Você está na página 1de 7

“PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ANÁLISE DO

COMPORTAMENTO”

Apostila com questões de estudo


das unidades 6 a 10
2

Questões de estudo para a unidade 6

1. Explique, de maneira geral, o que é esquema DRL (Nível 1). Dê um exemplo de esquema
DRL que ocorra na vida cotidiana (Nível 2).
2. Explique a diferença entre DRL de responder limitado e DRL de responder espaçado
(Nível 2).
3. Quanto ao procedimento, em que um DRL de responder espaçado é diferente de um
esquema FI (Nível 4)? Quanto ao procedimento, em que um DRL de responder espaçado
é diferente de um esquema FT (Nível 4)?
4. Descreva dois exemplos (um dos quais, ao menos, não extraído do livro) de como o DRL
poderia ser útil no tratamento de um problema comportamental (Nível 3).
5. Explique o que é esquema DRO (Nível 1). Dê um exemplo de esquema DRO que ocorre
na vida cotidiana (Nível 3).
6. Descreva a aplicação de um esquema DRO em uma situação de ensino infantil de acordo
com cada uma das diretrizes apontadas no capítulo (Nível 3).
7. Explique o que é esquema DRI (Nível 1). Dê um exemplo (Nível 2).
8. Qual é a diferença entre DRI e DRA?
9. O que acontece caso a freqüência do reforçamento em DRL, DRO ou DRI seja muito
baixa ou caso seja reduzida muito rapidamente (Nível 4)?
10. Descreva como o DRL funciona de maneira desvantajosa para pessoas que ignoram seus
efeitos (Nível 2). Dê um exemplo (Nível 2).
11. A que poderia ser atribuída a eficiência da contingência de reforçamento atrasada aplicada
aos comportamentos de falar alto de Felipe (Nível 2)?

Questões de estudo para a unidade 7

1. O que é um estímulo (Nível 1)? O que significa bom controle de estímulo (Nível 1)? Dê
um exemplo (Nível 2).
2. Defina SD e S∆ e dê um exemplo de cada (Nível 2). Identifique claramente qual o estímulo
e qual a resposta em cada exemplo (Nível 3).
3. Dê um exemplo (que não esteja no texto) de um estímulo que seja um SD para um
comportamento e um S∆ para outro comportamento (Nível 3).
4. Defina generalização de estímulo e dê um exemplo (Nível 2).
5. O que quer dizer classe de estímulos (Nível 1)? O que quer dizer comportamento
conceitual (Nível 1)? Descreva um exemplo de cada (Nível 2).
6. Qual a diferença básica entre generalização de estímulo envolvendo conceitos e
generalização de estímulo envolvendo classes de equivalência de estímulos (Nível 2)?
7. Ao considerar a escolha de um estímulo para ser usado como um SD para o
comportamento de outra pessoa, que perguntas você poderia se fazer a respeito de tal
estímulo (Nível 2)? Para cada uma das perguntas que você fez a si mesmo, apresente um
exemplo de sua experiência pessoal (Nível 3).
3

8. O que queremos dizer com a palavra erro num treino de discriminação de estímulos (Nível
2)? Considere a tarefa de ensinar uma criança a discriminar a posição de um grafo, faca e
colher à mesa. Descreva diferentes maneiras de rearranjar o treino no ambiente para
apresentar sinais distintos e para minimizar a probabilidade de erros (Nível 3).
9. O que são contingências de reforçamento (Nível 2)?
10. Dê um exemplo de como a ignorância sobre o treino de discriminação de estímulos pode
levar pais ou outros cuidadores a desenvolverem um comportamento indesejado numa
criança ou num adulto que esteja sob seus cuidados.
11. Com exemplos, estabeleça a diferença entre comportamento governado por regras e
comportamento modelado pelas contingências (Nível 2).
12. Através de exemplos, explique o que é significam reflexividade, simetria e transitividade
(Nível 2).
13. De que maneira estudos sobre equivalência de estímulos forneceram embasamento para
uma visão comportamental sobre o desenvolvimento da linguagem (Nível 2)?
14. O que quer dizer a expressão controle contextual (Nível 2)? Ilustre com um exemplo que
não foi mencionado no material (Nível 3).
15. Defina esvanecimento (Nível 1) e dê um exemplo não extraído do texto (Nível 3).
16. Descreva um exemplo, deste capítulo, em que a situação de treino permaneceu constante,
mas uma dimensão de estímulo específica foi esvanecida (Nível 2). Descreva um exemplo,
no qual a situação geral de treino foi esvanecida mas as tarefas de treino específicas
permaneceram relativamente constantes (Nível 2).
17. Descreva em detalhes como você poderia usar o esvanecimento para ensinar uma criança a
identificar corretamente uma maçã quando você apontar e perguntar “O que é isso?”
(Nível 2).
18. Defina “deixa” (Nível 1). Defina as cinco principais categorias de deixas (Nível 1). Dê um
exemplo de cada (Nível 2).
19. Defina deixa ambiental e descreva um exemplo que não seja do livro.
20. Defina deixa intra-estímulo (Nível 1)e descreva um exemplo que não seja do livro (Nível
3).
21. Defina deixa extra-estímulo (Nível 1)e descreva um exemplo que não seja do livro (Nível
3).
22. Imagine que você deve ensinar uma criança com severos problemas de desenvolvimento a
comer com uma colher. Descreva brevemente um programa no qual você use pelo menos
3 das 5 principais características das “deixas” e indique como cada uma das “deixas”pode
ser esvanecidas (Nível 3).
23. Quais dos procedimentos de remoção de deixas se encaixam à definição de esvanecimento
dada no início deste capítulo, e quais não se encaixam? Explique (Nível 4).

Questões de estudo para a unidade 8

1. Identifique os três estágios básicos de qualquer procedimento de modelagem (Nível 2), e


descreva-os através de um exemplo (Nível 2).
2. Descreva como você poderia usar o procedimento de esvanecimento para ensinar seu cão
a fazer um truque (Nível 3). Descreva como você poderia usar o procedimento de
4

modelagem para ensinar seu cão outro truque (Nível 3). A partir dos seus exemplos, faça
uma distinção clara entre esvanecimento e modelagem (Nível 4).
3. Explique como a modelagem envolve aplicações sucessivas dos princípios de reforçamento
positivo e extinção (Nível 1).
4. Qual um outro nome dado à modelagem (Nível 1)? Liste quatro dimensões do
comportamento que podem ser modelados (Nível 1). Dê dois exemplos para cada um deles
(Nível 2).
5. Em termos dos três estágios de um procedimento de modelagem, descreva como os pais
podem modelar o filho a dizer uma determinada palavra (Nível 2).
6. Defina modelagem (Nível 1). Para que se preocupar com modelagem (Nível 2)? Por que
não aprender apenas o uso direto de reforçamento positivo para aumentar um
comportamento (Nível 2)?
7. Descreva em detalhes um exemplo de como a modelagem pode ser usada acidentalmente
para desenvolver um comportamento indesejado (Nível 2). Dê um exemplo de como a
falha na aplicação da modelagem pode ter um resultado indesejado (Nível 2).
8. Por que é necessário evitar reforçar um número excessivo de vezes qualquer passo da
modelagem (Nível 2)? Por que é necessário evitar o sub-reforçamento de qualquer passo da
modelagem (Nível 2)?
9. Por que nos referimos ao reforçamento positivo e à extinção como sendo princípios e à
modelagem como sendo um procedimento (Nível 4)? (Dica: ver Capítulo 1)
10. Descreva como Scott e colegas usaram a modelagem para reduzir o ritmo cardíaco de um
homem que sofria de ansiedade crônica (Nível 2).
11. Descreva como a tecnologia de computador poderia ser usada para modelar movimentos
específicos de membros, em uma pessoa paralisada (Nível 5). Descreva como a tecnologia
de computador poderia ser usada para estudar a modelagem de forma mais precisa do que
é possível com os procedimentos de modelagem normais (Nível 5).
12. Descreva um experimento demonstrando que um comportamento de desadaptação pode
ser modelado (Nível 2).
13. Descreva ou defina cadeia comportamental (Nível 1), e dê um exemplo diferente dos
exemplos deste capítulo (Nível 3).
14. Em uma cadeia, um dado estímulo é tanto SD quanto reforçador condicionado. Explique
com um exemplo (Nível 4).
15. Usando exemplos, mostre a diferença entre seqüência comportamental que seja uma cadeia
e uma que não seja uma cadeia (Nível 2).
16. Nomeie (Nível 1) e descreva (Nível 2) resumidamente os três principais métodos de
encadeamento. Descreva como cada um desses três métodos principais pode ser usado
para ensinar a arrumar uma cama (Nível 3).
17. Qual desses métodos principais os autores recomendam (Nível 1) e por quê (Nível 2)?
18. Estabeleça a diferença entre os tipos de comportamento final tipicamente estabelecidos
pela modelagem, pelo esvanecimento e pelo encadeamento (Nível 2).
19. Qual o significado do termo análise de tarefa (Nível 1)? Descreva uma análise de tarefa
plausível apropriada para ensinar a uma criança de três anos o comportamento de amarrar
os sapatos (Nível 3).
20. Dê um exemplo de uma cilada do encadeamento (Nível 2). Explique como tal cilada pode
ser evitada (Nível 2).
21. Descreva um exemplo de cadeia incidental que não esteja neste capítulo (Nível 3).
22. Descreva o método de encadeamento por partes (Nível 1). Em que ele difere do modelo de
encadeamento para a frente (Nível 4)?
5

Questões de estudo para a unidade 9

1. O que é um evento ou estímulo punitivo (Nível 1)? Cite o princípio da punição (Nível 1).
Descreva quatro tipos diferentes de eventos punitivos, ilustrando cada um com um
exemplo (Nível 2).
2. Defina estímulo aversivo condicionado (Nível 1) e ilustre com um exemplo (Nível 2).
3. Estabeleça a distinção entre timeout com e sem retirada do ambiente (Nível 2).
4. Quais são os problemas com o aumento gradual da intensidade do estímulo aversivo em
várias aplicações deste estímulo (Nível 2)?
5. Em relação ao procedimento, descreva as diferenças entre extinção, custo da resposta e
timeout com retirada do ambiente (Nível 4).
6. Que passos você poderia seguir para determinar experimentalmente se uma repreensão
verbal foi punitiva para determinada criança (Nível 5)?
7. Como indicado na seção diretrizes do capítulo 12, quais são os quatro problemas do
professor usar punição (Nível 1)?
8. Cite seis efeitos colaterais potencialmente prejudiciais da aplicação da punição (Nível 2).
9. Descreva um exemplo que ilustre como a punição é aplicada por pessoas que não estão
cientes de que o estão fazendo (Nível 2).
10. Compare as contingências atuais para dirigir em alta velocidade em sua cidade com as
diretrizes para o uso efetivo da punição identificando pelo menos duas diretrizes que são
ignoradas por aqueles que fazem as leis e policiais e, pelo menos duas diretrizes que são
seguidas por eles (Nível 4).
11. Defina condicionamento por fuga (Nível 1) e descreva um exemplo não extraído do livro
(Nível 3). Em que o condicionamento por fuga é semelhante à punição (Nível 1)? Quanto
ao procedimento, quais as duas diferenças entre eles (Nível 2)? No que diferem seus efeitos
(Nível 1)?
12. Em relação ao procedimento, quais as duas diferenças entre condicionamento por fuga e
reforçamento positivo (Nível 4)? Em que os seus efeitos são semelhantes (Nível 4)?
13. Em relação ao procedimento, quais as duas diferenças entre condicionamento por fuga e
condicionamento por esquiva (Nível 2)?
14. Em que os reforçadores positivos condicionados e os eventos punitivos condicionados são
semelhantes e em que diferem (Nível 4)? Dê dois outros nomes para eventos punitivos
condicionados (Nível 1).
15. Descreva dois exemplos de condicionamento por fuga na vida cotidiana (Nível 2). Descreva
dois exemplos de condicionamento por esquiva na vida cotidiana (Nível 2).
16. Em que um estímulo de aviso se parece com um SD (Nível 4)? Em que diferem (Nível 4)?
17. Explique como o condicionamento por fuga pode manter o comportamento de um adulto
de responder inadequadamente ao retraimento social extremo de uma criança (Nível 4).
18. Descreva três tipos de conseqüências imediatas que podem manter respostas de esquiva
(Nível 2).
19. Descreva brevemente pelo menos três ciladas de fuga e esquiva (Nível 2). Dê um exemplo
de cada não extraído do material (Nível 2-3).
20. O que é condicionamento por esquiva de Sidman (Nível 1)? Dê um exemplo da vida
cotidiana (Nível 2).
6

Questões de estudo para a unidade 10

1. A que fato fundamental do comportamento se refere o termo condicionamento operante


(Nível 2)? Explique o princípio do condicionamento respondente (Nível 1). Descreva
claramente dois exemplos de condicionamento respondente (Nível 2).
2. Com uma sentença cada, descreva brevemente cinco variáveis que influenciam o
desenvolvimento de um reflexo condicionado (Nível 2).
3. Descreva um exemplo de contracondicionamento que não seja extraído do texto
(Nível 3).
4. Explique o princípio e descreva um exemplo de extinção respondente (Nível 2).
5. Descreva o processo de contracondicionamento (Nível 2). Descreva um exemplo de
contracondicionamento que não seja extraído do texto (Nível 3).
6. Discuta se todo estímulo é capaz de se tornar um CS (Nível 2).
7. Compare o condicionamento respondente e operante em termos do comportamento,
reforçamento e extinção (Nível 2).
8. Descreva o procedimento básico e a racional da terapia de aversão. Dê um exemplo de
terapia de aversão (Nível 2). Por que apenas profissionais competentes deveriam usar a
terapia de aversão (Nível 2)?
9. Descreva um procedimento de condicionamento respondente para o tratamento de
enurese (Nível 2). Identifique o US, a UR, o CS e a CR (Nível 3).
10. Explique como o condicionamento respondente e o condicionamento operante podem
interagir para levar um indivíduo a fugir ou se esquivar de um determinado estímulo.
Utilize exemplos para tornar clara sua explicação (Nível 2).
11. Descreva reflexos incondicionados que parecem caracterizar as emoções de medo, raiva e
alegria.
12. No experimento com Albert, qual era o US? E a UR? E o CS? E a CR (Nível 3)?
13. Estudos interculturais sobre as emoções sugerem que as emoções são universais e culturais.
Como podemos explicar tal aparente contradição (Nível 4)?
14. Descreva um exemplo de pensamento respondente que não seja extraído do livro.
Descreva um exemplo de pensamento operante que não seja extraído do livro (Nível 3).
15. Descreva quatro causas de emoções (Nível 1). Dê um exemplo de cada (Nível 2) e o nome
dos rótulos usuais para essas emoções (Nível 1).
16. Descreva um comportamento não descrito no livro que ilustre como o pensamento
operante pode funcionar como um CS para eliciar o componente respondente da emoção
(Nível 3).
17. Modificadores de comportamento negam a existência e a importância de pensamentos e
sentimentos. Discuta (Nível 2).
18. Considere uma emoção que freqüentemente você experiencia. Descreva como
experimentar essa emoção inclui tanto respostas respondentes quanto operantes (Nível 4).
19. Defina ou descreva e dê um exemplo de generalização da resposta devido à: a) semelhança
física das respostas (Níveis 1 e 2); b) aprendizagem de respostas conceituais (Níveis 1 e 2); c)
respostas funcionalmente equivalentes (Níveis 5 e 2).
20. Liste três aspectos para programar generalização de estímulos operante (Nível 1).. Dê um
exemplo de cada aspecto (Nível 2).
21. Explique a diferença entre generalização de estímulos e discriminação de estímulos (Nível
4). Descreva dois exemplos que ilustrem a diferença (Nível 3).
7

22. Descreva brevemente quatro táticas para programar a generalização de estímulos operante
(Nível 2). Dê um exemplo de cada (Nível 2,3).
23. Descreva brevemente duas táticas para programar a generalização da resposta operante
(Nível 2). Dê um exemplo de cada (Nível 2).
24. Descreva brevemente quatro táticas para programar a manutenção do comportamento
operante em uma situação alvo (Nível 2). Dê um exemplo de cada (Nível 2,3).
25. Explique brevemente por que as considerações sobre generalização do comportamento
respondente diferem daquelas que se referem ao comportamento operante.
26. Dê um exemplo de uma cilada da: a) generalização de estímulos (Nível 2); b) generalização
de resposta (Nível 3) e c) manutenção de comportamento (Nível 3).