. NOVEMBRO DE 2009.UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ .CCS DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA E FARMACOLOGIA DISCIPLINA: ESTÁGIO II MINISTRANTE: EILIKA ANDRÉIA FEITOSA VASCONCELOS CURSO: FARMÁCÊUTICO GENERALISTA ANÁLISE DE DIPIRONA SÓDICA POR IODIMETRIA ALEXANDRE XAVIER DE LIRA DA SILVA CARLA DA SILVA ROMEIRO THAMYS LAYARA BANDEIRA DE SÁ TERESINA-PI.UFPI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE .

IDENTIFICAÇÃO DA AMOSTRA -Lote: 620048 -Validade: 08/11 -Marca: Dipirona Sódica 2 .

(VOGEL. 2001) também preconiza iodimetria para a determinação quantitativa de dipirona sódica. temperatura abaixo de 20oC e não havendo referência quanto ao tempo de permanência da cor azul do indicador. 4a edição (Farmacopéia. temperatura entre 5oC e 10oC e ponto final indicado pela cor azul persistente por 1min após agitação vigorosa. A Farmacopéia Japonesa (The Japanese. 2001) preconiza a utilização de ácido clorídrico 1:20 v/v.. 3a edição (Farmacopéia. variabilidade nas condições utilizadas nas análises por titulação. Os iodetos são facilmente oxidados em solução ácida e a iodo livre por diversos agentes oxidantes. Foi introduzida na terapêutica em 1922..INTRODUÇÃO A dipirona (também conhecida como metamizol e sulpirina) é o sal sódico do ácido [(2.. 3 .5-dimetil-3-oxo-2-fenil-1H-pirazol-4-ona) metilamino] metanossulfônico.3-diidro-1. A análise de dipirona sódica consiste numa reação de óxido-redução titulada com iodo. onde o melhor dentre eles para empregar na reação do ensaio de toque é uma solução de nitrato de potássio acidificada. 2007) são: ácido clorídrico 0. L-1. Existe nas farmacopéias consideradas oficiais no Brasil. Brasileira.01 mol. tanto na matéria-prima quanto em medicamentos (comprimidos. temperatura abaixo de 10oC e ponto final indicado pela cor azul persistente por 2 min após agitação vigorosa. Esse método é semelhante ao descrito na F.. 2007). Bras. A F. IV recomenda ácido acético 6% p/v para matéria-prima e ácido acético glacial para os medicamentos. As condições descritas na Farmacopéia Britânica (British... sendo classificada farmacologicamente como um analgésico não-opióide derivado da pirazolona que apresenta propriedades analgésicas. A Farmacopéia Brasileira. Há reações de óxido-redução nas quais há uma mudança no estado de oxidação acompanhada por troca de elétrons entre os reagentes. solução oral e injetável). antitérmicas e antiinflamatórias relacionadas à inibição do sistema enzimático da cicloxigenase. 1977).

1 N equivale a 0. 2. 4 . e complete com água destilada.Titule com iodo 0.01667 g de dipirona. Transfira 10 ml do balão para um erlenmeyer. 3.Equivalência: cada ml de iodo 0.Doseamento: transfira 5 ml da solução de dipirona sódica para balão volumétrico de 50 ml.METODOLOGIA 1. e adicione 50 ml de água destilada e 5 ml de acido acético (R).1 N usando amido (SI) como indicador.Especificação: contém não menos que 95% e não mais que 105% do valor rotulado.

01667 g de Dipirona (Volume Prático de Iodo) 29.99 ml (Volume Teórico) Cálculo da Porcen a!e" #$% 500 mg 100% 490 mg x X = 98% De acordo com a especificação apresentada na metodologia.5 ml x g de Dipirona x = 0.Cálculo do volume teórico Lembrando que cada 1 ml de Iodo reage com 11. &uan 'dade na a"o( ra 1 ml de Iodo 0. pode-se concluir que a solução analisada foi aprovada.67 mg de Dipirona x 500 mg no Erlenmeyer x = 29.67 mg de Dipirona (ou 0. em 1 ml eu tenho 50 mg) x 10 ml (Volume transferido para Erlenmeyer) x= 500mg/ml (Coincidentemente o valor foi o mesmo da concentração da Dipirona) 1 ml de iodo 16. 50 mg 1 ml (Se em 50 ml eu tenho 2500 mg de Dipirona.49 g ou 490 mg de Dipirona RESULTADO 5 .01667 g de Dipirona à concentração de *500mg/ml) *500 mg 1 ml x 50 ml (Tomada de Ensaio) x= 2500 mg em um balão de 50 ml de volume. pois apresentou valor compreendido entre as especificações (entre 95% e 105% do valor rotulado).

A. 4a ed. The United States Pharmacopeial Convention. 4a ed. BRASIL. Parte II. 2007. Acesso em 29 de março 2007. 6 . 2006. Farmacopéia Brasileira. São Paulo. Atheneu Ed: São Paulo.REFER)NCIAS *I*LIOGRÁFICAS VOGEL. Part I. Farmacopéia Brasileira. 11o ed. Atheneu Ed: São Paulo. THE JAPANESE PHARMACOPOEIA. Química Analítica Qualitativa: Técnicas Básicas. JP XIV. 2001. Farmacopéia Brasileira. 4a ed. Parte II. Fascículo BRASIL. Fascículo BRITISH PHARMACOPOEIA. Parte II.jp/jp14e/. USP 29: NF 24.go. Disponível em jpdb. Atheneu Ed: São Paulo.nihs. LONDON: Her Majesty s ́ Stacionary Office. Rockville. 2002. 2000. Fascículo BRASIL. 2001. 2007. Volume THE UNITED STATES PHARMACOPEIA. Atheneu.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful