P. 1
Embalagens - Custo Ou Despesa - Roteiro

Embalagens - Custo Ou Despesa - Roteiro

|Views: 1.002|Likes:

More info:

Published by: Christiane Pereira Cassiano on Jan 16, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/15/2012

pdf

text

original

• Roteiro ATUALIZADO

Informativo FISCOSoft Embalagens - Custo ou Despesa - Contabilização - Roteiro de Procedimentos A questão da classificação contábil das embalagens como Custo ou Despesa, embora aparentemente simples, quase sempre resulta em questionamentos por parte dos operadores da contabilidade. Diante disto, neste Roteiro é apresentado um material conciso, claro e objetivo no intuito de elucidar a problemática envolvendo o tema.

Impressão

Embalagens - Custo ou Despesa - Contabilização - Roteiro de Procedimentos Roteiro - Federal - 2010/4680 Sumário
Introdução I - Conceitos iniciais II - Importância da correta classificação II.1 - Embalagem como custo II.2 - Embalagem como despesa II.3 - Embalagem utilizada no transporte

Introdução
A questão da classificação contábil das embalagens como Custo ou Despesa, embora aparentemente simples, quase sempre resulta em questionamentos por parte dos operadores da contabilidade. Diante disto, foi selecionado um material conciso, claro e objetivo no intuito de elucidar a problemática envolvendo o tema.

I - Conceitos iniciais
Para a solução da questão e também à correta classificação contábil das embalagens, é indispensável termos em mente os conceitos basilares de custo do estoque e da classificação de despesas. A partir daí, torna-se simples a tarefa de classificar as embalagens como custo ou despesa. Essencialmente, custos são os dispêndios tidos na obtenção ou produção de um bem a ser vendido, ou os relacionados à execução de um serviço que será prestado, isto é, são gastos utilizados direta ou indiretamente na produção de um bem ou prestação de um serviço. O custo abarca todos os gastos empregados para se obter um produto que será objeto de venda.

os estoques compreendem bens adquiridos e destinados à venda. Perante a legislação do Imposto de Renda. pode-se afirmar que o valor de custo do estoque deve incluir todos os custos de aquisição e de transformação. para fins de análise de custo ou de gastos com vendas. ou seja. bem como outros custos incorridos para trazer os estoques à sua condição e localização atuais. Esse processo. Já na hipótese das embalagens tidas como despesa de venda. por exemplo. é fundamental a correta classificação das embalagens. Fundamentação: Resolução CFC nº 1.170 de 2009. a classificação das embalagens como custo de produção deve ocorrer quando os estoques são vendidos. Em decorrência dessa sistematização. aprovado pela Resolução CFC nº 1. entre outras. devem ter o tratamento de gastos de transformação e dessa forma são componentes do custo de produção. mercadorias compradas por um varejista para revenda.Quando os estoques são vendidos. o custo escriturado deve ser reconhecido como despesa do período em que a respectiva receita é reconhecida. por ocasião da venda do produto. II. usualmente chamado de confrontação entre despesas e receitas (Regime de Competência). Em regra. incluindo. são decréscimos nos benefícios econômicos durante o período contábil sob a forma de saída de recursos ou redução de ativos ou incremento em passivos. de tal forma que ao final dessa etapa o produto já tenha sido devidamente acondicionado. principalmente sob o enfoque gerencial. envolve o reconhecimento simultâneo ou combinado das receitas e despesas que resultem diretamente das mesmas transações ou outros eventos. que resultem em decréscimo do patrimônio líquido e que não sejam provenientes de distribuição aos proprietários da entidade. II . As despesas. os vários componentes de despesas que integram o custo das mercadorias vendidas devem ser reconhecidos na mesma data em que a receita derivada da venda das mercadorias é reconhecida. De acordo com o Pronunciamento Conceitual Básico CPC 16. por exemplo. . ou como custo na fase de produção. Por exemplo: gastos com material de escritório. Os estoques também compreendem produtos acabados e produtos em processo de produção pela entidade e incluem matérias-primas e materiais aguardando utilização no processo de produção. Em geral.170/2009. as embalagens utilizadas na linha de produção. tais como: componentes. Em outras palavras são valores gastos com bens e serviços destinados à manutenção da atividade da empresa. por sua vez. despesas com vendas. haja vista tratar-se de valores que influenciarão o lucro líquido. deverá fazer parte do custo de produção do bem. sua classificação no resultado ocorrerá quando de sua utilização. via de regra.Importância da correta classificação As despesas são reconhecidas na demonstração do resultado com base na associação direta entre elas e os correspondentes itens de receita.1 . o custo escriturado deve ser reconhecido no resultado no período em que a respectiva receita é reconhecida. Entretanto. o efeito no resultado será o mesmo.Embalagem como custo A embalagem. tanto na classificação como custo de produção ou comercialização. embalagens e material de consumo.

e a crédito na conta de estoque de embalagem. seja na linha de produção ou em um departamento específico de embalagens. Neste caso. conforme sugestão abaixo: a) Pela aquisição das embalagens: Débito Crédito Estoque de Embalagens (Ativo Circulante) Disponibilidades (Ativo Circulante) a) Pela utilização no momento da venda do produto: Débito Crédito Despesa com vendas . de utilização de sacos plásticos. fios ou metais para envoltura. na conta de resultado. para proteger a embalagem unitária ou coletiva contra agentes externos indesejáveis. II. umidade. Entretanto. É o caso. que necessitam de uma embalagem específica quando saem da fabrica para que não sofram nenhuma avaria e sejam devidamente transportadas. choques mecânicos.A contabilização das embalagens e sua utilização deve ser: a) Pela aquisição das embalagens: Débito Crédito Estoque de Embalagens (Ativo Circulante) Disponibilidades (Ativo Circulante) b) Por sua utilização no processo industrial: Débito Crédito Custo de Produção ou Produtos em Elaboração Estoque de Embalagens (Ativo Circulante) Conclui-se que as embalagens deverão ser contabilizadas como custo de produção toda vez que forem inerentes ao processo de industrialização do bem. as embalagens são parte integrante do custo de produção. etc. quando as embalagens são alocadas após a produção final. são consideradas despesas de vendas. Pode-se citar como exemplo. pois o . entre outras. os gastos devem ser tratados como custo de produção. para melhor esclarecimento. poeira. como. conforme explicado anteriormente.Embalagens (Resultado) Estoque de Embalagens (Ativo Circulante) II. por exemplo.Embalagem como despesa Em se tratando de produto acabado ou considerado pronto sem que haja a integralização da embalagem ao produto. a contabilização será a débito de despesa de vendas.3 . como lanternas ou lâmpadas. Quando as embalagens são necessárias para que o produto esteja pronto para venda. água. por exemplo. a venda de determinadas peças para veículos.2 .Embalagem utilizada no transporte Determinadas embalagens somente são utilizadas no momento em que os produtos ou mercadorias são transportados.

fiscosoft.php?PID=226776#ixzz13aRJEZJq .com. Leia mais: http://www.produto já foi embalado e para sua entrega será utilizado um outro tipo de acondicionamento. que não vinculado ao processo produtivo.br/index.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->