Você está na página 1de 2

REFERÊNCIAS

ÂNGELO, Franscisca Novantino P. de. A. Educação Indígena e a Diversidade Cultural no


Brasil. In: GRUPIONI, Luis Donizeti Benzi (Org.). Formação de professores indígenas:
repensando trajetória. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação continuada,
Alfabetização e Diversidade, 2006, p. 207-215.

ARGUELO Carlos Alfredo. Etnoconhecimentos na Escola Indígena. In: GRUPIONI, Luís


Donisete Benzi, GUARANI Vilmar, SECCHI Darci (Org.). Brasil: as Leis e a Educação
Escolar Indígena. Brasília: Ministério da Educação, 2006, p. 145-148.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo


Bezerra; notas da edição russa de Serguei Botcharov. São Paulo: Editora 34, 2016.

BATISTA, Antônio Augusto Gomes. A avaliação dos livros didáticos: para entender o
Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). In: ROJO, R. H. R. & BATISTA, Antônio
Augusto Gomes (Org.). Livro didático de língua portuguesa, letramento e cultura da escrita.
Campinas/SP: Mercado de Letras, 2003.

BOMFIM, Anari Braz. Patxohã: a retomada da língua do povo Pataxó. Revista Linguística, v.
1, n. 13, p. 303-327.

BRASIL, Resolução CEB nº 3 de 10 de novembro 1999. In: As Leis e a Educação Escolar


Indígena: Programa Parâmetros em Ação de Educação Escolar Indígena/ Organização Luís
Donisete Benzi Grupioni. – Brasília. 2005.

BRASIL. As Leis e a Educação Escolar Indígena. Organização Luís Donisete Benzi Grupioni,
Darci Secchi, Vilmar Guarani – Brasília. 2006.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e Normas Regulamentadoras de pesquisas


envolvendo seres humanos. Resolução nº 466/2012 de 12 de Dezembro de 2012. Brasília, DF,
2012.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Norma Complementar para a área de Pesquisa em


Povos Indígenas. Resolução 304/2000 de 09 de agosto de 2000. Brasília, DF, 2000.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Ética para
Pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Brasília, DF, 2016. Disponível em:
<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html> Acesso em:
01 out 2018.

BRASIL. Constituição federal. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1988.

BRASIL. Parecer 14/99 do Conselho Nacional de Educação. Brasília, DF, 1999.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas. Ministério da Educação


e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CESAR, A. Lições de abril: construção de autoria entre os Pataxó de Coroa Vermelha. Tese
(Doutorado em Lingüística Aplicada) Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP:
2002.

COLLET, Cecília Letícia Gouveia. Interculturalidade e Educação Escolar Indígena: Um Breve


Histórico. In: GRUPIONI, Luis Donizeti Benzi. (Org.). Formação de professores indígenas:
repensando trajetória. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação continuada,
Alfabetização e Diversidade, 2006, p. 115-129.

D’ANGELIS, Wilmar da Rocha (Org). Ensino de Português em comunidades indígenas (1ª e


2ª língua). Campinas, SP: Editora Curt Nimuendajú, 2013.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

INSTITUTO Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo básico.


Disponível em:< http://censobasico.inep.gov.br/censobasico/#/.> Acesso em 09 out 2018.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia científica. São Paulo:
Atlas, 2004.

LIMA, Augusto César Gonçalves, OLIVEIRA Luiz Fernandes de, LINS Monica Regina
Ferreira (Org). Diálogos interculturais, currículo e educação: experiências e pesquisas
antirracistas com crianças na educação básica. Rio de Janeiro: Quartet: FAPERJ, 2009.

MUNDURUKU, Daniel. O caráter educativo do movimento indígena brasileiro (1970- 1990).


São Paulo: Paulinas, 2012. (Coleção educação em foco. Série educação, história e cultura).

SANTA CRUZ CABRÁLIA. Parecer CME/SCC nº 028/2017 de 09 de agosto de 2017. Parecer


Técnico para Renovação da Autorização de funcionamento da Escola Indígena Pataxó de
Coroa Vermelha. Conselho Municipal de Educação, Santa Cruz Cabrália- BA, 2017.

SILVA, Ana Letícia. Desconstruindo a discriminação do negro no livro didático. Salvador:


EduFba, 2001.

SILVA, Tomaz Tadeu da. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular.
Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

VOLÓCHINOV, Valentin N. Os caminhos da filosofia da linguagem marxista. In:______.


Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológicos na ciência
da linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ektarina Vólkova. São Paulo: Editora 34, 2017. p.143-225.