Você está na página 1de 1

52 ZERO HORA TERÇA-FEIRA, 15 DE DEZEMBRO DE 2009 Editor: Marcelo Ermel - 3218-4737

policia@zerohora.com.br
Polícia

EMÍLIO PEDROSO
O CRIMINALISTA
O retorno
do Senhor
dos Tribunais
Aos 91 anos, o advogado Oswaldo de Lia Pires atuou
ontem em um júri popular, depois de um jejum de 12 anos

MAURO TORALLES na bolsa de Carina, que não estava fardada.

E
Reconhecida como policial, estava decretado
xatamente às 9h25min de ontem, seu fim, completado de maneira cruel. Posta
Oswaldo de Lia Pires, um dos de joelhos no chão do ônibus, a PM foi exe-
maiores criminalistas do Estado, cutada com um tiro na nuca.
surgiu no corredor do terceiro O que se seguiu desencadeou uma ação do
andar do Foro Central de Porto 11º Batalhão de Polícia Militar, que colocou
Alegre. Era o retorno aos holofotes 12 anos seus homens na Vila Bom Jesus atrás dos ma-
depois, para defender o coronel Edson Fer- tadores e com base em descrições feitas pelos
reira Alves e o tenente-coronel Arlindo Rego, passageiros. Nas horas seguintes, Carina teria
da Brigada Militar, acusados em um processo a morte cerebral decretada e os irmãos Edson
desencadeado a partir do assassinato de uma Pinheiro Dias, 15 anos, e Jeferson Pinheiro
brigadiana em 2001. Dias, 18, seriam executados em frente à casa.
Entrou acompanhado por sua entourage. Essa é a história, e, no julgamento dos dois
Como um lutador de boxe que vai decidir um oficiais, a acusação questionava a validade da
título mundial. Lia Pires à frente, ladeado pelos ação policial, seus resultados e a responsabili-
dois clientes e seguido pelo trio de advogados dade dos réus em tudo isso.
que trabalham com ele nessa defesa. A entra-
da foi lenta o suficiente para que o astro do dia Promotor facilitou o trabalho do
pudesse ser filmado, fotografado e ainda re- mestre ao pedir absolvição de réus
gistrar alguns breves comentários sobre o ca-
so. Não faltou o sorriso simpático e confiante. A primeira intervenção de Lia Pires no jul-
Com certeza saboreava cada um dos gestos e gamento presidido pela juíza Rosane Michels,
cada minuto gasto nessa cerimônia informal. da 1ª Vara do Júri, deu-se ao primeiro minuto
Não era para menos. das 11h com uma pergunta técnica a uma das
O último trabalho de júri foi em 1997 em testemunhas. O melhor, a essência do que foi
auxílio ao amigo e também criminalista Ama- planejado nos últimos dias com os advogados
deu Weinmann, que teve o filho assassinado. Flávio Pires (seu sobrinho), Jader Marques e
Lia Pires atuou como assistente de acusação. Flavio Ordoque estava guardado para a tarde.
O retorno, ontem, também foi por um amigo, o E à tarde a surpresa foi patrocinada pelo
coronel Edson Alves. Econômico nas respostas, promotor Eugênio Amorim, que se alçou à
ao perguntarem o que achava do novo caso, re- condição de estrela da segunda-feira, também,
sumiu tudo em duas curtíssimas palavras: ao se aliar à causa da defesa. A inconsistência
– Mais um. da denúncia levou a esta confissão:
Quatro dias antes, estava no escritório já – Estou aqui para fazer Justiça com o velhi-
pronto para voltar à cena. Ali, a poltrona de nho (uma referência carinhosa a Lia Pires).
encosto alto abraça o corpo pequeno e quase Era o elogio ao passado e ao presente do
o engole. Sobram os olhinhos redondos, es- velho advogado, a reverência ao prestígio do
pertos, e as mãos. O famoso advogado de 91 mestre. A absolvição dos réus estava pedida
anos fala pelas mãos. E pelos dedos, especial- e a causa ganha antes que o mestre come-
mente pelo indicador da mão direita. O dedo çasse a falar. Houve tempo, porém, para o
do poder, pronto para fazer história, mais dedo do poder de Lia Pires contribuir com
uma vez, o que de fato aconteceu na segun- uma frase de efeito:
da-feira ensolarada de Porto Alegre. A vitória – Eu o mataria (referindo-se ao assassino da
em mais um caso faz lembrar uma frase dita PM), mas não sou o comandante.
por ele há algum tempo quando alguém pe- Antes das 22h, a absolvição foi confirmada
diu para definir seu estilo: pelos jurados. Oswaldo de Lia Pires já podia
– Um leão. Sem temor de coisa alguma. voltar para casa e anunciar à dona Diná, sua
Nesta idade, pode ser que o homem seja mulher desde 1945, a nova vitória. Será a últi-
engolido pela poltrona, mas o leão ainda ru- ma? Antes do julgamento, na sala de onde vê os
ge. E forte, como se pôde ouvir no tribunal, morros de Porto Alegre, havia dado a entender
ontem, desde sua entrada com ingredientes que poderá haver outro caso. Um bom suspen-
de espetáculo. se para quem aprecia os artistas da oratória.
O caso em que passaria a trabalhar nos
minutos seguintes deu-se há oito anos, em mauro.toralles@zerohora.com.br
21 de dezembro de 2001. Já para o final da
noite a soldado Carina Rodrigues Macedo, 28 !
ZEROHORA.COM
anos, retornava para casa em um ônibus da
linha T-1. Na Rua São Benedito, um assalto Em vídeo, confira o retorno de Lia Pires aos
surpreendeu os passageiros. Numa manobra tribunais. Acesse www.zerohora.com
rápida, os dois assaltantes flagraram algemas Sorridente na chegada ao Fórum, Lia Pires foi a estrela de julgamento ocorrido ontem