Você está na página 1de 47

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO


DEPARTAMENTO DE METODOLOGIA DE ENSINO
ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO
SUPERVISIONADO

WALLACE DOS SANTOS MARTINS

CODÓ 13 de NOVEMBRO 2010


SUMÁRIO

Capítulo 1. Introdução pg.3

Capítulo 2. Aproximação com a escola e levantamento de dados pg.4

Capítulo 3. Estudo do tema pg.6

Capítulo 4. Relato de Observação pg.12

Capítulo 5. Projeto de ensino e Planos de Aula pg.13

Capítulo 6. Ponto de Reflexão pg.42

Capítulo 7. Conclusão pg.44

Capítulo 8. Referências pg.45

Anexo: Documentação das atividades realizadas

2
Capítulo 1

INTRODUÇÃO

O presente relatório descreve as atividades do Estágio Supervisionado realizado na


Escola Modelo Remir Archer no 8º ano do Fundamental, localizada na Rua Paraíba, S/N,
Codó – MA, como componente do curso de Licenciatura em Matemática, na modalidade à
distância, da Universidade Federal de Santa Catarina, supervisionado pela professora Débora
Wagner.
O Estágio Supervisionado, obrigatório em qualquer curso de licenciatura, é uma
oportunidade para que o futuro professor vivencie na prática a profissão que escolheu, é o
momento de aplicar tudo que aprendeu durante sua licenciatura aliando a teoria á prática. O
Estágio fortalece a relação que existe entre a teoria e a prática, desenvolvendo competências
que só a prática poderia fazê-lo. Sendo assim o estágio é um importante instrumento de
conhecimento e de integração do futuro professor com a realidade escolar.
Como foi dito, o estágio é muito importante como primeira experiência prática do
futuro professor, então para o aluno de licenciatura é a primeira oportunidade de vivenciar na
prática a sala de aula, o que não é o meu caso. Mesmo não licenciado, já trabalho nesta área
há não menos que seis anos, o que faz desse estágio apenas mais uma oportunidade de
experimentar os novos conhecimentos adquiridos durante o curso.

3
Capítulo 2

APROXIMAÇÃO COM A ESCOLA E


LEVANTAMENTO DE DADOS

Meus primeiros contatos com a Escola Modelo Remir Archer aconteceram no mês de
maio. O objetivo dessa primeira aproximação foi conhecer o ambiente escolar em que o
estágio seria realizado. A descrição dos principais aspectos da escola está destacada a seguir.
Essas informações foram obtidas mediante uma entrevista, com o coordenador pedagógico do
colégio, Sr/ª Maria Natividade, que respondeu sobre os aspectos físicos, administrativos e
sociais, além da análise do PPP da instituição, bem como a partir de minhas próprias
observações.
A comunidade onde a escola se encontra inserida é diferente do seu público alvo. A
escola foi um projeto feito pelo então prefeito Ricardo Archer, 1997 a 2005, intitulado de
Escola Modelo. A mesma foi construída para ser um exemplo de escola de qualidade, dirigida
apenas à população mais carente. Ela se encontra entre um bairro de classe média e outro de
classe média baixa, mas seus alunos foram escolhidos de outros bairros mais carentes, e em
conseqüência disso ainda hoje os alunos são de comunidades carentes.
A escola foi feita para ser um modelo de educação, mas como tudo feito pelo
governo, ele pode até construir, mas não faz o menor esforço para manter, por isso os recursos
que antes a escola dispunha agora já não aparece mais e os recursos tecnológicos já estão
sucateados. Com isso a metodologia utilizada continua quase a mesma de qualquer escola
comum: aula expositiva com a utilização de recursos didáticos (cartazes, retro-projetor, filmes
e livros), avaliação diagnostica (no início do ano letivo), avaliação somativa (mensal com
recuperação paralela) e a realização de um simulado a cada semestre. Quanto à participação
dos pais, trabalha-se com reuniões mensais de pais e mestres, realizam-se também atividades
nas datas comemorativas com programações que estimulam a participação dos pais - existe
uma forte integração do colegiado escolar. Palestras educativas com profissionais habilitados
na área da saúde, Mutirão da Cidadania realizado no mês de maio com atendimento nas áreas
da saúde, estética etc. são realizados durante o ano.

4
A escola é composta por um gestor, um vice- gestor, um supervisor escolar e um
secretário. Possui vinte e cinco professores efetivos, três com isenção de sala e sete
administrativos, 360 alunos no turno matutino e igual número de alunos no turno vespertino,
contando com mais 170 alunos no turno noturno, totalizando 890 alunos nos três turnos. Nove
salas de aulas com 40 carteiras cada, laboratórios de Informática com dez computadores,
quadra de esporte e um auditório. O nível de ensino trabalhado na instituição é o Ensino
Fundamental da Alfabetização ao 9º ano, trabalhando também na modalidade EJA (Educação
de Jovens e Adultos) nos seguintes segmentos:
SEGMENTO I SEGMENTO II
1ª ETAPA – Alfabetização. 1ª ETAPA – 6º e 7º Ano.
2ª ETAPA – 2º e 3º Ano. 2ª ETAPA – 8º e 9º Ano.
3ª ETAPA – 4º e 5º Ano.

5
Capítulo 3

ESTUDO DO TEMA

Durante a aproximação com a escola, tive a oportunidade de conversar com o


professor da turma em que desenvolvi o estágio. A partir dessa conversa ficou estabelecido
que o tema a ser trabalhado seria o de Sistemas de Equações com duas incógnitas. A seguir,
apresento uma breve análise histórico-epistemológica sobre este tema, bem como uma análise
curricular e didática.

SISTEMAS DE EQUAÇÕES COM DUAS INCÓGNITAS

ANÁLISE HISTÓRICA

“A maior parte das vezes, os matemáticos


não têm rosto. Além disso, para aqueles que
estudam o edifício da ciência e desejam
servir-se dela, a pessoa do construtor não
tem qualquer interesse”
Giorgio Colli

Sabemos que as primeiras equações apareceram no Egito antigo, onde se tem o


registro mais antigo de operações matemáticas. Os egípcios trabalhavam com equações
simples, de uma variável apenas. Suas equações não eram expressas por números e sinais,
eram escritas nos papiros na forma de problemas, sendo que o elemento desconhecido, a
variável, tinha um nome especial: aha.
A civilização babilônica deu um passo à frente no campo das equações. Eles já
trabalhavam com sistemas de duas equações com duas variáveis que eram resolvidos por um
método muito semelhante ao que é ensinado atualmente nas escolas. Da mesma forma que os
egípcios, as equações babilônicas eram expressas na forma de problemas. Vejamos um
exemplo de uma:

Um quarto da largura mais o comprimento


resulta 7 mãos e o comprimento mais a largura
resulta 10 mãos.

6
Traduzindo para a linguagem matemática utilizada hoje, em termos de x e y esse
sistema de equações fica assim:
Chamamos a largura de x e o comprimento de y.
1
 x+ y =7
4
 x + y = 10

Para resolver esse sistema, os babilônios aplicaram técnicas correspondentes às


aritméticas, de modo a encontrar equações equivalentes às dadas, mas que permitissem, ao
final, anular uma das variáveis. No problema em questão buscavam anular a variável y da
seguinte forma:
Multiplicando a equação (1) por 4
x + 4 y = 28

 x + y = 10
Multiplicando a equação (2) por -1
 x + 4 y = 28

− x − y = −10
Observando que os elementos correspondentes nas duas equações estão na mesma
posição, isto é, o termo em x embaixo do termo em x, o termo em y embaixo do termo em y, e
o termo independente embaixo do termo independente, podemos então somar membro a
membro, termo a termo, as duas equações:
x + 4 y = 28

__________
− x − y = −10

3 y =18

⇒y =6 e x =4

Resolvendo sistemas com duas equações, os matemáticos babilônicos desenvolveram


dois princípios básicos da teoria das equações:

1) O Princípio da posição: trata-se do princípio de que a posição que os termos ocupam nas
equações é fundamental para a solução do sistema. Se esta posição é aquela em que os termos
correspondentes ocupam posições iguais, então o sistema poderá ser facilmente resolvido.

2) O Princípio da preparação das equações: trata-se do princípio de que as equações devem


ser "preparadas" de modo que se possa aproveitar o princípio da posição. Isto é, trata-se de

7
fazer as modificações necessárias nas equações de modo que os termos correspondentes
fiquem nas mesmas posições.
Porém isso só não basta. É necessário também que fiquem preparadas de tal modo
que uma das variáveis seja eliminada. Foi por isso que no exemplo dos babilônios
multiplicou-se a primeira equação por 4 e a segunda por -1. Com a aplicação dessa técnica,
foi possível somar termo a termo e obter-se a eliminação da variável x.
Com o passar dos séculos vários matemáticos contribuíram para a evolução dos
métodos de resolução de sistemas de equações dando-se destaque para Diofanto de
Alexandria (360-295 a. c.) que é considerado por muitos como o pai da Álgebra e para mais
tarde no século XVIII para Gabriel Cramer. Professor de matemática suíço nascido em
Genebra, que publicou a famosa regra de Cramer para solução de equações (1750), no
Introduction a l'analyse des lignes courbes algebriques.

ANÁLISE CURRICULAR
Os sistemas de equações com mais de uma incógnita são trabalhados no 8º ano do
Ensino Fundamental II como uma continuação dos estudos sobre equações. São apresentados
três métodos de resolução de sistemas com duas equações de duas incógnitas:

• Método da substituição

O método da substituição consiste em isolar uma incógnita em qualquer uma das


equações, obtendo igualdade com um polinômio. Então deve-se substituir essa mesma
incógnita em outra das equações pelo polinômio ao qual ela foi igualada.
Um sistema com duas equações lineares se apresenta por:

Onde x e y são as incógnitas.


Para solucioná-lo por substituição, substituem-se as variáveis em suas equações por
seus polinômios correspondentes:

Portanto:

8
• Método da adição

O método da soma é o mais direto para se resolverem os sistemas, pois é uma forma
simplificada de usar o método da substituição. Só é possível quando as equações são dispostas
de forma que, ao subtrair ou somar os polinômios das equações, todas as incógnitas, exceto
uma, se anulam. É mais simples e direto que o outro método

3x = 21 ⇒ x = 7, y = 12 − 7 = 5

Para solucionar um sistema como o apresentado a seguir por soma, onde x e y são
as incógnitas, deve-se subtrair os polinômios das equações.

O método da soma é possível apenas com determinadas incógnitas, dependendo das


equações do sistema. Nesse caso, é possível apenas com uma. A outra deve ser determinada
substituindo o valor descoberto para a primeira incógnita em uma das equações do sistema.

• Método da comparação

Consiste em compararmos as duas equações do sistema, após termos isolado a


mesma variável (x ou y) nas duas equações:
x + 2y = 2 ⇒ x = 2 −2y

x + y =3⇒x =3− y

Comparando as duas equações:


2 −2y = 3 − y

−2y + y = 3 −2

− y = −1

y =1

Substituindo o valor de y encontrado:

9
x = 2 − 2(−1) ⇒ x = 2 + 2 = 4

Portando S= {(4,-1)}

Como foi dito antes, esses métodos são quase os mesmos desde os antigos babilônios
até hoje, mas outros métodos podem ser utilizados para o entendimento do assunto como a
resolução por tentativas e a resolução gráfica.

O assunto se enquadra dentro dos objetivos curriculares estabelecidos pelos pcn’s


como:

• produzir e interpretar diferentes escritas algébrica – expressões, igualdades e


desigualdades - , identificando as equações, inequações e sistemas;

• Resolver situações-problema por meio de equações e inequações do primeiro grau,


compreendendo os procedimentos envolvidos;

• Observar regularidades e estabelecer leis matemáticas que expressem a relação de


dependência entre variáveis.

Resolver equações com duas incógnitas é uma continuação do conteúdo de resolução


de equações com uma incógnita. A resolução de problemas envolvendo equações e sistemas
de equações têm diversas aplicabilidades como, desde situações do dia-a-dia até problemas de
computação avançada.

ANÁLISE DIDÁTICA

Para a resolução de sistemas de equação do primeiro grau com duas incógnitas é


necessário que o aluno tenha uma boa base a respeito da resolução de equações com apenas
uma incógnita e que esteja a par de suas propriedades. Para facilitar a compreensão do aluno
no assunto é bom que o professor comece a aula com exemplos de situações reais, como o
tradicional problema do estacionamento com carros e motos. Esse tipo de problema faz com
que o aluno compreenda que sistemas de equações não são pura matemática sem nenhuma
aplicabilidade, fazendo com que se estimule o interesse. Aulas expositivas e com muita
repetição de exercícios se faz bastante necessário, mas não se deve deixar de usar outros
recursos didáticos tais como o uso de gráfico em programas de computadores para representar
o significado geométrico das soluções de um sistema.

1
Para o 8º ano o mais adequado é que seja ministrado todo o conteúdo de sistemas de
equação do 1º grau com duas incógnitas, que seja bem explorado os três principais métodos
de resolução de sistemas com duas incógnitas, deixando bem claro que sistemas com números
de incógnitas maiores serão trabalhados em séries posteriores e com novas regras.

CONCLUSÃO

Percebe-se que existem poucos materiais de pesquisa a respeito do tema estudado,


talvez porque a resolução de sistemas de equações com duas incógnitas tenha sido descoberta
a muito tempo e que posteriormente as mentes humanas tenham se ocupado em estudar as
propriedades e característica de sistemas lineares mais complexos. A reconstrução histórica
dos assuntos de sistemas de equações revela-nos que eles podem ser abordados de forma
independente, contudo, o conhecimento da trajetória percorrida oferece-nos uma noção mais
ampla e integralizadora.

1
Capítulo 4

RELATO DE OBSERVAÇÃO

A Observação se deu na Escola Modelo Remir Archer, no 8º ano do turno


vespertino, que tem como professor o Sr. Francisco José Silva Barroso. Foram observadas um
total exato de dez aulas no período de 10 a 26 de maio. As aulas ministradas durante esse
período tratavam dos seguintes assuntos: Estudo dos polinômios; monômio ou termo
algébrico e produtos notáveis.
A metodologia mais utilizada pelo professor é a aula expositiva com resolução de
exercícios em sala de aula, procurando sempre a participação dos alunos. Ao final de cada
explanação e depois de alguns exercícios resolvidos o professor passa algumas tarefas para
que os alunos tentem resolvê-las sozinhos. A participação dos alunos é pouca, alguns poucos
alunos realmente se esforçam para resolver os problemas, a maioria apenas espera a resolução
do professor. Percebe-se claramente que o professor perde muito tempo controlando os
alunos, pois a todo o momento eles se dispersam da aula. A falta de interesse por parte dos
alunos é enorme para não dizer catastrófica. O professor dispõe apenas de quadro e giz e
pouco pode fazer para deixar a aula mais atrativa para os alunos.
Os estudantes são avaliados qualitativamente com observação da freqüência em sala
de aula, do comportamento e da participação em tarefas. Há ainda a avaliação quantitativa que
consiste em duas provas: uma mensal e uma bimestral mais um trabalho, geralmente realizado
antes da prova bimestral e feito em grupo na sala de aula.
O que foi observado nessas dez aulas é o que já se sabe há muito tempo sobre a
educação pública na periferia das grandes cidades, ou em pequenas cidades como Codó, falta
de recursos e materiais que poderiam deixar a aula bem mais interessante para os alunos, e
uma grande falta de interesse por parte dos alunos gerando um ciclo vicioso onde alunos não
prestam atenção na aula por não ter tido uma base sólida de conhecimentos, e não terão uma
base sólida porque não prestam atenção.

1
Capítulo 5

PROJETO DE ENSINO E PLANOS DE AULA

1 – INTRODUÇÃO

Este Projeto de Ensino se destina ao estágio que será realizado no 8º Ano do ensino
fundamental II, da Escola Modelo Remir Archer, na sala de aula do Professor Francisco José
Silva Barroso. O conteúdo que será ministrado durante as 15 aulas da docência será: sistema
de equações do 1º grau com duas incógnitas.

2 – JUSTIFICATIVA

O conteúdo escolhido é uma possibilidade a ser trabalhada no mês de agosto,


podendo ter pequenas variações de acordo com o proceder das aulas anteriores.
O estudo de sistemas de equações se justifica na grande importância da matemática
para nossa sociedade, de acordo com a revista super-interessante de julho de 1993, edição 70,
já seriam mais de 3 000 as áreas profissionais que exigem aplicação regular da matemática e
assim, antes de tudo, da álgebra. Áreas importantes para a sobrevivência de nossa sociedade
como a Física, Biologia e Química são totalmente dependentes da álgebra. Isso por si só já
justificaria qualquer esforço para se aprender álgebra sem contar que é a disciplina do
desconhecido, do misterioso. Ela abre nossa mente para novas descobertas, basta relembrar a
descoberta dos números irracionais, feito quando do questionamento da solução de um
problema de álgebra, a saber, a diagonal de um quadrado de lado um. Portanto a resolução de
sistemas de equações do 1º grau vêm dar continuidade ao estudo da mesma. A álgebra sempre
esteve presente, desde a solução dos primeiros problemas de medição de terreno, e sempre
estará presente, enquanto houver questionamento sobre a vida e sobre o universo.

3 – OBJETIVOS
• Introduzir a idéia de sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas;
• Determinar uma solução de uma equação do 1º grau com duas incógnitas;
• Verificar se um par ordenado (x,y) é ou não uma das soluções de uma equação do 1º
grau com duas incógnitas;

1
• Saber relacionar duas equações do 1º grau com duas incógnitas ligadas pelo conectivo
e como um sistema de equações simultâneas do 1º grau com duas incógnitas;
• Verificar se um par ordenado (x,y) é ou não solução de um sistema de equações do 1º
grau com duas incógnitas.
• Resolver um sistema de equações do 1º grau utilizando o método da substituição ou o
método da adição;
• Preparar um sistema de equações para ser resolvido usando o método mais adequado.
• Reconhecer quando um sistema de equações é fracionário;
• Resolver um sistema de equações fracionárias pelo método mais adequado;
• Resolver problemas que envolvem sistemas de equações.

4 – METODOLOGIA
A metodologia consistirá em aulas expositivas e dialogadas, baseadas na resolução
de exercícios com grau de dificuldade crescente, com a participação dos alunos e deveres a
serem resolvidos pelo professor e pelo próprio aluno. Nas atividades em sala, serão
trabalhados resolução com ajuda de gráficos, algumas atividades serão corrigidas no caderno
já outras serão cobradas dos alunos. Atividades passadas para se resolver em casa serão
cobradas e será realizado uma avaliação.

5 – CONTEÚDOS ABORDADOS
• Pares ordenados: solução de uma equação do 1º grau com duas incógnitas;
• Sistemas de duas equações do 1º grau com duas incógnitas;
• Uso de tabelas para resolver sistemas de equações;
• Sistemas de equações e equilíbrio na balança;
• O método da substituição na resolução de sistemas de equações;
• O método da adição na resolução de sistemas de equações;
• O método da substituição na resolução de sistemas de equações;
• O método da comparação na resolução de sistemas de equações;

1
6 – CRONOGRAMA
CRONOGRAMA PROCEDIMENTOS DIDÁTICOS
DATA HORÁRIO OBJETIVOS CONTEÚDOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO
Introduzir a idéia de Introdução Aula expositiva e Será avaliada a
sistemas de dialogada, apoiada colaboração e
equações do 1º grau Pares ordenados: em exemplos e participação dos
com duas solução de uma exercícios. alunos durante a
incógnitas; equação do 1º grau explicação, e a
com duas incógnitas execução dos
Determinar uma exercícios feitos
solução de uma durante a aula.
23/08/10
equação do 1º grau
2ª Feira
13:10–14:50 com duas
incógnitas;

Verificar se um par
ordenado (x,y) é ou
não uma das
soluções de uma
equação do 1º grau
com duas
incógnitas.
Saber relacionar Sistemas de duas Aula expositiva e Será avaliada a
duas equações do 1º equações do 1º grau dialogada, apoiada colaboração e
grau com duas com duas em exemplos e participação dos
25/08/10 incógnitas ligadas incógnitas. exercícios. alunos durante a
4ª Feira pelo conectivo e explicação, e a
14:50–15:40
como um sistema execução dos
de equações exercícios feitos
simultâneas do 1º durante a aula.
grau com duas
incógnitas.
26/08/10 13:10 – 14:50 Resolver um Uso de tabelas para Aula expositiva e Será avaliada a
5ª Feira sistema de equações resolver sistemas de dialogada, apoiada colaboração e
do 1º grau com duas equações; em exemplos. participação dos
incógnitas por alunos durante a
tentativa através do Sistemas de explicação, e a
uso de tabelas; equações e execução dos
equilíbrio na exercícios feitos
Representar e balança; durante a aula.
resolver problemas
de medida de massa
em balanças através

1
de sistemas.
Resolver um O método da Aula expositiva e Será avaliada a
30/08/10 sistema de equações substituição na dialogada, apoiada colaboração e
2ª Feira do 1º grau resolução de em exemplos. participação dos
13:10 – 14:50
utilizando o método sistemas de alunos a execução
da substituição. equações. dos exercícios
feitos.
Apurar o Atividades Aula de exercícios. Será avaliada a
conhecimento do abordando todos os colaboração e
01/09/10 aluno sobre os conteúdos participação dos
4ª Feira assuntos até aqui estudados. alunos durante a
14:50–15:40
estudados. explicação, e a
execução dos
exercícios feitos
durante a aula.
Reconhecer, Sistemas de Aula expositiva e Será avaliada a
classificar, aplicar e equações do 1º grau dialogada, apoiada colaboração e
02/09/10 resolver sistemas de com duas em exemplos e participação dos
5ª Feira equações do incógnitas: método exercícios. alunos durante a
13:10 – 14:50
primeiro grau com da adição. explicação, e a
duas incógnitas execução dos
usando o método da exercícios feitos
adição. durante a aula.
Apurar o Sistemas de Aula de exercícios. Será avaliada a
06/09/10 conhecimento do equações do 1º grau colaboração e
2ª Feira aluno sobre os com duas participação dos
13:10–14:50
assuntos até aqui incógnitas: método alunos durante a
estudados. da adição. execução dos
exercícios.
Reconhecer, Sistemas de Aula expositiva e Será avaliada a
classificar, aplicar e equações do 1º grau dialogada, apoiada colaboração e
resolver sistemas de com duas em exemplos e participação dos
equações do incógnitas: método exercícios. alunos durante a
08/09/10 14:50–15:40
primeiro grau com da comparação. execução dos
4ª Feira
duas incógnitas exercícios.
usando o método da
comparação.

1
Avaliação. Pares ordenados: Prova mensal com O aluno será
solução de uma dez questões, sendo avaliado com a
equação do 1º grau cinco objetivas e nota que obter na
com duas cinco discursivas, prova.
incógnitas; valendo nota de 1 a
10.
Sistemas de duas
equações do 1º grau
com duas
incógnitas;

Uso de tabelas para


resolver sistemas de
equações;

Sistemas de
equações e
equilíbrio na
balança;

09/09/10
13:10–14:50 O método da
5ª Feira
substituição na
resolução de
sistemas de
equações;

O método da adição
na resolução de
sistemas de
equações;

O método da
substituição na
resolução de
sistemas de
equações;
O método da
comparação na
resolução de
sistemas de
equações

1
7 – AVALIAÇÃO

A avaliação será feita sob aspectos qualitativos e quantitativos, sendo o primeiro,


feito com a observação diária dos alunos, quanto à sua assiduidade, participação, interesse e
resolução de atividades. Já quanto ao aspecto quantitativo será realizada uma prova de dez
questões valendo nota de 1 a 10 explorando todo o conteúdo.

1
8 – PLANOS DE AULAS

PLANO DE AULA
I e II

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.
DATA: 23/08/2010
HORÁRIO: Início: 13:10 Fim: 14:50 Duração: 100 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:

• Introdução
• Pares ordenados: solução de uma equação do 1º grau com duas incógnitas.
OBJETIVOS:

• Introduzir a idéia de sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas;


• Determinar uma solução de uma equação do 1º grau com duas incógnitas;
• Verificar se um par ordenado (x,y) é ou não uma das soluções de uma
equação do 1º grau com duas incógnitas.
LINHAS DE AÇÃO

Desenvolvimento Metodológico: Aula expositiva e dialogada. Serão utilizados


exemplos para ilustrar melhor os conteúdos. Resolução de exercícios.
Recursos Utilizados: Quadro negro, giz e livro didático.
Avaliação: Observação da participação dos alunos nas atividades propostas.

Codó -Ma, 23/08/2010

Assinatura do estagiário

1
PLANO DE AULA
III

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.
DATA: 25/08/2010
HORÁRIO: Início: 14:50 Fim: 15:40 Duração: 50 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:
• Sistemas de duas equações do 1º grau com duas incógnitas.

OBJETIVOS:
• Saber relacionar duas equações do 1º grau com duas incógnitas ligadas pelo
conectivo e como um sistema de equações simultâneas do 1º grau com duas
incógnitas.
LINHAS DE AÇÃO

• Desenvolvimento Metodológico: Aula expositiva e dialogada. Será


explorado muitos exercícios.
• Recursos Utilizados: Quadro negro, giz e livro didático.
• Avaliação: Observação da participação dos alunos nas atividades
propostas.

Codó -Ma, 25/08/2010

Assinatura do estagiário

2
PLANO DE AULA
IV e V

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.

DATA: 26/08/2010
HORÁRIO: Início: 13:10 Fim: 14:50 Duração: 100 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:
• Uso de tabelas para resolver sistemas de equações;
• Sistemas de equações e equilíbrio na balança;
OBJETIVOS:
• Resolver um sistema de equações do 1º grau com duas incógnitas por tentativa através
do uso de tabelas;
• Representar e resolver problemas de medida de massa em balanças através de
sistemas.
LINHAS DE AÇÃO

Desenvolvimento Metodológico: Aula expositiva e dialogada. Serão utilizados exemplos com


grau de dificuldade crescente para ilustrar melhor os conteúdos.
Recursos Utilizados: Quadro negro, giz e livro didático.
Avaliação: Observação da participação dos alunos nas atividades propostas.

Codó -Ma, 26/08/2010

Assinatura do estagiário

2
PLANO DE AULA
VI e VII

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.

DATA: 30/08/2010
HORÁRIO: Início: 13:10 Fim: 14:50 Duração: 100 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:
• O método da substituição na resolução de sistemas de equações.

OBJETIVOS:
• Resolver um sistema de equações do 1º grau utilizando o método da substituição.
LINHAS DE AÇÃO

Desenvolvimento Metodológico: Aula expositiva e dialogada. Serão utilizados exemplos para


ilustrar melhor os conteúdos.
Recursos Utilizados: Quadro negro, giz e livro didático.
Avaliação: Observação da participação dos alunos nas atividades propostas.

Codó -Ma, 30/08/2010

Assinatura do estagiário

2
PLANO DE AULA
VIII

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.

DATA: 01/09/2010
HORÁRIO: Início: 14:50 Fim: 15:40 Duração: 50 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:
• Atividades abordando todos os conteúdos estudados.

OBJETIVOS:
• Apurar o conhecimento do aluno sobre os assuntos até aqui estudados.

LINHAS DE AÇÃO

Desenvolvimento Metodológico: Resolução de diversos exercícios de grau de dificuldade


maior.
Recursos Utilizados: Quadro negro, giz e livro didático.
Avaliação: Observação da participação dos alunos nas atividades propostas.

Codó -Ma, 01/08/2010

Assinatura do estagiário

2
PLANO DE AULA
IX e X

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.

DATA: 02/09/2010
HORÁRIO: Início: 13:10 Fim: 14:50 Duração: 100 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:
• Sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas: método da adição.

OBJETIVOS:
• Reconhecer, classificar, aplicar e resolver sistemas de equações do primeiro grau
com duas incógnitas usando o método da adição.

LINHAS DE AÇÃO

Desenvolvimento Metodológico: Aula expositiva e dialogada. Serão utilizados exemplos para


ilustrar melhor os conteúdos.
Recursos Utilizados: Quadro negro, giz e livro didático.
Avaliação: Observação da participação dos alunos nas atividades propostas.

Codó -Ma, 02/09/2010

Assinatura do estagiário

2
PLANO DE AULA
XI e XII

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.

DATA: 06/09/2010
HORÁRIO: Início: 13:10 Fim: 14:50 Duração: 100 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:
• Sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas: método da adição.

OBJETIVOS:
• Apurar o conhecimento do aluno sobre os assuntos até aqui estudados.

LINHAS DE AÇÃO

Desenvolvimento Metodológico: Aula expositiva e dialogada. Serão utilizados exemplos para


ilustrar melhor os conteúdos.
Recursos Utilizados: Quadro negro, giz e livro didático.
Avaliação: Observação da participação dos alunos nas atividades propostas.

Codó -Ma, 06/09/2010

Assinatura do estagiário

2
PLANO DE AULA
XIII

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.

DATA: 08/09/2010
HORÁRIO: Início: 14:50 Fim: 15:40 Duração: 50 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:
• Sistemas de equações do 1º grau com duas incógnitas: método da comparação.

OBJETIVOS:
• Reconhecer, classificar, aplicar e resolver sistemas de equações do primeiro grau
com duas incógnitas usando o método da comparação.

LINHAS DE AÇÃO

Desenvolvimento Metodológico: Aula expositiva e dialogada. Serão utilizados uma grande


quantidade de exercícios.
Recursos Utilizados: Quadro negro, giz e livro didático.
Avaliação: Observação da participação dos alunos nas atividades propostas.

Codó -Ma, 08/09/2010

Assinatura do estagiário

2
PLANO DE AULA
XIV e XV

ESCOLA: Escola Modelo Remir Archer.


ANO: 2010 TURMA: Única GRAU/NÍVEL: 8º Ano/7ª Série.

DATA: 09/09/2010
HORÁRIO: Início: 13:10 Fim: 14:50 Duração: 100 minutos
CONTEÚDO CURRICULAR:
• Pares ordenados: solução de uma equação do 1º grau com duas incógnitas;
• Sistemas de duas equações do 1º grau com duas incógnitas;
• Uso de tabelas para resolver sistemas de equações;
• Sistemas de equações e equilíbrio na balança;
• O método da substituição na resolução de sistemas de equações;
• O método da adição na resolução de sistemas de equações;
• O método da substituição na resolução de sistemas de equações;
• O método da comparação na resolução de sistemas de equações

OBJETIVOS:
Avaliação.

LINHAS DE AÇÃO

Desenvolvimento Metodológico: Prova mensal com dez questões, sendo cinco objetivas e
cinco discursivas, valendo nota de 1 a 10.
Recursos Utilizados: Prova digitada.
Avaliação: O aluno será avaliado com a nota que obter na prova.

Codó -Ma, 09/09/2010

Assinatura do estagiário

2
9 – DESENVOLVIMENTO DAS AULAS
Aula I e II

INTRODUÇÃO E PARES ORDENADOS

A aula será iniciada com um problema de sistemas de equações, a saber, o tradicional


problema da quantidade de carros e motos num estacionamento.

Em um estacionamento encontram se 20 veículos, entre carros e motos. Sabendo-se que o


total de pneus é de 56, quantos carros e quantas motos estão no estacionamento?

Os alunos serão incitados a resolver-lo sem o auxílio do professor. Após alguns


alunos apresentarem soluções, dar-se-á início à introdução com a apresentação de sistemas de
equaçõe do 1º grau com duas incógnitas. Será explicado que para resolver problemas desse
tipo de maneira prática e rápida devemos estudar o que se chama de Sistemas de Equações do
1º grau com duas incógnitas e logo após a introdução dar-se-á início ao primeiro conteúdo
trabalhado: Pares ordenados: solução de uma equação do 1º grau com duas incógnitas

Será trabalhada a idéia de pares ordenados como solução de uma equação do 1º grau
com duas incógnitas através de atividades.

ATIVIDADE
1. Verifique se o par ordenado (3,9) é uma solução de cada uma das equações a seguir:

a)

b)

2
c)

2. Se você sabe que , encontre o valor de x nas equações:

a)

b)

3. Apresente uma solução para a equação , sabendo que:

a)

b)

4. Apresente uma solução para a equação , na qual .

2
5. Dada a equação , encontre as soluções, considerando:

a)

b)

_______________________________ ________________
NOME DO ALUNO Nº

3
Aula III

SISTEMAS DE DUAS EQUAÇÕES DO 1º GRAU COM DUAS INCÓGNITAS

Nesta aula serão apresentados aos alunos os sistemas de duas equações do 1º grau
com duas incógnitas, como montá-los e mostrar que a solução do sistema consiste em um
único par ordenado que satisfaça as duas incógnitas nas duas equações. Toda a aula será
baseada na resolução de atividades.

ATIVIDADE

1. Usando as incógnitas , estabeleça um sistema de duas equações do 1º grau


associado a cada uma das situações a seguir.

a) O preço de uma caneta é o dobro do preço de uma lapiseira, e as duas juntas custam
30 reais.

b) A soma das idades de duas pessoas é 25 anos, e a diferença entre essas idades é 13
anos.

3
c) Uma tábua tem 150 cm de comprimento e deve ser cortada em dois pedaços, de

forma que o comprimento de uma parte seja igual a do comprimento da outra.

d) Um terreno tem 1 300 de área, e a parte construída deve ser igual a da parte

destinada ao jardim.

e) A soma de dois números é 50, e o maior deles é igual ao dobro do menor menos 1.

f) Duas pessoas ganharam, juntas, 500 reais por um trabalho. Uma delas ganhou 70%
do que ganhou a outra.

3
g) Milena tem 8 notas, umas de 5 reais e outras de 10 reais, num total de 55 reais.

h) Em um terreiro há galinhas e coelhos, totalizando 23 animais e 82 pés.

_______________________________ ________________

NOME DO ALUNO Nº

3
Aula IV e V

USO DE TABELA PARA RESOVER SISTEMAS DE EQUAÇÕES


E
SISTEMAS DE EQUAÇÕES E EQUILÍBRIO NA BALANÇA

De início será resolvido alguns exercícios com uso de tabelas e logo depois será ensinado
como resolver problemas de pesos desconhecidos em balanças de dois pratos. Serão feitos
alguns exemplos com o professor resolvendo e depois será passada uma atividade.

1. Lígia e Renata compraram lapiseiras e canetas em uma papelaria. Lígia


comprou uma lapiseira e uma caneta e pagou R$ 10,00. Renata comprou
duas lapiseiras e três canetas e pagou R$ 27,00. Quais os preços da caneta e
da lapiseira?
Para resolver esse problema copie as tabelas em seu caderno e complete-as. Depois descubra
os preços dos produtos.

l c l + c = 10
1 10
2 10
5 10
7 10
7 10

l c 2l 3c 2l + 3c
1 29
2 28
5 25
7 23
7 27

3
2. O perímetro de um retângulo é de 24 cm, e a medida do comprimento é o
triplo da medida da largura. Qual a área da região determinada por esse
retângulo?

Resolva este problema no seu caderno usando uma das tabelas:

x y 2 x + 2 y = 24

x =3 y y 2 x +2 y

SISTEMAS DE EQUAÇÕES E EQUILÍBRIO NA BALANÇA

Trabalharemos com uma situação real e dela tiraremos algumas informações


importantes. Observe a balança:

A balança está equilibrada. No prato esquerdo há um "peso" de 2Kg e duas


melancias com "pesos" iguais. No prato direito há um "peso" de 14Kg. Quanto pesa cada
melancia?

3
Veja com resolver este problema:

Se retirarmos o peso de 2 Kg de um prato teremos que retirar 2 Kg do outro prato.


Assim teremos em um prato duas melancias e no outro apenas 12 Kg. Como as duas
melancias tempesos iguais é fácil perceber que cada melancia pesa 6 Kg.

Aula VI e VII

MÉTODO DA SUBSTITUIÇÃO

A aula iniciar-se-á com um exemplo:


Imagine a seguinte situação: o “peso” de Camila e de Tico juntos é de 32 kg. O
“peso” de Camila é 7 vezes o de Tico. Qual o “peso” de cada um?
Depois da resolução do exemplo, explicar que para resolver esse exercício foi
utilizado um método chamado de método da substituição. Refazer o exercício, agora
enfatizando cada passo, passar uma atividade para ser resolvida junto com o professor na sala
de aula e outra como dever de casa.
ATIVIDADE DE SALA

1. Resolver o seguinte sistema de equações:


 3x + 2 y = 7

4 x − 5 y = −6

2. Resolver o seguinte sistema de equações:


 8x + 3 y = 9

6 x − 7 y = 53

3. Resolver o seguinte sistema de equações:


4 x + 3 y =1

x +2 y = 4

4. Uma mãe tem o triplo da idade de sua filha. Há dez anos, ela tinha sete vezes a idade da
filha. Qual a idade da mãe e da filha?

3
5. Compramos 6 kg de chá e 4 kg de café por um preço total de 16,60 reais. Sabendo que 4 kg
de chá mais 2 kg de café custam 9,40 reais, calcular o preço do kg de chá e o de café.

3
Aula VIII

MÉTODO DA SUBSTITUIÇÃO – EXERCÍCIOS

Esta aula será apenas de exercícios. Resolveremos o máximo de exercícios possíveis


abordando os diversos sistemas que podem aparecer. Os exercícios serão retirados do livro do
aluno.

Aula IX e X

MÉTODO DA ADIÇÃO

Esse método consiste em adicionar as duas equações de tal forma que a soma de uma
das incógnitas seja zero. Para que isso aconteça será preciso que multipliquemos algumas
vezes as duas equações ou apenas uma equação por números inteiros para que a soma de uma
das incógnitas seja zero.

Dado o sistema:

Para adicionarmos as duas equações e a soma de uma das incógnitas de zero, teremos que
multiplicar a primeira equação por – 3.

Agora, o sistema fica assim:

3
Adicionando as duas equações:
- 3x – 3y = - 60
3x + 4y = 72
y = 12
Para descobrirmos o valor de x basta escolher uma das duas equações e substituir o
valor de y encontrado:
x + y = 20
x + 12 = 20
x = 20 – 12
x=8
Portanto, a solução desse sistema é: S = (8, 12).

Agora observe a solução , pelo método da adição de um sistema mais simples.

Solução:
Adicionamos membros a membros as equações

2x = 16

x=8

Substituímos o valor encontrado de x, em qualquer das equações, determinado y:


8 + y = 10
y = 10 - 8
y=2
A solução do sistema é o par ordenado (8, 2)
S = {(8, 2)}

Esses exemplos serão complementados com mais alguns exemplos do livro.

3
Aula XI e XII

MÉTODO DA ADIÇÃO - EXERCÍCIOS

1. Resolver os sistemas pelo método da adição:

4
Aula XIII

MÉTODO DA COMPARAÇÃO

Consiste em compararmos as duas equações do sistema, após termos isolado a mesma


variável (x ou y) nas duas equações:

x + 2y = 2 ⇒ x = 2 −2y

x + y =3⇒x =3− y

Comparando as duas equações:


2 −2y = 3 − y

−2 y + y = 3 −2

− y =1

− y = −1

Substituindo o valor de y encontrado:

x = 2 − 2(−1) ⇒ x = 2 + 2 = 4

Portando S= {(4,-1)}

4
Aula XIV e XV

AVALIAÇÃO

ESCOLA MODELO REMY ARCHER


CODÓ 20 DE SETEMBRO DE 2010
PROFESSOR DA TURMA: Francisco José Silva Barroso
PROFESSOR ESTAGIÁRIO: Wallace dos Santos Martins

AVALIAÇÃO

1. Usando o método da adição, encontre a solução do sistema abaixo.


3 x − 2 y = 16

2 x + 3 y = 41

2. Usando o método da substituição, encontre a solução do sistema abaixo.


 x + y = 14

4 x + 2 y = 48

3. Usando o método de sua escolha resolva os sistemas abaixo.


 4x + 3y = 3  2 x −1 = 3
 
2 x − 5 y = −31 3 x + 2 y = 8

4
4. O churrasco estava animado!
Meus amigos vieram todos e também todos os cachorros da vizinhança.
Éramos 28, entre amigos e cachorros, num total de 96 pés. Quantos eram os amigos?

5. Se você sabe que y = 2 x − 3 , encontre o valor de x nas equações:


a) 3 x + 2 y = 4 b) x − 4 y = −1

4
Capítulo 6

PONTO DE REFLEXÃO

Não é de hoje que se fala que a educação no Brasil é de péssima qualidade. Ainda a
pouco estive lendo uma entrevista na revista Nova Escola nº 227 de novembro de 2009, dada
pelo Professor de Economia da Universidade Stanford, Martin Carnoy, que realizou uma
pesquisa comparativa sobre a educação nos países do Brasil, Chile e Cuba. O pesquisador
filmou aulas de matemática em 36 escolas dos três países e entrevistou Professores, Gestores,
alunos e pais de alunos, a pesquisa mostrou que dos três países o Brasil tem o pior sistema
educacional. Uma outra pesquisa, apresentada nessa mesma revista foi conduzida pela
Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) para
testar os conhecimentos em Matemática e linguagem de 4 mil alunos de 3ª e 4ª séries de 13
países latino-americanos e novamente o Brasil apresentou fraco desempenho e Cuba ocupou o
topo da lista nas duas pesquisas. O que me chamou atenção nesta revista foi a constatação que
para melhorar a educação a mudança tem que ocorrer dentro da sala de aula, na atitude de
professores e alunos e não em novas metodologias. A pesquisa do Professor Martin Carnoy
mostrou que a principal diferença entre a educação do Brasil e a de Cuba é o uso eficiente do
tempo em sala de aula. De acordo com a pesquisa, nas salas de aulas brasileiras gasta se muito
tempo com trabalhos em grupo, 30% do tempo enquanto nas escolas cubanas apenas 11%, o
problema é que o tempo todo é desperdiçado, pois como sabemos dificilmente em trabalhos
em equipe todos os alunos participam realmente das atividades. Em Cuba 41% do tempo é
reservado às tarefas individuais onde os alunos realmente trabalham e apenas 2% do tempo
em sala são gastos com cópias de instruções, já no Brasil, o tempo para cópia de instruções é
três vezes maior. A pesquisa mostrou também que o professor brasileiro perde muito tempo
pedindo a atenção dos alunos que se dispersão a todo o momento com conversas paralelas.
Essa pesquisa nos leva às seguintes indagações: o problema da educação brasileira
consiste na metodologia de ensino adotada ou no baixo salário dos professores, no despreparo
dos profissionais, na falta de estrutura física das escolas ou o problema se concentra realmente
é na cultura escolar que talvez possa ser explicada como conseqüência da cultura do povo em
geral. Acredito que acontece algo de muito ruim em nossa sociedade que se reflete em nossas
escolas. Nossas crianças não estão mais recebendo uma boa educação em casa e isso se reflete
na escola. Outro dia quando assistia ao jornal, que mais uma vez noticiava algum

4
acontecimento catastrófico em alguma escola brasileira, neste caso, um aluno, praticante de
artes marciais, atacou uma professora, deixando-a cheia de hematomas e com um braço
quebrado. Um colega seu, professor de geografia, foi categórico quando respondeu à pergunta
do repórter sobre o que estava acontecendo com a escola no Brasil, ele disse: “hoje os jovens
não respeitam nem os seus pais quanto mais o professor que é uma pessoa estranha”.
Essa pesquisa de um certo modo pode até ser classificada como simplória e que por
isso não retrata toda a problemática da educação brasileira, dizer isso seria um absurdo, mas o
que ela levanta é a questão que o problema pode estar em lugar diferente daquele que
costumamos atacar, o que devemos mudar não é nenhuma metodologia e sim nossa postura
diante daquilo que chamamos de educação.

4
Capítulo 7

CONCLUSÃO

O estágio foi uma oportunidade de buscarmos uma interação entre o saber prático e o
saber teórico. Foi um momento especial para o licenciado vivenciar a experiência de sala de
aula, um primeiro contato com a realidade que o espera, realidade esta que pode não ser o que
esperava o aluno de estágio. Não foi fácil realizar este estágio, encontrei diversas
dificuldades, principalmente quanto à estrutura física da escola. O maior dos problemas
enfrentados foi o do calor devido à falta de ar-condicionado, por esse motivo muitas aulas
foram canceladas e junto com os feriados e paralisações de professores fizeram com que o
estágio durasse duas semanas a mais. Quanto à recepção dos alunos, decepcionaram-se
quando perceberam que o estagiário não tinha postura de estagiário - alunos sempre aprontam
em aulas de estagiários, principalmente quando o mesmo demonstra certo nervosismo, eles se
sentem como senhores da sala e geralmente tratam o novo professor com certo menosprezo -
percebi isso na primeira vez que chamei a atenção uma aluna que insistia em atender ao
telefone celular com o único objetivo de fazer graça em sala de aula, daí em diante, notei uma
recepção diferente da inicial, os alunos já não mais me olhavam com ar de superioridade e
sim com certo receio como o de quem diz, não era isso que esperávamos. Ao todo o estágio,
mesmo para alguém que já trabalha na área há um bom tempo foi uma rica experiência onde
pude mais uma vez vivenciar a luta que acontece todos os dias em sala de aula, infelizmente,
essa é a palavra certa, luta, pois a cada dia que passa fica mais difícil lecionar, alguma coisa
tem que mudar, e não é nenhum método de ensino e sim algo a ver com a postura, tanto do
professor quanto, principalmente, do aluno.

4
Capítulo 8

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

DANTE, Luiz Roberto. Tudo é Matemática. São Paulo: Editora Ática, 2004.
BOYER, Carl. História da Matemática. 2. ed. Trad. Elza F. Gomide. São Paulo, Edgard
Blücher/Edusp, 1996.
BIANCHINI, Edwaldo. Matemática. São Paulo: Moderna, 2006.
DANTE, Luiz Roberto. Tudo é matemática. São Paulo: Editora Ática, 2002.
FLORES, Cláudia Regina. Estágio Supervisionado para o Ensino Fundamental. Florianópolis:
UFSC/EAD/CED/CFM, 2010.
DIEGUEZ, Flávio. Álgebra: a arte de inventar o mundo. [online] Disponível na internet via
<WWW.URL:http://super.abril.com.br/superarquivo/1993/conteudo_113655.shtml>. Arquivo
capturado em 03 de julho de 2010.
RATIER, Rodrigo. Aproveitar melhor o tempo de aula é o caminho cubano. Nova Escola, São
Paulo, nº 227, p. 40-43, novembro. 2009.