Você está na página 1de 2
  RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO   1. Aos Acionistas 4. Comentário de Desempenho Atendendo às
 

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

 

1.

Aos Acionistas

4. Comentário de Desempenho

Atendendo às disposições legais e estatutárias, a administração de Eugênio Raulino Koerich S.A. – Comércio e Indústria submete à apreciação dos senhores acionistas as Demonstrações Financeiras relativas ao exercício findo em 31 de dezembro de 2008.

A receita bruta atingiu R$ 289,21 milhões, representando 5,94% superior ao ano anterior. A receita líquida somou R$ 215,69 milhões, um cres-

cimento de 7,45 % sobre 2007. A Eugênio Raulino Koerich S.A. - Comércio e Indústria fechou o exercício de 2008 com um lucro líquido de R$ 10,6 milhões, 34,73% menor que o lucro registrado no mesmo período do ano anterior. O motivo desta redução, é em decorrência dos planos

2.

Cenários econômicos

Em dezembro, as vendas no varejo brasileiro tiveram um crescimento de 3,9% com relação ao mesmo mês de 2007. Em virtude desse crescimento, o varejo fechou o ano com uma expansão de 9,1% nas vendas em relação a 2007, mesmo considerando os efeitos da turbulência financeira global sobre a economia brasileira. Os setores de móveis, eletrodomésticos e supermercados foram as âncoras da expansão das vendas em 2008. O setor de móveis respondeu por 26,2% da taxa do ano e o segmento de supermercados foi responsável por 29,4% da variação anual. A inflação no ano, medida pelo IPCA, registrou em 2008 uma taxa de inflação oficial de 5,9%, a mais alta dos últimos quatro anos. A taxa de câmbio terminou o ano em R$ 2,33 por dólar (contra R$ 1,77 ao final de 2007).

3.

Koerich em números

2008

2007

∆%

de financiamentos mais longos que foram repassados para a financeira Kredilig S.A – Crédito, Financiamento e Investimento, reduzindo assim,

o

valor das receitas de operações de crédito. O patrimônio líquido atingiu R$ 97,69 milhões em 31 de dezembro de 2008, apresentando

crescimento de 4,17% em relação a dezembro de 2007. O retorno sobre o patrimônio líquido médio em 31 de dezembro de 2008 foi de 11 %.

A

companhia gerou um valor adicionado de R$ 92,7 milhões, contribuindo para o crescimento da economia nacional. Os referidos valores são

distribuídos às partes interessadas, governo, colaboradores, agentes de financiamento e acionista.

5. Responsabilidade Social

A responsabilidade social sempre esteve presente na filosofia da empresa e que no exercício de 2008 levaram a Eugênio Raulino Koerich

Resultado (milhares) Receita Bruta Receita Líquida EBITDA Margem de EBITDA Lucro líquido Número de lojas Número de colaboradores Venda líquida por colaborador (em milhares)

289.213

215.697

11.889

273.007

200.736

17.060

5,94

7,45

-30,31

S.A. – Comércio e Indústria a contribuir com significativos projetos culturais e também norteou o direcionamento de parte de seu imposto devido ao Fundosocial e Funturismo, que ajudará dezenas de pessoas.

6.

Considerações Finais

5,51%

8,50%

-35,18

Permanecemos firmes em nosso propósito de manter um crescimento contínuo e equilibrado, por isso, agradecemos a clientes, fornece- dores e instituições financeiras pela confiança e fidelidade, e aos nossos acionistas, pelo apoio e credibilidade depositada. Por fim, aos colaboradores, que tanto contribuíram para o expressivo desenvolvimento da Eugênio Raulino Koerich S.A. – Comércio e Indústria.

10.693

16.382

-34,73

73

67

8,96

A Administração

1.282

1.223

4,82

168,25

164,13

2,51

 

BALANÇOS PATRIMONIAIS LEVANTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E DE 2007

 

DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E DE 2007

(Valores expressos em milhares de reais)

PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

2008

2007

2008

2007

1.625

1.364

Circulante Fornecedores Salários a pagar Imposto de renda e Contribuição Social a pagar Impostos, taxas e contribuições (Nota 12) Empréstimos e financiamentos (Nota 10) Débitos com partes relacionadas (Nota 9) Dividendos e juros sobre capital próprio a pagar (Nota 13) Outras contas a pagar Receitas e despesas diferidas Total do passivo circulante

15.127

15.053

18.431

11.035

4.640

4.200

62.987

75.360

819

729

35.521

37.222

7.188

5.448

2.832

3.645

1.215

12.832

615

771

626

442

1.072

519

8.043

13.306

1.461

2.750

1.536

550

87

5

-

179

124.631

132.671

39.194

52.739

 

Não Circulante Provisão para riscos trabalhistas, cíveis e operacionais (Nota 11) Total do passivo não circulante

1.056

-

10

57

1.056

-

1.108

1.007

ATIVO

Circulante Disponibilidades Aplicações financeiras (Nota 5) Contas a receber de clientes (Nota 6) Estoques - mercadorias para revenda Imposto de renda e contribuição social diferidos (Nota 7a) Impostos a recuperar Créditos com partes relacionadas (Nota 9) Outras contas a receber Despesas pagas antecipadamente Total do ativo circulante

Não Circulante Realizável a longo prazo:

Depósitos judiciais (Nota 11) Imposto de renda e contribuição social diferido (Nota 7a) Outras contas a receber Contas a receber de clientes (Nota 6) Total do realizável a longo prazo Investimentos Imobilizado - líquido (Nota 8) Intangível - líquido Total do ativo não circulante

(Valores expressos em milhares de reais, exceto o lucro líquido por ação apresentado em reais)

2008 2007

Receita Bruta de Vendas Vendas de mercadorias Receita de operações de crédito Prestação de serviços (Nota 9) Total da receita bruta de vendas Deduções Devoluções e abatimentos Impostos e contribuições Total das deduções Receita Líquida de Vendas

256.213 236.793

27.154

33.136

5.846

3.078

289.213

273.007

(10.282)

(11.759)

(63.234)

(60.512)

(73.516)

(72.271)

215.697

200.736

Custo das Mercadorias Vendidas e dos Serviços Prestados

(129.640)

(115.678)

Lucro Bruto

86.057

85.058

1.297 1.538 3.060 3.274 5.475 5.876 771 963 Patrimônio Líquido Capital social Reserva de capital
1.297
1.538
3.060
3.274
5.475
5.876
771
963
Patrimônio Líquido
Capital social
Reserva de capital de incentivos fiscais
Reserva de lucros
Lucros acumulados (Nota 3)
Total do patrimônio líquido
(50.580) (47.408)
40.000
40.000
(26.165) (23.297)
717
717
(560)
(527)
56.977
5.054
(1.154)
(1.057)
7.005
7.003
-
48.009
(1.645)
(2.987)
62
6
97.694
93.780
5.023
6.778
13.313
13.848
2.432
4.814
Total do Ativo
137.944
146.519
Total do Passivo e Patrimônio Líquido
137.944
146.519
(72.649) (63.684)
As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.
13.408
21.374
13.408
21.374
DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS
EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E DE 2007
Receitas (Despesas) Operacionais
Com vendas
Gerais e administrativas
Remuneração dos administradores
Depreciações e amortizações
Despesas financeiras (Nota 14)
Receitas financeiras (Nota 14)
Outras receitas operacionais, líquidas (Nota 15)
Total das despesas operacionais, líquidas
Resultado Operacional
Lucro antes do Imposto de Renda e da Contribuição Social
Imposto de Renda e Contribuição Social
Corrente (Nota 7c)
Diferido (Nota 7b)
Lucro Líquido do Exercício
(2.003)
(4.699)
(712)
(293)
10.693
16.382
(Valores expressos em milhares de reais)
Reserva de lucros
Lucros
Quantidade de ações em circulação - mil
40.000
40.000
Capital social
Reserva de capital
de incentivos fiscais
Saldos em 31 de dezembro de 2006
Ajustes de exercícios anteriores (Lei nº 11.638/07) (Nota 3)
Reversão de dividendos (AGO 30/04/2007)
Dividendos pagos (AGO 30/04/2007)
Lucro líquido do exercício (Nota 3)
Destinações:
40.000
717
-
-
-
-
-
-
-
-
Retenção de lucros
-
-
-
-
-
Legal
acumulados
Total
Lucro Líquido por ação no fim do exercício - R$
0,27
0,41
4.573
55.731
101.021
As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.
-
(9.669)
(9.669)
-
1.821
1.821
-
(7.285)
(7.285)
-
16.382
16.382
DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA PARA OS
EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E DE 2007
Reserva legal
Juros sobre capital próprio
Dividendos propostos
-
-
-
481
(481)
-
(Valores expressos em milhares de reais)
-
-
-
-
(6.209)
(6.209)
-
-
-
-
(2.281)
(2.281)
2008 2007
Fluxo de Caixa das Atividades Operacionais:
Saldos em 31 de dezembro de 2007
Reversão de dividendos ( AGO 30/04/2008)
Lucro líquido do exercício
Destinações:
40.000
717
-
5.054
48.009
93.780
Lucro Líquido antes do Imposto e Contribuição Social
Ajustes ao Lucro Líquido do Imposto e Contribuição Social:
13.408
21.374
-
-
-
-
2.281
2.281
-
-
-
-
10.693
10.693
1.154
1.057
Reserva Legal
Distribuição Juros sobre capital próprio
Dividendos propostos
Reserva de retenção de lucros
-
-
-
535
(535)
-
927
-
-
-
-
-
(6.520)
(6.520)
1.056
-
-
-
-
-
(2.540)
(2.540)
(43)
(121)
-
-
51.388
-
(51.388)
-
16.502
22.310
Saldos em 31 de dezembro de 2008
40.000
717
51.388
5.589
-
97.694
As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.
12.587
420
1.701
(7.474)
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS
EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E DE 2007
156
(479)
977
(307)
(33)
(15)

1. CONTEXTO OPERACIONAL

A Eugênio Raulino Koerich S.A. – Comércio e Indústria é uma sociedade anônima de capital

fechado com sede em Florianópolis, Estado de Santa Catarina e atua exclusivamente neste Estado. A Companhia tem por objeto o comércio de produtos de eletrodomésticos, móveis em geral e artigos para o lar, como atividades complementares e acessórias ao negócio principal.

2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E PRINCIPAIS PRÁTICAS

CONTÁBEIS As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, com base nas disposições contidas na Lei das Sociedades por Ações, sendo adotada pela primeira vez no exercício de 2008 as

alterações introduzidas pela Lei n o 11.638/07 e Medida Provisória n o 449/08 e consoante as seguintes principais práticas contábeis:

Mudanças introduzidas pela Lei n o 11.638/07 e Medida Provisória n o 449/08: As principais

alterações que tiveram efeito sobre as demonstrações financeiras da companhia são: • Introdução do conceito de ajuste a valor presente para as operações ativas e passivas de longo prazo e para as relevantes de curto prazo. Como determinado pela nota explicativa à Instrução CVM n o 469,

o objetivo dessa alteração não é a eliminação da presença de uma expectativa de rendimento

ou encargo futuro embutidos nos ativos e passivos monetários, mas sim a necessidade de se obter os valores representativos da época da operação; • Criação de novo subgrupo de contas, Intangível, para fins de apresentação no balanço patrimonial. Essa conta registra os direitos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção das operações da Companhia ou exercidos com essa finalidade, inclusive o fundo de comércio adquirido; • Alteração do tratamento dos incentivos fiscais, que passa a transitar pelo resultado, facultando sua destinação para reservas de lucros – reserva de incentivos fiscais e excluídas da base de dividendos mínimos obrigatórios. O saldo existente na conta de reserva de incentivo fiscal no patrimônio líquido foi constituído anteriormente à vigência da Lei n o 11.638/07; • Conforme modificação introduzida pela Lei n o 11.638/07, o lucro líquido do exercício deve ser integralmente destinado de acordo com os fundamentos contidos nos artigos 193 a 197 da Lei n o 6.404/76. A Lei não eliminou a conta de lucros acumulados nem a demonstração de sua movimentação, que devem ser apresentadas com parte da demonstração das mutações do patrimônio líquido. Essa conta, entretanto, tem natureza absolutamente transitória e deve ser utilizada para a transferência do lucro apurado no período, contrapartida das reservas de lucros e para as destinações do lucro; • Substituição da demonstração das origens e aplicações de recursos pela demonstração dos fluxos de caixa; • As

(a)

alterações introduzidas pela Lei n o 11.638, de 2007, e pelos artigos 36 e 37 da Medida provisória n o 449 que modifiquem o critério de reconhecimento de receitas, custos e despesas computadas na apuração do lucro líquido do exercício não terão efeitos para fins de apuração do lucro real da pessoa jurídica sujeita ao RTT – Regime Tributário de Transição. Foram considerados, para fins tributários, os métodos e critérios contábeis vigentes em 31 de dezembro de 2007. (b) Apuração do resultado: As receitas e despesas são apropriadas obedecendo ao regime de competência.

(c) Caixa e equivalentes de caixa: Caixa e equivalentes de caixa são representados por

disponibilidades em moeda nacional e aplicações no mercado aberto, que são utilizados pela Companhia para gerenciamento de seus compromissos de curto prazo. (d) Aplicações financeiras: São demonstradas pelo valor de aplicação, acrescido dos rendimentos auferidos até a data do balanço, não excedendo ao valor de realização. (e) Ajuste a valor presente:

As contas a receber de clientes, com vencimentos futuros, são descontados a valor presente

pela taxa média aplicada nos financiamentos próprios decorrentes de vendas a prazo. As contas

a pagar de fornecedores, com vencimentos futuros, não foram trazidos a valor presente, pois

seu efeito não foi considerado relevante. (f) Estoques: Estão avaliados pelo custo médio de aquisição, que não excede ao valor de mercado. (g) Imobilizado: O imobilizado é contabilizado ao custo, deduzido da depreciação acumulada. A depreciação é calculada pelo método linear, com base em taxas determinadas em função do prazo de vida útil estimado dos bens, conforme mencionado na nota explicativa n o 8. (h) Intangível: Correspondem aos direitos adquiridos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da entidade ou exercidos com essa finalidade. Os ativos intangíveis com vida útil definida são geralmente amortizados de forma

(Em milhares de reais)

linear no decorrer de um período estimado de benefício econômico. (i) Imposto de renda e contribuição social: O imposto de renda e a contribuição social são calculados com base

no lucro real e nas alíquotas estabelecidas pela legislação tributária em vigor. (j) Imposto de renda e contribuição social diferidos: São calculados sobre as diferenças temporais para fins fiscais, prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social, com base nas alíquotas de imposto de renda e da contribuição social em vigor, e levam em consideração

a expectativa de geração de lucros tributáveis futuros, fundamentada em estudo técnico

de viabilidade aprovado pela Administração. (k) Empréstimos e financiamentos: Estão demonstrados pelo valor de contratação, acrescido dos encargos pactuados, que incluem juros e atualização monetária incorridos até a data dos balanços. (l) Demais ativos e passivos circulantes: São demonstrados por valores nominais conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos, das variações nas taxas de câmbio e das variações monetárias incorridas até a data dos balanços. (m) Provisão para riscos trabalhistas e cíveis: A provisão para riscos trabalhistas e cíveis foi constituída com base no julgamento da Administração da Companhia, auxiliada por seus consultores legais, em montante considerado suficiente para cobrir as perdas prováveis em processos em andamento. (n) Juros sobre capital próprio: Os juros sobre o capital próprio foram calculados com base na Lei n o 9.249/95. Para fins de atendimento às disposições tributárias, os juros sobre o capital próprio a pagar são contabilizados como despesas financeiras. Todavia, na elaboração das demonstrações financeiras, os juros a pagar foram reclassificados para a conta de lucros acumulados, para que sejam demonstrados como distribuição de resultados.

3. INFORMAÇÕES PARA EFEITO DE COMPARABILIDADE Para maior comparabilidade das demonstrações financeiras, a Companhia optou por

elaborar o balanço patrimonial de transição em 31 de dezembro de 2006. Sendo assim, as demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2007 foram ajustadas para fins de comparação. As modificações introduzidas pela referida legislação caracterizam-se como mudança de prática contábil.

A seguir apresentamos os efeitos nos lucros acumulados, resultado e no patrimônio líquido

do Koerich pela adoção da Lei n o 11.638/07 e Medida Provisória n o 449/08.

Saldo inicial em 01/01/2007 (Publicado) Ajustes adequação Lei n o 11.638/07:

- Ajuste a valor presente clientes

- Efeitos tributários diferidos

Saldo inicial em 01/01/2007(após efeitos Lei n o 11.638/07)

Efeito líquido no resultado (anterior a 01/01/2007)

Saldo inicial em 01/01/2007 (após efeitos líquidos) Mutações do Patrimônio Líquido Movimento do grupo efeitos da Lei n o 11.638/07:

- Valor presente clientes

- Efeitos tributários diferidos

Saldo final em 31/12/2007 (após efeitos Lei n o 11.638/07) Efeito líquido no resultado (2007)

Saldo inicial em 01/01/2008 (após efeitos líquidos) Mutações do Patrimônio Líquido Movimento do grupo efeitos da Lei n o 11.638/07:

- Valor presente clientes

- Efeitos tributários diferidos

Saldo final em 31/12/2008 (após efeitos Lei n o 11.638/07)

Efeito líquido no resultado (2008)

Lucros Patrimônio Acumulados Líquido 55.731 101.021 (14.614) (14.614) 4.945 4.945 46.062 91.352 (9.669)
Lucros
Patrimônio
Acumulados
Líquido
55.731
101.021
(14.614)
(14.614)
4.945
4.945
46.062
91.352
(9.669)
(9.669)

46.062

91.352

1.377 1.858

863 863 (293) (293) 48.009 93.780 570 570
863
863
(293)
(293)
48.009
93.780
570
570

48.009 93.780

(50.292) 1.631

2.995 2.995 (712) (712) - 97.694 2.283 2.283
2.995
2.995
(712)
(712)
-
97.694
2.283
2.283

Depreciação e amortização Provisão para perdas com incentivos fiscais Provisão para contingências cíveis, trabalhistas e operacionais. Baixas do ativo imobilizado Lucro Líquido Ajustado Decréscimo (Acréscimo) em Ativos Contas a receber de clientes Estoques Impostos a recuperar Outras contas a receber Outros Acréscimo (Decréscimo) em Passivos Fornecedores Salários a pagar Imposto de renda e contribuição social pagos Impostos, taxas e contribuições Contas a pagar Receitas e despesas diferidas Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais Fluxo de Caixa das Atividades de Investimentos:

Aquisição de imobilizado Aquisição Intangível Aquisição de Investimentos Valores recebidos pela venda de ativo imobilizado Caixa Líquido Utilizado nas Atividades de Investimentos Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamento:

Pagamento de empréstimos Dividendos e juros sobre capital próprio pagos Dividendo proposto Reversão de dividendos Caixa Líquido Utilizado nas Atividades de Financiamento

Aumento/Redução Líquida de Caixa e Equivalente de Caixa

Início do período Fim do período Aumento/Redução Líquida de Caixa e Equivalente de Caixa

73

248

440

141

(1.913)

(5.129)

1.741

(371)

1.170

550

(179)

(51)

33.222

9.843

(1.155)

(1.210)

(59)

(6)

(735)

-

43

421

(1.906)

(795)

(11.618)

(2.154)

(11.782)

(6.919)

(2.540)

(2.281)

2.281

1.821

(23.659)

(9.533)

7.657

(485)

12.399

12.884

20.056

12.399

7.657 (485)
7.657
(485)

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

4. CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA

Disponibilidades Aplicações financeiras Total de caixa e Equivalente de Caixa

1.625

1.364

18.431

11.035

20.056

12.399

5.

APLICAÇÕES FINANCEIRAS

 

2008

2007

2008

2007

Títulos de renda fixa

Os títulos de renda fixa são remunerados a taxa média de 102% da variação do CDI - Certificado de depósito Interbancário.

6. CONTAS A RECEBER DE CLIENTES

18.431

11.035

 

2008

2007

Prestações a receber com financiamento próprio Cartões de crédito Ajuste a valor presente Outros Total (-) Total do circulante Total realizável a longo prazo

69.135

84.401

7.552

6.419

(10.755)

(13.750)

115

1.564

66.047 78.634

(62.987)

(75.360)

3.060

3.274

Para ajustar a valor presente a carteira de clientes, foi baseada na taxa média ponderada Continua»»»

ajustar a valor presente a carteira de clientes, foi baseada na taxa média ponderada Continua»»» www.koerich.com.br

www.koerich.com.br

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E DE 2007
Continuação »»»
(Em milhares de reais)
dos contratos realizados no exercício. A taxa para 2008 é 4,02% a.m. para a carteira de
clientes ( 4,31% a.m. 2007) e 2,12% a.m. para a carteira de clientes de cartão de crédito
(1,76% a.m. 2007).
18.231
17.128
O
lucro líquido do exercício, ajustado nos termos da Lei n o 6.404/76, terá as seguintes
Depreciações acumuladas
(11.226)
(10.125)
destinações: (I) 5% para constituição da Reserva Legal, (II) dividendos mínimos obrigatórios
7.005
7.003
de
25% do lucro líquido ajustado, (III) o restante, por proposta da diretoria, para constituição
7.
IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL
de
reserva para aumento do capital.
(a)
Composição dos impostos diferidos:
(c) Dividendo mínimo obrigatório: O dividendo mínimo obrigatório, calculado consoante à
legislação societária e o estatuto social, seria o seguinte:
Os saldos de impostos de renda e contribuição diferidos apresentam-se como segue:
9. TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS
Em 31 de dezembro, os saldos de operações e os resultados obtidos em transações com
partes relacionadas são demonstrados a seguir: Ativo/(passivo) Receita/(despesa)
2008
2007
2008
2007
10.693
16.382
Descrição
Imposto Contribuição
Imposto Contribuição
2008
2007
2008
2007
(535)
(481)
de renda
social
Total
de renda
social
Total
10.158
15.901
Provisão para
contingências cíveis
e trabalhistas
Despesas
temporariamente
indedutíveis
Ajuste a valor
presente clientes
Kredilig S.A. Crédito, Financiamento e Investimento
Contas a receber
Contas a pagar
Receita de prestação de serviço
Receita de aluguéis
RKS Empreendimentos e Participações ltda.
Despesas de aluguéis
Aluguéis a pagar
Pessoas Físicas - Despesas de aluguéis
1.072
519
-
-
2.540
2.281
(626)
(442)
-
-
6.520
6.209
120
52
172
-
-
-
-
-
4.154
2.400
Lucro líquido do exercício
Reserva legal (5%)
Base de cálculo dos dividendos
Dividendo mínimo obrigatório (25%)
Juros sobre o capital próprio
Total de dividendos / juros sobre o capital próprio
9.060
8.490
-
-
21
17
IRRF sobre juros sobre capital próprio
Total dividendos / juros sobre cap. próp., líquidos
(978)
(931)
8.082
7.559
106
30
136
-
-
-
-
-
(705)
(97)
(67)
-
-
-
-
-
(46)
(530)
2.665
967
3.632
3.414
1.238
4.652
Por determinação da Lei n o 11.638/07, o valor remanescente do saldo do lucro do exercício e o
saldo dos lucros acumulados serão lançados para reserva de retenção de lucros. A destinação
será deliberada em assembleia geral a ser realizada no primeiro semestre de 2009.
2.891
1.049
3.940
3.414
1.238
4.652
(-) Total do
ativo circulante
Total do ativo
não circulante
As transações realizadas entre a Companhia e suas partes relacionadas são efetuadas em
condições de prazos e remuneração normais de mercado.
14.
RESULTADO FINANCEIRO
2008
2007
(2.083)
(749)
(2.832)
(2.680)
(965) (3.645)
Receitas financeiras:
10.
EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS
3.189
3.316
1.604
1.210
808
300
1.108
734
273
1.007
Tipos de empréstimos
Capital de giro:
Indexador
Taxa de juros
média ponderada
2008
2007
148
572
82
1.680
(b)
Período estimado de realização: O imposto de renda e contribuição social diferidos foram
Em moeda nacional
R$
constituídos em decorrência de (i) expectativa da Administração quanto à geração de lucros
tributáveis nos próximos anos que possibilitem a realização total desses valores conforme
indicado a seguir e, (ii) histórico sobre a geração de lucros tributáveis.
105% a 115 %
do CDI a.a.
1.215
12.832
Juros recebidos
Rendas de aplicações financeiras
Descontos obtidos
Outras receitas
Total
Despesas financeiras:
5.023
6.778
(1.105)
(1.571)
Total capital de giro
(-) Total do passivo circulante
1.215
12.832
(316)
(1.215)
(12.832)
Juros sobre empréstimos e custo de captação
Descontos concedidos
CPMF
Outras despesas
Total
Resultado financeiro líquido
(315)
(26)
(1.045)
A estimativa de realização do imposto de renda e de contribuição social diferidos é como
segue:
Em garantia destas obrigações foram oferecidos avais do diretor presidente.
Moeda Nacional: Em 31 de dezembro de 2007, parte das operações de capital de giro em
moeda nacional referem-se a operações de “compror” com fornecedores, totalizando o
valor de R$ 1.655, em 2008 foi totalmente liquidado.
(199)
(55)
(1.645)
(2.987)
3.378
3.791
Ano
2008
2009
2.832
15.
OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS LÍQUIDAS
2008
2007
2010
1.108
11.
PROVISÃO PARA RISCOS, TRABALHISTAS, CÍVEIS E OPERACIONAIS
Outras receitas operacionais
Receitas de aluguéis
Resultado venda de bens ativo imobilizado
Resultado venda investimentos
Outras receitas
Total
Outras despesas operacionais
Despesas de aluguéis
Provisão para perdas prováveis de realização
Total
Outras receitas operacionais líquidas
1.740
1.903
Total
3.940
Em 31 de dezembro, estava constituída a provisão para riscos relativos a perdas prováveis
estimadas com as ações em curso e provisões operacionais, como segue:
43
121
(c)
Conciliação da despesa do imposto de renda e da contribuição social
179
51
A conciliação de despesa calculada pela aplicação das alíquotas fiscais combinadas e da
despesa de imposto de renda e contribuição social debitadas em resultado é demonstrada
2008
2007
2.110
3.451
Contingências trabalhistas e cíveis
Outros
576
-
4.072
5.526
480
-
como segue:
(713)
(712)
Total
1.056
-
2008
2007
(927)
-
Lucro antes do imposto de renda e contribuição social
Alíquota aplicável
Imposto de renda e contribuição social às
alíquotas da legislação
Efeito de diferenças permanentes líquidas
Imposto de renda e contribuição social no resultado
13.408
21.374
(-) Depósitos judiciais relacionados
10
-
(1.640)
(712)
34%
34%
2.432
4.814
Total do não circulante
1.056
-
4.559
7.267
12.
IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES
(1.844)
(2.275)
A composição de impostos, taxas e contribuições pode ser assim visualizada:
DIRETORIA
2.715
4.992
2008
2007
Corrente
2.003
4.699
PIS e COFINS
ICMS
Obrigações sociais
Outros
Total
(-) Total do passivo circulante
1.839
1.183
3.741
2.862
Diferido
712
293
Antônio Obet Koerich
Diretor Presidente
1.172
1.045
Ronaldo Furtado Koerich
8.
IMOBILIZADO
Taxas anuais
436
358
Diretor
Sérgio Furtado Koerich
Diretor
de depreciação
7.188
5.448
2008
2007
%
(7.188)
(5.448)
5.886
5.886
4
CONTADOR
13.
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2.210
2.210
-

Edificações Terrenos Móveis, utensílios e instalações Veículos

7.051

3.084

6.133

2.899

10

20

(a) Capital social: Em 31 dezembro de 2008 e de 2007, o capital social estava composto por 40.000.000 ações ordinárias nominativas, com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada uma, pertencente a acionistas domiciliados no País. (b) Distribuição de resultados:

www.koerich.com.br

Fabiano Antonio Perini Gerente Contábil e Fiscal - CRC-RS 076252/O-T