Você está na página 1de 19

Escola Secundária /3 Quinta das Palmeiras

Atletismo

O docente:
Artur Rodrigues

Trabalho elaborado por:

Paulo Jorge Oliveira Nunes

1|Página
Índice:

1- Introdução………………………………………………………………………………………...p. 3

2- Breve história do Atletismo…………………………………………………………………… p. 4 e 5

3- Características gerais do Atletismo…………………………………………………….…….p. 6 a 9

4- Regulamento……………………………………………………………………………..………p.10 a 13

5- Exercícios de aprendizagem…………………………………………………………………..p.14 e 15

6- Gestos fundamentais do Atletismo…………………………………………………………..p.15 a 17

7- Conclusão………………………………………………………………………………………...p.18

8- Bibliografia…………………………………………………………………………………….…p.19

2|Página
Introdução:

Estávamos mais ou menos a meio do 1º período quando o professor de educação física nos propôs
fazermos um trabalho sobre o atletismo (no qual me dedicai muito, pois queria fazer um óptimo trabalho
para assim melhorar as minhas aprendizagens). O objectivo deste trabalho é ficarmos a perceber
melhor o que é o atletismo, a sua história, as regras, etc. Eu neste trabalho vou falar sobre a história do
atletismo, o regulamento e os gestos técnicos fundamentais.

3|Página
Breve história do atletismo:

A história diz que os primeiros eventos desportivos organizados foram realizados por volta de 1200 a.C.,
no "Monte Olímpicus", na Grécia. Próximo a este local foi construído um palco desportivo para os Jogos
Olímpicos. Lá, os homens exibiam as suas forças, habilidades físicas e o controle psicológico, tudo em
homenagem a Zeus, o rei dos deuses da mitologia grega. As mulheres, por sua vez, não tinham
permissão para participar dos jogos e nem mesmo para assistir as competições masculinas. Mas, em
contrapartida, a cada quatro anos, era realizado um evento desportivo só para elas, em homenagem a
Hera, esposa de Zeus.

Os acontecimentos desportivos vêm sendo organizados desde há quase três mil anos. O Atletismo é a
forma mais antiga de um desporto organizado. Trata-se de uma mistura de vários desportos, que
engloba as corridas, os saltos e os lançamentos, vem de à muito tempo que correr, saltar e lançar eram
encarados como uma aprendizagem vital na caça e na guerra. Nos originários antigos jogos em
Olímpia, os corredores usavam elmo e escudo. Nos primeiros jogos de que há registo efectuados na
Grécia, em 776 a.C., existiu apenas uma prova, a corrida no estádio. O número de modalidades e a
extensão dos jogos foi aumentando gradualmente.

Durante anos, o principal evento olímpico foi o pentatlo, que englobava lançamentos de disco, salto de
comprimento e luta livre. Outras actividades, como as carreiras de homens com armaduras, fizeram
parte mais tarde do programa. Os romanos continuaram celebrando as provas olímpicas depois de
conquistar a Grécia no ano 146 a.C. No ano 394 da nossa era o imperador romano Teodósio aboliu os
jogos. Durante oito séculos não se celebraram competições organizadas de atletismo. Restauram-se na
Inglaterra em meados da metade do século XIX, e então as provas atléticas converteram-se
gradualmente no desporto favorito dos ingleses.

Em 1896 iniciaram-se em Atenas os Jogos Olímpicos, uma modificação restaurada dos antigos jogos
que os gregos celebravam em Olímpia. Mais tarde os jogos celebraram-se em vários países com
intervalos de quatro anos (excepto em tempo de guerra).

Nos dias de hoje, o atletismo é um desporto com provas de pista (corridas rasas, corridas com barreiras
ou com obstáculos, saltos, arremesso, lançamentos e provas combinadas, como o decatlo e heptatlo),
corridas de rua (nas mais variadas distâncias, como a maratona e corridas de montanha), e marcha
atlética. Considerado o “desporto base”, por testar todas as características básicas do homem, o
atletismo não se limita somente à resistência física, mas integra essa resistência à habilidade física.
Comporta três tipos de provas, disputadas individualmente que são as corridas, os saltos e os

4|Página
lançamentos. Conforme as regras de cada jogo, as competições realizadas em equipas somam pontos
que seus membros obtêm em cada uma das modalidades.

Na era moderna dos Jogos (iniciada em 1896), o atletismo marcou a sua presença, tornando-se um
desporto fundamental na realização deste evento. Desporto tradicionalmente amador é encarado como
o modelo do próprio ideal olímpico. O atletismo, no entanto, vem-se transformando num fenómeno
altamente profissionalizado, traduzindo-se em receitas significativas para atletas, clubes e
patrocinadores.

As corridas de velocidade e revezamento são antigas. As corridas com obstáculos, que podem ser
naturais ou artificiais, foram idealizadas tendo como modelo as corridas de cavalos.

A maratona, a mais famosa das corridas de resistência, baseia-se na façanha de um soldado grego que
em 490 A C. Correu o campo de batalha das planícies de Maratona até Atenas, numa distância superior
a 35 km, para anunciar a vitória dos gregos sobre os persas. Uma vez cumprida a missão, caiu morto.
As maratonas modernas exigem um percurso ainda maior, 42 km.

Nos primórdios de nossa civilização, começa a história do atletismo. O homem das cavernas, de forma
natural, praticava uma série de movimentos, nas actividades de caça, em sua defesa própria. Ele
saltava, corria, lançava, enfim ele desenvolvia uma série de habilidades relacionadas com as diversas
provas de uma competição de atletismo. Podemos verificar que as provas de atletismo são actividades
naturais e fundamentais do homem: o andar, o correr, o saltar e o arremessar. Por esta razão é
considerando o atletismo o “desporto base” e suas provas competitivas compõem-se de marchas,
corridas, saltos e arremessos.

O atletismo, sob forma de competição, teve sua origem na Grécia. A palavra atletismo foi derivada da
raiz grega, “ATHI, competição”, o princípio do heroísmo sagrado grego, o espírito de disputa, o ideal do
belo etc. – O que se chamou de espírito agonístico. Surgiram então as competições que foram
perdendo o carácter de religiosidade e assumindo exclusivamente o carácter desportivo.

5|Página
Características gerais do Atletismo:

Corrida de pista

É a mais tradicional competição do atletismo e envolve várias provas.


- Corridas disputadas em pistas ovais (cada atleta corre numa faixa): 100 metros rasos, 200 metros
rasos e 400 metros rasos;
- Corridas de Meio Fundo: 800 metros e 1.500 metros;
- Corridas de Fundo (dentro da pista): 5.000 metros e 10.000 metros;
- Maratona (disputada nas ruas): percurso de 42,19 km;

As corridas são as formas de expressão atlética mais pura que o homem já desenvolveu. Embora exista
algo de estratégia e uma técnica implícita, a corrida é uma prática que envolve basicamente um bom
condicionamento físico dos atletas.
As corridas dividem-se em curta distância ou velocidade (tiro rápido), que nas competições oficiais vão
até os 400 metros, média distância (800 metros e 1500 metros), e longa distância (3000 metros ou
mais, chegando até às ultra maratonas de 100 quilómetros). Podem ser divididas também de acordo
com a existência ou não de obstáculos (barreiras) colocados no percurso.

Nas corridas de curta distância, a contracção muscular na largada é determinante no resultado obtido
pelo atleta. Por isso, existe um posicionamento especial para a largada, que consiste em apoiar os pés
sobre um bloco de partida e apoiar o tronco sobre as mãos encostadas no chão (posição de quatro
apoios). São frequentes as falsas partidas, quando o atleta sai antes do tiro de partida, que é o sinal
dado para começar a prova. Após ter sido assinalada uma falsa partida, qualquer atleta que dê uma
nova falsa partida será desclassificado. Contudo, nas provas combinadas cada atleta tem direito a uma
falsa partida. Nas provas mais longas a partida não tem um papel tão decisivo, e os atletas saiem para
a corrida numa posição mais natural, em pé, sem poder colocar as mãos no chão.

Corridas com obstáculos


São realizadas dentro dos estádios e se dividem em quatro modalidades: 100 metros (feminino), 110
metros (masculino), 400 metros (masculino e feminino) e 3.000 metros (feminino e masculino).

Corrida de estafetas
As provas de revezamento são disputadas por grupos compostos por quatro atletas cada. Cada atleta
corre um quarto da pista e passa um bastão para o atleta seguinte de sua equipe.

6|Página
Maratona

A maratona é uma corrida de longa distância, realizada parcialmente ou totalmente na estrada.

A maratona é uma prova que envolve grande resistência física, sendo seu percurso estabelecido em 42
quilómetros e 195 metros. Organizam-se ainda corridas de "corta-mato" de campo e de montanha. Em
pista podemos ainda assistir a corridas de barreiras e de obstáculos.

Lançamentos

As disciplinas oficiais de lançamento envolvem o lançamento de peso, o lançamento de martelo, o


lançamento de disco e dardo. O lançamento de peso consiste no lançamento de uma esfera metálica
que pesa 7.26 kg para os homens (adultos) e 4 kg para as mulheres. O martelo é similar a essa esfera,
mas possui um cabo, o que permite imprimir movimento linear à esfera e assim atingir uma distância
maior. Já o disco é um pouco mais leve, pesando 1 quilograma para as mulheres e 2 quilogramas para
os homens. E o dardo pesa 600 gramas para as mulheres e 800 gramas para os homens.

Os lançamentos são executados dentro de áreas limitadas, são círculos marcados no solo para o
lançamento de peso, de martelo e disco, e antes de uma linha marcada no solo para o lançamento do
dardo. A partir dessas marcas é que é contada a distância dos lançamentos. Normalmente as
competições envolvem várias tentativas por parte dos atletas, que aproveitam as melhores marcas
obtidas nessas tentativas.

A origem desta actividade é também irlandesa, pois nos jogos Tailteanos, no início da Era de Cristo, os
celtas disputavam uma prova de lançamento de pedra que pelas descrições se assemelhavam à prova
actual. Alias, é interessante notar que na Península Ibérica, nas províncias onde ainda se encontram
concentrações humanas etnicamente celtas, Galiza na Espanha e Trás-os-Montes em Portugal, ainda
se disputa uma competição chamada de “lançamento do calhau”, que se assemelha ao nosso moderno
lançamento do peso. De qualquer forma, a codificação da prova, tal como ela é hoje, é totalmente
britânica, inclusive o peso do implemento, 7,256 kg, correspondente a 16 libras inglesas, que era
precisamente o que pesavam os projécteis dos famosos canhões britânicos do início do século XIX.

Existem quatro modalidades nesta categoria: arremesso de peso, lançamento de dardo, de marte
e de disco. Em todas elas, vence o atleta que conseguir arremessar o objecto a uma distância
maior.

7|Página
Saltos

- Salto em distância: o atleta corre numa pista, de no mínimo 40 metros, e deve efectuar o salto antes
de uma tábua de 20 cm de largura. Ao cair na areia é feita a medição da distância obtida. Vence o atleta
que conseguir o salto com maior distância.
- Salto em altura: nesta competição o atleta deve percorrer uma pista (mínimo de 20 metros) e com uma
vara saltar por cima da fasquia (barra horizontal). O atleta pode tocar o sarrafo, porém o mesmo não
pode cair. A altura vai aumentando a cada salto positivo. Vence o atleta que conseguir saltar maior
altura sem derrubar a fasquia.

As provas de salto podem ser divididas em provas de salto vertical e de salto horizontal. Dentre as
provas de salto vertical, temos o salto em altura e o salto com vara. As provas de salto horizontal
envolvem o salto em comprimento e o triplo salto. Os atletas tomam impulso numa pequena pista de
balanço, objectivando maior distância no salto. O salto em altura, que tem por objectivo ultrapassar uma
barra horizontal (fasquia), é realizado mediante tentativas. A fasquia é colocada em determinada altura
à qual os atletas devem tentar saltar. Se o conseguirem, os atletas progridem para a próxima altura a
que os Juízes colocarem a fasquia.

Qualquer atleta que realize três derrubes da fasquia (3 ensaios nulos), será impedido de continuar,
sendo creditado com a marca correspondente à maior altura em que conseguiu realizar um ensaio
válido. O salto com vara funciona do mesmo modo, mas neste salto, o atleta tem o apoio de uma vara.
Em ambos os saltos, há um colchão para amortecer a queda do atleta após o salto.

Atleta na prova de salto em distância ou salto em comprimento. No salto em distância e no triplo salto, o
atleta faz sua aterragem numa caixa de areia. Há uma tábua de chamada na pista que indica o limite
máximo de corrida de balanço antes do salto; caso o atleta ultrapasse ou toque nessa marca, realizará
um ensaio nulo. Caso tenha saltado antes da tábua de chamada, a distância do ensaio será
considerada apenas entre o limite na tábua de chamada até o local onde aterrou. É importante destacar
que vale o ponto de aterragem mais próximo à tábua de chamada.

8|Página
Provas "Combinadas"

Algumas competições desportivas envolvem uma combinação de várias modalidades, no intuito de


consagrar um atleta mais completo. As provas oficiais do decatlo (para os homens) e do heptatlo (para
as mulheres) combinam corridas, saltos e lançamentos. Os atletas pontuam de acordo com as suas
marcas nas provas individuais, e esses pontos são somados para definir o vencedor.

Decatlo

Praticada por homens, numa mesma prova é envolvido dez modalidades do atletismo. As modalidades
do decatlo são: corrida (100 metros), salto em distância, salto em altura, lançamento de peso, 400
metros, 110 metros com barreira, lançamento de disco, lançamento de dardo, salto com vara e corrida
de 1500 metros. Vence o atleta que conseguir maior pontuação no geral das provas.

Heptatlo

Prova combinada somente para mulheres. Envolve sete modalidades do atletismo: 100 metros com
barreira, lançamento de peso, lançamento de dardo, salto em altura, salto em distância, corrida de 200
metros e 800 metros. Vence a atleta que conseguir maior quantidade de pontos no geral.

9|Página
Regulamento:

PROVA DE CORTA MATO

PARTICIPAÇÃO/INSCRIÇÕES
No quadro competitivo das Actividades do Programa do Desporto Escolar, as competições do Corta-
Mato estão abertas a todos os Estabelecimentos de Educação e ensino, oficial ou particular, que
aderiram voluntariamente ao mesmo, desde que garantam as condições de participação nas actividades
do Desporto Escolar e assegurem a realização do respectivo Corta-Mato de Escola.

As provas deverão efectuar-se num local que reúna o mínimo de condições para a prática do Corta-
Mato, de acordo com o descrito no Regulamento Técnico de Atletismo aprovado pela Federação
Portuguesa de Atletismo.

Os alunos participantes devem ser portadores de equipamento desportivo adequado às características


e condições do local de prática, não podem utilizar equipamentos de clubes, sendo, os professores
acompanhantes, os responsáveis pelo devido enquadramento e orientação dos alunos. Poderá a
organização proceder à desclassificação dos alunos que não respeitem este ponto.

PROVAS PISTA

PARTICIPAÇÃO/INSCRIÇÃO

No Quadro Competitivo das Actividades do Programa do Desporto Escolar, as competições de


Atletismo, são disputadas pelos Grupos/Equipa dos Estabelecimentos de Educação e Ensino, oficial ou
particular, que aderiram voluntariamente ao mesmo.
Nas actividades de nível externo podem participar todos os alunos pertencentes à Escola.

Os Campeonatos de Pista têm 2 (dois) tipos de classificação, tendo por base o apresentado no ponto
anterior (2.1. Participação/Inscrição):

• Individual, considerando todos os participantes presentes nos


Eventos.

• Colectiva, considerando os alunos constituintes das equipas.

Fase Local – Equipas de Escola


Fase Regional – Equipas de Escola
Fase Nacional – Equipas de Escola
10 | P á g i n a
Apuramentos:

- Colectivamente: A escola classificada em primeiro lugar no Respectivo escalão etário/sexo.

- Individualmente: Serão apurados os 2 (dois) primeiros Classificados em cada prova individual, não
pertencentes à equipa classificada em primeiro lugar (Apurada para a fase Regional).

Em todos os escalões etários/sexo a elaboração do programa de competição deve obedecer aos


seguintes critérios organizativos:

• Cada Programa de Provas deverá ter a duração máxima de 3 horas de competição;

• A ordem das Provas deve obedecer sempre que possível ao seguinte critério a seguinte:

- 1ª Prova de Barreiras (caso exista, uma vez que permite que as barreiras sejam colocadas antes do
início da competição, evitando perdas de tempo na sua colocação);

- 2ª Prova de Salto em Altura;

- 3ª Prova de Velocidade;

- 4ª Concursos - Lançamento de Peso e Salto em Comprimento;

- 5ª Corrida de Longa Duração;

- 6ª Corrida de Estafeta.

CORRIDAS:

• Um juiz de partida;

• Juízes de chegada/Cronometristas (número igual ao número de pistas a utilizar nas Provas de


Velocidade com e sem barreiras).

11 | P á g i n a
PROCEDIMENTOS PARA A ORGANIZAÇÃO DE UMA PROVA DE PISTA:

Em todas competições deve ser assegurada pela organização a presença dos elementos necessários
ao ajuizamento e secretariado das provas.

Atendendo ao espírito do Desporto Escolar e ao excelente meio pedagógico e didáctico que é o


ajuizamento, cada equipa de Escola apresentará, em cada competição, (Fase Local ou Regional), 1
(um) juiz com formação, o qual fica à disposição da organização para nomeação ou constituição da
mesa de secretariado;

É obrigatória a constituição do Júri de Provas, entendido como meio auxiliar de organização e controlo
da actividade.

A competição deve ter lugar numa pista que reúna o mínimo de condições:

a) Técnicas: Perímetro de 400 metros com 6 a 8 corredores; Sectores De Saltos e Lançamentos


em perfeitas condições de utilização;

b) Logísticas: Cabina e Instalação Sonora; Sala para o Secretariado; Espaço para instalar a
assistência à prova;

c) Apoio: Balneários Masculinos e Femininos; Sala para Primeiros Socorros.

Deve ser posto à disposição dos juízes o equipamento técnico necessário ao bom desenvolvimento da
competição, nomeadamente:

• Cronómetros;
• Testemunhos;
• Postes e fasquia de salto em altura, e colchão de quedas;
• Barreiras;
• Caixa de areia;
• Engenhos (Pesos 2Kg - 3Kg - 4kg - 5kg);
• Fita métrica (10 metros, 20 metros, 70 metros);
• Rodo;
• Pistola de partida ou outro sinal sonoro para o efeito.

Para um Grupo/Equipa se encontrar em pleno funcionamento, deve reunir as condições apresentadas


no Programa do Desporto Escolar.

12 | P á g i n a
Cada Grupo/Equipa deve apresentar o grupo etário em que concentra a sua actividade:

A) Nível Infantis Masculinos e/ou Femininos

Formação Base do Atletismo;

Actividade desenvolvida a nível interno e no âmbito das propostas da EAE.

B) Nível Iniciados/Juvenis/Juniores Masculinos e/ou Femininos


Formação Base e Avançada do Atletismo;

Actividade desenvolvida no âmbito dos Campeonatos Escolares Regionais e/ou Nacionais.

Exercícios de aprendizagem e gestos técnicos:


13 | P á g i n a
1. Salto em Altura
1.1.1. Exercícios especiais de aprendizagem da técnica (Fosbury flop)

2. Meio Fundo e Fundo (MFF) II


2.1. Meios e Métodos de treino para o MFF (Preparação para o Corta-mato do FCDEF)

3. Triplo-Salto
3.1. Exercícios especiais de aprendizagem da técnica
3.2. Fases do salto

4. Martelo
4.1. Exercícios especiais de aprendizagem da técnica
4.2. Fases do Lançamento do Martelo

5. Barreiras II
5.1. Exercícios especiais de aprendizagem da técnica
5.2. Exercícios especiais de aprendizagem do ritmo
5.2.1. Unidades rítmicas de 4, 6 e 8 passadas.

6. Disco
6.1. Exercícios especiais de aprendizagem da técnica
6.2. Fases do Lançamento do Disco·

7. Dardo
7.1. Exercícios especiais de aprendizagem da técnica
7.2. Fases do Lançamento do Disco

8. Provas Combinadas II
8.1.Decatlo
8.2. Heptatlo

9 - Análise de movimentos do Atletismo


9.1 - Classificação das destrezas
9.2 - Descrição das destrezas
9.3 - Análise anatómica
9.3.1 - Muscular
9.3.2 - Articular
9.4 - Análise mecânica
14 | P á g i n a
10 - Observação das técnicas desportivas do Atletismo
10.1 - Observação através do visionamento de vídeo
10.2 - Observação de colegas
10.3 - Auto-observação através de gravação vídeo
10.4 - Preenchimento de fichas de observação

Aulas fundamentalmente práticas com a transmissão de conceitos e conhecimentos teóricos. Análise de


vídeos e observação e correcção de colegas e elaboração de fichas de observação técnica.

Gestos fundamentais do atletismo:

O atletismo é uma prática físico-desportiva que utiliza na sua execução os elementos básicos do
movimento humano: correr, saltar e lançar. A iniciação ao atletismo deve ser realizada no início do
ensino fundamental, na faixa etária que vai dos seis aos dez anos (1ª à 5ª série), e deve ocorrer pela
utilização das actividades próprias do desporto
(corridas, saltos e lançamentos) apresentadas na forma de jogos, sem que sejam exigidas a técnica e a
intensidade características da forma competitiva. Nessa fase, deve-se considerar a preparação orgânica
como um todo e não a parte muscular para que não haja interferência no crescimento e
desenvolvimento da criança. É importante, também, que exista uma preparação generalizada e uma
grande variação nos tipos de jogos e exercícios, para evitar a Especialização precoce e um enfoque de
preparação em um ponto específico do corpo. A iniciação deve ser feita através de corridas com
variação de ritmo, posições de saída e estímulos, além de serem usados, como obstáculos, objectos
naturais ou do próprio espaço físico da escola (rampas, bancos, degraus, etc). Nos saltos, o professor
deve se ater à apresentação de exercícios educativos e desviar a atenção das minúcias técnicas.
Quanto aos arremessos, é recomendada a utilização de objectos leves, adaptados de formatos variados
e que sejam atractivos para as crianças, além da determinação de alvos, distâncias e alturas em que
devem ser lançados os objectos. Essas práticas auxiliam num melhor desenvolvimento da coordenação
motora, das habilidades básicas (velocidade, resistência, agilidade, força, etc) e a capacidade de
combinação entre elas.

Corrida de estafetas

15 | P á g i n a
Transmissão do testemunho correctamente (receber com uma mão e entregar com a mão oposta);
Corrida (convém correr com a máxima velocidade para colocar a equipa numa boa posição);

Corrida de Barreiras

Perna de impulsão: a impulsão para passar as barreiras é efectuada com a perna de trás.
Perna de ataque: a perna da frente ou de “ataque” é a primeira a passar a barreira, enquanto a de trás
passa flectida (dobrada).
Regulamento da corrida
- As corridas são realizadas em pistas individuais e os atletas devem permanecer na sua pista até ao
final da prova;
- O derrube não intencional das barreiras não é penalizado;
- A passagem das barreiras deve ser iniciada sempre com a mesma perna;
- A transposição das barreiras deve ser feita o mais rasante possível (junto à barreira), de forma a não
perder velocidade;
- Deve-se manter o ritmo das passadas entre as barreiras (o mesmo numero de passadas entre as
barreiras);
- A impulsão não se deve fazer muito perto das barreiras, para evitar derrubá-las.

Maratona

16 | P á g i n a
Corrida (muito longa, pois é uma prova de resistência).

Lançamentos
Fases: preparação, deslizamento, arremesso e recuperação.

• Apoiar o peso na base dos dedos.


• Colocar o peso junto à mandíbula, por baixo do queixo, pressionando contra este, estando o braço
flectido pelo cotovelo, em tensão.
• Colocar-se na parte posterior do círculo, de costas para o local de queda.
• Colocar os pés em linha, um atrás do outro, concentrando o peso do corpo sobre a perna (do braço
que lança), que se encontra flectida pelo joelho.
Colocar o cotovelo (do braço que lança) alto e o outro estendido à frente, em descontracção.

• Elevar a perna de balanço, flectindo a de impulsão.


• Efectuar um movimento rápido de extensão à retaguarda da perna apoiada.
• Procurar um deslocamento rápido e rasante.
• Manter os olhos virados para o ponto de partida.
• Efectuar o deslizamento pelo calcanhar.
Rodar os pés na direcção do arremesso.
• O peso do corpo é suportado pela perna de impulsão.
• Passa pela posição de força.
• A bacia roda para a frente, através da extensão da perna de extensão.
• Arremessar o peso com o cotovelo levantado.
Efectuar a extensão das articulações do braço, de forma explosiva.

Saltos

O salto de impulsão vertical é o salto mais importante pois é usado em todos os saltos.

Conclusão:

17 | P á g i n a
Concluí com este trabalho que os gestos naturais do ser humano, quando trabalhados na educação
física escolar, através de um “desporto-base” como o atletismo, são peças fundamentais no
desenvolvimento das habilidades físicas e motoras básicas dos alunos. O que possibilitará um melhor
desenvolvimento nas futuras actividades quotidianas e práticas desportivas, como o próprio atletismo ou
outras modalidades sejam elas individuais ou colectivas.
Também concluí que com este trabalho fiquei a saber mais sobre a história do atletismo.

Bibliografia:

18 | P á g i n a
-http://www.esec-tomas-cabreira.rcts.pt/alunos/20012002/nuno/Trabalho%20Escolar.htm#AHist
%C3%B3riadoAtletismo

-http://pt.wikipedia.org/wiki/Atletismo

-http://efapoio.blogspot.com/2007/04/histria-do-atletismo-o-atletismo-uma.html

- http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/atletismo/historia-do-atletismo.php

-http://sitio.dgidc.min-edu.pt/desporto/Documents/regulamentos/RegEsp_Atletismo_0709.pdf

-http://sigarra.up.pt/fadeup/disciplinas_GERAL.FormView?
P_ANO_LECTIVO=2007/2008&P_CAD_CODIGO=205-ATL&P_PERIODO=A

-
http://www.prac.ufpb.br/anais/IXEnex/iniciacao/documentos/catalogoresumo/4.EDUCACAO/4CCSDEFM
T04.pdf

-Livro de Educação física do 9º ano.

19 | P á g i n a