Você está na página 1de 371

PORTUGUES

INDICE

I.

Compreensão e Interpretação de Texto

II.

Coesão e Coerência Textual

III.

Tipologia e Gêneros Textuais

IV.

Acentuação Gráfica

V.

Formação de Palavras

VI.

Semântica

VII.

Artigo

VIII.

Pronomes

IX.

Conjunções

X.

Verbos

XI.

Sintaxe da Oração e do Período

XII.

Pontuação

XIII.

Concordância Nominal e Verbal

XIV.

Regência Nominal e Verbal

XV.

Crase

XVI.

Redação de Correspondência Oficial

Compreensão e Interpretação de Texto

A compreensão e a interpretação de textos são coisa

distintas.

I. Compreensão significa dizer a informação está no texto. Basta encontra-las no texto a informação. Enunciados:

Segundo o Texto

No texto

O texto mostra que

O autor do texto diz

Idéias veiculadas no texto

II. Interpretação significa dizer a informação está além do texto. Enunciados:

Depreende-se/ infere-se/ conclui-se do texto

O texto permite deduzir

Qual é a intenção do autor

Atenção:
Atenção:

Se a questão se referir a interpretação, mesmo que entre as alternativas

haja afirmação correta mas que se encontra no texto (compreensão) essa

alternativa estará errada. ???????

A mesma coisa se for um questão de compreensão, nessa caso não se

pode deduzir mas apenas encontrar a resposta no texto.

É importante, tanto na compreensão quanto na interpretação o leitor encontrar os termos com juízo de valor Opiniões do Autor.

O ponto de vista do autor geralmente se encontra nos 2 primeiros parágrafos ou no ultimo paragrafo do texto.

Análise de Questões

Erros comuns as alternativas de texto:

Extrapolar o Texto Lido (Vai Além)

Limitar o Texto Lido

Ser Parcial em Relação ao Texto Lido (Emite uma opinião)

Contradizer o Texto Lido

Não Abordar o Tema do Texto Lido

Esquema do Diagrama

TEXTO
TEXTO

COESÃO

É a ligação entre as partes do texto por meio de determinados elementos linguísticos.

Tipos de coesão:

PRONOMES ADVERBIO NUMERAIS SUBSTANTIVOS
PRONOMES
ADVERBIO
NUMERAIS
SUBSTANTIVOS
LEXICAL
LEXICAL
CATÁFORA
CATÁFORA
PRONOMES ADVERBIO NUMERAIS SUBSTANTIVOS LEXICAL CATÁFORA REFERENCIAL ANAFORA COESÃO ELIPSE CONJUNÇÃO PREPOSIÇÃO
PRONOMES ADVERBIO NUMERAIS SUBSTANTIVOS LEXICAL CATÁFORA REFERENCIAL ANAFORA COESÃO ELIPSE CONJUNÇÃO PREPOSIÇÃO
REFERENCIAL
REFERENCIAL
ANAFORA
ANAFORA
COESÃO
COESÃO
ELIPSE
ELIPSE
CONJUNÇÃO PREPOSIÇÃO
CONJUNÇÃO
PREPOSIÇÃO
SEQUENCIAL
SEQUENCIAL

Coesão Lexical

Sinônimos

Antônimos

Hipônimos

Hiperônimos

Coesão Lexical – Sinônimos – Antônimos – Hipônimos – Hiperônimos

Coesão Referencial

Utiliza de palavras para substituir outro elemento anterior (Anáfora) ou posterior (catáfora)

A. Anáfora É a retomada de um termo anterior já citado.

– É a retomada de um termo anterior já citado. B. Catáfora - É a retomada

B. Catáfora - É a retomada de termos posteriormente inseridas no texto.

- É a retomada de termos posteriormente inseridas no texto. C. Elipse – Consiste na Omissão

C. Elipse Consiste na Omissão de termo anteriormente já citado para evitar

sua repetição

inseridas no texto. C. Elipse – Consiste na Omissão de termo anteriormente já citado para evitar

Coesão Seqüencial

Quando o autor desejar dá seqüência coerente a idéia dentro de um

contexto;

São utilizados conjunções, preposições, pronomes demonstrativos principalmente.

Coesão Recorrencial:

Ainda existe a Coesão recorrência, que pode utiliza 3 técnicas:

I. Paralelismo Sintático - Repetição de estruturas sintáticas semelhantes.

- Repetição de estruturas sintáticas semelhantes. II. Paráfrase – Repetição de estruturas semânticas

II. Paráfrase Repetição de estruturas semânticas semelhantes.

III. Repetição Reiteração.

Coerência

Forma de organização das informações do texto de modo que faça

sentido para o leitor. É a ligação de cada uma das partes do texto, de forma que não haja contradições e erros, gerando mal entendimento ou até mesmo falha na comunicação.

Deve ter sequencia logica dos fatos, ou seja, ter uma ordem. (começo,

meio e fim).

Não pode haver contradição entre as partes do texto.

dos fatos, ou seja, ter uma ordem. (começo, meio e fim). • Não pode haver contradição

I.

Semântica É estabelecida entre os significados dos elementos do texto através de uma relação logicamente possível. Exemplo de incoerência

A casa que desejo comprar é bastante jovem.

II.

Pragmática É a sequencia apropriada de atos de fala. Exemplo de

incoerência:

― Maria, sabe dizer se o ônibus para o Centro passa aqui?

― Eu entendo, João. Hoje faz um ano que minha avó faleceu.

III.

Sintática Trata da adequação entre os elementos que compõem a frase, o que inclui também atenção às regras de concordância e de regência.

Exemplo de Incoerência:

As pessoas que têm condições procuram o ensino particular, onde há métodos, equipamentos e até professores melhores.

IV. Estilística - É uma noção relacionada à mistura de registros linguísticos

(formal x informal, por exemplo). É desejável que quem escreve ou lê se

mantenha em um estilo relativamente uniforme. Exemplo:

O ilustre advogado observou que sua petição não prosperaria, haja vista seu cliente ter enfiado o pé na jaca.

Tipos e Gêneros Textuais

GENERO TEXTUAL:

Está relacionado com o objetivo do texto.

Anuncio, noticiário, fabula, manual de instruções, carta, etc.

Att: Crônica: Narra fatos do dia a dia, de uma maneira diferente, ora com intenção critica, ora como poética ou ambas.

TIPO TEXTUAL:

Ou Modalidades de Organização Discursiva

Está relacionada a estruturação do texto. Pode ser: Injunção, narração, argumentativo, descritivo e preditivo

Narração

É contar história, uma sequencia de fatos ocorridos em determinado local e tempo.

Elementos da Narração:

Quando (Tempo)

Quem (Personagens)

Onde (Lugar)

Como (Enredo)

Narrador : Observador (Não participa da narrativa usa a 3ª pessoa) e Personagem (Usa a 1ª pessoa)

Gêneros Textuais Associados:

fabulas.

Crônicas

Parábolas

Noticia

Romance

Tipos de Discurso:

Direto :

As personagens apresentam as suas próprias palavras. É mais

objetivo.

Muito comum o uso de dois pontos e travessão.

A enunciação é feita em tempo presente

e travessão. • A enunciação é feita em tempo presente – Indireto • O narrador utiliza

Indireto

O narrador utiliza as suas próprias palavras para transmitir as palavras das personagens. Visão do Narrador

A enunciação é feita em tempo passado

Utilização de verbos dicendi (dizer, falar, comentar, murmurar).

Sempre Introduzido conjunções integrantes (Que e Se).

Todas as frases são declarativas na 3ª pessoa

• Sempre Introduzido conjunções integrantes (Que e Se). • Todas as frases são declarativas na 3ª

Indireto Livre:

Ocorrem quando as falas dos personagens e do narrador se misturam.

É essencialmente ambíguo.

Narrador e personagem se confundem dentro do discurso.

e do narrador se misturam. • É essencialmente ambíguo. • Narrador e personagem se confundem dentro

Efeitos de Sentido

Cada tipo de discurso assume um papel distinto no interior do texto.

Discurso Direto: Efeito de verdade e emocional, dando impressão

de preservação da integridade do discurso.

Discurso Indireto: Gera um Efeito de sentido objetivo ,eliminando

o emocional (como se diz).

Discurso Indireto Livre: Mescla as falas . No ponto de vista gramatical a fala é do narrador, no ponto de vista semântico , a

fala é do personagem. Torna o discurso oscilante entre a

objetividade e a subjetividade.

Descrição

É uma observação estática (Atemporal).

Pode ser objetiva ou subjetiva

Gêneros: Gráficos, tabelas, descrição de cenários, descrição psicológica.

• Pode ser objetiva ou subjetiva • Gêneros: Gráficos, tabelas, descrição de cenários, descrição psicológica.

Tipos de Descrição:

Objetiva ou Expressionista: Descreve de forma precisa e imparcial. Apresenta

linguagem denotativa m substantivos

concretos e adjetivos pospostos.

Subjetiva e Impressionista: Descreve de forma emotiva, pessoal e parcial.

Estática : O autor e objeto estão

parados, sem movimentar-se.

Dinâmica: O autor está parado mas o

objeto está em movimento.

Física : Descreve os traços físicos da personagem: altura, olhos, cabelo, etc

Psicológica : Apresenta o comportamento da personagem, seus habitos

da personagem: altura, olhos, cabelo, etc – Psicológica : Apresenta o comportamento da personagem, seus habitos

Injunção

É o tipo de texto instrucional, que tem como objetivo de uniformizar condutas

Gêneros textuais: manuais de instrução, receitas, leis, bulas de

remédios, autoajuda.

Exposição

Conhecido também como dissertação Expositiva

É o detalhamento de um conceito ou explicação.

Trata com clareza e objetividade a informação.

É o texto científico, pedagógico, jornalístico, por exemplo.

Gêneros associados: Livro didáticos, textos científicos, pareceres.

pedagógico, jornalístico, por exemplo. • Gêneros associados: Livro didáticos, textos científicos, pareceres.

Dissertação

Apresentação de fatos ou a emissão de opinião, baseada em

argumentos, acerca de determinado assunto. Existem 2 tipos de

dissertação:

Argumentativo - Tem como finalidade o desenvolvimento de

um tema sendo composto por opiniões do autor acerca do

assunto.

Utiliza muito juízos de valor para persuadir o leitor:

I.

Uso de Adjetivos:

II.

Verbos na 1 pessoa do singular e plural

III.

Modalizadores Textuais : Termos que demonstram

comprometimento com assuntos abordados. Ex: Faço a

minha parte, cidade em ordem e bonita”.

ESQUEMAS DISSERTAÇÃO

TEMA PROPOSTO

Abordagem

ESQUEMAS DISSERTAÇÃO TEMA PROPOSTO Abordagem TESE Por que? • SIM • NÃO D1 D2 • AFIRMAÇÃO

TESE

Por que?

SIM

NÃO

TEMA PROPOSTO Abordagem TESE Por que? • SIM • NÃO D1 D2 • AFIRMAÇÃO • JUSTIFICAR

D1

D2

AFIRMAÇÃO

JUSTIFICAR

EXEMPLIFICAÇÃO

CONCLUIO

JUSTIFICAR • EXEMPLIFICAÇÃO • CONCLUIO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS • Comparação •

ESTRATÉGIAS

ARGUMENTATIVAS

Comparação

Exemplificação

Enumeração

Pergunta Retórica

ESTRATEGIAS ARGUMENTATIVAS

Existem muitas estratégias argumentativas para fortalecer a tese a respeito de um tema. Vejamos algumas delas:

Exemplificação

argumentativas para fortalecer a tese a respeito de um tema. Vejamos algumas delas: • Exemplificação
argumentativas para fortalecer a tese a respeito de um tema. Vejamos algumas delas: • Exemplificação

Enumeração

• Enumeração • Fato Histórico : • Comparação

Fato Histórico:

• Enumeração • Fato Histórico : • Comparação

Comparação

• Enumeração • Fato Histórico : • Comparação

5.

Contraposição

5. Contraposição 6. Causa e Efeito 7. Dados Estatísticos

6. Causa e Efeito

5. Contraposição 6. Causa e Efeito 7. Dados Estatísticos

7. Dados Estatísticos

5. Contraposição 6. Causa e Efeito 7. Dados Estatísticos

Definição

• Definição • Testemunho de Autoridade • Contra Argumentação: ( Expor uma ideia e depois refuta-la)

Testemunho de Autoridade

• Definição • Testemunho de Autoridade • Contra Argumentação: ( Expor uma ideia e depois refuta-la)

Contra Argumentação: (Expor uma ideia e depois refuta-la)

• Definição • Testemunho de Autoridade • Contra Argumentação: ( Expor uma ideia e depois refuta-la)

11. Pergunta Retorica: É aquela que não exige uma resposta de imediato, pois seu objetivo é levar a

reflexão.

11. Pergunta Retorica : É aquela que não exige uma resposta de imediato, pois seu objetivo

Equivalência de Estruturas Reescritura de Frases

Acontece geralmente com as seguintes estruturas:

Voz Passiva analítica em Voz Passiva Sintética.

Tempo Simples em Tempo Composto

Oração Reduzida e Oração Desenvolvidas

Substituição das formas verbais (Nesse caso deve haver

adaptação gramatical)

Intertextualidade

Está relacionado a relação de identidade e semelhança entre 2 textos em que um cita outro em referencia implícita ou explicita.

Em banca de concurso ocorre com a paráfrase ou a parodia.

I. Paráfrase: É uma reescritura em que se ratifica, positivamente, a ideologia do texto original, ou seja, é dizer o mesmo com outras palavras:

A escola, embora não tenha plena consciência do processo que desencadeia, é a base

para evolução profissional do ser humano. As instituições de ensino, apesar de não se darem conta da interferência na psique alheia, são o alicerce do desenvolvimento secular do homem

II. Parodia: É a intertextualidade em que se subverte ou se distorce a ideologia do texto original, normalmente com objetivo irônico:

Minha casa tem goteiras,

Pingam daqui pingam de lá;

Quando chove é uma tristeza, Pegue um balde para ajudar

III.

Citação: Transcrição fiel de trecho de outro texto.

IV. Pastiche: Consiste em reproduzir o estilo do autor de um texto. Não se copia o texto, mas sim o estilo do escritor

MORFOLOGIA

ACENTUAÇÃO GRÁFICA

Regras Básicas

I.

ACENTUA-SE TODAS AS PROPAROXITONAS.

Lâmpada, pêssego, hábitat.

II.

ACENTUA SE TODAS AS OXITONAS TERMINADAS EM: A, E, O,EM (S).

TAMBEM OS VERBOS OXITONOS MESMO SEGUIDOS DE

PRONOMES “-LO LA, -LHE” (S).

café/ gaulês/ armazém/ cantá-la/ compô-la

III.

ACENTUA-SE TODAS AS PAROXITONAS TERMINADAS EM:

A. L,N,R,X

B. UM (UNS)

C. U , I (S)

D. E AO (S)

E. OS

F. TERMINADAS EM DITONGO.

A

IV.

ACENTUA-SE OS MONOSSILABAS TONICOS TERMINADAS EM:

A. A (S)

B. E (S)

C. O (S)

Regras Especificas

V. NÃO SE ACENTUA AS PALAVRAS PAROXITONAS COM DITONGOS

ABERTOS TÔNICOS: ÉI, ÓI, ÉU. EM OUTROS CASOS ACENTUAM-SE.

i-dei-a/ he-roi-co/ ji-boi-a/ as-sem-blei-a. chapéu/ céu/ ilhéu/ dói/herói/ fogaréu

VI. ACENTUA-SE O I , U TÔNICOS DE HIATOS, ISOLADOS OU COM “S” QUE NÃO SEJA SEGUIDO DE “NHsa-í-da/ sa-ú-de/ fa-ís-ca/ ar-gu-imos/ pos su í mos, ra-iz, ra-i-nha

NÃO DEVEM SER ACENTUADAS:

PRECEDIDA DE VOGAIS IDENTICAS - (EXCETO SE FOR PROPAROXITONA).

xi-i-ta/ fri-í-si-mos

NAS PALAVRAS PAROXITONAS , SE FOR ANTECEDIDO DE DITONGO DECRESCENTE.

Fei-u-ra/ bai-u-ca/

VII.

FORMAS VERBAIS DA 3 PESSOA : CRER, LER, DAR E VER (E DERIVADOS ), NÃO SE ACENTUA MAIS O “EE” QUANDO NO PLURAL.

creem/ deem/ veem/ releem/

VIII. ACENTUA-SE AS FORMAS VERBAIS “TER E VIR” E SUAS DERIVADAS,

NA 3 PESSOA DO PLURAL PARA DISTINGUIR COM O SINGULAR.

NA 3 PESSOA DO PLURAL PARA DISTINGUIR COM O SINGULAR. Utilizado nos casos de concordância verbal

Utilizado nos casos de concordância verbal

ele tem - eles têm ele vem - eles vêm

Ele detém - eles detêm

Ele intervém eles Intervêm

IX. NÃO SE ACENTUA MAIS O HIATO “OO” NO FINAL DA PALAVRA.

Voo (s), perdoo, ál-co-ó-li-co

ACENTO DIFERENCIAL

SÓ EXISTEM ACENTOS DIFERENCIAIS NAS SEGUINTES PALAVRAS:

A.

PODE E PÔDE PÔDE (PRETERITO), PODE (PRESENTE).

B.

TEM E TÊM DIFERENCIA SINGULAR DO PLURAL

C.

VEM E VÊM (VIR) - DIFERENCIA SINGULAR DO PLURAL.

D.

POR E PÔR POR (PREPOSIÇÃO), PÔR (VERBO)

RESUMO

AS REGRA ESPECIFICAS PREVALECE SOBRE AS REGRAS GERAIS. ASSIM ACENTUA-SE: EXECETO SE FOR PROPAROXITONA (POÍS

ELA É SOBERANA).

Itaú/ fri-í-si-mo (pq é proparoxítona acentua-se)

AS REGRAS DA PAROXITONAS É O CONTRARIO DA OXITONAS,

MAS SÓ SÃO VALIDOS SE NÃO POSSUIREM ENCONTROS VOCÁLICOS.

FORMAÇÃO DE PALAVRAS

Conceitos

É como se forma as palavras. Tipos de processos:

1.

Composição

2.

Derivação

3.

Hibridismo

4.

Siglonização

Composição

É a junção de 2 ou mais radicais para formar outra palavra. Pode ocorrer por:

Justaposição Não há perda de letras na junção das palavras Passatempo, Girassol, Couve-Flor, Guarda-Chuva

Aglutinação Há perda de letras na junção das 2 palavras. Aguardente, Planalto, embora

Derivação

É o processo através do qual a formação da palavra envolve somente 1 radical. Pode ocorrer das seguintes maneiras:

Sufixal Adiciona um sufixo no final da palavra

Felizmente / gostoso/ realismo, vendedora

Prefixal - Acréscimo de prefixo ao radical.

Infeliz/ Incolor/Anormal/ descansar/ lealdade

Prefixal Sufixal - Acréscimo não simultâneo de sufixo e prefixo ao radical (Importante: Se um deles for retirado não fará falta ao significado).

Infelizmente Felizmente/Infeliz

Parassintética Acréscimo simultâneo de sufixo e prefixo ao

radical. (Importante: Removendo um deles o significado da

palavra é comprometido )

Entristecer Tristecer/ Entriste Amanhecer Manhecer/ Amanhe

Regressiva - Ocorre quando a formação de substantivo abstrato (que indicam ação) de verbo de ação). Tem que haver redução de fonemas ou de letras.

Combater - (er) Combate

Comunicação - Comunicar

Dedicação - Dedicar

Atacar - ataque

Improprio Mudança da classe gramaticas e sentido sem mudar a forma

Mulher aranha - Adjetivo

A aranha - Substantivo

Hibridismo

Processo de formação de palavras que utilizam elementos de

línguas diferentes. Automóvel/ sociologia/ burocracia/ goiabeira/ asmático

Onomatopeia

Palavras que procuram repetir sons e ruídos.

Tique taque/ ping-pong

Abreviação

Processo de formação de palavras que ocorre por redução de

uma palavra até um limite que não prejudique a compreensão do

significado.

Pneu/ foto/ moto/

Siglonimização

Abreviação de 2 ou mais palavras

USP/ CPF/CLT

Se a sigla for lida soletrando ou tiver até 3 letras, escreve toda em maiúscula.

CLT,CPF,

Porem se for lida como uma palavra inteira, escreve toda em

maiúscula ou somente a inicial em maiúscula (regra moderna):

SUDENE ou Sudene; EMBASA ou Embasa.

Algumas siglas já foram dicionarizadas e por isso são tratadas

como palavras comuns: ibope, aids, radar.

Palavra-valise

Utiliza-se parte de 2 palavras primitivas para formar uma palavra

nova:

Portunhol/ brasiguaio/ FLAFLU

Empréstimos Linguístico

Uso de palavras estrangeiras em frases de língua portuguesa

Self Service/ Shampoo/ Estresse/ Show

Neologismo Semântico

Criação de palavras Orelhão/ vírus/ rede/ presidenciável/

SEMANTICA

Conceitos

É o estudo da significação das palavras. Conceitos

Importantes:

I.

Denotação: É o sentido literal da palavra. A onça é uma fera

II.

Conotação: É o sentido figurado da palavra.

Ela é um fera

III. Sinônimos : São vocábulos que tem o mesmo sentido

IV. Antônimos : São vocábulos que tem sentido diferentes.

Atenção: atualmente as bancas vem utilizando oposição

semântica e não vernácular. Ex: Pai e Filho, professor e aluno

- são antônimos contextuais.

V.

Hiperonímia Palavras com sentido mais geral com

relação as outras.

Peixe é hiperônimo de sardinha Dizer é hiperônimo de murmurar, explicar,etc.

VI. Hiponímia Tem sentido mais especifico com relação a outras.

Girafa, morsas são hipônimos de mamíferos

Maça, uva e pêra são hipônimos de fruta.

VII. Homônimos - Tem som (homófonos) ou grafia iguais (homógrafos)

Incipiente incipiente Sede (lugar Principal) Sede (necessidade de ingerir liquido)

VIII.Parônimos São palavras que são muito semelhantes na pronuncia ou na grafia.

IX.

Delatar Dilatar

Eminente Iminente

Campo Lexical São palavras que se relacionam entre si,

designado uma área particular da realidade.

Advogado, juiz, tribunal, petição Exame, medico, bisturi, cirurgia

X.

Campo Semântico - Diz a respeito a diferentes acepções

que uma mesma palavra pode assumir em contextos diferentes.

Ele está são Eles são grandes amigos Ela fez uma promessa a São Jorge

A.

USO DOS PORQUÊS:

PORQUE :

Pode introduzir Explicação, Causa ou motivo.

Nas frases interrogativas que se pode responder com sim ou

não.

Como conjunção de Finalidade (= para que)

Traga a agasalho porque vai fazer frio

Ele não votou o projeto porque estava sem licença?

Rezo porque tudo corra bem

B.

PORQUÊ :

Usado como sinônimo de causa, motivo. Pode ser substantivo, admitindo nesse caso determinante.

O relator explicou o porquê de cada emenda

C.

POR QUE :

Utilizado nas interrogativas diretas

É pronome relativo e se refere a um termo anterior. Pode

ser substituído “Pelo Qual”

Por que você demorou tanto?

Não sei por que ele se ofendeu (motivo)

A estrada por que passamos está em péssimo estado (pela qual)

D. POR QUÊ :

Usado em finais de frases ou sozinha. Brigou de novo por quê?

Por quê?

Uso do Quês

Uso do Quês

A.

USO DO SENAO SE NAO

SENÃO :

Tem significado de ”do contrário”, A não ser, salvo, exceto

Mas sim, porem

Não podia acreditar, senão vendo com os próprios olhos Não faz outra coisa, senão reclamar

Não tive intenção de exigir, senão de pedir

B.

SE NÃO :

É equivalente a “caso não

Se não buscares, não encontrarás.

USO DO A FIM DE - AFIM

A. A FIM DE :

Indica finalidade. Corresponde a para

Também indica vontade.

Eu não estou a fim de sair hoje (vontade)

Cheguei cedo a fim de terminar de estudar

B.

Indica afinidade A língua portuguesa e afim com a espanhola

AFIM:

A.

USO DO HÁ - A

:

Indica tempo passado

No sentido de existir

Não o vejo há 34 anos

Há um artigo interessante nessa revista

B.

A:

Indica tempo futuro ou a distancia

Morava a 5 quadras daqui A dois minutos da peça, o ator ainda retocava a maquiagem.

USO DO SOB OU SOBRE

A.

SOB:

Debaixo de

Por baixo de

No sentido de existir

 
 

A lixeira fica sob a mesa É triste a vida sob o teto alheio

B.

SOBRE:

Em cima de

Acima de

A respeito de

O livro está sobre a mesa

No discurso falou sobre a seca

USO DO EM VEZ DE ; AO INVES DE

A.

EM VEZ DE:

Em lugar de

No sentido de existir

Em vez de nos ajudar, prejudicou-nos Em vez de ir ao cinema, saiu para comer pizza

B.

AO INVES DE :

Ao Contrario de Ao invés de baixar, o preço dos legumes subiu essa semana

USO DO TAO POUCO - TAMPOUCO

A.

TAO POUCO:

Quantidade Pequena

Comeu tão pouco que não ficou satisfeito

B.

TAMPOUCO:

Equivale Nem, também não. Não trabalha tampouco estuda.

USO DO SOBRETUDO - SOBRE TUDO

A.

SOBRETUDO:

Especialmente, Principalmente.

Estudei, sobretudo, língua Portuguesa

B.

SOBRE TUDO:

A respeito de tudo Conversamos hoje sobre tudo

USO DO PORTANTO POR TANTO

A.

PORTANTO:

Logo, por conseguinte

Estudei muito, portanto, passarei nas provas

B.

POR TANTO

Valor, por este preço

Fique com o livro por tanto tempo quanto você achar necessário

Figuras De Linguagem

Faz parte da estilística, que visa o lado estético e emocional das palavras e expressões.

I.

Aliteração: Repetição ordenada de mesmo sons

consonantais.

Esperando, parada, pregada na pedra do porto

Quem madruga sempre encontra Januária na janela

II.

III.

Assonância: Repetição ordenada de mesmo sons vogais.

Sou mulato nato no sentido lato, mulato democrático do litoral

Elipse - Omissão de um termo facilmente subentendido

Na sala apenas 4 ou 5 convidados. (Havia)

Chegamos cedo hoje (Nós)

IV.

Zeugma Consiste na omissão de um termo que já apareceu antes. Para o Cespe e Esaf considera como Elipse. Ele prefere cinema, eu, teatro (prefiro)

V.

Polissíndeto Repetição de Conectivos na ligação entre elementos. Mario jogou bola e correu e fumou e foi embora sem despedir

VI.

Assíndeto Ausência de conectivos entre ligações de

elementos. Mario jogou bola, correu, fumou, foi embora sem despedir

VII.

Inversão Mudança da ordem natural da frase De tudo ficou um pouco (um pouco de tudo ficou)

VIII.Anacoluto Consiste em deixar um termo solto na frase.

A vida, não sei realmente se vale alguma coisa.

IX. Pleonasmo Consiste na repetição com fim de enfatizar. Mais tem finalidade de ênfase, não se confundir com vicio de linguagem.

A ti tocou-te a maquina mercante

X. Anáfora Consiste na repetição de uma mesma palavra no

inicio de frases ou versos.

É ferida que dói e não sente É um contentamento descontente

É dor que desatina sem doer

XI. Antítese Consiste na aproximação de termos contrários mais logico. Já o paradoxo não tem logica.

Vida e morte de Getúlio Vargas Antítese Contentamento descontente - Paradoxo

XII. Ironia Utiliza um termo em sentido oposto ao original

Você está linda, parece uma perua

XIII.Eufemismo Consiste em utilizar palavras e expressões por outras menos brusca, suavizando-as.

Ele enriqueceu por meio ilícitos (roubou)

XIV.Hipérbole Consiste em exagerar uma ideia com finalidade expressiva

Estou morrendo de sede/ Chorou rios de lagrimas

XV. Prosopopeia Consiste em atribuir a seres inanimados características do seres vivos. O jardim olhava as crianças sem dizer nada

XVI.Gradação Consiste na apresentação de ideias em progressão ascendente ou descendente. Uma brisa, um vento, o maior furacão não o abalava Um coração latejando, batendo, restrugindo

XVII.Apostrofe Consiste numa invocação de alguém com função emotiva.

Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me vós

XVIII.Metáfora Alteração do significado por trações de similaridade

entre os 2 conceitos. É uma comparação implícita sem ter o conectivo comparativo.

Meu pensamento era um rio subterrâneo - (como rio) Amor é uma grande laço - (como uma laço) Você é luz, é raio, estrela e luar

XIX.Metonímia Troca de uma palavra por outra, havendo entre elas uma relação real, concreta, objetiva. Geralmente de Todo x Parte.

Pão para quem tem fome (Pão = Alimento) Não tinha teto que se abrigasse (Teto = Casa) Vou comprar gilette (produto pela marca)

20. Catacrese Utilização de palavras e expressões fora do seu significado por não existir outra adequada.

O pé da mesa

Embarquei no trem

21. PerífraseConsiste em substituir um nome por expressão (apelido famoso) que o identifique com facilidade.

Os quatro rapazes de Liverpool (Beatles) O maior estádio do mundo (Maracanã)

22. Sinestesia Mescla numa mesma expressão sensações percebidas por diferentes órgãos do sentido.

A Luz crua da madrugada invadia meu quarto (paladar e visão)

Um áspero sabor de diferença (tato e paladar).

CLASSES DAS PALAVRAS

Classes de Palavras:

Classes de Palavras:

Adjetivo

São palavras variáveis que determina um substantivo.

I. Semântica

I.

Restritivo:

Dá uma característica pertencente apenas a alguns elementos

que compõem o substantivo.

Está sempre junto do núcleo

Função Sintática: Adjunto Adnominal

II. Especificativo/ Qualitativo

Qualidade que não pode ser retirada do substantivo

Se o Conjunto (Substantivo) for unitário será sempre explicativo.

II.

Sintaticamente

Junto do Nome: Restritivo

Adjunto Adnominal: Tem valor Restritivo. Não pode vir separado por Virgulas. É um termo acessório, logo dispensável para o sentida da oração.

Olhos Negros

Rua Silenciosa

Separado do Nome : Predicativo

Predicativo do Sujeito: Conecta o adjetivo com o substantivo

através de verbo de ligação, que pode ser explicito ou implícito

A rua estava silenciosa Estranho aquele casal

Aposto Explicativo: Separado do nome por virgulas

O homem, inteligente, é capaz de superar os maiores obstáculos

Dá uma característica de alguns elementos do conjunto substantivo
Dá uma característica de
alguns elementos do
conjunto substantivo
Restritivo
Restritivo
Explicativo
Explicativo
Perto do Nome
Perto do Nome
conjunto substantivo Restritivo Explicativo Perto do Nome Adjunto Adnominal Separado do nome Por virgulas – Aposto
conjunto substantivo Restritivo Explicativo Perto do Nome Adjunto Adnominal Separado do nome Por virgulas – Aposto
Adjunto Adnominal
Adjunto Adnominal
Separado do nome Por virgulas – Aposto Explicativo Separado por VL – Predicativo do Sujeito
Separado do nome
Por virgulas – Aposto
Explicativo
Separado por VL –
Predicativo do Sujeito
Adjetivo
Adjetivo
Dá uma característica de todos os elementos do conjunto substantivo
Dá uma característica de
todos os elementos do
conjunto substantivo

Posição do Adjetivo:

Quando houver 2 palavras cujo ambas podem ser substantivo ou

adjetivo, será considerado substantivo sempre a primeira que

aparecer: Nesse caso muda a morfologia, função sintática e a semântica,.

Estudantes Jovens Apenas estudantes que são jovens Jovens Estudantes Apenas jovens que são estudantes

Quando as palavras só puderem ser substantivo ou adjetivo, trocando a ordem não muda a sintaxe, nem a morfologia mas modifica a semântica:, pois se vier depois do substantivo tem valor denotativo, antes do substantivo tem valor conotativo

Uma mulher Pobre (Sem Recursos)

Uma Pobre Mulher (Sofredora) Um homem Grande (Alto) Um grande homem (Louvável)

Substitutos do Adjetivo

Existem alguns termos que substitui a função determinante do

adjetivo.

Locução Adjetiva: Preposição + Substantivo. Determina um substantivo. Nem sempre preposição + nome se referindo a substantivo será locução adjetiva, poderá ser complemento nominal

indivíduo sem coragem (= medroso)

Aposto: É um substantivo que determina outro substantivo.

O tio Joaquim A moça cabeça-de-vento

Oração Adjetiva Reduzida ou Desenvolvida: São iniciadas por

pronomes relativos, salvo as reduzidas. Susana, que não se sentia bem, estava de cama.

Preposição • São palavras invariáveis que conectam termos ou orações, desde que não seja: orações

Preposição

São palavras invariáveis que conectam termos ou orações, desde que não seja: orações desenvolvidas e termos de igual valor sintático - conjunções.

Ela a trouxe para estudar Quem liga é a preposição (Oração reduzida) Ela a trouxe para que estudasse Quem liga é a conjunção (Or. Desenvolvida)

As preposições Essenciais são sempre proposição:

A, ANTE, ATÉ, PARA, COM, CONTRA, DE, DESDE, APÓS, EM, ENTRE, PER, PERANTE, POR, SEM, SOB, SOBRE, TRÁS

Já as preposições acidentais é formado por palavras que não são

preposições, mas dependendo do contexto pode funcionar como

tais.

Locuções prepositivas, são um grupo de palavras que sempre termina em preposição (geralmente a preposição “de”)

AFIM DE, ALÉM DE, DEPOIS DE, AO ENCONTRO DE, EM FRENTE DE, A MANEIRA DE, POR MEIO DE, GRAÇAS A, DEVIDO A, JUNTO A,

Principais relações semânticas das preposições:

I.

Autoria Musica de Djavan

II.

Lugar Estar sob a mesa

III.

Destino Ir a Bahia.

IV.

Instrumento Ferir-se com faca.

V.

Finalidade Estudar para passar

VI.

Conteúdo- Copo com agua

VII.

Preço Livro de dez reais.

VIII.

Origem Descender de família humilde.

IX.

Posse Camisa de Fernanda.

X.

Causa Tremer de frio.

XI.

Assunto Falamos sobre cultura.

Em estruturas comparativas, a preposição e o artigo contraído

são facultativos:

“ a Parte é Maior do que o todo” “ a Parte é Maior de que o todo”

Contrações das Preposições: A falta de contração não torna a

frase incorreta

A falta de contração não torna a frase incorreta • Não pode haver contração entre preposição
A falta de contração não torna a frase incorreta • Não pode haver contração entre preposição

Não pode haver contração entre preposição e artigo que se refere

a um sujeito de uma oração reduzida. Está na hora da onça beber agua Está na hora de a onça beber agua O fato de a policia investigar o crime.

Artigo

São palavras que acompanham o nome. Podem ser:

1.

Definidos: (O,A,OS,AS) Refere-se a um substantivo conhecido do

ouvinte.

2.

Indefinidos - (UM,UMA) Refere-se a um substantivo

desconhecido do ouvinte.

O meu livro/ este o homem

FUSAO DOS ARTIGOS COM PREPOSIÇÕES:

Refere-se a um substantivo desconhecido do ouvinte. O meu livro/ este o homem • FUSAO DOS

O artigo nem sempre vem antes de um substantivo. Pode ocorrer

nos seguintes casos sem promover a substantivação:

1.

Antes de Adjetivo

2.

Antes de numeral

3.

Forma de tratamento

4.

Pronome demonstrativo (mesmo), possessivo, interrogativo (que), indefinidos

5.

Pronomes relativos (o, a)qual.

4. Pronome demonstrativo (mesmo), possessivo, interrogativo (que), indefinidos 5. Pronomes relativos (o, a)qual.

EMPREGO DOS ARTIGOS:

I.

Facultativo o Uso :

Antes dos pronomes possessivos, exceto se for

substantivado

Seu livro/ O seu livro

Antes de nomes de pessoas

II.

Proibido o Uso

Antes do vocábulo “casa” (no sentido de casa própria),

terra (no sentido chão), distancia; palácio, meses do ano, datas do mês, exceto se vierem especificados.

Pisei na terra seca / A casa fica a distância

ATENÇÃO: Antes de dia da semana pode ser usado

Depois ou antes do pronome cujo.

Antes dos pronomes de tratamento iniciados com a palavra Vossa ou Sua.

Antes dos nomes de certos lugares, não ser se vier seguidos de adjetivo

Vou viajar para Roma/ Vou viajar para a Roma dos papas.

Antes dos pronomes demonstrativos e Pessoais

Antes de nomes utilizados genericamente, indeterminadamente, nesse

caso pode se utilizar artigo indefinido.

Faz anos que eu não vou a teatro (qualquer teatro) Não vou a festas

Casos particulares

Todos : É obrigatório o uso do artigo sempre. Generalização.

Todo + artigo definido dá ideia de um único e inteiro

Todo - dá ideia de qualquer um - Generalização

Todo o carro tem seus defeitos (o carro inteiro está com defeito) Todo carro tem seus defeitos (todos os carros , qualquer um)

Valor Discursivo do Artigo

DEFINIDO:

1. Serve para indicar que o ser que o autor está falando é

conhecido pelo ouvinte.

2. Serve para retomar ou relembrar termo já ditos anteriormente.

3. Serve para definir também quantidade

INDEFINIDO

1. Serve para indicar um ser ainda não conhecido pelo leitor. Uma vez apresentado o ser deve se utilizar artigo definido para se referir a este.

Pronomes

São palavras que substituem o nome ou o acompanham.

Classificação dos pronomes: Pessoais, demonstrativos, possessivos, interrogativos, relativos, indefinidos e de tratamento.

Pronomes Pessoais

pronomes: Pessoais, demonstrativos, possessivos, interrogativos, relativos, indefinidos e de tratamento. Pronomes Pessoais

Caso Especial

Deve se observar com atenção se os pronomes oblíquos (Mim e Ti)

estão funcionando como sujeitos, nesse caso a frase estará errada,

devendo ser substituída por Eu e Tu.

Dessa forma para tirar a prova basta retiramos a preposição + o

pronome obliquo da construção e se não houve falta de sentido é

porque não é sujeito.

e se não houve falta de sentido é porque não é sujeito. Nesse caso o Mim

Nesse caso o Mim não é sujeito do verbo entender

sujeito. Nesse caso o Mim não é sujeito do verbo entender Nesse caso o Mim é
sujeito. Nesse caso o Mim não é sujeito do verbo entender Nesse caso o Mim é

Nesse caso o Mim é sujeito, pois não pode ser retirado. Assim a frase está errada e deve ser substituída pelo pronome EU

Fusão da Preposição com Pronome

Regra: Não pode haver preposição antes de Sujeito.

Exceção: Salvo o sujeito de verbo no infinitivo, porem não pode

fundir com os pronomes (substantivo e nem Adjetivos) e nem artigos

É hora dela beber agua - Errado

É hora de ela beber agua Correto Chegou a hora de os senadores falarem a verdade Correto

Chegou a hora dos senadores falarem a verdade (Polêmico - Bechara)

PRONOMES OBLIQUOS ÁTONOS

Podem exercer diversas funções sintáticas. Nunca podem ser precedidos de preposição

PRONOME ATONO

O. DIRETO

O. INDIRETO

C.

SUJEITO

ADJ. ADNOMINAL

NOMINAL

O, A, OS ,AS

SIM

NAO

NAO

SIM

NAO

LHE. LHES

NAO

SIM

SIM

SIM

SIM

ME, TE, SE, NOS, VOS

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

DETALHES

VTD

VTI

NOME

COM

INDICAR POSSE

VERBOS

“DEFAMA”

Quando os pronomes átonos vierem depois do verbo eles se fundem de acordo com a regra que determina que verbos terminados.

de acordo com a regra que determina que verbos terminados. RETIRA-SE O S ou R DO

RETIRA-SE O S ou R DO VERBO

Além dessas funções sintáticas os POA, podem funcionar como:

I. Partícula Expletiva: Vem junto com verbos intransitivos

II. Partes Integrantes de Verbos Pronominais:

Sujeito Acusativo/ Sensitivo

Toda vez que apresentar a construção:

Verbo Causativo + Pronome Obliquo Átono + Verbo no Infinitivo ou Gerúndio.

Na realidade o POA será sujeito do verbo nominal.

São verbos causativos: “Deixar, Fazer, Mandar” - DEFAMA

Sensitivos: ver, ouvir, olhar, sentir. E Sinônimos.

Exemplos:

Mandaram-me Entrar

Deixe-as Sair

Faça-nos cantar

Ela deixou-se tatuar

Eu a vi chorando

Parte Integrante do Verbo

Os pronomes “me, te,se,nos,vos, são parte integrante do verbo

pronominal. Verbo pronominal é aquele que não se conjuga sem o pronome em determinado contexto. Exemplos: “suicidar-se, queixar-se, arrepender-se, esquecer-se, lembrar-se, tornar-se ,

recordar-se, tornar-se.

Queixei-me de Pedro por ter atrapalhado o nosso trabalho Arrependam-se, pecadores

Tirando Prova

I. Conjuga o verbo até a primeira pessoa do plural (Nós).

II. Utilizando o pronome obliquo adequado.

Verbo Pronominal

Eu me queixei

Tu te queixou Ele se queixou Nós nos queixamos

Verbo Não Pronominal

Eu me fui

Tu te fostes Ele se foi Nos nos Fomos (Errado)

PRONOMES OBLIQUOS TONICOS

Os pronomes oblíquos tônicos sempre devem ser precedidos de

preposição, mesmo sendo o verbo transitivo direto:

de preposição, mesmo sendo o verbo transitivo direto: • Podem ser função sintática: objetos, complemento

Podem ser função sintática: objetos, complemento nominal, adjunto

adnominal, agente da passiva, adjunto adverbial

As formas comigo, contigo, consigo, conosco e convosco apresenta a preposição aglutinada.

As foram conosco e convosco quando apresenta reforço pelos determinativos: outros, todos, mesmo, próprios, etc, deve se apresenta da forma mais adequada: com nós e com vós.

Com nós mesmo Com vós próprios

Os pronomes si e consigo se refere ao próprio sujeito Pronomes

Reflexivos. Atenção: As formas : Ele e Ela, não podem ser utilizados como reflexivo

Rodrigo falou de si para os professores

Ele pensou nele mesmo (Errado)

Os pronomes ele, ela, nós, vós, eles podem também aparecer com

função obliqua. Neste caso, eles virão obrigatoriamente regidos por

uma preposição.

Atribuíram a nós o problema com a gerencia

Disseram a eles que a festa não se realizar

O pronome “ele, ela” pode funcionar como complemento, quando precedido pelas palavras “todo e só (=Apenas)”. Nesse caso não

serão precedidos de preposição

Nesse caso não serão precedidos de preposição • Nos casos que os pronomes ele, ela, nós,

Nos casos que os pronomes ele, ela, nós, vós, eles forem complemento podem se contrair com a preposição “de, em”.

casos que os pronomes ele, ela, nós, vós, eles forem complemento podem se contrair com a
EM VOZ PASSIVA
EM VOZ PASSIVA
AGENTE DA PASSIVA
AGENTE DA PASSIVA
ADJ. ADNOMINAL
ADJ. ADNOMINAL
MIM, TI, SI, NÓS, VÓS, ELE, ELES
MIM, TI, SI, NÓS,
VÓS, ELE, ELES
INDICANDO POSSE
INDICANDO POSSE
COMPLETA O SENTIDO DE VERBO TRANSITIVO DIRETO
COMPLETA O SENTIDO
DE VERBO TRANSITIVO
DIRETO
OBEJTO DIRETO PREPOSICIONADO
OBEJTO DIRETO
PREPOSICIONADO
OBJETO INDIRETO
OBJETO INDIRETO
COMPLETA O SENTIDO DE VERBO TRANSITIVO INDIRETO
COMPLETA O SENTIDO
DE VERBO TRANSITIVO
INDIRETO
COM A FUNÇÃO DE: PARA ELE
COM A FUNÇÃO DE:
PARA ELE
COMPLEMENTO NOMINAL
COMPLEMENTO
NOMINAL
ADJUNTO ADVERBIAL
ADJUNTO
ADVERBIAL
COMPLEMENTAR VERBO INTRANSITIVO
COMPLEMENTAR
VERBO
INTRANSITIVO

Pronomes de Tratamento

Pronomes de Tratamento • Qualquer pronome de tratamento faz com que os demais pronomes e verbos

Qualquer pronome de tratamento faz com que os demais pronomes e verbos fique na 3ª pessoa.

Vossa alteza se deveis esforçar muito para governar essa nação

Se utiliza vossa quando se fala com a pessoa e Sua quando se fala da pessoa.

Concordância:

a pessoa e Sua quando se fala da pessoa. • Concordância: – Pode concordar gramaticalmente: Vossa

Pode concordar gramaticalmente: Vossa alteza está cansada

Pode concordar ideologicamente : Vossa alteza está cansado

Colocação Pronominal

É a colocação do pronome obliquo átono.

A regra geral é que o POA fica após o verbo (Ênclise) salvo nos

casos de Próclise e Mesóclise.

A única coisa que retira a força da palavra atrativa é o verbo no

infinitivo

Casos de Ênclise Casos Facultativos
Casos de Ênclise
Casos Facultativos
Colocação Pronominal
Colocação
Pronominal
Casos de Mesóclise
Casos de
Mesóclise
Casos de Próclise
Casos de Próclise

Com um Só Verbo

I. Próclise Palavras Negativas Advérbios Conjunções Subordinadas Exclamativas Próclise Orações Optativas
I.
Próclise
Palavras Negativas
Advérbios
Conjunções Subordinadas
Exclamativas
Próclise
Orações
Optativas
Em + Gerúndio
Interrogativas
Infinitivo Flexionado Preposicionado

Quando houver duas ou mais palavras atrativas o POA poderá ficar entre elas Apossinclise.

Se não me falha a memória

Se me não falha a memória

II.

Mesóclise : No meio do Verbo. Mas não pode haver casos de próclise.

Futuro do Presente Mesóclise Futuro do pretérito
Futuro do Presente
Mesóclise
Futuro do pretérito

III. Ênclise Após o verbo.

Inicio de Frase Imperativo Afirmativo Ênclise Gerúndio Havendo virgulas antes do verbo, salvo se for
Inicio de Frase
Imperativo Afirmativo
Ênclise
Gerúndio
Havendo virgulas antes do verbo, salvo se for de
expressão intercalada e antes dessa haver partícula
atrativa
ENCLISE
ENCLISE

ENCLISE

ENCLISE
ENCLISE
ENCLISE
ENCLISE
ENCLISE

IV.

Casos Facultativos

Pronomes pessoais, demonstrativos e de tratamento

Com Substantivos antes do verbo

Os jogadores se confessaram (se) que deviam jogar mais

Conjunções Coordenativas

Infinitivo não flexionado, mesmo havendo palavras atrativas de proclise.

Espero não te chatear (chatear-te)

Depois de Intercalação, desde que antes da intercalação não tenha palavra atrativa. ?????

A mulher, que gosta de carinho, se dá (se) luxo de

Nas Locuções Verbais

O POA pode se colocar em qualquer das três posições possíveis.

pode se colocar em qualquer das três posições possíveis. • Frase 1 : Quando há hífen

Frase 1 : Quando há hífen significa dizer que há ênclise no verbo auxiliar.

Frase 2: Sem hífen significa que há próclise no verbo principal

Frase 3: Ênclise no verbo principal

Quando há palavra atrativa o POA ficará proclítico ao auxiliar ou ao principal e enclítico ao principal

Exemplos

Como poderei retribuir-te o favor?

Como te poderei retribuir o favor ?

Poder-te-ei retribuir o favor.

Vou esforça-me para atender o seu pedido

Vou -me esforçar para atender o seu pedido

Pronomes Possessivos

São pronomes que indicam posse.

Concorda em numero com e gênero de objeto possuído, mas a

pessoa se refere ao possuidor.

POSSUIDOR

PRONOMES POSSESSIVOS

1ª PESSOA SINGULAR

MEU, MINHA, MEUS E MINHAS

2ª PESSOA SINGULAR

TEU, TUA, TEUS E TUAS

3ª PESSOA SINGULAR

SEU, SUA, SEUS E SUAS

1ª PESSOA PLURAL

NOSSO, NOSSA, NOSSOS E NOSSAS

2ª PESSOA PLURAL

VOSSO, VOSSA, VOSSOS E VOSSAS

3ª PESSOA PLURAL

SEU, SUA, SEUS E SUAS

Pronomes Indefinidos

Pronomes Indefinidos

Alguns Pronomes Indefinidos:

Bastante:

Pronome Indefinido Antes do Substantivo

Adjetivo Após o substantivo.

Adverbio Modifica o sentido do verbo ou de um adjetivo

Um/ Uma/ Uns/ Umas:

Numeral: Seguido de Só, único, ou indicar quantidade. O seu

plural será dois.

Artigo Indefinido Equivale qualquer

Pronome Indefinido Equivale algum.

Tenho um irmão. (Tenho dois irmãos ) Fui abordado por uma mulher na rua (qualquer) Um dia lhe digo o que aconteceu. (Algum)

Pronomes Demonstrativo

Pronomes Demonstrativo I. Es t e, Es t a, Is t o (s): a. Em relação

I. Este, Esta, Isto (s):

a. Em relação ao Espaço Próximo da pessoa que fala.

b. Em relação ao Tempo Tempo presente ou passado recente.

c. Coesão Referencial Catafórica Vai apresentar alguma coisa. O maior mandamento é este: amai-vos ao próximo

d. Coesão Vai se referir a termo imediatamente anterior ou que ainda irá ser dita.

O fumo é prejudicial à saúde e esta deve ser preservada

d. Esse, Essa, Isso (s):

a.

Em relação ao Espaço Próximo da pessoa com quem se fala.

b.

Em relação ao Tempo Tempo passado ou futuro próximo.

c.

Coesão referencial Anafórica Retoma o que foi dito anteriormente

Esse cara não quer nada com vida, esse é o problema

III.

Aquele, Aquela, Aquilo:

a.

Em relação ao Espaço Longe da 1 e 2 pessoa do discurso

b.

Em relação ao Tempo Tempo passado remoto

c.

Como elemento Anafórico Quando tiver em oposição com o esse. Este relaciona-se ao ultimo termo referido e o aquele ao primeiro termo que foi

referido.

Outros Termos Demonstrativos:

O, a (s) Podem funcionar como demonstrativo, aparecendo antes do “que” (será sujeito da oração adjetiva) ou da

preposição “dePodem ser substituídos por aquele, aquela ou

aquilo.

A minha casa é menos confortável que a do vizinho Todos entenderam bem o que tu disseste

Mesmo ,Próprio e Tal Com valor reforçativo ou junto de artigo. Com sentido de “igual, exato, idêntico” - são demonstrativos.

Pronomes Relativos

Retomam um termo da oração anterior projetando-o em outra oração.

Para cada termo referente existe tipo especifico de pronome

relativo a ser utilizado.

EM QUE NA QUAL
EM QUE
NA QUAL

Exemplo:

A praia que conhecemos está poluída (Errado, pois indica lugar) A praia onde conhecemos está poluída (Correto)

Oração Subordinada Adjetiva

Todo pronome relativo inicia uma Oração Subordinada Adjetiva (restritiva ou explicativa).

A menina que estava doente não fez a prova do Enem

Toda vez que um nome ou verbo da oração subordinada adjetiva rege uma preposição, essa deverá antes dos pronome relativo, salvo se ele for sujeito, pois não pode ser preposicionado.

As pessoas em cujas palavras acreditei estão presas Eu conheço a cidade aonde sua sobrinha foi O artista de cuja obra eu falara morreu ontem

Funções Sintáticas

Passo a Passo:

I.

Descubra qual termo o pronome se refere

II.

Isole a oração adjetiva que foi iniciada pelo pronome

III.

Substitua o pronome por esse termo e construa uma nova oração.

IV.

Com base na nova oração identifique a função sintática do termo.

A presidente adotou medidas que desagradaram os investidores

Medidas desagradaram os investidores - Sujeito

Este é o homem que eu serei algum dia

Eu serei esse homem algum dia Predicativo do Sujeito

Os prédios que os turistas conheceram foram inaugurados recentemente Os turistas conheceram os prédios - Objeto Direto

Eu comprei apenas o que me interessou (que = o pron. Demonstrativo)

Sujeito

I.

Que:

Quando puder ser substituído pelo o qual (e variações). Toda vez que a preposição anteposta ao pronome relativo for monossílaba se utiliza “ QUE” se tiver mais de um silaba utiliza-se “O QUAL”

O livro que nós lemos é excelente

A pessoa que eu amo é excelente

Aquele é o machado com que trabalho.

Aquele é o empresário para o qual trabalho

II.

Quem:

Se refere sempre a pessoa e vem sempre precedido de preposição monossilábico.

Ele é o rapaz a quem ela deu o livro

Não se admite crase antes do pronome relativo quem, pois antes dele não vem artigo e sim preposição.

II.

Cujo : (É variável)

Liga 2 nomes estabelecendo relação de posse. Concorda com gênero e numero com o nome conseqüente.

Tem função adjetiva e sua única função sintática é de adjunto adnominal

Este é o autor a cuja obra me refiro

II.

O Qual:

Se refere a pessoas ou coisas personificadas.

Pode substituir qualquer pronome relativo, salvo cujo.

Quando a preposição tiver mais de uma silaba seu uso é obrigatório.

Pode vir craseado.

O filme sobre qual conversamos é francês.

II.

Quanto:

Aparece precedida de um pronome indefinido ou

demonstrativo

Fiz tudo quanto necessário para ele ficar

III.

Onde

Equivale “em que lugar, no qual” . Sempre se refere a lugar. Se não retoma nenhuma palavra será adverbio.

Se utiliza onde com verbos sem ideia de movimento

Se utiliza AONDE com verbos que dão ideia de movimento necessitando da preposição “A”

Quero uma cidade tranquila onde possa viver em paz Revelou onde estava escondido o envelope (Adverbio)

Funções da Partícula QUE

Conjunção Consecutiva:

Vem precedido das palavras: Tão, Tamanho, Tanto e Tal (Antes)

Era tão interessante que não faltava opções

Conjunção Comparativa

Dá ideia de comparação. Pode utilizar “Que” ou “Do Que”.

Ele era mais esperto (do) que o irmão

Conjunção Aditiva

Dá ideia de adição. Vem sempre entre verbos repetidos

Os políticos prometem que prometem

Conjunção Explicativa

Dá ideia de explicação. Vem após o imperativo

Chora, que as lagrimas lavam a dor

Preposição Acidental

Vem entre ter e haver + infinitivo. Equivale a “de”.

Temos que (de) resolver Ela tinha (de) que rever seus conceitos

Substantivo

Vem precedido de artigo ou outro determinante. É acentuado. Equivale a “um pouco”

Ela tem um quê de mistério

Pronome Indefinido

Refere-se a um substantivo. Tem valor de “Qual, Quais” Sei que problemas ela tem

Pronome Interrogativo

Nas perguntas diretas e indiretas. Pode se utilizar “O Que” ou “Que”.

O que aconteceu com ela? Que aconteceu com ela?

Adverbio de Intensidade

Equivale “Quão”.

Que bonita sua atitude Quão bonita sua atitude

Partícula Expletiva

Usada para dar realce a frase. É empregada com verbos intransitivos. Não tem função sintática e nem semântica e pode ser

retirada

Que + Substantivo +

Verbo Ser+ Adj. Adnominal+ Que+

(Que ideia mais interessante)

(Foi em Londres que eles se conheceram)

Pronome Relativo

Pode ser substituido pelo: “o qual, os quais” As coisas que ele disse são relevantes

Conjunção Integrante

Introduz oração subordinada substantivo.

Pode ser substituída por : “Isso, Nisso, Disso,etc.”.

Ela disse que seria feito

É importante que você estude

Observação Importante:

O vocábulo que pode ser acentuado ou não:

Acentuado (Quê) : Tonico (Som de E). Casos obrigatórios:

I.

Final de frases

II.

Função substantiva

III.

Antes de Pausa

Não Acentuado (Que) : Átono (Som de I)

Exemplos:

Ele tem medo de quê? (Tonico)

O que ele tem medo ? (Átono).

Ela tem um quê de mistério (Tonico)

Você veio aqui por quê, para quê

Funções da Partícula SE

Pronome Obliquo Átono:

Ordem de Resolução

Partícula Apassivadora: VTD ou VTDI e Sujeito Paciente

Índice de Indeterminação do Sujeito: Sujeito Indeterminado.

Pronome Reflexivo: Da ideia de “Si Mesmo” e função sintática de OD ou OI

Partícula Integrantes: Com Verbo Pronominal

Partícula Expletiva

Pronome Reflexivo

Tem Função sintática mais comuns a de objetos ou de sujeito com

verbos causativos ou sensitivos. Sintaticamente tem função de O.D e O.I.

mais comuns a de objetos ou de sujeito com verbos causativos ou sensitivos. Sintaticamente tem função

Partícula de Indeterminação do Sujeito

Acompanha verbos de: Ligação, VI, VTI e VTD preposicionados.

Para visualizar utiliza-se (Alguém).

preposicionados. – Para visualizar utiliza-se (Alguém). • Parte Integrante do Verbo (PIV) – Diferencia do

Parte Integrante do Verbo (PIV)

Diferencia do índice de Indeterminação do sujeito através da seguinte forma pratica:

Coloca-se um sujeito qualquer antes do verbo, se a frase fizer sentido

então será PIV, caso contrario será partícula de indeterminação do sujeito

antes do verbo, se a frase fizer sentido então será PIV, caso contrario será partícula de
antes do verbo, se a frase fizer sentido então será PIV, caso contrario será partícula de
antes do verbo, se a frase fizer sentido então será PIV, caso contrario será partícula de

Partícula Apassivadora

Acompanha verbo transitivo na 3 pessoa (plural ou singular)+ objeto direto. E puder ser convertido na voz passiva analítica.

direto. E puder ser convertido na voz passiva analíti ca. • Partícula Expletiva ou de Realce

Partícula Expletiva ou de Realce

Quando vem acompanhada de verbo intransitivo, dessa forma não tem função sintática.

Exemplos: Sorrir-se, Ajoelhar-se.

Como Conjunção:

Integrante - Substitua o Se por Isso.

Veja se a companhia elétrica já resolveu o problema da falta de luz

Causal: Quando puder ser substituída por “Já Que”

Se a sua família vive em harmonia por que seus pais brigaram ontem?

Condicional: Quando puder ser substituída por “Caso”

Se houver entre as nações algum acordo, todos irão se beneficiar com a paz

Concessiva: Quando puder ser substituída por “Embora”

Se ferido ele queria lutar, imagine, então, são!

PRONOME REFLEXIVO PARTICULA EXPLETIVA INDETERMINAR SUJEITO PARTICULA APASSIVADORA
PRONOME REFLEXIVO
PARTICULA EXPLETIVA
INDETERMINAR
SUJEITO
PARTICULA
APASSIVADORA
CONJUNÇÃO
CONJUNÇÃO
ACOMPANHA VERBOS INTRANSITIVOS DANDO REALCE
ACOMPANHA VERBOS
INTRANSITIVOS
DANDO REALCE
VERBOS DE LIGAÇÃO, VTI E VI NA 3 PESSOA DO SINGULAR
VERBOS DE LIGAÇÃO,
VTI E VI
NA
3
PESSOA DO
SINGULAR
SE O COMPLEMENTO FOR PARA O PLURAL O VERBO PERMENCE NO SINGULAR
SE O COMPLEMENTO FOR
PARA O PLURAL O VERBO
PERMENCE NO SINGULAR
SE
SE
COM VTD OU VTDI.NO SINGULAR OU NO PLURAL
COM VTD OU
VTDI.NO SINGULAR
OU NO PLURAL
INTEGRANTE CONDICIONAL TEMPORAL CONCESSIVA CAUSAL
INTEGRANTE
CONDICIONAL
TEMPORAL
CONCESSIVA
CAUSAL
SE O COMPLEMENTO FOR PARA O PLURAL O VERBO VAI PARA O PLURAL.
SE O COMPLEMENTO FOR
PARA O PLURAL O VERBO
VAI PARA O PLURAL.

UNIFORMIDADE DE TRATAMENTO

O pronome você é de tratamento informal e designa 2ª pessoa do

discurso., ainda que o verbo fique na 3ª pessoa do discurso.

ainda que o verbo fique na 3ª pessoa do discurso. Já o pronome TU, deve concordar

Já o pronome TU, deve concordar com o verbo na 2ª do discurso.

ainda que o verbo fique na 3ª pessoa do discurso. Já o pronome TU, deve concordar

Verbos

São palavras variáveis que exprimem ação, estado, mudança de estado e fenômeno da natureza.

Ele correu muito (ação)

Ela parece pensativa (estado) Ele ficou doente (mudança de estado)

Choveu muito ontem (fenômeno)

Flexão Verbal

(ação) Ela parece pensativa (estado) Ele ficou doente (mudança de estado) Choveu muito ontem (fenômeno) Flexão

Estrutura dos Verbos

São formados por 3 elementos:

A. Radical Base significativa do verbo. Se obtém extraindo as

terminações “AR, ER,IR” do infinitivo.

extraindo as terminações “AR, ER,IR” do infinitivo . B. Vogal Temática – Junta-se ao radical para

B. Vogal Temática Junta-se ao radical para receber as desinências. Indica a conjugação do verbo (1ª,2ª,3ª).

. B. Vogal Temática – Junta-se ao radical para receber as desinências. Indica a conjugação do

C.

Desinências Junta-se ao radical para indicar : tempo, modo, pessoa e numero.

C. Desinências – Junta-se ao radical para indicar : tempo, modo, pessoa e numero.

Verbos Regulares

São verbos que o radical não varia

Tirar Prova : Tem que atender simultaneamente

Condição 1 : Conjugue o verbo no presente do indicativo, tem

que terminar com “O”

Condição 2 : Conjugue o verbo no pretérito perfeito do

indicativo, tem que terminar com “I”

 

Presente

Pretérito Perfeito

Ganhar

Ganho

Ganhei

Medir

Meço

Medi

Estar

Estou

Estive

Analise Verbal

INDICATIVO SUBJETIVO IMPERATIVO
INDICATIVO
SUBJETIVO
IMPERATIVO
Analise Verbal INDICATIVO SUBJETIVO IMPERATIVO PRESENTE PASSADO FUTURO PLURAL SINGULAR 1 PESSOA 2 PESSOA 3 PESSOA
PRESENTE PASSADO FUTURO PLURAL SINGULAR 1 PESSOA 2 PESSOA 3 PESSOA ATIVA PASSIVA REFLEXIVA
PRESENTE
PASSADO
FUTURO
PLURAL
SINGULAR
1 PESSOA
2 PESSOA
3 PESSOA
ATIVA
PASSIVA
REFLEXIVA
CERTEZA DUVIDA ORDEM
CERTEZA
DUVIDA
ORDEM
MODO
MODO
TEMPO
TEMPO
VERBO
VERBO
NUMERO
NUMERO
PESSOA
PESSOA
VOZ
VOZ

Formas Nominais do Verbo

São verbos que alem de desempenhar funções verbais podem desempenhar a função de nomes

Finalidades: Usadas em locuções verbais e orações reduzidas

I. Infinitivo Dá nome a ação , o estado, o fato ou o fenômeno de modo vaso ou indefinido. Podem ser pessoal (flexiona) e impessoal.

ou indefinido. Podem ser pessoal (flexiona) e impessoal. • Pode se apresentar de forma substantivada e
ou indefinido. Podem ser pessoal (flexiona) e impessoal. • Pode se apresentar de forma substantivada e

Pode se apresentar de forma substantivada e nesse caso não

poderá ser locução verbal e nem oração reduzida.

O amar é lutar

O caminhar faz bem saúde

Caminhar faz bem a saúde (Oração Simples)

II.

Gerúndio -

Indica circunstancia simultânea do processo verbal. Se

comportando como advérbio ou Adjetivo. Utilizado para indicar circunstancia no momento da ação.

O Gerúndio Indicando Circunstancia de Modo

Não se pode utilizar para indicar fato no futuro ou em tempos diferentesGerundismo.

Pessoas sorrindo compunham a foto

Quando eu estiver entrando na garagem de casa Gerundismo

III.

I.

II.

Particípio Indicando uma ação já realizada, finalizada Comporta- se como adjetivo. Varia em numero.

Pode ser regular ou irregular

Regular Terminado em ADO, IDO, DO, TO, GO,SO

Irregular São os particípio derivados de verbos abundantes

Regular – Terminado em ADO, IDO, DO, TO, GO,SO Irregular – São os particípio derivados de

Formas Compostas FORMAS do COMPOSTAS Verbo DOS VERBOS

Podem ser locuções verbais ou tempo composto:

Pode haver preposição entre os 2 verbos

Conceito:

FORMAS

VERBO AUXILIAR

VERBO PRINCIPAL

 

LOCUÇÃO VERBAL

QUALQUER VERBO

FORMA NOMINAL

REPRESENTA APENAS UM SUJEITO

TEMPO COMPOSTO

TER OU HAVER

PARTICIPIO REGULAR (DO)

APRESENTA 2 SUJEITOS PODENDO SER IGUAIS OU DIFERENTES

Funcionalidade:

Verbo Auxiliar : Responsável pela concordância verbal

Verbo Principal: Responsável pela Regência Verbal. A sua

semântica é a mais importante. É invariável.

Formas Compostas com Particípio Abundante:

Os particípios abundantes por apresentarem mais de uma forma,

deve se utilizar a forma regular (NDO) para o tempo composto e a irregular para a locução verbal.

Lula foi eleito em primeiro turno Loc. Adj. Nós havíamos elegido

Equivalência de Tempo Composto

 

Tempo Composto

 

Formação

Equivalência

 

Pretérito Perfeito Comp. do Indicativo

Presente do Indicativo

Pretérito

Tenho estudado Estudava

+ Particípio: Imperfeito

+

Particípio:

Imperfeito

Pretérito MQP Comp. Do

Pretérito Imperfeito

Pretérito MQP

Tinha Estudado

 

Indicativo

do Indicativo + Particípio

do Indicativo

Estudara

Futuro do Presente Comp Do Indicativo

Futuro do Presente do Indicativo + Particípio:

 

Terei estudado

Futuro do Pretérito Comp Do Indicativo

Futuro do Pretérito do Indicativo + Particípio:

 

Teria estudado

Pretérito Perfeito Comp Do

Presente do