Você está na página 1de 19

Aprendendo com o Mestre Jesus a

Amar e a Servir
Evangelho segundo João 13.1-17

Leandro Ferreira Gonçalves

Trabalho Apresentado na Disciplinade


Prática da Pregação Ministrada pelo
Professor Rev. Otávio Henrique Como
Avaliação do Curso de Graduação em
Bacharel em Teologia.

Rio de Janeiro 2017


SUMÁRIO
Texto bíblico: João 13.1-11 ........................................................................................... 3
Texto em Grego ............................................................................................................ 4
Tradução Literal ............................................................................................................ 5
Comparação de Versões .............................................................................................. 6
Análise das versões ...................................................................................................... 9
Delimitação ................................................................................................................... 9
Contexto anterior ....................................................................................................... 9
Contexto posterior ................................................................................................... 10
Objetivo do sermão ..................................................................................................... 10
Sermão ....................................................................................................................... 11
Exórdio .................................................................................................................... 11
Explicação Exegética .............................................................................................. 12
Proposição .............................................................................................................. 14
Argumentação ......................................................................................................... 14
1. O AMOR INCONDICIONAL E HUMILDE DE JESUS ................................... 14
2. JESUS É SENHOR E MESTRE ................................................................... 16
3. BEM-AVENTURADOS OS QUE SABEM E PRATICAM ESTE ENSINAMENTO
17
Conclusão ............................................................................................................... 18
Aplicação ................................................................................................................ 18
Orações .................................................................................................................. 18
Oração por Iluminação......................................................................................... 18
Oração de Envio .................................................................................................. 18
Bibliografia .................................................................................................................. 19
TEXTO BÍBLICO: JOÃO 13.1-111
1 Ora, antes da Festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar
deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao
fim.
2 Durante a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão,
que traísse a Jesus,
3 sabendo este que o Pai tudo confiara às suas mãos, e que ele viera de Deus, e voltava
para Deus,
4 levantou-se da ceia, tirou a vestimenta de cima e, tomando uma toalha, cingiu-se com
ela.
5 Depois, deitou água na bacia e passou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos
com a toalha com que estava cingido.
6 Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, e este lhe disse: Senhor, tu me lavas os pés a
mim?
7 Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço não o sabes agora; compreendê-lo-ás depois.
8 Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu não te lavar,
não tens parte comigo.
9 Então, Pedro lhe pediu: Senhor, não somente os pés, mas também as mãos e a
cabeça.
10 Declarou-lhe Jesus: Quem já se banhou não necessita de lavar senão os pés; quanto
ao mais, está todo limpo. Ora, vós estais limpos, mas não todos.
11 Pois ele sabia quem era o traidor. Foi por isso que disse: Nem todos estais limpos.
12 Depois de lhes ter lavado os pés, tomou as vestes e, voltando à mesa, perguntou-
lhes: Compreendeis o que vos fiz?
13 Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque eu o sou.
14 Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar
os pés uns dos outros.
15 Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.
16 Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem
o enviado, maior do que aquele que o enviou.
17 Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.

1 Bíblia de Estudos de Genebra. Almeida Revista e Atualizada, 2009.


TEXTO EM GREGO2
1 Πρὸ δὲ τῆς ἑορτῆς τοῦ πάσχα εἰδὼς ὁ Ἰησοῦς ὅτι ἦλθεν αὐτοῦ ἡ ὥρα ἵνα μεταβῇ ἐκ τοῦ
κόσμου τούτου πρὸς τὸν πατέρα, ἀγαπήσας τοὺς ἰδίους τοὺς ἐν τῷ κόσμῳ εἰς τέλος
ἠγάπησεν αὐτούς.
2 Καὶ δείπνου γινομένου, τοῦ διαβόλου ἤδη βεβληκότος εἰς τὴν καρδίαν ἵνα παραδοῖ
αὐτὸν Ἰούδας Σίμωνος Ἰσκαριώτου,
3 εἰδὼς ὅτι πάντα ἔδωκεν αὐτῷ ὁ πατὴρ εἰς τὰς χεῖρας καὶ ὅτι ἀπὸ θεοῦ ἐξῆλθεν καὶ πρὸς
τὸν θεὸν ὑπάγει,
4 ἐγείρεται ἐκ τοῦ δείπνου καὶ τίθησιν τὰ ἱμάτια καὶ λαβὼν λέντιον διέζωσεν ἑαυτόν·
5 εἶτα βάλλει ὕδωρ εἰς τὸν νιπτῆρα καὶ ἤρξατο νίπτειν τοὺς πόδας τῶν μαθητῶν καὶ
ἐκμάσσειν τῷ λεντίῳ ᾧ ἦν διεζωσμένος.
6 Ἔρχεται οὖν πρὸς Σίμωνα Πέτρον· λέγει αὐτῷ· κύριε, σύ μου νίπτεις τοὺς πόδας;
7 ἀπεκρίθη Ἰησοῦς καὶ εἶπεν αὐτῷ· ὃ ἐγὼ ποιῶ σὺ οὐκ οἶδας ἄρτι, γνώσῃ δὲ μετὰ ταῦτα.
8 λέγει αὐτῷ Πέτρος· οὐ μὴ νίψῃς μου τοὺς πόδας εἰς τὸν αἰῶνα. ἀπεκρίθη Ἰησοῦς αὐτῷ·
ἐὰν μὴ νίψω σε, οὐκ ἔχεις μέρος μετ’ ἐμοῦ.
9 λέγει αὐτῷ Σίμων Πέτρος· κύριε, μὴ τοὺς πόδας μου μόνον ἀλλὰ καὶ τὰς χεῖρας καὶ τὴν
κεφαλήν.
10 λέγει αὐτῷ ὁ Ἰησοῦς· ὁ λελουμένος οὐκ ἔχει χρείαν εἰ μὴ τοὺς πόδας νίψασθαι, ἀλλ’
ἔστιν καθαρὸς ὅλος· καὶ ὑμεῖς καθαροί ἐστε, ἀλλ’ οὐχὶ πάντες.
11 ᾔδει γὰρ τὸν παραδιδόντα αὐτόν· διὰ τοῦτο εἶπεν ὅτι οὐχὶ πάντες καθαροί ἐστε.
12 Ὅτε οὖν ἔνιψεν τοὺς πόδας αὐτῶν [καὶ] ἔλαβεν τὰ ἱμάτια αὐτοῦ καὶ ἀνέπεσεν πάλιν
εἶπεν αὐτοῖς· γινώσκετε τί πεποίηκα ὑμῖν;
13 ὑμεῖς φωνεῖτέ με· ὁ διδάσκαλος, καί· ὁ κύριος, καὶ καλῶς λέγετε· εἰμὶ γάρ.
14 εἰ οὖν ἐγὼ ἔνιψα ὑμῶν τοὺς πόδας ὁ κύριος καὶ ὁ διδάσκαλος, καὶ ὑμεῖς ὀφείλετε
ἀλλήλων νίπτειν τοὺς πόδας·
15 ὑπόδειγμα γὰρ ἔδωκα ὑμῖν ἵνα καθὼς ἐγὼ ἐποίησα ὑμῖν καὶ ὑμεῖς ποιῆτε.
16 ἀμὴν ἀμὴν λέγω ὑμῖν, οὐκ ἔστιν δοῦλος μείζων τοῦ κυρίου αὐτοῦ οὐδὲ ἀπόστολος
μείζων τοῦ πέμψαντος αὐτόν.
17 εἰ ταῦτα οἴδατε, μακάριοί ἐστε ἐὰν ποιῆτε αὐτά.

2http://www.nestle-aland.com/en/read-na28-online/text/bibeltext/lesen/stelle/53/130001/139999/
Acessado em 25/03/2017
TRADUÇÃO LITERAL3
1 Antes então a festa da Páscoa, sabendo o Jesus que tinha chegado dele a hora para
passar de um mundo a este a o Pai, tendo amado os em o mundo, até (o) fim amou-os.
2 E (a) ceia acontecendo, o diabo já tendo lançado/incutira em o coração de Judas
(Filho) de Simão Iscariotes para ele entregar/trair,
3 sabendo o Jesus que tudo tinha dado a ele o Pai em as mãos, e que de Deus saiu/saíra
e para o Deus retorna/estava voltando,
4 levanta-se de a ceia e remove as vestes (exteriores), e tomando uma toalha cingiu-se
a si mesmo.
5 Então coloca água em a bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugar
com a toalha com a qual estava cingido.
6 Chega/vem então a Simão Pedro e diz a ele esse (último): Senhor tu me lava os pés?
7 Respondeu Jesus e disse-lhe: o que eu faço tu não compreendes agora, entenderás
porém após estas coisas.
8 Diz a ele Pedro: Não não lavarás os pés meus para a eternidade. Respondeu-lhe o
Jesus: se não vier a lavar-te não tens parte comigo.
9 Diz a ele Simão Pedro: Senhor não os pés meus apenas, mas também as mãos e a
cabeça!
10 Diz-lhe o Jesus: o que tomou banho não necessidade tem do que/senão de os pés
lavar, mas está limpo/puro por inteiro e vós limpos/puros estais, mas não todos.
11 Conhecia de fato o que estava para traí-lo por isso disse: não todos limpos/puros
estais.
12 Quando então lavou os pés deles, também tomou as vestes (exteriores) dele
assentando-se à mesa novamente disse-lhe, compreendeis o que fiz a vós?
13 Vós costumais chamar-me o mestre e o Senhor e bem dizeis eu sou de fato.
14 Se pois eu lavei de vós os pés, o Senhor e o Mestre, também vós deveis uns aos
outros lavar os pés.
15 Exemplo pois dei a vpos para que como eu fiz a vós também vos façais.
16 Em verdade em verdade digo a vós não é um servo maior que o senhor dele nem
um enviado maior que o que enviou ele.
17 Se estas cousas sabeis, bem-aventurados sois se fizerdes as mesmas.

3
Olivetti, P. S. (2008). Novo Testamento Interlinear Analítico Grego-Português. Texto Majoritário
com Aparato Crítico (1 ed.). São Paulo, SP: Cultura Cristã.
COMPARAÇÃO DE VERSÕES
TEXTO TRADUÇÃO ARA NTLH4 NVI5 BJ6
GREGO LITERAL
1 Πρὸ δὲ τῆς 1 Antes então 1 Ora, antes 1 Faltava 1 Um pouco 1 Antes da festa
ἑορτῆς τοῦ a festa da da Festa da somente um antes da festa da Páscoa,
πάσχα εἰδὼς Páscoa, Páscoa, dia para a da Páscoa, sabendo Jesus
ὁ Ἰησοῦς ὅτι sabendo o sabendo Festa da sabendo Jesus que chegara a
ἦλθεν αὐτοῦ Jesus que tinha Jesus que era Páscoa. Jesus que havia sua hora de
ἡ ὥρα ἵνα chegado dele a chegada a sabia que tinha chegado o passar deste
μεταβῇ ἐκ hora para sua hora de chegado a tempo em que mundo ao Pai,
τοῦ κόσμου passar de um passar deste hora de deixar deixaria este como amasse
τούτου πρὸς mundo a este a mundo para o este mundo e mundo e iria os seus que
τὸν πατέρα, o Pai, tendo Pai, tendo ir para o Pai. para o Pai, estavam no
ἀγαπήσας amado os em o amado os Ele sempre tendo amado os mundo, até o
τοὺς ἰδίους mundo, até (o) seus que havia amado seus que extremo os
τοὺς ἐν τῷ fim amou-os. estavam no os seus que estavam no amou.
κόσμῳ εἰς mundo, amou- estavam neste mundo, amou-os
τέλος os até ao fim. mundo e os até o fim.
ἠγάπησεν amou até o
αὐτούς. fim.
2 Καὶ 2 E (a) ceia 2 Durante a 2 Jesus e os 2 Estava sendo 2 Durante a
δείπνου acontecendo, o ceia, tendo já seus discípulos servido o jantar, ceia, - quando o
γινομένου, diabo já tendo o diabo posto estavam e o diabo já demônio já tinha
τοῦ διαβόλου lançado/incutira no coração de jantando. O havia induzido lançado no
ἤδη em o coração Judas Diabo já havia Judas Iscariotes, coração de
βεβληκότος de Judas Iscariotes, posto na filho de Simão, a Judas, filho de
εἰς τὴν (Filho) de filho de cabeça de trair Jesus. Simão
καρδίαν ἵνα Simão Simão, que Judas, filho de Iscariotes, o
παραδοῖ Iscariotes para traísse a Simão propósito de
αὐτὸν ele Jesus, Iscariotes, a traí-lo -,
Ἰούδας entregar/trair, ideia de trair
Σίμωνος Jesus.
Ἰσκαριώτου,
3 εἰδὼς ὅτι 3 sabendo o 3 sabendo 3 Jesus sabia 3 Jesus sabia 3 sabendo
πάντα Jesus que tudo este que o Pai que o Pai lhe que o Pai havia Jesus que o Pai
ἔδωκεν αὐτῷ tinha dado a tudo confiara tinha dado colocado todas tudo lhe dera
ὁ πατὴρ εἰς ele o Pai em as às suas mãos, todo o poder. E as coisas nas mãos, e que
τὰς χεῖρας mãos, e que de e que ele sabia também debaixo do seu saíra de Deus e
καὶ ὅτι ἀπὸ Deus saiu/saíra viera de Deus, que tinha vindo poder, e que para Deus
θεοῦ ἐξῆλθεν e para o Deus e voltava para de Deus e ia viera de Deus e voltava,
καὶ πρὸς τὸν retorna/estava Deus, para Deus. estava voltando
θεὸν ὑπάγει, voltando, para Deus;
4 ἐγείρεται ἐκ 4 levanta-se de 4 levantou-se 4 Então se 4 assim, 4 levantou-se da
τοῦ δείπνου a ceia e da ceia, tirou levantou, tirou levantou-se da mesa, depôs as
καὶ τίθησιν τὰ remove as a vestimenta a sua capa, mesa, tirou sua suas vestes e,
ἱμάτια καὶ vestes de cima e, pegou uma capa e colocou pegando duma
λαβὼν (exteriores), e tomando uma toalha e uma toalha em toalha, cingiu-se
λέντιον tomando uma toalha, cingiu- amarrou na volta da cintura. com ela.
διέζωσεν toalha cingiu-se se com ela. cintura.
ἑαυτόν a si mesmo.
5 εἶτα βάλλει 5 Então coloca 5 Depois, 5 Em seguida 5 Depois disso, 5 Em seguida,
ὕδωρ εἰς τὸν água em a deitou água pôs água derramou água deitou água
νιπτῆρα καὶ bacia e na bacia e numa bacia e numa bacia e numa bacia e
ἤρξατο começou a passou a lavar começou a começou a lavar começou a lavar

4 Nova Tradução na Linguagem de Hoje - http://www.sbb.org.br/ - Acessado em 25/03/2017


5 Nova Versão Internacional - https://www.bibliaonline.com.br/nvi+vc/jo/13 - Acessado em
25/03/2017
6 Bíblia de Jerusalém - https://www.bibliaonline.com.br/vc+vc/jo/13 - Acessado em 25/03/2017
νίπτειν τοὺς lavar os pés os pés aos lavar os pés os pés dos seus os pés dos
πόδας τῶν dos discípulos discípulos e a dos discípulos discípulos, discípulos e a
μαθητῶν καὶ e a enxugar enxugar-lhos e a enxugá-los enxugando-os enxugá-los com
ἐκμάσσειν com a toalha com a toalha com a toalha. com a toalha a toalha com
τῷ λεντίῳ ᾧ com a qual com que que estava em que estava
ἦν estava cingido. estava sua cintura. cingido.
διεζωσμένος. cingido.
6 Ἔρχεται 6 Chega/vem 6 Aproximou- 6 Quando 6 Chegou-se a 6 Chegou a
οὖν πρὸς então a Simão se, pois, de chegou perto Simão Pedro, Simão Pedro.
Σίμωνα Pedro e diz a Simão Pedro, de Simão que lhe disse: Mas Pedro lhe
Πέτρον· ele esse e este lhe Pedro, este lhe "Senhor, vais disse: Senhor,
λέγει αὐτῷ· (último): disse: Senhor, perguntou: lavar os meus queres lavar-me
κύριε, σύ Senhor tu me tu me lavas os — Vai lavar os pés? " os pés!...
μου νίπτεις lava os pés? pés a mim? meus pés,
τοὺς πόδας; Senhor?
7 ἀπεκρίθη 7 Respondeu 7 Respondeu- 7 Jesus 7 Respondeu 7 Respondeu-
Ἰησοῦς καὶ Jesus e disse- lhe Jesus: O respondeu: Jesus: "Você lhe Jesus: O que
εἶπεν αὐτῷ· lhe: o que eu que eu faço — Agora você não faço não
ὃ ἐγὼ ποιῶ faço tu não não o sabes não entende o compreende compreendes
σὺ οὐκ οἶδας compreendes agora; que estou agora o que agora, mas
ἄρτι, γνώσῃ agora, compreendê- fazendo, estou lhe compreendê-lo-
δὲ μετὰ entenderás lo-ás depois. porém mais fazendo; mais ás em breve.
ταῦτα. porém após tarde vai tarde, porém,
estas coisas. entender! entenderá".
8 λέγει αὐτῷ 8 Diz a ele 8 Disse-lhe 8 — O senhor 8 Disse Pedro: 8 Disse-lhe
Πέτρος· οὐ Pedro: Não não Pedro: Nunca nunca lavará "Não; nunca Pedro: Jamais
μὴ νίψῃς μου lavarás os pés me lavarás os os meus pés! lavarás os meus me lavarás os
τοὺς πόδας meus para a pés. — disse Pedro. pés". Jesus pés!...
εἰς τὸν eternidade. Respondeu- — Se eu não respondeu: "Se Respondeu-lhe
αἰῶνα. Respondeu-lhe lhe Jesus: Se lavar, você não eu não os lavar, Jesus: Se eu
ἀπεκρίθη o Jesus: se não eu não te será mais meu você não terá não tos lavar,
Ἰησοῦς vier a lavar-te lavar, não discípulo! — parte comigo". não terás parte
αὐτῷ· ἐὰν μὴ não tens parte tens parte respondeu comigo.
νίψω σε, οὐκ comigo. comigo. Jesus.
ἔχεις μέρος
μετ’ ἐμοῦ.
9 λέγει αὐτῷ 9 Diz a ele 9 Então, 9 — Então, 9 Respondeu 9 Exclamou
Σίμων Simão Pedro: Pedro lhe Senhor, não Simão Pedro: então Simão
Πέτρος· Senhor não os pediu: Senhor, lave somente "Então, Senhor, Pedro: Senhor,
κύριε, μὴ pés meus não somente os meus pés; não apenas os não somente os
τοὺς πόδας apenas, mas os pés, mas lave também meus pés, mas pés, mas
μου μόνον também as também as as minhas também as também as
ἀλλὰ καὶ τὰς mãos e a mãos e a mãos e a minhas mãos e mãos e a
χεῖρας καὶ cabeça! cabeça. minha cabeça! a minha cabeça! cabeça.
τὴν κεφαλήν. — pediu Simão "
Pedro.
10 λέγει 10 Diz-lhe o 10 Declarou- 10 Aí Jesus 10 Respondeu 10 Disse-lhe
αὐτῷ ὁ Jesus: o que lhe Jesus: disse: Jesus: "Quem já Jesus: Aquele
Ἰησοῦς· ὁ tomou banho Quem já se — Quem já se banhou que tomou
λελουμένος não banhou não tomou banho precisa apenas banho não tem
οὐκ ἔχει necessidade necessita de está lavar os pés; necessidade de
χρείαν εἰ μὴ tem do lavar senão os completamente todo o seu corpo lavar-se; está
τοὺς πόδας que/senão de pés; quanto limpo e precisa está limpo. inteiramente
νίψασθαι, os pés lavar, ao mais, está lavar somente Vocês estão puro. Ora, vós
ἀλλ’ ἔστιν mas está todo limpo. os pés. Vocês limpos, mas estais puros,
καθαρὸς limpo/puro por Ora, vós todos estão nem todos". mas nem
ὅλος· καὶ inteiro e vós estais limpos, limpos, isto é, todos!...
ὑμεῖς limpos/puros mas não todos menos
καθαροί estais, mas não todos. um.
todos.
ἐστε, ἀλλ’
οὐχὶ πάντες.
11 ᾔδει γὰρ 11 Conhecia 11 Pois ele 11 Jesus sabia 11 Pois ele 11 Pois sabia
τὸν de fato o que sabia quem quem era o sabia quem iria quem o havia de
παραδιδόντα estava para era o traidor. traidor. Foi por traí-lo, e por isso trair; por isso,
αὐτόν· διὰ traí-lo por isso Foi por isso isso que disse: disse que nem disse: Nem
τοῦτο εἶπεν disse: não que disse: “Todos menos todos estavam todos estais
ὅτι οὐχὶ todos Nem todos um.” limpos. puros.
πάντες limpos/puros estais limpos.
καθαροί estais.
ἐστε.
12 Ὅτε οὖν 12 Quando 12 Depois de 12 Depois de 12 Quando 12 Depois de
ἔνιψεν τοὺς então lavou os lhes ter lavado lavar os pés terminou de lhes lavar os pés
πόδας pés deles, os pés, tomou dos seus lavar-lhes os e tomar as suas
αὐτῶν [καὶ] também tomou as vestes e, discípulos, pés, Jesus vestes, sentou-
ἔλαβεν τὰ as vestes voltando à Jesus vestiu tornou a vestir se novamente à
ἱμάτια αὐτοῦ (exteriores) mesa, de novo a sua capa e mesa e
καὶ ἀνέπεσεν dele perguntou- capa, sentou- voltou ao seu perguntou-lhes:
πάλιν εἶπεν assentando-se lhes: se outra vez à lugar. Então lhes Sabeis o que
αὐτοῖς· à mesa Compreendeis mesa e perguntou: vos fiz?
γινώσκετε τί novamente o que vos fiz? perguntou: "Vocês
πεποίηκα disse-lhe, — Vocês entendem o que
ὑμῖν; compreendeis entenderam o lhes fiz?
o que fiz a vós? que eu fiz?
13 ὑμεῖς 13 Vós 13 Vós me 13 Vocês me 13 Vocês me 13 Vós me
φωνεῖτέ με· ὁ costumais chamais o chamam de chamam chamais Mestre
διδάσκαλος, chamar-me o Mestre e o “Mestre” e de ‘Mestre’ e e Senhor, e
καί· ὁ κύριος, mestre e o Senhor e “Senhor” e têm ‘Senhor’, e com dizeis bem,
καὶ καλῶς Senhor e bem dizeis bem; razão, pois eu razão, pois eu o porque eu o
λέγετε· εἰμὶ dizeis eu sou porque eu o sou mesmo. sou. sou.
γάρ. de fato. sou.
14 εἰ οὖν 14 Se pois eu 14 Ora, se eu, 14 Se eu, o 14 Pois bem, se 14 Logo, se eu,
ἐγὼ ἔνιψα lavei de vós os sendo o Senhor e o eu, sendo vosso Senhor e
ὑμῶν τοὺς pés, o Senhor Senhor e o Mestre, lavei Senhor e Mestre Mestre, vos lavei
πόδας ὁ e o Mestre, Mestre, vos os pés de de vocês, lavei- os pés, também
κύριος καὶ ὁ também vós lavei os pés, vocês, então lhes os pés, vós deveis lavar-
διδάσκαλος, deveis uns aos também vós vocês devem vocês também vos os pés uns
καὶ ὑμεῖς outros lavar os deveis lavar lavar os pés devem lavar os aos outros.
ὀφείλετε pés. os pés uns uns dos outros. pés uns dos
ἀλλήλων dos outros. outros.
νίπτειν τοὺς
πόδας.
15 15 Exemplo 15 Porque eu 15 Pois eu dei 15 Eu lhes dei o 15 Dei-vos o
ὑπόδειγμα pois dei a vós vos dei o o exemplo exemplo, para exemplo para
γὰρ ἔδωκα para que como exemplo, para para que vocês que vocês que, como eu
ὑμῖν ἵνα eu fiz a vós que, como eu façam o que façam como vos fiz, assim
καθὼς ἐγὼ também vos vos fiz, façais eu fiz. lhes fiz. façais também
ἐποίησα ὑμῖν façais. vós também. vós.
καὶ ὑμεῖς
ποιῆτε.
16 ἀμὴν 16 Em verdade 16 Em 16 Eu afirmo a 16 Digo-lhes 16 Em verdade,
ἀμὴν λέγω em verdade verdade, em vocês que isto verdadeiramente em verdade vos
ὑμῖν, οὐκ digo a vós não verdade vos é verdade: o que nenhum digo: o servo
ἔστιν δοῦλος é um servo digo que o empregado escravo é maior não é maior do
μείζων τοῦ maior que o servo não é não é mais do que o seu que o seu
κυρίου αὐτοῦ senhor dele maior do que importante do senhor, como Senhor, nem o
οὐδὲ nem um seu senhor, que o patrão, e também nenhum enviado é maior
ἀπόστολος enviado maior nem o o mensageiro mensageiro é do que aquele
μείζων τοῦ que o que enviado, não é mais maior do que que o enviou.
enviou ele. maior do que importante do
πέμψαντος aquele que o que aquele aquele que o
αὐτόν. enviou. que o enviou. enviou.
17 εἰ ταῦτα 17 Se estas 17 Ora, se 17 Já que 17 Agora que 17 Se
οἴδατε, cousas sabeis, sabeis estas vocês vocês sabem compreenderdes
μακάριοί bem- coisas, bem- conhecem esta estas coisas, estas coisas,
ἐστε ἐὰν aventurados aventurados verdade, serão felizes serão se sereis felizes,
ποιῆτε αὐτά. sois se fizerdes sois se as felizes se a as praticarem". sob condição de
as mesmas. praticardes. praticarem. as praticardes.

ANÁLISE DAS VERSÕES


V.1 Apenas a versão NTLH informa que “faltava somente um dia”, enquanto o texto
original não traz esta informação. Todas as demais versões comparadas seguem o
original e informa que o episódio ocorreu antes da festa da Páscoa. Ainda no verso
primeiro, somente a BJ traduz τέλος no sentido de intensidade e não finitude, conforme
as outras versões.

V.2 A NTLH faz menção de quem estava participando do evento (Jesus e os seus
discípulos), enquanto todas as outras versões seguem o original que, ignorando este
fato – talvez por já estar implícito – apenas faz a localização temporal do evento. As
versões NTLH e NVI traduziram καρδίαν não literalmente, mas como o intento, desejo
de fazer algo. Estas versões fizeram preferência por não utilizar a figura de linguagem
a qual coração está inserido no texto original e nas demais versões.

V.3 Somente a NTLH não traduziu ὑπάγει como retornar/voltar.

V.8 Todas as versões concordam com o original ao traduzir a resposta de Jesus a Pedro,
exceto a NTLH que interpreta como “não será mais meu discípulo”.

Vv.10 - 11 Somente a NTLH faz a especificação de que apenas um não estaria limpo,
enquanto todas as versões seguem o original e apenas informam que “nem todos”
estariam limpos.

V. 16 A NTLH traduz δοῦλος como empregado e κυρίου como patrão, porém esta
relação de empregado e patrão é uma relação que exige uma contrapartida. O
empregado faz o seu trabalho em troca do seu salário. A NVI já traduz como
escravo/senhor, uma relação onde o senhor não tem obrigação de recompensar.

DELIMITAÇÃO
Contexto anterior
O capítulo 12 do Evangelho segundo João é uma transição entre o ministério
público de Jesus e os momentos finais antes da crucificação quando ele se
dedica de forma reservada aos seus discípulos (capítulo 13). Esta é uma seção
importante do Evangelho de João, pois Jesus deixa Betânia, onde foi ungido por
Maria e parte para Jerusalém, onde é aclamado como enviado do Senhor e “Reis
dos reis” (12.13). Logo após, quando alguns gregos tentam se encontrar com
Cristo, o Mestre prediz a sua morte e convida aos seus ouvintes a o servirem,
pois, servindo a ele estarão servindo ao Pai e este os honrará (12.25). O
evangelista ainda faz menção à não aceitação da mensagem de Jesus pelos
judeus citando o profeta Isaías. A importância aqui está expressada no
contraditório dos judeus que receberam a Cristo como rei e irão prendê-lo e
mata-lo como um criminoso dias depois.

Outro ponto de atenção está no verso 43, quando João relata que muitas
autoridades creram em Cristo, porém por amarem mais “a glória dos homens do
que gloria de Deus” não o seguiram, exemplificando bem o ensino de Jesus no
verso 25, “Quem ama a sua vida perde-a, mas aquele que odeia a sua vida neste
mundo preservá-la-á para a vida eterna”. O amor se torna um ponto chave para
a compreensão e motivação a seguir o caminho proposto pelo Mestre. O capítulo
12 termina com um discurso de Jesus sintetizando todo o capítulo, afirmando
que o Filho e o Pai são um e, que quem crê no Filho, crê também no Pai.

Contexto posterior
Após o ato de lavar os pés dos discípulos, Jesus explica o significado de seu ato. Ele
ensina que os seus seguidores devem servir uns aos outros, não considerando ser
maior que o outro. Quem assim agir será bem-aventurado (13.17). O traidor então é
indicado e, após este sair para prosseguir com sua delação, Jesus transmite aos seus
– agora sem a presença daquele que não era dele, a saber, Judas Iscariotes – um novo
mandamento, que os seus discípulos amem uns aos outros como ele os amou – “até o
fim os amou” (13.2). Cristo afirma que esta é a marca de quem verdadeiramente o
seguir, o amor. O capítulo 13 termina com o aviso de que Pedro negará a Cristo mesmo
depois de afirmar que daria a vida pelo Mestre.

OBJETIVO DO SERMÃO
O sermão ministrado no Evangelho segundo João, capítulo 13, versos 1 ao 11 tem como
objetivo levar aos ouvintes e leitores a amarem a Deus e ao seu próximo segundo o
exemplo do Cristo Jesus, que demonstrou o seu profundo amor pelos seus servindo-os
humildemente e se entregando em favor deles. Desta forma, este sermão visa a
consagração dos crentes no amor a Deus e ao seu irmão servindo-o e se doando em
prol do Reino de Deus.
SERMÃO
Exórdio
Amor produz energia7. Essa é a premissa do livro Liderança Radical, de Steve
Farber, um consultor de empresas estadunidense especializado em motivar e
desenvolver executivos de grandes empresas a uma liderança onde o amor é o
combustível principal. Em seu livro, Farber afirma que quando amamos a missão
ao qual nos propomos e amamos as pessoas que estão envolvidas nesta missão
temos motivação para continuar servindo, mesmo em circunstâncias adversas.
Conectando corações dispostos a amar e a servir a mesma causa, segue ele,
somos impulsionados a seguir a meta estabelecida. Ele acredita que o líder
verdadeiro é capaz de ser o exemplo a ser seguido, com demonstrações práticas
de amor e serviço. Somente assim, seus seguidores agirão de forma
semelhante, pois estes, verão nele o modelo de como deve ser feito. Quando o
amor se torna o combustível para o nosso serviço, não temos medo de
passarmos por momentos difíceis, pois a causa final do nosso amor, continua a
mesma. A missão e as pessoas envolvidas permanecerão e nos impulsionam a
servir mesmo assim.

Em um mundo onde o amor egoísta e o culto ao hedonismo são cada vez mais
valorizados e incentivados, falar de amor para servir ao outro, ainda mais se este
ocupar uma posição inferior à sua é loucura e tolice. Vivemos em uma sociedade
que busca a cada dia o seu prazer em primeiro lugar, a satisfação pessoal
mesmo que em detrimento do outro. Somos cercados por uma cosmovisão
egocêntrica que visa o lucro e ascensão social a todo custo. Uma sociedade que
tem desconhecido o amor altruísta, sem interesse e sem compensação. Até
mesmo quando somos incentivados a fazer algo bom esperamos o
reconhecimento e os elogios. Esperamos algum benefício ou fama para
satisfazer o nosso desejo pessoal. O apóstolo Paulo afirma em sua primeira carta
aos coríntios, capítulo 13, verso 3 “E ainda que eu distribua todos os meus bens
entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado,

7
Farber, S. (2006). Liderança Radical. (M. C. Alves, Trad.) Rio de Janeiro, RJ:
Sextante.
se não tiver amor, nada disso me aproveitará”. Sem amor nossos esforços ou
atos de bondade são nulos e sem valor.

Esta cosmovisão mundana e secularizada tem se infiltrado em muitas igrejas,


influenciado os cânticos e permeado os púlpitos. Canções que exaltavam à
Trindade dão lugar à um canto antropocêntrico, onde o ego humano é inflado e
seus desejos saciados por um deus mordomo. As pregações bíblicas e
cristocêntricas deram lugar a um sermão simplista, sem fundamentos bíblicos,
com um teor motivacional, sem confronto com pecado e sem apontar a cruz de
Cristo como caminho para a redenção do homem pecador. Estas igrejas têm se
tornado um lugar formador de crentes sem amor a Deus e ao próximo. Um lugar
cheio de pessoas que, vazias, não veem razões para servir e sim, motivos para
serem servidas.

Uma grande batalha deve ser travada dentro dos arraiais das nossas
congregações. Uma batalha contra a falta de amor. Jesus profetizou no Monte
das Oliveiras que “por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase
todos” (Mateus 24.12 ARA). Precisamos aprender com o Mestre como amar e
servir.

Explicação Exegética
O texto que nós lemos relata o episódio conhecido como “lava pés” que ocorre
antes da festa da Páscoa. Segundo Carson8, esta ceia que Jesus e os discípulos
estão participando é uma antecipação da festa pascoal, A Páscoa era a festa
que celebrava a redenção de Israel da escravidão no Egito. A festa possui uma
série de simbolismos no qual o mais importante é o cordeiro pascal. Este cordeiro
deveria ser assado em brasas e consumida na mesma todo na mesma noite. Ele
faz referência à primeira Páscoa, na qual os primogênitos hebreus foram
poupados pelo sangue do cordeiro tingido nos umbrais das portas de suas casas.
Esta Páscoa seria diferente, pois Jesus seria apresentado como o Cordeiro de
Deus que tira o pecado do mundo (Carson, 2007).

Neste capítulo há uma clara divisão, onde Jesus se retira da multidão que não o
aceitou e passa os últimos momentos de sua vida com os seus discípulos,

8
Carson, D. A. (2007). O Comentário de João. São Paulo: Shedd Publicações.
aqueles que deram ouvidos a sua mensagem e o seguiram. Hendriksen9 afirma
ser este capítulo um bloco especial, separado dos demais, pois carrega diálogos
dramáticos, como o anúncio do traidor, a revelação de que Pedro trairá a Cristo
e a instituição do Novo Mandamento (Hendriksen, 2004).

A introdução da perícope além de nos situar no tempo, traz a revelação do


grande amor de Jesus pelos seus. Amor que mais tarde será demonstrado em
sua plenitude ao se entregar para ser morto em uma cruz. O texto afirma que
Jesus sabia que chegara o seu momento de voltar ao Pai, isto é, que estava
chegando a hora de sua morte. Esta informação é importante pois, mesmo
sabendo da proximidade da morte, Jesus não deixou de amar aos seus da
mesma forma e intensidade. Calvino10 afirma que “ele [Jesus] não cessou de
amar os seus como costumava amar, não há razão para agora concluirmos que
sua afeição sofreu mudança” (Calvino, 2015). Este amor é destinado aos seus,
aqueles que foram chamados por Cristo e constituem a comunidade nascente
dos eleitos (Carson, 2007). João dá ênfase na intensidade deste amor, Jesus
amou-os até o fim, εἰς τέλος. Esta expressão pode ser traduzida com sentido de
tempo (até o fim) ou intensidade (ao extremo) e nos remetem a força máxima
deste amor expressa na cruz.

O evangelista faz a afirmação do conhecimento da vontade de Deus por Jesus


e do poder dado ele pelo Pai. Mesmo sabendo da traição de Judas, da negação
de Pedro e do abandono de todos os outros, ele mais uma vez demonstra seu
amor levantando-se durante a refeição e num gesto inesperado pelos discípulos,
“a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo... a si mesmo se
humilhou”11. Como um servo, se despe de suas vestes e passa a lavar os pés
daqueles que, como João Batista declarava a respeito de si mesmo, não eram
dignos de desatar-lhe as sandálias. Mesmo diante da recusa inicial de Pedro e

9
Hendriksen, W. (2004). O Evangelho de João - Coleção Comentpario do Novo
Testamento. São Paulo: Cultura Cristã.

10
Calvino, J. (2015). Comentários Bíblicos. O Evangelho segundo João (Vol. 2). São
Paulo: Fiel.

11 Filipenses 2.7-8
seu pedido posterior para o lavasse por completo, Cristo só vai explicar a sua
ação após todos estarem limpos.

Proposição
Ele nos deixou o exemplo a ser seguido. Exemplo de amor e humildade, pois
quando há amor, mesmo o senhor que é maior que o servo é capaz de servir a
este. Diante desta cena, podemos então fazer três perguntas 1) o que Jesus nos
ensina com este ato? 2) por que devemos seguir este ensino? 3) para que seguir
este exemplo? Sendo assim, vamos meditar sobre o seguinte tema Aprendendo
com o Mestre a Amar e Servir.

Transição
A primeira pergunta que podemos responder é o que este ato de Cristo nos
ensina? A resposta é...

Argumentação
1. O AMOR INCONDICIONAL E HUMILDE DE JESUS
O amor de Deus é um tema constante na teologia de João. Seu Evangelho e
suas cartas são fortemente carregadas com este tema. Na primeira parte do
Evangelho, João enfatiza o amor de Deus Pai em relação ao seu Filho e de Deus
para o mundo, porém a partir do capítulo 13, o tema ganha evidência sendo
citado 38 vezes no decorrer do livro. João passa a relacionar o todo o sofrimento
e obediência de Jesus ao seu amor incondicional pelos seus (Xavier Léon-
Dufour, 1996)12. Este amor doador e sacrificial de Cristo é destinado aos seus.
Hendriksen afirma que os seus não se referem apenas aos discípulos que ali
estavam, mas em um contexto mais amplo como encontrado em João 17.
(Hendriksen, 2004). Isso nos revela uma característica deste amor, ele é
destinado aos seus escolhidos. Somos os objetos do amor de Deus, como Heber
Campos 13 chama de amor ad extra de Deus, demonstrado à seres caídos,
objetos indignos. Ele afirma que este “é o amor de salvação” (Campos, 1999).

12
Xavier Léon-Dufour, S. (1996). Leitura do Evangelho Segundo João - III (Vol. 15).
São Paulo: Edições Loyola.

13
Campos, H. C. (1999). O Ser de Deus e os seus atributos (2ª ed.). São Paulo, SP:
Cultura Cristã.
O amor que Jesus demonstrou aos seus não levou em consideração o os atos
que eles iriam cometer poucas horas depois. A negação de Pedro e o abandono
por parte dos seus não diminuiu a intensidade deste amor.

A doutrina reformada fala sobre a depravação total, um dos cinco pontos


calvinistas, diz que o ser humano foi contaminado pelo pecado de tal forma que
agora não tem condições de se achegar a Deus. Ele está preso e escravizado
pelo pecado. Isto é terrível! Porém, outra doutrina vai nos revelar a esperança.
A eleição incondicional afirma que mesmo mortos em nossos delitos e pecados,
o Senhor nos amou de tal modo que não poupou o seu Filho para salvar aqueles
a quem escolheu. Foi uma escolha amorosa. Deus, por sua própria vontade,
elegeu alguns para amar e salvar. É isso que Paulo diz aos Efésios, quando
afirma que fomos predestinados em amor para sermos seus filhos (Efésios 1.4).
Fomos salvos por este amor!

E este amor incondicional também é humilde em se relacionar com criaturas


como nós. Jesus demonstra isso ao durante a ceia se despir e lavar os pés dos
seus discípulos. Lavar os pés era algo que deveria acontecer antes da refeição,
e de acordo o costume da época era designado que um servo do anfitrião fizesse
este trabalho. Como Jesus era o anfitrião, naturalmente não caberia a ele e sim,
um dos seus voluntariamente se oferecer para tal serviço. Hendriksen salienta o
orgulho dos discípulos que em outras ocasiões disputavam para saber qual deles
era o maior. No meio daqueles homens pretensos e orgulhosos, dentre eles um
traidor, Jesus se faz servo se humilhando e fazendo o serviço indigno de quem
ele é. Mais adiante, no calvário, novamente despido, ele se apresentaria por
amor aos seus, como o “Servo Sofredor” que o profeta Isaías descreve no
capítulo 53, verso 7 “ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como
cordeiro foi levado ao matadouro”. O amor de Cristo é um amor servil. Ele se
humilhou para nos alcançar e nos resgatar para o seu Reino de amor.

Aprendemos com o Mestre a amar de maneira não interesseira, sem esperar por
alguma recompensa e sem buscar méritos. Mas um amor que se doa e se
entrega a servir.
Transição
Desta forma, podemos então passar para a segunda pergunta. Por que devemos
seguir este ensino? A resposta é porquê...

2. JESUS É SENHOR E MESTRE


Pedro observa os gestos de Jesus. Sem entender o motivo que levava o Mestre
a agir de tal forma, impetuoso como era o seu perfil, se recusa veementemente
a ter os pés lavados por Cristo. Talvez por que entendesse que este não era o
lugar de Jesus. Não era a função do Mestre lavar os pés dos convidados. Jesus
o repreende afirmando que se assim não fosse, ele não seria o seu discípulo.
Mas a frente, ao explicar o simbolismo de sua ação, Cristo faz a afirmação “Vós
me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque eu o sou”.

Estes títulos conferidos a Jesus pelos seus seguidores tem grande importância
no ensinamento de Cristo aqui. O Mestre, ou mais comumente para a época a
versão aramaica Rabi era dado aos que ensinavam pelos judeus como um termo
de honra e respeito. Cristo de fato a Mestre, diferente dos mestres da época,
pois ensinava com autoridade. Ao chamarem Jesus de Senhor, eles estavam
conferindo a Cristo o poder de alguém que tem a autoridade sobre algo, dono14.
João deixa claro no texto o senhorio de Jesus ao afirmar que o “Pai tudo confiara
às suas mãos, e que ele viera de Deus, e voltava para Deus”. Tudo pertence a
ele. Então, se o chamam – com razão – de Senhor e Mestre, devem os seus
seguidores fazerem aquilo que ele manda fazer. Jesus vai além ao dar o
exemplo. A didática de Cristo é brilhante. “Façam como eu fiz”! Ele não apenas
fala como mostra como deve ser feito.

Em sua explicação ele segue a ordem do maior para o menor. Se o Senhor e


Mestre, que é maior que o servo e o discípulo, foi capaz de se humilhar, muito
mais fácil será para estes tomar o exemplo e ter a mesma atitude com seus
semelhantes. Calvino15 diz “se aquele que é o Mestre e Senhor de todos seu
exemplo, então que seja seguido por todos os santos, para que ninguém nutra

14Gingrich, F. W. (1984). Léxico do Novo Testamento Grego / Português. São Paulo: Vida Nova.
Palavras pesquisadas διδάσκαλος e κύριος,

15
Calvino, J. (2015). Comentários Bíblicos. O Evangelho segundo João (Vol. 2). São
Paulo: Fiel.
má vontade em prestar um serviço a seus irmãos e semelhantes, por mais
inferior e humilhante seja tal serviço” (Calvino, 2015).

O amor tem esfriado em muitos, pois tais pessoas se colocam em posição muito
superior aos demais, e assim, impossibilitados de servir. O Senhor e Mestre,
Jesus Cristo, nos deixou exemplo a ser seguido. Nós, seus servos e discípulos,
devemos imitá-lo.

Transição
Resta-nos uma última pergunta prática a ser respondida. Para que devemos
seguir este ensino? A resposta é que são...

3. BEM-AVENTURADOS OS QUE SABEM E PRATICAM ESTE


ENSINAMENTO
O termo “bem-aventurado” é geralmente traduzido por feliz ou muito feliz. Porém,
seu significado vai além de mera felicidade. Faz referência a alguém que foi
privilegiado de receber um favor divino16. Assim, bem-aventurados podem ser
pobres, perseguidos, os que choram ou estão de luto, conforme Mateus 5.
Somos bem-aventurados, pois recebemos de Deus graça sem medida,
imerecida. Fomos atraídos por esta graça irresistível para perto de Deus.

Jesus deixa claro para os seus discípulos algo que era muito repetido por ele.
Não basta apenas ouvir, entender e, até mesmo, concordar, é preciso praticar.
Ele voltará a repetir isto no capítulo 15 de João, “Vós sois meus amigos, se fazeis
o que eu vos mando”. Esta é a condição, cumprir o que lhe é ensinado. Aquele
que pratica a humildade, servindo ao seu irmão como alguém superior a ele é,
segundo a ótica de Cristo, muito mais que feliz, é bem-aventurado! É abençoado
por Deus, como Hendriksen afirma, superlativamente abençoado,
hiperabençoado (Hendriksen, 2004).

Do contrário, quão triste é a vida de quem não prática os ensinamentos de Cristo.


Sua vida é desprovida de sentido de ser e existir. Uma vida voltada para os
próprios interesses e satisfação pessoal não consegue encontrar alegria plena.
Judas seguiu o desejo implantado por Satanás em seu coração e algumas
moedas foram suficientes para que ele entregasse Jesus. Porém, aquelas

16Gingrich, F. W. (1984). Léxico do Novo Testamento Grego / Português. São Paulo: Vida Nova.
Palavra pesquisada μακάριοί.
moedas não o satisfez inteiramente. Foi tomado por tal angústia que foi capaz
de tirar sua própria vida.

Se almejamos ser bem-aventurados precisamos abrir mão de nosso orgulho,


vaidade e vontades. Precisamos não apenas conhecer os ensinamentos de
Cristo, mas fazer conforme Calvino17 afirma “Ele os declara felizes se souberem
e praticarem essas coisas, pois o conhecimento não tem o direito de ser
chamado genuíno, a menos que produza tal efeito nos crentes, ao ponto de leva-
los a conformar-se a sua Cabeça” (Calvino, 2015).

Conclusão
Somos alvos do amor incondicional de Deus revelado em Jesus, que
humildemente se esvaziou de si e veio a este mundo para servir, para ser o servo
sofredor que deu sua vida por amor dos seus. Ele nos ensinou e nos deixou
exemplo de amor e serviço e quer assim nos fazer felizes na plenitude da sua
graça.

Aplicação
Que este amor produza em nós verdadeira energia para transformarmos nossa
sociedade corrompida e egoísta. Que ele nos motive a amar e a cuidar uns dos
outros como a nós mesmos. Que ensinamento de Cristo transforme nossas
famílias, nossas relações de trabalho, nossas amizades, nosso modo de agir
com aqueles necessitados e desamparados. Que possamos seguir o exemplo
de Cristo. Deus nos abençoe.

Orações
Oração por Iluminação
Santo Pai que estás nos céus, nos colocamos humildemente diante de Ti para
pedir a Tua iluminação neste momento em que lemos as Santas Palavras. Fale
conosco e aplique em nós o teu santo ensino. Em Cristo, amém.

Oração de Envio
Senhor, nosso Deus, rogamos pela sua misericórdia em nossas vidas nos
ensinando a amar segundo o exemplo que nos deixastes. Ensina-nos a servir ao
nosso irmão com o amor e a humildade vindas de Ti. Nos guie no seu santo
caminho de amor para que o mundo assim nos reconheça como seus
seguidores. Em nome de Jesus que te rogamos, amém.

BIBLIOGRAFIA
Bíblia de Estudo de Genebra (Revista e Ampliada 2 ed.). (2009). Barueri, SP:
Sociedade Bíblica do Brasil - Cultura Cristã.
Calvino, J. (2015). Comentários Bíblicos. O Evangelho segundo João (Vol. 2). São
Paulo: Fiel.
Campos, H. C. (1999). O Ser de Deus e os seus atributos (2ª ed.). São Paulo, SP:
Cultura Cristã.
Carson, D. A. (2007). O Comentário de João. São Paulo: Shedd Publicações.
Farber, S. (2006). Liderança Radical. (M. C. Alves, Trad.) Rio de Janeiro, RJ:
Sextante.
Gingrich, F. W. (1984). Léxico do Novo Testamento Grego / Português. São Paulo:
Vida Nova.
Hendriksen, W. (2004). O Evangelho de João - Coleção Comentpario do Novo
Testamento. São Paulo: Cultura Cristã.
Olivetti, P. S. (2008). Novo Testamento Interlinear Analítico Grego-Português. Texto
Majoritário com Aparato Crítico (1 ed.). São Paulo, SP: Cultura Cristã.
Xavier Léon-Dufour, S. (1996). Leitura do Evangelho Segundo João - III (Vol. 15). São
Paulo: Edições Loyola.