P. 1
A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NA ESCOLA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NA ESCOLA

3.83

|Views: 94.802|Likes:
Publicado porcherocha

More info:

Published by: cherocha on Jun 22, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2015

pdf

text

original

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NA ESCOLA

A prática da atividade física teve seu começo nos primórdios da humanidade, épocas em que o homem ainda não tinha desenvolvido meios clássicos para deixar registros dos acontecimentos e fatos que marcariam todo um período histórico da raça humana. Sabe-se que algumas evoluções aconteceram em momentos de difícil e baixa qualidade de comunicação. Algumas dessas evoluções viriam a ser a prática da atividade física, ainda como uma forma de sobrevivência, por exemplo, atirar lanças em animais, atravessar rios em momentos de mudanças de regiões (raças nômades), preparo de áreas agrícolas e etc.

Com o decorrer dos séculos a humanidade evoluiu sistematizando vários movimentos praticados na vida diária, transformando-os em exercícios físicos com o objetivo de dar um melhor condicionamento físico, formação de exércitos, atividades de que buscavam equilíbrio entre corpo e mente (atividades marciais da Ásia Oriental) e etc. Os gregos foram grandes protagonistas de uma mudança no caráter da prática da atividade física, quando criaram os primeiros jogos olímpicos da humanidade. Foi um momento da história humana que a atividade física passou a ter outro foco, passou a ser observada como um método de treinamento para disputas esportivas, disputas essas que eram em busca de socialização e harmonização entre culturas diferentes.

Em regiões do mundo sabe-se que existiam outras formas de atividades físicas que buscavam um objetivo diferente, buscavam o lazer, dentro de comunidades de diferentes estilos de vida e faixas etárias, era mais uma forma e objetivo ela se diferente insere no da prática da de atividade laços física. A educação física está muito ligada à cultura de uma determinada população, contexto através existentes historicamente entre cultura e população. A história da atividade física na humanidade mostra isso, o surgimento de diferentes formas de praticas físicas, se dá de acordo com necessidades de comunidades (sobrevivência, saúde, guerra, socialização, lazer). Então o conceito de atividade física é

também cultural, devido à grande força que essa exerce na atividade física. Em dias modernos a educação física na escola também não difere em nem um momento dos conceitos culturais, sabendo de qual forma é praticada, de qual forma é desenvolvida, quais seus objetivos, que com certeza devem seguir as necessidades e culturas das comunidades ao seu redor. Dentro da escola a educação física pode atuar por diversas áreas, como lazer, saúde, esporte de rendimento, esporte participativo, e conceitos teóricos. O educador físico deve buscar mesclar esses itens dentro de uma grade de conteúdos e objetivos, em prol de dar ao aluno a certeza de que a educação física que ele prática na escola faz parte de um conjunto de conhecimentos que devem estar inseridos na sua base comum de conhecimentos. Hoje o olhar da humanidade sobre ser humano é holístico, procura-se equilibrar todo o potencial de conhecimentos, raciocínio, mental, com um bom potencial físico, uma qualidade de vida que dê melhores condições de serem desenvolvidas as demais áreas de atuação na vida diária. Na educação física escolar, se fazem importantes os saberes e conteúdos da área. A atividade física no meio educacional não está restrita somente a conteúdos a serem trabalhados de forma prática ou teórica, sabe-se que dentro das formas de aula os dois métodos estão ligados e são inseparáveis. Dentro de um saber, um conteúdo, vários objetivos podem ser trabalhados em dimensões amplas de conhecimentos, como a dimensão histórica e técnica do conteúdo, a dimensão da atividade física, das habilidades motoras que esse pode desenvolver, a dimensão de valores e atitudes que serão apresentadas aos alunos e por eles deverão ser assimiladas e levadas para sua vida social junto a comunidade, assim legitima-se a discussão que a educação física faz parte da base comum de conhecimento, base essa que se retirado algum item de conteúdo, não dará um pleno desenvolvimento na formação do aluno.

Hoje a educação física está dentro do conjunto de leis que regem a educação escolar brasileira (LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional). A escola é responsável pelos processos formativos na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nos movimentos sociais e etc. A Legislação Nacional incluiu de forma legal a disciplina de Educação Física

nesse processo formativo, portanto dentro da escola. A LDB Infiltrou na Base Nacional Comum a disciplina de educação física, dando assim legalidade à disciplina que por todo um contexto histórico-cultural e de importância na humanidade já havia conseguido sua legitimidade. Assim conseguimos estabelecer toda a importância da magnífica, atraente e socializadora disciplina de Educação Física, entendendo sua importância cultural e social, importância na qualidade de vida e nos valores transmitidos por ela. Entendendo também, ainda mais, a seriedade na transmissão do seu conhecimento, tanto por gestores como pelo seu principal transmissor, o educador físico.

COLEGIO LUCIANO FEIJÃO EQUIPE DE EDUCAÇÃO FISICA
COORDENADOR Adílio Moreira de Moraes Graduado em Educação Física (UEVA) Especialista em Gestão Escolar (INTA) Especialista em Fisiologia do Esforço e do Movimento (INTA)

EQUIPE DE PROFESSORES Profª. Maria Waldeanes Magalhães de Oliveira Graduada em Biologia (UEVA) Especialização em Biologia Experimental (UEVA) Graduada em Educação Física (UEVA)

Profª. Debora Braga Chaves Graduando em Educação Física (UEVA)

Prof. Aulus Lúcio Ribeiro Carneiro Graduando em Educação Física (UEVA)

PLANO DE ENSINO PARA:
PRE ESCOLA (infantil II, III, IV, V e 1º) Prof. Debora Braga JANEIRO / FEVEREIRO: INFANTIL II: Atividades recreativas de socialização; Corporeidade INFANTIL III: Introdução à Educação Física; Atividades recreativas de socialização; Corporeidade; Brinquedos cantados. INFANTIL IV: Introdução à Educação Física; Atividades recreativas de integração e socialização; Corporeidade; Brinquedos cantados. INFANTIL V: Introdução à Educação Física; Atividades recreativas de integração e socialização; Corporeidade; Brinquedos cantados. 1º ANO: Introdução à Educação Física; Atividades recreativas de integração e socialização; Corporeidade; Brinquedos cantados. MARÇO / ABRIL INFANTIL II: Atividades recreativas com elementos; Coordenação motora; Saúde e preservação ambiental. INFANTIL III:

Habilidades motoras básicas: locomoção e manipulação; Saúde e preservação ambiental. INFANTIL IV: Habilidades motoras básicas: locomoção, manipulação e dimensões de espaço; Saúde e preservação ambiental. INFANTIL V: Habilidades motoras básicas: locomoção, manipulação, dimensões de espaço, tempo, esforço e relacionamento (pessoas e objetos); Saúde e preservação ambiental. 1º ANO: Habilidades motoras básicas: locomoção, manipulação, dimensões de espaço, tempo, esforço e relacionamento (pessoas e objetos); Saúde e preservação ambiental. MAIO / JUNHO INFANTIL II: Brinquedos cantados; Atividades rítmicas; Expressão corporal; Danças juninas. INFANTIL III: Jogos afetivos; Brinquedos cantados; Expressão corporal; Atividades rítmicas e danças juninas. INFANTIL IV: Ginástica escolar; Jogos motores; Expressão corporal; Atividades rítmicas e danças juninas. INFANTIL V: Coordenação motora; Expressão corporal; Atividades rítmicas e danças juninas. 1º ANO: Coordenação motora; Expressão corporal; Atividades rítmicas e danças juninas. JULHO: Período de transição; Férias. AGOSTO / SETEMBRO: INFANTIL II Habilidades motoras básicas: deslocamento; Jogos afetivos; Jogos adaptados com regras simples. INFANTIL III Ginástica escolar; Atividades recreativas com elementos; Coordenação motora; A importância das regras; Jogos adaptados com regras simples. INFANTIL IV Brincadeiras populares; Coordenação motora; Agilidade;

A importância das regras; Jogos adaptados com regras simples. INFANTIL V Brincadeiras populares; Habilidades motoras básicas: velocidade, agilidade e equilíbrio; Jogos cooperativos; A importância das regras; Jogos adaptados com regras simples. 1º ANO Brincadeiras populares; Habilidades motoras básicas: velocidade, agilidade, equilíbrio e flexibilidade; A importância das regras; Jogos adaptados com regras simples. OUTUBRO / NOVEMBRO INFANTIL II Copa-baby; Brincadeiras envolvendo equilíbrio dinâmico e estático; Atividades recreativas. INFANTIL III Copa-baby; Habilidades motoras: equilíbrio e flexibilidade; Jogos motores e sensoriais. INFANTIL IV Copa-baby; Jogos recreativos; Atividades recreativas com elementos; Atividades de equilíbrio. INFANTIL V Copa-baby; Ginástica escolar; Atividades recreativas com formação em grupo; Resgate de conteúdos. 1º ANO Copa-baby; Ginástica escolar; Jogos cooperativos; Atividades recreativas com formação em grupo; Gincana de resgate de conteúdos. DEZEMBRO Período de transição; Férias.

FUNDAMENTAL I (2º, 3º, 4º e 5 º ano)

PROF. Wal Magalhães 2º e 3º ano Introdução à disciplina e exame biométrico; Coordenação motora ampla; Lateralidade.

4º e 5º ano Introdução à disciplina e exame biométrico; Coordenação motora ampla e lateralidade; Iniciação ao Basquete: Jogos educativos e pré-desportivos; Mini-basquete. 2ª Etapa 2º e 3º ano Percepção áudio-visual e tátil; Agilidade e flexibilidade; Iniciação ao Handebol: Jogos educativos; Mini-handebol.

4º e 5º ano Iniciação ao Handebol: Jogos educativos e pré-desportivos; Fundamentos; Mini-handebol. Percepção áudio-visual e tátil; Agilidade e flexibilidade; 3ª Etapa 2º e 3º ano Coordenação espacial; Jogos de raciocínio; Iniciação ao Voleibol: Jogos educativos; Fundamentos; Mini-volei.

4º e 5º ano Coordenação espacial; Iniciação ao Voleibol: Jogos educativos e pré-desportivos; Fundamentos; Mini-volei. 4ª Etapa 2º, 3º, 4º e 5º ano Expressão corporal: Festa Junina. Noções de atletismo: Jogos, circuitos e competições. 5ª Etapa 2º, 3º, 4º e 5º ano Folclore / jogos populares de rua; Iniciação ao futsal: Jogos educativos; Jogos pré-desportivos. 6ª Etapa 2º e 3º ano Iniciação ao futsal (continuação); Jogos Inter-classes – Mini Copa; Jogos e brincadeiras educativas.

4º e 5º ano Iniciação ao futsal (continuação); Jogos Inter-classes – Mini Copa; Jogos cooperativos e de conhecimento / raciocínio. 7ª Etapa 2º, 3º, 4º e 5º ano Exame biométrico; Revisão dos desportos trabalhados ao longo do ano; Brincadeiras recreativas; Jogos Lúdicos.

FUNDAMENTAL II (6º, 7º, 8º e 9º ano) ENSINO MEDIO (1º e 2º ano) PROF. Aulus Lucius Temas dos Trabalhos

1ª Etapa A importância da prática da Educação Física na escola; 2ª Etapa A relação da atividade física com a nutrição. 3ª Etapa As influências da crise financeira mundial no esporte. 4ª Etapa O esporte como fator de desenvolvimento no processo de inclusão social. 5ª Etapa O poder motivacional do esporte 6ª Etapa As diversas áreas de atuação da educação física. 7ª Etapa O esporte a nível escolar no Brasil.

PLANO ANUAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA 2009 Rodízio dos desportos e suas variações (Prática)
Período de transição, planejamento anual, iniciação ao desporto. FEVEREIRO Futsal | Volley | Basquete | Handball Variações JANEIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBR O DEZEMBRO Volley | Futsal | Basquete | Handball Variações Basquete | Volley | Futsal | Handball Variações Handball | Basquete | Volley | Futsal Variações Futsal | Volley | Basquete | Handball Variações Jogos Escolares de Sobral (JES) Volley | Futsales | Basquete | Handball Variações Basquete | Volley | Futsal | Handball Variações Handebol | Basquete | Volei| Futsal Variações Futsal | Volei | Basquete| Handball Variações Volley | Futsales | Basquete | Handball Variações

*** Variações: jogos recreativos, circuitos esportivos, jogos educativos e prédesportivos.

ESCOLINHAS

Programa Anula - Voleibol 2009 JANEIRO: Período de transição, Planejamento anual, Iniciação ao desporto. FEVEREIRO: Avaliação física, iniciação ao desporto, desenvolvimento dos fundamentos técnicos do voleibol como: saque, passe, recepção, toque e manchete.

Algumas valências físicas como: resistência aeróbica, resistência anaeróbica, habilidade e agilidade. MARÇO: Processo seletivo para definir as seleções que irão representar a escola nas competições municipais e escolares. Aprofundamento dos fundamentos técnicos do voleibol como: levantamento, ataque, bloqueio e defesa. E algumas valências físicas como: coordenação, flexibilidade e força. ABRIL: Definição das seleções, montagem do programa de treinamento específico, continuação do desenvolvimento dos fundamentos, iniciação dos sistemas táticos (ataque e defesa) e jogos amistosos. MAIO: Treino técnico-tático, aprimoramento de fundamentos técnicos implantação dos sistemas de contra-ataque e jogos amistosos. Aprender a ser determinado e trabalhar focado em busca da realização de metas. JUNHO: Treino técnico-tático, aprimoramento de fundamentos técnicos, implantação de sistemas de contra-ataque e de transição, jogos amistosos (preparação para os Jogos Escolares Sobralenses – JES). Assimilar dentro dos treinamentos a importância do trabalho coletivo e ser solidário. JULHO: Jogos Escolares Sobralenses – JES, período de transição. AGOSTO: Aprofundamento das valências físicas e técnicas, exercícios gerais e específicos do desporto. SETEMBRO: Manutenção dos Fundamentos físicos e táticos, jogos amistosos (preparação para jogos da Liga Sobralense de Voleibol – Circuito). Aprender e assimilar a importância do respeito aos companheiros, de qual forma uma equipe anda sociavelmente correta. OUTUBRO: Manutenção dos fundamentos físicos e táticos, aperfeiçoamento de valências físicas e competições e Liga Sobralense de Voleibol – Circuito. NOVEMBRO: Manutenção dos fundamentos físicos e táticos, reta final da Liga Sobralense de Voleibol – Circuito, e, massificação do esporte na escola. DEZEMBRO: Período de transição, trabalho de manutenção, jogos lúdicos específicos, e final da temporada. COMPETIÇÕES Jogos Escolares Sobralenses - JES; Circuito de Voleibol - Liga Sobralense de Voleibol; Copas (convites); Amistosos e torneios (convites) intermunicipais; CATEGORIAS Escolinha – Mirim – Infantil – Juvenil - Adulto. Femininas e Masculinas.

Programa Anula - Handeboll 2009 JANEIRO: Período de transição, Planejamento anual, Iniciação ao desporto. FEVEREIRO: Avaliação física, iniciação ao desporto, desenvolvimento dos fundamentos técnicos do Handebol como: empunhadura, passe/recepção, arremesso simples. Inicio da preparação para goleiro. Algumas va0lências físicas como: resistência aeróbica, resistência anaeróbica, força e velocidade. MARÇO: Processo seletivo para definir as seleções que irão representar a escola nas competições municipais e escolares. Aprofundamento dos fundamentos técnicos do Handebol como: dribles, fintar, arremesso em suspensão e em progressão, reversão com rolamento. E algumas valências físicas como: agilidade, habilidade, flexibilidade. ABRIL: Definição das seleções, montagem do programa de treinamento específico, continuação do desenvolvimento dos fundamentos, iniciação dos sistemas táticos (ataque e defesa) e jogos amistosos. MAIO: Treino técnico-tático, aprimoramento de fundamentos técnicos, implantação dos sistemas de contra-ataque e jogos amistosos. Aprender a ser determinado e trabalhar focado em busca da realização de metas. JUNHO: Treino técnico-tático, aprimoramento de fundamentos técnicos, implantação de sistemas de contra-ataque e de transição, jogos amistosos (preparação para os Jogos Escolares Sobralenses – JES). Assimilar dentro dos treinamentos a importância do trabalho coletivo e ser solidário. JULHO: Jogos Escolares Sobralenses – JES, período de transição. AGOSTO: Aprofundamento das valências físicas e técnicas, exercícios gerais e específicos do desporto. SETEMBRO: Manutenção dos Fundamentos físicos e táticos, jogos amistosos (preparação para jogos da Liga Sobralense de Handebol). Aprender e assimilar a importância do respeito aos companheiros, de qual forma uma equipe anda sociavelmente correta. OUTUBRO: Manutenção dos fundamentos físicos e táticos, aperfeiçoamento de valências físicas e competições e Liga Sobralense de Handebol. NOVEMBRO: Manutenção dos fundamentos físicos e táticos, reta final da Liga Sobralense de Handebol, e, massificação do esporte na escola. DEZEMBRO: Período de transição, trabalho de manutenção, jogos lúdicos específicos, e final da temporada. COMPETIÇÕES Jogos Escolares Sobralenses - JES; Liga Sobralense de Handebol;

Copas (convites); Amistosos e torneios (convites) intermunicipais; Circuitos. CATEGORIAS Escolinha – Mirim – Infantil – Juvenil - Adulto. Femininas e Masculinas.

Programa Anual - Futsal 2009 JANEIRO: Período de transição, Planejamento anual, Iniciação ao desporto. FEVEREIRO: Iniciação ao desporto, desenvolvimento das técnicas do Futsal como: chute, passe e condução da bola. Algumas qualidades físicas como: resistência aeróbica, resistência anaeróbica, força e velocidade. MARÇO: Processo seletivo para definir as seleções que irão representar a escola nas competições municipais e escolares. Aprofundamento das técnicas do Futsal como: recepção, retomada, lançamentos, finta, cabeceio, arremessos, técnica do goleiro. E algumas qualidades físicas como: flexibilidade, agilidade e habilidade. ABRIL: Definição das seleções, montagem do programa de treinamento específico, adaptação do sistema de jogo, (Jogos do campeonato) – Período de preparação I. MAIO: Treino técnico-tático, reunião preparatória, fundamentos ataque e defesa (específico), saída de bola, jogadas ensaiadas, definição do tipo de marcação e amistosos (Jogos do campeonato) – Período de preparação I. JUNHO: Treino técnico-tático, reunião preparatória, exercícios gerais e recreação (individual ou grupos), aprofundamento das técnicas do Futsal, jogadas ensaiadas e qualidades físicas (Jogos do campeonato) – Período de preparação I. JULHO: Período de transição, trabalho de manutenção, conversas, jogos lúdicos (específico). Jogos do campeonato. AGOSTO: Aprofundamento das valências físicas e técnicas, exercícios gerais e específicos do desporto, (Jogos do campeonato) – Período de preparação II. SETEMBRO: Treino técnico-tático, reunião preparatória, desenvolvimento de jogadas ensaiadas, trabalhos de fundamentos, amistosos e (Jogos do campeonato) – Período de preparação II. OUTUBRO: Treino técnico-tático, trabalhos de fundamentos, treino específicos (individual ou grupos), reunião preparatória, (Jogos do campeonato) – Período de preparação II. NOVEMBRO: Treino técnico-tático, conversas, jogos lúdicos específicos, reuniões preparatórias, treinos específicos e (Jogos do campeonato) – Período de preparação II.

DEZEMBRO: Período de transição, trabalho de manutenção, jogos lúdicos específicos, (Jogos do campeonato) e final da temporada. PERÍODO DE PREPARAÇÃO I E II Valências desenvolvidas: resistência geral ou aeróbica, resistência anaeróbica, velocidade, força, flexibilidade, agilidade e habilidade. Fundamentos trabalhados: chute, passe, recepção, condução, retomada, lançamentos, arremessos, cabeceio, finta e técnica do goleiro. Jogadas ensaiadas: faltas, escanteios, saída de bolas e marcação. Metodologia: aulas teóricas, aulas práticas (demonstração) e aulas com recurso áudiovisual. Aperfeiçoamento da técnica: amistosos e competições. O trabalho é desenvolvido para todo o Futsal da Escola: Futsal Masculino – escolinha, pré-mirim, mirim, infantil, infanto, juvenil e adulto Futsal Feminino – pré-mirim, mirim, infantil, infanto, juvenil e adulto Calendário das competições: Campeonato Sobralense; JES (Jogos Escolares de Sobral); Circuito (Jogos abertos de Sobral); Copas (Convites).

Programa Anula - Basquetebol 2009 JANEIRO: Período de transição, Planejamento anual, Iniciação ao desporto. FEVEREIRO: Iniciação ao desporto, desenvolvimento das técnicas do Basquete como: drible, passe, recepção de bola, bandeja e arremesso. Algumas valências físicas como: resistência aeróbica, resistência anaeróbica, força e velocidade. MARÇO: Processo seletivo para definir as seleções que irão representar a escola nas competições municipais e escolares. Aprofundamento das técnicas do Basquete como: fintas, bloqueios, giros, pick rools. E algumas valências físicas como: flexibilidade, agilidade e habilidade. ABRIL: Definição das seleções, montagem do programa de treinamento específico, iniciação aos sistemas táticos (ataque, defesa e transição), jogos do campeonato. MAIO: Treino técnico-tático, aprimoramentos de fundamentos e implantação dos sistemas de contra-ataque, jogos do campeonato. JUNHO: Treino técnico-tático, aprimoramentos de fundamentos e implantação dos sistemas de contra-ataque, jogos do campeonato. Preparação final para os Jogos Escolares Sobralense. JULHO: Jogos Escolares Sobralenses – JES, período de transição, trabalho de manutenção, conversas, jogos lúdicos (específico). Jogos do campeonato.

AGOSTO: Aprofundamento das valências físicas e técnicas, exercícios gerais e específicos do desporto, reta final da Liga Sobralense de Basquetebol. SETEMBRO: Manutenção dos Fundamentos físicos e táticos, competições e massificação do esporte na escola. OUTUBRO: Manutenção dos fundamentos físicos e táticos, competições e aperfeiçoamento da massificação. NOVEMBRO: Manutenção dos fundamentos físicos e táticos, competições e aperfeiçoamento da massificação. DEZEMBRO: Período de transição, trabalho de manutenção, jogos lúdicos específicos, (Jogos do campeonato) e final da temporada. COMPETIÇÕES Jogos Escolares Sobralenses - JES; Associação Sobralense de Basketball; Copas (convites); Amistosos e torneios (convites) intermunicipais; CATEGORIAS Escolinha – Mirim – Infantil – Juvenil - Adulto. Femininas e Masculinas.

I E S C –INTERAÇÃO ENSINO- SERVIÇOS E COMUNIDADE

ENTREVISTA PROFESSORES

1 Qual a importância da Educação Física para o Colégio Luciano Feijão? 2 Quanto a estrutura,é considerada favorável para o desenvolvimento de atividades físicas? 3 Qual o nível de graduação da equipe docente na área de educação física da escola?E quantos professores participam de processo pedagógico? 4 A freqüência de aulas semanais para cada turma?A quantidade(horas-aulas) é satisfatória? 5 Quais as medidas adotadas para os alunos portadores de deficiência física sejam incluídos nesse processo? 6 Aponte sua posição em relação as aulas no ambiente inter-sala?

ENTREVISTA Nome: Serie:

1º_ O que você acha da aulas de Educação Física do seu colégio. Por quê ?

2º_ Você concorda em ter a disciplina de Educação Física em sala de aula. Por quê? (tendo as seguintes matérias nutrição, anatomia e entre outras)

3º_ O que você acha do professores de Educação Física do seu colégio?

4º_ O que você acha do tempo disponibilizado para as aulas de Educação Física?

5º_Com poucas palavras diga o que devia ou não melhorar nas aulas de Educação Física do seu colégio?

6º_ O colégio da atenção para os alunos portadores de deficiência física, de que modo?

7º_ Ha discriminação nas aulas de Educação Física?

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->