Você está na página 1de 73

MKT-MDL-05

Versão 00

MATEMÁTICA
Aula 03: Polinômios
Prof. Felipe Mota
prof.felipem@hotmail.com
Polinômios

• Um polinômio na variável complexa x é uma


expressão dada por:
𝑛 𝑛−1 2
𝑎𝑛 ∙ 𝑥 + 𝑎𝑛−1 ∙ 𝑥 + ⋯ + 𝑎2 ∙ 𝑥 + 𝑎1 ∙ 𝑥 + 𝑎0
• Onde:
• 𝑎𝑛 , 𝑎𝑛−1 , … , 𝑎2 , 𝑎1 , 𝑎0 são números complexos chamados
coeficientes do polinômio.
• 𝑎0 é o coeficiente independente.
• 𝑎𝑛 é o coeficiente dominante do polinômio.
• 𝑛 é o grau do polinômio.
Polinômios

Exemplos de polinômios:
1 Observação
• 4𝑥 3 − 5𝑥 2 + 𝑥 −7
2 3 4
2𝑥 + + = 2𝑥 + 3𝑥 −2 + 4𝑥 −1
é um polinômio de grau 3. 𝑥2 𝑥
não é um polinômio, pois os
1 5
• − 𝑥 + 𝑥 2 − 3𝑥 + 1 expoentes de 𝑥 não podem ser
6
negativos.
é um polinômio de grau 5.
1
• 𝑥 + 4 é um polinômio de grau 1. 3𝑥 2 − 5 𝑥 + 2 = 3𝑥 2 − 5 + 2
2

• −7 é um polinômio de grau 0. não é um polinômio, pois os


expoentes de 𝑥 não podem ser
fracionários.
Polinômios

Exemplos de polinômios
Polinômios

• Chama-se função polinomial, qualquer função 𝑓: 𝐶


→ 𝐶 que a cada 𝑥 ∈ 𝐶 associa o polinômio 𝑎𝑛 ∙ 𝑥 𝑛
+ 𝑎𝑛−1 ∙ 𝑥 𝑛−1
+ ⋯ + 𝑎1 ∙ 𝑥 + 𝑎0 , isto é:
𝑛 𝑛−1
𝑓 𝑥 = 𝑎𝑛 ∙ 𝑥 + 𝑎𝑛−1 ∙ 𝑥 + ⋯ + 𝑎1 ∙ 𝑥 + 𝑎0
Exemplos de funções polinomiais
𝑓 𝑥 = 4𝑥 − 5
2
𝑔 𝑥 = 2𝑥 − 𝑥 + 1
ℎ 𝑥 = 𝑖𝑥 3 − 2𝑥 + 4
Polinômios
(Exemplo)
O valor numérico de um polinômio em um ponto é
dado pela substituição do valor de 𝑥 pelo valor do
ponto procurado
• Exemplo 3.1: Calcular:
a) 𝑓 𝑥 = 4𝑥 − 5 no ponto 𝑥 = 3:

2
b) 𝑔 𝑥 = 2𝑥 − 𝑥 + 1 no ponto 𝑥 = −2:

c) ℎ 𝑥 = 𝑖𝑥3 − 2𝑥 + 4 no ponto 𝑥 = −1:


Polinômios
(Exemplo)
O valor numérico de um polinômio em um ponto é
dado pela substituição do valor de 𝑥 pelo valor do
ponto procurado
• Exemplo 3.1: Calcular:
a) 𝑓 𝑥 = 4𝑥 − 5 no ponto 𝑥 = 3:
𝒇 𝟑 = 4 3 − 5 = 12 − 5 = −𝟑

b) 𝑔 𝑥 = 2𝑥 2 − 𝑥 + 1 no ponto 𝑥 = −2:
𝒇 −𝟐 = 2(−2)2 − −2 + 1 = 2 4 + 2 + 1 = 8 + 2 + 1 = 𝟏𝟏

c) ℎ 𝑥 = 𝑖𝑥 3 − 2𝑥 + 4 no ponto 𝑥 = −1:
𝒇 −𝟏 = 𝑖(−1)3 −2 −1 + 4 = 𝑖 −1 + 2 + 4 = 𝟔 − 𝒊
Polinômios
(Exemplo)

Chamamos raízes de um polinômio os valor de 𝑥


para os quais 𝑓 𝑥 = 0

• Exemplo 3.2:

a) 5/4 é raiz do polinômio 𝑓 𝑥 = 4𝑥 − 5, pois:


𝑓 𝑥 = 4𝑥 − 5 = 0 → 4𝑥 = 5 → 𝑥 = 5/4

b) −3 é raiz do polinômio 𝑞 𝑥 = 𝑥 3 + 𝑥 2 − 4𝑥 + 6, pois:


𝑞 −3 = (−3)3 +(−3)2 −4 −3 + 6 = −27 + 9 + 12 + 6 = 0
OPERAÇÕES COM POLINÔMIOS
Operações com Polinômios
(Exemplo)

A adição e a subtração de polinômios são


realizadas termo a termo com os coeficientes de
potências de 𝑥 iguais

• Exemplo 3.3: Dados os polinômios 𝑓 𝑥 = −7𝑥 3 +


5𝑥 2 − 𝑥 + 4 e 𝑔 𝑥 = −2𝑥 2 + 8𝑥 − 7, determine:
a) 𝑓 𝑥 + 𝑔(𝑥)

b) 𝑓 𝑥 − 𝑔(𝑥)
Operações com Polinômios
(Exemplo)

A adição e a subtração de polinômios são


realizadas termo a termo com os coeficientes de
potências de 𝑥 iguais

• Exemplo 3.3: Dados os polinômios 𝑓 𝑥 = −7𝑥 3


+ 5𝑥 2 − 𝑥 + 4 e 𝑔 𝑥 = −2𝑥 2 + 8𝑥 − 7, determine:
a) 𝑓 𝑥 + 𝑔(𝑥)
𝑓 𝑥 + 𝑔 𝑥 = −7𝑥 3 + 5𝑥 2 − 𝑥 + 4 + −2𝑥 2 + 8𝑥 − 7
𝑓 𝑥 + 𝑔 𝑥 = −7𝑥 3 + 5 − 2 𝑥 2 + −1 + 8 𝑥 + 4 − 7
𝑓 𝑥 + 𝑔 𝑥 = −7𝑥 3 + 3𝑥 2 + 7𝑥 − 3
Operações com Polinômios
(Exemplo)

A adição e a subtração de polinômios são


realizadas termo a termo com os coeficientes de
potências de 𝑥 iguais

• Exemplo 3.3: Dados os polinômios 𝑓 𝑥 = −7𝑥 3 +


5𝑥 2 − 𝑥 + 4 e 𝑔 𝑥 = −2𝑥 2 + 8𝑥 − 7, determine:
b) 𝑓 𝑥 − 𝑔(𝑥)
𝑓 𝑥 − 𝑔 𝑥 = −7𝑥 3 + 5𝑥 2 − 𝑥 + 4 − −2𝑥 2 + 8𝑥 − 7
𝑓 𝑥 − 𝑔 𝑥 = −7𝑥 3 + 5 + 2 𝑥 2 + −1 − 8 𝑥 + 4 + 7
𝑓 𝑥 + 𝑔 𝑥 = −7𝑥 3 + 7𝑥 2 − 9𝑥 + 11
Operações com Polinômios
(Exemplo)

A multiplicação de polinômios é realizada multiplicando todos


os termos de um polinômio de grau 𝑛 por todos os termos de
outro polinômio de grau 𝑚 e somando os resultados obtidos. O
resultado é um polinômio de grau 𝑛 + 𝑚.

• Exemplo 3.4: Dados os polinômios 𝑓 𝑥 = 3𝑥 2 − 5𝑥


+ 8 e 𝑔 𝑥 = −2𝑥 + 1, determine 𝑓(𝑥) ∙ 𝑔(𝑥).
Operações com Polinômios
(Exemplo)

A multiplicação de polinômios é realizada multiplicando todos


os termos de um polinômio de grau 𝑛 por todos os termos de
outro polinômio de grau 𝑚 e somando os resultados obtidos. O
resultado é um polinômio de grau 𝑛 + 𝑚.

• Exemplo 3.4: Dados os polinômios 𝑓 𝑥 = 3𝑥 2 − 5𝑥


+ 8 e 𝑔 𝑥 = −2𝑥 + 1, determine 𝑓(𝑥) ∙ 𝑔(𝑥).
𝑓 𝑥 ∙ 𝑔 𝑥 = (3𝑥 2 − 5𝑥 + 8) ∙ (−2𝑥 + 1)
𝑓 𝑥 ∙ 𝑔 𝑥 = 3𝑥 2 ∙ −2𝑥 + 3𝑥 2 ∙ 1 − 5𝑥 ∙ −2𝑥
−5𝑥 ∙ 1 + 8 ∙ −2𝑥 + 8 ∙ (1)
𝑓 𝑥 ∙ 𝑔 𝑥 = −6𝑥 3 + 3𝑥 2 + 10𝑥 2 − 5𝑥 − 16𝑥 + 8
𝑓 𝑥 ∙ 𝑔 𝑥 = −6𝑥 3 + 13𝑥 2 − 21𝑥 + 8
Operações com Polinômios

• A divisão de um polinômio 𝑓(𝑥) , chamado de


dividendo, por outro 𝑔(𝑥), chamado divisor, gera dois
novos polinômios: o quociente 𝑞(𝑥) e o resto 𝑟(𝑥),
que atendem às seguintes condições:

1) 𝒇 𝒙 = 𝒈 𝒙 ∙ 𝒒 𝒙 + 𝒓(𝒙)
2) Grau de 𝑟 𝑥 < grau de
𝑔(𝑥) ou 𝑟 𝑥 = 0, isto é, 𝑟(𝑥)
é o polinômio nulo.
Operações com Polinômios

• O processo mais geral utilizado para dividir


polinômios é conhecido como método da chave.
• Para utilizar o método da chave, prosseguimos com os
seguintes passos:
• 1º passo: Dividimos o termo de maior grau de 𝑓(𝑥) pelo
termo de maior grau de 𝑔(𝑥):
6𝑥 3
2
= 3𝑥
2𝑥
• Obtendo o primeiro termo do quociente 𝑞(𝑥).
Operações com Polinômios

• 2º passo: Multiplicamos o quociente obtido (3𝑥) por


𝑔(𝑥) e subtraímos de 𝑓(𝑥), isto é, somamos 𝑓(𝑥)
com o oposto do resultado obtido. Obtemos um resto
parcial.
Operações com Polinômios

• 3º passo: Repetimos o procedimento anterior com o


resto parcial obtido até que o grau do resto se torne
menor que o grau do divisor (ou o resto seja o
polinômio nulo):
−4𝑥2
• Dividindo os maiores valores: 2 = −2
2𝑥
Operações com Polinômios

2
• Multiplicando −2 por 2𝑥 − 3𝑥 − 1 e somando com o
resto parcial da etapa anterior:
Operações com Polinômios

• Como o grau do novo resto parcial −2𝑥 + 1 é menor


que o grau do divisor 2𝑥 − 3𝑥 − 1, a divisão está
2
encerrada e o resultado −2𝑥 + 1 é o resto total da
divisão.
Operações com Polinômios
(Exemplo)

• Exemplo 3.5: Efetuar a divisão do polinômio 3𝑥 3


− 14𝑥 2 + 23𝑥 − 10 por 𝑥 2 − 4𝑥 + 5:
Operações com Polinômios
(Exemplo)

3
• Exemplo 3.5: Efetuar a divisão do polinômio 3𝑥 −
14𝑥2 + 23𝑥 − 10 por 𝑥2 − 4𝑥 + 5:
3𝑥3
• Passo 1: = 3𝑥 é o primeiro termo do quociente:
𝑥2
Operações com Polinômios
(Exemplo)

3
• Exemplo 3.5: Efetuar a divisão do polinômio 3𝑥 −
14𝑥2 + 23𝑥 − 10 por 𝑥2 − 4𝑥 + 5:
• Passo 2: Multiplicando 3𝑥 por 𝑥2 − 4𝑥 + 5 e
subtraindo do polinômio original:
Operações com Polinômios
(Exemplo)

• Exemplo 3.5: Efetuar a divisão do polinômio 3𝑥 3


− 14𝑥 2 + 23𝑥 − 10 por 𝑥 2 − 4𝑥 + 5:
• Passo 3: Repetindo
os passos 1 e 2, e
dividimos −2𝑥 2 + 8𝑥
− 10 por 𝑥 2 − 4𝑥
+ 5:
−2𝑥 2
2
= −2
𝑥
Assim, o quociente é 𝑞 𝑥 = 3𝑥
− 2 e o resto é 0.
Operações com Polinômios

• Um caso particular importante na divisão de


polinômios é aquele em que o divisor é um polinômio
de 1º grau, com coeficiente dominante unitário, isto
é, um polinômio do tipo 𝑥 − 𝑎 ou 𝑥 + 𝑎, sendo 𝑎 ∈ 𝐶.

Nesses casos, fica fácil encontraro valor do resto, ou


saber se a divisão do polinômio é exata (resto = zero),
é através do teorema do resto, que diz que: “O resto
da divisão de um polinômio 𝑓(𝑥) por 𝑥 − 𝑎 é igual a
𝑓(𝑎)”.
Operações com Polinômios
(Exemplo)

Uma consequência importante do teorema do resto é o


teorema de D’Alembert: “Se 𝑎 (𝑎 ∈ 𝐶) é raiz de um polinômio
𝑓 𝑥 , então 𝑓 𝑥 é divisível por 𝑥 − 𝑎 e, reciprocamente, se
𝑓 𝑥 é divisível por 𝑥 − 𝑎, então 𝑎 é raiz de 𝑓 𝑥 ”.

• Exemplo 3.6: Determinar 𝑚 de modo que 𝑓 𝑥


= 𝑥 3 − 4𝑥 2 + 𝑚𝑥 − 5 seja divisível por 𝑥 − 3.
Operações com Polinômios
(Exemplo)

Uma consequência importante do teorema do resto é o


teorema de D’Alembert: “Se 𝑎 (𝑎 ∈ 𝐶) é raiz de um polinômio
𝑓 𝑥 , então 𝑓 𝑥 é divisível por 𝑥 − 𝑎 e, reciprocamente, se
𝑓 𝑥 é divisível por 𝑥 − 𝑎, então 𝑎 é raiz de 𝑓 𝑥 ”.

• Exemplo 3.6: Determinar 𝑚 de modo que 𝑓 𝑥 =


𝑥 3 − 4𝑥 2 + 𝑚𝑥 − 5 seja divisível por 𝑥 − 3.
• Pelo teorema de D’Alembert, 𝑥 = 3 é raiz de 𝑓(𝑥),
isto é 𝑓 𝑥 = 0. Assim:
14
3𝑚 − 14 = 0 𝑚=
3
Operações com Polinômios

• Se realizarmos divisões
sucessivas pelo teorema de
D’Alembert, temos:
•𝑝 𝑥 = 𝑥−𝑎 ∙𝑞 𝑥 I
• 𝑞 𝑥 = (𝑥 − 𝑎) ∙ (𝑥 − 𝑏) ∙ 𝑞′(𝑥) II

Substituindo II em I, obtemos 𝑝 𝑥 = 𝑥 − 𝑎 ∙ 𝑥 − 𝑏 . 𝑞′(𝑥).


Desse modo, o produto 𝑥 − 𝑎 ∙ 𝑥 − 𝑏 corresponde a um fator
de 𝑝(𝑥), e, assim, 𝑝(𝑥) é divisível por (𝑥 − 𝑎) ∙ (𝑥 − 𝑏).
Operações com Polinômios

• Ainda baseado no teorema de D’Alembert podemos


utilizar um método mais rápido e prático para
efetuar divisões de polinômios, o chamado
dispositivo prático de Briot-Ruffini.
Demonstremos esse dispositivo, através da divisão de
𝑓 𝑥 = 𝑥 − 4𝑥 + 5𝑥 − 2 por 𝑔 𝑥 = 𝑥 − 3.
3 2

• 1º Passo: Calculamos a raiz do divisor 𝑔 𝑥 e, ao seu lado,


colocamos os coeficientes ordenados do dividendo 𝑓 𝑥 ,
segundo potências decrescentes de x:
Operações com Polinômios

• 2º Passo: Abaixamos o primeiro coeficiente do dividendo


(1) e o multiplicamos pela raiz do divisor (1 × 3 = 3).

• 3º Passo: Somamos o produto obtido com o coeficiente


seguinte (3 + −4 = −1). O resultado é colocado abaixo
desse coeficiente.
Operações com Polinômios

• 4º Passo: Com esse resultado (−1), repetimos as


operações (multiplicamos pela raiz e somamos com o
coeficiente seguinte), e assim por diante.

• O ultimo dos números obtidos no dispositivo ou algoritmo


de Briot-Ruffini é o resto da divisão. No exemplo do passo a
passo, 𝑟 = 4. Os demais números (1, −1,2) correspondem
aos coeficientes ordenados do quociente da divisão,
assim: 𝑞 𝑥 = 𝑥 2 − 𝑥 + 2.
Operações com Polinômios
(Exemplo)

• Exemplo 3.7: Fazer a divisão de 9𝑥 + 12𝑥


2
+ 4 por 𝑥 + 2.
Operações com Polinômios
(Exemplo)

• Exemplo 3.7: Fazer a divisão de 9𝑥 + 12𝑥 2


+ 4 por 𝑥 + 2.
• A raiz do divisor é dada por:
𝑥 + 2 = 0 → 𝑥 = −2
Assim, pelo dispositivo de Briot-Ruffini:

• Onde 𝑟 𝑥 = 16 e 𝑞 𝑥 = 9𝑥 − 6.
EQUAÇÕES ALGÉBRICAS
Equações Algébricas

• Equação algébrica ou polinomial é toda equação


redutível à forma 𝑝 𝑥 = 0, em que 𝑝 𝑥 = 𝑎𝑛 ∙ 𝑥 + 𝑛

𝑎𝑛−1 ∙ 𝑥 𝑛−1
+ ⋯ + 𝑎1 ∙ 𝑥 + 𝑎0 , com 𝑎𝑛 ≠ 0 , é um
polinômio de grau 𝑛, sendo 𝑛 ≥ 1, com coeficientes
em 𝐶, e cuja incógnita 𝑥 pode assumir qualquer valor
em 𝐶.
Exemplos
2
4𝑥 + 5 = 0 𝑥 − 2𝑥 + 8 = 0
2
3𝑥 + 𝑖𝑥 − 1 = 0
Equações Algébricas

• Os valores de 𝑥 que satisfazem uma equação


polinomial são chamadas de raízes da equação e
segundo o teorema fundamental da álgebra,
enunciado e provado por Carl Gauss (1777-1855):

“Todo polinômio de grau 𝑛, 𝑛 ≥ 1, admite ao menos


uma raiz complexa”.
Equações Algébricas

• Pelo teorema de D’Alembert cada raiz pode ser


escrita na forma de um fator 𝑝 𝑥 = (𝑥 − 𝑟), onde 𝑟
é raiz do polinômio. Generalizamos esse conceito
através do teorema da decomposição, que diz que:
Seja 𝑝(𝑥) um polinômio de grau 𝑛, 𝑛 ≥ 1, dado por:
𝑃 𝑥 = 𝑎𝑛 ∙ 𝑥 𝑛 + 𝑎𝑛−1 ∙ 𝑥 𝑛−1 + ⋯ + 𝑎1 ∙ 𝑥 + 𝑎0 .
Então, 𝑝(𝑥) pode ser decomposto em 𝑛 fatores do 1º grau
sob a forma:
𝑝 𝑥 = 𝑎𝑛 ∙ 𝑥 − 𝑟1 ∙ 𝑥 − 𝑟2 ∙ ⋯ ∙ (𝑥 − 𝑟𝑛 )
Em que 𝑟1 , 𝑟2 , … , 𝑟𝑛 são as raízes de 𝑝(𝑥) e 𝑎𝑛 é o coeficiente
dominante de 𝑝(𝑥).
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.8: Dada a função do segundo grau, que


é um polinômio de grau 2: 𝑓 𝑥 = 𝑥2 − 3𝑥 + 2 ,
calculemos suas raízes pela fórmula de Bhaskara:
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.8: Dada a função do segundo grau, que


é um polinômio de grau 2: 𝑓 𝑥 = 𝑥2 − 3𝑥 + 2 ,
calculemos suas raízes pela fórmula de Bhaskara:
∆= 𝑏2 − 4𝑎𝑐 = −3 2 − 4 ∙ 1 ∙ 2 = 9 − 8 = 1
−𝑏 ± ∆ −(−3) ± 1 3 ± 1
𝑥= = =
2𝑎 2 ∙ (1) 2
Logo, as raízes são:
3+1 4 3−1 2
𝑟1 = = =2 𝑟2 = = =1
2 2 2 2
𝑆 = {1, 2}.
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.8: Dada a função do segundo grau, que


é um polinômio de grau 2: 𝑓 𝑥 = 𝑥 2 − 3𝑥 + 2 ,
calculemos suas raízes pela fórmula de Bhaskara:
• Pelo teorema da decomposição, o polinômio de
grau 2 com 𝑎𝑛 = 1 pode ser escrito na forma
fatorada como:
𝑓 𝑥 = 𝑎𝑛 ∙ 𝑥 − 𝑟1 ∙ (𝑥 − 𝑟2 )
𝑓 𝑥 = (𝑥 − 1) ∙ (𝑥 − 2)
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.8: Dada a função do segundo grau, que


é um polinômio de grau 2: 𝑓 𝑥 = 𝑥 2 − 3𝑥 + 2 ,
calculemos suas raízes pela fórmula de Bhaskara:
• Para provar que essa multiplicação realmente
resulta no polinômio 𝑓 𝑥 , desenvolvamos:
𝑓 𝑥 = 𝑥−1 ∙ 𝑥−2
= 𝑥 ∙ 𝑥 + 𝑥 ∙ −2 + −1 ∙ 𝑥 + −1 ∙ −2
2 2
𝑓 𝑥 = 𝑥 − 2𝑥 − 𝑥 + 2 = 𝑥 − 3𝑥 + 2
𝑓 𝑥 = 𝑥 2 − 3𝑥 + 2
Equações Algébricas

• Algumas raízes podem apresentar valores iguais e


nesses casos, dizemos que uma determinada raiz
possui multiplicidade 𝑛, onde 𝑛 é o número de vezes
que essa raiz se repete.
• Por exemplo, quando temos duas raízes iguais a 2,
escrevemos:
𝑓 𝑥 = (𝑥 − 2) ∙ (𝑥 − 2)
• Ou quando a raiz é igual a 1 e possui multiplicidade 3,
escrevemos:
𝑓 𝑥 = (𝑥 − 1) ∙ (𝑥 − 1) ∙ (𝑥 − 1)
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.9: Calcular as raízes de 𝑓 𝑥 = 𝑥 −


2

4𝑥 + 4 e escrever o polinômio 𝑓 𝑥 na forma


fatorada.
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.9: Calcular as raízes de 𝑓 𝑥 = 𝑥 2 − 4𝑥


+ 4 e escrever o polinômio 𝑓 𝑥 na forma fatorada.
• O polinômio apresenta as raízes:
−𝑏 ± 𝑏 2 − 4𝑎𝑐 −(−4) ± (−4)2 − 4(1)(4) 4 ± 0 4
𝑥= = = = =2
2𝑎 2(1) 2 2

• O que significa que 𝑓 𝑥 = 𝑥 − 4𝑥 + 4 possui duas


2

raízes iguais.
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.9: Calcular as raízes de 𝑓 𝑥 = 𝑥 2 − 4𝑥


+ 4 e escrever o polinômio 𝑓 𝑥 na forma fatorada.
• Escrevendo na forma fatorada:
𝑓 𝑥 = (𝑥 − 2) ∙ (𝑥 − 2)
• Desenvolvendo:
𝑓 𝑥 = 𝑥 ∙ 𝑥 + 𝑥 ∙ −2 + −2 ∙ 𝑥 + (−2) ∙ (−2)
𝑓 𝑥 = 𝑥 2 − 2𝑥 − 2𝑥 + 4 = 𝑓 𝑥 = 𝑥 2 − 4𝑥 + 4
Equações Algébricas

• Ferramentas importantes no estudo das raízes de um


polinômio, as Relações de Girard são as relações
entre os coeficientes de uma equação polinomial e
suas raízes.
Equações Algébricas

• Ferramentas importantes no estudo das raízes de um


polinômio, as Relações de Girard são as relações
entre os coeficientes de uma equação polinomial e
suas raízes.
Equações Algébricas
Equações Algébricas
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.10. Resolva a equação 𝑥 3 − 8𝑥 2 + 19𝑥 − 12


= 0, sabendo que uma das raízes é igual à soma das
outras duas.
Equações Algébricas
(Exemplo)

2
• Exemplo 3.10. Resolva a equação 𝑥 − 8𝑥 + 19𝑥 −
3
12 = 0, sabendo que uma das raízes é igual à soma das
outras duas.
• Sejam 𝑟1 , 𝑟2 e 𝑟3 as raízes procuradas. Escrevendo as
relações de Girard, temos:
𝑏 − −8
𝑟1 + 𝑟2 + 𝑟3 = − = =8
𝑎 1
𝑐 19
𝑟1 𝑟2 + 𝑟2 𝑟3 + 𝑟1 𝑟3 = = = 19
𝑎 1
𝑑 − −12
𝑟1 ∙ 𝑟2 ∙ 𝑟3 = − = = 12
𝑎 1
Equações Algébricas
(Exemplo)

2
• Exemplo 3.10. Resolva a equação 𝑥 − 8𝑥 + 19𝑥 −
3
12 = 0, sabendo que uma das raízes é igual à soma das
outras duas.
• Do enunciado, temos que 𝑟1 = 𝑟2 + 𝑟3 . Substituindo na
primeira relação, temos:
𝑟1 + 𝑟2 + 𝑟3 = 8
𝑟1 + (𝑟1 ) = 8
2𝑟1 = 8 → 𝑟1 = 4
• Como, 𝑟1 = 4 é uma raiz, o polinômio 𝑥 3 − 8𝑥 2 + 19𝑥 −
12 = 0 é divisível por 𝑥 − 4
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.10. Resolva a equação 𝑥 3 − 8𝑥 2 + 19𝑥 − 12


= 0, sabendo que uma das raízes é igual à soma das
outras duas.
• Pelo Dispositivo de Briott-Ruffini:

• Temos, então o polinômio 𝑥 2 − 4𝑥 + 3 = 0.


Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.10. Resolva a equação 𝑥 3 − 8𝑥 2 + 19𝑥 − 12


= 0, sabendo que uma das raízes é igual à soma das
outras duas.
• As duas outras raízes são calculadas pela equação do
segundo grau resultante da divisão: 𝑥 2 − 4𝑥 + 3 = 0.
∆= 𝑏 2 − 4𝑎𝑐 = −4 2
− 4 1 3 = 16 − 12 = 4
−𝑏 ± ∆ − −4 ± 4 4 ± 2
𝑥= = = → 𝑥1 = 3 𝑒 𝑥2 = 1
2𝑎 2(1) 2
• Assim, o conjunto solução da equação é 𝑆 = 1, 3, 4 .
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.11. Resolva a equação 2𝑥 3 −13𝑥 2 +22𝑥 −


8 = 0 , sabendo que suas raízes são positivas e uma
delas é igual ao produto das outras duas.
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.11. Resolva a equação 2𝑥 3 −13𝑥 2 +22𝑥 −


8 = 0 , sabendo que suas raízes são positivas e uma
delas é igual ao produto das outras duas.
• Sejam 𝑟1 , 𝑟2 e 𝑟3 as raízes procuradas. Escrevendo as
relações de Girard, temos:
𝑏 − −13 13
𝑟1 + 𝑟2 + 𝑟3 = − = =
𝑎 2 2
𝑐 22
𝑟1 𝑟2 + 𝑟2 𝑟3 + 𝑟1 𝑟3 = = = 11
𝑎 2
𝑑 − −8
𝑟1 ∙ 𝑟2 ∙ 𝑟3 = − = =4
𝑎 2
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.11. Resolva a equação 2𝑥 3 −13𝑥 2 +22𝑥 − 8


= 0, sabendo que suas raízes são positivas e uma delas
é igual ao produto das outras duas.
• Do enunciado, temos que 𝑟1 = 𝑟2 ∙ 𝑟3 . Substituindo na
terceira relação, temos:
𝑟1 ∙ 𝑟2 ∙ 𝑟3 = 4
2
𝑟1 ∙ (𝑟1 ) = 4 → 𝑟1 =4 → 𝑟1 = 4 → 𝑟1 = 2
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.11. Resolva a equação 2𝑥 3 −13𝑥 2 +22𝑥 − 8


= 0, sabendo que suas raízes são positivas e uma delas
é igual ao produto das outras duas.
• Como, 𝑟1 = 2 é uma raiz, o polinômio 2𝑥 3 −13𝑥 2 +22𝑥 − 8
= 0 é divisível por 𝑥 − 2.

• Temos, então o polinômio 2𝑥 2 − 9𝑥 + 4 = 0.


Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.11. Resolva a equação 2𝑥 3 −13𝑥 2 +22𝑥 −


8 = 0 , sabendo que suas raízes são positivas e uma
delas é igual ao produto das outras duas.
• As duas outras raízes são calculadas pela equação do
segundo grau resultante da divisão: 2𝑥 2 − 9𝑥 + 4 = 0.
∆= 𝑏 2 − 4𝑎𝑐 = −9 2 − 4 2 4 = 81 − 32 = 49
−𝑏 ± ∆ − −9 ± 49 9 ± 7 1
𝑥= = = → 𝑥1 = 4 𝑒 𝑥2 =
2𝑎 2(2) 4 2
1
• Assim, o conjunto solução da equação é 𝑆 = , 2, 4 .
2
Equações Algébricas

• Quando resolvemos a equação 𝑥2 − 2𝑥 = 5 = 0 ,


encontramos as raízes
𝑥 = 1 + 2𝑖 𝑒 𝑥 = 1 − 2𝑖
• Essas duas raízes são números complexos conjugados.
Para todos os números complexos, podemos escrever o
teorema:
“Se um número complexo 𝑧 = 𝑎 + 𝑏𝑖, com 𝑏 ≠ 0, é raiz de
uma equação com coeficientes reais, então seu
conjugado 𝑧 = 𝑎 − 𝑏𝑖 também é raiz dessa equação.”
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.12: A equação 𝑥 2 + 𝑚𝑥 + 𝑛 = 0, com 𝑚 e 𝑛


coeficientes reais, admite 5 − 2𝑖 como raiz. Qual é a
outra raiz que essa equação possui? Quais são os valores
de 𝑚 e 𝑛?
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.12: A equação 𝑥2 + 𝑚𝑥 + 𝑛 = 0, com 𝑚 e 𝑛


coeficientes reais, admite 5 − 2𝑖 como raiz. Qual é a
outra raiz que essa equação possui? Quais são os valores
de 𝑚 e 𝑛?
• Como a equação apresenta coeficientes reais, se 5 − 2𝑖 é
raiz, então seu conjugado 5 + 2𝑖 também é raiz da equação.
• Usando as relações de Girard, é possível determinar 𝑚 e 𝑛.
𝑏
𝑟1 + 𝑟2 = −
𝑎
𝑐
𝑟1 ∙ 𝑟2 =
𝑎
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.12: A equação 𝑥2 + 𝑚𝑥 + 𝑛 = 0, com 𝑚 e 𝑛


coeficientes reais, admite 5 − 2𝑖 como raiz. Qual é a
outra raiz que essa equação possui? Quais são os valores
de 𝑚 e 𝑛?
• Da soma das raízes:
𝑏 𝑚
𝑟1 + 𝑟2 = − → 5 − 2𝑖 + 5 + 2𝑖 = − → 𝑚 = −10
𝑎 1
• Do produto das raízes:
𝑐 𝑛
𝑟1 ∙ 𝑟2 = → 5 − 2𝑖 ∙ 5 + 2𝑖 =
𝑎 1
5 − 2𝑖 ∙ 5 + 2𝑖 = 5 ∙ 5 + 5 ∙ 2𝑖 − 2𝑖 ∙ 5 − 2𝑖 2𝑖 = 𝑛
𝑛 = 25 + 10𝑖 − 10𝑖 − 4𝑖 2 = 25 − (−4) = 29
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.12: A equação 𝑥 2 + 𝑚𝑥 + 𝑛 = 0, com 𝑚 e 𝑛


coeficientes reais, admite 5 − 2𝑖 como raiz. Qual é a
outra raiz que essa equação possui? Quais são os valores
de 𝑚 e 𝑛

• Sendo 𝑚 = −10 e 𝑛 = 29, temos o polinômio:

𝑥 2 − 10𝑥 + 29 = 0
Equações Algébricas

• Nos exemplos anteriores foram dadas informações


sobre as raízes, e assim conseguimos encontra-las.
Quando temos equações de grau maior ou igual à 3 e
não temos nenhuma informação sobre as raízes,
podemos utilizar o teorema das raízes racionais:

“Seja a equação polinomial de coeficientes inteiros 𝑎𝑛 ∙ 𝑥 𝑛


+ 𝑎𝑛−1 ∙ 𝑥 𝑛−1 + ⋯ + 𝑎1 ∙ 𝑥 + 𝑎0 , com 𝑎 ≠ 0 . Se o número
𝑝
racional , 𝑝 ∈ 𝑍 e 𝑞 ∈ 𝑍 ∗ , com p e q primos entre si, é raiz
𝑞
dessa equação, então p é divisor de 𝑎0 e q é divisor de 𝑎𝑛 .”
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.13: Suponhamos que se queira


3
encontrar as três raízes da equação 3𝑥 − 7𝑥2 +
8𝑥 − 2 = 0.
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.13: Suponhamos que se queira


3
encontrar as três raízes da equação 3𝑥 − 7𝑥2 +
8𝑥 − 2 = 0.
• Se a equação tiver alguma raiz racional, ela será da
𝑝
forma 𝑞, em que p é divisor de 𝑎𝑛 = −2 e q é
divisor de 𝑎0 = 3 , isto é, 𝑝 ∈ {−1,1, −2,2} e 𝑞 ∈
−1,1, −3,3 .
• Assim, os candidatos a raízes racionais são:
1 1 2 2
+1, −1, + , − , +2, −2, + , −
3 3 3 3
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.13: Suponhamos que se queira


encontrar as três raízes da equação 3𝑥 3 − 7𝑥 2 + 8𝑥
− 2 = 0.
• Seja 𝑓 o polinômio dado, façamos as verificações:
𝑓 1 = 3(1)3 − 7 1 2
+8 1 −2=3−7+8−2=2
𝑓 −1 = 3(−1)3 − 7 −1 2
+ 8 −1 − 2 = −3 − 7 − 8 − 2 = −20
𝟐
𝟏 𝟏 𝟑 𝟏 𝟏 𝟏 𝟕 𝟖
𝒇 = 𝟑( ) − 𝟕 +𝟖 −𝟐= − + −𝟐=𝟎
𝟑 𝟑 𝟑 𝟑 𝟗 𝟗 𝟑
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.13: Suponhamos que se queira


encontrar as três raízes da equação 3𝑥 3 − 7𝑥 2 + 8𝑥
− 2 = 0.
• Seja 𝑓 o polinômio dado, façamos as verificações:
2
1 1 3 1 1 1 7 8 50
𝑓 − = 3(− ) − 7 − +8 − −2=− − − −2=−
3 3 3 3 9 9 3 9

𝑓 2 = 3(2)3 − 7 2 2
+ 8 2 − 2 = 24 − 28 + 16 − 2 = 10
𝑓 −2 = 3(−2)3 − 7 −2 2
+ 8 −2 − 2 = −24 − 28 − 16 − 2 = −70
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.13: Suponhamos que se queira


3
encontrar as três raízes da equação 3𝑥 − 7𝑥2 +
8𝑥 − 2 = 0.
• Seja 𝑓 o polinômio dado, façamos as verificações:
2
2 2 3 2 2 8 28 16 10
𝑓 = 3( ) − 7 +8 −2= − + −2=
3 3 3 3 9 9 3 9

2
2 2 3 2 2 8 28 16 34
𝑓 − = 3(− ) − 7 − +8 − −2=− − − −2=−
3 3 3 3 9 9 3 3
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.13: Suponhamos que se queira


3
encontrar as três raízes da equação 3𝑥 − 7𝑥2 +
8𝑥 − 2 = 0.
• Como, a condição para ser um número ser raiz é que ele
zere a equação, verificamos que a única raiz racional
dessa equação é 1/3.
1
• Como, 𝑟1 = é uma raiz, o polinômio 3𝑥 3 −7𝑥 2 +8𝑥 − 2 =
3
1
0 é divisível por 𝑥 −
3
Equações Algébricas
(Exemplo)

• Exemplo 3.13: Suponhamos que se queira


encontrar as três raízes da equação 3𝑥 3 − 7𝑥 2 + 8𝑥
− 2 = 0.
• As duas outras raízes são calculadas pela equação do
segundo grau resultante da divisão: 3𝑥 2 − 6𝑥 + 6 = 0.
∆= 𝑏 2 − 4𝑎𝑐 = −6 2 − 4 3 6 = 36 − 72 = −36
−𝑏 ± ∆ − −6 ± (−36) 6 ± 6𝑖
𝑥= = =
2𝑎 2(3) 6
𝑥1 = 1 + 𝑖 𝑒 𝑥2 = 1 − 𝑖
1
• Assim, 𝑆 = ,1 + 𝑖, 1 − 𝑖
3
Referências

• IEZZI, Gelson; DOLCE, Osvaldo; DEGENSZAJN, David;


PÉRIGO, Roberto; Matemática Volume Único. 5ª Edição.
Editora Atual, São Paulo, 2006.