Você está na página 1de 78

Universidade Regional do Cariri

URCA
Campus de Iguatu/CE
Disciplina:
Teoria Geral do Estado
Estado
Estado
Medieval
Medieval
Mapa do Império
Romano SÉC.
II

Como um império tão grande


pôde cair?
tecedentes do Estado Mediev
ntecedentes
Crises econômica e instabilidade interna
Invasões dos povos bárbaros – germânicos
Divisão em: - Império Romano do Ocidente e
- Império Romano do Oriente;

Causas da decadência do império romano


e
Nascimento do estado feudal
Crise econômica CRISE DO IMPÉRIO
produzido pela ROMANO produzido pela

CRISE trouxe a INSTABILIDADE


ECONÔMICA ECONÔMICA
devido a devido a

NECESSIDADE provoca
DE DINHEIRO
PRESSÃO
CORRUPÇÃO
BÁRBARAS

querem aumentar sobem

PRODUTIVIDADE IMPOSTOS CRISE tendência foi RURALIZAÇÃO


URBANA
se produz aparece a

CRISE DO INFLAÇÃO
ESCRAVISMO CRISE tendência foi
AUTO ABASTE-
COMERCIAL CIMIENTO
se orienta ao

SUBIDA DE levou a
COLONATO
PREÇOS
Idade
Média
476d.C. a 1453 –
Período de mil anos que inicia com a desintegração do Império
Romano no Ocidente no século V até o século XV,XV que tem como
marco a queda de Constatinopla.
Idade
Média
Se confrontam 3 culturas importantes em torno da bacia do Mar Mediterrâneo.

 A herança Clássica Greco-romana.

 Os princípios do Cristianismo.

 Os costumes das tribos Germânicas


Idade Média
Divide-se:
 Aparição dos reinos Germânicos

 Alta Idade Média e

 Baixa Idade Média.


Os
Bárbaros
Para os romanos, bárbaros eram todos
aqueles que não tinha cultura romana,
que não viviam sob o domínio de sua
civilização, ou seja, estavam fora das
fronteiras do Império
Os bárbaros viviam em um estágio de
civilização bem inferior, em relação aos
romanos.

Eles não conheciam o Estado e estavam


organizados em tribos.

Unidade política mais imprtante era a


Família

A reunião de famílias constituía um Clã

Agrupamento de clãs formava a Tribo


Principais tribos que se instalaram na
Roma Ocidental

Grã-Bretanha

França Alemanha

Portugal

Itália
Espanha
Imperio romano
do oriente
Principais Reinos Germânicos
Grupos
Bárbaros
Tártaro-mongóis: hunos, turcos, búlgaros, húngaros (magiares).

Eslavos:
Eslavos russos, poloneses, tchecos, sérvios.

 Germanos: visigodos, ostrogodos, hérulos, anglos,

saxões, lombardos, vândalos, francos


A Contribuição dos povos
germânicos
PADRÃO DE JUSTIÇA: baseado na tradição (honra e lealdade)

COMITATUS: relações de fidelidade entre o chefe guerreiro e seus comandados.

BENEFICIUM: Chefe militares costumavam recompensar seus guerreiros

ECONOMIA AGROPASTORIL: base da economia


A Idade Média se caracterizou pelo
Modo de Produção
Feudal
O que é Feudalismo?
O feudalismo se define em três aspectos:
Aspecto Social:
- Sociedade organizada em estratos.
- Relação entre o servo e senhor.

Aspecto Político:
- Ausência de poder central.
- Concentração do poder na figura do senhor.

Desde uma perspectiva territorial e econômica:


- Agrario-Autárquico
- Ausência de comércio e
- Escasso avanço tecnológico.
Característ
icas
Descentralização Nobreza Feudal

Economia Agrícola Subsistência

Sociedade Estamental Poder Clerical

Cultura influenciada pela Igreja Trevas/Ignorância

Religião Cristã Poder do Papado


Relações Feudo-
Vassálicas
Relações de dependência pessoal e de obrigações recíprocas.

•PROTEÇÃO: ECONÔMICA E MILITAR

VASSALO SENHOR
FEUDAL

•AJUDA
•CONSELHO
•PAGAMENTO DE IMPOSTOS
•TRABALHO
Classes sociais da Alta Idade
Média
Estament Denominacã Função Social Composição
o o Senhores e seus
Defesa a vassalos, sendo o rei “O
“os que lutam” cristandade, pelo Senhor dos Senhores”.
Nobreza militar que era sua
principal Pertencer a nobreza
característica. estava determinado pelo
sangue. (hereditariedade)
Estabelecer os O alto clero provinha da
“os que rezam” vínculos entre Deus nobreza, mas o
Clero e os homens. Além sacerdócio estava a perto
disso tinham funções a todos os grupos sociais.
culturais, tendo um
papel importante na
Educação.
Mais numeroso
composto na sua maioria
Manter o resto da pelos servos das glebas,
que por nascimento ou
Campone “os que sociedade com seu
herança dependiam de
trabalho.
ses trabalham” algum senhor.

Vivíam na propriedade
senhorial sujeito ao
regime de servidão.
Relações Feudo-
Vassálicas
Deveres dos Servos
Corvéia Trabalho gratuito de 3 a 5 dias por semana no Manso Senhorial.

Talha Dar parte da produção ao Suserano.

Banalidades Pagamento, em espécie, pela utilização de instrumentos do Feudo.

Tostão De Pedro Dar 10% da produção feudal para a Igreja


Católica.

Formariage Taxa cobrada quando o camponês casava.


Componentes
econômicos e sociais
 - 1/3 da área total
Manso Senhorial  - nela os servos e vilões trabalhavam
alguns dias por semana,
 - toda produção obtida nessa parte da
propriedade pertencia ao senhor feudal

Manso Servil  - Área destinada ao usufruto dos servos.


 - Parte do que era produzido ali era
entregue como pagamento ao senhor feudal.
Manso Comunal

 - Era a parte do feudo usada em comum pelos


servos e pelos senhores.
 - A pastagem do gado, à extração de madeira e à
caça, direito exclusivo dos senhores.
Vilas, uma tradição romana:
Colonato
Nobres, os senhores
feudais
O senhor feudal era o soberano de seu feudo
era soberano de seu feudo

A terra: A justiça:
era a medida da riqueza era segundo as tradições e o direito
consuetudinário do senhor feudal
Curiosidade
Mapa da Europa no ano
1.000 d. C.
O Estado estava
Império Bizantino
submetido a Igreja
A Igreja estava submetida
ao estado
IDADE Características do Estados na
MÉDIA Modo de Economia Idáde
Religião Média
Sociedade Leis
Produção
Feudal Prod. Bens CRISTIANISMO Nobres Direito Consuentudinário
Império Agrícolas e Igreja católica Clero e dos senhores feudais, do
pastorias apostólica romana Servos direito natural e código
Romano canônico

do
Ocident
e Atividades Prod. Bens CRISTIANISMO Elite Código de Justiano
Comerciais e Agrícolas , Igreja católica do Outros grupos sociais Corpus Juris Civilis
agrícolas Pastorias e Oriente ou Trabalhadores pobres e
Império comércio Igreja ordodoxa escravos

Bizantin
o Atividades Prod. Bens Islamismo Maomé e seus Baseadas no Corão
Mundo Comerciais e Agrícolas , seguidores
agrícolas Pastorias ,
Islâmico Comércio e
Produção artesanal
Outras
características do
Estado Medieval
Forma monarquico de governo
Supremacia do Direito Natural
Confusão entre os direitos públicos e privados
Descentralização do poder
Submissão do estado ao poder espiritual representado pela
Igreja Católica
A Igreja e a Cultura
Medieval
A Evolução da Igreja de
Religiõ
es
JUDAIS
MO
Cristianis
Hesus 42 d.C. Pedro se converte no bispo de Roma
Politeís mo

tas 313 d.C. Imperador Constatino


__ Ano 0 - Nasce Jesus concede liberdade religiosa aos
Cristo cristãos
__30 Desde a ascenção de Cristo 30 d.C
d.C.
año 330 Constantino muda a Corte para
Igreja Apostólica Constantinopla Roma se convierte na sede
IDADE ANTIGA __100 morte do apóstolo João
e a capital do mundo cristão
d.C.
Igreja Perseguida
__313 d.C. Édito de Milão 380 d.C. - Édito de Tessalonia - Teodósio
converte o cristianismo na religião oficial
Igreja Imperial do Estado Romano
__ 476 d.C.Queda do Império Romano no Ocidente

1075 d.C. - Querela de das Investiduras

Igreja
IDADE MEDIA Medieval 1231 d.C. Foi criado o tribunal da Inquisição

__1453 d.C.Queda do Imperio Romano no Oriente


– Fim do Imperio Bizantino
Igreja Reformada
IDADE MODERNA __1648 d.C.
Guerra dos 30 anos

IDADE Igreja Moderna


CONTEMPORANEA __atualidade
A Ascenção da Igreja Romana
A Origem do
Cristianismo
JUDAISM
OCristiani Protestantismo
mo
Anglicanismo
Ritos Ocidentais
Cristianismo
CATOLICISMO ROMANO
Primitivo Ritos Orientais

Ortodoxo do Leste

Séc. 0 Séc.XI
Nascimento de Grande Cisma
Cristo
Características da
Igreja Católica
Seu objectivo é a conversão ao ensinamento e à pessoa de Jesus Cristo em vista do

Reino de Deus.
Ela propõe uma vida espiritual e uma regra de vida aos seus fiéis inspirada no Evangelho e
definidas de maneira precisa.
 Regida pelo Código de Direito Canónico,
Uma instituição organizada de acordo com uma hierarquia
Grande instituição economica
Fonte de influencia social
Difurosa e criadora de cultura
Organização do
Clero
PAPA Beneditino
s,
Franciscan
Patriarca Chefe dos
Bispos os

Dominicanos
Bispo Responsável pela ,
Abade
província  Carmelitas
e
Presbítero Responsável pela 
diocese
Agostinianos
Diáco Responsável pela Mong
no paróquia e
CLERO SECULAR
CLERO REGULAR
Clero Secular
Clero Regular
Clero Regular
Clero Regular
Importância da Igreja Medieval
UNIDADE ESPIRITUAL - ARTICULADOR CULTURAL -

Economia Política Cultura

Doação em dinheiro emPapado reforça poder


Tradução de livros
troca da salvação frente a nobres e reis

Cobrança de Educaçã
dízimo o
Influência da Igreja
Arte,Católica
Pinguagem,
 Política,
Econômica,
Ideológica
 lei,
 Vida familiar,
Datas no calendário,
 Música
Catedrais
Catedrais
Castelos
Medievais
Cité de Carcassonne – França - séc XII Séc XI – Espanha - Léon e Castila)

Château de Sully-sur-Loire – França - séc IX Castillo de Bellver – Baleares - Espanha


Tower of Londres – Inglaterra Alnwick Castle - Nordeste da Inglaterra
Tower of Londres – Inglaterra - sec. XI
Alnwick Castle - Nordeste da
Inglaterra
Monastérios
Medievais
Pátio Interno do
Monastério
Pátio Interno do
Monastério
INQUISIÇÃO E JULGAMENTO

INQUISIÇÃO

SANTA INQUISIÇÃO

HEREGES

SANTA INQUISIÇÃO OU SANTO OFÍCIO

Quem eram os
inquisidores ???
Cidadãos encarregados de investigar e denunciar os hereges

 eram doutores em Teologia, Direito Canônico e Civil.

Eram muito bem pagos

deveriam ter no mínimo 40 anos de idade

autoridade era outorgada pelo Papa através de uma bula

As autoridades civis, eram ordenadas a queimar os hereges (sob a


ameaça de excomunhão )

Camponeses eram incentivados a cooperarem com os inquisidores.

A caça às Bruxas tornou-se muito lucrativa.


Métodos de torturas na Inquisiçã

Berço de Judas Garfo

Dama de Ferro Pêra

Roda de despedaçamento
Métodos de torturas na Inquisiçã

Máscaras

Cadeir

Esmaga cabeça  
Métodos de torturas na Inquisiçã

Mesa de
evisceração  

Cavalete
Cadeira das bruxas  
Métodos de torturas na Inquisiçã

Potro
Quebrador de
joelhos  

Garras de gato   
Pêndulo
Métodos de execução na Inquisiçã

Espada, machado e cepo   Garrote

Guilhotina  
Métodos de execução na Inquisiçã

Estiramento

Gaiolas suspensas   Cremação


O Serrote  

Submersão

Empalaç
ão
Dictatus Papae, ou Ditames do Papa
As
Cruzadas
de 1096 a 1270
As causas das Cruzadas
1. Necessidade moral para a Europa Cristã de preservar o túmulo
de Cristo dos insultos dos infiéis e de proteger os peregrinos, cuja
piedade e devoção levavam a visitar a Terra Santa.
2. Obrigação de combater ou prevenir uma nova invasão
muçulmana.
3. A necessidade de dar alimento ao caráter bélico dos fidalgos.
As principais Cruzadas foram oito, entre 1096 e 1270:

A Primeira (1096-1099) Dominaram a Palestina, fundando um reino Cristão.

A Segunda (1147-1149) era composta por senhores feudais,

A Terceira (1189-1192) – Cruzada dos Reis

A Quarta (1202-1204) - foi constituída pela nobreza feudal


Fundaram o Império Latino do Oriente.

A Quinta (1217-1220) era formada por húngaros, austríacos, cipriotas, frísios, noruegueses e
francos fracassaram na conquista do Egito.

A Sexta Cruzada (1228-1229) conseguiu firmar um tratado pelo qual Jerusalém, Belém e Nazaré
ficavam sob a jurisdição dos Cristãos Ocidentais

A Sétima (1248-1254) e a Oitava (1270) foram lideradas por Luís IX, rei da França, não tiveram
sucesso, o rei foi capturado

Oitava a expedição (inclusive o rei) sucumbiu a uma epidemia de tifo.


Conseqüências da
DoCruzadas
ponto de vista político enfraqueceu o feudalismo
e
alimentava o poder dos reis.

Do ponto de vista econômico fortaleceram e enriqueceram a burguesia.


intensificação das relações comerciais com o Oriente

Do ponto de vista intelectual fomentaram o progresso das ciências


das letras e das artes
Os séculos finais da
Idade Média
Crise econônica Cri se política
Terras de boa qualidade raras Cruzadas: lutas da cristandade contra os
Queda na produtividade mulçumanos
Resistência dos nobres na derrubada das Conflitos internos

florestas Cidades saqueadas e plantações devastadas


Fome: milhares de pessoas morreram Crise no abastecimento e alto preço dos
Peste Negra: dizimou 1/3 da população no alimentos
séc XV Guerra dos Cem Anos

Crise
Religiosa
Mudança da sede da Igreja Católica
Crise dentro da Igreja: Grande Cisma do
Ocidente
Surgimento de várias doutrinas de contrárias
a Igreja.
Mudanças Sociais no final do
estado medieval
VIDA COMÉRCIO BURGUESIA
URBANA

CRESCIMENTO MELHORA AS CONDIÇÕES DE VIDA


DEMOGRÁFICO

AVANÇOS
AGRÍCOLAS AVANÇOS TÉCNICOS: ARADO, RODAS, CAVALO E MOINHOS

ENRIQUECIMENTO DAS CIDADES FORMAÇÃO DE NÚCELOS URBANOS ALREDOR DO BURGO


Transição
estado medieval X estado
moderno
Ascensão das monarquias tracionais européias
Inicio da recuperação demográfica e econômica depois da Peste Negra
Os Decobrimentos Marítimos
Reforma Protestante
Teocentrismo x antropocentrismo
Fim