Você está na página 1de 492

/vestibulares

Tudo o que você deveria


ter estudado em Maio

Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada
previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.
His.
Professor: Renato Pelizzari
Monitor: João Daniel

His.
O processo de independência 07/09
do Brasil e o Primeiro Reinado mai

RESUMO

José Bonifácio, patrono da independência.

Após o ano de 1822, D. Pedro teve uma grande dificuldade em consolidar a independência do Brasil, este
sofria muita oposição interna e revoltas regionais pelo país que levaram a sua abdicação em Abril de 1831. O
período de 1822 á 1831 foi marcado por uma grande turbulência política e social que marcou o Primeiro
Reinado no Brasil.

As revoltas contra a independência do Brasil começaram antes mesmo do 7 de Setembro, no Norte e


Nordeste os militares, políticos e civis portugueses não reconheciam o governo independente chegando ao
enfrentamento armado nas províncias do Grão Pará, Maranhão, Piauí e Bahia.

Em 1823, frente às tentativas de barrar o autoritarismo de D. Pedro pela Assembleia Constituinte na confecção

His.
da Constituição do império, o recém-coroado Imperador dissolveu o plenário da constituição com auxílio do
exercito e convocou dez conselheiros próximos para a confecção da constituição. Esta foi outorgada em 25
de março de 1824.

A constituição era autoritária. Além dos três poderes (legislativo, judiciário e executivo) D. Pedro I criou um
quarto poder, o Moderador, onde ele exercia o poder sozinho e poderia intervir em todos os outros poderes
e em qualquer esfera. Esta constituição inseriu também o voto censitário: somente homens, maiores de vinte
e cinco anos, alfabetizados e livres. Para ser candidato á senador ou deputado era necessária a comprovação
de renda (400.000 réis por ano para deputado federal e 800.000 réis para senador) além dos requisitos para
ser eleitor, os cargos de deputados eram temporários e os de Senador e Conselheiros de Estado eram
vitalícios, a constituição instituía o Catolicismo como religião oficial (tolerava os outros cultos desde que
domésticos ou em templos descaracterizados) e o padroado que dava direito de o imperador nomear cargos
eclesiásticos, além de tornar o imperador inimputável (não poderia ser obrigado a responder judicialmente
por seus atos).

A Confederação do Equador de 1824 foi um movimento republicano separatista entre as províncias de


Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará que estavam profundamente insatisfeitas com as políticas
centralizadoras do imperador, o movimento era composto pela classe média urbana e pelos fazendeiros
locais mas com o desenrolar dos eventos ganhou apoio popular, seu líder foi o Presidente da Província
Manuel de Carvalho Pais de Andrade que declarou guerra contra o imperador. O movimento foi rapidamente
sufocado com dezenove revoltosos condenados à morte, entre eles o Frei Caneca e Padre Mororó que
também eram líderes da revolta.

Esse movimento foi profundamente influenciado pelas rebeliões que ocorriam na Europa durante 1820 á 1848,
a luta por mais autonomia provincial foi no fim convertida em uma campanha para a emancipação da região
que sofria com uma decadência desde o fim do auge da produção açucareira, no entanto conhecia uma
recuperação desde o incentivo de D. João IV a cultura do algodão no norte de Pernambuco, que era o estado
de maior participação.

Na Guerra da Cisplatina D. Pedro amargou a sua derrota no campo militar, em 1825 a Província da Cisplatina
trinta e dois líderes nativos declaram a união as Províncias Unidas do Rio da Prata, estes naturalmente foram
apoiados por tropas das Províncias Unidas (futura Argentina). D. Pedro I enviou tropas para a região, no
entanto estes sofreram diversas revoltas já que a maior parte dos militares no Brasil haviam saído do país já
que eram fiéis a Portugal, por outro lado a marinha imperial conseguiu isolar a região, o empate militar levou
a uma mediação da Inglaterra que de a independência a República Oriental do Uruguai em 1828.

No mesmo ano o governo enfrentou uma rebelião do Corpo de Estrangeiros no Rio de Janeiro, a explicação
para a revolta tem diversas explicações a mais aceita é que boatos de que os militares brasileiros atacaram
tropas alemãs, o conflito se incendiou depois da punição de chibatadas do primeiro quartel rebelado, após
isso outros estrangeiros se uniram a revolta principalmente pela falta de pagamento. O Rio de Janeiro viveu
alguns dias de terror sendo necessário uma força tarefa de militares ingleses e franceses para proteger o Paço
Imperial, a revolta foi sufocada pelos militares brasileiros, alguns voluntários e tropas francesas e inglesas.

Execução de Frei Caneca.

Todo esse cenário desgastou demais a imagem do imperador, ele havia começado contrariando os objetivos
descentralizadores da Assembleia Constituinte de 1824, gastou vidas brasileiras e dinheiro do império em uma
guerra que saiu derrotado e sem dinheiro, não pagou os mercenários contratados, sufocou uma revolta

His.
condenando membros da Igreja Católica a morte e pesava sobre ele o assassinato de Libero Badaró em
novembro de 1830, o jornalista crítico do governo que não teve sua morte esclarecida.

Simbologia da Bandeira Imperial do Brasil.


Em uma viagem a Minas Gerais para conseguir apoio dos fazendeiros o imperador era recebido com
badaladas fúnebres nas igrejas das cidades onde passava, em seu retorno no dia 11 de março de 1831 D. Pedro
foi recebido por seus partidários portugueses com uma festa no Palácio, os brasileiros furiosos com o
imperador e sua política iniciaram protestos violentos por parte da população fluminense, que chegaram a

comerciantes portugueses saíram em defesa dos que jogaram as garrafas no imperador e partiram para cima
dos revoltosos tornando as ruas do centro do Rio de Janeiro em um praça de guerra.

Sem nenhuma condição de continuar no trono devido ao desgaste de seus atos, o imperador abdicou do
governo, em 7 de abril de 1831 deixando seu filho Pedro como sucessor do trono, contudo o imperador tinha
somente cinco anos, assim foram nomeados regentes para a administração do império inaugurando o
Período Regencial.

EXERCÍCIOS DE AULA
1. A respeito da independência do Brasil, pode-se afirmar que:
a) consubstanciou os ideais propostos na Confederação do Equador.
b) instituiu a monarquia como forma de governo, a partir de amplo movimento popular. c) propôs, a
partir das idéias liberais das elites políticas, a extinção do tráfico de escravos, contrariando os
interesses da Inglaterra.
c) provocou, a partir da Constituição de 1824, profundas transformações na estruturas econômicas e
sociais do País.
d) implicou na adoção da forma monárquica de governo e preservou os interesses básicos dos
proprietários de terras e de escravos.

2. A organização do Estado brasileiro que se seguiu à Independência resultou no projeto do grupo:


a) liberal-conservador, que defendia a monarquia constitucional, a integridade territorial e o regime
centralizado.
b) maçônico, que pregava a autonomia provincial, o fortalecimento do executivo e a extinção da
escravidão.
c) liberal-radical, que defendia a convocação de uma Assembléia Constituinte, a igualdade de
direitos políticos e a manutenção da estrutura social.
d) cortesão, que defendia os interesses recolonizadores, as tradições monárquicas e o liberalismo
econômico.

His.
e) liberal-democrático, que defendia a soberania popular, o federalismo e a legitimidade monárquica.

3.
porque há de fazê-la;
(Nabuco de Araújo, 1868).

Com base no discurso de Nabuco de Araújo, é possível apontar como importantes características do
sistema político do Império do Brasil:
a) a harmonia e a independência existente entre os poderes Legislativo, Executivo e Moderador;
b) o papel central exercido pelo Imperador, por intermédio do Poder Moderador, para a formação
do governo;
c) a adoção de um regime parlamentarista clássico, no qual a formação do governo advém
exclusivamente da vontade da maioria do Parlamento;
d) o estabelecimento de relações políticas com base no pacto definido no texto constitucional entre
o poder central e os estados federados;
e) a adoção de um sistema eleitoral baseado no princípio do sufrágio universal, o que fez com que
4. A situação econômica e social do Brasil, após o movimento de independência, em 1822, pode ser
descrita da seguinte forma:
a) O país passou da dependência econômica em relação a Portugal à subordinação em relação aos
EUA e sofreu profundas mudanças na estrutura social.
b) O país manteve a dependência econômica em relação a Portugal, adquirindo liberdade política e
social.
c) O país passou da dependência econômica em relação a Portugal à subordinação em relação à
Inglaterra, não alterando sua estrutura social colonial.
d) O país passou da dependência econômica em relação a Portugal à subordinação em relação à
França, alterando sua estrutura social colonial.
e) O país manteve a dependência econômica em relação a Portugal e não modificou sua estrutura
social colonial.

5. Ao proclamarem a sua independência, as colônias espanholas da América optaram pelo regime


republicano, seguindo o modelo norte-americano. O Brasil optou pelo regime monárquico:
a) pela grande popularidade desse sistema de governo entre os brasileiros.
b) porque a República traria forçosamente a abolição da escravidão, como ocorrera quando da
proclamação da independência dos Estados Unidos.
c) como consequência do processo político desencadeado pela instalação da corte portuguesa na
colônia.
d) pelo fascínio que a pompa e o luxo da corte monárquica exerciam sobre os colonos.
e) em oposição ao regime republicano português implantado pelas cortes.

6. O reconhecimento da independência brasileira por Portugal foi devido principalmente:


a) à mediação da França e dos Estados Unidos e à atribuição do título de Imperador Perpétuo do
Brasil a D.João VI.
b) à mediação da Espanha e à renovação dos acordos comerciais de 1810 com a Inglaterra.
c) à mediação de Lord Strangford e ao fechamento das Cortes Portuguesas.
d) à mediação da Inglaterra e à transferência para o Brasil de dívida em libras contraída por Portugal
no Reino Unido.
e) à mediação da Santa Aliança e ao pagamento à Inglaterra de indenização pelas invasões
napoleônicas.

EXERCÍCIOS DE CASA
1. A primeira Constituição Brasileira, outorgada em 1824, apresentava uma novidade em relação às

His.
monarquias constitucionais existentes no Ocidente: a existência de um quarto poder, o Poder
Moderador, idealizado pelo pensador liberal suíço Henri-Benjamim Constant de Rebecque, mas que
na prática funcionava de maneira oposta à que ele havia concebido. Sobre as características do Poder
Moderador criado pela Constituição de 1824, é CORRETO afirmar que ele assegurava:
a) a liberdade de imprensa no país.
b) o equilíbrio entre os demais poderes.
c) a participação do povo nas eleições.
d) o controle dos órgãos do Estado pelo Imperador.
e) a igualdade de todos perante as leis.

2. Qual o papel conferido ao Imperador pela Constituição de 1824?


a) Subordinação ao poder legislativo.
b) Instrumento da descentralização político e administrativa.
c) Chave de toda a organização política.
d) Articulador da extinção do Padroado.
e) Liderança do Partido Liberal.
3. A Confederação do Equador, movimento que eclodiu em Pernambuco em julho de 1824, caracterizou-
se por:
a) ser um movimento contrário às medidas da Corte Portuguesa, que visava favorecer o monopólio
do comércio.
b) uma oposição a medidas centralizadoras e absolutistas do Primeiro Reinado, sendo um movimento
republicano.
c) garantir a integridade do território brasileiro e a centralização administrativa.
d) ser um movimento contrário à maçonaria, clero e demais associações absolutistas. e) levar seu
principal líder, Frei Joaquim do Amor Divino Caneca, à liderança da Constituinte de 1824.

4. Teve razão Otoni ao afirmar que o 7 de abril f


são as massas vendo que tinham lutado para os outros, constatando que as reformas por que aspiravam
continuavam no mesmo lugar: esquecidas depois da vitória como antes dela.
(Caio Prado Jr. Evolução Política do Brasil e outros estudos)

Devemos relacionar o texto com:


a) A Inconfidência Mineira.
b) A Independência do Brasil.
c) A Abdicação de D. Pedro I.
d) A Proclamação da República.
e) A Revolução de 1930.

5. Sobre a dívida pública externa do Brasil independente, é certo afirmar que começou a ser contraída:
a) nos primeiros anos da República, por iniciativa do Ministro da Fazenda Ruy Barbosa, preocupado
com a escassez monetária.
b) por ocasião da Guerra do Paraguai, para financiar os enormes gastos decorrentes do conflito.
c) logo após a Independência, destinando-se o primeiro empréstimo a indenizar Portugal pela perda
da colônia.
d) quando se implantaram os primeiros planos de valorização do café, a partir do convênio firmado
em Taubaté, em 1906.
e) logo após a Revolução de 1930, a fim de se enfrentar o abalo financeiro resultante da crise de 1929.

6. "Morre um liberal, mas não morre a liberdade". A frase acima, atribuída a Líbero Badaró, foi pronunciada
na seguinte circunstância histórica.
a) A dissolução da Constituinte pelo Imperador em 1823.
b) As críticas ao absolutismo de Pedro I, através do jornal "O Observador Constitucional".
c) A condenação à morte dos líderes da Confederação do Equador.
d) A derrota brasileira na Guerra Cisplatina.

His.
e) A morte de patriotas brasileiros contra as forças portuguesas do General Madeira de Melo, na
Bahia.

7. Houve um estremecimento nas relações entre os Estados inglês e brasileiro, na primeira metade do
século XIX, em consequência da forte pressão que a Inglaterra exerceu sobre o Brasil a partir do
reconhecimento da Independência (1826). Tais pressões decorreram:
a) da anexação do Uruguai por D. Pedro e da sua transformação em Província Cisplatina, limitando o
comércio inglês no Prata.
b) da oposição inglesa aos privilégios alfandegários concedidos, desde 1819, aos produtos
portugueses importados pelo Brasil.
c) dos incentivos do governo brasileiro à exportação de algodão, o que tornava este produto mais
barato do que o produzido nas colônias britânicas.
d) do início da imigração européia para o Brasil, fato que poderia levar à industrialização e à
diminuição das importações de produtos ingleses.
e) da oposição do Estado inglês ao tráfico negreiro que o governo brasileiro, depois de resistir,
proibiu, em 1850.
8. Após o retorno da Família Real a Portugal, o que as Cortes Portuguesas mais temiam acabou por
acontecer, isto é, a Independência em relação ao governo português. Em 1823, instalou-se a
Assembleia Constituinte. José Bonifácio de Andrada, conhecido como "o patriarca da Independência",
em mensagem à Constituinte escreveu: "Parece útil, até necessário, que se edifique uma nova capital
do Império no interior do Brasil para assento da Corte, da Assembleia Legislativa e dos Tribunais
Superiores que a Constituição determinar. Esta capital poderá chamar-se Petrópole ou Brasília.(...)
Sendo central e interior, fica o assento do governo e do legislativo livre de qualquer assalto de surpresa
feito por inimigos externos. Chama-se para as províncias do sertão o excesso de população sem
emprego das cidades marítimas e mercantis. Como esta cidade deve ficar, quanto possível,
equidistante dos limites do Império, (...) vai-se abrir deste modo, por meio de estradas que devem sair
como raios para as diversas províncias e suas cidades interiores e marítimas, uma comunicação que de
certo criará, em breve, giro do comércio interno da maior magnitude, vistos a extensão do Império,
seus diversos climas e produções."

Em seu texto, José Bonifácio dá um motivo estratégico para a mudança da capital o ataque de
inimigos externos, além de sublinhar dois problemas, um social e outro econômico, que são:
a) A grande massa de escravos que podia revoltar-se a qualquer momento nas províncias e a falta de
estradas para o comércio interno.
b) A ausência de empregos para a mão-de-obra livre, com o uso dos escravos, gerando um grande
número de desempregados e a urgente necessidade de um comércio ativo ligando as diversas
províncias, o que tornaria o Brasil autossuficiente pela diversidade de sua produção.
c) A complexidade do problema da mão-de-obra infantil e o desejo de desviar o comércio do litoral,
que ficava exposto aos ataques externos.
d) O total desconhecimento dos reais problemas brasileiros, começando pela proposta de criação de
uma frota marítima para atacar os inimigos externos, a criação de um exército com os
desempregados e a criação de uma estrada de ferro ligando o "interland"(interior do território).
e) A proposta de uma capital dentro da província de Minas Gerais, com o intuito de aliviá-la do
excedente de mão-de-obra com o fim da mineração, e a proposta de ativar o comércio dessa nova
capital, usando tal excedente.

9. A economia brasileira, durante o período monárquico, caracterizou-se fundamentalmente:


a) O elo princípio da diversificação da produção agrária e pelo incentivo ao setor de serviços.
b) Pelo estímulo à imigração italiana e espanhola e pelo fomento à incipiente indústria.
c) Pela regionalização econômica e pela revolução no sistema bancário nacional.
d) Pela produção destinada ao mercado externo e pela busca de investimentos internacionais.
e) Pela convivência das mãos-de-obra escrava e imigrante e pelo controle do "deficit" público.

QUESTÃO CONTEXTO
A Guerra da Cisplatina foi o segundo episódio de uma longa disputa de poder na América do Sul que somente
His.
terminaria na Guerra do Paraguai em 1875. Comente brevemente os interesses brasileiros na Questão do Prata
associando com a Guerra da Cisplatina.
GABARITO

Exercícios de aula

1. e
Como grupo que patrocinou e se movimentou para a independência a ordem escravista e monárquica
seria sem dúvida mantida a mesma.

2. a
O projeto centralizador e unitário foi mantido através da força na Confederação do Equador e do
autoritarismo quanto a constituinte e o poder moderador.

3. b
O poder moderador dava um poder quase absolutista no Brasil, este será mais tarde contestado
indiretamente nas revoltas regenciais.

4. c
A esfera de dominação em cima do Brasil mudou de Portugal para a Inglaterra, esse cenário vinha sendo
montado desde a abertura dos portos em 1808.

5. c
A escolha pela monarquia deveu-se primeiramente ao príncipe regente ter declarado a independência,
como outros fatores a elite dominante do sudeste desejava manter a ordem escravocrata, centralizadora
e unitária.

6. d
A mediação da Inglaterra foi essencial para a independência pacífica, além de ter interesse em obter um
novo mercado consumidor e um credor por séculos.

Exercícios de casa

1. d
A criação do Poder Moderador não era nada liberal, sendo que este poderia intervir nos poderes

His.
anulando a independência dos três poderes.

2. c
O poder moderador conferia ao imperador uma liberdade de intervenção nos outros poderes quase
semelhante ao Antigo Regime.

3. b
A insatisfação com a falta de autonomia provincial foi um dos principais motivos do movimento, que com
a austeridade da resposta do governo declarou uma república no Nordeste.

4. c
A abdicação D. Pedro I teria sido segundo Caio Prado uma vitória contra o autoritarismo e em favor dos
anseios populares.

5. c
O Brasil não somente manteve a mesma ordem e a mesma elite, mas a mesma dependência com as
potências europeias como França e Inglaterra que tinham aqui um lucrativo mercado consumidor.
6. b
A morte do jornalista Libero Badaró foi um dos motivos da abdicação, o assassinato que recaiu sobre D.
Pedro aumentava ainda mais sua figura de autoritário.

7. e
O tráfico de escravos era um dos principais comércios no Brasil do primeiro reinado, o nefasto comércio
era perseguido pela Inglaterra que pressionava o país para a extinção do mesmo.

8. b
Bonifácio percebia um dos vários problemas existentes em uma sociedade escravista, que era o
desemprego dos livres pobres, além de um problema da falta de integração do mercado nacional.

9. d
O Brasil assumiu desde sempre posição de fazenda do mundo, sendo um primário exportador, os
empréstimos por sua vez visavam estruturar o estado que acabara de se formar.

Questão Contexto

O interesse brasileiro consistia em uma disputa de poder na região com as Províncias Unidas do Rio da Prata
e mais tarde com a Argentina que desejava unificar a região platina, sendo assim, as ações que tentaram
impedir a união da Cisplatina á futura Argentina foi uma maneira de enfraquecer as Províncias Unidas, o que
acabou dando certo já que mesmo com a intermediação inglesa foi criado um novo estado o Uruguai o que
não fortaleceu diretamente as Províncias.

His.
His.
Professor: Renato Pelizzari.
Monitor: Octavio Correa.

His.
21/23
O Segundo Reinado - Apogeu
mai

RESUMO
O Segundo Reinado se iniciou com a ascensão de D. Pedro II, em 1840, e terminou com sua queda, em 1889,
a partir da proclamação da República. Esse período pode ser dividido em três fases: um primeiro momento
de instabilidade, o apogeu e a crise, nesse resumo veremos como o Brasil alcançou uma estabilidade depois
de tantos conflitos e de um enorme esforço para manter a unidade nacional.

D. Pedro II assumiu o poder com apenas 14 anos, por meio do Golpe da Maioridade, apoiado pelos liberais
que se opuseram ao regresso imposto pelos conservadores no Período Regencial. Inicialmente havia a
necessidade de estabilizar a política brasileira e conter as revoltas regenciais que ainda ameaçavam a unidade
territorial brasileira, como a Farroupilha. A paz foi selada com os revoltosos do sul em 1845, dando o início ao
período de estabilidade no império brasileiro.

Contidas as revoltas, D. Pedro II tinha a importante tarefa de conciliar dois importantes grupos políticos que
conflitavam: os liberais e os conservadores. A estratégia do monarca veio por meio do Parlamentarismo
Brasileiro (ou parlamentarismo às avessas), que possibilitava a alternância entre liberais e conservadores no
poder, garantindo a estabilidade política, o parlamento brasileiro ao contrário do inglês tinha o Presidente
do Conselho de Ministro indicado pelo imperador, submetendo assim o parlamento, já que este poderia
demitir o Presidente do Conselho e dissolver o parlamento em algum caso de impasse.

Essa estabilidade política também deveu-se ao expressivo desenvolvimento econômico do Segundo


Reinado. Esse período foi marcado pela hegemonia do café, principal produto econômico brasileiro. A
produção cafeeira teve duas fases: a primeira se refere à produção no Vale do Paraíba e a segunda se relaciona
com a sua expansão no Oeste Paulista. A cafeicultura paulista trouxe importantes consequências
socioeconômicas, como a implantação de mão de obra livre imigrante e a expansão do sistema de ferrovias.

Nesse momento surge uma figura importantíssima para a história econômica brasileira, o Barão de Mauá, um
dos primeiros industriais do Brasil ele fez grandes obras como o primeiro estaleiro e da primeira fundição de
ferro no Brasil, instalou a estrada de ferro Mauá e o cabo submarino telegráfico entre a América do Sul e a
Europa. Além disso este controlava, em seu auge, dezesseis empresas no Brasil, Uruguai, Argentina,
Inglaterra, França e Estados Unidos. O Barão foi um exemplo do apogeu do Império Brasileiro

EXERCÍCIOS His.

1. "A enorme visibilidade do poder era sem dúvida em parte devida à própria monarquia com suas
pompas, seus rituais, com o carisma da figura real. Mas era também fruto da centralização política do
Estado. Havia quase unanimidade de opinião sobre o poder do Estado como sendo excessivo e
opressor ou, pelo menos, inibidor da iniciativa pessoal, da liberdade individual. Mas (...) este poder era
em boa parte ilusório. A burocracia do Estado era macrocefálica: tinha cabeça grande mas braços
muito curtos. Agigantava-se na corte mas não alcançava as municipalidades e mal atingia as províncias.
(...) Daí a observação de que, apesar de suas limitações no que se referia à formulação e implementação
de políticas, o governo passava a imagem do todo-poderoso, era visto como o responsável por todo
o bem e todo o mal do Império."
Carvalho, J. Murilo de. TEATRO DE SOMBRAS. Rio de Janeiro, IUPERJ/ Vértice, 1988.
O fragmento acima refere-se ao II Império brasileiro, controlado por D. Pedro II e ocorrido entre 1840
e 1889. Do ponto de vista político, o II Império pode ser representado como:
a) palco de enfrentamento entre liberais e conservadores que, partindo de princípios políticos e
ideológicos opostos, questionaram, com igual violência, essa aparente centralização indicada na
citação acima e se uniram no Golpe da Maioridade.
b) jogo de aparências, em que a atuação política do Imperador conheceu as mudanças e os
momentos de indefinição acima referidos - refletindo as próprias oscilações e incertezas dos
setores sociais hegemônicos -, como bem exemplificado na questão da Abolição.
c) cenário de várias revoltas de caráter regionalista - entre elas a Farroupilha e a Cabanagem - devido
à incapacidade do governo imperial controlar, conforme mencionado na citação, as províncias e
regiões mais distantes da capital.
d) universo de plena difusão das idéias liberais, o que implicou uma aceitação por parte do Imperador
da diminuição de seus poderes, conformando a situação apontada na citação e oferecendo
condições para a proclamação da República.
e) teatro para a plena manifestação do poder moderador que, desde a Constituição de 1824, permitia
amplas possibilidades de intervenção políticas para o Imperador - daí a ideia de centralização da
citação - e que foi usado, no Segundo Reinado, para encerrar os conflitos entre liberais e
socialistas.

2. "Gradativamente, a produção [de café] concentrada no Vale do Paraíba entrou em decadência. Antes
da Proclamação da República, o chamado Oeste Paulista superava a região do vale como grande
centro produtor".
(BORIS FAUSTO, Pequenos Ensaios de História da República - 1889/1945)

O deslocamento da produção cafeeira do Vale do Paraíba para o Oeste Paulista deveu-se, entre outros
fatores:
a) ao desenvolvimento pouco adequado do sistema de transportes.
b) à excepcional expansão do mercado interno no Oeste Paulista.
c) à presença da pequena propriedade como célula básica da agroexportação.
d) à inexistência de mão-de-obra escrava no Oeste Paulista.
e) às condições geográficas do Oeste Paulista, superiores às do Vale do Paraíba.

3. Considere o texto a seguir.

"Nada mais conservador que um liberal no poder. Nada mais liberal que um conservador na oposição..."
(Oliveira Viana)

His.
O texto se refere
a) se orientava pela doutrina de Augusto Comte
e tinha como um de seus lemas: "conservar melhorando".
b) ao conflito político entre o partido português, que queria conservar o Brasil nas mãos de Portugal,
e o partido brasileiro, que queria libertar o Brasil da dominação colonial, no início do século XIX.
c) à política parlamentar no Império Brasileiro, que fazia aparentemente distinção entre políticos
liberais e conservadores.
d) à ideologia liberal inglesa, vinda para o Brasil no século XIX, que entrou em conflito com a liberal
norteamericana, divulgada desde a Conjuração Mineira.
e) aos conservadores e liberais, no período regencial, que se distinguiam ideologicamente por
programas políticos opostos.
4. Observe o esquema.

Esse esquema representa a situação política brasileira durante o II Reinado. Nesse momento, o sistema
parlamentarista foi considerado "às avessas" porque
a) a composição ministerial era indicada pelo Imperador, mas dependia da aprovação do Legislativo.
b) o exercício do ministério estava limitado a um plano de ação imposto pelo Legislativo.
c) os Ministros de Estado deveriam prestar contas de seus atos ao Imperador e não ao Poder
Legislativo.
d) os Ministros de Estado eram escolhidos pelo Imperador e não pelo Legislativo.
e) os Ministros tinham prazo determinado para permanecer no poder, mesmo fazendo um bom
governo.

5. "Principal responsável pelas transformações econômicas, sociais e políticas ocorridas no Brasil na


segunda metade do século XIX, reintegrou a economia brasileira nos mercados internacionais,
contribuiu decisivamente para o incremento das relações assalariadas de produção e possibilitou a
acumulação de capital que, disponível, foi aplicado em sua própria expansão e em alguns setores
urbanos como a indústria, por exemplo. Foi ainda responsável pela inversão na balança comercial
brasileira que, depois de uma história de constantes déficits, passou a superavitária entre os anos de
1861 a 1885". O parágrafo acima refere-se:
a) à Borracha.
b) ao Cacau.
c) ao Algodão.
d) à Cana-de-Açúcar.
e) ao Café.

6. "É particularmente no Oeste da província de São Paulo - o Oeste de 1840, não o de 1940 - que os
cafezais adquirem seu caráter próprio, emancipando-se das formas de exploração agrária
estereotipadas desde os tempos coloniais no modelo clássico da lavoura canavieira e do 'engenho' de
açúcar".

De acordo com o autor, His.


a) o caráter próprio dos cafezais do Oeste de 1840, pode ser identificado, por exemplo, pela utilização
de mão-de-obra predominantemente escrava, ao contrário da mão-de-obra assalariada utilizada
nos engenhos.
b) a diferenciação entre o Oeste de 1840 e o Oeste de 1940 refere-se ao fato de o primeiro ser uma
região de produção cafeeira e o segundo, uma região de concentração de engenhos de açúcar.
c) o modelo clássico da lavoura canavieira e do 'engenho' de açúcar significa, em geral, um apego
grande do senhor de engenho à rotina rural, ao contrário da maior abertura dos cafezais do Oeste
de 1840 à influência urbana.
d) a diferenciação entre o caráter próprio dos cafezais do Oeste de 1840 e o modelo clássico da lavoura
canavieira explica-se, entre outros fatores, pela venda do produto dos primeiros no mercado
interno e da segunda no mercado externo.
e) as formas de exploração agrária estereotipadas desde os tempos coloniais contrapõem-se ao
caráter próprio dos cafezais do Oeste de 1840, pois as primeiras acompanharam práticas de
mandonismo político local e o segundo trouxe práticas políticas democráticas.
7. "O Brasil é o café e o café é o Vale", esta era uma frase corriqueira no Brasil de meados do século XIX.
O que levou à formulação dessa frase foi:
a) O crescimento da produção de café no vale do São Francisco, o que fez com que o Brasil se
tornasse o maior produtor mundial do produto.
b) O incremento da produção cafeeira no vale do Ribeira em São Paulo, o que alavancou a província
e sua elite ao primeiro plano de importância no período em questão.
c) A grande produção cafeeira no vale do Paraíba, que levou à supremacia dos "barões do café" no
período.
d) A supremacia da oligarquia mineira na produção cafeeira no século XIX, notadamente a do vale do
Paraíba.
e) O aumento da produção cafeeira no Oeste Paulista, o que levou o segmento oligárquico paulista
a controlar a política imperial.

8. Viam-se de cima as casas acavaladas umas pelas outras, formando ruas, contornando praças. As
chaminés principiavam a fumar, deslizavam as carrocinhas multicores dos padeiros; as vacas de leite
caminhavam como seu passo vagaroso, parando à porta dos fregueses, tilintando o chocalho; os
quiosques vendiam café a homens de jaqueta e chapéu desabado; cruzavam-se na rua os libertinos
retardios com os operários que se levantavam para a obrigação; ouvia-se o ruído estalado dos carros
de água, o rodar monótono dos bondes.
(AZEVEDO, Aluísio de. "Casa de Pensão". São Paulo: Martins, 1973)

O trecho, retirado de romance escrito em 1884, descreve o cotidiano de uma cidade, no seguinte
contexto:
a) a convivência entre elementos de uma economia agrária e os de uma economia industrial indicam
o início da industrialização no Brasil, no século XIX.
b) desde o século XVIII, a principal atividade da economia brasileira era industrial, como se observa
no cotidiano descrito.
c) apesar de a industrialização Ter-se iniciado no século XIX, ela continuou a ser uma atividade pouco
desenvolvida no Brasil.
d) apesar da industrialização, muitos operários levantavam cedo, porque iam diariamente para o
campo desenvolver atividades rurais.
e) a vida urbana, caracterizada pelo cotidiano apresentado no texto, ignora a industrialização
existente na época.

9.

His.

A charge anterior retrata uma prática política vigente durante o Segundo Reinado, que permite
caracterizar a monarquia nesse período como:
a) unitária e conservadora, em que "o Imperador reina, mas não governa"
b) federativa e multipartidária, em que o Imperador tinha a função de mediar e moderar
c) centralizada e "parlamentarista", em que o Imperador era o árbitro entre os "partidos políticos"
d) constitucional e unicameral, em que o poder moderador era a chave da administração política
10. A figura de D. Pedro II, que de órfão da nação se transformou em rei majestático, de imperador tropical
e mecenas do movimento romântico vira rei-cidadão, para finalmente imortalizar-se no mártir exilado
e em um mito depois da morte.
("As Barbas do Imperador" - Lilia M. Schwarcz)

O texto descreve o imperador tropical, Pedro II, que governou o país por meio século, atuando como
grande fator catalisador e mobilizador das forças sociais, preservando, com seu governo, sobretudo:
a) o poder das elites agrárias e a unidade territorial do país.
b) a democracia liberal segundo os modelos europeus da época.
c) a idéia da modernização da nação através do apoio do governo ao desenvolvimento industrial e
uma política protecionista.
d) O equilíbrio social e a distribuição de renda, através de políticas públicas para reduzir a exclusão.
e) as boas relações com os países platinos, privilegiando as soluções diplomáticas nos conflitos.

QUESTÃO CONTEXTO

His.
Vemos no quadro de Jean-Baptist Debret uma cena de uma rua no Rio de Janeiro, os elementos urbanos
estão bem presentes como o comércio de rua e a aglomeração de pessoas além de um certo nível de
verticalização das moradias. Essa urbanização cresceu exponencialmente durante o século XIX no sudeste
brasileiro e fez parte de um movimento de modernização do Brasil a partir da segunda metade do século XIX.

Explique essa modernização e comente um aspecto contrário da modernização presente no quadro.


GABARITO

Exercícios

1. b
um grande exemplo da falta do poder real foram as próprias revoltas regenciais anteriores a D. Pedro II,
sendo que o poder real alcançava as províncias somente pelo meio militar.

2. e
a mudança na região produtora foi por diversos motivos um deles foi a terra fértil, conhecida como terra
roxa, além disso na região predominava o modo de produção capitalista e com a maioria do trabalho
livre.

3. c
os dois partidos presentes no parlamentarismo á brasileira tinham somente pequenas diferenças, já que
ambos representavam a elite rural e econômica do Brasil.

4. d
o modelo inspirador do parlamentarismo brasileiro foi o inglês, no entanto a execução aqui foi totalmente
ao contrário dos ingleses já que o poder moderador indicava o Presidente do Conselho.

5. e
o café reintegrou o Brasil no mercado primário exportador, com seus clientes principalmente na Europa,
o café brasileiro alimentava os operários europeus nas jornadas das fábricas.

6. c
a produção rural do século XIX se moldava as novas realidades do mundo liberal, já usando mão de obra
livre por exemplo.

7. c
as mudanças nas capitais vinham patrocinadas pela economia cafeeira do interior paulista principalmente
se falarmos de melhorias urbanas e infraestrutura de transporte.

8. a His.
a sociedade descrita no texto é uma sociedade que passa por transformações inéditas na história do
Brasil, já que mesmo nas cidades e vilas coloniais a vida era superdependente do campo.

9. c
D. Pedro II intermediava e fazia intervenções nos outros poderes a fim de manter a estabilidade política
nacional.

10. a
a aristocracia rural próxima ao poder e a união nacional foram mantidas a força, principalmente se
pensarmos na questão da união durante o período regencial.
Questão Contexto

A modernização foi promovida pelo imperador em parceria com investidores europeus e brasileiros como o
Barão de Mauá que para dinamizar a economia cafeeira investiram em infraestrutura de transporte
principalmente, mas também em indústrias, levando o sudeste ao primeiro surto industrial. O principal
aspecto presente na imagem é a escravidão (que pode ser notado no canto inferior esquerdo do quadro), o
Brasil entrava novamente no mercado econômico mundial e se industrializava mas mantinha uma mão de
obra antiga já que o capitalismo industrial depende de mercado consumidor, a manutenção da escravidão
no entanto agradava a elite agrária que utilizava essa mão de obra.

His.
His.
Professor: Renato Pellizzari
João Daniel

Monitor: Octavio Correa

His.
O Segundo Reinado 21/23
Guerra do Paraguai e Crise mai

RESUMO
Para entender como se deu a crise do Segundo Reinado precisamos atentar para as transformações ocorridas
no Brasil na segunda metade do século XIX. Logo em 1850 tivemos a promulgação da lei Eusébio de Queirós
que trouxe importantes mudanças na dinâmica socioeconômica brasileira. Somaram-se a isso a atuação do
Brasil na Guerra do Paraguai e a promulgação de uma série de leis abolicionista que fizeram com que o
governo de D. Pedro II se fragilizasse e chegasse ao fim.

A lei Eusébio de Queirós (1850) definiu o fim do tráfico de escravos no Brasil. A partir de 1850 a entrada de
escravos no território brasileiro diminuiu expressivamente e foi necessário criar estratégias para continuar
abastecendo com mão de obra as lavouras cafeicultoras de início houve uma tentativa do tráfico interno de
regiões decadentes como o nordeste para as regiões mais proeminentes como o sudeste, no entanto essa
alternativa seria muito onerosa para os fazendeiros.

A alternativa para esse cenário apareceu no oeste paulista que veio a partir do incentivo à utilização de mão
de obra imigrante, principalmente italiana. Devido às péssimas condições de vida e trabalho encontradas por
esses imigrantes, a imigração começou a ser subvencionada pelo governo, muitos fazendeiros ainda nos
hábitos escravistas chegavam a castigar fisicamente os imigrantes.

No que se refere à política externa, podemos afirmar que a atuação brasileira na Guerra do Paraguai foi um
divisor de águas, marcando o início de um processo de fragilização do Segundo Reinado e de
questionamentos à política de D. Pedro II. Após a Guerra do Paraguai, os militares fortalecidos e inspirados
pelas ideias positivistas pressionavam o governo pela abolição e por um governo republicano, o imperador
não os dava atenção, já que desde a independência o governo tinha uma identificação com as alas mais civis,
isso era uma oposição aos regimes ditatoriais republicanos dos caudilhos militares da América do Sul.

A escravidão africana que durante séculos representou a base da economia brasileira também estava
chegando ao fim. Diante das pressões externas, principalmente da Inglaterra, leis abolicionistas foram sendo
progressivamente assinadas ao longo do século XIX. Começando pela Lei Eusébio de Queirós (1850), tivemos
a lei do Ventre Livre (1871), a lei dos Sexagenários (1885) e a lei Áurea (1888). A abolição definitiva da escravidão
com a lei Áurea, sem indenização aos escravistas, gerou insatisfação fazendo com que D. Pedro II perdesse

His.
apoio do mais importante grupo político, os latifundiários escravistas.

Somaram-se a isso, conflitos com a Igreja Católica por causa da prisão de dois bispos, um em Olinda e outro
no Pará por demitir membros da igreja que participaram de um encontro maçônico isso estremeceu ainda
mais a sustentação da coroa brasileira e não tardou para que a monarquia brasileira chegasse ao fim. Em 1889,
foi proclamada a República Brasileira.

EXERCÍCIOS
1. Substitui-se então uma história crítica, profunda, por uma crônica de detalhes onde o patriotismo e a
bravura dos nossos soldados encobrem a vilania dos motivos que levaram a Inglaterra a armar
brasileiros e argentinos para a destruição da mais gloriosa república que já se viu na América Latina, a
do Paraguai.
CHIAVENATTO, J. J. Genocídio Americano: a Guerra do Paraguai. São Paulo: Brasiliense, 1979 (adaptado).
dos fatos e não tem provas documentais. Contudo essa teoria tem alguma repercussão.
DORATIOTO, F. Maldita guerra: nova história da Guerra do Paraguai. São Paulo: Cia das Letras, 2002 (adaptado).

Uma leitura dessas narrativas divergentes demonstra que ambas estão refletindo sobre
a) a carência de fontes para a pesquisa sobre os reais motivos dessa Guerra.
b) o caráter positivista das diferentes versões sobre essa Guerra.
c) o resultado das intervenções britânicas nos cenários de batalha.
d) a dificuldade de elaborar explicações convincentes sobre os motivos dessa Guerra.
e) o nível de crueldade das ações do exército brasileiro e argentino durante o conflito.

2. Depois da mais sangrenta guerra travada na América Latina, no século XIX, a Argentina passou a deter
a hegemonia na Bacia Platina, o exército brasileiro perdera cem mil homens, o império entrava em
declínio e a nação derrotada via totalmente destruído seu modelo autônomo de desenvolvimento. O
conflito descrito no texto foi a:
a) Guerra Cisplatina.
b) Guerra do Paraguai.
c) Guerra do Pacífico.
d) Guerra do Chaco.
e) Revolução Mexicana.

3. Guerra do Paraguai, modernização e politização do exército e queda da Monarquia são fatos


diretamente relacionados, já que:
a) o exército identificava-se com o elitismo do governo imperial, enquanto a marinha compunha-se
basicamente de classes populares e médias, contrárias à monarquia.
b) vitorioso na guerra, o exército adquiriu consciência política, transformando-se num instrumento
de defesa da abolição e do republicanismo.
c) a derrota na guerra e o endividamento do país fortaleceram a oposição militar ao regime imperial.
d) embora sem vínculos com ideias positivistas, o exército aproximou-se dos republicanos radicais.
e) para combater os interesses das camadas médias que apoiavam o governo monárquico, o exército
desfechou o golpe de 15 de novembro.

4. A Guerra do Paraguai (1864 - 1870) teve como principal motivo:


a) o interesse brasileiro no potencial hídrico do Paraguai, resultando na construção da hidrelétrica
de Itaipu.
b) o interesse da Inglaterra na destruição do Paraguai, devido à possibilidade de concorrência na
região andina.

His.
c) a invasão das terras brasileiras pelo Paraguai e o aprisionamento do navio Marques de Olinda no
porto de Assunção.
d) o interesse paraguaio nas terras brasileiras e bolivianas para formar o Grande Paraguai, obtendo
uma saída para o Oceano Pacífico.
e) o interesse da Tríplice Aliança em restaurar a democracia e garantir aos grandes proprietários e ao
povo paraguaio a devolução das terras tomadas na Guerra do Charco pelo ditador Francisco
Solano López.

5. Leia o texto a seguir sobre a Guerra do Paraguai.


Enquanto o café seguia sua marcha no Oeste Paulista e as propostas de abolição gradual da escravatura
davam os primeiros passos, um acontecimento internacional iria marcar profundamente a história do
segundo Império. Esse acontecimento foi a Guerra do Paraguai, travada por mais de cinco anos, entre
11 de novembro de 1864, quando ocorreu o primeiro ato das hostilidades, e 1 de março de 1870. Ela é
conhecida, na América espanhola, como Guerra da Tríplice Aliança.
BORIS, F. "História do Brasil". São Paulo: Edusp, 1995. p. 208.
A declaração de guerra do Paraguai ao Brasil deu início ao mais longo conflito em território americano.
Pode-se afirmar que a Guerra do Paraguai:
a) resultou do acirramento da competição na região do Prata, especialmente pelo controle da
produção de charque.
b) foi incentivada pelo apoio da Inglaterra ao Paraguai, na tentativa de fortalecimento do controle
econômico sobre a região da Prata.
c) teve como consequência a demonstração de poder político da Inglaterra, especialmente após a
Questão Christie.
d) levou à formação da Tríplice Aliança, unindo Brasil, Argentina e Uruguai, contra o Paraguai de
Francisco Solano López.
e) ocasionou uma nova composição de forças, envolvendo Brasil, Argentina e Bolívia, após o
aprisionamento do navio brasileiro "Marquês de Olinda", pelo Uruguai.

6.
da população cerca de duzentas mil pessoas noventa por cento do sexo feminino. Dos vinte mil
homens ainda com vida, setenta e cinco por cento eram velhos acima de sessenta anos ou garotos
menores de dez anos. Os próprios aliados ficaram abismados com a enormidade da catástrofe, a maior
Mânlio Gancogni e Ivan Boris.

O texto refere-se ao conflito externo em que se envolveu o Império Brasileiro, conhecido como a
Guerra:
a) da Cisplatina.
b) do Chaco.
c) de Canudos.
d) do Paraguai.
e) dos Farrapos.

7. Quintino Bocaiúva, pouco antes da proclamação da República, disse: "Sem a força armada ao nosso
lado, qualquer agitação de rua seria não só um ato de loucura... mas principalmente uma derrota de
rua antecipada." A propósito da participação dos militares na Proclamação da República, pode-se
afirmar que:
a) o Republicanismo era um movimento uniforme, articulado em torno de proposições como a de
uma aliança sólida e permanente com os militares.
b) Silva Jardim e Benjamim Constant eram partidários de uma revolução popular, apoiada pelos
militares, visando universalizar a cidadania.
c) a pluralidade de propostas políticas e sociais existente se traduzia em divergências variadas, como
o papel dos militares na eclosão do movimento.
d) revela o desinteresse de todas as lideranças do exército com relação à questão da cidadania, da

His.
adesão popular e da participação democrática.
e) o Republicanismo brasileiro foi inspirado pelos EUA, onde os militares desempenharam um papel
preponderante na criação do Regime Republicano.

8. A abolição do tráfico africano pode ser considerada um dos principais fatores explicativos do
definhamento progressivo do escravismo no Brasil. Privada da fonte atlântica de abastecimento de
cativos, a classe senhorial do Império teve que apelar para o tráfico interno entre as províncias. Deste
se beneficiou o sudeste, região que concentrava 87% da população cativa do país entre 1870 e 1880.
No ano de 1887, às vésperas da Abolição, 15% da população cativa estava na província de São Paulo.
Assinale a opção que caracteriza melhor a dinâmica da economia cafeeira no século XIX em função do
problema da mão-de-obra.
a) A cafeicultura do oeste paulista ancorada nas colônias de parceria não se baseou no trabalho livre,
mas em relações semi-escravistas, como demonstra a revolta dos imigrantes de Rio Claro na
década de 40.
b) A abolição do tráfico africano conduziu ao reforço da escravidão nas antigas províncias do Rio de
Janeiro e Minas Gerais, sobretudo no Vale do Paraíba, ao contrário do ocorrido em São Paulo,
cujos cafeicultores optaram, desde logo, pelo trabalho assalariado de imigrantes.
c) A abolição do tráfico africano não conduziu, de imediato, à crise do escravismo, uma vez que a
população cativa do país aumentou extraordinariamente até a década de 80, sobretudo no sudeste,
graças ao crescimento vegetativo ocorrido entre africanos e crioulos.
d) A crise da economia cafeeira no Vale do Paraíba Fluminense deveu-se mais ao desgaste dos
cafezais plantados em encostas, do que à falta de braços para a lavoura, ao passo que, no oeste
paulista, a abundância de solos de "terra roxa" e o trabalho dos colonos impulsionaram a
cafeicultura da região.
e) A expansão cafeeira no sudeste desenvolveu-se com base no trabalho escravo, inclusive no oeste
paulista, não obstante ali se tenha adotado em larga escala, o trabalho juridicamente livre de
imigrantes ao longo dos anos 80.

9. O texto abaixo foi extraído de uma crônica de Machado de Assis e refere-se ao trabalho de um escravo.
"Um dia começou a guerra do Paraguai e durou cinco anos, João repicava e dobrava, dobrava e
repicava pelos mortos e pelas vitórias. Quando se decretou o ventre livre dos escravos, João é que
repicou. Quando se fez a abolição completa, quem repicou foi João. Um dia proclamou-se a república.
João repicou por ela, repicara pelo Império, se o Império retornasse."
(MACHADO, Assis de "Crônica sobre a morte do escravo João", 1897)

A leitura do texto permite afirmar que o sineiro João:


a) por ser escravo tocava os sinos, às escondidas, quando ocorriam fatos ligados à Abolição
b) não poderia tocar os sinos pelo retorno do Império, visto que era escravo.
c) tocou os sinos pela República, proclamada pelos abolicionistas que vieram libertá-lo.
d) tocava os sinos quando ocorriam fatos marcantes porque era costume fazê-lo.
e) tocou os sinos pelo retorno do Império, comemorando a volta da Princesa Isabel.

10. "A Princesa Imperial Regente, em nome de sua Majestade o Imperador, o Senhor Dom Pedro II, faz
saber a todos os súditos do Império que a Assembleia Geral decretou e Ela sancionou a lei seguinte:

Art. 1o . - É declarada extinta desde a data desta lei a escravidão no Brasil."


(COLEÇÃO DE LEIS - DAS LEIS DO IMPÉRIO DO BRASIL - IMPRENSA NACIONAL)

Com relação à lei anterior, é correto afirmar que:


His.
a) atendeu aos interesses dos fazendeiros de café do Vale do Paraíba e senhores de engenho do
Nordeste.
b) a Lei Áurea solapou o poder econômico e político de setores da elite agrária que se vinculavam ao
Império.
c) o mercado de trabalho absorveu esta mão-de-obra nas indústrias em expansão, carentes de
trabalhadores.
d) se desvinculou das Leis do Ventre Livre e do Sexagenário, atrelando-se aos interesses da oligarquia
monocultora.
e) aproximou da Monarquia importantes líderes como Benjamin Constant, José Bonifácio e Aristides
da Silveira Lobo.
QUESTÃO CONTEXTO

Desde a Lei Eusébio de Queiroz vemos o definhamento do tráfico de escravos no Brasil, essa lei foi fruto de
inúmeras pressões internas e internacionais para o fim dessa infeliz atividade, alguns produtores de café como
os do Oeste Paulista que tinham um modo de produção capitalista com mão de obra livre apostaram na

a) Explique por que o escravismo é uma mão de obra contrária ao desenvolvimento do capitalismo
industrial.
b) Explique os motivos dos fazendeiros e governantes recorrerem e incentivarem as imigrações.

His.
GABARITO
Exercícios
1. d
as correntes de explicações para a Guerra do Paraguai divergem no ponto do interesse brasileiro, no
entanto vemos que o Brasil estava com as relações rompidas com a Inglaterra devido aos ocorridos com
a Questão Christie.

2. b
a autonomia econômica brasileira foi perdida devido os altos custos da guerra, a região era distante do
principal polo produtor e comercial do Brasil, o Rio de Janeiro.

3. b
o exército depois da guerra ganhou uma imagem mais positiva junto da população, seu convívio com
militares republicanos e seus investimentos durante a guerra transformaram o em um agente político.

4. c
o início do conflito foi dado pelos paraguaios ao invadirem terras brasileiras depois de terem abrigado o
presidente uruguaio Bernardo Berro, além de aprisionar o navio Marquês de Olinda junto com o
presidente da província do Mato Grosso.

5. d
a tríplice aliança foi fatal ao Paraguai, que tinha um exército mal armado e mal pago e aguentou mal a
longa duração da guerra.

6. d
a diminuição da população adulta masculina e a que maior consumia foi um duro golpe para a
recuperação econômica daquele país.

7. c
com a diversa pluralidade de ideologias somente a presença militar garantiria a vitória do movimento
republicano.

8. e
o desenvolvimento do café no Oeste Paulista apesar de se iniciar com o trabalho escravo se desenvolveu
mais tarde com os imigrantes europeus devido a dificuldade de obtenção dos escravos.

9. d His.
levando em conta a carência de tecnologias de comunicação o anúncio dos acontecimentos pelos sinos
era o modo em que se fazia das notícias as vilas e cidades afastadas da capital.

10. b
o principal apoiador do império era a elite agrária, tanto a açucareira quanto a cafeeira, já que eles eram
responsáveis quase pela totalidade das exportações do império.

Questão Contexto
a) A escravidão não permite que os seus trabalhadores consumam os produtos e bens produzidos já
que os escravos não têm uma vida independente sendo que sua taxa de consumo é limitada pela
vontade do proprietário.
b) No fim do século XIX eram muito populares as teorias pseudocientíficas que defendiam a
superioridade branca em cima das outras raças, assim a imigração de italianos brancos foi incentivada
His.
Professor: Renato Pellizzari
João Daniel
Monitor: Octavio Correa

His.
Independência da América 28/30
Espanhola mai

RESUMO
A Espanha exercia um rígido controle sob suas colônias, o pacto colonial era muito presente nas
terras dominadas em território americano, esse pacto era especialmente rigoroso para evitar a evasão dos
metais preciosos aqui explorados. Porém como esse sistema forçava somente comércio dos colonos com a
metrópole espanhola os da América tinham que vender seus produtos pelo preço que Madrid decidia e
comprar no preço que a coroa impunha.
Os movimentos de independência da América Espanhola iniciaram-se já durante o século XVIII, mas
suas lutas intensificaram a partir de 1810 e durou até 1833, a administração espanhola no continente estava
dividida em quatro vice-reinos: Vice- Reino da Nova Espanha (México e parte dos Estados Unidos), Vice-
Reino de Nova Granada ( Colômbia e Equador), Vice- Reino do Peru ( Peru e Bolívia) e Vice- Reino do Rio da
Prata (Paraguai, Uruguai e Argentina). A administração era feita em capitanias gerais, que eram em quatro
também: Cuba, Guatemala, Chile e Venezuela.
A pirâmide social nos territórios americanos era formada com os Chapetones nascidos na Espanha,
eram os administradores, clérigos e oficiais mandados pela metrópole. Ocupavam o topo da pirâmide,
seguidos dos criollos que eram filhos de espanhóis brancos nascidos em terras americanas representando a
elite econômica que controlava os ayuntamientos e cabildos, abaixo dos filhos dos espanhóis havia os
mestiços que eram os filhos de espanhóis com indígenas ou negros que eram trabalhadores livres artesãos e
pequenos comerciantes em sua maioria e abaixo dos mestiços eram os escravos negros e indígenas em
regime de trabalhos compulsório pela Mita e Encomienda. Como podemos observar a estratificação era por
pureza de sangue não havendo muita possibilidade de mobilidade social.
O processo emancipatório foi comandado essencialmente pelos criollos, que dominavam as câmaras
municipais e tinham como a principal ocupação a agro-exportação ou comércio. Essa classe burguesa na
América geralmente havia se formado na Europa, absorvendo vários conceitos liberais e os trazidos para suas
colônias, tinham em geral um sentimento de pertencimento com a terra onde nasceram e sentiam-se
culturalmente ligados, não podemos esquecer que a maioria dos criollos eram comerciantes e estritamente
contra o pacto colonial que limitava sua liberdade econômica e principalmente seus lucros.
Assim as elites locais se organizaram ideologicamente e iniciaram seus movimentos de resistência
contra as medidas abusivas da colônia e posteriormente pela emancipação, os movimentos começaram
durante o domínio napoleônico da Espanha que fez a metrópole abandonar a colônia o que deu início ao
período antecessor da independência que chamamos de período dos Cabildos Livres onde os munícipios e
vilas estavam sob o controle dos criollos, apesar de ter o ideário e a estratégia controlados pelas elites
econômicas as classes mais baixas da sociedade tiveram um papel essencial nesse movimento, sendo que

His.
logo após as independências americanas foi declarada a emancipação dos trabalhos compulsórios de
maneira geral.
Esses movimentos tiveram um caminho lento e violento até o objetivo final, já que diferente do Brasil,
eles eram movimentos que além de romper com a dominação colonial rompiam também com a ordem
vigente já que a maioria deles era republicana, com exceção do México que teve um breve período de
monarquia independente dos espanhóis, depois foi instaurada uma república como nas outras ex-colônias.
O movimento contou com dois líderes mais proeminentes, Simón Bolivar e José de San Martin,
ambos eram criollos e militares do exército espanhol. Simón Bolívar nasceu em Caracas (atual Venezuela) em
1783, e após uma tentativa fracassada de independência junto com Francisco Miranda liderou seu próprio
movimento emancipando os atuais países da Colômbia, Bolívia, Equador, Venezuela, Panamá e Peru. Morreu
em 1830 aos quarenta e sete anos, sua morte até hoje é envolta em suspeitas de envenenamento.
José de San Martín nasceu em 1778 em Yapeyú (atual Argentina), era militar espanhol como seu pai.
Estudou em Málaga na Espanha concluindo seus estudos em 1785, lá lutou contra a ocupação napoleônica,
foi Londres e encontrou-se com outros revolucionários da libertação americana, em 1812 volta a América e
liberta o Chile em 1818 e o Peru em 1821, sendo conclamado o protetor desse país. Lutou ao lado de Bolívar
no interior do Peru contra o resto da resistência espanhola, após desentendimentos com Símon, San Martín
abandona o campo.
A emancipação política da América Espanhola acarretou na ascensão política dos criollos, que foram
os articuladores e os maiores interessados economicamente, assim estes formaram a elite administrativa e
econômica que governou até meados do século XX. Grande parte dos países latino americanos ficaram na
dependência econômica dos ingleses durante todo o século XIX, os libertadores instalaram um regime
republicano, porém não conseguiram ou não tentaram acabar com as desigualdades sociais até hoje gritantes
pela américa latina.

EXERCÍCIOS
1. Na independência de países da América Latina, da Bélgica, da Grécia e da Bulgária, e nas unificações
italiana e alemã, esteve presente o:
a) marxismo, que se constituiu em elemento aglutinador dos partidários das revoluções.
b) nacionalismo, que figurou como força revolucionária no século XIX.
c) iluminismo, que representou a base ideológica dos movimentos reacionários de restauração.
d) liberalismo, que serviu de sustentação para o retorno à velha ordem econômica do século XVIII.
e) bonapartismo, que representou o apoio dos setores militares às lideranças locais.

2. O processo de modernização na América Latina (1870-1914) está associado


a) à pluralidade de partidos políticos, à ampla participação popular e à industrialização.
b) à organização sindical, à construção de estradas de ferro e à reforma agrária.
c) às reformas urbanas, ao estímulo à cultura letrada e à chegada da eletricidade.
d) ao sufrágio universal, à vigência de leis trabalhistas e à expansão da criação de universidades.
e) ao poder crescente da Igreja, à limitação de capitais externos e à dinamização do sistema bancário.

3. Octávio Paz, escritor mexicano, assim se referiu à participação de índios e mestiços no movimento de
Independência do México: A guerra se iniciou realmente como um protesto contra os abusos da
metrópole e da alta burocracia espanhola, mas também, e sobretudo, contra os grandes latifundiários
nativos. Não foi a rebelião da aristocracia contra a metrópole, mas sim a do povo contra a primeira. Daí
que os revolucionários tenham concedido maior importância a determinadas reformas sociais que à
independência propriamente dita: Hidalgo decreta a abolição da escravatura; Morelos a divisão dos
latifúndios. A guerra de Independência foi uma guerra de classes e não se compreenderá bem o seu
caráter se ignorarmos que, diferente do que ocorreu na América do Sul, foi uma revolução agrária em
gestação.
(O labirinto da solidão, 1976.).
Segundo o autor, a luta pela Independência do México
a) contou com o apoio dos proprietários rurais, embora eles considerassem desnecessária a questão
da ruptura com a Espanha.
b) opôs-se aos ideais políticos do Iluminismo europeu, dividindo o país em regiões politicamente

His.
independentes.
c) recebeu a solidariedade de movimentos revolucionários europeus, dado o seu caráter de guerra
popular.
d) enfraqueceu o Estado Nacional, favorecendo a anexação de territórios mexicanos pelos Estados
Unidos da América.
e) apresentou um caráter popular, manifestando questões sociais de longa duração na história do país.

4.
eu, por exemplo, prendo um indivíduo que sei que está tramando uma conspiração [contra o governo],
violo a lei. Maldita lei então que não deixa o braço do governo proceder livremente no momento
oportuno. [...] De minha parte, sei dizer que, com lei ou sem ela, essa senhora que chamam de

ministro chileno, em 1834.


Nesse texto, Portales está defendendo uma visão:
a) liberal, que privilegia o respeito às leis e à justiça.
b) aristocrática, que valoriza o regime monárquico.
c) federalista, que salvaguarda os interesses das províncias.
d) elitista, que defende os direitos do indivíduo.
e) autoritária, que garante a ordem acima de tudo.

5. Organizada com base na exploração estabelecida pelo mercantilismo metropolitano espanhol, a


sociedade colonial apresentava, no topo da escala hierárquica:
a) os criollos, grandes proprietários e comerciantes que, por constituírem a elite colonial,
participavam das câmaras municipais.
b) os chapetones, que ocupavam altos postos militares e civis.
c) os calpulletes, que ocupavam altos cargos administrativos dos chamados ayuntamientos.
d) os mestiços, que, por serem filhos de espanhóis, podiam estar à frente dos cargos político
administrativos.
e) os curacas, donos de grande quantidade de terra, que administravam os cabildos.

6. A Inglaterra apoiou os movimentos de Independência da América Espanhola no século XIX


fundamentalmente porque:
a) necessitava de novos mercados consumidores e fontes de matérias primas
b) visava implantar na América as ideias liberais defendidas por Locke
c) buscava o auxílio militar das colônias espanholas contra Napoleão
d) queria dominar o tráfico de escravos para a América
e) pretendia dar continuidade à política mercantilista naquelas áreas em detrimento dos interesses do
nascente capitalismo industrial.

7. No princípio do século XIX, as colônias espanholas na América tiveram condições de deflagrar um


movimento antimetropolitano que resultou na independência política dessas áreas coloniais. Vários
fatores estiveram associados àquele movimento; entre eles, destaca(m)-se a(s):
a) crise institucional portuguesa, que possibilitou o processo de independência brasileiro, o qual se
tornou um modelo na América Latina.
b) guerras travadas pelo Império Napoleônico, que alteraram o equilíbrio de forças na Europa e se
refletiram nos domínios coloniais europeus.
c) deliberações políticas do Congresso de Viena, as quais foram favoráveis à independência de
colônias de nações europeias.
d) Doutrina Monroe, que apregoava a independência e a autonomia política das nações latino-
americanas frente aos Estados Unidos.
e) a ajuda militar da Santa Aliança que logrou em ajudar os movimentos emancipacionistas da América

His.
Latina contra os exércitos metropolitanos da Espanha.

8. As colônias da América Latina conquistaram sua independência no decorrer do século XIX. Com
relação a isso, assinale a alternativa correta.
a) O Brasil foi a única ex-colônia que, uma vez livre do domínio da antiga metrópole, estruturou um
governo monárquico e com uma frágil mas garantida unidade territorial.
b) No geral, o processo de conquista da autonomia política pelas colônias americanas foi pacífico,
sem ter ocorrido forte oposição da Espanha e Portugal contra os movimentos, pois estavam
enfrentando as forças napoleônicas na Europa.
c) Na grande maioria os movimentos de independência foram conduzidos pelas elites, com exceção
do México, que, teve em Pancho Vila o herói de sua independência.
d) Após a independência política, os países da América Latina passaram a sofrer a influência dos
Estados Unidos que era, na época, o principal parceiro econômico dos mesmos.
e) Imediatamente após a conquista da independência, os estados latino-americanos recém instados
passaram por um período marcado pela instabilidade política e pela pacificação
9. e para o Haiti, miserável, degradado, dificilmente poderá pensar que o país foi o cenário
da 'única revolta de escravos bem-sucedida da História'. No momento da Revolução Francesa, em 1789,
a colônia francesa das Índias Ocidentais de Santo Domingo representava dois terços do comércio
exterior da França e era o maior mercado individual para o tráfico negreiro europeu. Era a maior colônia
do mundo, o orgulho da França e a inveja de todas as outras nações imperialistas. Sua estrutura era
sustentada pelo trabalho de meio milhão de escravos. Dois anos após a Revolução Francesa, com seus
reflexos em Santo Domingo, os escravos se revoltaram. Numa luta que se estendeu por 12 anos, eles
derrotaram os brancos locais e os soldados da monarquia francesa, debelando também uma invasão
espanhola, uma tentativa de invasão britânica com cerca de 60 mil homens e uma expedição francesa
de tamanho similar comandada pelo cunhado de Napoleão. A derrota dessa expedição resultou no

SADER, Emir. A grande revolução negra. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 04 jan. 2004.

Refletindo acerca da Revolução Francesa, da Independência do Haiti e do processo de emancipação


das colônias na América, pode-se concluir que:
a) Os processos de emancipação das antigas colônias espanholas e portuguesas na América
assemelhavam-se, em todos os aspectos, inclusive na adoção do regime de governo dos novos
estados.
b) A burguesia disputava espaço político na França. Essa luta repercutiu para além do continente
europeu e influenciou os processos de emancipação política nas colônias ibéricas na América.
c) A Independência do Brasil sofreu influência dos ideais da Revolução Francesa e Haitiana, o que
ocasionou a Proclamação da República e também a Abolição da escravatura.
d) Os processos de emancipação no continente latino-americano foram influenciados, tanto pela
Revolução Francesa, quanto pela Haitiana, o que resultou na Independência de todas as colônias
espanholas na América, ainda na década de 1820.
e) Os ideais burgueses tiveram repercussão sobre as guerras de independência das colônias
hispânicas, no século XIX, salvo o caso do Vice-Reino do Peru.

10. Leia o texto a seguir:


peso do mundo
exterior, as ambiguidades da escravidão em contraste com os desafios das inovações que emanava dos
principais centros do capitalismo. As usinas, ao substituírem os velhos engenhos, davam novo tom à
vida. O mundo dos sobrados e das cidades, do vapor, das pontes de aço e das ferrovias, dos bacharéis,

Fonte: MOTA, C. G. A experiência brasileira (1500-2000) formando história ideias de Brasil: Formação de problemas (1817-
1850). Viagem incompleta. São Paulo: Ed. SENAC SP, 2000, p. 234.

Baseado no texto, é correto afirmar:


a) A monarquia brasileira se adequara aos ditames do progresso tecnológico e ao livre-mercado.
b) A tradição do cotidiano colonial contrastava com as inovações do capitalismo industrial e da

His.
economia liberal.
c) Os atrativos da vida urbana fomentaram a intensa migração do campo para a cidade
d) O liberalismo econômico da Inglaterra lucrava com o tráfico negreiro, sendo favorável a manter o
trabalho escravo.
e) Os abolicionistas defendiam o fim do trabalho escravo e da monarquia, com a consolidação do
regime republicano.

QUESTÃO CONTEXTO
A invasão da França napoleônica em diversos países auxiliou na independência de várias colônias europeias
na América espanhola e na portuguesa, assim, comente os diferentes auxílios que as guerras napoleônicas
deram as lutas por emancipação.
GABARITO

Exercícios

1. b
o nacionalismo foi vital para a formação dos novos países do século XIX da Europa ás Américas.

2. c
o estímulo a industrialização foi o principal pontapé para a modernização dos países.

3. e
o texto faz alusão a luta das classes mexicanas que foi anterior a ruptura com a metrópole espanhola.

4. e
a característica dos governos na América Latina foi principalmente um populismo ditatorial que via a
manutenção da ordem sempre.

1. b
os chapetones eram os administradores e oficiais militares residentes da colônia, mas eram sempre
espanhóis da metrópole.

2. a
como a maior produtora industrial, ela tinha que conquistar novas áreas de influência.

3. b
o império napoleônico foi vital para a independência, principalmente na época dos cabildos livres.

4. a
a unidade territorial brasileira foi mantida graças ao empenho no combate das rebeliões regenciais.

5. b
a luta da burguesia francesa foi libertadora tanto para as elites econômicas da América Espanhola quanto
os jacobinos negros como eram chamados os libertadores do Haiti.

6. b His.
a exploração colonial, principalmente as baseadas na mão de obra escrava era um atraso ao capitalismo
de mercado industrial.

Questão Contexto

Apesar de ter ajudado nos movimentos as guerras napoleônicas ajudaram a América portuguesa e a espanhola
de diferentes formas, no caso brasileiro a vinda forçada da família real para o rio de Janeiro deu as bases de
infraestrutura do estado brasileiro, já no caso espanhol a queda da monarquia espanhola deu uma imensa

na colônia estavam sob o comando dos Criollos estavam sem a supervisão espanhola.
His.
Professor: Renato Pellizari
Monitor: Octavio Correa

His.
28/30
Independência das 13 colônias
mai

RESUMO

Mapa das treze colônias iniciais.

Com a crise do absolutismo no mundo inteiro, houve um enrijecimento das políticas coloniais, os
idealistas ao redor do mundo punham em ação seus planos de liberdade e igualdade ao redor da Europa,
embasados no pensamento iluminista. Porém esses ideais ganharam forma primeiramente na América, mais
especificamente na costa leste estadunidense, as treze primeiras colônias inglesas que mais tarde viriam a
formar os Estados Unidos.
Essas regiões tinham suas peculiaridades no pacto colonial. Não havendo uma forma igual de
exploração do território, o sul das treze colônias era agroexportador com grandes latifúndios, monocultura

His.
e com mão de obra escrava, ou seja, viviam no sistema de plantation, estes seguiam o pacto colonial á risca
e não tinham liberdade comercial. Já o Norte era povoado principalmente por protestantes fugidos da
Inglaterra, era mais manufatureiro e industrial, com um comércio (inclusive escravista) muito proeminente e
com a agricultura baseada em pequenas propriedades além de ter maior liberdade comercial por causa da
negligência salutar por parte dos ingleses.
A negligencia salutar é um ponto de enorme importância no estudo sobre a independência dos EUA,
a coroa inglesa durante a colonização do Norte deu liberdade comercial e política aos colonos já que o norte
não produzia metais preciosos não dando grandes lucros para a metrópole, isso aconteceu dentro do
contexto pré-capitalista do mercantilismo, no entanto essa negligência deu a oportunidade dos colonos no
norte se desenvolverem nas bases do iluminismo e do liberalismo de mercado, dando início a uma nova fase
no capitalismo.
Isso fez com que diversos desempregados na Inglaterra migrassem para o continente americano,
além disso o clima de liberdade religiosa constante atraiu outros perseguidos por sua fé, a oferta de terra foi
um atrativo já que muitos camponeses ingleses perderam suas terras por causa dos cercamentos. Assim
diversas pequenas propriedades familiares voltadas para o consumo, companhias de comércio e indústrias
têxteis começaram a surgir, no caso das indústrias têxteis o sul era o principal fornecedor de algodão no caso
dos escravos os principais compradores do norte eram os colonos sulistas.
Porém depois da metade do século XVIII a coroa inglesa teve uma guinada colonialista quanto a
administração das treze colônias, esse endurecimento se deu com a Lei do Açúcar em 1764 (instituía-se uma
taxa adicional para o açúcar de origem de fora das colônias britânicas), Lei do Selo em 1765 (que obrigava a
compra de um selo para todos os documentos que circulassem dentro da colônia) e a Lei do Chá em 1773
(que obrigava os colonos a somente consumirem chá dos território britânicos). Estas leis foram também para
suprir uma necessidade financeira provocada pela guerra dos sete anos entre ingleses e franceses, pelos
domínios coloniais na América do Norte.

Representação da Boston Tea Party.

Com essas leis que tolhiam a liberdade econômica anterior e reforçava o pacto colonial, os colonos
do Norte começaram a arquitetar planos para fim da dominação colonial britânica. A primeira reação foi a
Boston Tea Party onde os revoltosos disfarçados de nativos americanos derrubaram toda a mercadoria de
chá de uma embarcação inglesa no mar.
A coroa inglesa decidiu então fechar o porto de Boston e promulgar leis que controlassem mais a
regulações foi
feito em resposta ao Primeiro Congresso da Filadélfia que ainda não tinha pretensões emancipatórias e queria
somente a revogação do endurecimento do pacto e a representação das colônias no Parlamento Inglês.
Porém a coroa não aceitou as reivindicações dos colonos e aumentou ainda mais o controle sobre a colônia,
assim durante o Segundo Congresso da Filadélfia, em quatro de Julho de 1776, os revoltosos decidiram
romper politicamente com a Inglaterra e fundar uma nação independente.

His.

George Washington vê a primeira bandeira estadunidense.

A Inglaterra obviamente não acatou as resoluções do congresso e mandou tropas para repelir o
movimento emancipatório, instaurou-se então uma guerra de independência que durou até os tratados de
paz de Paris em 1783, onde o novo país teria suas terras aumentadas dos Montes Alpalaches até o Rio
Mississipi, é importante citar que os revoltosos foram bem sucedidos em suas campanhas, pois receberam
extensa ajuda francesa em sua campanha, um dos ilustres combatentes foi o Marquês de Lafaiete, que mais
tarde comandou a Guarda Nacional, durante o período revolucionário na França.
Durante os anos finais da guerra de independência decidiu-se criar uma federação e não uma
república centralizada como é hoje, já que o ideal desde o início das guerras de independência era o de criar
estados soberanos que se unissem espontaneamente a uma Confederação, no entanto no período da
Confederação (1781-1789) havia calorosos debates entre os federalistas e os anti-federalistas. Os anti-
federalistas defendiam uma autonomia das antigas colônias de um modo mais soberano e os federalistas
defendiam uma centralização do poder com uma constituição, exército e impostos federais.
O argumentos dos federalistas como Samuel Adams era a prevenção do nascimento de um poder
centralizador e ditatorial como uma monarquia , já os federalistas como Benjamin Franklin usavam o
argumento de uma nação centralizada ser forte a possíveis investidas militares ao norte pelo Canada por parte
dos ingleses ou por parte dos espanhóis da Nova Espanha (atual Flórida e México) além disso temia-se a
dominação comercial, ou territorial dos estados maiores como a Virgínia e Nova York em cima dos menores
como Delaware e Connecticut.
No fim os vencedores do debate foram os federalistas que propunham um governo central, em
setembro 1787 na Assembleia Continental ratificou a constituição que os Estados Unidos têm hoje com a
sedição dos federalistas a proposta dos anti-federalistas da primeira emenda que garante as liberdades de
expressão, reunião e de imprensa. Assim aos poucos os estados que ainda resistiam na ideia da confederação
foram aos poucos aderindo a constituição e em 1789 forma-se os Estados Unidos que conhecemos hoje.

EXERCÍCIOS
1. Em 1773, procurando aliviar as dificuldades financeiras da Companhia das Índias Orientais, o governo
britânico concedeu-lhe o monopólio do chá nas colônias. Os colonos reagiram e disfarçados de índios,
patriotas de Boston, abordaram navios que transportavam chá, lançando a mercadoria nas águas do
porto.
(H. C. Allen. História dos Estados Unidos da América)

A ação descrita pelo texto levou o parlamento britânico a promulgar, em 1774, as Leis Coercitivas ou,
como foram chamadas pelos colonos, Intoleráveis. Tais leis:
a) lançavam impostos sobre vidro e corantes;
b) interditavam o porto de Boston até que fosse pago o prejuízo causado pelos colonos;
c) proibiam a emissão de papéis de crédito na colônia que, até então, eram usados como moeda;
d) impunham aos colonos os custos do alojamento e fornecimento de víveres para as tropas britânicas
enviadas para a colônia;
e) enfraqueceram a autoridade do governador de Massachusetts.

2.
direitos inalienáveis, que entre estes estão a vida, a liberdade e a busca da felicidade. Que para garantir
esses direitos são instituídos entre os homens governos que derivam os seus justos poderes do
consentimento dos governados; que toda vez que uma forma qualquer de governo ameace destruir
esses fins, cabe ao povo o direito de alterá-la ou aboli-la e instituir um novo governo, assentando a sua
fundação sobre tais princípios e organizando-lhe os poderes da forma que pareça mais provável de

A Declaração de Independência dos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Zahar, 2004, p. 53.
His.
Sobre a Declaração de Independência dos Estados Unidos, é correto afirmar que:
a) Defendia o princípio da igualdade de direitos dos seres humanos, mas condenava o direito à
rebelião como uma afronta à ordem social.
b) O radicalismo da sua formulação, com respeito ao direito de rebelião dos escravos, provocou forte
reação dos proprietários de escravos em toda a América.
c) Sua formulação foi baseada no ideário liberal-iluminista e acabou influenciando outros movimentos
políticos na América e na Europa.
d) Influenciada pelos tratadistas espanhóis, a declaração defendia a origem do poder divino e
condenava a desobediência dos subordinados.
e) A declaração sustentava que os governos poderiam cercear a liberdade dos indivíduos em nome da
segurança e da felicidade coletivas.

3. "O puritanismo era uma teoria política quase tanto quanto uma doutrina religiosa. Por isso, mal tinham
desembarcado naquela costa inóspita, (...) o primeiro cuidado dos imigrantes (puritanos) foi o de se
organizar em sociedade".
Esta passagem de A DEMOCRACIA NA AMÉRICA, de A. de Tocqueville, diz respeito à tentativa:
a) malograda dos puritanos franceses de fundarem no Brasil uma nova sociedade, a chamada França
Antártida.
b) malograda dos puritanos franceses de fundarem uma nova sociedade no Canadá.
c) bem-sucedida dos puritanos ingleses de fundarem uma nova sociedade no Sul dos Estados Unidos.
d) bem-sucedida dos puritanos ingleses de fundarem uma nova sociedade no Norte dos Estados
Unidos, na chamada Nova Inglaterra.
e) bem-sucedida dos puritanos ingleses, responsáveis pela criação de todas as colônias inglesas na
América.

4. A Constituição dos Estados Unidos da América, de 1787, é considerada a primeira experiência


significativa de Estado federal. Isso se deve:
a) ao princípio constitucional baseado na pluralidade de centros de poder soberanos e coordenados.
b) ao princípio constitucional caracterizado pela inexistência de leis gerais válidas para toda a nação.
c) ao princípio constitucional baseado na absoluta submissão das unidades federativas ao governo
central.
d) ao princípio constitucional de garantia dos direitos individuais do cidadão e das minorias sociais.
e) ao princípio constitucional baseado no corporativismo e na negação do direito de rebelião e
insubordinação política.

5. O processo da emancipação das Treze Colônias Inglesas da América do Norte, na segunda metade do
século XVIII, é denominado de Revolução Americana, pois:
a) representou o fim do pacto colonial naquela parte do continente americano, servindo de modelo
para os demais processos emancipatórios americanos.
b) rompeu o Pacto Colonial mercantilista e criou uma sociedade liberal e democrática para todos os
setores sociais.
c) foi a primeira etapa das Revoluções Liberais que, a partir de então, iriam propagar-se somente na
Europa.
d) assinalou o início de uma sociedade capitalista, baseada no trabalho assalariado, livre das
instituições feudais.
e) a ideologia de seus grandes líderes era a mesma que caracterizaria, pouco tempo depois, a
Revolução Inglesa.

6. O chá veio da China e atingiu a Europa no início do século XVII, com o primeiro carregamento
chegando a Amsterdã em 1609. A partir do século XVIII, a Inglaterra torna-se o principal importador de
chá da Europa. Nesse mesmo período, o chá consistiu em importante bebida da população dos Estados
Unidos da América, ainda colônia inglesa. A partir desse contexto, marque a alternativa CORRETA:

His.
a) Esse período é marcado pela questão dos impostos, especialmente a aprovação, em 1773, do
imposto inglês sobre o chá, produto importado e muito consumido pelos colonos.
b) Em meados do século XVIII, fortaleceram-se as relações entre colonos norte-americanos e a sua
metrópole inglesa, especialmente com o apoio dos colonos contra os invasores espanhóis.
c) Além do imposto sobre o chá, o Parlamento inglês aprovou também o imposto sobre o açúcar. No
entanto, essa lei não foi tão grave, pois esse produto não era importante para os Estados Unidos,
que, nessa época, quase não consumiam açúcar.
d) A Lei do Chá está relacionada ao episódio em que colonos ingleses, vestidos de índios, jogaram
um carregamento de chá no mar, no porto de Boston. Esse incidente radical levou a Inglaterra a
reconhecer a independência dos Estados Unidos.
e) Os conflitos entre Inglaterra e França (Guerra dos Sete Anos - 1756-1763) estão relacionados
diretamente à 'Guerra de Secessão' norte-americana.
7. No período de 1756 a 1763, franceses e ingleses enfrentaram-se num conflito denominado Guerra dos
Sete Anos. O continente americano destacou-se por ser o principal teatro de operações beligerantes.
Foi resultado desse conflito a vitória:
a) francesa, que lhe garantiu o total controle das regiões do Canadá e Vale do Ohio.
b) inglesa, que favoreceu a autonomia política das colônias contra o absolutismo francês.
c) espanhola, que se aproveitando da fragilidade dos envolvidos, ampliou seu território a partir do
México.
d) francesa, que ampliou a autonomia política das colônias em favor do comércio com a Guiana
Francesa.
e) inglesa, que saiu enfraquecida economicamente e tornou mais rígido seu controle sobre as
colônias, desencadeando a Revolução Americana.

8. Os processos de ocupação do território americano do Norte simbolizam, para muitos historiadores, a


presença do ideário europeu no Novo Mundo. Os pioneiros ingleses do Mayflower construíram uma
sociedade baseada na justiça e no cumprimento dos valores religiosos e morais protestantes. Essa base
fundadora teve papel essencial na formação dos Estados Unidos da América.

Assinale a opção que contém a relação correta entre a fundação e a formação dos Estados Unidos.
a) A Revolução Americana de 1776 representou, nos Estados Unidos, a presença dos valores da
Revolução Francesa, mostrando como os americanos estavam sintonizados com a Europa e não
queriam se separar da Inglaterra.
b) A Revolução Americana de 1776 foi o episódio que representou, de forma mais cabal, a presença
da tradição dos primeiros colonos, através do sentido de liberdade e da ideia de "destino
manifesto".
c) A Revolução Americana de 1776 apresentou valores que eram oriundos das culturas indígenas da
região americana e por isso garantiu a expressão radical de liberdade, na revolução.
d) A revolução de 1776 foi um episódio isolado na história dos Estados Unidos, pois fundamentou-se
em valores de unidade que não foram capazes de fazer dos Estados Unidos um país americano.
e) A Revolução Americana de 1776 foi apenas um ensaio do que ocorreria no século XIX nos Estados
Unidos, por isso, podemos pensá-la como um apêndice da Guerra de Secessão, esta sim vinculada
à Revolução Francesa.

9. "São verdades incontestáveis para nós: que todos os homens nascem iguais; que lhes conferiu o
Criador certos direitos inalienáveis, entre os quais o de 'vida, o de liberdade e o de buscar a felicidade'".
(Declaração de Independência, 4 de julho de 1776)

Acerca da Independência das Treze Colônias, é correto afirmar que


a) a ruptura com a metrópole foi efetivada pelas classes sociais dominantes coloniais, o que fez com

His.
que as demandas dos mais pobres fossem barradas e que não houvesse solução imediata para a
questão escravista.
b) comandada pelos setores mais radicais da pequena burguesia, os colonos criaram uma república
federativa, considerando, como pilares fundamentais da nova ordem institucional, as igualdades
política e social.
c) sua efetivação só foi possível devido à fragilidade econômica e militar da Inglaterra, envolvida com
a Guerra dos Sete Anos com a França, além da aliança militar dos colonos ingleses com a forte
marinha de guerra da Espanha.
d) o desejo por parte dos colonos de emancipar-se da metrópole Inglaterra nasceu em uma
conjuntura de abertura da política colonial, na qual, a partir de 1770, as Treze Colônias foram
autorizadas a comerciarem com as Antilhas.
e) o processo de ruptura colonial foi facilitado em decorrência das identidades econômicas e
políticas entre as colônias do norte e as do sul, praticantes de uma economia de mercado, com o
uso da mão de obra livre.
10. Uma forma de arrecadação de imposto e de censura foi imposta pela metrópole inglesa aos colonos
das Treze Colônias, em 1765, através da(s):
a) leis denominadas, pelos colonos, intoleráveis;
b) Lei do Selo;
c) Lei Townshend;
d) criação de um tribunal metropolitano de averiguação de preços e documentos na colônia.
e) permissão de circulação exclusiva de jornais ingleses metropolitanos.

QUESTÃO CONTEXTO

Após a consolidação a declaração de independência o principal impasse entre os estadunidenses foi sobre a
organização da nova república, ou como uma federação com estados com soberania sob um congresso
continental ou uma república centralizada com um presidente, impostos e exército.
Sendo assim exemplifique um argumento dos defensores da confederação e um dos estados unificados.

His.
GABARITO
Exercícios
1. b
os colonos sofreram as represálias das leis intoleráveis e começaram o movimento pela sua revogação e
pela participação dos colonos no parlamento, o que no fim evoluiu para uma luta por emancipação.

2. c
a independência dos EUA é chamada de Revolução Americana por ter um caráter de rompimento da
ordem do antigo regime, como propunha essas teorias, sendo o primeiro país das américas a alcançar a
independência.

3. d
a colonização nos Estados Unidos foi influenciada por motivos religiosos, os puritanos perseguidos se
refugiaram no novo continente e aplicaram o seu modo de vida que valorizava o modo capitalista e o
trabalho.

4. a
apesar da constituição centralizadora e a figura de um presidente os estados desde aquele ano guardam
uma autonomia não vista em outros países.

5. a
sendo a primeira a romper com o pacto colonial a independência dos EUA serviu de modelo para outros
movimentos emancipatórios como a Inconfidência Mineira.

6. a
os impostos foram feitos em virtude do rombo nos cofres ingleses após a guerra dos sete anos, e um dos
produtos onde os ingleses mais lucrariam seria o chá.

7. e
a relação entre a guerra dos sete anos com a independência é tão íntima que dificilmente sem o aumento
de impostos haveria uma insurreição dos colonos, já que estes tinham liberdade de comércio e
prosperavam muito por causa da negligência salutar.

8. b

His.
a ideia do destino manifesto previa o direito dos colonos de ocupar a América e leva-la no sentido do
povoamento do Oeste que estava despovoado.

9. a
o comando da independência foi totalmente capitaneada pelas elites coloniais, portanto os interesses da
elite foram os que estavam em pauta.

10. b
a lei do selo foi uma das formas para a arrecadação pós-guerra dos sete anos, essa lei foi um dos estopins
para o movimento emancipatório.

Questão Contexto
Os defensores da Confederação eram temerosos de um comando central despótico, que fossem contra os
interesses particulares dos estados além disso havia a incógnita de como seria o sistema representativo dessa
nova nação, por outro lado os defensores da unificação defendiam que com os estados soberanos seriam
frágeis frente uma invasão inglesa pelo Canadá ou espanhola pelo Vice Reino da Nova Espanha além desse
argumento havia o que previa uma dominação dos estados maiores como a Virgínia e Nova York sob os
estados maiores o que anularia uma confederação.
Geo.
Professor: Claudio Hansen
Monitor: Vinicius Brean

Geo.
07/09
Teorias Demográficas
mai

RESUMO
A população mundial, no ano de 2018, chegará ao valor aproximado de 7,5 bilhões de habitantes. O
estudo demográfico procura entender as razões e os efeitos desse crescimento. A preocupação com o ritmo
do crescimento populacional não é algo recente e, para explicar a razão desse crescimento e suas
consequências, surgiram diversas teorias demográficas.

Principais teorias demográficas


Teoria Malthusiana

Formulada por Thomas Malthus, no final do século XVIII. Segundo ele, haveria um desequilíbrio entre
o crescimento populacional e a disponibilidade de alimentos. Esse desequilíbrio levaria a um quadro de fome,

O equívoco dessa teoria consiste no fato de que Malthus não previu que os avanços tecnológicos na
agricultura e na indústria seriam capazes de aumentar a produção de alimentos, que se tornou muito além
de necessária para sustentar a população.

Teoria Reformista ou Marxista

Surgiu a partir da formulação de diversos pensadores que contestavam a Teoria Malthusiana por
defender os interesses burgueses e a manutenção dos estratos sociais como forma de conter o crescimento
populacional. Segundo essa teoria, a desigualdade não estava na relação entre o número de pessoas e a
produção de alimentos, mas sim na má distribuição de renda. Por se aproximar das teorias formuladas por
Karl Marx, também ficou conhecida como Teoria Marxista.

A Teoria Reformista defende que a solução para essa desigualdade seria a formulação de políticas
públicas que visem combater a pobreza e a aplicação de direitos trabalhistas que assegurem a renda do

Geo.
trabalhador.

Teoria Neomalthusiana

Após a Segunda Guerra Mundial, em 1945, a população mundial cresceu consideravelmente, uma
grande explosão demográfica, tanto nos países desenvolvidos quanto nos subdesenvolvidos, que ficou

a crescer, fazendo-se necessário um controle da natalidade através de métodos contraceptivos.

Teoria Ecomalthusiana

Essa é a teoria mais recente, segundo a qual o crescimento populacional exagerado exerce uma
grande pressão sobre os recursos naturais, o que pode ser um risco irreversível para o futuro ao
intensificarem-se impactos ambientais, como o Aquecimento Global e o desmatamento. Portanto, a solução
seria o desenvolvimento sustentável.

Uma crítica feita a essa teoria é o fato de que desconsidera o fator econômico como fundamental para
compreender a pressão sobre os recursos naturais, uma vez que os países ricos são os que mais impactam o
meio ambiente, apesar de apresentarem taxas de natalidade cada vez menores.
EXERCÍCIOS DE AULA
1. Os mecanismos regentes da dinâmica populacional são objetos de discussões teórico-ideológicas que
orientam as ações adotadas para controlá-la. Sobre as teorias demográficas e a dinâmica populacional,
é possível afirmar, de forma correta, que:
a) os seguidores da teoria de Malthus, sobre a população, consideram o grande crescimento
populacional um obstáculo ao desenvolvimento socioeconômico da humanidade, defendendo
políticas de controle radical da natalidade entre as classes sociais mais pobres.
b) o aumento da expectativa de vida da população mundial decorreu dos avanços da medicina, da
higiene sanitária, da tecnologia alimentar e da alfabetização em massa, que elevou as taxas de
natalidade e o crescimento vegetativo nos países em desenvolvimento.
c) os métodos anticoncepcionais, difundidos em todo o mundo, eliminaram o risco de explosão
demográfica e asseguraram taxas de natalidade e de crescimento vegetativo uniforme e
equilibrado, nos diversos continentes e países entre as diferentes classes sociais que os habitam.
d) o desenvolvimento técnico-científico permitiu a ocupação de áreas antes consideradas
anecúmenas, como o norte da Ásia e a África Equatorial, que passaram a ser povoadas e populosas,
devido ao grande crescimento demográfico nelas ocorrido no século XX.
e) os movimentos migratórios são responsáveis pela difusão da população na Terra e pela existência
de equilíbrio nas estruturas, por sexo, por idade e por ocupação, nos continentes, países ou regiões
e lugares onde ocorrem mais intensamente.

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES. Em material para análise de determinado marketing político, lê-se
a seguinte conclusão: A explosão demográfica que ocorreu a partir dos anos 50, especialmente no Terceiro
Mundo, suscitou teorias ou políticas demográficas divergentes. Uma primeira teoria, dos neomalthusianos,
defende que o crescimento demográfico dificulta o desenvolvimento econômico, já que provoca uma
diminuição na renda nacional per capita e desvia os investimentos do Estado para setores menos produtivos.
Diante disso, o país deveria desenvolver uma rígida política de controle de natalidade. Uma segunda, a teoria
reformista, argumenta que o problema não esta na renda per capita e sim na distribuição irregular da renda,
que não permite o acesso à educação e saúde. Diante disso o país deve promover a igualdade econômica e
a justiça social.

2. Qual dos "slogans" a seguir poderia ser utilizado para defender o ponto de vista neomalthusiano?
a) "Controle populacional - nosso passaporte para o desenvolvimento"
b) "Sem reformas sociais o país se reproduz e não produz"
c) "População abundante, país forte!"
d) "O crescimento gera fraternidade e riqueza para todos"

Geo.
e) "Justiça social, sinônimo de desenvolvimento"

3. Qual dos "slogans" a seguir poderia ser utilizado para defender o ponto de vista dos reformistas?
a) "Controle populacional já, ou país não resistirá."
b) "Com saúde e educação, o planejamento familiar virá por opção!"
c) "População controlada, país rico!"
d) "Basta mais gente, que o país vai pra frente!"
e) "População menor, educação melhor!"

4. "Os países ricos, em função de sua renda mais elevada e conseqüente nível de consumo, são
responsáveis por mais de metade do aumento da utilização de recursos naturais. A população dos
países mais pobres do mundo paga, proporcionalmente, o preço mais elevado pela poluição e
degradação das terras, das florestas, dos rios e dos oceanos, que constituem o seu sustento. Uma
criança que nascer hoje em Nova lorque, Paris ou Londres vai consumir, gastar e poluir mais durante a
sua vida do que 50 crianças em um país 'em desenvolvimento'."
(Adapt.) Relatório do Desenvolvimento Humano/ PNUD, 1998.
Baseando-se nos princípios explicativos das teorias demográficas, o texto acima:
a) Concorda com a teoria Reformista, que atribui ao excesso populacional a causa da miséria no
mundo, constituindo uma ameaça aos recursos naturais necessarios à sobrevivência humana.
b) Comprova a teoria Neomalthusiana, que defende a necessidade de controlar a natalidade nos
países pobres, para que eles possam atingir os níveis de desenvolvimento e consumo dos países
ricos.
c) Nega a teoria Malthusiana, que defende a elevação do padrão de vida e de consumo nos países
pobres, entendendo a fecundidade como uma variável independente a ser controlada.
d) Nega a teoria Neomalthusiana, que identifica uma população numerosa como principal causa do
desemprego, pobreza e esgotamento dos recursos naturais.
e) Comprova a teoria Malthusiana, que associa crescimento populacional e esgotamento dos
recursos naturais, defendendo a necessidade de reformas socioeconômicas para preservá-los.

5. A seguir, temos alguns exemplos de argumentos que podem ser utilizados como formas de
contestação ao neomalthusianismo.
I. A dinâmica demográfica vem revelando que o planeta não vem passando por uma explosão
demográfica, mas sim por uma transição demográfica, com a queda nas taxas de mortalidade, que
é posteriormente acompanhada pela diminuição da natalidade.
II. O grande erro do neomalthusianismo é acreditar que os problemas sociais são causados pelo
excesso populacional, quando, na verdade, são as desigualdades do sistema capitalista as
responsáveis pela fome e miséria no mundo.
III. A falha da perspectiva antinatalista encontra-se na ineficácia dos sistemas contraceptivos, que não
são capazes de evitar o elevado número de nascimentos, sobretudo entre a população mais jovem.

Dentre os raciocínios apresentados, qual(is) faz(em) parte das contestações utilizadas atualmente ao
neomalthusianismo?
a) somente a afirmativa I
b) somente as afirmativas II e III
c) somente as afirmativas I e II
d) nenhuma das afirmativas
e) todas as afirmativas

6. As previsões
sobre os recursos naturais não se confirmaram, notadamente, porque:
a) o processo de globalização permitiu o acesso voluntário e universal a meios contraceptivos
eficazes,

países mais pobres.

Geo.
b) as ações governamentais e a urbanização implicaram forte queda nas taxas de natalidade, exceto
em países muçulmanos e da África Subsaariana, entre outros.
c) o estilo de vida consumista, maior responsável pela degradação dos recursos naturais, vem sendo
superado desde a Conferência Rio-92.
d) os fluxos migratórios de países pobres para aqueles ricos que têm crescimento vegetativo negativo
compensaram a pressão sobre os recursos naturais.

EXERCÍCIOS DE CASA
1. Assinale qual dos princípios a seguir não representa as premissas da teoria malthusiana:
a) utilização de métodos contraceptivos para controle populacional.
b) as populações humanas crescem em progressão geométrica, enquanto a produção de alimentos
cresce em progressão aritmética.
c)
d) controle no número de casamentos entre populações de baixa renda.
2. A teoria neomalthusiana representou a retomada de alguns dos ideais desenvolvidos por Thomas
Malthus, sendo mais fortemente defendida a partir da segunda metade do século XX, após o término
da Segunda Guerra Mundial.

O principal dos eventos históricos associado a essa ocorrência é:


a) a transição demográfica
b) o baby boom
c) a redução das taxas de natalidade
d) o processo de descolonização da África

3.

Adaptado de ADOUMIÉ, Vincent et al. Histoire géographie, 6ème. Paris: Hachette Éducation, 2004

A ilustração expressa uma perspectiva sobre o crescimento da população mundial coerente com a
seguinte teoria demográfica:
a) liberal
b) malthusiana.
c) marxista.
d) neomalthusiana.
e) reformista.

Geo.
4.

Retirado de: <Discurso Retórico>. Acesso em: 10/10/2014


O conteúdo da charge acima se alinha a que tipo de teoria demográfica?
a) Neomalthusianismo, pois considera a pobreza como fruto da ausência de políticas de distribuição
de remédios e de democratização da saúde.
b) Reformista, pois critica as desigualdades sociais em razão do preconceito das classes mais
abastadas da sociedade.
c) Malthusianismo, por afirmar que as populações de elevada renda crescem em proporções
menores do que as populações de baixa renda.
d) Reformista, por apregoar o direito das camadas mais pobres das estratificações sociais de terem
acesso aos medicamentos anticoncepcionais.
e) Neomalthusianismo, por defender que as melhorias sociais manifestam-se a partir do controle do
crescimento populacional por meio de métodos contraceptivos.

5. Thomas R. Malthus (1766-1834) defendia a tese de que a população crescia em patamares superiores
aos da produção de alimentos, o que causaria graves convulsões sociais em razão do excesso de
pessoas no mundo. Como solução para esse problema, Malthus propôs:
a) a difusão de métodos de controle da natalidade, como medicamentos e acessórios que inibissem
a natalidade.
b) o controle moral da população de baixa renda, que só deveria ter filhos caso pudesse sustentá-
los.
c) a revolução na forma de produzir alimentos, que deveriam aumentar em termos quantitativos e
qualitativos.
d) a distribuição de renda, de forma que as populações mais ricas, em minoria, deveriam ceder mais
recursos para a maioria pobre.
e) a expansão de infraestruturas sociais, com melhorias também nos campos da saúde, educação e
segurança.

6.

Geo.

Disponível em: <Jornal GGN>. Acesso em: 10/10/2014.

No charge, de Angeli, temos a evidência da seguinte teoria demográfica:


a) Reformista ou marxista.
b) Neomalthusiana.
c) Ecomalthusiana.
d) Transição demográfica.
e) Malthusiana.
7.
poderosamente para o desenvolvimento das contradições econômicas, sociais e políticas. O número
de camponeses sem terra e dos desempregados não cessa de crescer, certamente para o maior lucro,
a curto prazo, dos industriais e proprietários fundiários, mas as tensões sociais não param de se ampliar.
O aumento da população não é excessivo senão em relação a um crescimento econômico restrito, e
o impulso demográfico não teria tomado tal velocidade e engendrado tais dificuldades se a natalidade

Adaptado de Lacoste, Ives. Geografia do subdesenvolvimento. 7 ªed. São Paulo: Difel, 1985. p.119-126.

A partir desse fragmento e das teorias sobre esse assunto, considere as afirmativas abaixo.
I. O autor retrata as ideias da teoria neomalthusiana, que se caracteriza pela explícita oposição às
ideias malthusianas.
II. O autor propõe a adoção de uma política antinatalista rigorosa sem a qual não seria possível o
desenvolvimento socioeconômico.
III. A solução para os problemas sociais e econômicos não pode basear-se, unicamente, na limitação
dos nascimentos e, sim, em uma melhor distribuição de renda, o que melhora a qualidade de vida
da população.

Marque a alternativa correta.


a) Apenas I e II estão corretas.
b) Apenas II está correta.
c) Apenas III está correta.
d) Apenas I e III estão corretas.

QUESTÃO CONTEXTO
Com base nos estudos das nossas aulas, cite duas das principais teorias demográficas que procuram explicar
as razões e os efeitos do crescimento populacional.

Geo.
GABARITO
Exercícios de aula

1. a
Malthus acreditava que esses problemas gerados pelo crescimento seriam associados principalmente aos
mais pobres, e que a solução estaria em uma política antinatalista, chamada de Controle Moral, onde
persistia o controle da natalidade, abstinência sexual, aumento da idade média dos casamentos,
diminuição do número de filhos, entre outros fatores que tendesse a diminuir as taxas de natalidade
principalmente entre as populações mais carentes economicamente

2. a
A Teoria Neomalthusiana defende o controle do crescimento populacional para conter o avanço da
miséria nos países subdesenvolvidos.

3. b
A Teoria Populacional Reformista, ao contrário da Neomalthusiana, afirma que a superpopulação é
consequência(e não causa) do subdesenvolvimento.

4. d
Teoria Neomalthusiana justificaraia a pobreza de um país devido a alta quantidade populacional.

5. c
As principais contestações ao neomalthusianismo afirmam que, em primeiro lugar, o crescimento da
população após a Segunda Guerra foi momentâneo e tratava-se de uma transição demográfica, e não de
uma explosão de nascimentos. Em segundo lugar, muitos teóricos afirmam que os problemas de fome e
miséria não ocorrem pela falta de alimentos, mas pela má distribuição de riquezas no mundo atual.

6. c
As previsões levantadas pelos neomalthusianos sobre os problemas gerados pelo excesso populacional
não se confirmaram principalmente porque as relativas melhorias nas condições de vida das populações
(incluindo educação), salvo em alguns países subdesenvolvidos, propiciaram a rápida redução das taxas
de natalidade em todo o mundo.

Geo.
Exercícios de casa

1. a
Thomas Malthus, em suas teorias demográficas, acreditava no risco do crescimento desordenado das
populações em relação à disponibilidade de alimentos. Por isso, ele defendia o controle moral da
população de baixa renda, defendendo que os pobres não deveriam procriar ou se casar se não
pudessem manter os seus filhos. Malthus também era contrário a métodos contraceptivos, em razão de
sua formação religiosa.

2. b
Após o término da Segunda Guerra Mundial, houve um grande crescimento populacional em todo o
baby boom
disponibilidade de recursos e o número de habitantes.

3. d
A tirinha faz uma crítica aos neomalthusianos, sobre os problemas gerados pelo excesso populacional.
4. e
A charge transmite a ideia que a causa de certas famílias viverem abaixo da linha da pobreza é a elevada
fecundidade. Com isso, o cartum aproxima-se dos ideais neomalthusianos, que admitem o uso de
métodos contraceptivos para controle populacional.

5. b
Malthus, em virtude de sua filiação religiosa, era contrário ao uso de métodos contraceptivos e concebeu
Só ter filhos se pudesse sustentá-los.

6. a
Na charge, o autor critica as relações de desigualdade social, algo que, entre as teorias populacionais,
apenas a concepção reformista o faz

Questão Contexto

Com base nos estudos realizados em aula podemos destacar a teoria neomalthusiana e a teoria marxista
(também chamada de reformista). A teoria neomalthusiana foi elaborada no pós Segunda Guerra
Mundial. A teoria dizia que se o crescimento demográfico não fosse contido, os recursos naturais da terra
se esgotariam em pouco tempo. Foi sugerida uma rigorosa política de controle de natalidade aos países
subdesenvolvidos. A contestação deste argumento reside no fato de que é necessário melhorar a
distribuição de renda. As teorias reformistas atribuem aos países ricos ou desenvolvidos a
responsabilidade pela intensa exploração imposta aos países pobres ou subdesenvolvidos, o que resultou
em excessivo crescimento demográfico e pobreza generalizada. Os partidários dessa teoria defendem a
adoção de reformas socioeconômicas para superar os graves problemas. A redução do crescimento
demográfica seria consequência dessas reformas.

Geo.
Geo.
Professor: Claudio Hansen
Monitor: Vinicius Brean

Geo.
07/09
Pirâmides Etárias e PEA
mai

RESUMO
Pirâmides demográficas
São gráficos que expressam o número de habitantes de uma cidade, estado ou país, a partir de sua
distribuição por gênero (homens e mulheres) e faixa etária (jovens, adultos e idosos).

A pirâmide etária é dividida horizontalmente em três partes:

Sendo:

Base: corresponde à população jovem.


Corpo: corresponde à população adulta.
Ápice: corresponde à população idosa.

A idade limite de cada grupo varia de uma pirâmide etária para outra. Essas idades ficam sinalizadas no
eixo vertical do gráfico. Essa pirâmide também é dividida em dois lados, que são correspondentes aos
gêneros masculino e feminino.
Compreender a representação de uma determinada população permite observar a tendência de
crescimento populacional e, com isso, é possível realizar um planejamento populacional futuro. Por exemplo,
se a parte mais larga da pirâmide é a faixa de jovens, há necessidade de investimentos na educação; se a parte
mais larga é a faixa de adultos, há necessidade de criação de mais oportunidades de emprego; se a faixa de
idosos é a mais larga, há necessidade de atenção à questão previdenciária.

Geo.
Destacam-se quatro tipos de pirâmides mais comuns:

Pirâmide jovem: apresenta uma base larga, devido à elevada natalidade da população, e as outras
partes menos largas. Geralmente, é associada aos países subdesenvolvidos.
Pirâmide adulta: apresenta a base larga, porém, observa-se que o corpo e o ápice têm se alargado,
ou seja, é uma pirâmide de transição.

Pirâmide envelhecida: apresenta o corpo mais largo que as outras partes da pirâmide. Geralmente, é
associada aos países desenvolvidos.

Pirâmide rejuvenescida: nessa pirâmide, observa-se a tendência de crescimento da população jovem,


devido ao aumento da fecundidade.

Geo.

PEA – População Economicamente Ativa

PEA (População Economicamente Ativa) é um conceito utilizado para designar a quantidade da


população inserida no mercado de trabalho ou exercendo algum tipo de atividade remunerada. Não existe
um método universal para definir aqueles que fazem parte da PEA. Por exemplo, em países subdesenvolvidos
geralmente o índice inclui pessoas em uma faixa etária de 10 a 60 anos, enquanto nos países desenvolvidos
considera-se a faixa etária acima de 15 anos.
Para nos referir à parcela da população que está desempregada, ou seja, que não exerce nenhuma
atividade remunerada denominamos como População Economicamente Inativa. Nela está inclusa crianças
menores de 10 anos e estudantes, ou pessoas que não estão a procuram de emprego.
EXERCÍCIOS DE AULA
1.

A interpretação e a correlação das figuras sobre a dinâmica demográfica brasileira demonstram um(a)
a) Menor proporção de fecundidade na área urbana.
b) Menor proporção de homens na área rural.
c) Aumento da proporção de fecundidade na área rural.
d) Queda da longevidade na área rural.
e) Queda do número de idosos na área urbana.

Geo.
Texto relativo às questões 2, 3 e 4.

Os gráficos abaixo, extraídos do sítio eletrônico do IBGE, apresentam a distribuição da população brasileira
por sexo e faixa etária no ano de 1990 e projeções dessa população para 2010 e 2030.

2. A partir da comparação da pirâmide etária relativa a 1990 com as projeções para 2030 e considerando-
se os processos de formação socioeconômica da população brasileira, é correto afirmar que
a) a expectativa de vida do brasileiro tende a aumentar na medida em que melhoram as condições
de vida da população.
b) a população do país tende a diminuir na medida em que a taxa de mortalidade diminui.
c) a taxa de mortalidade infantil tende a aumentar na medida em que aumenta o índice de
desenvolvimento humano.
d) a necessidade de investimentos no setor de saúde tende a diminuir na medida em que aumenta a
população idosa.
e) o nível de instrução da população tende a diminuir na medida em que diminui a população.

3. Se for confirmada a tendência apresentada nos gráficos relativos à pirâmide etária, em 2050,
a) a população brasileira com 80 anos de idade será composta por mais homens que mulheres.
b) a maioria da população brasileira terá menos de 25 anos de idade.
c) a população brasileira do sexo feminino será inferior a 2 milhões.
d) a população brasileira com mais de 40 anos de idade será maior que em 2030.
e) a população brasileira será inferior à população de 2010.

4. Se forem confirmadas as projeções apresentadas, a população brasileira com até 80 anos de idade
será, em 2030,
a) menor que 170 milhões de habitantes.
b) maior que 170 milhões e menor que 210 milhões de habitantes.
c) maior que 210 milhões e menor que 290 milhões de habitantes.
d) maior que 290 milhões e menor que 370 milhões de habitantes.
e) maior que 370 milhões de habitantes.

5.

Geo.

A proporção de homens e mulheres nesta pirâmide etária é explicada pelo comportamento do


indicador demográfico denominado:
a) taxa de migração
b) expectativa de vida
c) crescimento vegetativo
d) sobremortalidade feminina
6. As pirâmides etárias brasileiras

Nas duas últimas décadas, o governo federal vem propondo ações no sentido de oferecer uma
resposta às transformações na composição etária da população brasileira. Essas ações têm seguido
uma tendência que se manifesta mais diretamente na seguinte iniciativa:
a) revisão das bases da legislação sindical
b) alteração das regras da previdência social
c) expansão das verbas para o ensino fundamental
d) ampliação dos programas de prevenção sanitária

EXERCÍCIOS DE CASA
1. A análise das pirâmides etárias possibilita perceber algumas tendências da dinâmica demográfica de
uma sociedade.
Observe a estrutura etária da população dos estados brasileiros em 2000:

Geo.
A macrorregião brasileira que deverá demorar mais para concluir seu processo de transição
demográfica é a:
a) Centro-Oeste
b) Nordeste
c) Sudeste
d) Norte

2. A dinâmica demográfica brasileira ilustra o acelerado crescimento ocorrido a partir de 1940 [...]. Esse
processo foi contínuo até 1960, quando o crescimento populacional atingiu o ápice, com taxas médias
de crescimento de quase 3% ao ano. A partir daquela década, elas começaram a declinar até atingir
1,6% no censo de 2000 e continuam
LUCCI, E. A. et. al. Território e sociedade no mundo globalizado: Geografia Geral e do Brasil. Ensino Médio. Editora Saraiva,
2005. p.322.

Sobre as variações no crescimento da população brasileira, assinale a alternativa que NÃO aponta um
dos motivos de sua involução recente.
a) Disseminação de métodos contraceptivos.
b) Inclusão da mulher no mercado de trabalho.
c) Intensificação do processo de urbanização.
d) Controle estatal sobre os índices gestacionais.
e) Difusão do planejamento familiar.

3. Observe as duas pirâmides etárias a seguir:

Geo.

Fonte: Organização das Nações Unidas e Wikimedia Commons


A diferença entre as duas informações é que:
a) a primeira é característica de países da Europa central, enquanto a segunda é predominante em países
da América Anglo-saxônica.
b) a primeira é mais comum em países em desenvolvimento, como o Brasil, enquanto a segunda é exclusiva
de países com elevada densidade demográfica, como a China.
c) a primeira faz referência a países pouco urbanizados e subdesenvolvidos, e a segunda é proveniente de
países industrializados centrais.
d) a primeira destaca o envelhecimento rápido da população, e a segunda, uma maior estabilidade
demográfica.
e) a primeira está relacionada com as elevadas taxas de mortalidade infantil, enquanto a segunda está
associada a uma baixa expectativa de vida.

4. A população brasileira atingiu 202,7 milhões de pessoas em primeiro de julho deste ano, segundo
estimativa do IBGE divulgada na manhã desta quinta-feira (28). O volume de pessoas que vivem no país

Folha de São Paulo, 28 ago. 2014. População brasileira atinge 202,7 milhões de habitantes, calcula IBGE. Disponível em:
<http://folha.com/no1507099>. Acesso em: 02 fev. 2015.
O crescimento da população brasileira ao longo do tempo permitiu que, finalmente, o número de
habitantes fosse superior aos 200 milhões. Com base nesse dado, nas informações fornecidas pela
notícia acima e em seus conhecimentos sobre a população do país, assinale a alternativa correta:
a) O crescimento da população brasileira, atualmente, é baixo em comparação com períodos
anteriores.
b) O Brasil vive, atualmente, um problema relacionado com a explosão demográfica.
c) O marco de 202 milhões de habitantes revela o quadro socioeconômico do país, em que a taxa da
natalidade nas áreas pobres e médias continua elevada.
d) Os dados revelados pela reportagem permitem-nos concluir que o Brasil vive um quadro de
elevada densidade demográfica.

5. transição demográfica
passou a ocorrer em função de alguns fatores, a saber:
I. Elevação das taxas de densidade demográfica;
II. Diminuição intensiva dos índices de natalidade;
III. Aumento da expectativa de vida;
IV. Manutenção das taxas de fecundidade;
V. Inversão gradativa da pirâmide etária.

Estão corretas as alternativas:


a) I e III

Geo.
b) II, IV e V
c) I, III e IV
d) II, III e V
e) I, II e IV

6. Dentre as alternativas a seguir, assinale aquela que NÃO se relaciona com as mudanças nas taxas de
natalidade do Brasil nos últimos anos:
a) inserção da mulher no mercado de trabalho
b) incentivo governamental à fecundidade
c) difusão do planejamento familiar
d) crescimento da urbanização

7. O Brasil em 2020
Será, é claro, um Brasil diferente sob vários aspectos. A maior parte deles, imprevisível. Uma década é
um período longo o suficiente para derrubar certezas absolutas (ninguém prediz uma Revolução
Francesa, uma queda do Muro de Berlim ou um ataque às torres gêmeas de Nova York). Mas é também
um período de maturação dos grandes fenômenos incipientes dez anos antes da popularização da
internet já era possível imaginar como ela mudaria o mundo. Da mesma forma, fenômenos detectáveis
hoje terão seus efeitos mais fortes a partir de 2020.
David Cohen, Revista Época, 25/05/2009

Dados da fecundidade brasileira

Com base no enunciado, observe as afirmações abaixo, assinalando V (verdadeiro) ou F (falso).


( ) A diminuição da fecundidade no Brasil deve-se às transformações econômicas e sociais que se
acentuaram na primeira metade do século XX devido à intensa necessidade de mão de obra no
campo, inclusive de mulheres, fato este que elevou o país ao patamar de agrário-exportador.
( ) Devido à mudança do papel social da mulher do século XX, ela deixa de viver, exclusivamente, no
núcleo familiar, ingressando no mercado de trabalho e passando a ter acesso ao planejamento
familiar e a métodos contraceptivos. Esses aspectos, conjugados, explicam a diminuição vertiginosa
das taxas de fecundidade no Brasil.
( ) As quedas nas taxas de natalidade de um país levam, ao longo do tempo, ao envelhecimento da
população (realidade da maioria dos países desenvolvidos). Neste sentido, verifica-se uma forte
tendência a um mercado de trabalho menos competitivo e exigente, demandando menos custos
do Estado com os aspectos sociais.

Dessa forma, a sequência correta, de cima para baixo é


a) VVV
b) FVV
c) VVF
d) FVF
e) VFV

8. O quadro abaixo nos mostra a taxa de crescimento natural da população brasileira no século XX:

Geo.

Analisando os dados, podemos caracterizar o período entre:


a) 1920 e 1960, como de crescimento do planejamento familiar.
b) 1950 e 1970, como de nítida explosão demográfica.
c) 1960 e 1980, como de crescimento da taxa de fertilidade.
d) 1970 e 1990, como de decréscimo da densidade demográfica.
e) 1980 e 2000, como de estabilização do crescimento demográfico.
9. Primeira queda da população ativa em 10 anos preocupa demógrafos chineses
A porcentagem da população economicamente ativa da China caiu um décimo em 2011 com relação
a 2010, de 74,5% para 74,4%, uma redução que, por ser a primeira em dez anos, despertou
preocupação em demógrafos e economistas da segunda maior economia do mundo.
Opera Mundi. 20/01/2012. Disponível em: http://operamundi.uol.com.br/

Sobre a População Economicamente Ativa (PEA), assinale o que for correto:


a) A preocupação dos chineses com a População Economicamente Ativa está no fato de essa ser a
parcela da população responsável pela manutenção das taxas de natalidade.
b) A população economicamente ativa corresponde ao número de pessoas que estão empregadas,
ou seja, a parcela da população que trabalha ou que procura por emprego.
c) Os aposentados formam a parcela mais importante da PEA, pois os valores recebidos em
aposentadorias são importantes para dinamizar a economia.
d) A PEA equivale ao número de pessoas que consomem ativamente e ajudam, assim, a movimentar
a economia.

QUESTÃO CONTEXTO
Aposentados protestam no Senado contra a reforma da Previdência

Cerca de 300 aposentados e pensionistas protestaram hoje (15) no Senado contra a Proposta de Emenda à
Constituição 287/2016, que trata da reforma da Previdência. A proposta está em tramitação na Câmara dos
Deputados e pode ser votada ainda no primeiro semestre p
http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2017-02/aposentados-protestam-no-senado-contra-reforma-da-previdencia

A reforma na previdência vem como justificativa dobramentos demográficas, tendo como principal fator o
envelhecimento da população. Porém, a proposta de reforma da previdência, tal como ela foi proposta pelo
governo do presidente Michel Temer, pode provocar graves conseqüências sociais. Apresente e explique
outras medidas que podem solucionar a questão do envelhecimento da população.

Geo.
GABARITO
Exercícios de aula

1. a
Nas áreas urbanas, devido, entre outros fatores, ao maior acesso à informação, à disseminação de
métodos contraceptivos, à entrada da mulher no mercado de trabalho e ao maior custo de criação do
filho, tende a haver uma queda das taxas de natalidade e fecundidade em comparação com as áreas rurais
2. a
A expectativa de vida do brasileiro tende a aumentar, devido à melhora nas condições de vida da
população, tais como melhor acesso a sistemas de saúde e melhora nas condições fitossanitárias.

3. d
Com base na análise do gráfico e da dinâmica demográfica podemos concluir que em 2030 a população
acima de 40 anos será maior, essa dinâmica é resultado do envelhecimento da população.

4. c
Através da leitura do gráfico podemos concluir que a população com até 80 anos em 2020 será maior
que 210 milhões e menor que 290 milhões de habitantes.

5. a
A explicação para esse fato está na elevada taxa positiva de migração. Como nessa região verifica-se há
décadas um pujante processo de ampliação da atividade agropecuária, e o imigrante típico para esse tipo
de trabalho é adulto e do sexo masculino, tem-se como resultado o desequilíbrio constatado no gráfico.

6. b
As transformações na pirâmide etária brasileira, entre 1980 e 2010, indicam, de acordo com o gráfico, o
envelhecimento proporcional da população, visível no crescimento numérico de pessoas nas faixas
situadas entre 20 e 54 anos. Tal aspecto, somado ao aumento da expectativa de vida, ocasiona a
necessidade de redimensionar a política previdenciária, visando a contemplar a projeção do aumento de
pensões e aposentadorias e o equacionamento entre tempo de trabalho e arrecadação de contribuições
dessa natureza.

Exercícios de casa
1. d
O processo de transição demográfica é quando a população se estabiliza, com nascimentos e mortes

Geo.
pirâmide, mais avançada no processo de transição a região está. Ao analisarmos as pirâmides exibidas na
questão, verificamos que é na Região Norte que as pirâmides mais parecem, de fato, pirâmides (topo
fino, base larga), ou seja: ainda estariam no início do processo de transição demográfica, portanto
demorariam mais para realizá-lo.

2. d
A queda nas taxas de crescimento populacional da população brasileira vem resultando em profundas
modificações na estrutura da pirâmide etária do país. Isso se deve ao recente desenvolvimento e difusão
de métodos contraceptivos, propalados pelo poder público, com o incentivo da política de
planejamento familiar, em voga principalmente desde a década de 1970. Outro fator relacionado com
essas sucessivas quedas nas taxas de natalidade é a inclusão da mulher no mercado de trabalho que, por
esse motivo, vem optando em ter menos filhos, o que está relacionado com o processo de urbanização
intensa, que contribui para um maior ordenamento familiar, visto que no campo o número de filhos por
família é sempre maior.
No entanto, ressalta-se que não há controle por parte do Estado sobre o número de gestações por
mulher, como o que acontece na China.
3. Ao compararmos as duas pirâmides representadas no enunciado da questão, percebemos que a primeira
(área urbana) possui uma base menos larga que a segunda (área rural), principalmente na linha mais clara
que indica o ano de 2010. Isso é representativo das menores taxas de fecundidade nas áreas urbanas,
decorrentes da menor necessidade de um grande número de filhos para garantir o sustento familiar, algo
mais recorrente da vida no meio rural.

4. a
De acordo com a reportagem, o crescimento da população brasileira em relação ao ano anterior foi de
0,86%, o que é considerado um número muito baixo em comparação com algumas décadas do século
XX, que apresentaram taxas de crescimento superiores a 2%.

5. d
A transição demográfica caracteriza-se pela redução das taxas de natalidade em face da manutenção ou
redução dos índices de mortalidade, caracterizando uma inversão na pirâmide etária, causada,
sobretudo, pelo
-
corretas, portanto, as afirmativas II, III e V.

6. b
O Brasil passou a apresentar taxas de natalidade cada vez menores nos últimos anos. As razões para isso
são várias, tais como a maior participação da mulher no mercado de trabalho, a urbanização, a mudança
de valores culturais, a melhoria nos índices educacionais, entre outros. O governo, inclusive, incentivou
a queda nas taxas de fecundidade com medidas diversas, como a distribuição de métodos contraceptivos
e outros.

7. d
(F) No Brasil não houve uma crescente demanda por mão de obra no campo ao longo do século XX.
Ao contrário, houve o seu decréscimo. E, se houvesse esse aumento, haveria também um crescimento
da natalidade, que costuma ser maior nas áreas rurais. (V) Inserção da mulher no mercado de trabalho,
planejamento familiar e difusão de contraceptivos são fatores que contribuíram para a redução das taxas
de fecundidade no Brasil.. (F) O envelhecimento populacional, ao contrário, eleva os custos do Estado
com gastos sociais e previdenciários, em face de um menor número de contribuintes na População
Economicamente Ativa (PEA).
8. b
No período entre 1950-1970, temos as maiores taxas de crescimento populacional do país, registrando a
explosão demográfica. Aliás, esse período foi de intenso crescimento populacional em todo o mundo,

9. b

Geo.
Entende-se por PEA População Economicamente Ativa a parcela da população que possui emprego
e que busca oportunidades de ingressar no mercado de trabalho, apresentando condições para tal.

Questão contexto

Janela demográfica é o termo utilizado para classificar países que possuem um percentual de
população economicamente ativa maior do que a soma do número de crianças e idosos. A curto prazo, esse
fenômeno demográfico proporciona um crescimento acelerado da economia, pois há muita mão de obra
disponível no mercado e os gastos com a previdência social não são exorbitantes. Porém, a médio e longo
prazo a falta de jovens e o excesso de idosos dependentes do Estado podem levar um país a entrar em
desequilíbrio econômico. Assim como muitos países Europeus, o governo já deve planejar políticas de
incentivo à natalidade para manter uma configuração equilibrada na pirâmide etária do Brasil. Assegurando,
ao mínimo, a segurança da gestante, creches de qualidade e assistência médica digna. Portanto, o conjunto
de soluções deve incluir a garantia de vida longa e saudável ao trabalhador, o esforço para a permanência de
idosos no mercado e trabalho e a atenção especial ao incentivo à natalidade.
Geo.
Professor: Claudio Hansen
Monitor: Rhanna Leoncio

Geo.
21/23
Agricultura e os modelos tradicionais
mai

RESUMO
Desde a mudança na forma de ocupação da superfície terrestre, do nomadismo para o sedentarismo, o ser
humano começou a dominar a natureza com a finalidade da produção agrícola. A agricultura com baixa
técnica e produtividade é apenas uma forma produtiva, muitos outros podem ser altamente capitalizados,
com grande quantidade de técnica empregada, valor agregado e alta taxa de produtividade.

Os modelos produtivos
Existem três erros bastante comuns quando se pensa em agricultura. O primeiro deles é pensar em agricultura
como produção de alimentos. Agricultura também é produção de alimentos, porém, produção agrícola
encontra mais mercado, no mundo contemporâneo, na alimentação de animais de abate e no abastecimento
fabril. Outro mito comum é o de relacionar agricultura com uma atividade econômica do mundo
subdesenvolvido ou em desenvolvimento. Os maiores produtores de alimentos são alguns dos países mais
desenvolvidos, como os Estados Unidos e a região que compreende a União Europeia. O terceiro e último
mito é pensar na agricultura como algo único e simples, sem diversidade. Na realidade, existem diversos
modelos produtivos com diversas características únicas que os diferenciam. Vamos a alguns:

Agricultura Tradicional
Forma de produção bastante influenciada pelos limites do clima e do solo, com baixa produtividade e
extensiva. Para aumentar sua produção, precisa incorporar novas áreas, já que possui baixa quantidade de
técnica e capital.

Plantation
Utilizada desde os tempos coloniais, é um modelo que utiliza grandes extensões de terras, numa agricultura
latifundiária. Além disso a monocultura é característica dessa forma de produção. O mercado externo que
regula muitas vezes a necessidade desse produto cultivado de forma única na grande extensão de terra.
O plantation antigo também tem como característica histórica o uso de mão de obra escrava. Hoje em dia se
modelo produtivo agroexportador dos países semiperiféricos, porém, com
a ausência da mão de obra escrava.

Agricultura familiar

Geo.
É um modelo tradicional que não conta com técnicas modernas, se desenvolvendo em terras pequenas não
contando também com o grande capital. Isso não quer dizer que toda terra pequena vá ter agricultura
tradicional pois existem pequenas propriedades que portam tecnologia. A família trabalhando junto e vivendo
da terra é a principal característica, apesar de com a modernidade muitos jovens se afastarem dos trabalhos
tradicionais. Existiu historicamente no Brasil a tentativa de desapropriação das terras dos pequenos
agricultores. Está muitas vezes relacionado também ao conceito de agricultura de subsistência, ou seja,
aquilo necessário para sobreviver, plantando e consumindo o que é necessário para sobrevivência. Isso
demonstra que são plantados diferentes produtos agrícolas, numa policultura. Não é correto afirmar que
toda agricultura familiar se limita a agricultura de subsistência. Eles também representam uma grande parcela
no comércio da cidade, abastecendo os mercados locais. Possuem muitos saberes antigos tradicionais como
as técnicas de queimada e de pousio da terra.

Rotação de Culturas
Sistema ligado ao continente Europeu, mas difundido com a colonização de outros territórios, com bastante
influência dos invernos rigorosos e dos limites impostos pelo solo. A terra é dividida em unidades e em cada
unidade de terra é colocada uma determinada cultura. Além disso, uma unidade de terra fica em repouso, o
s
nutrientes do solo tenham tempo para se recuperar e não se esgotem.
Agricultura de Jardinagem ou Terraceamento
Modelo agrícola que advém do circuito asiático, voltada predominantemente para a produção de arroz.
Utiliza curvas em ângulo para diminuir a erosão superficial laminar causada pelas chuvas e que ocasiona os
movimentos de massa. Utiliza grande quantidade de mão de obra por conta das altas taxas populacionais da
região.

EXERCÍCIOS
1. Observe os dados:

Divisão estatística da FAO, 2005.

Sobre os dados apresentados na tabela, é CORRETO afirmar que:


a) a Revolução Verde, baseada na mecanização do campo, no uso de insumos agrícolas, privilegiou a
produção agrícola alimentar e as lavouras de subsistência, aumentando a produção.
b) os produtos apresentados na tabela são oriundos de um sistema agrícola denominado agricultura
itinerante, que usa a autoexploração do trabalho da família camponesa, são produzidos em
pequenas propriedades e destinados ao mercado interno.

Geo.
c) os produtos apresentados na tabela são cultivados de maneira tradicional, num sistema de
subsistência com o uso de técnicas arcaicas, no sistema de roças, com a rotação trienal de terras.
d)
larga escala que abastece o mercado consumidor internacional, ocupando grandes propriedades e
explorando mão de obra barata.
e) os dados demonstram o aumento da produção de uma agricultura cultivada de forma orgânica, sem
o uso de agrotóxicos, que busca o equilíbrio entre produção e proteção ao meio ambiente.

2.
Na imagem, visualiza-se um método de cultivo e as transformações provocadas no espaço geográfico.
O objetivo imediato da técnica agrícola utilizada é
a) controlar a erosão laminar.
b) preservar as nascentes fluviais.
c) diminuir a contaminação química.
d) incentivar a produção transgênica.
e) implantar a mecanização intensiva.

3. -se cultivar (de preferência em cima


de terraços) produtos permanentes, como a arboricultura; os vales e as planícies ficam reservados para

A principal ideia contida no texto é o fato de que:


a) As técnicas agrícolas variam de acordo com os tipos de cultivo.
b) As culturas, para defesa dos solos, devem-se distribuir de acordo com o relevo.
c) As técnicas agrícolas estão na dependência dos tipos de relevo.
d) O relevo não pode interferir na escolha dos cultivos.
e) A erosão é mais intensa nas áreas montanhosas do que nas planas.

4. À época da colonização europeia na América, um sistema agrícola amplamente utilizado era baseado
na grande propriedade monocultora, com produção de gêneros tropicais, voltada para a exportação.
Esse sistema, na atualidade, persiste em países como Brasil, Colômbia, Costa do Marfim, Índia e
Malásia, dentre outros. O sistema agrícola descrito acima refere-se à
a) Agricultura de subsistência.
b) Agricultura de jardinagem.
c) Plantation.
d) Agroecologia.
e) Terraceamento.

5. Os principais sistemas agrícolas mundiais são representados pela agricultura itinerante, plantation,
agricultura de jardinagem e agricultura moderna. Com relação ao sistema de plantation, coloque V
para a afirmativa verdadeira e F para afirmativa falsa.

( ) É um sistema típico dos países subdesenvolvidos, foi utilizado amplamente durante a colonização
europeia na América Latina.
( ) Caracteriza-se pelo uso de sementes selecionadas e uso intensivo de máquinas e técnicas modernas.
( ) É um sistema praticado em regiões que possuem escassez de espaço para o plantio.

Geo.
( ) Caracteriza-se, atualmente, por compreender o minifúndio e a monocultura.
( ) Utiliza-se de mão-de-obra barata, numerosa e desqualificada e destina-se à exportação.
A opção correta é:
a) V-V-V-V-F
b) F-V-V-V-F
c) V-F-F-F-V
d) V-F-V-F-F
e) V-F-F-V-V

6. Analise as características a seguir.


I - Tem sua produção voltada quase que exclusivamente à rizicultura inundada.
II - Baseia-se no trabalho intensivo de grandes contingentes de mão-de-obra, que visam à subsistência.
III - Utiliza técnicas tradicionais, cuja produtividade consegue, muitas vezes, superar as de outras
regiões, onde há o emprego de mecanização e outros expedientes ditos modernos.
IV - Demonstra a possibilidade de realização de uma agricultura milenar, compatível com as condições
ambientais, sem gerar, portanto, desequilíbrios, como a erosão dos solos.
Pode-se concluir que essas características se referem à agricultura que se realiza na região:
a) da Floresta Equatorial Africana.
b) do Meio-Oeste dos E.U.A.
c) do Litoral Mediterrâneo Europeu.
d) do Sudeste Asiático.
e) da Planície Central Australiana.

7. A crescente conscientização sobre os efeitos do modelo intensivo de produção, adotado de forma


geral na agricultura, tem gerado também uma série de reações. De fato, a agricultura está cada vez
mais pressionada pelo conjunto de relações que mantém com a sociedade em geral, sendo emergente
o que comumente se denomina "questão ambiental". Essas relações, às vezes de dependência, às vezes
de conflito, são as que determinam uma chamada ampla para mudanças orientadas à sustentabilidade,
não só da atividade agrícola em si, senão que afete de maneira geral a todo o entorno no qual a
agricultura está inserida.
GOMES, J. C. C. Desenvolvimento rural, transição de formatos tecnológicos, elaboração social da qualidade,
interdisciplinaridade e participação. In: PORTO, V. H.; WIZNIEWSKY, C. R. F. ; SIMICH, T. (Org.). Agricultor familiar: sujeito
de um novo método de pesquisa, o participativo. Pelotas: Embrapa, 2004

No texto, faz-se referência a um tipo de pressão da sociedade contemporânea sobre a agricultura. Essa
pressão objetiva a seguinte transformação na atividade agrícola:
a) Ampliação de políticas de financiamento voltadas para a produção de transgênicos.
b) Modernização do modo de produção focado na alta produtividade da terra.
c) Expansão do agronegócio relacionado ao mercado consumidor externo.
d) Promoção de práticas destinadas à conservação de recursos naturais.
e) Inserção de modelos orientados ao uso intensivo de agroquímicos

8. O aumento crescente da demanda por produtos livres de agrotóxicos tem impulsionado a agricultura
orgânica no Brasil. Esse sistema agrícola que se apoia no manejo sustentável, dispensa o uso de
agrotóxicos sintéticos, privilegia a preservação ambiental, a biodiversidade, os ciclos biológicos e a
qualidade de vida do homem. Com uma área plantada de 842 mil hectares, o setor movimentou cerca
de US$ 1 bilhão em 2003. O país tem 19 mil propriedades e 174 processadoras espalhadas em diversas
regiões.
(Disponível em: Acesso em: 19 Jun. 2005.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre agricultura, considere as afirmativas a seguir.
I. Na agricultura orgânica, a forma de produzir demanda uma maior utilização de mão de obra para
colocar em prática o controle biológico e o manejo integrado de pragas, constituindo-se em
alternativa para o desenvolvimento da agricultura familiar.
II. O crescimento do mercado para os produtos orgânicos não se limita ao Brasil, o que tem permitido

Geo.
aos agricultores aumentar a receita, por unidade de produção.
III. O crescimento do número de propriedades rurais em que se pratica a agricultura orgânica invalida
o debate sobre os impactos do consumo de agrotóxicos no Brasil.
IV. O sistema de agricultura orgânica é impraticável nas pequenas propriedades rurais, pois a
eliminação do uso de fertilizantes e de pesticidas químicos proporciona um aumento dos custos de
produção, o que, consequentemente, diminui a renda da unidade produtiva agrícola.

Estão corretas apenas as afirmativas:


a) I e II.
b) II e III.
c) III e IV.
d) I, II e IV.
e) I, III e IV.
9. Leia, com atenção, o texto a seguir:

"Segundo o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA, 2005), este tipo de agricultura produz hoje
40% da riqueza gerada no campo no Brasil, correspondente a aproximadamente R$ 57 bilhões. São
cerca de quatro milhões de agricultores (84% dos estabelecimentos rurais brasileiros) que vivem em
pequenas propriedades e produzem a maior parte da comida que chega à mesa dos brasileiros. Quase
70% do feijão vêm desta atividade, assim como 84% da mandioca, 58% da produção de suínos, 54%
do leite bovino, 49% do milho e 40% das aves e ovos. Além disso, é um importante instrumento para
manter os trabalhadores no campo. Em 2003, o PIB do setor cresceu 14,31% em relação ao ano anterior.
Além de ser a base de importantes cadeias de produtos protéicos de origem animal, sendo majoritária
no caso do PIB da Cadeia Produtiva dos Suínos (58,8% do PIB total desta cadeia), do Leite (56%) e das
Aves (51%)."
(Fonte: www.mda.gov.br)

Marque o conceito que adequa-se CORRETAMENTE às informações:


a) Latifúndio de exploração
b) Monocultura de subsistência
c) Agricultura familiar
d) Agricultura de 'plantation'
e) Agricultura de terraceamento

10. Considere o texto apresentado a seguir para responder a questão.

"O grupo móvel do Ministério do Trabalho encontrou 421 trabalhadores em condições consideradas
degradantes, em Quirinópolis (GO), sul do estado. O ministério diz ter resgatado os trabalhadores.
Originários na maioria de outros estados, eles atuavam no plantio e no corte da cana-de-açúcar, em
frentes de trabalho da empresa Agropecuária Campo Alto, sociedade anônima dirigida por um
conselheiro da Unica (União da Indústria de Cana-de-açúcar)".

Situações como a descrita no texto têm sido comuns pelo menos desde a década de 1970 e estão
relacionadas ao crescimento, no campo brasileiro:
a) das relações de meação em áreas de agricultura familiar.
b) da prática do arrendamento capitalista, por cooperativas de trabalhadores.
c) do trabalho assalariado temporário, nas áreas de monoculturas.
d) do sistema de colonato, nas áreas de culturas tradicionais.
e) da agricultura orgânica, baseada no uso intensivo da mão-de-obra.

QUESTÃO CONTEXTO
Geo.
Discorra sobre o principal sistema agrícola utilizada nesta região do Mundo destacada na imagem abaixo:

Disponível em: https://olharespelomundo.com/2016/05/28/sudeste-asiatico-eu-fui/. Acesso em: 09 de maio 2018.


GABARITO
Exercícios

1. d
A produção em toneladas dos gêneros agrícolas destacados apontam para o uso de grandes extensões
de terra conhecidos como plantation. Este sistema agrícola, apesar dos impactos no solo e impactos
sociais, ainda continua sendo amplamente utilizado em alguns países.

2. a
A imagem destaca a utilização do sistema agrícola conhecido como jardinagem ou terraceamento,
utilizado principalmente em áreas íngremes a fim de evitar a erosão laminar causada pelas chuvas.

3. b
A agricultura, segundo o trecho da questão, deve ser associada a um determinado tipo de relevo, com
isso amplia-se a possibilidade de conservação dos solos e se prolonga a sua utilização.

4. c
As características apresentadas no enunciado apontam o sistema de plantation.

5. c
A segunda, a terceira e a quarta afirmativas estão incorretas pois, respectivamente, o uso de técnicas
modernas é característica da agricultura moderna, o plantation demanda grandes extensões de terra e
compreende latifúndios e não minifúndios.

6. d
As afirmativas apontam para o sistema agrícola terraceamento que é amplamente utilizado no Sudeste
asiático, devido ao relevo elevado desta região.

7. d
Cada vez mais a sociedade tem exercido um pressão no sentido da conservação dos recursos naturais,
ou seja, tem demandado um uso consciente dos recursos a fim de que os mesmos possam também ser
utilizados pelas gerações futuras.

8. a

Geo.
As únicas afirmativas incorretas são a III e a IV pois, respectivamente, o crescimento da agricultura
orgânica não põe fim sobre a discussão acerca do uso de agrotóxicos e esse tipo de agricultura pode
sim ser desenvolvido em pequenas propriedades.

9. c
As características apontadas no trecho apontam o sistema agrícola familiar, sistema este responsável
por grande parte do número de estabelecimentos rurais e por abastecer o mercado interno e por ser
também o sistema mais impactado com a modernização agrícola.

10. c
O texto aponta as relações trabalhistas existentes em um contexto do sistema de plantation, no qual
muito trabalhadores rurais são explorados, trabalhando por muitas horas, sem segurança e em troca
de baixíssimos salários.

Questão Contexto
A imagem destaca a região conhecida como Sudeste asiático, região na qual é utilizada principalmente o
terraceamento, também chamado de sistema de jardinagem. Essa técnica agrícola e de conservação do solo
é empregada em terrenos muito inclinados, permitindo o seu cultivo e, simultaneamente, o controle da
erosão hídrica. Baseia-se na criação de terraços através do parcelamento de rampas niveladas.
Geo.
Professor: Claudio Hansen
Monitor: Rhanna Leoncio

Geo.
21/23
Agricultura moderna
mai

RESUMO
A agricultura pode ser conceituada como um conjunto de técnicas que permitem ao Homem controlar a
produção vegetal. Apesar de comumente o conceito de agricultura ser relacionado com alimentação, o
domínio do homem sobre a natureza não está restrito a produção de alimentos. Um exemplo disso são as
plantações de algodão para tecidos e o milho, a beterraba e a cana de açúcar sendo cultivadas para produzir
o etanol. É possível reconhecer nesse conceito a diferença de agricultura para o extrativismo. O extrativismo
vem da ideia de extrair algo que está na terra, não inferindo para que essa plantação tenha surgido por meio
de técnicas de cultivo. Com o desenvolvimento dessas técnicas e as revoluções industriais atingindo o
campo, a ideia de produtividade se faz presente no espaço rural, já que as plantações cada vez mais atendem
às demandas e ao interesse do mercado externo mundial. Crescer a produtividade significa então produzir o
maior número de produtos em uma determinada área atrelado à redução dos custos produtivos. Existem
técnicas modernas e técnicas tradicionais que definem qual o tipo de agricultura.

Agricultura Moderna
É marcada pela alta produtividade, bastante ligada ao agronegócio, com muito capital e técnica empregada.
Pode ser integrada ao setor de pesquisa e desenvolvimento, aumentando vertiginosamente sua capacidade
de produção. Sendo intensiva, este tipo de agricultura pode aumentar a sua produção sem incorporar novas
terras.

A Revolução Verde foi um processo que levou à passagem de uma agricultura tradicional, caracterizada pelo
plantation e uso intensivo de mão-de-obra, para a agricultura moderna, através de inovações tecnológicas
(desenvolvimento de pesquisas em sementes, fertilização do solo, utilização de agrotóxicos e mecanização
do campo) que foram capazes de aumentar a produtividade agrícola.

O discurso ideológico da Revolução Verde foi o aumento da produção de alimentos para que a fome no
mundo tivesse fim, sendo assim, o grupo Rockefeller, que financiou este processo, expandiu sua venda de
insumos para diversos países. O que ocorreu foi, houve sim um aumento na produção de alimentos, mas a
distribuição deles não ocorreu, isso porque constatou-se que esta distribuição está relacionada à renda da
população e não à pouca disponibilidade de alimentos.

Identificam-se, portanto, neste novo momento da agricultura transformações tais como, mudança no perfil
da mão de obra, que deixa de ser em grande quantidade e braçal e passa a ser uma mão de obra com grande

Geo.
qualificação que saiba, por exemplo, manusear os maquinários agrícolas. Esta nova demanda estimulou o
chamado êxodo rural, ou seja, a saída da população do campo em direção às cidades por conta da falta de
oferta de empregos.

Além disso a relação de dependência entre o campo e as cidades foi ampliada, isso porque é nas cidades
que estão os serviços e bens que o campo necessita neste novo momento, tais como financiamentos
bancários, mão de obra qualificada e outros, o que vem enriquecendo mais as cidades do que o campo.

Outra transformação acarretada foi a distribuição da população pois houve uma mudança no perfil do
trabalhador que trabalha e reside no campo, este passa a ter uma renda elevada o que culmina na chegada
de serviços mais qualificados e diferenciados ao campo em função da nova demanda, criando assim novos
tipos de emprego e transformando muitas dessas áreas em um centro urbano.

Acerca da nova estrutura produtiva do campo ela é chamada de CAI - Complexo Agroindustrial - ou
agroindústria, e consiste em três etapas, indústria de insumos, atividade primária e beneficiamento, em que
a primeira refere-se à tudo o que é necessário para desenvolver uma atividade.

Principais características da Agricultura moderna:


• Intensa utilização de insumos: Na agricultura moderna, as práticas envolvendo agrotóxicos,
sementes geneticamente modificadas e processos de pesquisa e desenvolvimento são comuns, por
isso a larga utilização de insumos é uma característica deste modelo produtivo;
• Intensiva: Como a quantidade de insumos utilizados é alta, o aproveitamento do solo e a utilização
do espaço é feito de maneira intensiva;
• Alta Produtividade: A produtividade rural, que é a relação entre produção agrícola e espaço utilizado
para a produção, é alta na agricultura moderna, já que os métodos de utilização da terra podem
aumentar a produtividade sem necessariamente aumentar o espaço plantado;
• Extremamente Capitalizado: Para conseguir adquirir insumos e sustentar o modelo produtivo
altamente dependente de técnica e pesquisa, é preciso ser extremamente capitalizado, ou seja, com
grande volume de recursos financeiros, normalmente adquiridos através de créditos em bancos
agrícolas e financiamento de grupos empresariais;
• Monocultura: Para poder dar escala financeira a todo processo produtivo, normalmente os grandes
complexos de agricultura moderna são monocultores, isto é, produzem em grande quantidade
apenas um determinado bem agrícola, acompanhando a flutuação de mercado externo;
• Exportador: Na agricultura brasileira, o modelo de agricultura moderna é voltada para o mercado
externo, produzindo commodities que serão comercializadas com parceiros comerciais, como China
e União Europeia.

EXERCÍCIOS
1.

Geo.
SILVA, E. S. O. Circuito espacial de produção e comercialização da produção familiar de tomate no município de São José de
Ubá (RJ). In: RIBEIRO, M. A.; MARAFON, G. J. (orgs.). A metrópole e o interior fluminense: simetrias e assimetrias geográficas.
Rio de Janeiro: Gramma, 2009 (adaptado).

O organograma apresenta os diversos atores que integram uma cadeia agroindustrial e a intensa
relação entre os setores primário, secundário e terciário. Nesse sentido, a disposição dos atores na
cadeia agroindustrial demonstra
a) a autonomia do setor primário.
b) a importância do setor financeiro.
c) o distanciamento entre campo e cidade.
d) a subordinação da indústria à agricultura.
e) a horizontalidade das relações produtivas.
2. A questão refere-se ao trecho abaixo.
Necessitamos que o mundo conheça o verdadeiro custo que está por trás de uma uva, de um melão
ou de um kiwi; não podemos permitir que chegue aos mercados do mundo o produto de nosso
trabalho, tornando vulneráveis os direitos trabalhistas, os direitos das mulheres. Esse custo tem nome,
de Olívia, Maria, Nelly, Rosa, Flor, Carmen, e muitas outras, que significam jornadas intermináveis,
baixos salários, contratistas maltratadores, não pagamento de impostos, ausência de contrato de
trabalho, exposição a praguic
(Depoimento de mulheres chilenas em sua II Assembleia Nacional de Mulheres Assalariadas Temporárias da Agroexportação
de Valparaíso. In: PORTO-GONÇALVES, Carlos W. A globalização da natureza e a natureza da globalização. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2006. p. 283-284.)

Nesse contexto, é CORRETO afirmar que


a) a apropriação do trabalho pelo sistema capitalista sinaliza um processo de precarização das
condições de vida.
b) as promessas da Revolução Verde para a área social foram eficazes, diminuindo a desigualdade na
Divisão Internacional do Trabalho.
c) a pauta de exportação tem estado vinculada aos interesses sociais, alterando a lógica na prioridade
alimentar entre humanos e animais.
d) a subcontratação temporária não ocorre pela necessidade sazonal de trabalho na policultura,
intensificando as disparidades sociais e espaciais.
e) o uso de Organismos Geneticamente Modificados são alternativas para crescimento da produção,
demandando o emprego generalizado de mão de obra.

3. -americanos e asiáticos nos anos 1960 e 1970, tinha


como objetivo suprimir a fome e reduzir a pobreza de amplas parcelas da população. Entretanto, as
promessas de modernização tecnológica da agricultura não foram cumpridas inteiramente,
contribuindo para a geração de novos problemas e aprofundando velhas desigualdades. Assinale a

a) Coletivização das terras, implemento da agroecologia e expansão do crédito para os agricultores.


b) Distribuição equitativa de terras, difusão da policultura e uso de defensivos biodegradáveis.
c) Expansão de monoculturas, uso de técnicas tradicionais de plantio e fertilização natural dos solos.
d) Reconcentração de terras, crescimento do uso de insumos industriais e agravamento da erosão dos
solos.
e) Estatização das terras agrícolas, trabalho em comunas e produção voltada para o mercado interno.

4. Texto I
Ao se emanciparem da tutela senhorial, muitos camponeses foram desligados legalmente da antiga
terra. Deveriam pagar, para adquirir propriedade ou arrendamento. Por não possuírem recursos,

Geo.
engrossaram a camada cada vez maior de jornaleiros e trabalhadores volantes, outros, mesmo tendo
propriedade sobre um pequeno lote, suplementavam sua existência com o assalariamento esporádico.
MACHADO, P. P. Política e colonização no Império. Porto Alegre: EdUFRGS, 1999 (adaptado).

Texto II
Com a globalização da economia ampliou-se a hegemonia do modelo de desenvolvimento
agropecuário, com seus padrões tecnológicos, caracterizando o agronegócio. Essa nova face da
agricultura capitalista também mudou a forma de controle e exploração da terra. Ampliou-se, assim, a
ocupação de áreas agricultáveis e as fronteiras agrícolas se estenderam.
SADER, E.; JINKINGS, I. Enciclopédia Contemporânea da América Latina e do Caribe. São Paulo: Boitempo, 2006
(adaptado).
Os textos demonstram que, tanto na Europa do século XIX quanto no contexto latino-americano do
século XXI, as alterações tecnológicas vivenciadas no campo interferem na vida das populações locais,
pois
a) induzem os jovens ao estudo nas grandes cidades, causando o êxodo rural, uma vez que formados,
não retornam à sua região de origem.
b) impulsionam as populações locais a buscar linhas de financiamento estatal com o objetivo de
ampliar a agricultura familiar, garantindo sua fixação no campo.
c) ampliam o protagonismo do Estado, possibilitando a grupos econômicos ruralistas produzir e impor
políticas agrícolas, ampliando o controle que tinham dos mercados.
d) aumentam a produção e a produtividade de determinadas culturas em função da intensificação da
mecanização, do uso de agrotóxicos e cultivo de plantas transgênicas.
e) desorganizam o modo tradicional de vida impelindo-as à busca por melhores condições no espaço
urbano ou em outros países em situações muitas vezes precárias.

5. Tomates de amadurecimento lento, frutas cítricas resistentes à geada, soja resistente à herbicida e com
mais proteína, batatas maiores e com polpa mais densa são alguns dos produtos que estão disponíveis
no mercado ou estarão nos próximos anos. Esses produtos referidos fazem parte do que se poderia
designar como uma Nova Revolução na agricultura, decorrentes mais especificamente de um fato
mencionado a seguir. Assinale-o.
a) Utilização de novos insumos agrícolas
b) Mudança climática global
c) Realização de Reforma Agrária em áreas de solos férteis
d) Alterações pedológicas do meio ambiente
e) Engenharia genética

6. Em relação às formas de uso e exploração agrícola, analise as afirmativas abaixo.


I. Na década de 1950, a Revolução Verde foi um evento que atingiu a maior parte dos países no mesmo
momento histórico. Ela foi responsável pela manutenção de diversas famílias no campo e não
modificou a estrutura fundiária do Brasil e de outros países.
II. A Revolução Verde surgiu após um processo de conscientização global sobre a importância da
preservação ambiental, modificando o modo de produção e o uso dos recursos naturais. Nesse
contexto está a agricultura orgânica, que não utiliza agrotóxicos.
III. Foi a partir da Revolução Verde que houve um grande crescimento da produção agrícola mundial,
pois várias tecnologias foram implementadas, como máquinas, fertilizantes e defensivos.
IV. Apesar dos benefícios, a Revolução Verde trouxe problemas ambientais, como a contaminação das
águas, perdas de solo por lixiviação, desmatamento e redução da biodiversidade.
V. A continuidade da Revolução Verde está nos alimentos transgênicos, porém, em virtude da pressão
popular e das restrições feitas pelo governo federal, esse modelo de agricultura não vem crescendo
no Brasil.

Assinale a alternativa correta.


a) Apenas a alternativa V está incorreta.
Geo.
b) Todas as alternativas estão incorretas.
c) Apenas a alternativa II está incorreta.
d) Apenas as alternativas I e V estão incorretas.
e) Apenas as alternativas I, II e V estão incorretas.

7. Leia o fragmento de texto a seguir:


A produção avícola é hoje ainda mais semelhante a uma operação fabril. [...] Algumas das grandes
empresas de alimentos, como a Ralston Purina, a Cargill e a Allied Mills, são responsáveis por
gigantescas instalações aviárias que processam dezenas de milhares de galinhas por dia. Como na
organização fabril, as chaves dessa produção são a procriação especial, alimentação intensiva
enriquecida, estímulos químicos (hormônios) e o controle de doenças. [...] O alimento passa na frente
das galinhas imóveis, numa correia transportadora, enquanto ovos e excrementos são removidos em
outras correias. A iluminação artificial supera o ciclo diário natural e mantém as galinhas em postura
constante.
IANNI, Otavio. A era do globalismo. São Paulo: Civilização brasileira, 1996. p.47-8.
O exemplo apresentado por Ianni refere-se ao desenvolvimento de uma agropecuária de forma
intensiva.

Assinale a alternativa que apresenta CORRETAMENTE os itens responsáveis por esta classificação.
a) Capitalização e produtividade da área.
b) Mercado consumidor e produção total.
c) Predominância do fator trabalho e terra.
d) Regime de propriedade vigente e trabalho.
e) Utilização abundante de terras e energia.

8. A partir da segunda metade do século XX, vários países do mundo, inclusive o Brasil, implantaram um
pacote de medidas que recebeu o nome de Revolução Verde.

Assinale a alternativa que indica duas características desse momento.


a) Uso intensivo de agrotóxico; aplicação de adubos e fertilizantes.
b) Introdução de espécies vegetais nas florestas; uso de adubação orgânica.
c) Revitalização de biomas degradados; retorno da população urbana para o campo.
d) Surgimento de movimentos sociais no campo; aumento da produtividade e o fim da fome.
e) Uso de sementes selecionadas; uso de sementes transgênicas.

9. "Nos Estados Unidos, a região das Planícies Centrais tem apresentado grande evolução agrícola: no
Corn Belt, o milho está cada vez mais associado à beterraba e à soja; no antigo Cotton Belt encontram-
se, hoje, ao lado do algodão, a pecuária, a avicultura e cereais diversos e no sul, a irrigação introduziu
produções agrícolas que associam o trigo de inverno com milho e sorgo."

A leitura do texto permite concluir que


a) é forte a intervenção do Estado na organização espacial da agricultura norte-americana.
b) as antigas regiões de monocultura, os belts, estão cedendo lugar a sistemas agrícolas mais
complexos e diversificados.
c) atualmente, só o Oeste montanhoso apresenta áreas de monocultura e os belts, de frutas cítricas.
d) a produção cada vez mais voltada para o mercado interno fez desaparecer quase por completo a
agricultura especializada dos belts.
e) o crescimento de outros setores da economia tem provocado a diminuição da produção agrícola
dos belts.

10. A Revolução Verde, implantada mundialmente, a partir da Segunda Guerra Mundial, foi idealizada para

Geo.
salvar a agricultura dos países subdesenvolvidos de uma suposta incapacidade de vencer obstáculos
tecnológicos. Ela visava aumentar a produção e a produtividade agrícola desses países, intensificando
o processo de industrialização da agricultura.

Várias medidas técnicas foram adotadas e o resultado mais expressivo foi:


a) a erradicação quase total da subnutrição e da fome na maioria dos países subdesenvolvidos, em
especial na América Latina.
b) o favorecimento aos grandes proprietários, às empresas agrícolas e às empresas fornecedoras de
máquinas e insumos para a agricultura.
c) a incrementação de produção agrícola nos países desenvolvidos, por meio da biotecnologia, cujo
excedente abasteceria as regiões mais carentes do planeta.
d) a implantação de uma estrutura fundiária mais justa nos países subdesenvolvidos, pois, nos países
que a implantaram, minimizou-se o fosso entre a grande e a pequena propriedade.
e) a transferência das tecnologias dos países desenvolvidos para os países subdesenvolvidos, com a
finalidade de cultivar exclusivamente gêneros de primeira necessidade para o abastecimento
interno de seus mercados.
QUESTÃO CONTEXTO
A partir da imagem abaixo, discorra sobre a relação campo-cidade destacando a questão da modernização
do campo e a nova paisagem do campo que se origina a partir desse processo.

Geo.
GABARITO

Exercícios
1. b.
Ao se observar o organograma identifica-se que o financiamento bancário é o principal agente que
permite que toda a cadeira agro produtiva se estabeleça, do setor de captação de matéria prima, ao
de transformação e venda, setores primário, secundário e terciário respectivamente.

2. a.
A opção correta é aquela que aponta os desdobramentos trabalhista do sistema agrícola moderno
em que apesar do elevado grau de modernização da produção ainda são verificados casos de uso de
mão de obra humana e esta em muitos casos é explorada.

3. d.
A opção que aponta os efeitos da chamada Revolução Verde é a que destaca o prolongamento da
falta de acesso igualitário à terra e o crescimento do uso de fertilizantes e agrotóxicos, cujos efeitos
impactam o solo de diversas formas.

4. e.
A modernização do campo passou a exigir uma alta capitalização, a qual o pequeno agricultor não
possuía, ele por sua vez viu os centros urbanos como a única possibilidade de sobrevivência e de ter
oportunidade de emprego.

5. e.
A modernização da agricultura fez com que o Homem deixasse de depender do ritmo e das
condições da natureza, um exemplo é a engenharia genética que consiste em técnicas de
manipulação e recombinação dos genes vegetais que possibilita a criação de gêneros agrícolas de
acordo com os interesses comerciais ou outros fins.

Geo.
6. e.
As afirmativas I, II e V estão incorretas pois apontam desdobramentos incorretos do processo de
Revolução Verde.

7. a.
A agropecuária classificada como intensiva é aquela em que empregam-se recursos tecnológicos, o
que ocasiona uma menor necessidade de mão de obra humana na produção. A necessidade de
ocupação de terras é menor, mas ela é mais frequente em grandes propriedades, nos latifúndios, e a
produtividade é bastante elevada.

8. a.
Dentre as diversas características da chamada Revolução Verde encontram-se o uso de produtos
químicos que visam o aumento da produção, porém desconsidera-se os impactos desse uso para o
meio ambiente e para o Homem.

9. b.
Os belts, ou cinturões agrícolas, são áreas nos EUA onde são desenvolvidos produtos específicos.
Uma característica comum aos belts citados na questão é o processo de modernização pelo qual
estas áreas estão passando, o que faz o país se um destaque mundial no sentido de mecanização
produtiva agrícola.

10. b.
A Revolução Verde quando surgiu foi apresentada como a solução para o problema da fome, que era
associado à uma pequena produção de alimentos, contudo, verificou-se após a Revolução Verde,
que mesmo com o aumento da produção de alimentos decorrente de uma maior produtividade o
problema persistiu, isto porque as questões sociais e o acesso à terra permaneceu inalterado.

Questão Contexto
A modernização do campo provoca a subordinação crescente do campo à cidade e à indústria, destino da
produção agrícola e de onde recebe insumos e equipamentos, como evidenciado na imagem. Cabe destacar
que esta modernização torna as paisagens agrícolas homogeneizadas, visto que a produção agrícola, voltada
principalmente para o mercado externo, passa a ser padronizada. Além disso, a modernização do campo
reduz a população rural (êxodo rural), mas contribui para a formação de uma população agrária formada por
agrônomos, tratoristas, mecânicos, dentre outros trabalhadores qualificados.

Geo.
Geo.
Professor: Claudio Hansen
Monitor: Rhanna Leoncio

Geo.
Agricultura brasileira e a 28/30
concentração fundiária mai

RESUMO
No início do século XX, o produto nacional mais importante era o café, sendo a política no período dominada
pelos cafeicultores. Com a Revolução de 30, a indústria passa a ser prioridade para o governo, ficando a
agricultura em papel secundário. No entanto, isso não significa que havia um desprezo em relação a
agricultura, uma vez que o poder político ainda estava nas mãos dos cafeicultores.

JK também prioriza o investimento na área urbana. Depois de muito tempo, o presidente João Goulart volta
a atentar para o campo, chegando inclusive a anunciar uma reforma agrária, que não foi efetivada devido ao
golpe militar de 1964. Mesmo assim, é um período importante, visto que houve uma observação em relação
a questão da concentração fundiária.

Já durante a Ditadura Militar, há um incentivo ao investimento de grande capital no campo. Isso ocorre por
meio do PRODECER (Programa de Desenvolvimento do Cerrado), que estimula a expansão da soja no
centro-oeste por meio de capital brasileiro e japonês, acarretando em grande expansão agrícola. A
agropecuária penetrou no centro-oeste e houve a modernização da agricultura brasileira. Embora a
agricultura cresça muito, a terra continua concentrada nas mãos de poucos, além do fato da vegetação do
cerrado estar devastada devido a essa expansão agrícola.

Nas décadas de 80 e 90, a agricultura continuou crescendo e desempenhando um papel cada vez mais
importante na economia brasileira. Com isso, o agronegócio foi se desenvolvendo ao longo da gestão de
FHC e Lula.

Todavia, a agricultura moderna, relacionada à Revolução Verde, vem acompanhada da manutenção de uma
relação de trabalho atrasada e da concentração fundiária. Portanto, o processo de desenvolvimento da
economia agrícola é chamado de modernização conservadora; ao mesmo tempo que evolui tecnicamente,
mantém algumas características arcaicas. Por isso, temos movimentos que reivindicam a reforma agrária e
questionam a atual situação do campo, como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

A Revolução Verde foi um processo que levou à passagem de uma agricultura tradicional, caracterizada pelo
plantation e uso intensivo de mão-de-obra, para a agricultura moderna, através de inovações tecnológicas
(desenvolvimento de pesquisas em sementes, fertilização do solo, utilização de agrotóxicos e mecanização
do campo) que foram capazes de aumentar a produtividade agrícola.

Geo.
O discurso ideológico da Revolução Verde foi o aumento da produção de alimentos para que a fome no
mundo tivesse fim, sendo assim, o grupo Rockefeller, que financiou este processo, expandiu sua venda de
insumos para diversos países. O que ocorreu foi, houve sim um aumento na produção de alimentos mas a
distribuição deles não ocorreu, isso porque constatou-se que esta distribuição está relacionada à renda da
população e não à pouca disponibilidade de alimentos.

No Brasil, assim como em outros países em desenvolvimento, a Revolução Verde tem início nas décadas de
1960-1970, período em que houve um aumento da produção agrícola. Enquanto a indústria estava associada
à cidade, a agricultura, a pesca e a pecuária estavam associadas ao campo, porém com a Revolução Verde a
relação campo-cidade foi aprofundada, com o campo dependendo dos elementos encontrados nas cidades.

Identificam-se, portanto, neste novo momento da agricultura transformações tais como, mudança no perfil
da mão de obra, que deixa de ser em grande quantidade e braçal e passa a ser uma mão de obra com grande
qualificação que saiba, por exemplo, manusear os maquinários agrícolas. Esta nova demanda estimulou o
chamado êxodo rural, ou seja, a saída da população do campo em direção às cidades por conta da falta de
oferta de empregos.
Além disso a relação de dependência entre o campo e as cidades foi ampliada, isso porque é nas cidades
que estão os serviços e bens que o campo necessita neste novo momentos, tais como financiamentos
bancários, mão de obra qualificada e outros, o que vem enriquecendo mais as cidades do que o campo.

Outra transformação acarretada foi a distribuição da população pois houve uma mudança no perfil do
trabalhador que trabalha e reside no campo, este passa a ter uma renda elevada o que culmina na chegada
de serviços mais qualificados e diferenciados ao campo em função da nova demanda, criando assim novos
tipos de emprego e transformando muitas dessas áreas em um centro urbano.

Acerca da nova estrutura produtiva do campo ela é chamada de CAI - Complexo Agroindustrial - ou
agroindústria, e consiste em três etapas, indústria de insumos, atividade primária e beneficiamento, em que
a primeira refere-se à tudo o que é necessário para desenvolver uma atividade. Somando as pesquisas com
as grandes extensões das terras agricultáveis no Brasil faz ele se destacar nesta primeira etapa.

A segunda etapa é aquela atividade típica do campo, plantar e criar animais. O Brasil se destaca muito nos
dois, tanto na agricultura quanto na pecuária, isso porque ele investe em tecnologia e pesquisas.

Já a terceira etapa, o beneficiamento, consiste na adaptação dos produtos agrícolas para os moldes do
mercado, ou seja, a etapa final não é mais a colheita agrícola. Cabe destacar que o beneficiamento agrega
valor ao produto.

Como visto, ao mesmo tempo que a revolução agrária possibilitou um aumento na produção agrícola e
impactou significativamente na economia, se tornando um pilar econômico, percebe-se que o uso de novas
tecnologias acarretaram em consequências sociais graves, acentuando as disparidades e conflitos no campo.

EXERCÍCIOS
1. a colheita de cana de açúcar tem sido induzida também pela
legislação ambiental, que proíbe a realização de queimadas em áreas próximas aos centros urbanos.
Na região de Ribeirão Preto, principal polo sucroalcooleiro do país, a mecanização da colheita já é

BALSADI, Q. et al. Transformação Tecnológica e a forca de trabalho na agricultura brasileira no período de 1990-2000.
Revista de economia agrícola, V. 49 (1), 2002.

O texto aborda duas questões, uma ambiental e outra socioeconômica, que integram o processo de
modernização da produção canavieira. Em torno da associação entre elas, uma mudança decorrente
desse processo é a:
a) perda de nutrientes do solo devido a utilização constante de máquinas.
b) eficiência e racionalidade no plantio com maior produtividade na colheita.

Geo.
c) ampliação da oferta de empregos nesse tipo de ambiente produtivo.
d) menor compactação do solo pelo uso de maquinário agrícola de porte.
e) poluição do ar pelo consumo de combustíveis fósseis pelas máquinas.

2. Leia o texto a seguir:

expansão da fronteira, ou seja, o crescimento sempre foi feito a partir da exploração contínua de terras
e recursos naturais, que eram percebidos como infinitos. O problema continua até hoje. E a questão
fundiária está intimamente ligada a esse processo, em que a terra dá status e poder, com o decorrente

(Berta Becker, IPEA, 2012.)

Com base no texto e no conhecimento sobre a expansão da fronteira agrícola no Brasil, é correto
afirmar que:
a) a agropecuária modernizada no Brasil priorizou a produção de alimentos em detrimento dos
gêneros agrícolas de exportação. Esse fato contribuiu para o avanço das fronteiras agrícolas em
parte da Amazônia localizada no Meio-Norte.
b) houve grande destruição tanto das florestas como da biodiversidade genética, ambas causadas
pelas transformações da produção agrícola monocultora, além de complexos impactos
socioeconômicos determinados pelo modelo agroexportador.
c) a maior parte das terras ocupadas no Brasil concentra-se nas mãos de pequeno número de
proprietários os quais vêm desenvolvendo mecanismos tecnológicos para evitar os impactos
ambientais causados pelo avanço do cinturão verde, sobretudo no Sul do Piauí.
d) as atividades do agrobusiness no Brasil, com destaque para a produção de soja, vêm provocando
uma rápida expansão agrícola do Rio Grande do Sul até o Vale do São Francisco, sem causarem
prejuízo aos seus recursos naturais.
e) com o aumento da concentração fundiária nas últimas décadas, a expansão das terras cultivadas
obteve uma grande retração agropecuária em decorrência das inovações tecnológicas,
desenvolvidas no campo brasileiro, apesar dos impactos ambientais.

3.

Disponível em: http://nutriteengv.blogspot.com.br. Acesso em: 28 dez. 2011.

Na charge faz-se referência a uma modificação produtiva ocorrida na agricultura. Uma contradição
presente no espaço rural brasileiro derivada dessa modificação produtiva está presente em:
a) Expansão das terras agricultáveis, com manutenção de desigualdades sociais
b) Modernização técnica do território, com redução do nível de emprego formal.
c) Valorização de atividades de subsistência, com redução da produtividade da terra.
d) Desenvolvimento de núcleos policultores, com ampliação da concentração fundiária.
e) Melhora da qualidade dos produtos, com retração na exportação de produtos primários.

4.

Geo.
O gráfico representa a relação entre o tamanho e a totalidade dos imóveis rurais no Brasil. Que
característica da estrutura fundiária brasileira está evidenciada no gráfico apresentado?
a) A concentração de terras nas mãos de poucos.
b) A existência de poucas terras agricultáveis.
c) O domínio territorial dos minifúndios.
d) A primazia da agricultura familiar.
e) A debilidade dos plantations modernos.

5. Apesar do aumento da produção no campo e da integração entre a indústria e a agricultura, parte da


população da América do Sul ainda sofre com a subalimentação, o que gera conflitos pela posse de
terra que podem ser verificados em várias áreas e que frequentemente chegam a provocar mortes

Um dos fatores que explica a subalimentação na América do Sul é


a) a baixa inserção de sua agricultura no comércio mundial.
b) a quantidade insuficiente de mão-de-obra para o trabalho agrícola.
c) a presença de estruturas agrárias arcaicas formadas por latifúndios improdutivos.
d) a situação conflituosa vivida no campo, que impede o crescimento da produção agrícola.
e) os sistemas de cultivo mecanizado voltados para o abastecimento do mercado interno.

6. O modelo de desenvolvimento agrícola, adotado atualmente em boa parte dos países do mundo, tem
levado à ocupação de áreas territoriais cada vez maiores. Como consequência, desencadeou-se uma
série de problemas ambientais.
A esse respeito, analise as afirmações I, II, III e IV, abaixo.
I. A utilização indiscriminada de agrotóxicos pode eliminar insetos não nocivos, rompendo a cadeia
alimentar.
II. Os solos poderão tornar-se estéreis, já que a biota contaminada desses solos poderá até
desaparecer.
III. A intensa contaminação das águas subsuperficiais por produtos químicos disseminará, atingindo
animais de águas superficiais.
IV. A implantação de monoculturas favorece o desenvolvimento de muitas espécies de seres vivos,
como insetos, bactérias e fungos, que atacam as plantações, aumentando os predadores naturais.
Dessa forma,
a) apenas I e II estão corretas.
b) apenas III e IV estão corretas.
c) apenas I e IV estão corretas.
d) apenas I, II e III estão corretas.

Geo.
e) I, II, III e IV estão corretas.

7. O processo de concentração fundiária caminha junto à industrialização da agropecuária com


predomínio de capitais. Logo:
I. O discurso de modernidade das elites tem contribuído para que a terra esteja concentrada nas
mãos da grande maioria dos agricultores brasileiros.
II. Os pequenos agricultores não conseguem competir e são forçados a abandonar suas lavouras de
subsistência e vender suas terras.
III. A intensa mecanização leva à redução do trabalho humano e à mudança nas relações de trabalho,
com a especialização de funções e o aumento do trabalho assalariado e de diaristas.
IV. As modificações na estrutura fundiária provocam desemprego no campo, intenso êxodo rural,
além de aumentar o contingente de trabalhadores sem direito à terra e sua exclusão social.

Estão corretas
a) Apenas as proposições I e IV
b) Apenas as proposições I II e III
c) Apenas as proposições II, III e IV
d) Apenas as proposições II e III
e) Todas as proposições

8. A soma das exportações do agronegócio brasileiro no período de 12 meses terminado em março


registrou um novo recorde. Com US$ 79,8 bilhões em vendas entre abril de 2010 e março de 2011 e a
alta dos preços das commodities (...), o país deve superar, em breve, a marca dos US$ 80 bilhões (...)
As exportações no período, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
(Mapa), cresceram 19,7% em relação ao período de abril de 2009 a março de 2010.
(www.exame.com)

Assinale a alternativa que identifica a tendência provocada pela evolução do agronegócio no Brasil.
a) Apoio dos produtores ao Código Florestal em vigência desde 1965, porque a modernização
produtiva permite a reconstituição da vegetação removida por sistemas produtivos precários.
b) Nova condição do país no cenário econômico internacional, porque, no futuro, as novas potências
serão produtoras de commodities.
c) Retenção da população no campo, aumentando o contingente rural, que estava declinando desde
os anos 1970.
d) Freio importante no ritmo do desmatamento, em especial, das zonas do norte do Mato Grosso,
devido ao aumento da produtividade agrícola.
e) Grande demanda por terras agrícolas, especialmente nos biomas do Brasil central e do Norte do
país.

9. Em relação à questão agrária no Brasil:

I As fronteiras agrícolas que se expandiram em direção à Amazônia contribuíram para agravar os


problemas de estrutura agrária do país, por corresponderem em sua maior parte, a grandes
propriedades rurais.
II Os problemas ligados à estrutura fundiária do Brasil evidenciam a necessidade de mudanças e de
reformas no campo, visando a corrigir distorções ligadas à concentração, à situação dos posseiros e
à produção de gêneros de exportação.
III Posseiros são pessoas que, com suas famílias, ocupam terras já cultivadas por lavradores que
ainda não possuem títulos de propriedade e as registram em seus nomes.

Assinale:
a) se todas as afirmativas estiverem corretas.
b) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.
c) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
d) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
e) se nenhuma afirmativa estiver correta.

10. O crescimento da economia brasileira desenvolveu-se sob o signo dos grandes ______ e da Geo.
concentração de renda. A _______ da agricultura e a concentração ______ produziram o ________
acelerado, que se manifesta na formação das _______ urbanas. No campo, os novos padrões de ______
impostos pelos complexos ______ continuam a provocar a ruína dos pequenos produtores,
configurando um quadro de verdadeira tragédia social.

Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto.


agroindustriais produtividade das periferias consumo favelas monopólios rurais.
monopólios crise de terras crescimento franjas consumo urbanos.
agronegócios produtividade de renda consumo massas investimentos industriais.
monopólios modernização fundiária êxodo rural periferias produtividade agroindustriais.
capitalistas proletarização fundiária enriquecimento favelas modernização agroindustriais
QUESTÃO CONTEXTO

responde por cerca de 70% dos alimentos consumidos em todo o País. O Dia Internacional da Agricultura
Familiar é comemorado neste 25 de julho com a consolidação dos avanços promovidos pelas políticas
públicas integradas de fortalecimento do setor, intensificadas na última década. O pequeno agricultor
ocupa hoje papel decisivo na cadeia produtiva que abastece o mercado brasileiro: mandioca (87%), feijão
(70%), carne suína (59%), leite (58%), carne de aves (50%) e milho (46%) são alguns grupos de alimentos
com forte presença da agricultura familiar
por Portal Brasil Publicado: 24/07/2015 00h00 Última modificação: 24/07/2015 19h51

-feira (1), no Palácio do Planalto, representantes


da Frente Nacional de Luta no Campo e Cidades (FNL). O movimento apresentou sua pauta de
reivindicações que envolvem a aceleração da reforma agrária e o apoio à agricultura familiar. Para o

agrária e da agricultura familiar e expusemos para o presidente interino a necessidade da manutenção do

por Portal Brasil Publicado: 01/06/2016 19h24 Última modificação: 01/06/2016 19h25

Temer extingue programa de agricultura familiar

Agregação de Valor da Secretaria de Agricultura Familiar. (...) Publicado no último dia 26 de outubro, por
meio do Decreto 8889, Temer extinguiu o Departamento que foi fundamental na criação e implementação
do Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA) no governo legítimo do presidente
Lula. O PAA foi criado pelo governo Lula com duas finalidades básicas: promover o acesso à alimentação e
incentivar a agricultura familiar. As secretarias municipais de agricultura compram os alimentos produzidos
pelos produtores do município com recursos do Governo Federal e a Secretaria de Assistência Social do

Fonte: http://www.vermelho.org.br/noticia/288966-2 Acesso 20/03/2017 19:05 Adaptado

Geo.
Com base nas notícias, discorra sobre a importância de medidas de compensação histórica na distribuição
de direitos aos pequenos produtores e duas modificações espaciais que podem ocorrer no Brasil a partir da
suspensão do departamento de geração de renda do PAA pelo atual presidente.
GABARITO

Exercícios

1. b.
A questão trata da modernização da produção sucroalcooleira em Ribeirão Preto, a qual ocasiona um
impacto ambiental positivo pois substitui a prática das queimada, que eliminam os nutrientes do solo, e
um impacto socioeconômico negativo e um positivo, visto que com a modernização diminui a
necessidade de utilização da mão de obra humana e garante o aumento da produtividade agrícola,
respectivamente.

2. b.
A questão trata da expansão dos latifúndios monocultores, visto que para o crescimento da produtividade
dentro deste sistema há a necessidade de utilização de novas terras. O impacto decorrente disto é a
destruição de áreas naturais que contam com uma grande riqueza biogenética, como a floresta
amazônica.

3. a.
A contradição é que o espaço rural brasileiro passou pela chamada modernização conservadora, em que
a produção se modernizou com a introdução de novas tecnologias, contudo as relações sociais ali
estabelecidas permaneceram inalteradas, permanecendo assim o quadro de desigualdades social.

4. a.
O gráfico mostra que a maior parte dos imóveis rurais no Brasil são latifúndios acima de 1.000 hectares,
ou seja, existem poucos proprietários de terras que são donos de grandes extensões de terra. Isso
comprova que há a concentração de terras nas mãos de poucos indivíduos.

5. c.
A principal característica da estrutura fundiária brasileira e de outros países da América do Sul é
concentração de terras, terras estas que muitas vezes ficam improdutivas, apenas se valorizando para
posteriormente serem vendidas a um valor elevado, e não sendo produzido nada nelas. A Revolução
Verde aprofundou essa desigualdade de acesso à terra.

Geo.
6. d.
Ambientalmente, para a conservação do solo, a monocultura é prejudicial pois acarreta em um a retirada
constante dos mesmos nutrientes do solo o que o torna mais suscetível à algumas pragas e o torna uma
área com prazo de validade para servir como área de cultivo.

7. c.
A única afirmativa incorreta é a primeira, pois a modernização agrícola não acarretou uma mudança dos
interesses da elite agrária, que permanece possuindo grandes extensões de terra, enquanto a maioria do
agricultores quase não possuem mais acesso.

8. e.
O crescimento da exportação de gêneros agrícolas do Brasil exerce um pressão ambiental sobre a região
Centro-Oeste e a região Norte, visto que são as áreas onde a soja tem ocupado e se expandido, gênero
este que é um dos maiores produtos de exportação brasileiro.

9. a.
Todas as afirmativas estão corretas ao apontar os aspectos relativos à questão agrária brasileira, tais como
a expansão da fronteira agrícola da soja, a necessidade de reforma agrária e a definição de posseiros.

10. d.
A opção D completa corretamente as lacunas do enunciado.

Questão Contexto

Historicamente no Brasil houve um desequilíbrio na entrada de forças do grande capital no campo. Os


grandes latifundiários cresceram suas propriedades muitas vezes de forma ilegal, e a modernização do campo
obrigou o pequeno produtor a migrar para as cidades ou a servir de mão de obra industrial, perdendo parte
de sua cultura e de sua qualidade de vida. Além disso, a monocultura servindo ao mercado externo obriga o
uso de agrotóxicos prejudiciais à vida diária da propriedade e do agricultor. Por isso houveram também
historicamente medidas de tentativa de compensação para com essa população, seja na ditadura com
políticas de diálogo com o MST lutando por se apropriar de terras inutilizadas e abandonadas pelos grandes
proprietários para reequilibrar aos que perderam suas terras e dependiam dela, seja no governo democrático
de Lula e Dilma com a criação de incentivos à produção familiar. Essas medidas se mostraram compensatórias
uma vez que o campo da agroecologia e da produção da agricultura familiar teve grande percentual
representativo no consumo de alimentos nas grandes cidades, servindo de alternativa ao agronegócio
hegemônico que causa muitos danos. Duas modificações espaciais seriam a diminuição de feiras orgânicas e
de produtos comprados pelo produtor direto, aumentando o preço dos orgânicos, e também um possível
aumento nas taxas de êxodo rural e desemprego nas cidades.

Geo.
Geo.
Professor: Claudio Hansen
Monitor: Rhanna Leoncio

Geo.
28/30
Revolução Verde e os CAIS
mai

RESUMO
A Revolução Verde foi um processo que levou à passagem de uma agricultura tradicional, caracterizada
pelo plantation e uso intensivo de mão-de-obra, para a agricultura moderna, através de inovações
tecnológicas (desenvolvimento de pesquisas em sementes, fertilização do solo, utilização de agrotóxicos e
mecanização do campo) que foram capazes de aumentar a produtividade agrícola.

O discurso ideológico da Revolução Verde foi o aumento da produção de alimentos para que a fome no
mundo tivesse fim, sendo assim, o grupo Rockefeller, que financiou este processo, expandiu sua venda de
insumos para diversos países. O que ocorreu foi, houve sim um aumento na produção de alimentos mas a
distribuição deles não ocorreu, isso porque constatou-se que a má distribuição dos alimentos está
relacionada à pequena renda da população e não à pouca disponibilidade de alimentos.

No Brasil, assim como em outros países em desenvolvimento, a Revolução Verde tem início nas décadas de
1960-1970, período em que houve um aumento da produção agrícola. Enquanto a indústria estava associada
à cidade, a agricultura, a pesca e a pecuária estavam associadas ao campo, porém com a Revolução Verde a
relação campo-cidade foi aprofundada, com o campo dependendo dos elementos encontrados nas cidades
(financiamentos bancários, mão de obra qualificada e outros) e vice-versa.

Identificam-se, portanto, neste novo momento da agricultura, transformações tais como, mudança no perfil
da mão de obra, que deixa de ser em grande quantidade e braçal e passa a ser uma mão de obra em pouca
quantidade e com grande qualificação que saiba, por exemplo, manusear os maquinários agrícolas. Esta
nova demanda estimulou o chamado êxodo rural, ou seja, a saída da população do campo em direção às
cidades por conta da falta da oferta de empregos.

Outra transformação acarretada foi a distribuição da população pois houve uma mudança no perfil do
trabalhador que trabalha e reside no campo, este passa a ter uma renda elevada o que culmina na chegada
de serviços mais qualificados e diferenciados ao campo em função da nova demanda, criando assim novos
tipos de emprego e transformando muitas dessas áreas em um centro urbano.

Acerca da nova estrutura produtiva do campo ela é chamada de CAI - Complexo Agroindustrial - ou
agroindústria, e consiste em três etapas principais, indústria de insumos, atividade primária e
beneficiamento, em que a primeira se refere à tudo o que é necessário para desenvolver uma atividade.
Somando as pesquisas com as grandes extensões das terras agricultáveis no Brasil faz ele se destacar nesta

Geo.
primeira etapa.

A segunda etapa é aquela atividade típica do campo, plantar e criar animais. O Brasil se destaca muito nos
dois, tanto na agricultura quanto na pecuária, isso porque ele investe em tecnologia e pesquisas.

Já a terceira etapa, o beneficiamento, consiste na adaptação dos produtos agrícolas para os moldes do
mercado, ou seja, a etapa final não é mais a colheita agrícola. Cabe destacar que o beneficiamento agrega
valor ao produto.
EXERCÍCIOS
1.

SILVA, E. S. O. Circuito espacial de produção e comercialização da produção familiar de tomate no município de São José
de Ubá (RJ). In: RIBEIRO, M. A.; MARAFON, G. J. (orgs.). A metrópole e o interior fluminense: simetrias e assimetrias
geográficas. Rio de Janeiro: Gramma, 2009 (adaptado).

O organograma apresenta os diversos atores que integram uma cadeia agroindustrial e a intensa
relação entre os setores primário, secundário e terciário. Nesse sentido, a disposição dos atores na
cadeia agroindustrial demonstra
a) a autonomia do setor primário.
b) a importância do setor financeiro.
c) o distanciamento entre campo e cidade.
d) a subordinação da indústria à agricultura.
e) a horizontalidade das relações produtivas.

2.
legislação ambiental, que proíbe a realização de queimadas em áreas próximas aos centros urbanos.
Na região de Ribeirão Preto, principal polo sucroalcooleiro do país, a mecanização da colheita já é

BALSADI, Q. et al. Transformação Tecnológica e a forca de trabalho na agricultura brasileira no período de 1990-2000.

Geo.
Revista de economia agrícola, V. 49 (1), 2002.

O texto aborda duas questões, uma ambiental e outra socioeconômica, que integram o processo de
modernização da produção canavieira. Em torno da associação entre elas, uma mudança decorrente
desse processo é a:
a) perda de nutrientes do solo devido a utilização constante de máquinas.
b) eficiência e racionalidade no plantio com maior produtividade na colheita.
c) ampliação da oferta de empregos nesse tipo de ambiente produtivo.
d) menor compactação do solo pelo uso de maquinário agrícola de porte.
e) poluição do ar pelo consumo de combustíveis fósseis pelas máquinas.

3.
Empresários de Primavera do Leste, Estado de Mato Grosso, procuram o bairro de Vila Maria para
conseguir mão de obra. É gente indo distante daqui 300, 400 quilômetros para ir trabalhar, para ganhar

(Carlito, 43 anos, maranhense, entrevistado em 22/03/98). Ribeiro, H. S. O migrante e a cidade: dilemas e


conflitos.Araraquara: Wunderlich, 2001 (adaptado).
O texto retrata um fenômeno vivenciado pela agricultura brasileira nas últimas décadas do século XX,
consequência
a) dos impactos sociais da modernização da agricultura.
b) da recomposição dos salários do trabalhador rural.
c) da exigência de qualificação do trabalhador rural.
d) da diminuição da importância da agricultura.
e) dos processos de desvalorização de áreas rurais.

4. -Oeste apresentou-se como extremamente receptivo aos novos fenômenos da urbanização,


já que era praticamente virgem, não possuindo infraestrutura de monta, nem outros investimentos fixos
vindos do passado. Pôde, assim, receber uma infraestrutura nova, totalmente a serviço de uma

SANTOS, M. A Urbanização Brasileira. São Paulo: EdUSP, 2005 (adaptado).

O texto trata da ocupação de uma parcela do território brasileiro. O processo econômico diretamente
associado a essa ocupação foi o avanço da
a) industrialização voltada para o setor de base.
b) economia da borracha no sul da Amazônia.
c) fronteira agropecuária que degradou parte do cerrado.
d) exploração mineral na Chapada dos Guimarães.
e) extrativismo na região pantaneira.

5. Leia o texto a seguir:

expansão da fronteira, ou seja, o crescimento sempre foi feito a partir da exploração contínua de terras
e recursos naturais, que eram percebidos como infinitos. O problema continua até hoje. E a questão
fundiária está intimamente ligada a esse processo, em que a terra dá status e poder, com o decorrente

(Berta Becker, IPEA, 2012.)

Com base no texto e no conhecimento sobre a expansão da fronteira agrícola no Brasil, é correto
afirmar que:
a) a agropecuária modernizada no Brasil priorizou a produção de alimentos em detrimento dos
gêneros agrícolas de exportação. Esse fato contribuiu para o avanço das fronteiras agrícolas em
parte da Amazônia localizada no Meio-Norte.
b) houve grande destruição tanto das florestas como da biodiversidade genética, ambas causadas
pelas transformações da produção agrícola monocultora, além de complexos impactos

Geo.
socioeconômicos determinados pelo modelo agroexportador.
c) a maior parte das terras ocupadas no Brasil concentra-se nas mãos de pequeno número de
proprietários os quais vêm desenvolvendo mecanismos tecnológicos para evitar os impactos
ambientais causados pelo avanço do cinturão verde, sobretudo no Sul do Piauí.
d) as atividades do agrobusiness no Brasil, com destaque para a produção de soja, vêm provocando
uma rápida expansão agrícola do Rio Grande do Sul até o Vale do São Francisco, sem causarem
prejuízo aos seus recursos naturais.
e) com o aumento da concentração fundiária nas últimas décadas, a expansão das terras cultivadas
obteve uma grande retração agropecuária em decorrência das inovações tecnológicas,
desenvolvidas no campo brasileiro, apesar dos impactos ambientais.
6.

Disponível em: http://nutriteengv.blogspot.com.br. Acesso em: 28 dez. 2011.

Na charge faz-se referência a uma modificação produtiva ocorrida na agricultura. Uma contradição
presente no espaço rural brasileiro derivada dessa modificação produtiva está presente em:
a) Expansão das terras agricultáveis, com manutenção de desigualdades sociais
b) Modernização técnica do território, com redução do nível de emprego formal.
c) Valorização de atividades de subsistência, com redução da produtividade da terra.
d) Desenvolvimento de núcleos policultores, com ampliação da concentração fundiária.
e) Melhora da qualidade dos produtos, com retração na exportação de produtos primários.

7. Necessitamos que o mundo conheça o verdadeiro custo que está por trás de uma uva, de um melão
ou de um kiwi; não podemos permitir que chegue aos mercados do mundo o produto de nosso
trabalho, tornando vulneráveis os direitos trabalhistas, os direitos das mulheres. Esse custo tem nome,
de Olívia, Maria, Nelly, Rosa, Flor, Carmen, e muitas outras, que significam jornadas intermináveis,
baixos salários, contratistas maltratadores, não pagamento de impostos, ausência de contrato de
trabalho, exposição a praguic
(Depoimento de mulheres chilenas em sua II Assembleia Nacional de Mulheres Assalariadas Temporárias da Agroexportação
de Valparaíso. In: PORTO-GONÇALVES, Carlos W. A globalização da natureza e a natureza da globalização. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2006. p. 283-284.)

Geo.
Nesse contexto, é correto afirmar que
a) a apropriação do trabalho pelo sistema capitalista sinaliza um processo de igualidade das condições
de vida.
b) as promessas da Revolução Verde para a área social foram ineficazes, ampliando a desigualdade na
Divisão Internacional do Trabalho.
c) a pauta de exportação tem estado vinculada aos interesses industriais, permanecendo inalterada a
lógica na prioridade alimentar entre humanos e animais.
d) a subcontratação temporária ocorre frequentemente pela necessidade sazonal de trabalho na
monocultura, minimizando as disparidades sociais e espaciais.
e) o uso de Organismos Geneticamente Modificados são alternativas para crescimento da produção,
demandando o emprego generalizado de química mais intensa.
8. -americanos e asiáticos nos anos 1960 e 1970, tinha
como objetivo suprimir a fome e reduzir a pobreza de amplas parcelas da população. Entretanto, as
promessas de modernização tecnológica da agricultura não foram cumpridas inteiramente,
contribuindo para a geração de novos problemas e aprofundando velhas desigualdades. Assinale a

a) Coletivização das terras, implemento da agroecologia e expansão do crédito para os agricultores.


b) Distribuição equitativa de terras, difusão da policultura e uso de defensivos biodegradáveis.
c) Expansão de monoculturas, uso de técnicas tradicionais de plantio e fertilização natural dos solos.
d) Reconcentração de terras, crescimento do uso de insumos industriais e agravamento da erosão dos
solos.
e) Estatização das terras agrícolas, trabalho em comunas e produção voltada para o mercado interno.

9.

Disponível em: Acesso em: 4 jun. 2008.

Sobre sementes transgênicas no mundo contemporâneo, é correto afirmar:


a) Têm constituído a base da agricultura familiar em expansão, razão pela qual o atual governo do
Paraná vem defendendo seu uso.
b) A atuação de empresas que fabricam sementes transgênicas diminui a possibilidade de criação de
monopólios no setor de alimentos.

Geo.
c) O uso de sementes transgênicas se expande, mesmo não havendo consenso científico sobre os
seus efeitos no corpo humano pelo seu consumo em longo prazo.
d) O uso de sementes transgênicas tem resultado na diminuição dos subsídios agrícolas dos países
centrais a seus produtores rurais locais.
e) A utilização de transgênicos foi consensual entre movimentos sociais e organismos internacionais
como tentativa de solucionar os problemas da crise alimentar
10. Observe os dados:

Divisão estatística da FAO, 2005.

Sobre os dados apresentados na tabela, é CORRETO afirmar que:


a) a Revolução Verde, baseada na mecanização do campo, no uso de insumos agrícolas, privilegiou a
produção agrícola alimentar e as lavouras de subsistência, aumentando a produção.
b) os produtos apresentados na tabela são oriundos de um sistema agrícola denominado agricultura
itinerante, que usa a autoexploração do trabalho da família camponesa, são produzidos em
pequenas propriedades e destinados ao mercado interno.
c) os produtos apresentados na tabela são cultivados de maneira tradicional, num sistema de
subsistência com o uso de técnicas arcaicas, no sistema de roças, com a rotação trienal de terras.
d) envolvidos, com produção em
larga escala que abastece o mercado consumidor internacional, ocupando grandes propriedades e
explorando mão de obra barata.
e) os dados demonstram o aumento da produção de uma agricultura cultivada de forma orgânica, sem
o uso de agrotóxicos, que busca o equilíbrio entre produção e proteção ao meio ambiente.

11. No Brasil, a expansão industrial gerou grandes complexos agroindustriais, sobre os quais se afirma que:

Geo.
I. O capital necessário para esses empreendimentos foi fornecido pelo Estado (através de
empréstimos especiais), pelo grande capital industrial e pelo grande capital agrário.
II. Pequenos e médios proprietários vendem sua produção para grandes empresas, antes da colheita,
as quais supervisionam a aplicação dos investimentos e a qualidade dos produtos. Essas empresas
não precisam, portanto, investir em terras para obter suas matérias-primas.
III. Entre os maiores complexos agroindustriais está o da cana, com extensas áreas agrícolas, gerando
melhores condições de trabalho no campo, o que contribui para reduzir a concentração da renda
no meio rural.

Assinale a alternativa correta.


a) Apenas a afirmativa I é verdadeira.
b) Apenas a afirmativa II é verdadeira.
c) Apenas a afirmativa III é verdadeira.
d) Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.
e) Apenas as afirmativas II e III são verdadeiras.
12. Tomates de amadurecimento lento, frutas cítricas resistentes à geada, soja resistente à herbicida e com
mais proteína, batatas maiores e com polpa mais densa são alguns dos produtos que estão disponíveis
no mercado ou estarão nos próximos anos.

Esses produtos referidos fazem parte do que se poderia designar como uma Nova Revolução na
agricultura, decorrentes mais especificamente de um fato mencionado a seguir. Assinale-o.
a) Utilização de novos insumos agrícolas
b) Mudança climática global
c) Realização de Reforma Agrária em áreas de solos férteis
d) Alterações pedológicas do meio ambiente
e) Engenharia genética

13. Bilhões de pessoas devem a vida a uma única descoberta, feita há um século. Em 1909, o químico
alemão Franz Haber, da Universidade de Karlsruhe, mostrou como transformar o gás nitrogênio
abundante, e não reagente, na atmosfera, porém inacessível para a maioria dos organismos em
amônia, o ingrediente ativo em adubos sintéticos. Vinte anos depois, quando outro cientista alemão,
Carl Bosch, desenvolveu um meio para aplicar a ideia de Haber em escala industrial, a capacidade
mundial de produzir alimentos disparou. Nas décadas seguintes, novas fábricas converteram tonelada
após tonelada de amônia em fertilizante e hoje se considera a solução Haber-Bosch uma das maiores
dádivas da história da saúde pública.
(TOWNSEND; HOWARTH, 2010. p. 44).

Com base na análise do texto e nos conhecimentos sobre o uso de fertilizantes na agricultura e suas
implicações, marque V nas afirmativas verdadeiras e F, nas falsas.
(
( ) O aumento da produtividade agrícola eliminou a fome endêmica na África e no Sudeste Asiático.
( ) O uso excessivo do nitrogênio tem contribuído para o aparecimento de zonas mortas, antes
confinadas à América do Norte e à Europa, em outras regiões do Planeta.
( ) A utilização do nitrogênio em larga escala é aconselhável porque, quando as águas pluviais,
carregadas de fertilizantes, chegam aos oceanos, ocorre o florescimento de plantas microscópicas,
consumidoras de pouco oxigênio.
( ) O aumento da biodiversidade é uma das consequências do uso do nitrogênio, principalmente nos
ecossistemas costeiros.

A alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo, é a


a) F V F V V
b) F V V F V

Geo.
c) V F V F F
d) F F V F V
e) V F F V F

14. Observe o gráfico.

Folha de São Paulo, 23/2/2012.


Com base no gráfico acima, assinale a alternativa CORRETA.
a) A maior produção mundial de transgênicos ocorre em países da América Latina.
b) Os Estados Unidos vêm, nos últimos anos, reduzindo a produção de transgênicos para atender ao
mercado externo.
c) O Brasil é o maior produtor de transgênicos do Mercosul.
d) Os países mais populosos são os maiores produtores de transgênicos por necessidade do mercado
interno.
e) A Argentina é o maior produtor de transgênicos da América do Sul.

15. O modelo de desenvolvimento agrícola, adotado atualmente em boa parte dos países do mundo, tem
levado à ocupação de áreas territoriais cada vez maiores. Como consequência, desencadeou-se uma
série de problemas ambientais.

A esse respeito, analise as afirmações I, II, III e IV, abaixo.


I. A utilização indiscriminada de agrotóxicos pode eliminar insetos não nocivos, rompendo a cadeia
alimentar.
II. Os solos poderão tornar-se estéreis, já que a biota contaminada desses solos poderá até
desaparecer.
III. A intensa contaminação das águas subsuperficiais por produtos químicos disseminará, atingindo
animais de águas superficiais.
IV. A implantação de monoculturas favorece o desenvolvimento de muitas espécies de seres vivos,
como insetos, bactérias e fungos, que atacam as plantações, aumentando os predadores naturais.

Dessa forma,
a) apenas I e II estão corretas.
b) apenas III e IV estão corretas.
c) apenas I e IV estão corretas.
d) apenas I, II e III estão corretas.
e) I, II, III e IV estão corretas.

QUESTÃO CONTEXTO
A partir da imagem acima, discorra sobre a relação campo-cidade destacando a questão da modernização
do campo e a nova paisagem do campo que se origina a partir desse processo.

Geo.
GABARITO
Exercícios
1. b
Como observa-se na imagem, o financiamento bancário é o principal agente que permite que toda a
cadeira agro produtiva se estabeleça, do setor de captação de matéria prima, ao de transformação e
venda, setores primário, secundário e terciário, respectivamente.

2. b
A Revolução Verde impulsionou o uso dos maquinários agrícolas que, por sua vez, contribuíram para o
aumento da produtividade, mas dentre os ônus deste processo destacam-se os impactos ambientais
como a compactação do solo e socioeconômicos como o desemprego estrutural no campo que
essa modernização causou.

3. O processo de Revolução Verde e modernização da agricultura aconteceu de maneira excludente,


aumentando os níveis de concentração fundiária no Brasil. Nesse período muitos trabalhadores rurais
tiveram que migrar em busca de novas oportunidades de emprego. Essa situação de vulnerabilidade em
que os trabalhadores rurais foram colocados é presente no Brasil atual. Muitos trabalhadores migram em
busca de emprego e acabam trabalhando em condições análogas a escravidão.

4. c
A questão retoma os conhecimentos sobre a ocupação territorial do Centro-Oeste, trazendo a principal
infraestrutura produtiva que a ocupava, anteriormente à construção de Brasília. Apesar de ter havido
muita exploração mineral nas áreas de cerrado do Centro-Oeste, o avanço da fronteira agropecuária
vindo principalmente do Sul (soja), abriu a frente de degradação do bioma, norteando por si a ocupação
da região.

5. b
O texto aborda a expansão agropecuária, no Brasil, especificamente a soja foi o vetor de expansão.
Inicialmente cultivada na região Sul essa commoditie chegou à região Centro-Oeste, sendo necessárias
adaptações como a calagem do solo e modificações na semente, e atualmente está alcançando à região
amazônica gerando preocupações acerca da degradação ambiental que pode gerar, visto os relatos de
desmatamento no cerrado associado ao seu cultivo.

Geo.
6. a
A contradição é que o espaço rural brasileiro passou pela chamada modernização conservadora, em que
a produção de modernizou com a introdução de novas tecnologia, contudo as relações sociais ali
estabelecidas permaneceram inalteradas, permanecendo assim o quadro de desigualdades social.

7. b
O texto aponta as consequências causadas pela Revolução Verde na esfera do trabalho, em que de um
lado avançou-se no sentido produtivo, mas por outro os impactos sobre os trabalhadores são os mais
variados, desde exploração da mão de obra à implicações na saúde.

8. d
Dentre os desdobramentos do processo de modernização agrícola decorrente da Revolução Verde,
destacam-se os itens apontado na opção, o processo de reconcentração de terras, visto que esta
modernização demandou muito capital que apenas os grandes produtores detinham, impulsionando
assim a saída dos pequenos agricultores do espaço rural, os quais venderam, em sua maioria, suas terras
para os primeiros; o crescimento do uso de insumos, fertilizantes e agrotóxicos, como medida para
aumentar a produtividade; e a intensificação da erosão por conta das técnicas agrícolas utilizadas a partir
deste momento.
9. c
O uso de insumos agrícolas, como os fertilizantes e agrotóxicos, está em constante ascensão, mesmo
com alguns indícios de efeitos negativos que eles podem causar no organismo humano. Essa insistência
é feita tendo como base a afirmação que o estímulo à produção de transgênicos é visando o fim da fome.

10. d
A tabela destaca produtos agrícolas cultivados principalmente em países subdesenvolvidos e que são
commodities em um cenário internacional. Esses gêneros agrícolas geralmente são desenvolvidos em
plantations, grandes extensões de terra, a partir da exploração da mão de obra pouco qualificada através
das longas jornadas de trabalho.

11. d
A única afirmativa errada é a III, pois os CAIS não contribuíram para a redução da concentração de terras
no meio rural, pelo contrário, ampliou a concentração, tanto que se fala em modernização conservadora,
ou seja, modernizou-se a questão produtiva, mas a estrutura fundiária e as relações sociais do meio rural
permaneceram inalteradas.

12. e
As adaptações pelas quais os gêneros agrícolas têm passado nas últimas décadas tem relação com a
engenharia genética, a partir da qual são produzidas sementes modificadas com o objetivo de aumentar
a produtividade agrícola e ampliar os lucros dos grandes agricultores.

13. c
As únicas afirmativas incorretas são a segunda e as duas últimas, pois, respectivamente, a fome não foi
extinta mesmo havendo um crescimento da produção de alimentos; e o nitrogênio é um elemento
fundamental para a fertilidade dos solos, porém em excesso e em conjunto com outros elementos, como
o oxigênio, dá origem ao gás óxido nitroso (N2O), gás esse que contribui para o efeito estufa.

14. c
Ao se observar o gráfico identifica-se o destaque do Brasil em relação à Argentina, por exemplo, país que
também faz parte do Mercosul, entre os principais países exportadores de transgênicos.

15. d
A única afirmativa incorreta é a IV, pois a monocultura não favorece o desenvolvimento de variadas
espécies animais que atacam as plantações, pelo contrário, o que ocorre é a atuação de um número
reduzido de espécies por se tratar de uma grande extensão de terra ocupada por apenas um gênero
agrícola. Por outro lado, essas espécies tendem a ser tornar cada vez mais resistentes aos agrotóxicos.

Geo.
Questão Contexto
A modernização do campo provoca a subordinação crescente do campo à cidade e à indústria, destino da
produção agrícola e de onde recebe insumos e equipamentos, como evidenciado na imagem. Cabe destacar
que esta modernização torna as paisagens agrícolas homogeneizadas, visto que a produção agrícola, voltada
principalmente para o mercado externo, passa a ser padronizada (monocultura). Além disso, a modernização
do campo reduz a população rural (êxodo rural), mas contribui para a formação de uma população agrária
formada por agrônomos, tratoristas, mecânicos, dentre outros trabalhadores qualificados.
Por.
Professor: Raphael Hormes
Eduardo Valladares

Monitor: Rodrigo Pamplona

Por.
Funções sintáticas: Predicado e 08/10
predicativo mai

RESUMO
Predicado

Observe:

Os alemães e seus canhões


Guardava o meu bodoque

Chico Buarque

ção.
Normalmente, o predicado mostra o que o sujeito faz. Às vezes, a declaração contida no predicado não se

Tipos de Predicado

Os predicados podem ser:


Verbal - O núcleo é um verbo transitivo ou intransitivo.
Exemplo:
Uns brincam na relva - Predicado: brincam na relva.
Núcleo: brincam (verbo intransitivo)
No predicado verbal, não aparece o predicativo.

Nominal - O núcleo é o predicativo do sujeito (substantivo, adjetivo ou pronome) e o vero é de ligação.


Exemplo:
Ele está bobo. O núcleo é bobo (adjetivo na função de predicativo do sujeito).
Observe que o predicativo atribui algo ao sujeito.
Costumam aparecer como verbos de ligação: ser, estar, parecer, continuar, andar, parecer. No entanto, se
não houver predicativo, esses verbos não serão de ligação. Ex.: Permaneceremos tranquilos. (pred do sujeito)
- Verbo de ligação. Permaneceremos nessa casa. (adjunto adverbial) - verbo intransitivo.

Verbo-nominal - Há dois núcleos. Primeiro: verbo intransitivo ou transitivo. Segundo: predicativo do sujeito, Por.
do objeto direto ou do objeto indireto.

Exemplos:
1. Os alunos cantaram emocionados aquela canção.
Predicado: cantaram emocionados aquela canção
Núcleo verbal: cantaram
Núcleo nominal: emocionados (predicativo do sujeito)

2. Vi as crianças, alegres.
Predicado: Vi as crianças, alegres
Núcleo verbal: Vi
Núcleo nominal: alegres (predicativo do objeto direto)

3. Chamei-lhe egoísta.
Núcleo verbal: Chamei
Núcleo nominal: egoísta
Predicativo

Há dois tipo de predicativo:

a) Predicativo do sujeito: termo que exprime um atributo, um estado, um modo de ser do sujeito, ao qual se
conecta por um verbo de ligação, no predicado nominal.
Ex: A bandeira é o símbolo da Pátria.

b) Predicativo do objeto: termo que se refere ao objeto de um verbo transitivo.


Ex: O juiz declarou o réu INOCENTE.
O deslocamento do predicativo e a vírgula

Assim como outros termos deslocados, algumas vezes o predicativo pode precisar ser destacado por vírgulas.
Isso acontecerá porque ele não seguirá a ordem direta da oração. Observe o exemplo abaixo para melhor
entendimento:

Animado, André correu para seus pais.


André, animado, correu para seus pais.

Mais um uso das vírgulas em relação aos termos essenciais da oração é para omitir um verbo que já foi citado
no contexto.

EXERCÍCIOS DE AULA
1. Leia o período a seguir:
-se em duas linhas, mas para o sujeito que vai

a) Transcreva deste período duas orações formadas por predicados nominais.


b) Indique, respectivamente, os predicativos do sujeito desses predicados nominais.

2. Um Boi Vê os Homens
Tão delicados (mais que um arbusto) e correm
e correm de um para outro lado, sempre esquecidos
de alguma coisa. Certamente, falta-lhes
não sei que atributo essencial, posto se apresentem nobres
e graves, por vezes. Ah, espantosamente graves,
até sinistros. Coitados, dir-se-ia não escutam

Por.
nem o canto do ar nem os segredos do feno,
como também parecem não enxergar o que é visível
e comum a cada um de nós, no espaço. E ficam tristes
e no rasto da tristeza chegam à crueldade.
Toda a expressão deles mora nos olhos e perde-se
a um simples baixar de cílios, a uma sombra.
Nada nos pelos, nos extremos de inconcebível fragilidade,
e como neles há pouca montanha,
e que secura e que reentrâncias e que
impossibilidade de se organizarem em formas calmas,
permanentes e necessárias. Têm, talvez,
certa graça melancólica (um minuto) e com isto se fazem
perdoar a agitação incômoda e o translúcido
vazio interior que os torna tão pobres e carecidos
de emitir sons absurdos e agônicos: desejo, amor, ciúme
(que sabemos nós?), sons que se despedaçam e tombam no campo
como pedras aflitas e queimam a erva e a água,
e difícil, depois disto, é ruminarmos nossa verdade.
(https://wp.ufpel.edu.br/aulusmm/2017/11/09/um-boi-ve-os-homens-carlos-drummond-de-andrade/)
É comum encontrar nos livros escolares a definição de predicado como aquilo que se declara sobre o
sujeito de uma oração. Essa definição de predicado, entretanto, não é suficiente para identificá-lo em
todas as suas ocorrências. O exemplo em que não se poderia identificar o predicado pela definição
dada é:
- - 4)

3. Leia:
"No mar, tanta tormenta e tanto dano, / Tantas vezes a morte apercebida; / Na terra, tanta guerra, tanto
engano, / Tanta necessidade aborrecida! / Onde pode acolher-se um fraco humano, / Onde terá
segura a curta vida, / Que não se arme e se indigne o Céu sereno / Contra um bicho da terra tão
pequeno?"

Na oração "Onde terá segura a curta vida...":


a) o adjetivo segura é predicativo do objeto vida
b) o adjetivo curta é adjunto adnominal do sujeito vida
c) os dois adjetivos - segura e curta - são adjuntos do substantivo vida
d) o adjetivo segura está empregado com valor de adjunto adverbial
e) os adjetivos - segura e vida - são predicativos do sujeito vida

4. Fabiano ia satisfeito. Sim, senhor, arrumara-se. Chegara naquele estado, com a família morrendo de
fome, comendo raízes. Caíra no fim do pátio, debaixo de um juazeiro, depois tomara conta da casa
deserta. Ele, a mulher e os filhos tinham-se habituado à camarinha escura, pareciam ratos e a
lembrança dos sofrimentos passados esmorecera.
Pisou com firmeza no chão gretado, puxou a faca de ponta, esgaravatou as unhas sujas. Tirou do aió
um pedaço de fumo, picou-o, fez um cigarro com palha de milho, acendeu-o ao binga, pôs-se a fumar
regalado.
Fabiano, você é um homem, exclamou em voz alta.
Conteve-se, notou que os meninos estavam perto, com certeza iam admirar-se ouvindo-o falar só. E,
pensando bem, ele não era homem: era apenas um cabra ocupado em guardar coisas dos outros.
Vermelho, queimado, tinha os olhos azuis, a barba e os cabelos ruivos; mas como vivia em terra alheia,
cuidava de animais alheios, descobria-se, encolhia-se na presença dos brancos e julgava-se cabra.
(Graciliano Ramos)

Identifique no texto:
a) um predicado verbo-nominal.

Por.
b) um predicado verbal com verbo intransitivo.
c) Identifique a função sintática dos termos em negrito no texto acima.

5.
-
Compare os trechos acima com as duas frases iniciais do cartaz:
A estrutura sintática das quatro frases está explicada de forma adequada na seguinte opção:
a) As quatro frases apresentam núcleos predicativos de mesma classe gramatical.
b) As frases do cartaz têm estrutura predicativa diferente das outras, pelo uso de linguagem figurada.
c) A única frase cujo predicativo está representado sob a forma de oração é a que contém a expressão

d)
a mesma função predicativa.

6. Sujeito simples + verbo de ligação + adjunto adverbial + predicativo do sujeito. Apenas uma das
orações abaixo está estruturada de acordo com a sequência indicada acima. Marque-a.
a) Ninguém oferecerá, por exemplo, um quilo de arroz.
b) As lojas querem ser diferentes.
c) Todos ficamos extremamente felizes.
d) Isto seria uma vulgaridade.
e) Estes recursos são a própria imagem da ilusão.

7. Assinale a frase cujo predicado é verbo-nominal:

Por.
a) Que segredos, amiga minha, também são gente...
b) ... eles não se vexam dos cabelos brancos...
c) ... boa vontade, curiosidade, chama-lhe o que quiseres...
d) Fiquemos com este outro verbo.
e) ... o assunto não teria nobreza nem interesse...

8.
a) nominal.
b) verbal.
c) verbo-nominal.
d) predicativo do sujeito.

9. indecorosa a
a) Agente da passiva.
b) Objeto direto.
c) Predicativo do objeto.
d) Objeto indireto.
e) Complemento nominal.
10. Leia a tirinha:

Identifique no segundo quadrinho o predicativo do objeto.

Por.
GABARITO

Exercícios de aula

1.
b) fácil e horrível, respectivamente

2. c
A definição de predicado em questão não é suficiente para identificá-lo em todas as suas ocorrências,

3. a
[Onde] pronome relativo com função de sujeito.
[terá] verbo transitivo direto
[a curta vida] objeto direto
[segura] predicativo do objeto (que, na oração, está anteposto ao objeto direto).

4. a- Fabiano ia satisfeito
b- Caíra no fim do pátio.
c- predicativo do sujeito.

5. d
[A opinião pública] - sujeito [é] - verbo de ligação [ uma metáfora sem base] predicativo do sujeito.
[A poesia Pau-Brasil] sujeito [é] - verbo de ligação [uma sala de jantar domingueira] predicativo do
sujeito
[A ideia] sujeito[é] verbo de ligação [simples] predicativo do sujeito.

6. c
[Todos] sujeito simples [ficamos] verbo de ligação (indica estado) [extremamente] advérbio com função
de adjunto adverbial [felizes] predicativo do sujeito

7. c
Nosso filho chegou. Ele estava atrasado.
Tendo em vista o desdobramento acima, depreendem-se duas informações essenciais nesse predicado:

Por.
uma verbal (chegou) e outra nominal (atrasado).

8. c
boa vontade, curiosidade, chama-lhe o que quiseres ..."
sujeito oculto (tu)
verbo chamar no sentido de apelidar, neste caso, é verbo transitivo indireto
O (equivale a "aquilo") é predicativo do objeto indireto
predicado verbo-nominal, pois apresenta VTD e POI

9. c
[eu] Considerei (suj) [sua proposta] objeto direto INDECOROSA ( predicativo do objeto)

10.
Por.
Professor: Raphael Hormes
Eduardo Valladares

Monitor: Rodrigo Pamplona

Por.
Funções sintáticas: complementos 08/10
verbais mai

RESUMO
Complemento verbal

Os complementos verbais, como o próprio nome já diz, completam o sentido de verbos transitivos. Eles
podem ser diretos, quando se ligam ao verbo sem necessidade de preposição; e indiretos, quando se
conectam ao verbo com o auxílio de preposição.

1. Objeto direto - completa um verbo transitivo (sem preposição obrigatória): Vais encontrar o mundo
(=vais encontrá-lo). Quero que tudo vá para o inferno.
Semanticamente, o objeto direto pode representar:
● Quem sofre ou recebe a ação do verbo: O diretor elogiou o professor.
● O resultado da ação: Ele executou a obra.
● Aquilo para onde se dirige um sentimento: Ela ama o companheiro.
● O espaço percorrido ou o objetivo final: Atravessei o lago. Subi a montanha.

1. Objeto indireto - Complemento preposicionado de um verbo.


● O que recebe a ação: Responder à questão.
● A pessoa ou coisa em cujo benefício ou não se pratica a ação: Trabalho para o aluno.

Dica: Sempre pergunte ao verbo, que ele irá te dizer se seu complemento precisa ou não de preposição.

Exemplo 1: Gosto de escr


Temos um VTI e um OI.

Exemplo 2: A menina trouxe água. Verbo: Trazer. Pergunta: Quem traz, traz alguma coisa? Notou que a
preposição não se fez necessária? Temos um VTD e um OD.

Função do objeto pleonástico

Por.
Sempre que haja necessidade expressiva de reforço, de ênfase, pode um termo vir repetido. Essa
reiteração recebe o nome de pleonasmo, e ocorre principalmente com o objeto direto, o objeto indireto e
o predicativo do sujeito.
Para que isso aconteça, duas condições precisam ser respeitadas: 1. O termo que se tornará
pleonástico ficará no início da frase. 2. a seguir, repete-se o termo sob forma de pronome pessoal (no objeto
direto ou indireto) e sob forma de pronome demonstrativo se for predicativo do sujeito com verbo de ligação.

Observe:
Este carro comprei hoje. / Este carro comprei-o hoje.
Não obedeço ao professor. / Ao professor não lhe obedeço.
Ele não me viu. / A mim ele não me viu.
O menino que veio comigo / mandei-o voltar.

Razões para o objeto direto preposicionado

Às vezes, preposiciona-se o objeto direto, seja por clareza, por eufonia (evitar sons desagradáveis ao
ouvido) ou por ênfase.
Por clareza, ou seja, para evitar confusão de sentido:
a. Ao Palmeiras o Guarani venceu: evitar confundir o sujeito com o O.D. Ordem direta: O Guarani
venceu o Palmeiras.
b. Estimo-o como a um pai. (em expressões comparativas)

Por ênfase,
a. Estimo a meus alunos
b. Estranhamos a todos. Atingi a ambos. Castiguei a Marcio.

Outros casos:
a. Com o pronome relativo quem: Refiro-me à pessoa a quem conheces.
b. Com pronome oblíquo tônico: Nem ela entende a mim, nem eu a ela.
c. Com sujeito indeterminado: Adora-se às mulheres..
d. Nas

(Adaptado- fonte: RIBEIRO, Manoel P. Nova Gramática Aplicada da Língua Portuguesa.)

EXERCÍCIOS
1. Em:
1. principiou
2. de padeiro derrapavam
3. Passavam
4. Garoava

Os verbos são, respectivamente:


a) transitivo direto, transitivo indireto, transitivo direto, intransitivo
b) intransitivo, transitivo indireto, transitivo direto, intransitivo
c) transitivo direto, intransitivo, transitivo direto, intransitivo
d) transitivo direto, intransitivo, intransitivo, intransitivo-impessoal
e) transitivo indireto, intransitivo, transitivo indireto, transitivo indireto

2. Analise a predicação dos verbos em negrito no texto e assinale a alternativa correta.


"Calem-se todos!" - Gritou ele autoritário. - Pergunto-me, então: calam as palavras?... Não! Louco,
quem assim pensa. Fecham-se os lábios, isto sim. Mas o pensamento... ah! ... este voa.

a) Os quatro verbos em negrito são intransitivos.

Por.
b) "Perguntar" é transitivo direto e indireto; os demais são intransitivos;
c) "Perguntar" é intransitivo; "pensar" e "voar" são transitivos diretos e "fechar" é transitivo indireto;
d) "Pensar" é intransitivo", os três outros são transitivos diretos;
e) "Fechar" é transitivo direto; os demais são transitivos indiretos.

3. "Quando amainar a chuva, veremos quantos bois sobreviveram às inundações de janeiro."

Na frase acima, os termos grifados exercem a função sintática, respectivamente, de:


a) objeto direto, objeto direto e adjunto adverbial;
b) objeto direto, objeto direto e adjunto adnominal;
c) objeto direto, sujeito e adjunto adverbial;
d) sujeito, sujeito e adjunto adnominal;
e) Sujeito, objeto direto e adjunto adverbial.
4. "O homem está imerso num mundo ao qual percebe ..." A palavra em negrito é:
a) objeto direto preposicionado
b) objeto indireto
c) adjunto adverbial
d) agente da passiva
e) adjunto adnominal.

5. Entre as alternativas abaixo, aponte a única em que um dos termos corresponde à análise dada:
"Pareciam infinitas as combinações de cores no azul do céu."
a) Pareciam é um verbo intransitivo
b) Infinitas é objeto direto
c) Cores é o núcleo do sujeito
d) Do céu é o complemento nominal
e) n.d.a

6.
a) A casa que você viu é minha.
b) O homem que trabalha vence na vida.
c) Que aconteceu com você?
d) O cargo a que aspiras é nobre.
e) O rapaz que chegou é meu conhecido.

7. Leia o trecho abaixo e identifique a opção que faz correspondência incorreta entre as duas colunas:
"Ainda quando a vida mais não fosse que a urna da saudade, o sacrário da memória dos bons, isso
bastava para a reputarmos um benefício celeste, e cobrirmos de reconhecimento a
generosidade de quem no-la doou." (Ruy Barbosa)

Termos destacados Função sintática da oração:


a) a - objeto direto
b) um benefício celeste - predicativo do objeto direto
c) a generosidade - objeto direto
d) quem - objeto indireto
e) no - objeto indireto.

8. Observe os termos destacados:

-se vagas

Por.
-se de faxineiros

-se

Eles exercem, respectivamente, a função sintática de:

a) objeto direto objeto indireto objeto direto.


b) sujeito sujeito sujeito.
c) sujeito - objeto indireto objeto direto.
d) sujeito - objeto indireto sujeito.
e) sujeito sujeito - objeto indireto.

9. Observe as sentenças abaixo:

Estimo-o como um pai.


Estimo-o como a um pai.

Explique as diferenças de sentido entre as duas orações e explique o fator sintático que as difere.
GABARITO
Exercícios

1. c
- o termo destacado entre colchetes é objeto direto; o verbo é
transitivo direto.

2. b
Quem pergunta, pergunta algo a al
pois requer dois complementos verbais: um preposicionado e outro não.

3. e

4. a
Não existe necessidade de preposição entre o verbo e o seu objeto, pois quem percebe, percebe algo.
objeto direto), mas o autor preferiu utilizar

5. b
a) Pareciam é um verbo, mas não consegue formar uma frase sozinho.
b) Infinitas é objeto direto Correto. Há alguns
comumente pré-postos aos seus sujeitos oracionais.
c) Combinações é o núcleo do sujeito
d) Do céu é adjunto adnominal

6. d

Por.
Devemos entender que há duas orações nesse período: 1 o cargo é nobre.; 2 Tu aspiras ao cargo. O

7. d
-

8. c
Alugam-se vagas [ = vagas são alugadas (sujeito)]
-se de faxineiros
indireto]
ou-se [= Paraibana expansiva machucou alguém = ela mesma/ objeto

9. Na sentença II, o sujeito é filho e estima alguém, que não é seu pai, como um filho que tem apreço por
seu pai.
Por.
Professor: Raphael Hormes
Eduardo Valladares

Monitor: Rodrigo Pamplona

Por.
22/24
Aposto e vocativo
mai

RESUMO
Vocativo

Vocativo [do latim vocare = chamar] é um termo que não possui relação sintática com outro termo da oração.
Não pertence, portanto, nem ao sujeito nem ao predicado. É o termo que serve para chamar, invocar ou
interpelar um ouvinte real ou entidade abstrata personificada.
Relaciona à segunda pessoa do discurso, que pode ser uma pessoa, um animal, uma coisa real ou não.
Podemos antepor-lhe uma interjeição de apelo (óh, olá, eh! Etc.)
Ex: Tem compaixão de nós, ó Cristo!

Aposto

Aposto é um termo que se junta a outro de valor substantivo ou pronominal para explicá-lo, reapresenta-lo
ou especificá-lo. Vem separado dos demais termos da oração por vírgula, dois-pontos ou travessão.
Ex:
Ontem, terça-feira, passei o dia com vontade de ter ver.
Classificação do aposto
De acordo com a relação que estabelece com o termo a que se refere, o aposto pode ser classificado em:
a) Explicativo: A astrologia, ciência que estuda os astros, ganha mais adeptos a cada dia.
b) Enumerativo: A vida humana se compõe de muitas coisas: amor, trabalho, família, ação.
c) Resumidor ou Recapitulativo: Vida digna, cidadania plena, igualdade de gêneros, tudo isso está na base
de um país melhor.
d) Comparativo: Seus olhos, indagadores holofotes, fixaram-se por muito tempo na baía anoitecida.
e) Distributivo: Drummond e Guimarães Rosa são dois grandes escritores, aquele na poesia e este na prosa.
f) Aposto de Oração: Ela correu durante uma hora, sinal de preparo físico.

EXERCÍCIOS
Por.
1. enfim, senhores, uma graça de alienado em destaque são, respectivamente:
a) adjunto adnominal, vocativo, predicativo do sujeito.
b) adjunto adverbial, aposto, predicativo do objeto.
c) adjunto adverbial, vocativo, predicativo do sujeito.
d) adjunto adverbial, vocativo, objeto direto.
e) adjunto adnominal, aposto, predicativo do objeto.

2. No fragmento: "A designação gótico, na literatura, associa-se ao universo cadente ...". A expressão "na
literatura" está separada por vírgulas porque se trata de um (a)
a) adjunto adverbial deslocado.
b) aposto do termo "gótico".
c) vocativo no meio da oração.
d) adjunto adverbial de assunto .
e) complemento pleonástico.
3. -
írgulas porque se trata de um (a)
a) adjunto adverbial deslocado.

c) vocativo no meio da oração.


d) adjunto adverbial de assunto.
e) complemento pleonástico.

4. A expressão em destaque em "... podes partir de novo, Ó nômade formosa!" exerce a função sintática
de:
a) vocativo
b) aposto
c) sujeito
d) predicativo
e) objeto direto

5. Cuido haver dito, no capítulo XIV, que Marcela morria de amores pelo Xavier. Não morria, vivia. Viver
não é a mesma coisa que morrer; assim o afirmam todos os joalheiros deste mundo, gente muito vista
na gramática. Bons joalheiros, que seria do amor se não fossem os vossos dixes* e fiados? Um terço ou

mundo não fica menos bela, se a cingir um diadema de pedras finas; nem menos bela, nem menos
amada. Marcela, por exemplo, que era bem bonita, Marcela amou-
contos de réis; nada menos.
* Dixes: jóias, enfeites
Machado de Assis - Memórias póstumas de Brás Cubas

Assinale a alternativa correta sobre o texto.


a) Em morria de amores pelo Xavier, de amores tem a função de adjunto adverbial de intensidade.
b) Em assim o afirmam todos os joalheiros , o pronome oblíquo o retoma o período Não morria, vivia.
c) Em assim o afirmam todos os joalheiros , joalheiros é complemento do verbo afirmar.
d)
joalheiros.
e) Ao dizer Não morria, vivia, o narrador, através de uma antítese, confirma que Marcela padecia de
amores por Xavier.
6. INVESTIMENTO SEM RISCO
"Em julho do ano passado, EXAME encomendou ao jornalista Stephen Hugh-Jones¹ , editor da seção
de assuntos internacionais da centenária revista inglesa The Economist, um artigo² para a edição

Por.
especial sobre o primeiro ano do Plano Real. (...) Aqui, chocou-o profundamente a constatação de que
quase um quinto da população brasileira com idade superior a 15 anos não sabia ler nem escrever. Em
números absolutos, isso significa quase 20 milhões de pessoas materialmente incapacitadas, em função
da ignorância, para fruir do desenvolvimento ou colaborar com ele. Essa cifra triplica caso sejam
incluídos os chamados analfabetos funcionais, isto é, aquelas pessoas que não completaram a 4a série
do primário. (...) não se trata, apenas, de uma questão elementar de justiça. O sistema educacional
brasileiro simplesmente não faz sentido do ponto de vista econômico. As dezenas de milhões de
brasileiros desprovidos de educação não têm (nem terão) chances reais de obter renda, não
consomem mais do que produtos básicos, não pagam impostos, não produzem bens ou serviços com
real valor econômico, não estão aptos a ser empregados num número crescente de atividades".
(EXAME, 17/07/1996)

Observe os termos indicados no texto: "ao jornalista Stephen Hugh-Jones" (ref. 1) e "um artigo" (ref. 2).
Em análise sintática, classificamos os termos destacados. respectivamente como:
a) objeto direto e objeto indireto.
b) complemento nominal e objeto direto.
c) adjunto adverbial e aposto.
d) objeto indireto e objeto direto.
e) objeto indireto e adjunto adverbial.
7. Sobre o vocativo, é correto afirmar:
a) Termo utilizado para explicar, enumerar, resumir ou especificar outro termo, como um
substantivo, pronome, etc., ou outra oração, podendo aparecer antes ou depois do termo ao qual
se refere na frase.
b) Palavra invariável que exprime emoções, sensações, estados de espírito, etc., além de também
poder agir sobre o interlocutor, levando-o a adotar certo comportamento.
c) Termo que serve para chamar ou interpelar um interlocutor e não possui relação sintática com
outro termo da oração, sendo assim, não pertence nem ao sujeito nem ao predicado.
d) Palavra invariável que acompanha o nome, qualificando-o. Pode ser usada no lugar de um nome
ou referir-se a ele.

8.

Na tirinha de Chris Browne, o vocativo não está sintaticamente relacionado com outro termo da
oração.
Qual é a função dos termos Hamlet e papai, respectivamente, no primeiro e no segundo quadrinho?
a) Pronome
b) Interjeição
c) Aposto
d) Vocativo

9. Vocativo é:
a) Um termo acessório que permite ampliar, explicar, desenvolver ou resumir a ideia contida num
termo que exerça qualquer função sintática.
b) Um termo que serve para chamar, invocar ou interpelar um ouvinte real ou hipotético.
c) O termo que expressa circunstâncias de modo, tempo, lugar, dúvida, intensidade, meio,
finalidade, concessão, causa, companhia etc.
d) O termo acessório que determina, especifica ou explica um substantivo.

10. Leia a tira.

Por.

Identifique os apostos em cada uma das falas e classifique-os


GABARITO

Exercícios

1. c

do sujeito.

2. a
ta de vírgulas.

3. a

estar entre sujeito e predicado, apresenta-se entre vírgulas, que marcam a intercalação desse adjunto
adverbial.

4. a
Vocativo é Um termo que serve para chamar, invocar ou interpelar um ouvinte real ou hipotético.

5. d
-
se que joalheiros sejam vistos nas joalheiras.

6. d
Atente-

(encomendar alguma coisa de/ a alguém) e , por isso, tem dois objeto o primeiro é indireto, o segundo,
direto.

7. c
O vocativo é um termo que não está ligado a estrutura sintática de uma oração. É por intermédio dele

Por.
que chamamos ou colocamos em evidência a pessoa ou coisa a que nos dirigimos.

8. d

fala.

9. b
Essa é a alternativa que traz a definição correta de vocativo.

10. "(Otto), terceiro na linha de sucessão"; ("Harold), quarto na fila do banheiro" - apostos explicativos.
"Príncipe (Otto)"; "Príncipe (Harold) - apostos especificativos.
Por.
Professor: Raphael Hormes
Fernanda Vicente

Monitor: Rodrigo Pamplona

Por.
22/25
Demonstrando o vestibular
mai

EXERCÍCIOS
1. Gripado, penso entre espirros em como a palavra gripe nos chegou após uma série de contágios entre
línguas. Partiu da Itália em 1743 a epidemia de gripe que disseminou pela Europa, além do vírus
propriamente dito, dois vocábulos virais: o italiano influenza e o francês grippe. O primeiro era um

-se que fizesse


referência ao modo violento como o vírus se apossa do organismo infectado.
RODRIGUES. S. Sobre palavras. Veja, São Paulo, 30 nov. 2011.

Para se entender o trecho como uma unidade de sentido, é preciso que o leitor reconheça a ligação
entre seus elementos. Nesse texto, a coesão é construída predominantemente pela retomada de um
termo por outro e pelo uso da elipse. O fragmento do texto em que há coesão por elipse do sujeito é:
a)
b)
c)

d)
e) -se que fizesse referência ao modo violento como o vírus se apossa do organismo

2. O léxico e a cultura
Potencialmente, todas as línguas de todos os tempos podem candidatar-se a expressar qualquer
conteúdo. A pesquisa linguística do século XX demonstrou que não há diferença qualitativa entre os
idiomas do mundo ou seja, não há idiomas gramaticalmente mais primitivos ou mais desenvolvidos.
Entretanto, para que possa ser efetivamente utilizada, essa igualdade potencial precisa realizar-se na
prática histórica do idioma, o que nem sempre acontece. Teoricamente, uma língua com pouca
tradição escrita (como as línguas indígenas brasileiras) ou uma língua já extinta (como o latim ou o
grego clássicos) podem ser empregadas para falar sobre qualquer assunto, como, digamos, física
quântica ou biologia molecular. Na prática, contudo, não é possível, de uma hora para outra, expressar

Por.
tais conteúdos em camaiurá ou latim, simplesmente porque não haveria vocabulário próprio para esses
conteúdos. É perfeitamente possível desenvolver esse vocabulário específico, seja por meio de
empréstimos de outras línguas, seja por meio da criação de novos termos na língua em questão, mas
tal tarefa não se realizaria em pouco tempo nem com pouco esforço.
BEARZOTI FILHO, P. Miniaurélio: o dicionário da língua portuguesa. Manual do professor. Curitiba: Positivo, 2004
(fragmento).

Estudos contemporâneos mostram que cada língua possui sua própria complexidade e dinâmica
de funcionamento. O texto ressalta essa dinâmica, na medida em que enfatiza
a) a inexistência de conteúdo comum a todas as línguas, pois o léxico contempla visão de mundo
particular específica de uma cultura.
b) a existência de línguas limitadas por não permitirem ao falante nativo se comunicar perfeitamente
a respeito de qualquer conteúdo.
c) a tendência a serem mais restritos o vocabulário e a gramática de línguas indígenas, se comparados
com outras línguas de origem europeia.
d) a existência de diferenças vocabulares entre os idiomas, especificidades relacionadas à
própria cultura dos falantes de uma comunidade.
e) a atribuição de maior importância sociocultural às línguas contemporâneas, pois permitem que
sejam abordadas quaisquer temáticas, sem dificuldades

3. A substituição do haver por ter em construções existenciais, no português do Brasil, corresponde a um


dos processos mais característicos da história da língua portuguesa, paralelo ao que já ocorrera em
relação à ampliação do domínio de ter na áre
Silva (2001:136) analisa as vitórias de ter sobre haver e discute a emergência de ter existencial, tomando
por base a obra pedagógica de João de Barros. Em textos escritos nos anos quarenta e cinquenta do
século XVI, encontram-
clássicos estudos de sintaxe histórica, quanto de haver como verbo existencial com concordância,
no século XVIII por Said Ali. Como se vê, nada
é categórico e um purismo estreito só revela um conhecimento deficiente da língua. Há mais perguntas
que respostas. Pode-se conceber uma norma única e prescritiva? É válido confundir o bom uso e a
norma com a própria língua e dessa forma fazer uma avaliação crítica e hierarquizante de outros usos
e, através deles, dos usuários? Substitui-se uma norma por outra?
CALLOU, D. A propósito de norma, correção e preconceito linguístico: do presente para o passado. In: Cadernos de Letras
da UFF, n. 36, 2008. Disponível em: www.uff.br. Acesso em: 26 fev. 2012 (adaptado).

a) o estabelecimento de uma norma prescinde de uma pesquisa histórica.


b) os estudos clássicos de sintaxe histórica enfatizam a variação e a mudança na língua.
c) a avaliação crítica e hierarquizante dos usos da língua fundamenta a definição da norma.
d) a adoção de uma única norma revela uma atitude adequada para os estudos linguísticos.
e) os comportamentos puristas são prejudiciais à compreensão da constituição linguística.

4. Desabafo
Desculpem-me, mas não dá pra fazer uma cronicazinha divertida hoje. Simplesmente não dá. Não tem
como disfarçar: esta é uma típica manhã de segundafeira. A começar pela luz acesa da sala que
esqueci ontem à noite. Seis recados para serem respondidos na secretária eletrônica. Recados chatos.
Contas para pagar que venceram ontem. Estou nervoso. Estou zangado.
CARNEIRO, J. E. Veja, 11 set. 2002 (fragmento).

Nos textos em geral, é comum a manifestação simultânea de várias funções da linguagem, com o
predomínio, entretanto, de uma sobre as outras. No fragmento da crônica Desabafo, a função da
linguagem predominante é a emotiva ou expressiva, pois
a) o discurso do enunciador tem como foco o próprio código.
b) a atitude do enunciador se sobrepõe àquilo que está sendo dito.
c) o interlocutor é o foco do enunciador na construção da mensagem.
d) o referente é o elemento que se sobressai em detrimento dos demais.

Por.
e) o enunciador tem como objetivo principal a manutenção da comunicação.

5. Ai, palavras, ai, palavras


que estranha potência a vossa!
Todo o sentido da vida
principia a vossa porta:
o mel do amor cristaliza
seu perfume em vossa rosa;
sois o sonho e sois a audácia,
calúnia, fúria, derrota...
A liberdade das almas,
ai! Com letras se elabora...
E dos venenos humanos
sois a mais fina retorta:
frágil, frágil, como o vidro
e mais que o aço poderosa!
Reis, impérios, povos, tempos,
pelo vosso impulso rodam...
MEIRELES, C. Obra poética. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1985 (fragmento).
O fragmento destacado foi transcrito do Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles.
Centralizada no episódio histórico da Inconfidência Mineira, a obra, no entanto, elabora uma reflexão
mais ampla sobre a seguinte relação entre o homem e a linguagem:
a) A força e a resistência humanas superam os danos provocados pelo poder corrosivo das palavras.
b) As relações humanas, em suas múltiplas esferas, têm seu equilíbrio vinculado ao significado das
palavras.
c) O significado dos nomes não expressa de forma justa e completa a grandeza da luta do homem pela
vida.
d) Renovando o significado das palavras, o tempo permite às gerações perpetuar seus valores e suas
crenças.
e) Como produto da criatividade humana, a linguagem tem seu alcance limitado pelas intenções e
gestos.

6.

BROWNE, D. Folha de S. Paulo, 13 ago. 2011. (Foto: Reprodução/Enem)

As palavras e as expressões são mediadoras dos sentidos produzidos nos textos. Na fala de Hagar,
a enunciado para o campo da
a) conformidade, pois as condições meteorológicas evidenciam um acontecimento ruim.
b) reflexibilidade, pois o personagem se refere aos tubarões usando um pronome reflexivo.
c) condicionalidade, pois a atenção dos personagens é a condição necessária para a sua sobrevivência.
d) possibilidade, pois a proximidade dos tubarões leva à suposição do perigo iminente para os homens.
e) impessoalidade, pois o personagem usa a terceira pessoa para expressar o distanciamento dos fatos.

7. Nós, brasileiros, estamos acostumados a ver juras de amor, feitas diante de Deus, serem quebradas por

Por.
traição, interesses financeiros e sexuais. Casais se separam como inimigos, quando poderiam ser bons
amigos, sem traumas. Bastante interessante a reportagem sobre separação. Mas acho que os
advogados consultados, por sua competência, estão acostumados a tratar de grandes separações. Será
que a maioria dos leitores da revista tem obras de arte que precisam ser fotografadas antes da
separação? Não seria mais útil dar conselhos mais básicos? Não seria interessante mostrar que a
separação amigável não interfere no modo de partilha dos bens? Que, seja qual for o tipo de
separação, ela não vai prejudicar o direito à pensão dos filhos? Que acordo amigável deve ser assinado
com atenção, pois é bastante complicado mudar suas cláusulas? Acho que essas são dicas que podem
interessar ao leitor médio.
Disponível em: http://revistaepoca.globo.com. Acesso em: 26 fev. 2012 (adaptado).

O texto foi publicado em uma revista de grande circulação na seção de carta do leitor. Nele, um dos
leitores manifesta-se acerca de uma reportagem publicada na edição anterior. Ao fazer sua
argumentação, o autor do texto
a) faz uma síntese do que foi abordado na reportagem.
b) discute problemas conjugais que conduzem à separação.
c) aborda a importância dos advogados em processos de separação.
d) oferece dicas para orientar as pessoas em processos de separação.
e) rebate o enfoque dado ao tema pela reportagem, lançando novas ideias.
8.

Que estratégia argumentativa leva o personagem do terceiro quadrinho a persuadir sua interlocutora?
a) Prova concreta, ao expor o produto ao consumidor.
b) Consenso, ao sugerir que todo vendedor tem técnica.
c) Raciocínio lógico, ao relacionar uma fruta com um produto eletrônico.
d) Comparação, ao enfatizar que os produtos apresentados anteriormente são inferiores.
e) Indução, ao elaborar o discurso de acordo com os anseios do consumidor.

9. O senhor

Carta a uma jovem que, estando em uma roda em


que dava aos presentes o tratamento de você, se dirigiu
ao autor chamando-

Senhora:

Aquele a quem chamastes senhor aqui está, de peito


magoado e cara triste, para vos dizer que senhor ele não
é, de nada, nem de ninguém.

Bem o sabeis, por certo, que a única nobreza do plebeu está em não querer esconder sua condição, e
esta nobreza tenho eu. Assim, se entre tantos senhores ricos e nobres a quem chamáveis você
escolhestes a mim para tratar de senhor, é bem de ver que só poderíeis ter
encontrado essa senhoria nas rugas de minha testa e na prata de meus cabelos. Senhor de muitos anos,

frase, ergueu entre nós um muro frio e triste.

Por.
Vi o muro e calei: não é de muito, eu juro, que me acontece essa tristeza; mas também não era a vez
primeira.

BRAGA, R. A borboleta amarela. Rio de Janeiro: Record, 1991.

A escolha do tratamento que se queira atribuir a alguém geralmente considera as situações específicas
de uso social. A violação desse princípio causou um mal-estar no autor da carta. O trecho que descreve
essa violação é:
10. Observe a propaganda do laboratório Bayer:

Por.
GABARITO
Exercícios

1. e
Se o
-se que o vocábulo grippe fizesse

2. d
De acordo com o texto, cada língua possui sua própria complexidade e modo de funcionamento. Esse
desenvolvimento pode ocorrer tanto "por meio de empréstimos linguísticos, quanto por meio da criação
de novos termos na língua em questão", isto é, a cultura de uma comunidade é fundamental para
formação linguística.

3. e
revela o ponto de vista da autora ao afirmar que os comportamentos puristas são nocivos
para a compreensão da constituição linguística, ou seja, segundo ela, a defesa de uma a pureza linguística
revela um conhecimento deficiente da língua.
4. b
A atitude do emissor se sobrepõe àquilo que está sendo dito. No fragmento da crônica em análise ,
-se a função emotiva da linguagem.

5. b
Nessa obra, Cecília Meireles realiza uma reflexão entre o homem e a linguagem ao apontar que as
relações humanas, em suas múltiplas condições, têm seu equilíbrio vinculado ao significado das palavras.
Segundo o texto: "Todo o sentido da vida| principia" (à porta das palavras). A opção B confirma essa
proposta do autor.

6. d
No quadrinho há uma relação entre o plano visual (personagens olhando para trás) e o verbal (o diálogo),
em gerar uma expectativa, de que algo está prestes a acontecer. As expressões e as palavras dividem a
função de construção dos sentidos produzidos no quadrinho. Portanto, a expressão "é como se" revela
a possibilidade de proximidade dos tubarões leva à suposição de um perigo próximos para os homens.

7. e

Por.
O objetivo da seção de carta ao leitor é promover um debate acerca de uma determinada reportagem,
possibilitando uma série de questionamentos acerca do foco da reportagem. Simultaneamente, o leitor-
redator toma a liberdade de argumentar favoravelmente a outras ideias ou lançar novas ideias que podem
interessar ao leitor.

8. e
O 3º quadrinho deixa clara a intenção do personagem em elaborar um discurso para convencer Branca

a maçã, quando, além da fruta, também é lhe oferecido um celular por um preço baixo.

9. a
O termo "senhor" utilizado na carta explicita certo afastamento entre os participantes da conversa,
comprovado no trecho: "Essa palavra, "senhor", no meio de uma frase ergueu entre nós um muro frio e
triste.".

10.
Por.
Professor: Eduardo Valladares
Monitor: Rodrigo Pamplona

Por.
Orações Período Composto 29
(coordenadas) mai

RESUMO
Orações coordenadas

As orações se relacionam por dependência ou independência sintática. São independentes as


coordenadas, isto é, elas não possuem termos sob forma oracional.

As orações coordenadas se classificam em:

1 Assindéticas: Não apresentam conjunção.


Obs: também

Obs: Síndeto é sinônimo para conjunção.

2 - Sindéticas

De acordo com o tipo de conjunção que as introduz, as orações coordenadas sindéticas podem
ser: aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas ou explicativas.

I. Aditivas:

Oração A + oração B

O menino chegou [ E foi tomar banho.]

Ex: Nas dificuldades, os falsos amigos não ajudam NEM aparecem.

II. Adversativas

Por.
Oração A X oração B
Todos são interessados, [mas só alguns se esforçam mesmo.]

Ex: Estudou muito E não passou.

III. Alternativas:

Oração A (Oração B)

[Ora os políticos dizem uma coisa], [ora dizem outra.]

IV. Conclusivas

Oração A -> Oração B

O dia amanheceu ensolarado; logo as praias estarão lotadas.


V. Explicativas

Oração A ? -> Oração B

Nossa avó perdera a memória, [pois contava o mesmo caso toda semana.]

imperativo.
Ex:
Some daqui, que isso não é de tua conta!

EXERCÍCIOS
1. No período "Penso, logo existo", oração em destaque é:
a) coordenada sindética conclusiva
b) coordenada sindética aditiva
c) coordenada sindética alternativa
d) coordenada sindética adversativa
e) n.d.a

2. Colocando- -se
a) um período composto por coordenação, uma oração sindética, outra assindética, um verbo
transitivo e outro intransitivo;
b) um período composto por subordinação e dois verbos transitivos;
c) um período composto por coordenação, duas orações assindéticas, um verbo transitivo e outro
intransitivo;
d) um período simples, uma oração absoluta e dois verbos intransitivos;
e) um período misto, com duas orações, um verbo transitivo direto e outro indireto.

3. Considere a seguinte afirmação de Heráclito de Éfeso (2500 a. C.) para responder a esta questão:

I. A afirmação constitui-se de um período composto por coordenação.


II. A afirmação constitui-se de um período composto por subordinação.

Assinale a alternativa correta.

Por.
a) Somente o item III está correto.
b) Somente o item II está correto.
c) Somente os itens I e III estão corretos.
d) Somente os itens II e III estão corretos.
e) Todos os itens estão corretos.

4. Observe os períodos adiante, diferentes quanto à pontuação.


- Adoeci logo; não me tratei.
- Adoeci; logo não me tratei.
A observação atenta desses períodos permite dizer que:
a) No primeiro, LOGO é um advérbio de tempo; no segundo, uma conjunção causal.
b) No primeiro, LOGO é uma palavra invariável; no segundo, uma palavra variável.
c) No primeiro, as orações estão coordenadas sem a presença de conjunção; na segunda, com a
presença de uma conjunção conclusiva.
d) No primeiro, as orações estão coordenadas com a presença de conjunção; na segunda, sem
conjunção alguma.
e) No primeiro, a segunda oração indica alternância; no segundo, a segunda oração indica
consequência.
5. A frase Contudo, não a minha vontade, mas a tua seja feita! contém dois conectivos adversativos. O
conectivo mas estabelece coesão entre a oração a tua [vontade] seja feita e a oração não [seja feita] a
minha vontade. O conectivo contudo estabelece coesão entre
a) a oração implícita [se não queres] e a oração não [seja feita] a minha vontade.
b) a oração se queres e a oração não [seja feita] a minha vontade.
c) a oração afasta de mim este cálice! e a oração a tua [vontade] seja feita.
d) a oração implícita [se não queres] e a oração a tua [vontade] seja feita.
e) a oração a tua [vontade] seja feita e a oração não [seja feita] a minha vontade.

6. Assinale a opção em que o período não é construído de orações coordenadas.


a)
ou num acidente doméstico, torno-me simples espectador e perco a noção do essenci
b)
c) -se numa das últimas mesas de

d)
e) -se a comê-

7. Em relação à classificação das orações coordenadas sindéticas destacadas, assinale a alternativa


incorreta.
a) Ela não só foi a primeira, mas também foi a mais aplaudida. (aditiva)
b) Fale agora ou permanecerá calado para sempre. (conclusiva)
c) Eu queria convencê-lo, mas os argumentos não foram suficientes. (adversativa)
d) Cumprimente-o, pois hoje venceu mais uma etapa de sua vida. (explicativa)

8. Assinale a alternativa que contém uma coordenativa conclusiva:


a) Sérgio foi bom filho; logo será um bom pai.
b) Os meninos ora brigavam, ora brincavam.
c) Jaime trabalha depressa, contudo produz pouco.
d) Os cães mordem, não por maldade, mas por precisarem viver.
e) Adão comeu a maçã, e nossos dentes até hoje doem.

9. Dentre os períodos transcritos abaixo, um é composto por coordenação e contém uma oração
coordenada sindética adversativa. Assinalar a alternativa correspondente a esse período.
a) A frustração cresce e a desesperança não cede.

Por.
b) O que dizer sem resvalar para o pessimismo, a crítica pungente ou a auto-absolvição?
c) É também ocioso pensar que nós, da tal elite, temos riqueza suficiente para distribuir.
d) Sejamos francos.
e) Em termos mundiais somos irrelevantes como potência econômica, mas ao mesmo tempo
extremamente representativos como população.

10. Assinale a alternativa correspondente à frase em que ocorre uso incorreto de conjunção.
a) O homem criou a máquina para facilitar sua vida, e contudo ela correspondeu a essa expectativa.
b) Diga-lhe que abra logo a porta, que eu estou com pressa.
c) Ele tinha todas as condições para representar bem os colegas; nem todos lhe reconheciam os
méritos, porém.
d) O problema é que ainda não se sabe se ele agiu conforme as normas da empresa.
e) Ao perceber o que tinham feito com seus livros, gritou que parecia um louco.

11. Assinale a alternativa incorreta com relação a este fragmento da letra da música Verdade chinesa -
texto de Carlos Colla e Gilson.
Toma um copo, dá um tempo, que a tristeza vai passar
Deixa, pra amanhã tem muito tempo
O que vale é o sentimento

(http://emilio-santiago.letras.terra.com.br/letras/45703)

a) Os dois primeiros versos são compostos exclusivamente por orações coordenadas assindéticas.
b) s vezes no texto. No segundo verso é uma conjunção coordenativa; já
no quinto verso é um pronome relativo.
c) A primeira oração do segundo verso consiste numa metonímia.
d)
e) Os verbos sentar, tomar, dar e deixar aparecem flexionados na segunda pessoa do singular, no
modo imperativo afirmativo e configuram, deste modo, o uso da função apelativa da linguagem.

12. Pastora de nuvens, fui posta a serviço por uma campina


tão desamparada que não principia nem também termina,
e onde nunca é noite e nunca madrugada.

(Pastores da terra, vós tendes sossego, que olhais para o


sol e encontrais direção. Sabeis quando é tarde, sabeis
quando é cedo. Eu, não.)
Cecilia Meireles

Esse trecho faz parte de um poema de Cecília Meireles, intitulado Destino, uma espécie de profissão
de fé da autora. O conjunto das duas orações coordenadas que compõem o segundo verso da segunda
estrofe que olhais para o sol e encontrais direção tem sentido
a) explicativo.
b) comparativo.
c) condicional.
d) concessivo.
e) temporal.

QUESTÃO CONTEXTO
Comente que recurso linguístico contribui para a construção do efeito de humor do meme abaixo.

Por.
GABARITO
Exercícios
1. a

coordenada que ela introduz também o é.

2. a

assindética (Fecho a casa); A segunda, sindética (E saio devagar).

3. c
A afirmação que se faz em II está errada, pois não há orações subordinadas, mas sim coordenadas

4. c

é conjunção coordenativa conclusiva.

5. a
A passagem bíblica possui vários termos que estão elípticos. Revelando-os, teríamos: Pai, se queres,
afasta de mim este cálice! [Se não queres], contudo, não [seja feita] a minha vontade, mas a tua [vontade]

6. c
-

7. b
Trata-

8. a
é a única que apresenta uma oração coordenada sindética encabeçada por conjunção
conclusiva.

9. e

Por.
10. a

11. a
Nos dois primeiros versos há uma série de orações e nenhuma delas apresenta conjunção.

12. a
As orações em questão têm um valor explicativo, pois justificam a afirmação anterior (a de que os pastores
da terra têm sossego). Para corroborar essa interpretação, basta perceber que a conjunção que as
introduz pode ser substituída por explicativas como pois, porque etc.

Questão Contexto
O efeito de humor do meme é causado pela quebra de expectativa do leitor. Linguisticamente, essa quebra
, que ao introduzir uma ideia contrária à anterior, faz com que o autor se
contradiga.
Por.
Professor: Fernanda Vicente
Monitor: Rodrigo Pamplona

Por.
Período composto por subordinação 29
(subordinadas substantivas) mai

RESUMO
Subordinação - dependência sintática

Desconheço / se eles desejavam / que viéssemos.

O período acima apresenta 3 orações: 1. Desconheço: principal, pois a segunda é seu objeto direto; 2. se
eles desejavam: subordinada substantiva objetiva direta e oração principal em relação à terceira; 3. que
viéssemos: oração subordinada substantiva objetiva direta.

Orações subordinadas Substantivas: desempenham função sintática de natureza substantiva em relação à


principal.

1. É necessário que você se apresente ao serviço amanhã.


2. Nosso desejo era que ele desistisse.
3. Mariana lembrou-se de que Manoel chegaria mais tarde.
4. Tenho certeza de que não há esperanças.
5. Fernanda tinha um grande sonho: que o dia do seu casamento chegasse.
6. Os funcionários não sabiam que era dia de despedimentos.

As orações grifadas funcionam, respectivamente, como sujeito, predicativo, objeto indireto, complemento
nominal, aposto e objeto direto de uma oração principal.

Observações:

I. As orações subordinadas têm um único tipo de conectivo: as conjunções integrantes QUE e SE. Ex.:

Talvez ele saiba [que/se vai haver aula amanhã].

II. Mesmo as apositivas podem ser introduzidas por conjunção integrante. Ex.:

Necessito de uma coisa: [(que) estudes].

Por.
III. Admite-se a omissão da conjunção integrante por questão de estilo (principalmente nas subjetivas e
objetivas, quando o verbo da oração principal exprime desejo, ordem ou pedido). Ex.:

Queira Deus [voltemos em segurança].

EXERCÍCIOS
1. Dario vinha apressado, o guarda-chuva no braço esquerdo e, assim que dobrou a esquina, diminuiu o
passo até parar, encostando-se à parede de uma casa. Foi escorregando por ela, de costas, sentou-se
na calçada, ainda úmida da chuva, e descansou no chão o cachimbo.
Dois ou três passantes rodearam-no, indagando se não estava se sentindo bem. Dario abriu a boca,
moveu os lábios, mas não se ouviu resposta. Um senhor gordo, de branco, sugeriu que ele devia sofrer
de ataque.

Estendeu-se mais um pouco, deitado agora na calçada, o cachimbo a seu lado tinha apagado. Um
rapaz de bigode pediu ao grupo que se afastasse, deixando-o respirar. E abriu-lhe o paletó, o colarinho,
a gravata e a cinta. Quando lhe retiraram os sapatos, Dario roncou pela garganta e um fio de espuma
saiu do canto da boca.
Cada pessoa que chegava se punha na ponta dos pés, embora não pudesse ver. Os moradores da rua
conversavam de uma porta à outra, as crianças foram acordadas e vieram de pijama às janelas. O senhor
gordo repetia que Dario sentara-se na calçada, soprando ainda a fumaça do cachimbo e encostando o
guarda-chuva na parede. Mas não se via guarda-chuva ou cachimbo ao lado dele.

Uma velhinha de cabeça grisalha gritou que Dario estava morrendo. Um grupo transportou-o na
direção do táxi estacionado na esquina. Já tinha introduzido no carro metade do corpo, quando o
motorista protestou: se ele morresse na viagem? A turba concordou em chamar a ambulância. Dario
foi conduzido de volta e encostado à parede - não tinha os sapatos e o alfinete de pérola na gravata.
(Dalton Trevisan)

"(1) Cada pessoa / (2) que chegava, / (1) se punha na ponta dos pés, / (3) embora não pudesse ver." Há
no texto três orações, e estão numeradas. A primeira - CADA PESSOA SE PUNHA NA PONTA DOS PÉS
- chama-se:
a) absoluta
b) principal
c) coordenada assindética
d) coordenada sindética
e) subordinada

2. de onde te conheço
a) substantiva predicativa;
b) adjetiva restritiva;
c) substantiva subjetiva;
d) substantiva objetiva indireta;
e) substantiva objetiva direta.

3. Marque a alternativa que contenha oração subordinada de mesma classificação da oração subordinada
presente na frase a seguir: A solução é que você desista logo.
a) Que ele volte é bom.
b) A única alternativa era que ele voltasse para casa.
c) Não me esqueço de que fiz muito bem para você.
d) Não imaginava que isso causaria tanto problema em nossa relação.

4. uma vez que o Brasil adquiriu autossuficiência na


produção de bens como papel-imprensa ração grifada no período acima tem valor:
a) condicional;

Por.
b) conclusivo;
c) concessivo;
d) conformativo;
e) causal.

5. que a ventania queria levar a cidade


a) substantiva objetiva direta.
b) substantiva subjetiva.
c) adjetiva explicativa.
d) substantiva predicativa.
e) substantiva completiva nominal..
6. Marque a opção que contém oração subordinada substantiva completiva nominal:
a) "Tanto eu como Pascoal tínhamos medo de que o patrão topasse Pedro Barqueiro nas ruas da
cidade."
b) "Era preciso que ninguém desconfiasse do nosso conluio para prendermos o Pedro Barqueiro."
c) "Para encurtar a história, patrãozinho, achamos Pedro Barqueiro no rancho, que só tinha três
divisões: a sala, o quarto dele e a cozinha."
d) "Quando chegamos, Pedro estava no terreiro debulhando milho, que havia colhido em sua
rocinha, ali perto."
e) "Pascoal me fez um sinalzinho, eu dei a volta e entrei pela porta do fundo para agarrar o Barqueiro
pelas costas."

7. No período "Todos tinham certeza de que seriam aprovados", a oração destacada é:


a) substantiva objetiva indireta
b) substantiva completiva nominal
c) substantiva apositiva
d) substantiva subjetiva
e) n.d.a

8. Em que alternativa, a oração subordinada não que vocês


escrevam uma composição

9. A mãe ficou à janela na esperança de que o filho voltasse para casa. A oração em destaque é:
a) subordinada substantiva subjetiva.
b) subordinada substantiva completiva nominal.
c) subordinada substantiva predicativa.
d) substantiva objetiva direta
e) substantiva objetiva indireta

10.
classifica como:
a) coordenada sindética adversativa;
b) principal;
c) subordinada substantiva objetiva direta;

Por.
d) subordinada adverbial comparativa;
e) subordinada substantiva subjetiva.

11. Se o penhor dessa igualdade


Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó Liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!
- Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte,

-se, respectivamente, como:


a) principal, subordinada substantiva subjetiva, subordinada adjetiva restritiva;
b) principal, subordinada adverbial temporal, subordinada substantiva objetiva direta;
c) principal, subordinada substantiva objetiva direta, subordinada substantiva subjetiva;
d) coordenada assindética, subordinada substantiva objetiva direta, subordinada substantiva
apositiva.
12. Marque a alternativa que contém oração subordinada substantiva completiva nominal.
a)
b) -me a desagradável impressão de que todo mundo
c) -
d)

e) um sol radioso varava as nuvens e caía sobre a rua, enchendo tudo de luz,

13. Assinale o único exemplo em que não ocorre oração subordinada substantiva subjetiva:
a)
b)

c) -se acostumado, mas seria mais agradável dormirem numa cama de

d)

e) usa dos bens da matéria é mister que paire a força

QUESTÃO CONTEXTO
Leia a tirinha a seguir e reponda:

Por.
a) Classifique a oração presente no primeiro quadrinho da tirinha.
b) Explique no que consiste o humor da tirinha.
GABARITO
Exercícios

1. b
A oração principal é aquela que tem pelo menos um de seus termos sob forma oracional. Nesse caso,

2. e
cabeçada por preposição. Trata-se de uma oração
subordinada substantiva objetiva indireta.

3. b

4. e
A dependência operacional está reduzida POR CAUSA da autossuficiência do Brasil na [...].

5. b

6. d

7. d

8. b
A oração em análise no enunciado é substantiva objetiva direta. A alternativa em que a subordinada não
-
adjunto adnominal.

9. d

Por.
oração é completiva nominal.

10. c

11. c

oração subordinada substantiva objetiva direta;


Oração subordinada substantiva subjetiva , funcionanado como sujeito (Quem te adora
nem teme a própria morte).

12. b

13. b
Todo escritor [sujeito] reage[verbo] contra os mais velhos [objeto indireto] - oração principal
que surge [oração subordinada adjetiva restritiva]
mesmo que o não perceba [adjunto adverbial],
e ainda que os admire. [coordenada sindética aditiva em relação a anterior]

Questão Contexto

a) Or. Sub. Subst. Subjetiva. Pois exerce a função de sujeito da oração principal.
b) O camaleão muda de cor e o outro animal não percebe, continuando a perguntar.

Por.
Lit.
Professor: Diogo Mendes
Monitor: Caroline Tostes

Lit.
09/11
Romantismo - prosa
mai

RESUMO
O ROMANTISMO

O Romantismo é, sem dúvidas, um dos maiores movimentos literários do século XIX. Baseado em
características como a subjetividade, a idealização amorosa, a fuga à realidade e o nacionalismo, suas
influências marcaram não só a arte, como a cultura e os costumes daquele momento, que retratavam os
valores burgueses da época. Diferente da poesia, a prosa é uma modelo de texto escrito em parágrafos,
narrando os acontecimentos de um enredo junto a um grande aspecto descritivo.

http://www.estudofacil.com.br/wp-content/uploads/2015/02/romantismo-caracteristicas-artes-e-como-era-no-brasil.jpg

A prosa romântica, em especial, se subdivide em quatro tipos de romance: o regionalista, o indianista, o


urbano e o histórico. A valorização da individualidade permitiu que inúmeros autores retratassem as
diferentes características do Brasil, que estava marcado tanto pelas diversidades locais pelo país (língua,
cultura e valores regionais) quanto pelo cenário urbano que atendia às necessidades da burguesia. Além
disso, é importante dizer que, na prosa, não há a divisão entre gerações (como ocorre na poesia), pois muitas
obras eram publicadas quase que, simultaneamente, e, o maior nome da prosa romântica é o escritor José
de Alencar.

CONTEXTO HISTÓRICO Lit.


Os principais acontecimentos e influências que marcaram esse período são:

- Instalação da Corte Portuguesa no Brasil (1808);


- Independência do Brasil (1822);
- Abertura dos Portos;
- Chegadas das missões estrangeiras (científicas e culturais);
- Surgimento da imprensa nacional;
- Revolução Industrial;
- Era Napoleônica;
- Revolução Francesa.

O ROMANCE INDIANISTA

No romance indianista, é comum vermos a construção da imagem de índio de forma heróica, como o
salvador da nação a fim de implantar um sentimento de amor à pátria. Sua imagem é aproximada a de um
cavaleiro medieval, ideal propagado na Europa durante a Idade Média. Além disso, a natureza não atua como
plano de fundo e ganha vitalidade, força, fazendo com que muitas das vezes haja uma noção de
personificação do ambiente natural, como também a associação ao meio selvagem.

O choque cultural entre colonizadores e índios sempre será apresentado nas prosas indianistas, tal como a
apresentação de suas diferenças, como costumes, linguagens, hábitos, entre outros. Algumas obras de

O ROMANCE REGIONALISTA

O romance regional foi primordial para o incentivo de uma literatura que abordasse acerca das diversidades
locais. Entre suas características, há a valorização de aspectos étnicos, linguísticos, sociais e culturais sobre
várias regiões do país. Ademais, as principais regiões abordadas foram o Rio de Janeiro (que era a capital do
Brasil naquele período) e as regiões Sul, Nordeste e Centro-Oeste.

O contraste de valores e costumes será abordado nos romances, em geral, propagados por personagens que
passam a conviver recentemente em um mesmo ambiente, mostrando determinadas distinções entre o meio
urbano e o meio rural. Entre as principais obras, tem

O ROMANCE URBANO

O romance urbano foi o que melhor atendeu às necessidades da burguesia, pois retratava sobre a vida
cotidiana e seus costumes, pondo em discussão os valores morais vividos na época, entre eles, o casamento
promovido de acordo com a classe social.

O ROMANCE HISTÓRICO

O romance histórico, como o própria nome já nos ajuda a explicar, marcava em sua narrativa os principais
acontecimentos históricos do século XIX no Brasil. A composição da narrativa é feita a partir de relatos e
documentos informativos sobre uma determinada época ou movimento social.

Há dois r

TEXTOS DE APOIO

Lit.
Texto 1
Senhora (fragmento)
O senhor não retribuiu meu amor e nem o compreendeu. Supôs que eu lhe dava apenas a
preferência entre outros namorados, e o escolhia para herói dos meus romances, até aparecer algum
casamento, que o senhor moço, honesto, estimaria para colher à sombra o fruto de suas flores poéticas. Bem
vê que eu o distingo dos outros, que ofereciam brutalmente mas com franqueza e sem rebuço, a perdição e
a verganha.
Seixas abaixou a cabeça.
Conheci que não amava-me, como eu desejava e merecia ser amada. Mas não era sua a culpa e só
minha que não soube inspirar-lhe a paixão, que eu sentia. Mais tarde, o senhor retirou-me essa mesma afeição
com que me consolava e transportou-a para outra, em quem não podia encontrar o que eu lhe dera, um
coração virgem e cheio de paixão com que o adorava. Entretanto, ainda tive forças para perdoar-lhe e amá-
lo.
A moça agitou então a fronte com uma vibração altiva:
Mas o senhor não me abandonou pelo amor de Adelaide e sim pelo seu dote, um mesquinho dote
de trinta contos! Eis o que não tinha o direito de fazer, e que jamais lhe podia perdoar! Desprezasse-me
embora, mas não descesse da altura em que o havia colocado dentro de minha alma. Eu tinha um ídolo; o
senhor abateu-o de seu pedestal, e atirou-o no pó. Essa degradação do homem a quem eu adorava, eis o seu
crime; a sociedade não tem leis para puni-lo, mas há um remorso para ele. Não se assassina assim um coração
que Deus criou para amar, incutindo-lhe a descrença e o ódio.
Seixas que tinha curvado a fronte, ergueu-a de novo, e fitou os olhos da moça. Conservava ainda as
feições contraídas e gotas de suor borbulhavam na raiz dos seus belos cabelos negros.
A riqueza que Deus me consedeu chegou já tarde; nem ao menos permitiu-me o prazer da ilusão,
que têm as mulheres enganadas. Quando a recebi, já conhecia o mundo e suas misérias; já sabia que a moça
rica é um arranjo e não uma esposa; pois bem, disse eu, essa riqueza servirá para dar-me a única satisfação
que ainda posso ter neste mundo. Mostrar a esse homem que não soube me compreender, que a mulher o
amava, e que alma perdeu. Entretanto ainda eu afagava uma esperança. Se ele recusa nobremente a proposta
aviltante, eu irei lançar-me a seus pés. Suplicar-lhe-ei que aceite a minha riqueza, que a dissipe se quiser;
consinta-me que eu o ame. Esta última consolação, o senhor a arrebatou. Que me restava? Outrora atava-se
o cadáver ao homicida, para expiação da culpa; o senhor matou-me o coração; era justo que o prendesse ao
despojo de sua vítima. Mas não desespere, o suplício não pode ser longo: este constante martírio a que
estamos condenados acabará por extinguir-me o último alento; o senhor ficará livre e rico.
(ALENCAR, José de. Senhora. 23 ed. São Paulo: Ática, 1992)

Texto 2
O Guarani (fragmento)

O braço de Loredano estendeu-se sobre o leito; porém a mão que se adiantava e ia tocar o corpo de
Cecília estacou no meio do movimento, e subitamente impelida foi bater de encontro à parede.
Uma seta, que não se podia saber de onde vinha, atravessara o espaço com a rapidez de um raio, e
antes que se ouvisse o sibilo forte e agudo pregara a mão do italiano ao muro do aposento.
O aventureiro vacilou e abateu-se por detrás da cama; era tempo, porque uma segunda seta,
despedida com a mesma força e a mesma rapidez, cravava-se no lugar onde há pouco se projetava a sombra
de sua cabeça.
Passou se então, ao redor da inocente menina adormecida na isenção de sua alma pura, uma cena
horrível, porem silenciosa.
Loredano nos transes da dor por que passava, compreendera o que sucedia; tinha adivinhado naquela
seta que o ferira a mão de Peri; e sem ver, sentia o índio aproximar se terrível de ódio, de vingança, de cólera
e desespero pela ofensa que acabava de sofrer sua senhora.
Então o réprobo teve medo; erguendo-se sobre os joelhos arrancou convulsivamente com os dentes
a seta que pregava sua mão à parede, e precipitou-se para o jardim, cego, louco e delirante.
Nesse mesmo instante, dois segundos talvez depois que a última flecha caíra no aposento, a folhagem
do óleo que ficava fronteiro à janela de Cecília agitou-se e um vulto embalançando-se sobre o abismo,
suspenso por um frágil galho da árvore, veio cair sobre o peitoril.
Aí agarrando-se à ombreira saltou dentro do aposento com uma agilidade extraordinária; a luz dando
em cheio sobre ele desenhou o seu corpo flexível e as suas formas esbeltas.
Era Peri.
O índio avançou-se para o leito, e vendo sua senhora salva respirou; com efeito a menina, a meio
despertada pelo rumor da fugida de Loredano, voltara-se do outro lado e continuara o sono forte e reparador

Lit.
como é sempre o sono da juventude e da inocência.
Peri quis seguir o italiano e matá-lo, como já tinha feito aos seus dois cúmplices; mas resolveu não
deixar a menina exposta a um novo insulto, como o que acabava de sofrer, e tratou antes de velar sobre sua
segurança e sossego.
O primeiro cuidado do índio foi apagar a vela, depois fechando os olhos aproximou-se do leito e com
uma delicadeza extrema puxou a colcha de damasco azul até ao colo da menina.
Parecia-lhe uma profanação que seus olhos admirassem as graças e os encantos que o pudor de
Cecília trazia sempre vendados; pensava que o homem que uma vez tivesse visto tanta beleza, nunca mais
devia ver a luz do dia.
Depois desse primeiro desvelo, o índio restabeleceu a ordem no aposento; deitou a roupa na
cômoda, fechou a gelosia e as abas da janela, lavou as nódoas de sangue que ficaram impressas na parede e
no soalho; e tudo isto com tanta solicitude, tão sutilmente, que não perturbou o sono da menina.
Quando acabou o seu trabalho, aproximou-se de novo do leito, e à luz frouxa da lamparina
contemplou as feições mimosas e encantadoras de Cecília.
Estava tão alegre, tão satisfeito de ter chegado a tempo de salvá-la de uma ofensa e talvez de um
crime; era tão feliz de vê-la tranquila e risonha sem ter sofrido o menor susto, o mais leve abalo, que sentiu a
necessidade de exprimir-lhe por algum modo a sua ventura.
Nisto seus olhos abaixando-se descobriram sobre o tapete da cama dois pantufos mimosos forrados
de cetim e tão pequeninos que pareciam feitos para os pés de uma criança; ajoelhou e beijou-os com
respeito, como se foram relíquia sagrada.
Eram então perto de quatro horas; pouco tardava para amanhecer; as estrelas já iam se apagando a
uma e uma; e a noite começava a perder o silêncio profundo da natureza quando dorme.
O índio fechou por fora a porta do quarto que dava para o jardim, e metendo a chave na cintura,
sentou-se na soleira como cão fiel que guarda a casa de seu senhor, resolvido a não deixar ninguém
aproximar-se.
Aí refletiu sobre o que acabava de passar; e acusava-se a si mesmo de ter deixado o italiano penetrar
no aposento de sua senhora: Peri porem caluniava-se, porque só a Providência podia ter feito nessa noite
mais do que ele; porque tudo quanto era possível à inteligência, à coragem, à sagacidade e à força do
homem, o índio havia realizado.
(ALENCAR, José de. O guarani. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bv000135.pdf.)

EXERCÍCIOS
1. O sertão e o sertanejo
Ali começa o sertão chamado bruto. Nesses campos, tão diversos pelo matiz das cores, o capim
crescido e ressecado pelo ardor do sol transforma-se em vicejante tapete de relva, quando lavra o
incêndio que algum tropeiro, por acaso ou mero desenfado, ateia com uma faúlha do seu isqueiro.
Minando à surda na touceira, queda a vívida centelha. Corra daí a instantes qualquer aragem, por débil
que seja, e levanta-se a língua de fogo esguia e trêmula, como que a contemplar medrosa e vacilante
os espaços imensos que se alongam diante dela. O fogo, detido em pontos, aqui, ali, a consumir com
mais lentidão algum estorvo, vai aos poucos morrendo até se extinguir de todo, deixando como sinal
da avassaladora passagem o alvacento lençol, que lhe foi seguindo os velozes passos. Por toda a parte
melancolia; de todos os lados tétricas perspectivas. É cair, porém, daí a dias copiosa chuva, e parece
que uma varinha de fada andou por aqueles sombrios recantos a traçar às pressas jardins encantados e

(TAUNAY, Visconde de. Inocência.)

O romance romântico teve fundamental importância na formação da ideia de nação. Considerando o


trecho acima, é possível reconhecer que uma das principais e permanentes contribuições do
Romantismo para construção da identidade da nação é a:
a) possibilidade de apresentar uma dimensão desconhecida da natureza nacional, marcada pelo
subdesenvolvimento e pela falta de perspectiva de renovação.
b) consciência da exploração da terra pelos colonizadores e pela classe dominante local, o que coibiu
a exploração desenfreada das riquezas naturais do país.
c) construção, em linguagem simples, realista e documental, sem fantasia ou exaltação, de uma

Lit.
imagem da terra que revelou o quanto é grandiosa a natureza brasileira.
d) expansão dos limites geográficos da terra, que promoveu o sentimento de unidade do território
nacional e deu a conhecer os lugares mais distantes do Brasil aos brasileiros.
e) valorização da vida urbana e do progresso, em detrimento do interior do Brasil, formulando um
conceito de nação centrado nos modelos da nascente burguesia brasileira.

2.
(1829-1877), o conhecido autor de O guarani e Iracema, tido como o pai do romance no Brasil. Além de
criar clássicos da literatura brasileira com temas nativistas, indianistas e históricos, ele foi também
folhetinista, diretor de jornal, autor de peças de teatro, advogado, deputado federal e até ministro da
Justiça. Para ajudar na descoberta das múltiplas facetas desse personagem do século XIX, parte de seu
acervo inédito será digitalizada.
História Viva, n.99,2011.
Com base no texto, que trata do papel do escritor José de Alencar e da futura digitalização de sua
obra, depreende-se que
a) a digitalização dos textos é importante para que os leitores possam compreender seus romances.
b) o conhecido autor de O guarani e Iracema foi importante porque deixou uma vasta obra literária
com temática atemporal.
c) a divulgação das obras de José de Alencar, por meio da digitalização, demonstra sua importância
para a história do Brasil imperial.
d) a digitalização dos textos de José de Alencar terá importante papel na preservação da memória
linguística e da identidade nacional.
e) o grande romancista José de Alencar é importante porque se destacou por sua temática indianista.

3. Verdes mares bravios de minha terra natal, onde canta a jandaia nas frondes da carnaúba;
Verdes mares que brilhais como líquida esmeralda aos raios do sol nascente, perlongando as alvas
praias ensombradas de coqueiros;
Serenai, verdes mares, e alisai docemente a vaga impetuosa para que o barco aventureiro manso
resvale à flor das águas.

Esse trecho é o início do romance Iracema, de José de Alencar. Dele, como um todo, é possível
afirmar que:
a) Iracema é uma lenda criada por Alencar para explicar poeticamente as origens das raças
indígenas da América.
b) as personagens Iracema, Martim e Moacir participam da luta fratricida entre os Tabajaras e os
Potiguaras.
c) o romance, elaborado com recursos de linguagem figurada, é considerado o exemplar mais
perfeito da prosa poética na ficção romântica brasileira.
d) o nome da personagem-título é anagrama de América e essa relação caracteriza a obra como um
romance histórico.
e) a palavra

4. "Então passou-se sobre este vasto deserto d'água e céu uma cena estupenda, heroica, sobre-humana;
um espetáculo grandioso, uma sublime loucura.
Peri alucinado suspendeu-se aos cipós que se entrelaçavam pelos ramos das árvores já cobertas d'água,
e com esforço desesperado cingindo o tronco da palmeira nos seus braços hirtos, abalou-os até as
raízes."
(O Guarani José de Alencar)

O texto acima exemplifica uma característica romântica de José de Alencar, que é a:

Lit.
a) imaginação criadora.
b) consciência da solidão.
c) ânsia de glória.
d) idealização do personagem.
e) valorização da natureza

5. crítica dos valores da


sociedade burguesa, na medida em que coloca como protagonistas personagens que se deixam
corromper por dinheiro.
Entretanto, essa crítica se dilui e ele se reafirma como escritor romântico, nessas obras, porque:
a) pune os protagonistas no final, levando-os a um casamento infeliz.
b) justifica o conflito dos protagonistas com a sociedade pela diferença de raça: uns, índios
idealizados; outros, brasileiros com maneiras europeias.
c) confirma os valores burgueses, condenando os protagonistas à morte.
d) resolve a contradição entre o dinheiro e valores morais tornando os protagonistas ricos e
poderosos.
e) permite aos protagonistas recuperarem sua dignidade pela força do amor.
6. Iracema
nasceu Iracema. Iracema, a virgem dos
lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna e mais longos que seu talhe de
palmeira. O favo da jati não era doce como o seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como
seu hálito perfumado.
Mais rápida que a ema selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do Ipu, onde campeava
sua guerreira tribo, da grande nação tabajara. O pé grácil e nu, mal roçando, alisava apenas a verde

(José de Alencar)
Ao caracterizar Iracema, José de Alencar relaciona-a a elementos da natureza, pondo aquela em
relação a esta em uma posição de:
a) equilíbrio
b) dependência
c) complementaridade
d) vantagem

7. Leia o trecho a seguir, de José de Alencar.


Convencida de que todos os seus inúmeros apaixonados, sem exceção de um, a pretendiam
unicamente pela riqueza, Aurélia reagia contra essa afronta, aplicando a esses indivíduos o mesmo
estalão. Assim costumava ela indicar o merecimento relativo de cada um dos pretendentes, dando-
lhes certo valor monetário. Em linguagem financeira, Aurélia contava os seus adoradores pelo preço
que razoavelmente poderiam obter no mercado matrimonial.

O romance Senhora, ilustrado pelo trecho,


a) representa o romance urbano de Alencar. A reação de ironia e desprezo com que Aurélia trata seus
pretendentes, vistos sob a ótica do mercado matrimonial, tematiza o casamento como forma de
ascensão social.
b) mescla o regionalismo e o indianismo, temas recorrentes na obra de Alencar. Nele, o escritor
tematiza, com escárnio, as relações sentimentais entre pessoas de classes sociais distintas, em que
o pretendente é considerado pelo seu valor monetário.
c) é obra ilustrativa do regionalismo romântico brasileiro. A história de Aurélia e de seus pretendentes
mostra a concepção do amor, em linguagem financeira, como forma de privilégio monetário, além
de explorar as relações extraconjugais.
d) denuncia as relações humanas, em especial as conjugais, como responsáveis por levar as pessoas
à tristeza e à solidão dada a superficialidade e ao interesse com que elas se estabelecem. Trata-se
de um romance urbano de Alencar.
e) tematiza o adultério e a prostituição feminina, representados pelo interesse financeiro como forma
de se ascender socialmente. Essa obra explora tanto aspectos do regionalismo nacional como os
valores da vida urbana.
Lit.
8. Assinale a alternativa que caracteriza o Romantismo:
a) valorização do eu. O assunto passa a ser manifestado a partir do artista, que traz à tona o seu mundo
interior, com plena liberdade; esta liberdade se impõe na forma. Sentimentalismo.
b) literatura multifacetada: valorização da palavra e do ritmo: temática humana e universal.
c) literatura intrinsecamente brasileira; linguagem direta, coloquial, livre das regras gramaticais,
imagens diretas; inspiração a partir da burguesia, da civilização industrial, da máquina.
d) literatura que busca inspiração no subconsciente, nas regiões inexploradas da alma: para isso, usa
meios indiretos a fim de sugerir ou representar as sensações; funde figura, música e cor.
e) literatura que visa à perfeição da forma, à objetividade, ao equilíbrio, à perfeição absoluta da
linguagem; prefere os temas novos e exóticos.
9. Em 2004, Ronald Golias e Hebe Camargo protagonizaram na TV uma versão humorística da obra Romeu
e Julieta, de William Shakespeare. Na história do poeta e dramaturgo inglês, Romeu e Julieta são dois
jovens apaixonados, cujo amor é impedido de concretizar-se pelo fato de pertencerem a famílias
inimigas. Impossibilitados de viver o amor, morrem ambos.
Tema bastante recorrente nas literaturas românticas portuguesa e brasileira, o amor impossível aparece
em personagens que encarnam o modelo romântico, cujas características são:
a) o sentimentalismo e a idealização do amor.
b) os jogos de interesses e a racionalidade.
c) o subjetivismo e o nacionalismo.
d) o egocentrismo e o amor subordinado a interesses sociais.
e) a introspecção psicológica e a idealização da mulher.

10. Verdes mares bravios de minha terra natal, onde canta a jandaia nas frondes da carnaúba;
Verdes mares que brilhais como líquida esmeralda aos raios do sol nascente, perlongando as alvas
praias ensombradas de coqueiros;
Serenai, verdes mares, e alisai docemente a vaga impetuosa para que o barco aventureiro manso
resvale à flor das águas.

O trecho acima integra o romance Iracema, sobre o qual Machado de Assis se referiu como um
verdadeiro poema em prosa. Indique, nas alternativas abaixo, aquela que se mostra ERRADA quanto ao
texto em pauta.
a) Evidencia um proposital trabalho de linguagem, marcada por significativo uso de figuras de estilo,
entre as quais se põe a comparação.
b) Apresenta musicalidade, ritmo e cadência que o aproximam da poesia metrificada de extração
popular.
c) Faz aflorar no tecido poético a força da função conativa como apelo para abrandar os elementos
e as forças da natureza.
d) Utiliza apenas a construção anafórica para dar força ao texto, não se valendo de outras figuras que
poderiam potencializar sua dimensão poética.

QUESTÃO CONTEXTO
Leia o trecho retirado da obra Iracema, de José de Alencar

vista perturba-se. Diante dela e todo a contemplá-la, está um guerreiro estranho, se é guerreiro e não algum
mau espírito da floresta. Tem nas faces o branco das areias que bordam o mar; nos olhos o azul triste das
águas profundas. Ignotas armas e tecidos ignotos cobrem-lhe o corpo. Foi rápido, como o olhar, o gesto de
Iracema. A flecha embebida no arco partiu. Gotas de sangue borbulham na face do desconhecido. De
Lit.
Aponte características do Romantismo que podem ser depreendidas desse exemplo.
GABARITO
Exercícios

1. d
Uma das características do romance regional é a descrever locais mais afastados da capital, contribuindo
para a expansão e conhecimento de regiões que até então, não era exploradas no âmbito literário, como
também a possibilidade de conhecer e valorizar o cenário brasileiro e suas enormes diversidades
regionais, como percebe-

2. d

sua obra será digitalizada. Por isso a alternativa D, ao defender a importância do ato, é a resposta correta.

3. c
Iracema foi classificada como poema em prosa por Machado de Assis devido a sua grande expressividade
e presença de recursos de estilo, como as figuras de linguagem.

4. d
Peri é descrito com características sobre-humanas. Logo, há uma idealização e exaltação exagerada do
personagem.

5. e
É comum nos romances de Alencar que os personagens sejam salvos, sublimados pelo amor. Ao final das
duas narrativas, as personagens encontram suas redenções em sacrifícios em nome do amor.

6. d
Nessa questão, é preciso observar que os elementos da natureza nunca chegam perto da excelência de
Iracema. A adjetivação da personagem a coloca sempre acima das demais criaturas e elementos da
natureza.

7. a
Senhora é um romance urbano de Alencar. Quando Aurélia observa seus pretendentes da mesma forma
que é observada por eles, ela realiza uma crítica e um ato que eram improváveis para uma mulher
daquela época.

8. a

Lit.
A alternativa se sustenta por si só, já que apresenta todas as características dentro da esfera do
Romantismo.

9. a
A única alternativa que apresenta as características absorvidas pelo romantismo é a letra A. As demais
apresentam elementos que não cabem nesse estilo literário, como racionalidade, egocentrismo e
introspecção psicológica. Além disso, era preciso relacionar à obra Romeu e Julieta.

10. d
O trecho e o livro apresentam vários recursos linguísticos. A comparação presente no trecho é um deles.
Logo, a afirmação da alternativa D é falsa.

Questão Contexto
Sugestão:
A idealização da mulher;
A questão do sono, Iracema aparece quase dormindo, despertado, quase sonhando.
A ideia da pureza e virgindade.
Lit.
Professor: Diogo Mendes
Monitor: Carolina Tostes

Lit.
23/25
Machado de Assis Vida e Obra
mai

RESUMO
Joaquim Maria Machado de Assis é um dos maiores nomes da literatura brasileira. De origem
humilde e mestiça, o carioca, gago e epilético, nascido no Morro do Livramento, atuou como jornalista,
cronista, crítico, dramaturgo e poeta, superando os preconceitos através de seu inegável talento autodidata.
O primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras é o principal nome do Realismo brasileiro, mas sua
obra deixou um legado para diferentes estilos e gêneros literários.
No início de sua carreira, apostou em textos mais tradicionais, mas logo foi desenvolvendo um estilo
muito particular de produção literária com fortes influências de Alemeida Garrett, romancista português. Sua
extensa produção inspirou grandes nomes como Olavo Bilac e Lima Barreto e ainda inspira escritores
contemporâneos.

de um estilo original e reticente que transborda humor pessimista, ironia e profunda observação psicológica
de suas personagens, Machado presenteou nossa literatura com obras singulares. Como não se intrigar com

psicoexistenciais e tendenciosas sobre um suposto triângulo amoroso? Machado é atemporal pela forma
com a qual ele trata as questões em seus romances. Dentre as questões sem resposta que perpassam a
existência da humanidade, uma delas foi trazida pelo autor: Capitu traiu Bentinho ou não ?

Leia um trecho do Capítulo I de Memórias Póstumas de Brás Cubas, publicado pela primeira vez
em 1881:

Óbito do Autor

Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se
poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar pelo
nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou
propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; a segunda é
que o escrito ficaria assim mais galante e mais novo. Moisés, que também contou a sua morte, não a pôs no
intróito, mas no cabo; diferença radical entre este livro e o Pentateuco.
Dito isto, expirei às duas horas da tarde de uma sexta-feira do mês de agosto de 1869,
na minha bela chácara de Catumbi. Tinha uns sessenta e quatro anos, rijos e prósperos , era solteiro,
possuía cerca de trezentos contos e fui acompanhado ao cemitério por onze amigos. Onze amigos!

Lit.
Verdade é que não houve cartas nem anúncios. Acresce que chovia - peneirava - uma chuvinha miúda,
triste e constante, tão constante e tão triste, que levou um daqueles fiéis da última hora a intercalar esta
engenhosa idéia no discurso que proferiu à beira de minha cova: "Vós , que o conhecestes, meus
senhores, vós podeis dizer comigo que a natureza parece estar chorando a perda irreparável de um dos
mais belos caracteres que tem honrado a humanidade. Este ar sombrio, estas gotas do céu, aquelas nuvens
escuras que cobrem o azul como um crepe funéreo, tudo isso é a dor crua e má que lhe rói à natureza as
mais íntimas entranhas; tudo isso é um sublime louvor ao nosso ilustre finado.

Sugestões de leitura:

Memórias Póstumas de Brás Cubas (Romance)


Dom Casmurro (Romance)
A Carteira (Conto)
A Cartomante (Conto)
Pai contra mãe (Conto)
EXERCÍCIOS
1. Joaquim Maria Machado de Assis, cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista,
romancista, crítico e ensaísta, nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839. Filho de um
operário mestiço de negro e português, Francisco Jos ́ de Assis, e de D. Maria Leopoldina Machado
de Assis, aquele que viria a tornar-se o maior escritor do país e um mestre da língua, perde a mãe muito
cedo ́ criado pela madrasta, Maria Inês, também mulata, que se dedica ao menino e o matricula na
escola pública, única que frequentou o autodidata Machado de Assis.

Considerando os seus conhecimentos sobre os gêneros textuais, o texto citado constitui-se de


a) fatos ficcionais, relacionados a outros de caráter realista, relativos ̀ vida de um renomado escritor.
b) representações generalizadas acerca da vida de membros da sociedade por seus trabalhos e vida
cotidiana.
c) explicações da vida de um renomado escritor, com estrutura argumentativa, destacando como
tema seus principais feitos.
d) questões controversas e fatos diversos da vida de personalidade histórica, ressaltando sua
intimidade familiar em detrimento de seus feitos públicos.
e) apresentação da vida de uma personalidade, organizada sobretudo pela ordem tipológica da
narração, com um estilo marcado por linguagem objetiva.

2. -me uma ideia no trapézio que


eu tinha no cérebro. Uma vez pendurada, entrou a bracejar, a pernear, a fazer as mais arrojadas
cabriolas de volatim, que é possível crer. Eu deixei-me estar a contemplá-la. Súbito, deu um grande
salto, estendeu os braços e as pernas, até tomar a forma de um X: decifra-me ou devoro-
(Memórias póstumas de Brás Cubas Machado de Assis)

Sobre o texto mostrado, pode-se dizer que:


a) o autor faz uma abordagem superficial da situação.
b) o autor preocupa-se com os detalhes, por meio de minuciosa descrição.
c) o autor dá relevância a outras circunstâncias, negligenciando o foco do assunto.
d) o autor não mostra preocupação com o discernimento do leitor, pois apenas sugere situações.
e) contempla a si próprio, num ritual egocêntrico e narcisista.

3. Era a primeira vez que as duas iam ao morro do Castelo. Começaram a subir pelo lado da Rua do
Carmo. Muita gente há no Rio de Janeiro que nunca lá foi, muita haverá morrido, muita mais nascerá
e morrerá sem lá pôr os pés. Nem todos podem dizer que conhecem uma cidade inteira. Um velho
inglês, que aliás andara terras e terras, confiava-me há muitos anos em Londres que de Londres só
conhecia bem o seu clube, e era o que lhe bastava da metrópole e do mundo.

Lit.
Natividade e Perpétua conheciam outras partes, além de Botafogo, mas o morro do Castelo, por
mais que ouvissem falar dele e da cabocla que lá reinava em 1871, era-lhes tão estranho e remoto como
o clube. O íngreme, o desigual, o mal calçado da ladeira mortificavam os pés às duas pobres donas.
Não obstante, continuavam a subir, como se fosse penitência, devagarinho, cara no chão, véu para
baixo. A manhã trazia certo movimento; mulheres, homens, crianças que desciam ou subiam,
lavadeiras e soldados, algum empregado, algum lojista, algum padre, todos olhavam espantados para
elas, que aliás vestiam com grande simplicidade; mas há um donaire* que se não perde, e não era
vulgar naquelas alturas. A mesma lentidão no andar, comparada à rapidez das outras pessoas, fazia
desconfiar que era a primeira vez que ali iam. (...)
Com efeito, as duas senhoras buscavam disfarçadamente o número da casa da cabocla, até que
deram com ele. A casa era como as outras, trepada no morro. Subia-se por uma escadinha, estreita,
sombria, adequada à aventura. Quiseram entrar depressa, mas esbarraram com dous sujeitos que
vinham saindo, e coseram-se ao portal. Um deles perguntou-lhes familiarmente se iam consultar a
adivinha.
Perdem o seu tempo, concluiu furioso, e hão de ouvir muito disparate...
É mentira dele, emendou o outro, rindo; a cabocla sabe muito bem onde tem o nariz.
Hesitaram um pouco; mas, logo depois advertiram que as palavras do primeiro eram sinal certo
da vidência e da franqueza da adivinha; nem todos teriam a mesma sorte alegre. A dos meninos da
Natividade podia ser miserável, e então... Enquanto cogitavam passou fora um carteiro, que as fez subir
mais depressa, para escapar a outros olhos. Tinham fé, mas tinham também vexame da opinião, como
um devoto que se benzesse às escondidas.
Velho caboclo, pai da adivinha, conduziu as senhoras à sala. (...)
Minha filha já vem, disse o velho. As senhoras como se chamam?
(...)
A falar verdade, temiam o seu tanto, Perpétua menos que Natividade. A aventura parecia audaz,
e algum perigo possível. Não ponho aqui os seus gestos; imaginai que eram inquietos e
desconcertados. Nenhuma dizia nada. Natividade confessou depois que tinha um nó na garganta.
Felizmente, a cabocla não se demorou muito; ao cabo de três ou quatro minutos, o pai a trouxe pela
mão, erguendo a cortina do fundo.
MACHADO DE ASSIS Esaú e Jacó. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

A caracterização das personagens centrais se faz, em grande medida, em relação com a composição
do espaço onde circulam. No segundo parágrafo (l. 6-14), observa-se essa relação na ênfase dada ao
seguinte aspecto retratado no ambiente:
a) censura moral
b) rotinas de trabalho
c) preconceito religioso
d) diferenças de gênero

Texto para as questões 4 e 5

primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto que o uso vulgar seja começar pelo
nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou
propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; o

Machado de Assis)

4. Essa é a abertura do famoso romance de Machado de Assis. Dentro desse contexto, já dá para se ver o
tipo de narrativa que será explorada. Assinale a alternativa correta a esse respeito.
a) A narrativa decorre de forma cronologicamente correta, de acordo com a passagem do tempo:
infância, juventude, maturidade e velhice.
b) A linearidade das ações apresenta cenas de suspense, dado o comportamento inusitado dos
personagens.
c) Não há como prever o final da narrativa, já que seu enredo é, propositadamente, complicado.
d) A ação terá, como cenário, os diversos centros cosmopolitas do mundo.
e)

Lit.
5. Em relação à questão anterior, infere-se que a linguagem dispõe de um recurso enriquecedor: a
disposição das palavras no espaço frasal. Sendo assim, que tipo de leitura pode-se fazer dessas duas

a) A colocação da palavra defunto após a palavra autor leva-nos a pensar que o segundo elemento
está em fase final de carreira.
b) Defunto autor remete à ideia de que a pessoa irá escrever suas memórias dentro de um cemitério.
c) Ambas as expressões transmitem a mesma ideia, com iguais valores semânticos.
d) A expressão defunto autor aparece de forma metaforizada, original, privilegiando uma nova forma
de narração autobiográfica.
e) Ambas as construções não têm expressão na obra biográfica de Machado de Assis.
6. Texto I
(...) estás sempre aí, bruxo alusivo e zombeteiro,
que revolves em mim tantos enigmas.

Carlos Drummond de Andrade (em poema dedicado a Machado de Assis)


Texto II
Cada criatura humana traz duas almas consigo: uma que olha de dentro para fora, outra que olha de
fora para dentro (...). Há casos, por exemplo, em que um simples botão de camisa é a alma exterior de
uma pessoa; e assim também a polca, o voltarete, um livro, uma máquina, um par de botas (...). Há
cavalheiros, por exemplo, cuja alma exterior, nos primeiros anos, foi um chocalho ou um cavalinho de
pau, e mais tarde uma provedoria de irmandade, suponhamos.
Machado de Assis

Assinale a afirmação correta sobre os exemplos apresentados no texto.


a) Correspondem a estratégia argumentativa para persuadir o interlocutor de que há uma alma
exterior.
b) Funcionam como digressões, isto é, desvios com relação ao tema de teor espiritualista presente na
afirmação inicial.
c) Usados ironicamente, invalidam a tese, já que provam a tendência materialista e consumista, inata
no homem.
d) Contrariam a tese, na medida em que indicam coisas concretas, o que provoca efeito humorístico.
e) Embora indiquem coisas concretas, confirmam o desapego humano à materialidade do mundo.

7. mais engenhosa de todas as nossas experiências, foi a de Diogo Meireles. Lavrava então na cidade uma
singular doença, que consistia em fazer inchar os narizes, tanto e tanto, que tomavam metade e mais
da cara do paciente, e não só a punham horrenda, senão que era molesto carregar tamanho peso.
Conquanto os físicos da terra propusessem extrair os narizes inchados, para alívio e melhoria dos
enfermos, nenhum destes consentia em prestar-se ao curativo, preferindo o excesso à lacuna, e tendo
por mais aborrecível que nenhuma outra coisa a ausência daquele órgão. Diogo Meireles, que desde
algum tempo praticava a medicina, segundo ficou dito atrás, estudou a moléstia e reconheceu que
não havia perigo em desnarigar os doentes, antes era vantajoso por lhes levar o mal, sem trazer
fealdade, pois tanto valia um nariz disforme e pesado como nenhum; não alcançou, todavia, persuadir
os infelizes ao sacrifício. Então, ocorreu-lhe uma graciosa invenção. Assim foi que, reunindo muitos
físicos, filósofos, bonzos, autoridades e povo, comunicou-lhes que tinha um segredo para eliminar o
órgão; e esse segredo era nada menos que substituir o nariz achacado por um nariz são, mas de pura
natureza metafísica, isto é, inacessível aos sentidos humanos, e contudo tão verdadeiro ou ainda mais

Lit.
do que o cortado; cura esta praticada por ele em várias partes, e muito aceita aos físicos de Malabar.
O assombro da assembleia foi imenso, e não menor a incredulidade de alguns, não digo de todos,
sendo que a maioria não sabia em que acreditar, pois se lhe repugnava a metafísica do nariz, cedia,
entretanto, à energia das palavras de Diogo Meireles, ao tom alto e convencido com que ele expôs e
definiu o seu remédio.
ASSIS, Machado de. O Segredo do Bonzo. Papéis Avulsos. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2016. Adaptado.

a) uma censura aos médicos que, por não conhecerem o verdadeiro diagnóstico de uma patologia,
inventam soluções terapêuticas absurdas e arriscadas.
b) a vaidade humana diante da possibilidade, ainda que abstrata, de receber um nariz mais bonito do
que o congênito, ora disforme pela enfermidade.
c) a ausência de posicionamento crítico do povo e também de autoridades sociais diante de discursos
envolventes, mas sem qualquer comprovação científica.
d) os interesses escusos de alguns profissionais da saúde que, mesmo sabendo que não há
necessidade de intervenção cirúrgica, põem seus pacientes em risco.
e) o desdém manifesto por uma sociedade que está mais preocupada com a aparência do que com
a essência a ponto de se convencer da eficácia do remédio proposto por Diogo Meireles.
8. O romance Memórias póstumas de Brás Cubas é considerado um divisor de águas tanto na obra de
Machado de Assis quanto na literatura brasileira do século XIX. Indique a alternativa em que todas as
características mencionadas podem ser adequadamente atribuídas ao romance em questão.
a) Rejeição dos valores românticos, narrativa linear e fluente de um defunto autor, visão pessimista em
relação aos problemas sociais.
b) Distanciamento do determinismo científico, cultivo do humor e digressões sobre banalidades, visão
reformadora das mazelas sociais.
c) Abandono das idealizações românticas, uso de técnicas pouco usuais de narrativa, sugestão
implícita de contradições sociais.
d) Crítica do realismo literário, narração iniciada com a morte do narrador-personagem, tematização
de conflitos sociais.

9. Um dos capítulos do romance Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, denomina-se

nela apresentadas. Assim, a respeito do Humanitismo, de acordo com o romance, é INCORRETO


afirmar que
a) é uma teoria que, criada por Brás Cubas e difundida por Quincas Borba, apoia-se no princípio de
humanitas que, segundo seu autor, rege as condicionantes da vida e da morte, não obstante
revigorar o sintoma da hipocondria e exaltar a existência da dor.
b) é uma teoria, espécie de mescla bufa de pensamentos filosóficos que vão da tradição grega até o
século XIX, utilizada por Machado de Assis para fazer caricatura do Positivismo e do Evolucionismo,
teorias científicas e filosóficas em voga na época.
c) é uma doutrina de valorização da vida, defendida por um mendigo que acaba seus dias em plena
loucura, caracterizando, essa situação, forte ironia como marca estruturante desta obra
machadiana.
d) é uma teoria que convém a Brás Cubas para justificar a vacuidade de sua existência e dar a ele uma
ilusão da descoberta de um sentido para sua vida e pela qual ele acaba se orientando.

Texto para as questões 10, 11 e 12.


Uma flor, o Quincas Borba. Nunca em minha infância, nunca em toda a minha vida, achei um
menino mais gracioso, inventivo e travesso. Era a flor, e não já da escola, senão de toda a cidade. A
mãe, viúva, com alguma cousa de seu, adorava o filho e trazia-o amimado, asseado, enfeitado, com
um vistoso pajem que nos deixava gazear a escola, ir caçar ninhos de pássaros, ou perseguir lagartixas
nos morros do Livramento e da Conceição, ou simplesmente arruar, à toa, como dous peraltas sem
emprego. E de imperador! Era um gosto ver o Quincas Borba fazer de imperador nas festas do Espírito
Santo. De resto, nos nossos jogos pueris, ele escolhia sempre um papel de rei, ministro, general, uma
supremacia, qualquer que fosse. Tinha garbo o traquinas, e gravidade, certa magnificência nas

Lit.
atitudes, nos meneios. Quem diria que... Suspendamos a pena; não adiantemos os sucessos. Vamos
de um salto a 1822, data da nossa independência política, e de meu primeiro cativeiro pessoal.
(Machado de Assis, Memórias póstumas de Brás Cubas)

10. Embora pertença à modalidade escrita da língua, este texto apresenta marcas de oralidade, que têm
finalidades estilísticas. Dos procedimentos verificados no texto e indicados abaixo, o único que
constitui marca típica da modalidade escrita é:

c) int

11. A enumeração de substantivos expressa gradação ascendente em:

-
12. Considerando o trecho e o romance como um todo, o pensamento suspenso no final do parágrafo
indica ações futuras da personagem em pauta. Indique a alternativa errada com relação ao que de fato
ocorreu com Quincas Borba.
a) reaparece na história, já adulto, como um maltrapilho mendigo, no passeio público e,
sorrateiramente surrupia um relógio de Brás Cubas.
b) vai para Minas, recebe uma herança de um tio, em Barbacena, escreve uma carta a Brás Cubas,
desculpando-se do roubo do relógio e envia-lhe um outro como substituição.
c) cria o sistema filosófico chamado Humanitismo, teoria que, segundo ele, suprime a dor, assegura a
felicidade e enche de imensa glória o pais, e, com isso, ganha notoriedade e fama.
d) enlouquece, volta para o Rio e morre, na casa de Brás Cubas, acometido da demência que o
perseguia desde a invenção do Humanitismo, jurando que a dor era uma ilusão.

13. Uma reflexão imoral


Ocorre-me uma reflexão imoral, que é ao mesmo tempo uma correção de estilo. Cuido haver dito, no
capítulo XIV, que Marcela morria de amores pelo Xavier. Não morria, vivia. Viver não é a mesma coisa
que morrer; assim o afirmam todos os joalheiros deste mundo, gente muito vista na gramática. Bons
joalheiros, que seria do amor se não fossem os vossos dixes e fiados? Um terço ou um quinto do
universal comércio dos corações. Esta é a reflexão imoral que eu pretendia fazer, a qual é ainda mais
obscura do que imoral, porque não se entende bem o que eu quero dizer. O que eu quero dizer é que
a mais bela testa do mundo não fica menos bela, se a cingir um diadema de pedras finas; nem menos
bela, nem menos amada. Marcela, por exemplo, que era bem bonita, Marcela amou-me... (...) Marcela
amou-me durante quinze meses e onze contos de réis; nada menos.

Do texto em pauta, integrante do romance Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis,
é errado entender que
a) há nele um segundo sentido em relação ao que parece ser que se esconde atrás da linguagem e
das atitudes.
b) há uma ironia que perpassa o texto, e que faz dos joalheiros os garantidores do universal comércio
dos corações.
c) exemplifica, no amor de Marcela pelo narrador, a veracidade da reflexão imoral apresentada.
d) chama de reflexão imoral e obscura porque não se faz entender nem no âmbito da linguagem nem
no da interpretação dos sentimentos de Marcelo.

14. O romance Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, faz significativo uso da linguagem
figurada, o que dá ao texto uma fina dimensão estética. Assim, indique a alternativa em que o
fragmento não está corretamente classificado de acordo com a figura que nele ocorre.
a) Deixa lá dizer Pascal que o homem é um caniço pensante. Não; é uma errata pensante, isso sim.

Lit.
metáfora.
b) E estando a recordá-lo, ouço um ranger de porta, um farfalhar de saias. onomatopeia.
c) Quincas Borba não só estava louco, mas sabia que estava louco, e esse resto de consciência, como
uma frouxa lamparina no meio das trevas, complicava muito o horror da situação. eufemismo.
d) Marcela morria de amores pelo Xavier. Não morria, vivia. Viver não é a mesma coisa que morrer.
Antítese.

15. Era a primeira vez que as duas iam ao morro do Castelo. Começaram a subir pelo lado da Rua do
Carmo. Muita gente há no Rio de Janeiro que nunca lá foi, muita haverá morrido, muita mais nascerá
e morrerá sem lá pôr os pés. Nem todos podem dizer que conhecem uma cidade inteira. Um velho
inglês, que aliás andara terras e terras, confiava-me há muitos anos em Londres que de Londres só
conhecia bem o seu clube, e era o que lhe bastava da metrópole e do mundo.
Natividade e Perpétua conheciam outras partes, além de Botafogo, mas o morro do Castelo, por
mais que ouvissem falar dele e da cabocla que lá reinava em 1871, era-lhes tão estranho e remoto como
o clube. O íngreme, o desigual, o mal calçado da ladeira mortificavam os pés às duas pobres donas.
Não obstante, continuavam a subir, como se fosse penitência, devagarinho, cara no chão, véu para
baixo. A manhã trazia certo movimento; mulheres, homens, crianças que desciam ou subiam,
lavadeiras e soldados, algum empregado, algum lojista, algum padre, todos olhavam espantados para
elas, que aliás vestiam com grande simplicidade; mas há um donaire* que se não perde, e não era
vulgar naquelas alturas. A mesma lentidão no andar, comparada à rapidez das outras pessoas, fazia
desconfiar que era a primeira vez que ali iam. (...)
Com efeito, as duas senhoras buscavam disfarçadamente o número da casa da cabocla, até que
deram com ele. A casa era como as outras, trepada no morro. Subia-se por uma escadinha, estreita,
sombria, adequada à aventura. Quiseram entrar depressa, mas esbarraram com dous sujeitos que
vinham saindo, e coseram-se ao portal. Um deles perguntou-lhes familiarmente se iam consultar a
adivinha.
Perdem o seu tempo, concluiu furioso, e hão de ouvir muito disparate...
É mentira dele, emendou o outro, rindo; a cabocla sabe muito bem onde tem o nariz.
Hesitaram um pouco; mas, logo depois advertiram que as palavras do primeiro eram sinal certo
da vidência e da franqueza da adivinha; nem todos teriam a mesma sorte alegre. A dos meninos da
Natividade podia ser miserável, e então... Enquanto cogitavam passou fora um carteiro, que as fez subir
mais depressa, para escapar a outros olhos. Tinham fé, mas tinham também vexame da opinião, como
um devoto que se benzesse às escondidas.
Velho caboclo, pai da adivinha, conduziu as senhoras à sala. (...)
Minha filha já vem, disse o velho. As senhoras como se chamam?
(...)
A falar verdade, temiam o seu tanto, Perpétua menos que Natividade. A aventura parecia audaz,
e algum perigo possível. Não ponho aqui os seus gestos; imaginai que eram inquietos e
desconcertados. Nenhuma dizia nada. Natividade confessou depois que tinha um nó na garganta.
Felizmente, a cabocla não se demorou muito; ao cabo de três ou quatro minutos, o pai a trouxe pela
mão, erguendo a cortina do fundo.
MACHADO DE ASSIS Esaú e Jacó. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

No texto de Machado de Assis, narra-se um episódio protagonizado por duas personagens que se
dirigem a uma consulta com uma adivinha. Com base no exposto no texto, uma motivação para essa
consulta pode ser descrita como:
a) preocupação oriunda de perda de bens
b) decepção em virtude de traição de amigos
c) angústia em função de mudanças no trabalho
d) ansiedade derivada de acontecimentos na família

QUESTÃO CONTEXTO

Lit.

Considerando a narrativa inovadora de Memórias Póstumas de Brás Cubas, relacione a imagem apresentada
com o famoso ditado popular, explicando a intertextualidade contida na charge.
GABARITO
Exercícios

1. e
Por se tratar da narração de aspectos pessoais de uma personalidade pública (um texto biográfico),
entende-se que a alternativa E responde corretamente a questão.

2. c
O narrador, de certa forma, faz rodeios antes de chegar no foco central do assunto tratado no texto.

3. b
No trecho destacado do romance Esaú e Jacó, de Machado de Assis é relatado o episódio protagonizado
pelas personagens Natividade e Perpétua, dirigindo-se à consulta de uma adivinha, situada no morro do
Castelo. No primeiro parágrafo

moradores com o espaço urbano. No segundo parágrafo, a narrativa explora o estranhamento das
personagens, apresentando um comentário inicial. A maior parte desse parágrafo se dedica a confrontar
a lentidão das protagonistas com a rapidez das demais personagens, identificadas principalmente por
suas atividades de trabalho. Desse modo, o narrador confere ênfase às rotinas de trabalho na retratação
do espaço da narrativa. (gabarito uerj)

4. e
Por se tratar de uma história contada por um defunto-autor, o recurso de flashback explora as lembranças
do narrador, que já falecido narra sua vida.

5. d
Aqui, explora- -
contar ou escrever uma biografia.

6. a
A resposta para a questão é perceber que ambos os textos comentam sobre influências externas. No

existência de duas almas.

7. c Lit.
parte das pessoas ouviu o discurso inflamado, porém não o questionavam nem exigiam a prova científica,
mostrando, assim, ausência de posicionamento crítico.

8. c
O romance de Machado de Assis é uma ruptura com as idealizações românticas e apresenta
características particulares do autor que inovou a forma narrativa e questionou constantemente os valores
sociais humanos.

9. a
A teoria não foi criada por Brás Cubas, mas sim por Quincas Borba.

10. e

coloquial.
11. e
Na alternativa, há uma gradação de sentido intensificador.

12. c
A alternativa responde a questão porque não se pode dizer que o Humanitismo ganhou notoriedade e
fama.

13. d
Sua reflexão imoral se faz entender a partir da ironia que o narrador utiliza para definir e/ou justificar o
amor de Marcela por ele. A reflexão acontece.

14. c

15. d

qual seria a sorte/destino reservado ao filhos de uma das personagens.

Questão Contexto
-
popular
personagem.

Lit.
Lit.
Professor: Diogo Mendes
Monitor: Caroline Tostes

Lit.
Machado de Assis Características 30/1
Gerais mai/jun

RESUMO
Machado de Assis
Joaquim Maria Machado de Assis é um dos maiores nomes da literatura brasileira. De origem humilde e
mestiça, o carioca, gago e epilético, nascido no Morro do Livramento, atuou como jornalista, cronista,
crítico, dramaturgo e poeta, superando os preconceitos através de seu inegável talento autodidata. O
primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras é o principal nome do Realismo brasileiro, mas sua obra
deixou um legado para diferentes estilos e gêneros literários.

CARACTERÍSTICAS MACHADIANAS

As obras machadianas eram produzidas, em sua maioria, em prosa e com o aprofundamento


psicológico de personagens e, um dos elementos mais significativos, é o posicionamento do narrador. Com
caráter persuasivo, o narrador que por muitas vezes também é personagem- é ativo ao longo do enredo e
dialoga o tempo inteiro com o leitor. Além disso, em alguns momentos, interfere no enredo e admite uma
posição provocadora sobre seu posicionamento, incitando que o interlocutor também pense da mesma
forma.
Outro ponto interessante a ser abordado, é o da descrição feminina, que está longe da figura
idealizada da escola Romântica. Aqui, a mulher é mais concreta, abordada não só por suas qualidades, mas
também por seus defeitos. É uma mulher real, sem ser fantasiada pelo narrador. Por fim, a ironia machadiana
e o ceticismo também são uns dos principais aspectos que fazem referência ao autor. Com um toque
humorístico e, por muitas vezes sutil, estes conseguem expressar com inteligência as verdadeiras

Lit.
intenções do autor, fazendo abordagens sobre a hipocrisia humana, as relações por interesse, o adultério, a
infelicidade no casamento, a ascensão social, o egocentrismo, entre outras.

EXERCÍCIOS
1. -me uma ideia no trapézio
que eu tinha no cérebro. Uma vez pendurada, entrou a bracejar, a pernear, a fazer as mais arrojadas
cabriolas de volatim, que é possível crer. Eu deixei-me estar a contemplá-la. Súbito, deu um grande
salto, estendeu os braços e as pernas, até tomar a forma de um X: decifra-me ou devoro-
(Memórias póstumas de Brás Cubas Machado de Assis)
Sobre o texto mostrado, pode-se dizer que:
a) o autor faz uma abordagem superficial da situação.
b) o autor preocupa-se com os detalhes, por meio de minuciosa descrição.
c) o autor dá relevância a outras circunstâncias, negligenciando o foco do assunto.
d) o autor não mostra preocupação com o discernimento do leitor, pois apenas sugere situações.
e) contempla a si próprio, num ritual egocêntrico e narcisista.
2. No trecho abaixo, o narrador, ao descrever a personagem, critica sutilmente um outro estilo de época:
o romantismo.

ra talvez a mais atrevida criatura da


nossa raça, e, com certeza, a mais voluntariosa. Não digo que já lhe coubesse a primazia da beleza,
entre as mocinhas do tempo, porque isto não é romance, em que o autor sobredoura a realidade e
fecha os olhos às sardas e espinhas; mas também não digo que lhe maculasse o rosto nenhuma sarda
ou espinha, não. Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno,

ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Jackson,1957.

A frase do texto em que se percebe a crítica do narrador ao romantismo está transcrita na alternativa:
a) ... o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas ...
b) ... era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça ...
c) Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, ...
d) Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos ...
e) ... o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.

3.
primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto que o uso vulgar seja começar pelo
nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou
propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; o segundo
é que o escrito
Machado de Assis)

Essa é a abertura do famoso romance de Machado de Assis. Dentro desse contexto, já dá para se ver o
tipo de narrativa que será explorada. Assinale a alternativa correta a esse respeito.
a) A narrativa decorre de forma cronologicamente correta, de acordo com a passagem do tempo:
infância, juventude, maturidade e velhice.
b) A linearidade das ações apresenta cenas de suspense, dado o comportamento inusitado dos
personagens.
c) Não há como prever o final da narrativa, já que seu enredo é, propositadamente, complicado.
d) A ação terá, como cenário, os diversos centros cosmopolitas do mundo.
e)

4. Assinale a alternativa correta sobre Machado de Assis.


a) Desde o início de sua carreira literária, seguiu de forma rigorosa os cânones da estética realista,
produzindo romances cuja base temática se apoia no determinismo cientificista.

Lit.
b) Privilegiou a sondagem dos misteriosos motivos psicológicos que atuam sobre o comportamento
humano, atitude que o particularizou no contexto do Realismo ortodoxo do século XIX.
c) Retratou, de acordo com princípios do Naturalismo, a degradação da sociedade burguesa de sua
época, criando personagens marcados por fortes traços patológicos.
d) Embora tenha adotado o estilo realista, defendeu a tese de que a única salvação para o homem
estaria na religião.
e) Sua obra é marcada por forte influência romântica, derivando daí a acentuada idealização do
espírito humano tematizada em seus textos.

5. -me durante quinze meses e onze contos de réis; nada menos. Meu pai logo que teve
aragem dos quinze contos sobressaltou-se deveras; achou que o caso excedia as raias de um capricho
juvenil.
Dessa vez, disse ele, vais para Europa, vais cursar uma Universidade, provavelmente Coimbra, quero-
te homem sério e não arruador e não gatuno.
E como eu fizesse um gesto de espanto:

(Machado de Assis Memórias póstumas de Brás Cubas)


De acordo com essa passagem da obra, pode-se antecipar a visão que Machado de Assis tinha sobre
as pessoas e sobre a sociedade. A esse respeito, assinale a alternativa correta.
a) O amor é fruto de interesse e compõe o pilar das instituições hipócritas.
b) O amor, se sincero, supera todas as barreiras, inclusive as financeiras.
c) O caráter autoritarista moldava as relações familiares, principalmente entre pai e filho.
d) Havia medo de que a marginalidade envolvesse os jovens daquela época.
e) O amor era glorificado e apontado como o único caminho para redimir as pessoas.

6. Joaquim Maria Machado de Assis, cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista,
romancista, crítico e ensaísta, nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839. Filho de um
operário mestiço de negro e português, Francisco José de Assis, e de D. Maria Leopoldina Machado
de Assis, aquele que viria a tornar-se o maior escritor do país e um mestre da língua, perde a mãe muito
cedo e é criado pela madrasta, Maria Inês, também mulata, que se dedica ao menino e o matricula na
escola pública, única que frequentou o autodidata Machado de Assis.

Considerando os seus conhecimentos sobre os gêneros textuais, o texto citado constitui-se de


a) fatos ficcionais, relacionados a outros de caráter realista, relativos à vida de um renomado escritor.
b) representações generalizadas acerca da vida de membros da sociedade por seus trabalhos e vida
cotidiana.
c) explicações da vida de um renomado escritor, com estrutura argumentativa, destacando como
tema seus principais feitos.
d) questões controversas e fatos diversos da vida de personalidade histórica, ressaltando sua
intimidade familiar em detrimento de seus feitos públicos.
e) apresentação da vida de uma personalidade, organizada sobretudo pela ordem tipológica da
narração, com um estilo marcado por linguagem objetiva.

7. A propósito de Dom Casmurro, de Machado de Assis, é correto afirmar:


a) A narrativa de Bento Santiago é comparável a uma acusação: aproveitando sua formação jurídica, o
narrador pretende configurar a culpa de Capitu.
b) O artifício narrativo usado é a forma de diário, de modo que o leitor receba as informações do
narrador à medida que elas acontecem, mantendo-se assim a tensão.
c) Elegendo a temática do adultério, o autor resgata o romantismo de seus primeiros romances, com
personagens idealizadas entregues à paixão amorosa.
d) O espaço geográfico e social representado é situado em uma província do Império, buscando
demonstrar que as mazelas sociais não são prerrogativa da Corte.
e) Bentinho desejava a morte de Escobar (até tentou envenená-lo uma vez), a ponto de se sentir
culpado quando o ex amigo morreu afogado.

8.
Lit.
evia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em
primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto que o uso vulgar seja começar pelo
nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou
propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; o segundo

Machado de Assis)
Em relação à questão anterior, infere-se que a linguagem dispõe de um recurso enriquecedor: a
disposição das palavras no espaço frasal. Sendo assim, que tipo de leitura pode-se fazer dessas duas

a) A colocação da palavra defunto após a palavra autor leva-nos a pensar que o segundo elemento
está em fase final de carreira.
b) Defunto autor remete à ideia de que a pessoa irá escrever suas memórias dentro de um cemitério.
c) Ambas as expressões transmitem a mesma ideia, com iguais valores semânticos.
d) A expressão defunto autor aparece de forma metaforizada, original, privilegiando uma nova forma
de narração autobiográfica.
e) Ambas as construções não têm expressão na obra biográfica de Machado de Assis.
9. Texto I

(...) estás sempre aí, bruxo alusivo e zombeteiro,


que revolves em mim tantos enigmas.
Carlos Drummond de Andrade (em poema dedicado a Machado de Assis)

Texto II

Cada criatura humana traz duas almas consigo: uma que olha de dentro para fora, outra que olha de
fora para dentro (...). Há casos, por exemplo, em que um simples botão de camisa é a alma exterior de
uma pessoa; e assim também a polca, o voltarete, um livro, uma máquina, um par de botas (...). Há
cavalheiros, por exemplo, cuja alma exterior, nos primeiros anos, foi um chocalho ou um cavalinho de
pau, e mais tarde uma provedoria de irmandade, suponhamos.
Machado de Assis

alma exterior, nos primeiros anos, foi um chocalho ou um cavalinho

Assinale a afirmação correta sobre os exemplos apresentados no texto.


a) Correspondem a estratégia argumentativa para persuadir o interlocutor de que há uma alma
exterior.
b) Funcionam como digressões, isto é, desvios com relação ao tema de teor espiritualista presente na
afirmação inicial.
c) Usados ironicamente, invalidam a tese, já que provam a tendência materialista e consumista, inata
no homem.
d) Contrariam a tese, na medida em que indicam coisas concretas, o que provoca efeito humorístico.
e) Embora indiquem coisas concretas, confirmam o desapego humano à materialidade do mundo.

QUESTÃO CONTEXTO

disse, aí fica. Se disse, fica também. Há conceitos que se devem incutir na alma do leitor, à força de repetição.
Era também mais curiosa. As curiosidades de Capitu dão para um capítulo. Eram de vária espécie, explicáveis
e inexplicáveis, assim úteis como inúteis, umas graves, outras frívolas; gostava de saber tudo. No colégio
onde, desde os sete anos, aprendera a ler, escrever e contar, francês, doutrina e obras de agulha, não
aprendeu, por exemplo, a fazer renda; por isso mesmo, quis que prima Justina lhe ensinasse. Se não estudou
latim com o Padre Cabral foi porque o padre, depois de lhe propor gracejando, acabou dizendo que latim

Lit.
não era língua de meninas. Capitu confessou-me um dia que esta razão acendeu nela o desejo de o saber.
Em compensação, quis aprender inglês com um velho professor amigo do pai e parceiro deste ao solo, mas
não foi adiante. Tio Cosme ensinou-

A figura feminina representada por Capitu em Dom Casmurro foge aos padrões estabelecidos na época
para as mulheres. Explicite em poucas palavras quais características inovadoras são percebidas na leitura do
trecho acima.
GABARITO
Exercícios
1. c
Aqui nota-se que a resposta correta é a alternativa C, porque o narrador divaga, conversa, faz rodeios,
antes de contar qual é o real objetivo da história.

2. a
A crítica contida no fragmento é em relação à idealização exagerada dos românticos que enfeitavam
demais a realidade e apagavam os defeitos.

3. e
Brás Cubas é um defunto-autor, logo deveria se utilizar de flashbacks para contar sua história que já fora
vivida.

4. b
Machado escreveu sobre as pessoas e suas personalidades sem caráter maniqueísta, explorado o
comportamento humano e suas plurais nuances.

5. a
Uma das características das obras de Machado é a crítica às instituições sociais. Aqui, o romance é
criticado, quando Marcela ama na realidade o dinheiro e não Brás Cubas.

6. e
O texto parece ser algum tipo de biografia, narrando a história de vida de Machado de Assis. Logo a
alternativa E responde corretamente a questão.

7. a
Bentinho passa a narrativa inteira moldando seu discurso e contando os fatos a partir de perspectiva
única, para acusar Capitu de traição, justificando, às custas dela, seu fim solitário e amargurado.
8. d

sua história de vida, sem preocupações com tratos sociais.

9. a

Lit.
Os três textos tratam do mesmo tema, apresentando defesas de que há elementos representativos de
almas externas, comprovando sua existência.

Questão Contexto
Capitu é colocada em um patamar elevado, ela era mais mulher que Bentinho era homem. Suas
curiosidades não cabiam em apenas um capítulo, ela era corajosa, inteligente, esperta, ousada. Queria
aprender tudo, até o que lhe era negado.
Red.
Professor: Rafael Cunha
Eduardo Valladares

Monitor: Maria Paula Queiroga

Red.
08/10
Análise da banca do ENEM
mai

RESUMO
Agora que já conhecemos a estrutura e alguns detalhes importantes sobre a produção textual, cabe analisar,
de maneira bem aprofundada, a banca do maior exame que vamos enfrentar, neste ano: o ENEM. Um
conhecimento completo de cada um dos critérios e suas especificidades é essencial para uma produção
coerente com o que o corretor precisa ver no seu texto e, por isso, é importantíssimo entender cada uma
das competências analisadas pela banca. Vamos lá?

Os critérios de correção do ENEM


Critério 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa.

No primeiro critério, verifica-se, basicamente, correção gramatical e escolha de registro no texto. Isso
significa que, na produção, é importante que haja uma revisão atenta do texto, de forma que você, aluno,
evite problemas de acentuação, pontuação, construção dos períodos, ortografia e, é claro, as famosas letras
e palavras "comidas". Na mesma análise, é crucial que a redação mantenha um mesmo registro, um mesmo
nível de linguagem - que, no caso do ENEM, será necessariamente o culto -, evitando misturas e desvios.

Observação: Como já falamos na aula de planejamento textual, é essencial que separe um tempinho para
uma revisão atenta dos erros que você mais cometeu durante o ano. Como a nossa leitura fica, de certa
maneira, viciada depois de algumas repetições, o ideal é voltar ao texto, para a revisão, depois de algumas
questões objetivas. Isso, certamente, facilitará o foco e, consequentemente, a identificação de erros.

Critério 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para
desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

Aqui, os objetivos são três: em primeiro lugar, é importante que o leitor, na sua redação, deixe claro o
entendimento do tema e seus comandos. Isso leva em consideração, é claro, a interpretação dos textos
motivadores. Além disso, espera-se que o texto esteja dentro dos limites da dissertação argumentativa - com
introdução, desenvolvimento e conclusão, além de, é claro, a defesa de uma tese clara. Por fim, a utilização
de outras áreas do conhecimento - como aquelas que você aprende no Ensino Médio - é bem interessante,
aqui, e dá os pontos necessários para chegar ao 1000.

Red.
Critério 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em
defesa de um ponto de vista.

A ideia aqui é, basicamente, trabalhar a argumentação do texto. Isso envolve, é claro, a coerência, o sentido
que as informações passam - tanto com relação à própria construção do texto quanto o mundo em que ele
está inserido. É essencial, então, trabalhar bastante a comprovação das ideias, da tese, com exemplos, dados
estatísticos, argumentos de autoridade, explicações, saindo sempre do senso-comum - ou seja, trazendo
referências e argumentos além dos apresentados nos textos motivadores (configurando a famosa autoria).

Critério 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da


argumentação.

O foco, nesta competência, está em duas ideias: evitar repetições e trabalhar ligações no texto. Isso significa
que este é o momento de investir em sinônimos, hipônimos, hiperônimos, pronomes demonstrativos,
advérbios e outras ferramentas, a fim de evitar repetir palavras na redação e trabalhar referências, além de
variar o uso de conectivos e de ganchos no texto, trabalhando a conexão entre as orações, períodos e
parágrafos. É importante lembrar que a construção dos períodos também é muito avaliada aqui. Isso significa
que frases muito longas não são bem-vindas no seu texto!
Critério 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

A última competência ataca, basicamente, a produção de propostas de intervenção. Isso significa que, na
redação do ENEM, criar medidas para resolver um problema é uma exigência. Portanto, não deixe de
apresentá-las, ok? Essas soluções precisam ter três características importantes: em primeiro lugar, é
importante que estejam ligadas ao tema, ou seja, que falem sobre a temática apresentada pela prova, levando
em consideração todas as suas especificidades. Além disso, precisam estar ligadas à discussão apresentada
na redação - suas causas, consequências, argumentos apresentados. Por fim, é essencial que sejam
detalhadas, ou seja, que falem não só do que pode ser feito, mas de como as medidas podem ser tomadas
e, é claro, quem pode colocar isso em prática.

Como as partes do texto são avaliadas na prova?


Na introdução, a contextualização dá ao aluno a chance de utilizar outras áreas do conhecimento na
construção do parágrafo. Isso significa que a competência três, de coerência argumentativa, é diretamente
impactada aqui. Além disso, a apresentação de uma tese clara e consistente - bem defendida, é claro - é
essencial para que haja boas notas nos critérios de tema/tipo de texto e coerência, também.

O desenvolvimento, por trabalhar a parte argumentativa, tem influência direta na competência três. Porém,
por indicar a produção de uma dissertação, também tem impacto no critério dois e por sua construção
formal, na quarta competência (referente a coesão textual). O uso de argumentos de autoridade e referências
externas ao texto, resultantes do seu conhecimento de mundo, podem ajudar, também, na construção da
autoria exigida no critério três.

A conclusão, por retomar a tese, trabalha diretamente a coesão textual, avaliada na competência quatro, e a
coerência interna - uma vez que mantém o mesmo raciocínio durante todo o texto -, presente no critério
três. Além disso, por tratar de propostas, tem consequência direta na competência cinco, que trata apenas
dessas intervenções.

Resumindo as competências cobradas pelo ENEM:

Red.
EXERCÍCIOS DE AULA
Texto para as questões de 1 a 6.
Tema: Desastres ambientais: qual o preço do desenvolvimento?

José de Alencar e outros autores do romance indianista nos fizeram conhecer e entender a relação
do índio com a natureza: subsistência, exploração saudável e freada, cooperação. Esse modo de se utilizar
da fauna e da flora, no entanto, não é mais o que prevalece no mundo, já que o homem, desde muito antes
de essas histórias serem contadas, tem para si duas únicas palavras-chave: desenvolvimento e lucro. A fim de
satisfazer essas necessidades inventadas, viemos explorando, desenfreada e irresponsavelmente, o meio
ambiente, sem pensar que um dia a humanidade pode ser engolida por essas ações, como recentes
acontecimentos vêm sugerindo.
Primeiramente, é preciso compreender de que maneira ocorre a exploração de bens naturais.
Constantemente retiramos do meio ambiente muito mais do que necessitamos, do que o imprescindível para
a vida, isso porque nosso modo de viver está intimamente associado ao que é supérfluo. Exemplo disso são
as queimadas e desmatamento da Floresta Amazônica que cresceram cerca de 20% desde 2008 devido à
exploração ilegal de madeira e cortes de árvores para formação de pasto somados à falta de investimento
para fiscalizar e combater essa extração e sem a preocupação do reflorestamento das áreas devastadas. Essas
são, então, explorações totalmente irresponsáveis.
Nada disso, porém, seria tão prejudicial se tivéssemos consciência e o mínimo de preocupação com
a prevenção de desastres. Falta-nos entender que a natureza não é totalmente autor renovável e que, mesmo
se fosse, ela não teria uma força de regeneração diretamente proporcional à nossa capacidade de
degradação. Precisamos extrair menos, de forma consciente, para ajudar esse processo natural e agir
ativamente para reparar os danos que fazemos. Além disso, é necessário que tenhamos discernimento e que
sejamos consequentes ao nos utilizarmos do meio ambiente, para que verdadeiras tragédias, como o recente
rompimento de uma barragem da mineradora Samarco, em Mariana, Minas Gerais, não voltem a acontecer.
Isso é possível com um planejamento de prevenção.
Fica evidente, portanto, que o jeito com que conduzimos as coisas até agora precisa ser mudado. Já
que o caminho mais certo o de mudar nosso modo de vida e, por consequência, de consumo é, também,
o mais árduo e demorado, deveríamos, pelo menos, nos preocupar com a extração consciente e com preparo
contra desastres. Para isso, instituições internacionais, como a ONU, deveriam, juntamente a organizações
como a União Europeia e os BRICS, pensar em políticas públicas de regulamentação sobre a utilização dos
recursos naturais, além de desenvolver medidas punitivas aplicáveis a empresas ou Estados responsáveis por
acidentes. A responsabilidade é a palavra-chave que, de fato, devemos seguir.

1. O autor procura um mecanismo para chamar a atenção do corretor à leitura, essencial para apresentar
o tema e as ideias seguintes. Qual seria? Exemplificar.

Red.
2. É evidente que esta contextualização, mencionada no exercício 1, promove ao texto um
encaminhamento para a tese. Apresentar esse recorte temático importantíssimo para o
desenvolvimento restante da redação.

3. O autor, no segundo parágrafo, utiliza uma forma de reforçar sua argumentação seguinte (encontrada
no terceiro parágrafo), qual seria ela?

4. Por que o autor utilizou os termos sublinhados em azul no terceiro parágrafo? Qual competência no
ENEM ele contemplou?

5. Quanto à argumentação de um modo geral, como podemos observar que o autor atingiu às
expectativas da banca?

6. Finalizando o texto e, assim, a conclusão, sabemos que é esperada uma proposta de intervenção clara
e que não infrinja os direitos humanos. O autor contemplou esta competência? De que forma?
EXERCÍCIOS DE CASA
Texto para as questões 1, 2 e 3.
a) Tema: A importância da humanização no atendimento ao paciente no Brasil

Com o avanço tecnológico ao longo dos anos, as relações interpessoais têm se tornado cada vez
mais líquidas. Segundo Zygmunt Bauman, sociólogo polonês, vivemos em uma época de artificialidade nas
relações humanas e dessa forma, a lógica do imediatismo atinge até mesmo a questão da saúde. Com essa
falta de empatia pelo outro, a desumanização no atendimento médico de pacientes tanto de redes públicas
quanto particulares tem se tornado frequente.
Em primeiro lugar, cabe ressaltar a perda dos médicos ditos da

social, mas também pelo cuidado e atenção que o profissional tinha com as pessoas que precisavam de
assistência e as respectivas famílias, tanto por analisar o contexto do enfermo quanto pela cura de sua
doença, por exemplo, o marido de Madame Bovary na obra de Flaubert.
A medicina, porém, tomou um caminho técnico e frio. À medida que os recursos avançam no
tratamento de doenças, os pacientes são cada vez mais tratados apenas como registros de identificação. A
atenção individual que os profissionais dedicavam foi perdida ao acompanhar o ritmo da sociedade que
busca rapidez e soluções impacientes. Logo, o médico deve saber aproveitar as altas tecnologias, mas
também não se esquecer dos valores humanísticos e filosóficos da profissão.
Fica claro, portanto, que se deve investir em recuperar valores passados nos quais o paciente era
tratado de forma mais humana, cuidar dele como uma vida única e respeitá-lo como um todo para poder
tratar sua doença, também analisando o contexto de vida, cultural, psicológico e religioso em que aquela
pessoa está inserida. O governo, dessa forma, aliado à iniciativa privada, pode trabalhar novas formas de
abordagem e atendimento tanto no setor público quanto no privado, refletindo, diretamente, o que a mídia
mostra como essencial - e resolvendo os problemas denunciados. Só assim, pode-se trazer de volta a visão
de que médicos lidam com vidas e mostrar a Bauman que podemos recuperar valores perdidos no passado.

1. Quanto à Competência 1 da banca de redação do ENEM, como pode ser avaliado o texto?

2. Através da análise e da compreensão do texto, se torna mais fácil para o vestibulando entender o que
se pede na hora da prova. Quanto à utilização dos conhecimentos gerais para trazer mais comprovação
dos argumentos, qual foi a abordagem do autor? Dê exemplos.

3. Em um texto dissertativo-argumentativo, o objetivo principal é defender um ponto de vista, de modo

Red.
a organizar suas ideias, fato que compreende a competência 3. O autor atingiu a meta? Como pode
ser exemplificado?

b) Tema: A imparcialidade da imprensa brasileira em discussão no século XXI

Com a invenção da imprensa no século XV e o advento do rádio e da televisão no XX, a comunicação


e a divulgação de ideias foram amplamente facilitadas. Graças a isso, hoje podemos saber das notícias em
tempo real e estar sempre informados sobre o mundo. A mídia é, então, detentora de uma grande função na
sociedade moderna. No entanto, seu papel principal, que é o de informar, vem sendo realizado sem a
responsabilidade devida, negando, muitas vezes, seus próprios preceitos.
Em primeiro lugar, é importante destacar o problema da parcialidade midiática no Brasil. O quarto
poder, no nosso país, não está longe dessa realidade alarmante. Assim como no resto do mundo, a imprensa
vem exercendo um papel bastante contrário ao original, mostrando-se extremamente tendenciosa e
manipuladora. Exemplo disso foi a cobertura jornalística das manifestações contra o aumento das passagens
em 2013, em que muito pouco se via a real situação das ruas pelo Brasil, o que foi uma clara tentativa de
esconder a repressão vivida pelos manifestantes.
Nesse panorama, cabe avaliar de que maneira essa parcialidade se dá na sociedade brasileira e sua
respectiva consequência. É comum que liguemos a televisão ou abramos um jornal e vejamos somente um
lado da moeda, principalmente quando a notícia ou reportagem é de cunho político. Isso gera não só uma
população desinformada, mas acrítica e manipulada. Por isso, é importante refletir que, embora a
imparcialidade seja difícil de ser alcançada, deve ser amplamente buscada, especialmente por aqueles que
assumem a grande responsabilidade desse papel social.
É preciso, portanto, que encaremos que temos um grande problema nas mãos que, principalmente
em um período político instável, precisa ser resolvido. Para tanto, o governo e a população em geral devem
agir em conjunto, aquele promovendo o projeto regulamentação da mídia, que não só estabeleceria regras
de ação, como punições para possíveis descumprimentos, esta denunciando massivamente tudo aquilo que
considerar um desvio. A escola, com palestras e debates, além de aulas de análise do discurso, pode investir
em um olhar diferente por parte de seus alunos, de forma que, ainda que existam produções parciais, o
indivíduo saiba interpretar e se posicionar com relação ao que foi apresentado. Dessa forma, a teórica
imparcialidade ficará um pouco mais próxima da prática, e a informação será, com verdade, um serviço de
utilidade pública.

4. O texto compreende de uma estrutura textual de introdução-desenvolvimentos-conclusão. Descrever


a utilização do autor em mecanismos para garantir a progressão textual e de ideias (Apresentar
exemplos).
5. Para escrever um texto, não é suficiente apenas uma argumentação, por isso a competência 4
compreende os mecanismos linguísticos para a efetivação dos argumentos. O autor atingiu este
objetivo? Apresentar exemplos. Obs: lembre-
coesão e coerência
6. Finalizando as competências, é imprescindível que o autor garanta ao texto uma síntese com proposta
de intervenção clara e objetiva. Na redação acima, analisar se há ou não a compreensão total desta
competência.

As questões 7, 8 e 9 contemplam de fragmentos de uma mesma redação, cujo tema é a exposição exagerada
no ambiente virtual.

7. Analisar a introdução em relação a promover no leitor o interesse da leitura e os mecanismos


necessários para contextualizar o tema. Ademais, apresentar a tese.

Com o advento da World Wide Web a Internet , a vida das pessoas foi extremamente impactada e
sofreu inúmeras mudanças. A principal delas talvez seja o fato de que, hoje, tudo ou quase tudo o que
fazemos seja online. Nossos álbuns de fotos, blocos de anotações e até diários, neste século, são abertos a
visitação em nome da nossa busca desenfreada por visibilidade. Nessa conjuntura, cabe refletirmos sobre o

com as consequências de seus atos.

8. O desenvolvimento, geralmente, é contemplado por dois ou três parágrafos. Tais estruturações Red.
complementam a ideia principal gerada pela tese. A seguir, analise o desenvolvimento do texto em

Em primeiro lugar, é preciso entender a problemática da exposição online. Temos uma gama de sites
e aplicativos em que o único objetivo parece ser o de exibir nossas figuras e fazemos isso com maestria.
Postamos, diariamente, tudo aquilo que fazemos, comemos, pensamos. Isso gera um grande impacto
coletivo, já que o rumo que estamos tomando é o de ser cada vez mais uma sociedade de espetáculo, em
que cada indivíduo busca ser motivo de aplausos. Além disso, muitos problemas pessoais podem surgir, já
que nossa individualidade e privacidade estão cada vez mais em risco.
Além da auto-exposição, estamos à mercê de outro perigo na internet, que é a exposição por parte
de terceiros. É muito comum, por exemplo, vermos uma notícia de que alguém teve um vídeo íntimo
divulgado, caso que aconteceu com a atriz Carolina Dieckmann. Isso revela que o meio virtual é encarado
como um ambiente sem leis, em que se pode fazer o que quiser, sem punição. No entanto, é necessário que
se tenha consciência de que essa tentativa de ganhar seguidores, curtidas e fama na internet não é uma
atitude inocente, mas um crime passível de graves punições .
É importante, no entanto, destacar que o problema não é a ferramenta tecnológica em si, mas o mau
uso que fazemos dela. A internet e as redes sociais vieram para facilitar nossas vidas. Por meio delas, podemos
nos comunicar instantaneamente, debater, expor ideias e até mesmo realizar atividades básicas do dia a dia,
como pagamento de contas e compras diversas. Porém, a simples e útil ferramenta de comunicação vira uma
arma perigosa quando a utilizamos para mostrar de nós e dos outros muito mais do que deveríamos.

9. Como visto anteriormente, a conclusão para o vestibular do ENEM, deve possuir uma síntese dos
argumentos apresentados e uma solução clara e objetiva para a problemática. Aponte, com exemplos
do texto, quais foram os mecanismos utilizados pelo autor para contemplar ou não- esta
competência.

Fica evidente, portanto, que o problema está na falta de responsabilidade das pessoas ao usar as
redes. Assim, é preciso que haja uma reeducação para o uso dessa tecnologia, além do estabelecimento de
punições para o crime de exposição de terceiros. Para tanto, as escolas, em parceria com o governo,
poderiam divulgar cartilhas que incentivassem o bom uso da internet para crianças e adultos. Além disso,
uma boa medida para facilitar a punição dos criminosos virtuais poderia ser a obrigatoriedade de registro
com CPF em redes sociais e sites afins.

GABARITO

Exercícios de aula
1. O autor utiliza de um conhecimento geral, sendo este o resumo de um livro, para conectar o corretor
José de Alencar e outros autores do
romance indianista nos fizeram conhecer e entender a relação do índio com a natureza: subsistência,
exploração saudável e freada, cooperação.

2. Após a contextualização do livro com a utilização da fauna e flora, o autor introduz a sua tese, levando
em consideração de que o ser humano não possui essa mesma visão indianista sobre a natureza, mas sim
uma visão lucrativa.

3. O autor aborda seu argumento no segundo parágrafo e, posteriormente utiliza de dados estatísticos para
comprovar o que ele está trabalhando, reforçando sua ideia.

Red.
4. O autor utilizou os termos sublinhados em azul no terceiro parágrafo para ser o que chamamos de

entre os dois parágrafos fazem uma conexão sobre o texto.

5. É imprescindível que, ao trabalhar um texto, os exemplos trazidos, tanto da coletânea quanto de autoria,
devem haver uma relação entre si. Dessa forma, a utilização dos dados estatísticos com o acontecimento
da atualidade sobre Mariana, culminam para um entendimento de que o ser humano está utilizando de
modo exacerbado a sua força sobre a natureza em prol do lucro.

6. Para um bom desenvolvimento textual, é necessário que a síntese possua uma conclusão final do
problema em prol de uma proposta de solução, assim, vemos que o autor propõe uma regulamentação
das questões em prol da natureza muito bem exemplificados e caracterizados com suas determinadas
organizações.

Exercícios de casa

1. Quanto à competência 1, o autor não possui desvios gramaticais e erros de concordância.


2. O vestibulando trabalha com conhecimentos gerais como a teoria de Bauman e Madame Bovary para
aprofundar as relações mais líquidas e efêmeras, caracterizando a falta de humanização nos atendimentos
do Brasil.

3. O autor contempla a competência 3 por trazer a comprovação de ideias a partir de exemplos trazidos
pelo próprio vestibulando. Além disso, é importante ressaltar o entendimento do tema e a seleção dos
argumentos de modo linear, relacionando os parágrafos de desenvolvimento.

4. A progressão textual pode ser vista através de uma linearidade histórica nos parágrafos, iniciando com o
advento da imprensa na introdução e com os exemplos da atualidade como as manifestações contra o
aumento das passagens em 2013, valorizando o poder da imprensa.

5.

ideias com o parágrafo conclusivo.

6. A redação consegue descrever com ampla excelência a conclusão ao trabalhar todos os agentes da
problemática no texto, como mídia e escola e, além disso, desenvolver minuciosamente as atividades a
serem feitas.

7. A introdução contextualiza o tema ao descrever o mundo da internet e como pode haver as


problemáticas de uma exposição exacerbada.

8.
m o que está sendo
dito. Além disso, o desenvolvimento contempla de autoria argumentativa na comprovação de ideias ao
trazer casos da atualidade como da atriz Carolina Dickmann.

9. A conclusão e a proposta de intervenção abrangem uma autoria na solução a partir do momento em que
é trabalhado, detalhadamente, onde ocorrerão os agentes transformadores e, a partir disso uma inovação
trazida ao delimitar uma possibilidade de requisição de CPF para todos os cadastros de site.

Red.
Red.
Professor: Eduardo Valladares
Rafael Cunha
Monitor: Bruna Saad

Red.
Eixo temático: comunicação - 22/24
conceitos mai

RESUMO
Começamos, agora, um novo momento nas nossas aulas: a produção de conteúdo. Sabemos que, na
redação, a estrutura é uma parte muito importante na produção. Entretanto, saber construir a introdução, o
desenvolvimento e a conclusão não é o bastante: é crucial que o aluno, na tarefa de interpretar e redigir um
texto, tenha conteúdos adquiridos ao longo de sua formação e de seus estudos - o que, já na proposta
temática, é destacado pelo próprio ENEM. Por isso, trabalharemos, aqui, os chamados Eixos Temáticos,
começando pela aula de comunicação, assunto que dará a você, aluno, muitos dados para futuras redações.
Vamos juntos?

Antes de tudo, cabe destacar, na história do ENEM, o que já foi cobrado com relação a esse assunto. Vejamos:

- ENEM 2004: "Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação?";
- ENEM 2006: "O poder de transformação da leitura";
- ENEM 2011: "Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado";
- ENEM 2014: "Publicidade infantil em questão no Brasil".

Por meio dessas temáticas, já é possível imaginar o quanto esse eixo pode ajudar na sua produção textual,
não é mesmo? Vamos, agora, às perguntas que funcionarão como pautas para as nossas discussões.

EXERCÍCIOS
1.

Red.

Disponível em: http://revistaepoca.globo.com

Em entrevista à revista Época, em outubro de 2009, Paulo Coelho, o escritor que mais vende
livros no mundo, em uma reflexão sobre a chegada dos e-books ao Brasil, afirmou que "o caminho
digital é sem volta". É fácil considerar, então, que houve uma longa jornada nas maneiras de se trocar
informações até aqui, época em que nos comunicamos, basicamente, de forma virtual. Alguns
momentos dessa caminhada são conhecidos como revoluções.
Com base nos seus conhecimentos obtidos até este momento, procure apontar algumas das
principais revoluções comunicacionais e de que maneira funcionaram como base para o que vivemos
hoje - tempo em que quase toda mensagem é passada via internet.

2. Como consequência de sua grande circulação virtual na América, o jornal El País, maior veículo da
Espanha, anunciou em 2016, no seu aniversário de 40 anos, sua conversão a produto "essencialmente
digital", nas palavras de seu diretor, Antonio Caño. Ao ser perguntado sobre o futuro do jornalismo,
em entrevista à Folha de São Paulo, afirmou não saber, mas que "o El País estará nele". Você pode
encontrá-la aqui: O que importa não é o jornal, mas o jornalismo, diz diretor do 'El País'. Hoje, a
publicação faz sucesso no Brasil e em outros países americanos.
Não é de hoje a discussão sobre a digitalização dos jornais e dos livros. Na questão anterior,
falamos sobre o caminho até os dias de hoje, momento em que nos comunicamos, frequentemente,
de forma online. Entretanto, há perdas nisso e é importante destacá-las, sempre.
Usando seus conhecimentos, aponte os prós e contras dessa digitalização da comunicação e
que medidas poderiam ser levantadas para acabar com essas desvantagens - a fim de, nesse caminho
sem volta, nas palavras de Paulo Coelho, aproveitarmos o máximo as novas formas de comunicação.

3. Na década de 60, o canadense Marshall MacLuhan ganhou destaque a partir das projeções que fazia
relacionadas aos principais meios de comunicação. Sobre a TV, cunhou a seguinte frase: Com a
televisão, o mundo está se transformando em uma aldeia global". Comente em que medida essa ideia
se tornou pertinente no século XXI.

4. Laura Pires, uma das colunistas da revista Capitolina, escreveu, certa vez, sobre como "O Tinder está
acabando com as suas habilidades interpessoais". Nesse artigo, a autora discute o quanto as novas
formas de comunicação, em sua maioria virtuais, diminuíram a capacidade de se relacionar das pessoas
e, consequentemente, alimentaram ainda mais o enfraquecimento dessas relações, hoje. Você pode
encontrar o artigo inteiro aqui: O Tinder está acabando com as suas habilidades interpessoais. No
mesmo contexto, em seu "Amor líquido", o sociólogo polonês Zygmunt Bauman defende que, no
século XXI, as relações interpessoais estão mais frágeis, dando a elas, inclusive, o nome de "conexões"
- denunciando, então, a facilidade de se fazer e desfazer qualquer contato.
Levando em consideração as duas ideias, reflita sobre o quanto os dias de hoje, de virtualização
do eu, fortaleceram o comportamento isolacionista dos indivíduos.

5. Pierre Lévy, filósofo francês, pensador da área de tecnologia e sociedade, afirmou que "toda nova
tecnologia cria seus excluídos". Comente sobre a exclusão digital.

6. O escritor Carlos Heitor Cony afirmou, certa vez, que a Internet é um veículo de poluição espiritual.
Comente, relacionando-a às principais "novidades" existentes na rede.

7. Existe privacidade no mundo virtual? Segundo a Constituição Federal, artigo 5º, X, são invioláveis a
intimidade, a vida privada, a honra e a imagem, assegurado o direito à indenização pelo dano material
ou moral decorrente de sua violação. Em tempos de Facebook, Instagram, Whatsapp está cada vez
mais difícil enxergar a já tão tênue linha que define o que é privacidade, haja vista a criação da lei
Carolina Dieckman. Comente sobre as consequências positivas e/ou negativas da dissolução desse

Red.
conceito.

8. Em artigo para o Jornal O Globo, em 2016, a jornalista Cora Rónai denuncia a estratégia do Facebook:
diante do crescimento acelerado de postagens de notícias, artigos, vídeos e textos de opinião, para
retornar às suas origens - um espaço de compartilhamento da vida, do dia a dia, de conteúdos
individuais e originais -, a rede decidiu lançar lembretes de publicações de outros anos, reações nas
postagens e comentários, além do estímulo às transmissões ao vivo.
Sinal dos tempos, a exposição exagerada no ambiente virtual é consequência da entrada das
redes sociais na vida privada do indivíduo, o que, de certa forma, gera certos riscos. Indique alguns
desses problemas.

O uso de redes sociais, sem dúvidas, é um dos pontos mais relevantes quando tratamos da comunicação na
as redes
sociais como meio de ativismo. Leia uma redação exemplar sobre esse assunto.

receio do destaque entre tantas opiniões divergentes e a necessidade de integrar-se ao âmbito coletivo fez
com que os indivíduos, por vezes, fizessem uso das redes sociais como porta-voz de suas necessidades de
expressão e de mobilização a causas sócio-políticas. No entanto, nem sempre essa conduta presente no
mundo virtual faz-se verossímil à sua aplicação na realidade.

É incontestável o impacto que essas redes propiciam aos cidadãos, pois, além do amplo acesso à
informação, colabora para que os navegantes se sintam mobilizados pela força conjunta e tornem-se mais
estimulados a práticas ativistas. As manifestações de Junho de 2013 comprovam que a organização por

reuniu brasileiros de vários estados a reivindicarem seus direitos por saúde, educação e assistência pública.
Em um inesperado sincretismo, a rua e a internet fomentaram uma marcha colaborativa pela democracia.

No entanto, a Geração Curtir e Compartilhar, da mesma forma, pode dissimular um engajamento que só
transparece no campo cibernético. Devido a acessibilidade e a difusão de informações favorecidas pelo uso
da internet, os internautas podem traçar um tipo de perfil nas redes sociais que os mascarem por meio de
discursos autossuficientes, quando, muitas vezes, sua contribuição à mobilização nas redes simula uma
sensação de cumprimento de deveres como cidadãos. Assim como a 1ª Geração Romântica, a criação de
uma identidade idealizadamente heroica com a pátria converte-se em uma ação paliativa às medidas de
ativismo.

Nesse sentido, portanto, usufruir dos prós desse estímulo à inclusão social, motivada pelas redes sociais, é
fundamental para que o povo brasileiro exerça a participação política. Ainda que os receios à mudança
sejam provenientes da vida, a análise de Freud sobre o novo incitaria com que os indivíduos agregassem o
poder das redes sociais à realização de sua cidadania, com a mobilização de atos públicos, a cobrança ao
governo por projetos de integração e a petição à fiscalização dos gastos políticos. Assim, a antiga
personificação de uma identidade heroica nas redes faria jus ao sincretismo entre o mundo da internet e o
das atuações.

QUESTÃO CONTEXTO

Red.
http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/o-ativismo-de-facebook-funciona-a2gv7jl59b5zl930qlb1uzepp

parágrafo argumentativo em que você se posicione sobre essa proposta.


GABARITO

Exercícios

1. A primeira grande revolução comunicacional se deu com a invenção da escrita. Depois, considerando a
ordem cronológica, surgiram a imprensa, a fotografia, o rádio, a televisão essa considerada meio de
comunicação de massa e o computador. Esse último, por exemplo, inaugurou um novo tempo: o dos
meios comunicativos tecnológicos.
Todas essas revoluções foram extremamente importantes para a evolução da vida sem sociedade. Sem
dúvidas, a mais recente é a mais eficiente em integrar pessoas do mundo todo e possibilitar a alta
velocidade nas trocas de informações.

2. Como pontos positivos, podemos destacar:


• Melhor para o meio ambiente: menos papeis; diminuição da quantidade de lixo.
• Praticidade: aqueles que costumam ler as notícias enquanto se deslocam não precisam carregar
jornais, revistas, etc.
• É mais barato.
• Ficou mais acessível para a população: muitas pessoas que não compravam jornal agora leem

Já como pontos negativos, podemos levantar:


• Os leitores não dão conta de toda quantidade de informação disponível, fazendo, muitas vezes,
uma leitura superficial.
• Propagação de fake news.
• Seletividade: muitos leitores não se propõem a se informar sobre o que não dialoga com a própria
opinião.

3. A televisão possibilitou a troca de informações e, principalmente, a troca cultural. Os novos meios de


comunicação reduzem a distância, tornando, dessa forma, o mundo como uma aldeia: todos
interligados.

4. Nesse contexto, é importante pensar em como é fácil


refletir sobre como as pessoas selecionam aquilo que os outros devem ver sobre elas nas redes sociais,
muitas vezes não coincidindo com a realidade. Além disso, as redes sociais promovem o individualismo,

Red.
sendo considerada, até mesmo, paradoxal: ao mesmo tempo que ela aproxima as pessoas, também
afasta.

5. Em um país como o Brasil, que apresenta desigualdades socioeconômicas alarmantes, smartphones,


tablets, notebooks, kindles são artigos de luxo para muita gente. Dessa forma, a tecnologia, que abre
muitas portas para uns, provoca exclusão a outros. Por isso, é necessário considerarmos um crescente
abismo entre os que têm acesso e os que não têm às inovações tecnológicas.

6. Em primeiro lugar, é importante pensar que o próprio uso desenfreado da internet pode ser considerado
prejudicial. Isso porque muitas pessoas deixam de praticar outras atividades necessárias para o corpo e a
alma. A internet possibilita, a partir de aplicativos, que o usuário consiga fazer muitas coisas sem nem se
deslocar. Além disso, é importante pensar no individualismo evidente nas redes sociais, na falsa ilusão de
felicidade e na imposição de padrões.

7. Primeiramente, devemos refletir que, ao mesmo tempo em que manipulamos a internet, nós somos
manipulados por ela. O indivíduo se expõe voluntariamente em suas redes sociais. No entanto, essas
informações pessoais disponíveis não deveriam, por exemplo, influenciar em uma possível contratação
de emprego, mas muitas vezes são levadas em conta.
Outro aspecto interessante é o fato de muitos indivíduos tratarem as redes sociais e a internet de maneira
ingênua. O recente caso do facebook, em que houve vazamento de dados úteis para manipular uma
eleição nos EUA, deixaram os internautas abismados, provando que a privacidade no mundo virtual é
ilusória. Nós permitimos a todo tempo que os aplicativos tenham acesso a inúmeras informações
pessoais, sem pensar em como elas podem ser utilizadas.

8. O uso demasiado de redes sociais traz bastantes problemas aos indivíduos:


• Muitos ficam viciados e deixam de realizar tarefas do dia-a-dia.
• A manipulação da própria imagem: nós escolhemos o que o outro pode ver da nossa vida, muitas
vezes não correspondendo à realidade.
• Individualismo e solidão.
• Preocupamo-nos mais com a nossa imagem nas redes do que com a nossa imagem verdadeira.
• Manipulação de informações.

Red.
Mat.
Professor: Gabriel Miranda
Luanna Ramos

Monitor: Fernanda Aranzate

Mat.1
10
Equação e inequação exponencial
mai

RESUMO
Equação exponencial

Uma equação exponencial é aquela que apresenta a incógnita no expoente.


Um método usado para resolução de equações exponenciais consiste em reduzir ambos os membros da
equação a potência de mesma base a (0<a≠ 1).

Temos então pela propriedade que:

x1=x2

Quando isso é possível a equação fica mais fácil de ser resolvida.


Ex:

Portanto x=4.

Inequação exponencial

Uma inequação exponencial é aquela que apresenta incógnita no expoente de pelo menos uma de suas
potências.
Um método usado para resolver inequações consiste em reduzir ambos os membros da inequação a potência
de mesma base a (0<a≠ 1)e daí aplicar a propriedade :

Mat.1
Primeiro caso : a >1 ( crescente )

O sentido da desigualdade se mantém .


Ex:

x<4
Segundo caso : 0<a<1
Como a base entá entre 0 e 1 temos que inverter o sentido da desigualdade

5>x
EXERCÍCIOS
1. Quanto vale a soma de todas as soluções reais da equação abaixo?

(5𝑥 )2 − 26 . 5𝑥 + 25 = 0
a) 0
b) 1
c) 2
d) 3
e) 4

2. Após um estudo em uma colmeia de abelhas, verificou-se que no instante t = 0 o número de abelhas
era 1.000 e que o crescimento populacional da colmeia é dado pela função f, onde f é definida por
2t
f ( t ) = 1000 .2 em que t é o tempo decorrido em dias. Supondo que não haja mortes na colmeia,
3

em quantos dias no mínimo essa colmeia atingirá uma população de 64.000 abelhas?
a) 9
b) 10
c) 12
d) 13
e) 14

3. ( ) x 2
= 16.2 x , o valor de xx é:
2
Se 4
a) 27
b) 4
c) 1 /4
d) 1
e) -1/ 27

4. A inequação 10x + 10x+1 + 10x+2 + 10x+3 + 10x+4 < 11 111 em que x é um número real,
a) não tem solução.
b) tem apenas uma solução.
c) tem apenas soluções positivas.
d) tem apenas soluções negativas.
e) tem soluções positivas e negativas.

Mat.1
5. Os técnicos de um laboratório observaram que uma população de certo tipo de bactérias cresce
segundo a função B(t) = 109 . 43t
Qual o tempo necessário para que ocorra uma reprodução de 6,4 . 1010  bactérias?
a) 1h
b) 3h
c) 4h
d) 6h
e) 16 h

6. Se m/n é a fração irredutível que é solução da equação exponencial 9x 9x-1 = 1944, então, m - n é igual
a:
a) 2.
b) 3.
c) 4.
d) 5.
e) 6.
x +3
7. O Conjunto solução da inequação  3 ( 2x −2 )   4 x é:
 
a) 𝑆 = {𝑥 ∈ 𝑅|−1 < 𝑥 < 6}
b) 𝑆 = {𝑥 ∈ 𝑅|𝑥 < −6 > 1}
c) 𝑆 = {𝑥 ∈ 𝑅|𝑥 < −1 > 6}
d) 𝑆 = {𝑥 ∈ 𝑅|−6 < 𝑥 < 1}
e) 𝑆 = {𝑥 ∈ 𝑅|−√6 < 𝑥 < √6}

8. Seja a, 0 < a < 1, um número real dado. Resolva a inequação exponencial a2x+1 > (1/a)x-3 .

9. A solução real da equação 3x 3x-1 + 3x-3 3x-4 = 56, é:


a) 0
b) 1
c) 3
d) 4

10− x 0, 00115
10. Sendo = o valor de x² é igual a:
0, 2 2,3
a) 25
b) 4
c) 9
d) 1
e) 16

Puzzle
Nas férias passadas, meu primo veio ficar comigo na minha casa. Nós nos divertimos bastante e até ganhamos
alguns chocolates.

Todos os dias nós jogamos uma partida de xadrez. Aquele que perdesse teria que dar um chocolate ao outro.
Depois que terminamos a última partida (no dia em que ele iria embora), nós contamos o número de jogos
que cada um havia perdido ou ganho. Wow! Eu ganhei mais que ele! Então ele me deu 8 chocolates... embora
ele fosse o vencedor em 13 jogos.

Quantos dias o meu primo ficou na minha casa?

Mat.1
GABARITO
Exercícios
1. c
Completando o quadrado, vem

Portanto, a resposta é 0 2 2

2. a
Queremos calcular o menor valor de t para o qual se tem f(t) 64000. Assim, vem que

3. b
Como

segue-se que xx = 22 = 4

4. d
Resolvendo a inequação, obtemos:

Mat.1

Portanto, a inequação dada tem apenas soluções negativas.

5. a
Considerando B(t) = 6,4 . 1010 , temos a seguinte equação:

6. d
Resolvendo a equação, encontramos:
Por conseguinte, temos m - n = 7 2=5

7. c

8. V = ] -
f(x) é estritamente decrescente pois 0<a<1, ou seja, x 1<x2  f(x1) > f(x2). Logo:
1 2
𝑎2𝑥+1 > ( ) 𝑥−3 ⇔ 𝑎2𝑥+1 > (𝑎−1 )𝑥+3 ⇔ 2𝑥 + 1 < −𝑥 + 3 ⇔ 𝑥 <
𝑎 3
V=]-

9. d
Pode-se reescrever a equação acima utilizando as propriedades da potenciação:

Fazendo x³ = y, pode-se escrever:

Mat.1
Como 3x = y tem-se:

10. e

Logo, x² = 4² = 16.
Puzzle

Meu primo ganhou 13 jogos. Se eu ganhei 8 chocolates, eu devo ter ganho 8 jogos a mais do que o meu
primo ganhou. Então, eu ganhei um total de 21 jogos.
Portanto, o número total de jogos que jogamos foi 34. E desde que nós jogamos um jogo a cada dia, este é
o número de dias que o meu primo ficou na minha casa!

Mat.1
Mat.
Professor: Gabriel Miranda
Luanna Ramos

Monitor: Fernanda Aranzate

Mat.1
Logaritmos: Definição, condição de
10
existência e consequências da
mai
definição

RESUMO
Definição:

Definimos como logaritmo de um número positivo a na base b o valor do expoente da potência de base b
que tem como resultado o número a. Ou seja:

logb a = X ↔ bx = a

Chamamos a de logaritmando, sendo a > 0,

Ex: log2 8 = 3, pois 23 = 8.

Condição de existência:

Para que log 𝑏 𝑎 esteja definido duas condições devem ser atendidas:
𝐵𝑎𝑠𝑒: 𝑏 > 0 𝑒 𝑏 ≠ 1
{
𝐿𝑜𝑔𝑎𝑟𝑖𝑡𝑚𝑎𝑛𝑑𝑜: 𝑎 > 0
Essas condições são fundamentais na resolução de equações e inequações logarítmicas, bem como para
determinar o domínio das funções logarítmicas.

Consequências da definição:
a) logb 1 = 0.
logb 1 = x bx = 1 x=0

b) logb b = 1.
logb b = x bx = b1 x=1

c) blogba = a

Mat.1
Fazendo bLogba = bx, temos que logb a = x e, da definição desse logaritmo, temos que bx = a. Portanto:
bLogba = x = a

Sistemas de logaritmos:

1) Sistema decimal (base 10):


Nos exercícios, é mais usual usarmos logaritmos na base 10. Dessa maneira, podemos omiti-la.
Ex: log 100 = log10 100 = 2, pois 10² = 100.

2) Sistema neperiano (base e):


O número e, chamado de número de euler, pertence ao conjunto dos números irracionais e vale,
aproximadamente, 2,7.
e ≅ 2,71828...
O logaritmo neperiano, também chamado de logaritmo natural, é o logaritmo de base e e é
apresentado pela letra n:
ln x ↔ loge x
EXERCÍCIOS
1. Supondo que exista, o logaritmo de a na base b é
a) o número ao qual se eleva a para se obter b.
b) o número ao qual se eleva b para se obter a.
c) a potência de base b e expoente a.
d) a potência de base a e expoente b.
e) a potência de base 10 e expoente a.

−3
0, 001  1 
2. O valor CORRETO da expressão E = log 2 8 + +   é:
10000  2 
a) 10000.
b) 11,0000001.
c) 11  10 7 .
d) 11.
e) 1

3. O número log2 7 está entre


a) 0 e 1.
b) 1 e 2.
c) 2 e 3.
d) 3 e 4.
e) 4 e 5.

4. A Escala de Magnitude de Momento (abreviada como MMS e denotada como M w), introduzida em 1979
por Thomas Haks e Hiroo Kanamori, substituiu a Escala de Richter para medir a magnitude dos
terremotos em termos de energia liberada. Menos conhecida pelo público, a MMS é, no entanto, a
escala usada para estimar as magnitudes de todos os grandes terremotos da atualidade. Assim como a
escala Richter, a MMS é uma escala logarítmica. Mw e M se relacionam pela fórmula:
2
M w = −10, 7 + log10 ( M 0 )
3
Onde M0 é o momento sísmico (usualmente estimado a partir dos registros de movimento da superfície,
através dos sismogramas), cuja unidade é o dina·cm. O terremoto de Kobe, acontecido no dia 17 de
janeiro de 1995, foi um dos terremotos que causaram maior impacto no Japão e na comunidade
científica internacional. Teve magnitude M w = 7,3

Mat.1
Mostrando que é possível determinar a medida por meio de conhecimentos matemáticos, qual foi o
momento sísmico Mw do terremoto de Kobe (em dina.cm)?
a) 10-5,10.
b) 10-0,73.
c) 1012,00.
d) 1021,65.
e) 1027,00.

5. A acidez de frutas cítricas é determinada pela concentração de íons hidrogênio. Uma amostra de polpa
de laranja apresenta pH = 2,3. Considerando log2 = 0,3, a concentração de íons hidrogênio nessa

Obs: pH = - log[H+]
a) 0,001
b) 0,003
c) 0,005
d) 0,007
6. No dia 6 de junho de 2000, um terremoto atingiu a cidade de Ancara, na Turquia, com registro de 5,9
graus na escala Richter e outro terremoto atingiu o oeste do Japão, com registro de 5,8 graus na escala
Richter. Considere que m1 e m2 medem a energia liberada sob a forma de ondas que se propagam pela
crosta terrestre por terremotos com registros, na escala Richter, r1 e r2, respectivamente. Sabe-se que
estes valores estão relacionados pela fórmula r 1 r2 = log10(m1 / m2).

Considerando-se que r1 seja o registro do terremoto da Turquia e r2 o registro do terremoto do Japão,


pode-se afirmar que (m1 / m2) é igual a:

a) 10-1

b)
c) (0,1)10

d)

e)

7. O domínio da função y = log ( x2 + 2x + 3) é:


a) [ 1, 3]
b) ] , 1 [ ] 3, + [
c) ] 1,3[
d) ] 1,3]
e) [ 1,3[

8. Calcule o valor de S:
𝑆 = log 4 (log 3 9) + log 2 (log 81 3) + log 0,8 (log16 32)

9. Determine o valor de x na equação 𝑦 = 2log3 (𝑥+4) , para que y seja igual a 8.

10. Calcule o valor de:


a) 8log2 5
b) 71+ log7 4
c) 32− log3 6

Mat.1
d) 92− log3 √2

PUZZLE
A distância entre a Estação Atena e a Estação Barcena é 90 milhas. Um trem sai de Atena em direção a
Barcena. Um pássaro sai ao mesmo tempo de Barcena bem em direção ao trem em movimento. Ao
alcançar o trem, ele imediatamente dá meia volta e retorna a Barcena. O pássaro faz essas viagens de
Barcena até o trem e de volta a Barcena continuamente até que o trem chegue em Barcena. O pássaro
então finalmente volta a Barcena e descansa. Calcule a distância total em milhas que o pássaro viaja no
seguinte caso:

O pássaro voa a 90 milhas por hora e a velocidade do trem é 60 milhas por hora
GABARITO
Exercícios

1. b
Dados dois números reais
onde são positivos, e
Denotamos o logaritmo de na base por

onde
é a base do logaritmo;
é o logaritmando.
Esse logaritmo é o expoente ao qual devemos elevar a base para se obter como resultado:

Opção c. É o número ao qual se eleva b para se obter a.

2. b

3. c

4. e Mat.1
Basta substituir na fórmula as informações dadas no enunciado:
MW = 7,3.
Substituindo na equação das escalas, vamos obter, 7,3 = -10,7 + 2/3 log(M0). Operando:
7,3 + 10,7 = 2/3 log(M0)
18 = 2/3 log(M0)
9= 1/3 log(M0)
27 = log(M0)
Agora, podemos aplicar a definição de logarítmo:
1027 = M0

5. c
A concentração de íons hidrogênio dessa fruta pode ser denotada como [H +].

Portanto:
Como log10 2 = 0,3, tem-se 100,3 = 2. Logo

6. b
R1 = 5,9
R2 = 5,8
R1 R2 = log10 (m1/m2)
5,9 5,8 = log10 (m1/m2)
0,1 = log10 (m1/m2)
m1/m2 = 100,1

7. c
Sabemos que o logaritmando sempre é positivo.
Assim, x2 + 2x + 3 > 0
Achando as raízes desta equação, achamos x = 3 ou x = -1.

Mat.1

Como a expressão precisa ser positiva, temos que -1 < x < 3.

1 5
8. 𝑆 = log 4 2 + log 2 + log 4
4 54
1
𝑆= + (−2) + (−1)
2
1
𝑆= 3
2
5
S=−
2

9. 2log3 (𝑥+4) = 23 (equação exponencial)


log 3 (𝑥 + 4) = 3, 𝑐𝑜𝑚 𝑥 > −4 (𝑐𝑜𝑛𝑑𝑖çã𝑜 𝑑𝑒 𝑒𝑥𝑖𝑠𝑡ê𝑛𝑐𝑖𝑎)
x + 4 = 33
x = 27 4
x = 23
10. a) (23 )log2 5 = (2log2 5 )3 = 53 = 125
b) 71. 7log7 4 = 7 . 4 = 28
c) 32 : 3log3 6 = 9 : 6 = 1,5
d) (32 )2− log3 √2 = 34: (3log3 √2 )2 = 81 : (√2)2 = 81 : 2 = 40,5

Puzzle

O trem (à velocidade de 60 milhas por hora) viaja 60 milhas em 60 minutos.


Portanto, o trem viaja de Atena para Barcena (90 milhas) em 90 minutos.
Importante que o pássaro viaja continuamente pelo mesma quantidade de tempo (90 minutos).
Portanto, a distância total percorrida pelo pássaro
= 90 milhas por hora × 90 minutos = 90 × 90 / 60 milhas = 135 milhas.

Mat.1
I
R = log10 ( )
I0

β
β β

1
10
1
h( p) = 20.log10 ( )
p

a) 5.
b) 8.
c) 9.
d) 11.
e) 12.
log x ( x + 3) + log x ( x − 2) = 2
I 32000 I 0
R = log10 ( ) = log( ) = log 32000 = log 32.1000 = log 32 + log1000 = log 25 + log10³
I0 I0
log 25 + log10³ = 5log 2 + 3log10 = 5(0,3) + 3(1) = 1,5 + 3 = 4,5

𝑃(𝑥) = 6000 ( 1 + 20%)ˣ−1996

𝑃(𝑥) = 3 × 6000
( 1,2)ˣ−1996 = 3
log(1,2) 𝑥−1996 = 𝑙𝑜𝑔3

(𝑥 − 1996) × 𝑙𝑜𝑔(1.2) = 𝑙𝑜𝑔(3)


(𝑥 − 1996) = 𝑙𝑜𝑔 (3) / (𝑙𝑜𝑔(12) − 1 ) = 𝑙𝑜𝑔(3)/(𝑙𝑜𝑔(2² × 3) − 1) = 𝑙𝑜𝑔(3)/(2𝑙𝑜𝑔(2) + 𝑙𝑜𝑔(3) − 1)

80 = 120 + 10 log I1
8 = 12 + log I1
log I1 = −4
I1 = 10−4
60 = 120 + 10 log I 2
6 = 12 + log I 2
log I 2 = −6
I 2 = 10−6
10−4 106
= = 100
10−6 104

pH = − log 5, 4.10 −8
pH = −[log 54 /10 + log10 −8 ]
pH = −[log 54 − log10 − 8log10]
pH = −[log 9.6 − log10 − 8log10]
pH = −[log 9 + log 6 − log10 − 8log10]
pH = −[log 3² + log 2.3 − log10 − 8log10]
pH = −[2 log 3 + log 2 + log 3 − log10 − 8log10]
pH = −[2.0, 48 + 0,3 + 0, 48 −1 − 8]
pH = −[−7, 26] = 7, 26

log 72 = log8.9 = log8 + log 9 = log 2³ + log 3² = 3log 2 + 2log 3


Substituindo log2 = x e log3 = y, temos:
log 72 = 3x + 2 y

log15 2 log15 2 log15 2 log15 2 log15 2


log 2 = = = = =
log15 10 log15 5.2 log15 5 + log15 2 log15 15 / 3 + log15 2 log15 15 − log15 3 + log15 2
b
log 2 =
1− a + b

log 2 x 3
1 1
   
2 2
log 2 x  3

log 2 x  3
log 2 x  3log 2 2
log 2 x  log 2 2³
log 2 x  log 2 8
x8
1
h(0, 4) = 20.log10 ( ) = 20 log(0, 4) −1 = 20( − log 0, 4)
0, 4
h(0, 4) = 20(− log 4 /10) = 20[ −(log 4 − log10)] = 20[ −(log = 2² − log10)]
h(0, 4) = 20[−(2 log 2 − log10) = 20[ −(2.0,3 − 1)] = 20[ −(0, 6 − 1)]
h(0, 4) = 20[−(−0, 4)] = 20.0, 4 = 8 atm
Mat.
Professor: Gabriel Miranda e
Luanna Ramos
Monitor: Roberta Teixeira

Mat.1
24
Porcentagem
mai

RESUMO
1)Definição:
𝑥
𝑥% 𝑑𝑒 𝑦 = =𝑦
100
Porcentagem é uma fração de denominador 100.
3
Ex.: = 3%
100
37
= 37%
100

Mas e se a fração não tiver denominador 100? É só transformarmos essa fração em uma que tenha
denominador 100.
2 40
Ex.: = = 40%.
5 100
3 42,9
= = 42,9%
7 100

2)Fatores multiplicativos:

Para facilitar o cálculo de um valor resultante de um aumento ou desconto percentual, utilizam-se os fatores
multiplicativos.
Imagine uma quantidade C que será aumentada de x%. O resultado desse aumento pode ser calculado por:
x x
Valor Final = C + .C = C (1 + )
100 100
Agora imaginemos que C sofra uma redução de x%.
Assim, temos que:
x x
Valor final = C − .C = C (1 − )
100 100
Resumindo:

Mat.1
x
Fator de aumento = 1 +
100
x
Fator de desconto = 1 −
100

EXERCÍCIOS

1. Uma concessionária de automóveis revende atualmente três marcas de veículos, A, B e C, que são
responsáveis por 50%, 30% e 20%, respectivamente, de sua arrecadação. Atualmente, o faturamento
médio mensal dessa empresa é de R$ 150 000,00. A direção dessa empresa estima que, após uma
campanha publicitária a ser realizada, ocorrerá uma elevação de 20%, 30% e 10% na arrecadação com
as marcas A, B e C, respectivamente.
Se os resultados estimados na arrecadação forem alcançados, o faturamento médio mensal da empresa
passará a ser de
a) R$ 180 000,00.
b) R$ 181 500,00.
c) R$ 187 500,00.
d) R$ 240 000,00.
e) R$ 257 400,00.

2. O tipo mais comum de bebida encontrado nos supermercados não é o suco, mas o néctar de frutas.
Os fabricantes de bebida só podem chamar de suco os produtos que tiverem pelo menos 50% de
polpa, a parte comestível da fruta. Já o néctar de frutas é mais doce e tem entre 20% e 30% de polpa
de frutas.
Superinteressante, São Paulo, ago. 2011.

Uma pessoa vai ao supermercado e compra uma caixa de 1 litro de bebida. Em casa ela percebe que

Se essa caixa fosse realmente de suco, necessitaria de um aumento percentual de polpa de,
aproximadamente,
a) 20%.
b) 67%.
c) 80%.
d) 167%.
e) 200%.

3. Quanto tempo você fica conectado à internet? Para responder a essa pergunta foi criado um
miniaplicativo de computador que roda na área de trabalho, para gerar automaticamente um gráfico
de setores, mapeando o tempo que uma pessoa acessa cinco sites visitados. Em um computador, foi
observado que houve um aumento significativo do tempo de acesso da sexta-feira para o sábado, nos
cinco sites mais acessados. A seguir, temos os dados do miniaplicativo para esses dias.

Mat.1
Analisando os gráficos do computador, a maior taxa de aumento no tempo de acesso, da sexta-feira
para o sábado, foi no site
a) X.
b) Y.
c) Z.
d) W.
e) U.

4. Para aumentar as vendas no início do ano, uma loja de departamentos remarcou os preços de seus
produtos 20% abaixo do preço original. Quando chegam ao caixa, os clientes que possuem o cartão
fidelidade da loja têm direito a um desconto adicional de 10% sobre o valor total de suas compras.
Um cliente deseja comprar um produto que custava R$ 50,00 antes da remarcação de preços. Ele não
possui o cartão fidelidade da loja. Caso esse cliente possuísse o cartão fidelidade da loja, a economia
adicional que obteria ao efetuar a compra, em reais, seria de
a) 15,00.
b) 14,00.
c) 10,00.
d) 5,00.
e) 4,00.
5. O Brasil é o quarto produtor mundial de alimentos e é também um dos campeões mundiais de
desperdício. São produzidas por ano, aproximadamente, 150 milhões de toneladas de alimentos e,
desse total, 2/3 são produtos de plantio. Em relação ao que se planta, 64% são perdidos ao longo da
cadeia produtiva (20% perdidos na colheita, 8% no transporte e armazenamento, 15% na indústria de
processamento, 1% no varejo e o restante no processamento culinário e hábitos alimentares).
O desperdício durante o processamento culinário e hábitos alimentares, em milhão de tonelada, é
igual a
a) 20.
b) 30.
c) 56.
d) 64.
e) 96.

6. Uma ponte precisa ser dimensionada de forma que possa ter três pontos de sustentação. Sabe-se que
a carga máxima suportada pela ponte será de 12 t. O ponto de sustentação central receberá 60% da
carga da ponte, e o restante da carga será distribuído igualmente entre os outros dois pontos de
sustentação.
No caso de carga máxima, as cargas recebidas pelos três pontos de sustentação serão,
respectivamente,
a) 1,8 t; 8,4 t; 1,8 t.
b) 3,0 t; 6,0 t; 3,0 t.
c) 2,4 t; 7,2 t; 2,4 t.
d) 3,6 t; 4,8 t; 3,6 t.
e) 4,2 t; 3,6 t; 4,2 t.

7. Uma lata de tinta, com a forma de um paralelepípedo retangular reto, tem as dimensões, em
centímetros, mostradas na figura.

Mat.1
Será produzida uma nova lata, com os mesmos formato e volume, de tal modo que as dimensões de
sua base sejam 25% maiores que as da lata atual.
Para obter a altura da nova lata, a altura da lata atual deve ser reduzida em
a) 14,4%
b) 20,0%
c) 32,0%
d) 36,0%
e) 64,0%

8. Uma organização não governamental divulgou um levantamento de dados realizado em algumas


cidades brasileiras sobre saneamento básico. Os resultados indicam que somente 36% do esgoto
gerado nessas cidades é tratado, o que mostra que 8 bilhões de litros de esgoto sem nenhum
tratamento são lançados todos os dias nas águas. Uma campanha para melhorar o saneamento básico
nessas cidades tem como meta a redução da quantidade de esgoto lançado nas águas diariamente,
sem tratamento, para 4 bilhões de litros nos próximos meses.
Se o volume de esgoto gerado permanecer o mesmo e a meta dessa campanha se concretizar, o
percentual de esgoto tratado passará a ser
a) 72%
b) 68%
c) 64%
d) 54%
e) 18%

9. O Brasil é um país com uma vantagem econômica clara no terreno dos recursos naturais, dispondo de
uma das maiores áreas com vocação agrícola do mundo. Especialistas calculam que, dos 853 milhões
de hectares do país, as cidades, as reservas indígenas e as áreas de preservação, incluindo florestas e
mananciais, cubram por volta de 470 milhões de hectares. Aproximadamente 280 milhões se destinam
à agropecuária, 200 milhões para pastagens e 80 milhões para a agricultura, somadas as lavouras anuais
e as perenes, como o café e a fruticultura.
De acordo com os dados apresentados, o percentual correspondente à área utilizada para agricultura
em relação à área do território brasileiro é mais próximo de
a) 32,8%
b) 28,6%
c) 10,7%
d) 9,4%
e) 8,0%

10. Os vidros para veículos produzidos por certo fabricante têm transparências entre 70% e 90%,
dependendo do lote fabricado. Isso significa que, quando um feixe luminoso incide no vidro, uma
parte entre 70% e 90% da luz consegue atravessá-lo. Os veículos equipados com vidros desse
fabricante terão instaladas, nos vidros das portas, películas protetoras cuja transparência, dependendo
do lote fabricado, estará entre 50% e 70%. Considere que uma porcentagem P da intensidade da luz,
proveniente de uma fonte externa, atravessa o vidro e a película.
De acordo com as informações, o intervalo das porcentagens que representam a variação total possível
de P é
a) [35; 63].
b) [40; 63].
c) [50; 70].
d) [50; 90].
e) [70; 90].

PUZZLE
Mat.1
Um jogo de dados individual é jogado da seguinte forma: A cada rodada, um par de dados é lançado. A
pontuação é calculada com o produto, ao invés da soma, como normalmente é feito, dos dois números
resultantes do lançamento.
Imagine o seguinte caso: A pontuação do segundo lançamento é 5 números maior que a pontuação do
primeiro lançamento; a pontuação do terceiro lançamento é 6 números menor que a do segundo; a
pontuação do quarto lançamento é 11 números maior que a do terceiro, e a pontuação do quinto lançamento
é 8 números menos que a do quarto lançamento. Qual foi a pontuação em cada um desses 5 lançamentos?
GABARITO
Exercícios

1. b
Faturamento da marca A: 150 000×50% = 75 000,00. Com aumento de 20%, 75 000×1,2 = 90 000,00.
Faturamento da marca B: 150 000×30% = 45 000. Com aumento de 30%, 45 000×1,3 = 58 500,00.
Faturamento da marca C: 150 000×20% = 30 000. Com aumento de 10%, 30 000×1,1 = 33 000,00.

Novo faturamento = 90 000 + 58 500 + 33 000 = 181 500,00.

2. b
Primeiramente, é importante observar o que a questão considera como suco (no caso, 50% de polpa)

Considerando que os 30% de polpa é o total que há na caixa, pode-se dizer que correspondem a 100%
do "real". O "desejável" é que se obtenha mais que os 100%, ou seja, os 50%. Dessa forma:

30% ------ 100%


50% ------ x

x = 167%

Esse seria o total obtido, tem-se que diminuir 100%, pois ele pede o aumento percentual, ou seja, 67%.

3. a
Considere as taxas de aumento de cada um dos sites:
X: 9/12 =0,75
Y: 21/30=0,7
Z: 1/10=0,1
W: 19/38= 0,5
U: 16/40 = 0,4

Logo a maior taxa de aumento é a do site X.

4. e

Mat.1
Por não ter o cartão fidelidade, esse cliente pagará pelo produto: (100% 20%) . 50 = 0,80 . 50 = 40 reais
Se tivesse o cartão fidelidade ele teria ainda um desconto adicional de 10%, ou seja, pagaria: (100%
10%) . 40 = (1 0,1) . 40 = 36 reais.
A economia adicional desse cliente seria de: (40 36) = 4 reais.

5. a
150×2/3 = 100 toneladas no plantio 64% de perda dos quais 20% são perdidos na colheita, 8% no
transporte e armazenamento, 15% na indústria de processamento, 1% no varejo e o restante no
processamento culinário e hábitos alimentares.
20 + 8 + 15 + 1 + c = 64
c = 20%
20% são devido ao desperdício no processamento culinário e habitos alimentares 100×20/100= 20
toneladas

6. c
A carga máxima suportada pela ponte é de 12 toneladas, assim, o ponto de sustentação central receberá
12% dessa carga, logo, 12/100 . 12 = 7,2 toneladas. Os outros pontos de sustentação receberão o resto da
carga igualmente, assim, 12 7,2 = 4,8 toneladas, como cada um vai receber a mesma quantidade, 2,4
toneladas cada um.

7. d
Sendo x a taxa de redução da altura da lata atual e sabendo que houve um aumento de 25% nas
dimensões, temos:

24.24.40 = (5/4 . 24).(5/4 . 24).(1 x).40

5/4 . 5/4 . (1 x) = 1

x=1 0,64 = 0,36 = 36%.

8. b
Temos que, do volume V de esgoto, 36% é tratado, logo, 64% é não tratado, assim:

64% . V = 8 bi

V = 12,5 bi

O esgoto não tratado lançado irá reduzir para 4 bi, então o volume de esgoto tratado será de 8,5 bi, logo,
o percentual de esgoto tratado será de: 8,5 / 12,5 = 0,68 = 68%.

9. d
Usando as informações do enunciado, temos que a área utilizada para agricultura em relação a área do
território brasileiro é de:

80 milhões / 853

10. a
Considerando L como sendo a intensidade da luz que sai da fonte externa, a quantidade mínima que
passa do vidro é de 70% . 50% . L = 35% L e quantidade máxima é dada por 90% . 70% . L = 63% L. Logo
a porcentagem P da intensidade da luz que ultrapassa o vídro está num intervalo de 35% a 63%.

Puzzle
1° lançamento: 10.
2° lançamento: 15.

Mat.1
3° lançamento: 9.
4° lançamento: 20.
5° lançamento: 12.
Mat.
Professores: Alex Amaral
Luanna Ramos

Monitor: Gabriella Teles

Mat.2
09/11
Área do círculo e suas partes
mai

RESUMO
Área do círculo:

Dado um círculo de raio r, sua área é A= r ²


Área do setor circular:

Para saber a área do setor basta lembrar que um setor é um pedaço do círculo e pode assim pode usar regra
de 3 para saber.

Por exemplo: Para saber a área de um setor circular de 180° e raio igual a 2 cm basta lembrar que o círculo
completo tem 360° logo a área do setor será a metade da área do círculo. Nesse caso. A área do círculo será
4 cm² e, portanto, a do setor será 2 cm².

Mat.2
Área da coroa circular

A área coroa circular é a área do círculo de raio R menos a área do círculo de área r.
EXERCÍCIOS DE AULA

1. Uma empresa produz tampas circulares de alumínio para tanques cilíndricos a partir de chapas
quadradas de 2 metros de lado, conforme a figura. Para 1 tampa grande, a empresa produz 4 tampas
medias e 16 tampas pequenas.

Área do circulo: πr²


As sobras de material da produção diária das tampas grandes, medias e pequenas dessa empresa são
doadas, respectivamente, a três entidades: I, II e III, para efetuarem reciclagem do material. A partir
dessas informações, pode-se concluir que:
a) a entidade I recebe mais material do que a entidade II.
b) a entidade I recebe metade de material do que a entidade III.
c) a entidade II recebe o dobro de material do que a entidade III.
d) as entidades I e II recebem, juntas, menos material do que a entidade III.
e) as três entidades recebem iguais quantidades de material.

2. A figura representa dois semicírculos com o diâmetro em dois lados consecutivos de um quadrado.
Sabendo-se que a diagonal do quadrado mede 3 8 cm, a área da figura, em centímetros quadrados,
e igual a:

Mat.2
a) 72.
b) 63.
c) 54.
d) 45.
e) 30.

3. Os círculos desenhados na figura abaixo são tangentes dois a dois.


A razão entre a área de um círculo e a área da região sombreada e:
a) 1.
b) 2.
c) 3
4 −
d) 
4 −
e)
2
4 −

4. Seja  a circunferência que passa pelo ponto B com centro no ponto C e β a circunferência que passa
pelo ponto A com centro no ponto C, como mostra a figura dada. A medida do segmento AB e igual
a medida do segmento BC e o comprimento da circunferência α
delimitado pelas circunferências  e β (região escura) e, em cm², igual a:

a) 108
b) 144
c) 72
d) 36
e) 24

5. Cada um dos 7 círculos menores da figura a seguir tem raio 1 cm. Um círculo pequeno e concêntrico
com o círculo grande, e tangencia os outros 6 círculos pequenos. Cada um desses 6 outros círculos
pequenos tangencia o círculo grande e 3 círculos pequenos. Na situação descrita, a área da região
sombreada na figura, em cm², e igual a:
a)
3
b)
2
c) 2
5
d)
2
e) 3

Mat.2
6. O retângulo ABCD, representado a seguir, tem área cuja medida e de 18 cm². Qual e a razão entre a

a) 1/4.
b) 1/5.
c) 1/6.
d) 1/7.
e) 1/8.
7. Na figura, AB , BC e CD são lados, respectivamente, de um octógono regular, hexágono regular e
quadrilátero regular inscritos em uma circunferência de centro P e raio 6 cm.

A área do setor circular preenchido na figura, em cm², e igual a:

33
b)
2

35
d)
2

8. Uma circunferência de raio 2 tangencia outra e dois de seus raios, conforme figura seguinte.

Mat.2
O valor da área hachurada e:
a) 2 2
b) 3 ( 2 − 1)
c) 2 ( 2 − 3)
d)  (2 2 − 1)

9. Um garçom precisa escolher uma bandeja de base retangular para servir quatro taças de espumante
que precisam ser dispostas em uma única fileira, paralela ao lado maior da bandeja, e com suas bases
totalmente apoiadas na bandeja. A base e a borda superior das taças são círculos de raio 4 cm e 5 cm,
respectivamente.
A bandeja a ser escolhida deverá ter uma área mínima, em centímetro quadrado, igual a
a) 192.
b) 300.
c) 304.
d) 320.
e) 400.

10. Uma empresa de telefonia celular possui duas antenas que serão por uma nova, mais potente. As áreas
de cobertura das antenas que serão substituídas são círculos de raio 2 km, cujas circunferências se
tangenciam no ponto O, como mostra a figura.

O ponto O indica a posição da nova antena, e sua região de cobertura será um círculo cuja

Mat.2
circunferência tangenciará externamente as circunferências das áreas de cobertura menores.
Com a instalação da nova antena, a medida da área de cobertura, em quilômetros quadrados, foi
ampliada em
a)
b)
c)
d)
e)
GABARITO
Exercícios de aula

1. e
1 1
Sejam r1, r2 e r3 os raios das tampas. Temos: r1 = 1, r2 = , r3 =
2 4

Como os círculos são tangentes, segue que o raio de cada um dos três tipos de tampa é dado por:
2/2.n=1/n

Cálculo das sobras:

4 − 𝜋 . 12 = 4 − 𝜋
1 2
4 −4 .𝜋 .( ) = 4− 𝜋
2
E
1 2
4 − 16 . 𝜋 . ( ) = 4 − 𝜋
4

PORTANTO AS TRÊS RECEBEM A MESMA QUANTIDADE DE MATERIAL.

2. b
A ÁREA PEDIDA É A SOMA DAS ÁREAS DO QUADRADO DE LADO 6CM E DO CÍRCULO DE RAIO 3CM
PORTANTO A ÁREA É IGUAL A :
62 + 𝜋 . 32 = 36 + 3 . 9 = 36 + 27 = 63

3. d
𝜋𝑅 2 𝜋𝑅 2 𝜋
Área do círculo/área hachurada =
(2𝑅)2 −𝜋𝑅 2
= =
4𝑅 2−𝜋𝑅 2 4−𝜋

Mat.2
4. a
CB=AB=x

x=6

Logo a área será:

²-6²

5. c
Seja r o raio do círculo maior.
De acordo com as informações, temos que R=3cm. Portanto, como a área pedida é a área do círculo
maior subtraída da área dos 7 círculos menores, segue o resultado
𝜋32 − 7 . 𝜋 . 12 = 9𝜋 − 7𝜋 = 2𝜋𝑐𝑚2

6. e
calculando:
raio =x

3𝑥²
Área do semicírculo=
2

área do retângulo= 2𝑥 2 = 18 ⇒ 𝑥 2 = 9 = 𝑏𝑥 = 3

3 . 32 27 45 9
área hachurada = 18 − = 18 − =
4 4 4 4
9 9
9
45 9
4 45 1 1
A razão então será de área hachurada/ área do retângulo= = . 18 = 8
18 4
Observe que no final tivemos que fazer uma divisão entre duas frações.

7. b

Temos que PÂB=45°, PBC=60° E PCD=90°. Logo PDA=360°-195°=165°


Portanto, como o raio da circunferência mede 6cm, segue que a área pedida é dada por:
𝜋. 62 . 165° 33𝜋
= 𝑐𝑚2
360° 2
8. d
OB = 2 2 (diagonal)

Logo o raio do setor será 2 2 +2

Calculando a área assinalada:

(2 )
2
2 +2
A = −
4

A = .
(8 + 8 2 +4 ) − 4
4

Mat.2
A = .
(
4 2+2 2 +1 ) − 4
4
(
A = 2 2 −1 )
9. c

Observe vista superior das taças organizadas sobre a bandeja.

Os diâmetros das bases das taças medem 8cm. São quatro taças. Mais 1cm de distância entre a borda da
taça e a extremidade da base da mesma.
Logo, a área é dada por:

A = 8x(8×4+6) = 304

10. a
².

área = 2.2²

Já a área coberta pela nova antena 4²

Mat.2
Mat.
Professores: Alex Amaral
Luanna Ramos

Monitoras: Gabriella Teles

Mat.2
23/25
Lei dos Senos e Lei dos Cossenos
mai

RESUMO
Lei dos cossenos
Em qualquer triângulo, o quadrado de um dos lados é igual à soma dos quadrados dos outros dois lados,
menos o dobro do produto desses dois lados pelo cosseno do ângulo formado entre eles. Ou seja:

Lei dos senos


Seja um triângulo qualquer, com lados a, b e c, que são os lados opostos aos ângulos A, B e C,
respectivamente. O quociente entre a medida de cada lado e o seno do ângulo oposto a este lado é uma
constante igual a 2r, em que r é o raio da circunferência circunscrita ao triângulo, isto é:

Mat.2

EXERCÍCIOS
1. Um piso plano é revestido de hexágonos regulares congruentes cujo lado mede 10 cm.
Na ilustração de parte desse piso, T, M e F são vértices comuns a três hexágonos e representam os
pontos nos quais se encontram, respectivamente, um torrão de açúcar, uma mosca e uma formiga.
Ao perceber o açúcar, os dois insetos partem no mesmo instante, com velocidades constantes, para
alcançá-lo. Admita que a mosca leve 10 segundos para atingir o ponto T. Despreze o espaçamento
entre os hexágonos e as dimensões dos animais.
A menor velocidade, em centímetros por segundo, necessária para que a formiga chegue ao ponto T
no mesmo instante em que a mosca, é igual a:
a) 3,5
b) 5,0
c) 5,5
d) 7,0

2. Para se calcular a distância entre duas árvores , representadas pelos pontos A e B, situados em margens
opostas de um rio, foi escolhido um ponto C arbitrário, na margem onde se localiza a árvore A. As
medidas necessárias foram tomadas , e os resultados obtidos foram os seguintes: AC = 70 m,
BAC = 62º e ACB = 74º. Sendo cos 28º = 0,88 , sen 74º = 0,96 e sen 44º = 0,70 , podemos afirmar que a
distância entre as árvores é :

a) 48 metros
b) 78 metros
c) 85 metros
d) 96 metros

Mat.2
e) 102 metros

3. A figura a seguir apresenta o delta do rio Jacuí, situado na região metropolitana de Porto Alegre. Nele
se encontra o parque estadual Delta do Jacuí, importante parque de preservação ambiental. Sua
proximidade com a região metropolitana torna-o suscetível aos impactos ambientais causados pela
atividade humana.
A distância do ponto B ao ponto C é de 8 km, o ângulo A mede 45° e o ângulo C mede 75°. Uma
maneira de estimar quanto do Delta do Jacuí está sob influência do meio urbano é dada pela distância
do ponto A ao ponto C. Essa distância, em km, é

a)

b)

c)

d)

e)

4. No triângulo ABC, os lados AC e BC medem 8 cm e 6 cm, respectivamente, e o ângulo A vale 30°. O


seno do ângulo B vale:
a) 1/2
b) 2/3
c) 3/4
d) 4/5

Mat.2
e) 5/6

5. Dois lados de um terreno de forma triangular medem 15 m e 10 m, formando um ângulo de 60°,


conforme a figura abaixo:

O comprimento do muro necessário para cercar o terreno, em metros, é:


6. Uma certa propriedade rural tem o formato de um trapézio como na figura. As bases WZ e XY do
trapézio medem 9,4 km e 5,7 km, respectivamente, e o lado YZ margeia um rio. Se o ângulo XYZ é o
dobro do ângulo XWZ, a medida, em km, do lado YZ que fica à margem do rio é:

a) 7,5.
b) 5,7.
c) 4,7.
d) 4,3.
e) 3,7.

7. Determine a distância d indicada na figura.

8. A caminhada é uma das atividades físicas que, quando realizada com frequência, torna-se eficaz na
prevenção de doenças crônicas e na melhora da qualidade de vida. Para a prática de uma caminhada,

Mat.2
uma pessoa sai do ponto A, passa pelos pontos B e C e retorna ao ponto A, conforme trajeto indicado
na figura.

Quantos quilômetros ela terá caminhado, se percorrer todo o trajeto?


a) 2,29.
b) 2,33.
c) 3,16.
d) 3,50.
e) 4,80.
9. Um grupo de escoteiros pretende escalar uma montanha até o topo, representado na figura abaixo
pelo ponto D, visto sob ângulos de 40° do acampamento B e de 60° do acampamento A.

Considerando que o percurso de 160 m entre A e B e realizado segundo um angulo de 30° em relação
a base da montanha, então, a distância entre B e D, em m, e de, aproximadamente,
a) 190.
b) 234.
c) 260.
d) 320.

10. Uma pessoa se encontra no ponto A de uma planície, às margens de um rio e vê, do outro lado do rio,
o topo do mastro de uma bandeira, ponto B. Com o objetivo de determinar a altura h do mastro, ela
anda, em linha reta, 50 m para a direita do ponto em que se encontrava e marca o ponto C. Sendo D o
pé do mastro, avalia que os ângulos BÂC e BCD valem 30°, e o ACB vale 105°, como mostra a figura:

a) 12,5.
b)
c) 25,0.
d)

Mat.2
e) 35,0.
GABARITO
Exercícios

1. d
Como queremos a distância mínima temos que :

Como queremos a velocidade:

2. d

3. b

Mat.2
4. b

5. e
Como queremos o perímetro temos que:
= 25 + 5√𝑥

6. e

Logo, o lado YZ possui a mesma medida de 3,7km do outro lado.

7. discursiva
300 𝑑
=
𝑠𝑒𝑛60º 𝑠𝑒𝑛45º

8. d

Mat.2

9. b
10. b

Mat.2
Mat. Professores: Alex Amaral
Monitoras: Gabriella Teles

Mat.2
30
Ciclo trigonométrico
mai

RESUMO
Considere uma circunferência de raio = 1 e centro (0,0). Essa circunferência é chamada de ciclo
trigonométrico.

- Convencionou-se como sentido positivo dos arcos o sentido anti-horário.


- Os eixos coordenados dividem o ciclo trigonométrico em 4 quadrantes:

Determinação principal

Mat.2
Quando marcamos um arco AB no ciclo, sabemos que o arco tem origem no ponto A e a extremidade no
ponto B, mas não temos certeza da quantidade de voltas que foram dadas no ciclo para que, saindo da
origem, cheguemos ao ponto B.

Neste caso, AB = 30°. Porém, podemos dizer que AB = 30° + 360° = 390°. Ou então, que AB = 30° - 360° = -
330°.
Desta forma, dizemos que o arco AB possui infinitas determinações:
(...-330°, 30°, 390°...)
Arcos côngruos

São arcos que possuem as extremidades num mesmo ponto. Para que isso ocorra, a diferença entre as suas
medidas deve ser uma quantidade inteira de voltas, ou seja, ser múltiplo de 360°

Ex: Acima, vimos que 30° e 390° são arcos côngruos.

Podemos deduzir uma expressão geral dos arcos côngruos:

AB = α α em radianos.
AB = α + 360°.K; α em graus.

Linhas trigonométricas no ciclo

Á partir do ciclo trigonométrico, definem-se as principais linhas trigonométricas: seno, cosseno e tangente,
da seguinte maneira:

Percebemos que o sinal do seno, cosseno e tangente de um ângulo mudam de acordo com o quadrante em
que o ângulo se encontra.

Relações Trigonométricas

Mat.2
Analisando o ciclo, podemos deduzir algumas relações:
sen²α + cos² α = 1
tg² α + 1 = sec² α
cotg² α + 1 = cossec² α

→ Relembrando:

tangente =

cotangente =

cossecante =

secante =
EXERCÍCIOS
1. Quanto ao arco 4555°, é correto afirmar.
a) Pertence ao segundo quadrante e tem como côngruo o ângulo de 55°
b) Pertence ao primeiro quadrante e tem como côngruo o ângulo de 75°
c) Pertence ao terceiro quadrante e tem como côngruo o ângulo de 195°
d) Pertence ao quarto quadrante e tem como côngruo o ângulo de 3115°
e) Pertence ao terceiro quadrante e tem como côngruo o ângulo de 4195°

2. Se sen x = -1 , então o valor de sen 3x é :?


a) -1/3
b) 0
c) 1
d) -1
e) -3

3. O arco que tem medida x em radianos é tal que e . O valor do seno de x é:

a)

b)

c)

d)

Mat.2
e)

4. O círculo da figura tem centro O e raio R.


Sabendo-se que equivale a e é tangente ao círculo no ponto P, calcule o valor de

a)

b)

c)

d)

e)

5. Considerando os valores de θ, para os quais a expressão é definida, é CORRETO


afirmar que ela está sempre igual a
a) 1
b) 2
c) sen θ
d) cos θ

6. Considere dois ângulos agudos cujas medidas a e b, em graus, são tais que a + b = 90° e 4sen(a) -
10sen(b) = 0. Nessas condições é correto concluir que
a) tg a = 1 e tg b = 1.
b) tg a = 4 e tg b =1/4.
c) tg a = 1/4 e tg b = 4.
d) tg a =2/5 e tg b =5/2.
e) tg a = 5/2 e tg b = 2/5.

Mat.2
7. Se , assinale a alternativa que pode indicar o valor de sen(x) cos(x).

a) 1

b)

c)

d)
8. Assinale a alternativa correta:
a) sen(1000°) < 0
b) sen(1000°) > 0
c) sen(1000°) = cos(1000°)
d) sen(1000°) = - sen(1000°)
e) sen(1000°) = - cos(1000°)

9. O seno de um arco de medida 2340° é igual a:


a) -1
b) -1/2
c) 0
d) ½

10. Sobre os ângulos 150°, e e, é correto afirmar que suas tangentes possuem valores,
respectivamente:
a) negativo, positivo, negativo.
b) positivo, positivo, negativo.
c) negativo, negativo, negativo.
d) negativo, positivo, positivo.
e) positivo, negativo, negativo.

11. Se sen(x) cos(x) = 1/2, o valor de sem(x).cos(x). é igual a:

a)

b)

c)

d)

Mat.2
e)

12. Se sec(x) + tg(x) = 0,5, o valor de sec(x) tg(x):


a) não pode ser determinado
b) é -2
c) é -0,5
d) é 0,5
e) é 2

13. Obtenha a menor determinação positiva dos arcos cujas medidas são:
a) 800 graus

b)
14. Calcule o valor das expressões.
cos 120 º + sen330 º
E=
a) cos 180 º

cos 810 º + cos 900 º


E=
b) sen 630 º +sen1080 º

3 5
 x  2 senx = -
15. Determine tgx sabendo que 2 e 13 .
a) 9/5
b) 6/8
c) 3/2
d) -5/12

Mat.2
GABARITO
Exercícios

1. e

2. c

3. d

Pelo relação fundamental:

Mat.2

4. e

5. a
Temos que:

Substituindo

Pela relação fundamental temos que:

X=1

Mat.2
6. e

7. b
Sabemos que

Queremos o valor de senx-cosx , precisamos fazer aqui um produto notável afim de retirar alguma
informação:
8. a

9. c

10. a
Pelo ciclo trigonométrico temos que os ângulos estão representados respectivamente :

Laranja -> 150°


Verde->60°

Mat.2
Roxo->320°

11. c
Elevando os dois lados ao quadrado temos:

Desenvolvendo:

Logo podemos concluir, utilizando do teorema fundamental:


que

12. e

13. 800=360.2+80 -> logo a terminação é 80


960=360.2+240 -> logo 240=4pi/3

14.

Mat.2

15. d
Bio. Professor: Rubens Oda
Alexandre Bandeira

Monitor: Hélio Fresta

Bio.1
07/11
Respiração Celular
mai

RESUMO
O objetivo da respiração celular aeróbica é a obtenção de energia a partir da quebra de glicose, na presença
do gás oxigênio (O2).

A energia formada estará na forma de ATP, adenosina trifosfato, uma molécula fundamental para o
metabolismo do corpo, já que o rompimento das ligações fosfato (formando ADP, adenosina difosfato) libera
energia para a execução de funções vitais. A respiração celular pode ser dividida em três etapas: Glicólise,
Ciclo de Krebs e Cadeia Respiratória.

- Glicólise
A quebra da glicose (glicólise) consiste na quebra de uma molécula de glicose (C6H12O6) em duas moléculas
de piruvato (C3H4O3), sendo quatro H captados por 2 NADs (moléculas carreadoras de hidrogênio). É um
processo anaeróbico e ocorre no citosol.

A glicólise produz saldo de 2 ATPs, pois produz 4, mas consome 2 para ser realizada.
A glicólise é comum aos fermentadores e aos aeróbicos.

Entre a Glicólise e o Ciclo de Krebs, há uma fase preparatória, na qual o piruvato perde um CO2, dois H que
são captados pelo NAD e se torna um acetil, que se combina a Coenzima A (CoA) e entra, por fim, no ciclo.

- Ciclo de Krebs:

Bio.1
Uma série de reações que modificam o piruvato em diversas moléculas, liberando 2 GTP (uma molécula
similar ao ATP), CO2, NAD2H e FAD2H (outros carreadores de Hidrogênio, como NAD, porém com menor
rendimento energético). O CO2 é descartado, enquanto o NAD2H e o FAD2H são usados na Cadeia
Respiratória. O Ciclo de Krebs ocorre na matriz mitocondrial.

- Cadeia Respiratória:

Os NAD2H e FAD2H passam a transportadores encontrados nas cristas mitocondriais (citocromos) e são
transportados um a um por eles, liberando elétrons, o que rende energia para o bombeamento de H+ para o
espaço intermembrana. Ao chegar no último transportador, o elétron vai para o último aceptor de elétrons,
o oxigênio.
Os H+ são bombeados através de uma enzima que funciona como um canal de H+, conhecida como ATP-
sintase. Isso faz com que os H+ voltem ao espaço interno da mitocôndria, a matriz mitocondrial. A ATP-sintase
então produz ATP em massa conforme há passagem de H+ por ela, produzindo então uma alta quantidade
de ATP.
O papel do oxigênio é combinar-se com estes H+, impedindo a acidose da célula, formando então água.

Bio.1
EXERCÍCIOS DE AULA
1. O oxigênio é extremamente importante para a sobrevivência dos animais porque a maioria deles
satisfaz suas necessidades de energia por meio da oxidação de alimentos. A oxidação final dos
compostos orgânicos pelas células (denominada de Ciclo de Krebs ou Ciclo do Ácido Cítrico) e a
formação de ATP ocorrem:
a) No citoplasma.
b) Nas mitocôndrias.
c) No complexo de Golgi.
d) No retículo endoplasmático.
e) Nos lisossomos.
2. As mitocôndrias são corpúsculos citoplasmáticos extremamente importantes para o funcionamento
celular, pois participam diretamente do metabolismo energético responsável por gerar moléculas de
ATP para o uso da célula. Sobre esse processo metabólico, é correto afirmar:
a) A glicólise é uma etapa aeróbia de processo de degradação da glicose, pois necessita de oxigênio
para ocorrer.
b) A quebra da glicose em moléculas de ácido pirúvico depende do aparato enzimático das
mitocôndrias.
c) A fosforilação oxidativa representa a etapa de maior rendimento energético para a célula.
d) O ciclo do ácido cítrico ocorre nas cristas mitocondriais, com saldo de duas moléculas de ATP.

3. A respiração celular é o processo pelo qual a energia contida nos alimentos é gradualmente transferida
para moléculas de ATP que serão utilizadas em todas as reações celulares ou orgânicas que requerem
energia. Sobre a respiração é correto afirmar que:
a) A glicose é totalmente degradada durante a glicólise.
b) A formação de ATP ocorre somente dentro da mitocôndria.
c) Na respiração anaeróbia não existem aceptores de elétrons.
d) No ciclo de Krebs não ocorre liberação de CO 2.
e) Na respiração aeróbia o oxigênio é utilizado como aceptor final de hidrogênios formando água.

4.
a) A sequencia das etapas da respiração celular e: glicólise no citosol, ciclo de Krebs na matriz
mitocondrial e fosforilação oxidativa no citosol.
b) A glicólise e uma etapa metabólica que ocorre tanto no processo de fermentação quanto no
processo de respiração celular.
c) A síntese da maior parte das moléculas de ATP esta acoplada a reoxidaçâo das moleculas de NAD + e
FAD.
d) O ciclo de Krebs se inicia com uma reação entre a molécula de coenzima A e uma molécula de
acido oxalacético.
e) A reação que converte o ácido pirúvico em acido láctico produz menos energia (ATP) que a
fosforilação oxidativa.

5. Observe atentamente o esquema abaixo.

Bio.1

Com base no esquema e em seus conhecimentos sobre o assunto, assinale a alternativa incorreta.
a) Glicose e ácidos graxos são substratos importantes para iniciar as vias das reações químicas que
acontecem dentro das mitocôndrias, porém a glicose não entra nessa organela.
b) A cadeia respiratória, que ocorre nas mitocôndrias, depende de oxigênio para produção de ATP e
água, representada por B.
c) O Ciclo de Krebs é uma etapa comum para a oxidação completa de carboidratos e de lipídeos como
os triglicerídeos ou fosfolipídios representados por A.
d) A oxidação de componentes orgânicos para a produção de NADH 2 não ocorre fora da matriz
mitocondrial.
6. A mandioca-brava (Manihot utilíssima) é bastante utilizada na região norte do país para o preparo de
farinha, pois seu rendimento é maior. Porém, apresenta um princípio ativo tóxico, da classe dos
cianogênicos que, quando ingerido, provoca cansaço, falta de ar, fraqueza e confusão mental,
podendo levar à convulsão e morte. A preparação artesanal ou industrial do produto faz com que o
princípio ativo seja eliminado, técnica dominada pelos índios da Amazônia desde antes da época do
descobrimento. Considerando-se os sintomas apresentados por aqueles que ingerem a mandioca-
brava in natura e a classe a que pertence o princípio ativo, pode-se sugerir que este atua,
primariamente, impedindo a:
a) Utilização do oxigênio na cadeia respiratória.
b) Utilização do oxigênio no ciclo de Krebs.
c) Associação do oxigênio com as moléculas de hemoglobina.
d) Difusão do oxigênio alveolar para o tecido sanguíneo.
e) Formação de ATP durante a glicólise.

EXERCÍCIOS DE CASA

1. Uma organela citoplasmática realiza a importante função de fornecer energia à célula por meio da
respiração celular. Esse processo compreende duas fases, a anaeróbia e a aeróbia, denominadas,
respectivamente:
a) Fosforilação Oxidativa e Acetil Coenzima A.
b) Fosforilação Oxidativa e Glicólise.
c) Acetil Coenzima A e Fermentação.
d) Fermentação e Glicólise.
e) Glicólise e Fosforilação Oxidativa.

2. A obtenção de energia para a realização das diversas atividades celulares ocorre, na maioria dos seres
vivos, a partir da reação esquematizada a seguir.

Essa reação representa o processo de:

Bio.1
a) Respiração.
b) Fotossíntese.
c) Quimiossíntese.
d) Fermentação lática.
e) Fermentação alcoólica.

3. A glicólise é um processo que compreende dez reações químicas, cada uma delas com a participação
de uma enzima específica. Assinale a alternativa corretaem relação à glicólise anaeróbica.
a) É o processo responsável pela quebra da glicose, transformando-a em piruvato ou ácido pirúvico.
b) É realizada apenas em células animais e procariontes heterotróficos.
c) Promove a quebra da glicose no interior da mitocôndria.
d) Libera energia na forma de 38 ATPs.
e) Transforma ácido lático em ácido pirúvico.
4. Ao se relacionarem os processos bioenergéticos com a estrutura da mitocôndria, constata-se que:
a) O transporte de elétrons se faz por complexos proteicos da membrana mitocondrial externa.
b) O ATP é sintetizado em um complexo proteico da membrana mitocondrial interna.
c) O ciclo de Krebs ocorre no citoplasma e fornece piruvato para a matriz mitocondrial.
d) Os elétrons fluem da matriz mitocondrial para o citoplasma por canais iônicos.
e) As enzimas que participam da glicólise se localizam na matriz mitocondrial.

5. O crescente aumento da temperatura ambiental traz como uma de suas consequências a redução do
O2 dissolvido na água. Em temperaturas mais altas os seres aquáticos, em sua maioria pecilotérmicos
(ou de sangue frio), se aquecem e têm sua taxa metabólica aumentada. Esse conjunto de efeitos se
torna um problema porque o aumento do metabolismo torna esses seres aquáticos:
a) Menos ativos, exigindo menos energia e menor consumo de O2 na respiração.
b) Mais ativos, exigindo mais energia e menor consumo de O 2 na respiração.
c) Mais ativos, exigindo mais energia e maior consumo de O 2 na respiração.
d) Menos ativos, exigindo menos energia e maior consumo de O2 na respiração.
e) Mais ativos, exigindo menos energia e maior consumo de O 2 na respiração.

6. O cianeto atua inibindo o último complexo da cadeia respiratória. Quanto ao que pode acontecer com
a célula, em consequência dessa inibição, é correto afirmar que:
a) Não há interrupção na cadeia transportadora de elétrons e a produção de ATP não é alterada.
b) Toda a cadeia respiratória se interrompe, com parada na produção de ATP e morte celular.
c) Não há interrupção na cadeia transportadora de elétrons e sim um aumento compensatório na
produção de ATP.
d) A célula torna-se dependente da fermentação cujo rendimento energético é superior ao da
respiração aeróbica.

7. O processo de respiração celular ocorre em três etapas: Glicólise, Ciclo de Krebs e Cadeia
Respiratória. Marque a alternativa correta com relação a essas etapas.
a) O ciclo de Krebs e a glicólise ocorrem na matriz mitocondrial.
b) No ciclo de Krebs, uma molécula de glicose é quebrada em duas moléculas de ácido pirúvico.
c) Nas cristas mitocondriais, há transferência dos hidrogênios transportados pelo NAD e pelo FAD
através da cadeia respiratória, levando à formação de água.
d) A utilização de O2 se dá nas cristas mitocondriais, durante o ciclo de Krebs.
e) A via glicolítica ocorre somente nos processos anaeróbios, enquanto o ciclo de Krebs ocorre nos

Bio.1
processos aeróbios.

8. Com relação ao metabolismo celular, todas são afirmativas corretas, exceto:


a) O maior rendimento energético do processo de respiração aeróbia é principalmente devido à
completa oxidação da glicose a CO2 e H2O.
b) A glicólise e a fosforilação oxidativa são etapas do processo de respiração celular que ocorrem
no interior das mitocôndrias.
c) Os aminoácidos, os monossacarídeos, como a glicose e os ácidos graxos, ao serem
metabolizados pelas células, acabam transformando-se em acetil coenzima A, um substrato do
ciclo de Krebs, também denominado ciclo do ácido cítrico.
d) O ciclo de Krebs, a cadeia respiratória e a fosforilação oxidativa, nas células aeróbias, são
processos acoplados e ocorrem somente na presença de oxigênio.

9. Normalmente, as células do organismo humano realizam a respiração aeróbica, na qual o consumo de


uma molécula de glicose gera moléculas de ATP. Contudo em condições anaeróbicas, o consumo de
uma molécula de glicose pelas células é capaz de gerar apenas duas moléculas de ATP.
Qual curva representa o perfil de consumo de glicose, para manutenção da homeostase de uma célula
que inicialmente está em uma condição anaeróbica e é submetida a um aumento gradual de
concentração de oxigênio?
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5

QUESTÃO CONTEXTO
A maniçoba é um prato típico brasileiro da região Amazônica, e consiste primariamente de folhas de
mandioca cozidas.

Bio.1
As folhas devem ser cozidas por uma semana, para remoção do cianeto das folhas. O que o consumo de
maniçoba mal-cozida pode ocasionar na mitocôndria?
GABARITO

Exercícios de aula

1. b
O Ciclo de Krebs ocorre na matriz mitocondrial, enquanto a formação de ATP pela Cadeia Respiratória
ocorre nas cristas mitocondriais, ou seja, ambos os processos ocorrem dentro da mitocôndria.

2. c
A maior parte da produção de ATP ocorre durante a Cadeia Respiratória, através da enzima ATP-sintase.

3. e
Ao final da Cadeia Respiratória, o oxigênio será utilizado como aceptor final de hidrogênios, formando
água. Esse processo é fundamental para a Cadeia Respiratória, sendo ela um processo obrigatoriamente
aeróbico.

4. a
A fosforilação oxidativa ocorre nas cristas mitocondriais, não no citosol.

5. d
Existe formação de NADH2 mesmo fora da mitocôndria, durante a glicólise.

6. a
Compostos cianogênicos têm a capacidade de inibir o transporte de elétrons ao longo da Cadeia
Respiratória, inibindo assim a síntese de ATP e o consumo de oxigênio pela mitocôndria, tendo em vista
que esse oxigênio age apenas como um aceptor final para os elétrons da Cadeia Respiratória.

Exercícios de casa

1. e
A glicólise é um processo anaeróbico ocorrido no citosol, enquanto a fosforilação oxidativa é aeróbica e
ocorre nas cristas mitocondriais.

Bio.1
2. a
A imagem representa a reação de quebra da glicose na presença de oxigênio para obtenção de energia,
com subprodutos sendo o CO2 e H2O. Esse processo é denominado respiração celular.

3. a
A glicólise é o processo de quebra da glicose em duas moléculas de piruvato, composto também
conhecido como ácido pirúvico.

4. b
A síntese de ATP ocorre em um complexo de proteínas nas cristas mitocondriais durante a fosforilação
oxidativa, havendo destaque para a enzima ATP-sintase.

5. c
Em temperaturas elevadas, o metabolismo destes animais acelera, exigindo assim maior consumo de
oxigênio para produção de ATP, oxigênio este que estará em falta devido a menor solubilidade do gás
no líquido quente.
6. b
O cianeto, por se ligar aos receptores de elétrons das cristas mitocondriais, interrompe todo o processo
de produção de ATP da cadeia respiratória, causando a morte celular.

7. c
Os hidrogênios removidos do NAD e do FAD, seus carreadores intermediários, passam pela cadeia
respiratória e são doados, ao final do processo, ao oxigênio, seu aceptor final, formando água.

8. b
A glicólise ocorre no citosol.

9. e
O metabolismo anaeróbico gera menos ATP por glicose consumida, então o consumo de glicose em
condições anaeróbicas é alto. Conforme a célula recebe oxigênio e passa ao metabolismo aeróbico, a
taxa de consumo de glicose para a formação de ATP diminui.

Questão Contexto

O cianeto das folhas de mandioca age como um inibidor da Cadeia Respiratória, impedindo o transporte de
elétrons pelas cristas mitocondriais, interrompendo toda a síntese de ATP, o que leva a morte celular.

Bio.1
Bio. Professor: Rubens Oda
Alexandre Bandeira

Monitor: Hélio Fresta

Bio.2
07/11
Especiação
mai

RESUMO
A especiação é a formação de novas espécies. O conceito de espécie mais utilizado é o conceito
biológico, que diz que indivíduos são da mesma espécie quando conseguem se reproduzir e ter prole fértil.
A especiação pode ocorrer de forma linear, como na anagênese, ou se bifurcando e formando grupos
irmãos, como na cladogênese.

Ela também pode ser:


• Alopátrica: É a mais comum, onde uma população, antes unida, é dividida por uma barreira
geográfica, e ocorre seleções independentes nas duas novas populações. Mesmo que a barreira seja
removida, as populações são de espécies diferentes.
• Parapátrica: Duas populações de uma mesma espécie ocupam áreas próximas, porém distintas e sem
barreira geográfica. Com o tempo sofrem diferentes pressões de seleção e ocorre a especiação.
Pode haver uma zona com intercruzamentos entre as áreas, chamada de zona híbrida.
• Simpátrica: Uma população em determinada área pára de se reproduzir com alguns dos indivíduos
da espécie (seja por motivo comportamental ou alterações genéticas), sem a presença de barreiras
geográficas, e com isso há uma especiação.

Bio.2
EXERCÍCIOS
1. Em algumas regiões brasileiras, existem exemplares de Euphorbia heterophylla , uma planta daninha
bastante prejudicial à lavoura de soja e que pode ser resistente a herbicidas. Se, após alguns anos, não
existir mais o fluxo de genes entre as plantas susceptíveis e resistentes a herbicidas dessa espécie,
então ocorrerá:
a) seleção natural.
b) irradiação adaptativa.
c) isolamento geográfico.
d) recombinação gênica.
e) isolamento reprodutivo.

2. Algumas raças de cães domésticos não conseguem copular entre si devido à grande diferença em seus
tamanhos corporais. Ainda assim, tal dificuldade reprodutiva não ocasiona a formação de novas
espécies (especiação).
Essa especiação não ocorre devido ao(à)
a) oscilação genética das raças.
b) convergência adaptativa das raças.
c) isolamento geográfico entre as raças.
d) seleção natural que ocorre entre as raças.
e) manutenção do fluxo gênico entre as raças.

3. Embora os cangurus sejam originários da Austrália, no início dos anos 80, o biólogo norte-americano
James Lazell chamou a atenção para a única espécie de cangurus existente na ilha de Oahu, no Havaí.
A espécie é composta por uma população de várias centenas de animais, todos eles descendentes de
um único casal australiano que havia sido levado para um zoológico havaiano, e do qual fugiram em
1916. Sessenta gerações depois, os descendentes deste casal compunham uma nova espécie, exclusiva
da ilha Oahu. Os cangurus havaianos diferem dos australianos em cor, tamanho, e são capazes de se
alimentar de plantas que seriam tóxicas às espécies australianas.
Sobre a origem desta nova espécie de cangurus, é mais provável que:
a) após a fuga, um dos filhos do casal apresentou uma mutação que lhe alterou a cor, tamanho e
hábitos alimentares. Esse animal deu origem à espécie havaiana, que difere das espécies
australianas devido a esta mutação adaptativa.
b) após a fuga, o casal adquiriu adaptações que lhe permitiram explorar o novo ambiente, adaptações
essas transmitidas aos seus descendentes.
c) os animais atuais não difiram geneticamente do casal que fugiu do zoológico. As diferenças em
cor, tamanho e alimentação não seriam determinadas geneticamente, mas devidas à ação do

Bio.2
ambiente.
d) o isolamento geográfico e diferentes pressões seletivas permitiram que a população do Havaí
divergisse em características anatômicas e fisiológicas de seus ancestrais australianos.
e) ambientes e pressões seletivas semelhantes na Austrália e no Havaí permitiram que uma população
de mamíferos havaianos desenvolvesse características anatômicas e fisiológicas análogas às dos
cangurus australianos, processo este conhecido por convergência adaptativa.

4. Vários conceitos são utilizados para definir uma espécie. De maneira geral podemos dizer que uma
espécie representa um conjunto de indivíduos com potencial, em condições naturais, de cruzarem
entre si e gerarem descendentes férteis. Vários fatores podem produzir novas espécies, ou especiação.
Isso se dá quando uma espécie deriva-se de outra reprodutivamente isolada, podendo esta nova
espécie manter ou não relações geográficas com seu ancestral.
Assinale a alternativa que representa um processo que pode favorecer a especiação:
a) Populações que vivem no mesmo ambiente e que se reproduzem em épocas diferentes
apresentam um isolamento estacional.
b) Populações com parceiros em potencial copulam, porém a fecundação não ocorre devido à
ausência de transferência de espermatozoides, já que eles morrem, favorecendo o mecanismo de
isolamento pré-copulatório.
c) Populações com parceiros em potencial encontram-se, mas não copulam, favorecendo o
mecanismo de isolamento mecânico.
d) Populações que escolhem seus parceiros avaliando seus comportamentos apresentam um
isolamento temporal.
e) Populações que vivem no mesmo ambiente e que se reproduzem em épocas diferentes
apresentam um isolamento gamético.

5. Foi o naturalista inglês Charles Darwin (18091882), em sua obra intitulada A Origem das Espécies, que
sugeriu que a evolução é um processo de divergência, onde espécies semelhantes seriam
descendentes de uma única espécie que teria existido no passado, a partir de um ancestral comum.
Podemos afirmar corretamente que a especiação, no geral, inicia-se quando:
a) Acontece a troca de genes entre duas espécies diferentes ocupantes de um mesmo espaço, não
isoladas geograficamente.
b) Não ocorre a troca de genes entre duas espécies, mesmo que não haja isolamento geográfico.
c) Ocorre a troca de genes entre duas populações que coexistem em um mesmo espaço, não isoladas
geograficamente.
d) A troca de genes entre duas espécies torna-se restrita em virtude do isolamento geográfico das
mesmas.

6. O processo de formação de uma nova espécie é chamado de especiação e pode ocorrer de várias
maneiras. Quando a especiação acontece em decorrência do surgimento de uma barreira geográfica,
ela é denominada de:
a) Especiação simpátrica.
b) Especiação disruptiva.
c) Especiação parapátrica.
d) Especiação alopátrica.

7. A organização de indivíduos e populações em espécies evita a degradação de genótipos maduros,


bem sucedidos, que ocorreria caso se misturassem com genótipos incompatíveis. A hibridação,
quando possível, costuma produzir indivíduos inferiores, muitas vezes estéreis, Isso demonstra que os
genótipos, por serem sistemas harmoniosos e bem ajustados, devem ser similares para que um
cruzamento seja bem sucedido.

Bio.2
(MAYR, 2009, p. 202).

Considerando-se as etapas necessárias para o estabelecimento da especiação a partir de populações


originais e a importância desse processo evolutivo na diversidade da vida, é possível afirmar:
a) Genótipos incompatíveis se expressam inexoravelmente na formação de híbridos inferiores ou
estéreis.
b) A hibridação produz indivíduos inferiores devido à baixa estatura provocada pelo nascimento
precoce das crias.
c) Na especiação simpátrica, o distanciamento genético que provoca a incompatibilidade entre os
indivíduos se estabelece apesar da interação persistente entre os grupos.
d) Organismos capazes de produzir descendentes não devem apresentar diferenças significativas no
seu conjunto gênico que justifiquem algum tipo de progresso especiativo.
e) O isolamento geográfico em populações alopátricas favorece uma aproximação do conjunto
gênico durante o processo de especiação.
8. Num contexto de isolamento geográfico, as raças podem originar espécies (especiação) distintas ou,
após a eliminação da barreira geográfica, confluir para formar populações com maior variabilidade.
Populações e espécies também estão sujeitas à extinção. Ao longo da evolução, as taxas de especiação
e extinção têm variado principalmente em função de alterações no meio ambiente. Mas, nos últimos
tempos, devido à ação humana, as extinções têm superado em muito as taxas de surgimento de novas
espécies. A esse respeito, assinale a afirmação incorreta.
a) Na especiação natural, um mesmo gene alelo pode ter diferentes valores adaptativos em diferentes
ambientes.
b) A fragmentação de um ecossistema pode favorecer a oscilação gênica contribuindo para a
extinção de determinadas espécies.
c) A seleção natural aumenta a variabilidade genética de uma determinada população isolada de
outras populações.
d) Espécies muito diferentes podem convergir para se tornar mais semelhantes devido à seleção de
características adaptativas em um determina o ambiente.

9. A especiação é o passo fundamental do processo evolutivo. Através dela formam-se as espécies


biológicas que são reprodutivamente isoladas de outros grupos desse tipo. Qual das alternativas abaixo
representa a sequência correta de eventos necessários para que a especiação ocorra?
a) Formação de raças divergência genética isolamento reprodutivo isolamento geográfico.
b) Divergência genética formação de raças isolamento geográfico isolamento reprodutivo.
c) Isolamento geográfico divergência genética formação de raças isolamento reprodutivo.
d) Isolamento reprodutivo formação de raças isolamento geográfico divergência genética.
e) Isolamento reprodutivo divergência genética formação de raças isolamento geográfico.

10. Uma população foi subdividida em duas por uma barreira geográfica. Após um longo tempo, essa
barreira desaparece e as populações entram em contato. Para que tenha havido especiação, é
fundamental que tenha ocorrido:
a) Variabilidade genética.
b) Oscilação genética.
c) Mutação cromossômica.
d) Isolamento reprodutivo.
e) Alteração fenotípica.

11. A especiação do Homo sapiens tem pouca chance de ocorrer, considerando-se a atual condição da
espécie humana. Assinale a afirmação que melhor sustenta essa hipótese.
a) A ciência moderna tem eliminado as mutações humanas.
b) Os medicamentos atuais diminuem a incidência de doenças.
c) Os postulados de Darwin não se aplicam à espécie humana.

Bio.2
d) As alterações ambientais que favorecem a especiação são cada vez menores.
e) Os meios modernos de locomoção e comunicação têm diminuído ou eliminado os isolamentos
geográficos.

12. Sobre o conceito de especiação, é incorreto afirmar que.


a) As espécies de tentilhões descobertos por Darwin nas Ilhas Galápagos surgiram por especiação
simpátrica.
b) A especiação alopátrica envolve isolamento geográfico, diversificação gênica e isolamento
reprodutivo.
c) Todos os indivíduos pertencentes à mesma espécie compartilham de um patrimônio gênico
característico e por isso possuem um conjunto básico de características morfológicas e funcionais.
d) A especiação alopátrica ocorre quando uma população torna-se geograficamente separada do
restante da espécie e subsequentemente evolui por seleção natural ou deriva gênica.
e) A especiação pode ocorrer após um longo período de separação geográfica de duas populações
da mesma espécie.
13. Sobre as diversas raças de cães, pode- se dizer que:
a) pertencem todas a uma mesma espécie, originada pela hibridação de espécies ancestrais
diferentes.
b) há diferentes espécies originadas de uma mesma espécie ancestral.
c) há três espécies diferentes que englobam, respectivamente, os cães de porte grande, médio e
pequeno.
d) há uma única espécie cuja diversificação em raças ocorreu pela seleção artificial.
e) há categorias taxionômicas que ainda não estão definidas.

14. Um pesquisador observou que os vaga-lumes de uma dada população (A) emitem sinais luminosos
longos e azulados e que os de outra população (B) emitem sinais curtos e avermelhados; observou
também que os animais da população A não se cruzam com os da população B. Essas observações
exemplificam um caso de isolamento reprodutivo do tipo
a) mecânico.
b) estacional.
c) ecológico.
d) gamético.
e) etológico.

15. Assinale a alternativa que apresenta um fator que explique o processo de especiação.
a) isolamento reprodutivo
b) seleção natural
c) presença de fluxo gênico (troca de genes)
d) migração
e) grande capacidade reprodutiva dos seres vivos

QUESTÃO CONTEXTO
Os X-Men
com habilidades especiais e super poderes. Apesar da aparência semelhante aos humanos ( Homo sapiens),
os mutantes são cientificamente chamados de Homo superior, ou seja, há duas populações humanóides de
espécies diferentes na Terra.

Bio.2

A) Sabendo que o surgimento dos Mutantes foi por conta de um salto evolucionário aleatório, diga o tipo
de especiação que houve entre os humanos e os mutantes, e o porquê de sua resposta.
B) Os não Homo superior conseguem se reproduzir com os humanos. É correto afirmar que,
biologicamente, eles são de espécies distintas?
GABARITO

Exercícios

1. e
A ausência de fluxo gênico entre as plantas eventualmente gera um isolamento reprodutivo, impedindo
que elas reproduzam entre si, fenômeno importante para o processo de especiação.

2. e
Através do cruzamento entre diferenças raças, há uma manutenção do fluxo gênico entre raças muito
diferentes, impedindo assim o processo de especiação, já que o isolamento reprodutivo não é completo.

3. d
O isolamento geográfico força o isolamento reprodutivo e gera novas pressões seletivas no ambiente,
modificando assim a população que foi separada. Esse processo é chamado especiação alopátrica.

4. a
A estação reprodutiva em diferentes épocas do ano é um mecanismo de isolamento pré-zigótico
conhecido como isolamento estacional.

5. d
O isolamento geográfico é um mecanismo que impede o fluxo gênico entre partes da população, e pode
levar a uma especiação alopátrica.

6. d
A especiação com barreira geográfica é chamada alopátrica.

7. c
Na especiação simpátrica, apesar de não haver isolamento geográfico entre os grupos, ainda assim surge
um isolamento reprodutivo entre partes da população.

8. c

Bio.2
A seleção natural é um mecanismo que diminui a variabilidade genética, não aumenta.

9. c
Normalmente, a especiação se inicia com um isolamento geográfico, e as pressões seletivas distintas
entre os ambientes e o impedimento de fluxo gênico causa uma divergência genética, que ocasiona na
formação de novas raças e, eventualmente, um isolamento reprodutivo total.

10. d
Sem isolamento reprodutivo, sem especiação.

11. e
Barreiras geográficas hoje são praticamente insignificante para seres humanos, tendo em vista que os
meios de transporte hoje evoluíram ao ponto de integrar pessoas até de continentes distintos.

12. a
Os tentilhões são um exemplo de especiação alopátrica.

13. d
Todas as raças de cães pertencem a mesma espécie, e foram geradas a partir da seleção artifical de
características desejadas pelos seres humanos.

14. e
O isolamento reprodutivo pré-zigoto comportamental também pode ser conhecido como isolamento
etológico.

15. a
Apenas através da interrupção do fluxo gênico por isolamento reprodutivo pode haver especiação.

Questão Contexto

A) Os humanos e os Mutantes vivem em um mesmo território na Terra, e as características que os levaram a


ser de espécies diferentes surgiu, como o nome sugere, por mutações genéticas no meio da população. Este
tipo de especiação é chamada de simpátrica.
B) Sim, pois de acordo com o conceito biológico de espécie, indivíduos são de uma mesma espécie caso
consigam se reproduzir entre si e ter descendentes férteis.

Bio.2
Bio. Professor: Rubens Oda
Alexandre Bandeira
Monitor: Hélio Fresta

Bio.1
18
Fermentação e Respiração Anaeróbica
mai

RESUMO
A fermentação é um processo anaeróbico, que envolve a obtenção de energia a partir da glicólise, e
subsequente formação de produtos secundários, que variam de acordo com o processo fermentativo. Há
diversas formas de fermentação, mas as duas principais são:

Fermentação lática: Devolução do H para o piruvato pelo NAD2H, formando lactato/ácido lático. É realizada
por lactobacilos e pelas células musculares, principalmente. Gera apenas 2 ATP. Pode ser empregada para
fabricação de iogurte.

Fermentação alcoólica: O piruvato sofre uma descarboxilação, liberando CO2. Isso origina uma molécula de
acetaldeído, que receberá dois H oriundos do NAD2H, formando um etanol. É realizada apenas por fungos,
em especial as leveduras. Pode ser utilizada para fabricação de combustíveis, pães, massas, bebidas
alcoólicas, entre outros produtos. O CO2 liberado faz a massa do pão crescer e o etanol pode ser usado para
consumo (cervejas, vinhos) ou para combustível.

EXERCÍCIOS
1. Na padaria, a fila para comprar pão era grande. O padeiro justificou que o pão não estava pronto
porque a estufa, onde a massa era mantida, havia quebrado e a massa não havia crescido.
Na produção do pão, a estufa é importante, pois garante a temperatura adequada para
a) o processo de respiração anaeróbica das leveduras adicionadas à receita, que produzem o
oxigênio que faz a massa crescer antes de ser assada.
b) a expansão do gás carbônico produzido pela respiração dos fungos adicionados à receita,
expansão essa que garante o crescimento da massa.
c) a evaporação da água produzida pela respiração das leveduras adicionadas à receita, sem o que a
massa não cresceria, pelo excesso de umidade.
d) o processo de fermentação dos fungos adicionados à receita, o que faz com que a massa cresça
antes de ser assada.
e) a evaporação do álcool produzido pela fermentação das leveduras adicionadas à receita; álcool
que, em excesso, mataria essas leveduras, prejudicando o crescimento da massa.

Bio.1
2. obtida pela fermentação alcoólica do mosto simples

Os pequenos produtores adicionam essas leveduras ao mosto (uvas esmagadas, suco e cascas) com
os tanques abertos, para que elas se reproduzam mais rapidamente. Posteriormente, os tanques são
hermeticamente fechados. Nessas condições, pode-se afirmar, corretamente, que
a) o vinho se forma somente após o fechamento dos tanques, pois, na fase anterior, os produtos da
ação das leveduras são a água e o gás carbônico.
b) o vinho começa a ser formado já com os tanques abertos, pois o produto da ação das leveduras,
nessa fase, é utilizado depois como substrato para a fermentação.
c) a fermentação ocorre principalmente durante a reprodução das leveduras, pois esses organismos
necessitam de grande aporte de energia para sua multiplicação.
d) a fermentação só é possível se, antes, houver um processo de respiração aeróbica que forneça
energia para as etapas posteriores, que são anaeróbicas.
e) o vinho se forma somente quando os tanques voltam a ser abertos, após a fermentação se
completar, para que as leveduras realizem respiração aeróbica.
3. Muitas contaminações do solo por combustíveis orgânicos chegam ao solo sub-superficial, onde a
disponibilidade de oxigênio é mais baixa. Assim, uma das propostas existentes no Brasil é a de que a
atividade de degradação por microrganismos anaeróbicos presentes nesses solos seja estimulada, já
que são ricos em ferro oxidado. Nessa situação, o ferro exerceria função fisiológica equivalente à do
oxigênio, que é a de:
a) Reduzir os poluentes orgânicos.
b) Catalizar as reações de hidrólise.
c) Aceitar elétrons da cadeia respiratória.
d) Doar elétrons para a respiração anaeróbia.
e) Complexar-se com os poluentes orgânicos.

4. Alguns processos industriais resultam da atividade fermentativa de microrganismos. Com relação a


esse processo biológico, é incorreto afirmar que:
a) Na produção de iogurte, coalhadas e queijo, a lactose é fermentada por microrganismos,
originando o ácido lático.
b) Na produção de vinhos, as leveduras presentes nas cascas das frutas convertem a glicose e a
frutose em etanol.
c) Na produção do álcool etílico, utilizado como combustível, os açúcares da cana-de-açúcar são
fermentados aerobicamente.
d) Na produção de pães, a fermentação do amido presente no trigo produz etanol e libera CO 2, o
que faz a massa crescer.

5. As últimas Olimpíadas ficaram marcadas pelos sucessivos recordes alcançados em todas as áreas. O
aumento gradativo do rendimento dos atletas mostrou claramente maior preparo físico. O sucesso
deles está ligado à ciência e à tecnologia, que têm sido importantes aliadas na obtenção de melhores
desempenhos. Fisiologistas esportivos num centro de treinamento olímpico monitoram os atletas para
determinar a partir de que ponto seus músculos entram em processo de fadiga muscular. Eles fazem
essa análise sob condições _______ e investigando o aumento, nos músculos, de _______. Assinale a
alternativa que apresenta, pela ordem, informações adequadas para o preenchimento das lacunas.
a) aeróbicas e ácido láctico.
b) anaeróbicas e ácido acético.
c) anaeróbicas e ATP.
d) aeróbicas e ATP.
e) anaeróbicas e ácido láctico.

6. vários produtos importantes através da fermentação. O


queijo suíço, por exemplo, é fabricado pela fermentação de uma bactéria que forma ácido propiônico
e gás carbônico. Esse gás forma as bolhas que se transformam nos famosos buracos do queijo suíço.

Bio.1
Outra bactéria forma ácido acético, fermentando a sidra (vinho da maçã) ou vinho da uva, produzindo
vinagre. O ranço da manteiga se deve ao ácido butírico, que também é produto da fermentação de
bactérias. O álcool usado como combustível e como solvente, além de outros solventes como a

Volume 1 pág. 166).

A origem dos diversos resíduos da fermentação, como os citados no texto, depende da:
a) Variação de temperatura em que ocorrem as reações do processo.
b) Quantidade de energia produzida na forma de ATP ao longo da reação.
c) Forma de devolução dos hidrogênios capturados pelo NAD ao ácido pirúvico.
d) Natureza química da molécula utilizada como matéria-prima na reação.
e) Disponibilidade de água como aceptor final de hidrogênios.
7. Enquanto os organismos superiores utilizam a respiração aeróbia para obter energia, algumas
bactérias e fungos utilizam a fermentação. Esses processos compreendem um conjunto de reações
enzimáticas,nos quais compostos orgânicos são degradados em moléculas mais simples. As afirmativas
a seguir estão relacionadas a esses processos.
I. A glicólise é o processo inicial da respiração e fermentação.
II. As leveduras fermentam açúcares para produzir álcool etílico.
III. A fermentação é mais eficiente em rendimento energético do que a respiração.
Com relação às afirmativas, assinale a alternativa correta.
a) I e II são verdadeiras.
b) II e III são verdadeiras.
c) I, II e III são verdadeiras.
d) I e III são verdadeiras.

8. A fermentação é um processo biológico mais ou menos universal, que permite a obtenção de energia
pelos organismos em condições anaeróbias. Conhecida desde a Antiguidade, a fermentação alcoólica
é utilizada pelo homem para a produção de pães e de bebidas fermentadas, como o vinho. No caso
do vinho, um fungo microscópico, o Saccharomyces cerevisiae, transforma o açúcar da uva em gás
carbônico e álcool. Os vinhos têm geralmente uma taxa de 13% de álcool. A partir de certa
concentração, no entanto, o próprio álcool acaba se tornando tóxico para o fungo, que não sobrevive.
Na região do Porto, em Portugal, célebre pelos vinhos que produz, costuma-se interromper a
fermentação num certo estágio, acrescentando ao vinho uma aguardente vínica, produto rico em
álcool etílico. O vinho assim obtido, quando comparado ao vinho que sofreu fermentação normal, é:
a) Mais doce, com menor teor de álcool.
b) Mais doce, com teor alcoólico maior.
c) Menos doce, com maior teor de álcool.
d) Menos doce, com menor teor de álcool.
e) Mais doce, com igual teor alcoólico.

9. O etanol é um dos principais biocombustíveis no Brasil, sendo produzido a partir da fermentação


alcoólica da cana-de-açúcar pela levedura Saccharomyces cerevisiae. Em relação a esses organismos
assinale a afirmativa incorreta.
a) A levedura possui mitocôndrias, mas essas organelas não participam da fermentação alcoólica,
pois é um processo anaeróbico.
b) A levedura envolvida na fermentação é um organismo procarionte, pois não apresenta núcleo
individualizado.
c) A levedura envolvida na fermentação pertence ao reino Fungi, que inclui tanto organismos
unicelulares quanto pluricelulares.
d) A levedura realiza a fermentação alcoólica para obtenção de energia, cujo subproduto do

Bio.1
processo é o etanol.

10. Os princípios básicos envolvidos na fabricação de vinho são simples. Depois de esmagadas as uvas
devidamente amadurecidas, obtém-se um suco fresco chamado mosto, que é rico em açúcares,
constituindo-se em um excelente meio de cultivo para determinados microrganismos. Sobre esse
assunto, julgue as proposições a seguir:
I. A fermentação do suco de uva deve ocorrer essencialmente na presença de O 2 para inibir o
desenvolvimento das leveduras do gênero Saccharomyces.
II. O tipo de fermentação, lática ou alcoólica, pode interferir na qualidade final do produto.
III. No processo de fabricação do vinho, os fungos fermentam os açúcares para obter energia,
liberando gás carbônico e álcool etílico.

Marque a proposição correta.


a) Apenas a proposição I é verdadeira.
b) Apenas a proposição II é verdadeira.
c) Apenas a proposição III é verdadeira.
d) Apenas as proposições I e II são verdadeiras.
e) Apenas as proposições II e III são verdadeiras.
11. Na produção industrial de vinagre a partir do álcool, utilizam-se bactérias que participam do processo:
a) Através da respiração aeróbica.
b) Convertendo o ácido pirúvico em ácido lático.
c) Produzindo ácido acético na ausência de oxigênio.
d) Através da fermentação láctica.
e) Através da respiração anaeróbica do tipo alcoólico.

12. Dois microrganismos, X e Y, mantidos em meio de cultura sob condições adequadas, receberam a
mesma quantidade de glicose como único substrato energético. Após terem consumido toda a glicose
recebida, verificou-se que o microrganismo X produziu três vezes mais CO 2 do que o Y. Considerando-
se estas informações, concluiu-se ter ocorrido:
a) Fermentação alcoólica no microrganismo X.
b) Fermentação lática no microrganismo X.
c) Respiração aeróbica no microrganismo Y.
d) Fermentação alcoólica no microrganismo Y.
e) Fermentação lática no microrganismo Y.

13. 6.000 a.C.: babilônios e sumérios utilizam lêvedo para produzir cerveja;4.000 a.C.: egípcios descobrem
como fazer pão fermentado. Ainda na Antiguidade: transformação do leite em iogurte e uso do mofo
na elaboração de queijo.
(FOLHA, 06/08/98)
As informações contidas no artigo anterior envolvem um processo biológico fundamental para os seres
vivos que o realizam. Todas as opções apresentam conceitos corretos sobre esse processo, exceto
uma. Assinale-a.
a) Na fabricação de iogurte e queijo o produto formado é o ácido láctico.
b) Na fabricação de cerveja e pão os produtos formados são etanol e gás carbônico.
c) Nesse processo a molécula orgânica utilizada é degradada a ácido pirúvico.
d) O saldo energético obtido, nos dois processos, é de 2 ATP.
e) Os seres que realizam esse processo objetivam conseguir matéria-prima para sua nutrição.

14. A dança representa um dos importantes meios de liberação de energia corporal. Surgiu pela
necessidade do homem extravasar suas emoções. No contexto histórico servia antigamente como
meio de comunicação, sendo, portanto, a mais antiga das artes, e talvez a mais completa também.
Como atividade aeróbica, em 1 hora de dança do ventre, por exemplo, uma pessoa bem condicionada
fisicamente, com 58 kg, pode perder 334,95 kcal. Notar que durante o inverno a perda calórica pode
ser maior, pois o organismo despende quantidade maior de energia para manter a temperatura
corporal por volta de 36 e 37 graus. Considerando o exposto acima, pode-se afirmar corretamente
que:

Bio.1
a) Após 3 h de exercícios, dependendo do estado físico da pessoa, uma dançarina de dança do ventre
não sofrerá com acidose láctea, presente no sistema muscular, após realizar respiração anaeróbica.
b) Após 3 h de exercícios, dependendo do estado físico da pessoa, uma dançarina de dança do ventre
não sofrerá com acidose láctea, presente no sistema muscular, após realizar respiração aeróbica.
c) Após 3 h de exercícios, independentemente do estado físico da pessoa, uma dançarina de dança
do ventre sofrerá com acidose láctea, presente no sistema muscular, após realizar respiração
anaeróbica.
d) Após 3 h de exercícios, independentemente do estado físico da pessoa, uma dançarina de dança
do ventre não será acometida de acidose láctea, presente no sistema muscular, após realizar
respiração aeróbica.
e) Após 3 h de exercícios, dependendo do estado físico da pessoa, uma dançarina de dança do ventre
poderá sofrer com acidose láctea, presente no sistema muscular após realizar respiração
anaeróbica.
15. Sovar a massa do pão significa amassá-la vigorosamente, batê-la contra o tampo de uma mesa até que
fique bem compactada. Segundo os coz
-se, pois permite a mistura adequada dos ingredientes:
a) Entre os quais leveduras aeróbicas estritas que, misturadas à massa, realizam respiração aeróbica,
convertendo os carboidratos da receita em CO 2 e água. O CO2permanece preso no interior da
massa, aumentando o seu volume.
b) Entre os quais bactérias fermentadoras que, misturadas à massa, realizam fermentação láctica,
convertendo a lactose do leite da receita em CO2 e ácido lático. O CO2 permanece preso no
interior da massa, aumentando o seu volume.
c) Entre os quais leveduras aeróbicas facultativas que, misturadas à massa, realizam respiração
aeróbica, convertendo os carboidratos da receita em CO 2 e água. O CO2permanece preso no
interior da massa, aumentando o seu volume.
d) Além de propiciar um ambiente anaeróbico adequado para as leveduras anaeróbicas facultativas
realizarem fermentação alcoólica, convertendo os carboidratos da receita em CO 2 e álcool. O
CO2 permanece preso no interior da massa, aumentando o seu volume.
e) Além de incorporar à massa o ar atmosférico. Nesse ambiente aeróbico, leveduras aeróbicas
estritas realizam fermentação alcoólica, convertendo os carboidratos da receita em CO 2 e álcool.
O CO2 permanece preso no interior da massa, aumentando o seu volume.

QUESTÃO CONTEXTO
A fermentação de compostos orgânicos, como cana-de-açúcar, milho, entre outros, pela ação de
microrganismos como as leveduras pode ser utilizada para a produção de combustíveis, como o etanol. Qual
é o tipo de fermentação empregada pelas leveduras? Quais seus produtos? Qual seu saldo energético?

Bio.1
GABARITO

Exercícios

1. d
A massa cresce antes de ser assada devido ao processo de fermentação alcoólica das leveduras, fungos
unicelulares que, em condições anaeróbicas, realizam essa fermentação e liberam gás carbônico na
massa, o que a faz inchar.

2. a
Se o tanque estiver aberto, as leveduras fazem respiração aeróbica. Apenas após o fechamento dos
tanques, tornando o ambiente anaeróbico, as leveduras iniciam o processo de fermentação alcoólica
necessário para fabricar o vinho.

3. c
A função do Ferro, neste caso, é agir como um aceptor de elétrons, assim como o oxigênio o faz na
respiração aeróbica.

4. c
A fermentação é um processo anaeróbico.

5. e
As células musculares estriadas esqueléticas são capazes de realizar fermentação lática quando
submetidas a esforços intensos, causando o acúmulo de ácido lático na musculatura.

6. c
A origem dos subprodutos da fermentação, como o ácido lático, ou etanol, ou ácido acético, nada mais
são que maneiras químicas de remover o hidrogênio do NAD+, livrando-o para receber hidrogênios de
outra glicose degradada.

7. a
O rendimento energético da fermentação é muito menor que da respiração.

Bio.1
8. b
O vinho terá maior teor alcoólico, devido a aguardente adicionada, e mais doce, já que a fermentação
do fungo foi interrompida, interrompendo o consumo da glicose.

9. b
A levedura é eucarionte, apresenta núcleo individualizado e organelas membranosas.

10. e
As leveduras realizam fermentação apenas em ambiente anaeróbico.

11. c
Algumas bactérias realizam fermentação acética, um processo anaeróbico que resulta na produção de
ácido acético.
12. d
O organismo X realiza respiração aeróbica, produzindo assim 6 moléculas de CO2 por glicose consumida.
O organismo Y produz a terça parte disso, ou seja, 2 moléculas de CO2, portanto, trata-se da fermentação
alcoólica.

13. e
O objetivo do processo não é obter matéria-prima para nutrição, é degradar essa matéria-prima para
obtenção de energia.

14. e
O esforço intenso envolvido na dança pode ocasionar na acidose do sistema muscular, decorrente da
fermentação lática dos músculos.

15. d
Sovar a massa propicia um ambiente anaeróbico, fundamental para a fermentação alcoólica realizada
pelas leveduras do fermento biológico que a massa leva. O CO2 aprisionado na massa faz com que ela
cresça.

Questão Contexto

Fermentação alcoólica. Tem como subprodutos o etanol e o CO2. O saldo energético é de 2 ATPs.

Bio.1
Bio. Professor: Rubens Oda
Alexandre Bandeira
Monitor: Hélio Fresta

Bio.1
21/25
Fotossíntese e Quimiossíntese
mai

RESUMO
A fotossíntese é o processo de síntese de matéria orgânica através da luz. A principal estrutura responsável
por este processo é o cloroplasto, uma estrutura que se assemelha as bactérias, com DNA circular,
ribossomos 70s e membrana dupla. Além disso, o cloroplasto possui estruturas que são peculiares como:

(fonte: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/bioquimica/bioquimica10.php)

Lamelas - projeções da membrana interna onde ficam dispostos os tilacóides


Tilacóides - onde ocorrerá a Fase Clara da fotossíntese
Granum - conjunto de tilacóides
Estroma - local onde ocorre a Fase Escura da fotossíntese

A equação geral da fotossíntese é:

Bio.1

Fase Clara ou Fotoquímica


1. Fotofosforilação Cíclica
Nesta fase a clorofila é excitada pela luz e os elétrons vão passando através de transportadores
deixando a energia para a transformação de ADP em ATP
(Fonte: http://salabioquimica.blogspot.com.br/2014/06/fotossintese-fases-clara-e-escura.html)

1. Fosforilação Acíclica e Fotólise da água


Nesta fase o elétron excitado pela luz sai da clorofila A, passando por transportadores, porém, não
voltam a clorofila A e param no NADP. Esta clorofila A que necessita dos elétrons é reabastecida pela
clorofila B, que perde elétrons pela excitação da luz. A molécula de água sofre fotólise e é quebrada
em H+ + OH-, onde os elétrons do OH- vão para a clorofila B, equilibrando-a. Os H+ se juntam ao
NADP, formando NADP2H e o restante servirá para a formação do oxigênio.

Bio.1
(Fonte: http://salabioquimica.blogspot.com.br/2014/06/fotossintese-fases-clara-e-escura.html)

Fase escura ou Enzimática


Nesta fase é utilizado os ATPs e NADP2H da fase clara juntamente com o CO2. Este CO2 será fixado em
ribulose bifosfato no ciclo de Calvin-Benson. Neste processo é liberado após duas voltas no ciclo 2 PGAL,
que servirão para a formação da glicose.
Bio.1
(Fonte: http://salabioquimica.blogspot.com.br/2014/06/fotossintese-fases-clara-e-escura.html)

Alguns fatores podem interferir na taxa de fotossíntese. São eles:

• Concentração de CO2
Sem CO2, a taxa de fotossíntese é nula. Conforme aumenta sua concentração, a taxa fotossintética
aumenta junto, até determinado ponto, considerado o ponto de saturação, em que a taxa de
fotossíntese deixa de aumentar, não importa quanto CO2 seja fornecido.

• Intensidade luminosa

A fotossíntese também exige intensidade luminosa. Sem luz, sem fotossíntese. A respiração, por
outro lado, independe da intensidade luminosa, e muitas vezes esses dois pontos são cobrados
juntos.
Se a taxa de fotossíntese é abaixo da taxa de respiração, a planta está consumindo suas reservas,
como em I. Em II, a planta faz fotossíntese e respira em igual proporção, não havendo nem consumo
nem criação de reservas. A partir de III, a planta produz mais do que consome, logo, forma reservas
energéticas. Há um ponto a partir do qual não importa quanta luz seja adicionada, a planta não irá
fazer mais fotossíntese, esse ponto é chamado ponto de saturação luminosa.

Quimiossíntese
É o processo de geração de energia através da oxidação de substâncias inorgânicas para a produção de
substâncias orgânicas como a glicose. Somente as bactérias são capazes de realizar esta atividade. Elas
obedecem a esta equação geral.

(fonte: https://descomplica.com.br/blog/biologia/resumo-fotossintese-e-quimiossintese/)

Bio.1
Segue um exemplo com nitrobactérias:
EXERCÍCIOS
1. Um molusco, que vive no litoral oeste dos EUA, pode redefinir tudo o que se sabe sobre a divisão entre
animais e vegetais. Isso porque o molusco (Elysia chlorotica) é um híbrido de bicho com planta.
Cientistas americanos descobriram que o molusco conseguiu incorporar um gene das algas e, por isso,

CO2, como as plantas.


GARATONI, B. Superinteressante. Edição 276, mar. 2010 (adaptado).

A capacidade de o molusco fazer fotossíntese deve estar associada ao fato de o gene incorporado
permitir que ele passe a sintetizar
a) clorofila, que utiliza a energia do carbono para produzir glicose.
b) citocromo, que utiliza a energia da água para formar oxigênio.
c) clorofila, que doa elétrons para converter gás carbônico em oxigênio.
d) citocromo, que doa elétrons da energia luminosa para produzir glicose.
e) clorofila, que transfere a energia da luz para compostos orgânicos.

2. O aquecimento global, ocasionado pelo aumento do efeito estufa, tem como uma de suas causas a
disponibilização acelerada de átomos de carbono para a atmosfera. Essa disponibilização acontece,

Bio.1
por exemplo, na queima de combustíveis fósseis, como a gasolina, os óleos e o carvão, que libera o
gás carbônico (CO2) para a atmosfera. Por outro lado, a produção de metano (CH4), outro gás
causador do efeito estufa, está associada à pecuária e à degradação de matéria orgânica em aterros
sanitários.

Apesar dos problemas causados pela disponibilização acelerada dos gases citados, eles são
imprescindíveis à vida na Terra e importantes para a manutenção do equilíbrio ecológico, porque, por
exemplo, o
a) metano é fonte de carbono para os organismos fotossintetizantes.
b) metano é fonte de hidrogênio para os organismos fotossintetizantes.
c) gás carbônico é fonte de energia para os organismos fotossintetizantes.
d) gás carbônico é fonte de carbono inorgânico para os organismos fotossintetizantes.
e) gás carbônico é fonte de oxigênio molecular para os organismos heterotróficos aeróbios.
3. A fotossíntese é importante para a vida na Terra. Nos cloroplastos dos organismos fotossintetizantes, a
energia solar é convertida em energia química que, juntamente com água e gás carbônico (CO2), é
utilizada para a síntese de compostos orgânicos (carboidratos). A fotossíntese é o único processo de
importância biológica capaz de realizar essa conversão. Todos os organismos, incluindo os produtores,
aproveitam a energia armazenada nos carboidratos para impulsionar os processos celulares, liberando
CO2 para a atmosfera e água para a célula por meio da respiração celular. Além disso, grande fração
dos recursos energéticos do planeta, produzidos tanto no presente (biomassa) como em tempos
remotos (combustível fóssil), é resultante da atividade fotossintética.

As informações sobre obtenção e transformação dos recursos naturais por meio dos processos vitais
de fotossíntese e respiração, descritas no texto, permitem concluir que
a) o CO2 e a água são moléculas de alto teor energético.
b) os carboidratos convertem energia solar em energia química.
c) a vida na Terra depende, em última análise, da energia proveniente do Sol.
d) o processo respiratório é responsável pela retirada de carbono da atmosfera.
e) a produção de biomassa e de combustível fóssil, por si, é responsável pelo aumento de CO2
atmosférico.

4. Pesquisadores conseguiram estimular a absorção de energia luminosa em plantas graças ao uso de

por uma montagem espontânea, através das membranas dos cloroplastos. Pigmentos da planta

dos cloroplastos, e a planta utiliza em seguida essa energia elétrica para a fabricação de açúcares. Os
nanotubos de carbono podem absorver comprimentos de onda habitualmente não utilizados pelos
cloroplastos, e os pesquisadores tiveram a ideia de utilizá-
de energia solar pelos cloroplastos, com o aumento do transporte de elétrons. Nanotubos de carbono
incrementam a fotossíntese de plantas.
Disponível em: http://lqes.iqm.unicamp.br. Acesso em: 14 nov. 2014 (adaptado).

O aumento da eficiência fotossintética ocorreu pelo fato de os nanotubos de carbono promoverem


diretamente a
a) utilização de água.
b) absorção de fótons.
c) formação de gás oxigênio.
d) proliferação dos cloroplastos.
e) captação de dióxido de carbono.

5. No metabolismo energético de organismos autótrofos, as substâncias do ambiente, como água e o


gás carbônico, são utilizados para a síntese de carboidratos, lipídeos e proteínas.

Bio.1

O esquema apresentado na figura ilustra um tipo de processo autotrófico, sobre o qual se verifica o
seguinte:
a) Substâncias orgânicas são sintetizadas por quimiossíntese.
b) Gás sulfídrico, enxofre e amônia bloqueiam o metabolismo.
c) Carboidratos são sintetizados devido à presença de luz.
d) Outros seres vivos são essenciais na cadeia alimentar.
6. É difícil manter as moléculas de oxigênio livres, apesar de ele ser o terceiro elemento mais abundante
do Universo, formado nas fornalhas densas no interior das estrelas. Isso porque o oxigênio é
extremamente reagente e pode formar compostos com quase todos os elementos da tabela periódica.
Então como a Terra acabou com uma atmosfera composta por praticamente 21% desse gás? A resposta
está nos minúsculos organismos conhecidos como cianobactérias ou algas azuis. Esses micro-
organismos realizam a fotossíntese utilizando luz solar, água e dióxido de carbono para produzir
carboidratos e, também, oxigênio. Na verdade, até hoje, todas as plantas da Terra contêm
cianobactérias conhecidas como cloroplastos que participam da fotossíntese. (BIELLO, 2009).
Considerando-se as informações do texto e os conhecimentos acerca do processo fotossintético, é
correto afirmar, exceto:
a) Os glicídios produzidos através da fotossíntese representam fonte de energia para as atividades
metabólicas dos seres autótrofos.
b) Os cloroplastos, segundo a teoria endossimbiótica, derivaram da simbiose entre um micro-
organismo autótrofo capaz de captar energia luminosa e uma célula hospedeira heterotrófica.
c) A fotossíntese compreende uma série complexa de reações químicas, dentre as quais a fixação do
carbono depende diretamente da luz para ocorrer.
d) O gás oxigênio presente na atmosfera é produzido a partir da decomposição da molécula de água,
sob ação direta da luz.
e) A fotossíntese representa um processo anabólico que permite a conversão de energia luminosa
em energia química.

7. As figuras abaixo se referem ao sistema fotossintético do vegetal representado por uma folha sob duas
situações ambientais.

A interpretação dessas figuras que esquematicamente destacam aspectos relacionados ao processo da


fotossíntese envolve reconhecer que:
a) A energia solar incidente é convertida em energia química potencializada na estrutura molecular da
glicose.
b) O CO2 absorvido, principalmente nos estômatos, é decomposto com desprendimento do oxigênio

Bio.1
e fixação do carbono.
c) O CO2 que é eliminado da planta principalmente durante a noite resulta da oxidação de moléculas
orgânicas, e é simultaneamente utilizado na fotossíntese.
d) A clorofila atua como molécula que é sensível à energia solar e é mais eficiente na absorção das
radiações que são percebidas como luz verde.
e) A produtividade primária da fotossíntese é, em sua maior parte, convertida em celulose, principal
reserva da planta.

8.
as diversas etapas da redução de CO2 a glicídios. Esses pesquisadores trabalharam com algas verdes
unicelulares, às quais forneceram CO2 marcados com C14 (carbono radioativo), demonstrando que o
primeiro composto estável que aparece é o ácido fosfoglicérico, já que um dos seus carbonos é
de esta descrição?
a) Fotofosforilação cíclica.
b) Fase clara da fotossíntese.
c) Fase escura da fotossíntese.
d) Fotofosforilação acíclica.
e) Fotólise da água.
9. Quimiossíntese é a produção de matéria orgânica, realizada a partir de substâncias minerais simples,
usando energia química e é
a) realizada por todos os vegetais.
b) realizada somente pelos animais.
c) realizada pelos vírus.
d) realizada por todos os animais e alguns vegetais.
e) realizada por pequeno número de bactérias autotróficas.

10. Uma das fontes de energia mais importantes para os organismos vivos é a luz solar. Essa energia é
captada pelos seres clorofilados e transformada em energia química, que fica armazenada em
moléculas orgânicas, como a glicose. Considerando-se que a luz é uma forma de energia radiante
composta de vários comprimentos de onda, é correto afirmar:
a) A clorofila, participante da fotossíntese, tem a propriedade de absorver várias ondas, uma vez que
sua cor é determinada pelo comprimento de onda refletido.
b) Os pigmentos carotenoides são participantes do processo de quimiossíntese, uma vez que seus
comprimentos de onda são menores que os das clorofilas.
c) O processo elucidado acima é a fotossíntese que ocorre devido à presença de pigmentos
especializados que conseguem captar a energia luminosa.
d) O processo elucidado acima é a quimiossíntese realizado por organismos procariontes e
eucariontes clorofilados.

11. Os vegetais não se alimentam como os animais. As plantas produzem o próprio alimento. Nesse
processo, a água e o gás carbônico são transformados, com auxílio da luz e na presença de clorofila,
em gás oxigênio e açúcar. Isso ocorre porque as plantas são produtoras. Conforme o texto acima,
podemos afirmar que se trata do processo:
a) Quimiossíntese.
b) Respiração.
c) Fotossíntese.
d) Digestão.
e) Crescimento.

12. Durante o processo de fotossíntese, a ação da luz sobre a clorofila libera elétrons que são capturados
por uma cadeia transportadora. Durante esse processo de transporte, ocorre:
a) Formação de quantidades elevadas do aceptor NADP+ a partir da captura de elétrons e prótons.
b) Transferência dos elétrons entre moléculas organizadas em ordem decrescente de energia.
c) Fotólise de moléculas de CO2 que liberam elétrons e cedem o carbono para a formação da glicose.
d) Quebra da molécula de água a partir da conversão de ATP em ADP, com liberação de prótons.

13. Dos seres vivos fotossintetizantes apresentados a seguir, não possuem cloroplastos: Bio.1
a) As Crisofíceas.
b) Os Musgos.
c) As Hepáticas.
d) As Cianobactérias.
e) As Euglenoides.

14. Pesquisadores da Amazônia vêm estudando diferentes vegetais em relação a seu crescimento em
ambientes ricos em CO2. Esse estudo objetiva avaliar o potencial de depuração que os vegetais
possuem em relação à poluição atmosférica por gases resultantes da queima de combustíveis fósseis.
Quanto a esse estudo, é correto afirmar que:
a) Os vegetais são capazes de utilizar gases poluentes para sua respiração.
b) O O2 absorvido pelos vegetais é usado na fotossíntese para produzir CO 2.
c) Os vegetais, através da respiração, absorvem CO2 e liberam O2 para a atmosfera.
d) Os vegetais absorvem O 2 e H2O produzidos pelos animais pela respiração.
e) O CO2 absorvido é utilizado na fotossíntese para produzir matéria orgânica.
15. Utilizando a irrigação e adubação, o homem procura dar condições necessárias para a realização da
atividade fotossintética pelas plantas cultivadas, garantindo, desse modo, a colheita do alimento que
nos sustenta. Em que organela celular ocorre a fotossíntese e qual a origem do oxigênio liberado no
final do processo?
a) Mitocôndria, da energia luminosa do sol.
b) Ribossomos, das moléculas de glicose.
c) Cloroplasto, das moléculas de glicose.
d) Mitocôndria, do gás carbônico do ar.
e) Cloroplasto, da água absorvida pelas raízes.

QUESTÃO CONTEXTO

cavernas de Naica são o lugar ideal para o trabalho de cientistas interessados em estudar os extremófilos
organismos que conseguem viver em condições praticamente impossíveis.
O ambiente é bastante quente as temperaturas variam entre 40°C e 60°C -, úmido e ácido. Como não há
luz, todas as formas de vida existentes ali sobrevivem por meio da quimiossíntese, processo pelo qual extraem
a energia de que precisam da oxidação dos minerais.
Pesquisadores já haviam identificado micróbios vivendo nas paredes das cavernas a surpresa foi extrair
exemplares de dentro
(fonte: http://noticiasmineracao.mining.com/2017/02/20/cientistas-encontram-vida-adormecida-ha-mais-de-10-mil-anos-em-
caverna-de-cristal/)

De acordo com a descoberta acima, indique algumas diferenças entre a fotossíntese e a quimiossíntese?

Bio.1
GABARITO

Exercícios

1. e
A clorofila é a molécula responsável por fixar energia luminosa no cloroplasto e utilizar essa energia
luminosa para ceder elétrons para moléculas orgânicas, durante o processo de fotofosforilação.

2. d
O carbono do CO2 é utilizado pela planta para formar glicose.

3. c
Considerando que os principais organismos produtores são fotossintetizantes e que esses organismos
dependem diretamente da energia solar, pode-se dizer que praticamente toda a vida depende da energia
solar.

4. b
Os cloroplastos necessitam da captação de fótons para excitar os elétrons da clorofila, durante a
fotofosforilação. Os nanotubos aumentam a absorção luminosa (fótons) de comprimentos de onda
normalmente não utilizados pelos cloroplastos, potencializando a fase fotoquímica da fotossíntese.

5. a
A quimiossíntese faz uso da energia gerada da quebra de moléculas inorgânicas para a formação de
matéria orgânica.

6. c
Sem energia luminosa, as etapas de fotofosforilação não ocorrem, impedindo assim a formação de
glicose no Ciclo de Calvin.

7. a
O processo de fotossíntese consiste na utilização de energia luminosa, proveniente do sol, para a fixação
de energia química na forma de glicose.

Bio.1
8. c
As etapas do Ciclo de Calvin compreendem o que é conhecido como fase escura da fotossíntese, devido
a não-utilização direta de energia luminosa neste processo.

9. e
Apenas poucas bactérias autotróficas realizam quimiossíntese.

10. c
A clorofila é o principal pigmento fotossintetizante das plantas, responsável pela captação de energia
luminosa. Sem clorofila, a fotossíntese não é possível.

11. c
As plantas são produtoras por serem autrotróficas e realizarem fotossíntese para formação de glicose.

12. b
Ao longo das etapas de fotofosforilação, ocorre uma cadeia transportadora de elétrons ao longo de
complexos proteicos do cloroplasto.
13. d
Cianobactérias são procariontes, ou seja, não apresentam organelas como o cloroplasto, mas ainda assim
são fotossintetizantes.

14. e
O CO2 é a matéria-prima utilizada para obtenção de carbono, que será utilizado na formação da glicose.

15. e
A fotossíntese ocorre no cloroplasto, e o oxigênio origina-se da fotólise da água.

Questão Contexto

Seres fotossintéticos transformam substâncias inorgânicas (ex.: CO 2 e H2O) em orgânicas (ex.: glicose)
através da energia obtida pela luz. Para isso, necessitam de uma estrutura para retenção desta energia
luminosa (ex.: clorofila).
Seres quimiossintetizantes são em geral bactérias que obtém energia de oxidações de compostos
inorgânicos para gerar glicose, ou seja, sem a presença de luz. Elas podem ser classificadas em
sulfobactérias, nitrobactérias e ferrobactérias.

Bio.1
Bio. Professor: Rubens Oda
Alexandre Bandeira
Monitor: Hélio Fresta

Bio.2
Casos especiais em primeira lei e 21/25
heredogramas mai

RESUMO
Ausência de dominância
Na espécie Mirabilis jalapa, existem flores vermelhas, brancas e rosas. V1V1 dá origem a flores vermelhas;
V2V2 brancas e V1V2 origina flores rosas. Isso ocorre pois o alelo V1 não possui dominância sobre o alelo V2
e vice-versa, fazendo com que haja uma mistura do fenótipo em F1. Isso se denomina ausência de dominância
ou dominância incompleta.

http://aprendendobiologia.com.br/wp-content/uploads/2014/05/dominancia-parcial.gif

Codominância

Bio.2

https://blogdoenem.com.br/wp-content/uploads//sites/2/2013/11/vacas-lei-mendel.png

No caso da codominância, há a expressão dos dois fatores expressando o fenótipo de ambos os


homozigotos, como é o caso do boi de pelagem malhada da espécie Shorthorn.
Resumindo:

Gene letal
Em determinada combinação de alelos, o embrião pode se tornar inviável e ser abortado espontaneamente
ou, caso consiga nascer, morre antes da idade reprodutiva. O caso clássico é o dos camundongos. Aqueles
com pelagem amarela possuíam um alelo dominante, provado em experimentos, pois se sabe que o
cruzamento de dois camundongos amarelos originavam amarelos e castanhos. No entanto, a proporção
clássica de 3:1 não era respeitada, já que nasciam 2 amarelos para cada castanho. Os camundongos
homozigotos dominantes morriam mesmo antes de nascer. Isso se configura como gene letal.
Nos humanos, há uma rara doença conhecida como Tay-Sachs, condicionada por um gene letal recessivo,

Bio.2
que faz com que a criança não sobreviva aos seus primeiros anos de vida.
Heredograma
Representa a passagem dos genes para a descendência, demonstrando o genótipo dos indivíduos. Ideal para
o aconselhamento genético de casais que possuem doenças hereditárias na família, indicando a
probabilidade de terem um filho com a condição.

Como identificar se a condição é de caráter dominante ou recessivo?


Utiliza- -se no heredograma casais com o mesmo fenótipo,
mas com filhos de fenótipo distinto.

Bio.2
O fenótipo diferente do filho indica que este é homozigoto recessivo, fazendo com que os pais sejam
heterozigotos (Um alelo dominante e outro recessivo). Assim, caso esses pais sejam acometidos por essa
condição, a doença é dita de caráter dominante. Por outro lado, se o filho for acometido, a doença possui
caráter recessivo.

http://interna.coceducacao.com.br/ebook/content/pictures/2002-51-141-39-i003.gif
A representação do heredograma segue sempre um mesmo padrão simbólico:

EXERCÍCIOS
1. Uma prática muito comum no meio rural é o cruzamento endogâmico de animais de criação. Os
heredogramas I e II abaixo foram montados para se estudar o efeito da endogamia sobre uma
determinada anomalia genética, que afeta os indivíduos 5a e 4b representados. Não se sabem o
fenótipo ou o genótipo dos indivíduos 6a e 5b, e todos os outros indivíduos representados são normais
para o caráter em estudo.

Bio.2
Com base nos heredogramas e em seus conhecimentos sobre o assunto, é correto afirmar, EXCETO:
a) A chance de 5b ser afetada é menor que a chance de 6ª ser afetada.
b) A chance de o indivíduo 6a ser afetado pela anomalia é de 1/9.
c) O caráter em estudo é certamente autossômico recessivo.
d) A endogamia aumenta a chance de nascerem indivíduos afetados por caráter determinado por
gene recessivo, que se apresenta em baixa freqüência na população.

2. No homem, a acondroplasia é uma anomalia genética, autossômica dominante, caracterizada por um


tipo de nanismo em que a cabeça e o tronco são normais, mas os braços e as pernas são curtos. A
letalidade dessa anomalia é causada por um gene dominante em dose dupla. Dessa forma, na
descendência de um casal acondroplásico, a proporção fenotípica esperada em F1 é:
a) 100% anões.
b) 100% normais.
c) 33,3% anões e 66,7% normais.
d) 46,7% anões e 53,3% normais.
e) 66,7% anões e 33,3% normais.
3. A Marabilis jalapa, uma flor vulgarmente conhecida como maravilha, pode apresentar plantas com
flores vermelhas e plantas com flores brancas. Cruzadas entre si, a geração dos filhos dará flores róseas.
Intercruzando-se elementos dessa geração, apresentarão flores brancas, rosadas e vermelhas, na
proporção de 1:2:1, respectivamente. De acordo com o enunciado, você pode dizer qual o tipo de
herança relacionada?
a) polialelia.
b) dominância completa.
c) dominância incompleta.
d) co-dominância.
e) herança ligada ao sexo.

4. O primeiro filho de um casal é diagnosticado como portador da forma grave da anemia falciforme que,
sem tratamento, é letal. Essa doença é causada por um gene HbS que apresenta uma relação de
codominância com o gene HbA, responsável pela produção de hemoglobina normal. Sabendo que os
indivíduos heterozigotos apresentam a forma branda da doença, assinale a alternativa correta.
a) Um dos pais dessa criança pode ser normal para a anemia falciforme.
b) Não há probabilidade de esse casal vir a ter filhos normais.
c) Todo portador da forma branda da doença possui hemoglobina normal em seu sangue.
d) Todos os avós dessa criança são obrigatoriamente portadores da forma branda da doença.
e) Um dos pais dessa criança é obrigatoriamente homozigoto.

5. Na genealogia abaixo, as pessoas indicadas pelos números 1, 2, 4, 5 e 7 apresentam uma anomalia


condicionada por gene autossômico dominante. Já as pessoas indicadas pelos números 3 e 6 têm
fenótipo normal.

Após a análise da genealogia, pode-se concluir que:


a) apenas as pessoas indicadas pelos números 1 e 2 são heterozigóticas.
b) a pessoa indicada pelo número 4 é homozigótica.
c) a pessoa indicada pelo número 3 transmitiu o gene recessivo para seu descendente indicado pelo
número 7.
d) não há possibilidade de a pessoa indicada pelo número 5 ser heterozigótica.

Bio.2
e) o casal indicado pelos números 6 e 7 não poderá ter descendentes com fenótipo normal.

6. As flores da planta maravilha podem ser vermelhas, brancas ou rosas. As flores vermelhas e brancas são
homozigotas, enquanto as rosas são heterozigotas. Para se obter 50% de flores brancas, é necessário
cruzar:
a) duas plantas de flores rosas.
b) uma planta de flores brancas com outra de flores rosas.
c) uma planta de flores rosas com outra de flores vermelhas.
d) uma planta de flores vermelhas com outra de flores brancas.
e) duas plantas de flores vermelhas.

7. Em camundongos o genótipo aa é cinza; Aa é amarelo e AA morre no início do desenvolvimento


embrionário. Que descendência se espera do cruzamento entre um macho amarelo com uma fêmea
amarela?
a) 1/2 amarelos e 1/2 cinzentos
b) 2/3 amarelos e 1/3 cinzentos
c) 3/4 amarelos e 1/4 cinzentos
d) 2/3 amarelos e 1/3 amarelos
e) apenas amarelos
8. No heredograma a seguir, os símbolos em preto representam indivíduos afetados pela polidactilia e os
símbolos em branco, indivíduos normais. Conclui-se, desse heredograma, que, em relação à
polidactilia:

a) os indivíduos afetados sempre são homozigotos.


b) os indivíduos normais sempre são heterozigotos.
c) os indivíduos heterozigotos são apenas de um dos dois sexos.
d) pais normais originam indivíduos homozigotos recessivos.
e) pais normais originam individuos heterozigotos.

9. Em algumas espécies de roedores, o padrão da pelagem (malhada ou uniforme) é condicionado por


um par de genes autossômicos não codominantes. Se dois indivíduos malhados forem cruzados, a
prole obtida será composta por indivíduos de pelagem malhada e uniforme, na proporção de 2 : 1.
Considere as afirmativas abaixo.

I. O gene que determina pelagem malhada é dominante.


II. Um dos dois alelos é letal em homozigose.
III. Se dois indivíduos com pelagem uniforme forem cruzados, toda a prole será constituída de
indivíduos com pelagem uniforme.

Assinale
a) se todas as afirmativas forem corretas.
b) se somente a afirmativa I for correta.
c) se somente as afirmativas I e II forem corretas.
d) se somente a afirmativa III for correta.
e) se somente as afirmativas I e III forem corretas.

10. Em rabanetes, um único par de alelos de um gene controla a forma da raiz. Três formas são observadas:

Bio.2
oval, redonda e longa. Cruzamentos entre estes três tipos apresentam os seguintes resultados:
Qual a proporção de progênie esperada do cruzamento oval x oval?
a) 3 ovais : 1 longo
b) 1 redondo : 1 longo
c) 1 oval : 2 redondos : 1 longo
d) 3 redondos : 1 longo
e) 1 redondo : 2 ovais : 1 longo

11. Em boca-de-leão, um cruzamento entre plantas com flores vermelhas e plantas com flores brancas
produziu 100% de plantas com flores rosas. Na cor das flores de boca-de-leão observa-se:
a) uma mutação cromossômica.
b) uma herança autossômica com ausência de dominância.
c) uma herança autossômica dominante.
d) uma herança autossômica recessiva.
e) uma interação gênica.

12. A doença de Von Willebrand, que atinge cerca de 3% da população mundial, tem causa hereditária,
de natureza autossômica dominante. Essa doença se caracteriza pela diminuição ou disfunção da
proteína conhecida como fator Von Willebrand, o que provoca quadros de hemorragia.
O esquema abaixo mostra o heredograma de uma família que registra alguns casos dessa doença.

Admita que os indivíduos 3 e 4 casem com pessoas que não apresentam a doença de Von Willebrand.
As probabilidades percentuais de que seus filhos apresentem a doença são, respectivamente, de:
a) 50 e 0
b) 25 e 25
c) 70 e 30
d) 100 e 50

13. O heredograma abaixo representa o cruzamento entre animais da mesma espécie, que apresentam
fenótipos de pelo curto e pelo longo. O pelo curto é uma característica recessiva. Os quadrados
representam os machos e os círculos representam as fêmeas.

Bio.2

Assinale a alternativa que contém o genótipo dos indivíduos 1 1, II 5, III 2 e III 3, respectivamente.
a) Cc, Cc, Cc, cc
b) CC, Cc, cc, Cc
c) CC, cc, Cc, cc
d) Cc, Cc, CC, cc
e) Cc, Cc, cc, Cc
14. Anemia Falciforme é uma das doenças hereditárias mais prevalentes no Brasil, sobretudo nas regiões
que receberam maciços contingentes de escravos africanos. É uma alteração genética, caracterizada
por um tipo de hemoglobina mutante designada por hemoglobina S. Indivíduos com essa doença
apresentam eritrócitos com formato de foice, daí o seu nome. Se uma pessoa recebe um gene do pai
e outro da mãe para produzir a hemoglobina S ela nasce com um par de genes SS e assim terá a Anemia
Falciforme. Se receber de um dos pais o gene para a hemoglobina S e do outro o gene para
hemoglobina A ela não terá doença, apenas o Traço Falciforme (AS), e não precisará de tratamento
especializado. Entretanto, deverá saber que se vier a ter filhos com uma pessoa que também herdou o
traço, eles poderão desenvolver a doença.

Dois casais, ambos membros heterozigotos do tipo AS para gene da hemoglobina, querem ter um filho
cada. Dado que um casal é composto por pessoas negras e o outro por pessoas brancas, a
probabilidade de ambos os casais terem filhos (um para casa casal) com Anemia Falciforme é igual a
a) 5,05%
b) 6,25%
c) 10,25%
d) 18,05%
e) 25,00%

15. O pelo vermelho da raça de gado Shorthorn é governado pelo genótipo CRCR, a cor ruão, pelo
genótipo CRCW e a cor branca, pelo genótipo CWCW. Quando animais da cor ruão são cruzados
entre si, a quais proporções genotípicas e fenotípicas podemos chegar, respectiva mente?
a) 1/4 CWCW; 1/2 CRCW; 1/4 CRCR e 1/4 BRANCO; 1/2 RUÃO e 1/4 VERMELHO.
b) 1/4 CWCW; 3/4 CRCR; 1/4 BRANCO; 1/2 RUÃO; 3/4 VERMELHO.
c) 1/4 CRCW; 3/4 CRCR; 1/4 RUÃO; 3/4 VERMELHO.
d) 1/2 CWCW; 1/2 CRCR; 1/2 BRANCO; 1/2 VERMELHO.
e) 1/4 CRCR; 1/2 CRCW; 1/4 CWCW e 1/4 VERMELHO; 2/4 RUÃO e 1/4 BRANCO.

QUESTÃO CONTEXTO

Bio.2

http://2.bp.blogspot.com/_TTL0bm-ruDM/SwMdcPl8feI/AAAAAAAAAI8/KfqLxb2qSd0/s400/dom+incompleta.png

Após as ideias de Mendel, muitos experimentos foram realizados para testar suas leis. No entanto, havia
algumas exceções que confundiam os resultados dos pesquisadores. Dentre elas, está a formação de uma
flor rosa a partir do cruzamento de planta com flores vermelhas e outra com flores brancas. Explique esse
achado.
GABARITO
Exercícios

1. a
Existe a possibilidade dos pais de 6a serem homozigotos dominantes, eliminando assim a chance de 6a
ser afetado. No entanto, é certo afirmar que 5b é filho de heterozigotos, logo, a chance dele ser afetado
é maior.

2. e
Acondroplásicos são heterozigotos, logo, a proporção fenotípica neste caso é de 2 : 1, sendo 2/3 anões
e 1/3 altura normal.

3. c
Neste caso, não observa-se um efeito inibitório completo de um alelo sobre o outro, sendo então um
caso de dominância incompleta.

4. c
Portadores do traço falcêmico apresentam hemácias normais e hemácias falciformes em sua corrente
sanguínea.

5. c
A herança é autossômica dominante. 3 tem fenótipo normal, logo, é homozigoto recessivo, e sempre
transmitirá o alelo recessivo a descendência.

6. b
Cruzando uma flor rosa (Vv) com uma flor branca (vv), 50% da descendência será branca.

7. b
Cruzando ratos heterozigotos e considerando AA como letal, a proporção será de 2 Aa : 1 aa.

8. d
O padrão de herança da polidactilia é dominante, logo, normais são homozigotos recessivos. Pais

Bio.2
normais, homozigotos recessivos, só podem gerar filhos normais, homozigotos recessivos.

9. a
Se cruzando dois malhados pode nascer um uniforme, malhado é dominante. A proporção 2 : 1 indica
letalidade. Se pelagem uniforme é recessivo, ao cruzar dois de pelagem uniforme, toda a prole terá
pelagem uniforme.

10. e
Considerando que este é um caso de ausência de dominância, o heterozigoto será o fenótipo
intermediário, neste caso, o oval. Logo, o cruzamento entre dois ovais resulta em uma proporção de 1
redondo : 2 ovais : 1 longo.

11. b
O cruzamento entre flores vermelhas e brancas gerando um fenótipo intermediário é indicativo de
ausência de dominância.

12. a
3 é heterozigoto, logo, se tiver filho com uma pessoa normal (aa), é 50% de chance de passar seu alelo
dominante. 4 é normal, logo, duplo recessivo, não havendo risco da prole apresentar doença, caso seja
com outra pessoa normal.

13. a
Pelo longo é uma característica dominante, logo, quem tiver pelo longo e tiver filhos com pelo curto,
será heterozigoto, bem como aqueles que tiverem pelo longo e pais com pelos curtos. Indivíduos com
pelos curtos são homozigotos recessivos.

14. b
A chance de cada casal ter um filho com anemia falciforme é de ¼. Considerando-se que ambos os casais
devem ter um filho com a doença para satisfazer as condições da questão, multiplica-se ¼ por ¼,
totalizando 1/16, aproximadamente 6,25%.

15. a
Do cruzamento entre heterozigotos, nasce a proporção 1 : 2 : 1, sendo 2 para os heterozigotos.

Questão Contexto

O fenômeno observado é de dominância incompleta, no qual o descendente heterozigoto (flores rosas)


possui um fenótipo intermediário entre os homozigotos (flores vermelhas e brancas). Isso ocorre por não
haver uma dominância em relação a essa característica, fazendo com que haja a expressão de ambas.

Bio.2
Bio. Professor: Rubens Oda
Alexandre Bandeira
Monitor: Hélio Fresta

Bio.2
28/01
Polialelia e sistemas sanguíneos
mai/jun

RESUMO
Polialelia, ou alelos múltiplos, é o fenômeno em que uma mesma característica pode ser determinada por
três ou mais alelos (formas alternativas de um gene). Um bom exemplo de polialelia é a formação dos grupos
sanguíneos A, B, AB e O, os quais são determinados alelos I I ou I i, I I I i, I I e ii, respectivamente Repare que,
A A a B B ou B A B

I e I exercem dominância sobre o alelo i e entre IA e IB existe uma codominância.


A B

Aglutinogênios: São glicoproteínas presentes nas membranas das hemácias, determinantes na formação do
fenótipo sanguíneo, que exercem função de antígeno provocando uma resposta imunológica por uma
aglutinina (anticorpo) de outro fenótipo sanguíneo.

Transfusões:
• Receptor universal: indivíduo de sangue AB não possui aglutininas. Assim, pode receber sangue de
qualquer tipagem.
• Pessoa de fenótipo A possui aglutinina anti-B e pode receber sangue dos tipos O e A;
• Pessoa de fenótipo B possui aglutinina anti-A e pode receber sangue dos tipos O e B

Bio.2
• Doador universal: a pessoa do tipo O não apresenta aglutinogênio nas membranas de suas hemácias. Por
isso, pode doar para os demais fenótipos. Entretanto, pessoas do tipo O possuem aglutininas anti-A e
anti-B podendo apenas receber sangue do tipo O.
Aglutinação

Bio.2
A aglutinação é um processo simples de identificação do fenótipo no grupo sanguíneo ABO. A aglutinação
ocorre quando há o encontro do soro contendo anticorpos contra o antígeno de membrana e o sangue
retirado do indivíduo. No caso da pessoa com sangue O, não haverá aglutinação, pois falta o aglutinogênio.
O mesmo acontece com o Fenótipo Bombaim, que não pode ser identificado nesse simples teste. No
indivíduo com sangue A, há aglutinação apenas na placa com o soro anti-A, enquanto que no sangue B,
apenas na placa com soro anti-B. Por fim, ocorre a aglutinação nas duas placas quando o indivíduo possui
sangue AB.

Fator Rh
Sua descoberta advém das pesquisas com o macaco Rhesus, que dá o nome desse fator. Aqueles que
possuem o fator na superfície eritrocitária são classificados como Rh+, enquanto sua ausência identifica os
indivíduos Rh-. Na transfusão sanguínea, deve-se analisar não só o sistema ABO, mas também o fator Rh, pois
indivíduos Rh- não podem receber doação de indivíduos com Rh+, pois possuem anticorpos anti-fator Rh.
No entanto, Rh+ não reage ao sangue Rh- e pode ser transfundido.
Eritroblastose fetal ou Doença hemolítica do recém-nascido
Ocorre quando há mulheres Rh- sensibilizadas para o Rh+, seja por transfusão ou por gravidez prévia de um
feto Rh+, que estão gerando um indivíduo Rh+. Anticorpos maternos anti-Rh conseguem atravessar a
placenta e atingir a s hemácias fetais, promovendo sua destruição. A prevenção para uma próxima gestação
se dá pelo uso de soro contendo anticorpos contra o fator Rh logo após o nascimento do filho, fazendo com
que esses anticorpos eliminem o fator Rh antes que a mãe possa deflagrar sua própria resposta imune contra
o fator.

Sistema MN
Existem outros sistemas que compõem a superfície da hemácia, mas que não são capazes de desencadear
uma resposta tão intensa em uma transfusão como no caso do sistema ABO e Rh. Um exemplo é o sistema
MN, com indivíduos de fenótipo M, N e MN.

Bio.2

Coelhos
Outro exemplo de polialelia, bastante comum, é expressão fenotípica da pelagem de coelhos.

CC, Ccch, Cch, Cca Aguti ou selvagem


cchcch, cchch, cchca Chinchila
chch, chca Himalaia
caca Albino
EXERCÍCIOS
1. Uma mulher casa-se com um homem que apresentou eritroblastose fetal ao nascer. O parto do
primeiro filho transcorre normalmente, mas o segundo filho apresenta eritroblastose. A respeito dessa
situação, são feitas as seguintes afirmações:
I. Essa mulher é certamente Rh-.
II. A segunda criança é Rh+.
III. O pai das crianças é Rh+.
IV. A primeira criança pode ter provocado a sensibilização da mãe.

Assinale:
a) se todas as afirmativas forem corretas.
b) se somente as afirmativas I e II forem corretas.
c) se somente as afirmativas II, III e IV forem corretas.
d) se somente as afirmativas I e IV forem corretas.
e) se somente as afirmativas III e IV forem corretas.

2. Em relação ao sistema sangüíneo ABO, um garoto, ao se submeter ao exame sorológico, revelou


ausência de aglutininas.Seus pais apresentaram grupos sangüíneos diferentes e cada um apresentou

Bio.2
apenas uma aglutinina. Os prováveis genótipos dos pais do menino são
a) IBi - ii.
b) IAi - ii.
c) IAIB - IAi.
d) IAIB - IAIA.
e) IAi - IBi.

3. Os grupos sanguíneos são definidos em função da presença de aglutinogênios na superfície das


hemácias. Indivíduos portadores de sangue do grupo A apresentam o aglutinogênio A, indivíduos
portadores de sangue do grupo B apresentam o aglutinogênio B, indivíduos portadores de sangue do
grupo AB apresentam ambos os aglutinogênios e indivíduos do grupo O não apresentam nenhum
desses dois aglutinogênios. O pai de Fernanda pertence ao grupo B, enquanto sua mãe pertence ao
grupo sanguíneo A. Sua avó materna e seu avô paterno possuíam sangue do grupo O. Assim, a
probabilidade de que Fernanda pertença ao grupo AB é de:
a) 100%.
b) 75%.
c) 50%.
d) 25%.
4. Em um acidente de carro, três jovens sofreram graves ferimentos e foram levados a um hospital, onde
foi constatada a necessidade de transfusão de sangue devido a forte hemorragia nos três acidentados.
O hospital possuía em seu estoque 1 litro de sangue do tipo AB, 4 litros do tipo B, 6 litros do tipo A e
10 litros do tipo O. Ao se fazer a tipagem sanguínea dos jovens, verificou-se que o sangue de Carlos
era do tipo O, o de Roberto do tipo AB e o de Marcos do tipo A. Considerando apenas o sistema ABO,
os jovens para os quais havia maior e menor disponibilidade de sangue em estoque eram,
respectivamente:
a) Carlos e Marcos.
b) Marcos e Roberto.
c) Marcos e Carlos.
d) Roberto e Carlos.
e) Roberto e Marcos

5. Coelhos podem ter quatro tipos de pelagem: chinchila, himalaia, aguti e albina, resultantes das
combinações de quatro diferentes alelos de um mesmo loco. Num experimento, animais com
diferentes fenótipos foram cruzados várias vezes. Os resultados, expressos em número de
descendentes, constam na tabela a seguir.

Se o animal progenitor aguti do cruzamento 1 for utilizado para a obtenção de filhotes com o
progenitor chinchila do cruzamento 4, que proporção de descendentes poderemos prever?
a) 1 aguti: 1 chinchila
b) 1 aguti: 1 himalaia
c) 9 aguti: 3 himalaia: 3 chinchila: 1 albino

Bio.2
d) 2 aguti: 1 chinchila: 1 himalaia
e) 3 aguti: 1 chinchila

6. Em um dos vários programas televisivos, onde é muito freqüente a presença de pessoas em busca da
confirmação da paternidade, surge uma mulher que alega ser a filha de um famoso astro de televisão
e requer que a paternidade seja reconhecida. Encaminhada ao tribunal de justiça, o juiz encarregado
do caso solicita a retirada de uma amostra de sangue dessa pessoa e do suposto pai. Após a análise da
tipagem sangüínea obteve-se o seguinte resultado: a mulher é do tipo AB, Rh negativo e o homem O,
Rh positivo.
Com base nessas informações o veredicto do juiz sobre essa questão deverá ser que a mulher:
a) pode ser filha do famoso astro.
b) com certeza, não é filha do homem citado.
c) tem 25% de chance de ser filha do suposto pai.
d) tem 50% de chance de ser filha do suposto pai.
e) tem 75% de chance de ser filha do suposto pai.
7. Suponha que em uma certa espécie diploide exista um caráter relacionado com uma série de quatro
alelos (alelos múltiplos). Em um determinado indivíduo da espécie referida, o número máximo de alelos
representados relacionados ao caráter em questão será igual a:
a) 2
b) 4
c) 6
d) 8
e) 10

8. Mariazinha, criança abandonada, foi adotada por um casal. Um ano mais tarde, Antônio e Joana,
dizendo serem seus verdadeiros pais, vêm reclamar a filha. No intuito de comprovar a veracidade dos
fatos, foi exigido um exame do tipo sangüíneo dos supostos pais, bem como de Mariazinha. Os
resultados foram:
Antônio B, Rh+; Joana A, Rh-; Mariazinha O, Rh-.

Você concluiria que:


a) Mariazinha pode ser filha de Joana, mas não de Antônio.
b) Mariazinha não é filha do casal.
c) Mariazinha é filha do casal.
d) Existe a possibilidade de Mariazinha ser filha do casal, mas não se pode afirmar.
e) Mariazinha pode ser filha de Antônio, mas não de Joana.

9. Sabemos que pessoas do tipo AB são também chamadas de receptoras universais. Marque a alternativa
que explica corretamente o motivo pelo qual elas recebem essa denominação.
a) Pessoas com sangue do tipo AB apresentam aglutininas anti-A e anti-B e, por isso, não ocorre
aglutinação em contato com nenhum tipo sanguíneo.
b) Pessoas com sangue do tipo AB não apresentam nenhuma aglutinina e, por isso, não ocorre
nenhuma reação de aglutinação.
c) Pessoas com sangue do tipo AB possuem os aglutinogênios A e B, além de aglutininas anti-A e anti-
B, podendo assim receber qualquer tipo sanguíneo.
d) Pessoas com sangue do tipo AB não possuem nenhum aglutinogênio, sendo assim não ocorre
reações de aglutinação.

10. Para os grupos sanguíneos do sistema ABO, existem três alelos comuns na população humana. Dois
(alelos A e B) são codominantes entre si e o outro (alelo O) é recessivo em relação aos outros dois.
De acordo com essas informações, pode-se afirmar:
I. Se os pais são do grupo sanguíneo O, os filhos também serão do grupo sanguíneo O.
II. Se um dos pais é do grupo sanguíneo A e o outro é do grupo sanguíneo B, todos os filhos serão

Bio.2
do grupo sanguíneo AB.
III. Se os pais são do grupo sanguíneo A, os filhos poderão ser do grupo sanguíneo A ou O.

Está(ão) correta(s):
a) Apenas I
b) Apenas II
c) Apenas III
d) Apenas I e III
e) I, II e III

11. Assinale a alternativa incorreta em relação à possibilidade de doações e às possíveis transfusões


sanguíneas.
a) Pessoas do grupo sanguíneo O são as receptoras universais, enquanto as do grupo sanguíneo AB
são as doadoras universais.
b) Pessoas do grupo sanguíneo AB e fator Rh+ (positivo) são receptoras universais.
c) Pessoas do grupo sanguíneo O e fator Rh- (negativo) são doadoras universais.
d) Pessoas do grupo sanguíneo A podem doar para pessoas do grupo sanguíneo A e para as do grupo
sanguíneo AB.
e) Pessoas do grupo sanguíneo AB podem doar somente para as do grupo sanguíneo AB.
12. Um banco de sangue possui 5 litros de sangue tipo AB, 3 litros tipo A, 8 litros tipo B e 2 litros tipo O.
Para transfusões em indivíduos dos tipos O, A, B, AB estão disponíveis, respectivamente:
a) 2, 5, 10 e 18 litros.
b) 2, 3, 5 e 8 litros.
c) 2, 3, 8, 16 litros.
d) 18, 8, 13 e 5 litros.

13. Para que haja possibilidade de ocorrência de eritroblastose fetal (doença hemolítica do recém-
nascido), é preciso que o pai, a mãe e o filho tenham, respectivamente, os tipos sangüíneos:
a) Rh+, Rh-, Rh+
b) Rh+, Rh-, Rh-
c) Rh+, Rh+, Rh+
d) Rh+, Rh+, Rh-
e) Rh-, Rh+, Rh+

14. Um casal possui uma filha de grupo sanguíneo O. Sabendo-se que a mulher é do tipo sanguíneo B e
seu marido, do tipo sanguíneo A, a probabilidade de o próximo filho do casal ser novamente uma
menina de grupo sanguíneo O é de:
a) 1/2
b) 1/4
c) 1/8
d) 3/4
e) 3/8

15. Leia as seguintes afirmações sobre o sistema ABO de grupos sanguíneos.


I. No tipo de sangue AB, os genes codificam as proteínas A e B presentes nas membranas das
hemácias.
II. No tipo de sangue AB, não há produção de proteínas anti-A e anti-B presentes no plasma.
III. No tipo de sangue AB, os genes não codificam as proteínas anti-A e anti-B presentes nas
membranas das hemácias.
IV. O sistema ABO é um exemplo tanto de codominância quanto de alelos múltiplos.
V. O sistema ABO é um exemplo de dominância incompleta e herança quantitativa.

Está correto o contido em:


a) I, II e IV, apenas.
b) I, II e V, apenas.
c) I, III e IV, apenas.
d) II, III e V, apenas.

Bio.2
e) II, IV e V, apenas.

QUESTÃO CONTEXTO
Após um acidente automobilístico, um indivíduo foi levado em estado grave para o hospital, com muitos
focos de sangramento. Para realizar a transfusão de hemácias, foi realizado um teste rápido que teve como

imunológica contra as hemácias do doador, tendo o receptor sobrevivido após as medidas emergenciais.

Ao se avaliar posteriormente seu genótipo, foi identificado como I i. Considerando que não houve falhas
A

laboratoriais, explique o motivo da reação imunológica.


GABARITO

Exercícios

1. a
A eritroblastose fetal somente ocorre se o pai for Rh+, a mãe Rh- e ela tiver dois filhos Rh+, sendo
sensibilizada pelo primeiro.

2. e
O menino é AB, pois não tem aglutininas, e como os pais têm uma cada, eles devem ser A e B.

3. d
O pai de Fernanda é Ib i,e a mãe é Ia i. Do cruzamento destes, há ¼ de chance de nascer uma criança
IaIb.

4. d
Tipo AB é receptor universal, enquanto tipo O apenas recebe de O.

5. d
O aguti do cruzamento 1 tem como genótico C Ch, enquanto o chinchila do cruzamento 4 tem como
genótipo Cch Ch, logo, deste cruzamento, a probabilidade é ½ aguti, ¼ chinchila, ¼ himalaia.

6. b
Pessoas do tipo O não podem ter filhos AB.

7. a
Não importa o número de alelos possíveis, em uma espécie diploide, cada indivíduo carregará apenas
dois alelos.

8. d
Pessoas de sangue A e B podem ter filhos do tipo O, assim como pessoas Rh+ podem ter filhos Rh-, mas
não se pode confirmar paternidade a partir disso, apenas excluir.

Bio.2
9. b
A ausência de aglutininas (anticorpos) em seu plasma permite que essas pessoas recebam qualquer tipo
de hemácia, seja qual for o aglutinogênio que ela carrega.

10. d
Pessoas do grupo sanguíneo A e B podem ter filhos A, B, AB ou mesmo O, dependendo do genótipo dos
pais.

11. a
Tipo O é doador universal e tipo AB receptor universal.

12. a
Para o sangue O, apenas O estará disponível. Para A, tanto A quanto O. Para B, tanto B quanto O. Para
AB, todos.

13. a
Obrigatoriamente, o pai deverá ser Rh+, a mãe Rh- e ela deverá ter dois filhos Rh+.
14. c
¼ de chance de nascer sangue O, ½ de chance de nascer menina, já que os pais são Ib i e Ia i.

15. a
As proteínas Anti-B e Anti-A (aglutininas) não ficam na membrana da hemácia, e sim no plasma, e o
sistema ABO não é uma herança quantitativa.

Questão Contexto

Indivíduo com genótipo I i, mas com resultado em test


a

tratar de um fenótipo Bombaim. Essa rara condição consiste em uma mutação na enzima H, que catalisa a
reação para a formação do antígeno H. Sem esse antígeno, não há a formação posterior dos antígenos A e B,

Ainda, produzem anticorpos contra os antígenos A, B e H, ou seja, inclusive para o sangue O. Isso explica a

Bio.2
Bio. Professor: Rubens Oda
Alexandre Bandeira
Monitor: Hélio Fresta

Bio.1
28/01
Anabolismo Nuclear e Síntese Proteica
mai/jun

RESUMO
O DNA e o RNA possuem componentes principais em sua estrutura chamadas nucleotídeos. Os nucleotídeos
são formados por:

somente está presente no RNA, substituindo a timina, que é exclusiva de DNA.

• 3-
4 )

O pareamento das bases nitrogenadas se dá por:


Adenina Timina
Citosina Guanina

Enquanto no RNA, há substituição de Timina por Uracila, logo:


Adenina Uracila
Citosina Guanina

Citosina e guanina são ligadas por três ligações de Hidrogênio, enquanto adenina e timina apenas
por duas, sendo então mais fácil romper a ligação entre elas.

(fonte: http://www.resumov.com.br/biologia/biologia-molecular/acidos-nucleicos-dna/)

O anabolismo celular e a síntese de proteínas ocorre em todas as células existentes em nosso organismo e Bio.1
possuem as seguintes etapas:

outra molécula de DNA. Algumas enzimas atuam neste processo como DNA girase, DNA helicase
e DNA polimerase. A autoduplicação é SEMICONSERVATIVA.

(fonte: http://professoraflaviavieira.blogspot.com.br/2013/06/aula-composicao-quimica-celular-os.html)

(fonte: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Citologia2/AcNucleico5.php)

A enzima RNA polimerase faz a leitura do DNA e, através do pareamento de bases nitrogenadas, define a
sequência que integrará a fita única de RNAm que será formada.

• de um RNA, permanecendo somente os éxons


para a tradução em proteínas. Os seres procariontes não realizam este processo.

(fonte: http://www.nmrbordeaux.org/news/news.html)

• Splicing Alternativo
éxons do RNA

Bio.1

(fonte: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAf_kAC/controleda-expressao-genica)


um ribossomo para realizar a tradução, um RNAt (transportador) que transportam aminoácidos ao
ribossomo e o RNAm (mensageiro) que traz a mensagem do núcleo (sequência de códons)
determinando a proteína que será formada.
(fonte: https://blogdoenem.com.br/sintese-proteica-biologia-enem/)

Cada códon possui 3 bases nitrogenadas e são reconhecidos por um anticódon correspondente. A síntese
proteica sempre começa com um códon de iniciação (start), que é codificado pelo aminoácido metionina
(AUG). Já os códons de parada (stop) da tradução podem ser UAA, UAG e UGA, que não codificam
aminoácidos.

EXERCÍCIOS
1. João ficou intrigado com a grande quantidade de notícias envolvendo DNA: clonagem da ovelha Dolly,
terapia gênica, testes de paternidade, engenharia genética, etc. Para conseguir entender as notícias,
estudou a estrutura da molécula de DNA e seu funcionamento e analisou os dados do quadro a seguir.

Em I está representado o trecho de uma molécula de DNA. Observando o quadro, pode-se concluir Bio.1
que
a) a molécula de DNA é formada por duas cadeias caracterizadas por sequências de bases
nitrogenadas.
b) na molécula de DNA, podem existir diferentes tipos de complementação de bases nitrogenadas.
c) a quantidade de A presente em uma das cadeias é exatamente igual à quantidade de A da cadeia
complementar.
d) a quantidade de A presente em uma das cadeias é exatamente igual à quantidade de A da cadeia
complementar.
e) no processo de mitose, cada molécula de DNA dá origem a 4 moléculas de DNA exatamente iguais.

2. A identificação da estrutura do DNA foi fundamental para compreender seu papel na continuidade da
vida. Na década de 1950, um estudo pioneiro determinou a proporção das bases nitrogenadas que
compõem moléculas de DNA de várias espécies.
A comparação das proporções permitiu concluir que ocorre emparelhamento entre as bases
nitrogenadas e que elas formam
a) pares de mesmo tipo em todas as espécies, evidenciando a universalidade da estrutura do DNA.
b) pares diferentes de acordo com a espécie considerada, o que garante a diversidade da vida.
c) pares diferentes em diferentes células de uma espécie, como resultado da diferenciação celular.
d) pares específicos apenas nos gametas, pois essas células são responsáveis pela perpetuação das
espécies.
e) pares específicos somente nas bactérias, pois esses organismos são formados por uma única célula.

3. Define-se genoma como o conjunto de todo o material genético de uma espécie, que, na maioria dos
casos, são as moléculas de DNA. Durante muito tempo, especulou-se sobre a possível relação entre o
tamanho do genoma - medido pelo número de pares de bases (pb) -, o número de proteínas
produzidas e a complexidade do organismo. As primeiras respostas começam a aparecer e já deixam
claro que essa relação não existe, como mostra a tabela a seguir.

Bio.1

De acordo com as informações do texto,


a) o conjunto de genes de um organismo define o seu DNA.
b) a produção de proteínas não está vinculada à molécula de DNA.
c) o tamanho do genoma não é diretamente proporcional ao número de proteínas produzidas pelo
organismo.
d) quanto mais complexo o organismo, maior o tamanho de seu genoma.
e) genomas com mais de um bilhão de pares de bases são encontrados apenas nos seres vertebrados.

4. A figura seguinte representa um modelo de transmissão da informação genética nos sistemas


biológicos. No fim do processo, que inclui a replicação, a transcrição e a tradução, há três formas
proteicas diferentes denominadas a, b e c.
Depreende-se do modelo que
a) a única molécula que participa da produção de proteínas é o DNA.
b) o fluxo de informação genética, nos sistemas biológicos, é unidirecional.
c) as fontes de informação ativas durante o processo de transcrição são as proteínas.
d) é possível obter diferentes variantes proteicas a partir de um mesmo produto de transcrição.
e) a molécula de DNA possui forma circular e as demais moléculas possuem forma de fita simples
linearizadas.

5. Nos dias de hoje, podemos dizer que praticamente todos os seres humanos já ouviram em algum
momento falar sobre o DNA e seu papel na hereditariedade da maioria dos organismos. Porém, foi
apenas em 1952, um ano antes da descrição do modelo do DNA em dupla hélice por Watson e Crick,
que foi confirmado sem sombra de dúvidas que o DNA é material genético. No artigo em que Watson
e Crick descreveram a molécula de DNA, eles sugeriram um modelo de como essa molécula deveria
se replicar. Em 1958, Meselson e Stahl realizaram experimentos utilizando isótopos pesados de
nitrogênio que foram incorporados às bases nitrogenadas para avaliar como se daria a replicação da
molécula. A partir dos resultados, confirmaram o modelo sugerido por Watson e Crick, que tinha como
premissa básica o rompimento das pontes de hidrogênio entre as bases nitrogenadas.
GRIFFITHS, A. J. F. et al. Introdução à Genética. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

Considerando a estrutura da molécula de DNA e a posição das pontes de hidrogênio na mesma, os


experimentos realizados por Meselson e Stahl a respeito da replicação dessa molécula levaram à
conclusão de que
a) a replicação do DNA é conservativa, isto é, a fita dupla filha é recém-sintetizada e o filamento
parental é conservado.
b) a replicação de DNA é dispersiva, isto é, as fitas filhas contêm DNA recém-sintetizado e parentais
em cada uma das fitas.
c) a replicação é semiconservativa, isto é, as fitas filhas consistem de uma fita parental e uma recém-
sintetizada.
d) a replicação do DNA é conservativa, isto é, as fitas filhas consistem de moléculas de DNA parental.
e) a replicação é semiconservativa, isto é, as fitas filhas consistem de uma fita molde e uma fita
codificadora.

6. Uma mutação, responsável por uma doença sanguínea, foi identificada numa família. Abaixo estão

Bio.1
representadas sequências de bases nitrogenadas, normal e mutante; nelas estão destacados o sítio de
início da tradução e a base alterada.

O ácido nucleico representado acima e o número de aminoácidos codificados pela sequência de


bases, entre o sítio de início da tradução e a mutação, estão corretamente indicados em:
a) DNA; 8.
b) DNA; 24.
c) DNA; 12.
d) RNA; 8.
e) RNA; 24.
7. Vamos admitir que as duas cadeias de uma molécula de ADN separam-se e que cada uma delas vai
servir de molde para a formação de uma molécula de ARN mensageiro. Se ocorrer, teremos o seguinte
resultado:
a) Uma das moléculas de ARN mensageiro dirigirá a formação de um tipo de proteína e a outra
molécula, um tipo diferente de proteínas.
b) As duas moléculas de ARN mensageiro dirigirão a formação de proteínas iguais.
c) As duas proteínas são iguais, mas não têm a mesma sequência de ácidos aminados.
d) As duas proteínas terão a mesma sequência de ácidos aminados, porque cabe aos ARN de
transferência colocar os aminoácidos nos devidos lugares.
e) As duas proteínas serão diferentes, porque os ribossomos interpretarão corretamente as
mensagens contidas nas moléculas de ARN mensageiro.

8. Observe o esquema que representa de forma resumida uma etapa da síntese proteica que ocorre em
uma célula eucariótica.

Pode-se afirmar que a molécula indicada pela letra X corresponde ao:


a) DNA e a sua sequência de códons seria ATG GTG TCG.
b) DNA e a sua sequência de códons seria AUG GUG UCG.
c) RNA mensageiro e a sua sequência de códons seria ATG GTG TCG.
d) RNA mensageiro e a sua sequência de códons seria AUG GUG UCG.
e) RNA transportador e a sua sequência de anticódons seria UAG GUG UCG

9. Erros podem ocorrer, embora em baixa frequência, durante os processos de replicação, transcrição e
tradução do DNA. Entretanto, as consequências desses erros podem ser mais graves, por serem
herdáveis, quando ocorrem:
a) na transcrição, apenas
b) na replicação, apenas
c) na replicação e na transcrição, apenas
d) na transcrição e na tradução, apenas

Bio.1
e) em qualquer um dos três processos

10. O esquema a seguir representa a sequência de aminoácidos de um trecho de uma cadeia proteica e
os respectivos anticódons dos RNA transportadores.

Assinale a alternativa que contém a sequência de códons do RNA mensageiro que participou dessa
tradução.
a) UUU CGT TTG UGC GUC.
b) UUU CGA AAG UGC GUC.
c) TTT CGT TTC TGC GTC.
d) TTT CGA AAG TGC GTC.
e) CCC TAC CCA CAT ACT.
11. Foram analisadas duas proteínas, X e Y, extraídas de órgãos diferentes de um macaco. Verificou-se que
X apresenta 12 alaninas, 5 ácidos glutâmicos, 8 fenilalaninas, 2 lisinas e 10 glicinas, enquanto Y apresenta
12 alaninas, 5 ácidos glutâmicos, 8 fenilalaninas, 2 lisinas e 10 glicinas. Com relação a essa análise,
podemos afirmar que:
a) X e Y são iguais, pois ambas possuem 37 aminoácidos.
b) X e Y são iguais, pois pertencem ao mesmo animal.
c) X e Y são diferentes, pois pertencem a órgãos diferentes.
d) X e Y são iguais, pois possuem os mesmos aminoácidos nas mesmas proporções.
e) Com esses dados não podemos dizer se X e Y são iguais ou diferentes.

12. Uma proteína X codificada pelo gene Xp é sintetizada nos ribossomos, a partir de um RNAm. Para que
a síntese aconteça, é necessário que ocorram, no núcleo e no citoplasma, respectivamente, as etapas
de:
a) Iniciação e transcrição.
b) Iniciação e terminação.
c) Tradução e terminação.
d) Transcrição e tradução.

13. Alguns antibióticos, como a eritromicina e o cloranfenicol, são utilizados no tratamento de doenças
infecciosas, pois têm a capacidade de bloquear a síntese de proteínas nas bactérias, sem interferir nas
células afetadas ou contaminadas. Com base nessas informações, é correto concluir que esses
antibióticos atuam nas bactérias:
a) Provocando a plasmólise das células.
b) Impedindo a transcrição do DNA nuclear.
c) Impedindo a transcrição ou a tradução no hialoplasma.
d) Como agentes mutagênicos do DNA mitocondrial.
e) Impedindo que os ribossomos aderidos ao retículo endoplasmático atuem na montagem das
proteínas.

14. Na interfase, uma nova fita complementar de DNA é formada a partir de uma antiga, que apresenta a
seguinte sequência de bases nitrogenadas: CATGCTTAC. Admitindo-se que a transcrição é feita da
nova cadeia para o RNA mensageiro, este deverá apresentar a seguinte sequência de bases:
a) GTACGAATG.
b) GATGCTTAC.
c) CTUGCUUTC.
d) CAUGCUUAC.
e) GUACGAAUG.

15. Um pesquisador, interessado em produzir, em tubo de ensaio, uma proteína, nas mesmas condições Bio.1
em que essa síntese ocorre nas células, utilizou ribossomos de células de rato, RNA mensageiro de
células de macaco, RNA transportador de células de coelho e aminoácidos ativos de células de sapo.
A proteína produzida teria uma sequência de aminoácidos idêntica à do:
a) rato
b) sapo
c) coelho
d) macaco
e) macaco e do rato
QUESTÃO CONTEXTO
Estudo mostra que células de gordura afetam órgãos distantes e as funções

-se moléculas conhecidas como microRNAs. São pequenos RNAs (ácido


ribonucleico), ou seja, pequenos fragmentos de material genético, que são capazes de regular a atividade
de diversos genes no genoma humano.
Essas moléculas ajudam a controlar a expressão de genes e como consequência a produção de proteínas em
todo o corpo. A grande novidade desse estudo foi demonstrar que eles são capazes de "viajar" através de
vesículas transportadoras (exossomos) pela corrente sanguínea, influenciando outros locais mesmo distantes.
Os altos níveis de alguns microRNAs parecem estar associados ao desenvolvimento de obesidade, câncer,

(fonte: http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2017/02/estudo-mostra-que-celulas-de-gordura-afetam-orgaos-
distantes-e-sua-funcoes.html)

De acordo com a descoberta acima, qual o processo que conhecemos que pode estar relacionado ao
desenvolvimento de microRNAs?

Bio.1
GABARITO

Exercícios

1. a
Em I, observa-se duas sequências de bases, sendo estas complementares. O DNA é uma fita dupla.

2. a
Observa-se que, em todos os materiais analisados, há o pareamento das mesmas bases nitrogenadas, o
que torna evidente que o código genético é universal.

3. c
Observa-se na tabela que o maior genoma não é, necessariamente, quem produz o maior número de
proteínas descritas, como é o caso do arroz.
4. d
A partir do mesmo RNAm transcrito, é possível obter várias proteínas traduzidas, devido ao splicing
alternativo.

5. c
O experimento de Meselson-Stahl comprova a semiconservação da duplicação do DNA, demonstrando
que, quando o DNA se duplica, as fitas da molécula original agem como molde para uma nova fita-filha.

6. d
A presença de uracila na fita confirma que trata-se de uma fita de RNA, e a cada trinca de bases,
considera-se um aminoácido, logo, entre o sítio de início (AUG) e a mutação indicada, há 8 aminoácidos
a serem codificados.

7. a
Fitas complementares de DNA servem como moldes para fitas de RNAm distintas, logo, serão traduzidas
em proteínas diferentes.

8. d

Bio.1
A imagem mostra a síntese de um RNAm (transcrição) e, pelo pareamento DNA RNA, a sequência será
AUG GUG UCG.

9. b
Erros na replicação do DNA são mantidos, ao contrário de erros na transcrição e na tradução, visto que
há degradação do RNAm e da proteína formados. Quando ocorre um erro na replicação, quando esse
DNA com erro se replicar novamente, ele formará novas fitas de DNA carregando o erro.

10. b
Os anticódons são trincas complementares aos códons de acordo com o pareamento das bases
nitrogenadas no RNA.

11. e
Apenas os aminoácidos que compõe a proteína não são informação o bastante para determinar sua
natureza ou semelhança, tendo em vista que a sequência destes aminoácidos é ainda mais importante.

12. d
A transcrição ocorre no núcleo, a tradução ocorre no citosol.
13. c
Bactérias não apresentam nem núcleo nem organelas membranosas citoplasmáticas, logo, os processos
de transcrição e tradução ocorrem no citoplasma.

14. d
A fita de DNA a ser transcrita é GTACGAATG, a nova fita complementar a antiga, descrita no enunciado.

15. d
Quem comanda a sequência de aminoácidos é o RNA mensageiro, logo, será do macaco.

Questão Contexto

O processo é a transcrição, pois a partir dela que é formado um molde de RNA de uma fita de DNA.
Estes microRNAs também podem ser oriundos de processos denominados splicing, que vão retirar os
íntros e codificar os éxons, gerando diferentes proteínas no processo posterior (tradução).

Bio.1
Fís.
Professor: Leonardo Gomes
Monitor: João Carlos

Fís.
Exercícios sobre lançamento 07/09
vertical e queda livre mai

EXERCÍCIOS
1. Deixa-se cair uma bola e ela desce com uma aceleração de 10 m/s².
Se a mesma bola é jogada para cima, na vertical, no instante em que ela atinge a máxima altura, a sua
aceleração é
a) zero
b) igual a 10 m/s²
c) maior que 10 m/s²
d) menor que 10 m/s²

2. Um objeto é lançado para baixo, na vertical, do alto de um prédio de 15 m de altura em relação ao solo.
Desprezando-se a resistência do ar e sabendo-se que ele chega ao solo com uma velocidade de 20
m/s, a velocidade de lançamento, em m/s, é dada por
a) 10
b) 15
c) 20
d) 25

3. Em uma experiência de cinemática, estudantes analisaram o movimento de um objeto que foi lançado
verticalmente para cima e a partir do solo. Eles verificaram que o objeto passa por um determinado
ponto 0,5 s depois do lançamento, subindo, e passa pelo mesmo ponto 3,5 s depois do lançamento,
descendo. Considerando que essa experiência foi realizada em um local onde a aceleração da
gravidade é igual a 10 m/s² e que foram desprezadas quaisquer formas de atrito no movimento do
objeto, os estudantes determinaram que a velocidade de lançamento e altura máxima atingida pelo
objeto em relação ao solo são, respectivamente, iguais a:
a) 20 m/s e 10 m
b) 20 m/s e 20 m
c) 15 m/s e 11,25 m
d) 15 m/s e 22,50 m

4. Quando estava no alto de sua escada, Arlindo deixou cair seu capacete, a partir do repouso. Considere

Fís.
que, em seu movimento de queda, o capacete tenha demorado 2 segundos para tocar o solo
horizontal.

Supondo desprezível a resistência do ar e adotando g = 10 m/s², a altura h de


onde o capacete caiu e a velocidade com que ele chegou ao solo valem,
respectivamente,
a) 20 m e 20 m/s
b) 20 m e 10 m/s
c) 20 m e 5 m/s
d) 10 m e 20 m/s
e) 10 m e 5 m/s
5. Uma esfera de dimensões desprezíveis é largada, a partir do repouso, de uma altura igual a 80 m do
solo considerado horizontal e plano. Desprezando-se a resistência do ar e considerando-se a
aceleração da gravidade constante e igual a 10 m/s², é correto afirmar que a distância percorrida pela
esfera, no último segundo de queda, vale
a) 20 m
b) 35 m
c) 40 m
d) 45 m
e) 55 m

6. O edifício mais alto do Brasil ainda é o Mirante do Vale com 51 andares e uma altura de 170 metros. Se
as gotas de água caíssem em queda livre do último andar desse edifício, elas chegariam ao solo com
uma velocidade de aproximadamente 200 km/h e poderiam causar danos a objetos e pessoas. Por
outro lado, gotas de chuva caem de alturas muito maiores e atingem o solo sem ferir as pessoas ou
danificar objetos. Isso ocorro porque:
a) quando caem das nuvens, as gotas de água se dividem em partículas de massas desprezíveis.
b) embora atinjam o solo com velocidades muito altas, as gotas não causam danos por serem líquidas.
c) as gotas de água chegam ao solo com baixas velocidades, pois não caem em queda livre devido
ao atrito com o ar.
d) as gotas de água têm massas muito pequenas e a aceleração da gravidade praticamente não afeta
seus movimentos verticais.

7. A partir do solo, uma bola é lançada verticalmente com velocidade v e atinge uma altura máxima h. se
a velocidade de lançamento for aumentada em 3v, a nova altura máxima final atingida pela bola será:
Despreze a resistência do ar.
a) 2h
b) 4h
c) 8h
d)9h
e) 16h

8. Um menino, estando em repouso, joga uma garrafa cheia de água verticalmente para cima com
velocidade escalar de 4,0 m/s, a partir de uma altura de 1,0 m em relação ao chão. Ele, então, começa
a correr em trajetória retilínea a uma velocidade de 6,0 m/s.
A que distância, em metros, do ponto de partida, o menino está quando a garrafa bate no chão?
Dado: g = 10 m/s²
a) 1,0
b) 3,0
c) 4,0
d) 6,0
e) 10
Fís.

9. (Ufrgs 2018) Dois objetos de massas m1 e m2 (=2m1) encontram-se na borda de uma mesa de altura h
em relação ao solo, conforme representa a figura abaixo.

O objeto 1 é lentamente deslocado até começar a cair verticalmente. No instante em que o objeto 1
começa a cair, o objeto 2 é lançado horizontalmente com velocidade V0. A resistência do ar é
desprezível.
Assinale a alternativa que melhor representa os gráficos de posição vertical dos objetos 1 e 2, em função
do tempo. Nos gráficos, 𝑡𝑞1 representa o tempo de queda do objeto 1. Em cada alternativa, o gráfico
da esquerda representa o objeto 1 e o da direita representa o objeto 2.

10. (Mackenzie 2015) Dois corpos A e B de massas mA = 1,0 kg e mB = 1,0.10³ kg, respectivamente, são
abandonados de uma mesma altura h, no interior de um tubo vertical onde existe o vácuo. Para
percorrer a altura h,

a) o tempo de queda do corpo A é igual que o do corpo B.


b) o tempo de queda do corpo A é maior que o do corpo B.
c) o tempo de queda do corpo A é menor que o do corpo B.
d) o tempo de queda depende do volume dos corpos A e B.

Fís.
e) o tempo de queda depende da forma geométrica dos corpos A e B.

11. (Uerj 2015) Uma ave marinha costuma mergulhar de altura de 20 m para buscar alimento no mar.
Suponha que um desses mergulhos tenha sido feito sem sentido vertical, a partir do repouso e
exclusivamente sob ação da força da gravidade.
Desprezando-se as forças de atrito e de resistência do ar, a ave chegará à superfície do mar a uma
velocidade, em m/s, aproximadamente igual a
a) 20
b) 40
c) 60
d) 80
QUESTÃO CONTEXTO
Em um dia de calmaria, um garoto sobre uma ponte deixa cair,
verticalmente e a partir do repouso, uma bola no instante t 0 =
0 s. A bola atinge, no instante t4, um ponto localizado no nível
das águas do rio e à distância h do ponto de lançamento. A
figura apresenta, fora de escala, cinco posições da bola,
relativas aos instantes t0, t1, t2, t3 e t4. Sabe-se que entre os
instantes t2 e t3 a bola percorre 6,25 m e que g = 10 m/s².

Desprezando a resistência do ar e sabendo que o intervalo de


tempo entre duas posições consecutivas apresentadas na
figura é sempre o mesmo, pode-se afirmar que a distância h,
em metros, é igual a
a) 25
b) 28
c) 22
d) 30
e) 20

Fís.
GABARITO
Exercícios

1. b

2. a

3. b

4. a

5. b

Fís.

6. c
7. e

8. d

9. a

10. a

Fís.

11. a
Questão Contexto

Fís.
Fís.
Professor: Leo Gomes
Monitor: Leonardo Veras

Fís.
07/09
Lançamento Horizontal
mai

RESUMO
• Lançamento Horizontal
O lançamento horizontal é aquele que ocorre quando a velocidade do objeto é horizontal e a partir daí ele
fica sob ação exclusiva da gravidade.
Os casos comuns são aqueles em que um avião lança uma bomba, uma bola rola sobre uma mesa e cai ou
semelhantes.
Para resolver um problema de lançamento horizontal é preciso entender que o movimento é o resultado de
dois movimentos:
No eixo horizontal o objeto não possui nenhuma aceleração, fazendo, portanto, um movimento uniforme (e
usando as equações de MU).
No eixo vertical o corpo executa uma queda livre sob ação da gravidade (usa-se, portanto, as equações
contraídas de MUV equações da queda livre).

Um detalhe importante é perceber que (sem resistência do ar) um objeto abandonado em movimento por
outro, continua exatamente abaixo dele. É o caso do avião que solta uma bomba. A velocidade horizontal da
bomba será a mesma do avião, a diferença é que ela se afastará da linha horizontal que foi largada em queda
livre.

Os vetores velocidade horizontal e velocidade vertical são ilustrados na figura a seguir.

Fís.

Veja que a velocidade horizontal V0x fica constante todo o tempo de queda, enquanto a velocidade vertical
inicia-se no zero e vai aumentando. A velocidade do objeto é a soma vetorial das componentes e ficará
tangente à trajetória.
EXERCÍCIOS
1. Uma menina, segurando uma bola de tênis, corre com velocidade constante, de módulo igual a 10,8
km/h, em trajetória retilínea, numa quadra plana e horizontal.
Num certo instante, a menina, com o braço esticado horizontalmente ao lado do corpo, sem alterar o
seu estado de movimento, solta a bola, que leva 0,5 s para atingir o solo. As distâncias sm e sb
percorridas, respectivamente, pela menina e pela bola, na direção horizontal, entre o instante em que
a menina soltou a bola (t = 0 s) e o instante t = 0,5 s, valem:
NOTE E ADOTE

Desconsiderar efeitos dissipativos.


a) sm = 1,25 m e sb = 0 m.
b) sm = 1,25 m e sb = 1,50 m.
c) sm = 1,50 m e sb = 0 m.
d) sm = 1,50 m e sb = 1,25 m.
e) sm = 1,50 m e sb = 1,50 m.

2. Em um campeonato recente de voo de precisão, os pilotos de avião deveriam "atirar" um saco de areia
dentro de um alvo localizado no solo. Supondo que o avião voe horizontalmente a 500 m de altitude
com uma velocidade de 144 km/h e que o saco é deixado cair do avião, ou seja, no instante do "tiro" a
componente vertical do vetor velocidade é zero, podemos afirmar que: Considere a aceleração da
gravidade g=10m/s2 e despreze a resistência do ar)
a) o saco deve ser lançado quando o avião se encontra a 100 m do alvo;
b) o saco deve ser lançado quando o avião se encontra a 200 m do alvo;
c) o saco deve ser lançado quando o avião se encontra a 300 m do alvo;
d) o saco deve ser lançado quando o avião se encontra a 400 m do alvo;
e) o saco deve ser lançado quando o avião se encontra a 500 m do alvo.

3. Duas mesas de 0,80 m de altura estão apoiadas sobre um piso horizontal, como mostra a figura a seguir.
Duas pequenas esferas iniciam o seu movimento simultaneamente do topo da mesa: 1) a primeira, da
ur
mesa esquerda, é lançada com velocidade V 0 na direção horizontal, apontando para a outra esfera,
com módulo igual a 4m/s; 2) a segunda, da mesa da direita, cai em queda livre.

Fís.

Sabendo que elas se chocam no momento em que tocam o chão, determine:


a) o tempo de queda das esferas;
b) a distância x horizontal entre os pontos iniciais do movimento.
4. Uma bola é lançada com velocidade horizontal de 2,5 m / s do alto de um edifício e alcança o solo a
5,0 m da base do mesmo.
Despreze efeitos de resistência do ar e indique, em metros, a altura do edifício.
Considere: g = 10 m / s2
a) 10
b) 2,0
c) 7,5
d) 20
e) 12,5

5. Na figura, estão representadas as trajetórias de dois projéteis, A e B, no campo gravitacional terrestre.


O projétil A é solto da borda de uma mesa horizontal de altura H e cai verticalmente; o projétil B é
lançado da borda dessa mesa com velocidade horizontal de 1,5 m/s.
(O efeito do ar é desprezível no movimento desses projéteis.)

Se o projétil A leva 0,4s para atingir o solo, qual será o valor do alcance horizontal X do projétil B?
a) 0,2 m.
b) 0,4 m.
c) 0,6 m.
d) 0,8 m.
e) 1,0 m.

6.
e mesma direção e sentido. A tabela abaixo mostra as magnitudes das massas e das velocidades iniciais
das bolas.
Massa Velocidade inicial
Bolas
(g) (m/s)
X 5 20
Y 5 10
Z 10 8

Fís.
I) As relações entre os respectivos tempos de queda t x , t y e t z das bolas X, Y e Z estão apresentadas
em:
a) t x < t y < t z
b) t y < t z < tx
c) t z < t y < tx
d) t y = t x = t z

II) As relações entre os respectivos alcances horizontais A x , A y e A z das bolas X, Y e Z, com relação
à borda da mesa, estão apresentadas em:
a) A x < A y < A z
b) A y = A x = A z
c) A z < A y < A x
d) A y < A z < A x
7. Para um salto no Grand Canyon usando motos, dois paraquedistas vão utilizar uma moto cada, sendo
que uma delas possui massa três vezes maior. Foram construídas duas pistas idênticas até a beira do
precipício, de forma que no momento do salto as motos deixem a pista horizontalmente e ao mesmo
tempo. No instante em que saltam, os paraquedistas abandonam suas motos e elas caem praticamente
sem resistência do ar.

As motos atingem o solo simultaneamente porque


a) possuem a mesma inércia.
b) estão sujeitas à mesma força resultante.
c) têm a mesma quantidade de movimento inicial.
d) adquirem a mesma aceleração durante a queda.
e) são lançadas com a mesma velocidade horizontal.

8. Três pedras são atiradas horizontalmente, do alto de um edifício, tendo suas trajetórias representadas
a seguir.

Admitindo-se a resistência do ar desprezível, é correto afirmar que, durante a queda, as pedras


possuem
a) acelerações diferentes.
b) tempos de queda diferentes.
c) componentes horizontais das velocidades constantes.
d) componentes verticais das velocidades diferentes, a uma mesma altura.

9. Um motociclista deseja saltar um fosso de largura d = 4,0m, que separa duas plataformas horizontais.
As plataformas estão em níveis diferentes, sendo que a primeira encontra-se a uma altura h = 1,25m
acima do nível da segunda, como mostra a figura.

Fís.

O motociclista salta o vão com certa velocidade u0 e alcança a plataforma inferior, tocando-a com as
duas rodas da motocicleta ao mesmo tempo. Sabendo-se que a distância entre os eixos das rodas é
1,0m e admitindo g = 10m s2 , determine:

a) o tempo gasto entre os instantes em que ele deixa a plataforma superior e atinge a inferior.
b) qual é a menor velocidade com que o motociclista deve deixar a plataforma superior, para que não
caia no fosso.
10. Uma esfera é lançada com velocidade horizontal constante de módulo v=5 m/s da borda de uma mesa
horizontal. Ela atinge o solo num ponto situado a 5 m do pé da mesa conforme o desenho abaixo.

Desprezando a resistência do ar, o módulo da velocidade com que a esfera atinge o solo é de:
Dado: Aceleração da gravidade: g=10 m/s2
a) 4 m / s
b) 5 m / s
c) 5 2 m / s
d) 6 2 m / s
e) 5 5 m / s

QUESTÃO CONTEXTO
Um bloco de massa m preso a uma mola de constante elástica k , ao ser pendurado verticalmente, atinge o
equilíbrio quando a mola sofre uma elongação x e . Em seguida, o bloco é desacoplado da mola e esse arranjo
é montado sobre uma mesa horizontal sem atrito, conforme a figura apresentada a seguir.

Nessa situação, a mola com o bloco é comprimida de xm e depois solta. O bloco de massa m colide com o
bloco de massa M, que se encontra em repouso na extremidade da mesa, e fica preso a ele. Os dois blocos Fís.
caem a uma distância x da extremidade da mesa. Sabe-se que a razão h xe = 200, que M m = 3 e que
g = 10 m / s2 . Considerando o exposto, determine:

O valor de x e , em metros, para um tempo de queda de 1,0 s, e a razão m / k.


GABARITO

Exercícios de aula

1. e

Dados: vx = 10,8 km/h = 3 m/s, tqueda = 0,5 s.


Durante a queda, a velocidade horizontal da bola é igual à velocidade da menina. Portanto:
sm = sb = vx tqueda = 3 (0,5) = 1,5 m.

2. d

O tempo de queda do saco de areia será:


h = gt2/2 → 500 = 10.t2/2 → t2 = 100 → t = 10 s
Isto significa que o saco deve ser abandonado 10 s antes do avião sobrevoar do alvo. Como o avião está
a 144 km/h ou 40 m/s, o saco deverá ser abandonado a 40.10 = 400 m antes do alvo.
3.
1 2
a) S = gt → 0,8 = 5t 2 → t = 0,4s
2
b) S = V.t → S = 4  0,4 = 1,6m

4. d

A situação representa um lançamento horizontal e desmembrando este movimento temos um


movimento de queda livre na vertical e movimento uniforme na horizontal.

No eixo horizontal (x), temos um MRU:


x = x0 + v x  t

Donde tiramos o tempo de queda, usando o alcance e a velocidade horizontal:


5 = 0 + 2,5  t
t=2 s

Fís.
No eixo vertical (y), para a altura em função do tempo, temos a expressão:
t2
h=g
2

Com os dados fornecidos e o tempo calculado:


( 2 s)2
h = 10 m / s2  = 20 m
2

5. c

Como a componente horizontal da velocidade se mantém constante e o tempo de queda é o mesmo


para dos dois projéteis, temos:

x = vx t = 1,5  0,4  x = 0,6 m.

6. I) d
O movimento de queda das bolas é acelerado com a gravidade. Os tempos de queda são iguais.
II) c
Os movimentos horizontais são uniformes. Portanto, o maior alcance será o da bola com maior
velocidade inicial.

7. d
Sendo desprezível a resistência do ar, durante a queda as duas motos adquirem a mesma aceleração, que
r r
é a aceleração da gravidade ( a = g).

8. c
O lançamento horizontal de uma pedra, sem resistência do ar, pode ser desmembrado em dois
movimentos:
- movimento uniforme na horizontal.
- queda livre a partir do repouso na vertical.

9. a) O tempo de queda é igual ao tempo de queda livre.


1 2h 2 (1,25 )
h= g t2  t = = = 0,25  t = 0,5 s.
2 g 10

b) Como as duas rodas devem tocar a plataforma ao mesmo tempo, a moto deve percorrer no ar a
distância horizontal de 5 m, no mesmo tempo de 0,5 s.

Assim, o menor valor da velocidade é:


d 5
u0 = =  u0 = 10 m s.
t 0,5

10. e
1ª Solução:
O tempo de queda da esfera é igual ao tempo para ela avançar 5 m com velocidade horizontal constante
de v0 = 5 m/s.
x 5
t= = = 1 s.
v0 5

A componente vertical da velocidade é:


v y = v 0y + g t  v y = 0 + 10 (1)  v y = 10 m/s.
Fís.
Compondo as velocidades horizontal e vertical no ponto de chegada:
v 2 = v 02 + v 2y  v = 52 + 102  v = 125 
v = 5 5 m/s.

2ª Solução:
Calculando a altura de queda:
1
h = g t 2  h = 5 (1)
2
 h = 5 m.
2

Pela conservação da energia mecânica:


m v2 m v 02
=m g h+  v = v 02 + 2 g h  v = 52 + 2 (10 )(5 ) = 125 
2 2
v = 5 5 m/s.
Questão Contexto

Valor de x e
h
Dados: t = 1s; = 200; g = 10 m/s2.
xe

Aplicando a equação do tempo de queda para o lançamento horizontal:


1 1
h = gt 2  h =  10  12  h = 5m.
2 2

Aplicando esse resultado na expressão dada:


h h 5 −
= 200  x e = =  x e = 2,5  10 2 m.
xe 200 200

- A razão m k.
Para a situação de equilíbrio, com o bloco de massa m suspenso:

m xe m 2,5  10−2  m  m −
P = F  mg = k x e  =  =    = 2,5  10 3 s2.
2
k g k 10  m/s  k

Fís.
Fís.
Professor: Leo Gomes
Monitor: Leonardo Veras

Fís.
21/23
Movimento Circular Uniforme
mai

RESUMO

movimento em função do ângulo descrito em vez de usar as coordenadas lineares.

As grandezas lineares possuem equivalentes angulares. Assim se há uma variação S, há uma variação angular
ϕ; se há uma velocidade linear V, há uma velocidade angular.

Equações úteis:

• Relação entre grandezas lineares e angulares:

• Velocidade angular:

• Relação entre período e frequência (n é o número de voltas):

• Relação entre velocidade angular e frequência:


Fís.

• Aceleração centrípeta:

• Função horária angular:


EXERCÍCIOS
1. Na modalidade de arremesso de martelo, o atleta gira o corpo juntamente com o martelo antes de
arremessá-lo. Em um treino, um atleta girou quatro vezes em três segundos para efetuar um arremesso.
Sabendo que o comprimento do braço do atleta é de 80 cm, desprezando o tamanho do martelo e
admitindo que esse martelo descreve um movimento circular antes de ser arremessado, é correto
afirmar que a velocidade com que o martelo é arremessado é de:
a) 2,8 m/s
b) 3,0 m/s
c) 5,0 m/s
d) 6,4 m/s
e) 7,0 m/s

2. Durante os festejos do Círio de Nazaré, em Belém, uma das atrações é o parque de brinquedos situado
ao lado da Basílica, no qual um dos brinquedos mais cobiçados é a Roda Gigante, que gira com
velocidade angular ω, constante.

Considerando-se que a velocidade escalar de um ponto qualquer da periferia da Roda é V = 1m s e


que o raio é de 15 m, pode-se afirmar que a frequência de rotação f, em hertz, e a velocidade angular
ω, em rad s, são respectivamente iguais a:
1 2
a) e
30π 15
1 2
b) e
15π 15
1 1
c) e
30π 15
1 1
d) e

Fís.
15π 15
1 1
e) e
30π 30π

3. A figura abaixo representa um móvel m que descreve um movimento circular uniforme de raio R, no
sentido horário, com velocidade de módulo V.
Assinale a alternativa que melhor representa, respectivamente, os vetores velocidade V e aceleração
a do móvel quando passa pelo ponto I, assinalado na figura.

a)

b)

c)

d)

e)

4. Admita que em um trator semelhante ao da foto a relação entre o raio dos pneus de trás (rT ) e o raio
dos pneus da frente (rF ) é rT = 1,5  rF .

Chamando de v T e v F os módulos das velocidades de pontos desses pneus em contato com o solo
e de fT e fF as suas respectivas frequências de rotação, pode-se afirmar que, quando esse trator se
movimenta, sem derrapar, são válidas as relações:
a) v T = v F e fT = fF .
b) v T = v F e 1,5  fT = fF .
c) v T = v F e fT = 1,5  fF .
d) v T = 1,5  vF e fT = fF .
e) 1,5  v T = vF e fT = fF .

5. Em voos horizontais de aeromodelos, o peso do modelo é equilibrado pela força de sustentação para Fís.
cima, resultante da ação do ar sobre as suas asas.
Um aeromodelo, preso a um fio, voa em um círculo horizontal de 6 m de raio, executando uma volta
completa a cada 4 s.

Sua velocidade angular, em rad s, e sua aceleração centrípeta, em m s2 , valem, respectivamente,


a) π e 6 π 2 .
b) π 2 e 3 π 2 2.
c) π 2 e π2 4.
d) π 4 e π2 4.
e) π 4 e π2 16.
6. Ainda que tenhamos a sensação de que estamos estáticos sobre a Terra, na verdade, se tomarmos
como referência um observador parado em relação às estrelas fixas e externo ao nosso planeta, ele
terá mais clareza de que estamos em movimento, por exemplo, rotacionando junto com a Terra em
torno de seu eixo imaginário. Se consideramos duas pessoas (A e B), uma deles localizada em Ottawa
(A), Canadá, (latitude 45 Norte) e a outra em Caracas (B), Venezuela, (latitude 10 Norte), qual a
relação entre a velocidade angular média (ω) e velocidade escalar média (v) dessas duas pessoas,
quando analisadas sob a perspectiva do referido observador?
a) ωA = ωB e v A = vB
b) ωA  ωB e v A  vB
c) ωA = ωB e v A  vB
d) ωA  ωB e v A = vB

7. Maria brinca em um carrossel, que gira com velocidade constante. A distância entre Maria e o centro
do carrossel é de 4,0 m. Sua mãe está do lado de fora do brinquedo e contou 20 voltas nos 10 min
em que Maria esteve no carrossel. Considerando essas informações, CALCULE:
a) A distância total percorrida por Maria.
b) A velocidade angular de Maria, em rad s.
c) O módulo de aceleração centrípeta de Maria.

8. Um caminhão de carga tem rodas dianteiras de raio Rd = 50 cm e rodas traseiras de raio Rt = 80 cm.
Em determinado trecho do trajeto plano e retilíneo, percorrido sem deslizar e com velocidade escalar
constante, a frequência da roda dianteira é igual a 10 Hz e efetua 6,75 voltas a mais que a traseira.

Considerando π  3, determine:
a) A velocidade escalar média do caminhão, em km h.
b) A distância percorrida por ele nesse trecho do trajeto.

9. Numa pista circular de diâmetro 200 m, duas pessoas se deslocam no mesmo sentido, partindo de
pontos diametralmente opostos da pista. A primeira pessoa parte com velocidade angular constante
de 0,010 rad/s, e a segunda parte, simultaneamente, com velocidade escalar constante de 0,8 m/s.

As duas pessoas estarão emparelhadas após (use π com duas casas decimais)
a) 18 minutos e 50 segundos.
b) 19 minutos e 10 segundos.
c) 20 minutos e 5 segundos.
d) 25 minutos e 50 segundos.

Fís.
e) 26 minutos e 10 segundos.

10. Foi divulgado pela imprensa que a ISS (sigla em inglês para Estação Espacial Internacional) retornará à
Terra por volta de 2020 e afundará no mar, encerrando suas atividades, como ocorreu com a Estação
Orbital MIR, em 2001. Atualmente, a ISS realiza sua órbita a 350 km da Terra e seu período orbital é de
aproximadamente 90 minutos.

Considerando o raio da Terra igual a 6 400 km e π  3, pode-se afirmar que


a) ao afundar no mar o peso da água deslocada pela estação espacial será igual ao seu próprio peso.
b) a pressão total exercida pela água do mar é exatamente a mesma em todos os pontos da estação.
c) a velocidade linear orbital da estação é, aproximadamente, 27 x 103 km/h.
d) a velocidade angular orbital da estação é, aproximadamente, 0,25 rad/h.
e) ao reingressar na atmosfera a aceleração resultante da estação espacial será radial e de módulo
constante.
11. Segundo o modelo simplificado de Bohr, o elétron do átomo de hidrogênio executa um movimento
circular uniforme, de raio igual a 5,0 × 10-11 m, em torno do próton, com período igual a 2 × 10 -15 s.
Com o mesmo valor da velocidade orbital no átomo, a distância, em quilômetros, que esse elétron
percorreria no espaço livre, em linha reta, durante 10 minutos, seria da ordem de:
a) 102
b) 103
c) 104
d) 105

12. Um satélite geoestacionário encontra-se sempre posicionado sobre o mesmo ponto em relação à
Terra. Sabendo-se que o raio da órbita deste satélite é de 36 × 103 km e considerando-se ð= 3, podemos
dizer que sua velocidade é:
a) 0,5 km/s.
b) 1,5 km/s.
c) 2,5 km/s.
d) 3,5 km/s.
e) 4,5 km/s.

QUESTÃO CONTEXTO
Algumas empresas privadas têm demonstrado interesse em desenvolver veículos espaciais com o objetivo de
promover o turismo espacial. Nesse caso, um foguete ou avião impulsiona o veículo, de modo que ele entre
em órbita ao redor da Terra. Admitindo-se que o movimento orbital é um movimento circular uniforme em
um referencial fixo na Terra, é correto afirmar que
a) o peso de cada passageiro é nulo, quando esse passageiro está em órbita.
b) uma força centrífuga atua sobre cada passageiro, formando um par ação-reação com a força
gravitacional.
c) o peso de cada passageiro atua como força centrípeta do movimento; por isso, os passageiros são
acelerados em direção ao centro da Terra.
d) o módulo da velocidade angular dos passageiros, medido em relação a um referencial fixo na Terra,
depende do quadrado do módulo da velocidade tangencial deles.
e) a aceleração de cada passageiro é nula.

Fís.
GABARITO
Exercícios

1. d
Δθ 4x2π
V = ωR = .R = x0,8 = 6, 4m / s .
Δt 3

2. c
V 1 1
V = 2 πR f  f = =  f= Hz.
2 π R 2 π 15 30 π
1 1
ω = 2πf = 2π  ω= rad/s.
30 π 15

3. c
No movimento circular uniforme (MCU) a velocidade é representada por um vetor tangente ao círculo
em cada ponto ocupado pelo móvel, com isto, apesar do módulo da velocidade permanecer constante,
ao longo do movimento o vetor velocidade altera sua direção e sentido, sendo, portanto, um movimento
acelerado em que a aceleração é sempre perpendicular ao vetor velocidade apontando para o centro da
curva, chamada de aceleração centrípeta. Assim, a alternativa correta é a [C].

4. b
As velocidades são iguais à velocidade do próprio trator: (v T = vF ) .
Para as frequências temos:
v T = vF  2π fT rT = 2π fF rF  fT 1,5 rF = fF rF  fF = 1,5fT .

5. b Fís.
A velocidade angular ω em rad s é:
2π 2π rad π
ω= =  ω = rad s
T 4s 2

E a aceleração centrípeta é calculada com:


2
π  3 π2
ac = ω2  R =  rad s   6 m  ac = m s2
2  2

6. c
A velocidade angular média (ω) depende basicamente da frequência da rotação (f ) ou do período (T)

sendo dada por: ω = 2πf =
T
Para ambos os observadores (A e B), tanto suas frequências como seus períodos de rotação são os
mesmos, pois quando a Terra dá uma volta completa, qualquer ponto do planeta também dá uma rotação
completa, então suas velocidades angulares médias (ω) devem ser exatamente iguais.
fA = fB 
 → ωA = ωB
TA = TB 

Já a velocidade escalar média (v) dessas duas pessoas, depende do raio (R) de curvatura da Terra.
Pontos mais próximos dos polos têm raios menores que pontos próximos ao Equador, portanto temos
que:
RA  RB

2πR
Como a velocidade escalar média (v) é diretamente proporcional ao raio e dada por: v = 2πRf = ,
T
temos que v A  vB .

7. a) A distância percorrida é igual ao número de voltas (n) vezes o comprimento de cada volta.

d = n2π R = 20  2π  4  d = 160 π m .

n2π 20  2π π
b) ω = =  ω= rad/s.
Δt 10  60 15

2
 π 4 π2
c) ac = ω2 R =   4 =  ac = 0,018 π2 m/s2 .
 15  225

8. a) v = 2πRf, para a roda dianteira, temos:


v = 2.3.0,5.10 = 30m / s , convertendo para km/h (multiplicando por 3,6),

 v = 108km / h
b) Como podemos perceber, o enunciado não fornece o tempo para a roda dianteira efetuar 6,75 voltas
a mais que a traseira, porém, sabemos que o deslocamento das rodas são iguais, assim temos:
ΔST = ΔSD
n.2π.RT = (n + 6,75).2π.RD

Logo:

n.0,8 = (n + 6,75).0,5
Fís.
0,8n = 0,5n + 3,375
0,3n = 3,375
3375
n= = 11,25
300

Logo:

ΔST = n.2π.RT
ΔST = 11,25.2.3.0,8

 ΔST = 54m
9. e
Dados: D = 200 m  r = 100 m; 2 = 0,01 rad/s;  = 3,14 .

A velocidade da pessoa mais rápida é:


v 2 = 2r = 0,01 100 = 1 m / s.
Como partem de pontos diametralmente opostos, a distância (d) entre eles é meia volta.
d =  r = 3,14  100 = 314 m.
A pessoa mais rápida leva vantagem (velocidade relativa → vrel ) de 0,2 m/s.

O tempo para tirar essa diferença é:


d 314
t = = = 1570 s  t = 26 min e 10 s.
vrel 0,2

10. c
Dados:
Raio da Terra: R = 6.400 km;
Altura da órbita em relação à superfície: h = 350 km;
Período orbital: T = 90 min = 1,5 h
π = 3.

Considerando órbita circular, o raio orbital (r) é:


r = R + h = 6.400 + 350 = 6.750 km.

Calculando a velocidade linear orbital:


ΔS 2πr 2 ( 3 )( 6.750 )
v= = = 
Δt T 1,5
v = 27  103 km / h.

11. d
Resolução
Velocidade = v = (2.3,14.5.10-11) / (2.10-15) = 15,7.104 m/s = 1,57.105 m/s
Distância = S = 1,57.105.(600) = 942.105 = 9,42.107 m = 9,42.104 km → ordem de grandeza 105 (pois a parte
significativa é maior que raiz quadrada de 10).

12. c

Fís.
Resolução
v = S/t
v = (2..r)/T
v = (2.3.36.103)/24
v = (216.103)/24
v = 9000 km/h = 2500 m/s = 2,5 km/s

Questão Contexto

c
Para um corpo em órbita descrevendo movimento circular uniforme, o peso age como resultante centrípeta,
dirigido para o centro da Terra.
Fís.
Professor: Leo Gomes
Monitor: Leonardo Veras

Fís.
21/23
Transmissão de movimento
mai

RESUMO
Os motores, geralmente, têm uma frequência de rotação fixa. Entretanto, as máquinas acionadas por eles
têm, quase sempre. Sistemas girantes que precisam de diferentes frequências de rotação. Muitas vezes essas
frequências são fornecidas por um único motor. Por isso, o eixo desse motor é acoplado a polias de
diferentes tamanhos por meio de correias ou engrenagens.
Duas polias podem ser acopladas das seguintes formas:
Acoplamento (associação) - mesmo eixo:

Nesta associação quando uma polia completa uma volta, a outra completa uma volta, logo ambas possuem
a mesma velocidade angular.
ωA = ωB

Acoplamento (associação) por correia - eixos distintos:

Nesta associação, quando a polia maior completa uma volta, a outra menor completa um número maior de
voltas. Contudo, por estarem presas por uma correia, elas possuem a mesma velocidade linear nos pontos

Fís.
de contato com a correia.
VA = VB
Assim, ωARA = ωBRB. ARA BRB e fARA = fBRB, onde f é a frequência de rotação.

EXERCÍCIOS
1. Para serrar ossos e carnes congeladas, um açougueiro utiliza uma serra de fita que possui três polias e
um motor. O equipamento pode ser montado de duas formas diferentes, P e Q. Por questão de
segurança, é necessário que a serra possua menor velocidade linear.
Por qual montagem o açougueiro deve optar e qual a justificativa desta opção?
a) Q, pois as polias 1 e 3 giram com velocidades lineares iguais em pontos periféricos e a que tiver
maior raio terá menor frequência.
b) Q, pois as polias 1 e 3 giram com frequências iguais e a que tiver maior raio terá menor velocidade
linear em um ponto periférico.
c) P, pois as polias 2 e 3 giram com frequências diferentes e a que tiver maior raio terá menor
velocidade linear em um ponto periférico.
d) P, pois as polias 1 e 2 giram com diferentes velocidades lineares em pontos periféricos e a que tiver
menor raio terá maior frequência.
e) Q, pois as polias 2 e 3 giram com diferentes velocidades lineares em pontos periféricos e a que
tiver maior raio terá menor frequência.

2. O acoplamento de engrenagens por correia C, como o que é encontrado nas bicicletas, pode ser
esquematicamente representado por:

Considerando-se que a correia em movimento não deslize em relação às rodas A e B, enquanto elas
giram, é correto afirmar que
a) a velocidade angular das duas rodas é a mesma.
b) o módulo da aceleração centrípeta dos pontos periféricos de ambas as rodas tem o mesmo valor.
c) a frequência do movimento de cada polia é inversamente proporcional ao seu raio.
d) as duas rodas executam o mesmo número de voltas no mesmo intervalo de tempo.
e) o módulo da velocidade dos pontos periféricos das rodas é diferente do módulo da velocidade da
correia.

3. Na figura abaixo, temos duas polias de raios R1 e R2 , que giram no sentido horário, acopladas a uma
correia que não desliza sobre as polias.

Fís.

Com base no enunciado acima e na ilustração, é correto afirmar que:


a) a velocidade angular da polia 1 é numericamente igual à velocidade angular da polia 2.
b) a frequência da polia 1 é numericamente igual à frequência da polia 2.
c) o módulo da velocidade na borda da polia 1 é numericamente igual ao módulo da velocidade na
borda da polia 2.
d) o período da polia 1 é numericamente igual ao período da polia 2.
e) a velocidade da correia é diferente da velocidade da polia 1.
4. Em uma obra de construção civil, uma carga de tijolos é elevada com uso de uma corda que passa com
velocidade constante de 13,5 m s e sem deslizar por duas polias de raios 27 cm e 54 cm. A razão
entre a velocidade angular da polia grande e da polia menor é
a) 3.
b) 2.
c) 2 3.
d) 1 2.

5. A figura a seguir ilustra três polias A, B e C executando um movimento circular uniforme. A polia B está
fixada à polia C e estas ligadas à polia A por meio de uma correia que faz o sistema girar sem deslizar.
Sobre o assunto, assinale o que for correto.

(01) A velocidade escalar do ponto 1 é maior que a do ponto 2.


(02) A velocidade angular da polia B é igual a da polia C.
(04) A velocidade escalar do ponto 3 é maior que a velocidade escalar do ponto 1.
(08) A velocidade angular da polia C é maior do que a velocidade angular da polia A.
SOMA: ( )

6. Considere uma polia girando em torno de seu eixo central, conforme figura abaixo. A velocidade dos
pontos A e B são, respectivamente, 60 cm s e 0,3 m s.

Fís.
A distância AB vale 10 cm. O diâmetro e a velocidade angular da polia, respectivamente, valem:
a) 10 cm e 1,0 rad s
b) 20 cm e 1,5 rad s
c) 40 cm e 3,0 rad s
d) 50 cm e 0,5 rad s
e) 60 cm e 2,0 rad s

7. A figura apresenta esquematicamente o sistema de transmissão de uma bicicleta convencional.


Na bicicleta, a coroa A conecta-se à catraca B através da correia P. Por sua vez, B é ligada à roda traseira
R, girando com ela quando o ciclista está pedalando.

Nesta situação, supondo que a bicicleta se move sem deslizar, as magnitudes das velocidades
angulares, ωA , ωB e ωR , são tais que
a) ωA  ωB = ωR .
b) ωA = ωB  ωR .
c) ωA = ωB = ωR .
d) ωA  ωB  ωR .
e) ωA  ωB = ωR .

8. A invenção e o acoplamento entre engrenagens revolucionaram a ciência na época e propiciaram a


invenção de várias tecnologias, como os relógios. Ao construir um pequeno cronômetro, um relojoeiro
usa o sistema de engrenagens mostrado. De acordo com a figura, um motor é ligado ao eixo e
movimenta as engrenagens fazendo o ponteiro girar. A frequência do motor é de 18 rpm, e o número
de dentes das engrenagens está apresentado no quadro.

Engrenagem Dentes
A 24
B 72
C 36

D 108

Fís.
A frequência de giro do ponteiro, em rpm, é
a) 1.
b) 2.
c) 4.
d) 81.
e) 162.

9. A figura a seguir ilustra duas catracas fixas, cujos dentes têm o mesmo passo, da roda traseira de uma
bicicleta de marchas que se desloca com velocidade constante, pela ação do ciclista.
Os dentes P e Q estão sempre alinhados e localizados a distâncias RP e RQ (RP > RQ) em relação ao eixo
da roda.
As grandezas , , , e a, representam, respectivamente, a velocidade angular, a velocidade
tangencial, a aceleração angular e a aceleração centrípeta. As duas grandezas físicas que variam
linearmente com o raio e a razão de cada uma delas entre as posições Q e P são:

a) ,  e 0,7
b) a,  e 1,4
c) ,  e 1,4
d) , a e 0,7
e) ,  e 1,4

10. Em uma bicicleta, a transmissão do movimento das pedaladas se faz através de uma corrente,
acoplando um disco dentado dianteiro (coroa) a um disco dentado traseiro (catraca), sem que haja
deslizamento entre a corrente e os discos. A catraca, por sua vez, é acoplada à roda traseira de modo
que as velocidades angulares da catraca e da roda sejam as mesmas (ver a seguir figura representativa
de uma bicicleta).

Fís.
Em uma corrida de bicicleta, o ciclista desloca-se com velocidade escalar constante, mantendo um
ritmo estável de pedaladas, capaz de imprimir no disco dianteiro uma velocidade angular de 4 rad/s,
para uma configuração em que o raio da coroa é 4R, o raio da catraca é R e o raio da roda é 0,5 m.
Com base no exposto, conclui-se que a velocidade escalar do ciclista é:
a) 2 m/s
b) 4 m/s
c) 8 m/s
d) 12 m/s
e) 16 m/s
11. Duas polias estão acopladas por uma correia que não desliza. Sabendo-se que o raio da polia menor é
de 20 cm e sua frequência de rotação f1 é de 3.600 rpm, qual é a frequência de rotação f2 da polia
maior, em rpm, cujo raio vale 50 cm?
a) 9.000
b) 7.200
c) 1.440
d) 720

12. Uma bicicleta de marchas tem três engrenagens na coroa, que giram com o pedal, e seis engrenagens
no pinhão, que giram com a roda traseira. Observe a bicicleta a seguir e as tabelas que apresentam os
números de dentes de cada engrenagem, todos de igual tamanho.

engrenagens da
nº de dentes
coroa
1ª 49
2ª 39
3ª 27

engrenagens do
nº de dentes
pinhão
1ª 14
2ª 16
3ª 18
4ª 20
5ª 22
6ª 24 Fís.
Cada marcha é uma ligação, feita pela corrente, entre uma engrenagem da coroa e uma do pinhão.
Suponha que uma das marchas foi selecionada para a bicicleta atingir a maior velocidade possível.
Nessa marcha, a velocidade angular da roda traseira é WR e a da coroa é WC .
WR
A razão equivale a:
WC
7
a)
2
9
b)
8
27
c)
14
49
d)
24
QUESTÃO CONTEXTO
Achar modalidades mais criativas é uma preocupação constante na vida de quem está acostumado a malhar
e precisa se manter motivado. Em algum momento, a atividade escolhida perde a graça, sendo preciso
encontrar algo diferente. A mais recente inovação nessa área é o CrossFit, uma ginástica elaborada com base
nos treinamentos do Exército e da Marinha dos Estados Unidos e de atletas olímpicos. No Brasil, o número
de adeptos cresce, e surgem academias especializadas na modalidade.
Fonte: http://istoe.com.br/188465_TREINAMENTO+ANTIMONOTONIA/, acessado em 14 de julho de 2016.

Em uma sessão de treino CrossFit, um atleta de Rugby segura uma pequena bola e puxa uma polia que está
presa a uma parede e a um bloco por um fio ideal, com uma força de módulo F horizontal, conforme mostra
a figura a seguir.

Supondo que a polia tenha massa desprezível e que o atrito entre o bloco e a superfície horizontal seja
desprezível, assinale a alternativa CORRETA.
a) A aceleração do bloco é o dobro da aceleração da polia.
b) A aceleração da polia é o dobro da aceleração do bloco.
c) A aceleração do bloco tem intensidade igual a F (4M).
d) Se a polia for movida por uma distância horizontal d, para a direita, o bloco se move d 2 também para a
direita.
e) A variação de energia cinética do bloco, quando a polia se move por uma distância horizontal d, para a
direita, é igual a Fd.

Fís.
GABARITO

Exercícios

1. a
A velocidade linear da serra é igual à velocidade linear (v) de um ponto periférico da polia à qual ela está
acoplada.
Lembremos que no acoplamento tangencial, os pontos periféricos das polias têm mesma velocidade
linear; já no acoplamento coaxial (mesmo eixo) são iguais as velocidades angulares (ω), frequências (f)
e períodos (T) de todos os pontos das duas polias. Nesse caso a velocidade linear é diretamente
proporcional ao raio (v = ω R).

Na montagem P:
Velocidade da polia do motor: v1.
Velocidade linear da serra: v3P.

v 3P = ω3P R3

ω2P = ω3P
 v 2P
 v 2P  v 3P = ω2P R3  v 3P = R3 
ω2P = R2
 R2
v = v
 2P 1

v1 R3
(I )
Fís.
v 3P = .
R2

Na montagem Q:
Velocidade da polia do motor: v1.
Velocidade linear da serra: v2Q.
v 2Q = ω2Q R2

ω2Q = ω3Q
 v 3Q
 v 3Q  v 2Q = ω3Q R2  v 2Q = R2 
ω3Q = R3
 R3
v
 3Q = v1

v1 R2
v 2Q = . (II)
R3

Dividindo (II) por (I):


2
v 2Q v1 R2 R2 v 2Q R 
=   = 2 .
v 3P R3 v1 R3 v 3P  R3 

Como R2  R3  v 2Q  v3P .

Quanto às frequências, na montagem Q:


f R
v 3Q = v1  f3Q R3 = f1 R1  3Q = 1 .
f1 R3

Como R1  R3  f3Q  F1.

2. c
Nesse tipo de acoplamento (tangencial) as polias e a correia têm a mesma velocidade linear (v).
Lembrando que v = R e que  = 2f, temos:
vA = vB  ARA = BRB  (2fA) RA = (2fB) RB fARA = fBRB. Grandezas que apresentam produto constante
são inversamente proporcionais, ou seja: quanto menor o raio da polia maior será a sua frequência de
rotação.

3. c
Como não há deslizamento, as velocidades lineares ou tangenciais dos pontos periféricos das polias são
iguais em módulo, iguais à velocidade linear da correia.

v1 = v 2 = vcorreia .

Fís.
4. d
A velocidade linear é a mesma para as duas polias.
ωG RM 27 ωG 1
v G = vM  ω G R G = ω M R M  = =  = .
ωM RG 54 ωM 2

5. 02 + 04 + 08 = 14

As polias A e B apresentam acoplamento tangencial (por correia): v 1 = v2 e B > A.


As polias C e D estão acopladas coaxialmente (mesmo eixo): B = C > A e v3 > v2.= v1.

6. c
Dados: v A = 60cm s; vB = 0,3m s = 30cm s; AB = 10cm.

Da figura dada:
RA = RB + AB  RB = RA − 10.
Os dois pontos têm mesma velocidade angular.
v v 60 30
ωA = ωB  A = B  =  2 (RA − 10 ) = RA  RA = 20 cm.
RA RB RA RA − 10

O diâmetro da polia é igual ao dobro do raio do ponto A.

D = 2 RA  D = 40 cm.

A velocidade angular da polia é igual à do ponto A.


vA 60
ω = ωA = =  ω = 3 rad s.
RA 20

7. a
Como a catraca B gira juntamente com a roda R, ou seja, ambas completam uma volta no mesmo
intervalo de tempo, elas possuem a mesma velocidade angular: ωB = ωR .

Como a coroa A conecta-se à catraca B através de uma correia, os pontos de suas periferias possuem a
mesma velocidade escalar, ou seja: VA = VB .

Lembrando que V = ω.r : VA = VB → ωA .rA = ωB .rB .

Como: rA  rB  ωA  ωB .

8. b
No acoplamento coaxial as frequências são iguais. No acoplamento tangencial as frequências (f) são
inversamente proporcionais aos números (N) de dentes;

Assim:
fA = fmotor = 18 rpm.

fB NB = fA NA  fB  72 = 18  24  fB = 6 rpm.

fC = fB = 6 rpm.
f N = f N  f  108 = 6  36  f = 2 rpm.
D D C C D D

A frequência do ponteiro é igual à da engrenagem D, ou seja:

f = 2 rpm.

Fís.
9. d
Os dentes das duas engrenagens têm o mesmo passo (ou o mesmo comprimento) (p). O número de
dentes (N) de uma engrenagem é dado pela razão entre o comprimento da circunferência e o passo dos
dentes. Ou seja:
2 R
N= .
p

As engrenagens maior e menor têm 20 dentes 14 dentes, respectivamente. Então:


2RQ 2 R P
NQ = e NP = .
p p
Fazendo a razão entre essas expressões:
NQ 2RQ p 14 RQ RQ
=   =  = 0,7.
NP p 2RP 20 RP RP
Como as engrenagens estão acopladas coaxialmente (mesmo eixo) as duas têm mesma velocidade
angular ().
Q = P.
Como o movimento é uniforme, a aceleração angular () é nula.
Q = P = 0

A velocidade tangencial (v) é diretamente proporcional ao raio: v =  R.


A aceleração centrípeta (a) é diretamente proporcional ao raio: a = 2 R.
Assim, fazendo as razões pedidas:
vQ  RQ RQ
= = = 0,7.
vP  RP RP
aQ 2 RQ RQ
= = = 0,7.
aP  RP
2
RP

10. c
Dados: ωcor = 4 rad/s; Rcor = 4 R; Rcat = R; Rroda = 0,5 m.

A velocidade tangencial (v) da catraca é igual à da coroa:


v cat = v cor  ωcat Rcat = ωcor Rcor  ωcat R = 4 ( 4 R )  ωcat = 16 rad / s.

A velocidade angular ( ω ) da roda é igual à da catraca:

vroda vroda
ωroda = ωcat  = ωcat  = 16  v roda = 8 m / s 
Rroda 0,5
vbic = vroda = 8 m / s.

11. c
Nesse tipo de acoplamento, as duas polias têm mesma velocidade linear:

 v1 = 2  π  R1  f1
  v1 = v 2  2  π  R1  f1 = 2  π  R 2  f2  R1  f1 = R 2  f2 
 v 2 = 2  π  R 2  f2
R f 20  3.600
f2 = 1 1  f2 =  f2 = 1.440 rpm.
R2 50

12. a Fís.
Sendo n o numero de dentes e f a frequência do movimento:

𝑓𝑟 𝑛𝑟 = 𝑓𝑐 𝑛𝑐

Pela tabela, podemos perceber que quanto menor o numero de dentes do pinhão e maior o numero de
dentes da coroa, maior será a velocidade da bicicleta. Logo:

𝑓𝑐 49
𝑓𝑟 14 = 𝑓𝑐 49 → 𝑓𝑟 =
14

A velocidade angular pode ser descrita da seguinte maneira:

𝑓𝑐 49
𝜔𝑟 = 2𝜋𝑓𝑟 = 2𝜋
14
𝜔𝑐 = 2𝜋𝑓𝑐
Com isso, já é possível determinar a razão:

𝜔𝑟 49 7
= =
𝜔𝑐 14 2

Questão Contexto

AeE

A polia desloca exatamente a metade do deslocamento do bloco, pois a corda faz a volta na polia, sendo
assim, um deslocamento d na polia significa um deslocamento 2d no bloco.
Δsbloco = 2 Δspolia

Usando a equação do movimento uniformemente variado para o deslocamento em função da aceleração,


para o caso de velocidade inicial nula:
a  t2
Δs = ,
2

então:
abloco  t 2 apolia  t 2
= 2  abloco = 2  apolia
2 2

Mas, observando o diagrama de forças abaixo, temos:

O trabalho realizado para mover o bloco pode ser relacionado com o trabalho realizado para mover a polia:

Na polia, para um deslocamento d :


τpolia = F  d

Fís.
No bloco para um deslocamento 2d :
F
τbloco =  2 d  τbloco = F  d
2

Com isso,
τpolia = τbloco = F  d

Caso você procure, essa questão foi anulada por apresentar mais de uma resposta correta.
Fís.
Professor: Leo Gomes
Monitor: Leonardo Veras

Fís.
28/30
Forças de trajetórias curvilíneas
mai

RESUMO
Já estudamos até aqui como podemos medir o movimento de corpos em linha reta ou em movimentos
circulares. Agora estamos na parte da Física que estuda como podemos modificar o movimento dos corpos,
a Dinâmica.
Durante o movimento circular ou qualquer outro tipo de movimento curvilíneo, temos a mudança da direção
do vetor velocidade. No estudo da Cinemática, você viu que o agente causador da variação da velocidade é
a aceleração. Logo, o agente causador dessa modificação da direção da velocidade também deveria ser uma
aceleração.

Aceleração Centrípeta
Para fazer com que a direção do vetor velocidade mude, existe uma aceleração que atua sempre em direção
ao centro da trajetória, chamada de aceleração centrípeta.
acp=v2R ou acp=ω2R

Força Resultante Centrípeta


Pela a segunda Lei de Newton, podemos definir a Força Resultante Centrípeta:
F=macp=mv2R
Em todo movimento curvilíneo tem-se a presença dessa força, que tem direção perpendicular à velocidade
linear do corpo e cujo sentido sempre é para o centro da circunferência que define a curva.

Fís.

Aceleração Tangencial
Além da aceleração centrípeta, em alguns casos aparecerá a aceleração tangencial, que é sempre tangente
à trajetória e serve para modificar o módulo da velocidade vetorial.
A aceleração resultante será dada a partir da soma vetorial das acelerações centrípeta e tangencial.
EXERCÍCIOS
1. O Brasil pode se transformar no primeiro país das Américas a entrar no seleto grupo das nações que
dispõem de trens-bala. O Ministério dos Transportes prevê o lançamento do edital de licitação
internacional para a construção da ferrovia de alta velocidade Rio-São Paulo. A viagem ligará os 403
quilômetros entre a Central do Brasil, no Rio, e a Estação da Luz, no centro da capital paulista, em uma
hora e 25 minutos.
Disponível em: http://oglobo.globo.com. Acesso em: 14 jul. 2009.

Devido à alta velocidade, um dos problemas a ser enfrentado na escolha do trajeto que será percorrido
pelo trem é o dimensionamento das curvas. Considerando-se que uma aceleração lateral confortável
para os passageiros e segura para o trem seja de 0,1 g, em que g é a aceleração da gravidade
(considerada igual a 10 m/s2), e que a velocidade do trem se mantenha constante em todo o percurso,
seria correto prever que as curvas existentes no trajeto deveriam ter raio de curvatura mínimo de,
aproximadamente,
a) 80 m.
b) 430 m.
c) 800 m.
d) 1.600 m.
e) 6.400 m.

2. Considere a figura a seguir, na qual é mostrado um piloto acrobata fazendo sua moto girar por dentro

Ao realizar o movimento de loop dentro do globo da morte (ou seja, percorrendo a trajetória ABCD Fís.
mostrada acima), o piloto precisa manter uma velocidade mínima de sua moto para que a mesma não
caia ao passar pelo ponto mais alto do globo (ponto “A”).
Nestas condições, a velocidade mínima “v” da moto, de forma que a mesma não caia ao passar pelo
ponto “A”, dado que o globo da morte tem raio R de 3,60 m, é
(Considere a aceleração da gravidade com o valor g = 10 m s2 .)
a) 6 km h.
b) 12 km h.
c) 21,6 km h.
d) 15 km h.
e) 18 km h.
3. Num trecho retilíneo de uma pista de automobilismo há uma lombada cujo raio de curvatura é de 50
m. Um carro passa pelo ponto mais alto da elevação com velocidade v, de forma que a interação entre
mg
o veículo e o solo (peso aparente) é neste ponto. Adote g = 10 m/s2.
5
Nestas condições, em m/s, o valor de v é
a) 10
b) 20
c) 30
d) 40
e) 50

4. Uma determinada caixa é transportada em um caminhão que percorre, com velocidade escalar
constante, uma estrada plana e horizontal. Em um determinado instante, o caminhão entra em uma
curva circular de raio igual a 51,2 m, mantendo a mesma velocidade escalar. Sabendo-se que os
coeficientes de atrito cinético e estático entre a caixa e o assoalho horizontal são, respectivamente,
0,4 e 0,5 e considerando que as dimensões do caminhão, em relação ao raio da curva, são
desprezíveis e que a caixa esteja apoiada apenas no assoalho da carroceria, pode-se afirmar que a
máxima velocidade, em m / s, que o caminhão poderá desenvolver, sem que a caixa escorregue é
a) 14,3
b) 16,0
c) 18,0
d) 21,5

5. Uma garota de 50 kg está brincando em um balanço constituído de um assento e de uma corda ideal
que tem uma de suas extremidades presa nesse assento e a outra, em um saco de areia de 66 kg que
está apoiado, em repouso, sobre o piso horizontal. A corda passa por duas roldanas ideais fixas no teto
e, enquanto oscila, a garota percorre uma trajetória circular contida em um plano vertical de modo
que, ao passar pelo ponto A, a corda fica instantaneamente vertical.

Fís.

Desprezando a resistência do ar e a massa do assento, considerando g = 10 m s2 e as informações


contidas na figura, a maior velocidade, em m s, com a qual a garota pode passar pelo ponto A sem
que o saco de areia perca contato com o solo é igual a
a) 2.
b) 5.
c) 3.
d) 4.
e) 1.
6. Um coelho está cochilando em um carrossel parado, a uma distância de 5 m do centro. O carrossel é
ligado repentinamente e logo atinge a velocidade normal de funcionamento na qual completa uma
volta a cada 6s. Nessas condições, o coeficiente de atrito estático mínimo entre o coelho e o carrossel,
para que o coelho permaneça no mesmo lugar sem escorregar, vale:
Considere π = 3 e g = 10 m/s2.
a) 0,2
b) 0,5
c) 0,4
d) 0,6
e) 0,7

7. Curvas com ligeiras inclinações em circuitos automobilísticos são indicadas para aumentar a segurança
do carro a altas velocidades, como, por exemplo, no Talladega Superspeedway, um circuito utilizado
para corridas promovidas pela NASCAR (National Association for Stock Car Auto Racing). Considere
um carro como sendo um ponto material percorrendo uma pista circular, de centro C, inclinada de
um ângulo α e com raio R, constantes, como mostra a figura, que apresenta a frente do carro em um
dos trechos da pista.

Se a velocidade do carro tem módulo constante, é correto afirmar que o carro


a) não possui aceleração vetorial.
b) possui aceleração com módulo variável, direção radial e no sentido para o ponto C.
c) possui aceleração com módulo variável e tangente à trajetória circular.
d) possui aceleração com módulo constante, direção radial e no sentido para o ponto C.
e) possui aceleração com módulo constante e tangente à trajetória circular.

8. Um corpo desliza sem atrito ao longo de uma trajetória circular no plano vertical ( looping), passando
pelos pontos, 1, 2, 3 e 4, conforme figura a seguir. Considerando que o corpo não perde contato com
a superfície, em momento algum, é correto afirmar que os diagramas que melhor representam as
direções e sentidos das forças que agem sobre o corpo nos pontos 1, 2, 3 e 4 são apresentados na

Fís.
alternativa:

a)

b)

c)

d)
9. Um garoto, que se encontra em repouso, faz girar, com velocidade constante, uma pedra de massa m
presa a um fio ideal. Descrevendo uma trajetória circular de raio R num plano vertical, essa pedra dá
diversas voltas, até que, em um dado instante, o fio arrebenta e ela é lançada horizontalmente,
conforme ilustra a figura a seguir.

Sujeita apenas à aceleração da gravidade g, a pedra passou, então, a descrever uma trajetória
parabólica, percorrendo uma distância horizontal x equivalente a 4R.
A tração experimentada pelo fio toda vez que a pedra passava pelo ponto onde ele se rompeu era igual
a
a) mg
b) 2 mg
c) 3 mg
d) 4 mg

10.

A figura representa o instante em que um carro de massa M passa por uma lombada existente em uma
estrada. Considerando o raio da lombada igual a R, o módulo da velocidade do carro igual a V, e a
aceleração da gravidade local g, a força exercida pela pista sobre o carro, nesse ponto, pode ser
calculada por

Fís.
MV 2
a) + Mg
R
MV 2
b) Mg −
R
MR2
c) Mg −
V
MR2
d) + mg
V

11. Considere, na figura abaixo, a representação de um automóvel, com velocidade de módulo constante,
fazendo uma curva circular em uma pista horizontal.
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que
aparecem.

A força resultante sobre o automóvel é __________ e, portanto, o trabalho por ela realizado é
__________.

a) nula nulo
b) perpendicular ao vetor velocidade nulo
c) paralela ao vetor velocidade nulo
d) perpendicular ao vetor velocidade positivo
e) paralela ao vetor velocidade positivo

12. Uma pequena esfera de massa m, eletrizada com uma carga elétrica q  0 , está presa a um ponto fixo
P por um fio isolante, numa região do espaço em que existe um campo elétrico uniforme e vertical de
módulo E, paralelo à aceleração gravitacional g, conforme mostra a figura. Dessa forma, inclinando o
fio de um ângulo  em relação à vertical, mantendo-o esticado e dando um impulso inicial (de
intensidade adequada) na esfera com direção perpendicular ao plano vertical que contém a esfera e o
ponto P, a pequena esfera passa a descrever um movimento circular e uniforme ao redor do ponto C.

Fís.

Na situação descrita, a resultante das forças que atuam sobre a esfera tem intensidade dada por
a) (m  g + q  E)  cos 
b) (m  g − q  E  2)  sen
c) (m  g + q  E)  sen  cos 
d) (m  g + q  E)  tg
e) m  g + q  E  tg
13. Em um edifício em construção, João lança para José um objeto amarrado a uma corda inextensível e
de massa desprezível, presa no ponto O da parede. O objeto é lançado perpendicularmente à parede
e percorre, suspenso no ar, um arco de circunferência de diâmetro igual a 15 m, contido em um plano
horizontal e em movimento uniforme, conforme a figura. O ponto O está sobre a mesma reta vertical
que passa pelo ponto C, ponto médio do segmento que une João a José. O ângulo θ, formado entre
a corda e o segmento de reta OC, é constante.

Considerando sen θ = 0,6, cos θ = 0,8, g = 10 m s2 e desprezando a resistência do ar, a velocidade


angular do objeto, em seu movimento de João a José, é igual a
a) 1,0 rad s.
b) 1,5 rad s.
c) 2,5 rad s.
d) 2,0 rad s.
e) 3,0 rad s.

14. Rotor é um brinquedo que pode ser visto em parques de diversões.Consiste em um grande cilindro de
raio R que pode girar em torno de seu eixo vertical central. Após a entrada das pessoas no rotor, elas
se encostam nas suas paredes e este começa a girar. O rotor aumenta sua velocidade de rotação até
que as pessoas atinjam uma velocidade v, quando, então, o piso é retirado. As pessoas ficam suspensas,

nenhum apoio debaixo dos pés e vendo um buraco abaixo delas.

Fís.

Em relação à situação descrita, é CORRETO afirmar que:


(01) a força normal, ou seja, a força que a parede faz sobre uma pessoa encostada na parede do rotor
em movimento, é uma força centrípeta.
(02) se duas pessoas dentro do rotor tiverem massas diferentes, aquela que tiver maior massa será a
que terá maior chance de deslizar e cair no buraco abaixo de seus pés.
(04) o coeficiente de atrito estático entre a superfície do rotor e as roupas de cada pessoa dentro dele
gR
deve ser maior ou igual a 2 .
ν
(08) o coeficiente de atrito estático entre a superfície do rotor e as roupas de cada pessoa dentro dele
é proporcional ao raio do rotor.
(16) o coeficiente de atrito estático entre a superfície do rotor e as roupas de cada pessoa dentro dele
é proporcional à velocidade v do rotor.
SOMA:
15. Em um local onde a aceleração da gravidade vale g, uma partícula move-se sem atrito sobre uma pista
circular que, por sua vez, possui uma inclinação θ. Essa partícula está presa a um poste central, por
meio de um fio ideal de comprimento l que, através de uma articulação, pode girar livremente em
torno do poste. O fio é mantido paralelo à superfície da pista, conforme figura abaixo.

Ao girar com uma determinada velocidade constante, a partícula f


inclinada da pista, ou seja, a partícula fica na iminência de perder o contato com a pista e, além disso,
descreve uma trajetória circular com centro em C, também indicado na figura.
Nessas condições, a velocidade linear da partícula deve ser igual a

3 
a)  gl 
2 
b) ( gl )
c) 3 gl
d) 4
2 ( gl )

QUESTÃO CONTEXTO
Observações astronômicas indicam que no centro de nossa galáxia, a Via Láctea, provavelmente exista um
buraco negro cuja massa é igual a milhares de vezes a massa do Sol. Uma técnica simples para estimar a massa
desse buraco negro consiste em observar algum objeto que orbite ao seu redor e medir o período de uma
rotação completa, T, bem como o raio médio, R, da órbita do objeto, que supostamente se desloca, com
boa aproximação, em movimento circular uniforme. Nessa situação, considere que a força resultante, devido
ao movimento circular, é igual, em magnitude, à força gravitacional que o buraco negro exerce sobre o
objeto.
A partir do conhecimento do período de rotação, da distância média e da constante gravitacional, G, a massa
do buraco negro é

Fís.
𝑀𝑚
Dado: A força gravitacional: 𝐹 = 𝐺
𝑅²
Sendo M e m as massas, G a constante gravitacional e R a distancia radial.

4π2R2
a) .
GT2
π2R3
b) .
2GT2
2π2R3
c) .
GT2
4π2R3
d) .
GT2
π2R5
e) .
GT 2
GABARITO
Exercícios

1. e
Quanto se tem pela frente uma questão teste em que se deve chegar a um valor numérico, é

relativamente grande, pode-se usar e abusar dos arredondamentos, como será feito nesse teste.

Dados: S = 403 km  400 km = 4105 m; t = 85 min = 5,1103 s  5103 s.


S 4  105
A velocidade média (vm) do trem-bala é: v m = = = 80 m/s.
t 5  103
v2 v2 802
A aceleração lateral (centrípeta - ac) é: ac = r = =  r = 6.400 m.
r ac 0,1(10)

2. c
A velocidade mínima ocorre quando a força normal atuante na moto for nula, sendo a resultante
centrípeta o próprio peso. Assim:
m v2
Rcent = P  = mg  v = R g = 3,6  10 = 6 m/s  v = 21,6 km/h.
R

3. b
No ponto mais alto, a força centrípeta é a diferença entre o peso e a normal.
V2 V2 mg 4mg
m = mg − N → m = mg − = → V 2 = 400 → V = 20m / s
R 50 5 5

4. b
No movimento circular uniforme, a resultante das forças radiais é a força centrípeta:
m  v2
Fr = Fc =
R

A única força radial é a força de atrito que, dependendo da velocidade, impede que a caixa seja deslocada
dentro do caminhão, sendo a resultante centrípeta.

Fís.
horizontal
Fr = Fat = μ  N ⎯⎯⎯⎯⎯
→Fat = μ  m  g

Igualando as duas equações:


m  v2
= μ mg
R

Isolando v:
v = μ R  g

Substituindo os valores, temos a velocidade máxima para a caixa não escorregar na carroceria:
v = 0,5  51,2  10 = 256 = 16 m / s

5. d
A maior velocidade é aquela para a qual a força normal que o apoio exerce no saco de areia é nula, ou
seja, a tração na corda tem intensidade igual à do peso.
Dados: R = L = 5m; mS = 66 kg; mG = 50kg; g = 10 m/s2.
No saco: T = PS  T = 660 N.
 50 v 2
 mG v 2  660 − 500 = 
Na garota: T − PG = Fcent  T − 500 = . 5
 R
50 v 2
= 160  v 2 = 16  v = 4 m/s.
5

6. b
A figura mostra as forças agindo no coelho.

A força de atrito é a componente centrípeta das forças que agem no coelho e a normal equilibra o peso.

Fís.
N = m2R  2R
 → mg = m R →  =
2
eq 01
N = mg  g
1rot 2rad
= = = 1,0rd / s
6s 6s

12  5
Voltando à equação 01:  = = 0,5
10

7. d
v v
Conforme o diagrama anexo, as forças que agem no carro são o peso (P) e a normal (N). Como o
v
movimento é circular e uniforme, a resultante dessas forças é centrípeta (radial), (RC ).
Rc m  ac
tg α = =  ac = g  tgα. Como α e g são constantes, a aceleração centrípeta (radial, dirigida
P mg
para o centro) tem módulo constante.

8. a

ur
Se não há atrito, as únicas forças que agem sobre o corpo são seu próprio peso (P), vertical para baixo,
ur
e a normal (N), perpendicular à trajetória em cada ponto.

A figura abaixo ilustra essas forças em cada um dos pontos citados.

9. c

A figura mostra as forças que agem na pedra imediatamente antes de o fio arrebentar.

Fís.

No lançamento horizontal, o tempo de queda independe da velocidade inicial, dependendo apenas da


altura (h) e da intensidade do campo gravitacional local (g), como na queda livre. Assim:
1 2h 2 ( 2R ) 4R
h= g t2  t=  t=  t= .
2 g g g

No eixo x o movimento é uniforme, pois a velocidade horizontal de lançamento permanece constante.


Então:
2
 4R   4R  4R 2
( 4R )
2
x = v t  4R = v   = v  16R 2 = v 
 g   
g  g
  
v 2 = 4Rg.

Imediatamente antes de o fio arrebentar, as forças que agem na pedra são a tração e o peso, como mostra
a figura, sendo a soma vetorial das duas a resultante centrípeta.
mv 2 m ( 4Rg)
T + P = RC  T + mg =  T= − mg  T = 4mg − mg 
R R
T = 3mg.

10. b

Questão envolvendo a dinâmica no movimento circular uniforme, em que a força resultante no ponto
mais alto da lombada é representado na figura abaixo:

A resultante das forças é a força centrípeta:


M v2 M v2
Fr = Fc  P − N =  Mg − N =
R R
M v2
 N = Mg −
R

11. b

No movimento circular uniforme, a velocidade tem o módulo constante, mas direção e sentido estão
mudando devido à existência de força resultante centrípeta perpendicular ao vetor velocidade e ao vetor
deslocamento. Sendo assim, o trabalho da força resultante será nulo, pois quando a força é perpendicular
ao deslocamento esta força não realiza trabalho.

12. d
Fís.

As figuras ilustram a situação descrita.

A Fig. 1 mostra as forças que atuam sobre a esfera.


v v
Força Peso: P = m  g ;
v v
Força Elétrica: F = q  E ;
v
Tração no fio: T.

v
A Fig. 2 mostra a soma dessas forças (regra da poligonal) e a força resultante (R ) .
Nessa figura:
R
tg =  R = (F + P ) tg  R = (m  g + q  E ) tg.
F+P

13. a

A figura 1 destaca o raio da trajetória efetuada pelo objeto.

AB = 15 m
AB
R= = 7,5 m
2

A figura 2 mostra as forças (e componentes) agindo sobre o objeto.

Fís.

Equacionando o movimento:
F = F  F sen θ = m ω2 R
 x cp sen θ ω2 R g sen θ 10(0,6) 6
  =  ω= = = 
 y
F = P  F cos θ = m g cos θ g R cos θ 7,5(0,8) 6

ω = 1rad s.
14. 01 + 04 = 05

A figura a seguir mostra as forças que agem na pessoa.

v
01) Correta . A força normal ( N ) é sempre perpendicular a superfície de apoio, conforme ilustra a figura
acima. Nesse caso ela é dirigida para o centro, portanto é uma força centrípeta.

02) Falsa. Como a pessoa efetua movimento circular uniforme, na direção horizontal a normal age
v v
como resultante centrípeta ( R Cent ) e, na direção vertical, a força de atrito ( Fat ) deve equilibrar o peso.
O piso somente deve ser retirado quando a força de atrito estática máxima for maior ou igual ao peso,
caso contrário a pessoa escorrega pelas paredes. Assim:
mv 2
N= Fat  P   N  m g. Inserindo nessa expressão a expressão anterior, vem:
R
 m v2 R g R g
 m g   2  v . Nessa expressão, vemos que a massa da pessoa não
R v 
interfere e que a velocidade mínima com que o piso pode ser retirado depende apenas do raio do
rotor da intensidade do campo gravitacional local e do coeficiente de atrito entre as roupas da pessoa e
a parede do rotor.

04) Verdadeira, conforme demonstração no item anterior.

08) Falsa. O coeficiente de atrito depende apenas das características das superfícies em contato.

16) Falsa, conforme justificativa do item anterior.

15. a

Observe na ilustração abaixo as forças exercidas sobre a esfera.


Fís.

l /2 1
senθ = =
l 2
 θ = 30

Porém, a componente Tx representa a resultante centrípeta, logo:


Ty P P  Tx v 2 mg  T  cos θ
= → R CP = →m =
Tx Rcp Ty r T  senθ

v2 g  cos30 v2 g  ( 3 / 2)
= → =
l  cos30 sen30 l  ( 3 / 2) (1/ 2)
3
v2 = g  l
2
3
v= gl
2

Questão Contexto

A força gravitacional age como resultante centrípeta. Seja M a massa do buraco negro e m massa do objeto
orbitante. Combinando a lei de Newton da gravitação com a expressão da velocidade para o movimento
circular uniforme, vem:

 ΔS 2 πR
v = Δt  v = T 2
 R  2 πR  R 4 π 2 R2 4 π 2 R3
  M= =  M= .
2
 GM m = m v  M = R v 2 G  T  G T2 GT 2
 R 2 R G

Fís.
Fís.
Professor: Leo Gomes
Monitor: Leonardo Veras

Fís.
28/30
Trabalho de uma força
mai

RESUMO
Trabalho de uma força

transferir energia a um corpo.


Para uma força constante que proporciona um deslocamento na direção da força, pode-se escrever:

Mas quando a força e o vetor deslocamento fazem um ângulo θ entre si, a expressão do trabalho toma a
forma

Trabalho da Força Peso

O trabalho da força peso não depende da trajetória, apenas da variação de altura.

Fís.
Obs.: Se a força está a favor do movimento, o trabalho é dito motor e leva sinal positivo. Se a força está ao
contrário do movimento, o trabalho é dito resistente e leva sinal negativo. Assim o trabalho da força peso de
um corpo lançado verticalmente para cima será negativo na subida e positivo na descida.
Trabalho de uma Força Perpendicular ao Deslocamento

A força perpendicular à velocidade não vai modificar a velocidade, assim não vai transmitir energia ao corpo.

Por exemplo: Um corpo sendo arrastado em uma superfície terá trabalho da força normal igual a zero. Não
há contribuição energética por parte da normal para que o movimento se realize (ou fazendo uma análise
matemática o ângulo entre a força e o deslocamento é de 90 o).
Trabalho de uma Força Elástica

A força elástica é uma força variável, assim seu trabalho é calculado pela área sob o gráfico.

Obs.: O deslocamento x é em relação ao equilíbrio.


• Potência
Uma máquina é caracterizada não pelo trabalho que efetua, mas pelo trabalho que pode efetuar em
determinado intervalo de tempo, donde surge a noção de potência. Por exemplo, para um carro andar mais
rápido, isto é, percorrer mesmas distâncias em intervalos de tempo menores, é necessário aumentar o ritmo
de combustão do motor, ou seja, aumentar sua potência, cuja expressão é

A energia também pode ser substituída por trabalho:

Unidade de Potência = J/s = W (watt) [também há o usual cal/s].

É comum também a citação do rendimento.


Imagine uma máquina que opera com 6000 Watts (potência útil). É fornecida a ela 9000 Watts (potência
total), sendo que apenas 6000 Watts a máquina será capaz de absorver, dissipando em forma de calor ou som
os 3000 Watts restantes.

Fís.
O rendimento (η) é dado, portanto, por

EXERCÍCIOS
1. Um bloco, puxado por meio de uma corda inextensível e de massa desprezível, desliza sobre uma
superfície horizontal com atrito, descrevendo um movimento retilíneo e uniforme. A corda faz um
ângulo de 53° com a horizontal e a tração que ela transmite ao bloco é de 80 N. Se o bloco sofrer um
deslocamento de 20 m ao longo da superfície, o trabalho realizado pela tração no bloco será de:
(Dados: sen 53° = 0,8 e cos 53° = 0,6)
a) 480 J
b) 640 J
c) 960 J
d) 1280 J
e) 1600 J
2. Uma pessoa empurrou um carro por uma distância de 26 m, aplicando uma força F de mesma direção
e sentido do deslocamento desse carro. O gráfico abaixo representa a variação da intensidade de F,
em newtons, em função do deslocamento d, em metros.

Desprezando o atrito, o trabalho total, em joules, realizado por F, equivale a:


a) 117
b) 130
c) 143
d) 156

3. As pás de um gerador eólico de pequeno porte realizam 300 rotações por minuto. A transformação
da energia cinética das pás em energia elétrica pelo gerador tem rendimento de 60%, o que resulta
na obtenção de 1.500 W de potência elétrica.

Considerando π = 3, calcule o módulo da velocidade angular, em rad s, e da velocidade escalar, em Fís.


m s, de um ponto P situado na extremidade de uma das pás, a 1,2 m do centro de rotação. Determine
a quantidade de energia cinética, em joules, transferida do vento para as pás do gerador em um
minuto. Apresente os cálculos.

4. Considere um bloco de massa m ligado a uma mola de constante elástica k = 20 N/m, como mostrado
na figura a seguir. O bloco encontra-se parado na posição x = 4,0 m. A posição de equilíbrio da mola
é x = 0.

O gráfico a seguir indica como o módulo da força elástica da mola varia com a posição x do bloco.
O trabalho realizado pela força elástica para levar o bloco da posição x = 4,0 m até a posição x = 2,0,
em joules, vale
a) 120
b) 80
c) 40
d) 160
e) - 80

5. Para transportar terra adubada retirada da compostagem, um agricultor enche um carrinho de mão e
o leva até o local de plantio aplicando uma força horizontal, constante e de intensidade igual a 200 N.

Se durante esse transporte, a força resultante aplicada foi capaz de realizar um trabalho de 1.800 J,
então, a distância entre o monte de compostagem e o local de plantio foi, em metros,

Lembre-se de que o trabalho realizado por uma força, durante a realização de um deslocamento, é o
produto da intensidade dessa força pelo deslocamento.
a) 6.
b) 9.
c) 12.
d) 16.
e) 18.

6. O Cristo Redentor, localizado no Corcovado, encontra-se a 710 m do nível no mar e pesa 1.140 ton.
Considerando-se g = 10 m/s2, é correto afirmar que o trabalho total realizado para levar todo o material
que compõe a estátua até o topo do Corcovado foi de, no mínimo:
a) 114.000 kJ
b) 505.875 kJ
c) 1.010.750 kJ
d) 2.023.500 kJ
e) 8.094.000 kJ

7. Um corpo de massa m desliza sobre o plano horizontal, sem atrito ao longo do eixo AB, sob ação das Fís.
forças F1 e F2 de acordo com a figura a seguir. A força F1 é constante, tem módulo igual a 10 N e forma
com a vertical um ângulo θ = 30º .

A força F2 varia de acordo com o gráfico a seguir:


Dados sem 30º = cos = 60º = 1/2
O trabalho realizado pelas forças ()para que o corpo sofra um deslocamento de 0 a 4m, em joules, vale
a) 20
b) 47
c) 27
d) 50
e) 40

8. Um elevador de 500 kg deve subir uma carga de 2,5 toneladas a uma altura de 20 metros, em um
tempo inferior a 25 segundos. Qual deve ser a potência média mínima do motor do elevador, em
kW ?
Dado: g = 10 m / s2
a) 20
b) 16
c) 24
d) 38
e) 15

9. A montadora de determinado veículo produzido no Brasil apregoa que a potência do motor que equipa
o carro é de 100 HP (1HP  750W) . Em uma pista horizontal e retilínea de provas, esse veículo,
partindo do repouso, atingiu a velocidade de 144 km/h em 20 s. Sabendo que a massa do carro é de 1
000 kg foi possível calcular que o veículo possuía uma Energia Cinética de 80 𝑥 104 𝐽, o rendimento
desse motor, nessas condições expostas, é próximo de
a) 30%.
b) 38%.
c) 45%.
d) 48%.
e) 53%.

10.
Fís.
Um motor ideal é usado para acionar uma bomba de rendimento igual a 40%, cuja função é elevar 300
litros de água por minuto a uma altura de 20 m. Esse motor consome óleo combustível de poder
calorífico igual a 4,0  107 J kg. Considerando g = 10 m s2 e dágua = 1,0 kg L, responda:

a) Qual é a potência efetiva do motor utilizado nessa tarefa?


b) Qual foi o consumo de óleo, em kg, utilizado pelo motor, em uma hora de trabalho?

11. A figura abaixo representa um macaco hidráulico constituído de dois pistões A e B de raios
RA = 60 cm e RB = 240 cm, respectivamente. Esse dispositivo será utilizado para elevar a uma altura
de 2 m, em relação à posição inicial, um veículo de massa igual a 1 tonelada devido à aplicação de
r
uma força F. Despreze as massas dos pistões, todos os atritos e considere que o líquido seja
incompressível.
Nessas condições, o fator de multiplicação de força deste macaco hidráulico e o trabalho, em joules,
r
realizado pela força F, aplicada sobre o pistão de menor área, ao levantar o veículo bem lentamente e
com velocidade constante, são, respectivamente,
a) 4 e 2,0  104
b) 4 e 5,0  103
c) 16 e 2,0  104
d) 16 e 1,25  103

12. Um homem arrasta uma cadeira sobre um piso plano, percorrendo em linha reta uma distância de 1 m.
Durante todo o percurso, a força que ele exerce sobre a cadeira possui intensidade igual a 4 N e direção
de 60° em relação ao piso.
O gráfico que melhor representa o trabalho T, realizado por essa força ao longo de todo o
deslocamento d, está indicado em:

a)

b) Fís.

c)

d)
13. A tabela reproduz o rótulo de informações nutricionais de um pacote de farinha de trigo.

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
(Porção de 50g ou 1/2 xícara de farinha de trigo)
Quantidade por porção %VD(%)
Valor energético 170kcal = 714kJ 9%
Carboidratos 36,0 g 12%
Proteínas 4,9 g 7%
Gorduras totais 0,7 g 1%
Gorduras saturadas 0,0 g 0%
Gorduras trans 0,0 g
Fibra alimentar 1,6 g 6%
Sódio 0,0mg 0%
Ferro 2,1mg 15%
Ácido fólico (vit. B9) 76μg 19%

Considerando o Valor energético informado no rótulo, essa quantidade de energia corresponde ao


trabalho realizado ao arrastar um corpo contra uma força de atrito de 50N, com velocidade constante,
por uma distância de, aproximadamente,
a) 3,4m.
b) 14,3m.
c) 1,4km.
d) 3,4km.
e) 14,3km.

14. Em um corredor horizontal, um estudante puxa uma mochila de rodinhas de 6 kg pela haste, que faz
60o com o chão. A força aplicada pelo estudante é a mesma necessária para levantar um peso de 1,5
kg, com velocidade constante. Considerando a aceleração da gravidade igual a 10 m/s 2, o trabalho,
em Joule, realizado para puxar a mochila por uma distância de 30 m é
a) Zero.
b) 225,0.
c) 389,7.
d) 900,0.

15. Suponha que o conjunto formado pelo satélite e pelo foguete lançador possua massa de 1,0  103

Fís.
toneladas e seja impulsionado por uma força propulsora de aproximadamente 5,0  107 N, sendo o
sentido de lançamento desse foguete perpendicular ao solo.
Desconsiderando a resistência do ar e a perda de massa devido à queima de combustível, assinale a
alternativa que apresenta, corretamente, o trabalho realizado, em joules, pela força resultante aplicada
ao conjunto nos primeiros 2,0 km de sua decolagem.
Considere a aceleração da gravidade g = 10,0 m s2 em todo o percurso descrito.
a) 4,0  107 J
b) 8,0  107 J
c) 4,0  1010 J
d) 8,0  1010 J
e) 10,0  1010 J
QUESTÃO CONTEXTO
Um objeto é deslocado em um plano sob a ação de uma força de intensidade igual a 5 N, percorrendo em
linha reta uma distância igual a 2 m.
Considere a medida do ângulo entre a força e o deslocamento do objeto igual a 15º, e T o trabalho realizado
por essa força. Uma expressão que pode ser utilizada para o cálculo desse trabalho, em joules, é T= 5 x 2 x
sen  .

Nessa expressão,  equivale, em graus, a:


a) 15
b) 30
c) 45
d) 75

Fís.
GABARITO
Exercícios

1. c
Aplicação de fórmula: W = F.d.cos  = 80x20x0,6 = 960J

2. d

a2 + b2 = 262  a2 + b2 = 676. (I)


No triângulo OAB:
a2 = 82 + h2 . (II)
No triângulo OAC:
b2 = 182 + h2 . (III)
No triângulo ABC:
Substituindo (II) e (III) em (I):
v
82 + h2 + 182 + h2 = 676  2h2 = 288  h2 = 144  h = 12 m. O trabalho da força pela força F

( WFv )
26  12
WFv =  WFv = 156 J.
2

3.
Dados: f = 300rpm = 5Hz; π = 3; R = 1,2m; PU = 1.500 W; η = 60% = 0,6.

Velocidade (escalar) angular:

Fís.
ω = 2πf = 23 5  ω = 30rad s.

Velocidade (escalar) linear:

v = ω R = 30  1,2  v = 36m s.

Energia cinética transmitida:


Ecin = PT Δt
 P 1.500
 PU PU Ecin = U Δt =  60  Ecin = 1,5  105 J.
 η = P  PT = η η 0,6
 T

4. a
A área sombreada abaixo é numericamente igual ao trabalho da força elástica.
80 + 40
W= x2 = 120J .
2

5. b
1 800
W = Fdcos α  1 800 = 200dcos0  d =  d = 9m.
200

6. e
Dados: m = 1.140 ton = 1,14  106 kg; h = 710 m; g = 10 m/s2.
WFv = m g h = (1,14  106) (10) (710) = 8,094  109 J = 8.094.000  103 J 
WFv = 8.094.000 kJ.

7. b
W1 = (Fsen300 )xd = 10x0,5x4 = 20J
Numericamente
W2 == área
A figura abaixo mostra o cálculo da área.

Fís.
W2 = 6 + 7 + 8 + 6 = 27J
W = W1 + W2 = 20 + 27 = 47J

8. c
No caso, a potência mínima será dada por:

τ mgh ( 500 + 2500 ) kg  10 m / s2  20 m


P= = P= = 24000 W = 24 kW
Δt Δt 25 s

9. e
A potência útil é:
Ecin 80  104
Pu = =  Pu = 4  10 4 W.
t 20
Calculando o rendimento do motor:
Pu 4  10 4
= = = 0,53   = 53%.
PT 7,5  10 4

10.
Dados: z = 300 L/min; h = 20 m; η = 0,4; p = 4  107 j/kg; d = 1 kg/L; g = 10 m/s2.

a) A potência efetiva é a potência útil, usada na elevação da água.


m g h d V g h 1 300  10  20
Pef = = = 
Δt Δt 60
Pef = 1.000 W.

b) Calculando a potência total:


P 1000
η = ef  0,4 =  Ptotal = 2.500 W.
Ptotal Ptotal
A energia consumida em 1 hora é:
ΔE = Ptotal Δt  ΔE = 2.500  3.600 = 9  106 J.
Usando o poder calorífico, calculamos a massa de óleo consumida em 1 hora.
 7
1 kg óleo → 4  10 J 9  106
  m= 
m kg óleo → 9  106 J
 4  107
m = 0,225 kg.

11. c
Pelo princípio de Pascal, a pressão é transmitida integralmente por cada ponto do líquido, isto é, a
pressão no pistão A é igual à pressão no pistão B :
pA = pB

Usando a definição de pressão como a razão entre a força F e a área A, ficamos com:
FA F
= B
A A AB

Fazendo a razão entre as forças e calculando as áreas dos pistões


π  ( 240 cm )
2
FB A F F
= B  B =  B = 16
π  ( 60 cm )
FA A A FA 2 FA

Já o trabalho W realizado para erguer o automóvel é:


Fís.
W = F  h  W = m  g  h  W = 1000 kg  10 m / s2  2 m
W = 2  104 J

12. d
Dados: F = 4 N; d = 1 m;  = 60°
O trabalho de força constante é calculado pela expressão:
T = F d cos .
Essa expressão mostra que o trabalho (T) de força constante é diretamente proporcional ao
deslocamento (d); portanto, o gráfico T = f (d) é uma reta que passa pela origem.
Para os valores fornecidos:
T = 4 (1) cos 60° = 4 (0,5)  T = 2 J.

13. e
Em módulo, o trabalho da força de atrito ( WFat ) deve ser igual ao valor energético.
v
WFat 714  103
v
WFat = Fat ΔS  ΔS = =  ΔS = 14,28  103 m 
Fat 50

ΔS  14,3 km.

14. b
Dados: m1 = 6 kg; m2 = 1,5 kg; g = 10 m/s2; S = 30 m;  = 60°.
v
Se a força F é a necessária para levantar o corpo de massa m2 com velocidade constante, então a
intensidade dessa força é:
F = P2 = m2 g = 15 N.
O trabalho realizado (W) para arrastar a mochila é:
W = F S cos 60° = (15) (30) (0,5)  W = 225 J.

15. d
Dados: m = 103 ton = 106 kg; F = 5  107 N; d = 2 km = 2  103 m.

O trabalho da resultante das forças é igual ao somatório dos trabalhos realizados por cada uma das forças
atuantes, que são a força propulsora e o peso do foguete.
( )
τRv = τFv + τPv = (F − P ) d = (F − m g) d  τRv = 5  107 − 106  10 2  103 

τRv = 8  1010 J.

Questão Contexto

Dados: F = 5 N; d = 2 m;  = 15°.
O enunciado nos permite construir a figura abaixo.

O trabalho de uma força é dado pelo trabalho de sua componente paralela ao deslocamento.

Assim, na figura: Fís.


T = F d cos .
Porém,  e  são complementares. Então:
sen  = cos .

Portanto:
T = F d cos  = F d sen . Substituindo os valores dados:
T = 5  2  sen 75°.
Ou seja:  = 75°.
Quí.
Professor: Abner Camargo
Allan Rodrigues

Monitor: Marcos Melo

Quí.
Exercícios sobre relações 08
numéricas mai

EXERCÍCIOS DE AULA
1. O brasileiro consome em média 500 miligramas de cálcio por dia, quando a quantidade recomendada
é o dobro. Uma alimentação balanceada é a melhor decisão pra evitar problemas no futuro, como a
osteoporose, uma doença que atinge os ossos. Ela se caracteriza pela diminuição substancial de massa
óssea, tornando os ossos frágeis e mais suscetíveis a fraturas.
Disponível em: www.anvisa.gov.br. Acesso em: 1 ago. 2012 (adaptado).

Considerando-se o valor de 6 x 1023 para a constante de Avogadro e a massa molar do cálcio igual a 40
g/mol, qual a quantidade mínima diária de átomos de cálcio a ser ingerida para que uma pessoa supra
suas necessidades?
a) 7,5 x 1021
b) 1,5 x 1022
c) 7,5 x 1023
d) 1,5 x 1025
e) 4,8 x 1025

2. Em momentos de estresse, as glândulas suprarrenais secretam o hormônio adrenalina, que, a partir da


aceleração dos batimentos cardíacos, do aumento da pressão arterial e da contração ou relaxamento
de músculos, prepara o organismo para a fuga ou para a defesa.
Fórmula molecular da adrenalina = C9H13NO3

Qual é o valor da massa molar (em g.mol-1) deste composto?


a) 169

Quí.
b) 174
c) 177
d) 183
e) 187

3. Um peixe ósseo com bexiga natatória, órgão responsável por seu deslocamento vertical, encontra-se
a 20m de profundidade no tanque de um oceanário. Para buscar alimento, esse peixe se desloca em
direção à superfície; ao atingi-la, sua bexiga natatória encontra-se preenchida por 112mL de oxigênio
molecular.
Considere que o oxigênio molecular se comporta como gás ideal, em condições normais de
temperatura e pressão.
Quando o peixe atinge a superfície, a massa de oxigênio molecular na bexiga natatória, em miligramas,
é igual a:
Dados: O = 16 e Volume nas CNTP = 22,4 L.mol-1
a) 80
b) 120
c) 160
d) 240
e) 280
4. O consumo excessivo de sal pode acarretar o aumento da pressão das artérias, também chamada de
hipertensão. Para evitar esse problema, o Ministério da Saúde recomenda o consumo diário máximo
de 5g de sal (1,7g de sódio). Uma pessoa que consome a quantidade de sal máxima recomendada está
ingerindo um número de íons sódio igual a:

a) 1,0 x 1021
b) 2,4 x 1021
c) 3,8 x 1022
d) 4,4 x 1022
e) 6,0 x 1023

5. As essências usadas nos perfumes podem ser naturais ou sintéticas. Uma delas, a muscona, é o principal
componente do odor de almíscar, que, na natureza, é encontrado em glândulas presentes nas quatro
espécies de veado almiscareiro (Moschus ssp.). Por ser necessário sacrificar o animal para a remoção
dessa glândula, tais espécies encontram-se ameaçadas de extinção, o que tem promovido o uso de
substâncias sintéticas com propriedades olfativas semelhantes à muscona, como o composto
mostrado a seguir.

Fórmula molecular da muscona = C11H13N3O6

A massa de uma única molécula do composto acima é:


a) 4,7 x 10-22 g
b) 283,27 g
c) 1,7 x 1026 g
d) 2,13 x 1021 g
e) 1,7 x 10-26 g

6.
Quí.
Quatro frascos I, II, III e IV contêm oxigênio molecular nas condições normais. A quantidade de
substância contida em cada um está representada nos rótulos transcritos abaixo:

Qual frasco que contém o maior volume molar, nas CNTP, de oxigênio.
a) I
b) II
c) III
d) IV
e) I e IV
EXERCÍCIOS DE CASA
1. (Qual massa total da mistura formada por 20,0 g de água com 0,2 mol de glicose (C 6H12O6)?
Dado: C6H12O6 = 180.

a) 18,2 g.
b) 20,2 g.
c) 200 g.
d) 58 g.
e) 56 g.

2. Em grandes depósitos de lixo, vários gases são queimados continuamente. A molécula do principal gás
que sofre essa queima é formada por um átomo de carbono e átomos quatro de hidrogênio.
O peso molecular desse gás, em unidades de massa atômica, é igual a:
a) 10
b) 12
c) 14
d) 16
e) 20

3. Como o dióxido de carbono, o metano exerce também um efeito estufa na atmosfera. Uma das
principais fontes desse gás provém do cultivo de arroz irrigado por inundação.
Segundo a Embrapa, estima-se que esse tipo de cultura, no Brasil, seja responsável pela emissão de
cerca de 288 Gg (1Gg = 1 × 109 gramas) de metano por ano. Calcule o número de moléculas de metano
correspondente.
Massas molares, em g . mol-1 : H=1 e C=12.
Constante de Avogadro = 6,0 × 1023
a) 1,80 x 1032
b) 1,80 x 1033
c) 1,80 x 1034
d) 1,80 x 1035

4. O corpo humano necessita diariamente de 12 mg de ferro. Uma colher de feijão contém cerca de 4,28
× 10-5 mol de ferro. Quantas colheres de feijão, no mínimo, serão necessárias para que se atinja a dose
diária de ferro no organismo?
a) 1
b) 3

Quí.
c) 5
d) 7
e) 9

5. Assinale a alternativa que contém o maior número de átomos.


a) 3,5 mols de NO2
b) 1,5 mols de N2O3
c) 4 mols de NO
d) 1 mol de N2O5
e) 2 mol de N2O

6. Considere amostras de 1g de cada uma das seguintes substâncias: eteno (C2H4), monóxido de carbono
(CO) e nitrogênio (N2). Essas três amostras
a) apresentam a mesma quantidade, em mol, de moléculas.
b) apresentam a mesma quantidade, em mol, de átomos.
c) apresentam ligações covalentes polares.
d) são de substâncias isômeras.
e) são de substâncias simples.
7. Em uma molécula de glicose (C6H12O6) a razão entre a quantidade em massa de carbono e a massa
molecular é:
a) 1/4
b) 1/3
c) 2/5
d) 3/5
e) 2/3

8. A análise de massas de um elemento químico demonstrou a existência de três isótopos, conforme


representado na figura a seguir.

Considerando as abundâncias apresentadas, conclui-se que a massa média para esse elemento é:
a) 20,05
b) 21,00
c) 20,80
d) 19,40
e) 20,40

9. Em 1815, o médico inglês William Prout formulou a hipótese de que as massas atômicas de todos os
elementos químicos corresponderiam a um múltiplo inteiro da massa atômica do hidrogênio. Já está
comprovado, porém, que o cloro possui apenas dois isótopos e que sua massa atômica é fracionária.
Os isótopos do cloro, de massas atômicas 35 e 37, estão presentes na natureza, respectivamente, nas
porcentagens de:
a) 55% e 45%

Quí.
b) 65% e 35%
c) 75% e 25%
d) 85% e 15%

QUESTÃO CONTEXTO

Supondo que a massa do gás que chegou no ouvido do seu crush tenha sido de aproximadamente de 164g
de metano (CH4), caso ele quisesse saber em dm³ quanto de gás ele recebeu nas CNTP e quantas moléculas
isso seria, o que você diria a ele para conquistar seu coração?
Quí.
GABARITO

Exercícios de aula

1. b
500𝑚𝑔 1𝑔 1𝑚𝑜𝑙 6.1023 á𝑡𝑜𝑚𝑜𝑠
. 3 . . . 2 = 1,5 . 1022
𝑑𝑖𝑎 10 𝑚𝑔 40𝑔 1𝑚𝑜𝑙

2. d
𝑔
𝑀𝑀 = 9.12 + 13 . 1 + 14 . 1 + 3 . 16 = 183
𝑚𝑜𝑙

3. c
1𝐿 1𝑚𝑜𝑙 32𝑔 103 𝑚𝑔
112𝑚𝐿 . . . . = 160𝑚𝑔
103 𝑚𝐿 22,4𝐿 1𝑚𝑜𝑙 1𝑔

4. d
1𝑚𝑜𝑙
1,7𝑔 . . 6 . 1023 = 4,4 1022
23𝑔

5. a
283𝑔
𝑀𝑀 = 11 . 12 + +13 + 3 . 14 + 6 . 16 =
𝑚𝑜𝑙
1𝑚𝑜𝑙 283𝑔
1 𝑚𝑜𝑙é𝑐𝑢𝑙𝑎 . . = 4,7 . 10−22 𝑔
6 . 1023𝑚𝑜𝑙é𝑐𝑢𝑙𝑎𝑠 1𝑚𝑜𝑙

6. d
1𝐿
𝐼) 3 . 1023 𝑚𝑜𝑙é𝑐𝑢𝑙𝑎𝑠 . = 0,5𝐿
6 . 1023 𝑚𝑜𝑙é𝑐𝑢𝑙𝑎𝑠
𝐼𝐼) 1 𝑚𝑜𝑙 𝑝𝑜𝑠𝑠𝑢𝑖 𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟 𝑑𝑒 1𝐿
1𝐿
𝐼𝐼𝐼) 16𝑔 . = 0,5𝐿
32𝑔

Exercícios de casa

Quí.
1. e
𝑔
𝑖) 𝑚(𝑔𝑙𝑖𝑐𝑜𝑠𝑒) = 0,2 𝑚𝑜𝑙 . 180 = 36𝑔
𝑚𝑜𝑙
𝑖𝑖) 𝑚𝑡 = 36 + 20 = 56

2. d
4 . 1 + 12 . 1 = 16 𝑢. 𝑚. 𝑎

3. c
𝑔
𝐶𝐻4 = 16
𝑚𝑜𝑙
1𝑚𝑜𝑙 6 . 1023 𝑚𝑜𝑙é𝑐𝑢𝑙𝑎𝑠
𝑛 = 288 . 109 𝑔 . . = 1,08 . 1034 𝑚𝑜𝑙é𝑐𝑢𝑙𝑎𝑠
16𝑔 1𝑚𝑜𝑙

4. c
1𝑔 1𝑚𝑜𝑙 1𝑐𝑜𝑙ℎ𝑒𝑟
12𝑚𝑔 . . . =5
10 𝑚𝑔 55,8𝑔 4,28 . 10−5 𝑚𝑜𝑙
3

5. a
𝑎) 3,5 . 3 = 10,5
𝑏) 1,5 . 5 = 7
𝑐) 1 . 7 = 7
𝑑) 1 . 7 = 7
𝑒) 2 . 3 = 6

6. a
Todos as três moléculas possuem a mesma massa molecular (28 g/mol), logo possuem a mesma
quantidade em mol de moléculas, pois a massa é igual (1g).

7. c
𝑖) 𝑀𝑀 = 6 . 12 + 12 . 1 + 6 . 16 = 180𝑔/𝑚𝑜𝑙
𝑚 6 .12 2
𝑖𝑖) 𝑐𝑎𝑟𝑏𝑜𝑛𝑜 = =
𝑚𝑔𝑙𝑖𝑐𝑜𝑠𝑒 180 5

8. a
20 . 97 + 1 . 21 + 22 . 2
𝑀𝑀 = = 20,05
97 + 1 + 2

9. c
𝑖) 𝑃1. 35 + 𝑃2 . 37 = 35,5
𝑖𝑖) 𝑃1 + 𝑃2 = 1
𝐿𝑜𝑔𝑜, 𝑃1 = 0,75 𝑒 𝑃2 = 0,25

Questão Contexto

C= 12g ; H= 16g
CH4 = 16g
1dm³ = 1L

16g ---- 22,4L


164g---- x
X = 229,6L

16g ---- 6,0x1023 moléculas


164g ---- y
y= 61,5x1023 moléculas

Quí.
Quí.
Professor: Abner Camargo
Allan Rodrigues

Monitor: Marcos Melo

Quí.
Leis ponderais e Cálculo de 08
fórmulas mai

RESUMO
Descobertas por cientistas como Lavoisier, Dalton e Gay-Lussac, estas ajudam-nos a estabelecer algumas
bases para o entendimento das relações de massa ou volume em uma transformação química.

Lei de Lavoisier

Observe a transformação química abaixo

O 2 + H2  H 2 O

16g + 2g = 18g

Lendo a reação acima: 16g de oxigênio reage com 2g de hidrogênio para produzir 18g de água.

Repare que as massas somadas dos reagentes equivalem à massa do produto. A quantidade e natureza dos
átomos são as mesmas, apenas houve um rearranjo/recombinação entre eles.

Esses números seguem uma observação realizada por Lavoisier que é enunciada na forma da Lei de
Conservação das Massas, onde nada se perde, nada se cria, tudo se transforma.

Segundo as observações de Antoine Laurent Lavoisier:

fechado, a massa total dos reagentes é igual à massa total dos produtos”

Lei de Proust

C + O2  CO2

12g de carbono + 32g de oxigênio = 44g de gás carbônico

Quí.
Analisemos apenas a razão entre as massas de C e O no composto CO 2:

12g de carbono / 32g de oxigênio = 2.667g de carbono / 1g de oxigênio

Segundo Proust, esta razão, em massa, é fixa para qualquer quantidade de CO 2 analisada. E generalizando, a
proporção de massa entre elementos em qualquer composto será fixa para qualquer quantidade avaliada.

Vejamos o caso da H2O:

2g de hidrogênio + 16g de oxigênio = 18g de H 2O

Reação mostrada no início do material.

Assim, 16g de O / 2g de H = 8g de O / 1g de H

Segundo Proust, se tivermos 80 g de O em um copo de água pura, podemos afirmar que há 10g de H no
recipiente.

Lei das Proporções Múltiplas


Essa lei vale para situações onde um par de elementos forma compostos com diferentes proporções do tipo
AB, AB2, AB3...

Veja o caso do CO e CO2

A razão de massa entre C e O nesses dois casos é:

Para CO. 1.333g de O / 1g de C

Para CO2. 2,667g de O / 1g de C

Repare que a segunda razão é 2x a primeira. Ou seja, se compararmos as razões acima, conseguiremos
expressá-las como pequenos múltiplos inteiros. Outra afirmação da lei diz que quando elementos se ligam,
eles o fazem em uma proporção de pequenos números inteiros.

Lei de Gay-Lussac

Válida para reações gasosas, estabelece que os volumes entre as substâncias em uma reação, nas mesmas
temperatura e pressão, mantêm uma relação volumar constante.

2NH3(g) ⇌ N2(g) + 3H2(g)

2 volumes de NH3(g) ⇌ 1 volume de N2(g) + 3 volumes de H2(g)

obs. 1 mol equivale a um volume

A relação de volume entre NH3 e N2 é de:

2 volumes de NH3 / 1 volume de N2

Assim, se sabemos que 50 litros de NH3 foram consumidos, inferimos que 25 litros de N 2 foi produzido. Isso
porque a relação é fixa e se mantém para qualquer volume consumido ou produzido dos componentes da
reação.

Fórmula Molecular

Como em H2O, a fórmula molecular indica a proporção entre os elementos em uma substância. Entendemos,
então, que existem dois átomos de H para cada átomo de O.
Repare em outros exemplos: NaCl, C6H6, CH4 etc.

Fórmula Centesimal Quí.


Indica a porcentagem, em termos de massa, entre os elementos em uma substância.

Continuemos com a H2O como exemplo:

Em 1 mol de H2O, temos 2g de H e 16g de O, totalizando 18g de água, correto?

Assim, se dividirmos 2 por 18, obteremos a porcentagem de H em 1 mol de H 2O, de 11,11%. Por
complementaridade, 88,89% é de O. Assim, a fórmula centesimal ficaria, após arredondamento, H 11%O89%.
Isso indica que, ao pesarmos um determinado volume de água, saberemos que 11% deste peso se refere a
átomos de H, e 89% a átomos de O.
Fórmula mínima ou empírica

Esta fórmula indica a menor relação possível entre os elementos formadores de um composto químico.

Exemplo:

Glicose, fórmula molecular, C6H12O6, fórmula mínima, CH2O.


Água oxigenada, fórmula molecular, H2O2, fórmula mínima, HO.

EXERCÍCIOS DE AULA
1. Por meio da fotossíntese os vegetais fabricam glicose, cujas moléculas se combinam para formar a
celulose, que constitui a parede celular, e amido, que é armazenado em diversos órgãos vegetais. A
decomposição de 1,8 g de glicose produziu 0,72 g de carbono, 0,12 g de hidrogênio e 0,96 g de
oxigênio. Determine a fórmula percentual dessa substância.

2. O acetileno é usado como gás de maçarico oxiacetilênico, cuja chama azul, que atinge 3 000 oC, pode
cortar chapas de aço. A decomposição de 1,3 g de acetileno produziu 1,2 g de carbono e 0,1 g de
hidrogênio. Determine a fórmula percentual dessa substância.

3. Sabe-se que, quando uma pessoa fuma um cigarro, pode inalar de 0,1 até 0,2 mg de nicotina.
Descobriu-se em laboratório que cada miligrama de nicotina contém 74,00% de carbono, 8,65% de
hidrogênio e 17,30% de nitrogênio. A fórmula mínima da nicotina é:
a) C6H7N
b) C5H7N
c) C10H12N
d) C5H3N2
e) C4H3N2

4. O cacodilo, que tem um odor forte de alho e é usado na manufatura de ácido cacodílico, um herbicida
para a cultura do algodão, tem a seguinte composição percentual em massa: 22,88% de C, 5,76% de
1
.

Quí.
Qual é a fórmula molecular do cacodilo?
a) C4H12As2
b) C3H24As2
c) C8H39As
d) C9H27As
e) C10H15As

5. Forneça o valor do volume que substituiria corretamente as letras A, B, C, D, E e F no quadro a seguir,


relacionadas à reação de síntese do gás cloreto de hidrogênio, feita em condições constantes de
pressão e temperatura.
6.
ao estudante é a de que o constituinte isolado (moléculas) contém os atributos do todo. É como dizer
que uma molécula de água possui densidade, pressão de vapor, tensão superficial, ponto de fusão,
ponto de ebulição, etc. Tais propriedades pertencem ao conjunto, isto é, manifestam-se nas relações
que as moléculas mantêm entre si.
Adaptado de: OLIVEIRA, R. J. O mito da substância. Química nova na escola, n. 1, 1995.

O texto evidencia a chamada visão substancialista que ainda se encontra presente no ensino da
Química. A seguir estão relacionadas algumas afirmativas pertinentes ao assunto.

I. O ouro é dourado, pois seus átomos são dourados.


II.
III. Uma substância pura possui pontos de ebulição e fusão constantes, em virtude das interações entre
suas moléculas.
IV. A expansão dos objetos com a temperatura ocorre porque os átomos se expandem. Dessas
afirmativas, estão apoiadas na visão substancialista criticada pelo autor apenas

a) I e II.
b) III e IV.
c) I, II e III.
d) I, II e IV.
e) II, III e IV.

7.
sa informação de um técnico do meio
ambiente, um estudante que passava pela margem do rio ficou confuso e fez a seguinte reflexão:

ter acabado o oxigênio do ri


a) desenhe as fórmulas das substâncias mencionadas pelo técnico.
b) qual é a confusão cometida pelo estudante em sua reflexão?

8. Em um artigo publicado em 1808, Gay-Lussac relatou que dois volumes de hidrogênio reagem com
um volume de oxigênio, produzindo dois volumes de vapor de água (volumes medidos nas mesmas
condições de pressão e temperatura). Em outro artigo, publicado em 1811, Avogadro afirmou que
volumes iguais, de quaisquer gases, sob as mesmas condições de pressão e temperatura, contêm o
mesmo número de moléculas. Entre as representações a seguir, a que está de acordo com o exposto
e com as fórmulas moleculares atuais do hidrogênio e do oxigênio é:

Quí.
EXERCÍCIOS DE CASA

1. O benzeno é um líquido amarelado, inflamável, altamente tóxico e cancerígeno, mas que possui muitas
aplicações, como fabricação de pesticidas, fluidos hidráulicos, borrachas, corantes, detergentes e
explosivos. A decomposição de 3,9 g de benzeno produziu 3,6 g de carbono e 0,3 g de hidrogênio.
Determine a fórmula percentual dessa substância.

2. O ácido oxálico (etanodioico) inibe a absorção de cálcio pelo organismo e é encontrado no chocolate.
Assim, a criança que toma somente achocolatados não aproveita o cálcio que o leite oferece e, a longo
prazo, pode apresentar deficiência desse mineral. A decomposição de 9,0 g de ácido oxálico produziu
0,2 g de hidrogênio, 2,4 g de carbono e 6,4 g de oxigênio. Determine a fórmula percentual dessa
substância.

3. Determine a fórmula mínima do benzeno, do ácido oxálico, da glicose e do acetileno.

4. As fórmulas são representações que identificam a composição e os átomos presentes na estrutura de


uma substância química. Essas representações indicam a composição centesimal, a relação
estequiométrica entre o número de átomos, nos menores números inteiros possíveis, e a proporção
entre átomos na molécula.
As fórmulas químicas são determinadas a partir de processos de análise qualitativa e quantitativa. Com
os dados obtidos durante esses processos pode-se, então, determinar a fórmula química de uma
substância e, a partir do conhecimento de suas propriedades funcionais, construir um modelo que
represente a sua estrutura. Com base nessas informações e considerando a análise de uma amostra de
substância pura, que revelou na composição 0,180 g de carbono, 0,030 g de hidrogênio e 0,160 g de
oxigênio, e possui massa molecular igual a 74u, determine a fórmula mínima e a fórmula molecular
dessa substância.

5. Determine a fórmula molecular de um óxido de fósforo que apresenta 43,6% de fósforo e 56,4% de
oxigênio (porcentagem em massa) e massa molecular 284 (massas atômicas: P = 31; O = 16).

6. A cafeína é um alcaloide presente nos grãos de café e nas folhas de chá, atuando como estimulante do
24
átomos de carbono, 10 mol de átomos de
24
átomos de oxigênio. A fórmula molecular da cafeína é:
a) C6H10N5O12.
b) C48H10N56O12.

Quí.
c) C8H10N4O2.
d) C5H5N6O2.
e) C8H10N2O2.

7. Em relação à teoria de Dalton, responda:


a) Por que, segundo Dalton, as substâncias simples eram necessariamente formadas por átomos

conforme ele chamava era

8. Considere a reação a seguir em fase gasosa:

1 gás nitrogênio + 3 gás hidrogênio  2 gás amônia


Fazendo-se reagir 4 L de gás nitrogênio com 9 L de gás hidrogênio em condições de pressão e
temperatura constantes, pode-se afirmar que:
a) os reagentes estão em quantidades proporcionais à indicada na reação.
b) o gás nitrogênio está em excesso.
c) após o fim da reação, os reagentes são totalmente converti dos em gás amônia.
d) a reação se processa com aumento do volume total.
e) após o fim da reação, são formados 8 L de gás amônia.

9. Em uma experiência, feita nas mesmas condições de temperatura e pressão, verificou-se que a
decomposição de 2 L de um cloreto de arsênio gasoso produziu arsênio sólido e 3 L de cloro gasoso.
Quantos átomos de cloro havia na molécula de cloreto de arsênio? Dado: a molécula de cloro gasoso
é formada por 2 átomos de cloro.
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5

QUESTÃO CONTEXTO

Quí.

O personagem da figura acima é Antoine Laurent Lavoisier, que ficou famoso pela Lei de Conservação das
Massas.

A partir dessa lei e com as informações abaixo, indique a quantidade necessária de hidrogênio e a proporção
entre H e O na produção de 1800g de água.

2H2 + O2  2H2O

4g + 32g  36g
Quí.
GABARITO

Exercícios de aula

1.

2. d

3. b

Quí.
4. a

5.

Quí.
6. d
I. Sim. De acordo com a visão substancialista o átomo de ouro é a menor parte do ouro capaz de guardar
as suas propriedades, portanto, nessa visão o átomo de ouro é dourado.
II. Sim. De acordo com a visão substancialista, a molécula é a menor parte da substância capaz de guardar
suas propriedades, portanto, nessa visão uma molécula rígida não pode formar uma substância macia.
III. Não. A afirmativa III indica que as propriedades das substâncias, como ponto de fusão e de ebulição,
dependem das interações entre as moléculas (o que é verdade); não são propriedades de cada molécula
em particular. IV. Sim. De acordo com a visão substancialista, os objetos se expandem com o aumento
da temperatura, porque os átomos que formam esse objeto se expandem.

7. a) água = H2O; oxigênio: O2


b) O oxigênio utilizado pelos peixes na respiração é o gás oxigênio: O 2. O estudante confundiu a
substância oxigênio com o elemento oxigênio. O gás dissolvido pode acabar, mas o oxigênio da
molécula de água faz parte de sua constituição

8. b

Exercícios de casa

1.

2.

Quí.
3.

4.

Quí.

5.
6.

7.
mantinham isolados, pois ele acreditava que átomos de um mesmo elemento químico sofreriam repulsão
mútua.
b) Dalton partiu do princípio de que a água é composta de hidrogênio e oxigênio na proporção em massa

1 e 8.

8. b

9. c

Quí.

Questão Contexto

200g de H2 : 1600g de O2
Quí.
Professor: Abner Camargo
Allan Rodrigues

Monitor: Marcos Melo

Quí.
Casos particulares de estequiometria:
22
grau de pureza, rendimento e gases
mai
fora das CNTP

RESUMO
Quando os reagentes não são substâncias puras(Grau de pureza)

Em alguns casos na estequiometria os reagentes da reação apresentam em sua composição impurezas,


principalmente em reações industriais, ou porque são mais baratos ou porque já são encontrados na natureza
acompanhados de impurezas (o que ocorre, por exemplo, com os minérios). Consideremos o caso do
calcário, que é um mineral formado principalmente por CaCO3 (substância principal), porém acompanhado
de várias outras substâncias (impurezas). Digamos que tenhamos 100kg do mineral calcário, porém, 90kg são
compostos por CaCO3, que é o componente principal desse minério e o que necessariamente vai reagir
numa reação química qualquer. Sendo assim, dizemos que 90% de todo minério recolhido é CaCO 3, logo,
10kg são apenas impurezas, que, geralmente, não reagem e não entram no cálculo estequiométrico. Com
essa análise chegamos a conclusão que essa amostra de minério tem 90% de pureza, ou seja, dos 100kg que
nós recolhemos 90kg serão utilizados.
Sendo assim, define-se:
Porcentagem ou grau de pureza é a porcentagem da massa da substância pura em relação à massa total
da amostra.

Vejamos um exemplo:

Uma amostra de calcita, contendo 80% de carbonato de cálcio, sofre decomposição quando submetida a
aquecimento, segundo a equação abaixo:
CaCO3 → CaO + CO2

Qual a massa de óxido de cálcio obtida a partir da queima de 800 g de calcita?


Resolução:
O enunciado nos diz que a calcita contém apenas 80% de CaCO 3 . Temos então o seguinte cálculo de
porcentagem:

1ª linha) 800 g de calcita _________ 100%

Quí.
2ª linha) x g de CaCO3 _________ 80% de → Grau de pureza

X = 640 g de CaCO3 puro

Note que é apenas essa massa (640g de CaCO3 puro)que irá participar da reação. Assim, teremos o seguinte
cálculo estequiométrico:

2º exemplo
Deseja-se obter 180 L de dióxido de carbono, medidos nas condições normais de temperatura e pressão, pela
calcinação de um calcário com 90% de pureza de CaCO 3 (massas atômicas: C = 12; O = 16; Ca = 40). Qual é
a massa de calcário necessária?
CaCO3 → CaO + CO2
Resolução:

a quantidade do produto obtido, agora é dada a quantidade do produto que se deseja obter e pedida a
quantidade do reagente impuro que será necessária. Pelo cálculo estequiométrico normal, teremos sempre
quantidades de substâncias puras:

CaCO3 → CaO + CO2


100 g ____ 22,4 L (CNTP)
x ____ 180 L (CNTP)
x = 803,57 g de CaCO3 puro

A seguir, um cálculo de porcentagem nos dará a massa de calcário impuro que foi pedida no problema:
803,57g CaCO3 puro ________ 90%
X g ________ 100%

x = 892,85 g de calcário impuro

Note que a massa obtida (892,85g) é forçosamente maior que a massa de CaCO3 puro (803,57g) obtida no
cálculo estequiométrico, pois na massa do minério encontrada está contida as impurezas.

Quando o rendimento da reação não é total

Vamos considerar a reação C + O2 →CO2 , supondo que deveriam ser produzidos 100 litros de CO 2 (CNPT);
vamos admitir também que, devido a perdas, foram produzidos apenas 90 litros de CO2 (CNPT), logo o
rendimento foi de 90%.

_______
100L 100%
_______
90L x

X= 90%

Em casos assim, dizemos que:

Rendimento é o quociente entre a quantidade de produto realmente obtida em uma reação e a quantidade
que teoricamente seria obtida, de acordo com a equação química correspondente.

Quí.
Exemplo:
Num processo de obtenção de ferro a partir da hematita (Fe2O3), considere a equação balanceada:
Fe2O3 + 3C → 2Fe + 3CO
(Massas atômicas: C = 12; O = 16; Fe = 56)

Utilizando-se 4,8 toneladas (t) de minério e admitindo-se um rendimento de 80% na reação, a quantidade de
ferro produzida será de:

a) 2.688 kg
b) 3.360 kg
c) 1.344 t
d) 2.688 t
e) 3.360 t

Resolução: Após o balanceamento da equação, efetuamos o cálculo estequiométrico da forma usual


MMFe2O3 = (56x2) + (16x3) = 160g

________
160g de Fe2O3 112g de Fe
6 ________
4,8 x10 g de Fe2O3 x
6
X = 3,36 x10 g

6
3,36 x10 g ______ 100%
Y ______ 80%
6
Y = 2,688 x10 g ou 2688 Kg

Gases fora das CNTP: Equação de Clapeyron

Definimos a equação geral dos gases de Clapeyron como:

PV = nRT

Podemos expressar o número de mol (n) da seguinte maneira também:


𝒎
PV = RT
𝑴.𝑴

Onde:

P = Pressão do gás (atm)


V = Volume do gás (L)
n = Quantidade do gás (mol)
m = Massa do gás (g)
M.M = Massa molar do gás(g)
-1 -1
R = Constante universal dos gases perfeitos (L.atm.mol .K )
T = Temperatura do gás (medida em Kelvin)

Volume molar fora das CNTP(Condições Normais de Temperatura e Pressão)

Definimos que uma substância está fora das CNTP se as condições de temperatura e pressão são diferentes
de 0ºC e 1 atm. Quando são usados valores randômicos para esses parâmetros calculamos seu volume a partir
da equação de Clapeyron.

Quí.
Exemplo:

Dada a reação: Fe2O3(s) + 3CO(g) → 2Fe(s) + 3 CO2(g)


Sabendo que a massa de um mol de ferro é de 56g, calcule a massa de ferro produzida quando 8,2L de CO 2
são formados a 2 atm e 127ºC.
Primeiramente amos calcular quantos litros de CO 2 são produzidos quando, nas mesmas condições de
temperatura e pressão dadas no texto, temos 3 mol do mesmo(quantidade estequiométrica de mol de gás
CO2 )

PV =nRT
2.V = 3 . 0,082 . 400
V = 49,2L

Assim, quando se produz 2 mol de ferro nas condições dadas eu produzo 49,2L de CO 2 , com uma regra de
três, consigo estabelecer quantas gramas de ferro eu produziria com 8,2L de CO 2.
2x56 gramas de ferro ______ 49,2L de CO2
______
Y gramas de ferro 8,2L de CO2

Y = 18,7g de ferro (aproximadamente)

EXERCÍCIOS
1. A equação abaixo representa a reação que se passa para obtermos o cloro. Considerando que ela
teve um rendimento de 85%, que foi realizada na temperatura de 27ºC e a uma pressão de 1,5 atm, e
que utilizamos 500 g de sal, o volume de cloro obtido, em litros, é:

2 NaCl + MnO2 + 2H2SO4 2 SO4 + MnSO4 +Cl2 + H2O

a) 59,6
b) 82,5
c) 119,2
d) 280,5
e) 1.650,0

2. A equação: 2 NaCl + MnO2 + 2 H2SO4 → Na2SO4 + MnSO4 + Cl2 + 2 H2O


Representa a reação que se passa para obtermos o cloro, Considerando que ela teve um rendimento
de 85%, que foi realizada na temperatura de 27ºC e a uma pressão de 1,5 atm, e que utilizamos 500g
de NaCl, o volume de cloro obtido, e m litros aproximadamente, é:
a) 59,5
b) 70,0
c) 119,2
d) 280,5
e) 1650,0

3. Para se obter 1,5 kg do dióxido de urânio puro, matéria-prima para a produção de combustível nuclear,
é necessário extrair-se e tratar-se 1,0 tonelada de minério. Assim, o rendimento (dado em % em massa)
do tratamento do minério até chegar ao dióxido de urânio puro é de:

U3O8 2 + O2
a) 0,10 %.
b) 0,15 %.
c) 0,20 %.
d) 1,5 %.

Quí.
e) 2,0 %.

4. Em setembro de 1998, cerca de 10.000 toneladas de ácido sulfúrico (H 2SO4) foram derramadas pelo
navio Bahamas no litoral do Rio Grande do Sul. Para minimizar o impacto ambiental de um desastre
desse tipo, é preciso neutralizar a acidez resultante. Para isso pode-se, por exemplo, lançar calcário,
minério rico em carbonato de cálcio (CaCO 3), na região atingida.
A equação química que representa a neutralização do H2SO4 por CaCO3, com a proporção aproximada
entre as massas dessas substâncias é:

H2SO4 + CaCO3 → CaSO4 + H2O + CO2


1 tonelada 1 tonelada sólido gás
reage com se dimentado

Pode-se avaliar o esforço de mobilização que deveria ser empreendido para enfrentar tal situação,
estimando a quantidade de caminhões necessária para carregar o material neutralizante. Para
transportar certo calcário que tem 80% de CaCO 3, esse número de caminhões, cada um com carga de
30 toneladas, seria próximo de:
a) 100.
b) 200.
c) 300.
d) 400.
e) 500.

5. Em setembro de 1998, cerca de 10000 toneladas de ácido sulfúrico, H2SO4 (aq), foram derramadas pelo
navio Bahamas no litoral do Rio Grande do Sul. Para minimizar o impacto ambiental de um desastre
desse tipo, é preciso neutralizar a acidez resultante. Para isso pode-se, por exemplo, lançar calcário,
minério rico em carbonato de cálcio, CaCO3 (s), na região atingida. A equação química que representa
a neutralização do H2SO4 por CaCO3 , com a proporção aproximada entre as massas dessas substâncias
é:

Pode-se avaliar o esforço de mobilização que deveria ser empreendido para enfrentar tal situação,
estimando a quantidade de caminhões necessária para carregar o material neutralizante. Para
transportar certo calcário que tem 80% de CaCO 3 (s), esse número de caminhões, cada um com carga
de 30 toneladas, seria próximo de:
a) 100.
b) 200.
c) 300.
d) 400.
e) 500.

6. Uma indústria queima diariamente 1 200 kg de carvão (carbono) com 90% de pureza. Supondo que a
queima fosse completa, o volume de oxigênio consumido para essa queima nas condições de 0ºC e
1atm seria de: (Dados: C = 12g)

C +O2 → CO2 + H2O

a) 22 800 L
b) 22 800 m3
c) 24 200 L
d) 24 200 m3
e) 2 016 m3

Quí.
7. O ferro pode ser obtido a partir da hematita, minério rico em óxido de ferro, pela reação com carvão
e oxigênio. A tabela a seguir apresenta dados da análise de minério de ferro (hematita) obtido de várias
regiões da Serra de Carajás.

1
Fe2O3 + 2C+ O2 → 2Fe + 2CO2
2

No processo de produção do ferro, a sílica é removida do minério por reação com calcário (CaCO 3).
Sabe-se, teoricamente (cálculo estequiométrico), que são necessários 100g de calcário para reagir com
60g de sílica.
Dessa forma, pode-se prever que, para a remoção de toda a sílica presente em 200 toneladas do
minério na região 1, a massa de calcário necessária é, aproximadamente, em toneladas, igual a:

SiO2 + CaCO3 → CaSiO3 + CO2


a) 1,9.
b) 3,2.
c) 5,1.
d) 6,4.
e) 8,0.

8. 12,25 g de ácido fosfórico com 80% de pureza são totalmente neutralizados por hidróxido de sódio,
numa reação que apresenta rendimento de 90%. A massa de sal obtida nesta reação é de: (Dados:
massas atômicas: H = 1; O = 16; Na = 23; P = 31)

H3PO4 + 3 NaOH → Na3PO4 + 3H2O

a) 14,76 g
b) 16,40 g
c) 164,00 g
d) 9,80 g
e) 10,80 g

9. Foram obtidos 100 g de Na2CO3 na reação de 1,00 litro de CO2, a 22,4 atm e O°C, com excesso de
NaOH. Calcule o rendimento da reação. (Dados: Na = 23 ; C = 12 ; O = 16.)

2 NaOH + CO2 → Na2CO3 + H2O

10. Quando o nitrato de amônio decompõe-se termicamente, produz-se gás hilariante (N2O) e água. Se a
decomposição de 100 g de NH4NO3 impuro fornece 44 g de N2O, a pureza do nitrato de amônio é:
(Dados: N = 14 ; H = 1 ; O = 16.)

NH4NO3 → N2O + H2O


a) 20%
b) 40%
c) 60%
d) 80%
e) 90%

Quí.
11. Para responder à questão a seguir, considere o seguinte esquema de procedimento industrial para
obtenção de gás nitrogênio ou azoto (N 2):
Partindo de 200 L de ar contendo 5% de umidade e, sendo a porcentagem dos gases no ar seco em
volumes, a opção que MAIS SE APROXIMA DO VOLUME MÁXIMO de N2 obtido em rendimento de 70%
é:
a) 105 L
b) 120 L
c) 133 L
d) 150 L
e) 158 L

12. A minimização do tempo e custo de uma reação química, bem como o aumento na sua taxa de
conversão, caracteriza a eficiência de um processo químico. Como consequência, produtos podem
chegar ao consumidor mais baratos. Um dos parâmetros que mede a eficiência de uma reação química
é o seu rendimento molar (R, em %) definido como

<