P. 1
Como Funciona o LinkedIn

Como Funciona o LinkedIn

|Views: 4.432|Likes:
Publicado porPedro Pimenta

More info:

Published by: Pedro Pimenta on Nov 04, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/27/2013

pdf

text

original

Como funciona o LinkedIn

por Dave Roos - traduzido por HowStuffWorks Brasil (Cópia criada a 4 de Novembro de 2008)

Neste artigo 1. Introdução 2. Perfis do LinkedIn 3. Contatos do LinkedIn 4. Conexões do LinkedIn 5. Conexões diretas 6. Como o LinkedIn se dintingue dos outros? 7. Usuários do LinkedIn 8. Resultados do LinkedIn 9. Privacidade e invasão 10. Mais informações 11. Veja todos os artigos sobre Internet

Introdução
LinkedIn é uma rede social online para contatos profissionais. É diferente de outros sites de rede social, como o MySpace e o Facebook porque foi criado especialmente para relacionamentos profissionais - encontrar um emprego, descobrir malas diretas, entrar em contato com possíveis parceiros de negócios - e não apenas para fazer amigos ou compartilhar fotos, vídeos e músicas.

Imagem cedida por LinkedIn

Home page do LinkedIn

As redes sociais online explodiram nos últimos anos, devido, em grande parte, à enorme popularidade do MySpace e do Facebook. Apenas em agosto de 2007, o MySpace teve mais de 60 milhões de visitantes exclusivos, e o Facebook atraiu 19 milhões, um crescimento de 23% e 117%, respectivamente, em relação ao ano anterior [fonte: Mashable (em inglês)]. As redes sociais online são web sites, onde os usuários criam perfis pessoais, buscam "amigos" ou "contatos profissionais" e criam redes de contatos. Existem ativos mais de 300 sites de rede social criados com os mais diversos temas: sites de compartilhamento de vídeos, sites de compartilhamento de fotos, sites de listas de endereços sociais,

sites de compartilhamento de músicas, comunidades de blogs, sites de comunidades em geral, como o MySpace, e sites de relacionamento profissional, como o LinkedIn. O LinkedIn foi fundado em maio de 2003 por Reid Hoffman, Allen Blue, Jean-Luc Vaillant e Konstantin Guericke. O site foi invenção de Hoffman e Guericke, formados em Stanford, que começaram a planejar sua rede profissional online no final da década de 90 [fonte: USA Today (em inglês)]. Com mais de 15 milhões de membros até outubro de 2007, o LinkedIn é uma das redes sociais online que mais cresce no mundo. O movimento cresceu 323% de julho de 2006 a julho de 2007, tornando o site o principal lugar online de destino dos relacionamentos profissionais [fonte: Tech Crunch (em inglês)]. Usuários comuns normalmente têm duas ou três dúzias de contatos, enquanto uma minoria de "super usuários" tem reunidos cerca de 34 mil [fontes: Entrepreneur (em inglês)]. Nesse artigo exploraremos todos os recursos do LinkedIn e ensinaremos como usá-los. Também explicaremos quem utiliza o LinkedIn, por que ele é diferente de outros sites de rede social e se ele realmente funciona. Vamos começar com uma explicação sobre como usar o LinkedIn.

Perfis do LinkedIn
Para começar, você precisa se registrar e criar uma página de perfil. Durante o registro, você terá que informar alguns dados pessoais básicos: nome, endereço de e-mail, local, empregador atual e onde estudou. Em seguida, serão solicitadas outras informações mais detalhadas.

Imagem cedida por LinkedIn

Página de informações básicas do LinkedIn

O perfil do LinkedIn assemelha-se a um currículo profissional. O foco está no histórico acadêmico e profissional, e não na lista de passatempos e filmes preferidos. Para preencher a página de seu perfil, você começará criando registros separados para seus empregos atuais e anteriores - cargo, empregador, ramo de atividade, período e uma breve descrição das atividades realizadas. A experiência acadêmica funciona da mesma maneira. Você criará registros separados para cada instituição de ensino onde estudou depois do ensino médio. Esses registros incluem nome do estabelecimento de ensino, título acadêmico, período, prêmios ganhos e quaisquer outras observações que queira acrescentar. O LinkedIn usará todo seu histórico acadêmico e profissional posteriormente para ajudá-lo a encontrar amigos e ex-colegas de classe. Esse histórico é a base da página de perfil. Você também pode preencher um currículo, com uma breve descrição de sua experiência profissional e de suas habilidades, e colocar uma foto. Há também uma seção onde você pode listar os sites dos quais participa, pessoal e profissionalmente, além de um espaço para uma lista resumida de interesses, grupos associados e títulos honoríficos.
Imagem cedida por LinkedIn

Página de resumo, experiência e escolaridade do LinkedIn

Agora, vamos ver como encontrar pessoas para participarem de sua rede.

Contatos do LinkedIn
Agora que já preencheu a página de perfil do LinkedIn, o segundo passo é procurar outros membros do site para se relacionar. O LinkedIn oferece vários métodos de busca de contatos:
• fazer o upload de sua lista de contatos de e-mail • colleague search (busca por conhecidos) • classmate search (busca por colegas de classe) • name search (busca por nome) • advanced search (busca avançada)

Se você tiver uma conta de e-mail no Gmail ou AOL, você pode digitar seu e-mail e senha que o LinkedIn automaticamente encontrará todos os seus contatos que já são membros do site. Você também pode usar o "Find Contacts Wizard" (Assistente de busca de contatos) do LinkedIn para fazer o upload dos seus contatos do Microsoft Outlook ou de qualquer outro software de lista de endereços.

Imagem cedida por LinkedIn

Página de rede do LinkedIn

Depois que tiver feito o upload dos contatos, você poderá selecionar os usuários do LinkedIn que gostaria de convidar para participar de sua rede. Você também pode aproveitar para convidar todos os seus contatos que ainda não são membros do LinkedIn para participarem do site. Com as informações profissionais de seu perfil, o LinkedIn também mostrará todos os seus colegas, do passado e do presente, que participam do site. Assim como com seus contatos de e-mail, você pode escolher os colegas que gostaria de convidar para fazer parte de sua rede. O mesmo acontece com seu histórico acadêmico. Fazendo a busca por colegas de classe, o LinkedIn exibirá uma lista de todos os membros ativos do LinkedIn que estudaram na mesma instituição e na mesma época que você. Você também pode limitar os resultados da busca a somente as pessoas que estudaram na sua sala. Se clicar na seção "People" (Pessoas), você poderá fazer uma busca por nome ou uma busca avançada. Com a busca por nome, você digita o nome completo ou simplesmente o último nome da pessoa, e o LinkedIn abrirá uma lista com todos os membros que têm aquele nome.

Imagem cedida por LinkedIn

Busca do LinkedIn

Uma busca avançada permite que você procure membros do LinkedIn utilizando vários critérios diferentes: palavraschave, nome, cargo, empresa, local e ramo de atividade. As buscas avançadas poderiam ajudá-lo a encontrar um "contato interno" de uma empresa para usar como mala direta ou para dar-lhe uma vantagem ao se candidatar para um emprego. O terceiro passo - após ter criado seu perfil e encontrado pessoas conhecidas - é transformar esses contatos em "conexões".

Conexões do LinkedIn
Encontrar colegas de classe, conhecidos e amigos é apenas o começo. Para aumentar o verdadeiro poder do LinkedIn - tendo acesso aos contatos de suas conexões - você precisa convidar essas pessoas para fazerem parte de sua rede. No LinkedIn, as pessoas que participam de sua rede são chamadas de "conexões". Uma conexão no LinkedIn é diferente de um "amigo" no MySpace ou no Facebook (em inglês). As conexões significam que você conhece muito bem as pessoas ou que elas são contatos profissionais de confiança. O LinkedIn recomenda que você não adicione estranhos a sua lista, nem aceite o convite de alguém com quem você não tem uma relação confiável. Para transformar seu contato em conexão, você precisa convidar essa pessoa a se juntar a sua rede, e ela precisa aceitar o convite. Da mesma forma, para outra pessoa acrescentá-lo a sua rede, ela precisa convidá-lo, e você, aceitar. Independentemente de quem convida quem, quando um convite é aceito, cada um é automaticamente adicionado à lista do outro.

Imagem cedida por LinkedIn

Existem diversas maneiras de enviar um convite através do LinkedIn. Se você encontrou a pessoa fazendo uma busca por conhecidos ou por colegas de classe, ou se ela já for um de seus contatos de e-mail, então, o processo é simples. Você clica na caixa de seleção junto ao nome da(s) pessoa(s) que deseja convidar e pressiona o botão "send invitations" (enviar convite). O LinkedIn enviará um convite geral, a menos que você especifique que queira adicionar uma mensagem pessoal. Se você localizou a pessoa através da busca por nome ou busca avançada, o LinkedIn precisa verificar se você realmente a conhece antes de autorizar que você lhe envie o convite. LinkedIn perguntará como você conhece essa pessoa: conhecido, colega de classe, parceiro de negócios, amigo, grupos ou associações, outros ou "não conheço [nome]". Se selecionar "amigo" ou "outros", o site perguntará o endereço de e-mail da pessoa. Se escolheu "não conheço [nome]", o LinkedIn não permitirá que você envie o convite. Para as demais categorias, o site solicitará que você indique o trabalho, a instituição de ensino ou a empresa de onde a conhece. Também é possível bloquear ou filtrar os convites que receber através do LinkedIn. Você pode escolher somente ser notificado se o convite for de alguém que saiba seu endereço de e-mail ou que já esteja em sua lista de endereços.

Um convite do LinkedIn

Você também pode remover uma conexão depois de ter aceito seu convite. Basta ir à lista de conexões, assinalar a caixa junto à pessoa que deseja excluir e clicar no link "remove connections" (remover conexões). Não se preocupe, pois o LinkedIn não falará nada.

Conexões diretas
O site possui regras para entrar em contato com as pessoas dentro de sua rede e da rede em geral. As pessoas que aceitaram um convite para participarem de sua rede são chamadas de "direct connections" (conexões diretas). Estão a um nível de você na rede do LinkedIn. Você pode entrar em contato com essas pessoas diretamente clicando no botão "send e-mail" (enviar e-mail) na página de perfil delas. Todas as conexões de suas conexões diretas estão a dois níveis de você na rede do LinkedIn. E as conexões delas, a três níveis. Tecnicamente, todos os membros do LinkedIn que estão conectados a você até três níveis fazem parte da "sua rede". Mas você pode usar o e-mail para entrar em contato somente com suas conexões diretas. O contato com os membros dos segundo e terceiro níveis requer ferramentas especiais do LinkedIn chamadas introductions (apresentações), InMail ou OpenMail.

Imagem cedida por LinkedIn

Para usar o InMail do LinkedIn, você precisa atualizar sua conta

O LinkedIn oferece cinco apresentações com uma conta gratuita. Você pode adquirir mais apresentações atualizando sua conta para premium. Essas apresentações funcionam da seguinte maneira: 1. Encontre uma conexão direta que tenha na lista a pessoa com quem deseja entrar em contato. 2. Envie a ela uma mensagem de apresentação pedindo que a direcione à conexão dele que você queira contactar. 3. Sua conexão direta tem a opção de não encaminhar sua apresentação; 4. Se encaminhá-la, o destinatário pode não aceitá-la. 5. Se a apresentação for aceita, não é a mesma coisa que participar de uma rede. Você ainda terá que enviar a esse membro um convite solicitando que participe de sua rede. É possível que ele tenha que passar seu endereço de e-mail para confirmação. InMail e OpenLink estão disponíveis apenas para membros com contas premium que pagam taxas mensais ou anuais pelo serviço. InMail é o sistema de mensagens interno do LinkedIn. Permite que você entre em contato diretamente com qualquer pessoa na rede do LinkedIn sem a necessidade de uma apresentação. OpenLink é um serviço que permite que você receba mensagens do OpenLink de qualquer pessoa da rede do LinkedIn. O remetente da mensagem do OpenLink não precisa pagar nada. A vantagem é que você pode manter privadas sua lista de endereços de e-mail e outras informações de contato enquanto fica aberto a uma ampla variedade de contatos e conexões. Agora, vamos saber por que LinkedIn é diferente de outros sites de relacionamentos sociais.

Como o LinkedIn se dintingue dos outros?
O LinkedIn é diferente dos outros porque foi criado exclusivamente para relacionamentos profissionais. Como já dissemos, a página de perfil do LinkedIn é essencialmente um currículo online. Você não consegue publicar fotos (a não ser a foto de seu perfil). Você não consegue hospedar um blog. Você não consegue adicionar seus vídeos

favoritos do YouTube nem "zombar" de seus amigos. Você não consegue personalizar as cores nem o layout de sua página de perfil, muito menos procurar "mulheres solteiras, com idade entre 25-30". O design claro e "enxuto" de uma página de perfil do LinkedIn faz parte de um esforço consciente de dar um acabamento profissional aos sites de rede social. Houve vários casos que chamaram a atenção nos noticiários de pessoas que perderam uma oportunidade de emprego, ou o próprio emprego, por causa de uma foto mal escolhida ou de um comentário feito no blog da pessoa ou na página do MySpace ou do Facebook (em inglês). O presidente do LinkedIn, Dan Nye, comentou que o site foi criado para apresentar seus membros de "uma forma profissional na Internet [fonte: LinkedIn]. Também já falamos que uma conexão no LinkedIn requer mais do que um simples conhecimento. O site recomenda que todas as conexões sejam vistas como possíveis referências pessoais ou profissionais. Você deve acreditar que todas as suas conexões darão referências positivas a seu respeito a um futuro empregador ou a outros membros de sua rede. Além disso, quando uma pessoa se tornar sua conexão, ela terá acesso a todas conexões de sua rede. Você não vai querer ter uma pessoa na sua lista que incomode suas conexões ou passe para elas uma imagem distorcida sua. O LinkedIn difere-se de seu concorrente mais próximo, o Facebook, porque este tem O presidente do LinkedIn, Dan por base o grupo, enquanto o LinkedIn está muito mais focado nas pessoas e nas Nye, e uma convidada andando suas realizações. Por exemplo, o Facebook atribui automaticamente membros às sobre o tapete vermelho da "redes", com base na sua localização física e na instituição de ensino que Webby Awards, em 5 de junho estudaram. Isso provavelmente é mais uma relíquia dos dias em que o Facebook era de 2007 apenas para estudantes universitários. Os membros do Facebook conseguem facilmente acessar milhares de outros grupos e redes formados pelos próprios membros.
Brian Arch/WireImage

Imagem cedida por LinkedIn

Grupos do LinkedIn

O LinkedIn possui o "LinkedIn Groups" (Grupos do LinkedIn), mas o processo de criação e participação de um grupo é mais complicado do que no Facebook ou na maioria dos outros sites de rede social. O LinkedIn possui uma painel especial de análise que aceita solicitações de novos grupos somente de entidades profissionais, grupos de ex-alunos, entidades profissionais de ex-alunos, associações de empresas e grupos semelhantes dirigidos a negócios. E, uma vez que um grupo é adicionado, seu administrador é responsável pela aceitação ou recusa de todos os pedidos de participação nesse grupo. O LinkedIn também trabalha com um modelo de negócios diferente do da maioria dos sites de rede social. Existem alguns anúncios do Google no LinkedIn, mas nenhum patrocinador corporativo nem propaganda comercial. Em contrapartida, o MySpace ganhou por mês quase US$ 25 milhões com anúncios online até fevereiro de 2007 [fonte: Media Week (em inglês). E o Facebook anunciou um esquema de propagandas, no início de novembro de 2007, que levará para o site anúncios corporativos dirigidos de nomes como Coca-Cola, Blockbuster e Verizon Wireless [fonte: PC World (em inglês)]. Ao contrário, o LinkedIn ganha dinheiro de duas formas básicas. Primeiro, o site cobra os usuários por determinados serviços. Se quiser enviar mais que cinco apresentações, terá que atualizar para uma das contas premium (Personal Plus, Business ou Pro). O mesmo acontece para enviar mensagens no InMail ou receber do OpenLink. A publicação

de vagas também tem um custo, assim como outros serviços do site, como buscas por referência e serviços expressos. Mas o LinkedIn realmente ganha dinheiro com o LinkedIn Corporate Solutions, uma poderosa ferramenta para recrutadores e headhunters corporativos. Quando um usuário registrado do LinkedIn acrescenta suas experiências profissionais e acadêmicas na sua página de perfil, ele está adicionando informações pessoais ao banco de dados profissional do LinkedIn cada vez mais crescente. Com o pagamento de uma taxa de assinatura anual (de US$ 100 mil a US$ 250 mil para algumas empresas), o LinkedIn Corporate Solutions oferece recrutadores e headhunters com ferramentas de busca aprimoradas e software de gerenciamento para encontrar os "candidatos passivos" mais qualificados [fonte: HR.com (em inglês)]. Um candidato passivo é aquele que já tem um emprego e não está à procura de outro. De acordo com o LinkedIn, um candidato ao emprego passivo geralmente tem qualificações melhores do que a média de candidatos ativos que está procurando trabalho [fonte: LinkedIn (em inglês)]. Os recrutadores corporativos buscam pessoas experientes em outras empresas e tentam convencê-las a mudarem de emprego. O LinkedIn estima que mais de 100 mil membros são recrutadores profissionais [fonte: Workforce.com (em inglês)]. Agora, vamos ver quem utiliza o LinkedIn e com que finalidade.

Usuários do LinkedIn
Existem muitos públicos diferentes para os serviços de relacionamentos profissionais do LinkedIn. O primeiro é simplesmente formado por pessoas que querem manter contato com ex-colegas e colegas de classe. Esse é o relacionamento mais básico e passivo. A idéia é que um dia você possa precisar entrar em contato com as conexões de sua rede para obter um novo emprego ou encontrar uma mala direta. Por ora, é interessante rever velhos amigos e colegas de trabalho e saber o que andam fazendo. O segundo público do site é o de pessoas ativas que procuram emprego e de pessoas que oferecem emprego. O site do LinkedIn tem uma seção inteira destinada aos "Jobs and Hiring" (Empregos e contratações). A busca pelo emprego é gratuita, mas para publicar uma lista de vagas, é necessário pagar US$ 145 (são concedidos descontos para a publicação de várias listas).

Imagem cedida por LinkedIn

Busca de emprego do LinkedIn

Para procurar um emprego, você preencherá um rápido formulário com uma palavra-chave e o local desejado. Os resultados da busca são divididos em ofertas publicadas no LinkedIn e ofertas publicadas na Internet. O mais importante é que o LinkedIn organiza os resultados da busca pela sua proximidade, na rede, com a pessoa que está publicando a vaga. Por exemplo, o LinkedIn informa que o gerente de contratação da Acme, Inc. está a apenas dois níveis de você na sua rede. Dessa forma, você pode usar uma apresentação para entrar em contato diretamente com ele, talvez tendo uma vantagem em relação aos outros candidatos.

Se estiver contratando, existem maneiras de usar o LinkedIn sem ter que pagar pela oferta de trabalho publicada. Existe uma caixa de busca na página "Hiring and Recruiting" (Contratação e recrutamento) que permite que você busque candidatos usando palavras-chave. Você também pode fazer uma busca avançada por pessoas com as palavras-chave e a experiência no ramo de atividade que desejar. Outra maneira é distribuir um anúncio de novo emprego para sua rede. Será simplesmente uma mensagem enviada através do LinkedIn a seus contatos diretos perguntando se algum deles pode indicar alguém para a vaga na sua empresa. Ao receber solicitações pelo LinkedIn, você pode fazer uma busca por referências (somente para usuários de conta premium) para ver o que os colegas do candidato dizem a seu respeito. A busca por referências permite que você procure pelo nome da empresa e veja quem trabalhou lá durante um período específico. Outro público, como já mencionamos, é o de recrutadores e headhunters em tempo integral. Com o LinkedIn, os recrutadores têm o conforto de explorar um enorme banco de dados de profissionais com uma simples interface de web. Assinando o LinkedIn Corporate Services, eles têm a sua disposição ainda mais ferramentas para encontrar os melhores candidatos entre os 15 milhões de membros ativos do LinkedIn.

Imagem cedida por LinkedIn

Página de recrutamento do LinkedIn

Os vendedores podem gastar milhares de dólares em listas de mala direta de empresa para empresa. Com o LinkedIn, um vendedor pode fazer a busca, dentro de seu ramo de atividade, por pessoas que possam estar interessadas em seus produtos. Então, seja por uma apresentação vinda de sua rede existente ou pelo contato através do InMail, eles podem fazer sua abordagem diretamente a um contato interno. Os empresários podem usar o LinkedIn para procurar possíveis parceiros de negócios, clientes e fornecedores. Além disso, na seção LinkedIn Answers, você pode fazer uma pergunta a sua rede (até três níveis do seu). Alguém que esteja abrindo seu próprio negócio pode pedir conselhos de outras pessoas no mesmo ramo de atividade. Ou você pode usar a página "LinkedIn Services" (Serviços do LinkedIn) para encontrar prestadores de serviço e pessoas especializadas que foram recomendados por outros usuários do LinkedIn. Profissionais de relações públicas estão sempre em busca de contatos em jornais, revistas ou emissoras de televisão para enviarem um boletim informativo (em inglês). Ao fazer uma busca avançada por pessoas no LinkedIn, eles podem encontrar repórteres e editores que cubram o ramo de atividade de seu cliente e entrar em contato com eles através de conexões ou do InMail. Por outro lado, os próprios jornalistas podem usar o LinkedIn para encontrarem contatos internos dentro de uma empresa para que não precisem conversar primeiro com um representante de relações públicas. Agora, vamos fazer a grande pergunta: como o LinkedIn realmente funciona?

Resultados do LinkedIn
Se o LinkedIn funciona ou não depende da finalidade para a qual você o está utilizando. É mais útil quando você tem uma tarefa específica que esteja tentando concluir, como procurando um emprego ou conselhos de pessoas da sua área [fonte: B. Mann Consulting (em inglês)]. Não é tão útil se você é apenas um membro passivo que juntou algumas conexões, mas que não está no mercado em busca de um novo emprego, ou em um campo que necessite de muitos relacionamentos profissionais. No nível mais básico, o LinkedIn funciona muito bem para você entrar em contato com colegas antigos e colegas de classe. Como o LinkedIn chegou à marca crítica de 15 milhões de membros, existe uma boa chance de você encontrar pessoas com quem já trabalhou ou estudou. Além da satisfação de ver o que velhos amigos (ou inimigos) estão fazendo, o LinkedIn oferece a seus usuários uma forma de colocar sua rede de conexões, antes invisível, em ação. É claro que é bom voltar a ter contato com velhos amigos, mas isso você pode fazer em muitos outros sites de rede social. O LinkedIn quer incentivar seus usuários a irem além da diversão e entrarem no mundo dos negócios. Se os usuários respondem ou não a esse desafio é o que ditará a utilidade do site para eles. O que está claro é que o LinkedIn definitivamente trabalha para os recrutadores. Sabemos de uma empresa de recrutamento que gasta pouco mais de US$ 7 mil por ano com o LinkedIn Corporate Services, mas embolsa mais de US$ 100 mil só de comissões relacionadas a pessoas contratadas através do serviço [fonte: Work Force (em inglês)]. Um recrutador que utiliza o serviço do InMail para entrar em contato diretamente com clientes em potencial diz que recebe uma resposta 90% das vezes [fonte: Work Force (em inglês). A natureza humana é tal que é sempre mais fácil conseguir um emprego com um conhecido do que com uma pessoa completamente estranha. Uma ferramenta de rede profissional como o LinkedIn tem o poder de expandir o universo de quem você conhece. Um usuário do LinkedIn com 41 conexões pode ter mais de 200 mil membros em sua rede - ou seja, pessoas que estão a cerca de três níveis do seu. Quando se trata de procurar um emprego, o LinkedIn permite que você busque por vagas dentro de sua rede. Em vez de telefonar para o escritório e pedir para falar com o gerente de contratação, você pode ser apresentado por um amigo em comum. O LinkedIn aparentemente também funciona com malas diretas, particularmente se tiver uma grande rede de conexões diretas. Houve um caso de um presidente de uma empresa de publicidade online que usou a apresentação de uma de suas conexões diretas para entrar em contato com o diretor de um cliente potencial e convidá-lo para almoçar. O diretor respondeu imediatamente. Comentou que não tinha tempo para comer, mas que precisava de uma nova empresa de propaganda. Eles assinaram contrato duas semanas depois [fonte: Inc.com (em inglês)]. O LinkedIn não fornecerá vendedores com milhares de clientes em potencial, como aquelas listas de mala direta compradas, mas ajudará a gerar relações com uma vantagem distinta: a possibilidade de uma conexão interna. Conforme diz um artigo na Inc.com, o LinkedIn faz o primeiro contato e os "aprofunda" através de amigos e colegas compartilhados [fonte: Inc.com (em inglês).

Imagem cedida por LinkedIn

Respostas do LinkedIn

Quanto a empresários e donos de empresas de pequeno porte, o "LinkedIn Answers" (Respostas do LinkedIn) pode ser um recurso eficaz para assistência a empresas específicas e parceiros potenciais. Ao pesquisar as listas de perguntas e respostas nas seções "Startups and Small Businesses" (Início e empresas de pequeno porte), encontramos respostas enormes e ponderadas sobre vários assuntos, como seguro-saúde para pequenas empresas, como ganhar a confiança do cliente e como montar uma infra-estrutura de TI de forma rápida e barata. Como acontece com qualquer sistema de quadro, haverá compartilhamento das mensagens e auto-promoção, mas o LinkedIn está acrescentando uma nova funcionalidade de sinalização para chamar a atenção rapidamente a esses aborrecimentos [fonte: LinkedIn Intelligence (em inglês)] Mas como todo site de rede social, o LinkedIn tem o potencial de ser um passatempo divertido, uma forma de unir seus amigos antigos e conexões na última loucura da Web 2.0. Entretanto, o site está se posicionando como o lugar para onde as redes sociais irão quando começarem a pensar em relacionamentos [fonte: USA Today] (em inglês)] A idéia é que todos aqueles universitários loucos pelo Facebook (em inglês) se mudarão para o LinkedIn quando a realidade bater a sua porta. Para completar, vamos falar um pouco sobre questões de privacidade e invasão relacionadas ao LinkedIn.

Privacidade e invasão
Quando um site é tão popular quanto o LinkedIn, é fácil uma pessoa se empolgar para publicar uma página de perfil sem levar em conta o nível das informações que está compartilhando. Infelizmente, com a divulgação de muitos dados pessoais e profissionais em um site desses, você pode ficar vulnerável aos hackers de engenharia social. Engenharia social é a prática do uso de técnicas psicológicas para persuadir as pessoas a fornecerem informações confidenciais, como senhas ou dados sigilosos da empresa. É uma maneira eficaz de invadir a rede de uma empresa, pois ataca a parte mais fraca no sistema: o ser humano [fonte: SearchSecurity.com (em inglês)]. Um exemplo de golpe de engenharia social popular é ligar para o departamento de TI de uma empresa fazendo-se passar por um executivo furioso que perdeu sua senha da rede e precisa dela imediatamente para uma importante reunião. O funcionário ficará tão confuso que dará a senha sem tomar as precauções de segurança necessárias [fonte: Security Focus (em inglês). Você pode pensar que as informações que você publica no LinkedIn são seguras porque somente os membros de sua rede conseguem ver os perfis completos. Mas o LinkedIn é diferente de alguns outros sites de rede social populares, como o Facebook (em inglês) pois ele permite mecanismos de busca, como o Google, para acessar uma versão da página de seu perfil chamada de "perfil público". Ao criar uma página de perfil no LinkedIn, você também cria uma página pública que pode ser vista por qualquer pessoa que faça uma busca relevante na Internet. O LinkedIn permite que você defina suas configurações de privacidade para essa página de perfil público, incluindo uma opção para remover completamente o perfil público. Você pode optar por limitar seu perfil público a nome, local e profissão, ou publicar a "visualização completa", que é seu perfil inteiro, exceto as referências e as informações de contato. Mesmo no modo de "visualização completa", a página de perfil público nunca listará suas conexões.

Imagem cedida por LinkedIn

Somente as suas conexões diretas - um nível abaixo - podem ver sua lista de contatos. Isso faz com que os usuários tenham controle de sua privacidade. É por esse motivo que é tão importante aceitar o convite somente de pessoas que você conheça e confie. Se um hacker de engenharia social souber seu nome, onde você trabalha, onde trabalhou, onde estudou, assim como o nome de conhecidos, ex-colegas e colegas de classe, fica muito mais fácil para ele dar um golpe. Ele pode usar todas essas informações para ganhar sua confiança (de onde se origina a palavra "confidência") e sutilmente persuadi-lo a dar-lhe informações que você jamais compartilharia com um estranho.

Configurações do perfil público do LinkedIn

Imagem cedida por LinkedIn

Configurações de conta do LinkedIn

O LinkedIn permite que os usuários definam suas configurações de privacidade a qualquer momento clicando no link "Accounts & Settings" (Contas e configurações) na parte superior de cada página do LinkedIn. Nessa página, você pode deixar seu nome e local invisíveis para outros usuários do LinkedIn. Você pode controlar como e se suas conexões serão notificadas quando você fizer modificações em seu perfil ou acrescentar novas conexões. E você pode controlar se suas conexões diretas poderão passear pela sua lista de contatos. Quanto a política de privacidade total do LinkedIn, o site se compromete a não compartilhar ou vender a parceiros qualquer informação de identificação pessoal. Entretanto, ela compartilha outras informações, como sua atividade ou região, com parceiros de sites para fins de propaganda. Basicamente, se você visitar um dos sites parceiros do LinkedIn, é possível que você veja anúncios dirigidos a seu trabalho ou ao local em que está. Se quiser bloquear esse serviço de propaganda, você pode fazê-lo na página de contas e configurações. Isso praticamente nos leva ao final desse artigo. Para obter mais informações sobre LinkedIn, redes sociais e tópicos relacionados, verifique os links na próxima seção.

Mais informações

Artigos relacionados
• Como funcionam as redes sociais (em inglês) • Como funcionam as redes sociais online • Como funcionam as redes de relacionamento • Como funciona a contratação de funcionários nos EUA • Como funcionam os alunos da Geração Net • Como funcionam as listas de clientes potenciais • Como funcionam as relações públicas • Como funciona a formação de uma equipe de vendas • Como funcionam as técnicas de vendas • O Facebook pode me deixar rico?

Mais links interessantes (em inglês)

• LinkedIn • Blog do LinkedIntelligence • Dicas de relacionamento profissional do CareerJournal.com Fontes (em inglês) • "Pergunte ao presidente: Dan Nye responde aos usuários" LinkedIn Blog • "Os negócios do LinkedIn são... negócios" USA Today • "Facebook dá aos anúncios online uma guinada social" PC World

• "Como ser um especialista em criar e manter redes de relacionamentos". Entrepreneur.com • "O LinkedIn Corporate Solutions oferece novas ferramentas para os departamentos de equipe corporativa e recrutadores executivos" • "Aumento do tráfego do LinkedIn, mas é suficiente?" TechCrunch • Nielsen Netratings agosto de 2007 • "Recrutadores utilizam o LinkedIn em busca de candidatos a empregos". Workforce.com • "Empresas experientes utilizam o LinkedIn para encontrarem talentos". HR.com • "Princípios básicos de engenharia social". Security Focus • "Transformar vendas em ciência" Inc.com

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->