Você está na página 1de 25

Matemática H e n r iq u e D ias

Autoria: Ca r lo s

Tema 03
Função Polinomial do 2o Grau
Tema 03
Função Polinomial do 2o Grau
Autoria: Carlos Henrique Dias
Como citar esse documento:
DIAS, Carlos Henrique. Matemática: Função Polinomial do 2o Grau. Caderno de Atividades. Anhanguera Publicações: Valinhos, 2014.

Índice

CONVITEÀLEITURA PORDENTRODOTEMA
Pág. 3 Pág. 4

ACOMPANHENAWEB
Pág. 13 Pág. 14

Pág. 18 Pág. 18

Pág. 18 Pág. 19

© 2014 Anhanguera Educacional. Proibida a reprodução final ou parcial por qualquer meio de impressão, em forma idêntica, resumida ou modificada em língua
portuguesa ou qualquer outro idioma.
CONVITEÀLEITURA
Conteúdo

Nesta aula, você estudará:

• A caracterização de uma função polinomial do 2o grau.

• Gráficos de funções polinomiais de 2o grau.

• A posição da concavidade da parábola.

• Interceptos da função nos eixos das abscissas e ordenadas.

• Vértice da parábola.

Habilidades

Ao final, você deverá ser capaz de responder as seguintes questões:

• O que é uma função polinomial de 2o grau?

• Como é o gráfico da função polinomial do 2o grau?

• Como construir o gráfico da função?

• Como determinar o ponto de máximo ou mínimo em um gráfico que envolve uma parábola?

3
PORDENTRODOTEMA
Função Polinomial do 2o Grau

Introdução

Neste tema, você estudará as funções polinomiais do 2o grau, funções em que o gráfico é uma parábola. Este tipo
de curva, quando estendida para a forma de superfícies, gera o paraboloide ou as conhecidas antenas parabólicas. A
forma parabólica facilita a recepção de sinais provenientes dos satélites, pois converge o sinal que vem disperso para
um único ponto, que é o foco da parábola, ou seja, a parte central da antena parabólica.

Caracterização da Função Polinomial do 2o Grau

A função polinomial do 2o grau tem a forma f(x) = ax2+bx+c, em que a, b e c são constantes reais, com a 0. Conforme
já mencionado, o gráfico de uma função polinomial do 2o grau é uma parábola, e os coeficientes que aparecem no
polinômio da função (a, b e c) são determinantes para auxiliar na montagem do gráfico. Os tópicos, a seguir, mostram
as principais informações para a montagem do gráfico.

• O coeficiente a determina a posição da concavidade da parábola. Observe a Figura 3.1:

Figura 3.1 Concavidade da parábola.

Assim, se o coeficiente a for positivo, a parábola terá concavidade voltada para cima; contudo, se a for negativo, a
parábola terá concavidade voltada para baixo.

4
PORDENTRODOTEMA
• O coeficiente c determina o ponto em que a parábola intercepta o eixo y. Este valor é muito útil, pois auxilia na
montagem do gráfico, haja vista que corresponde ao ponto de coordenada (0,c) (Figura 3.2).

• Para determinar os pontos em que o gráfico da função polinomial do 2o grau intercepta o eixo x, basta descobrir
quais são os valores de x que fazem f(x)=0, ou seja, ax2 + bx + c = 0. Isso significa resolver uma equação do 2o grau.
A fórmula de Bhaskara determina a solução, se existir, da equação ax2 + bx + c = 0.

Fórmula de Bhaskara:

Observe que, na resolução da equação, quando se chega ao valor ∆ (delta) negativo, a equação não terá solução, e,
consequentemente, não existirá x real que faça ax2 + bx + c = 0. Portanto, para ∆ negativo, a parábola não intercepta
o eixo x. No caso de valor ∆ positivo, a parábola intercepta o eixo x em dois pontos; se for igual a zero, intercepta em
apenas um ponto.

Na Figura 3.2, são apresentadas possíveis situações para o valor ∆ , combinando possíveis situações para a concavidade.

Figura 3.2 Valor ∆ e concavidade da parábola.

5
PORDENTRODOTEMA
• O vértice da parábola representa ponto de máximo ou de mínimo da função polinomial do 2o grau e pode ser
encontrado por:

Observe que o vértice é localizado por uma coordenada (xv, yv). A Figura 3.3 ilustra algumas possiblidades para o vértice
da parábola.

Figura 3.3 Possibilidades para o vértice da parábola.

Quando a parábola possui concavidade voltada para cima, o vértice representará o mínimo da função; caso contrário,
o vértice representará o máximo da função. Assim, em problemas práticos para a localização do máximo ou mínimo de
uma função polinomial do 2o grau, basta determinar o vértice da parábola.

A partir das informações sobre concavidade, interceptos com os eixos y e x (se existirem) e vértice da parábola, é
possível construir um esboço adequado do gráfico da função polinomial do 2o grau.

6
PORDENTRODOTEMA
Construção do Gráfico

A seguir, são apresentados exemplos que envolvem a construção do gráfico da parábola. Para cada exemplo,
utiliza-se uma sequência de passos que determinam as informações mais importantes da parábola.

Exemplo 3.1: Construir o gráfico da função f(x)= 2x2-12x+10.

Considere os seguintes passos para a montagem do gráfico:

1o) Coeficientes: a = 2; b=-12; c=10.

2o) Concavidade da parábola: neste caso, como a > 0 (a=2), a concavidade da parábola é voltada para cima.

3o) Intercepto com o eixo y: a parábola corta o eixo y em 10, pois c = 10, e a coordenada correspondente é (0,10).

4o) Intercepto com o eixo x: resolver a equação 2x2-12x+10 = 0. Utilizando a fórmula de Bhaskara:

Portanto, a parábola corta o eixo das abscissas em x = 1 e x = 5, ou seja, nas coordenadas (1,0) e (5,0).

5o) Vértice da parábola: a coordenada do vértice da parábola é determinada a partir de dois valores, xv e yv:

7
PORDENTRODOTEMA
A coordenada do vértice da parábola é (3;-8).

6o) Gráfico: com as informações importantes obtidas nos passos anteriores sobre o gráfico da função f(x) = 2x2-12x+10,
deve-se colocar os pontos no plano cartesiano e traçar a curva que passa pelos pontos (Figura 3.4).

Figura 3.4 Gráfico da função f(x)=2x2-12x+10 (Exemplo 3.1).

O gráfico da função apresentado na Figura 3.4 deixa bem evidente que o vértice da parábola é um ponto que marca
a mudança do comportamento da função, neste caso, de decrescente para crescente. Além disso, o vértice também
fornece o menor valor que a função f(x) = 2x2-12x+10 pode assumir. Para esse exemplo, para qualquer x, a função nunca
terá valor menor que -8.

8
PORDENTRODOTEMA
Exemplo 3.2: Construir o gráfico da função f(x)= -x2+6x-9.

Considere os seguintes passos para a montagem do gráfico:

1o) Coeficientes: a = -1; b=6; c=-9.

2o) Concavidade da parábola: neste caso, como a < 0 (a=-1), a concavidade da parábola é voltada para baixo.

3o) Intercepto com o eixo y: a parábola corta o eixo y em -9, pois c = -9, e a coordenada correspondente é (0,-9).

4o) Intercepto com eixo x: resolver a equação -x2+6x-9 = 0. Utilizando a fórmula de Bhaskara:

A parábola apenas tangencia o eixo das abscissas no ponto x=3, ou seja, na coordenada (3,0).

5o) Vértice da parábola: a coordenada do vértice da parábola é determinada a partir de dois valores, xv e yv:

A coordenada do vértice da parábola é (3,0), que coincide com o intercepto em x. Isso acontece porque a parábola pode
apenas tangenciar o eixo x no vértice.

9
PORDENTRODOTEMA
6o) Gráfico: colocar os pontos obtidos nos passos anteriores no plano cartesiano.

Figura 3.5 Gráfico da função f(x)= -x2+6x-9 (Exemplo 3.2).

No procedimento de montagem do gráfico da Figura 3.5, obteve-se apenas dois pontos como referência, (0,-9) e (3,0),
devido ao fato de o vértice da parábola coincidir com o intercepto em x, gerando apenas uma coordenada.

Exemplo 3.3: Construir o gráfico da função f(x) =x2+6x+10.

Considere os seguintes passos para a montagem do gráfico:

1o) Coeficientes: a = 1; b=6; c=10.

2o) Concavidade da parábola: neste caso, como a > 0 (a=1), a concavidade da parábola é voltada para cima.

10
PORDENTRODOTEMA
3o) Intercepto com o eixo y: a parábola corta o eixo y em 10, pois c = 10, e a coordenada correspondente é (0,10).

4o) Intercepto com o eixo x: resolver a equação x2+6x+10 = 0. Utilizando a fórmula de Bhaskara:

Como o valor ∆ é negativo, não é possível continuar a resolução da equação, pois não é possível extrair uma raiz
quadrada negativa considerando o conjunto dos números reais.

Desta forma, a função não possui interceptos no eixo x.

5o) Vértice da parábola: a coordenada do vértice da parábola é determinada a partir de dois valores, xv e yv:

A coordenada do vértice da parábola é (-3;1).

6o) Construir o gráfico: colocar os pontos obtidos nos passos anteriores no plano cartesiano.

11
PORDENTRODOTEMA

Figura 3.6 Gráfico da função f(x) =x2+6x+10 (Exemplo 3.3).

Para a montagem do gráfico apresentado na Figura 3.6, foram utilizadas apenas duas coordenadas, devido ao fato de
não existirem interceptos no eixo das abscissas.

12
ACOMPANHENAWEB
Só Matemática

• Acesse o site Só Matemática. Contém uma breve explicação sobre funções juntamente a um
exemplo gráfico.
Disponível em: <http://www.somatematica.com.br/emedio/funcao2/funcao2.php>. Acesso em: 5 mai. 2014.

Mundo Educação

• Acesse o site Mundo Educação. Contém a teoria sobre funções quadráticas, além de alguns
exercícios resolvidos.
Disponível em: <http://www.mundoeducacao.com/matematica/funcao-2-grau.htm>. Acesso em: 5 mai. 2014.

Universidade Federal Fluminense

• Acesse o site da Universidade Federal Fluminense. Contém exemplos práticos sobre as


funções quadráticas. Além disso, contém uma breve história sobre Galileu Galilei e as funções
quadráticas.
Disponível em:<http://www.uff.br/cdme/quadratica/quadratica-html/info-br.html>. Acesso em: 5 mai. 2014.

Biblioteca Virtual da Anhanguera

• Acesse o site da Biblioteca Virtual da Anhanguera. No campo de pesquisa, digite funções.


Aparecerão várias produções acadêmicas com aplicações das funções polinomiais.
Disponível em: <http://www.anhanguera.com/bibliotecas/biblioteca-virtual/curso/ead/administracao>. Acesso
em: 5 mai. 2014.

13
ACOMPANHENAWEB
Aula 31 - Matemática - Ens. Médio – Telecurso

• Assista ao vídeo: Aula 31 - Matemática - Ens. Médio – Telecurso. Este vídeo do Telecurso cita
diversas situações práticas para o uso das funções polinomiais do 2o grau. Além disso, ensina a
montar os gráficos de funções.
Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=7tjLo1RQVPU>. Acesso em: 5 mai. 2014.

AGORAÉASUAVEZ
Instruções:
Agora, chegou a sua vez de exercitar seu aprendizado. A seguir, você encontrará algumas questões de múltipla
escolha e dissertativas. Leia cuidadosamente os enunciados e atente-se para o que está sendo pedido.
Questão 1

Como explicado na teoria, a parábola aparece em aplicações práticas:

“Esse tipo de curva, quando estendida para a forma de superfícies, gera o paraboloide ou as conhecidas antenas parabólicas.”

Relacione três outras aplicações desta forma de curva. Pesquise em livros ou na internet outras situações práticas em que a
parábola (ou paraboloide) aparece.

14
AGORAÉASUAVEZ
Questão 2

Dada a função f(x)=-3x2-2x+10, qual o coeficiente que determina a concavidade e a direção da concavidade da parábola?

a) a = -3, concavidade da parábola voltada para cima.

b) b = -2, concavidade da parábola voltada para cima.

c) c = 10, concavidade da parábola voltada para baixo.

d) a = -3, concavidade da parábola voltada para baixo.

e) b = -2, concavidade da parábola voltada para baixo.

Questão 3

A coordenada em que o gráfico da função f(x) = 2x2 -10x +12 intercepta o eixo y é:

a) (0,2).

b) (0,-10).

c) (0,12).

d) (-10,0).

e) (12,0).

15
AGORAÉASUAVEZ
Questão 4

As coordenadas em que o gráfico da função f(x) = 2x2-10x+12 intercepta o eixo x são:

a) (2,0) e (3,0).

b) (0,2) e (0,3).

c) (-2,0) e (-3,0).

d) (0,-2) e (0,-3).

e) A parábola associada a f(x) não intercepta o eixo x.


Dica: Resolva a equação do 2o grau associada à função f(x), ou seja, resolva 2x2-10x+12=0.

Questão 5

A coordenada do vértice da parábola da função f(x) = 2x2-10x +12=0 é:

a) (2,3).

b) (3,2).

c) (2,5;-0,5).

d) (-0,5;2,5).

e) (-5,4).
Dica: A coordenada do vértice da parábola é (xv,yv). Utilize a fórmula que aparece na Leitura Obrigatória para determinar os
valores.

16
AGORAÉASUAVEZ
Atenção: As questões de 6 a 8 devem ser respondidas considerando a função f(x) = x2 – 4x – 5.

Questão 6

Determine:

a) A posição da concavidade da parábola associada f(x).

b) O intercepto do gráfico de f(x) com o eixo y.

Questão 7

Determine:

a) Os interceptos, se existirem, do gráfico de f(x) com o eixo x.

b) O vértice da parábola.

Questão 8

A partir de todas as informações obtidas na resolução das Questões 6 e 7, construa o gráfico de f(x).

Questão 9

Sem construir o gráfico da função f(x) =-x2 + 4x – 6 e apenas por meio de cálculos, explique por que o gráfico da função f(x) não
intercepta o eixo x.

Questão 10

Construa o gráfico da função f(x) =-2x2 – 4x – 2. Determine as informações importantes sobre a parábola (concavidade, intercepto
no eixo y, interceptos no eixo x e vértice) antes de montar o gráfico.

17
FINALIZANDO
Neste tema, você aprendeu sobre a caracterização das funções polinomiais do 2o grau. Aprendeu, também, a
montar o gráfico dessas funções utilizando os pontos mais importantes da parábola. Além disso, neste tema, você
aprendeu a encontrar os interceptos da parábola com o eixo das abscissas e ordenadas. Por fim, aprendeu o significado
do vértice da parábola, como ponto de mínimo ou de máximo da função.

REFERÊNCIAS
MUROLO, Afrânio Carlos; BONETTO, Giácomo. Matemática Aplicada a Administração, Economia e Contabilidade. 2. ed. São
Paulo: Cengage Learning, 2012.
TAN, Soo Tang. Matemática Aplicada à Administração e Economia. 5. ed. São Paulo: Pioneira, 2001.

GLOSSÁRIO
Bhaskara: matemático indiano cujo nome foi atribuído à fórmula para resolver equações do 2o grau. Deve-se ressaltar
que não foi Bhaskara (1114-1185) quem desenvolveu essa fórmula.

Coeficiente: é o fator multiplicativo de um termo em uma expressão, sendo geralmente um número. Não se confunde
com as variáveis da expressão.

Concavidade: na parábola, a concavidade é o lado em que há cavidade, depressão ou vale.

Intercepto: ponto em que duas curvas se encontram.

18
GABARITO
Questão 1

Resposta: Resposta pessoal. Exemplo:

• O lançamento oblíquo de um objeto tem a forma de uma parábola.

• As lentes utilizadas em telescópios para a ampliação de imagens têm a forma de uma parábola.

• Alguns refletores de luz têm a forma de um paraboloide.

Questão 2

Resposta: Alternativa D.

a=-3<0, então a concavidade da parábola é voltada para baixo.

Questão 3

Resposta: Alternativa C.

f(x) = 2x2 -10x +12, então: a=2, b =-10 e c =12.

Assim, c=12 representa o ponto em que a parábola intercepta o eixo y, que corresponde à coordenada (0,12).

19
Questão 4

Resposta: Alternativa A.

Resolver a equação 2x2 -10x +12=0, em que a=2, b =-10 e c =12.

Portanto, a parábola corta o eixo das abscissas em x = 2 e x = 3, ou seja, nas coordenadas (2,0) e (3,0).

Questão 5

Resposta: Alternativa C.

f(x) =2x2 -10x +12, em que a = 2, b = -10 e c = 12.

A coordenada do vértice da parábola é (2,5; -0,5).

Questão 6

Resposta:

a) Os coeficientes associados a f(x) são: a = 1, b=-4 e c=-5. Assim, a concavidade da parábola é voltada para cima, pois a > 0 (a=1).

b) A parábola intercepta o eixo y em -5, pois c = -5.

20
Questão 7

Resposta:

a) Para descobrir esses pontos, se existirem, resolve-se a equação x2 – 4x – 5 = 0. Utilizando a fórmula de Bhaskara, tem-se:

A parábola corta o eixo das abscissas em x = -1 e x = 5, ou seja, nas coordenadas (-1,0) e (5,0).

b) A coordenada do vértice da parábola é determinada a partir de dois valores, xv e yv:

A coordenada do vértice da parábola é (2;-9).

21
Questão 8

Resposta:

Questão 9

Resposta: Inicialmente, deve-se tentar resolver a equação -x2 + 4x – 6 =0. Utilizando a fórmula de Bhaskara, tem-se:

Como o valor de ∆ é negativo, não é possível continuar a resolução da equação. Desta forma, a função não possui
interceptos no eixo x, pois não é possível encontrar x tal que f(x) =0, ou seja, -x2 + 4x – 6 =0.

22
Questão 10

Resposta:

1o) Discriminar os coeficientes: a = -2, b=-4 e c=-2.

2o) Concavidade da parábola: neste caso, como a < 0 (a=-2), a concavidade da parábola é voltada para baixo.

3o) Intercepto com o eixo y: a parábola corta o eixo y em -2.

4o) Intercepto com o eixo x: resolver -2x2-4x-2 = 0. Deste modo, utilizando a fórmula de Bhaskara, tem-se:

A parábola apenas tangencia o eixo x no ponto x=-1.

5o) Vértice da parábola: a coordenada do vértice da parábola é determinada a partir de dois valores, xv e yv:

A coordenada do vértice da parábola é (-1;0).

6o) Construir o gráfico: colocar os pontos obtidos nos passos anteriores no plano cartesiano.

23
Clique aqui para retornar à seção Agora é a sua vez.

24