Você está na página 1de 8

PROJECT CARS

ORIENTAÇÕES PARA AJUDAR NO SETUP

Essas orientações foram criadas para minimizar as dificuldades durante o processo de acerto dos carros no jogo Project Cars para plataforma PS4, utilizando o volante Logitech G29.

Lembrando que cada piloto tem sua própria forma de pilotar, portanto, algumas recomendações não serão satisfatórias.

Este é um documento “vivo” e qualquer descoberta e/ou conhecimento por parte dos pilotos, pedimos que faça um comunicado para atualizarmos e posteriormente divulgar a todos. A proposta é auxiliar para que tenhamos uma diversão saudável, divertida e extremamente competitiva.

1-

DICAS IMPORTANTES:

No treino livre, prepare um carro para a corrida!

Antes de iniciar os ajustes, conheça o carro! Faça algumas voltas para aquecimento antes de iniciar uma avaliação precisa do carro e pista. Para uma avaliação precisa, use a telemetria disponibilizada pelo jogo!

O piloto que ao largar, se ansioso e ultrapassar todos, freando bruscamente na primeira curva, isso é perigoso, pois os freios e pneus ainda estão frios e não segura o carro.

Não se deve forçar muito nas primeiras voltas, devido freios e pneus não estarem na temperatura ideal de trabalho.

Antes de qualquer corrida, defina a quantidade de combustivel para o Qualify e Corrida. Para corrida de longa duração defina também a estratégia de PIT.

2-

FORCE FEEDBACK

1. Vá em “Minha garagem” e escolha o carro;

2. Clique em criar nova configuração;

3. Clique na aba Force Feedback;

4. Coloque os valores das fotos abaixo;

5. Após modificar, clique em salvar e selecione a opção tudo.

SoP: Configura as forças de Force Feedback do volante somente para a traseira do carro, o seja, se você está sentindo mais a traseira, pode corrigir.

Tem a função de reduzir ou aumentar o Force Feedback do volante. Para entender, regule conforme sugestões abaixo, dê algumas voltas e depois deixe o valor no máximo, dê algumas voltas para sentir a diferença.

Escala Master:

o valor no máximo, dê algumas voltas para sentir a diferença. Escala Master : Revisão 04

3-

AJUSTE DE VOLANTE LOGITECH G29

3- AJUSTE DE VOLANTE LOGITECH G29 Nota: Para ângulo de calibração use 1080 ° 4- AJUSTE

Nota: Para ângulo de calibração use 1080°

LOGITECH G29 Nota: Para ângulo de calibração use 1080 ° 4- AJUSTE PARA CALIBRAÇÃO DO FORCE

4- AJUSTE PARA CALIBRAÇÃO DO FORCE FEEDBACK DO VOLANTE LOGITECH G29

use 1080 ° 4- AJUSTE PARA CALIBRAÇÃO DO FORCE FEEDBACK DO VOLANTE LOGITECH G29 Revisão 04
use 1080 ° 4- AJUSTE PARA CALIBRAÇÃO DO FORCE FEEDBACK DO VOLANTE LOGITECH G29 Revisão 04
use 1080 ° 4- AJUSTE PARA CALIBRAÇÃO DO FORCE FEEDBACK DO VOLANTE LOGITECH G29 Revisão 04

5-

PRESSÃO DOS PNEUS 1- Verificar a pressão na reta e em curvas, se houver muita diferença voltar para o box e ajustar. 2- Se a temperatura do pneu estiver acima de 100 ºC, volte ao box e baixe a pressão dos pneus, se não resolver, troque o composto. A temperatura ideal deve estar entre 80 e 100 °C e não pode ter muita diferença entre todos os pneus. 3- É importante que toda a banda de rodagem esteja em contato com o solo, se deixar muito baixo, pode ser que toque apenas as bordas; muito cheio vai tocar somente a parte central. Por isso, a importância de checar a temperatura dos pneus. 4- A pressão dos pneus varia de acordo com o carro, a pista, clima e principalmente do setup da suspensão, mas a teoria é simples:

4.1. Quanto mais borracha em contato com o solo (pressão baixa) mais aderência; melhor em curvas e mais lento em retas e, vice versa no caso de alta pressão;

4.2. Para controlar a temperatura dos pneus, use o recurso de ajustar a pressão.

a) Baixando a pressão: mais borracha entrará em contato com o solo e aumentará o atrito, subindo assim sua temperatura. Pressões baixas equivalem a maior aderência e piores reações.

b) Aumentar a pressão, pode elevar a temperatura, uma vez que a pressão maior, o carro passa a derrapar mais, o pneu perde capacidade de absorção e a lateral do pneu aquece mais. Se você aumentar muito, irá deformar o pneu. Pressões altas equivalem a menos aderência e maiores reações.

5- Em caso de sobreviragem, reduza a pressão dianteira. 6- Temperatura do centro igual ou superior a temperatura inferior, reduza a pressão

7- Temperatura do centro igual ou menor a temperatura exterior, aumente a pressão

igual ou menor a temperatura exterior, aumente a pressão 6- Detalhe da tela de telemetria do

6-

igual ou menor a temperatura exterior, aumente a pressão 6- Detalhe da tela de telemetria do

Detalhe da tela de telemetria do jogo

TEMPERATURA DE ÓLEO E ÁGUA

Temperatura de óleo e água pode ser checada no painel do carro, na camera do cockpit.

Fique atendo a temperatura de água e óleo, pois não verificar alguns destes itens, pode fundir o motor e você ter que voltar a pé ao box.

Para o ajuste da temperatura de agua, vá ao item RADIADOR no menu DIFERENCIAL.

Para o ajuste “aberto”, irá resfriar o motor permitindo que o ar passe por ele. Agora uma configuração “fechada” traz menor resistência ao vento e mais velocidade.

Não esqueçam de checar o indicador de temperatura de água no painel do carro, pois uma pista com retas longas e condições de tempo quente solicita uma abertura maior.

7- TCS - Escorregamento de controle de tração % menor = Vai agir com maior

7- TCS - Escorregamento de controle de tração

% menor = Vai agir com maior freqüência, vai travar mais o carro;

% maior = Vai agir com menor frequencia.

8- FREIOS

Se o freio estiver frio, feche o duto de freio para esquentar, mas lembre-se que se esquentar muito, você pode ficar sem freios.

Se tiver muito aberto, o ar acaba segurando o carro.

O piloto deve ficar atendo ao tempo de corrida, temperatura da pista e se o traçado é muito travado; isso irá aumentar a utilização dos freios.

Para uma eficiência, o disco de freio geralmente deve trabalhar entre 600 ºC a 750 °C, mas depende muito do carro, por exemplo, um carro de Le Mans que possui potência e velocidade maior, essa temperatura de trabalho está entre 800 a 900 °C.

PRESSÃO DO FREIO: Trata-se da pressão do pedal, quando maior; apenas um toque já influeciara no carro. O recomendado é freiar mais dentro da curva, consequentemente terá uma volta mais rápida.

EQUILIBRIO DO FREIO: Distribui a frenagem mais para a dianteira ou para a traseira.

a frenagem mais para a dianteira ou para a traseira. 9- ENGINE BRAKE MAPPING – Tração

9- ENGINE BRAKE MAPPING Tração do Freio Motor

Engine Brake Mapping vai afetar o quanto o motor ajuda na desaceleração do carro números mais baixos resultam em mais travagem do motor, o que também usa menos combustível.

A desvantagem é que o motor só retarda as rodas motrizes, o que pode causar um desequilíbrio de frenagem entre alta e baixa velocidade.

Ajuste Maior: Diminui a saída de traseira durante a desaceleração e aumenta o consumo de combustível.

Ajuste Menor: Aumenta a Saída de traseira durante a desaceleração e diminui o consumo de combustível.

10- TRANSMISSÃO Transmissão, verificar se não está curta ou muito longa. 11- RELAÇÃO DE DIREÇÃO
10-
TRANSMISSÃO
Transmissão, verificar se não está curta ou muito longa.
11-
RELAÇÃO DE DIREÇÃO
Se definir para:
Rápido: Você precisa de menos força (giro menor) no volante para virar o carro. Está opção deixa parecido
com o giro de um carro de F1.
Lento: Você precisa de mais força (giro maior) no volante para virar o carro. Nesta opção ficará parecido com
carro de rua.
Este item está disponivel no menu ALINHAMENTO.
12-
ALTURA
Carro mais baixo, mais grip terá, menos ar passará por baixo, o ar passara por cima em irá empurrar o
carro para baixo.
Se o carro estiver muito baixo, o assoalho pode bater no piso e se isso acontecer os pneus perderá o
contato com o solo e, consequentemente terá perda de grip.
13-
MOLA
Elasticidade da mola, mais duro ou mais macio.
 Mais macio mais grip terá, o carro irá copiar as ondulações. Mais tempo ele estará em contato com o
solo, mas se tiver muito macio, a mola vai comprimir e vai bater o assoalho no solo.
 Mola mais dura, o pneu vai sofrer mais e consequentemente irá aumentar o desgaste dos pneus.
Para corrida de longa duração, mola muito dura, mais desgaste de pneu terá e o carro poderá sair de frente
ou traseria, ou seja, menos transferencia de peso vai ter.
Se o carro estiver saindo de frente, amoleça a dianteira ou endureça um pouco a traseira, se tiver saindo de
traseira, faça o contrário.
14-
AMORTECEDOR
ITEM IMPACTO RETORNO IMPACTO RÁPIDO RETORNO RÁPIDO IMPACTO LENTO RETORNO LENTO COMO ATUA ONDE ATUA
ITEM IMPACTO RETORNO IMPACTO RÁPIDO RETORNO RÁPIDO IMPACTO LENTO RETORNO LENTO COMO ATUA ONDE ATUA

ITEM

IMPACTO

RETORNO

IMPACTO RÁPIDO

RETORNO RÁPIDO

IMPACTO LENTO

RETORNO LENTO

COMO ATUA

ONDE ATUA

Compressão do amortecedor

-

Descompressão do amortecedor

-

Compressão brusca do amortecedor

Zebras, buracos, ondulações

Descompressão brusca do amortecedor

Zebras, buracos, ondulações

Compressão lenta do amortecedor

Aceleração, frenagem, curvas

Descompressão lenta do amortecedor

Aceleração, frenagem, curvas

do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas Descompressão lenta do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas
do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas Descompressão lenta do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas
do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas Descompressão lenta do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas
do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas Descompressão lenta do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas
do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas Descompressão lenta do amortecedor Aceleração, frenagem, curvas

15-

BARRA ANTI-ROLAGEM

Barra estabilizadora (anti-rolar), são barras colocadas nos eixos, tendo a função de evitar a rolagem do carro.

A

consequência de ajuste mais duro, menos rolagem, ou seja, as rodas pode perder o contato com o solo e

perder grip. Utilize a mesma regra das molas.

16-

DIFERENCIAL

A

principal função do diferencial é permitir que as rodas tratoras (que recebem a força do motor), possam

rodar em velocidades diferentes. Em resumo quando fazemos uma curva, temos distâncias diferentes a serem percorridas pelas rodas do lado de dentro da curva e do lado de fora da curva. Se o diferencial não

existisse, seria muito complicado fazer essa curva, pois a roda de dentro, receberia potência além do necessário, e forçaria o carro para fora da pista.

O problema do diferencial é que quando uma das rodas tratoras perde contato com o solo, ela recebe praticamente todo o torque do motor, o que causa aquela temida perda de tração, que em alguns casos leva

a

perda de controle do carro.

Diferencial travado:

Para pistas com uma frenagem forte e uma aceleração forte, possibilita uma frenagem segura e uma retomada agressiva.

Se estiver vindo na reta e o carro não responde na curva, o diferencial está travado.

Diferencial solto:

Para curvas de alta, as rodas precisam de rotações diferenciadas, possibilitara mais estersamento, mas pode perder a traseira. Faz-se necessário testar na pista.

17-

UNDERSTEER e OVERSTEER

Understeer - Subviragem

Subesterço (português brasileiro) ou subviragem (português europeu) (em inglês é conhecido como understeering, pushing ou plowing) é um efeito no qual um automóvel ao curvar, descreve um arco de circunferência no solo de raio significativamente maior que o raio deduzido da posição das suas rodas - raio correspondente ao centro próprio de viragem do veículo. Mais concretamente as rodas dianteiras não seguem o caminho imposto pelo condutor, seguindo em vez disso, uma trajetória mais retilínea.

Oversteer Sobreviragem

Sobresterço (português brasileiro) ou sobreviragem (português europeu) (em inglês conhecido como "oversteering", "loose" ou ainda "tail happy") é um fenómeno que pode ocorrer quando um automóvel descreve uma curva. Diz-se que um veículo sobrevira quando a traseira do veículo se move para a parte de fora da curva, às rodas traseiras do veículo excedem os limites da sua tracção lateral durante a curva antes das rodas dianteiras o fazerem, ou seja, o ângulo de escorregamento das rodas de trás excede o ângulo das rodas da frente.

Revisão 04 / 01.04.17 Página 7 de 8
Revisão 04 / 01.04.17 Página 8 de 8