Você está na página 1de 143

Tecido conjuntivo

Características
• Diversos tipos de células;
• Grande quantidade de matriz extracelular,
fibras e substância amorfa;
• É vascularizado (exceto o cartilaginoso).
Funções

• Conectar tecidos;
• Preenchimento de espaços;
• Sustentação estrutural;
• Transporte e defesa.
Tecido conjuntivo
• Células e Matriz extracelular;
• Matriz produzida pelas células;
• Matriz: Substância fundamental amorfa e Fibras
proteicas.
Estrutura do Tecido Conjuntivo
1. Células;

2. Fibras;
Matriz
Extracelular

3. SFA.
Substância amorfa

● Parte da matriz extracelular: Circunda as células e as


fibras do tecido conjuntivo;
● Formada principalmente por água, polissacarídeos e
proteínas;

● Pode assumir consistência rígida, como por exemplo,


no tecido ósseo; e mais líquida, como é o caso do
plasma sanguíneo;
Fibras proteicas
Fibras proteicas

Fibras elásticas: glicoproteinas e elastina (elasticidade)

Fibras colágenas: tem colágeno (resistente à Fibras reticulares: tem colágeno e são mais
tração). Fibra mais abundante, encontrada na pele, finas. Encontrada na medula óssea vermelha
tendões, ligamento, músculo... e baço.
As Fibras do Conjuntivo
Colágenas

 São compostas pela proteína colágeno;


 São grossas e resistentes e se distende
pouco quando tensionadas;
 Localizam-se em tendões;
 Presente na derme para conferir
resistência.
As Fibras do Conjuntivo
Elásticas
 São longos fios de uma proteínas chamada
Elastina;
 Conferem elasticidade;
 Fibras elásticas: grossas em idosos.
As Fibras do Conjuntivo
Reticulares
 São ramificadas
e formam um
trançado que
liga o tecido
conjuntivo aos
tecidos vizinhos;
 São constituídas
por um tipo
especial de
colágeno e
formam fibras
mais finas.
Classificação: natureza da substância fundamental e tipo de
organização das fibras.

Conexão e
preenchimento
Tecido conjuntivo propriamente dito
Tecido conjuntivo frouxo:

-Diversos tipos de células;


- Pouca quantidade de fibras.
Localização tecido conjuntivo frouxo:

- Derme;
- Cicatrizes;
- Ao redor dos nervos;
- Ao redor de órgãos do corpo.

PRINCIPAL FUNÇÃO PREENCHIMENTO


Histologia
Células do tecido conjuntivo frouxo
Histologia
Células do tecido conjuntivo frouxo

Células residentes

Fibroblasto: produzem fibras


de colágeno.

Plasmócitos: produz
anticorpos.

Macrófago: fagocita bactérias.


As Células do Conjuntivo
Fibroblasto
 Sua função é formar a substância Fundamental Amorfa;
 Contém longos e finos prolongamentos citoplasmáticos e núcleos grandes;
 Sintetiza o Colágeno.
As Células do Conjuntivo
Macrófago
 Células de grande dimensão;
 Responsável pela fagocitose;
 Remove restos celulares e combate organismos invasores.
As Células do Conjuntivo
Plasmócito
 Sua função é produzir anticorpos contra sustâncias e organismos
estranhos que invadem o tecido conjuntivo;
 Mais comum em locais sujeitos a penetração de bactérias, como no
intestino e a pele.
Histologia
Células do tecido conjuntivo frouxo

• Células transitórias (que migram do sangue)


- Neutrófilos;
- Eosinófilos;
- Monócitos;
- Linfócitos.

DIAPEDASE: migração de células do sangue para


o tecido
Histologia
Tecido conjuntivo denso não-modelado ou fibroso
• Grande quantidade de fibras;
• Não tem forma definida;
• Fibras entrelaçadas e sem
orientação (resistência a
tração em qualquer direção);
• Fibras colágenas.

OBS: tecido responsável pelo processo de


cicatrização. Cicatriz ou fibrose- áreas de
tecido fibroso resultado de uma lesão ou
corte cirúrgico na derme.
Histologia
Tecido conjuntivo denso não-modelado ou fibroso
Histologia
Tecido conjuntivo denso não-modelado ou fibroso

Cápsulas fibrosas: rins, baço,


Derme fígado.
Histologia
Tecido conjuntivo denso modelado
• Predomínio de fibras
sobre as células;
• Fibras colágenas em uma
mesma direção (tração
em uma única direção)

OBS: fornece forte inserção entre


diversas estruturas (muitas resistência
e pouca elasticidade).
Histologia
Tecido conjuntivo denso modelado
Núcleo dos fibroblastos

Fibras colágenas
Histologia
Tecido conjuntivo denso modelado

Tendão: liga músculo com osso


Ligamento: liga osso com osso
Histologia
Tecido conjuntivo adiposo
• Considerado um tipo
especial de tecido
conjuntivo frouxo;
• Células especializadas em
armazenamento de
gordura: ADIPÓCITOS;
• Reserva energética,
proteção contra choques
mecânicos, isolante
térmico;
Em torno do coração e rins

Hipoderme Atrás dos globos oculares


Histologia
Tecido conjuntivo adiposo
Histologia
Tecido conjuntivo adiposo
Atenção: tecido adiposo não forma a pele
Histologia
Tecido conjuntivo cartilaginoso

-ÚNICO tecido conjuntivo AVASCULAR

- Nutrição é pelo pericôndrio – DIFUSÃO (Tecido


conjuntivo denso não-modelado)

- Células ficam em lacunas (sem comunicação)


PERICÔNDRIO

Pericôndrio

 Tecido
conjuntivo denso

Nutrição e
oxigenação da
cartilagem
Histologia
Tecido conjuntivo cartilaginoso

- Encontrada no nariz, traqueia, brônquios, orelha externa,


disco intervertebral.
Histologia
Tecido conjuntivo cartilaginoso

- Condroblasto: Secretam fibras e matriz extracelular;


- Condrócitos: Condroblastos depois da retração do
volume;
- Condroplastos: lacuna moldada durante a deposição da
matriz extracelular.
Histologia
Tecido conjuntivo cartilaginoso
Condroblasto

Condrócitos
TIPOS DE CARTILAGEM

 CARTILAGEM HIALINA

 CARTILAGEM ELÁSTICA

 CARTILAGEM FIBROSA
CARTILAGEM HIALINA
•Mais comum no corpo humano;

•Poucas fibras colágenas;

• Forma o primeiro esqueleto do embrião

• Constitui o disco epifisário

• Localização: fossas nasais, laringe, traquéia e


brônquios, costelas e superfícies articulares dos ossos
longos
Diminui atrito nas
articulações

Disco
epifisário

Desaparece entre 18 e
20 anos
CARTILAGEM ELÁSTICA
• Possuem muitas fibras elásticas;

•Localização: pavilhão auditivo, epiglote.


CARTILAGEM FIBROSA
• Possuem muitas fibras colágenas;

• Encontrada nos discos intervertebrais (amortece os


choques mecânicos) e sínfise púbica.
Regeneração: a cartilagem lesionada regenera-se com dificuldade
(exceto em crianças de pouca idade);
- Atividade do pericôndrio (células mensênquimais);
- Área destruída extensa: o pericôndrio, em vez de formar novo
tecido cartilaginoso, forma uma cicatriz de tecido conjuntivo
denso.
Histologia
Tecido conjuntivo cartilaginoso

Doenças relacionadas à cartilagem

Deformação da cartilagem e
Hérnia de disco Artrose
infecções
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo
Tecido ósseo NÃO é osso!
Osso é órgão!

Ossos: órgãos ricos em vasos


sanguíneos.
Além do tecido ósseo, apresentam
outros tipos de tecido: adiposo,
nervoso e cartilaginoso.
Osso: inervado e irrigado
(sensibilidade, alto metabolismo e
capacidade de regeneração).
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

• Matriz extracelular rígida com sais de cálcio,


fósforo e magnésio (70%) e fibras colágenas
(certa flexibilidade – 30%);
• Células em lacunas.
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

Osso compacto: sem cavidades


Osso esponjoso: com cavidades

Classificação macroscópica
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

Osteônios
Canalículos:
comunicação
entre os
osteócitos
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

Canais perfurantes (canais de Volkmann)


Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

• Osteoblastos: células jovens com prolongamentos


citoplasmáticos que produzem a matriz extracelular;
• Osteócitos: células maduras, sem prolongamentos;
• Osteoplastos: lacunas que encontram-se os
osteócitos;
• Osteoclastos: células multinucleadas gigantes que
destroem áreas lesadas ou envelhecidas.
• Osteônios (ou sistema haversiano): camadas
concêntricas de matriz óssea mineralizada, ao redor
de um canal central (antigo canal de havers);
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

Osteônios

Canais perfurantes (canais de Volkmann)

Periósteo:Tecido conjuntivo denso não-modelado.


Revestimento osso, auxilia fixação dos músculos, células osteoprogenitoras
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

Osteoblasto Osteócito Osteoclasto


Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

Vídeo
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo

Sistema de
Canal central: por onde
Haversiano ou
passam nervos e vasos.
osteônios

Periósteo (tecido
conjuntivo fibroso):
Revestimento do osso. Onde
se encontram células
osteoprogenitoras
(indiferenciadas).
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo
Tipos de ossificação

Endocondral
Diminui atrito nas
articulações

Disco
epifisário

Desaparece entre 18 e
20 anos
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo
Tipos de ossificação

Intramembranoso
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo
Regeneração óssea de fraturas
1° Remoção de coágulos, matriz óssea destruída e
osteócitos mortos, por meio dos osteoclastos e
macrófagos;

2° Células indiferenciadas do periósteo invadem o


local e passam a se multiplicar ativamente,
diferenciado-se em osteoblastos e osteócitos;

3° Forma-se, inicialmente, um tecido ósseo


desordenado, denominado “calo ósseo”;

4° Com o passar do tempo, os osteônios vão se


organizando e o tecido ósseo assume a estrutura
típica.
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo
Função hematopoiética
Trabéculas ósseas: preenchida pela medula óssea vermelha
Medula amarela
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo
Função: armazenamento de gordura, formação do
esqueleto, armazenamento de cálcio
Histologia
Tecido conjuntivo ósseo
Doenças relacionadas aos ossos

Osteoporose Desvios de coluna


Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo
- Diversos tipo de células;
- Grande quantidade de matriz
extracelular;
- Poucas fibras (reticulares).
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo

- Transporte de gases (O2, CO2), nutrientes, excretas e hormônios;


- Defesa do organismos;
- Homeotermia.
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo
Locais de destruição das células do
Locais formadores de células do sangue
sangue

Fígado

Medula óssea vermelha (ossos pélvicos,


esterno, costelas, clavícula, epífise de
ossos longos)

Baço
Recém-nascidos: maioria dos ossos é
preenchida por grande quantidade de medula
vermelha.

A coloração vermelha deve-se ao elevado


número de glóbulos vermelhos em formação
no local.

A maior parte da medula vai


perdendo sua função. Torna-se
gordurosa e amarelada, recebendo
então o nome de medula amarela.
Medula óssea amarela:
Rica em células gordurosas
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo
Composição:

-Água, sais minerais, vitaminas, aminoácidos, triglicérides,


colesterol;
-Gases (O2, CO2);
- Excretas;
- Hormônios;
- Proteínas (anticorpos, albumina, fibrinogênio, enzimas)

Porção celular

Transportar
substâncias e
eliminar resíduos
do metabolismo
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo

Células do sangue
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo

Eritrócitos ou glóbulos vermelhos


Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo

Eritrócitos/glóbulos vermelhos/hemácias

- Origem: Medula óssea vermelha;


- Anucleadas (mamíferos), disco bicôncavo (mamíferos), flexíveis,
interior dos vasos sanguíneos
Hemoglobina
- Proteína dos glóbulos vermelhos que possui ferro;
- Transporta gases;
- Dá cor vermelha à hemácia.
Anemia por carência de ferro

- Baixa quantidade de glóbulos vermelhos devido pouco ferro no organismo


Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo

Leucócitos ou glóbulos brancos


São cinco tipos:
- Neutrófilo;
- Eosinófilo;
- Basófilo;
- Monócito;
- Linfócito.

Células nucleadas produzidas


na medula óssea e encontradas
no sangue, com formato
esférico, tamanho e volume
superiores às hemácias.
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo

Leucócitos ou glóbulos brancos


• Função: proteger o organismo contra agentes patológicos,
utilizando para isso a produção de anticorpos.

• Aumento do tamanho de gânglios: Ação de defesa


(existência de infecções).
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo

Leucócitos ou glóbulos brancos


• Age como um organismo vivo independente e unicelular,
com capacidade de locomoção e de capturar
microrganismos por conta própria.
• Pessoa sadia: 5 e 11 mil leucócitos por ml de sangue.
• Pessoal infectada: esta quantidade pode triplicar.
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo

Leucócitos ou glóbulos brancos


• Pus: grande massa de leucócitos juntamente a outros resíduos.
• Diapedese: Leucócitos deixam a circulação sanguínea em
direção ao tecido conjuntivo, atraídos por substâncias químicas
liberadas pelos micro-organismos.
Os leucócitos são classificados de acordo com a granulosidade do citoplasma : granulócitos
e agranulócitos.

Granulócitos: são classificados


em três tipos, conforme a
afinidade dos grânulos:
neutrófilos, eosinófilos e
basófilos.

Agranulócitos: podem ser


monócitos e linfócitos.
Neutrófilos
- São os mais numerosos (55 a 65% do total de leucócitos);
- Neutrófilos jovens - “neutrófilos em bastonete”;
- Neutrófilos mais velhos - “neutrófilos segmentados”.
- São móveis e fagocitários;
- São a primeira linha de defesa do organismo, já que são atraídos pela
quimiotaxia até os micro-organismos patogênicos, destruindo-os.
• Vídeo neutrófilo
Basófilos
- Normalmente em pequeno número(0,5% do total de leucócitos);
- Possuem um núcleo irregular em forma de “S”, evoluem para MASTÓCITOS;
- Os basófilos são móveis e fagocitários: Ligado a processos alérgicos e
inflamatórios;
- Heparina : anticoagulante / Histamina: Vasodilatador (facilita saída das
células de defesa)
Eosinófilos
- Com núcleo bilobado e com o citoplasma preenchido por muitos grânulos
róseos;
- Móveis e fagocitários, atuam nos organismos envolvidos por reações
alérgicas;
- Infecções de vermes parasitas;
- Produz anti-histamínico.
• Vídeo eosinófilos
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo
Leucócitos ou glóbulos brancos
Linfócitos
- Núcleo regular e que ocupa quase todo o volume da célula;
- Ativamente móveis, circulam sempre através do sangue,
pelos linfonodos, baço e tecido conjuntivo;
- Sua função é garantir imunidade aos organismos.
Linfócitos
- Os linfócitos são classificados em “T” e “B”.
- Os linfócitos T possuem um ciclo de vida maior, podendo chegar a anos,
formando-se na medula óssea e migrando posteriormente até o timo.
- Os linfócitos B vivem menos, algumas semanas, e também são formados
na medula óssea.
- Migram pro tecido e voltam para o sangue
Linfócitos B

-Linfócitos B: Produção de anticorpos


-Linfócitos de memória: Células B que não
se diferenciam em plasmócitos. Essas
células reagem quando o corpo se expõe Produtor de anticorpos
novamente ao mesmo antígeno.
 Há ação de anticorpos produzidos por linfócitos B ou plasmócitos.

Plasmócitos = Linfócitos B
maduros

Produção de anticorpos
específicos que se ligam
ao antígeno da bactéria

Bactéria com
ação inativada
Linfócitos T
• Divididos em:
- Auxiliares CD4 (T helper): Estimula
transformação de linfócito B em plasmócitos e os
linfócitos citotóxicos
- Citotóxicos CD8 (célula Killers ou Natural Killers):
Libera toxinas para matar diretamente os
invasores. Maiores do que os linfócitos B e T que
iniciam o combate assim que formadas na medula
óssea, não necessitando de maturação.
- Inibidores e supressores: Diminuem atividade do
sistema imune.
 Não utiliza anticorpos
 É mediada diretamente por Linfócitos T CD8 “Killer” (Matadores).
 Atuação sobre células cancerígenas ou infectadas por vírus.

Linfócitos T CD8
Killer
Linfóticos T CD8 – Killer
Perforina
o Reconhecem células
cancerígenas ou infetadas
por vírus. Célula infectada
por vírus ou
o Lançam sobre essas cancerígena
células (perforina) que
promove a lise celular. Lise (morte) celular
Monócitos
- Células grandes com núcleo na forma de ferradura.
- Ativamente móveis, os monócitos saem da circulação
sanguínea para chegar ao tecido conjuntivo, tornando-
se macrófagos.
- São ativos na fagocitose de micro-organismos
patogênicos.
Apresenta
antígenos ao
linfócito T CD4
 Apresentação do antígeno (macrófagos)
 Reconhecimento do antígeno por Linfócitos T CD4 (Auxiliadores)
Ação dos fagócitos

Neutrófilos e Monócitos
migram para o tecido
Pele Farpa Bactérias (Diapedese)

Bactérias

Bactérias
mortas

Capilar
sanguíneo
Mastócitos Histamina Macrófagos e Neutrófilos
Histamina induz
(basófilos) difunde-se para fagocitam as bactérias
vasodilatação
liberam os capilares
histamina
• Vídeo: HIV no sangue
Antígenos Célula infectada
Resumo por vírus
1
Macrófago 1
Fagocita e apresenta Macrófago
antígenos a linfócitos CD 4
2 Linfócito B
Linfócito CD4 (Auxiliador)
Produz substâncias que
2
ativam a diferenciação de Linfócito T CD4
linfócitos B e Linfócitos T
CD8 (Citotóxico) “Killer” 3
3
Linfócito B
Recebe estímulos e se liga Linfócito T CD8
ao antígeno. Se diferencia “Killer”
em plasmócito e produz Células de Memória
anticorpos específicos. Lise celular

3 Plasmócito
Antígenos Célula infectada
Resumo por vírus
4
Linfócito T CD 8 (Citotóxico)
Recebe estímulos de
1
Linfócitos T CD4 ou identifica Macrófago
células infectadas por vírus
ou anormais e as destroem. Linfócito B
5 2
Células de Memória Linfócito T CD4
Surgem da diferenciação de
linfócitos B e T. 3
Permanecem no organismo
5
5
durante anos e podem 4
responder rapidamente a um
segundo contato com o
5 Linfócito T CD8
antígeno.
Células de Memória
Células de Memória Lise celular
Guardam durante anos a
capacidade de reconhecer 3 Plasmócito
antígenos específicos.
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo
Plaquetas

Plaquetas
Plaquetas
• Fragmentos de células da medula óssea (não possuem
núcleo);
• Origem plaquetas- Megacariócitos
• Envolvidas na coagulação do sangue- Ajuda formar
coágulos (TAMPÃO PLAQUETÁRIO).
Plaquetas
secretam
tromboplastina
Histologia
Tecido conjuntivo hematopoiético ou sanguíneo
Coagulação do sangue

Vídeo
Seminários
• Doenças do Tecido conjuntivo;
• 10 minutos de apresentação;
• Grupos de no máximo 4 alunos;
• Data: 18/05;
• Nota de prova: 0 a 10;
TEMAS
• Leucemia;
• Anemia hereditária e adquirida;
• Hemofilia;
• Osteoporose;
• Hérnia de disco;
• Artrose;
• Artrite;
• Obesidade.
O hematócrito é a percentagem de sangue que é constituída de
células. O hematócrito de três amostras de sangue está ilustrado
nos tubos 1, 2 e 3, cujas partes escuras representam as células.
As células foram sedimentadas, nos tubos graduados, por meio
de centrifugação. A linha tracejada representa o nível do
hematócrito de um indivíduo normal, vivendo ao nível do mar.
Uma das amostras de sangue foi obtida de um indivíduo normal,
que morava há vinte anos numa cidade localizada a 4500m
acima do nível do mar. Qual amostra provém desse indivíduo?
Justifique sua resposta.
O sangue dos mamíferos é um tecido conjuntivo que se caracteriza por apresentar substância
intercelular em estado líquido, o plasma, que transporta
diferentes "elementos figurados". Dentre os elementos figurados estão as hemácias. Sobre elas
podemos afirmar:
a) são células achatadas, sem núcleo, que depois de formadas no tecido hematopoiético,
permanecem na corrente sangüínea durante toda a vida do animal.
b) são células pequenas e esféricas, sem núcleos, presentes em pequeno número, mas capazes
de transportar grandes quantidades de oxigênio.
c) são células pequenas e achatadas que apresentam grande capacidade reprodutiva na corrente
sangüínea e, por isso, estão presentes em grande número.
d) são células que se apresentam convexas, o que garante maior eficiência no transporte dos
gases respiratórios.
e) são células bicôncovas, anucleadas, flexíveis, responsáveis pelo transporte dos gases
respiratórios.

Doses intensas de radiação ionizante podem danificar a medula óssea e tomar uma pessoa
anêmica. Nesse caso a razão da anemia é que a medula óssea
a) é a fonte do iodo necessário à síntese da hemoglobina.
b) é a fonte do ferro necessário à síntese da hemoglobina.
c) é a fonte dos aminoácidos essenciais para a síntese dos anticorpos.
d) contém as células tronco que se diferenciam em hemácias.
e) contém as células tronco que se diferenciam em plaquetas.
As plaquetas são fragmentos de células produzidos na medula óssea. Elas relacionam-
se principalmente com:
a) a fagocitose de organismos invasores.
b) a produção de heparina e histamina.
c) a produção de anticorpos.
d) a coagulação sanguínea.
e) o transporte de oxigênio

Nos esquemas a seguir estão relacionados às reações básicas de dois importantes


mecanismos fisiológicos:
O número 1 representa:
a) ATP.
b) Fosfocreatina.
c) Íons cálcio.
d) Íons magnésio.
e) Oxigênio.
6) Um paciente deu entrada em um pronto-socorro apresentando os seguintes
sintomas: cansaço, dificuldade em respirar e sangramento nasal. O médico solicitou
um hemograma ao paciente para definir um diagnóstico. Os resultados estão
dispostos na tabela:

Relacionando os sintomas apresentados pelo paciente com os resultados de seu


hemograma, constata-se que:
a) o sangramento nasal é devido à baixa quantidade de plaquetas, que são
responsáveis pela coagulação sanguínea.
b) o cansaço ocorreu em função da quantidade de glóbulos brancos, que são
responsáveis pela coagulação sanguínea.
c) a dificuldade respiratória decorreu da baixa quantidade de glóbulos vermelhos, que
são responsáveis pela defesa imunológica.
d) o sangramento nasal é decorrente da baixa quantidade de glóbulos brancos, que
são responsáveis pelo transporte de gases no sangue.
e) a dificuldade respiratória ocorreu pela quantidade de plaquetas que são
responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue.
Suponha que um médico, analisando um hemograma, tenha detectado que certo
indivíduo apresentava anemia, tendência a hemorragia e infecção. Considerando seu
conhecimento sobre os elementos figurados do sangue, assinale a alternativa
referente ao número (maior ou menor) desses elementos que permitiu ao médico a
conclusão sobre os problemas do paciente em questão.

Podemos classificar os leucócitos em dois grandes grupos: os que possuem grânulos


no citoplasma (granulócitos) e os que não possuem (agranulócitos). No total, temos
cinco tipos diferentes de leucócitos, denominados de:
a) Neutrófilos, eosinófilos, macrófagos, hemácias e plaquetas.
b) Monócitos, macrófagos, linfócitos, astrócitos, eosinófilos.
c) Astrócitos, monócitos, basófilos, macrófagos, oligodendrócitos.
d) Neutrófilo, eosinófilo, basófilo, linfócito, monócito.
e) Astrócitos, oligodendrócitos, macrófagos, linfócitos, monócitos