Você está na página 1de 3

Hereditariedade

1.O processo de transmissão genética


É através dos cromossomas que a informação biológica passa dos
progenitores para os filhos. Com o óvulo da mãe e o espermatozóide do pai (23
cromossomas cada) forma-se o código genético característico do ser humano
(46 cromossomas). Os genes, constituintes dos cromossomas, contêm a
informação biológica que vai permitir o desenvolvimento do indivíduo. Os
genes são constituídos por moléculas de ADN.
Transmissão de características biológicas de pais
Hereditariedade
para filhos
Estrutura que se encontra no interior do núcleo de
cada célula sendo constituído por genes. Os
Cromossomas
cromossomas estão organizados em pares: 23
pares nos seres humano.
Unidades que transmitem as características
hereditárias. Cada gene é constituído por moléculas
Genes* de ADB que contêm determinadas informações
genéticas. São as unidades fundamentais da
hereditariedade
Acido desoxirribonucleico que transporta
ADN
informação genética contida na célula.
*Os genes podem ser dominantes (é o gene que controla uma eventual manifestação de uma
dada característica, quer se associe a um gene dominante quer a um gene recessivo) ou
recessivos (é o gene que apenas se manifesta quando associado a outro gene recessivo).

2.Métodos para estudar a hereditariedade


Recorre-se, fundamentalmente, a três métodos:
Estudo das Possibilita a identificação da possível transmissão de uma
árvores característica, no interior de uma família, de geração em
genealógicas geração
As investigações sobe o ADN têm trazido novos
conhecimentos sobre o modo como os genes são
Analise de ADN
transmitidos, bem como a identificação dos genes
responsáveis por determinadas características.
Dado que os gémeos homozigóticos (verdadeiros) têm o
Estudo de
mesmo património genético, é possível avaliar a
gémeos
influência do meio nas suas características psicológicas e
homozigóticos
comportamentais

3.Hereditariedade especifica e individual


Para compreender o papel da hereditariedade na determinação das
características biológicas e comportamentais, há que definir hereditariedade
específica e hereditariedade individual:
Hereditariedade Informação genética responsável pelas características

1
comuns a todos os indivíduos de uma determinada
especifica espécie, determinando a constituição física e de alguns
comportamentos
Informação genética responsável pelas características de
Hereditariedade
um individuo e que o distingue de todos os outros
individual
membros da sua espécie. É o que o torna único

4.A influencia da hereditariedade e do meio


O indivíduo é dotado de um património genético aquando a concepção
(genótipo) que vai sofrer a influência do meio em que vive, desenvolvendo um
conjunto de características que resultam da combinação da componente
genética e ambiental (fenótipo).
O que herdamos? Um genótipo, ou seja, um conjunto de predisposições
ou tendências para apresentar determinadas características.

4.1. A influencia genética no comportamento


É inegável a influência da hereditariedade nas características físicas de
cada indivíduo (a cor dos olhos, do cabelo, da pele, a estatura, o peso, etc.). Já
não se poderá estabelecer uma relação tão íntima entre a herança genética e
as componentes de índole cognitiva ou características da personalidade.
A hereditariedade desempenha um papel fundamental na constituição
dos sistemas nervoso e endócrino, bem como outras estruturas orgânicas, e
como já tínhamos concluído estes dois sistemas assumem um papel decisivo
no comportamento humano. Então podemos dizer que a hereditariedade é um
facto a ter em conta quando se quer explicar o modo de actuar do ser humano.

4.2. O papel do meio no comportamento


A influência do meio faz-se sentir desde o momento da concepção. O
meio intra-uterino, as condições psicológicas da mãe, exercem um papel
importante no desenvolvimento do feto. São bem conhecidos os efeitos de uma
má alimentação, da ingestão de bebidas alcoólicas ou substâncias tóxicas pela
mãe.
Após o nascimento, o meio pode favorecer, ou não, as potencialidades
hereditariedades recebidas. Assim, um meio equilibrado, saudável e
estimulante vai permitir um desenvolvimento das predisposições genéticas no
sentido de um desenvolvimento harmonioso.

4.3. A interacção hereditariedade-meio


Tomemos o exemplo de uma planta: se tivermos duas sementes
geneticamente idênticas e as regarmos com quantidades de água e adubo
diferentes, decerto obteremos duas plantas com desenvolvimentos diferentes;
se, entretanto, tivermos duas sementes geneticamente distintas a as tratarmos
de igual modo, podem vir a dar plantas com desenvolvimentos distintos. No
primeiro caso, as variações devem-se a meio, no segundo, são devidas a
factores genéticos.
O mesmo acontece com o desenvolvimento humano: depende de
factores o meio e da carga hereditária. Desde muito cedo o meio e a
hereditariedade interagem, sendo difícil discernir qual o papel de cada u destes

2
factores, sobretudo na definição de uma característica da personalidade, do
nível de inteligência, das competências cognitivas de uma pessoa.