetro, frascos de agua, caneta, luvas Todo material biológico deve ser transportado em meio isotérmico, higienizável e impermeável, o termômetro garante o controle da temperatura dando estabilidade a amostra biológica desde a coleta ate realização do exame. Na caixa tem a designação ´´MATERIAL INFECTANTE``.  FEZES Devem ser transportadas em maletas térmicas com gelo reciclável para manter a refrigeração –temperatura ate 25 C  CULTURA DE SECREÇOES ,FLUIDOS BIOLOGICOS E ESCARRO -Microbiologia :Deverão ser transportados em geladeiras, acondicionados em maletas térmicas não com gelo reciclável-temperatura 23 a 25C.  Amostras de BK devem ser separadas das demais sendo colocadas em sacos plásticos identificadas para não serem abertas em local inadequado.  URINA Devem ser acondicionadas em maletas térmicas com gelo reciclável – temperatura 13 a 23 C.

CULTURA DE SECREÇÃO URETRAL

CULTURA PARA FUNGOS

CULTURA PARA MICOBACTÉRIAS

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->