P. 1
02 - Condutividade de Soluções

02 - Condutividade de Soluções

1.0

|Views: 3.622|Likes:

More info:

Published by: Lucas De Oliveira Nascimento on May 24, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/19/2013

pdf

text

original

_______________________________________Condutividade Elétrica das Soluções

Condutividade Elétrica das Soluções
1 – INTRODUÇÃO Condutividade elétrica (σ) é usada para especificar o caráter elétrico de um material e pode ser escrita como sendo o recíproco da resistividade. A unidade da σ é [(Ω m)-1]. Nos materiais sólidos há, basicamente, três classificações de acordo com a facilidade com que conduzem uma corrente elétrica: condutores, semicondutores e isolantes. Metais são bons condutores, tipicamente tendo condutividades da ordem de 107 (Ω-m)-1. No outro extremo estão os materiais com muito baixas condutividades, situando-se entre 10-10 e 10-20 (Ω-m)-1; estes são classificados como isolantes elétricos. Materiais com condutividades intermediárias, geralmente entre 10 6 a 10-4 (Ω-m)-1, são denominados semicondutores. No SI – Sistema Internacional de Unidades, a σ é medida em siemens/metro (Sm-1), onde Ω = S-1. Na Tabela abaixo, há a descrição da para alguns metais e soluções.

Tabela de Condutividades Elétricas Material Prata Cobre puro Ouro Alumínio Zinco Níquel Ferro puro Água do Mar Água potável Água destilada Condutividade (Sm-1) 62,5x106 60 x 106 45,2 x 106 37,8x106 17,8x106 10,4x106 10,2x106 4,8 5x10-2 a 10-4 5,5x10-6

Substâncias puras metálicas, tanto no estado sólido quanto fundidas promovem a condutividade elétrica.

Um exemplo simples a ser considerado é o sal de cozinha. Há outras substâncias. sugeriu que o mecanismo de condução elétrica em determinadas substâncias ocorria devido a migração de íons e não de elétrons como nos condutores metálicos. sendo caracterizado como um isolante. Entretanto. O primeiro a sugerir que os mecanismos de condução eram completamente distintos foi Arrhenius. Esta hipótese abriu as portas para uma série de . alterando-se estas condições o mesmo material pode passar a conduzir eletricidade. Arrhenius. pois são estes íons (cargas positivas e negativas) que farão a corrente elétrica passar pela solução aquosa. usualmente não conduz corrente elétrica. Uma questão interessante que surge no estudo da condução de eletricidade é que alguns materiais em determinadas condições físicas não conduzem eletricidade. Entretanto. Desta forma torna-se um condutor de eletricidade. pela adição de um solvente ou aquecimento. o que estabelecerá a corrente elétrica. Fenômenos como este levaram cientistas do século passado a questionarem se o mecanismo de condução de eletricidade em metais era o mesmo observado. NaCl. então. Eletrólito é toda a substância que. se movimentam simultaneamente e em direções opostas na solução eletrolítica. não somente os metais e algumas ligas podem conduzir correnteelétrica. Entre 1880 e 1890. tal como a água. AB A+ + B- Em um meio de elevada constante dielétrica. por exemplo. dissociada ou ionizada. que dependendo de seu estado físico. origina íons positivos (cátions) e íons negativos (ânions). estudando a condutividade elétrica de soluções ácidas. também podem conduzir corrente. no NaCl. Uma substância pura iônica no estado sólido._______________________________________Condutividade Elétrica das Soluções Porém. sofra ionização em solução aquosa. No caso de ionização. os eletrólitos dissociam-se em cátions e ânions. os íons formados são chamados de eletrólitos. dependendo da constante de dissociação iônica do eletrólito. Estes. porém pode ser condutora caso seja fundida ou. basta fundi-lo ou dissolvê-lo em água para que se perceba uma elevada taxa de condução de eletricidade. Pode-se observar que existe uma total ou parcial dissociação iônica. Este sal na temperatura ambiente é um péssimo condutor de eletricidade.

3.845g em 1L. com dois fios elétricos. experimentalmente. .3 – Vidrarias por grupo: 2 Provetas 100 mL. do soluto e da concentração deste último sobre a condutividade do meio.Observar o efeito da natureza do solvente. experimentalmente.2 – Reagentes: Sacarose – Pote para pesagem. a condutividade elétrica das soluções 2 – OBJETIVOS . .10 mol/L de NaCl – 5. Vários tipos de montagens podem ser feitas para estudar. . 7 béqueres 50 mL. Lâmpada 127V 7W Figura 1 – Ilustração de uma montagem para estudar._______________________________________Condutividade Elétrica das Soluções desenvolvimentos sobre a condutividade elétrica e deu o prêmio Nobel de química à Arrhenius em 1903 pela teoria eletrolítica da dissociação. 3. NaCl – Pote para pesagem.Verificar a condutividade elétrica de diferentes soluções aquosas. um plug e um recipiente para colocar as soluções a serem analisadas. água destilada.1 – Equipamento: Circuito com uma lâmpada de 127 V / 7W. dois eletrodos.Fazer comparações na condutividade elétrica dos diferentes eletrólitos. a condutividade elétrica das soluções. um suporte para a lâmpada. 1L de solução 0. bastão de vidro. A Figura 1 mostra um tipo de montagem. uma lâmpada. 3 – MATERIAIS 3.

Amostra 1 2 3 4 Substância Água de torneira Água destilada Cloreto de sódio Sacarose Observação Experimento B: Condutividade elétrica em função da concentração. Repita o procedimento acima utilizando 10 mL de solução de NaCl diluída para obter uma nova solução. Mergulhe os eletrodos. Coloque 40 mL da solução diluída de NaCl em um béquer de 50 mL e verifique a condutividade. Anote suas observações na Tabela 1 1. Solução aquosa de NaCl: Pese 0.10 mol/L em um béquer de 50 mL e verifique a condutividade. Verifique a condutividade. 2. Solução aquosa de NaCl: Coloque 40 mL de uma solução de NaCl 0. 40 mL de água destilada. cuidadosamente. Água destilada: Coloque 40 mL de água destilada no béquer de 50 mL. Retire e lave os eletrodos. 3. Calcule as novas concentrações. 4. adicione.0 g de sacarose em um béquer de 50 mL._______________________________________Condutividade Elétrica das Soluções 4 – PROCEDIMENTOS Experimento A: Condutividade iônica em diferentes soluções Em cada procedimento: --> Tire o sistema da tomada. conecte o sistema na tomada e observe a lâmpada. Em cada procedimento: --> Tire o sistema da tomada. Misture bem com auxílio do bastão de vidro. Anote suas observações na Tabela 2 1. Ainda com NaCl não dissolvido totalmente. 4. Coloque 10 mL de solução de NaCl 0.10 mol L-1 na proveta de 100 mL e complete para 50 mL com água destilada. Retire e lave os eletrodos. 2. Tabela 1: Observações referentes à lâmpada pela corrente transmitida por algumas soluções. Mergulhe os eletrodos. adicione 40 mL de água destilada e verifique a condutividade. 3. Solução aquosa de sacarose: Pese 1. Água de torneira: Coloque 40 mL de água de torneira em um béquer de 50 mL. verifique a condutividade inicial e acompanhe o aumento da condutividade até que o sal esteja totalmente dissolvido. das soluções de NaCl diluídas e preencha a Tabela 2 . em mol/L.50 g de cloreto de sódio em um béquer de 50 mL. conecte o sistema na tomada e observe a lâmpada.

Hollenberg. 5. A concentração da solução de cloreto de sódio influi na intensidade luminosa da lâmpada? Por que? Referências Bibliográficas: 1. Ícone. Bispo. New York. Atkins. 3ª ed. Trindade. Constantino. http://br. J.F. . J.S. Ed. W. D.. ionização e dissociação iônica._______________________________________Condutividade Elétrica das Soluções Tabela 2: Observações referentes à lâmpada pela corrente transmitida por algumas soluções de NaCl de diferentes concentrações Amostra 1 2 3 Questões: Concentração da solução de NaCl / mol L-1 0. 7a edição. vol. F. 4..M. com excesso de água corrente. G.Com base nos dados obtidos. as soluções de cloreto de sódio e sacarose conduzem corrente elétrica? Por que? 4.G.V. 2004. G. São Paulo. Postma. Editora Nova Geração. Roberts. P.Colocar em ordem crescente de potência dissipada (luminosidade percebida) as substâncias testadas (Tabela 1). Coleção Nova Geração.Freeman and Company. Banuth.L.Defina: ligação iônica e covalente. Editora LTC. M. 2004. Silva.J. J. 2.geocities. 6a ed. 3. 6. P. Módulo 3.P. 2006. acessada dia 29/05/2009. Química Básica Experimental. 5.M. Descarte de resíduos: Soluções aquosas de NaCl e de sacarose são inócuos ao meio ambiente e suas soluções podem ser descartadas diretamente na pia.L. 2002. Fundamentos de Química Experimental. Físico-Química. 1.htm. de Paula.H. Oliveira.A água de torneira e a água destilada possuem a mesma condutividade? Por que? 3.com/chemicalnet/arrhenius. J. J. 2004.10 1ª diluição – 2ª diluição – Observação 1. Chemistry in the Laboratory.G. Química & Sociedade. Donate. 2.L. Edusp.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->