Você está na página 1de 3

E.E.

LEVINDO COSTA CARVALHO


Estudo dirigido
DISCIPLINA: Ciências PROF.:Patrícia

ALALUNO (A): _______________________________________________Turma: 701

VALOR:3,o VALOR OBTIDO: __________ Data:

1) Leia o texto a seguir e depois responda às questões.

Pinheiro-do-Paraná: uma árvore plantada por pássaros

Se a gente fosse escolher as cinco árvores mais significativas do Brasil,


certamente não deixaria de fora a araucária ou pinheiro-do-paraná, conhecida
também pelo nome científico de Araucaria angustifólia.
Antigamente, a araucária cobria grande parte do território de Minas
Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Paraná e Rio Grande do sul. Era exportada
para todo o mundo e fez a riqueza de muita gente. Com isso, as regiões de
araucária foram submetidas a um processo cruel de devastação. Pinheiros
inteiros foram abatidos a machado ou serrados e, às vezes, apenas queimados
para dar lugar ao milho, à soja e ao feijão.
Pensavam que a araucária fosse uma riqueza inesgotável. Mas hoje ela
é somente encontrada em pequenas e esparsas reservas naturais. Nem sequer
foi criado um parque nacional da araucária, e nem sabemos mais onde ela dá e
onde não dá.
Pinheiro-do-paraná é mais que uma árvore bonita: é imponente. Com a
forma de uma taça, ele é alto, reto e seu tronco mantém a forma cilíndrica
quase perfeita desde a base até o topo, chegando a atingir de vinte a trinta
metros de altura.
Mas a araucária não é só importante como madeira. É também alimento.
O pinheiro-do-paraná produz o pinhão - um petisco tão apreciado por nós como
por boa parte da fauna brasileira. Da anta ao sabiá, da queixada à
impressionante gralha-azul, do tatu à pomba, todos gostam de pinhão.
A mata de araucária atrai toda sorte de bichos e passarinhos, mas atrai
principalmente a gralha-azul, um pássaro selvagem, brilhante, e que está
ficando cada vez mais raro no Brasil. Tão raro como as matas de araucária.
Na temporada do pinhão, que vai de março até setembro, a gralha
recolhe as sementes das pinhas, come o que quer e enterra a sobra, como
reserva para o verão.
Como a gralha geralmente armazena mais do que pode comer, ou -
como acredita muita gente - esquece onde enterrou os pinhões, eles acabam
germinando e nascendo. E os novos pinheiros saem para a vida, para
compensar os que morrem de velhos ou por doença. Infelizmente, a
semeadura das gralhas não compensa os estragos das motosserras, pela
única razão de que, cortando os pinheiros, acaba-se também com as gralhas.
(Adaptado de: Globo Rural, mar. 1996.)
a) Em que grupo de vegetais os pinheiros, como a araucária, estão
classificados? Por quê?

b) Que parte do pinheiro (raiz, caule, folha etc.) é o conhecido e apreciado


pinhão?

c) Qual é o papel da gralha no ciclo reprodutor desses pinheiros?

d) Os pinheiros são plantas vasculares (com vasos condutores) ou


avasculares? Por quê?

2) Da mesma forma que os animais, as plantas mostram uma sequência


evolutiva que, a partir da vida aquática, conquistaram definitivamente o meio
terrestre. Use as palavras do quadro a seguir para completar o texto que
descreve as características das plantas terrestres mais simples:

aquático – absorver – fixar – úmidos – filoides –


vasos condutores – terrestre – rizoides - briófitas

Os musgos são pequenos vegetais que podem ser encontrados em ambientes


_______________, frequentemente à sombra. Tais vegetais pertencem ao
grupo das ______________, que apresenta característica de transição entre o
ambiente _____________ e ______________. No corpo dos musgos podemos
distinguir três partes: os ____________, os cauloides e os ______________.
Os rizoides têm a função de ____________ a planta no solo e
_______________ água. Cauloides e filoides são órgãos semelhantes a caules
e folhas, mas que não apresentam ___________________.
.
Resolva os seguintes testes:

1) Nas briófitas, a inexistência de um sistema vascular condutor de seiva e a


ocorrência de gametas flagelados móveis determinam que essas plantas
sejam:
a) Consideradas mais evoluídas que as algas.
b) Sempre de porte pequeno e vivam em locais úmidos e sombreados.
c) De ocorrência exclusivamente aquática, principalmente marinha.
d) Independentes de um substrato para fixação e da água durante a
fecundação.

2) Analise a descrição abaixo:


“Grupo de plantas de pequeno porte, encontradas em locais úmidos e
sombreados, que crescem no solo ou sobre os troncos das árvores. Há poucas
espécies dulcícolas e nenhuma marinha. Este grupo de plantas apresenta
rizoides e não possui vasos condutores”.

Após a análise do texto, assinale a alternativa que apresenta o nome do grupo


das plantas com as características apresentadas.
a) Briófitas. b) Gimnospermas.
c) Pteridófitas. d) Angiospermas.
e) Dicotiledôneas.

3) O pinhão, alimento tão apreciado durante as festas de São João, é a(o)


________ de uma planta ________, a qual possui em seu interior um embrião.
a) semente, angiosperma. b) fruto, angiosperma.
c) semente, pteridófita. d) semente, gimnosperma.
e) fruto, gimnosperma.

4) A figura mostra a face inferior de uma folha onde se observam estruturas


reprodutivas. A que grupo de plantas pertence essa folha e o que é produzido
em suas estruturas reprodutivas?
a) Angiosperma; grão de pólen.
b) Briófita; esporo.
c) Briófita; grão de pólen.
d) Pteridófita; esporo.
e) Pteridófita; grão de pólen.

5) Considerando as fases da vida da samambaia representadas a seguir,


responda:
a) O que a fase A produz? _________
b) Qual é o nome da fase A? ______________
c) Onde aparecem os soros? _________
d) Onde ocorre a fecundação? _________