Você está na página 1de 3

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

Secretaria de Gestão Pública


Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal
Coordenação-Geral de Aplicação das Normas

NOTA INFORMATIVA Nº 43/2015/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP


Assunto: Pagamento exercícios anteriores, a título de diárias.

SUMÁRIO EXECUTIVO
1. Trata-se de consulta da Coordenação - Geral de Recursos Humanos do
Ministério da Previdência Social - MPS acerca da possibilidade de pagamento de diárias em
exercício posterior ao deslocamento do servidor.

2. Em resposta à consulta formulada, tem-se que esta indenização poderá ser


concedida, em exercício posterior, desde que atendidos os requisitos exigidos nos arts. 58 da
Lei nº 8.112, de 1990, bem como no Decreto nº 343, de 2001 (vigente à época), observando-
se, ainda, o prazo prescricional disposto no art. 110 da Lei nº 8.112, de 1990, e no Decreto-
Lei nº 20.910, de 1932.

3. Pelo encaminhamento dos autos à Coordenação-Geral de Recursos Humanos


do Ministério da Previdência Social para conhecimento e demais providências.

INFORMAÇÕES

4. Segundo consta do processo, o deslocamento do servidor se deu no período


compreendido entre 23/10/2002 a 01/11/2002, sendo que à época estava vigente o Decreto nº
343, de 19 de novembro de 1991, cujo regulamento indicava pagamento de diárias de forma
antecipada, ressalvadas as situações de emergência com processamento no decorrer do
afastamento, e caso fosse superior a 15 (quinze) dias, o ressarcimento ocorreria de forma
parcelada, a critério da administração.

5. O Decreto nº 343, de 19 de novembro de 1991, foi revogado pelo Decreto nº


5.992, de 19 de dezembro de 2006, o qual também determina que as diárias serão pagas
antecipadamente e de uma só vez, exceto nas seguintes situações, a critério da autoridade
competente: i) situações de emergência, devidamente caracterizadas; e ii) quando o
afastamento compreender período superior a quinze dias, caso em que poderão ser pagas
parceladamente.
6. Destaque-se que a então Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e
Aplicação das Normas já se manifestou em caso análogo1, no sentido de que o fato de a diária,
por erro da Administração, não ter sido paga antecipadamente ou em tempo hábil, não retira
do servidor o direito a recebê-la, desde que tenha, de fato, se deslocado a serviço.

7. É importante consignar que, a Consultoria Jurídica do Ministério do


Planejamento, Orçamento e Gestão também já se manifestou2, oportunidade em que
considerou que, presente os elementos informadores do direito, o servidor fará jus a
indenização de ajuda de custo, independentemente do exercício financeiro em que se der o
pagamento, coincidir ou não com o da concessão da referida indenização. Destaque-se que tal
entendimento, encontra-se em consonância com o disposto na NOTA INFOMATIVA Nº
91/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP, de 07 de março de 20123.

8. Ainda, conforme também orientado pela CONJUR/MP, em relação à


prescrição do direito de o servidor requerer a concessão da indenização, cumpre observar o
prazo disposto no art. 110 da Lei nº 8.112, de 1990.

9. Ao seu passo, a prescrição quinquenal das dívidas da União encontra-se


regulamentada pelo Decreto-Lei nº 20.910, 06 de janeiro de 1932, in verbis:

Art. 1º - As dívidas passivas da União, dos Estados e dos Municípios, bem assim
todo e qualquer direito ou ação contra a fazenda federal, estadual ou municipal,
seja qual for a sua natureza, prescrevem em cinco anos contados da data do ato ou
fato do qual se originarem.

10. Desse modo, ainda que o requerimento para a concessão de diárias ocorra
posteriormente ao deslocamento do servidor, esta indenização poderá ser concedida, desde
que atendidos os requisitos exigidos nos arts. 58 da Lei nº 8.112, de 1990, bem como no
Decreto nº 343, de 2001 (vigente à época), observando-se, ainda, o prazo prescricional
disposto no art. 110 da Lei nº 8.112, de 1990, e no Decreto-Lei nº 20.910, de 1932.

11. Cumpre registrar que, caberá ao órgão ao qual o servidor é vinculado verificar
se foram atendidos ou não aos requisitos dispostos no art.58 da Lei nº 8.112, de 1990. Caso o
servidor faça jus ao ressarcimento dos valores referentes às diárias, este perceberá no valor
referente à época do fato gerador do direito à percepção da referida indenização.

1
DESPACHO s/nº - COGES/DENOP/SRH/MP, de 28, de março de 2008, disponível no sistema CONLEGIS – Consulta de Legislação do
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, por meio do sítio oficial localizado no endereço eletrônico: www.servidor.org.br, link,
legislação.
2
PARECER/MP/CONJUR/IC/Nº 0469-2.9/2003, de 29 de abril de 2003 (cópia em anexo).
3
Disponível no sistema CONLEGIS – Consulta de Legislação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, por meio do sítio oficial
localizado no endereço eletrônico: www.servidor.org.br, link, legislação.

2
12. Nesse sentido, caso a autoridade administrativa competente reconheça o direito
ao pagamento da indenização pleiteada, o montante respectivo constituirá despesa de
exercício anterior, consoante o artigo 22 do Decreto no 93.872, de 23 de dezembro de 19864.

13. Com estes esclarecimentos submetemos o presente processo ao Diretor do


Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal com proposta de
encaminhamento dos autos à Coordenação-Geral de Recursos Humanos do Ministério da
Previdência Social-MPS.

À deliberação da Senhora Coordenadora-Geral.

Brasília, 26 de março 2015.

DAVID FALCÃO PIMENTEL MARCIA ALVES DE ASSIS


Técnico da DILAF Chefe da Divisão de Direitos, Vantagens,
Licenças e Afastamentos – DILAF

De acordo. À deliberação do Senhor Diretor, para apreciação dos termos


técnicos expostos e, se de acordo, encaminhamento Coordenação-Geral de Recursos
Humanos do Ministério da Previdência Social-MPS.

Brasília, 26 de março 2015.

ANA CRISTINA SÁ TELES D’AVILA


Coordenadora-Geral de Aplicação das Normas

Aprovo. Encaminhem-se os autos à Coordenação-Geral de Recursos Humanos


do Ministério da Previdência Social-MPS, na forma proposta.

Brasília, 26 de março 2015.

ROGÉRIO XAVIER ROCHA


Diretor do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal

4
Art 22. As despesas de exercícios encerrados, para as quais o orçamento respectivo consignava crédito próprio com saldo suficiente para
atendê-las, que não se tenham processado na época própria, bem como os Restos a Pagar com prescrição interrompida, e os compromissos
reconhecidos após o encerramento do exercício correspondente, poderão ser pagos à conta de dotação destinada a atender despesas de
exercícios anteriores, respeitada a categoria econômica própria (Lei no 4.320/64, art. 37).
§ 1o O reconhecimento da obrigação de pagamento, de que trata este artigo, cabe à autoridade competente para empenhar a despesa.
§ 2o Para os efeitos deste artigo, considera-se:
a) despesas que não se tenham processado na época própria, aquelas cujo empenho tenha sido considerado insubsistente e anulado no
encerramento do exercício correspondente, mas que, dentro do prazo estabelecido, o credor tenha cumprido sua obrigação;
b) restos a pagar com prescrição interrompida, a despesa cuja inscrição como restos a pagar tenha sido cancelada, mas ainda vigente o
direito do credor;
c) compromissos reconhecidos após o encerramento do exercício, a obrigação de pagamento criada em virtude de lei, mas somente
reconhecido o direito do reclamante após o encerramento do exercício correspondente.