Você está na página 1de 4

LISTA DE EXERCÍCIOS – DOS CONTRATOS

Nome:

Turma:

Instituição:

Obs: Essa lista não acarreta em pontuação. Seu fim está totalmente destinado ao aprendizado e
para a revisão do conteúdo ministrado pelo seu professor.

1. Nos termos do Código Civil, quanto ao vício redibitório, é correto afirmar:

a) A coisa recebida em virtude de doações pura e simples pode ser enjeitada por vícios
ou defeitos ocultos, que a tornem imprópria ao uso a que é destinada, ou lhe diminuam
o valor.

b) A coisa recebida em virtude de contrato comutativo não pode ser enjeitada por vícios
ou defeitos ocultos, mesmo que a tornem imprópria ao uso a que é destinada, ou lhe
diminuam o valor.

c) A coisa recebida em virtude de contrato aleatório pode ser enjeitada por vícios ou
defeitos ocultos, que a tornem imprópria ao uso a que é destinada, ou lhe diminuam o
valor.

d) A coisa recebida em virtude de doações onerosas pode ser enjeitada por vícios ou
defeitos ocultos, que a tornem imprópria ao uso a que é destinada, ou lhe diminuam o
valor.

2. José celebrou com Maria um contrato de compra e venda de imóvel, no valor de


R$100.000,00, quantia paga à vista, ficando ajustada entre as partes a exclusão da
responsabilidade do alienante pela evicção. A respeito desse caso, vindo a adquirente a
perder o bem em decorrência de decisão judicial favorável a terceiro, assinale a
afirmativa correta

a) Tal cláusula, que exonera o alienante da responsabilidade pela evicção, é vedada pelo
ordenamento jurídico brasileiro.

b) Não obstante a cláusula de exclusão da responsabilidade pela evicção, se Maria não


sabia do risco, ou, dele informada, não o assumiu, deve José restituir o valor que
recebeu pelo bem imóvel.

c) Não obstante a cláusula de exclusão da responsabilidade pela evicção, Maria,


desconhecendo o risco, terá direito à dobra do valor pago, a título de indenização pelos
prejuízos dela resultantes.

d) O valor a ser restituído para Maria será aquele ajustado quando da celebração do
negócio jurídico, atualizado monetariamente,
3. A cláusula resolutiva expressa, em regra,

a) opera de pleno direito.

b) depende de interpelação judicial.

c) depende de prévia notificação da outra parte.

d) é proibida pelo ordenamento jurídico brasileiro.

e) só é válida em contratos aleatórios.

4. Assinale a opção correta a respeito dos vícios redibitórios e da evicção.

a) Não há responsabilidade por evicção caso a aquisição do bem tenha sido efetivada
por meio de hasta pública.

b)Se o alienante não conhecia, à época da alienação, o vício ou defeito da coisa, haverá
exclusão da sua responsabilidade por vício redibitório.

c) As partes podem inserir no contrato cláusula que exclua a responsabilidade do


alienante pela evicção.

d)O adquirente, ante o vício redibitório da coisa, somente poderá reclamar o abatimento
do preço.

5. Quanto à formação dos contratos, é INCORRETO afirmar que:

a) a proposta de contrato obriga o proponente, se o contrário não resultar dos termos


dela, da natureza do negócio, ou das circunstâncias do caso.

b) deixa de ser obrigatória proposta se, feita sem prazo a pessoa presente, não foi
imediatamente aceita. Considera-se também presente a pessoa que contrata por telefone
ou por meio de comunicação semelhante.

c) reputar-se-á celebrado o contrato no lugar de sua execução.

d) considera-se inexistente a aceitação, se antes dela ou com ela chegar ao proponente a


retratação do aceitante.

6. Durante dez anos, empregados de uma fabricante de extrato de tomate distribuíram,


gratuitamente, sementes de tomate entre agricultores de uma certa região. A cada ano,
os empregados da fabricante procuravam os agricultores, na época da colheita, para
adquirir a safra produzida. No ano de 2009, a fabricante distribuiu as sementes, como
sempre fazia, mas não retornou para adquirir a safra. Procurada pelos agricultores, a
fabricante recusou-se a efetuar a compra. O tribunal competente entendeu que havia
responsabilidade pré-contratual da fabricante. A responsabilidade pré-contratual é
aquela que:
a) deriva da violação à boa-fé objetiva na fase das negociações preliminares à formação
do contrato.

b) deriva da ruptura de um pré-contrato, também chamado contrato preliminar

c) surgiu, como instituto jurídico, em momento histórico anterior à responsabilidade


contratual.

d) segue o destino da responsabilidade contratual, como o acessório segue o principal.

7. Com relação ao contrato, assinale a opção correta.

a) A resilição consiste na extinção do contrato por circunstância superveniente à sua


formação, como, por exemplo, o inadimplemento absoluto.

b) A resolução constitui a extinção do contrato por simples renúncia da parte.

c) A rescisão tem origem em defeito contemporâneo à formação do contrato, e a


presença do vício torna o contrato anulável ou nulo.

d) O distrato constitui espécie de resolução contratual.

8. Quais as formas pelas quais podem extinguir-se os contratos, sem cumprimento?

Resposta:

9. O que é contrato com pessoa a declarar e quais os seus efeitos?

Resposta:

10. Quais os prazos em que podem ser alegados os vícios redibitórios?

Resposta:
GABARITO

1- D
2- B
3- A
4- C
5- C
6- A
7- C
8- Por nulidade absoluta ou relativa. Na ocorrência de situação prevista em cláusula
resolutiva. No exercício do direito de arrependimento. Por resolução devido ao não
cumprimento de uma das partes. Por resilição unilateral, naqueles contratos que assim o
premitirem. Por resilição bilateral ou distrato, quando ambos acordam em encerrar o
contrato sem o seu cumprimento. Pela morte de um dos contratantes. Por rescisão em
contratos celebrados em estado de perigo ou condições iníquas.
9- É o contrato pelo qual um dos contraentes pode reservar-se o direito de indicar outra
pessoa para, em seu lugar, adquirir os direitos e assumir as obrigações dele decorrentes
(art. 469)
10- O prazo decadencial é de 30 dias para bens móveis e de um ano para os imóveis, contatos
a partir da tradição. Se a ciência do defeito se der mais tarde, conta-se da ciência. Esse
prazo para ciência é de 180 dias para bens móveis e de um ano para os imóveis. Se o
adiquirente já estava na posse do bem o prazo se conta pela metade (art. 445). Podem os
contratantes, entretanto, por convenção, estender esses prazos.